Jump to content
Sign in to follow this  
Mtvianna

4-3-1-2 Gegenpress Personalizado

Recommended Posts

Mtvianna

Primeiramente, já de ante mão queria pedir desculpas pelo formato do post, embora seja um membro velho, sempre fui mais de ler do que escrever, então não aprendi muito bem como fazer o upload das imagens hehehe Gostaria de compartilhar com vocês uma experiência que tenho tido com uma tática que desenvolvi desde o FM20

Sempre parti pras táticas nacionais demais e nunca variava, ou seja, sempre usei um 4-2-3-1 com extremos. Como colorado, fiquei extremamente feliz quando Coudet foi ventilado como possível treinador em 2020, então comecei a olhar com mais carinho pra formações com mais meias e centroavantes, sem extremos. Então desenvolvi minha própria tática sem procurar em nenhum fórum. E por incrível que pareça desde o FM20 ela vem dando muito certo. Gostaria de compartilhar ela com vocês para ver o que vocês acham e até tentar aprimorar ela.

Posições

Com posse

Transição

Sem posse

Não sei muito bem como dizer isso, mas eu uso um esquema baseado na posse misturado com o Gegenpress, passes curtos focados no meio e ritmo mais elevado. Com a utilização de 3 meias centrais, sendo o central um construtor de jogo recuado e dois mezzalas (dependendo da características do elenco também pode ser um area a area, como o Patrick), também dou preferência por laterais com características de apoiar. O meia ofensivo quase sempre é como meia ofensivo atacar ou atacante sombra. Já os dois atacantes do time normalmente são um ponta de lança e um atacante recuado (ou dois pontas de lanças). Os três jogadores de frente tem instruções individuais para marcar apertado, rematar mais e correr mais riscos. Claro que dentro jogo acabo fazendo algumas variações, como explorar mais um lado diferente do campo, recuar um pouco as linhas caso eu esteja tomando mais bolas nas costas dos zagueiros, ou então diminuir o ritmo, rematar sempre que puder ou algo assim, dependendo das circunstâncias do jogo.

Resultados

Títulos

Aqui algumas estatísticas dos meus principais atacantes. Além disso, meus laterais costumam dar várias assistências. Heitor teve 15 na temporada.

Yuri Alberto

Galhardo

Abel Hernandez

Confesso que sofro um pouco defensivamente pela minha defesa ficar tão exposta, mas compenso com muitos gols, principalmente dos atacantes. Não é uma formação muito equilibrada, mas tenho conseguido resultados, inclusive na Europa. Uma das coisas que talvez contribuam muito para ela funcionar bem é ter uma comissão técnica muito boa e focar muito em jovens jogadores, para treiná-los e fazer a adaptação deles desde a base. Gosto muito de fazer o save comprando só jovens jogadores para revender no futuro (quando possível) hahaha

O que vocês acham? Alguma dica para que eu possa aprimorar mais? Esses prints são do primeiro save que fiz no FM21, no meu save atual joguei 3 temporadas com o juventude, saindo da Série C e chegando até a Libertadores. Depois assumi o River e ganhei o argentino e a libertadores. No meu atual time ainda não tenho resultados porque não começou a temporada, mas assim que encaminhar os primeiros meses com o Racing na segunda Argentina posto mais resultados dela.

 

 

Edited by Mtvianna

Share this post


Link to post
Share on other sites
Leho.

Extremamente agressiva sua tática, hein? Hahahaha, bacana... a ideia é quase toda baseada no Gegenpress mesmo. Acredito que o CJ centralizado ali seja o grande articulador do time, correto? Se for pra dar um pitaco pra você, eu mexeria em um dos dois MCs mais laterais, alterando sua função pra resguardar mais a defesa (MC - defender, por exemplo). Da forma como está, sua zaga precisa estar bem sincronizada com os meias pra que não espacem demais as linhas e deixem buracos pro adversário explorar.

Mas no mais acho que tá redonda a tática, não mexeria em mt mais coisa não.

Share this post


Link to post
Share on other sites
Mtvianna
5 hours ago, Leho. said:

Extremamente agressiva sua tática, hein? Hahahaha, bacana... a ideia é quase toda baseada no Gegenpress mesmo. Acredito que o CJ centralizado ali seja o grande articulador do time, correto? Se for pra dar um pitaco pra você, eu mexeria em um dos dois MCs mais laterais, alterando sua função pra resguardar mais a defesa (MC - defender, por exemplo). Da forma como está, sua zaga precisa estar bem sincronizada com os meias pra que não espacem demais as linhas e deixem buracos pro adversário explorar.

Mas no mais acho que tá redonda a tática, não mexeria em mt mais coisa não.

Ela é bem agressiva sim, minha ideia é empurrar o adversário pra trás com base no volume hehe Tomo alguns dependendo do adversário, principalmente quando tem atacantes muito rápidos e utiliza bolas longas, então costumo variar um pouco a linha defensiva buscando corrigir. Mas meu foco é fazer mais gols do que sofrer, então acho ok.

Eu nunca soube muito bem como instruir a função de Mc por achar ela meio genérica. Curto o esquema com dois mezzalas para equilibrar a ação ofensiva nos dois lados, mas se eu aprender as instruções individuais do MC pode ser uma ótima alternativa também hehehe

Share this post


Link to post
Share on other sites
juliommc

 

Loucura total... kkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkk.

Eu não usaria uma tática dessa não... Uma coisa eu garanto:

 

Você teria muitos problemas enfrentando algo desse tipo (rs):

 

7P2oXVb.jpg

 

Principalmente tentando evitar distribuição curta do goleiro... Daí seria só mandar o goleiro distribuir longo e a sua tática ia provar do próprio veneno...

 

Mas é de gosto... E essas táticas que sobrecarregam costumam funcionar bem contra a engine do jogo. Sugiro que você tente um draft online ou multiplayer pra dar uma conferida.

 

Boa noite aí...

 

Edited by juliommc

Share this post


Link to post
Share on other sites
Leho.
1 hour ago, Mtvianna said:

Ela é bem agressiva sim, minha ideia é empurrar o adversário pra trás com base no volume hehe Tomo alguns dependendo do adversário, principalmente quando tem atacantes muito rápidos e utiliza bolas longas, então costumo variar um pouco a linha defensiva buscando corrigir. Mas meu foco é fazer mais gols do que sofrer, então acho ok.

Eu nunca soube muito bem como instruir a função de Mc por achar ela meio genérica. Curto o esquema com dois mezzalas para equilibrar a ação ofensiva nos dois lados, mas se eu aprender as instruções individuais do MC pode ser uma ótima alternativa também hehehe

É, quando eu bati o olho nas instruções eu já imaginei que fosse esse o seu objetivo com ela, hahahahaha (empurrar o adversário pra trás assumindo as ações). É um risco calculado eu diria, e tudo bem se o treinador souber compreender isso.

Quanto ao MC, ele realmente é uma função mais genérica mesmo, assim como o Médio Defensivo, o Defesa Central e etc, etc. Até por ser genérico que eu acabei sugerindo ele à você, porque se você quiser depois fazer alguns ajustes dá pra recorrer às instruções individuais. Agora, daria pra experimentar um MRB também, ou até um B2B, mas obviamente que você teria que mudar outras funções adjacentes.

Share this post


Link to post
Share on other sites
Mtvianna
27 minutos atrás, juliommc disse:

 

Loucura total... kkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkk.

Eu não usaria uma tática dessa não... Uma coisa eu garanto:

 

Você teria muitos problemas enfrentando algo desse tipo (rs):

 

7P2oXVb.jpg

 

Principalmente tentando evitar distribuição curta do goleiro... Daí seria só mandar o goleiro distribuir longo e a sua tática ia provar do próprio veneno...

 

Mas é de gosto... E essas táticas que sobrecarregam costumam funcionar bem contra a engine do jogo. Sugiro que você tente um draft online ou multiplayer pra dar uma conferida.

 

Boa noite aí...

 

Cara, nunca joguei contra essa tática kkkkkk

Pois é, eu basicamente só jogo contra a engine, nunca fui muito do online, mas é de se provar hahaha

Share this post


Link to post
Share on other sites
Mtvianna
2 minutos atrás, Leho. disse:

É, quando eu bati o olho nas instruções eu já imaginei que fosse esse o seu objetivo com ela, hahahahaha (empurrar o adversário pra trás assumindo as ações). É um risco calculado eu diria, e tudo bem se o treinador souber compreender isso.

Quanto ao MC, ele realmente é uma função mais genérica mesmo, assim como o Médio Defensivo, o Defesa Central e etc, etc. Até por ser genérico que eu acabei sugerindo ele à você, porque se você quiser depois fazer alguns ajustes dá pra recorrer às instruções individuais. Agora, daria pra experimentar um MRB também, ou até um B2B, mas obviamente que você teria que mudar outras funções adjacentes.

o box to box eu uso dependendo das características dos meus jogadores. Edenilson e Patrick fazem bem essa função, então sempre o meu save inicial com o inter acabo variando os dois.

Fato é, to em 2027 com o Racing na segunda argentina, to tentando transformar os extremas em atacantes, mas os atributos de finalização deles são muito ruins, demorei a engrenar o time. Por enquanto tenho 12 vitórias, 8 empates e uma derrota. Tem funcionado com equipes fracas, por sorte não peguei nenhum grande ou fui pressionado. 

Share this post


Link to post
Share on other sites
schacoffee

Usei uma tática Gegenpress e curti bastante, mas não se encaixava com meus jogadores. Depois de 10 jogos estavam estourados!

A alteração que eu faria seria no meia central, colocaria como defender, poderia ser CJ mesmo. Daria mais cobertura na defesa sem perder o poder de articulação defesa/ataque.

Um dos atacantes poderia ser com tarefa de apoio já que o SS é uma constante ameaça. Um dos atacantes ajudando na criação do meio seria mais efetivo, já que ambos os meias laterais são mezzalas. Poderia ter mais gente ali no meio flutuando por que a formação não tem pontas, quando mais gente trabalhando por ali seria melhor para garantir que o time domine a posse.

Share this post


Link to post
Share on other sites
Mtvianna
2 horas atrás, schacoffee disse:

Usei uma tática Gegenpress e curti bastante, mas não se encaixava com meus jogadores. Depois de 10 jogos estavam estourados!

A alteração que eu faria seria no meia central, colocaria como defender, poderia ser CJ mesmo. Daria mais cobertura na defesa sem perder o poder de articulação defesa/ataque.

Um dos atacantes poderia ser com tarefa de apoio já que o SS é uma constante ameaça. Um dos atacantes ajudando na criação do meio seria mais efetivo, já que ambos os meias laterais são mezzalas. Poderia ter mais gente ali no meio flutuando por que a formação não tem pontas, quando mais gente trabalhando por ali seria melhor para garantir que o time domine a posse.

Eu comecei a usar uma variação com um dos CA's como avançado recuado, tem funcionado melhor também. Já a função do CJ é fundamental pra armação do jogo, quando testei como defender perdeu um pouco do apoio aos mezzalas. Com certeza melhorou defensivamente, mas achei que a perda no parte ofensiva foi maior do que o ganho defensivo.

Cara, com certeza a parte física tem que estar muito inteira, o cansaço dos jogadores é visível, normalmente minhas substituições são por isso e não por o jogador estar mal, ou acabo o jogo, principalmente os laterais, no vermelho.

Share this post


Link to post
Share on other sites

Join the conversation

You can post now and register later. If you have an account, sign in now to post with your account.

Guest
Reply to this topic...

×   Pasted as rich text.   Paste as plain text instead

  Only 75 emoji are allowed.

×   Your link has been automatically embedded.   Display as a link instead

×   Your previous content has been restored.   Clear editor

×   You cannot paste images directly. Upload or insert images from URL.

Sign in to follow this  

  • Similar Content

    • Tsuru
      By Tsuru
      Durante a pesquisa para o save do Druida, me deparei com o lema oficial de Gales, “Cymru Am Byth” (se lê “Kimiru Am Bith”) que quer dizer “País de Gales para sempre” (Wales Forever) ou “Vida longa ao País de Gales” (Long Live Wales). Na ocasião eu li erradamente “Galês para sempre” (que em inglês seria “Welsh Forever”), e apesar de estar incorreto - porque originalmente o lema se refere ao país e não à nacionalidade - a ideia ficou na minha cabeça como uma espécie de conceito de fidelidade à nacionalidade em questão.
      Na época li que as maiores equipes de Gales jogam há muitos anos na pirâmide inglesa e que decidiram permanecer assim mesmo após a criação da liga galesa, em 1992 (eu sinceramente não os culpo). Isso gera uma inusitada situação de mais de um time de um país atuando em outro (são quatro na db oficial do FM, mas soube que há outros em divisões ainda mais baixas). E por fim, pesquisando sobre experiências de jogadores com essas equipes no FM, achei no fórum oficial um jogador que decidiu criar uma espécie de “Athletic Bilbao inglês”, com a regra de contratar apenas jogadores galeses (https://community.sigames.com/forums/topic/438707-fm-18-wrexham-the-welsh-red-dragons/?tab=comments). 
      Eu adorei e percebi que ele estava basicamente materializando em um save o conceito de “Galês para sempre”. A ideia ficou guardada no porão (porque a gaveta já estava cheia delas) e ao pensar em qual save seria o primeiro no FM 21, foi a que mais me empolgou. Não só pelo desafio em si, mas por misturar uma série de elementos que eu não costumo utilizar nos meus saves, permitindo fazer mesmo algo diferente do meu usual. Entre eles estão restrição de contratações, desenvolvimento da base (que aqui vai acabar tendo papel fundamental) e o sistema que batizei de “Cafundó League”, aquele que você pega um time de uma divisão ali perto do Pré-Sal e segue nele até o mais alto possível. Eu pensei em fazer mais uma coisa diferente que seria jogar a primeira temporada antes de postar, mas empolguei e decidi compartilhar de uma vez.
      Por fim, temos a escolha do clube. Eu considero que o “nível fácil” desse desafio (isso existe?) é com Swansea e Cardiff, times maiores, com mais dinheiro e estrutura, que militam na segunda divisão e já possuem boa parte de seu elenco nacionalizada. O “nivel médio” seria com o Newport County, hoje na League Two, a quarta divisão, com um elenco com bom número de galeses mas menos estrutura e recursos do que os outros dois. E o “nível difícil” é com o Wrexham, que há algum tempo milita na Football League, quinto escalão inglês, e que por seu natural estado de penúria, contrata o que é possível (não devem nem olhar o nome do sujeito, imagina onde o cara nasceu).
      Um deles eu já queria treinar desde que fiz a entrevista aqui no PM, e foi uma escolha natural. Ok, pelo banner já dava para saber, mas quis explicar assim mesmo. Hahahaha
       

       
      Fundado em 1864, o Wrexham Association Football Club (galês: Clwb Pêl-droed Cymdeithas Wrecsam - tente dizer isso rápido três vezes!) é o mais antigo do País de Gales e se define como o terceiro clube mais antigo do mundo (embora esse critério possa ser variável), sendo inclusive membro do Club of Pioneers. O nome é uma homenagem à cidade natal, Wrexham, próxima a locais de muita tradição no futebol como Liverpool e Manchester. E a equipe é conhecida como The Red Dragons, provavelmente por utilizar em seu escudo dois dragões semelhantes aos da bandeira do País de Gales.
       

       
      O time manda seus jogos no Racecourse Ground, a arena internacional mais antiga do mundo que ainda recebe jogos internacionais. Ela foi aberta em 1807, sendo que recebe jogos de futebol desde 1864, e o recorde de público foi estabelecido em 1957, quando o Wrex sediou uma partida contra o Manchester United diante de cerca de 35 mil espectadores. 
       

       
      Após iniciarem a vida esportiva disputando competições locais em sua terra natal, os Red Dragons entraram para a pirâmide inglesa em 1905, na Liga de Birmingham e Distrital. Em 1958 o campeonato inglês foi reorganizado e o Wrex foi para a terceira divisão, de onde oscilou desde a segundona (em fins dos anos 70), o mais alto que já chegou, e flutuou daí para baixo até o quinto escalão, a partir de 2008, quando não conseguiu mais ser promovido. 
      Depois de algumas décadas sendo administrado por um fundo de torcedores, em novembro de 2020 o clube foi vendido aos atores hollywoodianos Ryan Reynolds (o Deadpool - que aliás tem um ótimo gosto para esposas) e Rob McElhenney. Isso ocorreu depois do fechamento da db do FM, o que significa que o 21 é o último com os Red Dragons ainda sob propriedade dos seus adeptos e iniciando em dezembro de 2019 sem investidores externos (embora eu não saiba se isso vai mudar no update final).
      Em termos de títulos, o Wrexham venceu a Copa Galesa 23 vezes - o que permitiu algumas participações na antiga Taça dos Vencedores das Taças -, ganhou o FA League Trophy em 2005 e o FA Trophy em 2013, além de ter 11 títulos da FAW Premier Cup, torneio que reunia os outros galeses que jogam na Inglaterra.
      Apesar de existirem naturalmente rivalidades locais entre as equipes de Gales, os maiores rivais do Wrexham são três ingleses, nos chamados Derbies Transfronteiriços: Shrewsbury Town, Tranmere Rovers e o arquirrival Chester. Separados por apenas 20 km, Wrexham e Chester fazem um duelo muito nervoso, marcado por uma rivalidade bastante agressiva e um clima de guerra (no campo e em volta dele).
       

       
      Jogadores que atuaram em um ou nos dois clubes dizem que é tão intenso quanto Arsenal vs Spurs, parecendo um verdadeiro confronto Inglaterra x País de Gales. Outra curiosidade é que o estádio do Chester, o Deva, transpassa a fronteira e seu campo está localizado totalmente em Gales - o que meio que faz dele um time inglês que joga no país vizinho (!).
      No FM o Chester está uma divisão abaixo, portanto caso esse encontro aconteça de forma oficial, deve ser mais adiante no save. Enquanto isso penso em criar uma copinha chamada Cross Border Trophy com o Wrex e os três rivais, vamos ver se eles topam.
       

       
      Contratar apenas jogadores de nacionalidade galesa; Contratar apenas equipe técnica de nacionalidade galesa.  

       
      Conquistar a Premier League; Conquistar uma copa inglesa; Conquistar um torneio europeu; Ter pelo menos um jogador formado no clube convocado para a seleção galesa; Ter instalações de primeiro mundo em todos os níveis; Entrar para a lista dos 10 times mais ricos da Europa.  

       
      Criei um personagem fictício chamado Oliver Jones para ser o treinador, mas decidi não arriscar nessa parte e deixei as licenças de acordo com o que o jogo sugeria, apenas dando maior foco ao desenvolvimento de formação.
       

       
      Para me dar mais opções em termos de jogadores, ativei as cinco divisões de Gales utilizando o update do Timo e personalizei a database. A opção por incluir as primeiras divisões de outros países foi para deixar o save mais realista quando o Wrexham começar a subir um pouco mais na pirâmide.
       

       
      Depois que iniciei eu me dei conta que deveria ter carregado Escócia e Irlanda, onde certamente há galeses jogando. Adicionei as duas nos primeiros dias de jogo e elas estarão disponíveis a partir da próxima temporada, porém a Irlanda do Norte acabou ficando de fora por limitações de hardware.
    • Victor Duque
      By Victor Duque
      Salve comunidade, depois de muito tempo, decidi me me aventurar (tentar) compartilhar uma saga por aqui. Não tive talento para ser um jogador profissional, mas a paixão pelas táticas fez este cidadão, mesmo sem nenhuma qualificação de treinador, explorar o mercado do futebol aos 25 anos de idade!! Só me impus duas restrições nessa busca inicial, não trabalhar no Brasil nem na Europa. Sobre preferências, não tenho. Estou aberto a avaliar as propostas independente do lugar, já que nada na minha vida me prende. 
      Dessa forma então iniciarei minhas buscas e contatos para em breve, anunciar o primeiro desafio dessa carreira.
      Capítulo 1 - Primeira parada, Bolívia
      Capítulo 2 - Primeira temporada - Ano difícil, porém de muito aprendizado
      Capítulo 3 - Hora da virada - Próxima parada, Equador
      Capítulo 4 - Início da Série B Equatoriana
      Capítulo 5 - Período turbulento, um jogo decisivo e uma jovem promessa
    • jdnd
      By jdnd
      eu coloco databases de sites como fmscout na pasta editor data e quando vou abrir o jogo e vou criar uma  nova carreira pra adicionar as datas bases aparece que não tem nenhum arquivo na pasta.
    • Doug_BR
      By Doug_BR
      Quem pode me ajudar?
      No meu FM 2021, no campeonato brasileiro o São Paulo FC está invertido com o Palmeiras.
      O logo e as cores de um com o plantel e a estrutura do outro.
      Como corrigir?
    • Cadete213
      By Cadete213
      Olá a todos. Sou novo por cá, mas sou um dos veteranos do CMPT (o fórum FM em Portugal), onde me registei em 2006. Gosto de apresentar os saves com mais base nas imagens do que nos textos, mas não esperem muito em termos de grafismos 😁
      Meu nome é Fábio, mas sou conhecido como Cadete, devido ao antigo jogador de futebol do Sporting e Celtic (entre outros), Jorge Cadete. Sou natural do Funchal, Ilha da Madeira. Ou seja, sou da mesma cidade do Cristiano Ronaldo.

      Sempre fui fã de futebol e minha equipa favorita é o Arsenal. Muito novo comecei a jogar nas camadas jovens do CS Marítimo, e por lá fiquei até aos 17 anos. Pelo caminho, fui campeão regional várias vezes e cheguei a jogar contra o grande CR7, quando este ainda vestia as cores da camisola do CD Nacional. A melhor época que tive, foi nos sub-17, quando terminamos a época sem derrotas (20 vitórias e 2 empates). De seguida, disputamos a fase nacional, onde defrontei o Sporting CP, Barreirense e Campomaiorense. Estes dois últimos, já viveram dias melhores e o Campomaiorense, na altura, jogava no Tugão.

      Nos sub-19, decidi sair do clube da minha infância e fui jogar no clube da terra da minha mãe, o CD Ribeira Brava, que tem como maiores rivais, o Pontassolense. Passei dois anos fantásticos no clube e vencemos o primeiro troféu do clube, nas camadas jovens, a Taça da Madeira. Na final, derrotamos o CF União. Lembro-me muito bem desse jogo. Marquei o primeiro golo e o resultado final foi 4-2. No final, festejamos imenso e levamos a Taça para a nossa "terrinha". Isto foi na primeira época. 
      Na segunda época, fui chamado à equipa principal, para fazer a pré-época. O CD Ribeira Brava disputava o Campeonato Nacional de Séniores e ainda joguei um amigável contra a equipa B do Marítimo, uma casa que conhecia muito bem. Fiz a época nos sub-19 e fui o melhor marcador da equipa. Nos séniores, ainda fui emprestado ao São Vicente, mas infelizmente, devido a um problema de saúde no sangue, abandonei o futebol e a carreira de jogador.

      A vida seguiu e comecei a trabalhar. Acabei os estudos à noite, onde conheci minha parceira. Passados 15 anos ainda estamos juntos. Mudou a minha vida para muito melhor e vivemos juntos na sua terra, o Jardim do Mar. Uma pequena vila no sudeste da Ilha da Madeira, com 200 habitantes. Mas não se deixem enganar pelo seu tamanho, pois é conhecida a nível mundial, devido ao surf. A modalidade chegou tarde à Madeira, nos anos 90. Começou então a ser divulgada e de repente, tínhamos surfistas do mundo inteiro a visitar a ilha, que rapidamente se tornou conhecida como  o "Hawai da Europa". 
      Minha sogra tem uma Residencial a Casa da Cecília, que recebeu os primeiros surfistas na ilha e a minha parceira foi a primeira mulher a surfar na Madeira. Os mais famosos surfistas portugueses passaram por cá várias vezes, houve um Billabong Contest no final dos anos 90, Garrett McNamara também já esteve na Residencial da minha sogra e Grant "Twiggy" Baker, campeão mundial de ondas grandes, é um regular por aqui. Gosta de ir ao Jardim do Mar treinar, antes da etapa da Nazaré, em Portugal Continental.

      Em 2008, decidimos emigrar e passamos o Verão em Cagnes-Sur-Mer, no sul de França. Trabalhamos num camping e os donos tornaram-se na nossa segunda família. Sempre que podemos, fazemos uma visita e vice-versa. Aprendi a falar francês, o que é sempre bom no mundo do trabalho. Depois deste magnífico Verão, acabamos na Ilha de Jersey. Uma dependência da coroa Britânica. É uma ilha offshore, ou seja, um paraíso fiscal, que goza de uma certa independência e tem o seu próprio governo. No entanto, o poder supremo é a raínha de Inglaterra.
      A comunidade portuguesa é grande e equivale a cerca de 10% da população local. Brasileiros tem poucos e só conheço 2. 
      Trabalhei vários anos na loja de um campo de golfe, e comecei a praticar este desporto. Tornou-se um dos meus passatempos favoritos e cheguei a fazer parte da equipa que se tornou campeã de Jersey, indo de seguida à ilha vizinha de Guernsey, jogar pelo título de campeão das Ilhas do Canal. Infelizmente perdemos.

      Vida que segue (como diz um amigo meu cá do fórum), e como trabalhava aos fins-de-semana, não pude jogar futebol. Dediquei-me então ao Futsal, que por cá é amador. Aliás, em Jersey, a única equipa profissional que há, é o Jersey Reds. Uma equipa de râguebi que disputa o segundo escalão do râguebi inglês. No futsal, joguei em 2 equipas locais. Fui campeão duas vezes e venci a taça uma vez. O futsal aqui é diferente e as regras também. Tanto, que ainda chamam de 5-a-side, não podemos entrar na área do Guarda-Redes e a bola não pode subir acima da altura dos ombros. Coisas dos ingleses.

      Após vários anos no campo de golfe, consegui um emprego no HSBC, um dos maiores bancos a nível mundial. Sendo Jersey um paraíso fiscal, a sua economia é movida pelo mundo das finanças. Vários são os bancos que cá estão, incluíndo Royal Bank of Canada, Lloyds, Santander, CitiBank ou Natwest. Além destes, tem outros bancos privados e muito dinheiro passa por cá. De vez em quando, entra nas bocas do mundo por eventuais branqueamentos de dinheiro e abrem-se investigações. É um mundo à parte.
      O HSBC Expat e o HSBC Channel Islands e Isle of Man, têm cá a sua sede e é lá que trabalho. Fui Product Manager e agora sou Operational Support Manager. 

      Trabalhar no banco libertou-me os fins-de-semana, e voltei ao futebol de 11. Como ja estava a chegar aos 35 anos, decidi jogar nos veteranos. Fui convidado para jogar no St Paul's FC, que é o maior clube da ilha. Aceitei logo e na primeira época fomos campeões, só com vitórias. Não perdemos nenhum ponto. Época de sucesso e apenas não vencemos a Taça de Veteranos, pois esta foi cancelada devido ao Covid-19. Começamos a segunda época, e até ao momento nao perdemos nenhum jogo. Queremos ser bi-campeões, sem derrotas. 
      Como ainda estou para as curvas, tenho feito alguns jogos pela equipa de reservas, onde a minha experiência é essencial para ajudar os mais jovens. Disputam a 3ª e última divisão de Jersey, e permite-me ir mantendo a forma ao jogar contra os mais novos.

      E por aquí fica a realidade do save. Aproveitei para me apresentar e assim ficam a me conhecer um pouco melhor. Daqui em diante, entraremos na ficção e na parte divertida do save. Adoro viajar e já estive em 5 continentes. Só me falta mesmo visitar a América do Sul.
      Trabalhando no HSBC, irei aproveitar esse facto para dar andamento a este save e irei baseá-lo nisso mesmo, a oportunidade de poder viajar pelo trabalho. 
       

       

       

       
×
×
  • Create New...