Jump to content
Jirimias

Os doze trabalhos de Hércules - Um save para o futuro.

Recommended Posts

Jirimias

baner.png

Boa noite a todos!
 
Depois de um tempo afastado da área, juntando as ideias, cuidando de outras partes da vida que precisavam de minha atenção, estou de volta para compartilhar um save aqui na área.
 
A escolha da temática "Os doze trabalhos de Hércules" creio que já tenha visitado a cabeça de muitos, mas sem sair do campo das ideias, então vi que era hora de colocar em prática. Aí entrava o desafio de alinhar os desafios do clube aos trabalhos do herói, para tanto, fiz interpretação bem pessoal dos objetivos para que ficassem adequado aos pilares que considero fundamentam um save de clube: alto rendimento em campo, crescimento do clube e desenvolvimento de jovens. Aí bastava dividir os trabalhos dentro destes critérios e algumas vezes apelar para a criatividade, como verão mais a frente.

O clube escolhido é o Hercules, atualmente na terceira divisão da Espanha.

Sem ficção?
 
Para quem está acostumado as minhas ficções, poderá estranhar um pouco, porque o save, apesar de ser uma ficção, não possui uma trama secundária, não que não faltasse ideias e vontade, mas falta tempo para isso. Por isso o save seguirá a um estilo que fiz no passado: o documentário. Cada postagem será um episódio, e contará com um narrador que dará a palavra aos outros entes envolvidos. Tentarei ser mais sucinto nas postagens e assim chegar a um save dinâmico, onde jogo e tópico andem de mãos dadas: um sonho de consumo meu. Por ser um save de clube, ele não terminará na demissão do treinador: demitiu um, eu crio outro. 
 
Bom, chega de papo. Vamos ao trabalho! Ops, vamos à diversão! Abaixo um vídeo para "dar um esquenta". 
 
 

 

 

Share this post


Link to post
Share on other sites
Jirimias

 ban-2.png


Estes são as metas do save, que espero conseguir alcançar. Cada selo desse será colorido a medida que alcançado o objetivo. A numeração dos trabalhos não está relacionada a ordem dos objetivos, trata-se apenas da ordem dos trabalhos feitos pelo herói,

 

separador_1.png

1 – LEÃO DE NEMÉIA (COMPLETO)

História: Um leão gigantesco, quase invulnerável, devastava a região de Neméia, próxima à cidade de Micenas. Hércules tentou matá-lo com sua clava e com seu arco, sem sucesso. Então, encurralou o animal e o estrangulou até a morte. Realizado o primeiro trabalho, o herói tirou a pele do leão e passou a usá-la como manto. 
Comentário: Um leão gigantesco é o abismo que separar o Hércules da primeira divisão. Conseguir o manto é alcançar a proteção, a segurança, por isso mais do que chegar à Primeira Divisão, o Hércules deverá consolidar-se entre os melhores clubes da primeira divisão.

Objetivo:  
Após primeiro acesso, consolidar-se entre as dez melhores equipes.
Após três temporadas na primeira divisão, consolidar-se entre as cinco melhores.

2 – HIDRA DE LERNA
História: Na cidade de Lerna, vivia uma enorme serpente com nove cabeças, uma delas imortal. Hércules decepou oito cabeças e Iolau, seu sobrinho, queimou as feridas para elas não nascerem mais. A cabeça imortal foi enterrada num buraco fundo. Ao molhar suas flechas no sangue da Hidra, o herói as tornou venenosas.
Comentário: Ou nos curamos como equipe ou desmoronamos.. Assim como as cabeças da Hidra cresciam a medida que eram cortadas, assim também deve ser renovadas as forças do Hércules.

Objetivo:
Ter nove jogadores formados no clube entre favorito, ícone ou lenda.
Um jogador deve obrigatoriamente figurar como lenda do clube.

3 – JAVALI DE ERIMANTO
História: Um javali aterrorizava as vizinhanças do monte Erimanto, no noroeste da Arcádia. Enorme e feroz, ele matava quem cruzasse seu caminho. A tarefa era capturá-lo vivo. O animal foi cercado e, quando se cansou, foi dominado por Hércules.
Comentário: O que nos fortalece no combate é o sangue do inimigo. O Javali matava quem cruzasse seu caminho, assim como acontece nos mata-matas.

Objetivo:
Conquistar dez copas (continentais, nacionais e supercopas)

 

4 – CORÇA CERINÉIA
História: No monte Cerineu – também próximo da região da Arcádia – havia uma corça com chifres de ouro e pés de bronze. Ela era muito veloz e tinha que ser capturada viva. Hércules a perseguiu por um ano até os confins do mundo conhecido. Finalmente a capturou durante a travessia de um rio.
Comentário:Capturar a corsa de chifres de ouro significa tornar o clube financeiramente rentável.

Objetivo: Colocar o Hércules entre os três clubes mais ricos do país.

 5 – AVES DO ESTÍNFALE
História: Num bosque às margens do lago Estínfale, no norte da Arcádia, escondiam-se aves que, além de devorar as colheitas da região, também atacavam os homens. Para matá-las, Hércules primeiro usou um címbalo (antigo instrumento de cordas) para atraí-las. Assim que as aves saíram do bosque, o herói pôde atingi-las com suas flechas venenosas

Comentário: Aquelas aves nunca ouviram som maior que o barulho que elas mesmos faziam. O herói produziu um som maior e venceu as aves.  As aves eram  rivais do herói, e o trabalho é superá-las.

Objetivo:
Terminar o save com mais vitórias nos confrontos com os rivais. 

Rivalidades iniciais: Locais: Valencia, Elche e Alicante | Históricas: Múrcia e Castellon
Estabelecer uma sequência de dez jogos sem perder para o Valencia

6 – CAVALARIÇAS DE ÁUGIAS
História: Áugias, rei da Élida, região a oeste da Arcádia, tinha grandes rebanhos de cavalos (ou gado, conforme a versão), mas não cuidava de seus estábulos, que acumularam uma colossal quantidade de estrume ao longo dos anos. Hércules conseguiu lavá-los num só dia, usando a água de dois rios, cujos cursos desviou com sua força.
Comentário: Como lavar toda a história de um clube? Não deixar que ele caia novamente e que mantenha equilíbrio financeiro.

Objetivo:
Não ser rebaixado nenhuma vez ;

subir para a primeira divisão com o time saudável financeiramente;
após o acesso à Primeira Divisão, não contabilizar prejuízos.

7 – TOURO DE CRETA
História: Por vingança, Poseidon, deus do mar, havia deixado louco um lindo touro pertencente ao rei de Creta, uma ilha grega. O animal devastava os campos da região e Hércules foi até lá para dominá-lo. Após controlar o touro, o herói precisou nadar de Creta até o continente levando a fera consigo. 
Comentário: Avançar pelos mares, atingir outros continentes.

Objetivo:
Fazer parcerias com clubes em outro continente.
Fazer parceria de merchandising, promovendo a marca do Hércules ao mundo inteiro.

8 – ÉGUAS DE DIOMEDES
História: Diomedes – filho de Ares, deus da guerra – vivia na Trácia (região hoje pertencente à Turquia e à Bulgária). Ele tinha quatro éguas ferozes e carnívoras, que alimentava com os estrangeiros que apareciam em suas terras. Hércules capturou as éguas e, notando que elas estavam famintas, serviu-lhes Diomedes como refeição.
Comentário: As éguas alimentavam-se dos estrangeiros, pode ser uma grande ideia não contar com eles? Ser nacionalista não é fácil, mas se conseguirmos, poderemos aumentar o número de adeptos no país.

Objetivo:
Jogar pelo menos duas temporadas com um plantel sem estrangeiros.
Vencer pelo menos um campeonato ou copa com time sem estrangeiros.

9 – CINTO DE HIPÓLITA
História: Hipólita era rainha das amazonas, tribo de mulheres guerreiras que viviam perto do mar Negro. Ela tinha um belo cinto, desejado pela filha de Euristeus. A mando do rei, Hércules convenceu Hipólita a lhe entregar o objeto, mas Hera incitou as amazonas à guerra e o herói teve que matar a rainha.
Comentário: Recuperar o cinturão é coisa de boxe, mas também de futebol. Assim como na mitologia, quando você rouba o cinturão, você garante um espaço no hall dos inesquecíveis

Objetivo:
Retire o título de algum time, depois defenda o título conquistado. Ser bicampeão de um campeonato.

10 – BOIS DE GÉRION
História: Gérion, um gigante de três cabeças, vivia na ilha de Erítia (possivelmente perto de Cádiz, no sul da Espanha) e possuía um numeroso rebanho de bois. Os animais eram guardados por um pastor monstruoso, Eurítion, e seu cão, ambos com diversas cabeças. Após matar a dupla, Hércules acabou com Gérion, usando sua clava, e entregou os bois a Euristeus.
Comentário: A Espanha é dominada por três cabeças, Real, Barcelo e Atlético de Madrid, como o próprio Hércules nós iremos derrotar o gigante de três cabeças.

Objetivo:
Ser campeão espanhol.
Vencer os três grandes dentro de sua casa.
Estabelecer um tabu como visitante contra os três grandes: cinco partidas sem derrota.

 

11 – POMOS DE OURO
História: As maçãs de ouro ficavam num jardim desconhecido e Hércules vagou o mundo atrás delas. Segundo alguns textos mitológicos, quem finalmente encontrou os pomos para o herói foi Atlas – que havia recebido de Zeus o castigo de carregar o mundo nas costas. Enquanto Atlas foi atrás das maçãs, Hércules sustentou o mundo em seu lugar.
Comentário: Não basta apenas conquistar o mundo, é necessário sustentar a conquista.

Objetivo:
Vencer o Mundial de Clube duas vezes seguidas
.

12 – GUARDIÃO DO HADES (COMPLETO)
História:Cérbero, um cão de três cabeças e cauda em forma de serpente, guardava a entrada do Hades, o mundo subterrâneo, permitindo a entrada de todos, mas não deixando ninguém sair. Hércules o capturou e, após mostrar Cérbero a Euristeus, devolveu o cão guardião ao inferno.
Comentário: O Hércules está no subterrâneo do futebol e precisará sair de lá.

Objetivo: 
Retirar o Hércules do Inferno da terceira divisão e devolvê-lo à Primeira Divisão.

separadorinverso_1.png
Sala de Troféus


Trophy.png Copa Federação da Espanha - em 2017

Trophy.png Campeão da Terceira Divisão - Espanha, em 2017

Trophy.png Campeão da Segunda Divisão - Espanha, em 2019
 

 

Share this post


Link to post
Share on other sites
Jirimias

bam23.png

Introdução

icne-1.png Apresentação do save
icne-1.png Os doze trabalhos

PRIMEIRA TEMPORADA  <16/17> 
Resumo da temporada

Episódios: 1 | 2 | 3 | 4 | 5 |

SEGUNDA TEMPORADA  <17/18> Resumo da temporada

Episódios: 6 | 7 | 8 |

TERCEIRA TEMPORADA  <18/19> Resumo da temporada

Episódios: 9 | 10 | 11 | 12
Trabalho realizado: Guardião de Hades

QUARTA TEMPORADA  <19/20> Resumo da temporada

Episódios: 13 | 14 | 15 | 16 | 

QUINTA TEMPORADA  <20/21> Resumo da temporada

Episódios: 17 | 18 | 19 | 20 | 21

SEXTA TEMPORADA  <21/22> Resumo da temporada

Episódios: 22| 23 | 24 | 25
Trabalho realizado: Leão de Neméia

SÉTIMA TEMPORADA  <22/23>

Episódios: 26 | 27

 

 

Share this post


Link to post
Share on other sites
Hazel

Até outro dia o Hercules estava na La Liga vencendo o Barcelona de Guardiola dentro do CAMP NOU e agora anda pelas profundezas da gigantesca 3ª divisão espanhola. Lembro que contrataram varios medalhões naquela temporada, o mais famoso era o Trezeguet.

No mais nem precisa comentar muito. Save do Jeremias não tem como esperar menos do que um "file mignon" haha. Boa sorte.

Share this post


Link to post
Share on other sites
Henrique M.

O objetivo 7 e o 12 seriam os mais interessantes de se ver de mão dada. Boa sorte.

Share this post


Link to post
Share on other sites
Bigode.

Que excelente tê-lo de volta por aqui, Jiri! Suas histórias estão sempre entre as minhas favoritas e a PM sem você não fica totalmente completa.

Gostei do mote da saga. Acho que será bem interessante e estou curioso para ver como lidará com alguns dos objetivos propostos. Creio que não deve ter grande dificuldade para concretizar a maioria deles, mas quero mesmo ver como se sairá com as Cavalariças de Áugias. Não sei como é a situação financeira do clube, mas imagino que manter um balanço financeiro sempre positivo será uma missão dura (levando em conta que contem tanto os balanços mensais quanto anuais - se forem só os anuais as coisas ficam menos complicadas).

Estarei acompanhando. Boa sorte!

Share this post


Link to post
Share on other sites
ggpofm

Oi, Jirimias. 

Acordei cedo e tive essa boa surpresa. Excelente que esteja de volta. Fará bem ao PM como um todo.

Acabou optando pelo Hércules da Espanha e creio que tenha sido a melhor opção mesmo, até mesmo por conta da questão do crescimento do clube. 

Não sei se os objetivos estão aí para guiá-lo durante o save, para definir quando o save deverá terminar, para desafiá-lo mesmo que não sejam completados ou de tudo um pouco. Também não sei quanto tempo você pretende jogar o save, pois isso condiciona e muito o tipo de objetivo que se adota para um save. Independentemente disso, vou fazer alguns comentários, que dependendo do que você pensar sobre o save poderá ser útil ou não. Como você não é de "mimimi" e pelo tempo que nos conhecemos na área sei que não se incomodará de alguns comentários sobre os "Trabalhos", mesmo que não concorde com ele.  Achei alguns dos "Trabalhos" pouco hercúleos e dependendo do tempo que você planeja jogar o save, eles poderiam ser mais delimitados e em alguns casos mais desafiantes. 

 

2. Promover jovens ao time principal, uma destas cabeças (jogadores) deve ser imortal (ícone ou lenda).

Esse é um dos trabalhos mais difíceis na minha opinião. Por que muitos falam que vão promover jovens, mas na realidade contratam jovens de outros clubes e outros dizem que vão promover os próprios jovens, mas eles sobem e não jogam ou jogam pouco. A ideia de ter um ícone ou lenda é bem legal. Mas como a Hidra tinha 9 cabeças e uma era imortal, que tal o mínimo de 9 jogadores formados na base e entre eles o ícone/lenda para completar o "Trabalho"? Quer dificultar? Que tal colocar 9 jogadores entre os 15 que mais jogarem em uma temporada pelo Hércules?

 

3. Conquistar dez copas (continentais, nacionais e supercopas)

Se pretende ficar muito tempo jogando, que tal conquistar 10 copas com o mínimo de 2 Champions ou 3 Champions? Pode também somar mais vitórias do que os outros resultados (empates + derrotas) em partidas de mata-mata e decisões de copa, sem contar penalidades.

 

4. Colocar o Hércules entre os cinco clubes mais ricos do país.

Olhando a riqueza dos clubes espanhóis no FM temos alguns níveis. No 1º, Real e Barça, ambos com mais de 1 Bilhão de Euros em valor e praticamente insuperáveis. No 2º nível e em 3º lugar, o Atlético de Madrid com mais de 600 milhões e depois um grupo de quatro clubes com 200 milhões de riqueza, o Sevilla, o Celta, o Athletic Bilbao e o Villrreal. Acho que ficar entre os 5 primeiros não é algo muito exigente. Que tal entrar no top 3, ficando atrás apenas do Real e do Barça.

 

5. Terminar o save com mais vitórias nos confrontos com os rivais. 

Com exceção do Valencia, os demais terão dificuldade para desafiá-lo. Talvez seja mais fácil do que imagina. Tem como dificultar esse desafio? Estabelecer a maior goleada? Maior sequência sem perder para o Valencia no save?

 

10. Ser campeão espanhol.

Os Bois de Gérion tem três cabeças. Para mim elas seriam o Real, o Barcelona e o Atletico de Madrid. É possível ganhar o Espanhol sem derrotá-los. Minha sugestão: ganhar a liga espanhola em uma temporada derrotando pelo menos uma vez o Real, o Barça e o Atlético nas partida pela liga. Quer dificultar mais? Derrotar os três na casa deles nas partida pela liga.

 

11. Para ganhar o mundo é preciso antes vencer em seu território.

Achei o comentário estranho ao se relacionar ao título do mundial de clubes. Não seria "Não basta conquistar seu território é preciso conquistar o Mundo"?

 

Boa sorte para o save. Vou acompanhá-lo.

 

 

Share this post


Link to post
Share on other sites
Jirimias
9 horas atrás, Hazel disse:

Até outro dia o Hercules estava na La Liga vencendo o Barcelona de Guardiola dentro do CAMP NOU e agora anda pelas profundezas da gigantesca 3ª divisão espanhola. Lembro que contrataram varios medalhões naquela temporada, o mais famoso era o Trezeguet.

No mais nem precisa comentar muito. Save do Jeremias não tem como esperar menos do que um "file mignon" haha. Boa sorte.

Pois é, tb me recordo disso. Tinha Drenthe e Trezeguet, mas caiu naquele ano.

Agradeço pelo file mignon rs deu uma fome kkk

7 horas atrás, Henrique M. disse:

O objetivo 7 e o 12 seriam os mais interessantes de se ver de mão dada. Boa sorte.

Vou precisar de sorte mesmo.

1 hora atrás, Bigode. disse:

Que excelente tê-lo de volta por aqui, Jiri! Suas histórias estão sempre entre as minhas favoritas e a PM sem você não fica totalmente completa.

Gostei do mote da saga. Acho que será bem interessante e estou curioso para ver como lidará com alguns dos objetivos propostos. Creio que não deve ter grande dificuldade para concretizar a maioria deles, mas quero mesmo ver como se sairá com as Cavalariças de Áugias. Não sei como é a situação financeira do clube, mas imagino que manter um balanço financeiro sempre positivo será uma missão dura (levando em conta que contem tanto os balanços mensais quanto anuais - se forem só os anuais as coisas ficam menos complicadas).

Estarei acompanhando. Boa sorte!

Poxa, obrigado pelas palavras. Minha vida tb fica incompleta sem a área e partilha com vcs.
Concordo com vc que muitos aí nem são tão complicados, e de forma especial, este de objetivos financeiros é o que mais me preocupa, pois um tudo tem que ser bem calculado: premiações, salários e novos contratos. Neste início então, nem se fala. Vlw!

1 hora atrás, ggpofm disse:

Oi, Jirimias. 

Acordei cedo e tive essa boa surpresa. Excelente que esteja de volta. Fará bem ao PM como um todo.

Acabou optando pelo Hércules da Espanha e creio que tenha sido a melhor opção mesmo, até mesmo por conta da questão do crescimento do clube. 

Não sei se os objetivos estão aí para guiá-lo durante o save, para definir quando o save deverá terminar, para desafiá-lo mesmo que não sejam completados ou de tudo um pouco. Também não sei quanto tempo você pretende jogar o save, pois isso condiciona e muito o tipo de objetivo que se adota para um save. Independentemente disso, vou fazer alguns comentários, que dependendo do que você pensar sobre o save poderá ser útil ou não. Como você não é de "mimimi" e pelo tempo que nos conhecemos na área sei que não se incomodará de alguns comentários sobre os "Trabalhos", mesmo que não concorde com ele.  Achei alguns dos "Trabalhos" pouco hercúleos e dependendo do tempo que você planeja jogar o save, eles poderiam ser mais delimitados e em alguns casos mais desafiantes. 

 

2. Promover jovens ao time principal, uma destas cabeças (jogadores) deve ser imortal (ícone ou lenda).

Esse é um dos trabalhos mais difíceis na minha opinião. Por que muitos falam que vão promover jovens, mas na realidade contratam jovens de outros clubes e outros dizem que vão promover os próprios jovens, mas eles sobem e não jogam ou jogam pouco. A ideia de ter um ícone ou lenda é bem legal. Mas como a Hidra tinha 9 cabeças e uma era imortal, que tal o mínimo de 9 jogadores formados na base e entre eles o ícone/lenda para completar o "Trabalho"? Quer dificultar? Que tal colocar 9 jogadores entre os 15 que mais jogarem em uma temporada pelo Hércules?

 

3. Conquistar dez copas (continentais, nacionais e supercopas)

Se pretende ficar muito tempo jogando, que tal conquistar 10 copas com o mínimo de 2 Champions ou 3 Champions? Pode também somar mais vitórias do que os outros resultados (empates + derrotas) em partidas de mata-mata e decisões de copa, sem contar penalidades.

 

4. Colocar o Hércules entre os cinco clubes mais ricos do país.

Olhando a riqueza dos clubes espanhóis no FM temos alguns níveis. No 1º, Real e Barça, ambos com mais de 1 Bilhão de Euros em valor e praticamente insuperáveis. No 2º nível e em 3º lugar, o Atlético de Madrid com mais de 600 milhões e depois um grupo de quatro clubes com 200 milhões de riqueza, o Sevilla, o Celta, o Athletic Bilbao e o Villrreal. Acho que ficar entre os 5 primeiros não é algo muito exigente. Que tal entrar no top 3, ficando atrás apenas do Real e do Barça.

 

5. Terminar o save com mais vitórias nos confrontos com os rivais. 

Com exceção do Valencia, os demais terão dificuldade para desafiá-lo. Talvez seja mais fácil do que imagina. Tem como dificultar esse desafio? Estabelecer a maior goleada? Maior sequência sem perder para o Valencia no save?

 

10. Ser campeão espanhol.

Os Bois de Gérion tem três cabeças. Para mim elas seriam o Real, o Barcelona e o Atletico de Madrid. É possível ganhar o Espanhol sem derrotá-los. Minha sugestão: ganhar a liga espanhola em uma temporada derrotando pelo menos uma vez o Real, o Barça e o Atlético nas partida pela liga. Quer dificultar mais? Derrotar os três na casa deles nas partida pela liga.

 

11. Para ganhar o mundo é preciso antes vencer em seu território.

Achei o comentário estranho ao se relacionar ao título do mundial de clubes. Não seria "Não basta conquistar seu território é preciso conquistar o Mundo"?

 

Boa sorte para o save. Vou acompanhá-lo.

 

 

Ei, gg! Então, pensei muito no nível do desafio, e o Hércules espanhol, se não for o melhor caminho,parece ser o mais tortuoso,um desafio que vale a pena arriscar alguns meses de jogo. Sobre os comentários, vc me conhece bem mesmo kkk aqui não tem essa de mimimi, estou pronto a refazer minha forma de ver o save, e de antemão, agradeço por me fazer pensar: é assim que vejo sugestões/críticas e opiniões. Vamos lá!

Concordo que tem alguns que não são tão Hercúleos, mas é proposital, achei que me motivaria alguns mais simples a obter os mais pesados.

2) a ideia original do segundo trabalho era de ter nove jogadores formados no clube entre lenda, favorito ou ícone, sendo obrigatório formar uma lenda, mas fazer uma lenda é tão difícil, que acabei deixando os outros oito de lado, mas vou colocar pra fazer uma analogia melhor ao trabalho. Esse negócio de número de jogadores da base no time principal achei complicado de comprometer, é mais pesado que nacionalizar, como não sei se vou cumprir,não toparei rs

3) Duas champions podem ser acrescidas sim, mas vou acrescentar no objetivo de sustentar o mundo, o onze, pq não basta conquistar tem que sustentar. Logo, dois mundiais, exceto pelo Corinthians, tem que vir com duas conquistas continentais kkk. Pelo jeito terei que conquistar a UCL pelo menos duas vezes, por conta do objetivo 11.

4) Pensei que ao segurar o orçamento por conta do objetivo 6, isso possa influenciar na valorização do clube a longo prazo. Não é uma verdade absoluto, mas um raciocínio doido que tive. Tem objetivo que é difícil de imaginar agora, vou pensar aqui.

5) Boa ideia. O lance das rivalidades é o controle disso, tenho que ajeitar isso para não passar batido durante o save. 

10) Mais uma grande ideia, acho isso possível a longo prazo, até pq o Hércules já fez isso com o Barça. Vou mais longe: construir um tabu jogando como visitante.

11) Sim, é melhor. Nem eu entendi o que eu quis dizer kkk. Mexi neste objetivo também.
 

 

Share this post


Link to post
Share on other sites
ggpofm

Gostei das mudanças nos "Trabalhos", acho que eles ficaram bem mais desafiantes, mesmo que não sejam alcançadas. Muitas vezes acho melhor acompanhar a busca e, até o "fracasso", por um objetivo improvável, mas não impossível de ser completado, do que ver alguém completar todos os objetivos totalmente possíveis de serem realizados.

Sobre os trabalhos:

2. Achei  muito boa a ideia de ter nove jogadores como favorito, lenda ou ícone. É uma boa alternativa para não ter nove jogadores formados na base.

4.  Gostei do TOP 3 da riqueza.

5. Estabelecer uma sequência invicta contra o Valencia de 10 partidas é mais complicado do que o anterior.

10. Ficou mais complicado de ser alcançado, principalmente o tabu de cinco partidas fora de casa contra os 3 grandes. Será cinco no total, os cinco contra cada um? 

11. Gostei da ideia do bi-Mundial. Dará bem mais trabalho, pois envolve ganhar também a UCL duas vezes seguidas.

 

Share this post


Link to post
Share on other sites
bruno introvertido

Boa sorte, acho que eu fui o único que pensei que o save séria na Grécia kkkkkkk, gostei dos 12 trabalhos (alguns acho meio difícil de acontecer), legal essa parte de "desbloquear a conquista" com a mudança de cor do selo.

Share this post


Link to post
Share on other sites
Jirimias
36 minutos atrás, ggpofm disse:

Gostei das mudanças nos "Trabalhos", acho que eles ficaram bem mais desafiantes, mesmo que não sejam alcançadas. Muitas vezes acho melhor acompanhar a busca e, até o "fracasso", por um objetivo improvável, mas não impossível de ser completado, do que ver alguém completar todos os objetivos totalmente possíveis de serem realizados.

Sobre os trabalhos:

2. Achei  muito boa a ideia de ter nove jogadores como favorito, lenda ou ícone. É uma boa alternativa para não ter nove jogadores formados na base.

4.  Gostei do TOP 3 da riqueza.

5. Estabelecer uma sequência invicta contra o Valencia de 10 partidas é mais complicado do que o anterior.

10. Ficou mais complicado de ser alcançado, principalmente o tabu de cinco partidas fora de casa contra os 3 grandes. Será cinco no total, os cinco contra cada um? 

11. Gostei da ideia do bi-Mundial. Dará bem mais trabalho, pois envolve ganhar também a UCL duas vezes seguidas.

 

Isso aí, gg! Suas colocações me ajudaram a pensar nisso. Talvez não consiga todos, mas a busca por eles vai manter a chama acesa por um bom tempo.

Dei uma piorada para melhor. Sobre o tabu pensei mesmo na imortalidade kkk cinco pra cada um. Agora tenho que me virar para controlar tudo isso. Vou dar um jeito. Criar uma arte aqui e controlar essas coisas.

Agora, bruno introvertido disse:

Boa sorte, acho que eu fui o único que pensei que o save séria na Grécia kkkkkkk, gostei dos 12 trabalhos (alguns acho meio difícil de acontecer), legal essa parte de "desbloquear a conquista" com a mudança de cor do selo.

kkkkk correu risco de ser na Grécia, com o Hércules de lá, mas futebol grego não me seduz rs. Conseguir estes objetivos seria mítico, mas confesso que neste momento estou diante do impossível,

Share this post


Link to post
Share on other sites
JCaio Lima

Já li alguns saves seus antes de criar a minha conta e gostei muito deles, ansioso para esse.

Share this post


Link to post
Share on other sites
LC

Falar o que do Jiri e desse save? Pois tudo já foi dito, principalmente pelo @ggpofm. Sou um leitor assíduo das suas sagas e esta não será diferente. gostei dos desafios propostos e vamos as trabalhos.

Share this post


Link to post
Share on other sites
Jirimias
1 hora atrás, LC disse:

Falar o que do Jiri e desse save? Pois tudo já foi dito, principalmente pelo @ggpofm. Sou um leitor assíduo das suas sagas e esta não será diferente. gostei dos desafios propostos e vamos as trabalhos.

Grande,LC! Vamos aos trabalhos!!!

3 horas atrás, JCaio Lima disse:

Já li alguns saves seus antes de criar a minha conta e gostei muito deles, ansioso para esse.

Obrigado! Valeu por ler os saves e acompanhar este.

Share this post


Link to post
Share on other sites
Jirimias

banestadium.png
 

#O clube: o guerreiro ainda dorme.

Era o verão de 1914, quando às margens do Paseo de la Reina Victoria , um grupo de adolescentes começou a sonhar em fundar um clube poderoso. Foi sugerido por Vicente Pastor Alfonsea, conhecido como "o corcunda", o nome de Hércules, um nome adequado para as pretensões de seus fundadores.

Em 25 de outubro de 1925, a equipe de Alicante foi finalmente registrado na federação e iniciou sua epopeia pelos gramados.

Os primeiros anos foram muito difíceis para o recém-nascido clube, no entanto, a equipe do "corcunda" começou a demonstrar os primeiros sinais de que veio para conquistar, ainda que seja por enquanto só os corações de milhares de torcedores. Na temporada 31/32, depois de  inexpressivas conquistas regionais, o Hercules sagrou-se campeão regional da terceira divisão. Em 1933-1934, em sua segunda participação na Taça da Espanha, os Herculanos alcançaram as quartas de final da competição espanhola, um grande feito para uma equipe que ainda disputava a divisão regional.

 Em 1932, o clube inaugurou o estádio Bardin, que veria a equipe subir em dois anos seguidos da terceira divisão para a primeira, confirmando a previsão de Robert Firsth, treinador do Real Madrid, que ficou impressionado com o desempenho da equipe de Alicante depois de um amistoso entre os dois clubes.

Em sua primeira participação na divisão principal, os dirigentes perceberam que o estádio Bardin estava fora do padrão de uma equipe que desejava consolidar-se entre as principais equipes do futebol espanhol, mas a mudança de casa aconteceria quase duas décadas depois depois.  O primeiro rebaixamento ocorreu na temporada 41/42, onde passou duas temporadas até retornar à divisão principal. 

Em 1954, o clube migrou para o Estádio Vineyard, onde protagonizou campanhas irregulares com acessos e rebaixamentos. A nova casa do Hércules passou a ter seus dias contados após a Prefeitura requerer parte do terreno ocupado pelo estádio. Em 1974, o Hércules inaugurava seu coliseu que contava com 30 mil lugares, o estádio Rico Perez,  que segue acompanhando a equipe até os dias atuais.

Em 1976 a equipe fez uma campanha memorável terminando em sexto colocado no Campeonato Espanhol, porém a sina de “equipe elevador” acompanhava a equipe. Nas décadas de 80 e 90, o clube passou por momentos complicados financeiramente, que acabou refletindo nos resultados em campo e afastando a equipe da divisão principal.

Foram treze anos até chegar a temporada 2009/2010, quando o Hércules voltou a disputar a Primeira Divisão. No ano seguinte, o clube de Alicante protagonizou um dos grandes momentos da sua história ao bater o Barcelona por 2-0, no Camp Nou. Os momentos mágicos protagonizados por David Trezeguet e Drenthe  não foram suficientes para livrar a equipe do rebaixamento. Depois de duas temporadas na segunda divisão, o Hércules não encontrou forças sequer para se manter, quanto mais para voltar a Primeira Divisão, e terminou a temporada 14/15 rebaixado para o terceiro escalão.

 

Informações Gerais:

  • Estrutura corporativa: adequada
  • Condições de treino: impressionante
  • Condição de treino (jovens): adequadas
  • Principal lenda: Eduardo Rodriguez (ex-jogador, preparador físico)
  • Principal ícone: Mário Kempes (ex-jogador)
  • Previsão da Imprensa para esta temporada: 1º
     

Share this post


Link to post
Share on other sites
Ademare

Bom dia! Acompanhando seu Save. Parabéns pela montagem!

Share this post


Link to post
Share on other sites
Yagamiiori

Opa, vou acompanhar com certeza!

Share this post


Link to post
Share on other sites
bruno introvertido

Já tem o caldeirão para empurrar o time, estrutura está melhor do eu pensava, (não sei o por que, mas mesmo o time sendo da Espanha, ainda acho que o save acontece na Grécia kkkkk)

Share this post


Link to post
Share on other sites
Jirimias
14 horas atrás, Ademar Tavares disse:

Bom dia! Acompanhando seu Save. Parabéns pela montagem!

Obrigado, Ademar!!!

8 horas atrás, Yagamiiori disse:

Opa, vou acompanhar com certeza!

Valeu!!!

7 horas atrás, bruno introvertido disse:

Já tem o caldeirão para empurrar o time, estrutura está melhor do eu pensava, (não sei o por que, mas mesmo o time sendo da Espanha, ainda acho que o save acontece na Grécia kkkkk)

Tira a Grécia da cabeça, Bruno kkkkk

Share this post


Link to post
Share on other sites
JCaio Lima

Não curto muito futebol espanhol, mas eu gosto de ver saves na Espanha, por motivos de CHEGA DE REAL, ATLÉTICO E BARCELONA GANHAR ESSA LIGA VAI HERCULES!!!! Boa sorte

Share this post


Link to post
Share on other sites
Jirimias
21 horas atrás, JCaio Lima disse:

Não curto muito futebol espanhol, mas eu gosto de ver saves na Espanha, por motivos de CHEGA DE REAL, ATLÉTICO E BARCELONA GANHAR ESSA LIGA VAI HERCULES!!!! Boa sorte

Isso aí!! Chegar lá e mostrar pra eles quem manda haha

Share this post


Link to post
Share on other sites
Jirimias

Rpg6gnQ.png
 

1º Temporada
#Episódio 1: Que comecem os trabalhos!
 

Em seu primeiro dia como presidente do Hercules Alicante, Oscar Carvajal, demonstrou a atitude que os torcedores do Hércules esperavam de um mandatário. Seu discurso cheio de energia relembrou que o clube foi fundado com um destino do qual várias gestões tragicômicas trataram de desviar."Somos hoje um clube movido por chacotas, um adversário inofensivo e que não demonstra reação". Com frases de efeito e usando de expressões que faziam analogia ao herói da mitologia grega, Carvajal chegou ao clube em meio a um clima de dúvida e desesperança, que de fato requeria uma administração que resgatasse o orgulho herculano.

As analogias feitas ao herói homônimo, porém, não ficaram só no discurso, mas ganharam o papel e virou uma espécie de "programa de governo". Durante sua campanha, Carvajal notabilizou-se por utilizar das redes sociais para promover seu projeto intitulado de "Os doze trabalhos de Hércules". O projeto consistia em dar às metas do clube um nome de um trabalho do herói, algo que serviria não só de motivação, como também serviria como uma ótima ferramenta de marketing.

- Gastei algum tempo pensando sobre os trabalhos do Hércules e observava o que tudo aqui tinha a ver conosco e como trazer aquilo para o futebol. Foi assim que cheguei a esta fórmula. Faltava ser eleito, e felizmente, os torcedores do Hércules fizeram sua parte.

Carvajal foi eleito por 57% dos sócios, uma das eleições mais bem sucedidas da história recente do clube. Seria ainda maior, tendo em consideração que uma parte dos sócios eram senhores conservadores, que viam Oscar como um lunático. Talvez fosse um sonhador, mas os pés do dirigente estavam cravados no chão.

"Herdamos um clube que lutará muito para pagar seus compromissos, por isso não vamos fazer loucuras, espero que o torcedor entenda o nosso momento. Porém, garanto que não nos faltará vontade e com o tempo e muito trabalho, nosso torcedor poderá andar pelas ruas de cabeça erguida novamente. " - Oscar Carvajal, presidente do Hercules.
 

twV0xgb.png Nuñes, o louco  

De fato, o Hércules já entrava na nova temporada com uma folha salarial maior que o orçamento, e para piorar contava com uma verba muito pequena para contratações. O esforço em evitar que o clube não tivesse prejuízo começou início da temporada 15/16 com a  escolha do treinador. Francisco Nuñes, de 34 anos, nasceu em Alicante e nunca escondeu ser torcedor do Hercules. No mais, era só um aluno recém-formado na Escola Nacional de Treinadores na Espanha, onde era apontado por muitos como um maluco indisciplinado. Adepto do jogo ofensivo, e um crítico incorrigível do futebol de resultado, acumulou inimigos com seu jeito polêmico e de fala mansa e irritante.

azfig1Y.png

Nuñes foi apresentado uma semana após a posse do novo presidente. Fez uma coletiva de 40 minutos e deixou a coletiva antes do fim, após irritar com a pergunta de um jornalista. "Até onde vai a sua coragem, treinador? Até a primeira derrota?" Havia mesmo uma grande dúvida de quanto duraria esta tendência ofensiva do comandante do Hércules. 

Apresentado o novo treinador, era hora do clube fazer as escolhas: quem permaneceria, quem sairia e quem chegaria ao clube:

- Cheguei ao clube e encontrei jogadores com baixa autoestima, e isso é complicado, pois antes de tudo eu sou um torcedor do Hercules, e com isso acabo sofrendo dobrado. Como a dificuldade financeira não me permitia uma mudança mais radical na equipe, concentrei minhas forças em recuperar o plantel e tentar aproveitar alguma brecha do mercado para reforçar alguns setores. - Francisco Nuñes, treinador do Hercules.

rmfiAii.png

 

twV0xgb.png O início da temporada

Foram um total de quatro reforços, entre eles, dois brasileiros, Arthuro (atacante) e Gabriel Soares (volante) e dois jogadores emprestados pelo Villareal, Carlos (atacante) e Edgard Iê (zagueiro). Os reforços chegaram com a pré-temporada em andamento e estrearam na única vitória da equipe no "esquenta" da nova temporada. 

9tNHxR6.png
 

No dia 28 de agosto de 2016, a terceira divisão espanhola teve início. A Segunda División B, como é conhecida, divide-se em quatro grupos regionalizados com 20 equipes cada, com disputa de pontos corridos entre os times da divisão. Ao final do campeonato, os quatro primeiros, 16 clubes no total, classificam para uma fase eliminatória até chegar ao número de quatro equipes: os quatro clubes promovidos à segunda divisão.

Os 4 últimos colocados de cada grupo são rebaixados. O 5º último de cada grupo (16º colocado) classifica-se para a "Despromoción". Estes quatro clubes jogam em sistema eliminatório, os 2 perdedores são rebaixados. Os confrontos eliminatórios para ambos torneios são de ida e volta contabilizando os gols fora de casa em caso de empate.

Além da disputa da Segunda Divisón B, o Hércules disputaria a Copa do Rei, uma das boas chances de ganhar notoriedade, ainda que fosse praticamente impossível acreditar em uma campanha surpreendente para uma equipe sem grandes talentos individuais e com um trabalho ainda tão embrionário.

 

Share this post


Link to post
Share on other sites
Henrique M.

Bela introdução, mas achei os atributos iniciais bem elevados.

Share this post


Link to post
Share on other sites
ggpofm
7 horas atrás, Henrique M. disse:

Bela introdução, mas achei os atributos iniciais bem elevados.

Também achei elevados.

Texto muito bom. Começou bem o save.

Share this post


Link to post
Share on other sites
Guest
This topic is now closed to further replies.

  • Similar Content

    • PedroJr14
      By PedroJr14
      Real Racing Club Santander, S.A.D.
      O clube da cidade de Santander teve sucesso relativo na Espanha, mantendo-se na primeira divisão do país em 15 das 16 temporadas entre 1996/97 e 2011/2012, só não esteve presente em 2001/02. Em todas essas temporadas em La Liga, o Racing superou a décima posição apenas uma vez, quando terminou em sexto na temporada 2007/08, ganhando assim a vaga continental. Los Verdiblancos terminaram em quarto, num grupo que continha Twente, Manchester City, Schalke e PSG, perdendo apenas um jogo e vencendo o Manchester City, que terminou na liderança do grupo. Conseguiram se manter na liga principal até 2011/12, quando começou a cair sucessivamente até chegar à Terceira Divisão, 2 anos mais tarde. O clube ensaiou uma reação em 2014/15, quando conseguiu o acesso para a Segunda Divisão, mas logo caiu de volta e até o presente não mais saiu de lá.

      O Racing Santander manda seus jogos no folclórico estádio El Sardinero, que tem capacidade para pouco mais de 22 mil espectadores. Entre os nomes que desfilaram por esse aconchegante estádio vestindo a camisa do Racing, estão: Felipe Melo (Palmeiras), Henrique (Corinthians), Ezequiel Garay (Valencia), Yossi Benayoun (ex-Chelsea e Liverpool), Giovanni Dos Santos (LA Galaxy), Sérgio Canales (ex-Real Madrid), Marcos Alonso (ex-Barcelona e A. Madrid, pai de Marcos Alonso do Chelsea) e Christian Stuani.

      Sem nunca ter conquistado um título de expressão, o Racing Santander caiu ao fundo do poço por causa de uma crise financeira e nunca mais conseguiu se reerguer. A saída do treinador Pedro Muntis para o Ponferradina e a falta de recursos para buscar um técnico fora de Santander, obrigaram o clube a promover o Técnico Marco Botín, que terá um contrato curto, de apenas 1 ano. O jovem treinador de 26 anos terá que provar o seu valor e o seu amor pelo clube da cidade.
       
      Objetivos
      [Secundários]
      - Subir de volta à La Liga
      - Ter um jogador convocado por uma seleção top 10 mundial
      - Fortalecer as estruturas das divisões de base do clube ao máximo
      - Construir um novo estádio, ou ampliar o Sardinero
      - Transformar ao menos 3 jogadores contratados por mim em lendas do clube

      [Primários]
      - Terminar acima do décimo lugar em La Liga
      - Chegar a uma competição continental
      - Vencer uma competição de nível nacional 
      - Vencer uma competição intercontinental
      - Ser Campeão Mundial de Clubes
      - Tornar-se uma lenda no clube
       
    • Henrique M.
      By Henrique M.
      Reflexões, ponderações e filosofias
      Antes de falar do save em si, queria aproveitar o espaço para fazer um desabafo. Parece que a cada novo FM que surge eu vou perdendo cada vez mais o contato que eu tinha com o jogo no passado, mas vejo alguns exemplos de pessoas na mesma faixa de idade, mesma faixa de afazeres ou até em faixa maiores, jogando e tendo a boa e velha conexão com o jogo. Não sei se posso culpar o jogo em si ou culpar o jogo com relação a mim. Poderia ser pessoal, mas recentemente venho me divertindo no Football Manager 2008 e poderia facilmente migrar para o Football Manager Touch, que foi minha grande empolgação com um save, tirando os playoffs de promoção com o Santarcangelo. Então acredito que o problema não é do jogo, nem da minha relação com o jogo. É do que eu quero ver acontecendo no jogo.
      Infelizmente eu escolhi um desafio que o jogo não estava disposto a aceitar nas minhas condições, era possível, mas eu precisava aceitar as condições que o jogo impunha e isso não era o suficiente, eu precisava de mais e não aguentava ver o resultado do que eu queria dentro de campo. Não ligo para derrotas, para os percalços, desde que eles ocorram com meu time atuando da maneira pela qual ele foi desenhado para atuar. Se eu me comprometo com a retranca, tenho que estar ciente do que ela causa, se eu me comprometo com o jogo ofensivo, tenho que estar ciente do que ele causa e assim por diante. A questão é que eu me comprometi com uma coisa diferente, que era o líbero, não era uma questão de tática, não era uma questão de estilo de jogo. Era uma questão de trazer uma função morta para o FM e fazê-la funcionar tanto defensivamente quanto ofensivamente, mas isso limitava meu estilo de jogo a ser puramente defensivo ou contra-ofensivo. E as equipes que tiveram grandes líberos ofensivos não jogavam exclusivamente assim e muitas poderiam ser descritas como equipes fluidas e ofensivas.
      Eu passei do estágio de querer ver um desafio impossível sendo feito por mim, passei do estágio de querer acumular títulos e fazer grandes saves em termos de troféus e vitórias. Tive um dos maiores prazeres no FM 2015 com uma equipe que ganhou 3 italianos em umas 15 temporadas, perdeu 2 vezes a Champions e até hoje sinto saudades desses momentos, pois ali eu não estava construindo a minha dinastia, ali eu estava construindo uma história em conjunto com um clube. Tinha aquele apego, tinha aquela paixão de transformar o mundo do futebol. E esse é um problema grande, não consigo fazer igual a maioria das pessoas e escolher um save simples, seguro e que seja factível de se encerrar. Eu quero o desafio de modificar a história, criar momentos que só o FM proporciona e isso acredito que vem dificultando o processo de jogar FM.
      Desafabo feito, hora de seguir adiante e tentar mais uma vez. Se falharmos, levantamos, sacudimos a poeira e tentamos de novo.
      Introdução
      No Football Manager 2014 eu tentei aquele desafio impossível, meu grande feito até hoje foi conquistar a Champions League com o Rangers da Escócia no FM 2012. Por isso, decidi apimentar as coisas e buscar o título da Champions League com outro clube britânico, só que dessa vez advindo da Irlanda. Foram lindas 12 temporadas com 10 títulos nacionais, 9 deles consecutivos e incontáveis títulos nas copas domésticas, transformando o Shamrock Rovers no maior vencedor de todas as competições irlandesas. Em nível continental, realizamos o feito que o Dundalk realizou nessa temporada, ao se tornar o primeiro clube irlandês a participar de uma fase de grupos de uma competição europeia e fomos além, chegamos até as oitavas-de-final da Champions em uma ocasião e participamos por 3 ou 4 vezes do mata-mata da Liga Europa. Porém, apesar de nunca sequer estar perto de alcançar o único objetivo do save, transformei o Shamrock Rovers, mas isso não foi o suficiente para alavancar o futebol irlandês e sem a alavancagem do futebol irlandês seria impossível chegar até o objetivo do save. Eu me frustrei com isso, encerrei o save, depois me arrependi, mas a decisão já estava feita. Contudo, nesse save desenvolvi jogadores, criei ícones e lendas do clube, inclusive consegui segurar uma gigante promessa irlandesa por mais de 10 temporadas na equipe, fazendo com que um jogador da base se tornasse um importante jogador da história da equipe. E eram essas pequenas coisas que seguravam o save, mas infelizmente, ele estaria fadado a nunca dar certo da maneira que eu gostaria.
      Por isso, no ano passado, o ggpofm traduziu e adaptou um texto sobre como tornar uma liga competitiva e eu decidi que era hora de tentar realizar o impossível novamente, porém eu incuti no erro de começar o jogo no FM 2014 e comparar as duas histórias e é óbvio que isso deu errado, pois eu me frustrava com o que ocorria e olhava e comparava com o que havia sido feito e me perguntava o que estava acontecendo e o que estava sendo feito de errado, até o ponto em que eu comecei a tentar emular as decisões do passado. Isso ruiu a tentativa.
      É hora de aprender com o passado e recomeçar um desafio diferente que é transformar uma liga com um desafio do passado, a busca do impossível. Sinceramente, espero que seja esse o combustível necessário, pois o fato de querer continuar participando ativamente da área me fez retornar rapidamente com uma história. Quando não estou contando um save, a atenção que dou a área é totalmente diferente e sinceramente, como é uma área que pulsa numa vibração interessante e revigorante, acho injusto comigo mesmo não estar aqui, mesmo que o preço seja mais uma história inacabada.
      Objetivo
      Conquistar a Champions League com o Shamrock Rovers Regras do save
      Se o jogador não serve mais para o Shamrock Rovers, a prioridade é repassá-lo para uma equipe irlandesa, mesmo que isso signifique aceitar uma oferta menor ou perder o jogador de graça. Não contratar destaques de outras equipes irlandesas. Buscar repatriar jogadores irlandeses de ligas estrangeiras. Buscar contratar jovens promessas de equipes irlandesas, com o propósito de acelerar a evolução do mesmo. Buscar antecipar a concorrência externa pelos principais jogadores da liga, evitando que jogadores de bom nível ou alto potencial saiam do país. (A única condição que permite contratar um jogador adversário que seja importante para o clube) Caso alguma nova necessidade vá surgindo, irei informar num post e adicionar aqui Histórico
      2017 - 1º lugar na Airtricity Premier League, eliminado na 1ª rodada qualificatória da Europa League
      2018 - 1º lugar na Airtricity Premier League, eliminado no Playoff dos campeões da Champions League, 4º lugar no Grupo K da Europa League
      2019 - 1º lugar na Airtricity Premier League, Campeão da Copa da Irlanda, Campeão da Leinster Cup, 4º colocado no Grupo C da Champions League
      2020 - 1º lugar na Airtricity Premier League, Campeão da Copa da Irlanda, eliminado na 3ª Qualificatória da Champions League e nos Playoffs da Europa League
      2021 - 1º lugar na Airtricity Premier League, Campeão da Copa da Irlanda, Campeão da EA Sports Cup e 4º colocado no Grupo C da Champions League
      2022 - 1º lugar na Airtricity Premier League, Campeão da Leinster Senior Cup e 4º colocado no Grupo H da Champions League
      2023 - 1º lugar na Airtricity Premier League, Campeão da Copa da Irlanda, Campeão da Leinster Senior Cup e 2º colocado no Grupo J da Europa League
      2024 - 1º lugar na Airtricity Premier League, Campeão da Copa da Irlanda, Campeão da EA Sports Cup, eliminado nos 32-avos-de-final da Europa League e 3º colocado no grupo G da Champions League
      2025 - 2º lugar na Airtricity Premier League, Campeão da Copa da Irlanda, eliminado nos 32-avos-de-final da Europa League e 4º colocado no grupo B da Champions League
      2026 - 1º lugar na Airtricity Premier League, Campeão da Copa da Irlanda, Campeão da Leinster Senior Cup e 4º colocado no Grupo L da Europa League
      2027 - 1º lugar na Airtricity Premier League, Campeão da EA Sports Cup, Campeão da Leinster Senior Cup e 3º colocado no Grupo H da Champions League
      2028 - 1º lugar na Airtricity Premier League, Campeão da Copa da Irlanda, Campeão da EA Sports Cup e eliminado nas oitavas-de-final da Europa League e 3º colocado no Grupo E da Champions League
      2029 - 1º lugar na Airtricity Premier League, eliminado nos 32-avos de final da Europa League, 4º lugar no Grupo A da Champions League
      2030 - 1º lugar na Airtricity Premier League, Campeão da Copa da Irlanda, Campeão da Leinster Senior Cup e 4º lugar no Grupo C da Champions League
      2031 - 1º lugar na Airtricity Premier League, Campeão da Copa da Irlanda, Campeão da EA Sports Cup, Campeão da Leinster Senior Cup e 2º lugar no Grupo H da Champions League
      2032 - 1º lugar na Airtricity Premier League, Campeão da EA Sports Cup, Campeão da Leinster Senior Cup, Eliminado nas oitavas-de-final da Champions League 2031/2032  e 2º lugar no Grupo F da Champions League 2032/2033
      2033 - 1º lugar na Airtricity Premier League, Campeão da Leinster Senior Cup, Eliminado nas oitavas-de-final da Champions League 2032/2033 e 3º lugar no Grupo G da Champions League 2033/2034
      2034 - 1º lugar na Airtricity Premier League, Campeão da EA Sports Cup, Campeão da Leinster Senior Cup, Eliminado nas quartas-de-final da Europa League 2033/2034 e 3º lugar no Grupo C da Champions League 2034/2035
      2035 - 1º lugar na Airtricity Premier League, Campeão da EA Sports Cup, Campeão da Leinster Senior Cup, Campeão da FAI Ford Cup, Campeão da Europa League 2034/2035, Campeão da Super Copa da UEFA 2035 e 1º lugar no Grupo H da Champions League 2035/2036
      2036 - 1º lugar na Airtricity Premier League, Campeão da FAI Ford Cup, Eliminado nas oitavas-de-final da Champions League 2035/2036 e 3º lugar no Grupo E da Champions League 2036/2037
      2037 - 1º lugar na Airtricity Premier League, Campeão da FAI Ford Cup, 4º lugar no grupo C da Champions League 2037/2038
      2038 - 1º lugar na Airtricity Premier League, Campeão da FAI Ford Cup, Campeão da EA Sports Cup, Campeão da Leinster Senior Cup, 3º lugar no Grupo F da Champions League 2038/2039
      Histórico de posts
      Shamrock Rovers e Irlanda A primeira pré-temporada Algumas surpresas na tabela Liderança na Irlanda, decepção na Europa Vantagem é sempre importante A baciada fica para o meio do ano Uma temporada mais competitiva Irlanda x Escócia Celtic Park, Olympiyskyi, Vélodrome e King Power Stadium 3 contratações, 32 despedidas Enfim mediremos força com o Dundalk? Onde os outros perdem, nós vencemos Um empate que vale por duas temporadas e meia Em time que está ganhando não se mexe? Mais um voo solo? Dois patetas, as traves e um muro espanhol Em terra de irlandês, quem é Shamrock, é rei! As primeiras cifras em reforços Um começo de temporada inédito 166 convocações no elenco Os desafios financeiros da Irlanda Um estádio para chamar de nosso Alguém parará o Shamrock Rovers? Muita movimentação no Tallaght Uma Irlanda que dá trabalho O retorno do atacante solitário Falta embalar Uma chance inesperada Deem um pouco mais de crédito para a Liga Irlandesa Vendas milionárias Sentimos sua falta, O’Brien! Gribbinaldinho Fenômeno! A 5ª maior instituição da Irlanda Remodelagem tática A melhor campanha da história do primeiro turno Na perseguição do Cork City Verde é a cor da Irlanda Um vacilo milionário A melhor campanha da história do primeiro turno – Parte 2 Mais Irlanda na Europa Forde, por que faz isso comigo? Batemos a marca de 2 milhões Um carrossel verde e branco Simplesmente avassalador! Um péssimo ano para ser Bohemian Um mercado prolífico Um novo concorrente no horizonte? Eurocopa 2028 A solução que veio e que foi Chora, Allegri! Reaprendendo a jogar Tudo conforme o script Dinamo Zagreb A única vez foi em 2017 O bom filho a casa torna Uma máquina chamada Conor Wilson Copa do Mundo 2030 Maldito sorteio da Champions League Uma abordagem renovada Poxa, UCD! Um dia ruim por turno O doce aroma da elite europeia De pontas para volante Uma noite irlandesa em Londres As dificuldades de ser maior que a liga irlandesa Meus jogadores são de um material superior Que venha o Lyon! Teremos um campeonato!? Segue o líder! A gente bem que tentou, mas o Cork não quis! Regulamento debaixo do braço Faltaram apenas 6 minutos Mais uma vaga na Champions League! Dosharaithe E estamos de volta A estrada até aqui... Real Madrid x Shamrock Rovers Super Copa da UEFA Green Stadium Uma homenagem à Conor Wilson Começo claudicante, mas final esperado O fim de duas eras Sob nova direção A Airtricity Premier League é uma das 10 maiores da Europa 20 anos de Danny Green Um campeonato que ainda está em aberto Vexatório! O plano quinquenal Zero gols, zero derrotas Uma nova era para o Hoops Tinha um italiano no meio do caminho Uma insípida janela de transferências Um paredão azul
    • Felipe Soares
      By Felipe Soares
      Desde o saudoso CM 01/02 eu marco presença e viro noites e dias jogando games de manager. E, talvez, como muitos aqui vivia na solidão de não ter nenhum amigo que jogasse e pudesse compartilhar histórias, fatos e conquistas. Eu acreditava que era um universo pouco explorado e pouquíssimas pessoas jogavam, até que recentemente descobri o blog do Henrique M. (https://www.engenhariadofutebol.com.br/) que consequentemente me levou até aqui. Acompanho muitas histórias aqui, mas sempre fui tímido pra comentar ou até mesmo criar uma conta, preferi segui o anonimato. Em meus anos de vivência de alegrias e tristezas provindas do FM, tive várias conquistas épicas, mas sem ninguém pra contar, sem prints, sem nada, hoje não passariam de história de pescador. Então resolvi escrever minha primeira história, rasgar a barreira do anonimato e me colocar no mapa do FManager.


      O Save  

      Aproveitando a oportunidade, quero colocar o Maranhão no mapa também. Mesmo tendo nascido em Imperatriz e ser torcedor Cavalino (Cavalo de Aço é a alcunha do time em questão), nunca comecei um save com o SID (Sociedade Imperatrizense de Desportos). Sempre preferi os saves europeus e tal, porém no último sábado o Cavalo de Aço levantou a a taça do Campeonato Maranhense pela 3x na sua história com um gol aos 47 minutos do segundo tempo na casa do adversário (#ChupaMoto). Não existe nada mais incrível no mundo que uma situação assim, nada é mais lindo que um gol de título nos acréscimos. Foi impossível não me apaixonar novamente pelo clube da minha cidade natal depois dessa experiência. 


      Apresentação do Imperatriz (SID) e contexto político

      Conhecido como a força do interior, o time representa a maior cidade do interior do Maranhão (Que por muito tempo foi/é considerado o estado mais pobre do país). Fundado em 4 de janeiro de 1962 o clube nunca teve muito destaque no cenário futebolístico brasileiro, contando apenas com discretas participações no Campeonato Brasileiro da Série C no seu auge e apenas três (gloriosos) títulos estaduais (2005, 2015 e 2019).

      O time tem a honra de ter tido na estreia do seu estádio (Frei Epifânio D'Abadia) o gênio das pernas tortas, Garrincha, vestindo o seu manto. Além dos títulos estaduais, o maior feito do time foi ter descoberto o Ralf (atualmente Corinthians e Seleção Brasileira) quando ele estava esquecido e sem clube. Após a campanha história do primeiro título estadual, marcando gol na final, o volante revitalizou a carreira. Mas ficou conhecido como "caso Ralf" porque saiu a custo zero e o SID nunca ganhou um centavo com o sucesso dele. Anos depois em entrevista ele criticou a diretoria e ainda mandou a frase: "passei fome lá".


      Ralf em 2005

      Sim, futebol e política se misturam e no Maranhão essa sempre foi uma verdade. Talvez existam aqui no grupo companheiros ludovicenses que possam discordar (ou não) dos fatos a seguir, mas meu vô (ex-ponta esquerda) sempre falou "Só quem calça o sapato sabe onde aperta".

      Por muito tempo houve um movimento separatista chamado Maranhão do Sul (onde Imperatriz seria a capital desse novo estado) movido pela insatisfação das inúmeras injustiças/descaso do governo da capital. Não quero adentrar nos detalhes econômicos e sociais da "coisa", vou me ater ao futebol. Além dos regulamentos like a Carioca, a FMF sempre arrumou uma maneira de prejudicar os times de Imperatriz. O próprio JV Lideral, time que surgiu com força econômica e estrutura acima da média, desistiu do futebol profissional por não aguentar as barbáries da Federação Maranhense. 

      Objetivos e regras do save

      Sempre tive curiosidade de jogar um desafio da base e então esse será o primeiro. Mas diferente de outros desafios da base, quero responder essa pergunta: "Será que é possível desenvolver uma base moldado em uma filosofia e, com o tempo, formar jogadores nesses moldes e eles mudarem a 'cultura futebolística' de um lugar?" Sou fã de Pepe Guardiola, La Masia, J. Cruyff e tudo que envolveu essa atmosfera 'barcelonística'. Inclusive sou técnico de um time de fut7 (@atleticorealec - instagram) e tento aplicar esse estilo de jogo (quem sabe um dia eu conto sobre isso). Então não poderia ser diferente, a ideia é colocar o Maranhão no mapa do futebol brasileiro jogando um futebol que lembre o Barcelona de Pep: Ofensividade e Posse de Bola.
       
      Ser o maior time maranhense (Títulos, Reputação e Finanças) Se tornar o maior campeão maranhense - Sampaio Correia (33) Superar o feito histórico do Sampaio (Único time no país a vencer 3 divisões - B, C e D) Repetir o Caso Ralf (Um jogador revelado no clube que chega a seleção), só que com um desfecho "feliz" e com um jogador oriundo da base. Ter um representante do "Barcelona do Maranhão" no verdadeiro: um jogador revelado no SID ser contratado pelo Barcelona. Vencer a Série A Vencer a Copa do Brasil Vencer a Libertadores Vencer o Mundial  
      Então é isso, em breve eu atualizo aqui com os dados do jogo, treinador e os primeiros resultados. 
    • Tsuru
      By Tsuru
      Os celtas eram um conjunto de povos que ocupava grande parte do território da Europa por volta de 1.000 a.C., indo desde a atual Grã-Bretanha até o local onde hoje é a Turquia. Há muitas teorias sobre a origem e a expansão desses povos, mas é um período tão antigo que as raízes se perdem no tempo. É inclusive dessa época que surge a lenda do Rei Arthur, que teria liderado a resistência dos bretões celtas contra os romanos.
      Outro detalhe interessante é que, na cultura celta, "Brasil" era uma ilha mística situada em algum local do oceano, e a própria origem desse nome é céltica. Há quem acredite que os povos antigos já conheciam a origem do Brasil e que foram eles que introduziram, na cultura popular europeia, a informação de que existiam terras além mar cheias de riquezas e animais exóticos. Esse detalhe eu não sabia e quem compartilhou a informação foi o @Inner Logic.
      Entre outras coisas que se sabe concretamente, é notório que os celtas veneravam a natureza e que, entre seus pares, existiam os druidas, pessoas encarregadas das tarefas de aconselhamento, ensino, orientações filosóficas e jurídicas, e rituais religiosos. 
      Entre os druidas famosos, reais ou imaginários, estão o lendário Merlin e o Panoramix, que preparava a poção mágica do Asterix. E essa figura do druida sempre fascinou este que vos fala, o que levou a pesquisar mais sobre a cultura em questão e sobre sua história.
      Descobri, inclusive, que hoje existem seis nações apontadas como “célticas originais”, por manterem traços culturais ou de linguagem desse povo - País de Gales, Escócia, Irlanda, Bretanha (no norte da França), Cornualha (sul da Inglaterra) e Isle of Man (entre a Inglaterra e a Irlanda). Há ainda outras regiões onde a influência celta é considerada forte, como o Norte de Portugal, as regiões da Galícia e Astúrias na Espanha, e a antiga Gália (atuais França, Bélgica e norte da Itália). E há ainda territórios ocupados por antigas tribos celtas onde pouco se sabe sobre o legado deixado por eles, como o sul da Alemanha/Áustria e diversos países do Leste Europeu.
      No futebol, talvez a influência mais clara desses povos seja o Celtic FC da Escócia, batizado com objetivo de propagar o orgulho que os fundadores tinham dessa origem.
      Já havia lido sobre a liga de futebol do País de Gales e sentido bastante vontade de experimentá-la, talvez porque seja um país muito associado aos druidas. E a ideia se complementou com a descoberta das nações célticas.
      Assim, narrarei a carreira de Drew Johnson, um treinador galês fictício sem qualquer experiência, apelidado de “O Druida” por ser um adepto do Neodruidismo.
      A jornada se iniciará na terra natal de Johnson, uma vila de 7 mil habitantes chamada Cefn Mawr (se lê "Kevin Maur"), localizada no condado de Wrexham.

       


       


      Carreguei todas as nações celtas “originais”, algumas delas representadas pelo país onde se situam, e escolhi outras para representar os territórios com forte influência céltica. 
      Na database original do FM, a liga galesa só tem a Welsh Premier League, a elite do futebol local; para dar um pouco mais de emoção, ativei a segunda divisão através do update do Classen.
      Foi necessário deixar alguns países de fora - por exemplo, Itália, Alemanha e Áustria - até porque não sei se meu notebook aguentaria o tranco. Só para garantir, diminuí a qualidade gráfica e tirei as animações, aparentemente o jogo está rodando sem problemas.
      Acho que, no geral, ficou bem representativo e com boas opções de progressão de carreira.
       

       
      Conquistar pelo menos um título por cada país onde passar; Conquistar um título invicto; Conquistar, em uma temporada, todos os títulos em disputa; Vencer a Liga dos Campeões da Europa; Vencer a Copa do Mundo; Me divertir.
       
       
      Nunca pedir demissão no meio de uma temporada;
      Se estiver empregado, priorizar a assinatura de novos contratos para o início da temporada seguinte, a fim de não abandonar nenhum clube durante uma competição.
       
    • Neynaocai
      By Neynaocai
      PRA QUEM CHEGOU AGORA, RECOMENDO DAR APENAS UMA OLHADA POR CIMA NA PRIMEIRA TEMPORADA E IR LOGO AO QUE INTERESSA, QUE A PARTIR DE HOJE (07/12/2018) SERÁ INDICADO ABAIXO:
       
       
      Uma nova jornada. Capítulo 1: La voix du peuple est la voix de Dieu.
      Uma nova jornada. Capítulo 2: Entre grandes expectativas e a realidade!
      Uma nova jornada. Capítulo 3: A segunda temporada.
      Uma nova jornada. Capítulo 4: X-saladas, caldo-de-canas, bolachas, refrigerantes e gols.
      Uma nova jornada. Capítulo 5: Tem que ter pojeto?
      Uma nova jornada. Capítulo 6: Tutorial de como ser campeão em menos de duas temporadas.
      Uma nova jornada. Capítulo 7: Em segundo, se virares a mesa.
      Uma nova jornada. Capítulo 8: O último a sair apague a luz.
      Uma nova jornada. Capítulo 9: Prioridades.
      Uma nova jornada. Capítulo 10: Um Chicago a sorrir.
       
      ESPECIAIS
      You are fake news. Um desabafo contra a imprensa.
      Copa do Mundo Sub-20 2017.
      Copa do Mundo 2018
      Copa Ouro 2019 - Campeonato Mundial Sub-20 2019.
      Pré-olímpico 23: Sem chance.
       
       
       
×