Jump to content

Archived

This topic is now archived and is closed to further replies.

ggpofm

O que é LLM (Lower League Management)?

Recommended Posts

ggpofm

l8e4bRE.png

 

O que é LLM (Lower League Management)?
por ggpofm


O Lower League Management (LLM) é um dos vários estilos de se jogar o Football Manager (FM). Equivocadamente, muitos pensam que jogar o LLM se limita à escolha de um clube da última divisão de um país. O LLM é muito mais que isso. A proposta principal do LLM é ser o mais realista possível dentro do que é possível com o FM.

No LLM não há regras, mas há diretrizes que devem norteá-lo durante um save. Se você quiser se tornar um LLaMa, ou seja, um jogador do estilo LLM, você precisará renunciar a certos comportamentos e abraçar o espírito LLM.

Para abraçar a causa LLM, lembre-se que você terá que abandonar vários comportamentos que para os LLaMas são incompatíveis com o espírito LLM. Usar listas de jogadores para contratar e frequentar tópicos com dicas sobre quais jogadores contratar são alguns desses hábitos a serem abandonados. O mesmo tipo de comportamento também deve ser adotado no que se refere ao membros de uma comissão técnica. Usar táticas feitas por outras pessoas também devem ser abandonadas e frequentar tópicos com explicações, debates e dicas táticas também. Usar algum esquema de treinamento feito por outra pessoa também está fora de cogitação. O uso de editores para descobrir informações ocultas e para alterar dados do jogo é completamente abominado pelos LLaMas. Nunca explore as falhas conhecidas do jogo. E por último: nunca feche o FM sem salvar o que está sendo jogado.

A maior parte das informações abaixo foram compiladas em 2006 a partir de um texto que existia no fórum da Sports Interactive Games (SI Games ou SI) e atualizadas com o passar dos anos e o lançamento das novas edições do FM. Como não há um fórum ou site que seja o responsável oficial pelo estilo LLM, as diretrizes podem ser diferentes e até contraditórias dependendo da fonte de informação pesquisada.

Como foi dito, jogar o Lower League Management (LLM) é mais do que apenas jogar com um clube de divisões inferiores. O princípio básico do LLM é tentar ser o mais realista possível dentro das possibilidades do FM e isso acaba tornando o gerenciamento de um clube mais difícil do que jogar sem as diretrizes do LLM. Lembre-se: o objetivo do LLM não é tornar o jogo mais difícil, mas torná-lo mais realista.

Diretrizes

1. Updates oficiais

Essa é a diretriz mais básica no LLM: o Football Manager é um jogo da SI Games. Faça a instalação dele, aplique o último patch oficial da SI, escolha um clube da última divisão de um país e jogue. Isso significa dizer que não é permitido o uso de updates que não tenham sido criados pela equipe da SI. A razão para isso é que jogar LLM é jogar FM da forma mais realista possível e isso significa confiar nas informações fornecidas pela SI como sendo a melhores que você poderá ter.

O uso de updates não-oficiais, mesmo quando parecem confiáveis, significa que foram produzidos por pessoas que podem ter sido tentadas a dar vantagens/desvantagens para seu clubes e/ou jogadores favoritos ou odiados. Isso não é benéfico ao jogo.

O uso de editores oficiais ou não que revelam dados ocultos dos jogadores ou que permitem a mudança de qualquer dado do jogo é expressamente repudiado pelo estilo LLM.

2. Ligas editadas

Desde a criação do editor oficial de ligas no FM12, muitas ligas alternativas surgiram. Algumas dessas ligas procuram reproduzir com o maior realismo possível a estrutura de uma liga, seja no que diz respeito ao formato e regras das competições, seja em outros aspectos, como por exemplo, as finanças. Outras ligas não são tão fiéis ao princípio do realismo.

Durante vários anos, o uso de qualquer tipo de liga feita no editor oficial foi repudiado pela comunidade LLM. Com toda certeza, muitos ainda continuam sem aceitar o uso de ligas que não sejam aquelas que estão originalmente no FM, mas recentemente, depois de um debate, a área de LLM do Fórum da SI Games resolveu aceitar o uso dessa ligas feitas com editor oficial, mas com ressalvas, pois essas ligas editadas precisam seguir o princípio do realismo. Sendo assim, o uso de ligas editadas em um LLM deve ser feito com moderação.

3. Nível de experiência do treinador

O FM está sempre em mudança e a mais recente, surgida com o FM15 é a que define as qualificações do treinador e a experiência anterior do treinador como jogador. Escolha a menor possível em ambas opções.

4. Contratação de jogadores

Contratar jogadores conhecidos é totalmente contrário ao espírito LLM, ou seja, não contrate jogadores sugeridos por outras pessoas ou que você treinou em outro save. Também não use a tela de pesquisa do jogador para procurar jogadores. Você pode alegar que os treinadores podem usar a internet para encontrar jogadores sem precisar sair de casa, mas mesmo com a internet não há nada que forneça o volume de informações que a pesquisa do FM pode fornecer.

Se você quer ser realista, use apenas seus olheiros para procurar jogadores. Envie-os para observar um país ou uma competição e use essa lista de jogadores encontrados para selecionar os jogadores que mais lhe interessam.

Você também pode encontrar jogadores através das notícias que recebe e aí basta observá-los por meio de seu olheiros. Se você enfrentou uma equipe adversária, você também poderá pedir aos seus olheiros observarem determinados jogadores.

Recomendações de seus próprios jogadores, dos membros da comissão técnica e de agentes de atletas também podem ser observados por seus olheiros. Se um jogador está sem contrato e você não pode observá-lo, é possível oferecer um teste para analisá-lo de perto.

A exceção são os empréstimos. Com eles você poderá usar o menu de pesquisa usando os filtros para jogadores disponíveis para empréstimo. Alguns jogadores de LLM pensam que o mais correto é contratar por empréstimo apenas jogadores analisados por seus olheiros.

5. Contratando de membros para a comissão técnica

Jogadores de LLM só assinam contratos com membros da comissão técnica que falam a mesma língua do país do clube que você dirige. A única exceção são os olheiros. Como eles não precisam conversar com os jogadores que estão observando, eles podem confiar unicamente em sua capacidade de observar as habilidades e deficiências para identificar algum jogador de valor.

Para contratar membros para sua comissão técnica você deverá colocar um anúncio no “Centro de Emprego” e esperar pelo interesse desse tipo de profissional. Você também poderá contratá-los usando os conselhos de outros membros de sua comissão técnica e até de jogadores de seu elenco.

6. Tela de transferências

Os jogadores de LLM mais rígidos nunca tentariam assinar um contrato com um jogador pelo simples fato de ele aparecer livre na lista de transferências porque tal lista não existe na vida real. Logicamente é possível encontrar esse tipo de informação sobre os jogadores na imprensa, na internet, etc. No entanto, um treinador não tem na vida real uma tela com uma lista de transferências como o FM tem.

Os jogadores de LLM menos rígidos usam o menu de transferências identificando os jogadores livres e enviando seus olheiros para observarem os jogadores, assinando com eles ou não, depois que seus olheiros obtiverem informações sobre os jogadores observados.

7. Tática

A melhor forma de começar é com uma tática que venha com o jogo e alterar a formação, segundo suas necessidades, dando instruções para equipe e/ou individuais baseadas nas vantagens ou desvantagens de seu elenco. Não use táticas de outras pessoas e nem as táticas desenvolvidas por você. A idéia do LLM é encontrar seus erros por meio das dificuldades que você enfrentar. Usar as idéias de outros não é o espírito LLM.

8. Parcerias entre clubes

As parecerias entre clubes acrescentaram um problema adicional para quem joga LLM por conta dos benefícios que ela pode gerar para o clube que você dirige. Muitos LLaMa pensam que parcerias com um clube-pai deveriam ser totalmente evitadas, cancelando-as imediatamente, principalmente no Reino Unido e Alemanha, onde esse tipo de relação entre clubes não é permitida. No entanto, não há um consenso entre quem joga o LLM e nesse caso a sugestão é manter as parcerias no limite do aceitável, principalmente no que diz respeito aos empréstimos de jogadores do clube-pai. A dica é sempre manter as coisas em limites realistas.

Agora, você já está pronto para jogar um save no estilo LLM ou se tornar um LLaMa, caso queira se envolver unicamente com o estilo LLM. Caso se interesse de fato pelo LLM, acesse o Lower League Manager.com.

 

Download do texto em pdf

Esse texto foi publicado anteriormente na Central de Informações do "Profissão: Manager"

Share this post


Link to post
Share on other sites
Vini-Ministro da Educação

Apesar de já ter lido algumas coisas sobre o assunto, nunca joguei dessa maneira. Com os textos, confesso que bateu uma vontade de tentar o desafio.

Valeu por compartilhar.

Share this post


Link to post
Share on other sites
bruno introvertido

Legal ver este conteúdo sendo postado fora do PM.

Share this post


Link to post
Share on other sites
ggpofm
14 horas atrás, vinny_dp disse:

Apesar de já ter lido algumas coisas sobre o assunto, nunca joguei dessa maneira. Com os textos, confesso que bateu uma vontade de tentar o desafio.

Valeu por compartilhar.

Eu, particularmente, acho tudo muito rígido. Mas não há dúvida que torna tudo mais desafiante.

10 horas atrás, bruno introvertido disse:

Legal ver este conteúdo sendo postado fora do PM.

Valeu, Bruno.

Share this post


Link to post
Share on other sites
Perissé

Já joguei um save seguindo o espírito LLM, muito interessante. Ótimo texto, @ggpofm!

Share this post


Link to post
Share on other sites
baltazar

Excelente tópico Gilson, depois do desafio de jovens, venho pensando em tentar um save de LLM puro pra ver como me saio. Gostaria até de discutir algumas dessas citações.

Em 12/02/2016 at 20:01, ggpofm disse:

Contratar jogadores conhecidos é totalmente contrário ao espírito LLM, ou seja, não contrate jogadores sugeridos por outras pessoas ou que você treinou em outro save. Também não use a tela de pesquisa do jogador para procurar jogadores. Você pode alegar que os treinadores podem usar a internet para encontrar jogadores sem precisar sair de casa, mas mesmo com a internet não há nada que forneça o volume de informações que a pesquisa do FM pode fornecer.

Se você quer ser realista, use apenas seus olheiros para procurar jogadores. Envie-os para observar um país ou uma competição e use essa lista de jogadores encontrados para selecionar os jogadores que mais lhe interessam.

Está ai algo que ainda n tentei, usar somente olheiros pra contratar, ainda é algo que não uso muito, pq sempre temos no início de jogo aqueles jogadores que sabemos que rende devido a dicas de outros jogadores/listas ou saves anteriores. Além disso, uso muita a pesquisa filtrando jogadores por atributos, o que é irreal, e até por isso fica a pergunta, usar o filtro de atributos nos relatórios de olheiros não seria contra o LLM? No caso vc teria que se basear somente nas "estrelas de capacidade/potencial" para contratar ou não?

Em 12/02/2016 at 20:01, ggpofm disse:

A exceção são os empréstimos. Com eles você poderá usar o menu de pesquisa usando os filtros para jogadores disponíveis para empréstimo. Alguns jogadores de LLM pensam que o mais correto é contratar por empréstimo apenas jogadores analisados por seus olheiros.

Dependendo da resposta da minha pergunta, então usar o filtro para separar jogadores listados para empréstimo nos relatórios dos olheiros é legal no LLM? Eu acho irreal, afinal, não temos filtros na vida real, o correto seria ver os jogadores que vc tem interesse, e caso ele esteja listado para empréstimo vc tentaria pegar emprestado, caso contrario, vc veria se tem condição de pagar pelo passe, se não botaria na lista preferencial para acompanhar o jogador pra caso aparecer uma oportunidade de contratação definitiva/por empréstimo vc não perder a chance. Os clubes costumam fazer bastante isso, criar uma lista de jogadores observados e que interessam ao clube mas que não são viáveis naquele momento, mas poderiam ser no futuro.

Em 12/02/2016 at 20:01, ggpofm disse:

Usar táticas feitas por outras pessoas também devem ser abandonadas e frequentar tópicos com explicações, debates e dicas táticas também.

Quando estou em um save e passo por dificuldades, é o que mais faço, e como dizem na vida real, tento me "reciclar" e aprender algumas coisas novas e as vezes reaprender as que acabo esquecendo, o que é normal devido a correria do nosso dia a dia, e as vezes por não jogar somente o FM. Então jogar sem poder consultar nenhum material caso surgissem dúvidas ou algum problema, seria desafiante, apesar de achar que isso ficou meio subentendido, pois ler um manual tático em que explica as diversas instruções, mentalidades, formações, e de como funcionam no jogo, etc é normal, pois ninguém conseguiria ir bem com zero de conhecimento de como cada coisa é executada pela IA dentro da ME, pois as vezes vc está fazendo algo achando que na ME seria executada de um jeito, quando na verdade é totalmente diferente, apesar de que dentro do jogo as dicas já são bem intuitivas, mas msm assim, não deixa de ter certa complexidade. Agora debater com alguém sobre sua tática em um fórum, o porque ela não funciona, pegar conselhos e ou pedir ajuda, bem como também ir em um tópico em que explicaria por exemplo, como fazer uma tática de posse/contra-ataque, ou falar de como aproveitar certos bugs, usar instruções de bolas paradas que são mais efetivos feitos por terceiros, etc, isso que pra mim quebraria as regras do LLM, enfim, só uma opinião.

Mas no final não deixa de ser interessante esse método empírico, aprender com as experiências é muito prazeroso, ainda mais pra quem é um bom observador. Agora quem é mais "distraído" como eu e nas vezes se perde nos lances por pura falta de atenção, ou por estar com a cabeça em outro lugar ( pensando nas tarefas q tem q fazer/etc ), as coisas ficam bem mais difíceis. hehe

Em 12/02/2016 at 20:01, ggpofm disse:

A melhor forma de começar é com uma tática que venha com o jogo e alterar a formação, segundo suas necessidades, dando instruções para equipe e/ou individuais baseadas nas vantagens ou desvantagens de seu elenco. Não use táticas de outras pessoas e nem as táticas desenvolvidas por você. A idéia do LLM é encontrar seus erros por meio das dificuldades que você enfrentar. Usar as idéias de outros não é o espírito LLM.

Sempre busco algo pra me inspirar na hora de começar um save, como por exemplo, encaixar uma tática que tenho lido mais recentemente, que é o Gegenpressing do Klopp, enfim, isso acaba influenciando bastante no jogo, e não deixa de ser uma verdade que acabamos não colocando nossas "ideias" em prática, e mesmo que elas sejam loucas, como por exemplo, tentar jogar "sem zagueiros", não saberemos nunca se vai funcionar se não tentarmos, e é assim a realidade de um técnico. Fora também a questão de no início do trabalho, ter que adaptar a tática ao elenco, e não o contrário, já que só a longo prazo que vc poderia começar a por suas ideias em prática com as contratações. Por isso é algo bem interessante pra ser feito.

Em 12/02/2016 at 20:01, ggpofm disse:

Jogadores de LLM só assinam contratos com membros da comissão técnica que falam a mesma língua do país do clube que você dirige

Fiz isso no último save q postei na área, e não é fácil ter um staff bom com todos falando a língua do país do clube, só que como fiz na Inglaterra, temos muitos que dominam o Inglês ou falam ao menos o básico, o q tornou a tarefa mais tranquila, agora se for um país com um idioma pouco falado, é bem complicado, hehe.

Não sei bem como funciona a parte de anúncios de emprego no FM, mas vc saberia me dizer se os que se interessam ao cargo são os que falam a língua do clube do país, ou é geral, com qualquer um podendo se candidatar. Nunca parei pra observar isso, até pq como disse, uso muito a pesquisa.

Outra coisa, se o membro a ser contratado fala o básico do Idioma, está dentro da regra, certo? Hehe, até porque, uma das novidades do FM é vc mandar para um curso de línguas, e até por isso acho que essa regra talvez poderia até acabar sendo deixada um pouco de lado, tendo talvez algumas exceções a serem impostas, como por exemplo, ter um contrato com um certo tempo limite ( 1/2 anos ), em que dentro desse tempo, ele tivesse que dominar o idioma, e caso não conseguisse, não teria o contrato renovado por esse motivo. Enfim, é algo que eu acredito estar compatível com a realidade, ainda mais que muitos clubes tem diversos recursos para ajudar na adaptação de qualquer um que seja contrado.

 

Em 12/02/2016 at 20:01, ggpofm disse:

Os jogadores de LLM mais rígidos nunca tentariam assinar um contrato com um jogador pelo simples fato de ele aparecer livre na lista de transferências porque tal lista não existe na vida real. Logicamente é possível encontrar esse tipo de informação sobre os jogadores na imprensa, na internet, etc. No entanto, um treinador não tem na vida real uma tela com uma lista de transferências como o FM tem.

Os jogadores de LLM menos rígidos usam o menu de transferências identificando os jogadores livres e enviando seus olheiros para observarem os jogadores, assinando com eles ou não, depois que seus olheiros obtiverem informações sobre os jogadores observados.

Isso é algo bem legal. E para complementar, vc teria as lista preferenciais com os jogadores observados no decorrer do save, sabendo assim quando poderiam assinar um pré-contrato ou ficassem livres. 

Em 12/02/2016 at 20:01, ggpofm disse:

As parecerias entre clubes acrescentaram um problema adicional para quem joga LLM por conta dos benefícios que ela pode gerar para o clube que você dirige. Muitos LLaMa pensam que parcerias com um clube-pai deveriam ser totalmente evitadas, cancelando-as imediatamente, principalmente no Reino Unido e Alemanha, onde esse tipo de relação entre clubes não é permitida. No entanto, não há um consenso entre quem joga o LLM e nesse caso a sugestão é manter as parcerias no limite do aceitável, principalmente no que diz respeito aos empréstimos de jogadores do clube-pai. A dica é sempre manter as coisas em limites realistas.

Sou também favorável a essa opção, até porque clubes pegam jogadores emprestados, bem como também emprestam vários jogadores pra outros clubes, o que se fosse levado ao pé da letra, também faria com que ter clubes satélites seja contra a regra, pois eu poderia mandar vários jogadores para um clube, mas não poderia pegar emprestado de outro, isso não seria realista. Com exceção de países com regras, o certo é ter bom senso, assim como não pegar muitos jogadores emprestados de um só clube, não mandar vários jogadores encostados somente para um clube satélite. A questão aqui que vejo, é que por exemplo, ter um elenco somente com emprestados, facilitaria as coisas pra vc e poderia deixar o clube em um boa situação financeira caso pague somente uma parte ou nenhuma dos salários dos emprestados, e assim deixaria o jogo mais fácil, mas dizer que isso é irreal pra todos os países não seria verdade, porque cada um tem suas regras, no Brasil por exemplo, não é difícil ver clubes com boa parte, se não todo o elenco formado por jogadores emprestados.

 

Enfim, jogar nos moldes do LLM, apesar de alguma regras serem como vc mesmo disse no comentário anterior, bem rígidas, não deixa de ser um desafio muito interessante de ser tentado. Tentei fazer algo parecido em um save aqui na área, inclusive acabei até desistindo logo no começo por problemas na época, nos quais nem me lembro bem, e até por isso estou pensando em tentar novamente postar um save neste estilo que faria seguindo regras do LLM, ou ao menos boa parte delas. 

Share this post


Link to post
Share on other sites
ggpofm
10 horas atrás, baltazar disse:

Excelente tópico Gilson, depois do desafio de jovens, venho pensando em tentar um save de LLM puro pra ver como me saio. Gostaria até de discutir algumas dessas citações.

Valeu pelo elogio. Só resolvi postar o texto que está no "Profissão: Manager" por achar que o autor do outro texto que o @Johann Duwe traduziu e postou se equivoca ao falar de LLM e por isso resolvi fazer o contraponto com as diretrizes do LLM.

Antes de qualquer coisa, eu também ouvi falar de Lower League Management (LLM) pela 1ª vez quando comecei a jogar FM (eu não joguei o CM) e comecei a participar do fórum no final de 2004. E pelos debates fiquei sabendo que jogar com um time pequeno da última divisão de um país não é LLM, pois LLM é uma forma diferente de se jogar e que envolve uma série de "regras". Sem essas regras não há LLM.

Na minha opinião, o LLM é muito ortodoxo e se antes de 2004 ele fazia algum sentido ao proclamar que as funcionalidades do FM deixavam a vida do manager irreal e que o LLM transformava o FM em algo mais realista, com o passar dos anos, as funcionalidades do jogo e a realidade se aproximaram de tal forma que muitas vezes é o jogo que alimenta a realidade, como por exemplo, quando os clubes passaram a comprar a base de dados do FM para descobrirem jogadores ou quando redes de TV usam os atributos dos jogadores do FM para comparar dois jogadores, como isso aconteceu na Inglaterra. Ou ainda, a Prozone e a SI se unindo para trocar informações.  O que é real? O que é jogo?

Não sei o motivo, mas o fato é que o estilo LLM está desaparecendo, talvez por ter se tornado anacrônico e me surpreende ver esse termo aparecer no fórum novamente, depois de tanto tempo. Quando eu revi esse texto no final de 2014, a discussão no fórum da SI era, entre outras, se deveria continuar existindo uma área específica para LLMs e a decisão foi pelo fim.

Nunca fui fã do estilo LLM, ainda mais da forma como eles exigiam de quem postasse tópicos de um save, sem imagens, sem nomes de jogadores, sem explicações táticas. Apenas texto. Mesmo assim, com o passar dos anos fui utilizando algumas de suas diretrizes em meus saves, mas nunca chamando-os de LLM.

Vamos aos seus comentários, eu negritei algumas partes que você escreveu.

10 horas atrás, baltazar disse:

Está ai algo que ainda n tentei, usar somente olheiros pra contratar, ainda é algo que não uso muito, pq sempre temos no início de jogo aqueles jogadores que sabemos que rende devido a dicas de outros jogadores/listas ou saves anteriores. Além disso, uso muita a pesquisa filtrando jogadores por atributos, o que é irreal, e até por isso fica a pergunta, usar o filtro de atributos nos relatórios de olheiros não seria contra o LLM? No caso vc teria que se basear somente nas "estrelas de capacidade/potencial" para contratar ou não?

Já faz tempo que uso apenas olheiros para contratar. Além disso, uso a máscara de atributos para dificultar ainda mais. Isso reduz enormemente a quantidade de jogadores disponíveis e consequentemente a qualidade deles. A ideia dos LLaMas é que se você começa um save na 6ª divisão inglesa não teria como conhecer jogadores disponíveis no Brasil ou na Turquia para contratá-los. Usando a pesquisa do FM, isso é possível, Nesse caso, o impedimento seria a reputação do clube e o salário. Eles não consideram que usar o filtro de atributos nos jogadores observados pelos seus olheiros seja contra o espírito LLM. É como se seus olheiros tivessem feito as observações e a partir daí selecionassem características desejáveis para sua equipe. Você também pode contratar um jogador que você conheça, desde que envie um olheiro para observá-lo antes.

Quando nos FMs antigos não havia área de observação, era possível enviar um olheiro para qualquer lugar do mundo, uma das regras do LLM era enviar olheiros apenas para áreas correspondentes à reputação do clube. Quando o FM implantou a área de observação, a necessidade dessa regra acabou, pois o jogo passou a fazer isso automaticamente.

 

10 horas atrás, baltazar disse:

A exceção são os empréstimos. Com eles você poderá usar o menu de pesquisa usando os filtros para jogadores disponíveis para empréstimo. Alguns jogadores de LLM pensam que o mais correto é contratar por empréstimo apenas jogadores analisados por seus olheiros.

Como eu disse no texto, não há um site unificador das regras do LLM. E isso ocasiona falta de consenso sobre algumas diretrizes como é o caso do empréstimo. Se eu fosse jogar um LLM, só procuraria jogadores nos jogadores observados pelos meus olheiros. Mas novamente eu pergunto, não sabemos diariamente quais são os jogadores que não serão utilizados em um clube por decisão da diretoria e/ou de um treinador, não dá para imaginar que eles poderão ser emprestados a outros clubes?

 

10 horas atrás, baltazar disse:

Quando estou em um save e passo por dificuldades, é o que mais faço, e como dizem na vida real, tento me "reciclar" e aprender algumas coisas novas e as vezes reaprender as que acabo esquecendo, o que é normal devido a correria do nosso dia a dia, e as vezes por não jogar somente o FM. Então jogar sem poder consultar nenhum material caso surgissem dúvidas ou algum problema, seria desafiante, apesar de achar que isso ficou meio subentendido, pois ler um manual tático em que explica as diversas instruções, mentalidades, formações, e de como funcionam no jogo, etc é normal, pois ninguém conseguiria ir bem com zero de conhecimento de como cada coisa é executada pela IA dentro da ME, pois as vezes vc está fazendo algo achando que na ME seria executada de um jeito, quando na verdade é totalmente diferente, apesar de que dentro do jogo as dicas já são bem intuitivas, mas msm assim, não deixa de ter certa complexidade. Agora debater com alguém sobre sua tática em um fórum, o porque ela não funciona, pegar conselhos e ou pedir ajuda, bem como também ir em um tópico em que explicaria por exemplo, como fazer uma tática de posse/contra-ataque, ou falar de como aproveitar certos bugs, usar instruções de bolas paradas que são mais efetivos feitos por terceiros, etc, isso que pra mim quebraria as regras do LLM, enfim, só uma opinião.

Mas no final não deixa de ser interessante esse método empírico, aprender com as experiências é muito prazeroso, ainda mais pra quem é um bom observador. Agora quem é mais "distraído" como eu e nas vezes se perde nos lances por pura falta de atenção, ou por estar com a cabeça em outro lugar ( pensando nas tarefas q tem q fazer/etc ), as coisas ficam bem mais difíceis. hehe

Como eu disse, eu não sou fã do LLM, acho tudo muito ortodoxo e se um dia, eles estiveram próximos da realidade, eu acho que hoje, eles se distanciaram bastante dela, talvez isso seja outro fator que colaborou para o "esgotamento" desse estilo de jogar.

Concordo com tudo o que você disse. Acho que um treinador de verdade que ao ter problemas em sua equipe não procura ler, ver vídeos na internet e debater sobre esses problemas com outras pessoas, em vez de se aproximar da realidade, estaria se distanciando dela. Mas a ideia do LLM não era se aproximar da realidade?

Claro, que ao não buscar uma resposta para um problema em um fórum ou blog, você terá muito mais dificuldades para se livrar dele, do que entrar em um fórum e ler um artigo ou colocar uma dúvida como muitos fazem aqui. Acho que se a ideia é dificultar é melhor não buscar respostas paras os problemas/dúvidas que surgirem.

10 horas atrás, baltazar disse:

Sempre busco algo pra me inspirar na hora de começar um save, como por exemplo, encaixar uma tática que tenho lido mais recentemente, que é o Gegenpressing do Klopp, enfim, isso acaba influenciando bastante no jogo, e não deixa de ser uma verdade que acabamos não colocando nossas "ideias" em prática, e mesmo que elas sejam loucas, como por exemplo, tentar jogar "sem zagueiros", não saberemos nunca se vai funcionar se não tentarmos, e é assim a realidade de um técnico. Fora também a questão de no início do trabalho, ter que adaptar a tática ao elenco, e não o contrário, já que só a longo prazo que vc poderia começar a por suas ideias em prática com as contratações. Por isso é algo bem interessante pra ser feito.

O que escrevi acabou não ficando claro. O que eles não querem é que as pessoas que joguem LLM usem ideias sobre o FM de outras pessoas em seus respectivos saves. Eles querem que você desenvolva suas próprias ideias dentro do jogo, mas nunca li nada a respeito sobre não poder usar conceitos do futebol no FM.

 

10 horas atrás, baltazar disse:

Fiz isso no último save q postei na área, e não é fácil ter um staff bom com todos falando a língua do país do clube, só que como fiz na Inglaterra, temos muitos que dominam o Inglês ou falam ao menos o básico, o q tornou a tarefa mais tranquila, agora se for um país com um idioma pouco falado, é bem complicado, hehe.

Não sei bem como funciona a parte de anúncios de emprego no FM, mas vc saberia me dizer se os que se interessam ao cargo são os que falam a língua do clube do país, ou é geral, com qualquer um podendo se candidatar. Nunca parei pra observar isso, até pq como disse, uso muito a pesquisa.

Outra coisa, se o membro a ser contratado fala o básico do Idioma, está dentro da regra, certo? Hehe, até porque, uma das novidades do FM é vc mandar para um curso de línguas, e até por isso acho que essa regra talvez poderia até acabar sendo deixada um pouco de lado, tendo talvez algumas exceções a serem impostas, como por exemplo, ter um contrato com um certo tempo limite ( 1/2 anos ), em que dentro desse tempo, ele tivesse que dominar o idioma, e caso não conseguisse, não teria o contrato renovado por esse motivo. Enfim, é algo que eu acredito estar compatível com a realidade, ainda mais que muitos clubes tem diversos recursos para ajudar na adaptação de qualquer um que seja contrado.

Isso que você fez é um limitador das facilidades do FM no que diz respeito à contratação de staff. Também acho que faz sentido contratar apenas com algum conhecimento do idioma do clube. 

Não prestei atenção nisso. Acho que o anúncio para emprego se relaciona mais com a reputação do clube/ reputação do staff do que com essa questão da língua.

Está vendo, com os "cursos de línguas" o FM transforma "a realidade do LLM" em algo superado. Acho que o LLM está mais para "Como fazer um save ficar difícil" do que "Como se aproximar da realidade em um save de FM".

 

10 horas atrás, baltazar disse:

Isso é algo bem legal. E para complementar, vc teria as lista preferenciais com os jogadores observados no decorrer do save, sabendo assim quando poderiam assinar um pré-contrato ou ficassem livres. 

Isso é outra coisa que vejo a realidade se aproximando do FM e vice-versa. Com o BID da CBF, por exemplo, dá para saber quando um contrato está para acabar e assim contratar o jogador sem pagar nada ao clube atual dele. O São Paulo, fez isso muito bem por um tempo. Quem disse que na realidade não existe essa lista? E quem disse que não dá para saber que um jogador está sem clube em uma divisão inferior. Acho que isso seria mais comum do que muitos imaginam.

Mas eu sou daqueles que se você que jogar LLM, abrace-o com vontade e nesse caso, jogadores livres só os observados pelos seus olheiros anteriormente.

10 horas atrás, baltazar disse:

Sou também favorável a essa opção, até porque clubes pegam jogadores emprestados, bem como também emprestam vários jogadores pra outros clubes, o que se fosse levado ao pé da letra, também faria com que ter clubes satélites seja contra a regra, pois eu poderia mandar vários jogadores para um clube, mas não poderia pegar emprestado de outro, isso não seria realista. Com exceção de países com regras, o certo é ter bom senso, assim como não pegar muitos jogadores emprestados de um só clube, não mandar vários jogadores encostados somente para um clube satélite. A questão aqui que vejo, é que por exemplo, ter um elenco somente com emprestados, facilitaria as coisas pra vc e poderia deixar o clube em um boa situação financeira caso pague somente uma parte ou nenhuma dos salários dos emprestados, e assim deixaria o jogo mais fácil, mas dizer que isso é irreal pra todos os países não seria verdade, porque cada um tem suas regras, no Brasil por exemplo, não é difícil ver clubes com boa parte, se não todo o elenco formado por jogadores emprestados.

 

Enfim, jogar nos moldes do LLM, apesar de alguma regras serem como vc mesmo disse no comentário anterior, bem rígidas, não deixa de ser um desafio muito interessante de ser tentado. Tentei fazer algo parecido em um save aqui na área, inclusive acabei até desistindo logo no começo por problemas na época, nos quais nem me lembro bem, e até por isso estou pensando em tentar novamente postar um save neste estilo que faria seguindo regras do LLM, ou ao menos boa parte delas. 

Quem mora na Alemanha e Inglaterra diz que as parcerias nesses países não existem como o FM as faz, sendo assim, estão fora da realidade. Nesse caso, minha opção se jogasse LLM nesses dois países seria acabar com as parcerias imediatamente. Mas em outros países eu seria mais flexível, mas sem abusar, como você bem disse.

Sim, elenco com emprestados facilitaria muito a vida de um clube minúsculo. Dando uma vantagem competitiva que outros talvez não tenham e mesmo se tivesse, prefiro não tê-la no caso de uma LLM.

Esse caso vai mais ou menos na direção dos amistosos. Incentivar a marcação de amistosos com clubes maiores é uma forma legal, mas injusta, ao meu ver de conseguir dinheiro. Sempre deixei meus amistosos serem marcados automaticamente pelo auxiliar técnico.

 

Eu acho que o LLM tem pouco a ver com a realidade. Se no passado era assim que o LLM era visto, o FM se encarregou de aproximar da realidade e de influenciá-la como o passar do anos e a realidade ficou mais próxima do que o FM já erá em 2004 quando foi lançado com esse nome. Temos dados estatísticos que antes o futebol não tinha, veja o Prozone e a Opta, temos sites com dados de jogadores (Transfermarket), temos vídeos de táticas, treinamentos e uma série de coisas que existem no mundo virtual e também no real. 

Mesmo assim, acho que as diretrizes do LLM são ótimas para quem quer fazer um save difícil ao adotá-las integralmente, ou para quem deseja dificultar um save, adotando as "regras" parcialmente.

Mesmo com todos questionamentos levantados sobre a realidade do estilo LLM e suas dificuldades, não dá para ver pessoas fazendo saves chamando-os LLM apenas porque estão jogando com clubes pequenos. Isso é um sacrilégio :D

Share this post


Link to post
Share on other sites
baltazar

Muito obrigado Gilson pelas respostas. Realmente, algumas regras do LLM ficaram ultrapassadas, e como vc disse, antigamente o pessoal chamava de LLM qqr save quando na verdade eles usavam so parte das regras, eu por exemplo, não sabia de todas essas regras, hehe, foi bom ter isso em mente e quando contar um novo save na área,já sei que não poderei falar que é um "LLM de verdade", já que não estarei usando todas as regras, mas não é por isso q o save deixará de se aproximar da realidade, como vc bem disse nas suas explicações.

1 hora atrás, ggpofm disse:

Está vendo, com os "cursos de línguas" o FM transforma "a realidade do LLM" em algo superado. Acho que o LLM está mais para "Como fazer um save ficar difícil" do que "Como se aproximar da realidade em um save de FM".

Justamente o que pensei ao ver algumas regras, o que até deixa interessante, pois uma dose de desafio nos saves é sempre bem vinda.

1 hora atrás, ggpofm disse:

Mesmo assim, acho que as diretrizes do LLM são ótimas para quem quer fazer um save difícil ao adotá-las integralmente, ou para quem deseja dificultar um save, adotando as "regras" parcialmente.

É justamente o que irei fazer. Inclusive, a regra de você ter que se virar por conta própria com a tática sem consultar me deixou um pouco receoso no começo, pois gosto sempre de fazer consultas em manuais, guias relacionadas a cada instrução, pois apesar das "dicas" que o próprio FM dá, elas não são suficientes para um entendimento claro do que aquilo fará na prática em várias ocasiões durante o jogo. Mas parei pra pensar, seria legal aplicar isso, afinal, quem também joga outros jogos, sabe que cada game tem suas peculiaridades, e para conseguirmos dominar bem ele, precisamos de tempo, no caso, jogar e aprender com os erros enquanto joga, pegando os controles certos, as malícias, etc. No FM é a msm coisa, pois se vc observar melhor o jogo, ou as estatísticas/relatórios caso jogue em um modo menos amplo, vc conseguirá passar pelas dificuldades táticas com o tempo, e talvez essa seja a principal causa de muita gente desistir de ficar tentando por conta própria arrumar a tática, e ai recorre a guias/manuais ou pega conselhos/dicas em fóruns, pois não tem paciência como em outros jogos, e sabemos que o FM é um jogo que requer extrema paciência, porque nem tudo que aplicamos funciona na hora, demanda tempo para as coisas se ajustarem, e se a pessoa tem pressa por resultados, acaba desanimando jogar, e ai acontece o que vemos, muitos desistindo de saves muito bons pelos desafios q aparecem, enquanto q se os enfrentassem por conta própria e desse tempo, acabaria ultrapassando, e mesmo que chegassem a ser demitidos, qual o problema, não deixaria de ser uma aprendizagem para o futuro, sabendo que o que fizeram deu errado em outro save, tentando assim uma nova abordagem até chegar a uma que desse certo, ao menos naquele time em questão. Enfim, estou pensando em pegar algo assim, gosto de desafio. Hehe

Novamente muito obrigado Gilson, espero o mais cedo possível voltar a postar um save na PM, não gostei de ter parado aquele desafio de jovens, mesmo depois de ganhar a UCL, tinha coisa q eu gostaria de fazer ainda, mas por questões pessoais acabei parando, na verdade, foi uma questão que estava fora do meu controle naquela época e me pegou desprevenido, só q isso dificilmente se repetirá agora, e até por isso não me aborreci tanto, mas que me deixou com uma dose de quero mais, a isso sim, e até por isso, talvez não nesse, mas no próximo FM acabarei repetindo o desafio novamente pra fazer algo ainda melhor. Nos vemos logo... :D

 

Share this post


Link to post
Share on other sites
ggpofm
8 horas atrás, baltazar disse:

Novamente muito obrigado Gilson, espero o mais cedo possível voltar a postar um save na PM, não gostei de ter parado aquele desafio de jovens, mesmo depois de ganhar a UCL, tinha coisa q eu gostaria de fazer ainda, mas por questões pessoais acabei parando, na verdade, foi uma questão que estava fora do meu controle naquela época e me pegou desprevenido, só q isso dificilmente se repetirá agora, e até por isso não me aborreci tanto, mas que me deixou com uma dose de quero mais, a isso sim, e até por isso, talvez não nesse, mas no próximo FM acabarei repetindo o desafio novamente pra fazer algo ainda melhor. Nos vemos logo... :D

Não precisa agradecer, é sempre legal quando podemos trocar experiências.

Ainda bem que agora sei que você voltará. Ficaremos felizes. Você faz falta por lá.

Share this post


Link to post
Share on other sites
baltazar
19 horas atrás, ggpofm disse:

Não precisa agradecer, é sempre legal quando podemos trocar experiências.

Ainda bem que agora sei que você voltará. Ficaremos felizes. Você faz falta por lá.

 

Hehe, verdade.

Vlw, a área está muito boa, tem bons saves por lá, tenho acompanhando e estou gostando de vários. Vamos ver se volto o mais rápido possível, gostaria de começar um logo depois da última db oficial, mas acho difícil, talvez em março ou no mais tardar meados de abril, pois tenho que planejar bem como contarei o save, como será, etc.

Share this post


Link to post
Share on other sites

  • Similar Content

    • Leho.
      By Leho.
      Fala comunidade, beleza? Tô trazendo pra vocês aqui em primeira mão minha primeira tradução de um conteúdo sobre FM. Sempre consumi muito esse tipo de material aqui no fórum (mas não somente), porém nunca havia contribuído com nada nesse sentido. Eis que chegou a hora, haha!
      Pra abrir os trabalhos eu resolvi traduzir um capítulo de um guia bem maior e que já deve ser conhecido por alguns de vocês, o "Pairs & Combinations". O autor escreveu lá em 2015, detalhando setor por setor, as melhores formas de setarmos as funções e tarefas de cada jogador de nossas equipes (além de outras coisas). Em 2020 ele meio que lançou uma "atualização" desse guia, se adequando às mudanças que o jogo trouxe de lá pra cá.
      Eu peguei então esse último e escolhi um setor que eu particularmente amo e acho FUNDAMENTAL num time de futebol: o meio-campo. Existem muitas dúvidas, discussões e informações a se compartilhar bem interessantes nessa área do campo, por isso fiz essa escolha e agora vos apresento este capítulo!
      p.s: agradeço já de antemão nosso querido @Henrique M., pela força moral hahaha e por se dar ao trabalho de revisar tudo, e também ao miguxo @_Matheus_ pela arte do banner acima. Valeu lindos!
       
      O “Meio-campo” (by Pairs & Combinations)
      (The Central Midfield)
      O meio campo central é a sala de máquinas de uma equipe, o núcleo cerebral criativo, é onde as decisões se tornam realmente coisa séria. Boas decisões nesse setor do campo ganham jogos, decisões ruins perdem jogos, simples assim. Entenda-se como meio-campo central todas as linhas de posicionamento possíveis: defensivas, centrais e de ataque. Há muitas variáveis possíveis neste setor e suas escolhas serão significativamente afetadas pelo seu estilo de jogo. Um meio-campo central geralmente precisa fornecer os seguintes pilares:
      Segurança defensiva; Dinamismo; Controle técnico e de criatividade. Segurança defensiva
      Este é um termo bastante amplo. A primeira coisa que você precisa entender é como vai se defender: em geral é uma escolha entre pressionar o adversário ou manter sua formação. Obviamente que existem muito mais detalhes do que isso, mas das duas, uma: ou você está pressionando o adversário para justamente diminuir seu espaço (de jogo) ou você está preocupado em montar uma barreira sólida para evitar que ele transpasse e alcance sua meta. Isso não quer dizer que você também não possa ter um meio termo entre as duas coisas.
      Ao invés de ser taxativo aqui e dizer "você não pode isso, você não pode aquilo", prefiro “recomendar fortemente” que sempre se tenha uma função defensiva neste setor. O Dinamismo e o Controle técnico e de criatividade não são só providos por este setor, existem outras posições que também podem contribuir nesse sentido, já a segurança defensiva deve ser tratada como prioridade nesta região do campo, é inegociável.
      Abaixo está um quadro com um resumo rápido de suas opções de função para os meio-campistas e onde elas se encaixam melhor, se nos sistemas de pressão ou nos mais estruturados:
      Função (tarefa DEFENDER)
      Sist. Pressão
      Sist. Estruturado
      Trinco


      Médio Defensivo


      Pivô Defensivo


      MRB


      CJR


      Médio Centro


      Você pode notar que o Trinco e o Meio-campista Recuperador de Bolas (MRB) são as únicas funções que realmente são adequados para apenas um único tipo de sistema defensivo. O Trinco foi projetado para proteger o espaço onde especialmente o “camisa 10” adversário (meia-ofensivo) flutua, de modo que, por sua natureza ele não saia pra pressionar; se ele for colocado dentro de um sistema de pressão é provável que acabe deixando lacunas ao não manter pressão sobre o seu marcador. Já o MRB é o inverso completo disso: ele não apenas protege o seu espaço designado como também sai para pressionar e com isso negar espaço aos adversários, o que significa que, em um sistema mais estruturado, ele abandonará sua formação original quebrando assim sua estratégia de posicionamento tático.
      Existem opções de funções defensivas disponíveis em ambas as zonas do meio-campo: defensiva e central. Normalmente, sistemas de pressão vão dispor de mais jogadores em posições avançadas do campo. Já os sistemas mais estruturados vão fazer o contrário: espalhar jogadores em zonas mais recuadas. Assim como as funções e tarefas de cada jogador, a formação de sua equipe pode desempenhar um papel muito importante dentro da sua estratégia em se defender. Um 4-1-4-1 tem uma forma defensiva naturalmente compacta, com um Médio Defensivo posição entrelinhas - isso significa que você pode se dar ao luxo de ser um pouco mais aventureiro com suas funções e tarefas, se desejar. Se você utilizar apenas dois meias no setor de meio-campo, considere ser um pouco mais defensivo nesses quesitos. Você só não pode delegar a um único meio-campista central todo o trabalho defensivo no meio-campo, essa situação deve ser evitada sempre que possível.
      Dinamismo
      Essa é outra questão que é afetada pela forma como seu time joga. Se você costuma jogar no espaço das entrelinhas, você precisará de bons carregadores de bola e que gostem de ir até a linha de fundo. As equipes com estilo de jogo mais direto podem ser menos dependentes das chegadas até a entrada da área adversária (zona do pênalti), porém podem precisar de jogadores que possam oferecer uma ameaça com chutes de longa distância e/ou que recuperem essa bola nos arredores da grande área. Já uma equipe baseada na posse da bola pode estar mais focada no trabalho melhor dessa posse, mas ainda assim precisará de movimentações eficazes para fornecer-lhe linhas-de-passe e apoiar esse trabalho com a bola - essas movimentações podem ser um pouco menos agressivas, mas ainda são necessárias para aproveitar boas chances dentro do jogo.
      A posição dos jogadores interfere nos tipos de movimentações que eles fazem. Normalmente, os jogadores que se movimentam a partir de posições mais recuadas do campo têm maior probabilidade de produzir ataques agressivos em direção ao gol, enquanto que aqueles que já se encontram em posições mais avançadas no terreno de jogo costumam apostar em investidas mais curtas, mais próximo ao gol ou em posições laterais.
      Alguns de seus jogadores podem ser aqueles que quebram agressivamente as linhas, indo além dos atacantes. Outros podem ser aqueles que acompanham seu time, cobrindo grandes distâncias para estar sempre presentes em todo o campo. Vamos denominar o primeiro grupo de meias “velocistas” e o segundo grupo de meias “de resistência”.
      Função (tarefa)
      Resistência
      Velocista
      Médio Defensivo (apoiar)


      MRB (apoiar)


      Segundo Volante


      Organizador Móvel


      Médio Central (apoiar)


      Médio Central (atacar)


      Médio área-a-área


      Carrilero


      Mezzala


      Médio Ofensivo (apoiar)


      Médio Ofensivo (atacar)


      Avançado Sombra


      Jogadores que avançam agressivamente ao ataque (velocistas) podem se beneficiar de um companheiro “de cobertura” (resistência), para protegê-lo caso o time perca a posse de bola e tome o contra-ataque. Um exemplo dessa combinação seria o Segundo Volante junto do Trinco, justamente porque ambos estão posicionados mais defensivamente, porém o Segundo Volante avança bastante, enquanto o Trinco lhe cobre as costas.
      Controle Técnico e de Criatividade
      Assim como na questão do Dinamismo, você pode alcançar essa atribuição em outros setores diferentes do meio-campo central, mas a primeira pergunta que você precisa se fazer é: como seu time vai jogar? Se você joga num estilo mais direto, com apenas dois meias centrais, eles podem precisar priorizar outros aspectos de um desempenho no meio-campo. Já estilos que priorizam a posse quase sempre requerem pelo menos um meia que possa fornecer esse trabalho técnico e criativo no centro do campo.
      O controle técnico pode ser fornecido em diferentes áreas do meio-campo. Um Regista por exemplo, tem total liberdade para receber a bola fora da defesa, flutuar no espaço (lateral e verticalmente) e fazer passes-chave ou que quebrem as linhas do meio-campo adversário. Um Trequartista faz a mesma coisa só que no terço final do terreno, deambulando pelo espaço, esperando para finalizar a gol ou passar, ou até mesmo servir de opção para tabelinhas (um-dois).
      Além disso, você pode utilizar vários jogadores de criação para tentar oferecer controle técnico em várias áreas do campo. Dessa forma, um Construtor de Jogo Recuado e um Construtor de Jogo Avançado por exemplo podem permitir que seu time jogue com passes progressivos até chegar ao ataque, tentando dominar o espaço em todos os setores do jogo - isso pode ser especialmente útil se o adversário for um time mais forte que o seu, onde você teria o controle da posse evitando assim ser atacado.
      O controle técnico não diz respeito somente aos jogadores que gostam de dar passes em progressão ou enfiadas de bola ao ataque, diz respeito também sobre jogadores que gostam de ditar o ritmo de jogo com o passe dentro da construção das jogadas, procurando encontrar constantemente seus companheiros em posições mais avançadas e também sobre aqueles que procuram carregar a bola. Você vai notar que um meio-campista poderá se encaixar em várias dessas categorias diferentes, desempenhando mais de uma função dentro da equipe.
      Função
      Passador
      Driblador
      CJR


      Regista

      🔶 (parcialmente)
      Organizador Móvel

      🔶
      CJA


      Trequartista


      Enganche


      Mezzala

      🔶
      Médio Ofensivo


       A criatividade não é aplicada apenas no trabalho com a posse, mas também sem a bola: o movimento dos jogadores que vão até o fundo do campo, caem pelos lados ou exploram os espaços entrelinhas podem tirar os oponentes de sua posição original ou criar superioridade numérica em outras áreas. O Trequartista faz muito movimento lateral, além de simplesmente deambular pelo campo ofensivo. Isso pode ajudar a criar uma superioridade numérica nos flancos, por exemplo. Já o Enganche ficará mais restrito na zona onde originalmente ocupa o clássico “camisa 10” (centralizado, bem próximo da grande área), sem executar movimentos laterais. Como já discutimos, isso pode atrair oponentes, liberando colegas de equipe nos espaços criados a partir disso. O grande “porém” com relação ao Trequartista e Enganche, comparado a um CJA por exemplo é que embora o movimento sem bola deles seja mais interessante (oferecendo uma transição ofensiva mais ágil), geralmente eles não oferecerão muita contribuição defensiva, o que pode se tornar um desafio pra quem opta por um sistema de pressão no adversário. Você precisará levar isso em consideração ao escolher o restante das funções dentro de sua formação, pois pode ser necessário selecionar mais dois jogadores mais defensivos para balancear esse sistema.
      Considere também o impacto que um jogador pode ter no ritmo de jogo da sua equipe. Jogadores criativos, mas mais diretos aumentarão esse ritmo - o que pode não ser a melhor opção se você estiver jogando com um estilo de controle da posse. Por outro lado, um passador mais cadenciado (um CJA, por exemplo) provavelmente não vai fornecer um bom suporte para uma equipe que joga com transições rápidas, enfrentando uma boa retranca. Na verdade, não existe o certo e o errado nessas decisões e construções da equipe, porém todas as suas escolhas com relação a estilo, formação, funções e tarefas devem se complementar, para não haver conflito entre elas.
      Meias centrais que “abrem” o campo
      Alguns meias centrais também precisam ter alguma responsabilidade pela largura do jogo da equipe. Isso é muito observado numa estrutura com três meias centrais e passa-se a ser quase que fundamental quando a formação alinha 4 meio-campistas no setor.
      Aliás, jogar com 4 meias centrais é uma clara estratégia para dar consistência ao setor, se valendo de uma superioridade numérica para fortalecer ainda mais a proteção à defesa. Obviamente que essa superioridade precisa oferecer uma boa dose de criatividade e movimentos ofensivos, além é claro de trabalhar duro defensivamente também, oferecendo um certo equilíbrio para compensar a falta de jogadores de lado de campo nos sistemas que não utilizam esse tipo de jogador.
      Todavia, (utilizar 4 meias) é um ótimo recurso para preencher a área mais importante do campo, com jogadores que oferecerão tanto uma estabilidade defensiva, quanto uma superioridade numérica ofensiva também. As maneiras mais óbvias de formatar o setor com esses 4 jogadores são a formação em diamante (VOL, 2 MCs e MAC) e a formação “BOX” ou “caixa” (2 VOLs e 2 MACs).
      É importante enfatizar aqui que a largura é algo que você precisa considerar dentro de seu sistema de jogo, tanto defensivamente quanto ofensivamente. Assim, você pode prover largura para seu sistema com seus laterais/alas avançando de forma bastante agressiva ou pode também utilizar movimentos laterais de funções centrais dos meias, como o Trequartista (que flutua para os flancos), o Mezzala (que provém amplitude de jogo com e sem a bola), ou um Carrilero, que vai subir e descer no setor entre os espaços livres. Por mais que você goste da estratégia de posse de bola ou de dominar o meio, você precisa de largura em seu estilo de jogo, mesmo que seja apenas para espaçar seus adversários e criar mais espaço para jogar. As funções que você escolhe em um meio-campo como esse também dependem do estilo de jogo que você gosta de usar (de posse, sem a bola, com dribles, forma mais defensiva e etc).
      Meias centrais que provém Largura
      CARRILERO ✔️
      MEZZALA ✔️
      TREQUARTISTA ✔️
       Existem algumas opções para você configurar o meio-campo “BOX” (ou o da caixa): com dois pares de jogadores no meio-campo de ataque, na faixa central ou mais defensivo. Uma maneira simples de escolher as funções e tarefas aqui é lembrar: você precisa de um par mais defensivo e um par mais ofensivo de jogadores. Traga essa decisão de volta às funções essenciais de um meio-campo: segurança defensiva, dinamismo e controle técnico e de criatividade.
      Em um meio-campo diamante, o MAC corre um alto risco de ser “excluído” do jogo, para que isso não aconteça você possui duas saídas: você pode usá-lo para atrair oponentes e depois explorar o espaço que eles vão gerar em suas costas (por exemplo usando um Enganche ou um CJA na tarefa Suporte), ou pode garantir que ele tenha um bom movimento lateral ou vertical para se desmarcar dos adversários ou até mesmo atraí-los com ele. Um Trequartista flutua para as laterais do campo, e um Avançado Sombra tende a avançar agressivamente. Você também pode considerar o Médio Atacante, que pode realizar movimentos verticais e laterais, dependendo da situação.
      Uma função adicional das formações de meio-campo com quatro jogadores é que elas permitem selecionar um número maior de funções específicas. Por exemplo: um Regista ou um CJR pode se beneficiar da ajuda defensiva adicional de companheiros de equipe, enquanto o MRB pode se sentir à vontade para pressionar em busca da bola, sabendo que existem outros companheiros em posições mais recuadas para lhe cobrir, caso ele esteja exposto.
       
      Texto traduzido e adaptado por Leho. para o FManager Brasil. Capítulo extraído do volume "Pairs & Combinations - The Ultimate Guide", de autoria do membro Llama3, registrado no fórum da SI.
      Fonte: https://community.sigames.com/topic/513829-pairs-combinations-the-ultimate-guide-released/
      Revisão: @Henrique M.
      Banner: @_Matheus_
    • Henrique M.
      By Henrique M.
      Introdução
      Muitas vezes temos um jogador na equipe que tem talento e qualidade para ser um excelente jogador, mas ele não consegue adquirir uma regularidade e nem mesmo brilhar em jogos importantes. O próprio Football Manager tem suas formas de transformar um jogador com bom potencial e boa capacidade em nada menos que um jogador frustrante, que sempre que você precisa dele, ele falha ou se esconde. O fenômeno é mais abrangente na vida real, com diversos aspectos influenciando no desempenho de um atleta. No jogo são variáveis especificadas nos atributos, mas seus olheiros e preparadores são capazes de identificar se um jogador é inconsistente e inepto para jogos decisivos ou de maior porte.
      O público alvo
      É importante mencionar que essa transformação só é possível em jogadores jovens, que ainda podem ser tutorados ou que ainda tem espaço para o desenvolvimento. Jogadores velhos provavelmente vão permanecer com suas características até o final de suas carreiras, então é bom não ter muitas esperanças de que ele se torne um jogador decisivo de uma hora para outra.
      Como saber se meu jogador é inconsistente ou inapta para decisões?
      Você deverá consultar seus olheiros e preparadores para isso. No caso de uma futura transferência, seus olheiros que desempenharam o papel de avaliar. Não é recomendado que você contrate jogadores inconsistentes ou que não gostam de grandes jogos simultaneamente, pois isso já reflete mais uma personalidade do que uma fase da idade que pode ser resolvida com conselhos e espaço no time principal. Abaixo: seguem dois exemplos e aonde encontrar se um jogador é exibicionalmente consistente e se ele gosta de grande jogos. Aqui seguem dois exemplos de jogadores com as características mencionadas e que são bastante úteis a minha equipe, um deles inclusive é importantíssimo já há algumas temporadas.
      Relatório de Alexander Andersson:

       
      Relatório de Massimo Neroni:

       
      Amenizando a inconsistência e decidibilidade
      É importante ter um jogador mais velho da mesma posição ou parecida para que seja mais simples da opção de tutorar o jogador esteja disponível. Vá na tela de desenvolvimento do jogador, na aba treinamento e olhe os prováveis jogadores que podem tutorar seu jogador. Analise as opções e procure jogadores que são exibicionalmente consistentes e gostam de grandes jogos. Geralmente seus homens de frente tem tendência a terem essa característica a medida que costumam ter mais poder de influenciar um jogo. Escolha um que tenha a determinação mais alta que a do seu jogador, tenha as características que você busca eliminar no outro jogador e escolha a opção: "Como um dos jogadores mais velhos da equipe, eu penso que seria vantajoso se você tomasse conta de fulano e lhe passasse toda sua experiência".
      Dando espaço no time
      Esse é um fator muito importante, o jogador precisa estar jogando futebol para que ele consiga perder esses traços, ele não vai aprender a ser mais regular e decisivo do banco de reservas, então, coloque ele para jogar, nem que seja de 10 a 15 jogos por temporada, se ele for um jogador regular, fica mais fácil de confiar nele mais jogo, mas se não, sempre terão alguns jogos na temporada em que você poderá se utilizar desses jogadores.
      Aprenda a cobrar seus jogadores
      Muitas vezes somente o acompanhamento de um jogador não é suficiente para isso, os jogadores ocasionalmente podem apresentar traços e sentir antigas pressões, portanto, é importante saber cobrar seus jogadores durante as palestras motivacionais. Jogadores inconsistentes podem responder melhor se você demandar uma boa exibição dele ou então se você pedir para que ele jogue da mesma forma que jogou numa partida anterior em que ele foi e jogadores que não gostam de grandes jogos podem brilhar caso você retire a pressão dele. Cada jogador responde a um tipo diferente de tom de voz e é importantíssimo também você identificar isso, essas cobranças podem amenizar dentro de campo algo que não deve se tornar comum.
       
      Nível de exibições de Alexander Andersson ao longo do tempo:

       
      Nível de exibições de Massimo Neroni na temporada passada:

       
      Conclusão
      Como você pode ver, é possível fazer com que jogadores com atributos psicológicos que possam fazer com que eles não rendam, jogar um bom futebol e serem importantes para sua equipe. Jogadores exibicionalmente consistentes mas que não gostam de grandes jogos são mais fáceis de transformar em peças úteis, já que eles geralmente vão se sair bem na maioria dos outros jogos, mas você pode fazer com que ele perca esse medo e marque gols decisivos e em momentos de pressão. Quanto aos jogadores inconsistentes, basta ter paciência, um bom tutor e ele pode encontrar o caminho para se tornar um jogador de qualidade. Se você tem um jogador capaz de mudar a personalidade de outros no seu elenco, às vezes ainda dá tempo de salvar aquela promessa ou trazer uma pechincha que você tem receio por causa desses atributos.
       
       
       
      P.S.: Não procure esses jogadores na sua base de dados, ambos são newgens.
    • Henrique M.
      By Henrique M.
      A maioria dos grandes clubes de futebol do mundo gastam milhares de euros em contratações de jogadores, pois assim podem contar com os melhores do mundo, a elite dos jogadores de futebol, na esperança de montar a equipe que os guinará ao sucesso. Clubes como Chelsea, os Manchester, PSG, Real Madrid e Barcelona tendem a gastar o máximo possível para adicionar mais estrelas ao seu elenco que já é estelar. Idealmente, contudo, um clube não deveria se apoiar em gastar rios de dinheiros, mas em promover jogadores de dentro de sua estrutura, de suas categorias de base.
      O Barcelona costumava ter sua própria linha de produção de talentos, a renomada La Masia. Mas a dura realidade do momento mudou e o que antes era uma fonte inesgotável de talentos, não é capaz mais de entregar jogadores prontos para conquistarem seu espaço no elenco principal do clube. Um atacante que hoje se encontra no time sub-19 ou no Barcelona B e que joga no ataque ou nas pontas, tende a ter poucas chances no futuro, já que Messi, Suárez e agora Coutinho e Dembelé ocuparam esses lugares por mais alguns anos.
      Obviamente que a categoria de base catalã não deixou de produzir jogadores de características interessantes e com potencial, contudo, o fornecimento passou do elenco principal do Barcelona para outras equipes do continente europeu e muitas vezes, esses jogadores não serão adequados a filosofia de outros lugares, já que foram projetados e treinados com o DNA do Barcelona. Talvez seja o imediatismo que povoa a elite de clubes europeia atualmente, onde só a Champions League interessa e isso tenha feito com que o modelo de negócios do clube tenha mudado e com isso, sua política de transferência.
      Porém, o ponto aqui não é discutir o que aconteceu com La Masia e sim mostrar como você pode ter dentro do seu clube no Football Manager, a sua própria fábrica de talentos. Iremos abordar como montar uma estrutura que foque na geração de jogadores, quais os fatores você deve considerar, quais passos devem ser realizados e qual o é o curso de ação correto. No mais, é sempre uma boa ideia ter uma boa oferta de jogadores criados no clube, já que eles tendem a ser mais baratos no longo prazo e podem ajudar suas finanças continuamente.
      O que você verá aqui, já poderá ter visto em outros lugares, aqui no Engenharia do Futebol ou no FManager Brasil, contudo, a intenção é que essa seja uma espécie de bíblia do desenvolvimento de jogadores através das categorias de base. Como ainda não existe versão em PT-BR para o Football Manager 2018, o guia foi adaptado com as nomenclaturas em PT-PT do jogo.
      Por fim, vale ressaltar que o texto original tem uma abordagem mais pessoal do que o que está sendo buscado aqui, por isso, algumas adaptações foram necessárias para que houvesse mesmo esse aspecto de guia definitivo sobre o assunto.
      O conceito básico
      Quando você inicia uma pesquisa sobre como montar uma boa categoria de base no FM, você pode achar diversas informações sobre diversos tópicos: infraestrutura, o que faz um preparador bom, tutoria, etecetera. Contudo, é raro vermos um único trabalho que combina todos os elementos da equação e te mostra o que buscar quando você realmente deseja ter uma das melhores categorias de base do jogo, que funcione realmente como uma mina de talentos inesgotável.
      Se você desfragmentar o sistema inteiro e olhar para os seus elementos principais, você irá identificar uma certa quantidade de pré-requisitos que precisam ser alcançados, já que são condições vitais que não podem coexistir sozinhas. A primeira dessas condições consiste da infraestrutura do seu clube. Na sequência, o staff do seu clube. Depois, a tutoria como ferramenta de desenvolvimento de jogadores. Outros fatores que podem contribuir são: o DNA do clube que você definiu ou quer definir, identificar os tipos de jogadores que você necessita e garantir tempo de jogo para todas as promessas.

      1)      Infraestrutura do clube
      O primeiro fator que influenciará seus jogadores e melhorará a qualidade de seus jovens jogadores é a infraestrutura do clube. Existem diversas opções que a diretória oferece que ajudam a melhorar a qualidade e nível com relação as outras categorias de base. Iremos abordar essa questão primordial e ver como elas podem te ajudar a estabelecer uma das melhores categorias de base do jogo.
      1.1)  Identificando o que você tem
      Caso você ainda não saiba como identificar suas próprias infraestruturas, você pode chegar o perfil do seu clube no jogo e selecionar a aba de Infraestruturas. Você receberá a descrição apropriada do seu nível dentro do jogo em diversas categorias pertinentes ao desenvolvimento de jogadores.

      1.2)  Treino de Camadas Jovens
      Vamos começar pelo item mais importante da lista: o treino de camadas jovens. É importante estar sempre buscando maneiras de melhorar o seu treino de camadas jovem e na medida do possível, sempre que a opção de melhora-la aparecer, peça para sua diretoria. É essa parte que irá garantir que a habilidade do seu jogador cresça e desenvolva, assegurando que a Capacidade Atual (CA) inicial seja maior.
      Do menor para o maior, a seguir estão os seguintes níveis que sua equipe pode obter: Mínimo, Básico, Adequado, Mediano, Boa, Excelentes e Excepcional.
      1.3)  Condições das Camadas Jovens
      Além do Treino de Camadas Jovens, você também deve se preocupar com o nível das Condições de Camadas Jovens do seu clube, já que ela também é parte igualmente importante do processo de recrutamento de jovens jogadores. O treino de Camadas Jovens ajuda a acelerar o processo de desenvolvimento e influência a CA inicial dos seus jogadores, já as Condições das Camadas Jovens ajudam no processo de desenvolvimento, acelerando-o.
      Do menor para o maior, a seguir estão os níveis que sua equipe pode obter: Ruim, Básico, Abaixo da Média, Adequadas, Mediano, Boa, Ótima, Impressionantes, Excelentes e de última geração.
      1.4)  Recrutamento de Camadas Jovens
      Se você quer jovens com grande potencial, você tem que buscar ampliar a área de recrutamento da sua equipe, isso obviamente também se aplica aos seus olheiros. Se você comanda o Real Madrid, você tem possibilidades ilimitadas e você pode buscar jogadores por todo o globo terrestre. Isso significa que existem grandes chances de aparecer jovens de fora da Espanha, por exemplo. Entretanto, no caso de clubes menores, é basicamente o oposto e o recrutamento tende a ser quase que local.
      Do menor para o maior, a seguir estão os níveis de recrutamento que sua equipe pode atingir: Limitado, Básico, Relativamente Básico, Mediano, Acima da Média, Estabelecido, Bem Estabelecido e Extensivo.
      É importante ressaltar que ter um bom Director do Futebol Jovem ajuda bastante no recrutamento de jogadores. Além disso, existe a possibilidade de realizar um processo de recrutamento externo, o que significa que você pode recrutar jovens estrangeiros para sua fornada de jovens através de um clube estrangeiro afiliado.
      1.5)  Como usar esse conhecimento?
      Se você realmente deseja se dedicar a ter uma boa categoria de base, o primeiro passo é aumentar o nível de Treino das Camadas Jovens, já que simultaneamente aumenta a CA inicial da sua fornada de jovens anual, assim como melhora o desenvolvimento das habilidades dos jogadores presentes no clube. Isso lhe ajudará de algumas maneiras, seja vendendo seus jogadores, para aumentar o fluxo de dinheiro do clube, algo crucial para todas as melhorias que deverão ser feitas, seja lhe fornecendo jogadores para a equipe principal, ajudando na quota de jogadores formados no clube ou lhe permitindo vender jogadores mais valiosos do elenco. Como é o fator mais impactante, faz sentido que você comece por aqui.
      O segundo passo é investir nas Infraestruturas de Camadas Jovens, pois quão melhores elas forem, maior será o investimento necessário para melhora-la. Como a melhoria dessa parte apenas influencia o desenvolvimento da CA de seus jogadores, efetivamente acelerando o processo de desenvolvimento deles, não deve ser o primeiro passo. Geralmente é um processo caro e que consome bastante tempo, por um ganho bem menor do que contratar preparadores melhores. Contudo, caso você tenha dinheiro, é uma opção mais rápida, já que a diretoria considera novos pedidos para essa área em um menor espaço de tempo.
      A cereja do bolo é o recrutamento. Os efeitos aqui são mais incertos e variam de ano para ano, portanto, investir nessa área só deve ser feito quando você já tem tudo do bom e do melhor nas outras categorias e os melhores preparados possíveis. Conseguir clubes afiliados e contratando mais olheiros para o recrutamento de jovens é importante, mas bem menor do que os dois passos anteriores. Contudo, caso os outros dois passos acima não tenham o impacto necessário, um melhor recrutamento pode acabar lhe ajudando a virar a maré.

      2)      O staff do clube
      O segundo fator que influencia e ativamente melhora a qualidade dos seus jovens são os funcionários que seu clube possui, seja para as sessões diárias de treino ou para ajudar com uma nova fornada de jovens jogadores. Sessões de treino de alto nível ajudam a aumentar os atributos de seus jogadores, seja de forma mais geral ou quando você decide treinar uma posição, função ou atributos dos seus jogadores. Isso significa que você precisa encontrar o máximo de preparadores possíveis e usá-los de maneira eficiente, enquanto a qualidade da sua fornada de jovens pode ser parcialmente determinada pelo Director do Futebol Jovem. Essa última questão faz com que esse membro do staff seja um dos mais determinantes quando se quer ter uma boa categoria de base.
      2.1) O que buscar nos seus preparadores?
      Sempre que você estiver recrutando preparadores, olhe inicialmente para as sessões de treino que necessitam de melhoria, uma sessão de três estrelas deve ter prioridade sobre uma sessão de quatro estrelas. Antigamente, era necessário um esforço maior na pesquisa para saber o que era necessário para ter um preparador cinco estrelas, mas agora que o Football Manager destaca quais são os atributos necessários para cada tipo de função e treino desejado, basta apenas que você busque aqueles que possuem um valor igual ou superior a 15 nos atributos destacados pelo jogo.
      E como esse é um guia destinado para o desenvolvimento de jogadores, é importante destacar a necessidade do atributo Trabalho Com Jovens, principalmente para os preparadores das suas equipes juniores.
      2.2) Usando seus preparadores adequadamente
      O jogo possui nove tipos diferentes de categorias de treino e em uma situação ideal, você pode contar com um especialista em cada uma dessas categorias. Sendo assim, no mundo perfeito, você teria mais de nove vagas para preparadores no seu time, caso não tenha, cabe a você usá-los eficientemente ou incomodar sua diretoria até conseguir as vagas.
      Primeiro, você deve focar em ter um especialista em cada categoria, depois, caso a carga de trabalho esteja muito elevado, pode contratar opções um pouco menos qualificadas para diminuir essa carga e melhorar a qualidade geral dos seus treinos para os jogadores. Você dificilmente terá a oportunidade de contar com treinos cinco estrelas em todas suas categorias, portanto, não se sinta incomodado em ter algum preparador lhe dando um treino um pouco inferior (até quatro estrelas é um nível suficiente).
       2.3) O Director do Futebol Jovem
      Como mencionado anteriormente, o Director do Futebol Jovem jovens é um fator a se considerar no que tange ao nível das suas fornadas de jovens. Como você deseja o máximo possível de bons jovens jogadores sem que seja necessário caçá-los em outros clubes, é um cargo vital e que não pode ser subestimado. Quando você é um treinador que não liga muito para essa questão, pois não deseja microgerenciar tudo, essa função é que irá cuidar de todas as funções relativas as suas categorias de base, desde comandar os times, até determinar quem entra nas fornadas e quem será emprestado para outros. Se necessário, ele pode até ser usado como preparador na sua equipe.

      Além dos atributos destacados acima de 15, é importante que você observe o estilo de jogo, a mentalidade de jogo e se você quiser ser bastante ferrenho, as formações preferidas. Por que é importante observar essas questões? Se você estiver montando um clube que tenha uma determinada filosofia, é interessante que alguém que seja responsável por trazer os jovens para sua equipe, esteja alinhado com essa filosofia.
      Um detalhe que pode lhe passar despercebido, é que a personalidade do seu Director do Futebol Jovem pode impactar na personalidade dos jogadores da sua fornada jovem, portanto, se você precisar contratar alguém para essa função, traga alguém com uma personalidade positiva, pois facilitará bastante a evolução de seus jogadores.
      3)      O DNA do Clube
      Uma das questões mais ignoradas, porém absolutamente crucial, no Football Manager é o DNA do Clube. Esse DNA é a filosofia que você deseja empregar no seu clube. No futebol moderno, existem diversas filosofias vigorando por aí: Guardiolismo, Cholismo, Gegenpressing, Mourinho e o ônibus, etc. Basicamente, é a pedra fundamental de qualquer treinador e define a maneira como você quer jogar. Uma das características mais atraentes do futebol, e consequentemente do jogo, são as distintas e infinitas abordagens futebolísticas que podem ser empregadas. Quando executadas de maneira correta, virtualmente cada uma dessas abordagens pode colocar seu time no caminho das vitórias e da glória. Não existe uma maneira uniforme de se jogar FM e isso faz com que ele seja melhor e mais interessante por isso.
      É importantíssimo que você defina uma abordagem clara, com a qual almeja levar seu clube ao topo. Se você deseja executar seu plano com perfeição, você precisa deixar tudo claro desde o começo, ao invés de pegar uma ideia e ir trabalhando ela lentamente. O desenvolvimento de jovens é um gerenciamento de longo prazo, o que te obriga a definir suas metas, sua filosofia e as formas como você irá atingir seus objetivos.

      3.1) Criando um identidade tática
      Em uma situação ideal, seus times juniores deveriam atuar de uma maneira semelhante a equipe profissional, fazendo com que seja mais simples para um jovem jogador ingressar e solidificar sua posição no elenco principal, já que estarão acostumados as táticas e estilo de jogo. Idealmente, a categoria de base se transforma, inclusive, na guardiã da sua identidade tática, pois é um compromisso de longo prazo. Mudar frequentemente de estilos faz com que ter uma base de sucesso seja caro e dificultoso, já que você tem que retreinar ou liberar jogadores e contratar novos preparadores que se encaixam nas suas necessidades. Ter uma boa identidade tática e conectá-la a sua categoria de base mostra o seu desejo de se comprometer com aquela equipe.
      Vale lembrar que ter uma tática neutra ou que seja voltada para as necessidades atuais da equipe não ajudam muito no processo, por isso, é importante definirmos o que é uma identidade tática, já que é um tópico vasto e sem respostas corretas. Todas as ligas de futebol do mundo têm times com filosofias diferentes, um estilo de jogo diferente e subculturas diferentes. Nem todos os times terão uma cultura ou filosofia de futebol única e claramente definidas. Alguns times mudam de abordagem frequentemente, dependo bastante da filosofia e estilo de seu treinador. Outros buscam mesclar diversas táticas e estilos, tentando encontrar a sua maneira ideal de praticar futebol, seja por precisarem evoluir ou para retomar um nível anterior.
      Quando falamos de um clube com clara identidade tática, é difícil fugir do clichê de falar do Barcelona. Nos ideais catalães, o nobre esporte bretão deve ser praticado de forma a misturar habilidade e arte, ao invés de força bruta. De acordo com a diretoria do clube, essa crença está firmemente enraizada na identidade do clube. Isso significa que uma identidade tática é mais do que definir uma formação e sim como sua equipe deve se comportar em campo.
      É aqui que você define como irá jogar: ofensivamente, cautelosamente, uma mistura, uma pressão absurda ou com gerenciamento de posse de bolas, entre tantas outras opções. O que você definir aqui, norteará o restante da criação do seu DNA.
      3.2) Criando um estilo de jogo
      Pode parecer que seja a mesma coisa, contudo, o estilo aqui referido tem mais haver com os jogadores necessários para a filosofia do clube funcionar e como recrutá-los. Obviamente que uma coisa é ligada a outra, contudo, é aqui que você define quais as características que seus jogadores devem compartilhar, para que sua filosofia seja executada adequadamente dentro de campo.
      Cada estilo de jogo necessita de um tipo de jogador diferente: times ofensivos precisam de atributos físicos de velocidade e resistência maiores, além de todo um conjunto de atributos psicológicos que englobam o jogo em equipe e trabalho incessante com e sem a bola, os times defensivos vão pelo lado oposto, onde é necessário mais força, concentração e menos técnica. A partir da definição, você irá buscar os jogadores que se encaixam nos atributos que você busca. Nesse caso, não é interessante ser generalista e buscar jogadores ideais para cada posição ou função, você precisa de um plano claro e deve segui-lo.
      3.3) O recrutamento
      Por que o recrutamento faz parte do DNA de um clube? É meio simples, já que política de transferências também faz parte de uma filosofia de clube, é só ver a maneira como o Real Madrid se porta e se define. Em termos de FM, alguns gostam de manter um certo realismo, apenas contratando jogadores locais ou de países vizinhos, outros se restringem aos que os olheiros recomendam, enquanto outros usam todo e qualquer recurso à sua disposição para descobrir o máximo de joias possível.
      Isso posto, em termos de recrutamento, existem três tipos distintos de recrutamento: Recrutamento Interno (Categorias de base), Recrutamento Externo (Contratações) e Recrutamento através de clubes afiliados.
      3.3.1) Recrutamento Interno
      O recrutamento interno é a forma mais fácil de recrutar. Você contrata um bom Director de Futebol Jovem, aumenta o nível do Treino de Camadas Jovens até o máximo, melhora suas infraestruturas, ajeita seu recrutamento e contrata os melhores preparados possíveis e pronto. Você não tem o poder de selecionar os jogadores que irão ser incluídos na sua fornada de jovens, apesar de poder rejeitar alguns.
      3.3.2) Recrutamento externo
      Baseia-se em ter o máximo de olheiros que lhe é permitido. Se você pode contratar 12 olheiros, contrate, 12 olheiros. Nesse caso, quantidade ajuda bastante e você deve ocupar rapidamente as vagas disponíveis no seu staff. Também vale a pena ficar pedindo mais e mais olheiros para sua diretoria. O máximo possível geralmente é em torno de 20, tratando-se de clubes de elite.
      Obviamente que seus olheiros deverão ter atributos de observação acima de 15, já que você quer o máximo de precisão nos relatórios. Outra coisa bastante importante de se observar é o Conhecimento Mundial do staff, é aquela parte do perfil que mostra os países que o funcionário conhece e que são adicionados ao conhecimento global do clube.
      Quanto maior for o conhecimento de um olheiro em um país em especial, maior a quantidade de jogadores ele poderá encontrar. E isso é uma característica importante para descobrir alguns talentos escondidos. Nesse caso, também faz sentido espalhar seus olheiros pelo mundo, não apenas em termos de tarefas, mas também em termos de local de origem. Mandar um olheiro inglês para a América do Sul pode funcionar, já que ele irá gradualmente aumentar seu conhecimento sobre os jogadores da região, porém, isso leva tempo e significa que irá demorar até que esse olheiro esteja trabalhando com eficiência máxima. Nesse caso, contratar um olheiro sul-americano agilizaria tremendamente o processo, contudo, um olheiro com alta adaptabilidade tende a aprender rapidamente também.
      Quanto você tiver uma quantidade suficiente de olheiros, você pode designar as tarefas, espalhando pelo mundo. O ideal é começar com uma região por vez, começando perto de casa e ir afastando à medida que você contrata mais olheiros. Outra dica é ignorar algumas regiões, devido ao baixo número de jogadores disponíveis e focar em nações específicas, após ter todas as regiões mais importantes observadas adequadamente.
      3.3.3) Recrutamento através de clubes filiados
      Tal qual o recrutamento interno, mas com um pouco mais de poder de decisão quanto aos jogadores que ingressam através de afiliados estrangeiros. Para fazer o pedido, basta pedir para sua diretoria na parte de afiliados, irá aparecer uma opção que irá remeter ao recrutamento ou contratação de jovens estrangeiros.
      Após a diretoria concordar e o clube ser selecionado, basta aguardar. Na hora de selecionar o clube, vale a pena escolher um clube de um país que costume revelar bastante jogadores (ou o que mais revela entre as opções disponíveis) e que tenha bons valores para Treino de Camadas Jovens e Recrutamento de Camadas Jovens. Se você deseja ser mais ferrenho, um clube de uma cidade maior terá mais chances de produzir melhores jogadores do que uma cidade menor.
      3.4) Definindo metas e políticas de longo prazo
      Como um treinador, sua capacidade de determinar metas de longo prazo e constantemente pensar no futuro do seu elenco tem um impacto regular no sucesso de determinado elenco.  A maioria dos grandes treinadores costumam pensar no todo e no futuro. Eles projetam além do presente e pensam onde desejam estar e o que eles precisam fazer para alcançar essas metas ao longo desse período de tempo.
      Isso soa absurdamente entediante, o que não deseja de ser verdade. Mas se você quer alcançar um sucesso longo e duradouro, através do desenvolvimento de jogadores, é necessário planejar meticulosamente o futuro. Definir as metas não é muito difícil, já que o céu é o limite.
      Você pode querer conquistar o máximo de Libertadores em determinado período, se tornar o líder do quadro de honras do jogo, ganhar um torneio importante só com jogadores da base ou então, superar algum treinador. Opções não faltam e você tem dezenas de maneiras de decidir e alcançar cada uma dessas metas.
      4) Perfil dos jogadores
      Através de quatro simples passos, você poderá definir o tipo de jogador que você necessita e suprir todas as suas necessidades:
      Determinar quais as funções são necessárias; Definir seus regimes de treinamento; Trabalhar com os jogadores que já estão prontos para jogar no time principal; Monitorar a performance dos seus jogadores; 4.1) Determinar quais as funções são necessárias
      Já que determinou-se anteriormente a identidade tática e você identificou o estilo que sua equipe vai jogar, você também pode começar a agilizar o recrutamento externo e os resultados do recrutamento interno. Você pode observar determinados tipos de específicos de jogadores e estabelecer um sistema para retreinar ou filtrar os jogadores que surgem nas suas fornadas ou vem dos seus clubes afiliados. Para fazer isso efetivamente, primeiramente, é preciso saber o que procurar. Você já criou um perfil que se adeque ao seu estilo, mas é necessário olhar de perto as funções necessárias para isso ocorrer adequadamente. Para fazer isso com eficiência, você precisa saber que tipo de funções sua tática mais necessitará.
      Geralmente podemos distinguir as funções em três tipos: básicas, especialistas e substitutas. As funções básicas são padrões da sua tática, aquelas que tem instruções individuais limitadas ou inexistentes ou sem influência especial no jogo. Você pode pensar nelas em termos das funções básicas para defensores e meio-campistas. As funções especialistas são para jogadores que tem um conjunto de habilidades bastante específico. Isso inclui a maioria das funções ofensivas, mas existem algumas outras por posição. A diferença entre as funções especialistas e as substitutas são se você usa elas ou não nas suas táticas, que podem ser incluídas para adicionar variedade tática ao seu estilo de jogo, mas não essenciais para o processo inicial de recrutamento.
      4.1.1) As funções básicas
      Para defensores:
      Defesa Central; Defesa Lateral; Defesa Central Limitado; Defesa Lateral Limitado; Ala; Para meio-campistas:
      Médio Ofensivo; Médio Centro; Médio Defensivo; Médio Ala; Extremo Defensivo; Extremo; 4.1.2) As funções especialistas
      Para defensores:
      Completo; Defesa Ala Invertido; Defesa Com Bola; Para meio-campistas:
      Trinco; Médio Recuperador de Bolas; Médio Área-a-Área Construtor de Jogo Recuado; Enganche; Pivô Defensivo (Regista); Pivô Ofensivo (Enganche); Avançado Sombra; Construtor de Jogo Avançado; Organizador Móvel; Mezzala; Carrilero; Segundo Volante; Para atacantes:
      Ponta de Lança Aberto (Raumdeuter); Número 10 (Trequartista); Avançado de Referência; Avançado Interior; Todas as funções dos jogadores que atuam na posição de atacante, no campo tático do FM, são funções especialistas.
      4.1.3) As funções substitutas
      Essas funções são as que você não usa nas suas táticas, mas gosta de ter jogadores que sejam capazes de atuar nelas, para caso precise mudar o estilo de jogo da sua equipe dentro de uma partida ou para um confronto especial.
      4.2) Definir seus regimes de treinamento
      4.2.1) Definindo seus regimes de função
      Quando um jogador chega na sua categoria de base, é altamente recomendável que você determine um regime de treinamento customizado para aquele jogador, para que seu desenvolvimento seja acelerado o máximo possível. Existem dois caminhos para seguir: você pode selecionar uma função básica, que permite um treinamento mais abrangente e universal ou optar por treinar uma função especialista, sendo essa, uma abordagem mais específica.
      Quando você está utilizando um treinamento universal, você foca em diversos atributos ao mesmo tempo. Então, faz sentido que esses tipos de treinamento foquem em diversos atributos, também significa que o progresso será mais lento, mas ao menos é mais abrangente.
      Quando você está utilizando um treinamento especialista, você foca nos atributos necessários para que o jogador atue em determinada função. Se você já sabe qual função um jovem supostamente irá ocupar nas suas táticas do time principal, você já pode começar a prepara-lo desde cedo com treinos voltados para essa função. O progresso nesse tipo de treinamento é rápido para os atributos chaves que ele treina, mas a maioria dos outros atributos não evoluem da mesma maneira e até podem involuir.
      4.2.2) Definindo seus regimentos de fortalecimento
      Ao invés de focar em apenas uma função, você pode optar por um regime de fortalecimento. Todos os jogadores possuem características que lhe dão vantagens e desvantagens dentro de campo e o caminho ideal é melhorar ambas consistentemente. As vantagens devem ser fortalecidas e devem ajudar a eliminar as desvantagens. Mas é mais importante focar em uma ao invés da outra? Você pode escolher qualquer um e até ir trocando uma com a outra, depende muito do que você deseja para o desenvolvimento de determinado jogador.
      Quando você desenvolve as vantagens que um jogador pode lhe trazer, isso nos leva a uma posição única. Eles vão claramente encaixar nas suas táticas e tem grandes chances de se destacarem primeiro, quanto mais um jogador melhora, mais ele se destaca no seu nicho e tem mais chances de ser selecionado para o time titular ou ser vendido para um clube maior.
      Em termos de desenvolvimento absoluto, é mais provável que se desenvolvam as vantagens do que as desvantagens. É por isso que certas características lhe beneficiam, já que ele tem talento para certos aspectos do jogo e por causa disso, ele pode estar mais disposto a melhorar apenas suas vantagens, já que ele vê resultados imediatos desse esforço. Um jogador pode se aprofundar muito em um campo limitado, potencialmente levando ele a ser tornar o melhor em algo.
      Por outro lado, um jogador é apenas tão bom quanto sua principal desvantagem. Mesmo que melhorar suas vantagens faça com que ele se destaque dentro de um certo conjunto de habilidades necessários para sua função, melhorar suas desvantagens tende a abrir a possibilidade de mais funções e posições, transformando-o em um jogador versátil.
      4.3) Trabalhar com os jogadores que já estão prontos para jogar no time principal
      Esse é o passo mais fácil, já que quando seus jogadores estiverem desenvolvendo adequadamente, eles precisam jogar regularmente. Se eles não são bons o suficiente para o seu time, empreste-os, para que eles possam jogar. Se eles são bons o suficiente, promova-os para o time principal e comece a dar oportunidades aqui e ali. É simples assim.
      4.4) Monitorar a performance dos seus jogadores;
      Independentemente de onde o jogador esteja ganhando tempo de jogo, você precisa ficar de olho sobre eles. Se ele joga no seu time, é fácil. Afinal de contas, você o vê em campo toda vez que quer e é capaz de discernir se ele está indo bem ou mal. Se o seu jogador está emprestado, tenha certeza que seus olheiros estão observando suas atuações, e caso algum jogador não esteja jogando o suficiente ou atuando na posição desejada por você, talvez seja melhor chamá-lo de volta.
      De qualquer maneira, o tempo ideal para monitorar e avaliar a performance dos seus jogadores seria um espaço de dois a três meses. Se o desenvolvimento de um jogador estiver estagnando, pode ser uma boa ideia garantir que ele ganhe mais tempo de jogo ou mudar seus regimes de treinamento. Talvez determinado jogador não seja capaz de brigar por espaço em determinada função, mas você pode retreiná-lo em outra função ou posição para que ele possa ser capaz de brigar por esse espaço.

      5)      Tutoria
      Agora é hora de falarmos sobre uma parte bastante relevante do desenvolvimento de jovens jogadores: a tutoria de um jovem por um membro mais velho e experiente do elenco.
      5.1) O que a tutoria faz?
      A opção de tutoria permite que você pensa para um membro mais velho e importante do seu elenco, para acompanhar de perto um jovem jogador e passar suas experiências e ser seu mentor, ensinando a ele os caminhos do futebol. Quando os jogadores compartilham traços de personalidade, essa opção tende a funcionar efetivamente muito bem e provém um aumento interessante no desenvolvimento de um jogador, assim como a possibilidade do jogador aprender algum Movimento Preferido do Jogador (MPJ) e até mudar sua personalidade.
      Um dos principais atributos por trás da evolução de um jogador no jogo é o atributo oculto Profissionalismo. A tutoria é a única maneira de se influenciar esse importante atributo e evoluí-lo. Dessa forma, selecionar o tutor adequado para suas principais promessas é extremamente importante, principalmente para quem buscar maximizar e acelerar ao máximo a evolução de um jogador.

      5.2) Quando tutorar um jogador?
      Mesmo que não exista um tempo inicial ideal para tutorar um jogador, é altamente recomendado que se comece o mais cedo possível e existem boas razões para isso. Quando você começa com o jogador bem mais jovem, você tem mais tempo para trabalhar no desenvolvimento de um jogador e moldá-lo da maneira que você achar mais adequado. Além disso, quando a reputação de um jovem se torna muito alta, ele se torna indisponível para ser tutorado, portanto, você deve começar enquanto a reputação é baixa.
      5.2.1) Condições para tutoria
      Você pode iniciar uma conversa privada com algum jogador em particular, não importa se você começar pelo tutor ou pelo tutorado. Para quem um jogador esteja disponível para tutorar determinado jogador, os seguintes motivos devem ser observados:
      O tutor tem que ter uma reputação maior que o tutorado; O tutor e o tutorado devem compartilhar um certo nível de familiaridade, seja com uma posição ou função. Um defensor não pode tutorar um atacante; O tutor tem que ter mais de 24 anos (exceto se ele for o capitão do seu time); O tutorado tem que ter menos de 23 anos; O tutorado não pode ser um membro estabelecido do elenco e nem estar treinando um MPJ. Seu status contratual deve ser rotação ou inferior. O tutor tem que ter relativa importância dentro do seu elenco; Ambos não podem estar lesionados e o tutor não pode estar treinando um MPJ; Um tutor só pode tutorar um jogador por vez e apenas poderá tutorar outro jogador depois de cinco semanas do fim da tutoria anterior. 5.3) Duas formas distintas de tutoria
      Existem duas formas diferentes de tutoria, que diferem uma da outra.
      "Como um dos jogadores mais velhos da equipe, eu gostaria que você fosse tutor de fulano, pois sinto que pode ajudá-lo a melhorar seu jogo". - Aqui será compartilhado o talento, aquilo que seu jogador sabe dentro de campo. Ele irá compartilhar seus movimentos preferidos, irá compartilhar seu estilo de jogo, ou seja, sua função dentro de campo e ajudará o jogador a desenvolver os atributos para essa função. Isso significa, que você pode ter um substituto perfeito para aquele seu defensor que joga com bola, simplesmente trabalhando essa função. Ou então aquela precioso Raumdeuter que anda fazendo estragos nos adversários poderá ressurgir através de um jovem seu. "Como um dos jogadores mais velhos da equipe, eu penso que seria vantajoso se você tomasse conta de fulano e lhe passasse toda sua experiência". - Aqui será compartilhado a personalidade, a mentalidade, o comportamento dentro e fora de campo. Isso aqui é importantíssimo para moldar o desenvolvimento do seu jogador. Ambas as opções terão um impacto nos atributos pessoais e na determinação de um jogador. A segunda opção é útil para o jogador mais jovem, que está começando, para que você molde sua mentalidade, a primeira, é principalmente útil quando você enxerga que um jovem jogador tem tudo para substituir perfeitamente, no futuro, ou então, o jogador tem algum MPJ que lhe interessa em outro jogador.
      5.4) Escolhendo o tutor certo
      Como escolher o tutor certo pode influenciar drasticamente o desenvolvimento de um jogador, seja aumentando atributos, aprendendo MPJ ou aumentado o Profissionalismo, a escolha tem que ser bem pensada. Isso significa encontrar um tutor com a personalidade certa, já que tudo revolve em melhorar os atributos mentais do jovem jogador. Portanto, busque uma personalidade com altos valores de profissionalismo, tais quais:
      Cidadão modelo; Profissional modelo: Profissional; Perfeccionista; Resoluto; Quaisquer dessas personalidades com a adição de razoavelmente, implicam valores decentes de profissionalismo também, portanto, é um caminho que pode ser seguido. Outras personalidades ocasionalmente podem ter um alto atributo de Profissionalismo, mas essas personalidades certamente lhe garantem isso.
      Outro fator a se considerar é o atributo Determinação, mesmo que já tenha sido estabelecido que ele não é tão relevante para o desenvolvimento do jogador, é um atributo útil para um jogador ter e a tutoria também é a única maneira de aumentá-lo. Contudo, vale a pena trocar um atributo de determinação mais alto de um jovem por uma mentalidade mais profissional.
      5.5) Qual a melhor opção de tutoria?
      Foi realizado um experimento no Football Manager 2016 e checado nas versões seguintes para ver se o jogo ainda se comportava anteriormente. Nesse experimento, foram criados, com a ajuda do Editor de Tempo Real, três jogadores de mesma posição e idade. Além disso, dois jogadores mais velhos do clube foram editados para terem a personalidade Cidadão Modelo, com todos os atributos escondidos com valor 20, incluindo, obviamente, o Profissionalismo e alguns MPJs. Sendo assim, dos três jovens, um foi deixado sem ser tutorado (Jogador 1), outro com a primeira opção do Item 5.3 (Jogador 2) e outro com a segunda opção do item 5.3 (Jogador 3).
      O desenvolvimento dos jogadores foram avaliados em seis áreas: Capacidade Atual (CA), MPJs, atributos técnicos, atributos mentais, atributos físicos e atributos escondidos.
      Após seis meses, o progresso dos jogadores, apenas observando os números foi: 

      Já graficamente temos:

      Mesmo estando longe de ser estatisticamente conclusivo, podemos ver que a diferença mais espetacular pode ser vista no desenvolvimento dos atributos escondidos. O desenvolvimento regular, como esperado, é bastante similar em quase todas as áreas, porém, para o jogador 3, houve um aumento de cerca de um ou dois pontos para cada atributo escondido. O jogador 2 apenas ganhou um ponto de Profissionalismo do seu tutor, mas parou por aí. Também pudemos observar o aumento do atributo Determinação para o Jogador 3, mas por enquanto, nenhum jogador aprendeu um MPJ até o momento. Por isso, o experimento seguiu por mais seis meses de save.
      Numericamente, o progresso foi assim:
       
      Já graficamente tivemos:

       Uma temporada completa simulada acabou nos dando um pouco mais de informação. Em termos do desenvolvimento de um jogador, é seguro concluir que é extremamente benéfico tutorar um jogador. Mesmo que o jogador que não foi tutorado tenha evoluído por contra própria, seus colegas evoluíram muito mais do que ele. Obviamente que a evolução espetacular da personalidade do jogador 3 parece ter diminuído a aceleração do seu ganho de CA, mas em termos gerais, os jogadores 2 e 3 tiveram curvas de desenvolvimento bem melhores.
      Agora, se formos avaliar apenas as opções de tutoria, fica mais difícil responder quem é melhor ou pior. Por isso, observe o gráfico a seguir:

       No fim das contas, se resume mais ao que você deseja melhorar e desenvolver em seu jogador. O jogador 2 demonstra um progresso mensurável, onde você bate o olho e vê que ele claramente é um jogador melhor e fazendo com que ele tenha se tornado mais útil num futuro mais próximo. Enquanto isso, o jogador 3 teve um desenvolvimento voltado para sua personalidade, aumentando bastante seus valores para o atributo Profissionalismo, o que lhe beneficiará melhor no longo-prazo. Isso pode até um desenvolvimento inicial mais lento, mas é melhor para o jogador, caso você tenha tempo para trabalha-lo.
      Por isso, pode-se concluir que se você precisa imediatamente de um melhora técnica em um jogador, para usá-lo no seu time principal, a primeira opção do item 5.3 é o melhor caminho, mas se você está fazendo um trabalho mais lento ou então, tem tempo e não tem necessidade imediata para aquele jogador, opte pela segunda opção do item 5.3 e depois trabalhe a parte técnica com uma nova tutoria usando a outra opção.
      6)      Tempo de jogo
      Para encerrar essa bíblia do desenvolvimento de jovens jogadores, chegamos ao último dos fatores que irão lhe ajudar a desenvolver mais jogadores de qualidade. Tudo que foi visto anteriormente é a parte fácil de todo o trabalho com os jovens, já que integrá-los ao seu time principal é o que mais importa. Times como Manchester City, Chelsea, Real Madrid e ironicamente, o Barcelona atual preferem contratar talentos globais que se destacam em competições juniores, contudo, numa visão correta, o desenvolvimento de jogadores não deve ser baseado em títulos e sim na preparação desses jogadores para o futebol profissional e se observamos esses elencos, é difícil encontrar jogadores da base, que subiram nos últimos dois ou três anos, como peças fundamentais no elenco desses clubes.
      Sendo assim, iremos avaliar mais de perto a influência que o tempo de jogo possui nos jovens jogadores no Football Manager. Assim como para avaliar os efeitos da tutoria, nesse caso, também foi realizado um experimento no Football Manager 2016 e que foi checado nas versões seguintes para ver se as coisas continuavam da mesma forma.
      Foram criados cinco jovens iguais com a ajuda do Editor de tempo Real. Ambos tem idades similiares e jogam na mesma posição. Todos os atributos, incluindo os escondidos, ficaram com o valor de 10. Um desses jogadores (Jogador 1) atuará todas as semanas no time principal, outro (Jogador 2) atuará no time sub-21\reservas, dois (Jogador 3 e 4) irão ficar no sub-19, enquanto o último (Jogador 5) irá ser emprestado para um clube afiliado. Todos os jogadores, exceto um dos sub-19 (Jogador 4) terão contratos profissionais. Todos os jogadores tem 16 anos de idade e o experimento foi realizado durante seis meses (em termos de FM, obviamente).
      Assim como no experimento anterior, certas áreas do desenvolvimento foram observadas, mas ao contrário dos seis itens, serão apenas quatro:
      Capacidade Atual (CA); Atributos técnicos; Atributos mentais; Atributos físicos;  O progresso dos jogadores, em termos numéricos, foi o seguinte:

      Graficamente, temos a seguinte comparação:
       
       Era de se esperar que o Jogador 1 tivesse a melhor progressão. Essa asserção é verdadeira se observamos apenas a CA, mas em termos de atributos, os outros desenvolverão tão bem quanto ou melhor, em alguns casos. Com todos os outros fatores necessários para o desenvolvimento sendo iguais, pode se julgar que o tempo de jogo não é tão importante assim. O jogador atuando pelo time sub-21\reservas se desenvolveu tão bem quanto, enquanto os que ficaram no sub-19, ficaram um pouco atrás, mas mesmo assim, nada tão gritante. O pior jogador foi o que foi emprestado, isso ocorre pois ele estava em um clube com infraestrutura inferior, então faz sentido que ele não tenha se desenvolvido como os outros quatro.
      Como a primeira observação foi meio que inconclusiva a respeito do tempo de jogo, um mergulho nas informações era necessário. O fator lógico a se olhar seria a quantidade de partida que cada um jogou em diversos níveis. Assim, temos a tabela abaixo:

      Graficamente, a influência do tempo de jogo é a seguinte:

      Após essa consideração, certas conclusões, mesmo com que alguma cautela, podem ser feitas. Estar atuando na equipe principal é realmente um fator para o desenvolvimento da CA de um jogador, já que o Jogador 1 se desenvolveu muito melhor nesse sentido. Os resultados do jogador 5 indicam que as infraestruturas também tem um grande impacto, já que mesmo jogando mais, ele foi o que menos desenvolveu.
      Por outro lado, podemos observar que o nível do futebol praticado não é importante, já que os jovens jogadores evoluíram quase tão bem quanto quem estava jogando no time principal, o importante é que eles estejam atuando regularmente. O progresso mais estável foi realizado pelos jogadores que mesclaram partidas pelos times júniores, reserva e time principal. Portanto, já que jogadores emprestados podem perder tempo importante no desenvolvimento, talvez seja melhor reconsiderar sua política de empréstimos.
      Mas se mesmo assim, você quer realizar uma política assim para desenvolver seus jogadores, procure times que tenham boas infraestruturas e se seu time tem algum time B atuando em ligas competitivas, como os times B da Alemanha e da Espanha, talvez seja melhor deixar esses jogadores por lá.
      Com essa última informação, encerramos esse conteúdo vasto e dedicado ao desenvolvimento de jogadores do FM, com diversas dicas e um caminho certamente certeiro para você ter sua própria linha de produção de talentos, tal qual La Masia ou os Meninos da Vila.
       
      Conteúdo traduzido e adaptado por Henrique M. para o FManager Brasil e Engenharia do Futebol
      Fonte: Série Emulating La Masia do site Strikerless, combinado com conteúdos da série Engenharia de Base. As screenshots presentes são do autor e as outras imagens são traduções ou adaptações do conteúdo postado na série Emulating La Masia.
      Banner: @_Matheus_
      P.S: Em breve devo disponibilizar um arquivo PDF melhor formatado para quem desejar salvar e manter em seu computador.
      P.P.S: O conteúdo é extenso e foi feito no Word, portanto, pode ter ficado alguma falha de formatação ou até mesmo outros tipos de erros, caso encontrem alguma coisa errada, é só informar que eu corrijo.
    • Henrique M.
      By Henrique M.
      No guia O Desenvolvimento de uma Categoria de Base, a importância de melhorar a infraestrutura das camadas jovens foi discutida. Enquanto nós todos sabemos da importância da qualidade do staff e tutoria para acelerar a evolução de nossos jogadores, ninguém nunca olhou pura e simplesmente para essas infraestruturas, portanto, esse guia é um experimento simples e rápido para demonstrar qual o impacto da melhoria das camadas jovens tem no FM. Em uma leitura rápida, você entenderá de uma vez por todas porquê nunca deve deixar de investir nessa área. O intuito aqui é comparar níveis e entender a efetividade dos melhores níveis em comparação com os medianos e piores. Nós sabemos que investir dinheiro nessa parte é caro e demora, por isso, é mister saber se valem a pena ou se você deveria focar seu tempo, energias e recursos financeiras em outras coisas.
      As infraestruturas das camadas jovens
      Para a compreensão desse experimento, nós precisamos prestar atenção no nível das nossas infraestruturas para camadas jovens. As camadas jovens nós ajudam no processo desenvolvimento de jogadores, acelerando-o caso tudo esteja dentro dos conformes. Existem vários níveis que você pode alcançar dentro do jogo. Entretanto, é importante frisar que as descrições textuais que o jogo nos dá são baseadas na reputação dos clubes. Pode acontecer de um clube como o Tombense ter infraestrutura de topo, enquanto um clube maior como o São Paulo, ter infraestruturas soberbas. Invariavelmente, apesar da descrição textual ser um pouco mais baixa, na prática, o São Paulo tem uma infraestrutura melhor.
      Preparação do experimento
      Para esse experimento, foi assumindo o comando de três equipes da Championship inglesa, o equivalente à Segunda Divisão. Os clubes selecionados foram Rotherham United, Sheffield Wednesday e Burton Albion. Todos os três clubes foram colocados com a mesma reputação e qualidade do corpo técnico (todos os preparadores tiveram seus atributos definidos como 10). O que diferenciou os três clubes foi o nível de suas infraestruturas de treino e das camadas jovens. Rotherham ficou com infraestrutura pobre, enquanto o Sheffield Wednesday, ficou com infraestrutura média e o Burton Albion ficou com infraestrutura de topo.
      O próximo passo foi gerar dez jogadores para os elencos sub-18 de cada uma dessas equipes. As posições foram definidas aleatoriamente, mas todos os atributos foram definidos como sendo 10, o que incluiu os atributos ocultos. A capacidade e potencial dos jogadores foram as mesmas. Nenhum dos jogadores tinha vantagem ou desvantagem em comparação aos outros 29, exceto as infraestruturas de seus times.
      O experimento
      A ideia era simples, criar tudo acima e simular o jogo por seis meses e comparar os resultados. Para efeitos de isonomia, o editor de jogo foi utilizado para manter todos os jogadores sem lesões e com o máximo de motivação possível depois de um jogo. Como a capacidade dos atletas não será alta o suficiente para jogarem no time principal, essa variável foi eliminada do processo. Após a conclusão das simulações, os seguintes dados seriam colhidos e comparados com os valores iniciais:
      Atributos técnicos; Atributos mentais; Atributos físicos; Capacidade atual do jogador (CA); Os resultados
      Depois que a simulação foi encerrada, os dados foram extraídos dos 30 jogadores. As alterações em cada jogador foram as seguintes:

      No final, uma média do crescimento de todos os atletas, em cada uma das categorias de dados observadas, foi realizada. Essa média é importante, porque é ela que foi utilizada para realizar a comparação final do impacto que a melhoria das camadas jovens podem ter nos atletas de um clube. A média elimina os pontos foras da curva, permitindo uma análise normalizada de cada caso, como poderão observar no gráfico abaixo.

      E então, qual o impacto que a melhoria das camadas jovens tem?
      O gráfico comparativo é simples e ilustrativo e trouxeram os resultados esperados, melhores infraestruturas fornecem um melhor desenvolvimento de atletas. Entretanto, o surpreendente é a grande diferença entre infraestruturas de maior qualidade versus as de pior qualidade. A diferença é muito significativa para ser ignorada. Portanto, enquanto não é um processo simples e barato, no longo prazo, a melhoria das camadas no seu time do FM, será um investimento que se pagará facilmente caso seu objetivo seja o desenvolvimento de seus jogadores.
      Texto traduzido e adaptador por Henrique M. para o Engenharia do Futebol e FManager Brasil
      Fonte: https://strikerless.com/2017/06/06/how-do-our-youth-facilities-impact-the-development-of-young-players/
      Banner: @_Matheus_
    • Henrique M.
      By Henrique M.
      Quando você joga FM há muito tempo, você definitivamente irá encontrar adversários que fecham completamente a casinha para te enfrentar. Com o conhecimento de que eles são infinitamente inferiores que o seu elenco estelar, eles optam por evitar uma goleada arrasadora. Mesmo que os romantizadores do futebol prefiram que os times menores ataquem a jugular do gigante oponente, a maioria irá optar por construir uma barreira humana na frente da sua própria área. Em alguns casos, essa estratégia acaba sendo infrutífera, já que os times de grande qualidade conseguem penetrar o bloqueio ou fazer aquele gol fortuito no começo. Contudo, para aqueles que ainda sofrem para derrotar esses adversários, esse guia tratará de lhe mostrar como destruir uma retranca no FM.
      Mas esse guia não é destinado para quem já conhece como irritar o Mano Menezes, pois, mesmo os mais experientes vão defrontar aquela retranca que permanecerá intacta, apesar de seus melhores esforços. Para essas situações, como furar uma retranca também poderá lhe ajudar. O objetivo desse guia é buscar uma maneira quase infalível de acabar com a festa dos mais tenazes retranqueiros.
      Um simples conceito
      Se você deseja acabar com a felicidade de Celso Roth, o seu objetivo tem que ser, de alguma forma, achar espaço no terço final do campo. Contra essas defesas compactas, o espaço é restrito, e os efeitos das enfiadas de bola, lançamentos e cruzamentos são anulados. Como uma grande quantidade de jogadores enchendo a grande área, você terá muitas dificuldades em achar uma forma de furar o bloqueio. Você pode ter sorte com uma bola ou um instante de brilho de seus atletas, mas de maneira geral, continuar usando um plano de jogo que claramente não está funcionado é similar a tentar quebrar uma porta utilizando sua cabeça como um aríete. Eventualmente, você pode arrumar uma brecha, mas será uma tentativa dolorosa e incerta.
      E sobrecarregar o adversário, mandando todo mundo para frente também não será a solução que você está procurando. Alguns jogadores acreditam que utilizar mentalidades muito ofensivas e não fazer ajustes são a única resposta que existe para furar uma retranca coesa, mas eles falham em entender que esse tipo de mentalidade faz e que o que eles estão fazendo é justamente o que os Abelões querem.
      Se você já está enfrentando uma defesa compacta e coesa, que está enchendo a grande área com defensores, de que adianta adicionar ainda mais jogadores lá dentro, restringindo ainda mais o espaço disponível? O que pode ser eficiente talvez seja simplesmente jogar mais recuado. Dessa forma, ou você atrai os jogadores ofensivos adversários, ou que seus jogadores irão criar pequenos espaços para eles mesmos. De qualquer maneira, surgirão espaços no campo. Se você tem poucos jogadores movimentando-se lá na frente, eles irá fazem bom uso desses pequenos espaço, desde que eles tenham inteligência futebolística para reconhecer a existência dos mesmos.
      Mas isso é apenas um simples exemplo, de uma forma que você pode utilizar para furar aquela maldita retranca. Existem diversas estratégias que você pode usar e é claro você pode combinar diversas ou até mesmo todas elas. Tudo isso dependerá da qualidade dos seus jogadores, da qualidade do adversário e da forma que elas irão funcionar dentro das partidas. Não existe uma maneira infalível, que lhe dará 100% de garantir que você irá conseguir furar uma retranca, mas esse guia busca lhe fornecer uma boa quantidade de armas para incrementar seu arsenal.
      Essencialmente, existem quatro estratégias básicas que versam sobre como furar uma retranca e todas tratam de encontrar e aproveitas espaços. Vamos a elas:
      Alargamento horizontal; Alargamento vertical; Manutenção da temporização; Manutenção do equilíbrio; Encontrando e explorando espaços
      Como mencionado anteriormente, a maioria dos jogadores acredita que ativar uma mentalidade super ofensiva é o suficiente, mas isso apenas irá colocar mais atletas na fase ofensiva do jogo. E esse tipo de decisão, contra equipes que restringem os espaços de forma eficiente, talvez seja provavelmente a pior decisão que você possa tomar.
      Com diversos jogadores no terço final, sejam seus ou do adversários, como que um enfiada de bola irá achar alguém no espaço vazio? Ou um cruzamento? Tudo o que você estará fazendo é passando e cruzando a bola em cima da retranca adversária e esperando que dê certo uma hora, que algum de seus atacantes irá ter um momento de gênio e que não será anulado pelos vários defensores à sua volta.
      O que você deseja criar é espaço para seu time, para seus jogadores ofensivos. A melhor maneira de criar espaço é através do alargamento da defesa. A premissa de alargar uma defensa é tão simples quanto efetiva. Ao alargar a linha defensiva, ao atrair os defensores para fora de suas posições, você estará criando espaços entre as linhas, causando problemas e atrapalhando a coesão e organização dos defensores. Você pode fazer isso horizontalmente ou verticalmente.
      Alargamento horizontal
      Já que uma imagem valem mais que mil palavras, vamos ver um exemplo do que eu quero dizer a respeito de alargamento horizontal.
      A presença de pontas em ambos os lados atraiu os alas adversários para fora da linha defensiva, forçando os defensores a manter uma posição mais larga do que eles desejariam. Assim que a enfiada de bola é feita, um dos alas corte para dentro do espaço entre os defensores e finaliza a jogada. Os defensores adversários estão foram de posição no momento em que o ponta ataca o espaço. Se o vídeo foi muito rápido para você, vamos por partes.
      A mera presença de pontas força a defesa adversário a ficar mais aberta, abrindo espaço entre os alas e seus companheiros no miolo da zaga. Assim que o ponta ataca o espaço em busca da enfiada de bola, os zagueiros estão muito distantes para dar cobertura ao se reorganizar para proteger o flanco ameaçado. O outro ala no lado esquerdo também está deixando mais espaço entre ele e o zagueiro mais próximo, porque ele tem que cuidar do ponta-direita.

      A organização defensiva foi pro espaço, a coesão entre os defensores foi desintegrada, o que é claramente visível quando o ponta ataca o espaço na linha defensiva. Com os defensores centrais divididos entre marcar o atacante e dar cobertura ao ala, o ponta pode avançar tranquilamente pela defesa e marcar. A defesa adversária estava devidamente alargada como um velho elástico e eles pagaram caro pelo erro.
      Esse tipo de alargamento é o mais comum e utilizado no futebol. Pontas tradicionais, os ágeis dribladores de lado de campo, são usados para que oportunidades naturais como Fred pudessem achar espaço na grande área e fazer o que sabem fazer de melhor, gols. No FM, isso pode ser alcançado através desses mesmos tradicionais pontas, ou colocando Atacante Interior ou Ponta Invertido com a ultrapassagem de alas ou laterais ofensivos. As opções de largura também tem sua influência e devem ser utilizadas de acordo.
      Alargamento vertical
      A premissa básica do alargamento vertical de uma defensa é a mesma da abordagem de alargamento horizontal. Você tenta criar espaços entre as linhas para que jogadores velozes possam explorar o espaço criado, entretanto, nós não iremos alargar a linha defensiva, mas o espaço entre a linha defensiva e o goleiro. Novamente, com uma ilustração dessa ideia.
      O alargamento vertical é gerado porque os jogadores se movem entre as linhas. Isso significa escolher as funções táticas corretas para fazer funcionar. Já que as táticas utilizadas nesse guia são sem atacantes, esse tipo de movimentação ocorre naturalmente para esses times. Isso não significa que é um conceito restrito à esse tipo de estratégia, já que ele pode funcionar dentro de composições mais tradicionais com a combinação correta de funções táticas. No exemplo demonstrado, nós podemos ver esse tipo de alargamento vertical várias vezes, já que o mesmo é gerado por Filipovic e Takahasi. E caso você tenha achado o vídeo muito rápido, iremos novamente por partes.
      A seguir, na nossa situação inicial, poderemos ver que a linha defensiva ainda é compacta e coesa e que existem dois meio-campistas protegendo a linha defensiva. Isso nos dá uma vantagem numérica de 6 x 5 para a defesa. A zona que os jogadores centralizados são capazes de prover cobertura é bem grande. Filipovic, que se encontra com bastante liberdade, pode escolher seu passe e decide jogar na esquerda, na direção do Atacante Sombra Takahashi.

      No momento em que Takahashi recebe a bola, nossos pontas e outros jogadores entram em ação. Nós podemos ver um alargamento horizontal acontecendo pelo lado direito, já que o ala adversário acaba abrindo a linha defensiva. O Trequartista ataca o espaço, mas é inicialmente ignorado. Takahashi atrai ambos os meio-campistas, alargando a estrutura defensiva e enquanto aumenta a compactação na área central, acaba surgindo espaço na direita e para Filipovic, em uma posição central mais afastada.

      A imagem final nos mostra o resultado desse alargamento. A compactação que forçamos na defesa adversária quebrou a linha defensiva. Filipovic está com espaço e pode escolher novamente seu passe. Dessa vez ele opta pelo Trequartista, que foi inicialmente deixado livre. O alargamento vertical garantiu tempo e espaço para o passe decisivo. Ele também fez com que a linha defensiva adversária avançasse para combater a ameaça de um atacante, garantindo que espaços abrissem em outros lugares.
      Manutenção da temporização
      Outro aspecto a se considerar quando estiver furando uma retranca é a temporização. Enquanto uma abordagem lenta e metódica significa uma alta taxa de passes corretos, ela também dá ao adversário tempo para reagrupar e reorganizar a sua linha defensiva. Uma temporização maior gera uma rotação maior da bola, e esses dois aspectos são fundamentais para quebrar a impenetrável defesa adversária.
      A integridade defensiva do adversário quase não está comprometida em termos de alargamento, mas mesmo assim, não conseguem evitar o gol. Como vocês puderam ver, a maioria dos defensores não saiu da posição, mas a bola se moveu tão rápido que os defensores não tiveram tempo de se reajustarem as novas circunstâncias, sofrendo o gol como consequência.

      A linha defensiva ainda está bem fechada e não existem grandes espaços na organização. O elemento chave aqui é a velocidade com que a bola movimentou de um jogador para o outro. Se os passes forem precisos e combinados com o movimento sem bola adequado, é uma combinação letal que irá furar qualquer retranca.
      Entretanto, tome atenção, um jogo de temporização elevada é algo completamente diferente de um estilo de passes mais diretos. Quando você está movimentando a bola com velocidade e alta temporização, paciência é altamente recomendável. Infindáveis cruzamentos ou lançamentos longos para frente esperando por um milagre é a pior estratégia que você pode adotar, principalmente contra defensores grandes e fortes. Afastar bolas altas é basicamente tudo que uma defesa deseja, já que exige o mínimo de trabalho possível.
      Idealmente, você deve passar a bola de um lado para o outro da área adversária com uma temporização rápida, buscando o espaço, buscando por um defensor desatento, buscando aquela brecha para arrancar em direção ao gol. Se não existe nenhuma abertura, passe de volta para o seu meia-central, que pode trocar o lado da ação, para ver se do lado de lá as coisas fluem melhor. Repita esse processo exaustivamente, até que o que você tanto espera ocorra. Se a temporização for alta o bastante, os espaços vão surgir mais cedo ou mais tarde.
      Manutenção do equilíbrio
      Isso já foi mencionado anteriormente, mas é sempre bom relembrar. Se você está jogando contra uma defesa que atua com o bloco extremamente baixo e com o máximo de pessoas dentro da área, faz sentido colocar ainda mais gente lá dentro ou em volta dela? Se existem ainda mais jogadores enchendo a área, isso irá te ajudar a obter alguma vantagem ou facilitará a vida dos defensores adversários? Você precisa ter cuidado para não comprometer muitos jogadores com sua fase ofensiva, busque sempre o equilíbrio. Todo jogador que você manda para frente, é um jogador que tem que recompor defensivamente quando a bola é perdida.
      Logo, você arriscar frustrar seus próprios ataques ao colocar mais gente por lá, e você também arrisca fornecer aquele contra-ataque que o adversário tanto quer. A medida que você se tornar mais desesperado pelo resultado e botar mais e mais gente no ataque, você está apenas aumentando as chances de vitória do seu adversário.
      Ao invés de mandar todo mundo para frente, faça com que seus jogadores formem um perímetro em volta da área adversária. Fique sempre com a segunda bola e deixe seus jogadores enfrentarem seus oponentes. Mais vezes sim do que não, eles irão cometer faltas, ou sairão de suas posições, o que abrirá espaços para seus jogadores explorarem.
      Penetrando a defesa
      Para furar uma retranca, você precisa de jogadores com movimentação suficiente para penetrar a defesa. Então, como você cria o tão buscado momento para penetrar a defesa? Para isso, você precisa avaliar duas coisas: quem são os jogadores híbridos e onde as sobrecargas naturais ocorrem?
      Um jogador híbrido é um jogador que está em uma certa posição defensivamente, mas atua em uma posição completamente diferente quando seu time ataca. Durante a transição ofensiva, ou defensiva, esses são os jogadores que precisam se posicionar de maneira adequada.
      Uma sobrecarga é onde existem mais jogadores de um time em uma área do que em outras. Por exemplo, quando o ala adversário avança para receber aquela casquinha do ponta-esquerda, você está criando uma sobrecarga naquela área. Sempre que alguém tem mais jogadores em uma determinada área, você tem uma sobrecarga.
      Você também irá precisar de um jogador agudo. Um jogador agudo é aquele que você usa para manter a posse de bola em pequenos espaços, principalmente no terço final do campo. O jogador se move como uma agulha pela formação adversária. Um jogador agudo tem que ser capaz de receber passes rápidos sem perder a possa e tem que ter boa comprensão para enxergar a direção em que tem que se mover para manter a posse de bola e avançar a fase ofensiva.
      Por isso, a maneira adequada de furar uma retranca começa com as funções que você escolhe. A combinação correta de função cria e usa os espaços criados. Isso irá forçar a defesa a tomar decisões e modificar a estratégia inicial. Esses movimentos com e sem bola, são importantes porque eles criam uma cadeia de reações. Ou seja, opte por atletas que se movem com inteligência, não ficam estáticos  em uma determinada posição. O dinamismo é muito importante para furar uma retranca.
      Texto traduzido e adaptado por Henrique M. para o FManager Brasil e Engenharia do Futebol.
      Fonte: https://strikerless.com/2017/02/26/towing-away-a-parked-bus-breaking-down-a-defence/
      Banner: @_Matheus_
×
×
  • Create New...