Jump to content

Henrique M.

Recommended Posts

  • Vice-President

kJldpI1.jpg

Introdução

O treinamento é parte fundamental da carreira de um jogador de futebol. Os avanços científicos e tecnológicos nas últimas décadas transformaram os regimes de treino em algo cada vez mais meticuloso na preparação das equipes para os seus jogos. Os grandes clubes do mundo gastam milhões melhorando seus centros de treinamentos e trazendo os melhores preparadores, equipe médica e qualquer outra peça que possa ser determinante no sucesso e desenvolvimento dos jogadores. Esses clubes entenderam a real importância de se preparam adequadamente em suas sessões de treinos.

O treinamento é igualmente importante no Football Manager. Alguns jogadores costuram ignorar ou neglicenciar parcialmente esse aspecto do jogo e não percebe as repercussões desse tipo de atitude. Quanto mais você se dedicar aos treinamentos da sua equipe, melhores serão seus resultados. Se você preparar-se adequadamente e gastar seus recursos sabiamente para melhorar a qualidade dos seus treinos, seus jogadores irão jogar melhor e desenvolver melhor. Será que ainda é necessário te provar da importância de entender e usar os treinamentos no Football Manager?

Como conseguir cinco estrelas em todas as áreas de treinamento?

A única maneira de conseguir treinos cinco estrelas no jogo é contratando um preparador que seja capaz de fazer isso possível. Existe muito a se considerar quando estiver contratando um preparador, e não somente seus atributos específicos para a área de treinamento desejada. Obviamente que você pode contratar aquele que tem 20 em treino defensivo, mas não é garantia de que ele vá te entregar um treino cinco estrelas. Você tem que considerar diversos outros fatores antes de contratar um preparador, e mesmo assim não é garantido que se você o contratar, ele te dará um treino cinco estrelas.

Junto com seus atributos de treinamento, você tem que considerar outros como: Determinação, Motivação e Nível de Disciplina. Outros pontos interessantes de se observar são a experiência anterior do preparador e se ele é capaz de falar o mesmo idioma que a maioria de seus jogadores. Não faz sentido contratar um preparador para um clube espanhol que não saiba espanhol. Isso foi até aliviado com a opção de mandar jogadores e staff para um curso intensivo de idiomas, mas até que a nova língua seja aprendida, demora um tempo. Outro bom indicador são os clubes anteriores do preparador desejado. Por exemplo, alguém que trabalhou no Chelsea tem a tendência de ser melhor que alguém que trabalhou na sexta divisão inglesa. No fim das contas, você só saberá se um preparador entregará um treino cinco estrelas após contratá-lo. Você pode acabar tendo que contratar diversos, mas se você tem capacidade de atrair diversos preparadores de qualidade, em breve terá um treino cinco estrelas em todas as áreas.

Também é importante notar que preparadores desenvolvem-se da mesma forma que jogadores. Com tempo e experiência, eles se tornam melhores em suas sessões de treino. Um preparador pode começar com três estrelas no treino ofensivo, mas dez anos depois ser um treinador quatro estrelas e meia. Você também deve considerar a carga de trabalho. Um preparador pode não ser o suficiente para cada área de treinamento, dependendo do tamanho do seu elenco. O ideal é sempre contratar funcionários, caso o clube permite, até ter uma carga abaixo de média.

Contudo, em termos gerais, basta que você tenha uma estrutura de treinos 5 estrelas e contrate preparadores que tenham acima de 15 nos atributos destacados pelo Football Manager. Abaixo, um exemplo de treinador cinco estrelas para o treino tático.

Jose-Pekerman_-Geral-Perfil.png

Melhorando sua infraestrutura de treino

A qualidade das suas infraestruturas de treino é absolutamente vital para seu elenco principal, e também para os jovens. O quão melhores forem suas infraestruturas, melhor será o desenvolvimento dos seus jogadores e o seu preparo para as necessidades da temporada. Além disso, ganhar condição de jogo torna-se mais fácil, assim como a recuperação física entre as partidas.

Não é uma área do seu clube que vale a pena neglicenciar. Mesmo que as melhorias possam custar uma boa quantidade de dinheiro para um curto espaço de tempo, você deve encará-las como investimento à longo prazo. Os benefícios apareceram em forma de aceleração no desenvolvimento dos jogadores, uma melhoria na condição física padrão do elenco e menos lesões ocorrerão em treinos. E também se torna algo para atrair jogadores, já que podem fazer a diferença no interesse de um jogador quando ele se deparar com duas ofertas de clubes similares. 

Entretanto, antes de melhorar suas infraestruturas, observe a situação financeira do clube. Dificilmente uma diretoria vai aceitar se não houver recursos, mas caso você os convença, a situação financeira do time pode piorar se você não tiver dinheiro em caixa para arcar com o investimento. Ou seja, apenas peça melhorias quando não existir chances de prejudicar as finanças do seu clube num curto prazo.

Foco Principal no Treino Geral

Qual é o aspecto mais importante para o seu time focar? Na página de Treino, na aba da sua equipe, você tem sete opções para seu time focar: Equilibrado, Aptidão, Tácticas, Controlo de Bola, Defender, Ataque, Coesão da Equipa. Mas no que cada uma dessas opções ajuda seu time a focar?

  • Equilibrado: Nesse foco, seu time terá um abordagem equilibrada nos treinamentos e não focará em nenhum dos outros seis aspectos. O foco será igualmente dividido entre as outras áreas, essa é a abordagem padrão caso você tenha dúvidas de qua foco seu time deve ter.
  • Aptidão: Nesse foco, sua equipe irá trabalhar aos aspectos físicos. É o treino ideal para focar no começo da pré-temporada e início da temporada, quando seu elenco não está com a condição de jogo ideal e pode não estar na melhor forma para jogar. Se você tiver um calendário rigoroso na temporada, incluindo jogos de competições continentais, é a opção perfeita para focar na pré-temporada e preparar seu time para o calendário mais apertado. A melhoria nos atributos físicos será a mais afetada por esse foco.
  • Tácticas: Quando você estiver mudando o esquema tático, colocar esse foco é importante e agilizará o entendimento do novo esquema pela sua equipe. Se os seus jogadores não tiverem inteligência tática para entender o que você deseja durante a temporada, seu time pode se tornar irregular. A melhoria nos atributos táticos do jogador será a mais afetada por esse foco.
  • Controlo de Bola: Você quer foco no lado técnico da sua equipe? Você ganha jogos marcando gols com a bola e se você não for capaz de controlar a bola, você pode não controlar o jogo. Se você melhorar o trabalho dos seus jogadores com a bola, com um aumento de habilidades técnicas e maior eficiência do time quando estiver com a posse, esse é o treino para você. A melhoria nos atributos técnicos será a mais afetada por esse foco.
  • Defesa: Sua equipe está tendo dificuldades em não sofrer gols? Focar no treino defensivo pode ajudar sua equipe a trabalhar melhor na prevenção de gols do adversário. Pode demorar algum tempo para você ver os resultados, mas solidez defensiva é importante em todos os times, e se você estiver tendo problemas lá atrás, esse foco deve retificar isso. A melhoria nos atributos defensivos será a mais afetada por esse foco.
  • Ataque: Mas e se seu problema é marcar gols? Seu time é capaz de criar chances para marcar ou é o famoso arame liso? Focar no treino de ataque trará melhorias no jogo ofensivo da sua equipe nas partidas. Assim como o treino defensivo, pode demorar algum tempo para surtir efeito. A melhoria nos atributos ofensivos será a mais afetada por esse foco.
  • Coesão da Equipa: Se você trouxe diversos novos jogadores, e o pessoal ainda não se conhece bem, ou ainda se a harmonia e o ambiente não estão bacanas, é esse o seu foco. Trabalhar na Coesão da Equipe vai aumentar os laços entre seu jogadores e eles trabalharão melhor como uma unidade em campo. Futebol é um esporte coletivo e é importante que seus jogadores atuem como um time, ao invés de apenas cada um por si. Uma boa coesão gera melhores atuações.

Celtic_-Equipa.png

Foco Principal na Preparação do Jogo

Além de poder escolher um treino geral, você pode escolher um treino específico para cada jogo. Eles estão divididos nas seguintes áreas: Tácticas de Jogo, Trabalho de Equipa, Posicionamento Defensivo, Movimento Ataque, Bolas Paradas Defensivas, Bolas Paradas Ofensivas. Cada um desses treinos traz benefícios diferentes ao longo da semana de treinamentos e você pode optar por ter mais preparação de jogo ou treino geral. O ideal é dedicar um ou dois dias para a preparação de jogo.

  • Tácticas de Jogo: Esse treino acelera a assimilação dos seus jogadores com as táticas de jogo da equipe. Ou seja, você acelera o processo de familiarização do seu elenco com suas táticas nessa opção. Sempre que você quiser usar uma tática nova, essa opção deve ser escolhida.
  • Trabalho de Equipa: Esse treino aumento a coesão e harmonia da sua equipe, fazendo com que os jogadores criem laços mais rapidamente, gerando um ambiente positivo no vestiário do clube e um maior entendimento do estilo de jogo de cada um por seus companheiros.
  • Posicionamento Defensivo: Esse treino diminui as probabilidades da sua equipe sofrer gols e deve ser usado sempre que você vai enfrentar um adversário mais forte ou que tem um ataque mais poderoso que o seu.
  • Movimento Ataque: Esse treino aumenta as probabilidades da sua equipe em marcar gols e deve ser usado sempre que você vai enfrentar um adversário mais fraco ou que tenha uma defesa muito sólida.
  • Bolas Paradas Defensivas: Esse treino diminui as probabilidades da sua equipe em sofrer gols de bolas paradas e deve ser usado sempre que você vai enfrentar um adversário muito forte nesse quesito.
  • Bolas Paradas Ofensivas: Esse treino aumenta as probabilidades da sua equipe em marcar gols de bolas paradas e deve ser usado sempre que você vai enfrentar um adversário muito frágil nas bolas paradas defensivas ou então num confronto muito igual que pode ser definido nos mínimos detalhes.

Carga de treinos

O quanto você bota seu elenco para treinar? Quanto que é excessivo para os seus jogadores? Existe uma linha tênue entre puxar seus jogadores até o limite e puxar além deles, e é muito importante compreender o quanto você pode exigir nos seus treinos. A quantidade exata de treinamento fará com que seus jogadores cresçam e desenvolvam, mas o excesso pode causar lesões ou até retrocesso no seu desenvolvimento.

Mas como encontrar o equilíbrio ideal? O ideal é sempre buscar uma carga mediana para o treinamento da equipe. A maioria dos jogadores ficará feliz com essa carga, já que não os desgasta demais, mas é o suficiente para trazer benefícios. Além disso, você tem espaço adequado para trabalhar treinos individuais sem medo de sobrecarregar o jogador. A maioria aceita uma carga de treino mediano e um tipo de treinamento individual sem muitos problemas. 

Já a carga de treino individual é uma história diferente. Se você está treinando um jogador em uma nova posição, pode esquecer de querer que ele trabalhe um atributo específico ou um movimento preferido até ele estar apto a jogar na nova posição. Se eles estiverem com bastante focos individuais, eles podem ficar infelizes com a carga de treinos. Para funções individuais e atributos, a intensidade mediana também parece ser o suficiente. Contudo, alguns jogadores não são tão profissionais e ficam infeliz com uma carga mediana ou alta de treinos individuais, com isso, talvez seja melhor deixá-lo com uma carga mais leve.

A cada mês, é importante notar as observações do staff sobre quem está feliz ou infeliz com sua carga de treino. Isso pode ser checado manualmente no relatório de treinos de cada jogador também. Caso eles estejam felizes, tente aumentar e ver se eles aceitam uma carga maior, caso isso mude no próximo mês, você já conhece o limite desse jogador. Caso eles estejam infeliz, cheque qual o problema. Se for a carga, diminua, se for o jogador achando que o treino não está dando resultados, escolha outro. Com a intensidade balanceada e o jogador feliz com sua carga de treinos, eles poderão se desenvolver de uma maneira adequada.

Callum-McGregor_-Desenvolvimento-Treino.

Treino individual de atributos

Esse é bem simples de entender, na tela de desenvolvimento e na aba de treinamentos, conforme demonstrado na figura acima, você pode definir um treino individual. Você pode escolher uma função ou atributo específico para o jogador treinar. Além disso, você pode definir a intensidade desse treino. Ou seja, uma maior intensidade, maior foco do jogador no que foi pedido e uma menor intensidade, menos foco.

Para jogadores que ainda tem espaço para se desenvolver, o ideal é trabalhá-lo na função que você acha mais adequada ou que ele rende mais. Assim você focará numa gama maior de atributos, fazendo com o que o jogador tenda a desenvolver aquelas áreas do seu jogo, para se tornar cada vez mais competente naquela função. Normalmente, tendemos a treinar o jogador na função que ele mais atua em campo, já que isso fortalece o seu entendimento da função e deixa-o mais preparado para tal. Contudo, seu papel com treinador é identificar o que é melhor para o jogador ou para o time, e talvez, uma mudança de função pode transformar um jogador mediano em uma peça-chave do seu time.

Porém, para jogadores já consolidados e veteranos, é melhor tentar trabalhar certas deficiências que o jogador possua no seu jogo. O treino de atributos entra nessa parte e irá fazer com que o jogador foque seu treinamento em melhorar determinado atributo. Tenha certeza de escolher o atributo certo, pois a escolha errada fará você perder seu tempo.

Treino de função versus Treino de posição

Antigamente eram questões separadas, mas atualmente, para treinar uma posição, você deve escolher uma função, por isso, analise bem os atributos de um jogador que está sendo treinado em uma nova posição para que você escolha a função que melhor se encaixa com aquele jogador. Não faz sentido pegar um meia-central que atua como Armador Avançado e treiná-lo como um volante que atua como Médio Recuperador de Bolas se ele não tiver os atributos para isso.

Temos um guia completo sobre retreinamento aqui.

Movimentos Preferidos do Jogador

Movimentos Preferidos do jogador, ou MPJ na sigla, são características que seu jogador possui. Elas definem como seu jogador irá agir em determinadas situações durante o jogo e variam entre como eles se movem pelo campo e até que eles fazem quando estão em posição de finalizar. Se você conseguir treinador jogadores para terem MPJs que complementam suas habilidades e funções, elas se tornaram uma ferramenta bastante efetiva.

É importante ter um bom conhecimento dos MPJs disponíveis. Existem cinco tipos diferentes: Movimento, Passe, Finalização, Defesa e Técnica. Cada um desse tipos tem diversas opções. Vale a pena gastar um tempinho observando e tentando entender cada uma dessas opções e o que os jogadores que possuem determinados MPJs fazem e quais atributos adequados para cada um. Eles são auto-explicativos e fáceis de entender.

Antes de escolher um MPJ e iniciar um treinamento desse tipo de coisa, você deve considerar quais irão ajudar a melhorar o nível de seus jogadores. Veja em quais atributos eles são bons ou ruins, qual a posição que jogam e qual a função dele no time. Você tem que escolher MPJs que complementam o estilo de um jogador e ajudam a melhorar seu jogo. Por exemplo, um atacante com Frieza elevante seria ideal ter o MPJ Tenta chutes colocados. Vale mencionar que quanto mais velho um jogador for, mais complicado se torna para ele aprender um novo movimento.

Temos um guia completo sobre os Movimentos Preferidos do jogador aqui.

Como a personalidade afeta a evolução de um jogador?

Assim como na vida real, os jogadores no FM também tem personalidades. Essas personalidades afetam como cada um treina e desenvolve-se. Existem as personalidades positivas, que os fazem treinar e desenvolver melhor e as negativas, que atrapalham o treinamento e o desenvolvimento. É importante entender porquê elas afetam a evolução de um jogador, para que você possa guiar melhor seu atleta.

Idealmente as melhores personalidades para treinar e desenvolver são as profissionais, ambiciosas e determinadas. Jogadores mais profissionais cuidam melhor de si no treino e fora de campo. Se um jogador é determinado, ele vai se dedicar mais nas sessões de treino. Personalidades positivas são importantes pois irão garantir que os jogadores deixaram o seu melhor tanto no treino como no jogo. Além disso, um grupo de jogadores com personalidade positiva trabalham melhor em conjunto, e ajudam um aos outros. Não se esqueça que a personalidade geral do seu elenco importa, principalmente na adaptação de novos jogadores e pode refletir na mentalidade dos jovens da sua equipe.

Se seus jogadores são preguiçosos ou não são profissionais, eles não vão treinar bem e nem se dedicar adequadamente. E se ele não se dedica, ele terá resultados negativos nos treinos. E isso pode acabar influenciando no seu elenco, já que uma maçã podre pode gerar problemas no vestiário e na harmonia do clube.

Temos um guia completo sobre personalidades para você conhecer essa área melhor.

Meus jovens talentos devem treinar nos juniores ou no time principal? 

O treinamento de jovens jogadores vem ganhando cada vez mais destaque para os jogadores de Football Manager, com diversos desafios surgindo em torno do uso de jogadores da base de um clube. Obviamente que é fundamental que seus jogadores recebem o melhor treino possível para que possam alcançar todo seu potencial. Assim como é importante investir nas infraestruturas e staff da equipe principal, o mesmo é válido para as categorias de base. Todo dinheiro gasto aqui será retornado adequadamente para você no futuro, portanto, não poupe esforços nessa área. Uma dica importante é observar bem o treinador que você está contratando, a personalidade e o estilo de jogo dele podem ser determinantes no futuro de suas promessas.

Assim como qualquer outro jogador do seu clube, você deve analisar regularmente como está a performance e felicidade dos seus jovens jogadores nos treinamentos e ajustar a carga de treinos para melhores resultados. Isso inclui dar atenção ao treino de função ou de posição e principalmente, tutoria. Ache um ciclo de tempo que lhe agrade e observe de perto seus jovens.

Quando você ver que um jovem talento está se tornando bom demais para o futebol de júniores, promova-o para a equipe principal. Trabalhar com seu elenco profissional traz grandes benefícios, principalmente se eles se encaixarem no seu sistema de jogo. Você provavelmente não vai querer colocar todo o peso do mundo nas costas dos seus jovens atletas, mas um nível de treino superior e tempo de jogo com os profissionais são vitais para a continuidade do desenvolvimento dos jovens.

Obviamente que tempo de jogo é crucial, mas apenas coloque seus jovens lá se você tem intenção de desenvolvê-los. Faz parte oscilar nessa idade e se você queimar o jogador, poderá trazer consequências negativas para o atleta. Se você tem medo que seu jovem talento vai comprometer sua equipe, não coloque ele em campo, apenas dê tempo de jogo quando você estiver disposto ou achar que ele tem capacidade para jogar de igual para igual com os outros.

Temos um guia completo sobre o desenvolvimento de jogadores aqui

Treinamento na pré-temporada

A pré-temporada pode forjar um campeão ou destruir sua temporada. Existem diversos fatores que podem se tornar maçantes para jogadores menos experientes do jogo. Mas se você arregaçar as mangas e trabalhar adequadamente nessa época do ano, você terá uma boa temporada. Portanto, a pré-temporada não deve ser encarada como um período de férias e relaxamento para o treinador.

Durante a sua pré-temporada é importante focar em quatro aspectos: condição de jogo, coesão da equipe, táticas moral. Se você focar essas questões corretamente, seu time estará pronto para uma temporada brilhante.

  • Condição de jogo: Jogadores que não estão em condição de jogo tem mais probabilidade de se lesionar e isso pode fazer com que ele dê o azar de contundir-se gravemente. Imagina ficar sem seu principal jogador até o segundo turno do campeonato? Durante a pré-temporada é importante que todo mundo jogue e chegue na estreia ao menos com 80% de condição de jogo. Uma boa estratégia é dividir seus jogadores em dois times e um deles jogar no final de semana e o outro no meio da semana.
  • Coesão da Equipe: Mudanças no elenco são comuns nesse período, sejam por contratações, vendas ou jovens promovidos para o time principal. Isso pode gerar uma queda brusca na harmonia do elenco. Depois que você treinou o aspecto físico do seu time, pode ser útil trabalhar coesão e entrosamento para ajudar seus jogadores a se conhecerem melhor dentro de campo e evitar problemas durante a temporada.
  • Táticas: Se o time não faz ideia de como jogar, você ficará sem emprego em breve. Esse é o aspecto mais importante de toda pré-temporada, portanto, trate de jogar o máximo de amistosos possíveis nesse período.
  • Moral: Melhorar o moral do time é fácil, basta vencer. Por isso, não faça uma pré-temporada caça-níquel e reserva os últimos jogos para enfrentar equipes que você tem certeza que vai vencer de barbada.

Um bom regime de treino em pré-temporada é escolher ao menos seis semanas de treino. Comece com duas semanas de treino físico intenso (alto ou muito alto, ou então alterne os dois ao seu gosto). Depois, marque uns oito amistosos. Comece com dois ou três de nível elevado, mais dois ou três de mesmo nível e mais uns três ou quatro que você deve golear. Dessa forma, você testa sua tática contra três níveis diferentes de adversário e garante um moral alto para o começo da temporada. Caso você esteja trabalhando táticas novas, foque nisso na Preparação de Jogo, caso contrário, escolha Trabalho de Equipa.

Dias de descanso

Dias de descanso são vitais para os jogadores recuperarem-se de jogos intensos e desgastantes. No FM, você pode descansar seu time antes e/ou depois de um jogo, mas se preferir, pode mandar seus jogadores descansar por um período superior. Se você apenas decidir descansá-lo nos treinos, pode deixá-lo por até sete dias sem treinar. Mas caso prefira dar umas "férias" fora de época, o jogador pode ficar fora por até um mês. Não subestime a capacidade dos dias de descanso fazerem a diferença entre uma derrota e uma vitória na reta final de uma temporada.

O mínimo recomendado é que seu time sempre descanse depois das partidas, já que essa é a opção padrão para recuperar os jogadores no jogo. Contudo, caso o calendário esteja apertado, treinar pode acabar não te valendo de muita coisa e você vai estar apenas desgastando desnecessariamente seu elenco, portanto, nessas épocas, talvez seja melhor liberar o descanso antes e depois do jogo.

Ajustando seus treinos de acordo com os resultados

Anteriormente foi explicado como o foco no treino da sua equipe funciona e o que cada um traz para seu treinamento. Dependendo de como seu time está atuando e dos resultados da partida, em conjunto com os resultados dos treinos, você deve continuar ajeitando suas sessões de treino. Uma variedade de treinos oferece uma especialização em mais áreas.

Mas como eu decido a hora de mudar? A função primordial de um treinador é vencer, portanto, você tem que escolher o treino que vai lhe ajudar a obter resultados. Se a defesa anda sendo vazada constantemente, talvez seja o momento de melhorar as habilidades defensivas no treinamento. O mesmo se aplica para os outros treinos. O que vale aqui é ajudar seu time a atuar melhor em campo e trazer os resultados necessários.

Texto traduzido e adaptado por Henrique M. para o FManager Brasil e Engenharia do Futebol.
Fonte: https://www.fmscout.com/a-how-to-master-training-on-football-manager.html
Banner: @_Matheus_

Link to comment
  • 2 months later...

cara, me tira uma duvida, a carga de trabalho dos preparadores deve estar como? leve, mediana, forte ? Pq sempre contrato 1 treinador para cada atributo de treino, ai fica forte sempre, ai quando contrato mais pra mesma area diminui pra mediana, leve.. nunca sei como agir.

Link to comment
  • Vice-President
6 horas atrás, juca_fuca disse:

cara, me tira uma duvida, a carga de trabalho dos preparadores deve estar como? leve, mediana, forte ? Pq sempre contrato 1 treinador para cada atributo de treino, ai fica forte sempre, ai quando contrato mais pra mesma area diminui pra mediana, leve.. nunca sei como agir.

Forte é a única coisa que você deve evitar. O mínimo aceitável é mediana, mas o ideal é leve. Entretanto, esse tipo de carga de trabalho só é possíveis em clubes em que dá para ter pelo menos 2 preparadores para cada área de treinamento.

Link to comment
  • 4 months later...
Em 29/04/2018 at 21:28, Henrique M. disse:

Cara, quando eu coloco um jogador jovem e bom na função construtor de jogo avançado pra treinar nessa função já que foca nos atributos dessa função, eu coloco algum foco adicional ou apenas a função ? Tenho essa duvida no FM 18

 

Link to comment
  • Vice-President

O ideal é colocar o foco adicional para outros atributos que você quiser melhorar, que não são relativos a função, @jarleygermano

Link to comment
  • 3 weeks later...

Sobre, os treinadores, quando estou em clubes menores as opções para bons treinadores são bem mais escassas, e muitos deles são aqueles criados pelo jogo. Diferentemente dos jogadores, não podemos ver o CA e nem CP, e eu já vi eles evoluírem alguns atributos, ao longo dos anos, tem como chutar melhor por personalidade ou atributos mentais se eles vão melhorar ao longo dos anos?

Link to comment

@Henrique M. Beleza ?

Quando se está jogando com times menores, que não tem dinheiro para bancar um vários preparadores fisicos, é melhor deixar a carga de treino mediana/leve e diminuir meia ou até uma estrela no treino OU é melhor manter uma carga forte para os treinadores mas manter meia ou uma estrela maior no treino ?

Link to comment
  • Vice-President
22 horas atrás, Zap! disse:

@Henrique M. Beleza ?

Quando se está jogando com times menores, que não tem dinheiro para bancar um vários preparadores fisicos, é melhor deixar a carga de treino mediana/leve e diminuir meia ou até uma estrela no treino OU é melhor manter uma carga forte para os treinadores mas manter meia ou uma estrela maior no treino ?

O ideal é sempre encontrar um equilíbrio entre carga e qualidade, mas se for para ficar com qualidade ruim, é melhor ter uma carga menor.

Link to comment

Archived

This topic is now archived and is closed to further replies.

  • Similar Content

    • just12
    • just12
      By just12
      As lesões no FM são bastante comuns assim como na realidade, a questão é como diminuir a quantidade e o tempo que elas retiram um jogador de atuação. Conhecer as lesões mais frequentes, entender os fatores de risco e traçar estratégias preventivas são fundamentais para termos sucesso nesta área.

      Milhões são gastos anualmente em contratações caras e salários na casa dos milhões, porém tudo isso poderá ir por terra se não houver uma boa equipe técnica e uma boa gestão médica por parte do Manager. Isso se torna ainda mais importante quando se trata de equipes menores, onde a estrutura é sucateada e os funcionários da STAFF são escassos e de baixa qualidade. Uma equipe médica adequada pode custar por volta de 3% da folha salarial do elenco.

      Na área médica do Football Manager temos dois profissionais primordiais, que são os fisioterapeutas, responsáveis por prevenir e recuperar lesões e os cientistas desportivos (fisiologistas), responsáveis por analisar/gerir a condição física e o risco de lesão dos jogadores.
      Além disso, podemos dizer que a estrutura proposta pelo clube como centros de treinamento e condições de treino ajudam demais estes profissionais. Treinar em um gramado duro e fazer musculação em uma academia com aparelhos velhos pode não só prolongar o tempo de lesão de um jogador como também podem gerar ainda mais lesões.

      Jogadores incapacitados afetam diretamente a equipe já que não podem ser utilizados. Com o maior número de baixas, menos peças o treinador terá à disposição e consequentemente menores as chances de alcançar lugares melhores na liga ou em competições internacionais. Atletas contundidos tendem a perder atributos e/ou diminuir seu potencial, o que pode ser crucial na vida de um jovem atleta que poderia ser uma estrela caso não se lesionasse seriamente numa idade em que seus atributos deveriam estar evoluindo com grande progressão.
       
      As lesões mais frequentes no Futebol:
      → Estiramentos e distensões musculares: ambos ocorrem devido ao alongamento excessivo do músculo, mas em locais diferentes: enquanto o estiramento acomete as fibras musculares, a distensão pode ser definida como uma lesão na junção musculotendínea ou no tendão. A classificação também é a mesma: pode não haver ruptura do tecido, ruptura parcial ou completa. Distensões musculares são as lesões mais frequentes em jogadores de futebol;

      → Fraturas por estresse: lesão decorrente da utilização excessiva do osso, que, não suportando a pressão sofre uma fissura. Na maioria das vezes, a sobrecarga acontece por causa do aumento da intensidade do treino e/ou partidas em sequência sem descanso adequado;

      → Entorses: tipo de lesão mais frequente no meio esportivo, é provocada por uma excessiva distensão dos ligamentos e das demais estruturas que garantem a estabilidade da articulação. Pode ocorrer devido a movimentos bruscos, traumatismos, má colocação do pé ou um simples tropeço. Os órgãos mais afetados são tornozelo (tibiotársica) e joelho. No futebol, entorse de joelho com ruptura do ligamento cruzado anterior (LCA) é a lesão incapacitante mais comum, ao lado de problemas nos meniscos;

      → Contusão: resultado de um forte impacto em qualquer parte do corpo, pode causar lesão nos tecidos moles da superfície, músculos, tendões ou ligamentos articulares;

      → Luxação: ocorre quando uma força violenta atua direta ou indiretamente numa articulação, empurrando o osso para uma posição anormal. Embora, de forma leiga possa ser apontado como algo simples, às vezes é mais grave do que uma fratura.
       
      Os fatores de risco para as Lesões são:

      → Propensão do jogador a lesão: há um atributo oculto de 0 a 20 que mostra o quão um jogador é mais propenso a se lesionar. Caso seja importante, o seu preparador lhe avisará no relatório do jogador;

      → Baixa energia: jogadores que não se recuperam totalmente de uma partida ou treino terão maior facilidade em se lesionar;

      → Aptidão Física: mostra quanto um jogador consegue se recuperar de uma partida para outra e quão mais rápidos conseguem se recuperar de uma lesão sem perder atributos;

      → Alto número de partidas em um curto período de tempo: jogar domingo e quarta toda semana sem o devido descanso pode gerar acúmulo de fadiga e consequentemente lesões;

      → Falta de ritmo de jogo: jogadores quando ficam muito tempo sem partidas diminuem seu ritmo de jogo e aumentam seu risco de lesão;

      → Estado do gramado: gramados em péssimo estado são grandes catalizadores dos mais diversos problemas físicos;

      → Treinamento inadequado: a planilha de treinos elaborada pelo Auxiliar Téc. pode ser problemática em muitos aspectos, inserindo treinos e cargas de trabalho desalinhadas, promovendo maior fadiga nos atletas e consequentemente mais lesões;

      → Apressar retorno do jogador depois de uma lesão: quanto menor a qualidade do fisioterapeuta, maior a chance dele errar e apressar o retorno do jogador aos treinos e jogos;

      → Intensidade tática: táticas com ritmo mais rápido, marcação-pressão e de forma cerrada, linhas elevadas e busca incessante do contra-ataque podem gerar forte desgaste nos atletas;
      → Clima: exposição ao frio, chuva, neve, altitude, calor e umidade provocam alterações fisiológicas como a desidratação, aumento do número de quedas e do risco traumático. Condições chuvosas implicam um aumento do contato direto entre os jogadores e alterações do terreno de jogo, predispondo para lesões traumáticas. O calor e a humidade traduzem estados de desidratação com aumento de lesões por fadiga, devido ao intenso desgaste físico.
       
      Estratégias Preventivas:

      Como comentamos anteriormente, cientistas desportivos e fisioterapeutas trabalham em conjunto prevenindo lesões, além disso podemos destacar uma boa pré-temporada (falaremos disso detalhadamente mais adiante), treinamento com cargas adequadas, boas instalações de treino, boa qualidade do gramado de jogo (pedir a direção para trocar o gramado), saber quando aumentar e diminuir a intensidade tática durante a temporada, dosar a carga de jogos de cada jogador e cuidados no retorno do jogador aos treinos e jogos após uma lesão.
       
      ◉ Pré-temporada Preventiva

      A pré-temporada deve por excelência destinar as 2 primeiras semanas ou mais para treinamento da parte física, visando melhoria dos atributos, principalmente focados em aptidão física e resistência, que serão úteis durante toda a temporada. Nas semanas a seguir o foco seria o aumento do ritmo de jogo dos atletas com os amistosos.

      Nos primeiros amistosos da época, é recomendável que a intensidade tática seja baixa e os jogadores joguem por no máximo 45 minutos, o que irá aumentando progressivamente conforme o ritmo de jogo melhora e a fisiologia diminui a chance de lesão dos jogadores.

      Sabemos que em alguns países, principalmente no Brasil, é bem complicado fazer uma pré-temporada adequada por conta dos estaduais, porém deve-se fazer o melhor possível dentro da realidade de cada calendário, por vezes usando o estadual como parte da pré-temporada.

      O quadro acima mostra a baixa aptidão física (ritmo de jogo) e consequentemente o elevado risco de lesão.
       
      ◉ Qualidade do gramado

      No quadro acima é mostrada a qualidade perfeita do gramado, porém muitas equipes possuem gramados ruins, muito ruins ou somente OK, o que pode ser mudado pedindo a diretoria que melhore a grama ou mude para grama sintética.
       
      ◉ Evitar uma nova lesão

      O quadro vermelho ao lado do jogador indica que o jogador está em tratamento, já o quadro laranja indica que o mesmo está em fase final de reabilitação. Nessa última fase o jogador ainda não voltou aos treinos com bola mas pode ser relacionado para o próximo jogo, o que poderia gerar uma recidiva (nova lesão). E mesmo que o jogador esteja totalmente liberado, ainda assim é recomendável que treine em meia intensidade por ao menos 7 dias, voltando aos jogos após este período e por no máximo 45 minutos, com aumentos progressivos. Jogadores lesionados podem ser curados de lesões recorrentes caso procurem um médico especialista.
      → Rotação de elenco: buscar junto à fisiologia entender os jogadores que estão com risco muito elevado de se lesionar e fazer a devida gestão/rotação de elenco;
      → Gestão do treino: gerir o próprio treino ou supervisionar o trabalho do Auxiliar Téc. para fazer pequenas modificações na carga de exercícios para que os jogadores estejam sempre frescos para os jogos, evitando acumular fadiga. Jogadores mais velhos, com baixa aptidão física e resistência não são recomendados treinar em dupla intensidade.
      ---
      Buscar afinar cada dia mais o processo preventivo, permitindo que seja o mais individualizado possível, avaliando os resultados ano após ano poderá lhe permitir diminuir a incidência e a severidade das lesões.

      Fonte: https://conferenciafm.wordpress.com
    • Tsonny
      By Tsonny
      Valores: 
      FM 20 e 21 - R$15 reais cada
      Fm 18 - R$9 reais
      Fm 16 e 17 - R$7 reais cada
      Fm 13 - R$5 reais cada
      Chamar no Whatsapp: 31 9 87901885 - Thiago
    • flalutaina
      By flalutaina
      Há um tempo atrás criei um banco de dados no editor do fm2018, carreguei e funciona normalmente. Só que agora eu quis inserir mais jogadores, fiz a inserção,  só que nao aparece  no jogo, inclusive em um novo save. O que pode estar faltando? Obrigado aí!
    • Tsuru
      By Tsuru
      Eternizada pelo argentino Carlos Volante (foto), que jogou nos anos 20, 30 e 40 - daí o nome, porque os técnicos queriam que os atletas “jogassem como Volante” - a posição de meia defensivo viu crescer sua importância no FM nas versões recentes, com o advento do 4-2-3-1 e do 4-1-2-3. Times que não usam volante geralmente o enfrentam, e equipes que o usam ganham uma cobertura extra para liberarem mais seus meias e pontas no ataque (embora usá-lo não seja sinônimo de consistência defensiva). Sendo assim, é importante conhecer as diferentes funções e tarefas dessa posição, seja para saber como usá-la da melhor forma ou para vencer os desafios naturais que traz aos adversários.
       
      Trinco / Primeiro Volante / Anchorman
      Funciona quase como um terceiro zagueiro à frente da defesa. O Trinco geralmente não é o jogador mais técnico, não sai da posição para pressionar os adversários em busca da bola, não se aventura muito no ataque e não se arrisca demais nos passes - leia-se, tende a dar uma bicuda e limpar a jogada em vez de tentar um passe mais elaborado ou algo assim. Por isso, há uma tendência de que seja mais adequado a sistemas onde a solidez defensiva é mais importante, ou onde seja necessária cobertura extra na frente da zaga. Se usado em um jogo de muita pressão na bola, por exemplo, ele pode acabar saindo errado para dar o combate e deixar buracos que seus adversários possam explorar.
       
      Pivô Defensivo / Terceiro Zagueiro / Halfback
      Assim como o Trinco, funciona como um terceiro zagueiro, mas com movimento inverso. Ou seja, é um volante que desce para formar uma linha de três beques, empurrando os outros dois mais para as laterais, e que sobe a frente da zaga em momentos de necessidade, por exemplo quando seu time está com a bola no ataque. Permite diminuir as preocupações defensivas dos laterais, permitindo que ataquem de maneira mais incisiva, além de encostar nos meias mais adiantados e reciclar a posse de bola. É por isso que normalmente o PD se utiliza com dois laterais com função de alas (embora isso não seja de nenhuma maneira obrigatório).
      É geralmente recomendado em formações mais agressivas, exatamente por permitir que os laterais subam e sejam mais incisivos. Eu recomendo bastante cautela ao utilizar essa função no FM, porque há relatos de que a match engine não entende bem e não traduz corretamente os movimentos. Há vezes em que os zagueiros se mantêm muito abertos mesmo sem o PD entre eles, e outros casos - esses eu já pude comprovar - onde o volante com essa função sobe de forma bizarramente agressiva ao ataque, quase atuando como um Regista, o que, além de não ter sido solicitado, pode comprometer a estrutura defensiva da sua equipe.

      Meia Defensivo / Volante / Defensive Midfielder
      Mal comparando, é parecido com um Meia Central, mas obviamente jogando na própria intermediária. É mais versátil, um coringa adequado tanto a sistemas que pedem mais solidez quanto um volante mais participativo e que pressione mais a bola. Mesmo com tarefa Defender, ele vai apoiar mais o ataque do que o Trinco, vai se arriscar um pouco mais nos passes e tende a pressionar um pouco mais os adversários para recuperar a pelota, ainda assim, não tanto que deixe espaços demais à sua volta.
      Pessoalmente, acho o MD uma boa opção para quem não quer um tipo muito específico de volante, não tem um estilo de jogo muito definido ou ainda está buscando a melhor função para ele.

      Construtor de Jogo Recuado / Armador Recuado / Deep-Lying Playmaker
      Atuando na volância, o Armador Recuado é aquele volante que “sabe jogar”. Geralmente tem técnica, elegância, é inteligente, tem bom passe e ao mesmo tempo sabe desarmar e enfrentar os adversários. Carrega a responsabilidade de ajudar a fechar os espaços na intermediária sem se aventurar demais no ataque, e ao mesmo tempo, de ser o sujeito que pensa o jogo após a bola sair da defesa, buscando a melhor opção para iniciar as jogadas. Por esse motivo, o CJR/AR é perfeito para quem quer solidez, um homem para ajudar a defesa a iniciar as jogadas e/ou utilizar um sistema de posse (já que ele atrai a bola e inicia a jogada de trás, dando tempo a seus colegas para se movimentarem no campo).
      Sugestão: não coloque “brucutus” nessa função. Um meia defensivo mais técnico é perfeitamente capaz de atuar de forma mais simples, dando coices e limpando a jogada,  mas o inverso não me parece tão sensato. Um volante mais bruto provavelmente teria dificuldades de carregar a responsabilidade de armar e distribuir passes para iniciar movimentos ofensivos, tendendo a cometer erros bobos e perder a bola.
       
      Meia Recuperador de Bolas / Médio Recuperador de Bolas / Ball Winning Midfielder
      Aqui estamos começando a entrar nos terrenos dos volantes mais agressivos. O MRB é aquele cão-de-guarda que sai atrás da bola buscando recuperá-la de qualquer forma, esteja ela em qualquer zona mais próxima a ele (em alguns casos, nem tão próxima). Caso não consiga, a tendência é cometer uma falta para não perder a viagem. Caso consiga, tende a distribuí-la rapidamente a jogadores mais avançados e criativos, oferecendo mais dinamismo e movimentação do que um passe mais elaborado. 
      Precisa ser um jogador muito bom fisicamente, inteligente e certeiro na hora de “dar o bote”, ou vai tender a cometer muitas faltas e erros na hora de pressionar a bola. A tendência é que funcione melhor em sistemas de maior pressão e onde o objetivo tende a ser a recuperação da bola assim que ela é perdida. Há quem o use em sistemas sem pontas a fim de tentar proteger os laterais, mas há o risco do adversário congestionar um lado, atrair o MRB e inverter rapidamente para o outro, formando uma avenida para jogadores mais rápidos explorarem.
       
      Segundo Volante
      Grosso modo (bem grosso modo), é basicamente um Meia Área-a-Área que joga na volância. É aquele cara de bom físico, boa movimentação e dinamismo, além de boa parte técnica, que ajuda a iniciar a jogada na própria intermediária e aparece para ajudar no ataque, cobrindo uma faixa bem grande do campo. Algumas diferenças para o Organizador Móvel, por exemplo, é que o Segundo Volante não tem responsabilidades de organizar o jogo e que dá para controlar um pouco o ímpeto ofensivo com a escolha da tarefa (Apoiar ou Atacar), enquanto o OM tende a ser mais agressivo mesmo tendo apenas a tarefa Apoiar. Fora que o SV só pode ser utilizado em sistemas com dois volantes, o que o coloca em uma dinâmica bem específica em campo.
       
      Regista / Médio Criativo
      O futebol jogado entre os anos 60 e 80 eternizou a figura do “camisa 10”, aquele meia ofensivo organizador de jogo que atuava na intermediária do adversário e tinha total liberdade para se movimentar, apoiar o ataque e construir as jogadas (e que hoje foi deslocado para os flancos e ganhou mais responsabilidades defensivas). Pois bem, o Regista é basicamente um “camisa 10” que joga na volância. É óbvio que, sendo um meia defensivo, ele terá algumas diferenças em relação ao Trequartista - precisará ajudar a fechar os espaços e descerá entre os zagueiros para fazer a saída Lavolpiana, por exemplo - mas fora isso, terá liberdade para subir ao ataque, se movimentar e organizar o jogo tal qual um camisa 10 faria.
      Função eternizada por Pirlo, geralmente exige um atleta excepcional, muito inteligente, muito técnico e bom de cobertura, caso contrário vai subir para apoiar o ataque na hora errada e formar uma avenida às próprias costas, ou errar um passe e entregar um contragolpe lindo ao adversário (já vi isso acontecer e acreditem, não é legal). Eu diria ainda que o Regista precisa ser usado no sistema correto, contando com encaixe com as funções dos laterais e tendo como colega um meia de característica mais defensiva, para que possa colocar todo o seu talento em prol do time.
       
      Organizador Móvel / Roaming Playmaker
      É aquele volante incansável, de físico invejável, muito técnico e muito inteligente, capaz de subir para o ataque e organizar as jogadas ofensivas, e ao mesmo tempo colaborar um pouco na defesa. Seu papel geralmente é abrir espaços, distribuir a bola e oferecer movimentação ao mesmo tempo que organiza o jogo (playmaker), misturando um pouco de outras funções como Meia Área-a-Área, Armador Avançado e Armador Recuado. Eu diria que a diferença para um Regista, por exemplo, é que o OM tende a se movimentar ainda mais e tem menos responsabilidades defensivas.
      Para exercer bem a função obviamente é necessário ser um jogador excepcional, com bons atributos físicos, técnicos e mentais. E não raro essa movimentação e o fato de deambular da posição vão gerar espaços na defesa, que ou precisarão ser cobertos por algum outro jogador mais “operário” ou não farão diferença porque a qualidade técnica do seu time é tão alta que o adversário não vai conseguir construir muita coisa.
      Sugestões e ideias para complementar o guia são sempre muito bem-vindas.
       
       
      Algumas fontes:
      Football Manager Lines and Diamonds: https://community.sigames.com/topic/345094-lines-and-diamonds-the-tacticians-handbook-for-football-manager-2015/
      Understanding Roles in Football Manager (and real life): https://medium.com/@v_maedhros/understanding-roles-in-football-manager-and-real-life-part-1-73054cfbb303 e https://medium.com/@v_maedhros/understanding-roles-in-football-manager-and-real-life-part-2-a889e488a0f0
      Pairs and Combinations: https://www.fmscout.com/a-tactical-guide-pairs-and-combinations-2020.html
×
×
  • Create New...