Jump to content

Soy Loco Por Ti América


mfeitosa
 Share

Recommended Posts

WQ1qYBq.png

dQz6avy.png

Fala, pessoal! Estive testando a estabilidade de várias ligas nesses últimos dias e acabei por criar ânimo para reeditar um dos saves que deixei pelo caminho aqui na área, chamado "Soy Loco Por Ti América". Poucos devem lembrar dele, mas era algo focado na América Latina, onde iniciei na Colômbia. Daquele save, o que restou foi apenas o "rank" do meu perfil, Faryd Mondragón, que era o personagem naquela oportunidade.

Desta vez, fui forçado a reduzir o raio de abrangência para apenas a América do Sul, em razão das ligas que testei da América Central e Caribe não terem apresentado boa estabilidade, assim como as competições continentais, muito em função das limitações da própria versão do jogo. Sem problema! De repente, isso possa render uma segunda versão desse save no futuro, fora da América do Sul.

YcBW8LQ.png

Carreguei todas as ligas da América do Sul, com a ajuda de algumas ligas alternativas. Garanto que testei todas que estão disponíveis em fóruns diversos relacionados ao FM e na Oficina da Steam, e este conjunto de ligas foi o que apresentou maior estabilidade. Basicamente são os arquivos criados pelo @Tonao e o @Mrt90. Agradeço ao trabalho dos dois, que muitas vezes não é reconhecido como deveria.

Quanto à base de jogadores, carreguei todos os jogadores do continente americano (sem exceções), assim como os dos principais níveis da Europa e alguma coisa da Ásia, África e Oceania, totalizando pouco mais de 115 mil jogadores. Em nível de detalhe, deixei as competições continentais da América do Sul como "todos os jogos oficiais", como forma de valorizar a Libertadores e a Sul-Americana. 

6aKEN8B.png

Esse tipo de save sempre apresenta um risco a mais para quem quer fazer um save longo. Por isto, para evitar bugs, iniciarei o save a partir da temporada 2019, pois essa foi a forma que se mostrou mais estável em meus testes. Perderemos o histórico de 2019, mas penso não ser um grande problema. 

4bpMrAS.png

Acredito que ter um único objetivo me deixará mais livre para fazer as escolhas necessárias dentro do save, sem ter qualquer pressa de avançar. O objetivo será:

btfYd7z.png Alcançar o Top 10 do Quadro de Honra da América do Sul.

Para que eu consiga alcançar o feito de entrar para o Quadro de Honra da América do Sul, precisarei conquistar títulos variados, o que passará obrigatoriamente pelo âmbito nacional e continental, ou seja, títulos por ligas diversas, assim como a Libertadores e Copa Sul-Americana, além da possibilidade que me abre de assumir alguma seleção.

A7g2Wbc.png

As regras aqui estabelecidas serão apenas para nortear as mudanças de clubes que ocorrerão durante o save, como forma de evitar que eu assuma o controle de uma equipe "super favorita" às ligas nacionais ou competições internacionais. Eis as orientações que deverei seguir:

btfYd7z.png Não assumir equipes com reputação continental, com exceção à Argentina e Brasil;
btfYd7z.png Na Argentina e Brasil, assumir apenas as equipes cotadas para a metade inferior de suas ligas;
btfYd7z.png Não assumir equipes que tenham vencido a liga nacional nos últimos três anos, no save;
btfYd7z.png Não assumir equipes que tenham vencido uma competição continental, no save.

Como iniciarei o save em divisões inferiores, o critério de títulos conquistados exclusivamente "no save" será possível. Argentina e Brasil são exceções à primeira regra, pois praticamente todas as equipes de suas divisões de topo possuem reputação continental, o que inviabilizaria minha entrada nessas ligas.

Não pretendo passar forçosamente por todas a ligas do continente sul-americano, mas tentarei explorar esse cenário da forma mais "real" possível e conto com a ajuda de vocês para me auxiliar durante a jornada.

LeR94D2.png

O personagem escolhido para ser o técnico nesta jornada será o chileno Arturo Sanhueza, meia que alguns poderão lembrar por sua passagem pelo Colo-Colo. Detalharei melhor sua carreira e perfil em uma das postagens abaixo. Como Sanhueza ainda não pendurou as chuteiras na vida real, apaguei seu registro dentro do jogo através do uso do editor. Em contrapartida, iniciarei o save justamente no clube onde joga atualmente.

Quanto ao estilo de treinador, selecionei qualificação "sem licença" e experiência anterior de "Futebolista Profissional (Nível local)".  Ajustei os atributos de acordo com a necessidade do save e numa tentativa de aproximá-los um pouco à personalidade de Sanhueza, que "era" volante (priorizei o aspecto defensivo e técnico) e jogador de liderança dentro do grupo (motivação e gestão de recursos humanos), embora não seja reconhecido por sua disciplina (nível de disciplina).

QMwPfYW.png

O foco adicional no atributo "Adaptabilidade" foi priorizado por se tratar de um save carreira, onde precisarei mudar de um país para o outro. Em outro save, não havia me atentado a esse detalhe e tive mais dificuldade de conseguir algo fora do "país de origem".

Link to comment
Share on other sites

3rqZycJ.png

it916Vi.png

bPzleOY.pngqmJBmeE.png

zznKA0G.png Segunda División Profesional de Chile: 3º colocado (fase regulamentar)
---imageproxy.png Playoff do Campeonato: Campeão! (acesso conquistado)
zznKA0G.png Copa Chile: Eliminado na 1ª Eliminatória (por Deportivo Ñublense)

09.03.2020 El Regreso del Rey mX5n4Mb.png
13.03.2020 Fernández Vial
14.03.2020 Aparando as arestas
16.03.2020 Arrancada interrompida
19.03.2020 Desfalques e mais desfalques
22.03.2020 A queda do General

o2Rxg95.pngqmJBmeE.png

zznKA0G.png Primera División B de Chile: 2º colocado (fase regulamentar)
---imageproxy.png Playoff de Acesso: Vencedor (acesso conquistado)
zznKA0G.png Copa Chile: Eliminado na Semi-final (por Cobresal)

24.03.2020 Desfile de malas mX5n4Mb.png
27.03.2020 Fora da zona de conforto
30.03.2020 La Máquina Aurinegra
02.04.2020 Chave de ouro

xeMSQhz.png1l0qbxg.png

GkUMnNN.png Liga 1 de Perú: 3ª colocado (classificação geral)
---imageproxy.png Apertura: 3ª colocado | Clausura: 2ª colocado
GkUMnNN.png Copa Bicentenario: Vice (contra Universitario)

04.04.2020 A caminho de El Callao mX5n4Mb.png
05.04.2020 Los Rosados
07.04.2020 Choque de cultura
11.04.2020 Ganhando corpo
13.04.2020 Uma perda inesperada
16.04.2020 Dividindo responsabilidades
19.04.2020 Quase heróis

goh8AQp.png1l0qbxg.png

GkUMnNN.png Liga 1 de Perú: Campeão! e 1º colocado (classificação geral)
---Untitled-1-32-16.png Apertura: Vencedor | Clausura: Vencedor
3pnhcXY.png Copa Libertadores da América: Eliminado na 2ª Fase da Pré-Libertadores (por Goiás)
GkUMnNN.png Copa Bicentenario: Eliminado nas Quartas de Final (por Ayacucho)

22.04.2020 Caminho complicado mX5n4Mb.png
24.04.2020 A nova surpresa peruana
27.04.2020 Um passo importante
30.04.2020 Incompetência ou loteria?
03.05.2020 La Academia Porteña

2023.png1l0qbxg.png

GkUMnNN.png Liga 1 de Perú: Bicampeão! e 2º colocado (classificação geral)
---Untitled-1-32-16.png Apertura: 4º colocado | Clausura: Vencedor
3pnhcXY.png Copa Libertadores da América: Eliminado nas Oitavas de Final (por Vélez Sarsfield)
GkUMnNN.png Copa Bicentenario: Eliminado nas Quartas de Final (por Universitario)

05.05.2020 Um time de garotos mX5n4Mb.png
08.05.2020 Febre de Libertadores
10.05.2020 Do Céu ao Inferno
13.05.2020 Fazendo as pazes... ou não!

2024.png
cityt.png

uruguay.png Primera División Profesional de Uruguay: 4º colocado (tabela anual)
---Untitled-1-32-16.png Apertura: 6º colocado | Clausura: 4º colocado
---Untitled-1-32-16.png Torneo Intermedio: Vice (contra Montevideo Wanderers)

15.05.2020 Hola, Montevideo! mX5n4Mb.png
17.05.2020
 Por que o City?
21.05.2020 Sob pressão
24.05.2020 Decepção no Centenario
27.05.2020 Uma campanha titubeante

2025.png
cityt.png

uruguay.png Primera División Profesional de Uruguay: Campeão! e 1º colocado (tabela anual)
---Untitled-1-32-16.png Apertura: 2º colocado | Clausura: Vencedor
---Untitled-1-32-16.png Torneo Intermedio: Eliminado na Fase de Grupos (2º colocado)
3pnhcXY.png Copa Libertadores da América: Eliminado nas Quartas de Final (contra Boca Juniors)

- 29.05.2020 Reforço com pedigree mX5n4Mb.png
- 31.05.2020 A catimba uruguaia
- 03.06.2020 E aí, Jorge Jesus?
- 07.06.2020 Fim de save

Link to comment
Share on other sites

mo5UcjR.png

UfMT5qk.png

Espaço destinado aos títulos conquistados por Arturo Sanhueza, durante o save. Dividirei as conquistas por categorias, semelhante ao que o FM dispõe no Quadro de Honra. Para mais informações a respeito de cada uma delas, basta clicar nas figurinhas abaixo para ser redirecionado à postagem relacionada.

Mgd2Tro.pngliga1.pngCAMPE-O-LIGA-1-DE-PERU.png

i9axtRh.png

Espaço destinado aos jogadores de grande destaque no save. O número de jogadores que poderei nomear à Galeria de Honra, por temporada, não poderá ultrapassar o número de conquistas (títulos ou acessos) naquele período. Nas temporadas que as equipes passarem em branco, ainda assim, poderei indicar um nome para a galeria.

Para ver os atributos dos jogadores, basta clicar nas figurinhas abaixo.

oXE9aSc.pngs3HEEbJ.pngGALERIA-DE-HONRA-REND.pngGALERIA-DE-HONRA-IVAN-BULOS.pngGALERIA-DE-HONRA-ALEXIS-ROJAS.pngGALERIA-DE-HONRA-MARCIO-PENA.png

Link to comment
Share on other sites

kx9j8j9.png

Syh38xi.png

HEguVSh.png

Arturo Sanhueza deu os primeiros passos de sua carreira no O'Higgins, mas logo se transferiu para o Fernández Vial, equipe oriunda de sua terra natal (Provincia de Concepción, Región del Biobío), quando ainda tinha 17 anos. O volante defendeu as cores aurinegras de 1996 à 1999. 

Em 2000, Sanhueza foi contratado pelo Everton, mas pouco participou da campanha que levou o clube de Viña del Mar ao rebaixamento à Primeira B.

4WOoClu.png

jjEofaU.png

Com o rebaixamento do Everton, Sanhueza foi procurado pelo rival Santiago Wanderers e acertou sua ida aos "Porteños". No Santiago Wanderers, Sanhueza foi comandado por Jorge Garcés em suas duas primeiras temporadas, técnico que, por uma feliz coincidência, estaremos substituindo no save. 

Com o Santiago Wanderers, conquistou o título histórico do Campeonato Chileno em 2001, após um fila que durou mais de três décadas. Em 2002, Sanhueza se consolidou de vez no meio-campo da equipe, com ótimas atuações na Libertadores da América, em especial, nos jogos contra o Boca Juniors.

9TKJy3p.png

v3uR7LY.png

No final de 2004, Sanhueza acertou com o Colo-Colo, onde permaneceu entre as temporadas 2005 e 2010. Neste período, o "El Cacique" conquistou seis títulos nacionais e foi finalista da Copa Sul-Americana. As atuações de Sanhueza chamaram a atenção de equipes como o Atlante e Necaxa, ambos do México, e do Boca Juniors, onde foi especulado para ocupar a vaga deixada por Fernando Gago, contratado pelo Real Madrid. 

Suas atuações renderam também algumas convocações para a seleção chilena, onde participou de 16 partidas, incluindo amistosos, as Eliminatórias para a Copa do Mundo de 2006 e a Copa América de 2007, na Venezuela.

ZqTNGEc.png

Em 2009, Sanhueza teve um ano bastante irregular. Viu o Colo-Colo decepcionar na Libertadores da América, onde foram eliminados ainda na fase de grupos, e ainda sofreu com uma lesão no joelho que o deixou fora por quase meia temporada. Após seu retorno, não conseguiu mais se firmar na equipe, sendo criticado por boa parte da torcida e acabou por sair do clube ao final da temporada 2010.

edvZ4fD.png

Após sua saída do Colo-Colo, o volante esteve praticamente certo no Changchun Yatai, da China, mas a ideia durou apenas 20 dias. Sanhueza chegou a um acordo financeiro, porém, exigiu uma cláusula que lhe permitisse reincidir o contrato caso recebesse outras propostas, o que foi prontamente recusado pelos chineses.

De volta ao Chile, Sanhueza acertou com o Deportes Iquique para a temporada 2011, onde atuou bastante, mas não brilhou. No ano seguinte, foi contratado pelo Universidad de Concepción e mal foi aproveitado. 

ptD5Fok.png

Parecendo aceitar a decadência na carreira e claramente acima do peso, Sanhueza anunciou sua aposentadoria no início de 2013. 

oyuSHTB.png

Seis meses após o anúncio de sua aposentadoria, Sanhueza recebeu uma boa proposta do Deportes Temuco e decidiu retornar aos gramados. A decisão pareceu acertada e, após três anos como capitão da equipe, acabou por conquistar o título da Primera B 2015/16.

Surpreendentemente, Sanheuza abriu mão de participar das disputas da Primera División com o Deportes Temuco ao acertar sua ida ao Cobreloa, onde acumulou polêmicas e não conseguiu convencer a torcida laranja. Ainda no Cobreloa, Sanhueza chegou a ser pego num exame antidoping, pelo resultado positivo para o uso de dimetilpentilamina, substância presente em alguns queimadores de gordura. No entanto, a decisão foi revogada um mês depois. 

EPAOWaT.png

Ao final da temporada 2018, o meia foi dispensado após a chegada do treinador Víctor Rivero, que declarou não ter interesse nos seus serviços. 

pqwRnxk.png

Com quase 40 anos de idade, quando todos esperavam que Arturo Sanhueza anunciaria sua aposentadoria definitiva, o volante surpreendeu mais uma vez ao anunciar seu retorno ao clube que o revelou ao futebol, o Fernández Vial, levando a torcida aurinegra ao delírio.

Em sua primeira temporada, atuando pela Segunda División (a terceira divisão chilena), participou de 19 jogos e teve um bom rendimento, o que resultou na renovação de seu contrato por mais um ano. Arturo Sanhueza segue atuando no Fernández Vial, onde é capitão e principal referência da equipe. 

7waKASr.png

Essa parte da história de Arturo Sanhueza foi o que me fez escolhê-lo como treinador do save. E é baseado nisto que nosso ponto de partida será o Fernández Vial, na terceira divisão do Chile.

Spoiler

ncIyNEw.png
8LAiYlA.pnghD7zh7Q.png

ZfN4vKM.png

A notícia que todos os "vialinos" estavam esperando finalmente se concretizou. Vinte anos após sua saída do clube, Arturo Sanhueza, "El Rey Arturo", retorna ao Fernández Vial para assumir o comando da equipe principal nas disputas da Segunda División de 2019. O "capitán" foi apresentado à torcida nesta tarde, na Plaza de Armas de Concepción, onde deu autógrafos e atendeu à imprensa.

"É uma decisão importante e não foi muito difícil, sempre pensei em voltar. Retorno à casa que me viu nascer para o futebol, porém, numa função diferente. Sou muito grato por tudo. Trabalharemos sério para fazermos uma boa campanha na temporada. Sei que a expectativa é alta e o quanto todos querem ver o Vial de volta à Primera B", declarou o novo técnico aurinegro.

O ex-volante encerrou sua carreira na última temporada, aos 39 anos, após ter sua saída do Cobreloa anunciada pelo treinador Víctor Rivero.

Arturo Sanhueza, que substituirá o agora diretor de futebol Jorge Garcés, terá dois meses para trabalhar a equipe até o início da fase regulamentar da Segunda División, que terá início em 6 de abril. "Não pretendo fazer grandes mudanças no elenco. Minha prioridade será trabalhar com o que já temos disponível, incluindo a base. Contratações poderão ser realizadas, desde que as finanças do clube permitam, o que a princípio não é uma realidade", complementou Sanhueza.

omFQXSk.png Por: Matías Parker C. (La Tercera)

8LAiYlA.png
P4bSCKc.png PRÓXIMA ATUALIZAÇÃO: Informações gerais sobre o Fernández Vial.8LAiYlA.png

Link to comment
Share on other sites

Gostei da proposta do save. Espero que tudo corra bem e sem crash. Boa sorte.

Link to comment
Share on other sites

Quando vi a proposta inicial, achei que seria algo como ganhar tudo nos 10 países da Conmebol, mas agora entendi melhor. Aliás ótima proposta. Como não era da época, vai ser bacana ver essa proposta. E terceira divisão chilena é bem hardcore, boa sorte hahaha. Aliás, boa sorte tb com a DB do Brasil, é a que eu tenho usado no meu save e sinceramente não curti, enfrentei vários bugs ao longo da história. Como o seu é no FM 20, espero que não aconteçam contigo.

No mais, boa sorte!

Link to comment
Share on other sites

  • Vice-President

O retorno veio mais cedo do que eu esperava. Achei que pelas palavras no save do Cesena, ia ficar um tempinho sem autorar algo. Boa sorte.

Link to comment
Share on other sites

2 horas atrás, LC disse:

Gostei da proposta do save. Espero que tudo corra bem e sem crash. Boa sorte.

Obrigado, LC! Também espero que não haja qualquer problema nesse sentido. Há sempre uma preocupação, mas vamos em frente!

1 hora atrás, marciof89 disse:

Quando vi a proposta inicial, achei que seria algo como ganhar tudo nos 10 países da Conmebol, mas agora entendi melhor. Aliás ótima proposta. Como não era da época, vai ser bacana ver essa proposta. E terceira divisão chilena é bem hardcore, boa sorte hahaha. Aliás, boa sorte tb com a DB do Brasil, é a que eu tenho usado no meu save e sinceramente não curti, enfrentei vários bugs ao longo da história. Como o seu é no FM 20, espero que não aconteçam contigo.

No mais, boa sorte!

Essa era exatamente a proposta da primeira "versão" desse save. É fascinante tentar fazê-lo, mas é complicado.

Infelizmente, o FM não dá o foco merecido às ligas sul-americanas, o que torna esse tipo de empreitada bastante longa e incerta. Foi o que me fez encerrar aquele save de forma prematura. Iniciei numa grande equipe, o Deportivo Cali, e ainda assim percebi que o caldo ia engrossar no momento em que mudasse de liga, por um motivo simples. Havia uma decadência geral das equipes sul-americanas, mesmo com todas as ligas carregadas. Percebia que apenas as equipes da Argentina e Brasil evoluíam, enquanto todas as outras se "desmanchavam".

Não fui o único a tentar algo do tipo por aqui, inclusive. Lembro de alguém ter feito um save nesse sentido, iniciando no Caracas da Venezuela, e aconteceu algo muito parecido. 

Por outro lado, devo considerar que a minha primeira tentativa foi no FM 2013. Quem sabe agora, tantos anos depois, a coisa ande de uma melhor forma. E por isto mesmo que resolvi não complicar nesse sentido. Acredito que o objetivo escolhido me deixará mais livre para tomar um caminho mais natural dentro do save, sem precisar pular de "casa em casa", de forma engessada. Aqui, prevejo um início no Chile e lá se sabe quando poderei disputar minha primeira Libertadores ou Sul-Americana. Isso pra mim já é um motivo extra para a proposta.

Valeu, Marcio! Desculpe a resposta longa, mas acabei lembrando de algumas coisas! Hehehe!

3 minutos atrás, Henrique M. disse:

O retorno veio mais cedo do que eu esperava. Achei que pelas palavras no save do Cesena, ia ficar um tempinho sem autorar algo. Boa sorte.

Realmente, eu não me aguentei! Como estou com tempo para jogar, decidi encaixar logo um save novo, antes que mudasse de ideia em relação ao FM 2020, que não tem sido uma versão tão animadora do game. Curiosamente, a dúvida em relação ao rank que havia te mandado acabou sendo o ponto de partida para esse save. Me lembrei de onde aquilo tinha saído e pensei: bem que eu poderia tentar aquilo novamente. 

Espero que dê certo! Valeu, Henrique!

Link to comment
Share on other sites

Rápido e excelente retorno. Bom que não demorou.

Espero que a retomada de uma ideia antiga tenha o sucesso esperado dessa vez. Fico feliz que os objetivos não envolvam a obrigatoriedade de passar por todos os países da América do Sul e consequentemente ganhar títulos em todos eles. Esse tipo de desafio acaba sendo muito previsível e sempre fico com a sensação de que todas as conquistas e mudanças de clube são apenas protocolares para se cumprirem os "malditos" objetivos do save.

Eu desejo que as regras lhe tragam dificuldades, mesmo achando que o que mais desequilibra a balança para o lado humano sejam as contratações e menos a escolha da reputação das equipes.

Adorei a identidade visual do save.😉

Link to comment
Share on other sites

14 horas atrás, ggpofm disse:

Rápido e excelente retorno. Bom que não demorou.

Espero que a retomada de uma ideia antiga tenha o sucesso esperado dessa vez. Fico feliz que os objetivos não envolvam a obrigatoriedade de passar por todos os países da América do Sul e consequentemente ganhar títulos em todos eles. Esse tipo de desafio acaba sendo muito previsível e sempre fico com a sensação de que todas as conquistas e mudanças de clube são apenas protocolares para se cumprirem os "malditos" objetivos do save.

Eu desejo que as regras lhe tragam dificuldades, mesmo achando que o que mais desequilibra a balança para o lado humano seja as contratações e menos a escolha da reputação das equipes.

Adorei a identidade visual do save.😉

Meu raciocínio em relação aos objetivos é o mesmo seu, embora entenda plenamente quem tenta se aventurar dessa forma, em várias ligas. Tanto que eu também já tentei fazê-lo. Mas a verdade é que a obrigação de se conquistar tudo em todo lugar torna o save bem "engessado". 

É como comentei na resposta ao Marcio, essa questão de pular de "casa em casa" não me atrai muito como jogador. Mas não deixa de ser um grande desafio para quem tenta.

No caso deste save, buscarei uma outra linha de abordagem. Iniciarei no Fernández Vial sem pensar no próximo passo. Afinal, há várias formas de eu conseguir alcançar o objetivo que determinei e precisaremos aguardar até o final para saber o desfecho dessa jornada.

Obrigado, gg!

Link to comment
Share on other sites

Boa sorte. Já pensei em iniciar um save assim, mas diante do pouco tempo que tenho tido de jogatina, acabei desistindo. 

Link to comment
Share on other sites

Gosto de saves com objetivos e trajetorias realisticas, boa sorte.

Esse sanhueza ficou bem gordinho hein!

Unica duvida por que inicia com Licença Nacional A já?

Link to comment
Share on other sites

9 horas atrás, bieleao disse:

Boa sorte. Já pensei em iniciar um save assim, mas diante do pouco tempo que tenho tido de jogatina, acabei desistindo. 

Valeu, Biel!

Realmente é necessário tempo e paciência para fazê-lo.

5 horas atrás, Andreh68 disse:

Gosto de saves com objetivos e trajetorias realisticas, boa sorte.

Esse sanhueza ficou bem gordinho hein!

Unica duvida por que inicia com Licença Nacional A já?

Obrigado, Andreh!

É, o Sanhueza ficou bem rechonchudo! 

Cara, eu geralmente opto por deixar tudo no "mínimo", como fiz no save com o Cesena. Na prática, isso não altera muito a dificuldade do save. Pelo menos pra mim, nunca alterou. Mas a verdade é uma só: agora que me toquei que era pra ter colocado "Licença Nacional C"! Foi um vacilo! 🤦‍♂️

Eu queria deixá-lo pelo menos uma Licença para que não atrapalhasse a mudança de clube e de ligas, já que é um save de carreira. Como ainda não iniciei os jogos oficiais, acho que vou aposentar o perfil inicial e criar outro.

Valeu!

EDIT: Fiz melhor, @Andreh68. Como tinha avançado apenas alguns dias no save, resolvi reiniciá-lo do zero, dessa vez, sem licenças (faz mais sentido para um jogador recém-aposentado). Atualizei as postagens que tinham alguma relação a essa mudança e os seus efeitos.

Uma coisa interessante que aconteceu dessa vez é que o FM deu a opção de manter o antigo treinador do Fernández Vial, Jorge Garcés, como diretor de futebol. Como ele tem relação com a história de Arturo Sanhueza, aceitei a situação, mesmo que ele tenha atributos bem distantes do que se espera para a função. Um detalhe importante é que iniciei o save em 31/12/2018, mas só assumi o clube em 01/02/2019, que foi a data que o Sanhueza retornou ao clube, na vida real. 

Valeu pelo toque, mesmo que indiretamente. 🖖

Link to comment
Share on other sites

bb13bt2.pngqtbdVSQ.png

6S661Vx.png

QoDLJBN.png

O Club Deportivo Arturo Fernández Vial é uma equipe de futebol sediada na cidade Concepción, Província de Concepción, Região de Biobío, o mesmo local de nascimento de Arturo Sanhueza. O time atua no Estádio Municipal de Concepción, que atualmente tem capacidade para 33 mil espectadores (no FM, está como 30 mil). 

Suas origens são encontradas na fundação do Club Deportivo Ferroviario Internacional, ou International FC, em dezembro de 1897, instituição que reuniu os trabalhadores da Maestranza de los Ferrocarriles del Estado, residentes na cidade. Em 15 de junho 1903, o clube foi refundado e alterou seu nome em homenagem ao almirante Arturo Fernández Vial.

eEjSYhS.png

fYTd1lC.png

Em maio de 1903, proclamou-se uma greve de trabalhadores ferroviários e estivadores de portos na cidade de Valparaíso, que provocou cenas de violência na cidade, levando-a a ser declarada sitiada. 

No meio das discussões, o almirante Arturo Fernández Vial, ex-diretor do Território Marítimo e sobrevivente do Combate Naval de Iquique, foi designado para intervir e assassinar os revolucionários pelo Presidente da República, Germán Riesco. No entanto, o almirante, ignorando as ordens, intercedeu a favor dos grevistas no tribunal a fim de resolver o problema, atingindo seu objetivo sem derramar uma única gota de sangue.

y2a0ilH.png

Esse fato gerou admiração e, por suas ações, o Club International FC, formado nos sindicatos das oficinas ferroviárias de Concepción, decidiu em 15 de junho de 1903, mudar seu nome para Club Deportivo Ferroviário Almirante Arturo Fernández Vial.

nY9im8i.png

Tradicionalmente, podemos considerar o Fernández Vial como uma equipe de Primera B, haja vista que esta foi a divisão onde o clube atuou mais temporadas em sua história. São dezoito participações no segundo escalação do futebol chileno, sendo as últimas registradas entre os anos de 1993 e 2008. 

Na divisão de elite, a Primera División, o "Almirante" acumula nove participações. O maior período de permanência do clube na primeira divisão ocorreu entre 1986 e 1992. 

6Kedapu.png

A equipe aurinegra também acumula passagens pela Segunda División (terceiro escalão), onde está atualmente, e Tercera División (quarto escalão). O "El Vial" tem oscilado entre esses dois níveis do futebol chileno, desde 2009.

grHrwca.png

O Fernández Vial possui um título da Segunda División (1982) e dois da Tercera División (1981 e 2013), além de outros doze títulos de âmbito local ou regional, conquistados entre as décadas de 1910 e 1950. 

O maior feito da equipe pode ser considerado o vice-campeonato da Copa Chile, em 1986, quando superou equipes como Colo-Colo, Huachipato e Unión Española, ao liderar o Grupo Sul. Na final, foi superado pelo Cobreloa numa disputa de três mãos. Perdeu a primeira partida por 1 a 0, venceu o segundo por 2 a 0, mas foi goleado no terceiro e último confronto (3 a 0).

E6oOClr.png

mptHGPi.png

Após ter anunciado sua aposentadoria em 1992, o argentino Mario Kempes, campeão do mundo em 1978, aceitou a proposta do Fernández Vial para disputar a Segunda División de Chile em 1995, aos 41 anos.

Curiosamente, Kempes não treinava no clube e sequer mudou-se da Argentina. Isso mesmo. Ele viajava apenas nos dias das partidas, ainda com um detalhe adicional: atuava apenas nos jogos realizados em casa. Ainda assim, o "matador" marcou cinco gols em onze jogos, todos em cobranças de falta.

b28QnSr.png

Kempes se despediu depois de quatro meses e terminou sua carreira definitivamente na Indonésia, em 1996. Apesar da passagem esdrúxula pelo clube, Mario Kempes é tratado com muito carinho pela torcida aurinegra, até hoje, mas não era uma unanimidade em 1995.

r1JmR09.png
YhS78s5.png PRÓXIMA ATUALIZAÇÃO: Mercado de transferências, competições, elenco, finanças, etc.r1JmR09.png

Link to comment
Share on other sites

Muito legal a proposta do save. Fiquei curioso e ansioso pelo que virá na carreira do treinador. Como sempre a organização é um primor, ajuda muito na leitura.
Interessante a escolha do pontapé inicial, e mais curiosa a participação do Kempes.

Acompanhando!

Link to comment
Share on other sites

Não era uma crítica nem patrulhamento, só curiosidade mesmo. As pessoas fazem as coisas de forma diferente pelas mais variadas razões.

Fico feliz do Almte. Vial não ter sido um oligarca sanguinário, no começo da história me assustei, até pq já andei pelas vielas de Valparaíso.

Sinto lhe informar, o Vial é tanto um time da Primeira B quanto o Guarani é da Série A, mas confio que Sanhueza mudará esse passado recente.

Que passagem esquisita do Kempes. Tinha muita antipatia com ele devido a copa de 78, mas posteriormente aprendi que foi um jogador devalor. Mas esse contrato dele foi bem escroto, sem jogar fora, nem fazer nenhum gol com bola correndo, que pena. Pelo jeito os torcedores do Vial carecem de um ídolo de verdade.

Link to comment
Share on other sites

13 horas atrás, Jirimias disse:

Muito legal a proposta do save. Fiquei curioso e ansioso pelo que virá na carreira do treinador. Como sempre a organização é um primor, ajuda muito na leitura.
Interessante a escolha do pontapé inicial, e mais curiosa a participação do Kempes.

Acompanhando!

Fala Jiri, bom vê-lo por aqui! 

Obrigado pelo elogio e participação! 

1 hora atrás, Andreh68 disse:

Não era uma crítica nem patrulhamento, só curiosidade mesmo. As pessoas fazem as coisas de forma diferente pelas mais variadas razões.

Fico feliz do Almte. Vial não ter sido um oligarca sanguinário, no começo da história me assustei, até pq já andei pelas vielas de Valparaíso.

Sinto lhe informar, o Vial é tanto um time da Primeira B quanto o Guarani é da Série A, mas confio que Sanhueza mudará esse passado recente.

Que passagem esquisita do Kempes. Tinha muita antipatia com ele devido a copa de 78, mas posteriormente aprendi que foi um jogador devalor. Mas esse contrato dele foi bem escroto, sem jogar fora, nem fazer nenhum gol com bola correndo, que pena. Pelo jeito os torcedores do Vial carecem de um ídolo de verdade.

Sei disso, pode ficar sossegado! Legal que você conhece o Chile. Estava programando de ir esse ano, mas com os últimos acontecimentos, não me parece boa ideia.

A comparação com o Guarani é bem adequada e justa, concordo contigo! Afinal, são 12 anos distante de retornar à Primera B. Muita coisa ficou no passado.

Esse contrato do Kempes foi uma piada... o clube carece demais de ídolos. Tanto que o próprio Sanhueza é idolatrado lá, sem nada ter feito além de iniciar a carreira. 

Valeu LC!

Link to comment
Share on other sites

3ssmQVf.png1KghlQO.png

vGNSs1B.png

Sem grandes destaques, o Fernández Vial recebeu quatro reforços para as disputas da Segunda División 2019. A limitação financeira do clube não me permitiu oferecer salários acima de 550 dólares, o que diminuiu bastante as opções no mercado. 

A primeira das contratações foi realizada pelo próprio clube, no início de janeiro, antes que eu assumisse o comando da equipe. Iniciei o save em 31/12/2018 e assumi o comando do "El Vial" em 01/02/2019, em referência à chegada de Sanhueza ao clube na vida real. Bem, trata-se do zagueiro Jesús Villalobos, cria do Universidad Católica que tem circulado por equipes das divisões inferiores do Chile. 

YXPtdV1.png

Já minha primeira contratação foi o experiente Hugo Díaz, que pode jogar em diversas posições, desde a meia até a lateral, de ambos os lados. Por coincidência, Díaz atuou pelo Fernández Vial em 2018. 

IrqQWUa.png

No mais, acertei os empréstimos do lateral direito Gastón Zúñiga, do O'Higgins, e do meia Oliver Rojas, do Audax Italiano, ambos sem custos. Dois jovens valores com nível suficiente para ajudar na Segunda División.

xG7mfj2.png SAÍDAS: Se quatro chegaram, outros quatro também deixaram o "El Vial". Me livrei de Bibencio Servín (34 anos), que sem dúvidas entraria em decadência física, e dos jovens Ángel Véjar e Diego Rodriguez. Tentei mandar mais gente embora, mas o máximo que consegui foi o empréstimo de Daniel Rivas. Essas saídas nos deixou uma margem de $1,6m no orçamento de salários, que não será utilizada.

m32Y17s.png

Com as movimentações da janela de transferências, fechamos o elenco do "El Vial" com 24 jogadores. A equipe ganhou mais qualidade e profundidade, o que me dará condições de trabalhar bem a equipe durante a temporada. 

Além dos novos contratados, também precisamos destacar alguns nomes que já estavam no clube, desde quando o assumi. O principal deles é o meia-atacante Kevin Harbottle, que possui passagens pelo futebol argentino e MLS, além de ter sido convocado para a seleção chilena na época de Marcelo Bielsa e Jorge Sampaoli.

tNt5ZHF.pngK2fJPV3.png

Outro nome de relevância é o meia Luis Pacheco, cria do Colo-Colo com bastante rodagem nas divisões inferiores do Chile, sempre tendo papel de destaque por onde passa. No FM, Pacheco tem sido considerado o jogador-chave da equipe aurinegra.

No ataque, minha principal esperança de gols vem de Carlos Sepúlveda, outro jovem formado no Colo-Colo com trajetória similar a de Luis Pacheco. No setor de marcação, Gerson Valle será "o" cara. Ele é o nosso único volante de origem no elenco.

g6vN6D3.pngTUDc5L8.png

O esquema escolhido para iniciar a temporada é um 4141 Gegenpress, onde fiz pouquíssimos ajustes nas funções de alguns jogadores. Como são jogadores limitados tecnicamente, em sua maioria, meu foco inicial será tentar fazê-los render na posição à qual estão mais acostumados e exercer. 

0oub2z8.png

lKsQMYt.png

Equivalente ao terceiro escalão do futebol chileno, a Segunda División é formada por 11 equipes, que jogam entre si, em turno e returno. Ao final da fase regulamentar, os seis primeiros colocados disputarão a única vaga de acesso à Primera B através do Playoff de Acesso, que também tem formato de liga. Já os cinco últimos disputarão o Playoff de Rebaixamento, onde haverá uma equipe rebaixada.

Tanto a previsão da imprensa quanto as expectativas do clube nos colocam na briga pelo Playoff de Acesso. Minha expectativa pessoal é brigar pelo título/acesso. A Segunda División é uma competição de baixíssimo nível técnico e com várias equipes de nível semelhante. Não há nenhum super-favorito, logo, praticamente todo possuem chances de subir. 

3pSb320.png

A Copa Chile reúne as equipes das quatro primeiras divisões do futebol chileno em formato de mata-mata, em seis fases. As equipes da Primera División só entram na competição a partir da Segunda Eliminatória. O sorteio da Primeira Eliminatória ainda não foi realizado, então, estou no aguardo para saber qual será o nosso adversário.

A expectativa da diretoria é que alcancemos ao menos a Segunda Eliminatória, mas não penso que será tarefa simples, principalmente, se pegarmos algum adversário da Primera B.

Yi6vc5b.png

Apesar do orçamento apertado, conseguimos fazer algumas boas movimentações no elenco, deixando a folha salarial menos "inchada". Quando assumi o clube, o orçamento havia sido ultrapassado com a contratação de Jesús Villalobos, o que foi solucionado com a saída de Bibencio Servín, que recebia o maior ordenado do clube.

Mesmo assim, a situação financeira do Fernández Vial não é muito boa. A projeção é que encerremos o ano no vermelho. Resta saber se a renda dos jogos ajudará a mudar um pouco esse quadro.

f1p4Oeo.png

Houve rumores acerca de uma suposta aquisição do clube, mas o boato logo foi desmentido pela diretoria.

QtviGMP.png
xG7mfj2.png PRÓXIMA ATUALIZAÇÃO: Primeiro turno da Segunda División e início da Copa Chile.QtviGMP.png

Link to comment
Share on other sites

Bons valores individuais e com alguma rodagem, como o Harbottle. 
Essa única vaga de acesso deve protagonizar jogos épicos. A campanha feita na fase regulamentar dá alguma vantagem ao play-off? Zeram os pontos e começa uma nova competição?

Desejo-lhe sorte!

Link to comment
Share on other sites

Gostei da tática propostas, principalmente com o Rojas de  mezzala, mas o diferencial será justamente o poder defensivo do Valle.Olhando os níveis dele me parece baixo para a função. Pretende contratar alguém para a posição ou tem um reserva a altura?

Link to comment
Share on other sites

19 horas atrás, Jirimias disse:

Bons valores individuais e com alguma rodagem, como o Harbottle. 
Essa única vaga de acesso deve protagonizar jogos épicos. A campanha feita na fase regulamentar dá alguma vantagem ao play-off? Zeram os pontos e começa uma nova competição?

Desejo-lhe sorte!

Até me surpreendi em ver o Harbottle por aqui. É um jogador diferenciado a esse nível de competição. Engraçado que fui procurar a matéria de chegada dele no Fernández Vial e o cara ainda guarda esperanças de retornar à seleção. Sem chance...

A campanha na fase regulamentar dá sim vantagem no playoff. Salvo engano, o 1º inicia com 6 pontos, o 2º com 5 pontos, o 3º com 4 pontos, e por aí vai. É importante passar bem para esses playoffs, justamente por isso.

Obrigado!

18 horas atrás, LC disse:

Gostei da tática propostas, principalmente com o Rojas de  mezzala, mas o diferencial será justamente o poder defensivo do Valle.Olhando os níveis dele me parece baixo para a função. Pretende contratar alguém para a posição ou tem um reserva a altura?

O mezzala tem uma função bem bacana dentro da dinâmica do FM, mas acabo não utilizando tanto. Mas como a função é a original para o Rojas, não pensei duas vezes em testar. Tenho revezado com o Pacheco, inclusive.

Quanto ao Valle, por incrível que possa parecer, ele era bem melhor que qualquer jogador disponível na minha pesquisa para a posição. A equipe de recrutamento do Vial é bem limitada, então não aparece quase nada pra mim. Ainda assim, pelo o que eu poderia oferecer de grana, não adiantaria muito aparecer alguém melhor. A gente pode tirar por base o salário do próprio Valle ($1,4m), quando eu poderia oferecer apenas $550 para alguém novo. 

Dessa forma, se ele quebrar, vou utilizar o Jesús Villalobos improvisado ou o Hugo Díaz.

Valeu!

Link to comment
Share on other sites

Interessante como o clube passou a ter o nome de uma pessoa. Mas o que me chamou a atenção mesmo foi o fato do clube de nascido como um clube ferroviário, algo bastante comum na América do Sul, inclusive no Brasil.

E essa presença do Kempes no clube? Que participação mais bizarra, sem qualquer conexão com a cidade e sua comunidade.

Aposto na promoção/título, assim como você.

Link to comment
Share on other sites

5 horas atrás, ggpofm disse:

Interessante como o clube passou a ter o nome de uma pessoa. Mas o que me chamou a atenção mesmo foi o fato do clube de nascido como um clube ferroviário, algo bastante comum na América do Sul, inclusive no Brasil.

E essa presença do Kempes no clube? Que participação mais bizarra, sem qualquer conexão com a cidade e sua comunidade.

Aposto na promoção/título, assim como você.

A origem nas ferrovias também me chamou atenção. Outro detalhe é a data de fundação do clube (1897), que é anterior a qualquer clube do Brasil, por exemplo. 

Esse contrato do Kempes no Vial supera qualquer um que o Romário tenha feito na vida. Totalmente sem nexo. 

Valeu, Gílson!

Link to comment
Share on other sites

HpsG3Nb.pngBiJxzX4.png

QA7nmcz.png

J88f154.png

Tivemos um início fulminante dentro da Segunda División de Chile, o que me fez pensar que poderíamos "nadar de braçada" na competição. Mas não tem sido bem assim. Mantivemos o ritmo alto até a metade do primeiro turno, período em que o Fernández Vial se manteve imbatível, com 100% de aproveitamento. Goleamos Deportes Iberia, San Antonio Unido e Independiente, além das vitórias diante de Lautaro de Buin e Deportes Colina

Mas logo veio a primeira derrota e, com ela, um choque de realidade. Perdemos posições na tabela e fomos goleados por um de nossos principais concorrentes ao acesso, dentro de nossa própria casa. Nosso aproveitamento na segunda metade do primeiro turno foi de apenas 40%, com duas vitórias e três derrotas.

aNirUaT.png

Spoiler

qjn4D1h.png

h9lAyOk.png (C) 5 a 0 Deportes Iberia (1ª rodada)

Estreamos de forma avassaladora na competição, atropelando o Deportes Iberia com gols de Sepúlveda (8.5), Pinilla (9.0), Pacheco (9.1), Carrasco (9.2) e Harbottle (8.4).

h9lAyOk.png (F) 1 a 0 Lautaro de Buin (2ª rodada)

Em nossa primeira partida fora de casa, bombardeamos o Lautaro de Buin com 27 finalizações, sendo 16 delas no gol. No entanto, o gol da vitória veio apenas aos 49', com o zagueiro Villalobos (7.9) aproveitando boa cobrança de falta de Pacheco (7.3) pela direita.

h9lAyOk.png (C) 3 a 0 San Antonio Unido (3ª rodada)

Dado como forte candidato ao rebaixamento, o San Antonio Unido pouco conseguiu fazer para resistir ao ímpeto do "El Vial". Sepúlveda (9.0) marcou duas vezes antes de ser substituído por Soto (7.2), que também deixou o seu.

h9lAyOk.png (F) 2 a 0 Deportes Colina (4ª rodada)

Treinado por Rodrigo Meléndez, grande parceiro de Sanhueza nas épocas de Colo-Colo e seleção chilena, o Deportes Colina chegou a dar trabalho no primeiro tempo. Todavia, retornando do intervalo, "achamos" um gol de pênalti com Pacheco (9.0) e passamos a tomar conta do jogo. Hidalgo (7.2) deu números finais à partida, aos 89'.

h9lAyOk.png (F) 3 a 0 Independiente (5ª rodada)

Mais um passeio do Fernández Vial comandado por Sepúlveda (7.3) e Pacheco (9.2), dessa vez, fora de casa.

60j9IeQ.png (C) 0 a 1 General Velásquez (6ª rodada)

Naquilo que poderia ser chamado de "El Clásico Militar", o "General" acabou levando a melhor diante do "Almirante". Zapata decretou a nossa primeira derrota na competição, em cobrança de pênalti. Tentamos correr atrás do prejuízo, mas não fomos suficientemente bons. Uma derrota que não me preocupou de imediato, pois estávamos com vários reservas em campo em razão do jogo de volta da Copa Chile.

60j9IeQ.png (C) 0 a 3 Deportes Recoleta (7ª rodada)

Aqui sim uma derrota para preocupar e com força máxima em campo. Um jogo em que tudo deu errado para o "El Vial" e tudo deu certo para o Deportes Recoleta, atual líder da Segunda División. Enquanto exigimos bastante do goleiro adversário, que fez defesas impressionantes, os visitantes foram letais em quase todos os contra-ataques que fizeram.

h9lAyOk.png (F) 2 a 0 Deportes Vallenar (8ª rodada)

Retomamos o caminho das vitórias jogando fora de casa, numa partida marcada por uma avalanche de entradas fortes e cartões para todos os lados, incluindo um vermelho pra cada equipe. Escapamos vivos e com os três pontos.

h9lAyOk.png (C) 2 a 0 San Marcos de Arica (9ª rodada)

Vitória comemoradíssima diante de um adversário complicado. Merino (7.3) salvou a pátria ao defender um pênalti aos 18', o que nos deu a chance de buscar o resultado com maior tranquilidade. Rojas (7.8) abriu o marcador aos 43' e Pacheco (8.7) ampliou aos 86', gols com assistências de Harbottle (7.8).

60j9IeQ.png (F) 0 a 1 Colchagua (10ª rodada)

Fechamos o primeiro turno com derrota, numa partida bastante equilibrada e decidida por detalhes. O gol do Colchagua saiu após um "bate-rebate" aos 60', com direito a bola na trave na primeira finalização.

0gzbBVR.png

Estivemos na liderança a Segunda División durante as cinco primeira rodadas, chegando a ter quatro pontos de diferença para o segundo colocado. Todavia, as derrotas vieram e a gordura foi embora, deixando o "El Vial" na 3ª posição, que ainda considero boa. O que me preocupa é a queda brusca de rendimento.

h0VNLSn.png

O segundo turno promete uma boa disputa pela liderança entre Deportes Recoleta, General Velásquez e Fernández Vial. Lembrando que os seis primeiros se classificam ao Playoff de Acesso, onde a vantagem conquistada na fase regulamentar (em termos de posição) é mantida. 

Z8J9d7h.png

V7o8d2N.png

O sorteio da Copa Chile não foi dos melhores para o Fernández Vial. Tivemos que enfrentar o Deportivo Ñublense, equipe da Primera B que luta contra o rebaixamento, mas claramente está num nível técnico acima do nosso.

pF4wy25.png

No jogo de ida, tivemos um confronto bastante equilibrado. Abrimos o placar aos 13' com Williams Villegas (7.1) chutando de fora da área. Aos 30', Valenzuela cruzou pela direita e Gustavo Merino (6.7) deixou a bola passar no meio da pernas, quase levando um frangaço. Na sequência do lance, Carvallo cabeceou com perigo e a bola foi no travessão. Aos 46', foi a vez de Pérez mandar mais uma no travessão. Um sufoco para o Vial.

Retornamos mais organizados para o segundo tempo e tivemos oportunidades de ampliar. Aos 73', Carlos Sepúlveda (6.7) perdeu uma chance incrível, sozinho com o goleiro. O castigo veio aos 89'. Bola alçada nas costas da nossa defesa, que só assistiu, e finalização certeira de Escalante, z7msTku.png 1 a 1.

QF6Ki6r.png

O jogo de volta foi bem mais movimentado que o primeiro, com muitas finalizações para ambos os lados. Aos 32', Carlos Sepúlveda (6.4) recebeu cruzamento e amorteceu a bola de cabeça, na medida para Fabián Espinoza (7.7) concluir, obrigando Odriozola a fazer uma defesa impressionante. Na sequência, Sepúlveda chutou de primeira, à queima-roupa, para mais uma defesa de Odriozola. Maldito!

Aos 66', após cobrança de escanteio para o Ñublense, Díaz finalizou de canhota para boa defesa de Gustavo Merino (6.7). No rebote, Díaz cruzou para o meio da pequena área e Miguel Binimelis (6.7) cortou errado, marcando contra. Tentamos recuperar o prejuízo, mas não tivemos força para tal, 60j9IeQ.png 1 a 0.

BONElKf.png OBJETIVO FALHADO: Com a eliminação já na Primeira Eliminatória, deixamos de cumprir um dos objetivos determinados pelo presidente do clube, que era alcançar ao menos a Segunda Eliminatória.

vhXfoRD.png

BRZJrtF.png

O grande destaque do Fernández Vial na temporada tem sido o meia Luis Pacheco, que possui a maior classificação média do elenco (7.75), além de ser o atual artilheiro com cinco gols marcados, o maior assistente com quatro assistências e o jogador com mais prêmios de melhor em campo. 

Os zagueiros Jesús Villalobos (7.24) e Jeriberth Carrasco (7.14), assim como o volante Gerson Valle (7.14) também merecem destaque. O trio defensivo do "Almirante" hoje representa a melhor defesa da Segunda División, com apenas cinco gols sofridos.

YuuJ0nh.pngYJ8mbpm.png

No ataque, Carlos Sepúlveda (7.03) teve um ótimo início de temporada com quatro gols marcados, mas já não balança as redes a seis jogos. Aos poucos, tenho testado Sebastián Julio (6.50) e o uruguaio Jonathan Soto (6.72) como alternativas para a posição, mas até agora não convenceram.

Um fator negativo da equipe que me incomoda bastante é a falta de poder de reação. Nas quatro partidas que iniciamos perdendo, o resultado final foi derrota. Isso ocorreu no jogo de volta da Copa Chile contra o Deportivo Ñublense, e nas três derrotas que tivemos na Segunda División. Talvez isso tenha algo a ver com a coesão da equipe, que ainda é considerada muito pobre.

OLFxK0P.png

Nos últimos dias, o zagueiro Ignacio Canales tem criado bastante problema. Mesmo com a concorrência forte pela titularidade, Canales resolveu "botar a boca no trombone" e fez declarações à imprensa, recebendo uma resposta à altura de Sanhueza. Tudo isso acabou por gerar a promessa de vendê-lo na próxima janela de transferências, que se inicia junto ao segundo turno.

Caso consigamos vendê-lo, tentarei trazer o zagueiro Matías Figueroa para o seu lugar. Figueroa aceitaria um salário em torno de $400 e $550, de acordo com o relatório, o que estaria dentro do nosso orçamento.

QGLleQE.png
BONElKf.png PRÓXIMA ATUALIZAÇÃO: Segundo turno da Segunda División e transferências, caso haja alguma movimentação.QGLleQE.png

Link to comment
Share on other sites

Acompanhando! 

Bom inicio no campeonato chileno, espero que consiga subir na primeira temporada, e que entre uma grana boa no caixa!

Link to comment
Share on other sites

  • marciof89 changed the title to Soy Loco Por Ti América
  • marciof89 featured this topic
  • Danut unfeatured this topic
  • marciof89 locked this topic
Guest
This topic is now closed to further replies.
 Share

  • Similar Content

    • PedroJr14
      By PedroJr14
      Eu já venho matutando há algum tempo uma nova história com um time do meu estado. Depois que o Altos conseguiu o acesso à Série C essa vontade aumentou mais ainda. A grande cereja do bolo foi o relatório sobre a última história que eu fiz aqui, onde o nosso querido @Peepedisse que ainda esperava uma história minha com começo, meio e fim. Desafio aceito!
      O CLUBE
      Muitos aqui sabem que o Altos subiu para a Série C de 2021, mas acredito que poucos sabem das dificuldades enfrentadas pelo clube durante o ano de 2020. A Associação Atlética de Altos fundada como equipe amadora em 2013, na cidade de Altos-PI, cerca de 40km de distância da capital Teresina, se profissionalizou em 2015 e logo obteve sucesso a nível estadual. A organização do clube impressionava e logo no seu primeiro ano profissional conquistou o título da Segunda Divisão do Piauí, garantindo assim o acesso para a Primeira Divisão no ano seguinte. Já no seu primeiro ano na elite, o Altos obteve a melhor campanha do campeonato e venceu a final sobre o River por 4x2 no agregado, porém perdeu o título no tribunal, por conta da escalação de um jogador irregular. Ainda em 2016 o altos obteve a melhor campanha da história da primeira fase da Série D, naquela época(5v-1e-0d), mas acabou eliminado pelo CSA, que conseguiria acessos consecutivos até a primeira divisão.
      O ESTÁDIO

      O Altos manda seus jogos no Estádio Municipal Felipe Raulino, o "FELIPÃO", que tem capacidade para cerca de 4 mil torcedores. Apesar de ficar muito próxima à capital Teresina, o Altos prefere mandar até os jogos grandes no seu estádio, mesmo às vezes sendo menos vantajoso financeiramente, só não joga lá quando é obrigado pela federação. O acanhado Felipe Raulino se transforma em Felipão, um verdadeiro caldeirão quando o time do Altos pisa lá dentro, que já fez o clube conseguir resultados improváveis.
      O MASCOTE

      Particularmente a coisa mais espetacular que eu acho nesse time é o mascote, que além de ser LINDO e SENSUAL, literalmente vive para o clube. E por conta dele eu criei o clássico dos mascotes entre Altos e Piauí Esporte Clube, que também tem um mascote espetacular, nada mais nada menos que um RATO MOLHADO, que se enxuga durante os jogos.
      O QUE ACONTECEU EM 2020?
      A nossa história começará no início de 2020, ignorando os acontecimentos desde ano, mas sem a maioria dos jogadores importantes contratados no ano, diria que sem os mais importantes. Nossas finanças estão zeradas, não temos dinheiro para contratações ou salários e contamos com apenas 18 jogadores no elenco, com posições muito carentes como a presença de apenas 1 goleiro, 1 lateral-direito e 3 zagueiros e 3 meias de ofício.
      Os desafios para um time como o Altos vão bem além das 4 linhas. O clube não tem estrutura, nem investimentos, não tem um banco de análise de dados, nem categorias de base. Vai ser um grande desafio comandar esse time nas próximas temporadas, ainda que eu já conheça alguns atalhos nas divisões inferiores e no Nordeste do Brasil.
      Ainda não posso adiantar qual será a meta para o fim da história, mas acredito que eu só vá parar depois de pelo menos um título de Campeonato Brasileiro, já que eu costumo dar sorte em Copas, então não vou colocar a Copa do Brasil como meta principal. O intervalo (ingame) entre os capítulos também ainda não foi determinado, mas pode ser de 3/3 meses, 4/4 ou 6/6. Devo fazer uma história baseada em tudo que rodeia o clube, passando pelo treinador, presidente e a relação do Altos com a política, o que não costuma dar certo no futebol.
      Estou aberto a dicas, críticas e tudo que possa me ajudar a melhorar como contador dessa história, espero contar com vocês.
      É possível ter uma temporada semelhante à que aconteceu na vida real em 2020-21? Como fazer um time tão limitado ser competitivo? Veremos nos próximos capítulos.
      Sala de troféus
      Capítulos
    • v_martins
      By v_martins
      The Asian Way Of Life -  Livro I
      Beijing, 23 de maio de 2019. Capítulo I, pt.I.

       

      - Essa história pode ser sobre qualquer coisa, meu rapaz... Pode ser sobre o que você quiser.

      - Inclusive sobre os seus delírios se quiseres falar mais deles. – Dizia Quevedo com o seu ar paternal, ao sairmos de uma casa de chá, próxima ao Yiheyuan.



      Esse era o primeiro dia de folga que tínhamos em muito tempo.

      Falo muito tempo, mas parece que foi ontem que cheguei à China, quase sem querer.



      Mas, espere aí: você nem sabe quem sou...

      Porém, antes preciso pegar um café, para assim narrar minha pequena (longa) história.
      (Ou seria odisseia... ?)

      Para todos os efeitos, chame-me de Vinní. E esse é o meu perfil, em modo formal, de acordo com a RFEF.

      Voltando, eu era apenas um auxiliar/analista de desempenho, adotado por um jogador histórico “barcelonista”, que era o Eusebio Sacristán.

      Também conhecido como esse cara aqui:



      Fora isso, tive uma carreira relativamente proveitosa no futebol.

      Eu fui um bom centroavante.  É verdade.

      Tirando as lesões nos dois joelhos e os dois anos sem jogar, eu até que fui bem.



      Marquei 117 gols em 198 jogos. Uma média incrível realmente.

      Exceto se você considerar que 104 desses 117 foram marcados em ligas poderosas como: a do Camboja, a das Maldivas e a do Turcomenistão.


      Mas, voltando:

      Encerrei a carreira, trabalhei em clubes pequenos, passei pelo Damm, de Barcelona, de lá fui ao sub-14 do Barcelona em 2012, até o momento em que conheci o Eusebio no refeitório do clube, conversamos e de lá...

      E bem, de lá o segui pra praticamente todo o lugar...

      Inclusive pra onde ele não veio.

       

      Continua...
       
    • Peepe
      By Peepe
      Apresentação
      Fala, pessoal, tudo bem? Não sei se posso bem me chamar de um contador experiente mas, após o sucesso do Hernandéz Fernandéz na busca para ser um milionário, resolvi voltar com um desafio que tem alguma relação com o que se passou por lá.
      Para quem não me conhece, sou Pedro Ribeiro, professor de história oficialmente e um antigo jogador de FM nas horas vagas, que busca aprender um pouco mais sobre esse cativante jogo. Uma das coisas que está na minha lista de aprendizado é a gestão individual de um clube: por ser muito apegado a saves carreiras, estilo preferido, eu nunca aprendi a ser um grande gestor que se preocupa e revoluciona cada etapa de sua equipe, sempre fiz o básico para funcionamento do time principal e aquilo era suficiente. Portanto, ao pensar o novo save eu tinha em mente que ele precisava ser de clube, faltava só decidir qual. Meu coração futeboleiro está na América do Sul e eu não tive entusiasmo para assumir clubes europeus nesse momento, então, logo me voltei ao continente e decidi escolher a Colômbia por 2 motivos: o primeiro é que o Nandéz não passou pelo país e eu senti falta de conhecer melhor uma liga que manteve-se grande durante todo meu save (arrisco dizer que era a 3ª ou a 4ª em disputa com o Paraguai), o segundo motivo é que o campeonato nacional se decide em mata-mata, o que impede o save de se tornar monótono caso eu monte um mega time, afinal, vou continuar tendo o frio na barriga na fase final do campeonato.
      Quando comecei a pesquisar, logo bati o olho no time, nas histórias que lhe permeiam e sabia que queria repetir o principal feito de sua história: ganhar uma Copa Libertadores! Ficou fácil, agora todos sabem, o time escolhido é o Once Caldas!

      O Once Caldas S.A é um clube de futebol colombiano localizado na cidade de Manizales, uma das cidades que compõem o eixo do café. O clube foi fundado em 1947 como Deportes Caldas, sendo campeão nacional em 1950, em uma primeira gloriosa fase da equipe.
      É a partir apenas de 1961 que a equipe adota o nome de Once Caldas, após fechamento do Deportes Caldas e fusão com o Deportivo Once. Engana-se quem pensa que foi a única troca de nome da equipe colombiana, o Once Caldas foi pioneiro na comercialização de naming rights e negociou o próprio nome: foi chamado de Cristal Caldas e Once Phillips, entre outras marcas, durante os anos 70 e 90, retornando ao Once Caldas de 1996 em diante.
      Curiosamente falando, a fase de retorno ao nome original marcou o grande período da história do clube: em 1997, sob o comando de Javier Álvarez, a equipe se fortalece e chega a um vice-campeonato nacional no ano seguinte. Continentalmente, o Once participa da Copa Conmebol em 1998 e debuta na Libertadores em 1999, quando demonstra a força do estádio Palogrande ao vencer o River Plate por 4-1 e o Deportivo Cali por 3-0 (nota importante: o Deportivo Cali acabou vice-campeão daquela Libertadores). A força da equipe em casa vai ficar marcada pois a primeira derrota em Manizales só vem a acontecer na Libertadores de 2011 contra o Universitario San Martin após mais de 20 jogos de invencibilidade.
      A grande fase da história da equipe fica marcada por dois títulos: o Apertura de 2003, conquistado no templo Palogrande em cima do Junior de Barranquilla, que garantiu vaga para a mística Libertadores de 2004.
      Verdadeiro motivo pela escolha do clube, é possível dizer de forma mais empolgada que talvez tenha sido a maior campanha da história da Libertadores. Pelo menos no século eu afirmo com alguma tranquilidade isto. O Once Caldas sai de um grupo relativamente tranquilo mas já elimina o Vélez Sarsfield, passa nos pênaltis contra o Barcelona de Guayaquil nas oitavas e aí começa a façanha: elimina o Santos, que viria a ser campeão brasileiro em 2004, passa pelo São Paulo, o campeão da Libertadores no ano seguinte, com um gol aos 45’ do segundo tempo, sobrevive a uma temível Bombonera e na grande final diante do Boca Jrs de Tevez, Bianchi e cia, atuais campeões da Libertadores na ocasião, o Once levanta o caneco após o empate em 1-1 no tempo regulamentar e um 2-0 nas penalidades. Quem diria que o Once Caldas faria o Boca Jrs tremer ao ponto de perder as 4 cobranças. Todos os jogos decisivos acontecem em Palogrande, que se consolida como uma verdadeira fortaleza. Para quem quiser conhecer mais detalhadamente a campanha, recomendo esse texto ou esse podcast, que já fala sobre a final do Intercontinental contra o Porto.
      A campanha do Once Caldas naquela Copa não tem grandes destaques individuais, o goleiro Henao talvez tenha sido o nome de maior impacto e ele será assunto mais a frente. O que fica bem marcado como tipicamente Once é o forte sistema defensivo, capaz de sofrer poucos gols mesmo fora de casa e que deu força ao completo azarão. 

      Após a conquista da Libertadores, o Once Caldas disputou o último Intercontinental da história no formato consagrado pelos anos 80-90 contra o Porto e por pouco, muito pouco, não carregou também a alcunha de campeão mundial. Após resistir mais uma vez, a partida termina num 0-0 que leva a disputa para os pênaltis. Após 4 cobranças para cada lado, o Once estava a 1 gol de ser campeão mas Jonatan Fabbro desperdiçou a cobrança, o Porto empatou e acabou vencendo por 8-7 a disputa.
      (Nota irrelevante: Jonatan Fabbro, o homem que perdeu esse pênalti, é ex-marido de Larissa Riquelme. Aos que ganharam idolatria por ela e sua relação com o Nandéz, vale a menção)
      Como todo time de sucesso na América, o Once foi desfeito rápido por mercados de maior dinheiro, viu seus destaques ruindo e seu treinador, dono da estratégia defensiva de sucesso, terminou tetraplégico dias após a derrota para o Porto. Com isso, a equipe não galgou maiores sucessos, sendo vice na Recopa para o Boca Jrs, campeão da Sula, e eliminado nas oitavas da Libertadores seguinte.
      O último suspiro de grandeza do Once se deu com o bicampeonato colombiano no Apertura 2009 e Finalizacion 2010, sendo o último dos 4 títulos nacionais que a equipe tem em sua sala de troféus. Desde então, o Once Caldas é um time que nunca caiu mas também que não disputa mais os títulos, na posição de médio do futebol colombiano.
      Será que agora voltará aos anos de glória? Ao menos, um velho conhecido promete mudar tudo!
       
      O Treinador

      De todos os nomes possíveis, talvez ninguém simbolize mais aquela conquista de 2004 que Juan Carlos Henao, goleiro que passou 18 anos de sua carreira defendendo as cores do Once Caldas. Nascido em 30/12/1971, Henao tinha 20 anos quando fez sua estreia pela equipe em 1992 e galgou espaço pouco a pouco até se tornar uma referência no clube em 2004. Na mágica campanha, Henao era o homem de segurança de uma defesa que raramente era vazada ou cedia espaço aos atacantes adversários, além disso, aquele título tem a cara de Henao: foi ele que parou a cobrança final xeneize e pôde partir para a galera como o herói (foto acima).
      Após o título, Henao foi mais um dos que acabou saindo do clube, contratado pelo Santos mas sem maiores sequências desde então, quando passou pelo Millonarios, Atletico Maracaibo e Real Cartagena. Em 2010 retornou ao Once Caldas onde ficou até 2016, encerrando sua carreira com 45 anos.
      (Nota importante: o ex-goleiro Henao é preparador de goleiros de um pequeno time colombiano. A fim de “apagá-lo” foi criada uma alcunha para ele, como se fosse outra pessoa)
       
      Objetivo Principal:
      - Ganhar novamente a Libertadores
      Confesso que poderia fazer uma intensa lista e criar relações com as regras mas não me sinto confortável com isso. É claro que desejo ser campeão nacional, pretendo ter uma defesa de respeito e quero fazer valer o fator casa com a mística que Manizales merece, mas são coisas pouco palpáveis e de difícil controle. Resumir isso ao fato mais difícil, e motivador para a história, me parece suficiente.
      - Tornar o Once Caldas uma referência dentro da Colômbia
      Essa talvez seja uma meta “vazia” por assim dizer mas eu explico: na motivação para criar o save, eu queria ser capaz de desenvolver o clube como um todo, aprendendo um pouco sobre fornadas, comissão técnica e afins. É difícil criar parâmetros para colocar isto em objetivos, então, reúno neste ponto tornar a equipe a mais rica do país, ter condições de treino de topo, tal qual base e comissão técnica.
       
      Regras:
      - O sistema tático deve sempre ter mentalidade defensiva.
      Pois bem, se o ferrolho de Once ficou tão marcado na conquista da Libertadores de 2004, a forma mais justa de homenageá-lo é repetir o feito. Eu pensei até em repetir o sistema tático mas para isso existe um grande problema: eu teria de rever jogos do Once Caldas para definir sistema, jogadores e funções. Como o trabalho seria demais, ainda que sejam jogos muito bacanas, vou me limitar a sempre adotar a postura defensiva independente de qualquer coisa. Para mim, um adepto da parte tática mas viciado no “positiva” vai ser uma experiência bem curiosa.
       
      Informações do Save:
      Database

      O save foi criado na Colômbia em fevereiro de 2020 mas por razões românticas, explicadas a frente, foi andado randomicamente até 01 de julho. Carreguei as ligas todas sul-americanas, tal qual todos os jogadores do continente, para aumentar a competitividade no torneio. Também acrescentei algumas divisões europeias para tornar o save um pouco maior do outro lado da fronteira. Ao todo são 88 mil jogadores e 2,5 estrelas de desempenho, posso eliminar ligas ao longo do período se considerar necessário mas avisarei caso aconteça.
      O estilo de postagem será todo voltado para os jogos, sem nenhum elemento ficcional. Visando diminuir meu trabalho e dar uma razão de ser, os posts serão escritos em dois formatos: como um blog de torcedor do Once Caldas, para melhor contar jogos, e um diário do treinador, para acompanhar a parte tática e crescimento da equipe. É um modelo experimental que me parece mais satisfatório, tal qual a Db se preciso for mudar, aviso dentro do desenvolvimento da história.
      A apresentação do time no jogo, do treinador e tudo que percebi de entrada estarão postos no primeiro post que vai abaixo. 
    • div
      By div
      Buenas! Como vão? Tudo certo?
      Então, começo hoje meu novo empreendimento aqui na área. Pensei bastante que tipo de save gostaria de jogar e o que gostaria de trazer para cá. Tive algumas ideias e cheguei a começar alguns saves, um deles cheguei até a escrever a apresentação e fazer uns banners, mas acabei deixando de lado por conta deste aqui.
      Já queria registrar o agradecimento a todos que contribuem com a Galeria de Gráficos de onde peguei aquele que serviu de base para fazer o que estou usando. Não levo muito jeito com edição de imagem, então foi uma mão na roda.
      Este save foi inspirado no save “Os doze trabalhos de Hércules" do Jirimias, que me cativou pela premissa (completar 12 desafios, nos moldes dos trabalhos do semideus grego Hércules, dentro de um save no FM dirigindo o time do Hércules de Alicante). Com essa história como inspiração, eu queria fazer algo semelhante, porém com a cultura nórdica, que gosto muito. Assim, tentei chegar em algo que aliasse o FM, alguns desafios dentro de um save e a cultura nórdica, em especial sua mitologia.
      O primeiro passo era escolher o time que seria treinado. Não foi uma tarefa fácil, tanto que não encontrei nenhum clube que encaixasse com essa proposta como o Hércules se encaixava para aquela. Portanto...
      FIM DO SAVE, obrigado a quem acompanhou até aqui.
      Brincadeira, pensando um pouco, cheguei na conclusão de que seria melhor fazer o save com um time criado utilizando aquela opção “Criar um Clube” disponível no FM, inclusive porque nunca me aventurei nela. Assim nasceu o Viking Saga FC (falarei mais sobre o clube em outro momento, até para não alongar ainda mais a apresentação).
      Com relação ao subtítulo (“Uma nova invasão na Inglaterra”), acredito que seja de conhecimento geral a invasão Viking à Inglaterra nos séculos VIII e IX, de modo que vou me abster de explicar o contexto histórico (até porque não sou historiador e quanto mais me estender, mais chance tenho de falar besteira). Mas, caso não seja de seu conhecimento, tudo que é necessário saber é que os Vikings invadiram a Inglaterra naquele período e deram um calor no povo inglês, por assim dizer. Portanto, minha proposta é criar uma invasão Viking moderna na Inglaterra, por meio do futebol.
      Nesse momento você pode estar se perguntando: Mas por que não fazer o save num país nórdico, com o propósito dos Vikings dominando a Europa?
      E eu te responderia: Poderia ser interessante de se acompanhar um save assim e seria até mais lógico, sem sombra de dúvidas. Há na área diversos saves em países de menor tradição que levaram um clube à glória continental e mundial. Porém, especificamente para mim como jogador, há um problema nessa premissa: depende muito de ânimo e resiliência. Um save nesse estilo, salvo algo extraordinário ocorrendo, acaba chegando num ponto onde o time é bom demais comparado com seus conterrâneos, mas ruim demais para o sucesso continental, levando um tempo até que o time possa competir pela competição continental. E esse período em que não há competitividade doméstica e se joga um ano inteiro por causa de 6 a 13 jogos (ou menos), é algo que, como jogador, não me atrai no momento (repito que isto é como jogador porque me vejo muito bem lendo um save neste estilo sem problema algum, a questão para mim é jogar nestas condições).
      Tendo ponderado isso, acredito que a melhor forma de conciliar o meu interesse como jogador, com a premissa que idealizei, sendo algo que possa ser atraente para quem lê, é na ideia de fazer o clube na Inglaterra. Alguns fatores fazem da Inglaterra a melhor opção: Há uma ligação histórica entre os Vikings e a Inglaterra; há mais divisões na database básica do jogo; as ligas inglesas promovem mais competitividade aos times (o que gera desafio às sagas “Percorrendo a Yggdrasil” e “Evitando o Ragnarok”, abaixo explicadas); a Premier League em si é um desafio; e não há uma grande discrepância entre os times do G4 da PL e os postulantes ao título da UCL, de modo que evita aquela questão que mencionei antes.
      Assim, o Viking Saga FC substitui o time do Bradford PA (time escolhido unicamente por estar previsto para a última colocação da liga), atuante na National League North, a 6ª divisão da Inglaterra e a divisão inglesa mais baixa no jogo base (cabe aqui explicar que na opção de criar um clube só é possível carregar as ligas e divisões que estão no jogo base, de modo que não posso carregar uma base de dados com mais divisões na Inglaterra, por exemplo). Por fim, diferente do meu save anterior, este não será um save com ficção. Como único elemento de ficção, vou dar um “background” básico pro clube (claro que as sagas podem ser vistas como ficção também, mas vocês entenderam o que quis dizer com ficção haha).
       

      Versão: FM 2020.
      Base dados: Grande.
      Ligas Carregadas.
      Mais Opções.
      A opção por adicionar jogadores a clubes acabou preenchendo as categorias de base do time, mas acredito que foi uma opção válida por duas razões: A primeira é porque assim todos os clubes das ligas inferiores, portanto rivais, terão plantéis completos, evitando jogar contra jogadores cinzas; a segunda é porque assim preenchem-se os elencos das ligas nórdicas, o que ajuda a cumprir uma das sagas (“Atravessando a Bifrost”), que seria praticamente inviável nesse começo de outra forma.
      Elenco Inicial: A ferramenta Criar um Clube permite que o jogador escolha como será montado o elenco do clube criado. Entre outras, as principais opções são: 1) manter o elenco do clube substituído; 2) limpar o elenco e começar sem jogadores, tendo que montar todo o elenco contratando dentro do jogo; 3) adicionar e remover jogadores a vontade, respeitando o orçamento salarial do clube. Optei pela primeira opção porque não quero perder tanto tempo no começo montando um elenco completo. Além disso, mantendo o elenco o jeito que está dá menos margem pra montar um time muito superior ao anterior, já que este elenco é cotado para o último lugar.
       

      Sagas são estórias contadas em prosa que misturam aspectos históricos com mitologia e religião. Para o save, as “Sagas” serão os objetivos/desafios propostos que misturam aspectos da mitologia nórdica com o futebol e o FM. Foi preciso adaptar muitas coisas, então peço que não estranhem, pois existem conceitos que serão variáveis para adaptar a mitologia aos objetivos (numa saga, “X” pode significar uma coisa, enquanto em outra, “X” pode significar algo diferente).
       

      A primeira saga consiste em percorrer a árvore que conecta nos 9 mundos nórdicos, lares de deuses, anões, elfos, gigantes e homens. Os nove mundos são representados pelas seis divisões inglesas e dois objetivos satélites.
      A jornada pela Yggdrasil do futebol inglês começa em Muspelheim e Niflheim (National League South/North). Os dois mundos coexistem, ficando um a norte e outro a sul, e foram os dois primeiros mundos a existir. Enquanto Muspelheim é um caos de fogo e calor, o ponto de partida onde Surt acordará e liderará o caminho dos gigantes à Asgard; Niflheim é coberto de gelo e névoa. A jornada pela Yggdrasil começa pelos primeiros mundos, pela liga mais baixa. *Obs.: Como não é possível disputar pelas duas regiões (norte e sul), os dois primeiros mundos coexistem em uma só liga, tal qual coexistem na mitologia.
      Chegar em Helheim (Acesso Direto) é complicado e muito pouco se sabe sobre esse mundo. Diz-se que para chegar em Helheim é necessário percorrer a Gjallarbrú, uma ponte coberta de ouro. Passar por Helheim representa o acesso direto de uma liga, sem passar pelos playoffs, encontrando o caminho de ouro. *Obs.: Este objetivo pode ser realizado em qualquer uma das 5 divisões que oferecem acesso.
      No segundo nível está Alfheim (Narional League). Na Edda de Prosa Gylfaginning, Alfheim, o mundo dos elfos, é descrito como o primeiro de uma série de mundos no céu. Assim, o próximo passo rumo ao céu é explorar a 5ª divisão inglesa.
      Após a terra dos elfos fica Nidavellir (League Two), a terra dos anões, que fica nos subterrâneos de Midgard. Chegar em Nidavellir representa estar a um passo da terra dos homens, representa chegar na League Two, a 4ª divisão.
      Passando pelo lar dos anões e subindo pela Yggdrasil, chegamos em Midgard (League One), a terra dos homens, o solo comum, onde se planta, colhe, briga e bebe. Além disso, “Mid” significa “meio”, que é a posição da League One, a 3ª divisão, na escalada das ligas inglesas.
      Após passar pela terra dos homens, é preciso passar por Jotumheim (Championship), a terra dos gigantes. Na Championship moram alguns gigantes do futebol inglês que, contudo, há muito não conseguem entrar em Asgard, como o Preston North End e o Nottingham Forrest.
      Antes de chegar no reino dos Aesir, é hora de chegar nos Vanir, em Vanaheim (Premier League). Um dos dois clãs de Deueses, os Vanir são rivais dos Aesir, os deuses asgardianos. Todos os clubes que chegam na Premier League são deuses apenas de estarem lá, porém apenas uma parcela destes chega a Asgard, onde ficam os deuses mais venerados e conhecidos. Chegar à Premier League é se juntar ao primeiro clã de Deuses, mas com a expectativa de chegar em Asgard.
      Por fim, no topo da Yggdrasil do futebol inglês, o lar de Odin, Thor, Balder, Tyr e outros. Enfim chegamos em Asgard (Ganhar a Premier League). É em Asgard que fica Valhalla, o grande salão onde os bravos guerreiros nórdicos são recebidos por Odin, festejam e se esbaldam em um banquete que durará até a chegada do Ragnarok. Chegar em Asgard é chegar aonde estão os Deuses, ou seja, os campeões. Significa ganhar a Premier League.
       

      A mitologia nórdica é repleta de seres lendários, cujos feitos (ou atrocidades) eram contados de geração para geração. Destaquei seis dessas figuras para serem grandes rivais: Fafnir, Odin, Thor e os três filhos de Loki com a gigante Angrboða. É necessário força e perseverança para ultrapassar esses seres lendários.
      Fafnir era um anão que matou seu pai em busca de tesouro, transformando-se em um dragão para proteger suas posses. Fafnir representa um clube pequeno que através do dinheiro se engrandeceu, o Manchester City.
      Odin é o pai de todos, o maior dos Deuses. O maior de todos é o que mais vezes conquistou o campeonato inglês e que tem a maior torcida, o Manchester United.
      Thor é o mais forte dos Deuses. Pode não ser o maior deles, ou talvez o mais venerado, mas é o mais temido. Com seis títulos da UCL, o Liverpool é o time inglês mais temido.
      De acordo com a mitologia nórdica, Loki teve diversos filhos (inclusive um cavalo de 8 patas, cuja história de sua concepção é sensacional), mas entre eles, três se destacam, seus filhos com a gigante Angrboða: Fenrir, Jörmungandr e Hela. Os três londrinos:
      Fenrir é um lobo gigante feroz e terrivelmente forte. Porém, Fenrir foi preso através do Gleipnir, um cordão feito pelos anões especialmente para este fim. Muito temido quando está solto, mas inofensivo quando é preso, o clube londrino que parece estar atado a algo e não consegue se desvencilhar é o Arsenal.
      Jörmungandr é a serpente que circula o mundo e ali vive ali desde que Odin a baniu de Asgard e a enviou para Midgard, há muito tempo. Como o clube do “big-six” que não vai à Asgard (que não é campeão da Premier League) há mais tempo, o Tottenham é o Jörmungandr do futebol inglês
      Hela foi banida por Odin para o mundo inferior, que recebeu seu nome (Helheim, aquele cujo único acesso é através de uma única ponte). O Chelsea foi o último dos filhos de Loki a ser rebaixado e conquistar o acesso direto por Helheim, na temporada 1988/89.
      Para derrotar um Deus ou um ser lendário não basta o vencer uma única vez. É necessário vencer várias batalhas para se vencer uma guerra. O objetivo, portanto, é segurar uma invencibilidade de 5 jogos contra cada um.
       

      Ragnarok pode ser traduzido para “destino dos deuses”, e é uma série de eventos que conduziriam ao fim do mundo. Alguns eventos são “profetizados” (por falta de palavra melhor) como sinais do Ragnarok e é aqui onde encontrei mais divergência entre fontes, então escolhi os que mais se adequariam a um save. Diferente das outras sagas, o objetivo aqui é não deixar que algo ocorra, no caso, o Ragnarok, evidentemente. Assim, para evitar o Ragnarok é preciso evitar que os sinais se concretizem. Na mitologia, até onde pude averiguar, há uma certa ordem para o acontecimento dos eventos, porém, para fins desse save, vamos dizer que o Ragnarok vem independente da ordem que seus sinais forem aparecendo.
      O primeiro sinal do Ragnarok é a morte de Balder, o Deus imortal. Para que esse sinal seja completo é preciso que o Viking Saga FC seja rebaixado, morrendo, de certa forma (claro que o rebaixamento não é a morte de um clube, mas o clube falir e ser refundado é meio difícil – senão impossível – de ocorrer no FM).
      Depois, vem o Fimbulvetr, o longo inverno, que dura por três anos consecutivos. Assim, o inverno será uma estagnação por 3 temporadas, ou seja, se estiver em uma divisão com condição de acesso (da 6ª à 2ª), significa ficar 3 anos sem alcançar a promoção, se estiver na Premier League, primeiramente o alvo é a vaga na UEL, depois para a UCL, então para o título. Ou seja, quando subir da 2ª para a 1ª divisão, começa a contar 3 anos para ter uma classificação para a Europa League, depois 3 anos para a Champions, e, então, 3 anos para o título, se chegar ao título sem ter causado o Fimbulvetr, o título deve ser renovado a cada 3 anos, pelo menos.
      Por fim, há o desaparecimento do sol e da lua. Esse foi mais complicado para adaptar à proposta desta saga, mas considero que o desaparecimento do sol e da lua é a demissão do treinador, deixando o clube na escuridão. Assim, a demissão não será necessariamente o fim do save, mas uma das condições para a chegada do Ragnarok.
      Se não conseguir evitar os três sinais, o Ragnarok acontece e traz consigo o fim do mundo, ou seja, o fim do save.
       

      A Bifrost é uma ponte que liga o reino dos homens ao reino dos Deuses. Para o save, representa a travessia dos jogadores nórdicos para a Inglaterra. Utilizar a Bifrost significa contratar pelo menos 4 jogadores de origem nórdica* por temporada (*Dinamarca, Finlândia, Groelândia, Ilhas Faroe, Islândia, Noruega e Suécia, e pode ser como 2º nacionalidade). Obs.: Para deixar claro, serão contabilizados eventuais jogadores trazidos para o time sub-19, inclusive aqueles eventualmente oriundos das fornadas do clube.
       

      Os Deuses nórdicos, como tais, tem muitos tesouros e artefatos valiosos, sendo presenteados frequentemente (geralmente como pedido de desculpa de Loki por ter feito alguma besteira). Alguns desses artefatos aparecem no conto “Tesouro dos Deuses”, do livro “Mitologia Nórdica” de Neil Gaiman. Além dos citados no conto, os Deuses têm outros tesouros valiosos (como a já citada Gleipnir para prender Fenrir). Cada artefato é único e de difícil acesso, abrangendo um aspecto do jogo.
      Brisingamen é o colar da deusa Freya, deusa da beleza e amor. Um artefato utilizado por uma deusa da beleza pode ser equiparado ao dinheiro, que seduz os jogadores. Adquirir o Brisingamen significa transformar o Viking Saga FC no clube mais rico do mundo.
      Draupnir é o anel de Odin que a cada 9 noites cria oito anéis de mesmo tamanho e peso que o original, multiplicando-se. Possuir um Draupnir é ter uma produção em massa de itens valiosos. Assim, para isto, é necessário ter 8 jogadores que vieram de fornadas no plantel principal, que iniciem ao menos 60% das partidas em uma temporada e conquistar um título expressivo. *Objetivo válido apenas para competições de 1º escalão (FA Cup, Premier Legue e Champions League)
      Gleipnir é a corrente que conseguiu prender Fenrir. As correntes que “prendem” os jogadores nos clubes são seus contratos. Obter este artefato é ter o jogador mais bem pago do mundo. (Obs.: Não é permitido aumentar a proposta salarial oferecida pelo agente do jogador)
      Gungnir, a lança de Odin, que nunca erra o alvo, sempre volta à sua mão e torna os juramentos prestados inquebráveis. Significa acertar precisamente uma contratação e transformar um jogador contratado em ícone ou lenda do clube.
      Hugin e Munin, são os corvos de Odin, contam a ele tudo que ouvem e tudo que veem. São os olheiros do clube, claro. Hugin é ter a melhor equipe de observação da Premier League. Munin é ter conhecimento de 35% do mundo (se atingir muito cedo, aumentamos).
      Maçãs de Iduna. Iduna é a Deusa da Juventude. Ela carrega consigo uma cesta de maçãs que fazem com que os deuses permaneçam jovens. Quando um Deus começa a sentir o efeito do envelhecimento, uma mordida das maças de Iduna é o suficiente para recuperar a força e juventude. A renovação é necessária em todo clube de futebol. Comer dessas maçãs é ser campeão com o elenco mais jovem. *Objetivo válido apenas para competições de 1º escalão (FA Cup, Premier Legue e Champions League)
      Mjolnir, o martelo de Thor é o mais famoso e desejado dos tesouros, aqueles que todos querem, mas apenas um tem. Representa ter um jogador reconhecido como o melhor jogador do mundo.
      Espero que apreciem essa viagem!
       
    • Makengo
      By Makengo
      Boas.
      Uma história na 1ª pessoa do meu atual Save, no Borussia Dortmund. Irei começar na temporada de 2026-27, mas darei flashbacks ao longo da temporada.
       
       
×
×
  • Create New...