Jump to content

Faroeste Caboclo


Trocadalho

Recommended Posts

E parece que não tem medo o tal João de Santo Cristo...

Link to comment
Share on other sites

20130408182727524951o.jpg

20130408174036978395e.jpg

Pré-estreia em Brasília no dia 14/5. Estreia nacional dia 30 de maio.

Link to comment
Share on other sites

Bela participação do Valdivia como Jeremias Maconheiro sem vergonha

Link to comment
Share on other sites

Bela participação do Valdivia como Jeremias Maconheiro sem vergonha

kkkkkkkkkk!

Esse filme tem tudo pra ser pica!

Link to comment
Share on other sites

CARALHO!

Esse filme é a idealização de toda minha imaginação quando criança ouvindo essa música. Na moral... tá arriscado essa porra ganhar o Oscar.

Renato Russo era pica demais cara.

Link to comment
Share on other sites

Foi o que um amigo meu falou: ou vai ser um lixo, estragando um roteiro bom que os caras têm em mãos, ou vai ser top, aproveitando bem essa história.

Eu, sinceramente, acho que se for metade do que é a música, já vai ser muito bom.

Link to comment
Share on other sites

  • General Director

Eu, sinceramente, acho que se for metade do que é a música, já vai ser muito bom.

Eu também acho.

Link to comment
Share on other sites

Para quem se interessar, deixo um link para uma entrevista com Renato Russo em 1988, falando sobre quem era o João de Santo Cristo, sua condição social e provavelmente até branco, o que é bem diferente da imagem que as pessoas fazem dele e que está sendo levada ao filme. Mesmo assim, o filme pode ser bem legal.

19880701caparevistabizz.jpg

19880702revistabizz1988.jpg

19880701reportagemrevis.jpg

Link to comment
Share on other sites

Parece que vai ser muito bom. Pelo menos material pra isso tem, e de sobra.

Meu professor vai juntar a sala e mais uma de outra escola pra lotar o cinema no dia da estreia. HSAUSHAUSA

Link to comment
Share on other sites

  • 2 weeks later...
  • 3 weeks later...

Aquele Somos tão Jovens já saiu?

Eu ainda não vi, mas pra todos que eu perguntei, dizem que é uma merda... abaixo segue a crítica de um amigo que fez cinema:

NÃO SOU MAIS TÃO JOVEM ASSIM

Nunca quis ser músico, toco violão, guitarra, baixo e viola caipira, mas sou como o pato, que anda, nada e voa, mas não faz nada muito bem. No entanto, na minha adolescência eu quis ter uma banda de rock. E alguns amigos embarcaram na ideia. Nunca conseguimos nada, mas bola pra frente.

Hoje a tarde assisti ao filme "Somos Tão Jovens". Resultado: depressão. A frustração superou de longe o sentimento de alegria nostálgica que as musicas da Legião Urbana me causam.

Renato Russo foi, sem dúvida, o poeta mais importante na minha construção como indivíduo. Mesmo tendo conhecido mais intimamente a Legião só 5 anos depois do seu término, músicas como "Perfeição", "Índios", "Baader-Meinhof Blues", "Canção do Senhor da Guerra", entre tantas outras, fizeram mais do que mudar minha forma de enxergar o mundo, elas foram os alicerces da compreensão do meu papel na sociedade. Posso estar parecendo um pouco dramático, mas o melodrama se justifica pela raiz italiana de Renato Manfredini Junior, então estou perdoado.

Característica essa que foi uma das poucas coisas agradáveis do filme, uma vez que o ator Thiago Mendonça a vestiu muito bem. Diferentemente da interpretação do ator que faz o papel de Herbert Viana, que estava mais para imitação do Zorra Total.

A motivação para a composição de "Ainda é Cedo" também emociona um pouquinho, o que torna o final do filme um pouco menos desagradável.

Porém, o roteiro destrói toda possibilidade satisfação cinematográfica que o filme perderia dar a um espectador, fosse ele fã ou não. O problema é o mesmo do que se vê na maioria das cinebiografias, os acontecimentos são jogados, os diálogos tentam apresentar os personagens na marra e a primeira metade do filme acaba virando um tédio com um "T" bem grande (só pra não perder a chance de repetir a citação infame feita no filme).

Resultado, o filme é tão bom quanto a minha banda da adolescência. Cheguei em casa, assisti no YouTube o show Acústico MTV, e abracei a minha esposa.

Caramba, eu tenho uma esposa. Realmente não sou mais tão jovem assim.

Um abraço aos amigos do Colégio Técnico da UFRRJ, nossas viagens tocando "Dezesseis" no corredor do ônibus vão ficar na memória pra sempre. Esse filme não.

Link to comment
Share on other sites

Aproveitando o momento, quem quiser pode ver o documentário de Vladimir Carvalho chamado "Rock Brasília - Era de Ouro" que pode ser "comprado" no TPB.

Link to comment
Share on other sites

Aproveitando o momento, quem quiser pode ver o documentário de Vladimir Carvalho chamado "Rock Brasília - Era de Ouro" que pode ser "comprado" no TPB.

Você gostou?

Link to comment
Share on other sites

Você gostou?

Sim. Um pouco porque uma parte daquilo que aconteceu em Brasília eu vivi como adolescente e outra porque a maior parte do documentário é de material inédito que foi filmado pelo próprio Vladimir Carvalho e dá um panorama bem completo do período.

Link to comment
Share on other sites

Archived

This topic is now archived and is closed to further replies.

  • Similar Content

    • Douglas.
      By Douglas.
      Putz, vi muito poucos dos concorrentes. Ozark, Killing Eve, Lovecraft Country, Mrs America, Perry Mason, Schitt's Creek, Ted Lasso e The Flight Attendant (WTF??? Não chega a ser uma série ruim mas é de longe a indicada mais fraca que já vi, não é possível que estavam raspando o fundo da panela assim).
      Pior que indicada fraca foi terem esnobado o elenco de Lovecraft Country, justamente a parte mais forte da série. The Boys também poderia entrar fácil como indicada em comédia no lugar de The Flight Attendant.
       
      Lista do Omelete de surpresas e esnobados: https://www.omelete.com.br/globo-de-ouro/globo-de-ouro-2021-indicados-esnobados-surpresas
       
      Lista dos indicados na IMDB: https://www.imdb.com/event/ev0000292/2021/1/?ref_=ev_eh
    • Leho.
      By Leho.
      ---
      Trouxe a opinião do PH Santos que é um vlogger que eu sigo e acho maneiro, mas sintam-se à vontade pra trazerem outros vídeos de análises e comentários sobre o tema.
      Aliás, falando em comentário... o que vocês acham disso tudo? Qual o caminho que tomará o cinema? E o streaming, caminha pra ser a grande revolução midiática dentro do entretenimento que tá parecendo ou não?
    • ZMB
      By ZMB
      Ator lutava contra câncer de cólon desde 2016 e morreu em sua casa, nos Estados Unidos.
      O ator Chadwick Boseman morreu aos 43 anos. Conhecido por interpretar o Pantera Negra no filme da Marvel, além de personagens importantes da história americana, ele enfrentou um câncer de cólon diagnosticado em 2016.
      "É com imensurável pesar que confirmamos a morte de Chadwick Boseman. Chadwick foi diagnosticado com câncer de cólon de estágio 3 em 2016, e lutou contra ele nestes últimos quatro anos conforme progrediu para estágio 4", afirmou a família do ator em seu perfil no Twitter.
      "Um verdadeiro lutador, Chadwick perserverou por tudo, e trouxe a vocês muitos dos filmes que tanto amam. De 'Marshall: Igualdade e Justiça' a 'Destacamento Blood', 'Ma Rainey's Black Bottom' de August Wilson e muitos mais, todos foram gravados durante e entre incontáveis cirurgias e quimioterapia. Foi a honra de sua carreira trazer à vida o rei T'Challa em 'Pantera Negra'."
      De acordo com a nota, ele morreu em sua casa, acompanhado da mulher e da família. Ele nunca tinha falado sobre a doença publicamente.
      Nascido na Carolina do Sul, o americano Chadwick Aaron Boseman começou a carreira na televisão, com um pequeno papel na série "Parceiros da Vida".
      Depois de participações em séries como "Lei & Ordem" e "Plantão médico", ele ganhou seu primeiro papel regular em "Lincoln Heights", em 2009.
      Seu primeiro personagem de destaque no cinema veio como o protagonista de "42: A História de uma Lenda" (2013).
      No filme baseado em fatos, interpretou o jogador de beisebol Jackie Robinson, que em 1947 se tornou o primeiro negro a entrar para um time da principal competição dos Estados Unidos, a Major League Baseball.
      O papel marcaria uma carreira repleta de personagens importantes da cultura negra americana, como o cantor James Brown, em "Get on Up: A História de James Brown" (2014), e o juiz Thurgood Marshall, primeiro membro negro da Suprema Corte americana, em "Marshall: Igualdade e Justiça" (2016).
      Ainda em 2016, ele estreou no papel pelo qual seria mais lembrado. Em "Capitão América: Guerra Civil", Boseman apareceu pela primeira vez como T'Challa. Criado pela Marvel em 1966, o Pantera Negra foi o primeiro super-herói negro dos quadrinhos americanos.
      Dois anos depois, estrelou seu próprio filme, "Pantera Negra". Sucesso com crítica e com o público, a história do herói de um reino africano fictício e avançado bateu a marca do US$ 1 bilhão nas bilheterias mundiais, ganhou três Oscar e foi indicado a outros quatro — entre eles, o de melhor filme.
      Como o herói, ele ainda participou de "Vingadores: Guerra Infinita" (2018) e de "Vingadores: Ultimato (2019), e tinha presença confirmada em um novo "Pantera Negra", previsto para 2022.
      Seu trabalho mais recente já lançado foi "Destacamento Blood", dirigido por Spike Lee, que estrou em junho. Ele ainda esteve em "Ma Rainey's Black Bottom", com Viola Davis, que tinha estreia prevista em 2020.
      Fonte: G1.com
       
       
    • Leho.
    • Henrique M.
      By Henrique M.
      Estava lendo uns comentários no reddit sobre o pessoal que veio depois de Seinfeld falando dos clichês da série, sendo que na época, era algo inovador. Daí tive essa ideia para batermos um papinho. Quais os clichês vocês menos gostam nos seus filmes e séries?
      Os meus dois mais odiados tem a ver com relacionamentos, principalmente em séries.
      O primeiro é o famoso "eles vão ficar juntos?", nós sabemos que eles vão ficar juntos, todo mundo sabe que eles vão ficar juntos, mas os roteiristas ficam arrastando até a última temporada ou até o season finale. Um exemplo clássico seria Ross e Rachel de Friends. Não tem problema nenhum os protagonistas ficarem juntos, mas façam de uma maneira orgânica, tipo Bones fez. Enrolaram, tradicionalmente, mas depois da enrolação, criaram um relacionamento novo e utilizaram os dilemas da nova etapa da vida para adicionar drama sem ficar esticando o mistério.
      O segundo é a necessidade inerente de em uma série que tem dois protagonistas de sexos opostos ficarem juntos. Em algumas séries faz sentido, em outras não. Mas normalmente numa série que está faltando algo nesse departamento, forçam situações que nem sempre fazem sentido. Aí fica uma coisa forçada que acaba depois caindo no clichê de cima. Um exemplo recente de que lidaram bem com isso foi Elementary, outro que lidaram muito mal foi The Big Bang Theory, já que o casal principal não passava de uma fantasia nerd e não tinha lá muita química quando as coisas foram evoluindo.
      E os de vocês?
×
×
  • Create New...