Jump to content

Guia de Palestras FM 2014


Henrique M.

Recommended Posts

  • Vice-President

va5uCxD.jpg

Esse vai ser um tópico dividido em 3 atualizações: Preleção, Intervalo e Pós-Jogo, vamos tentar cobrir também o que falar quando um jogador entra em campo no decorrer do mesmo. Lembrem-se, é um guia, não algo a ser seguido ao pé da letra, também é uma oportunidade para dividirmos o conhecimento e maneiras bacanas de aproximar dos jogadores.

Como conseguir as reações desejadas

Inicialmente, uma coisa que deve ser levada em conta é que sua reputação inicial faz toda a diferença do mundo quando se trata de motivar seus jogadores. Principalmente nos 6 meses iniciais.

Se os seus jogadores não estiverem respondendo a suas palestras ou estiverem tendo reações negativas quando você está no comando daquele clube gigante com reputação semi-profissional (acontece em 95% dos casos), então eu sugiro que você não faça nenhuma palestra até conquistar alguma Copa ou tiver terminado a temporada. Quanto mais do seu elenco você conhecer, mais eles vão reagir.

Isso pode ser melhorado elogiando os jogadores depois de boas exibições e se tornar pessoal favorito de muitos jogadores no seu elenco é algo que você deve ter em mente. Isso é um fator vital que muitas pessoas desconsideram.

Diretrizes Gerais

1) Seja paciente, não queira que sua equipe comece a se empolgar com você logo de cara, ainda mais quando a maioria deles tem mais reputação que você. Trilhe seu caminho ao sucesso, eles vão te acompanhar.

2) Em caso de reações negativas dos jogadores, peça para o auxiliar fazer por você ou não faça palestras. Às vezes não dizer nada fará milagres, especialmente se você estiver atrás do placar no intervalo.

3) Tenha em mente que a sua reputação é um fator vital para isso funcionar. Não coloque amador e deseje ter vida fácil ao escolher um Real Madrid da vida.

4) Elogie seus jogadores e construa uma relação com eles. Se torne o treinador favorito deles.

Palestras Pré-Jogo

Se você tiver um jogador que tirou mais que 7,4 no último jogo, marcou um ou dois gols ou fez uma atuação defensiva sólida, deve aparecer a opção "Quero ver mais do mesmo", escolha ela em 99% das ocasiões.

Se o jogador foi muito mal no último jogo, média abaixo de 6, você poderá dizer "Eu espero mais" para ele, use-a se você decidiu dar uma nova chance ao jogador.

Mas isso só poderá ser feito após a palestra para o time todo, então, vamos ao que interessa:

Adversário mais forte ou maior (você não é o favorito)

Palestra Geral: Vão lá para dentro, descontraiam-se e joguem o seu jogo natural. O resultado aparecerá

Tom de Voz: Calmo ou Assertivo

Palestra Individual: "Eu tenho fé em você, vai lá para dentro e faça a diferença"

Tom de Voz: Calmo, assertivo ou apaixonado.

Esse método relaxa seus jogadores e evita uma grande perda de moral em caso de derrota. E ainda pode ocasionar milagres dentro de campo.

Também recomendo as versões parecidas dessa palestras como "Ninguém espera que consigamos um resultado" ou "Boa Sorte". Pode gerar o mesmo efeito, principalmente se você estiver jogando fora de casa.

Adversário mais fraco ou menor (você é o favorito)

Jogos em casa

Palestra Geral: "Eu espero uma vitória", "Vamos lá pessoal, somos os favoritos, vamos mostrar a eles o que podemos fazer", "Vamos dar a eles a exibição que eles estão esperando" e "Um time como o nosso não deve ter dificuldades em vencer essa partida"

Tom de Voz: Calmo, Assertivo ou Apaixonado

Palestra Individual: "Eu tenho fé em você, vai lá para dentro e faça a diferença"

Tom de Voz: Calmo ou Apaixonado

Jogos fora

Palestra Geral: "Vamos fazer isso pelos fãs" ou "Vamos dar aos fãs algo que comemorar"

Tom de Voz: Assertivo ou Apaixonado

Palestra Individual: "Eu tenho fé em você, vai lá para dentro e faça a diferença"

Tom de Voz:Calmo ou Apaixonado

Palestras no Intervalo

As palestras no intervalo são as mais importantes, em minha opinião. Elas podem mudar a história do jogo para melhor ou para pior. Espero que essas sugestões possam lhe colocar no caminho do primeiro.

Quando voltamos do primeiro tempo, se algum jogador tiver cometido e/ou estiver com uma nota inferior a 6, eu já logo de cara substituo ele, pois eu nunca vi um jogador com essa nota dar a volta por cima no jogo e terminar com uma nota superior, tipo 7,9. No final do jogo eu lhe dou um sermão (agressivo + falar que ele não jogou bem) e ás vezes multo ele pelo péssimo desempenho.

Tenha sempre em vista o tipo de adversário contra quem você está jogando, o placar, as notas dos jogadores e o o mais importante, a moral de seus jogadores. Se estiver abaixo de bom, eu sugiro opções como "Eu tenho fé em você" e evitar ser agressivo e dizer que não está feliz com a atuação dele, isso pode piorar a situação.

Fique atento a esse detalhe, palestras são muito imprevisíveis, já que cada jogador possui atributos escondidos que podem alterar o efeito da conversa.

Se o seu jogador foi bem na partida anterior e não começou, o tradicional "Quero ver mais do mesmo", pois todo mundo gosta de ser lembrado pela sua grande atuação anterior. Vamos as diretrizes gerais

Quando você não está preocupado com o resultado (Manchester United x Rushden Diamosn, o tradicional Davi x Golias. P.S: Você é o Davi)

Palestra Geral: "Vocês ainda podem sair com a vitória!", "Vocês não tem nada para perder hoje, vão lá e deem seu melhor" e caso você tenha jogado melhor que o adversário "Sem sorte, rapazes, as coisas apenas não deram certo até agora". Tenha em mente que isso só é efetivo se você tiver mais finalizações e posse de bola ou então muitas bolas na trave.

Tom de Voz: Calmo, Assertivo ou Apaixonado

Palestra Individual:"Eu tenho fé em vocês!"

Tom de Voz: Calmo ou Apaixonado

Quando seus jogadores estão jogando bem e acima das expectativas

Palestra Geral: Usar "Eu estou satisfeito com as coisas estão indo, continuem" é a melhor das hipóteses, mas caso a vitória seja magra, "As coisas estão bem, mas vocês são capazes de jogar mais".

Tom de Voz: Calmo, Assertivo ou Apaixonado

Palestra Individual: "Eu tenho fé em vocês"

Tom de Voz: Calmo ou Apaixonado

Mas vocês devem estar se perguntando, quando devo usar "Não fiquem complacentes" ou "Vocês estão vencendo mais isso pode mudar"? Muitos ficam com medo de usar essa palestra e desmotivar os jogadores, evite usar em jogos contra equipes maiores que você, mas invista nela caso esteja vencendo uma partida apertada contra uma equipe menor e eles estiveram bem perto de fazer um gol, isso pode acordar seus jogadores.

Quando seus jogadores estão jogando mal e abaixo das expectativas

Palestra Geral: Quando você é o favorito ou está querendo a vitória a todo custo e seu time não tiver jogado o suficiente no primeiro tempo, usar "Eu não estou satisfeito com sua atuação" é a melhor maneira de inflar os ânimos e levantar seus jogadores

Tom de Voz: Assertivo ou Agressivo

Palestra Individual: Não é porque você esculhambou eles que deve deixar de apoiá-los, vá de "Eu tenho fé em vocês" e conseguirá motivar o resto que não se empolgou com sua palestra anterior.

Tom de Voz: Calmo ou Apaixonado

Na hora da substituição

Se você tiver um jogador muito jovem ou uma contratação recente, vá sempre de Calmo ou Assertivo "Sem pressão hoje", pois tira o peso das costas de muitos deles e faz com que eles joguem mais tranquilos, ainda mais quando a situação do jogo pode não ser favorável

Caso esteja perdendo e está querendo colocar um jogador para fazer a diferença, diga que "Espera uma boa atuação" ou que "Eu tenho fé em você", de modo Calmo ou Apaixonado, pode ser o suficiente para contagiar o jogador.

Em outras situações, "Eu tenho fé em você" deve bastar para mandá-lo a campo acreditando em si próprio.

Palestras Pós-Jogo

Importante: Você precisa se lembrar e ter em mente o que você disse nas suas palestras anteriores.

Se na preleção num jogo contra o Chelsea você disse "Apenas vão lá e relaxem" e no intervalo disse "Eu espero ver uma atuação melhor", você não pode chegar no final do jogo depois que seu time perdeu de 3 x 0 e dizer agressivamente que não gostou do resultado. Tenha isso em mente, se não, você terá problemas.

Quando você conquistou uma vitória ou um empate importante

Palestra Geral: "Muito bom, essa foi um excelente resultado"

Tom de Voz: Assertivo ou Apaixonado

Palestras Individuais: Geralmente não é necessário, mas caso algum jogador não responda a palestra geral, tente elogiá-lo se ele foi bem, mas apenas se foi bem (notas acima de 7,5)

Tom de Voz: Assertivo ou Apaixonado

Quando você sofre uma derrota para uma equipe menor ou um resultado muito ruim (goleadas)

Palestra Geral: "Vocês não foram bem o suficiente"

Tom de Voz: Agressivo ou Assertivo

Palestras Individuais: Tente elogiar alguém que se sobressaiu no jogo, caso ele não se motive;

Tom de Voz: Assertivo ou Apaixonado

Quando você perde para um time maior e jogou bem

Palestra Geral: "Vocês apenas não tiveram sorte hoje" ou "Eu estou feliz com o que apresentaram hoje"

Tom de Voz: Calmo ou Assertivo

Palestras Individuais: Elogie quem se destacou e critique quem foi mal (Notas acima de 7,5 e abaixo de 6,0)

Tom de Voz: Agressivo ou Apaixonado

----------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------

Fonte: http://www.fm-base.co.uk/forum/football-manager-2014-tactics/115433-raikan007s-teamtalk-guide-fm14-how-get-right-reaction.html

Autor: raikan007

Tradução e adaptação: Henrique M.

Banner: _Matheus_

Link to comment

excelente tópico, tenho que melhorar um pouco na parte de palestras, qse sempre uso:

"Vamos dar aos fãs algo que comemorar" com tom calmo...

vou tentar seguir o guia...

edit: uma dica henrique, poderia colocar as screens que tem mostrando os resultados no tópico original do raikan.

Edited by Galford Strife
Link to comment

Tópico bacana.

Uma dica que deixo. Quando você é um técnico ainda sem moral com os jogadores, deixe o auxiliar fazer as palestras, claro, se ele tiver bons atributos como "Gestão de recursos humanos", "Disciplina", "Determinação" e especialmente, "Motivação". Use esse artifício até que o time comece a vencer alguns jogos, e inicie você as palestras em jogos mais fáceis, ou então, dê apenas a palestra final em jogos que o time venceu, sempre parabenizando os jogadores pela vitória, de usando o tom "Assertivo".

Link to comment
  • Vice-President

excelente tópico, tenho que melhorar um pouco na parte de palestras, qse sempre uso:

"Vamos dar aos fãs algo que comemorar" com tom calmo...

vou tentar seguir o guia...

edit: uma dica henrique, poderia colocar as screens que tem mostrando os resultados no tópico original do raikan.

Eu vou tirar SS's em português e complementar o tópico, já que muita gente não sabe ler em inglês.

Link to comment

Ótimas sugestões, só queria acrescentar que quando eu jogo contra times maiores ou melhores que o meu eu também tento falar a verdade para eles, tipo A gente não é favorito, mas vocês podem ir para lá e surpreender todos, ou falar para eles para vencerem para os torcedores, muitas vezes deu certo.

Link to comment

Muito bom tópico a comunidade brasileira precisa de mais conteúdos assim,fico até feliz quando vejo alguém traduzindo essas coisas pro pessoal

Parabéns mesmo!!

Link to comment
  • Vice-President

Muito bom tópico a comunidade brasileira precisa de mais conteúdos assim,fico até feliz quando vejo alguém traduzindo essas coisas pro pessoal

Parabéns mesmo!!

O FManager está fazendo um esforço para trazer esses materiais traduzidos. Se tiver algo a indicar, não hesite.

Link to comment

Uma que eu costumo usar se jogo em casa contra um time mais fraco e o resultado do jogo anterior não foi bom é iniciar falando agressivamente que temos que ganhar o jogo.

Depois falo de forma assertiva que tenho fé nos jogadores.

Tem dado resultado.

Mesma coisa no intervalo de jogo contra times menores e o placar ainda está 0x0 ou estamos perdendo.

Mando logo uma agressiva e quase sempre tem dado resultado.

Link to comment
  • Vice-President

Uma que eu costumo usar se jogo em casa contra um time mais fraco e o resultado do jogo anterior não foi bom é iniciar falando agressivamente que temos que ganhar o jogo.

Depois falo de forma assertiva que tenho fé nos jogadores.

Tem dado resultado.

Mesma coisa no intervalo de jogo contra times menores e o placar ainda está 0x0 ou estamos perdendo.

Mando logo uma agressiva e quase sempre tem dado resultado.

Esse lance da agressividade, tentei usar quando minha equipe estava perdendo jogos que não gostaria e não me ajudou muito.

Adicionei a segunda parte do guia, amanhã ou depois, trago a última parte. E assim que possível, irei reproduzir as SS's em PT-BR.

Link to comment

Numa situação em que perdi um jogo do primeiro turno fora de casa e, no jogo do segundo turno em casa, surgiu a opção de "ir a campo e vingar o último resultado", algo do tipo. Usei isso de forma assertiva e deu certo: o time entrou com a moral alta (até porque eu vinha de bons resultados também - talvez a moral do time já em alta tenha ajudado).

Depois aconteceu o mesmo numa eliminatória em que tive que reverter o resultado de um gol do primeiro jogo (novamente em casa): de novo, resultado positivo.

Uma outra que tem dado certo é a opção "quero que continuem de onde pararam" (após o time vir de uma boa vitória).

Uso de forma assertiva, também.

Link to comment

Coisas que eu fiz e notei dar diferença:

  • Primeiro save (interrompido pelo bug da CDB) foi no Cruzeiro. E atentei muito pras palavras do adjunto, que surtiam bons efeitos. Depois fui fazendo também.
  • Segundo (atual) save no América-MG, já vi que as palestras do meu adjunto, mais fraco que o anterior, eram um desastre. Fiz o básico que reparei no outro adjunto. Foi bem melhor.
  • Sempre vou de assertivo, calmo ou apaixonado, aleatoriamente mando um relutante. Quando to puto, procuro uma palavra calma. Quando tô quase quebrando o monitor vou de agressivo. HAHAHAHA Tem funcionado.
  • Notei que os melhores jogadores não reagiam, ou não reagiam bem aos comentários do tipo "tenha confiança", mas enquanto o time todo reagia mal a xingamentos, os bons jogadores reagiam bem às cobranças, se motivavam: dentre eles o goleiro Matheus, Fábio Júnior, Williams e Nikão.
  • Intuitivamente eu vi que os específicos (bons) jogadores que reagiam mal a palestras mais pacientes (assertivas/relutante/calmo/apaixonado), iriam melhorar se tivessem mais respeito por mim. Foi o caso do Magrão e outros. Não só elogiei como coloquei pra tutoriar jogadores, pedi conselhos de transferência ainda que não fosse seguir. E sempre fiz o mesmo pra tentar dar moral pro time nos momentos de derrota.
  • Nas substituições, notei que você pode meter um desfazer último, e retirar um jogador q vc ia colocar, assim você pode testar outras palavras. Não é lá algo muito justo de se fazer, mas fiz algumas vezes pra entender o jogo. E o que pude concluir é que certos jogadores, em certos momentos, reagem mal a qualquer coisa que você diga. Sempre vejo o "Pareceu desinteressado/desmotivado" e o "sentiu que faltava credibilidade ao treinador". Então é melhor não dizer nada, nem mesmo o "não tenho nada a dizer, sabe o que é preciso".
  • A moral da equipe também influi. Um time que tá ganhando todas reage muito melhor.

Esse dos fãs eu nunca testei fora, não sei se surte efeito, mas na minha análise não faz sentido porque jogando fora você não tem muitos torcedores no estádio. Mas vou testar.

Link to comment

Uma falha que percebi (não sei se pode ou não se encaixar como bug):

- o time foi mal no primeiro tempo, e vc precisa dar uma bronca geral na equipe; porém, antes da palestra, vc substitui algum jogador e arruma a parte tática. Este jogador novo que entrou no time irá reagir mal à palestra, mesmo se o resto do time se motivar (e mesmo se eu for individualmente nele e falar que "tenho confiança" ou algo do tipo).

Portanto, é melhor fazer a palestra antes de qualquer substituição ou arrumação tática - principalmente nesta situação, de acabar o primeiro tempo atrás no placar e/ou com o time jogando mal e o técnico precisa dar uma bronca geral.

Edited by Zakk.
Link to comment
  • Vice-President

O Guia está completamente traduzido, assim que possível e meu atual save permitir, tentarei reproduzir as SS's do tópico original e os efeitos. Também planejo adicionar as sugestões de vocês e trazer alguns detalhes de motivação em jogos mata-mata.

Link to comment

Uma coisa que irrita e comigo nunca funcionou, nunca tive reação boa. Você está ganhando o jogo e pede para o time não relaxar, que o jogo ainda não terminou e tal...comigo sempre reagem mal, ficam desmotivados, irritados. Como vocês é assim tbm?

Outra coisa, na palestra individual...você diz ao jogador que tem fé nele, ou que acredita que ele ainda tem muito mais a dar...a reação do cara é ruim, aparece aquela frase "sente que faltou credibilidade do treinador".

Em tempo, excelente tópico Henrique, tradução muito bem feita!!! Parabéns!

Link to comment

Uma coisa que irrita e comigo nunca funcionou, nunca tive reação boa. Você está ganhando o jogo e pede para o time não relaxar, que o jogo ainda não terminou e tal...comigo sempre reagem mal, ficam desmotivados, irritados. Como vocês é assim tbm?

Outra coisa, na palestra individual...você diz ao jogador que tem fé nele, ou que acredita que ele ainda tem muito mais a dar...a reação do cara é ruim, aparece aquela frase "sente que faltou credibilidade do treinador".

Em tempo, excelente tópico Henrique, tradução muito bem feita!!! Parabéns!

Quanto ao jogador reagir mal quando o técnico diz que tem fé nele, acredito que tenha a ver com a reputação no jogo, ou com a moral do time (mas creio que seja mais sobre reputação mesmo).

Sobre pedir pro time não relaxar, também acontece comigo. Deveria ser algo normal, tipo um "chacoalhão" no time no intervalo. E quando a situação é a de elogiar a performance do time no primeiro tempo, os caras voltam muito relaxados e inclusive deixam o adversário crescer.

Ainda não consegui o equilibrio entre o elogio e o pedido pro time não se acomodar.

Link to comment

Quanto ao jogador reagir mal quando o técnico diz que tem fé nele, acredito que tenha a ver com a reputação no jogo, ou com a moral do time (mas creio que seja mais sobre reputação mesmo).

Sobre pedir pro time não relaxar, também acontece comigo. Deveria ser algo normal, tipo um "chacoalhão" no time no intervalo. E quando a situação é a de elogiar a performance do time no primeiro tempo, os caras voltam muito relaxados e inclusive deixam o adversário crescer.

Ainda não consegui o equilibrio entre o elogio e o pedido pro time não se acomodar.

Não sei se é reputação (pelo menos no meu caso), estou no comando do time há 4 anos, já ganhamos 3 títulos.

No intervalo, pra não haver esse relaxamento quando o time está vencendo (é algo até normal de acontecer) eu uso aquele "estão bem, mas podem fazer melhor", com tom "calmo" ou "assertivo". Pra mim é uma boa opção e funciona bem, o time continua (ou tenta manter) a mesma boa pegada do 1º tempo.

Link to comment
  • Vice-President

Uma coisa que irrita e comigo nunca funcionou, nunca tive reação boa. Você está ganhando o jogo e pede para o time não relaxar, que o jogo ainda não terminou e tal...comigo sempre reagem mal, ficam desmotivados, irritados. Como vocês é assim tbm?

Outra coisa, na palestra individual...você diz ao jogador que tem fé nele, ou que acredita que ele ainda tem muito mais a dar...a reação do cara é ruim, aparece aquela frase "sente que faltou credibilidade do treinador".

Em tempo, excelente tópico Henrique, tradução muito bem feita!!! Parabéns!

Você tem que saber em que situação usar, vitórias por 1 x 0 em jogos fáceis ou mata-mata tendem a produzir resultado.

Link to comment

Você tem que saber em que situação usar, vitórias por 1 x 0 em jogos fáceis ou mata-mata tendem a produzir resultado.

Exatamente.

No meu caso em específico, eu acabo nem usando por "medo" da reação ruim. Por isso a importância do Guia, nos dizendo qual o momento mais propício para usar essa instrução.

Vale a pena lembrar (não vi no Guia e se passou despercebido por mim, me desculpem) que usar a mesma preleção repetidas vezes (usar sempre a mesma conversa, várias vezes seguidas) deixa de ter o efeito desejado, cada vez mais jogadores vão deixar de "dar ouvidos" ao que o técnico diz. Lembro dessa observação em algum Guia de Palestras de FM´s passados.

Link to comment
  • Vice-President

Exatamente.

No meu caso em específico, eu acabo nem usando por "medo" da reação ruim. Por isso a importância do Guia, nos dizendo qual o momento mais propício para usar essa instrução.

Vale a pena lembrar (não vi no Guia e se passou despercebido por mim, me desculpem) que usar a mesma preleção repetidas vezes (usar sempre a mesma conversa, várias vezes seguidas) deixa de ter o efeito desejado, cada vez mais jogadores vão deixar de "dar ouvidos" ao que o técnico diz. Lembro dessa observação em algum Guia de Palestras de FM´s passados.

Eu consegui uma classificação impossível, conseguindo um empate em 1 x 1 no mata-mata, com esse tipo de palestra. É uma ocasião especial, vale usar.

Isso, por experiência própria, nunca me ocorreu, uso sempre as mesmas variações de palestras e geralmente uso apenas um tom de voz, que é o que a equipe responde melhor,

Quanto ao que negritei, a minha intenção é incrementar esse guia. Por isso que o feedback do pessoal dizendo o que funciona e o que não, é importante, não quero embasar algo assim apenas na minha opinião.

Link to comment

Eu consegui uma classificação impossível, conseguindo um empate em 1 x 1 no mata-mata, com esse tipo de palestra. É uma ocasião especial, vale usar.

Isso, por experiência própria, nunca me ocorreu, uso sempre as mesmas variações de palestras e geralmente uso apenas um tom de voz, que é o que a equipe responde melhor,

Quanto ao que negritei, a minha intenção é incrementar esse guia. Por isso que o feedback do pessoal dizendo o que funciona e o que não, é importante, não quero embasar algo assim apenas na minha opinião.

Exatamente, o "pulo do gato" está em saber o momento certo de usar.

E só pra ressaltar a importância das palestras, vou deixar um episódio que aconteceu comigo.

Estou com o Rangers da Escócia, há 4 anos. Fomos jogar em casa, contra um time inferior (meu time não vinha bem, mas nada que preocupasse). Não lembro ao certo a palestra que usei (lembro que usei tom assertivo). Uns 4 jogadores reagiram bem, o goleiro ficou desmotivado e o resto não teve reação alguma. Em negrito está a parte em que errei. Esse meu goleiro é jovem, 24 anos, mas muito bom, vinha jogando bem. Bom, resumo da obra, perdi de 4x1, mesmo com 63% de posse de bola e chutando 9 bolas ao alvo (foram 19 chutes no total). O time adversário, chutou 4 bolas e fez 4 gols. Bom, eu poderia xingar a M.E, dizendo que foi roubado, onde já se viu, 4 chutes e 4 gols, mas não, resolvi analisar de outro ângulo e cheguei a conclusão que a derrota foi minha culpa, devido a palestra errada. Meu goleiro ficou desmotivado, por isso tomou esses gols (não sei se por má vontade, ou porque ficou chateado)...o resto do time foi bem, inclusive a nota da zaga, só o goleiro que realmente foi mal (nota 5,8 eu acho). O correto, seria eu tê-lo substituído antes do jogo iniciar, ou então após ter tomado 2 gols em 2 chutes.

Enfim, fica a dica. As palestras (seja antes, durante ou após os jogos) são de extrema importância e realmente influenciam a vontade dos jogadores, ou a maneira da equipe jogar.

Link to comment

Olá Gostei muito e gostaria de pedir ajuda urgente ^^

Troquei de Time e Ligua, estava jogando com o São Paulo e ganhando Quase tudo, então resolvi aceitar um desafio e fui treinar o Stoke City, conversa vai....conversa vem.... e acabei colocando meu Aux. pra fazer as palestras.... o problema que ele n ta redigindo muito bem elas e a equipe n ta correspondendo em campo.... Já perdi jogo de virada depois de estar ganhando por 2x0 tranquilo porque no intervalo ele n faz uma boa palestra e da segurança aos jogadores, o que baixa a moral deles na segunda etapa.

Se alguém puder me ajudar e me falar onde posso voltar ao normal e fazer as palestras eu agradeço muito !

Edit> Consegui XD Quiser apagar eu agradeço!

Edited by HieiSix
Link to comment

Olá Gostei muito e gostaria de pedir ajuda urgente ^^

Troquei de Time e Ligua, estava jogando com o São Paulo e ganhando Quase tudo, então resolvi aceitar um desafio e fui treinar o Stoke City, conversa vai....conversa vem.... e acabei colocando meu Aux. pra fazer as palestras.... o problema que ele n ta redigindo muito bem elas e a equipe n ta correspondendo em campo.... Já perdi jogo de virada depois de estar ganhando por 2x0 tranquilo porque no intervalo ele n faz uma boa palestra e da segurança aos jogadores, o que baixa a moral deles na segunda etapa.

Se alguém puder me ajudar e me falar onde posso voltar ao normal e fazer as palestras eu agradeço muito !

Link to comment

Join the conversation

You can post now and register later. If you have an account, sign in now to post with your account.

Guest
Reply to this topic...

×   Pasted as rich text.   Paste as plain text instead

  Only 75 emoji are allowed.

×   Your link has been automatically embedded.   Display as a link instead

×   Your previous content has been restored.   Clear editor

×   You cannot paste images directly. Upload or insert images from URL.

  • Similar Content

    • Helio Nery
      By Helio Nery
      Tenho os seguintes manager, 2013,2014 e 2015, quem tiver atualização para 2023, me chama no zap 7.5.9.8.8.6.1.1.7.9.5!
    • Henrique M.
      By Henrique M.
      Cada jogador dentro do FM tem uma quantidade de atributos de personalidade ocultos pelo jogo que afetam como ele desempenha seu futebol, como ele se sai nos treinos, como ele interage com os outros jogadores e com o treinador, como ele interage com a imprensa e se adapta a um novo clube.
      Os atributos de personalidades, em conjunto com os atributos mentais Determinação e Liderança são usados para determinar a descrição da personalidade do jogador, que fica no próprio perfil do jogador.
      Os efeitos de cada personalidade são descritos abaixo, seguido por detalhes de quais atributos estão atrelados a cada tipo de personalidade.
      Aprendendo a Personalidade de um Jogador
      Você pode ter uma ideia dos atributos da personalidade de um jogador não apenas pela interpretação da descrição que o jogo lhe dá, mas também observando como o jogador reage a certas situações, como as palestras individuais, quando você tiver uma conversa privada com ele, quando comentários são feitos sobre ele na imprensa ou quando ele mesmo faz comentários na imprensa. Adicionalmente, você deve se manter de olho na satisfação do jogador por qualquer indicação de quais são seus atributos de personalidade.
      Criar Notas na seção adequada da aba "Histórico" pode lhe ajudar a acompanhar e decifrar os atributos do seus jogadores.
      Gerenciando as Personalidades
      Entender a personalidade de um jogador lhe dará uma ideia de como geralmente lidar com ele, como em suas palestras. Por exemplo, se você tiver um jogador com altos atributos em Determinação e Pressão (atributo de personalidade) você poderá ser mais exigente com ele no jogo, enquanto um jogador com baixo atributo tem que ser encorajado ou ter a pressão retirada de suas costas. Similarmente, se muitos dos jogadores tiverem Ambição (atributo oculto) elevada então é sempre bom ser positivo quanto as suas chances em um jogo nas conferências de imprensa.
      Personalidades & Construção do elenco
      É importante tentar construir um elenco com jogadores que tenham personalidades positivas. Esses jogadores terão uma melhor atitude dentro e fora do campo, enquanto podem ser tutores muito úteis para os jovens jogadores, já que passariam características boas para eles. Você pode ter uma ideia de qual personalidade é mais evidente no seu elenco vendo a "Personalidade do Plantel", na aba 'Informação do Clube" da seção "Clube".
      Particularmente, é muito interessante ter um alto número de jogadores com bom Profissionalismo (atributo de personalidade) no elenco. Tais jogadores são os melhores tutores, já que melhorar esse atributo de jovens jogadores ajudarão eles a se desenvolverem rapidamente no futuro e também se aproveitar dos benefícios do Profissionalismo, que serão detalhados abaixo.
      Jogadores com boa Determinação também são benéficos para o elenco, assim como os que tem Ambição. Entretanto, se estiver treinando uma equipe pequena e estiver preocupado com os jogadores querendo sair, ter jogadores com boa Lealdade deve ser preferencial.
      Além disso, construir um elenco com jogadores com personalidades parecidas ajudarão na Harmonia da Equipe, já que será mais provável que seus jogadores desenvolvam uma boa relação entre eles e brigas serão raras, resultando numa moral melhor e melhores resultados em campo.
      Atributos de Personalidade
      Adaptabilidade - O quão bem um jogador se adapta a um novo país, uma nova cultura.
      Ambição - O quanto um jogador quer o sucesso. Jogadores mais ambiciosos se desenvolvem bem mas é mais provável que desejem sair de um time pequeno quando estiver se destacando ou se seu time não ganhar títulos.
      Controvérsia - O quão sincero um jogador vai ser com a imprensa. Jogadores com uma alta Controvérsia tem a tendência de criticarem seus treinadores publicamente.
      Lealdade - O tanto que um jogador deseja permanecer no mesmo clube. Jogadores leais tem menos chances de aceitar uma oferta melhor de outros clubes.
      Pressão - O quão bem um jogador se sai em situações desafiadoras. Quanto mais alto for em um jogador, mais difícil será ele sentir a pressão das expectativas, por exemplo, quando um treinador adversário comenta sobre ele na imprensa, ou quando o time está lutando por títulos ou para escapar do rebaixamento perto do final da temporada, assim como geralmente nas partidas. Se o jogador estiver preocupado ou chateado com alguma coisa, pode significar que ele tem o atributo baixo.
      Profissionalismo - O tanto que um jogador trabalha duro e o tanto que sua atitude geral é boa. Jogadores mais profissionais terão uma atitude excelente fora de campo, por exemplo, responderão bem a algum tipo de disciplina aplicada, como um aviso por uma péssima exibição. Geralmente, costumam se desenvolver bem, aguentam cargas de treinos mais pesadas e tem carreiras longas.
      Desportivismo - O quão ético o jogador é em uma partida. Jogadores mais desportivistas terão menos chances de trapacear, por exemplo, simular faltas e pênaltis e tem mais chances de jogar a bola para fora quando um jogador está machucado.
      Temperamento - O quão calmo um jogador é em situações ruins contra ele. Jogador com um alto temperamento terão menos tendência a se revoltar quando sofrem faltas, quando o time está perdendo ou quando as decisões tomadas vão contra sua equipe. Se um jogador fica enfurecido, pode indicar que ele tem um alto Temperamento e um baixo Profissionalismo.
       
      Descrição das Personalidades
      Personalidades Positivas
      Cidadão modelo - Bons atributos de Ambição, Determinação, Lealdade, Pressão, Profissionalismo, Desportivismo e Temperamento; Perfeccionista - Bons atributos de Ambição, Determinação e Profissionalismo, mas baixo atributo de Temperamento; Decidido - Bons atributos de Ambição e Determinação; Profissional Modelo/Profissional/Razoavelmente profissional - Bom atributo de Profissionalismo; Cheio de Energia - Bons atributos de Pressão e Profissionalismo; Evasivo - Bons atributos de Pressão e Profissionalismo; Reservado - Baixo atributo de Controvérsia, mas bom atributo de Profissionalismo; Determinado/Razoavelmente Determinado - Bom atributo de Determinação; Líder Carismático - Bons atributos de Liderança, Desportivismo e Temperamento; Líder Nato - Altíssimos atributos de Liderança e Determinação; Líder - Altíssimo atributo de Liderança; Vontade de Ferro - Alto atributo de Pressão e bom atributo de Determinação; Persistente - Alto atributo de Pressão e bom atributo de Determinação; Calmo - Bons atributos de Pressão e Temperamento; Muito Ambicioso/Ambicioso/Razoavelmente Ambicioso - Bom atributo de Ambição, mas baixo atributo de Lealdade. Personalidades Negativas
      Volátil - Baixo atributo de Temperamento; Confrontador - Baixos atributos de Desportivismo e Temperamento; Temperamental - Baixíssimo atributo de Temperamento; Pavio Curto - Alto atributo de Controvérsia, mas baixo atributo de Temperamento; Franco - Alto atributo de Controvérsia; Casual - Baixíssimos atributos de Profissionalismo e Determinação; Baixa Determinação/Facilmente Desencorajado - Baixíssimos atributos de Determinação e Ambição; Baixa autoestima - Baixíssimos atributos de Determinação e Pressão; Acomodado - Sem Profissionalismo e baixo atributo de Determinação; Sem Energia - Sem Pressão e baixo atributo de Determinação; Sem Ambição - Baixíssimo atributo de Ambição; Personalidades Neutras
      Equilibrado - Atributos balanceados de Controvérsia, Lealdade, Profissionalismo, Desportivismo e Temperamento; Espirituoso - Bons atributos de Pressão e Temperamento razoável, mas baixo atributo de Profissionalismo; Antidesportivo/Realista - Baixíssimo atributo de Desportivismo; Sereno - Bons atributos de Pressão e Desportivismo; Devotado/Altamente Leal/Leal/Razoavelmente Leal - Altíssimo atributo de Lealdade, mas baixo atributo de Ambição; Honesto/Desportivo/Razoavelmente Desportivo - Bom atributo de Desportivismo, mas baixo atributo de Determinação; Amigo da Imprensa - Baixo atributo de Controvérsia; Balanceado - Tem uma personalidade mista que não se encaixa em nenhuma das descritas acima.
    • just12
    • just12
      By just12
      As lesões no FM são bastante comuns assim como na realidade, a questão é como diminuir a quantidade e o tempo que elas retiram um jogador de atuação. Conhecer as lesões mais frequentes, entender os fatores de risco e traçar estratégias preventivas são fundamentais para termos sucesso nesta área.

      Milhões são gastos anualmente em contratações caras e salários na casa dos milhões, porém tudo isso poderá ir por terra se não houver uma boa equipe técnica e uma boa gestão médica por parte do Manager. Isso se torna ainda mais importante quando se trata de equipes menores, onde a estrutura é sucateada e os funcionários da STAFF são escassos e de baixa qualidade. Uma equipe médica adequada pode custar por volta de 3% da folha salarial do elenco.

      Na área médica do Football Manager temos dois profissionais primordiais, que são os fisioterapeutas, responsáveis por prevenir e recuperar lesões e os cientistas desportivos (fisiologistas), responsáveis por analisar/gerir a condição física e o risco de lesão dos jogadores.
      Além disso, podemos dizer que a estrutura proposta pelo clube como centros de treinamento e condições de treino ajudam demais estes profissionais. Treinar em um gramado duro e fazer musculação em uma academia com aparelhos velhos pode não só prolongar o tempo de lesão de um jogador como também podem gerar ainda mais lesões.

      Jogadores incapacitados afetam diretamente a equipe já que não podem ser utilizados. Com o maior número de baixas, menos peças o treinador terá à disposição e consequentemente menores as chances de alcançar lugares melhores na liga ou em competições internacionais. Atletas contundidos tendem a perder atributos e/ou diminuir seu potencial, o que pode ser crucial na vida de um jovem atleta que poderia ser uma estrela caso não se lesionasse seriamente numa idade em que seus atributos deveriam estar evoluindo com grande progressão.
       
      As lesões mais frequentes no Futebol:
      → Estiramentos e distensões musculares: ambos ocorrem devido ao alongamento excessivo do músculo, mas em locais diferentes: enquanto o estiramento acomete as fibras musculares, a distensão pode ser definida como uma lesão na junção musculotendínea ou no tendão. A classificação também é a mesma: pode não haver ruptura do tecido, ruptura parcial ou completa. Distensões musculares são as lesões mais frequentes em jogadores de futebol;

      → Fraturas por estresse: lesão decorrente da utilização excessiva do osso, que, não suportando a pressão sofre uma fissura. Na maioria das vezes, a sobrecarga acontece por causa do aumento da intensidade do treino e/ou partidas em sequência sem descanso adequado;

      → Entorses: tipo de lesão mais frequente no meio esportivo, é provocada por uma excessiva distensão dos ligamentos e das demais estruturas que garantem a estabilidade da articulação. Pode ocorrer devido a movimentos bruscos, traumatismos, má colocação do pé ou um simples tropeço. Os órgãos mais afetados são tornozelo (tibiotársica) e joelho. No futebol, entorse de joelho com ruptura do ligamento cruzado anterior (LCA) é a lesão incapacitante mais comum, ao lado de problemas nos meniscos;

      → Contusão: resultado de um forte impacto em qualquer parte do corpo, pode causar lesão nos tecidos moles da superfície, músculos, tendões ou ligamentos articulares;

      → Luxação: ocorre quando uma força violenta atua direta ou indiretamente numa articulação, empurrando o osso para uma posição anormal. Embora, de forma leiga possa ser apontado como algo simples, às vezes é mais grave do que uma fratura.
       
      Os fatores de risco para as Lesões são:

      → Propensão do jogador a lesão: há um atributo oculto de 0 a 20 que mostra o quão um jogador é mais propenso a se lesionar. Caso seja importante, o seu preparador lhe avisará no relatório do jogador;

      → Baixa energia: jogadores que não se recuperam totalmente de uma partida ou treino terão maior facilidade em se lesionar;

      → Aptidão Física: mostra quanto um jogador consegue se recuperar de uma partida para outra e quão mais rápidos conseguem se recuperar de uma lesão sem perder atributos;

      → Alto número de partidas em um curto período de tempo: jogar domingo e quarta toda semana sem o devido descanso pode gerar acúmulo de fadiga e consequentemente lesões;

      → Falta de ritmo de jogo: jogadores quando ficam muito tempo sem partidas diminuem seu ritmo de jogo e aumentam seu risco de lesão;

      → Estado do gramado: gramados em péssimo estado são grandes catalizadores dos mais diversos problemas físicos;

      → Treinamento inadequado: a planilha de treinos elaborada pelo Auxiliar Téc. pode ser problemática em muitos aspectos, inserindo treinos e cargas de trabalho desalinhadas, promovendo maior fadiga nos atletas e consequentemente mais lesões;

      → Apressar retorno do jogador depois de uma lesão: quanto menor a qualidade do fisioterapeuta, maior a chance dele errar e apressar o retorno do jogador aos treinos e jogos;

      → Intensidade tática: táticas com ritmo mais rápido, marcação-pressão e de forma cerrada, linhas elevadas e busca incessante do contra-ataque podem gerar forte desgaste nos atletas;
      → Clima: exposição ao frio, chuva, neve, altitude, calor e umidade provocam alterações fisiológicas como a desidratação, aumento do número de quedas e do risco traumático. Condições chuvosas implicam um aumento do contato direto entre os jogadores e alterações do terreno de jogo, predispondo para lesões traumáticas. O calor e a humidade traduzem estados de desidratação com aumento de lesões por fadiga, devido ao intenso desgaste físico.
       
      Estratégias Preventivas:

      Como comentamos anteriormente, cientistas desportivos e fisioterapeutas trabalham em conjunto prevenindo lesões, além disso podemos destacar uma boa pré-temporada (falaremos disso detalhadamente mais adiante), treinamento com cargas adequadas, boas instalações de treino, boa qualidade do gramado de jogo (pedir a direção para trocar o gramado), saber quando aumentar e diminuir a intensidade tática durante a temporada, dosar a carga de jogos de cada jogador e cuidados no retorno do jogador aos treinos e jogos após uma lesão.
       
      ◉ Pré-temporada Preventiva

      A pré-temporada deve por excelência destinar as 2 primeiras semanas ou mais para treinamento da parte física, visando melhoria dos atributos, principalmente focados em aptidão física e resistência, que serão úteis durante toda a temporada. Nas semanas a seguir o foco seria o aumento do ritmo de jogo dos atletas com os amistosos.

      Nos primeiros amistosos da época, é recomendável que a intensidade tática seja baixa e os jogadores joguem por no máximo 45 minutos, o que irá aumentando progressivamente conforme o ritmo de jogo melhora e a fisiologia diminui a chance de lesão dos jogadores.

      Sabemos que em alguns países, principalmente no Brasil, é bem complicado fazer uma pré-temporada adequada por conta dos estaduais, porém deve-se fazer o melhor possível dentro da realidade de cada calendário, por vezes usando o estadual como parte da pré-temporada.

      O quadro acima mostra a baixa aptidão física (ritmo de jogo) e consequentemente o elevado risco de lesão.
       
      ◉ Qualidade do gramado

      No quadro acima é mostrada a qualidade perfeita do gramado, porém muitas equipes possuem gramados ruins, muito ruins ou somente OK, o que pode ser mudado pedindo a diretoria que melhore a grama ou mude para grama sintética.
       
      ◉ Evitar uma nova lesão

      O quadro vermelho ao lado do jogador indica que o jogador está em tratamento, já o quadro laranja indica que o mesmo está em fase final de reabilitação. Nessa última fase o jogador ainda não voltou aos treinos com bola mas pode ser relacionado para o próximo jogo, o que poderia gerar uma recidiva (nova lesão). E mesmo que o jogador esteja totalmente liberado, ainda assim é recomendável que treine em meia intensidade por ao menos 7 dias, voltando aos jogos após este período e por no máximo 45 minutos, com aumentos progressivos. Jogadores lesionados podem ser curados de lesões recorrentes caso procurem um médico especialista.
      → Rotação de elenco: buscar junto à fisiologia entender os jogadores que estão com risco muito elevado de se lesionar e fazer a devida gestão/rotação de elenco;
      → Gestão do treino: gerir o próprio treino ou supervisionar o trabalho do Auxiliar Téc. para fazer pequenas modificações na carga de exercícios para que os jogadores estejam sempre frescos para os jogos, evitando acumular fadiga. Jogadores mais velhos, com baixa aptidão física e resistência não são recomendados treinar em dupla intensidade.
      ---
      Buscar afinar cada dia mais o processo preventivo, permitindo que seja o mais individualizado possível, avaliando os resultados ano após ano poderá lhe permitir diminuir a incidência e a severidade das lesões.

      Fonte: https://conferenciafm.wordpress.com
    • Tsuru
      By Tsuru
      Eternizada pelo argentino Carlos Volante (foto), que jogou nos anos 20, 30 e 40 - daí o nome, porque os técnicos queriam que os atletas “jogassem como Volante” - a posição de meia defensivo viu crescer sua importância no FM nas versões recentes, com o advento do 4-2-3-1 e do 4-1-2-3. Times que não usam volante geralmente o enfrentam, e equipes que o usam ganham uma cobertura extra para liberarem mais seus meias e pontas no ataque (embora usá-lo não seja sinônimo de consistência defensiva). Sendo assim, é importante conhecer as diferentes funções e tarefas dessa posição, seja para saber como usá-la da melhor forma ou para vencer os desafios naturais que traz aos adversários.
       
      Trinco / Primeiro Volante / Anchorman
      Funciona quase como um terceiro zagueiro à frente da defesa. O Trinco geralmente não é o jogador mais técnico, não sai da posição para pressionar os adversários em busca da bola, não se aventura muito no ataque e não se arrisca demais nos passes - leia-se, tende a dar uma bicuda e limpar a jogada em vez de tentar um passe mais elaborado ou algo assim. Por isso, há uma tendência de que seja mais adequado a sistemas onde a solidez defensiva é mais importante, ou onde seja necessária cobertura extra na frente da zaga. Se usado em um jogo de muita pressão na bola, por exemplo, ele pode acabar saindo errado para dar o combate e deixar buracos que seus adversários possam explorar.
       
      Pivô Defensivo / Terceiro Zagueiro / Halfback
      Assim como o Trinco, funciona como um terceiro zagueiro, mas com movimento inverso. Ou seja, é um volante que desce para formar uma linha de três beques, empurrando os outros dois mais para as laterais, e que sobe a frente da zaga em momentos de necessidade, por exemplo quando seu time está com a bola no ataque. Permite diminuir as preocupações defensivas dos laterais, permitindo que ataquem de maneira mais incisiva, além de encostar nos meias mais adiantados e reciclar a posse de bola. É por isso que normalmente o PD se utiliza com dois laterais com função de alas (embora isso não seja de nenhuma maneira obrigatório).
      É geralmente recomendado em formações mais agressivas, exatamente por permitir que os laterais subam e sejam mais incisivos. Eu recomendo bastante cautela ao utilizar essa função no FM, porque há relatos de que a match engine não entende bem e não traduz corretamente os movimentos. Há vezes em que os zagueiros se mantêm muito abertos mesmo sem o PD entre eles, e outros casos - esses eu já pude comprovar - onde o volante com essa função sobe de forma bizarramente agressiva ao ataque, quase atuando como um Regista, o que, além de não ter sido solicitado, pode comprometer a estrutura defensiva da sua equipe.

      Meia Defensivo / Volante / Defensive Midfielder
      Mal comparando, é parecido com um Meia Central, mas obviamente jogando na própria intermediária. É mais versátil, um coringa adequado tanto a sistemas que pedem mais solidez quanto um volante mais participativo e que pressione mais a bola. Mesmo com tarefa Defender, ele vai apoiar mais o ataque do que o Trinco, vai se arriscar um pouco mais nos passes e tende a pressionar um pouco mais os adversários para recuperar a pelota, ainda assim, não tanto que deixe espaços demais à sua volta.
      Pessoalmente, acho o MD uma boa opção para quem não quer um tipo muito específico de volante, não tem um estilo de jogo muito definido ou ainda está buscando a melhor função para ele.

      Construtor de Jogo Recuado / Armador Recuado / Deep-Lying Playmaker
      Atuando na volância, o Armador Recuado é aquele volante que “sabe jogar”. Geralmente tem técnica, elegância, é inteligente, tem bom passe e ao mesmo tempo sabe desarmar e enfrentar os adversários. Carrega a responsabilidade de ajudar a fechar os espaços na intermediária sem se aventurar demais no ataque, e ao mesmo tempo, de ser o sujeito que pensa o jogo após a bola sair da defesa, buscando a melhor opção para iniciar as jogadas. Por esse motivo, o CJR/AR é perfeito para quem quer solidez, um homem para ajudar a defesa a iniciar as jogadas e/ou utilizar um sistema de posse (já que ele atrai a bola e inicia a jogada de trás, dando tempo a seus colegas para se movimentarem no campo).
      Sugestão: não coloque “brucutus” nessa função. Um meia defensivo mais técnico é perfeitamente capaz de atuar de forma mais simples, dando coices e limpando a jogada,  mas o inverso não me parece tão sensato. Um volante mais bruto provavelmente teria dificuldades de carregar a responsabilidade de armar e distribuir passes para iniciar movimentos ofensivos, tendendo a cometer erros bobos e perder a bola.
       
      Meia Recuperador de Bolas / Médio Recuperador de Bolas / Ball Winning Midfielder
      Aqui estamos começando a entrar nos terrenos dos volantes mais agressivos. O MRB é aquele cão-de-guarda que sai atrás da bola buscando recuperá-la de qualquer forma, esteja ela em qualquer zona mais próxima a ele (em alguns casos, nem tão próxima). Caso não consiga, a tendência é cometer uma falta para não perder a viagem. Caso consiga, tende a distribuí-la rapidamente a jogadores mais avançados e criativos, oferecendo mais dinamismo e movimentação do que um passe mais elaborado. 
      Precisa ser um jogador muito bom fisicamente, inteligente e certeiro na hora de “dar o bote”, ou vai tender a cometer muitas faltas e erros na hora de pressionar a bola. A tendência é que funcione melhor em sistemas de maior pressão e onde o objetivo tende a ser a recuperação da bola assim que ela é perdida. Há quem o use em sistemas sem pontas a fim de tentar proteger os laterais, mas há o risco do adversário congestionar um lado, atrair o MRB e inverter rapidamente para o outro, formando uma avenida para jogadores mais rápidos explorarem.
       
      Segundo Volante
      Grosso modo (bem grosso modo), é basicamente um Meia Área-a-Área que joga na volância. É aquele cara de bom físico, boa movimentação e dinamismo, além de boa parte técnica, que ajuda a iniciar a jogada na própria intermediária e aparece para ajudar no ataque, cobrindo uma faixa bem grande do campo. Algumas diferenças para o Organizador Móvel, por exemplo, é que o Segundo Volante não tem responsabilidades de organizar o jogo e que dá para controlar um pouco o ímpeto ofensivo com a escolha da tarefa (Apoiar ou Atacar), enquanto o OM tende a ser mais agressivo mesmo tendo apenas a tarefa Apoiar. Fora que o SV só pode ser utilizado em sistemas com dois volantes, o que o coloca em uma dinâmica bem específica em campo.
       
      Regista / Médio Criativo
      O futebol jogado entre os anos 60 e 80 eternizou a figura do “camisa 10”, aquele meia ofensivo organizador de jogo que atuava na intermediária do adversário e tinha total liberdade para se movimentar, apoiar o ataque e construir as jogadas (e que hoje foi deslocado para os flancos e ganhou mais responsabilidades defensivas). Pois bem, o Regista é basicamente um “camisa 10” que joga na volância. É óbvio que, sendo um meia defensivo, ele terá algumas diferenças em relação ao Trequartista - precisará ajudar a fechar os espaços e descerá entre os zagueiros para fazer a saída Lavolpiana, por exemplo - mas fora isso, terá liberdade para subir ao ataque, se movimentar e organizar o jogo tal qual um camisa 10 faria.
      Função eternizada por Pirlo, geralmente exige um atleta excepcional, muito inteligente, muito técnico e bom de cobertura, caso contrário vai subir para apoiar o ataque na hora errada e formar uma avenida às próprias costas, ou errar um passe e entregar um contragolpe lindo ao adversário (já vi isso acontecer e acreditem, não é legal). Eu diria ainda que o Regista precisa ser usado no sistema correto, contando com encaixe com as funções dos laterais e tendo como colega um meia de característica mais defensiva, para que possa colocar todo o seu talento em prol do time.
       
      Organizador Móvel / Roaming Playmaker
      É aquele volante incansável, de físico invejável, muito técnico e muito inteligente, capaz de subir para o ataque e organizar as jogadas ofensivas, e ao mesmo tempo colaborar um pouco na defesa. Seu papel geralmente é abrir espaços, distribuir a bola e oferecer movimentação ao mesmo tempo que organiza o jogo (playmaker), misturando um pouco de outras funções como Meia Área-a-Área, Armador Avançado e Armador Recuado. Eu diria que a diferença para um Regista, por exemplo, é que o OM tende a se movimentar ainda mais e tem menos responsabilidades defensivas.
      Para exercer bem a função obviamente é necessário ser um jogador excepcional, com bons atributos físicos, técnicos e mentais. E não raro essa movimentação e o fato de deambular da posição vão gerar espaços na defesa, que ou precisarão ser cobertos por algum outro jogador mais “operário” ou não farão diferença porque a qualidade técnica do seu time é tão alta que o adversário não vai conseguir construir muita coisa.
      Sugestões e ideias para complementar o guia são sempre muito bem-vindas.
       
       
      Algumas fontes:
      Football Manager Lines and Diamonds: https://community.sigames.com/topic/345094-lines-and-diamonds-the-tacticians-handbook-for-football-manager-2015/
      Understanding Roles in Football Manager (and real life): https://medium.com/@v_maedhros/understanding-roles-in-football-manager-and-real-life-part-1-73054cfbb303 e https://medium.com/@v_maedhros/understanding-roles-in-football-manager-and-real-life-part-2-a889e488a0f0
      Pairs and Combinations: https://www.fmscout.com/a-tactical-guide-pairs-and-combinations-2020.html
×
×
  • Create New...