Jump to content

Fiorentina: Reerguendo a Itália


thaumaturgo
 Share

Recommended Posts

Bom de estar na seleção é ter um melhor conhecimento dos craques italianos.

E que belíssima fase da esquadra azurra.

 

Link to comment
Share on other sites

Em 28/01/2020 em 09:21, Neynaocai disse:

Bom de estar na seleção é ter um melhor conhecimento dos craques italianos.

E que belíssima fase da esquadra azurra.

 

A princípio eu aceitei o convite achando que teria que rescindir o contrato com a Fiorentina. Mas aí vi que o jogo permite jogar com os 2 times. 

De qlqr forma, pra Fiorentina não vai adiantar mt, já que seria minha última temporada pelo time mesmo. 
Mas o bom de ter feito o save inteiro na Itália, é que a parte de analisar os jogadores foi mais fácil. 
Embora tenha muito jogador bom espalhado pela Europa, tem uns nomes aí que estou de olho pra seleção que já me causaram muita dor de cabeça na Liga. 

 

Link to comment
Share on other sites

Capítulo 22 - Adeus Florença!

O final da temporada 24/25 foi muito bom na liga nacional, embora tenhamos sido eliminados nas oitavas de final da Liga dos Campeões pelo Real Madrid.

Em fevereiro, com o calendário apertado mantemos a série de vitórias, até sofrermos uma derrota no meio do mês para o Perugia Calcio, que sempre se mostrou um time perigoso.

Na Liga dos Campeões tivemos a infelicidade de cair para o Real Madrid em dois jogos muito difíceis.

A partir deste momento, o título da Liga se tornou nossa obssessão. Alternamos jogos excelentes com outros bem ruins e perdemos a final da Copa Itália na prorrogação.

Em maio, com a mão na taça, emendamos uma boa sequência jogos e fechamos o campeonato 5 pontos à frente da Atalanta de Bérgamo.

Foram 7 anos bem vitoriosos em Florença, com 13 títulos e boas campanhas no campeonato Italiano e na Liga dos Campeões.

Dentre os títulos, se destacam os 4 scudettos, a Liga dos Campeões da UEFA e duas Liga Europa.

Modéstia a parte, eu acho que consegui colocar a Fiorentina entre os principais times do continente.

Agora o objetivo da minha carreira será trazer mais uma Copa do Mundo para a Itália.

Copa Itália

Até que jogamos muito bem contra a Sassuolo e fomos pra final favoritos ao título.

Mas a Inter travou o jogo até a prorrogação. Num vacilo da zaga eles abriram o placar.

Com isso, mandei o time inteiro pro abafa e, num contra-ataque, eles fecharam o confronto.

7.3---copa-italia-chaveamento139903b115eaf552.png

UEFA Champions League

Na UCL tivemos um sorteio difícil, mas mesmo assim a gente se considerava favorito para a classificação.

Acho que o grande problema foi não ter Eduardo Vazques disponível nos dois jogos, por conta de lesão. O argentino estava jogando muito bem como Shadow Striker e talvez sua presença nos jogos fizesse a diferença necessária para a classificação.

ucl - jogos

Campeonato Italiano

Eliminados da Copa e da Liga dos Campeões, só sobrou correr atrás do Italiano. Chegamos na 33ª rodada com outros 4 concorrentes ao título.

Mas nessa altura, com 4 pontos de vantagem, 5 jogos restantes e uma tabela relativamente tranquila, teríamos que fazer bastante esforço pra deixar o scuddetoescapar.

7. 3 italiano jogos

7.3---italiano---classificacaoc240c0abd5357665.png

Despedida

13 títulos em 7 anos.

Minha caminhada com a Fiorentina foi uma jornada que misturou paciência, trabalho duro e evolução.

Do elenco inicial, Biraghi, Benassi, Milenkovic e Diakhaté foram os únicos que permaneceram até o fim. Biraghi, por muito tempo, foi uma das armas ofensivas mais importantes do time. Se tornou uma lenda para a referência para a torcida por conta de todo seu comprometimento. Benassi foi a referência do meio campo e foi acompanhando toda a evolução do setor. Milenkovic e Diakhaté estavam aí desde o começo e evoluíram bastante, junto com o time. Sempre se mostrando úteis ao elenco e muitas vezes sendo fundamentais para a progressão da equipe.

Dos jogadores que foram contratados, Antônio Marin veio para ser o craque do time e foi. Já o sérvio Joveljic veio para disputar seu lugar no ataque e eu tive uma surpresa muito grata quando percebi o resultado absurdo que o sérvio teve quando treinei ele em outras posições. Principalmente como Raumdeuter pela direita. Posição que hoje em dia já é praticamente natural para o ataque.

Mandragora e Tonali chegaram como talentos italianos prestes a explodir e aproveitaram o espaço que tinham para mostrar ao mundo seu futebol: simplesmente controlaram o meio campo quando estavam presentes.

Por fim, Eduardo Vázquez, Hélcio Correia e Edgardo Medina vieram da América do Sul fazer sucesso no time. Só lamento por não ter tido acesso a um zagueiro como Medina antes no save.

Dos jogadores que saíram, os que eu mais lamento a perca foram Lafont e Mason Mount. O goleiro tinha muito talento, inclusive foi campeão mundial pela França, mas poderia ter conquistado todo o resto aqui.

Mason Mount encantou Florença por seis meses e foi embora do nada sem explicação.

Por fim, vale o destaque à Sebastian Szymanski. O polonês em nenhum momento se alçou a posição de craque, ou de resolvedor de problemas do time. Mas sempre que precisamos ele estava lá.

Seus escanteios eram meio-gol e nos momentos em que o time tinha dificuldade de criar, ele estava lá para dar os seus passes e cruzamentos perfeitos.

7.3---sala-de-trofeusb38bacd25676d31c.png

Títulos

  • 1x Liga dos Campeões da Europa
  • 2x Liga Europa
  • 4x Campeonato Italiano
  • 2x Copa Italia
  • 1x Mundial Interclubes da FIFA
  • 1x Supercopa Europeia
  • 2x Supercopa da Itália

7.3-treinador---titulosc65c12247d94c5f1.png

Informações adicionais

Link to comment
Share on other sites

Capítulo 23 - UEFA Nations League e Copa das Confederações

Meu grande objetivo com a Azzurra é trazer mais uma Copa do Mundo e igualar a Itália com o Brasil em número de troféus.

Mas o caminho ainda é longo até a América do Norte e nesse meio tempo, ao final da temporada 2024/25 tivemos a oportunidade de participar de duas competições internacionais.

Estávamos entre as seleções favoritas em ambas as ocasiões, mas infelizmente não conseguimos trazer nenhum caneco.

UEFA Nations League

Na competição da UEFA nosso time, meio desligado, perdeu para Portugal, já sem Cristiano Ronaldo, nos penaltis.

A Itália sobra contra seleções fracas mas tem muita dificuldade de abrir defesas bem montadas.

Na final, a forte Inglaterra finalmente levou um troféu para casa, já quase 80 anos depois do jejum.

Mas o feito mais incrível pra mim foi ter vencido a França. O time de Mbappé, Martial, Lafont e Dembelé vem impondo uma hegemonia no futebol mundial, mas não consegue repetí-la na Europa.

uefa-nations-league5025964c0b8ee3c2.png

Copa das Confederações

Na Copa das Confederações tivemos um fase de grupo relativamente tranquila, onde goleamos todos os jogos.

Nas semifinais tivemos o difícil de desafio de jogar contra a seleção brasileira de Hélcio Correia, meu craque na Fiorentina, Baggio e Diego Maradona.

Já na final, num jogo bem difícil, perdemos para a França. A seleção francesa é muito forte no late game.

Incrível ver como os franceses estão mantendo a hegemonia desde a conquista da Copa de 2018.

taca-das-confederacoes---grupo5c474f858b95caf0.png

taca-das-confederacoes48dc052505eeeed2.png

Calendário dos jogos

Para o resto do ano a meta é vencer todos os jogos e achar um jeito de jogar um futebol ofensivo e eficiente.

calendario-de-jogosfbe7f926976f0f8d.png

Link to comment
Share on other sites

Capítulo 24 - Eliminatórias para a Copa

Sobramos nas eliminatórias. 8 jogos, 8 vitórias.

Não tivemos muitas dificuldades, exceto pela Albânia, que ofereceu bastante resistência contra o nosso time.
No jogo da volta, já classificados, quase empatamos com a seleção dos Balcãs, não fosse o gol de Pellegri no último minuto.

jogos---eliminatorias73cae01818a9fd9d.png

Espinha dorsal do time

Jogamos todos os jogos começando com um 4231 com pontas, mas durante os jogos fiz várias experimentações com outras formações, como por exemplo um 433 e um 4312.

Com isso eu consegui definir um estilo de jogo ofensivo e propositivo, em que dominamos o meio campo e tentamos acionar os quatro jogadores ofensivos para invadir a área.

Além disso, já consegui definir 17 jogadores para a Copa do Mundo.

convocacao-inicial---italiae8778c78026b85e3.png

  • Goleiros: Meret e Donnarumma
  • Zagueiros: Caldara, Varnier, Romagnoli
  • Laterais direitos: Gallina
  • Lateral esquerdos: Luca Pellegrini, Emerson
  • Meio campo: Barella, Mandragora, Riccardi, Di Vaio, Chiesa, Tonali
  • Ataque: Kean, Pellegri, Salcedo

Notícias

Link to comment
Share on other sites

Capítulo 25 - De volta aos Estados Unidos

Jogos preparativos

Nos amistosos feitos no semestre anterior à copa nós não mostramos o futebol bonito visto nas eliminatórias. Mas pelo menos o time se mostrou bastante seguro, principalmente diante do Uruguai.

amistosos8c89dca940a5318d.png

Convocados

lista geral dos convocados

Informações adicionais

Formações táticas

A principal formação desse time permanecerá sendo o 4231, com Di Vaio e Chiesa ditando o ritmo do jogo, enquanto dois meio campistas darão equilíbrio e segurança, armando mais de trás.

Sandro Tonali vem para o time como uma opção para mudar o estilo de jogo: com ele em campo dá pra mudar seguramente pra um 4123(ou 433) em que ele jogaria como Regista(Organizador móvel).

Na defesa eu levei um lateral a menos, com o objetivo de liberar outro espaço no meio de campo.

Tínhamos muitas opções de qualidade pra jogar no meio: Riccardi, Melegoni, Lorenzo Pellegrini, Nicola Barella e Mandragora. Além de outras opções mais avançado: Di Vaio, Cortinovis e Gaetano.

Tantas opções no meio campo também permitem que a gente jogue num 4312 nos momentos em que precisarmos segurar o jogo.

Grupos da Copa do Mundo

copa---grupo-c---2b55b5e65069d5fab.png

Link to comment
Share on other sites

Muito boa sua trajetória a frente da Fiorentina, o legado deixado é surpreendente, o status de 5 estrelas mostra que o treinador chegou no mais alto nível de sua carreira, claro, a partir de agora, na luta pelo tão sonhado título mundial com a seleção italiana. Fica aqui minha pergunta: Caso não consiga igualar o Brasil nesse mundial, pretende levar o save até a outra Copa do Mundo? Mais uma vez, parabéns pelo grande save apresentado.

Link to comment
Share on other sites

Em 13/02/2020 em 20:02, Vannces disse:

Muito boa sua trajetória a frente da Fiorentina, o legado deixado é surpreendente, o status de 5 estrelas mostra que o treinador chegou no mais alto nível de sua carreira, claro, a partir de agora, na luta pelo tão sonhado título mundial com a seleção italiana. Fica aqui minha pergunta: Caso não consiga igualar o Brasil nesse mundial, pretende levar o save até a outra Copa do Mundo? Mais uma vez, parabéns pelo grande save apresentado.

Depois dessa copa vou encerrar minha carreira. O conteúdo está escrito, mas tá difícil até mesmo pra achar tempo pra revisar e postar no fórum 😫

 

Link to comment
Share on other sites

Uma temporada com pouco brilho, comparada com a anterior, mas ainda assim na história da Viola.

A seleção pega um treinador vencedor em um momento interessante.

E teu primeiro save no FM?

Link to comment
Share on other sites

Em 26/02/2020 em 17:45, Neynaocai disse:

Uma temporada com pouco brilho, comparada com a anterior, mas ainda assim na história da Viola.

A seleção pega um treinador vencedor em um momento interessante.

E teu primeiro save no FM?

que eu postei no fórum sim. 
Mas anteriormente eu tinha feito dois saves curtos com Liverpool e  Tottenham no FM18 pra conhecer o jogo. 
Depois no FM19 fiz aquele clássico save com o Nottingham Forest. 

Aí no meio do ano passado eu resolvi jogar com a Viola. 

Agora eu to querendo fazer outro, melhor, no FM 20. Mas preciso me organizar pra conseguir jogar, escrever e postar certinho aqui no fórum.

Link to comment
Share on other sites

Capítulo 26 - Copa do Mundo

Enfim cheguei ao maior torneio do futebol.

A copa de 2026 é a primeira com o bizarro regulamento de 48 times.

Fase de grupos

Infelizmente em 2026 temos a primeira copa com o regulamento de 48 times e seus grupos de 3 na primeira fase. Pelo menos a primeira fase foi bastante tranquila.

No primeiro jogo vencemos o Chile com autoridade por 3 a 0.

Já no segundo nos deparamos com uma retranca complicada do Irã. Mas administramos o jogo e saímos com o 0 a 0 que já nos classificava como primeiros do grupo.

Resultados da fase de grupo

32-avos de final:

Aqui, um clichê. Enfrentamos os donos da casa no primeiro jogo do mata mata. E não seria injusto dizer que o México jogou como nunca e perdeu como sempre.

Foi um puta jogo emocionante em que os mexicanos não se intimidaram com nosso elenco e vieram pra cima. Mas fizemos valer a nossa superioridade técnica e Pelleri acabou com o jogo.

Oitavas de final

A Tunísia foi um adversário relativamente tranquilo. Eu aproveitei pra rodar um pouco o elenco e descansar os principais jogadores, pois eu sabia que, passando das oitavas, das quartas de final em diante só enfrentaríamos pedreiras.

Mas eu tive o cuidado de manter certa qualidade na criação e na finalização do time. Por isso, Kean e Chiesa serviram de referência para o time e principalmente para Cortinovis e Gaetano.

Quartas de final

A Espanha nos ofereceu um clássico absurdamente difícil em que Alex Meret foi o homem do jogo com toda certeza.

Em um jogo travado e feio de assistir, o único gol veio num penalti.

Semifinais

A semifinal foi difícil. Talvez mais difícil até do que a partida contra a espanha.

Luca Pellegrini, Di Vaio e os meio campistas jogaram muito bem a partida inteira, mas o time morria quando a bola chegava no ataque.

Chiesa, Kean e Pellegri foram nulos enquanto estiveram em campo.

Salcedo entrou no lugar de Pellegri já no intervalo, após André Silva abrir o placar para os portugueses.

Com sua entrada, notamos uma melhoria do time no setor ofensivo e aí martelamos os portugueses, até Salcedo empatar o jogo aos 41 do segundo tempo.

Na prorrogação, Portugal estava bem mais cansado que o nosso time.

Assim, quando viramos o jogo logo no começo do tempo extra, os lusitanos simplesmente não tinham mais pernas pra correr atrás do resultado.

Por fim, o time administrou o resultado e chegamos à final pela primeira vez em 20 anos.

Final

Pra final, o nosso adversário foi justamente o time que vem impondo uma hegemonia no futebol mundial na última década.

Eu estudei muito o time francês e resolvi ir com uma formação mais balanceada defensivamente do que o 4231.

Escalei o time com: Meret, Gallina, Varnier, Rugani, Luca Pellegrini, Sandro Tonali, Barella, Lorenzo Pellegrini, Federico Chiesa, Salcedo e Pellegri.

A ideia era garantir a estabilidade defensiva e trabalhar a bola pelo meio. Assim, atacaríamos com 3 atacantes: os pontas cortando pra dentro, o centroavante espetado no ataque e Lorenzo Pellegrini foi escalado no meio campo especialmente para poder atuar como um box-to-box e apoiar a construção na fase ofensiva.

Além disso, a ideia era fazer os laterais subirem bastante e Tonali ficaria como volante, pra não deixar nosso sistmea defensivo muito fragilizado.

Afinal, tínhamos que respeitar bastante Mbappé, Dembelé, Martial(que estava no banco) e o regen Lamiaux.

Assim que o jogo começou, nós tentamos impor nosso ritmo e nosso estilo de jogo. Mas a França não deixou barato e também se impôs e manteve a posse de bola na mesma proporção que a Azzurra.

Porém nós chegávamos no ataque com muito mais perigo. Pellegri e Chiesa perderam boas chances, enquanto Mbappé seguia sumido do outro lado.

Nós jogamos melhor a partida inteira, mas aí aos 36 minutos do segundo tempo, o regen do ataque francês, Lamiaux rompeu nossa zaga e acelerou pela ponta esquerda para fazer o gol.

Um banho de frustração parecia cair sobre a torcida, mas eu não me abalei. De forma quase instantanea, saquei o Tonali, mudei o time para um 4231 e botei o jovem Vicenzo Di Vaio para jogar como shadow striker.

Sai um craque da Viola para entrar outro.

E aí martelamos a França nos cinco minutos que se seguiram até que Moise Kean empatou o jogo com um gol de cabeça.

Ainda perderíamos uma chance absurda com Chiesa, que saiu na cara do goleiro Francês. E como jogou bola esse goleiro francês, Florrian Perrin, outro regen.

Na prorrogação a chave virou. A França que jogou pior o jogo inteiro começou a jogar muito bem e a oferecer muito perigo. E pra piorar, perdemos Chiesa por lesão, com todas as substituições já feitas.

Então mudei o esquema para segurar o jogo e instruí o time a jogar cautelosamente, já com o objetivo de levar a decisão para os penalties.

Mais uma final nos Estados Unidos e mais uma vez nos penalties. Mas dessa vez, os italianos acertaram todos os chutes e a Copa do Mundo, pela quinta vez, é da Itália!

Notícias e Informações Adicionais

Link to comment
Share on other sites

Epílogo - Aposentadoria

Após 8 anos no banco de reservas, eu decidi parar.

Finalizo este trabalho após 13 títulos pela Fiorentina e uma Copa do Mundo pela seleção Italiana.

E além disso, fazendo excelentes campanhas e jogando muito bem.

Em 2019 eu assumi a Fiorentina, um clube já destinado ao meio da tabela e a ergui até o patamar mais alto do futebol europeu.

Transformei jovens promessas do time, como Lafont e Chiesa em craques de nível mundial.

E também trouxe tantos outros jovens para se desenvolver por aqui.

Alguns desses ficaram e conquistaram títulos.

Títulos

  • 1x Liga dos Campeões da Europa: 2023/24
  • 2x Liga Europa: 2020/21, 2021/22
  • 4x Campeonato Italiano: 2021/22, 2022/23, 2023/24, 2024/25
  • 2x Copa Italia: 2021/22, 2023/24
  • 1x Mundial Interclubes da FIFA: 2024/25
  • 1x Supercopa Europeia: 2021/22
  • 2x Supercopa da Itália: 2023/24, 2024/25
  • 1x Copa do Mundo: 2026

Resumo

  • 2018/19

    • 4º colocado no Campeonato Italiano
    • Eliminado na primeira rodada da Copa Itália para o Verona
  • 2019/20

    • 3º colocado no Campeonato Italiano
    • Eliminado na fase de grupos da UEFA Champions League
    • Eliminado nas quartas de final da Copa Itália para a Lazio
    • Eliminado nos 32 avos de final da Liga Europa para o Manchester United
  • 2020/21

    • 8º colocado no Campeonato Italiano
    • Eliminado na Copa Itália nas semifinais pela Internazionale
    • Campeão da Liga Europa
  • 2021/22

    • Campeão da Supercopa da UEFA
    • Eliminado na Liga dos Campeões da UEFA na fase de grupos
    • Campeão Italiano
    • Campeão da Copa Itália
    • Campeão da Liga Europa
  • 2022/23

    • Derrotado na Supercopa da UEFA pela Roma
    • Eliminado na Liga dos Campeões da UEFA nas semifinais pelo Liverpool
    • Derrotado na Supercopa da Itália pelo Milan
    • Eliminado na Copa Itália nas semifinais para a Internazionale
    • Campeão Italiano
  • 2023/24

    • Campeão da Supercopa
    • Campeão Italiano
    • Campeão da Copa Itália
    • Campeão da Liga dos Campeões da UEFA
  • 2024/25

    • Derrotado na Supercopa da Europa para o Manchester United
    • Eliminado da Liga dos Campeões da UEFA nas oitavas de final pelo Real Madrid
    • Campeão da Supercopa da Itália
    • Campeão da Copa Itália
    • Campeão Italiano
  • 2024

    • 1º colocado na fase de grupos da Liga das Nações
  • 2025

    • Eliminado da Liga das Nações nas semifinais para Portugal
    • Derrotado na Copa das Confederações na final pela França
  • 2026

    • Campeão da Copa do Mundo

Estado da Fiorentina em 2030

Em 2030, 5 anos depois da saída de Gianluigi Mazzola, a Fiorentina mantém sua hegemonia no futebol doméstico e agora impõe outra no cenário europeu.

Pep Guardiola comanda a nova geração de talentos que dominaram o Barcelona nos últimos confrontos decisivos.

trofeus

titulos-e-campanhas-da-fiorentina0b1204d6142eeca6.png

Coeficientes e reputação

Últimos campeões

Estado da Itália em 2030 (copa do mundo)

Decepcionante.

Só isso tenho a dizer. Após um épico título em 2026, a envelhecida geração Italiana decepcionou e caiu na primeira fase do mata-mata.

Já a Rússia, surpreentemente, montou um time muito bom e conquistou tanto a EURO 2028, como a Copa do Mundo de 2030.

Até logo!

Obrigado a todos aqueles que acompanharam essa saga. Foi meu primeiro save que eu postei aqui no fórum e posso dizer que estou bem contente de ter tocado esse projeto até o final. Ao longo do tempo eu fui percebendo e descobrindo que várias coisas nos textos e nos formatos eu poderia ter feito melhor.

Além disso, percebi que descrever um save abre uma nova dimensão de imersão no jogo. Ao longo dessa jornada, junto de várias leituras paralelas, eu consegui entender melhor certos aspectos do jogo, como o desenvolvimento de jogadores e o motor tático.

E consegui também me envolver mais intensamente com o jogo. O fato de ter que escrever, me fez absorver melhor todas as informações possíveis das minhas equipes nesse tempo todo.

Por outro lado, desde o começo eu sempre achei que hora ou outra eu iria dropar esse projeto no meio do caminho, igual faço com qualquer coisa na minha vida. Por isso, ter chegado até aqui representa alguma coisa pra mim ;D.

Prometo que daqui um tempo eu volto, com um save no FM20, num desafio mais interessante, postando conteúdo de forma mais constante e testando novos formatos.

Por fim, deixo para o leitor uma curiosidade: Messi treinando o Figueirense

Link to comment
Share on other sites

Parabéns pelo suado título mundial. E por tudo que conquistou no save. Foi legal de acompanhar 🙂

Legal saber que tu curtiu a experiência de jogar compartilhando aqui. É realmente uma forma bem diferente de jogar. No aguardo do teu retorno para o próximo save.

Link to comment
Share on other sites

6 horas atrás, thaumaturgo disse:

Por fim, deixo para o leitor uma curiosidade: Messi treinando o Figueirense

E ainda treinou o Caxias antes, apenas 2 anos após se aposentar huahuahuah

Parabéns pelo término da saga, ficou tudo bem redondinho, uma ótima forma de começar o save. Senti falta de sua participação no save dos colegas na área, espero te ver frequentando mais a área nos próximos meses. E claro, criando conteúdo novo.

Valeu!

Link to comment
Share on other sites

Parabéns por ter conseguido chegar ao término do save, mesmo sendo um save de curta duração. Muitos não levam isso em conta, mas concluir um save é mais importante do que se possa imaginar, principalmente com relação a saves futuros.

Legal também que você teve uma experiência interessante e que lhe trouxe várias descobertas e que serviu para mostrar para você mesmo que é capaz de completar os projetos a que se propõe.

Quando teremos o próximo?

Link to comment
Share on other sites

  • marciof89 changed the title to Fiorentina: Reerguendo a Itália
  • marciof89 locked this topic
Guest
This topic is now closed to further replies.
 Share

  • Similar Content

    • Nei of
      By Nei of
      “Depois de maio de 1940, os bons tempos se acabaram: primeiro a guerra a capitulação, seguida da chegada dos alemães. Foi então que, realmente, principiaram os sofrimentos dos judeus. Decretos anti-semitas surgiam, uns após os outros, em rápida sucessão. Os judeus tinham de usar, bem à vista, uma estrela amarela; os judeus tinham de entregar suas bicicletas; os judeus não podiam andar de bonde; os judeus não podiam dirigir automóveis. Só lhes era permitido fazer compras das três as cinco e, mesmo assim, apenas em lojas que tivessem uma placa com os dizeres: LOSA ISRAELIA. Os judeus eram obrigados a se recolher a suas casas às oito da noite, e, depois dessa hora, não podiam sentar-se nem mesmo em seus próprios jardins. Os judeus não podiam frequentar teatros, cinemas e outros locais de diversão. Os judeus não podiam praticar esportes publicamente. Piscinas, quadras de tênis, campos de hóquei e outros locais para a prática de esportes eram-lhes terminantemente proibidos. Os judeus não podiam visitar os cristãos. Só podiam frequentar escolas judias, sofrendo ainda uma série de restrições semelhantes.
      Assim, não podíamos fazer isto e estávamos proibidos de fazer aquilo. Mas a vida continuava, apesar de tudo Jopie costumava dizer-me: _ A gente tem medo de fazer qualquer coisa porque pode estar proibido. _ Nossa liberdade era tremendamente limitada, mas ainda assim as coisas eram suportáveis.” Diário de Anne Frank, págs. 11 e 12.
       
      Não possuo qualquer ligação com a comunidade judaica, nem ascendência ou apreço maior por algum clube com tal relação. Por outro lado, os absurdos cometidos pelos nazistas foram muito bem documentados para não deixar ninguém incauto. Nada obstante, a idiotice humana aparece com mais força em tempos e situações de escassez (econômica, política, cultural...), portanto não me surpreendem que manifestações preconceituosas se reciclem em nossa história.
      A não ser que cheguemos em um tempo de disponibilidade total de recursos (o que considero improvável), entendo que o preconceito sempre existirá, transmutando-se em mentes fracas e com medo. Sim, o preconceito é a voz do medo e faz do ódio seu fio condutor. Por isso, não consigo ver muito sentido na frase comum: “não acredito que em 2019 alguém ainda pense assim”. Pois pensamos absurdos todo santo dia e o melhor que podemos fazer é explorar nossas opiniões, amadurecê-las e buscar evoluir – a expressão preconceituosa é imatura, fechada em si mesma e irracional.
      Apesar de não ser judeu, meu nome – para quem ainda não sabe – é Israel (tambores de revelação). O livro da Anne Frank chegou agora em minha vida e a genialidade, sensibilidade e capacidade de transmitir a crueldade e dor de um período com a sutileza do olhar de uma criança de 13 anos, me tocou demais.
      Pensei, portanto, em fazer uma jornada entre Alemanha e Holanda, lugares por onde Anne passou. Mas como ficaria um tanto limitado, decidi que vou começar de baixo, trabalhando em clubes com ligações à comunidade judaica, especialmente em Alemanha, Holanda e Israel, eventualmente jogando em algum clube dos EUA. O objetivo é chegar ao topo da carreira treinando Ajax e/ou Tottenham.
      A princípio começaria em Frankfurt, mas não consegui encontrar na base de dados (German System Football League - dica muito boa do @Johann Duwe) que estou utilizando o FC Gudesding Frankfurt, um clube criado por amigos judeus em Frankfurt an Main, cidade de nascimento de Anne. Enquanto procurava, me chamou atenção o TuS Makkabi Berlin e é por lá que vamos começar. Ou melhor, por onde Pedro Van Pels vai começar sua carreira.
       
      Makkabi Berlin
      Fundado em 1898, o clube antecessor Bar Kochba Berlin era uma das maiores organizações judaicas do mundo em 1930, com mais de 40.000 membros de 24 países, parte do movimento geral de Bar-Kochba destinado a promover a educação física e a herança judaica. O clube organizou equipes em vários esportes, incluindo um time de futebol que competiu nas ligas da cidade entre 1911 e 1929. Em 1924, Lilli Henoch, recordista mundial de eventos de discus, arremesso de peso e revezamento de 4 × 100 metros, treinou as mulheres. (Henoch foi assassinada pelos nazistas em um gueto próximo a Riga, Letônia, em 1942).
      Em 1929, o Bar Kochba fundiu-se com o Hakoah Berlin para formar o clube esportivo Bar Kochba-Hakoah . O lado Hakoah teve um sucesso cada vez maior, conquistando três campeonatos consecutivos na divisão inferior entre 1925 e 1927. Eles eram promovidos a cada vez até que, em 1928, jogavam futebol de primeira linha. O lado recém-combinado continuou a competir como Hakoah depois de 1929.
      A ascensão ao poder dos nazistas no início dos anos 30 levou à discriminação contra judeus e, em 1933, as equipes judias foram excluídas da competição geral e limitadas a jogar em ligas ou torneios separados. Em 1938, as equipes judaicas foram banidas imediatamente, quando a discriminação se transformou em perseguição.
      Em 26 de novembro de 1970, o TuS Makkabi Berlin foi formado a partir da fusão da Bar-Kochba Berlin (ginástica e atletismo), Hakoah Berlin (futebol, restabelecido em 1945) e Makkabi Berlin (boxe).
      Aparentemente não possui quaisquer títulos, mas poderei descobrir mais sobre o clube no decorrer.
      O clube joga a Berlin Liga, que faz parte do sexto nível do futebol alemão, tendo o seguinte caminho de ascensão:

       
      Índice:
      Histórico:
      Ligas selecionadas:
       
    • AllMight
      By AllMight
      A REENCARNAÇÃO DO HERÓI
      Olá, aqui estou de volta, já faz algum tempo que estava planejando este save mas nos últimos meses não tinha motivação para jogar FM novamente, isso tudo voltou quando estava com um PC velho e resolvi baixar o FM13 para passar um tempo, foi baixar o game e vontade de jogar veio com tudo pra cima de mim. Isso já faz um tempo, fui me segurando para não começar o save sem um formato estabelecido e conversando com um pessoal daqui da área e especialmente o @Tsuru fui estabelecendo as diretrizes do save.
      O save será totalmente dentro da Dinamarca, embora eu tenha carregado mais algumas ligas elas estão como "ver apenas", e terá como objetivo principal treinar a Seleção Dinamarquesa e superar a melhor campanha da seleção em Copas do Mundo, mas para isso preciso percorrer um longo caminho, meu treinador começará sua jornada com 20 anos e sem qualificações anteriores e com um passado somente no futebol amador. O nome dele será Holger Dasnke, o mesmo nome do herói que segundo a lenda quando a Dinamarca passar por um perigo iminente ele levantará do seu trono e libertará a nação.

       
      DIRETRIZES DO SAVE
      Não sair dos clubes pedindo demissão ou se candidatando a outros clubes, só sair em fim de contrato ou sendo demitido. Não assumir clubes de divisões superiores ao meu antigo clube. Na primeira divisão até ganhar um título nacional, só assumir clubes que acabaram de subir ou da segunda divisão. Não assumir a seleção principal da Dinamarca sem antes ganhar um título nacional de primeira divisão. Não usar a barra de pesquisas para contratação de jogadores/staff, usar somente a base de dados fornecidas pelos olheiros do clube e pelos agentes.  
      OBJETIVOS DO SAVE
      Ganhar o Campeonato Dinamarquês Ganhar a Eurocopa Ganhar as Olimpíadas Chegar em uma Semi-Final de Copa do Mundo  
      ÍNDICE
      Temporada 1
      O primeiro emprego
      Os heróis improváveis
      Uma contratação mágica: Ibra chega ao Kolding!
      Um pistoleiro sem balas
      Temporada 2
      Seguindo os passos do mestre Fernando
      Um segundo turno complicado
      Um pouco de esperança
      Temporada 3
      Início muito promissor
      Consistência
      A primeira conquista do herói
      Temporada 4
      Novo lar
      Os verdes
      Trapalhões
      O azarado
      Temporada 5
      Começo decepcionante
      Um leve progresso
      A maldição da décima colocação
      Temporada 6
      O herói ainda resiste...
      Temporada 7
      De volta ao lar
      Os primeiros jogos
      O fim da batalha
      Temporada 8
      Lutando contra leões
      Choque de realidade
      De volta ao jogo
      Relações estremecidas
      Correnteza alviceleste
      Temporada 9
      Olá, Superliga!
      Recorde negativo
      Saco de pancadas
      Temporada para esquecer
      Temporada 10
      Convite inusitado
      Mudanças à vista
      A volta das férias
      A decisão
       
      RETROSPECTIVAS
      Retrospectiva 2018-2023
      Retrospectiva 2023-2028
       
      HISTÓRICO DE CLUBES
      Kolding BK (2019 - 2022)
      (2019/20) 15º na 2. Division / Eliminado nas oitavas de final da DBU Pokalen
      (2020/21) 7º na 2. Division / Eliminado na Segunda Eliminatória da DBU Pokalen
      (2021/22) 1º na 2. Division 🏆 / Eliminado na Segunda Eliminatória da DBU Pokalen
      Viborg FF (2022 - 2024)
      (2022/23) 3º na NordicBet Liga 🥉 / Eliminado nas oitavas de final da DBU Pokalen
      (2023/24) 5º na NordicBet Liga / Eliminado na semi final da DBU Pokalen 🥉
      Hobro IK (2024 - 2025)
      (2024/25) 6º na NordicBet Liga / Eliminado na semi final da DBU Pokalen 🥉 Assumiu na semi-final
      FC Helsingør (2026 - 2029)
      (2025/26) 3º na NordicBet Liga 🥉 Assumiu em 5º / Eliminado nas oitavas de final da DBU Pokalen Assumiu com o clube já eliminado 
      (2026/27) 1º na NordicBet Liga 🏆 / Eliminado nas quartas de final da DBU Pokalen
      (2027/28) 12º na Superliga / Eliminado na segunda eliminatória da DBU Pokalen
      (2028/29) 4º na NordicBet Liga / Eliminado na semi final da DBU Pokalen
       
      TÍTULOS DO TREINADOR
      2. Division
      (2021/22) Kolding BK
      NordicBet Liga
      (2026/27) FC Helsingør 
       

    • Leho.
      By Leho.
      📆 Hoje, 11/07
      ⏰ 16h (Brasília)
      📺 SporTV e Globo
      🗣️ Árbitro Bjorn Kuipers, 🇳🇱
      🏟️ Wembley Stadium
       
       
      Escalações logo mais.
    • Leho.
      By Leho.
      Promessa de ser um bom jogo. Realidade: jogo truncado no meio-de-campo com poucas chances de gol, hahahaha.
      Itália pra mim tem um LIGEIRO favoritismo, por aquilo que já mostrou nessa Euro e pela invencibilidade histórica que vem construindo até antes da competição. Bélgica tem (ótimas) peças que podem desequilibrar, e isso equipara as forças.
    • Leho.
      By Leho.
      🗓️ Hoje, 11/06
      ⏰ 16h
      📺 SporTv
      🏟️  Estádio Olímpico (Roma)
       
       
×
×
  • Create New...