Jump to content

Soy Loco Por Ti América


mfeitosa
 Share

Recommended Posts

23 minutes ago, mfeitosa said:

Quanto à parte que destaquei no seu comentário, eu posso antecipar que haveria uma enorme chance de Sanhueza sair do Vial, mesmo com a promoção. Acho que não seria tão estranho assim. Por exemplo, vejamos o que ocorre com frequência no Brasil. O que geralmente vemos são clubes "menores", quando alcançam uma promoção para a Série A, dificilmente conseguindo manter seus técnicos. Um exemplo recente foi o Bragantino, que perdeu o Antônio Carlos para o futebol japonês, mesmo sendo um clube com muita condição de investimento. Jorginho também saiu do Coritiba e o Barroca do Atlético Goianiense, mesmo com o acesso. Aliás, nenhuma das quatro equipes que subiram da Serie B para a A, ano passado, mantiveram seus técnicos.

Eu também não vejo problema, por isso lhe fiz a pergunta. Tem gente que vê  problema ou fica muito ligado o clube. Como você não vê problema, menos uma questão para avaliar.

Link to comment
Share on other sites

Numa análise da classificação que você postou e pelo campeonato chileno que disputei no meu save a situação é a seguinte:

Do 5º ao 8º lugar o melhor seria o Audax Italiano, caso eles despeçam o treinador. Seria um upgrade muito interessante.

Do 9º ao 16º lugar eu indicaria apenas dois clubes: Palestino, por motivos óbvios, caso eles se mantenham na divisão e a Universidad Católica. A Un C tem um bom time, é um dos grandes do Chile e tem possibilidade de disputar os títulos do continente e seria um excelente upgrade.

Na tela de segurança de emprego eu vejo que o Palestino e a Un C possuem treinadores estáveis, mas faltando 10 jogos para finalizar a temporada a situação pode mudar. Então seria bom esperar o final do Campeonato Nacional e decidir com calma.Se não renovarem você estará livre no mercado e a tendência é justamente aparecer boas ofertas.

Link to comment
Share on other sites

Como vc nao pretende ir para a primeira isso ja restringe bem as opções né?

Inicialmente achei um absurdo sair do Vial, mas a redução do salário um desprestigio inaceitável. Mas como as outras equipes sequer equipararam o salario atual, ficou todo mundo no mesmo patamar. Por acaso seu salario esta fora da média?

Eu faria como os outros falaram, esperaria o fim da temporada.

Link to comment
Share on other sites

  • Vice-President

Se fosse para ganhar mais, eu diria que era para ir para o Santiago Wanderers, mas devido ao atual cenário de ninguém querer pagar o treinador, faz o seu melhor na temporada e vê o que sai. Propostas desse nível não vão sumir até o final da temporada.

Link to comment
Share on other sites

Em 31/03/2020 em 13:50, ggpofm disse:

Eu também não vejo problema, por isso lhe fiz a pergunta. Tem gente que vê  problema ou fica muito ligado o clube. Como você não vê problema, menos uma questão para avaliar.

Sem dúvida! Eu costumo criar uma grande ligação com os clubes que assumo no FM, pois acabo acompanhando todos eles na vida real, além de pesquisar sobre suas histórias e jogadores, mas não passa disso. Como você bem disse, é menos uma questão para avaliar. 

Em 31/03/2020 em 14:08, LC disse:

Numa análise da classificação que você postou e pelo campeonato chileno que disputei no meu save a situação é a seguinte:

Do 5º ao 8º lugar o melhor seria o Audax Italiano, caso eles despeçam o treinador. Seria um upgrade muito interessante.

Do 9º ao 16º lugar eu indicaria apenas dois clubes: Palestino, por motivos óbvios, caso eles se mantenham na divisão e a Universidad Católica. A Un C tem um bom time, é um dos grandes do Chile e tem possibilidade de disputar os títulos do continente e seria um excelente upgrade.

Na tela de segurança de emprego eu vejo que o Palestino e a Un C possuem treinadores estáveis, mas faltando 10 jogos para finalizar a temporada a situação pode mudar. Então seria bom esperar o final do Campeonato Nacional e decidir com calma.Se não renovarem você estará livre no mercado e a tendência é justamente aparecer boas ofertas.

Uma análise bem bacana, LC, mas que só pretendo utilizar mais pra frente dentro do save. É com expliquei em algumas das respostas relacionadas à última atualização. Minha tendência é fugir inicialmente da Primera División Chilena, como forma de dar rodagem ao Sanhueza em outras ligas. Saindo ao final da temporada ou não, uma coisa é certa. Sanhueza retornará ao Chile para terminar o que iniciou.

Em 31/03/2020 em 20:11, Andreh68 disse:

Como vc nao pretende ir para a primeira isso ja restringe bem as opções né?

Inicialmente achei um absurdo sair do Vial, mas a redução do salário um desprestigio inaceitável. Mas como as outras equipes sequer equipararam o salario atual, ficou todo mundo no mesmo patamar. Por acaso seu salario esta fora da média?

Eu faria como os outros falaram, esperaria o fim da temporada.

Minha ideia inicial era ficar pelo menos três temporadas no Fernández Vial, mas o time acabou evoluindo muito rápido. Ao mesmo tempo, temos essa questão do desprestígio, em termos financeiros.

O salário do Sanhueza é Top 5 na Primera B. Tem treinadores ganhando até o dobro do que ele ganha hoje, na mesma divisão.

Valeu, André!

8 horas atrás, Henrique M. disse:

Se fosse para ganhar mais, eu diria que era para ir para o Santiago Wanderers, mas devido ao atual cenário de ninguém querer pagar o treinador, faz o seu melhor na temporada e vê o que sai. Propostas desse nível não vão sumir até o final da temporada.

Era o que eu esperava que poderia acontecer, por isso dei a chance de participar da entrevista só pra ver quanto ofereceriam. Acabei quebrando a cara. 

Valeu, Henrique!

linha.png

RETORNO SOBRE A SEQUÊNCIA DO SAVE

Pessoal, já avancei no save, seguindo no Fernández Vial. Não houve uma nova chance de assumir o Santiago Wanderers, que não demorou para confirmar seu novo treinador. Detalhe para o salário que ele vai receber. 🤦🏻‍♂️

Obrigado pela participação de todos! Todos os comentários serviram de boa reflexão para o seguimento do save.

corengia-santiago.png

Link to comment
Share on other sites

O desprestígio do Santiago Wanderers para com Sanhueza foi enorme. Contratou um treinador com 11 anos de experiencia mas sem a capacidade de inovação de Sanhueza. 

Acredito que ficar no Fernandez Vial é uma boa. Almejar coisas maiores com o clube vai ser bom, quem sabe um acesso à primeira divisão não seja um divisor de águas. 

Link to comment
Share on other sites

5 horas atrás, bieleao disse:

O desprestígio do Santiago Wanderers para com Sanhueza foi enorme. Contratou um treinador com 11 anos de experiencia mas sem a capacidade de inovação de Sanhueza. 

Acredito que ficar no Fernandez Vial é uma boa. Almejar coisas maiores com o clube vai ser bom, quem sabe um acesso à primeira divisão não seja um divisor de águas. 

Pois é, acho que a decisão de permanecer no Vial, pelo menos até o final da temporada, foi acertada. O bacana de ir especificamente para o Santiago Wanderers seria somente pela identificação do Sanhueza com o clube.

Pesquisando algumas coisas, acabei encontrando uma matéria onde ele não só afirma que pretende ser técnico, como sonha em dirigir o Fernández Vial, Santiago Wanderers, Colo-Colo e a seleção chilena. Como ainda tem muito save pela frente, é possível que algo nesse sentido possa ocorrer no futuro.

Valeu, Biel!

Link to comment
Share on other sites

banner-fvial.pngfvial2020.png

primerab.png

rodadas-21-30.png

Depois de ter deslanchado no segundo terço da competição, o Fernández Vial perdeu fôlego, deixando o caminho livre para que o Curicó Unido conquistasse o título da Primera División B 2020. O problema surgiu com quatro derrotas consecutivas atuando fora de casa, o que só reafirma o comportamento dos aurinegros longe de seus domínios.

A retomada do Almirante, embora tardia, deu-se exatamente com os jogos dentro do Estadio Municipal. Os vialinos venceram todas as partidas em casa, neste período. É uma marca que chama atenção, afinal, na fase regulamentar da Primeira B 2020, o Fernández Vial contabilizou apenas uma derrota e um empate jogando em casa, e venceu as demais treze partidas, onde seis delas foram por goleada. 

usanfelipe.png

Spoiler

RESUMO.png

DERROTA.png (F) 1 a 2 Deportes Valdivia (21ª rodada)

Iniciamos a reta final da Primera B contra a atual equipe de Kevin Harbottle, jogador que a imprensa insiste em colocar contra Sanhueza, sem motivo algum. Mas quem brilhou não foi Harbottle e sim Christopher Ojeda, que marcou os dois gols da vitória dos mandantes, sendo o segundo deles originado de uma falha incrível de Alarcón (6.7). O gol do Vial foi marcado por Soto (7.3), aos 37'. 

DERROTA.png (F) 1 a 5 Unión San Felipe (22ª rodada) vergols.png

A expulsão de Matías Fernández, aos 4', transformou o embate contra o Unión San Felipe num verdadeiro show de horrores. Sofremos uma goleada pesada, com Gonzalo Villegas "fazendo a festa" ao marcar quatro gols. Pacheco (8.6) fez o gol de honra dos aurinegros, aos 34'. Um golaço, diga-se de passagem, que viria a ser considerado o Gol do Ano.

VITORIA.png (C) 5 a 3 Huachipato (23ª rodada)

Nada como um jogo em casa para o "El Vial". Depois de dois resultados ruins, conseguimos respirar um pouco com a boa vitória diante do Huachipato, com gols de Sepúlveda (9.0), Campos (9.0), Pacheco (9.0) e Fernández (8.0). Por outro lado, os três gols sofridos mostravam que os problemas da equipe ainda não haviam sido contornados. 

DERROTA.png (F) 0 a 2 Deportes Temuco (24ª rodada)

Contra o lanterninha, conseguimos nos complicar e perder. Um resultado impressionante pelo que foi a partida, e muito difícil de aceitar. 

DERROTA.png (F) 0 a 1 Santiago Wanderers (25ª rodada)

Mais uma partida desastrosa para o Fernández Vial. Cedemos um pênalti aos 20' e fomos obrigados a correr atrás do resultado. Tentamos e insistimos de todas as formas, mas não conseguimos sequer um empate, apesar do pleno domínio.

VITORIA.png (C) 3 a 1 Deportes Magallanes (26ª rodada)

Aqui iniciamos nossa retomada na Primera B, como sempre, dentro de casa. Fernández (8.9) esteve inspirado ao marcar um gol e dar uma bela assistência. Os outros dois gols foram marcados por Soto (8.8), que conseguiu suprir bem a ausência do lesionado Huentelaf.

VITORIA.png (C) 3 a 0 Cobreloa (27ª rodada)

Uma atuação digna da "La Máquina Aurinegra" em seus melhores momentos na temporada. Resolvemos o jogo com apenas 25 minutos, com gols de Campos (9.0), Pardo (8.4) e Sepúlveda (7.7), que ainda perdeu um pênalti aos 69'. Resultado importantíssimo contra um adversário direto, o que nos colocou de volta à segunda colocação. 

EMPATE.png (F) 2 a 2 Deportes Melipilla (28ª rodada)

Nada como um jogo fora de casa para coisas estranhas voltarem a acontecer. Os mandantes tiveram um jogador expulso aos 19', em lance que originou um pênalti a nosso favor. Fernández (6.3) foi para a cobrança e perdeu. Mas ainda assim conseguimos largar na frente com o gol de Pardo (7.1) aos 30'. 

Tudo muito tranquilo até cedermos um pênalti aos 81', convertido por Nelson Sepúlveda. Aos 85', o experiente Figueroa (8.2) nos colocou novamente em vantagem. Um alívio, porém, momentâneo. No último lance da partida, aos 94', o árbitro marcou uma falta na entrada da área para o Deportes Melipilla. Estava na cara... Gol de Guajardo!

VITORIA.png (C) 3 a 1 San Luis Quillota (29ª rodada)

Recebemos o San Luis Quillota precisando de uma vitória para escapar do rebaixamento, o tornou o jogo bastante brigado e cheio de cartões. Conseguimos definir o jogo apenas na segunda etapa, com gols de Soto (7.7), Biskupovic (7.7) e Campos (8.2)

VITORIA.png (F) 2 a 0 Curicó Unido (20ª rodada)

Partida fora de casa e contra o já campeão Curicó Unido. Tinha tudo pra dar errado! Precisávamos de um empate para não correr o risco de perder a vice-liderança para Cobreloa. Minha saída foi recorrer ao velho 4-1-2-3, como forma de surpreender o adversário e deu muito certo. Vencemos a partida com gols de Biskupovic (8.3) e Figueroa (8.0).

class-final.png

Com uma margem de cinco pontos na liderança, o Curicó Unido garantiu o título da Primera B e o acesso direto para Primera División 2021, enquanto Fernández Vial, Cobreloa, Unión San Felipe, Deportes Santa Cruz e Deportes Melipilla disputariam a segunda vaga através dos playoffs.

class-01.png
class-02.png

Na parte inferior da tabela, tivemos a queda do Deportes Temuco para a Segunda División, que dará lugar para o maior rival do Almirante, o surpreendente Deportes Concepción, que alcançou a sua segunda promoção consecutiva.

playoff.png

Em razão de termos conseguido encerrar a fase regulamentar na vice-liderança, o Fernández Vial chegou ao Playoff de Acesso com a enorme vantagem de decidir a segunda vaga para a Primera División como "cabeça de chave". No mata-mata, o Deportes Melipilla levou a melhor diante do tradicional Cobreloa e do Deportes Santa Cruz, chegando com moral à grande decisão.

playoffs.png

playoffs.png

E assim, as equipes seguiram para o jogo de ida sem qualquer desfalque. Pelo lado do Vial, Sanhueza pôde contar com o retorno de Huentelaf (9.1), após o atacante ter desfalcado o time por quase um turno inteiro. E ele acabou por ser o grande nome da partida, com um gol e uma assistência. Fernández (9.0) e Sepúlveda (8.3) marcaram os outros gols da vitória, VITORIA.png 3 a 0vergols.png

Com uma mão no acesso, o Vial manteve seu esquema principal para a partida de volta e venceu novamente com muita facilidade. Uma sonora goleada com gols de Biskupovic (9.2), Pacheco (9.0), Sepúlveda (8.3), Alarcón (8.2) e Valle (8.4), sendo quatro deles originados em jogadas de falta, VITORIA.png 6 a 2vergols.png

ACESSO.png

O FERNÁNDEZ VIAL ESTÁ DE VOLTA À PRIMERA DIVISIÓN, após quase três décadas desde seu último rebaixamento! O feito de Arturo Sanhueza junto ao Almirante, rendeu-lhe o prêmio de Técnico do Ano da Primera División B. Um marco importante para uma carreira que está apenas começando.

copachile.png

quartas.png

Ainda embalados pelos resultados do último terço da temporada, recebemos o Unión La Calera para a partida de ida e vencemos sem qualquer dificuldade. Sepúlveda (9.2) esteve em grande noite ao marcar dois gols. No segundo deles, o atacante driblou um zagueiro e o goleiro, antes de balançar as redes. Bechtholdt (8.9), de cabeça, e Campos (8.8), aproveitando um contra-ataque, completaram a goleada, VITORIA.png 4 a 0.

quartas.png

Fomos surpreendidos no jogo de volta e chegamos a estar com dois gols de desvantagem no placar. No entanto, com a expulsão de Navarrete aos 68', nossa missão foi facilitada e conseguimos empatar com gols de Alarcón (8.3) e Figueroa (8.1), EMPATE.png 2 a 2

semifinal.png

Chegamos ao fim da linha na Copa Chile justamente contra o adversário mais improvável. Após superar equipes como Colo-Colo e O'Higgins, acabamos sendo eliminados pelo Cobresal, que logo viria a ser rebaixado da Primera División.

semifinal.png

Na partida de ida, cedemos uma virada após termos inaugurado o placar aos 20', com Fernández cobrando pênalti, DERROTA.png 1 a 3. Batalhamos para reverter a situação no jogo de volta, mas a retranca do Cobresal funcionou. Alarcón (7.5) fez o gol da vitória, que infelizmente foi insuficiente, VITORIA.png 1 a 0.

dobradinha.png

Na grande final, como já era de se esperar, a Universidad de Chile não encontrou dificuldades para superar o Cobresal e garantiu mais um título. A "La U" que também conquistou o título da Primera División, com 12 pontos de folga para o Colo-Colo, garantindo assim a famosa "dobradinha".

laucampea.png

DESEMPENHO.png

MAQUINAAURINEGRA.png

Repetindo o feito da última temporada, o meia Luis Pacheco (7.48) voltou a se destacar com a camisa aurinegra e foi o principal jogador do Fernández Vial em 2020. Com 38 partidas no ano, Pacheco é um dos três jogadores do elenco com mais partidas como titular, ainda esbanjando a melhor classificação média do plantel. O meia também foi considerado o Jogador do Ano pela Primera División B.

Seus parceiros Gerson Valle (7.53) e William Alarcón (7.21) também foram muito bem. Valle surpreendeu ao retomar sua posição de titular, outrora ocupada por Césped, e possui média superior a de Pacheco, embora tenha atuado menos vezes. Já Alarcón fez gols importantes na reta final da temporada e foi considerado a Revelação do Ano pela Primera División B.

elenco-01.png
elenco-02.png

No ataque, a dupla formada por José Huentelaf (7.34) e Carlos Sepúlveda (7.25) deu o que falar. Embora nenhum dos dois tenha emplacado na estatísticas do campeonato, enquanto juntos, foram responsáveis por 22 gols do "El Vial" na temporada. Para mim, Sepúlveda alcança o status de ídolo ao ser o artilheiro do Fernández Vial pela segunda temporada consecutiva. 

Nas pontas, Pedro Campos (7.07) e Matias Fernández (7.29) foram o motor da "La Máquina Aurinegra" com suas jogadas repletas de habilidade e velocidade pelos lados do campo, ao melhor estilo "quebra-linhas". A dupla foi responsável por outros 16 gols do Almirante na temporada. Fernández foi o único jogador a entrar na Seleção do Campeonato da Primera B, o que me causa estranheza.

Também não podemos deixar de destacar o veterano Luis Pedro Figueroa que foi o 12ª jogador desse vitorioso grupo. Sua decadente condição física o impediu de ser titular, mas não de alcançar números importantíssimos na temporada (10 gols e 8 assistências). E, assim, Figueroa encerra sua carreira no Fernández Vial, aos 37 anos, com muita dignidade.

financas.png

TORCIDA.png

A atual temporada teve uma grande importância para o Fernández Vial, também fora de campo. Em 2020, o clube teve um grande ganho com receitas televisivas e de bilheteria, saindo de uma realidade pessimista para uma expectativa de futuro muito boa, desde que não haja extravagâncias financeiras.

De premiações, foram pagos ao elenco o total de $201m pelas campanhas feitas na Primera B e na Copa Chile, e, ainda assim, encerramos o ano no azul. O valor de "prejuízo no mês" constante na imagem diz respeito ao mês de dezembro, onde não tivemos partidas por disputar.

financas.gif

Os valores destinados para a próxima temporada falam por si. A folha salarial praticamente triplicou e o orçamento para transferências, antes quase inexistente, atingiu a quantia de $252m. Penso que essa condição possibilitará a formação de um elenco qualificado o suficiente para se manter na elite do futebol chileno por um bom tempo, mesmo após uma possível saída de Arturo Sanhueza.

linha.png
pointer_go_next-16.png PRÓXIMA ATUALIZAÇÃO: O destino de Arturo Sanhueza.
linha.png

Link to comment
Share on other sites

Parabéns pela subida de divisão. Vamos ver qual será o destino do treinador.

PS: Na Copa do Chile o Cobresal colocou sal no chopp do Fernández Vial.

*** Essa foi péssima. 🤣🤣🤣

Link to comment
Share on other sites

Parabens pelo acesso inesperado. o clube vem de dois acessos consecutivos, será que consegue se consolidar como uma "Chapecoense Chilena" nas primeiras temporadas?

Boa sorte no futuro! Bora desbancar a a La U

Link to comment
Share on other sites

Excelente! Apesar da queda de rendimento ali no final da fase de classificação, aproveitou bem o período enquanto os demais se matavam nas eliminatórias e atropelou o Melipilla. Sobe com honras. Na Copa, a queda era esperada, ficou até demais ao passar pelo La Calera.

Curioso para ver o destino de Sanhueza.

Link to comment
Share on other sites

Mesmo com todos os deslizes ainda acabaram bem pertinho do acesso direto.

E eu que fiquei com pena do Vial tendo que passar por um duríssimo e longo playoff. E ficaram de bye. E não suaram uma gota para subir! Rs. Mas foi bem merecido.

Na copa fica a estranheza de ser eliminado justo pelo time rebaixado, mas fizeram uma ótima campanha.

E Sanhueza não recebeu mas nenhuma proposta nesse interim?

Link to comment
Share on other sites

Em 02/04/2020 em 21:02, LC disse:

Parabéns pela subida de divisão. Vamos ver qual será o destino do treinador.

PS: Na Copa do Chile o Cobresal colocou sal no chopp do Fernández Vial.

*** Essa foi péssima. 🤣🤣🤣

🤣🤣

Valeu, LC! Estarei postando logo mais!

Em 03/04/2020 em 01:35, Valismaalane disse:

Parabens pelo acesso inesperado. o clube vem de dois acessos consecutivos, será que consegue se consolidar como uma "Chapecoense Chilena" nas primeiras temporadas?

Boa sorte no futuro! Bora desbancar a a La U

De momento, não seguirei esse caminho. Como a proposta do save é de "carreira", farei com que Sanhueza rode um pouco por outras ligas, fora do Chile, o que não tira a nossa curiosidade de saber até onde poderíamos chegar com o Fernández Vial num save "clubista". Seria bem bacana! Quem sabe no futuro!

Valeu, Valismaalane!

21 horas atrás, Bruno Trink disse:

Excelente! Apesar da queda de rendimento ali no final da fase de classificação, aproveitou bem o período enquanto os demais se matavam nas eliminatórias e atropelou o Melipilla. Sobe com honras. Na Copa, a queda era esperada, ficou até demais ao passar pelo La Calera.

Curioso para ver o destino de Sanhueza.

Eu tinha acabado de responder o teu último comentário, falando exatamente de que uma hora o FM iria encontrar uma forma de desmantelar aquele esquema tático, quando a coisa começou a degringolar. Mas segui na base da insistência, fazendo apenas ajustes dentro das próprias partidas. Felizmente, conseguimos retomar os trilhos a tempo de garantir o acesso.

O destino de Sanhueza já foi acertado. Fiquei animado com a possibilidade que se abriu. Postarei logo mais.

Valeu, Trink!

18 horas atrás, Andreh68 disse:

Mesmo com todos os deslizes ainda acabaram bem pertinho do acesso direto.

E eu que fiquei com pena do Vial tendo que passar por um duríssimo e longo playoff. E ficaram de bye. E não suaram uma gota para subir! Rs. Mas foi bem merecido.

Na copa fica a estranheza de ser eliminado justo pelo time rebaixado, mas fizeram uma ótima campanha.

E Sanhueza não recebeu mas nenhuma proposta nesse interim?

Eu fiquei preocupado porque geralmente vínhamos muito bem jogando em casa e sendo um desastre fora. Mas acabou sendo muito mais tranquilo do que eu poderia imaginar. Acho que nunca passei de um playoff dessa forma.

Sanhueza recebeu várias propostas, só não incluí na última atualização porque ela já havia ficado muito extensa. Acabei optando por fazer uma postagem só, já com a definição de tudo. 

Valeu, André!

Link to comment
Share on other sites

elgrafico.png
linha.pngsanhueza.png

sanhueza.png

O técnico Arturo Sanhueza convocou coletiva de imprensa, na manhã desta segunda-feira, para anunciar sua saída do Fernández Vial. O treinador agradeceu à torcida e levantou a possibilidade de um retorno no futuro. "Serei sempre grato por tudo que esse clube me proporcionou, seja enquanto jogador ou, agora, como técnico. Saio com o sentimento de dever cumprido, mas não darei as costas. Quando se trata de Sanhueza e Fernández Vial, sempre é um até logo", disse o técnico.

Sob o comando do "Almirante", Arturo Sanhhueza conquistou dois acessos consecutivos, incluindo o título da Segunda División de Chile em 2019. Veja abaixo as principais estatísticas do trabalho do chileno no Fernández Vial:

fernandez-vial.png

Com várias propostas à mesa, Sanhueza afirma que seu destino será o futebol do exterior. "Enquanto jogador, eu sempre atuei no futebol chileno. Tenho orgulho da minha carreira e dos clubes por onde passei, mas sinto que faltou uma experiência no exterior. Como técnico, finalmente poderei realizar esse sonho. Temos propostas de todos os cantos do continente, o que é impressionante", concluiu.

Sanhueza participou recentemente de uma entrevista junto ao Sport Boys (Peru), mas também possui propostas de clubes de expressão continental como Nacional (Uruguai) e Athletico Paranaense (Brasil), além de equipes menores como La Equidad (Colômbia) e Cusco (Equador).

thin-1584-signature-sign-16.png Redacción: Aton Chile (El Gráfico)

destino.gif

libero.png
linha.pngNOTIZIE-LIBERO.png

Sem-T-tulo-1.png

Após duas temporadas de grande sucesso sob o comando do modesto Fernández Vial, do Chile, Arturo Sanhueza chega ao Sport Boys para assumir um projeto complicado de reformulação de seu elenco profissional, em meio a grave crise financeira que assola o clube. Sanhueza recebe um elenco desmotivado e envelhecido, onde vários de seus principais destaques são veteranos em fim de carreira ou não pertencem ao clube.

Em 2020, "Los Rosados" tiveram um bom início de temporada ao encerrar o Apertura na 6ª colocação. No entanto, a equipe sucumbiu durante o Clausura e terminou sua campanha na 15ª colocação, muito abaixo das expectativas da diretoria e torcida, o que culminou na saída do experiente técnico Chemo Del Solar. 

Com perfil motivador e acostumado a trabalhar com poucos recursos financeiros, Sanhueza parece ser uma aposta à altura da realidade do Sport Boys. Por outro lado, o técnico chileno precisará ser criativo para aprontar seu time a tempo de participar dos amistosos de pré-temporada para a Liga 1.

thin-1584-signature-sign-16.png Redacción: Diario Líbero

libero2.png
linha.pngNOTIZIE-LIBERO.png

Com várias baixas em relação à última temporada, o Sport Boys tenta se reformular sob o comando de Arturo Sanhueza. Entre as dispensas, o novo técnico incluiu seis veteranos, todos em final de contrato: Luis Ramírez (36 anos), Paolo De La Haza (37 anos), Jean Carlos Tragodara (35 anos), Jesús Chavez (34 anos), Adán Balbín (34 anos) e Luis Cáceres (32 anos). Destes, apenas Cáceres não anunciou sua aposentadoria.

Entre as perdas mais importantes, o argentino Ignacio Huguenet, artilheiro da equipe com 13 gols, ficou sem clube após o término de seu contrato com o Newell's Old Boys, que vinha lhe cedendo por empréstimo. O clube tentou contratá-lo em definitivo, mas a pedida salarial do argentino foi muito alta. O mesmo ocorre com Claudio Villagra, que retornará ao Banfield.

Para compensar algumas dessas baixas, Sanhueza tem recorrido às categorias de base, enquanto a janela de transferências não se inicia. Até aqui, o chileno promoveu três garotos à equipe principal, com destaque para o meia-atacante Victor Cabanillas. Os outros dois são os pontas Alvaro Rojas e Anthony Andía

cabanillas.png

Hoje, contando com apenas 15 atletas no grupo principal, Sanhueza declarou que pretende fechar o elenco com 23 jogadores. Para isto, o chileno precisará ser bastante ativo na próxima janela de transferências. As prioridades são a lateral-direita, setor de marcação e ponta-esquerda. Caso algum atacante seja vendido, é possível que um reforço à altura de Huguenet seja contratado.

thin-1584-signature-sign-16.png Redacción: Diario Líbero

linha.png
pointer_go_next-16.png PRÓXIMA ATUALIZAÇÃO: Mais informações sobre o Sport Boys.
linha.png

Link to comment
Share on other sites

Seria Sanhueza um pupilo de Jorge Sampaoli? Linha de três, Chile, agora também no Sport Boys, hehehe. Vai ser um bom desafio, espero que tendo dificuldades contra o Sporting Cristal e o Alianza Lima, mas o próprio título do Binacional na vida real demonstra que surpresas acontecem no Peru. Boa sorte. 

Você usa o FaceGen para criar as faces dos newgens? Se sim, como coloco o cabelo neles? Se não, qual software usas? A SI consegue piorar os newgens a cada versão e queria customizar os meus próprios, como os seus, mas na Internet não encontrei nada concreto.

Link to comment
Share on other sites

Fez uma boa reformulação ao dispensar alguns jogadores experientes, mas vai ter que contratar mais jogadores pára poder fechar o elenco em 23 jogadores;

Pergunta: Vai atrás de algum jogador do Fernández Vial?

Link to comment
Share on other sites

Bem interessante a mudança. Acho que nunca vi alguém se aventurar pelo Peru aqui na área. Boa sorte com o Sport Boys

Link to comment
Share on other sites

5 horas atrás, brlgon disse:

Seria Sanhueza um pupilo de Jorge Sampaoli? Linha de três, Chile, agora também no Sport Boys, hehehe. Vai ser um bom desafio, espero que tendo dificuldades contra o Sporting Cristal e o Alianza Lima, mas o próprio título do Binacional na vida real demonstra que surpresas acontecem no Peru. Boa sorte. 

Você usa o FaceGen para criar as faces dos newgens? Se sim, como coloco o cabelo neles? Se não, qual software usas? A SI consegue piorar os newgens a cada versão e queria customizar os meus próprios, como os seus, mas na Internet não encontrei nada concreto.

Muito bem notado! Enquanto pesquisava as coisas do Sport Boys, cheguei a essa mesma conclusão. Admito que nem sabia da passagem dele pelos "rosados". Hahaha! Só faltou o Sanhueza ser argentino para completar!

Cara, em relação às faces dos newgens, você deve ter percebido que tenho optado por isso há alguns anos. Desde o FM 2016, para ser mais preciso, com o save do Wanchope. O FM tem falhado feio nesse quesito. Para quem gosta de gráficos como nós dois, isso incomoda bastante.

Passando para a parte prática, o programa mais indicado, por ser simples, rápido e leve, é o FaceGen mesmo! Mas também recomendo o CrazyTalk v8 Pipeline. O vantagem do FaceGen é que você consegue chegar a um resultado bacana mais rápido, pois ele tem um "random" que ainda é configurável por gênero, raça, e outras coisas. No CrazyTalk não tem o "random" (até onde eu sei), logo, você precisa enviar uma imagem para conseguir criar as faces, função que existe no FaceGen e no próprio FM (que é terrível).

A parte do cabelo e uniforme, eu incluo pelo Photoshop. Procure pelo "Regens Hair Pack" do FM17. É de onde tiro os cabelos. 

Valeu! Espero ter ajudado!

5 horas atrás, LC disse:

Fez uma boa reformulação ao dispensar alguns jogadores experientes, mas vai ter que contratar mais jogadores pára poder fechar o elenco em 23 jogadores;

Pergunta: Vai atrás de algum jogador do Fernández Vial?

Muito curiosa a situação desse elenco do Sport Boys. Cinco jogadores considerados titulares se aposentando ao mesmo tempo? Foi isso que me chamou atenção para escolher o clube como destino de Sanhueza. Acredito que esse time, sem um treinador humano, seria rebaixado em no máximo duas temporadas.

Do Fernández Vial, eu gostaria de trazer o Pacheco, Sepúlveda ou Matías Fernández, mas não penso que será possível. Eu havia renovado os contratos dos principais jogadores daquele time para evitar um desmanche com o próximo técnico. Mas ficarei de olho! 

Valeu, LC!

5 horas atrás, Khroiskantis disse:

Bem interessante a mudança. Acho que nunca vi alguém se aventurar pelo Peru aqui na área. Boa sorte com o Sport Boys

Que bacana tê-lo por aqui! Seja muito bem vindo!

É verdade, também não me recordo de ter visto algum save com passagem pelo futebol peruano. 

Valeu!

Link to comment
Share on other sites

SPORT-BOYS-BANNER.pngSPORT-BOYS-BARRA-CLUBE.png

SOBREOCLUBE.png

01.png

O Club Sport Boys Association é uma equipe de futebol sediada na Provincia Constitucional del Callao, no Peru. O clube foi fundado em 28 de julho de 1927 por um grupo de alunos do "Colegio Maristas del Callao", com idades que variavam entre 11 e 15 anos. Seu nome foi escolhido por unanimidade entre os garotos e teve como inspiração o clube de natação que frequentavam, o "Old Boys".

Em razão da cor de seus uniformes, a equipe logo ficaria conhecida como "Los Rosados", mas também ganhou o apelido de "Porteños" por ter nascido no primeiro porto do Peru. Muitos anos depois, essa relação entre porto, mar, futebol e gols lhe daria outro apelido: "La Misilera" (o Míssil). O clube também possui outros dois apelidos, cujas origens serão explicadas abaixo.

origens.png

02.png

Com seis títulos da Primera División, o Sport Boys é considerado o quarto maior time do futebol peruano, embora ainda esteja num patamar bem inferior aos rivais Universitario (26 títulos), Alianza Lima (23 títulos) e Sporting Cristal (19 títulos).

Seus primeiros títulos foram conquistados em 1935 e 1937, ambos de forma invicta, numa época em que a equipe passou a ser chamada de "La Academia Porteña", em razão do elegante futebol que praticava. O terceiro título veio apenas em 1942, após uma acirrada disputa com o Deportivo Municipal, que foi superado pelo "Boys" por apenas um ponto.

t.png

Em 1951, o futebol finalmente foi profissionalizado no Peru e seu primeiro campeão foi o Sport Boys, numa campanha em que seu ataque marcou 63 gols em 18 partidas. O quinto título veio em 1958, sob o comando de Marcos Calderón e contra o Atlético Chalaco, o maior rival histórico do Sport Boys, contra quem protagoniza "El Clásico Porteño". 

Após 26 anos sem títulos, em 1984, o Sport Boys finalmente voltou a conquistar a Primera División, graças ao retorno do técnico Marcos Calderón, que aceitou comandar a equipe mesmo sem grandes recursos à disposição. Infelizmente, Calderón veio a falecer em 1987, vítima de um acidente aéreo. Além dos títulos como treinador (1958 e 1984), Calderón também foi campeão como jogador do Sport Boys, em 1951.

03.png

O sucesso dos rosados em 1935 causou uma verdadeira comoção no público em geral e fez com que a seleção peruana convocasse onze de seus jogadores para as disputas dos Jogos Olímpicos de Berlim, no ano seguinte. Por este motivo, o Sport Boys ficaria também conhecido como "Los Olímpicos de Berlín".

Os peruanos venceram a Finlândia por um placar volumoso (7 a 3) e tiveram que enfrentar a Áustria, país natal de Adolf Hitler, nas quartas de final. Depois de estarem perdendo por 2 a 0, os peruanos empataram heroicamente a partida no segundo tempo e derrotaram os austríacos por 4 a 2 na prorrogação. Um grande feito, porém, com um triste desfecho.

berlin.png

No dia seguinte, a FIFA determinou que a partida deveria ser disputada novamente, fazendo com o que o presidente da delegação, Claudio Martínez, consultasse as autoridades peruanas e o presidente da República, Óscar R. Benavides, para que ordenasse a retirada da equipe, em protesto. E assim terminou a primeira participação do Peru nas olimpíadas.

Porém, há controvérsias em relação a esta decisão. Há versões que indicam que a FIFA teria exigido a presença de um líder peruano para rejeitar o protesto dos austríacos, que era infundado, mas ninguém teria se apresentado a tempo de contornar a situação. Alguns peruanos acusam a própria delegação de incompetência, embora a maioria defenda que realmente houve uma grande injustiça.

decadencia.png

O ano de 1987 não foi nada bom para o Sport Boys. Além da notícia da trágica morte do ídolo Marcos Calderón, ex-jogador e técnico, a equipe acabou rebaixada pela primeira vez em sua história. Com dificuldades, os rosados precisaram de duas temporadas para retornar à elite do futebol peruano.

Em 2008, a equipe iniciou o campeonato com perda de pontos em função de pendências financeiras com um antigo treinador. Além disso, o clube acumulava dívidas com a Receita Federal e instituições ligadas ao esporte, como o IPD (Instituto Peruano del Deporte). Diante disso, seus associados impuseram a saída do presidente Luis Mattos e criaram um Conselho de Transição que, em pouco tempo, foi dissolvido. O 3ª vice-presidente do clube, César Velásquez, assumiu o comando e o resultado de tudo isso foi mais um rebaixamento. 

rebaixamento.png

No ano seguinte, o Sport Boys conquistou o título da Segunda División e retornou à elite peruana, mas o racha interno permanecia. Em 2012, o clube caiu pela terceira vez e, dessa vez, precisou de cinco temporadas para retornar à Primera División.

Em 2019, a equipe quase foi rebaixada novamente, escapando da degola na última rodada, após ter passado a temporada inteira na zona de rebaixamento. Atualmente, o Sport Boys luta para se restabelecer e retomar o caminho das conquistas.

05.png

Para seu retorno à Primera División, em 1990, o Sport Boys investiu nas contratações de dois brasileiros: o lendário atacante Cláudio Adão, que estava no Corinthians, e o meia Marquinho, ex-Internacional. 

Cláudio Adão acabou por ser o grande destaque daquela temporada, com 31 gols marcados, igualando a marca de Valeriano López em 1951. Os gols de Adão ajudaram a equipe nas campanhas que levaram o Sport Boys a conquistar o título do Torneo Regional e o vice do Campeonato Descentralizado. No ano seguinte, Cláudio Adão retornou ao Brasil após acerto com o Bahia. 

adao.png

Em 1997, após ter pendurado as chuteiras no Volta Redonda, Cláudio Adão retornou ao Sport Boys na função de treinador e trouxe consigo cinco jogadores brasileiros de nível questionável: Marcelinho, Roggeiro, Bermudes, Morelato e Ado. A campanha de Adão foi medíocre para as ambições dos "rosados" (6 vitórias, 6 empates e 7 derrotas) e o técnico foi demitido durante as disputas do Clausura.

04.png

Após um longo período trabalhando em equipes nas ligas regionais do interior argentino, o técnico Jorge Sampaoli teve sua primeira oportunidade em uma "liga de topo" ao ser contratado pelo Juan Aurich, do Peru, em 2002. Já em meados daquele ano, transferiu-se para o Sport Boys, e lá escreveu um capítulo curioso de sua trajetória.

Sampaoli recebeu uma equipe já formada, onde conseguiu aplicar sua filosofia e fazer uma boa campanha. Todavia, uma greve dos jogadores interrompeu aquele campeonato. A sete rodadas do fim, motivados por dívidas, os futebolistas se negaram a atuar. A FPF ignorou os protestos e tentou dar sequência à competição com as equipes sub-20, o que obviamente não deu certo. 

sampaoli.png

Dessa forma, o campeonato foi encerrado na 15ª rodada, sem rebaixamentos e com o Alianza Lima campeão. O problema é que ainda restava definir a terceira vaga para a Libertadores. Considerando a situação da tabela na 15ª rodada, a vaga seria do Coronel Bolognesi, que tinha 60 pontos contra 58 do Sport Boys. Os "Rosados", por sua vez, exigiam a contagem dos resultados obtidos naquelas rodadas com o time sub-20, que os deixariam à frente de seus adversários com 64 pontos.

Em meio a confusão, a FPF anunciou que a vaga seria definida através de um quadrangular e o Sport Boys prontamente se recusou a participar da disputa. No fim das contas, quem levou a vaga foi o Cienciano, ao passo que Sampaoli deixou o cargo para assumir o Coronel Bolognesi na temporada seguinte.

continental.png

O Sport Boys possui sete participações em competições continentais, sendo seis pela Libertadores da América e uma pela extinta Copa Conmebol.

No entanto, "Los Rosados" nunca passaram da primeira fase da Libertadores, onde sua primeira aparição ocorreu em 1967. Nas edições de 1977 e 1985, o Sport Boys foi o saco de pancadas dos grupos em que esteve. Não venceu uma partida sequer e amargou a lanterna em ambas as situações. 

libertadores.png

A primeira e única vitória do time na Libertadores, desde sua primeira participação em 1967, ocorreu apenas em 1991, ainda contra uma equipe peruana, o Universitario. As últimas aparições do clube na competição ocorreram em 1992 e 2001, quando os "porteños" foram facilmente superados por Atlético Nacional (6 a 0), Palmeiras (4 a 1) e Cerro Porteño (4 a 0), entre outros.

Por fim, temos a participação do Sport Boys na última e conturbada edição da Copa Conmebol, em 1999. Naquele ano, várias equipes recusaram participar da competição, algumas por motivos financeiros e outras por falta de interesse. O Sport Boys venceu o Deportivo Cuenca (Equador) nas Oitavas-de-Final e foi eliminado na fase seguinte pelo São Raimundo, sendo goleado pela equipe amazonense por 4 a 0, no jogo de volta.

linha.png
pointer_go_next-16.png PRÓXIMA ATUALIZAÇÃO: Mercado de transferências, competições e expectativas da temporada.
linha.png

Link to comment
Share on other sites

  • Vice-President

Fico feliz que tenha saído em alto nível, deixando a equipe na primeira divisão e com uma performance louvável na Copa do Chile. Dessa forma, como esperado, apareceu uma oferta ao final do seu contrato que te agradou, o que é importante.

Link to comment
Share on other sites

Achei que ia rolar uma despedida jogando a A do chilenão, mas tudo bem. Pelo menos saiu em alta e com um trabalho surpreendente no Vial. Ficou um gostinho de: "Tomara que volte em algum momento do save, tipo o Tite". 

Quanto aos rosados, surpreendente. Não esperava que fosse pro Peru, e ainda mais para um time que não figura os grandes, como o Allianza. Em tempo, que escudo feio paskopoakspokpokpoaskpoask. 

Interessante a história do clube, e não lembrava da passagem do Sampaoli por lá. Boa sorte e que venha a primeira participação na libertadores!

Link to comment
Share on other sites

A saída do Vial fez muito sentido com a história, um pouco aleatorio foi o convite do Athletico né? A direção do fila não dez mais nenhuma tentativa?

Cara acho essas camisas rosas, como o carro de F1 horríveis...

Adão é deus!!!

Link to comment
Share on other sites

Fiquei triste por ter ido embora do Vial após chegar a primeirona, queria ver como a equipe se sairia contigo lá, mas sei que faz sentido pra proposta do save (e até para a vida real). Sendo assim, escolheu um time bem bacana pelo qual tenho bastante apreço. Vamos ver como vai se sair com os rosados. Boa sorte!

Link to comment
Share on other sites

Atrasadamente, parabéns pela promoção. Não conseguiu superar o Coricó, mas na decisão do play-off, do qual gostei do modelo, atropelou o Melipilla para não deixar dúvidas sobre o desempenho da equipe. Com as duas promoções seguidas, Sanhueza deu por finalizada no Almirante.

Gostei da escolha de para o Peru. O Sport Boys pela cor já é uma equipe interessante. Ainda não li a parte histórica que você escreveu, mas vou lê-la.

Sanhueza chegou com muita disposição, mas dispensar vários veteranos com passagens pela seleção peruana deve ter causado um reboliço. Vai ser legal ver a reconstrução da equipe.

Link to comment
Share on other sites

Em 05/04/2020 em 19:19, Henrique M. disse:

Fico feliz que tenha saído em alto nível, deixando a equipe na primeira divisão e com uma performance louvável na Copa do Chile. Dessa forma, como esperado, apareceu uma oferta ao final do seu contrato que te agradou, o que é importante.

Também fiquei satisfeito com todo esse desfecho. Sair do Fernández Vial, deixando o clube na primeira divisão, foi além do que eu esperava para esse início de save. A proposta do Sport Boys foi a cereja do bolo pra mim.

Valeu, Henrique!

Em 05/04/2020 em 20:05, Valismaalane disse:

Achei que ia rolar uma despedida jogando a A do chilenão, mas tudo bem. Pelo menos saiu em alta e com um trabalho surpreendente no Vial. Ficou um gostinho de: "Tomara que volte em algum momento do save, tipo o Tite". 

Quanto aos rosados, surpreendente. Não esperava que fosse pro Peru, e ainda mais para um time que não figura os grandes, como o Allianza. Em tempo, que escudo feio paskopoakspokpokpoaskpoask. 

Interessante a história do clube, e não lembrava da passagem do Sampaoli por lá. Boa sorte e que venha a primeira participação na libertadores!

Era tentador permanecer no Fernández Vial por pelo menos mais uma temporada, mas a proposta do save pedia por outra coisa. Também fiquei com essa sensação de querer saber como seria se tivéssemos continuado. Quem sabe no futuro.

Lembrando que a ideia do save é a de não assumir equipes como reputação continental, o que fará com que Sanhueza circule por equipes pequenas ou médias da América do Sul. O Alianza Lima e o Sporting Cristal, por exemplo, possuem reputação continental.

O futebol peruano merecia uma bela repaginação da maioria dos escudos KKKKKK O do Sport Boys é feio, mas tem piores. O do Binacional, por exemplo, é uma coisa tremenda.

Valeu, Valismaalane!

Em 05/04/2020 em 22:22, Andreh68 disse:

A saída do Vial fez muito sentido com a história, um pouco aleatorio foi o convite do Athletico né? A direção do fila não dez mais nenhuma tentativa?

Cara acho essas camisas rosas, como o carro de F1 horríveis...

Adão é deus!!!

Essa é a fase "sorvete de morango" desse save! Hahaha! Essas camisas rosas não são pra qualquer um mesmo, mas admito que já acostumei a minha "vista" com elas e até estou achando bonitas. 

O Fernández Vial fez sim uma proposta, porém, inferior a do Sport Boys. Aceitaram pagar $8.5m, enquanto os peruanos ofereceram $10.5m. Mas essa acabou não sendo a principal questão. Eu realmente quis sair para uma liga que fosse menor que a primeira divisão chilena, como uma forma de evitar que o Sanhueza acabasse chegando a um patamar que não fizesse mais sentido eu sair do Chile para uma equipe pequena ou média de outras ligas. Logo, eu basicamente tinha duas opções viáveis: Peru ou Equador. Como a proposta que veio do Equador foi de um clube que havia sido rebaixado (o Cusco), dei prioridade ao Sport Boys. 

Valeu, André!

Em 06/04/2020 em 01:13, marciof89 disse:

Fiquei triste por ter ido embora do Vial após chegar a primeirona, queria ver como a equipe se sairia contigo lá, mas sei que faz sentido pra proposta do save (e até para a vida real). Sendo assim, escolheu um time bem bacana pelo qual tenho bastante apreço. Vamos ver como vai se sair com os rosados. Boa sorte!

Eu também queria ver isso! Mas é como coloquei para o Valismaalane acima. A proposta do save é circular pelas ligas sul-americanas, assumindo equipes pequenas ou médias. Em resumo, aquelas regras que eu coloquei nos remetem a isso.

Se eu permanecesse no Fernández Vial, pelo andar da carruagem, era bem provável que o Sanhueza desse um salto muito grande dentro do save, fazendo com que tudo perdesse o sentido para a proposta aqui colocada. Fica aquele velho gosto de "quero mais", mas o save pedia que eu saísse para uma liga menor, porém, para um clube maior que o Fernández Vial.

Mas já que é pra mudar, que fosse para um clube simpático como o Sport Boys. Bacana que você também gosta dos rosados!

Valeu, Márcio!

Em 06/04/2020 em 09:49, ggpofm disse:

Atrasadamente, parabéns pela promoção. Não conseguiu superar o Coricó, mas na decisão do play-off, do qual gostei do modelo, atropelou o Melipilla para não deixar dúvidas sobre o desempenho da equipe. Com as duas promoções seguidas, Sanhueza deu por finalizada no Almirante.

Gostei da escolha de para o Peru. O Sport Boys pela cor já é uma equipe interessante. Ainda não li a parte histórica que você escreveu, mas vou lê-la.

Sanhueza chegou com muita disposição, mas dispensar vários veteranos com passagens pela seleção peruana deve ter causado um reboliço. Vai ser legal ver a reconstrução da equipe.

Fiquei satisfeito com a forma que Sanhueza pôde deixar o Fernández Vial. Percebo que muitas pessoas gostariam que ele tivesse permanecido e até compartilho um pouco desse sentimento. Mas acredito que a mudança para o Sport Boys foi providencial para o save, o que me agradou bastante.

Recomendo ler a parte histórica. Embora eu não tenha abordado tudo, dá pra ter uma noção do que o clube representa e dos conflitos que o impediram de ser maior do que é. 

O reboliço maior acabou nem sendo a saída dos veteranos e sim a limpeza forçada que impus ao elenco. 

Valeu, GG!

Link to comment
Share on other sites

  • marciof89 changed the title to Soy Loco Por Ti América
  • marciof89 featured this topic
  • Danut unfeatured this topic
  • marciof89 locked this topic
Guest
This topic is now closed to further replies.
 Share

  • Similar Content

    • Makengo
      By Makengo
      Boas.
      Novo save,nova história
      Neste save irei abordar a história de Helen Moon (entenderam, Lua,Moon...) , uma jovem treinadora que terá de enfrentar vários desafios e mostrar que o céu é o limite, até mesmo para o Newcastle, equipa da qual será treinadora e procurará retornar aos dias de glória, com Alan Shearer e Les Ferdinand (sim, ele é primo do Rio). O save do Dortmund ficará em pausa por enquanto, já que me entusiasmei um puco com o save e terei que recolher mais informação.
      O save terá a mesma métrica, mas como será mesmo pouco a pouco, em vez dos resumos de época que tinha na história do Dortumd, conseguirei fazer uma história melhor e mais detalhada.
      E tirando um pouco de inspiração do @Cadete213 com a sua nova história, irei colocar uma música como se fosse uma espécie de "trilha sonora", baseada na vibe da história (aviso: vai ser 90% hip hop- gosto  de um pouco de tudo mas sempre terei 2Pac,Lauryn Hill e Kanye West no meu top 3).
      Enfim,desejem-me sorte. Eu colocaria-vos "Go2DaMoon" de Playboi Carti com participação do Kanye mas quero vos poupar da decepção que foi aquele álbum.
      Então fiquem com "R.I.P" de Playboi Carti, apenas porque neste save não vou ser mansinho. Se e pra entrar é pra levar a bola e o pé junto.
      (PS: É apenas uma apresentação por tanto não achei necessário um banner)
    • PedroJr14
      By PedroJr14
      Eu já venho matutando há algum tempo uma nova história com um time do meu estado. Depois que o Altos conseguiu o acesso à Série C essa vontade aumentou mais ainda. A grande cereja do bolo foi o relatório sobre a última história que eu fiz aqui, onde o nosso querido @Peepedisse que ainda esperava uma história minha com começo, meio e fim. Desafio aceito!
      O CLUBE
      Muitos aqui sabem que o Altos subiu para a Série C de 2021, mas acredito que poucos sabem das dificuldades enfrentadas pelo clube durante o ano de 2020. A Associação Atlética de Altos fundada como equipe amadora em 2013, na cidade de Altos-PI, cerca de 40km de distância da capital Teresina, se profissionalizou em 2015 e logo obteve sucesso a nível estadual. A organização do clube impressionava e logo no seu primeiro ano profissional conquistou o título da Segunda Divisão do Piauí, garantindo assim o acesso para a Primeira Divisão no ano seguinte. Já no seu primeiro ano na elite, o Altos obteve a melhor campanha do campeonato e venceu a final sobre o River por 4x2 no agregado, porém perdeu o título no tribunal, por conta da escalação de um jogador irregular. Ainda em 2016 o altos obteve a melhor campanha da história da primeira fase da Série D, naquela época(5v-1e-0d), mas acabou eliminado pelo CSA, que conseguiria acessos consecutivos até a primeira divisão.
      O ESTÁDIO

      O Altos manda seus jogos no Estádio Municipal Felipe Raulino, o "FELIPÃO", que tem capacidade para cerca de 4 mil torcedores. Apesar de ficar muito próxima à capital Teresina, o Altos prefere mandar até os jogos grandes no seu estádio, mesmo às vezes sendo menos vantajoso financeiramente, só não joga lá quando é obrigado pela federação. O acanhado Felipe Raulino se transforma em Felipão, um verdadeiro caldeirão quando o time do Altos pisa lá dentro, que já fez o clube conseguir resultados improváveis.
      O MASCOTE

      Particularmente a coisa mais espetacular que eu acho nesse time é o mascote, que além de ser LINDO e SENSUAL, literalmente vive para o clube. E por conta dele eu criei o clássico dos mascotes entre Altos e Piauí Esporte Clube, que também tem um mascote espetacular, nada mais nada menos que um RATO MOLHADO, que se enxuga durante os jogos.
      O QUE ACONTECEU EM 2020?
      A nossa história começará no início de 2020, ignorando os acontecimentos desde ano, mas sem a maioria dos jogadores importantes contratados no ano, diria que sem os mais importantes. Nossas finanças estão zeradas, não temos dinheiro para contratações ou salários e contamos com apenas 18 jogadores no elenco, com posições muito carentes como a presença de apenas 1 goleiro, 1 lateral-direito e 3 zagueiros e 3 meias de ofício.
      Os desafios para um time como o Altos vão bem além das 4 linhas. O clube não tem estrutura, nem investimentos, não tem um banco de análise de dados, nem categorias de base. Vai ser um grande desafio comandar esse time nas próximas temporadas, ainda que eu já conheça alguns atalhos nas divisões inferiores e no Nordeste do Brasil.
      Ainda não posso adiantar qual será a meta para o fim da história, mas acredito que eu só vá parar depois de pelo menos um título de Campeonato Brasileiro, já que eu costumo dar sorte em Copas, então não vou colocar a Copa do Brasil como meta principal. O intervalo (ingame) entre os capítulos também ainda não foi determinado, mas pode ser de 3/3 meses, 4/4 ou 6/6. Devo fazer uma história baseada em tudo que rodeia o clube, passando pelo treinador, presidente e a relação do Altos com a política, o que não costuma dar certo no futebol.
      Estou aberto a dicas, críticas e tudo que possa me ajudar a melhorar como contador dessa história, espero contar com vocês.
      É possível ter uma temporada semelhante à que aconteceu na vida real em 2020-21? Como fazer um time tão limitado ser competitivo? Veremos nos próximos capítulos.
      Sala de troféus
      Capítulos
    • v_martins
      By v_martins
      The Asian Way Of Life -  Livro I
      Beijing, 23 de maio de 2019. Capítulo I, pt.I.

       

      - Essa história pode ser sobre qualquer coisa, meu rapaz... Pode ser sobre o que você quiser.

      - Inclusive sobre os seus delírios se quiseres falar mais deles. – Dizia Quevedo com o seu ar paternal, ao sairmos de uma casa de chá, próxima ao Yiheyuan.



      Esse era o primeiro dia de folga que tínhamos em muito tempo.

      Falo muito tempo, mas parece que foi ontem que cheguei à China, quase sem querer.



      Mas, espere aí: você nem sabe quem sou...

      Porém, antes preciso pegar um café, para assim narrar minha pequena (longa) história.
      (Ou seria odisseia... ?)

      Para todos os efeitos, chame-me de Vinní. E esse é o meu perfil, em modo formal, de acordo com a RFEF.

      Voltando, eu era apenas um auxiliar/analista de desempenho, adotado por um jogador histórico “barcelonista”, que era o Eusebio Sacristán.

      Também conhecido como esse cara aqui:



      Fora isso, tive uma carreira relativamente proveitosa no futebol.

      Eu fui um bom centroavante.  É verdade.

      Tirando as lesões nos dois joelhos e os dois anos sem jogar, eu até que fui bem.



      Marquei 117 gols em 198 jogos. Uma média incrível realmente.

      Exceto se você considerar que 104 desses 117 foram marcados em ligas poderosas como: a do Camboja, a das Maldivas e a do Turcomenistão.


      Mas, voltando:

      Encerrei a carreira, trabalhei em clubes pequenos, passei pelo Damm, de Barcelona, de lá fui ao sub-14 do Barcelona em 2012, até o momento em que conheci o Eusebio no refeitório do clube, conversamos e de lá...

      E bem, de lá o segui pra praticamente todo o lugar...

      Inclusive pra onde ele não veio.

       

      Continua...
       
    • Peepe
      By Peepe
      Apresentação
      Fala, pessoal, tudo bem? Não sei se posso bem me chamar de um contador experiente mas, após o sucesso do Hernandéz Fernandéz na busca para ser um milionário, resolvi voltar com um desafio que tem alguma relação com o que se passou por lá.
      Para quem não me conhece, sou Pedro Ribeiro, professor de história oficialmente e um antigo jogador de FM nas horas vagas, que busca aprender um pouco mais sobre esse cativante jogo. Uma das coisas que está na minha lista de aprendizado é a gestão individual de um clube: por ser muito apegado a saves carreiras, estilo preferido, eu nunca aprendi a ser um grande gestor que se preocupa e revoluciona cada etapa de sua equipe, sempre fiz o básico para funcionamento do time principal e aquilo era suficiente. Portanto, ao pensar o novo save eu tinha em mente que ele precisava ser de clube, faltava só decidir qual. Meu coração futeboleiro está na América do Sul e eu não tive entusiasmo para assumir clubes europeus nesse momento, então, logo me voltei ao continente e decidi escolher a Colômbia por 2 motivos: o primeiro é que o Nandéz não passou pelo país e eu senti falta de conhecer melhor uma liga que manteve-se grande durante todo meu save (arrisco dizer que era a 3ª ou a 4ª em disputa com o Paraguai), o segundo motivo é que o campeonato nacional se decide em mata-mata, o que impede o save de se tornar monótono caso eu monte um mega time, afinal, vou continuar tendo o frio na barriga na fase final do campeonato.
      Quando comecei a pesquisar, logo bati o olho no time, nas histórias que lhe permeiam e sabia que queria repetir o principal feito de sua história: ganhar uma Copa Libertadores! Ficou fácil, agora todos sabem, o time escolhido é o Once Caldas!

      O Once Caldas S.A é um clube de futebol colombiano localizado na cidade de Manizales, uma das cidades que compõem o eixo do café. O clube foi fundado em 1947 como Deportes Caldas, sendo campeão nacional em 1950, em uma primeira gloriosa fase da equipe.
      É a partir apenas de 1961 que a equipe adota o nome de Once Caldas, após fechamento do Deportes Caldas e fusão com o Deportivo Once. Engana-se quem pensa que foi a única troca de nome da equipe colombiana, o Once Caldas foi pioneiro na comercialização de naming rights e negociou o próprio nome: foi chamado de Cristal Caldas e Once Phillips, entre outras marcas, durante os anos 70 e 90, retornando ao Once Caldas de 1996 em diante.
      Curiosamente falando, a fase de retorno ao nome original marcou o grande período da história do clube: em 1997, sob o comando de Javier Álvarez, a equipe se fortalece e chega a um vice-campeonato nacional no ano seguinte. Continentalmente, o Once participa da Copa Conmebol em 1998 e debuta na Libertadores em 1999, quando demonstra a força do estádio Palogrande ao vencer o River Plate por 4-1 e o Deportivo Cali por 3-0 (nota importante: o Deportivo Cali acabou vice-campeão daquela Libertadores). A força da equipe em casa vai ficar marcada pois a primeira derrota em Manizales só vem a acontecer na Libertadores de 2011 contra o Universitario San Martin após mais de 20 jogos de invencibilidade.
      A grande fase da história da equipe fica marcada por dois títulos: o Apertura de 2003, conquistado no templo Palogrande em cima do Junior de Barranquilla, que garantiu vaga para a mística Libertadores de 2004.
      Verdadeiro motivo pela escolha do clube, é possível dizer de forma mais empolgada que talvez tenha sido a maior campanha da história da Libertadores. Pelo menos no século eu afirmo com alguma tranquilidade isto. O Once Caldas sai de um grupo relativamente tranquilo mas já elimina o Vélez Sarsfield, passa nos pênaltis contra o Barcelona de Guayaquil nas oitavas e aí começa a façanha: elimina o Santos, que viria a ser campeão brasileiro em 2004, passa pelo São Paulo, o campeão da Libertadores no ano seguinte, com um gol aos 45’ do segundo tempo, sobrevive a uma temível Bombonera e na grande final diante do Boca Jrs de Tevez, Bianchi e cia, atuais campeões da Libertadores na ocasião, o Once levanta o caneco após o empate em 1-1 no tempo regulamentar e um 2-0 nas penalidades. Quem diria que o Once Caldas faria o Boca Jrs tremer ao ponto de perder as 4 cobranças. Todos os jogos decisivos acontecem em Palogrande, que se consolida como uma verdadeira fortaleza. Para quem quiser conhecer mais detalhadamente a campanha, recomendo esse texto ou esse podcast, que já fala sobre a final do Intercontinental contra o Porto.
      A campanha do Once Caldas naquela Copa não tem grandes destaques individuais, o goleiro Henao talvez tenha sido o nome de maior impacto e ele será assunto mais a frente. O que fica bem marcado como tipicamente Once é o forte sistema defensivo, capaz de sofrer poucos gols mesmo fora de casa e que deu força ao completo azarão. 

      Após a conquista da Libertadores, o Once Caldas disputou o último Intercontinental da história no formato consagrado pelos anos 80-90 contra o Porto e por pouco, muito pouco, não carregou também a alcunha de campeão mundial. Após resistir mais uma vez, a partida termina num 0-0 que leva a disputa para os pênaltis. Após 4 cobranças para cada lado, o Once estava a 1 gol de ser campeão mas Jonatan Fabbro desperdiçou a cobrança, o Porto empatou e acabou vencendo por 8-7 a disputa.
      (Nota irrelevante: Jonatan Fabbro, o homem que perdeu esse pênalti, é ex-marido de Larissa Riquelme. Aos que ganharam idolatria por ela e sua relação com o Nandéz, vale a menção)
      Como todo time de sucesso na América, o Once foi desfeito rápido por mercados de maior dinheiro, viu seus destaques ruindo e seu treinador, dono da estratégia defensiva de sucesso, terminou tetraplégico dias após a derrota para o Porto. Com isso, a equipe não galgou maiores sucessos, sendo vice na Recopa para o Boca Jrs, campeão da Sula, e eliminado nas oitavas da Libertadores seguinte.
      O último suspiro de grandeza do Once se deu com o bicampeonato colombiano no Apertura 2009 e Finalizacion 2010, sendo o último dos 4 títulos nacionais que a equipe tem em sua sala de troféus. Desde então, o Once Caldas é um time que nunca caiu mas também que não disputa mais os títulos, na posição de médio do futebol colombiano.
      Será que agora voltará aos anos de glória? Ao menos, um velho conhecido promete mudar tudo!
       
      O Treinador

      De todos os nomes possíveis, talvez ninguém simbolize mais aquela conquista de 2004 que Juan Carlos Henao, goleiro que passou 18 anos de sua carreira defendendo as cores do Once Caldas. Nascido em 30/12/1971, Henao tinha 20 anos quando fez sua estreia pela equipe em 1992 e galgou espaço pouco a pouco até se tornar uma referência no clube em 2004. Na mágica campanha, Henao era o homem de segurança de uma defesa que raramente era vazada ou cedia espaço aos atacantes adversários, além disso, aquele título tem a cara de Henao: foi ele que parou a cobrança final xeneize e pôde partir para a galera como o herói (foto acima).
      Após o título, Henao foi mais um dos que acabou saindo do clube, contratado pelo Santos mas sem maiores sequências desde então, quando passou pelo Millonarios, Atletico Maracaibo e Real Cartagena. Em 2010 retornou ao Once Caldas onde ficou até 2016, encerrando sua carreira com 45 anos.
      (Nota importante: o ex-goleiro Henao é preparador de goleiros de um pequeno time colombiano. A fim de “apagá-lo” foi criada uma alcunha para ele, como se fosse outra pessoa)
       
      Objetivo Principal:
      - Ganhar novamente a Libertadores
      Confesso que poderia fazer uma intensa lista e criar relações com as regras mas não me sinto confortável com isso. É claro que desejo ser campeão nacional, pretendo ter uma defesa de respeito e quero fazer valer o fator casa com a mística que Manizales merece, mas são coisas pouco palpáveis e de difícil controle. Resumir isso ao fato mais difícil, e motivador para a história, me parece suficiente.
      - Tornar o Once Caldas uma referência dentro da Colômbia
      Essa talvez seja uma meta “vazia” por assim dizer mas eu explico: na motivação para criar o save, eu queria ser capaz de desenvolver o clube como um todo, aprendendo um pouco sobre fornadas, comissão técnica e afins. É difícil criar parâmetros para colocar isto em objetivos, então, reúno neste ponto tornar a equipe a mais rica do país, ter condições de treino de topo, tal qual base e comissão técnica.
       
      Regras:
      - O sistema tático deve sempre ter mentalidade defensiva.
      Pois bem, se o ferrolho de Once ficou tão marcado na conquista da Libertadores de 2004, a forma mais justa de homenageá-lo é repetir o feito. Eu pensei até em repetir o sistema tático mas para isso existe um grande problema: eu teria de rever jogos do Once Caldas para definir sistema, jogadores e funções. Como o trabalho seria demais, ainda que sejam jogos muito bacanas, vou me limitar a sempre adotar a postura defensiva independente de qualquer coisa. Para mim, um adepto da parte tática mas viciado no “positiva” vai ser uma experiência bem curiosa.
       
      Informações do Save:
      Database

      O save foi criado na Colômbia em fevereiro de 2020 mas por razões românticas, explicadas a frente, foi andado randomicamente até 01 de julho. Carreguei as ligas todas sul-americanas, tal qual todos os jogadores do continente, para aumentar a competitividade no torneio. Também acrescentei algumas divisões europeias para tornar o save um pouco maior do outro lado da fronteira. Ao todo são 88 mil jogadores e 2,5 estrelas de desempenho, posso eliminar ligas ao longo do período se considerar necessário mas avisarei caso aconteça.
      O estilo de postagem será todo voltado para os jogos, sem nenhum elemento ficcional. Visando diminuir meu trabalho e dar uma razão de ser, os posts serão escritos em dois formatos: como um blog de torcedor do Once Caldas, para melhor contar jogos, e um diário do treinador, para acompanhar a parte tática e crescimento da equipe. É um modelo experimental que me parece mais satisfatório, tal qual a Db se preciso for mudar, aviso dentro do desenvolvimento da história.
      A apresentação do time no jogo, do treinador e tudo que percebi de entrada estarão postos no primeiro post que vai abaixo. 
    • div
      By div
      Buenas! Como vão? Tudo certo?
      Então, começo hoje meu novo empreendimento aqui na área. Pensei bastante que tipo de save gostaria de jogar e o que gostaria de trazer para cá. Tive algumas ideias e cheguei a começar alguns saves, um deles cheguei até a escrever a apresentação e fazer uns banners, mas acabei deixando de lado por conta deste aqui.
      Já queria registrar o agradecimento a todos que contribuem com a Galeria de Gráficos de onde peguei aquele que serviu de base para fazer o que estou usando. Não levo muito jeito com edição de imagem, então foi uma mão na roda.
      Este save foi inspirado no save “Os doze trabalhos de Hércules" do Jirimias, que me cativou pela premissa (completar 12 desafios, nos moldes dos trabalhos do semideus grego Hércules, dentro de um save no FM dirigindo o time do Hércules de Alicante). Com essa história como inspiração, eu queria fazer algo semelhante, porém com a cultura nórdica, que gosto muito. Assim, tentei chegar em algo que aliasse o FM, alguns desafios dentro de um save e a cultura nórdica, em especial sua mitologia.
      O primeiro passo era escolher o time que seria treinado. Não foi uma tarefa fácil, tanto que não encontrei nenhum clube que encaixasse com essa proposta como o Hércules se encaixava para aquela. Portanto...
      FIM DO SAVE, obrigado a quem acompanhou até aqui.
      Brincadeira, pensando um pouco, cheguei na conclusão de que seria melhor fazer o save com um time criado utilizando aquela opção “Criar um Clube” disponível no FM, inclusive porque nunca me aventurei nela. Assim nasceu o Viking Saga FC (falarei mais sobre o clube em outro momento, até para não alongar ainda mais a apresentação).
      Com relação ao subtítulo (“Uma nova invasão na Inglaterra”), acredito que seja de conhecimento geral a invasão Viking à Inglaterra nos séculos VIII e IX, de modo que vou me abster de explicar o contexto histórico (até porque não sou historiador e quanto mais me estender, mais chance tenho de falar besteira). Mas, caso não seja de seu conhecimento, tudo que é necessário saber é que os Vikings invadiram a Inglaterra naquele período e deram um calor no povo inglês, por assim dizer. Portanto, minha proposta é criar uma invasão Viking moderna na Inglaterra, por meio do futebol.
      Nesse momento você pode estar se perguntando: Mas por que não fazer o save num país nórdico, com o propósito dos Vikings dominando a Europa?
      E eu te responderia: Poderia ser interessante de se acompanhar um save assim e seria até mais lógico, sem sombra de dúvidas. Há na área diversos saves em países de menor tradição que levaram um clube à glória continental e mundial. Porém, especificamente para mim como jogador, há um problema nessa premissa: depende muito de ânimo e resiliência. Um save nesse estilo, salvo algo extraordinário ocorrendo, acaba chegando num ponto onde o time é bom demais comparado com seus conterrâneos, mas ruim demais para o sucesso continental, levando um tempo até que o time possa competir pela competição continental. E esse período em que não há competitividade doméstica e se joga um ano inteiro por causa de 6 a 13 jogos (ou menos), é algo que, como jogador, não me atrai no momento (repito que isto é como jogador porque me vejo muito bem lendo um save neste estilo sem problema algum, a questão para mim é jogar nestas condições).
      Tendo ponderado isso, acredito que a melhor forma de conciliar o meu interesse como jogador, com a premissa que idealizei, sendo algo que possa ser atraente para quem lê, é na ideia de fazer o clube na Inglaterra. Alguns fatores fazem da Inglaterra a melhor opção: Há uma ligação histórica entre os Vikings e a Inglaterra; há mais divisões na database básica do jogo; as ligas inglesas promovem mais competitividade aos times (o que gera desafio às sagas “Percorrendo a Yggdrasil” e “Evitando o Ragnarok”, abaixo explicadas); a Premier League em si é um desafio; e não há uma grande discrepância entre os times do G4 da PL e os postulantes ao título da UCL, de modo que evita aquela questão que mencionei antes.
      Assim, o Viking Saga FC substitui o time do Bradford PA (time escolhido unicamente por estar previsto para a última colocação da liga), atuante na National League North, a 6ª divisão da Inglaterra e a divisão inglesa mais baixa no jogo base (cabe aqui explicar que na opção de criar um clube só é possível carregar as ligas e divisões que estão no jogo base, de modo que não posso carregar uma base de dados com mais divisões na Inglaterra, por exemplo). Por fim, diferente do meu save anterior, este não será um save com ficção. Como único elemento de ficção, vou dar um “background” básico pro clube (claro que as sagas podem ser vistas como ficção também, mas vocês entenderam o que quis dizer com ficção haha).
       

      Versão: FM 2020.
      Base dados: Grande.
      Ligas Carregadas.
      Mais Opções.
      A opção por adicionar jogadores a clubes acabou preenchendo as categorias de base do time, mas acredito que foi uma opção válida por duas razões: A primeira é porque assim todos os clubes das ligas inferiores, portanto rivais, terão plantéis completos, evitando jogar contra jogadores cinzas; a segunda é porque assim preenchem-se os elencos das ligas nórdicas, o que ajuda a cumprir uma das sagas (“Atravessando a Bifrost”), que seria praticamente inviável nesse começo de outra forma.
      Elenco Inicial: A ferramenta Criar um Clube permite que o jogador escolha como será montado o elenco do clube criado. Entre outras, as principais opções são: 1) manter o elenco do clube substituído; 2) limpar o elenco e começar sem jogadores, tendo que montar todo o elenco contratando dentro do jogo; 3) adicionar e remover jogadores a vontade, respeitando o orçamento salarial do clube. Optei pela primeira opção porque não quero perder tanto tempo no começo montando um elenco completo. Além disso, mantendo o elenco o jeito que está dá menos margem pra montar um time muito superior ao anterior, já que este elenco é cotado para o último lugar.
       

      Sagas são estórias contadas em prosa que misturam aspectos históricos com mitologia e religião. Para o save, as “Sagas” serão os objetivos/desafios propostos que misturam aspectos da mitologia nórdica com o futebol e o FM. Foi preciso adaptar muitas coisas, então peço que não estranhem, pois existem conceitos que serão variáveis para adaptar a mitologia aos objetivos (numa saga, “X” pode significar uma coisa, enquanto em outra, “X” pode significar algo diferente).
       

      A primeira saga consiste em percorrer a árvore que conecta nos 9 mundos nórdicos, lares de deuses, anões, elfos, gigantes e homens. Os nove mundos são representados pelas seis divisões inglesas e dois objetivos satélites.
      A jornada pela Yggdrasil do futebol inglês começa em Muspelheim e Niflheim (National League South/North). Os dois mundos coexistem, ficando um a norte e outro a sul, e foram os dois primeiros mundos a existir. Enquanto Muspelheim é um caos de fogo e calor, o ponto de partida onde Surt acordará e liderará o caminho dos gigantes à Asgard; Niflheim é coberto de gelo e névoa. A jornada pela Yggdrasil começa pelos primeiros mundos, pela liga mais baixa. *Obs.: Como não é possível disputar pelas duas regiões (norte e sul), os dois primeiros mundos coexistem em uma só liga, tal qual coexistem na mitologia.
      Chegar em Helheim (Acesso Direto) é complicado e muito pouco se sabe sobre esse mundo. Diz-se que para chegar em Helheim é necessário percorrer a Gjallarbrú, uma ponte coberta de ouro. Passar por Helheim representa o acesso direto de uma liga, sem passar pelos playoffs, encontrando o caminho de ouro. *Obs.: Este objetivo pode ser realizado em qualquer uma das 5 divisões que oferecem acesso.
      No segundo nível está Alfheim (Narional League). Na Edda de Prosa Gylfaginning, Alfheim, o mundo dos elfos, é descrito como o primeiro de uma série de mundos no céu. Assim, o próximo passo rumo ao céu é explorar a 5ª divisão inglesa.
      Após a terra dos elfos fica Nidavellir (League Two), a terra dos anões, que fica nos subterrâneos de Midgard. Chegar em Nidavellir representa estar a um passo da terra dos homens, representa chegar na League Two, a 4ª divisão.
      Passando pelo lar dos anões e subindo pela Yggdrasil, chegamos em Midgard (League One), a terra dos homens, o solo comum, onde se planta, colhe, briga e bebe. Além disso, “Mid” significa “meio”, que é a posição da League One, a 3ª divisão, na escalada das ligas inglesas.
      Após passar pela terra dos homens, é preciso passar por Jotumheim (Championship), a terra dos gigantes. Na Championship moram alguns gigantes do futebol inglês que, contudo, há muito não conseguem entrar em Asgard, como o Preston North End e o Nottingham Forrest.
      Antes de chegar no reino dos Aesir, é hora de chegar nos Vanir, em Vanaheim (Premier League). Um dos dois clãs de Deueses, os Vanir são rivais dos Aesir, os deuses asgardianos. Todos os clubes que chegam na Premier League são deuses apenas de estarem lá, porém apenas uma parcela destes chega a Asgard, onde ficam os deuses mais venerados e conhecidos. Chegar à Premier League é se juntar ao primeiro clã de Deuses, mas com a expectativa de chegar em Asgard.
      Por fim, no topo da Yggdrasil do futebol inglês, o lar de Odin, Thor, Balder, Tyr e outros. Enfim chegamos em Asgard (Ganhar a Premier League). É em Asgard que fica Valhalla, o grande salão onde os bravos guerreiros nórdicos são recebidos por Odin, festejam e se esbaldam em um banquete que durará até a chegada do Ragnarok. Chegar em Asgard é chegar aonde estão os Deuses, ou seja, os campeões. Significa ganhar a Premier League.
       

      A mitologia nórdica é repleta de seres lendários, cujos feitos (ou atrocidades) eram contados de geração para geração. Destaquei seis dessas figuras para serem grandes rivais: Fafnir, Odin, Thor e os três filhos de Loki com a gigante Angrboða. É necessário força e perseverança para ultrapassar esses seres lendários.
      Fafnir era um anão que matou seu pai em busca de tesouro, transformando-se em um dragão para proteger suas posses. Fafnir representa um clube pequeno que através do dinheiro se engrandeceu, o Manchester City.
      Odin é o pai de todos, o maior dos Deuses. O maior de todos é o que mais vezes conquistou o campeonato inglês e que tem a maior torcida, o Manchester United.
      Thor é o mais forte dos Deuses. Pode não ser o maior deles, ou talvez o mais venerado, mas é o mais temido. Com seis títulos da UCL, o Liverpool é o time inglês mais temido.
      De acordo com a mitologia nórdica, Loki teve diversos filhos (inclusive um cavalo de 8 patas, cuja história de sua concepção é sensacional), mas entre eles, três se destacam, seus filhos com a gigante Angrboða: Fenrir, Jörmungandr e Hela. Os três londrinos:
      Fenrir é um lobo gigante feroz e terrivelmente forte. Porém, Fenrir foi preso através do Gleipnir, um cordão feito pelos anões especialmente para este fim. Muito temido quando está solto, mas inofensivo quando é preso, o clube londrino que parece estar atado a algo e não consegue se desvencilhar é o Arsenal.
      Jörmungandr é a serpente que circula o mundo e ali vive ali desde que Odin a baniu de Asgard e a enviou para Midgard, há muito tempo. Como o clube do “big-six” que não vai à Asgard (que não é campeão da Premier League) há mais tempo, o Tottenham é o Jörmungandr do futebol inglês
      Hela foi banida por Odin para o mundo inferior, que recebeu seu nome (Helheim, aquele cujo único acesso é através de uma única ponte). O Chelsea foi o último dos filhos de Loki a ser rebaixado e conquistar o acesso direto por Helheim, na temporada 1988/89.
      Para derrotar um Deus ou um ser lendário não basta o vencer uma única vez. É necessário vencer várias batalhas para se vencer uma guerra. O objetivo, portanto, é segurar uma invencibilidade de 5 jogos contra cada um.
       

      Ragnarok pode ser traduzido para “destino dos deuses”, e é uma série de eventos que conduziriam ao fim do mundo. Alguns eventos são “profetizados” (por falta de palavra melhor) como sinais do Ragnarok e é aqui onde encontrei mais divergência entre fontes, então escolhi os que mais se adequariam a um save. Diferente das outras sagas, o objetivo aqui é não deixar que algo ocorra, no caso, o Ragnarok, evidentemente. Assim, para evitar o Ragnarok é preciso evitar que os sinais se concretizem. Na mitologia, até onde pude averiguar, há uma certa ordem para o acontecimento dos eventos, porém, para fins desse save, vamos dizer que o Ragnarok vem independente da ordem que seus sinais forem aparecendo.
      O primeiro sinal do Ragnarok é a morte de Balder, o Deus imortal. Para que esse sinal seja completo é preciso que o Viking Saga FC seja rebaixado, morrendo, de certa forma (claro que o rebaixamento não é a morte de um clube, mas o clube falir e ser refundado é meio difícil – senão impossível – de ocorrer no FM).
      Depois, vem o Fimbulvetr, o longo inverno, que dura por três anos consecutivos. Assim, o inverno será uma estagnação por 3 temporadas, ou seja, se estiver em uma divisão com condição de acesso (da 6ª à 2ª), significa ficar 3 anos sem alcançar a promoção, se estiver na Premier League, primeiramente o alvo é a vaga na UEL, depois para a UCL, então para o título. Ou seja, quando subir da 2ª para a 1ª divisão, começa a contar 3 anos para ter uma classificação para a Europa League, depois 3 anos para a Champions, e, então, 3 anos para o título, se chegar ao título sem ter causado o Fimbulvetr, o título deve ser renovado a cada 3 anos, pelo menos.
      Por fim, há o desaparecimento do sol e da lua. Esse foi mais complicado para adaptar à proposta desta saga, mas considero que o desaparecimento do sol e da lua é a demissão do treinador, deixando o clube na escuridão. Assim, a demissão não será necessariamente o fim do save, mas uma das condições para a chegada do Ragnarok.
      Se não conseguir evitar os três sinais, o Ragnarok acontece e traz consigo o fim do mundo, ou seja, o fim do save.
       

      A Bifrost é uma ponte que liga o reino dos homens ao reino dos Deuses. Para o save, representa a travessia dos jogadores nórdicos para a Inglaterra. Utilizar a Bifrost significa contratar pelo menos 4 jogadores de origem nórdica* por temporada (*Dinamarca, Finlândia, Groelândia, Ilhas Faroe, Islândia, Noruega e Suécia, e pode ser como 2º nacionalidade). Obs.: Para deixar claro, serão contabilizados eventuais jogadores trazidos para o time sub-19, inclusive aqueles eventualmente oriundos das fornadas do clube.
       

      Os Deuses nórdicos, como tais, tem muitos tesouros e artefatos valiosos, sendo presenteados frequentemente (geralmente como pedido de desculpa de Loki por ter feito alguma besteira). Alguns desses artefatos aparecem no conto “Tesouro dos Deuses”, do livro “Mitologia Nórdica” de Neil Gaiman. Além dos citados no conto, os Deuses têm outros tesouros valiosos (como a já citada Gleipnir para prender Fenrir). Cada artefato é único e de difícil acesso, abrangendo um aspecto do jogo.
      Brisingamen é o colar da deusa Freya, deusa da beleza e amor. Um artefato utilizado por uma deusa da beleza pode ser equiparado ao dinheiro, que seduz os jogadores. Adquirir o Brisingamen significa transformar o Viking Saga FC no clube mais rico do mundo.
      Draupnir é o anel de Odin que a cada 9 noites cria oito anéis de mesmo tamanho e peso que o original, multiplicando-se. Possuir um Draupnir é ter uma produção em massa de itens valiosos. Assim, para isto, é necessário ter 8 jogadores que vieram de fornadas no plantel principal, que iniciem ao menos 60% das partidas em uma temporada e conquistar um título expressivo. *Objetivo válido apenas para competições de 1º escalão (FA Cup, Premier Legue e Champions League)
      Gleipnir é a corrente que conseguiu prender Fenrir. As correntes que “prendem” os jogadores nos clubes são seus contratos. Obter este artefato é ter o jogador mais bem pago do mundo. (Obs.: Não é permitido aumentar a proposta salarial oferecida pelo agente do jogador)
      Gungnir, a lança de Odin, que nunca erra o alvo, sempre volta à sua mão e torna os juramentos prestados inquebráveis. Significa acertar precisamente uma contratação e transformar um jogador contratado em ícone ou lenda do clube.
      Hugin e Munin, são os corvos de Odin, contam a ele tudo que ouvem e tudo que veem. São os olheiros do clube, claro. Hugin é ter a melhor equipe de observação da Premier League. Munin é ter conhecimento de 35% do mundo (se atingir muito cedo, aumentamos).
      Maçãs de Iduna. Iduna é a Deusa da Juventude. Ela carrega consigo uma cesta de maçãs que fazem com que os deuses permaneçam jovens. Quando um Deus começa a sentir o efeito do envelhecimento, uma mordida das maças de Iduna é o suficiente para recuperar a força e juventude. A renovação é necessária em todo clube de futebol. Comer dessas maçãs é ser campeão com o elenco mais jovem. *Objetivo válido apenas para competições de 1º escalão (FA Cup, Premier Legue e Champions League)
      Mjolnir, o martelo de Thor é o mais famoso e desejado dos tesouros, aqueles que todos querem, mas apenas um tem. Representa ter um jogador reconhecido como o melhor jogador do mundo.
      Espero que apreciem essa viagem!
       
×
×
  • Create New...