Jump to content
Sign in to follow this  
Jirimias

Maldito Futebol Clube

Recommended Posts

Jirimias

Clough cobra mesmo de seus jogadores, mas é compreensivel a ira de qualquer treinador diante de um hat trick de um jogador no qual foi ordenada marcação especial e não adiantou em nada. Bem, prometeu titulo essa temporada e uma chance ja se foi, mas pelo menos vai poder focar na liga, onde a equipe tem sido regular e o que me impressiona é que tomou apenas um gol, isso da mais confiança aos jogadores para continuarem a boa campanha.

Eh, ele só tinha este papel no jogo, que era marcar o melhor jogadores deles e falhou tremendamente, mas eu não cobraria tanto quanto o Clough, era difícil bater o NOttm, estão em outro patamar e o time deu bastante trabalho.

Ainda tem outras duas copas por disputar simultaneamente à Liga, mas estou com vc: o foco tem que ser o acesso, com ou sem título. Mas um título iria ser bom para o ego do Clough.

11 chutes a gol e 1 oportunidade de gol apenas... Clough tem mais do que a marcação para corrigir...

Eh, mas o adversário era bem, bem superior, não permitiam chegar tão próximo da área.

A marcação foi o maior problema, pois deu espaço para um jogador resolver tudo.

O Walton saiu, o time melhorou haha

Share this post


Link to post
Share on other sites
HernaneBrocador

Olha aí, já chegou esbanjando personalidade e batendo de frente com titular importante da equipe. Espero agora uma melhora de rendimento na Liga, porque sem a Copa para dividir as atenções as ambições mudam de patamar. Como diz uma famosa organizada por aí: 'Libertadores A Liga é Obrigação'

Share this post


Link to post
Share on other sites
Jack Daniels

O Que dizer do temperamento Clough ??? , estou percebendo que ele não vai aceitar tão cedo um fracasso hahah , isso é muito interessante , jiri , andei lendo as suas histórias numa parte do Fórum , suas histórias antigas no caso , haha , todas MUITO boas , parabéns...

To curioso pra saber se você vai continuar no Hartlepool nas próximas temporadas

Share this post


Link to post
Share on other sites
Jirimias

Olha aí, já chegou esbanjando personalidade e batendo de frente com titular importante da equipe. Espero agora uma melhora de rendimento na Liga, porque sem a Copa para dividir as atenções as ambições mudam de patamar. Como diz uma famosa organizada por aí: 'Libertadores A Liga é Obrigação'

Verdade. A liga torna-se obrigação qdo o time não vai tão bem na copa. Sorte que as copas são secundárias para a diretoria, mas no futuro tem que ser uma obrigação para a carreira de Clough.

O Que dizer do temperamento Clough ??? , estou percebendo que ele não vai aceitar tão cedo um fracasso hahah , isso é muito interessante , jiri , andei lendo as suas histórias numa parte do Fórum , suas histórias antigas no caso , haha , todas MUITO boas , parabéns...

To curioso pra saber se você vai continuar no Hartlepool nas próximas temporadas

Tô tentando ajustar bem o personagem ao Clough. É um personagem rico que me dá uma facilidade para bolar situações.

Obrigado por ter lido e pelos elogios.

Vlw!

Share this post


Link to post
Share on other sites
gq-tricolor

Ótimo começo, que apesar de ser apenas isso, um começo, são os primeiros jogos que elevam o moral do time e dão os efeitos necessários para uma boa campanha e regular, o que é importante, já que evita problemas sério como estresse, dores de cabeça, infartos, ataques de fúria...

Só não vale ganhar do time da SI nessa divisão.

Share this post


Link to post
Share on other sites
Jirimias

Ótimo começo, que apesar de ser apenas isso, um começo, são os primeiros jogos que elevam o moral do time e dão os efeitos necessários para uma boa campanha e regular, o que é importante, já que evita problemas sério como estresse, dores de cabeça, infartos, ataques de fúria...

Só não vale ganhar do time da SI nessa divisão.

ahah verdade, o time sabe que o ataque de fúria do treinador não é nada bom rsrs.

Vou dar uma surra neste time da SI só para vingar do patch anterior haha

Share this post


Link to post
Share on other sites
Jirimias

clough-revie3.jpg


titulo.png


balaco.png

O dono da chuteira verde número 47 é o mesmo que agora corta um pedaço da genuína carne escocesa. Era possível ver o uniforme azul do Forfar, time amador da segunda divisão do país, por baixo daquele avental branco.

O homem que aterrorizava seus adversários de nada parecia com aquele gentil açougueiro que atende ao senhor de pouco mais de sessenta anos. Enquanto faz o corte perfeito, Chris fala sobre seu passado como profissional de futebol. Foi há quase nove anos em que não precisava ter dois empregos para se manter. Foi uma boa época – dizia ele, lembrando que os duzentos euros que hoje ganha por mês, antes era o que ele recebia por dia.

Aos 33 anos, o camisa nove do Forfar não tinha mais esperança de jogar profissionalmente, por isso havia investido parte do dinheiro gasto na carreira para entrar em uma sociedade em um açougue.

Enquanto isso do lado de fora do estabelecimento:

CLOUGH: - Genie, você tem certeza que é aqui mesmo?
GENIE: - Sim, Clough. O nosso atacante trabalha aqui.
CLOUGH: - Um açougueiro?
GENIE: - Sim, um açougueiro com 134 gols em 445 jogos.
CLOUGH: - Com esta média aí, eu acho melhor ele continuar cortando carne.
GENIE: - Você disse que precisava de um jogador alto, forte e insuperável no jogo aéreo, não foi?
CLOUGH: - Sim. E barato. Este detalhe é o mais importante.
GENIE: - Então esse é o cara. Ele sai de graça, porque o time dele não é profissional. O salário dele é de duzentos euros, se você multiplicar por cinco, ele aceitará trabalhar conosco sem pensar muito.
CLOUGH: - Cinco vezes é muito. Três vezes é suficiente. Bom vamos lá.

Eles entram enquanto o homem afia a faca na pedra que está sob o balcão lateral . Percebendo a entrada dos visitantes, ele dirige-se a ele com o sorriso costumeiro:

CHRIS: - Olá, senhores! Qual carne vocês querem levar?
CLOUGH: - A sua, Chris. Deixa eu me apresentar, sou Will Clough, treinador do grande Hartlepool. Você já deve ter ouvido falar de mim. Certo?
CHRIS: - Não, nunca ouvi. Mas tenho amigos em Hartlepool. Só acho que você é muito jovem para ser treinador.
CLOUGH: - Sim, sou jovem, mas isso não vem ao caso. Vim te anunciar a boa nova. Vim para te dar a última oportunidade de terminar sua carreira com dignidade.
CHRIS: - E i, não precisa me humilhar. – disse afundando a faca em pedaço de carne.

Genie percebe o clima tenso e tenta amenizar.

GENIE: - Desculpe, Chris. O Clough não quis te ofender, ele só está um pouco ansioso. Nós precisamos de um jogador como você no Hartlepool.
CHRIS: - Tenho que pensar. Tenho o meu próprio negócio e trabalhar apenas parte do período me permite dar uma atenção maior ao açougue. Além disso estou contundido e só vou poder jogar daqui há dois meses.
CLOUGH: - Não se preocupe,Chris. Vamos esperar por você. Te ofereço €600 euros e você pode morar no nosso Centro de Treinamento.
CHRIS: - Preciso de um tempo.
CLOUGH: - Tudo bem. Você se recupera e depois a gente volta a conversar.

Eles se despediram com um aperto de mão. Um novo aperto de mão foi dado em frente as lentes do site oficial do Hartlepool, cinqüenta e cinco dias depois. Mesmo ainda sentindo a lesão, Chris Templeman foi a campo contra o Bradford, pela Football League Trophy. Na ocasião, o Hartlepool entrou com o time reserva por opção de Will Clough. Para muitos, o fato de Clough ter subestimado o adversário foi crucial na eliminação do H’Pool. Enquanto o Hartlepool sofria com a eliminação, Chris conseguiu deixar uma boa impressão, inclusive figurando entre os goleadores da partida.


chris.png


Chris não sentiu a pressão de voltar a jogar futebol profissional e acabou forçando Will a jogar com um 4-4-2. A dupla formada com Luke James tirou um pouco o peso que recaía sobre o jovem atacante, além de dar uma opção para os cruzamentos altos para os jogadores de lado de campo. Templeman marcou três vezes em quatro jogos como titular, destacando também nas assistências (2), além de conquistar uma premiação de melhor em campo.

Com Chris em campo, o Hartlepool sofreu sua primeira derrota na League Two para o Bristol Rovers. Derrota que no momento custou a perda de três posições na tabela, recuperada nos jogos seguintes e selada contra o Mansfield, fora de casa. Chris voltou a marcar no jogo final e conseguiu lugar entre os maiores goleadores da equipe na temporada.


calendario.png


Com 23 pontos, o H’Pool ocupa a segunda colocação na tabela, atrás apenas no Scunthorpe. Com isso a equipe conseguiu manter quatro pontos para o quarto colocado, o que daria ao time o acesso para a League One sem play-offs .

cllassifica.png

Share this post


Link to post
Share on other sites
gq-tricolor

Tem conseguido aproveitar bem os cruzamentos pelo que vi, Jiri. Ensina aí como se faz. Eu sei que não tenho os melhores cabeceadores - como o scottish butcher -, mas poxa vida, a bola só bate no adversário e vai pra fora. Nem o Pará erra tanto assim.

Share this post


Link to post
Share on other sites
Jirimias

Tem conseguido aproveitar bem os cruzamentos pelo que vi, Jiri. Ensina aí como se faz. Eu sei que não tenho os melhores cabeceadores - como o scottish butcher -, mas poxa vida, a bola só bate no adversário e vai pra fora. Nem o Pará erra tanto assim.

Curiosamente, o passe, e não o cruzamento é nossa maior virtude. Gols de cabeça foram apenas 5, para 33 de chutes colocados.

Agora o desempenho do Templeman é melhor pelo alto, foram dois gols de cabeça e duas assistências também de cabeça. Tenho até que melhorar este desempenho, principalmente para as bolas paradas ofensivas.

Não tem nenhum segredo. Apenas jogadores nas pontas para servir ao jogador alvo que é o Templeman.

Share this post


Link to post
Share on other sites
Gourcuff

Se o desempenho nas copas não anima, o clube vai muito bem na League 2. Esse início já deixa o time como candidato forte à promoção e até ao título.

E sobre essa história dos cruzamentos, para reforçar o que o Jiri disse, eu também uso um jogador alvo e coloco os pontas pra usar ele como referência. Tenho um bom aproveitamento e depois que saiu o patch, estou vendo alguns gols vindos de cruzamentos, sejam meus ou do adversário.

Share this post


Link to post
Share on other sites
rsm_rlb

Belo início do Açougueiro. Agora, a pergunta que não quer calar: Como ficou o açougue do cara, com ele se profissionalizando? :yao:

Share this post


Link to post
Share on other sites
Jirimias

Se o desempenho nas copas não anima, o clube vai muito bem na League 2. Esse início já deixa o time como candidato forte à promoção e até ao título.

E sobre essa história dos cruzamentos, para reforçar o que o Jiri disse, eu também uso um jogador alvo e coloco os pontas pra usar ele como referência. Tenho um bom aproveitamento e depois que saiu o patch, estou vendo alguns gols vindos de cruzamentos, sejam meus ou do adversário.

Pô, nas copas o time só leva ferro rsrs, mas tá bom, não tenho nenhuma pretensão mesmo com elas.

Isso mesmo, renato. Interessante tb que percebi esta melhoria, se podemos dizer isso, qto aos cruzamentos, antes parecia não existir.

Belo início do Açougueiro. Agora, a pergunta que não quer calar: Como ficou o açougue do cara, com ele se profissionalizando? :yao:

kkk informação muito pertinente. Só você mesmo. Provavelmente, agora ele fica recebendo só os lucros do outro sócio dele.

Share this post


Link to post
Share on other sites
LikeaBoss

Vem bem na vice liderança, o acesso direto será muito importante, seria ainda mais importante o titulo, wsó que para o ego de Clough. De negativo apenas a eliminação da copa, gostei também do atacante açougueiro, parece estar se destacando positivamente, é bom ter uma referencia, só espero que não venha a ser um novo Dave Mackay.

Share this post


Link to post
Share on other sites
miro

Ótimo inicio, tens feito muitos bons jogos em casa, pena essa derrota para Bristol Rovers. mais se recuperou vamos lá :yest2:

Share this post


Link to post
Share on other sites
Jirimias

Ótimo inicio, tens feito muitos bons jogos em casa, pena essa derrota para Bristol Rovers. mais se recuperou vamos lá :yest2:

Eh, o time vem bem, tropeça pouco, Uma regularidade que espero manter até o fim.

Vem bem na vice liderança, o acesso direto será muito importante, seria ainda mais importante o titulo, wsó que para o ego de Clough. De negativo apenas a eliminação da copa, gostei também do atacante açougueiro, parece estar se destacando positivamente, é bom ter uma referencia, só espero que não venha a ser um novo Dave Mackay.

Para o Clough só subir não basta, mas será uma difícil missão chegar ao título.

O time não vem bem nas copas, mas na League Trophy foi o "prêmio" por ter colocado o time reserva.

Templeman já disse a que veio. Foi comprado barato e qualquer desempenho já teria dado retorno, mas tem se superado.

Só não pode ser um novo Mackay.

Share this post


Link to post
Share on other sites
Jirimias

clough-revie3.jpg

titulo.png

balaco.png

O menino cresceu. Não havia percebido, talvez tenha sido pelo excesso de trabalho. Evitava entrar no quarto de Will sem que ele ali estivesse, mas naquele dia havia subido ao estranhar a ausência do filho. Não era de dormir fora de casa, muito menos sem avisar. Pensou logo que fosse um rabo de saia, mas era tão difícil imaginá-lo com uma garota depois da desilusão com Anne, no passado. Lembrou da partida de ontem à noite. Provavelmente, teria estendido a noite em algum bar e acabou dormindo em algum hotel. Quando bebia, costumava fazer isso, porém nunca sem ligar avisando.


trajeto.png
Mapa: Hartlepool e Middlesbrough

Abriu as janelas, deixou o sol bater no travesseiro. A última semana tinha sido dura: a perda do emprego dias depois do natal e a briga em casa com o filho. Aquele parecia um lugar tranquilo para pensar na vida. Sentou-se à beira da cama, e impulsivamente, abriu a gaveta do criado. Notou que havia apenas um caderno com o título na capa “Dedicado ao vovô Brian”. A letra tremida e assimétrica lembrava aos garranchos da época do colegial. Forçou a memória e lembrou que o menino havia ganhado um caderno do avô assim que começou a escrever as primeiras letras. Logo na primeira página, a letra infantil dava lugar a uma escrita forte.


Anotações de Clough


O 4-4-2

Sinto-me frustrado por não ter conseguido repetir o 4-4-2 que meu avô utilizava no passado. Hoje em dia, praticamente todos os times da League Two jogam assim, o que nos torna tão previsíveis quanto nossos adversários.

Resolvi então por avançar os pontas e a formação está bem mais próxima de um 4-2-4 do que de um 4-4-2. Assim que consigo aproveitar bem as melhores peças que temos: Andy Monkhouse, Jonathan Franks ou James Poole.

Táticas utilizadas.


Scott Flinders

Um bom time começa com um grande goleiro. Scott Flinders tem minha confiança, mas me preocupa sua ambição. Ele se parece comigo em muitas coisas, e isso me deixa receoso. Ontem após a partida, ele me pediu para colocá-lo no mercado, pois quer jogar em um clube grande. Não tive muito o que fazer, a não ser torcer para que ninguém se interesse por ele.


Chris Templeman

Genie indicou um bom jogador. Vez em quando ele acerta sem minha opinião. Chris é um jogador brutal na bola aérea. Não só no cabeceio certeiro para o gol, mas no trabalho como um pivô. Ele mesmo não acreditava que seria capaz de dar passes tão bons. Está empolgado com a vida aqui em Hartlepool.

Alguém me falou que o Chris seria o novo Dave Mackay, não no sentido do jogador pensante, apesar de ser também muito inteligente, mas pelo fato de ter vontade de se tornar treinador após a aposentadoria. Não tenho medo de perder o emprego, mas seria ruim ajudar alguém e ser traído como meu avô. Começo a acreditar em maldições.


Top Five - Classificação média

clasmedia.png

Top Five - Assistências

assist.png


Top Five - Gols

classgols.png


Ingleses, acima de tudo.

Todos os jogadores do Hartlepool são ingleses, nem que seja sua segunda nacionalidade. Isso me orgulha muito, principalmente porque vejo times da League Two com jogadores estrangeiros, o que ao meu ver enfraquece muito o futebol nacional. Nós, os ingleses, somos os melhores, então porque contratar alguém que não fale a mesma língua?

Citação do vovô: “Se eu não consigo soletrar espaguete em italiano como vou pedir para um jogador italiano pegar a bola? Ele deveria pegar a minha!”


Scunthorpe não é páreo.

http://www.youtube.com/watch?v=_SVrzx9BYLM&feature=share&list=UU-_STGk32PgnLqFixF8Yf-g

Ouvi muita coisa da imprensa a respeito de um favoritismo exagerado para o Scunthorpe. É o tipo de combustível que gosto de receber. Nada mais me agrada que ser subestimado ou ignorado; Eles eram líderes até a 13º rodada. Estávamos embalados com uma boa sequência positiva. e apenas dois pontos nos separavam dos líderes, mas ainda assim a imprensa via alguma diferença entre nossas equipes.

Veio então o dia do jogo. Éramos visitantes, mas não nos acovardamos. Lembro ainda do gol de Poole, após um belo toque de calcanhar de Luke James. Foi o gol da vitória e que selou nossa liderança. Nem mesmo as duas goleadas sofridas contra Cheltenham e Chesterfield, melhor ataque da competição, nos tirou do primeiro lugar. De qualquer forma, me preocupou perder de forma tão humilhante estas partidas.


leageutworodada23.png


Felizmente, reencontramos a vitória no último jogo do ano contra o Morecambe, que nos bastou para isolar na liderança do campeonato. Os doze pontos de diferença para o quarto colocado também é algo que me deixa contente, mas não conformado. Quero o título. Ficarei sem dormir ou sem comer se for preciso para conquista a League Two.

classifica.png


Revie

Respiro cada dia esperando por este encontro. Esperava que acontecesse na Carling Cup, mas não veio. Fomos eliminados muito cedo, enquanto eles avançaram até às Quartas de Final, quando perderam por 3-1 para o Spurs. Agora me resta esperar pela Taça da Inglaterra. Estamos na Terceira Eliminatória, onde enfrentaremos o simpático Port Vale, da League One. Será o nosso primeiro confronto na competição contra uma equipe de divisão superior a nossa.

Torço para que o maldito Revie consiga passar pelo Huddersfield. O time dele vem caindo de produção. seria decepcionante que ele me privasse do meu primeiro gole na" Taça da Vingança".


terelim.png




CLOUGH: - Pai?!

Ouviu a voz do filho e logo pensou em tentar devolver o caderno à gaveta, mas era tarde demais. Teria que conseguir uma explicação rápida para evitar uma nova discussão.

NIGEL: - Notei que você não retornou para casa ontem, por isso entrei aqui ..
CLOUGH: - E aí você aproveitou para mexer nas minhas coisas? Muito feio, Sr. Nigel!
NIGEL: - Odeio quando me chama pelo nome! Eu sou seu pai, deveria ter mais respeito por mim.
CLOUGH: - A grande verdade é que esta casa está muito grande para nós dois.
NIGEL: - Está me dizendo que vai embora?
CLOUGH: - Se você não reparou, papai - disse com ar de ironia - não há muita coisa minha neste quarto. Aliás, somente este caderno e algumas roupas, que por descuido esqueci aqui.

Se tivesse sido mais atento havia reparado que o quarto estava mais arrumado que o habitual. Os olhos demonstravam a frustração de quem foi o último a saber. Conferiu o guarda-roupa e constatou que não havia ali muitas peças. O computador não estava mais ali, bem como as colagens com as fotos de Brian Clough não estavam mais nas paredes.

CLOUGH: - Desculpe, Sr. Nigel. Mas não tenho muito tempo para ficar aqui conversando com o senhor. Tenho treino ainda hoje, e temo que seu fracasso como treinador seja contagioso.

Will nunca havia sentido o peso da mão de seu pai, aquela foi a primeira vez. Por mais forte que tenha batido, aquele soco não doeu como aquelas palavras afiadas que acabara de ouvir. A relação com o filho nunca foi das melhores, e agora estava definitivamente desfeita. Raros eram os momentos de trégua, agora a guerra estava declarada.

Ele jamais perdoou seu pai por ter aberto sua casa para um Revie. Imputava a ele a culpa pela sua desilusão amorosa e nutria consigo um sentimento de decepção, porque achava inconcebível um Clough ser amigo de um Revie. A resposta para o tapa recebido veio da forma mais covarde. Ter declarado interesse em treinar o antigo clube de seu pai foi um golpe no ego de Nigel. Mas ao contrário do que possa parecer, ele não havia tomado esta atitude como forma de vingar de seu pai, mas assumir o Sheffield seria um passo em direção ao seu maior rival, Tom Revie.


interessesheffield.png

Nota do autor:

Devo salientar que Will Clough tem tido dificuldades em renovar com o Hartlepool, dificuldade esta imposta pelo próprio personagem. Clough só aceita a renovação com aumento na verba de transferência, salários, clube mãe e aumento no raio de observação ( somente Reino Unido permitido). Uma transferência para o Sheffiel seria bom para a carreira, mas também é um seria um plano B para caso não haja acordo com o clube atual.

Share this post


Link to post
Share on other sites
Henrique M.

Jesus, sai pro Carnaval e você tava no Cap 2 ou 3, agora já tá no 7. Calma aí, Jiri.

No mais, a equipe está bem sólida na liderança, uma pena essa intransigência tanto da diretoria, como do treinador, mas creio que com uma promoção, as coisas podem se acertar.

Share this post


Link to post
Share on other sites
Jirimias

Jesus, sai pro Carnaval e você tava no Cap 2 ou 3, agora já tá no 7. Calma aí, Jiri.

No mais, a equipe está bem sólida na liderança, uma pena essa intransigência tanto da diretoria, como do treinador, mas creio que com uma promoção, as coisas podem se acertar.

kkk agora parei, só devo postar sexta ou sábado. Tava aproveitando o carnaval pra jogar e escrever, agora volta ao normal.

A equipe mantém a regularidade que eu esperava. Vamos ver se o time se mantém assim no segundo turno. Tá difícil de entrar em um consenso com a diretoria, vamos ver ser os resultados os convencem.

Share this post


Link to post
Share on other sites
gq-tricolor

Eita, que situação tensa a relação entre pai e filho, mas é sempre um bom assunto para ser explorado em uma história, se for bem explicada e contada, como é o teu caso.

Muito bons os jogos e muito legais as opções táticas, a do meio passei a usar e me levou à demissão no Liverpool, mas gostei dela, só não estava tendo sorte. Essa variação do 4-4-2 com os wingers jogando numa linha mais a frente que os meias centrais foi uma saída perspicaz que nunca tive coragem de utilizar e pelo jeito vem dando certo.

Qual a ordem de uso das táticas (mais usada e menos usada)?

Share this post


Link to post
Share on other sites
Jirimias

Eita, que situação tensa a relação entre pai e filho, mas é sempre um bom assunto para ser explorado em uma história, se for bem explicada e contada, como é o teu caso.

Muito bons os jogos e muito legais as opções táticas, a do meio passei a usar e me levou à demissão no Liverpool, mas gostei dela, só não estava tendo sorte. Essa variação do 4-4-2 com os wingers jogando numa linha mais a frente que os meias centrais foi uma saída perspicaz que nunca tive coragem de utilizar e pelo jeito vem dando certo.

Qual a ordem de uso das táticas (mais usada e menos usada)?

Pra vc ver como FM mexe na minha história. Não era para ter um quebra pau desses não, mas com a demissão do Nigel veio a ideia de esquentar as coisas. Por outro lado, foi bom tb pq na cabeça doente do Clough, o pai foi culpado pelo Tom Revie ter entrado na vida dele.

Estou usando a tática com os wingers como primeira opção, ela tem tido um bom aproveitamento em conseguir gols no primeiro tempos. Depois de conseguir os gols, recuo os wingers. Mais pra frente vou para a segunda e fecho o jogo com a terceira. Esta primeira te ajudaria bastante nos cruzamentos.

Share this post


Link to post
Share on other sites
LikeaBoss

Hartlepool vem na liderança, o que é muito bom, Clough tem que pensar se vale a pena vena deixar um titulo que está sendo bem encaminhado para assumir o Sheffield, porém assumindo (caso chamem) ele dá um bom salto na carreira e vai ter mais estrutura em mãos.

Eu estava mesmo curioso para saber se você colocaria Nigel na história ou não, ele definitivamente ainda não teve o sucesso de Brian, pensei que o utilizaria como adjunto mais pra frente, hehehe. Interessante existir esse ódio, Will culpa o pai pela perda da garota.

Share this post


Link to post
Share on other sites
guigasparotto

Vou começar pela ficção, que está muito boa. Está conseguindo interpretar muito bem a imagem que o filme passou do verdadeiro Clough, além de criar novas histórias para esse sobrenome. Fiz a leitura de praticamente todo tópico agora e goste bastante. Acompanhei e gostei da tua última história, mas essa parece ser ainda melhor (em questão de ficção).

O rendimento do time está muito bom na liga e aos poucos, mantendo a regularidade, foi conseguindo subir na tabela. Ainda é cedo, mas a promoção parece estar bem encaminhada. Resta saber se teremos títulos nessa primeira temporada. Legal ver que pelo menos um clube já mostrou interesse no novo treinador, o que deixa claro que o desempenho dentro e fora de campo de Clough está muito bom.

Share this post


Link to post
Share on other sites
Jirimias

Hartlepool vem na liderança, o que é muito bom, Clough tem que pensar se vale a pena vena deixar um titulo que está sendo bem encaminhado para assumir o Sheffield, porém assumindo (caso chamem) ele dá um bom salto na carreira e vai ter mais estrutura em mãos.

Eu estava mesmo curioso para saber se você colocaria Nigel na história ou não, ele definitivamente ainda não teve o sucesso de Brian, pensei que o utilizaria como adjunto mais pra frente, hehehe. Interessante existir esse ódio, Will culpa o pai pela perda da garota.

Seria um grande salto, mas também pesa esta caminhada firme dos Pools ao título. Mas para sanar qualquer dúvida, o Sheffield já tem seu novo treinador, que não é o Clough.

Pensei em utilizar o Nigel como adjunto mesmo, quem sabe no futuro? rsrs

O Nigel tentou uma reaproximação entre as famílias e isto custou a confiança do filho. A grande verdade é que Will só tem o avô como espelho, o pai é uma vergonha para ele.

Vou começar pela ficção, que está muito boa. Está conseguindo interpretar muito bem a imagem que o filme passou do verdadeiro Clough, além de criar novas histórias para esse sobrenome. Fiz a leitura de praticamente todo tópico agora e goste bastante. Acompanhei e gostei da tua última história, mas essa parece ser ainda melhor (em questão de ficção).

O rendimento do time está muito bom na liga e aos poucos, mantendo a regularidade, foi conseguindo subir na tabela. Ainda é cedo, mas a promoção parece estar bem encaminhada. Resta saber se teremos títulos nessa primeira temporada. Legal ver que pelo menos um clube já mostrou interesse no novo treinador, o que deixa claro que o desempenho dentro e fora de campo de Clough está muito bom.

Obrigado, guiga! Não é fácil, pq nem o maldito fala de um Clough com 25 anos. A realidade é bem outra e fica nítido que a imaturidade impera na construção do personagem. É o gênio do avô com a inconstância típica dos jovens rsrs. Torço que ele amadureça, pq fazer um protagonista vilão não é fácil. Já tô tomando raiva dele kkkk

O interesse do Clough foi maior que do Sheffield, e eles acabaram por encontrar seu treinador. Não é ruim, pq como vc mesmo analisou, a promoção está encaminhada e provavelmente, encontraremos o Sheffield agarrado na League One. Agora é manter o foco, ainda há muito o que ser jogado, mas estamos no caminho.

Share this post


Link to post
Share on other sites
Lucas Gaúcho

Jiri é um gênio!

Está encarnando muito bem o personagem, parabéns pela história e pelo desempenho com o acesso já encaminhado. Uma pena não conseguir a vaga no Sheffield mas ficar no Hartlepool não é ruim, os desafios da League One com um recém-promovido e um personagem arrogante serão interessantes.

Share this post


Link to post
Share on other sites
Jirimias

Jiri é um gênio!

Está encarnando muito bem o personagem, parabéns pela história e pelo desempenho com o acesso já encaminhado. Uma pena não conseguir a vaga no Sheffield mas ficar no Hartlepool não é ruim, os desafios da League One com um recém-promovido e um personagem arrogante serão interessantes.

Obrigado!

Q bom q tá curtindo. Fazer o personagem é a coisa mais complicada, não tenho muita experiência em construir vilões com carisma para ser protagonista.

Acho que ficar foi mesmo o melhor para o Clough. Se subir, certamente, irá cantar o título da League One antes mesmo do time entrar em campo haha

Share this post


Link to post
Share on other sites

Join the conversation

You can post now and register later. If you have an account, sign in now to post with your account.

Guest
Reply to this topic...

×   Pasted as rich text.   Paste as plain text instead

  Only 75 emoji are allowed.

×   Your link has been automatically embedded.   Display as a link instead

×   Your previous content has been restored.   Clear editor

×   You cannot paste images directly. Upload or insert images from URL.

Sign in to follow this  

  • Similar Content

    • Luiz | 🇦🇩 🇦🇷
      By Luiz | 🇦🇩 🇦🇷
      Dorjee Drakpa nasceu em Paro, mas viveu na China durante maior parte da vida. Seus pais, butaneses, emigraram para o país "vizinho" em busca de uma melhor condição de vida para Dorjee, que tentou a sorte como jogador de futebol, mas seus 1,59 metros o impediram de alcançar níveis mais altos. No ano passado, após quase quinze anos atuando nas divisões inferiores chinesas, colocou ponto final na carreira de jogador, mas decidiu que iria continuar na área. Queria atuar em algum cargo executivo, mas um convite para ser treinador em seu país-natal o convenceu a ser treinador. 
      O primeiro clube de Dorjee Drakpa será o Paro United FC, candidato ao rebaixamento na Bhutan Premier League. Será o ponto inicial da carreira do butanês, que tem como grande ambição se tornar o maior treinador asiático de todos os tempos. 

      Conquistar a Liga dos Campeões Asiáticos. Conquistar o Mundial de Clubes. Conquistar a Copa das Confederações Asiáticas. Qualificar uma seleção asiática para uma inédita Copa do Mundo. Assumir o topo do quadro de honra continental e entrar no top 10 do quadro de honra Mundial.
      O save será no FM20 e para ele habilitei todos (ou quase todos) países asiáticos, com os de menor reputação limitados ao primeiro nível e outros limitados ao segundo ou ao terceiro nível, como Japão, Coréia do Sul e China. Ademais, adicionei todos os jogadores de nacionalidade asiática e todos os jogadores de clubes do primeiro nível pelo mundo. No total, a base de dados contará com cerca de 109.000 jogadores. 
      O título do save é uma homenagem a um dos saves que mais gostei de ler na área, como outro save em terras asiáticas que achava bem legal era o do @Danut há alguns anos, mas não me lembro como terminou. 
      As atualizações serão, a princípio, anuais e a moeda do jogo será o dólar americano. 
      Espero me divertir e que vocês também se divirtam lendo a história de um butanês que quer se tornar conhecido no mundo do futebol.




    • DiogoHernandes
      By DiogoHernandes
      A REENCARNAÇÃO DO HERÓI
      Olá, aqui estou de volta, já faz algum tempo que estava planejando este save mas nos últimos meses não tinha motivação para jogar FM novamente, isso tudo voltou quando estava com um PC velho e resolvi baixar o FM13 para passar um tempo, foi baixar o game e vontade de jogar veio com tudo pra cima de mim. Isso já faz um tempo, fui me segurando para não começar o save sem um formato estabelecido e conversando com um pessoal daqui da área e especialmente o @Tsuru fui estabelecendo as diretrizes do save.
      O save será totalmente dentro da Dinamarca, embora eu tenha carregado mais algumas ligas elas estão como "ver apenas", e terá como objetivo principal treinar a Seleção Dinamarquesa e superar a melhor campanha da seleção em Copas do Mundo, mas para isso preciso percorrer um longo caminho, meu treinador começará sua jornada com 20 anos e sem qualificações anteriores e com um passado somente no futebol amador. O nome dele será Holger Dasnke, o mesmo nome do herói que segundo a lenda quando a Dinamarca passar por um perigo iminente ele levantará do seu trono libertará a nação.

       
      DIRETRIZES DO SAVE
      Não sair dos clubes pedindo demissão ou se candidatando a outros clubes, só sair em fim de contrato ou sendo demitido. Não assumir clubes de divisões superiores ao meu antigo clube. Na primeira divisão até ganhar um título nacional, só assumir clubes que acabaram de subir ou da segunda divisão. Não assumir a seleção principal da Dinamarca sem antes ganhar um título nacional de primeira divisão. Não usar a barra de pesquisas para contratação de jogadores/staff, usar somente a base de dados fornecidas pelos olheiros do clube e pelos agentes.  
      OBJETIVOS DO SAVE
      Ganhar o Campeonato Dinamarquês Ganhar a Eurocopa Ganhar as Olimpíadas Chegar em uma Semi-Final de Copa do Mundo  
      ÍNDICE
      Temporada 1
      O primeiro emprego
      Os heróis improváveis
      Uma contratação mágica: Ibra chega ao Kolding!
      Um pistoleiro sem balas
      Temporada 2
      Seguindo os passos do mestre Fernando
      Um segundo turno complicado
      Um pouco de esperança
      Temporada 3
      Início muito promissor
       

    • Lanko
      By Lanko
      Próxima>>>                 
       
      ATUALIZAÇÃO MAIS RECENTE!
      ÍNDICE
       
      E aê galera, tudo bom? Descobri o fórum recentemente há uns dias atrás, especificamente a área de histórias. Li algumas e adorei o formato e o fato que a galera resolveu postar suas jornadas e challenges interessantíssimos. 
      Enquanto jogava o FM18 fiquei pensando nas várias coisas que aconteceram e que dificilmente conseguiria guardar pra lembrar depois, especialmente as coisas memoráveis.
      Deixei quieto e segui em frente, mas como disse, encontrei essa área aqui e me arrependo de não ter pesquisado e encontrado antes. Mas antes tarde do que nunca, né! O save não tem tanto tempo e muitas dos principais eventos estão frescas na memória.
      Esse save não tem objetivos específicos a serem alcançados, simplesmente criei um perfil de treinador (sem escolher clube, comecei desempregado) e saí pro mundo pra ver no que vai dar. 
      PERFIL DO TREINADOR:
       
      Lanko Askarian sempre teve interesse por futebol, principalmente na parte tática, já que jogando ele é um grande perna de pau. Decidiu ir adiante com esse pensamento e resolveu estudar para ser técnico e dirigir uma equipe.
      Diante dos vários fracassos do Brasil na área, decidiu, corretamente ou não, ir estudar e fazer cursos na Europa. Escolheu a Inglaterra já que sabia inglês e nada dos outros idiomas. Depois de algum tempo, adquiriu profundo conhecimento tático, de treinamentos, de filosofias de jogo.
        
       
      Agora só faltava botar tudo isso em prática, e é aí que morava o problema. Lanko entrou determinado a começar 2018 como técnico, mas passou o primeiro semestre desempregado. Nem clubes brasileiros da 3a divisão quiseram sequer conceder uma entrevista.
      No fim da temporada europeia, Lanko voltou a Inglaterra, disposto a aceitar propostas da 5a ou 6a divisão inglesas só pra começar a trabalhar, mas mesmo dessa vez conseguindo entrevistas, não foi o escolhido em nenhum dos oito clubes em que bateu a porta.
       

       
      Jovem (30 anos, muito menos que muitos jogadores em atividade), sem ter comandado vestiário antes e ainda por cima estrangeiro, esses foram os principais motivos das recusas.
      Até que viu um anúncio de um clube de Portugal (o único), a Mondinense, da terceira divisão portuguesa, e decidiu entrar em contato com eles.
      O presidente foi surpreendido pelo contato. Ele acabou gostando do perfil. Avisou que o clube era pequeno, mas gostaria de ver o clube crescer e talvez tentar algo inusitado seria o primeiro passo ideal. O presidente convidou Lanko para a cidade de Mondim de Basto para assinarem o contrato.
       

       
      Lanko aceitou, muito feliz. Portugal não estava nos planos iniciais, mas quem sabe, caindo do céu, seria o melhor lugar para começar a carreira. O idioma não seria problema e Portugal era um bom país, além de ter certa história no futebol e um cenário respeitável.

      Ele sabia que o começo ia ser difícil, mas até chegar em Portugal e ver a sede da Mondinense de perto, ele não fazia ideia do quão difícil…
       
      Próxima>>>
    • Banton
      By Banton
      O West Ham United Football Club é um clube de futebol inglês baseado na região leste de Londres.
      O West Ham é um dos clubes mais tradicionais da Inglaterra e de todo Reino Unido, sendo um dos 25 que já disputaram por pelo menos 50 temporadas o Campeonato Inglês, e a Temporada 2018–19 registrando a sua 61ª presença na primeira divisão, sendo o 18º clube que mais pontou em todas as edições.[2] Sua nova casa é o Estádio Olímpico de Londres, que foi construído para as Olimpíadas de 2012. Depois de uma reforma no estádio, a capacidade foi de 80.000 para 57.000 lugares.
      FILOSOFIA: 
      Os Hammers é um clube formador e está sempre dando oportunidade para as pratas da casa. Também, o clube funciona como uma porta de entrada para jogadores de ligas menores se destacarem na Premier League. É um clube com muita história, simpatia pura e cheio de curiosidades! 
      LEITURA: 
      O jogo de 300 mil pessoas "The Academy of Football" , um viveiro de talentos O Estádio das Bolhas de Sabão Robert "Bobby" Moore CURIOSIDADES:
      O clube já contratou jogadores como Nenê e Wellington Paulista Os Hammers foi o primeiro clube de Carlitos Tevez e Javier Mascherano na Europa A rivalidade entre West Ham e Millwall é encenada no filme "Green Street Hooligans" Dimitri Payet: Um ídolo para se esquecer É considerado o primo-pobre de Tottenham, Arsenal e Chelsea ---
       
      UMA NOVA CARREIRA:
      Curtiu a dica? Procurando por mais desafios? Clique aqui e conheça a história de outros clubes espalhados pelo mundo.
    • Lowko é Powko
      By Lowko é Powko
      A Netflix lançará uma série baseada nas origens do futebol, e o trailer é bastante promissor
      por Leandro Stein, publicado em 5 de março de 2020   O futebol entra cada vez mais nos catálogos dos serviços de streaming. Há uma clara disputa entre Amazon Prime Video e Netflix por conteúdos que agradem também os fãs do esporte, sobretudo em relação às séries documentais. E o mês de março guardará uma nova cartada da Netflix em meio a esta queda de braço: nesta semana, a plataforma lançou o trailer de “The English Game”, uma mini-série dramática em seis episódios que recontará os primórdios do futebol.
      A série teve seu roteiro escrito por Julian Fellowes, autor de “Downton Abbey” e “Gosford Park”. Baseado em fatos reais, o drama se ambientará na década de 1870, quando o futebol deixa de ser um esporte elitizado para atingir as massas de trabalhadores na Inglaterra. Os protagonistas serão dois jogadores de classes sociais opostas, que se aproximarão em meio à popularização da modalidade. Pelas cenas presentes no trailer, as primeiras edições da Copa da Inglaterra serão abordadas, assim como a própria profissionalização do futebol e a criação da Football League.
      A prévia de “The English Game” também está disponível aos assinantes brasileiros da Netflix. O lançamento mundial da série acontecerá em 20 de março. Uma interessante maneira de atrair os amantes do jogo e também oferecer um belo entretenimento. O trailer é promissor:
       
      @Trivela
×
×
  • Create New...