Jump to content

Um guia para futebol cauteloso e de bloco baixo no FM


Tsuru
 Share

Recommended Posts

339256061_UmguiaparafutebolcautelosoedeblocobaixonoFM.png.fd5c7d68129d93176ce11d1879076ac7.png


Por Jack 722
Link original: https://community.sigames.com/forums/topic/564256-cautious-low-block-football/
Tradução e adaptação: Tsuru


Nota do tradutor:

  • Bloco alto: O time tem a estratégia de pressionar para recuperar a bola mais ou menos entre o meio-campo e o gol do adversário.
  • Bloco médio: O time tem a estratégia de pressionar para recuperar a bola mais ou menos na altura do meio campo.
  • Bloco baixo: O time tem a estratégia de pressionar para recuperar a bola entre o próprio gol e o meio-campo.
     

1. Introdução

Acho que o futebol defensivo 'real' está sub-representado no Football Manager, bem como muitas vezes deturpado. Não só é uma ocorrência comum para os jogadores de FM dizer que jogar com bloco baixo é inútil, o que é tão ruim quanto muita gente usando mentalidades de ataque, pressão mais alta e deixando de lado os sistemas com bloco baixo ou defensivos para se destacar mais.

Como um usuário regular nesses fóruns, ainda estou para ver uma 'verdadeira' tática de bloqueio / cautelosa que seja 'verdadeira' e bem-sucedida. Espero que neste tópico eu possa mudar isso.
 

2. Futebol Defensivo

Acho que o que mais influencia se uma tática é 'defensiva' ou não, é a mentalidade. A maioria dos usuários descreve a mentalidade como um indicador de risco. Acho que essa é uma maneira decente de pensar sobre isso, mas prefiro imaginar em termos de intenção e me colocar no lugar de um jogador da vida real, em vez de um gerente virtual. Então, imagino como eu naturalmente esperaria jogar quando somos grandes favoritos (atacante) ou grandes azarões (defensiva). 

Abaixo está como o mesmo cenário ficaria em uma mentalidade atacante e depois defensiva.

Atacante

 

294849823_AttackingMentality.PNG.fa579aaba3491012749b2254d6953b64.PNG

 

Defensivo
 

759860873_DefensiveMentality.PNG.b6953a164126967af2fdcf4b63f00f5a.PNG

 

Quando queremos atacar, podemos esperar por decisões de maior risco. É mais provável que um ala cruze uma bola quando estiver aberto no flanco, os zagueiros correrão para a frente para apoiar o ataque e os jogadores do meio-campo jogarão mais encostados no ataque, bem como pontas avançados irão buscar sobrecarregar a área, diferente do que podemos ver no quadro de mentalidade defensiva. Aqui a prioridade é a segurança na defesa no caso de contra-ataque, e opções seguras para o portador da bola manter a posse. O ponta com posse de bola neste cenário verá que há apenas dois atacantes na área e provavelmente jogará a opção segura, passando de volta para seu zagueiro, em vez de correr mais riscos.

Coisas semelhantes podem ser ditas para situações diferentes. Quando em posse da bola em seu próprio terço final, uma equipe atacante tentará subir as linhas para quebrar o sistema defensivo adversário, enquanto se concentra em reter a bola quando estiver sob pressão. Uma equipe defensiva provavelmente limpará a bola quando estiver sob pressão e manterá a posse quando não estiver.

Por último, imagine ser um atacante quando seu time está na defesa contra um time muito mais forte, em vez de estar contra um time muito mais fraco. Contra o time mais forte, você vai voltar mais e ajudar seus defensores; já contra o time mais fraco você ficará mais feliz em avançar no campo. Dessa forma, você pode economizar energia para a fase de ataque e estar em uma boa posição para um contra-ataque, enquanto acredita que seus companheiros de equipe podem lidar com a pressão defensivamente e conseguir encontrá-lo quando finalmente ganharem a bola.
 

3. O bloco baixo

A característica padrão de quase qualquer bloco baixo é a compactação. Essa estratégia deve ser a mais compacta possível, convergindo principalmente para a área em frente à sua própria área de pênalti. Mais alto que isso, e você estará vulnerável a uma bola por cima, qualquer mais baixo que isso, e um jogador que receber a bola estará a uma boa distância de finalizar a gol. Um bom exemplo pode ser visto abaixo:
 

Tactical Theory: 4-4-2 Low-Block Principles | SOCCERDETAIL

 

As três características principais são que: 

  • A equipe mantém sua forma em vez de perseguir o portador da bola
  • O espaço é deixado sem marcação para inundar mais o meio
  • A pressão só começa bem dentro de sua própria metade defensiva.
     

Outro ponto interessante é o posicionamento dos atacantes. Eles não estão posicionados no alto do campo antecipando uma virada, eles são a primeira linha para ajudar na defesa. Isso significa que os contra-ataques são realmente mais difíceis nessa estrutura do que comumente se acredita. O contra-ataque é muito mais fácil com uma defesa de “bloco médio”, onde você tenta ganhar a bola mais ou menos no centro do gramado. O mais provável de acontecer quando este time recupera a bola é que os atacantes tentem segurar a bola para ajudar todo o time a avançar e ganhar território. Uma bola de contra-ataque ambiciosa no espaço será difícil tanto para o doador quanto para o receptor. Um defensor que recupera a bola estará sob pressão imediata de um contra-ataque (provavelmente em seu próprio meio-campo), o que significa que terá dificuldade para levantar a cabeça para ver o espaço. Os zagueiros adversários também têm uma grande vantagem sobre qualquer atacante que queira correr atrás, além de ter acabado de sair de um período de descanso.
 

4. Expectativas realistas, limitações do mecanismo de jogo

Você não pode jogar futebol defensivo por 90 minutos/jogo, 38 jogos/temporada, e esperar ter sucesso como qualquer time que não esteja lutando contra o rebaixamento. No futebol defensivo, você confiará demais em momentos individuais de brilhantismo, erros da oposição e comprometimento para marcar gols, especialmente quando uma vitória vale três pontos. Assista ao jogo completo de qualquer time ou gerente que tenha reputação de futebol defensivo ou estacione o ônibus e você descobrirá que eles ainda avançam e pressionam bem no campo de oposição com bastante regularidade; a diferença é que eles escolhem seus momentos. O futebol defensivo é útil para:

  • Jogar uma partida como o azarão. 
  • Planos de jogo:
    • Mudar para uma tática defensiva para segurar uma vitória
    • Usar futebol defensivo até ~75 minutos para manter um placar baixo antes de atacar tarde para uma vitória súbita ou arrancar um empate no final.

Com uma tática ofensiva, você pode basicamente jogar uma temporada inteira usando uma mesma tática: desta forma, você terá uma estratégia de 'nós marcaremos mais do que vocês' e está tudo certo. Isso não funcionará com o futebol defensivo: se o outro time marcar o gol primeiro, eles podem reconhecer que você não está avançando - e podem facilmente assumir uma postura de futebol defensivo para segurar o placar. 

Também acredito que, embora o futebol defensivo seja possível, o futebol de ataque no FM é muito eficaz. É fácil conectar seus melhores jogadores a um template como gegenpress e ganhar tudo. Isso significa que eu não tentaria a estratégia deste tópico se você está apenas buscando resultados: este método para mim é satisfatório porque posso obter resultados decentes e realistas jogando de maneira realista. Não tenho interesse em ganhar a liga com o Burnley jogando gegenpress desde o dia 1. 
 

5. Análise FM

No FM, levei o West Ham (previsto para terminar em 9º) para o 5º lugar, normalmente usando minha estratégia de bloco baixo. Ao fazer isso, também conseguimos números de posse ultra baixos, um alto número de bloqueios e bolas rifadas e um rótulo de 'catenaccio' da mídia.
 

2101428891_WestHamTable.PNG.ad41735898461fef374927942db0abd2.PNG
 

858209792_WestHamBlocks.PNG.65c6ca662d8e1e5579c232e9274f6d6d.PNG
 

899319369_WestHamDefensiveEfficiency.PNG.c44d20a4fd06dacab59f0e50ba7636af.PNG
 

944613407_WestHamDefensiveActions.PNG.a47bffe120620dadfd6ecc717c1bfbe7.PNG
 

739042052_WestHamCatenaccio.thumb.png.06e0b1fe0fe11b29dbdc02f1ce29f115.png
 

6. Táticas
 

image.png.bf729e30985195a9de44ea3b9ca6f61b.png

 

A tática acima é a mais defensiva das três que utilizo. Seguindo o que já foi dito na Seção 4, usamos essa estratégia contra todos os 'seis grandes' times da Premier League, bem como quando queremos segurar um placar favorável.

Traduzimos os pontos feitos no bloco baixo da vida real na Seção 3, em FM:

  • Linha defensiva mais baixa;
  • Posicionar nossa linha defensiva um pouco fora da nossa própria área;
  • Pressionar com menos frequência;
  • Manter Formação para evitar aberturas de brechas;
  • Linha de engajamento muito mais baixa;
  • Pressionar o adversário apenas no nosso próprio campo;
  • Manter nossas linhas as mais próximas possíveis para compactação vertical;
  • Defender mais estreito;
  • Deixar o lado de fora sem marcação para manter a compactação lateral;
  • Formação 4411DM:
    • Manter compactação vertical (mais compacta que uma 4231 / 433 que deixa lacunas na frente dos zagueiros)
       

7. O estilo em campo
 

  • Manchester United (F)

Aqui jogamos com bloco defensivo os 90 minutos. Infelizmente perdemos por 1 a 0 devido a uma vitória aos 85 minutos mas, olhando para as estatísticas, você pode ver facilmente como em outro dia poderíamos ter roubado um empate. Apesar de dominar a posse e terem 20 chutes, conseguimos restringi-los a nenhuma chance clara (CCC's - clear cut chances, em inglês) enquanto tiveram apenas 2 meias-oportunidades, o mesmo que nós.
 

image.png.df3b22893d3f29ebada22e250d26b908.png
 

 

  • Brighton (F)

Em Brighton, por ser um jogo mais equilibrado, usamos estratégias diferentes como parte de um plano de jogo. Começando com um 4231DM positivo de bloco médio, jogamos um pouco no ataque até marcarmos um gol aos 18 minutos. Em seguida, mudamos para um contra-ataque de bloco médio no 4411DM até o intervalo, antes de mudar para a mesma tática defensiva de bloco baixo vista contra o Manchester United até o final.
 

image.png.9d9af2c6dc9e9a40026e323857fdd00f.png
 

image.png.a4ce2944ce4909f0190717e67fed107c.png
 

image.png.539f35f5528f664916b304bbf19b13f9.png
 

Como padrão geral na maioria dos nossos jogos nesta temporada, conseguimos vencer por um gol com menos posse de bola e menos chutes. Mas o mais importante, criamos mais chances claras do que eles.

Link to comment
Share on other sites

  • Tsuru changed the title to Um guia para futebol cauteloso e de bloco baixo no FM

Fala Mestre Tesouro. 

 

Me diga, nessa mudança no final do jogo, para atacante, o que muda? Formação, mentalidade?

Ele já deixou em treinamento uma tática atacante?

Link to comment
Share on other sites

23 minutos atrás, Nei of disse:

Fala Mestre Tesouro. 

Me diga, nessa mudança no final do jogo, para atacante, o que muda? Formação, mentalidade?

Ele já deixou em treinamento uma tática atacante?

Então, ele abriu os 3 slots de tática e deixou o time treinando as três variações abaixo.

Contra o Manchester United ele jogou o tempo inteiro com a tática Defensiva. Contra o Brighton ele começou com a tática Atacante, fez 1 a 0, trocou pra Bloco Médio Contra-Ataque até o intervalo e no segundo tempo trocou de novo, agora pra Defensiva.

Pelo que diz no artigo, ele escolhe a formação conforme a previsão de favoritismo da partida (aquela notícia que a gente recebe na caixa de entrada e que fala sobre os prongósticos do jogo). Se for o favorito ou se for um jogo muito parelho, inicia com a Atacante; se não for, começa com a Defensiva. E aí ele vai trocando entre as 3 táticas e se adaptando durante o jogo, conforme o andamento da partida.

Nesse sentido a abordagem dele é parecida com a que eu uso. Eu também tenho 3 táticas diferentes e quando preciso mudar eu troco a tática inteira, não mexo em instruções ou mentalidade, porque tenho na cabeça uma maneira bem específica de jogar e qualquer alteração em instruções, mentalidade, funções, posições iria gerar um comportamento diferente daquele que eu espero. Então quando preciso mudar eu tenho um plano de jogo totalmente diferente.

 

Defensiva:

image.png.bf729e30985195a9de44ea3b9ca6f61b.png

 

Atacante:

image.png.9d9af2c6dc9e9a40026e323857fdd00f.png

 

Contra-ataque bloco médio:

image.png.a4ce2944ce4909f0190717e67fed107c.png

Link to comment
Share on other sites

Entendi. Vou tentar aqui.

A formação tática faz diferença?

Link to comment
Share on other sites

11 minutos atrás, Nei of disse:

Entendi. Vou tentar aqui.

A formação tática faz diferença?

Depende...tem formações que são mais flexíveis e você consegue alterar a estratégia de jogo sem mexer nelas. Tem outras (tipo 4-2-3-1) que é mais complicado operar em modo mais defensivo e fica mais fácil trocar a formação.

Link to comment
Share on other sites

Como é início de trabalho, vou assim:

2 minutos atrás, Tsuru disse:

Tem outras (tipo 4-2-3-1) que é mais complicado operar em modo mais defensivo e fica mais fácil trocar a formação.

Ih:) Eu vou no  4231 que é a formação padrão na Holanda. Tentei no 442 mas so tomei vareio.

image.thumb.png.cde60708075a95e7bade4fe2f2cb5358.png

image.thumb.png.1a9a9fd3e7a0115618161474f7bfff44.png

image.thumb.png.deb9cd2d1bb30a1fe18a354f1601f976.png

Link to comment
Share on other sites

2 minutos atrás, Nei of disse:

Como é início de trabalho, vou assim:

Ih:) Eu vou no  4231 que é a formação padrão na Holanda. Tentei no 442 mas so tomei vareio.

image.thumb.png.cde60708075a95e7bade4fe2f2cb5358.png

image.thumb.png.1a9a9fd3e7a0115618161474f7bfff44.png

image.thumb.png.deb9cd2d1bb30a1fe18a354f1601f976.png

Mas você quer jogar futebol defensivo? Se for isso mesmo acho que o 4-2-3-1 não é a formação mais adequada, acho que é mais fácil fazer funcionar usando 2 volantes.

E sem esquecer que fica mais fácil se você contratar jogadores cujos atributos tenham a ver com esse estilo de jogo: 

 

Link to comment
Share on other sites

14 minutos atrás, Tsuru disse:

Mas você quer jogar futebol defensivo? Se for isso mesmo acho que o 4-2-3-1 não é a formação mais adequada, acho que é mais fácil fazer funcionar usando 2 volantes.

E sem esquecer que fica mais fácil se você contratar jogadores cujos atributos tenham a ver com esse estilo de jogo: 

 

Estou tendo que improvisar. Não tenho volantes e a janela já fechou. Até tentei com zagueiros, mas não foram bem na posição.

Vou colocar um volante, 4231 assimetrico.

Link to comment
Share on other sites

7 minutos atrás, Nei of disse:

Estou tendo que improvisar. Não tenho volantes e a janela já fechou. Até tentei com zagueiros, mas não foram bem na posição.

Mas aí tem que ver se o time é adequado pro que você quer - mesmo pra um estilo defensivo há certos atributos que são mais adequados. Se não for, a chance de dar certo é sempre menor.

Link to comment
Share on other sites

14 minutos atrás, Tsuru disse:

Mas aí tem que ver se o time é adequado pro que você quer - mesmo pra um estilo defensivo há certos atributos que são mais adequados. Se não for, a chance de dar certo é sempre menor.

Ah sim, o desejo é da diretoria. Talvez seja o caso de ignorá-lo hahaha

Link to comment
Share on other sites

3 minutos atrás, Nei of disse:

Ah sim, o desejo é da diretoria. Talvez seja o caso de ignorá-lo hahaha

Também acho. Se você ganhar eles não podem reclamar hehehe

Link to comment
Share on other sites

Se você tiver um elenco cotado pra cair numa liga competitiva e jogar com uma dessas duas formações defensivas (exceto a positiva), vai apanhar até umas horas.

Fora que o autor do método não mostrou, pelo menos, um time melhor ganhando uma liga forte só jogando com formação defensiva ou de contra-ataque. 4° lugar e quinto não adianta né.

Pra quem abre o jogo até releva ficar numa posição assim na primeira temporada, mas nas demais se repetir isso, se enjoa.

Contudo, eu já vi umas táticas que o time só levava dois gols na liga inteira. Era uma 4-1-4-1.  Mas era com mentalidade ofensiva.

Eu gostaria de ver uma defensiva ganhando a liga (e se possível levando pouco gol). Mesmo que fosse com um time mais forte. Só pra tirar o estigma de que tática defensiva não ganha campeonato.

Link to comment
Share on other sites

11 horas atrás, felipevalle disse:

Se você tiver um elenco cotado pra cair numa liga competitiva e jogar com uma dessas duas formações defensivas (exceto a positiva), vai apanhar até umas horas.

Fora que o autor do método não mostrou, pelo menos, um time melhor ganhando uma liga forte só jogando com formação defensiva ou de contra-ataque. 4° lugar e quinto não adianta né.

Pra quem abre o jogo até releva ficar numa posição assim na primeira temporada, mas nas demais se repetir isso, se enjoa.

Contudo, eu já vi umas táticas que o time só levava dois gols na liga inteira. Era uma 4-1-4-1.  Mas era com mentalidade ofensiva.

Eu gostaria de ver uma defensiva ganhando a liga (e se possível levando pouco gol). Mesmo que fosse com um time mais forte. Só pra tirar o estigma de que tática defensiva não ganha campeonato.

Na verdade o autor do guia não diz, mas eu entendi que se ele começa a ser favorito na maioria dos jogos, vai passar a escolher mais vezes a formação atacante. E aí segue a mesma estratégia: fez gol muda pra contra-ataque, se seguir vencendo troca pra defensiva no segundo tempo. 

No fundo esse é muito mais um guia sobre como utilizar jogo defensivo como parte de uma estratégia de jogo do que sobre futebol defensivo em si. O que faz sentido, porque é impossível atuar 38 rodadas por 90 minutos jogando defensivamente sem atacar em nenhum momento. E também porque hoje em dia o FM exige um grau de adaptação muito maior às situações de jogo do que há, sei lá, dez versões atrás.

Link to comment
Share on other sites

Eu tive algumas tentativas com o sistema defensivo em bloco baixo, tal qual o autor relata, e embora o FM consiga repetir o desenho real a risca alguns vícios de engine são bem prejudiciais para o modelo. O grande problema é que, ao abrir espaço nas laterais, o adversário consegue progredir com a bola longa invertida (o jogador pela máquina acompanha mais a bola do que o adversário) e o alto número de cruzamentos vai resultar em finalizações com um ponta mais alto em cima do lateral, que costuma ter menos impulsão e jogo aereo. 

Ao menos o texto é sincero, o sistema dessa forma não é sustentável a longo prazo e deve ser utilizado somente em momentos específicos. Confesso que a parte que diferencia a mentalidade em defender e atacar a partir do posicionamento dos jogadores me chamou mais atenção, é de fato algo fácil de perceber e controlar a mentalidade torna o jogo muito mais seguro a contra-ataques, por exemplo.

Link to comment
Share on other sites

Em 25/04/2022 em 14:50, Peepe disse:

Eu tive algumas tentativas com o sistema defensivo em bloco baixo, tal qual o autor relata, e embora o FM consiga repetir o desenho real a risca alguns vícios de engine são bem prejudiciais para o modelo. O grande problema é que, ao abrir espaço nas laterais, o adversário consegue progredir com a bola longa invertida (o jogador pela máquina acompanha mais a bola do que o adversário) e o alto número de cruzamentos vai resultar em finalizações com um ponta mais alto em cima do lateral, que costuma ter menos impulsão e jogo aereo. 

Ao menos o texto é sincero, o sistema dessa forma não é sustentável a longo prazo e deve ser utilizado somente em momentos específicos. Confesso que a parte que diferencia a mentalidade em defender e atacar a partir do posicionamento dos jogadores me chamou mais atenção, é de fato algo fácil de perceber e controlar a mentalidade torna o jogo muito mais seguro a contra-ataques, por exemplo.

Eu achei bem interessante o trabalho dele, no sentido que ele coloca a estratégia defensiva como parte de um sistema de jogo, variando e alterando mesmo conforme o adversário. Dá um pouquinho mais de trabalho porque ele teve que construir três táticas em vez de uma, mas por outro lado isso cria uma capacidade de adaptação e um grau de imprevisibilidade que tornam o time extremamente difícil de enfrentar. E é um sistema relativamente simples de adaptar para quando o time dele começar a crescer na Inglaterra e na Europa, basta ele adotar a estratégia atacante mais vezes já que será favorito em mais jogos.

Eu joguei assim, "em sistema", em parte do meu save com o Lecce no FM 17. Embora o meu critério de adaptação fosse diferente do dele - porque eu tinha 3 táticas completamente diferentes e fazia a escolha com base na formação do adversário - os resultados em si foram muito bons. Consegui subir para a Série A depois de quatro temporadas na B e fizemos uma ótima Série A na temporada seguinte, passando bem longe do rebaixamento. Acabei me perdendo um pouco depois daquele período, mas sempre que lembro daqueles resultados penso que jogar em sistema é algo que vale ser tentado novamente no futuro. Lembrei agora que quando joguei com o York City eu também fazia isso, tinha um 4-2-3-1 base que variava pra um 4-4-1-1.

Quem gostava muito de jogar em sistema era o Rashidi do Busthenet, ele tinha inclusive várias sugestões pra começar. Uma delas era com o 4-4-2 diamante e variações: ele meio que setava uma tática base com o 4-4-2 diamante, uma mais ofensiva com o 4-3-1-2 (movendo o volante para o centro do meio campo) e uma mais defensiva com o 4-1-3-2 (puxando o meia ofensivo para o meio campo). Também dava com o 4-2-3-1 como falei: o 4-2-3-1 era a base, tinha uma variação puxando os meias laterais pra trás num 4-4-1-1 e uma ainda mais defensiva puxando o meia ofensivo pro meio campo, formando um 4-1-4-1. E aí ele dizia que o critério podia ser muito variável: favoritsmo na partida, jogo em casa/jogo fora, estilo de jogo e formação do adversário etc.

Link to comment
Share on other sites

Em 25/04/2022 em 10:50, Peepe disse:

Eu tive algumas tentativas com o sistema defensivo em bloco baixo, tal qual o autor relata, e embora o FM consiga repetir o desenho real a risca alguns vícios de engine são bem prejudiciais para o modelo. O grande problema é que, ao abrir espaço nas laterais, o adversário consegue progredir com a bola longa invertida (o jogador pela máquina acompanha mais a bola do que o adversário) e o alto número de cruzamentos vai resultar em finalizações com um ponta mais alto em cima do lateral, que costuma ter menos impulsão e jogo aereo. 

Ao menos o texto é sincero, o sistema dessa forma não é sustentável a longo prazo e deve ser utilizado somente em momentos específicos. Confesso que a parte que diferencia a mentalidade em defender e atacar a partir do posicionamento dos jogadores me chamou mais atenção, é de fato algo fácil de perceber e controlar a mentalidade torna o jogo muito mais seguro a contra-ataques, por exemplo.

O que é uma pena só a mentalidade defensiva não render tão bem quanto outras. Pois na vida real, até se consegue jogar assim.

Tomara que em outras versões melhorem isso.

Link to comment
Share on other sites

Ótimo artigo, @Tsuru, obrigado pela tradução!

Me senti representado finalmente com alguém mostrando o verdadeiro 4231 (com volantes) dar certo, e também com os meias laterais ao invés de pontas. No começo do save com o 1860 München essa formação inicial que ele mostra me rendeu muitos bons momentos, e acho que é ótima quando você tem um time bem abaixo da oposição, mas como ele bem disse e como você mesmo sempre frisa, não dá para jogar 100% do tempo com táticas defensivas.

O que achei interessante também foi ele conseguir fazer a tática de bloco baixo funcionar usando a mentalidade "Defender". Mesmo na "Cautelosa" sinto bastante dificuldade em conseguir gerar contragolpes, e preferia usar a "Equilibrada" puxando mais as instruções de equipe para formar o estilo defensivo. De qualquer forma, dá para tirar bastante da forma como ele apresenta até para pensar o que realmente se quer dizer com "jogo defensivo" ou com "bloco baixo". Achei que a imagem real que ele apresenta é bem isso, mas a questão da posse de bola e modo de atacar quando recupera a posse não vejo como o mais importante para definir isso. Uma equipe pode ser defensiva, marcar em bloco baixo na mesma formação que outra e ter estilos completamente diferentes de criação.

O próprio exemplo dele mostra isso: segurar a bola no ataque, e rifar a bola quando em pressão; lançar a bola para um avançado segurá-la enquanto a equipe sobe; tudo isso não é uma regra, e de novo cito a minha primeira temporada no save. Mesma formação dele (4231 com meias laterais), mesma ideia de jogo defensivo com bloco baixo (mentalidade equilibrada, mas ambas as linhas muito baixas), também em último em posse de bola, poucos desarmes e muitas bolas interceptadas e cortes. Mas a parte de transição ofensiva bem diferente: um armador na linha de volantes, ambos os pontas subindo muito para o contragolpe, atacante buscando receber no espaço ou nas costas do defensor para sair em velocidade, e quase sempre buscando atacar em máxima velocidade.

Enfim, achei ótimo e vou tentar no futuro jogar realmente na mentalidade de defesa para ver o que consigo tirar disso.

  

Link to comment
Share on other sites

@Tsuru e se tiver um elenco que jogue bem no tiki-taka como sua tática principal. De que modo você arranjaria as outras duas táticas mais defensivas?

Link to comment
Share on other sites

5 horas atrás, felipevalle disse:

@Tsuru e se tiver um elenco que jogue bem no tiki-taka como sua tática principal. De que modo você arranjaria as outras duas táticas mais defensivas?

Se ele joga bem no outro estilo, pra que mudar da água pro vinho? 

Link to comment
Share on other sites

Em 02/05/2022 em 18:05, bstrelow disse:

Se ele joga bem no outro estilo, pra que mudar da água pro vinho? 

Pelo fato de que mediante certas circunstâncias precisar mudar o jeito de jogar.

Por exemplo, o time atua no tiki-taka, mas perde por 3x0. Pode mudar o jeito de jogar ou optar por continuar e correr o risco de levar mais gols.

Link to comment
Share on other sites

  • 2 weeks later...
Em 28/04/2022 em 11:39, felipevalle disse:

O que é uma pena só a mentalidade defensiva não render tão bem quanto outras. Pois na vida real, até se consegue jogar assim.

Tomara que em outras versões melhorem isso.

Na verdade não sei se ela não rende tanto...eu acho que é questão de equilibrar risco e recompensa e saber "jogar" com as mentalidades individuais. Do tipo, uma mentalidade defensiva coloca as mentalidades individuais naturalmente mais baixas. Então pro time não ficar tão passivo seria necessário colocar por exemplo mais tarefas atacar. Já vi algumas experiências nesse sentido e me pareceram bem interessantes.

Em 02/05/2022 em 14:34, Marcolation disse:

Ótimo artigo, @Tsuru, obrigado pela tradução!

Me senti representado finalmente com alguém mostrando o verdadeiro 4231 (com volantes) dar certo, e também com os meias laterais ao invés de pontas. No começo do save com o 1860 München essa formação inicial que ele mostra me rendeu muitos bons momentos, e acho que é ótima quando você tem um time bem abaixo da oposição, mas como ele bem disse e como você mesmo sempre frisa, não dá para jogar 100% do tempo com táticas defensivas.

O que achei interessante também foi ele conseguir fazer a tática de bloco baixo funcionar usando a mentalidade "Defender". Mesmo na "Cautelosa" sinto bastante dificuldade em conseguir gerar contragolpes, e preferia usar a "Equilibrada" puxando mais as instruções de equipe para formar o estilo defensivo. De qualquer forma, dá para tirar bastante da forma como ele apresenta até para pensar o que realmente se quer dizer com "jogo defensivo" ou com "bloco baixo". Achei que a imagem real que ele apresenta é bem isso, mas a questão da posse de bola e modo de atacar quando recupera a posse não vejo como o mais importante para definir isso. Uma equipe pode ser defensiva, marcar em bloco baixo na mesma formação que outra e ter estilos completamente diferentes de criação.

O próprio exemplo dele mostra isso: segurar a bola no ataque, e rifar a bola quando em pressão; lançar a bola para um avançado segurá-la enquanto a equipe sobe; tudo isso não é uma regra, e de novo cito a minha primeira temporada no save. Mesma formação dele (4231 com meias laterais), mesma ideia de jogo defensivo com bloco baixo (mentalidade equilibrada, mas ambas as linhas muito baixas), também em último em posse de bola, poucos desarmes e muitas bolas interceptadas e cortes. Mas a parte de transição ofensiva bem diferente: um armador na linha de volantes, ambos os pontas subindo muito para o contragolpe, atacante buscando receber no espaço ou nas costas do defensor para sair em velocidade, e quase sempre buscando atacar em máxima velocidade.

Enfim, achei ótimo e vou tentar no futuro jogar realmente na mentalidade de defesa para ver o que consigo tirar disso.

  

Então...eu tenho uma visão bem particular sobre isso. Do tipo, para mim há uma grande confusão nessa questão de contragolpe, bloco baixo e futebol defensivo, e essa confusão só aumenta com as mentalidades do FM. 

Como o próprio artigo observa, jogar com bloco baixo seria uma estratégia basicamente para "estacionar o ônibus", ou seja, seu objetivo não é marcar gols mas evitar que o adversário o faça. Dá pra jogar assim o jogo inteiro? Entendo que não. Você pode fazer isso durante, sei lá, 75 minutos e depois mudar a estratégia pra tentar vencer. Pode fazer para arrancar um empate contra um adversário mais forte, enfim. Para que esse estilo funcione você vai precisar de jogadores bons fisicamente, com ótima capacidade de marcação e desarme e ótimos atributos mentais, porque jogar se defendendo o jogo inteiro exige exatamente isso.

Jogar no contragolpe para mim é outra coisa. Aqui, o objetivo é entregar a bola ao adversário para que ele se movimente, ataque e abra espaços nas costas da defesa; e quando isso ocorrer, seu time deve responder rapidamente, com passes mais diretos e poucos toques na bola, para pegá-lo "com as carça na mão" e aproveitar o espaço que aparecer. O nome mais correto para mim é "jogo de transições rápidas", inclusive. Para que esse estilo funcione você vai precisar de jogadores velozes, inteligentes, bons em primeiro toque e visão de jogo, com boa capacidade de desarme e antecipação para roubar a bola e encaixar os ataques velozes certinho.

Futebol defensivo para mim é um conceito muito mais amplo e muito mais complexo. Há quem enxergue no Guardiolismo um estilo de futebol defensivo, porque prende a bola de tal maneira que o adversário não consegue ter a posse e portanto, não consegue atacar. Há quem veja no Mourinho uma outra forma de futebol defensivo. Me parece muito mais subjetivo.

E por fim, o pulo do gato: qualquer estilo pode funcionar com qualquer mentalidade no FM. Você pode tranquilamente "estacionar o ônibus" com uma mentalidade Muito Atacante, pode desenhar um estilo de posse de bola com Muito Defensiva e pode jogar em transições rápidas com Positiva ou Atacante. A mentalidade é um fator de medição de risco mas não opera sozinha: funções, tarefas e instruções vão moldar esse risco para aquilo que você deseja fazer. E o nome dela não necessariamente indica o estilo de jogo que vai ser implementado.

Em 02/05/2022 em 16:39, felipevalle disse:

@Tsuru e se tiver um elenco que jogue bem no tiki-taka como sua tática principal. De que modo você arranjaria as outras duas táticas mais defensivas?

 

Em 02/05/2022 em 22:05, bstrelow disse:

Se ele joga bem no outro estilo, pra que mudar da água pro vinho? 

 

Em 06/05/2022 em 18:21, felipevalle disse:

Pelo fato de que mediante certas circunstâncias precisar mudar o jeito de jogar.

Por exemplo, o time atua no tiki-taka, mas perde por 3x0. Pode mudar o jeito de jogar ou optar por continuar e correr o risco de levar mais gols.

Posso precisar de outras circunstâncias de jogo. Eu por acaso jogo com um tiki-taka adaptado e no outro dia fiz 1 a 0, meu time estava sendo pressionado, troquei pra um estilo de transições rápidas e vencemos por 3 a 0. Quem tem alternativa tem o poder.

Agora, especificamente sobre o plano B do Tiki Taka, pra mim é uma adaptação do Contra-Ataque Fluido: um jogo que busca atrair o adversário pra responder de forma veloz, mas controlando a posse em vez de sair na base dos chutões.

E por que adaptação? Porque os templates do FM em geral são ideias pra serem trabalhadas, muito raramente vão encaixar de primeira e muito raramente vão funcionar pra sempre ou sem ajustes.

Link to comment
Share on other sites

Join the conversation

You can post now and register later. If you have an account, sign in now to post with your account.

Guest
Reply to this topic...

×   Pasted as rich text.   Paste as plain text instead

  Only 75 emoji are allowed.

×   Your link has been automatically embedded.   Display as a link instead

×   Your previous content has been restored.   Clear editor

×   You cannot paste images directly. Upload or insert images from URL.

 Share

  • Similar Content

    • Tsuru
      By Tsuru
      Por herne79
      Tradução e adaptação: Tsuru
      Link original: https://community.sigames.com/forums/topic/487345-no-tactic-and-lots-of-experimental-shouting/

      Tenho feito algumas experiências e brincado com o uso dos gritos à beira do gramado sem instruções táticas. Ou seja, não uso nenhuma instrução de equipe, de jogador ou à oposição, e escolho sempre mentalidade Equilibrada.
      Tudo o que fiz foi escolher um time, uma formação e juntar algumas funções e tarefas dos jogadores. Então, durante as partidas, eu apenas uso gritos da linha lateral, sem outras alterações (além de substituições). Nunca fiz isso antes, então queria ver duas coisas:
      O efeito de não usar nenhuma instrução. Quero deixar as coisas o mais "baunilha" possível, sem sobrecarregar os jogadores com instruções táticas. Em outras palavras, eu dou a eles a estrutura (mentalidade, formação e tarefas) e, em seguida, deixo que eles prossigam com as coisas. Não tenho nenhum estilo tático em mente (uma razão primária para usar TIs, etc.) e quero remover (na medida do possível) qualquer influência externa que possa distrair meus jogadores. Quero focar nos jogadores tanto quanto possível.
        O que acontece ao usar os gritos na beira do gramado? Isso faz alguma coisa? Seria ainda mais difícil avaliar isso se eu jogasse um monte de TIs na minha equipe ou fizesse mudanças táticas constantes durante o curso de uma partida. Minha configuração:
       

      Funções:
      CD - Defesa Central
      WB - Ala
      CM - Meia Central
      T - N10
      AM - Meia Ofensivo
      IF - Atacante Interior
      AF - Ponta de Lança

      Tarefas:
      D - Defender
      Su - Apoiar
      At - Atacar

      Eu queria usar uma equipe prevista para terminar no meio da tabela. Portanto, devo esperar alguns jogos disputados contra times semelhantes, alguns (espero) jogos mais fáceis contra os candidatos ao rebaixamento e jogos mais difíceis contra os melhores times. Eu quero uma variedade de níveis diferentes de jogo, que eu não conseguiria se eu fosse com um clube superior ou inferior. É também por isso que escolhi a mentalidade equilibrada. Então, escolhi o West Ham. Sim, sou fã, mas também estou bastante familiarizado com os jogadores, o que me ajuda a definir as coisas.
      É literalmente isso. A única mudança tática leve que às vezes fazia era trocar o Ponta de Lança por um Oportunista, mas isso era raro.
      Portanto, meu objetivo era nada mais do que atingir meu objetivo de início de temporada (9º lugar). Com o West Ham, posso ganhar a primeira temporada da Premier League se estabelecer um certo estilo de jogo usando o criador tático e bagunçar as coisas durante as partidas, mas aqui não estou fazendo nada disso, então tudo que quero fazer é terminar na pior das hipóteses, 9º. Daqui para frente, o plano é melhorar gradualmente os jogadores do clube - então as melhorias na posição na liga viriam de jogadores melhores, e não do meu gênio tático (* ahem *). Veja como eu me saí no final da primeira temporada:
       

       
      Terminei em 3º, o que me surpreendeu muito para ser sincero. Eu sei que uma abordagem de "nenhuma (ou poucas) instruções táticas" ainda pode produzir bons resultados se as funções e tarefas dos jogadores forem bem definidos, mas a parte interessante aqui para mim é o impacto dos gritos da linha de lateral em jogo. Eu nunca os uso e para ser justo, é difícil decifrar o impacto que eles realmente têm - pode ser nada mais do que um placebo - mas depois de usá-los durante toda a temporada, vi as reações do jogador a eles (nem sempre positivas, para ser sincero) e o resultado, é difícil descontar seu efeito.
      Acabei de terminar a primeira temporada e estou construindo um time. Moise Kean e Donny van de Beek por 20m e 15m respectivamente lol (Juve e Ajax devem estar loucos) junto com Jack Butland no gol também por 15m farão muito bem. Assim, quando eu começar a jogar novamente, irei passar em mais detalhes (com exemplos) de como tenho usado os gritos.
      Eu tenho que dizer, a primeira temporada foi muito interessante e um pouco reveladora.
    • Tsuru
      By Tsuru
      Por FM Rensie
      Tradução e adaptação: Tsuru
      Link original: https://coffeehousefm.com/fmrensieblog/2021/6/11/my-fm21-attacking-corner-routines

      Todos nós temos algum desenvolvimento como jogadores do Football Manager. Eu não sou uma exceção, sempre quis marcar o maior número possível de gols nas bolas paradas. Mas deixei de ser o criador de bolas paradas “excitantes” para marcar muitos gols e passei a ser o criador paciente que está gostando de fazer pequenas mudanças e ajustes e vendo como a coisa se desenvolve: cada gol marcado em alguma rotina de bola parada é a melhor recompensa. E estas são minhas rotinas de escanteios ofensivos no FM 21.
      Gosto de assistir à partida no modo Alargado para poder ver minhas rotinas. Isso atrasa um pouco meu tempo de jogo, mas eu realmente gosto disso. Eu não tenho que chegar a um futuro distante, prefiro seguir o save mais devagar e ver o impacto dos meus ajustes.
      E a versão FM21 é perfeita para isso porque eu sabia antes de iniciar o save que não duraria muito. Isso significa que não vejo motivo para acelerar apenas para progredir.
       
      Escanteios ofensivos - Primeiro Pau
      Ainda é um dos meus tipos favoritos de rotina. Normalmente vejo algo como "basta colocar aqui o melhor cabeceador e pronto". De alguma forma, sim, isso mesmo. Você precisa de um jogador muito forte. Mas, como mencionei no passado, na postura atual do jogo as bolas paradas são sobre o movimento Sem Bola.
      Normalmente tento testar qual jogador se encaixa melhor aqui. Eu também gostei de colocar o melhor jogador possível para Esperar o Primeiro Poste em vez de Atacar Primeiro Poste porque era mais perigoso no início do save.
      Quando contratei Niklas Backman, ele era uma escolha lógica para as rotinas de ataque como homem principal. Ele é corajoso e suas decisões vão até 15. Os atributos de cabeceio e salto de alcance também são muito bons.
      Mas ele não entregou o que se esperava e seu movimento Sem Bola (6) nos escanteios foi uma piada. Outra prova da minha teoria. Eu realmente estava ansioso para usá-lo como ponto focal, mas tinha que tentar outro jogador.
      Os exemplos de gols de Markus Nakkim.
       


      Às vezes, a bola pode chegar ao poste mais distante quando os jogadores ao redor do primeiro poste não a acertam. E pode ser assim, é por isso que tenho um jogador definido para Esperar ao Segundo Poste.
       
      Escanteios ofensivos - Curto
      Comecei a usar a rotina curta logo após o início do save. Mas eu removi essa rotina durante a primeira temporada porque percebi que não tinha jogadores bons o suficiente para as funções-chave - o cobrador aquele que oferece a opção curta.
      Não importava o que eu tentasse, geralmente terminava com o impedimento ou com uma má decisão do jogador "curto", que demorava demais a decidir o que fazer e o adversário recuperava a bola. Ou pior, ele apenas dava uma bolada no adversário e a mesma coisa acontecia três ou quatro vezes seguidas.
      Mas comecei a usá-lo novamente durante o save, quando a qualidade dos meus jogadores era maior e alguns dos jogadores desenvolveram os atributos principais.
      Não sei se minha teoria sobre o movimento Sem Bola está certa, mas vou viver com isso. Principalmente porque o atacante, que  está marcado para atacar o primeiro poste, é capaz de marcar gols na área do segundo pau porque consegue encontrar o espaço. E outro jogador é capaz de encontrá-lo desmarcado com um cruzamento bem feito (veja mais no vídeo abaixo).
      De vez em quando, eu mudo a função Ir a Frente para Atacar a Bola no Limite da Área. Mas eu sempre tento manter dois jogadores com a função de Aguardar Fora da Área para proteger as bolas desviadas ou rebatidas.

       
      2020 vs 2023
      Mencionei que usei a rotina do canto curto no início do save. A rotina parecia um pouco diferente, mas o ponto principal era o mesmo. Dois jogadores foram colocados à espreita fora da área para ajudar em tudo ao redor da grande área.
      Funcionou bem com o defesa-lateral nestes dois jogadores, visto que foi muito útil graças à sua velocidade e também à capacidade de cruzamento.
      A maior diferença é que os jogadores que deveriam ser a principal ameaça para o oponente foram definidos para atacar o poste mais distante, pois eu queria ver o cruzamento para este lugar ou para oferecer espaço suficiente ao redor do poste mais próximo para a opção curta.
      Você pode ver como estava a rotina em 2020 AQUI. Como já escrevi, assim como a defesa, o clube ou a liga se desenvolveram ao longo dos quatro anos, os jogadores também se desenvolveram e suas decisões são muito melhores dentro da curta rotina. É por isso que decidi tentar novamente com pequenos ajustes e melhorias. E dei aos meus jogadores outra oportunidade de provar que essa rotina pode funcionar.
      Três exemplos recentes no meu save com o GAIS. Não estou jogando muito rápido, então são exemplos bem recentes.
       
      Equipes juvenis como o melhor teste
      Uma das minhas coisas favoritas provavelmente nas últimas três edições FM é verificar os destaques de minha reserva / equipe B ou times juvenis. Todos os meus times jogam com a mesma tática. Isso significa que todas as equipes também estão usando as mesmas rotinas de bolas paradas.
      Considero isso uma opção de teste fantástica de como minhas rotinas funcionam para outras equipes. E eu sempre recebo as informações sobre a partida na caixa de correio com o simples botão Assistir os destaques para que seja fácil assistir apenas os gols. Gosto de fazer isso, principalmente se vejo que um dos zagueiros está na súmula, pois isso significa um escanteio ou um gol de cobrança de falta.
      Mas gosto de verificar também por causa dos gols de laterais, porque minha equipe sub-19 está marcando muitos gols, graças à rotina de reposição curta.
      E se eu não tenho tempo para assistir os destaques, ou me esqueci de assistir, eu só checo o relatório / pontuação e tela de assistências do analista do time juvenil. Infelizmente, e não tenho ideia do porquê, mas você não pode selecionar mais do que as últimas 5 partidas aqui dentro do time de juniores.

       
      Filtro de pesquisa de conjunto de ataque
      Já escrevi sobre isso (aqui) e ainda estou usando o mesmo método. Você pode encontrar alguns jogadores muito bons, não apenas para bolas paradas, com o filtro incluindo os principais atributos para funções como ataque próximo ao poste, enfrentar goleiro, etc.
      A maioria deles também é útil para as rotinas defensivas, pois alguns desses atributos são os mesmos para funções de ataque e defesa.
      É principalmente para brincar com os valores dos atributos dentro do filtro. Você pode definir todos esses atributos para 15, mas não pode esperar que ele encontre algum jogador quando você jogar fora das principais nações / ligas. Ou melhor, não encontrará jogadores que não estejam interessados em transferir / emprestar ao seu clube. E o valor razoável / taxa de transferência esperada / salário também desempenham um papel nisso.
      Eu defini o limite de atributos para 13 neste FM21, exceto para os melhores atributos - verde brilhante. Portanto, também defino o valor padrão para esses atributos-chave como 13. Se encontrar alguns jogadores, ótimo. Caso contrário, baixarei todos os valores. Ou apenas alguns deles.
      No exemplo abaixo, eu reduzi os atributos para 10, exceto os atributos Bravura e Sem Bola. Encontrou nove jogadores. Posso ver os valores desses 7 atributos diretamente graças à visualização personalizada. Todos nós podemos ver que o atacante finlandês de 19 anos Joni Kovanen parece promissor e comecei a observá-lo.

       
      Treinamento?
      Como eu compartilhei anteriormente, este é o meu esquema de treinamento atual. As sessões de bola parada têm o seu lugar, mas geralmente apenas as sessões de canto de ataque e entrega antes da partida.
      Não tenho mais agora, até porque ainda me lembro do que o Oliver Jensen sugeriu há algum tempo durante o FM20.
      Você pode ou não saber disso, mas a razão de não notar qualquer diferença com mais treinamento de bola parada é porque você só pode obter resultados uma vez por partida partida dessas sessões, então se você colocar três sessões de escanteio ofensivo antes de uma partida, vai obter o mesmo resultado que teria apenas com uma.
      Perguntei a SI quando escrevi sobre o treinamento e eles disseram que você pode adicionar muitas sessões na semana, mas apenas uma funcionará. Não faz sentido que você possa fazer mais sessões, nesse caso deveria limitar-se a um antes de cada partida.
      Uma coisa que provavelmente vou mudar no futuro é a sessão de defesa na quinta-feira para as cobranças de falta do ataque. Mas isso não é tão importante.


      Só quero dizer que o seu principal jogador nos escanteios não precisa ser o defensor mais forte apenas por cabecear ou pular. É mais sobre como combinar todos os atributos necessários juntos. E pensar em coisas simples. Não é tão complicado como alguns jogadores de FM pensam e preferem ignorar lances de bola parada.
      Para ser honesto, deixe as peças predefinidas como padrão, especialmente os lançamentos laterais são uma ideia realmente ruim no FM21. Mas essa é uma história para outro dia...
    • Tsuru
      By Tsuru
      Lateral. Função consagrada por muitos brasileiros como Nilton Santos, Cafu, Roberto Carlos, Jorginho, Marcelo, Daniel Alves e outros - a tal ponto que “lateral brasileiro” chegou a resumir um tipo específico de jogador - é hoje essencial nos times de elite. Geralmente nessas equipes o lateral é o jogador responsável por colocar a bola na área enquanto os pontas marcam gols, se deslocam para o centro e ajudam a armar as jogadas. Mas em times pequenos o lateral ainda pode dar apoio ou ajudar um ponta clássico a abrir espaço - ou em times sem pontas, fazer todo o trabalho de flanco. Fora que um bom lateral fecha os lados corretamente, o que é fundamental num jogo que desde os anos 90 vem cada vez mais se deslocando do centro para os lados do campo. Deixar um flanco exposto ou errar na dose da marcação por ali pode significar grandes problemas, e por isso saber escolher a função e tarefa do seu lateral ajuda bastante no Football Manager.
      Mais fácil falar que fazer, admito. As opções não são muitas em si, mas como equilibrar agressividade, apoio ao ataque e não expor tanto a defesa? Esse é um dos objetivos desse guia: explicar o que cada função/tarefa de lateral faz no FM para ajudar num melhor processo de escolha  e mesmo para corrigir eventuais problemas que surjam.
      Não abordarei aqui de forma específica a função Automática, mas tentem pensar essencialmente que, em Automático, o lateral joga com a tarefa igual à mentalidade da equipe, em vez de ser previamente definida como "Defender" / "Apoiar" / "Atacar".
       
      Defesa Lateral
      O chamado “Lateral básico”, é uma função que vem sofrendo algumas modificações nas últimas versões do FM. Resumidamente, é um defensor de flanco - ainda que usando uma tarefa mais agressiva, ele tende a subir menos, só ataca “na boa” e sua prioridade é proteger a defesa antes de agredir. 
      E as tarefas? Há várias formas de abordar, mas eu resumiria de forma bem simples: quanto mais agressiva for a tarefa (Defender-Apoiar-Atacar), mais o seu lateral vai subir no campo (ainda que apenas “na boa”), mais adiante ele tende a iniciar a pressão/marcação, e mais ele vai aparecer no último terço para cruzar a bola para a área. Por exemplo, em Defender ele tende a atacar bem raramente (quase um zagueiro de lado de campo), com Apoiar ataca de vez em quando, e em Atacar, ataca com uma frequência maior.
      Eu tenho observado o DL bem limitado nas últimas versões - mesmo em suas formas mais agressivas, no último terço ele tende a simplesmente cruzar a bola para a área, sem pensar nem elaborar muito a jogada. E na defesa, limpa o jogo e distribui para os mais avançados. É bom? É ruim? Depende do que você quer e do que seu time precisa.
       
      Ala
      Se até o FM 17 o Defesa Lateral parecia ser a “função básica para não complicar a vida”, desde o 18 o jogo parece estar reservando um pouco mais esse papel ao Ala (especialmente Ala Apoiar). É um movimento visto também na vida real: assim como quase todas as funções, os laterais hoje precisam atacar e defender com a mesma efetividade, equilibrando as ações e aparecendo em quase todos os setores, marcando e agredindo de forma eficiente e proativa. Ainda que eu ache que o Ala não é exatamente assim no FM, talvez ele seja o mais próximo disso.
      Eu diria que, se o DL se preocupa primeiro em defender e depois em atacar - daí o nome “Defesa” Lateral - o Ala faz o movimento contrário, ou seja, o primeiro pensamento dele é atacar, subir no campo e dar apoio aos jogadores mais avançados, e só depois defender. E esse ímpeto geralmente é calibrado pelo uso das três tarefas disponíveis, ou seja, Defender, Apoiar e Atacar (não entrando aqui no mérito das instruções individuais de jogador).
      Então um Ala em Defender também ataca (confuso, não?), mas faz isso com menos riscos e em situações onde tenha mais segurança para fazer isso (ou ache que tenha). Um Ala Apoiar é um pouco mais equilibrado, avança mais no campo mas não tanto a ponto de se descuidar muito da defesa. E o Ala Atacar é aquele lateral que não tá nem aí, se manda pro campo de ataque o tempo todo, joga no último terço e faz literalmente o mesmo papel de um Extremo aberto, se preocupando bem pouco se está ou não deixando espaço às costas.
      Particularmente o meu preferido é o Ala Apoiar, para mim o mais equilibrado e “sensato”, mas mesmo quando eu o uso, tento sempre fazer de forma que a defesa fique o menos desguarnecida possível, pelo simples fato de que fechar espaços ou se preocupar com a zaga são coisas que essa função faz menos do que o DL.
      Lembrando ainda que o Ala, além de ser uma função dos laterais, pode também ser uma posição - é quando ele joga entre o meio e a defesa, geralmente em esquemas com três zagueiros. O papel em si é parecido, apenas a posição reflete o fato de que ele será mais um híbrido de meia e lateral do que um lateral em si.

      Ala Completo
      Sabe o Atacante Completo, aquele que falamos que é o centroavante forte, rápido, bom de finalização, movimentação e cabeceio, a quem posso dar mais liberdade porque o talento extraordinário dele compensa tudo? Então, grosso modo o Ala Completo é a mesma coisa - mas em relação aos laterais.
      É aquele lateral excepcional, bom na marcação, muito rápido, forte fisicamente, com excelente passe, movimentação, visão de jogo, lançamento, tudo e mais um pouco, a quem eu posso dar liberdade para jogar como achar melhor. Isso inclui se movimentar dos flancos para o centro, cruzar ou passar a bola, chutar, lançar, enfim, ele faz o que bem entende e quando entende. Há quem diga que funciona melhor em sistemas onde o lateral joga sozinho, sem pontas na frente - eu particularmente acho que isso depende muito.
      Eu o enxergo essencialmente como “um Ala bom de bola a quem dou muita liberdade para fazer o que quiser”. Em Apoiar ele tende a ser um pouco mais equilibrado em relação à defesa, e em Atacar, bem mais agressivo, quase um “Ponta Completo” no último terço.
      Apesar de não gostar muito de exemplos da vida real no FM, acho que o Maestro Júnior é um bom exemplo de Ala Completo.
      Lembrando ainda que o Ala Completo, além de ser uma função dos laterais, pode também jogar na posição de Ala - é quando ele joga entre o meio e a defesa, geralmente em esquemas com três zagueiros. O papel em si é parecido, apenas a posição reflete o fato de que ele será mais um híbrido de meia e lateral do que um lateral em si.

      Defesa Ala Invertido
      É simples, portanto não vamos complicar: o Defesa Ala Invertido é um lateral que, em condições normais, afunila o jogo e se desloca para o centro do campo, jogando como um meia central em vez de atuar aberto e dando amplitude dos lados. Essa movimentação pode servir para várias coisas, desde levá-lo a ser um elemento surpresa - porque é incomum que laterais façam isso -, abrir espaço para um extremo jogar, “cobrir” a movimentação de um jogador de meio campo que esteja mais avançado no último terço, ou ainda para exercer um papel que seu time não tem na formação.
      Considerando as características do DAI, faz sentido para mim que seu pé bom seja oposto ao do flanco em que está - ou seja, um DAI destro faz mais sentido para mim na esquerda, e um canhoto, na direita. É regra? Não - da mesma maneira que eu já usei um DL destro na esquerda pelo simples motivo que não reparei que ele era destro, e o cara foi muito bem, você pode usar o lateral como DAI do lado do pé bom. Vai depender muito da capacidade do jogador, da estratégia de jogo do seu time e principalmente, de funcionar no campo, porque é isso que dá a última palavra.
      Com tarefa Defender, o DAI inicia normalmente no flanco e, ao se movimentar, meio que assume o papel de um volante, ficando pela zona da própria intermediária e ajudando a organizar o jogo por ali. Já as tarefas seguintes, Apoiar e Atacar, basicamente o definem como um meia que inicia na posição de lateral, flutua por dentro e avança mais agressivamente com a equipe, sendo que em Atacar essa agressividade atinge níveis maiores que com Apoiar, inclusive aparecendo mais frequentemente para finalizar as jogadas na área adversária.
      Lembram que eu disse que “em condições normais” o DAI corta por dentro? Pois é. Se sua formação utilizar dois volantes de ofício ou se o DAI for o único jogador a atuar no flanco (sem pontas ou meias laterais na frente), ele tende a não cortar para dentro e em jogar no flanco mesmo. O interessante é que, como possui instruções únicas em relação às demais funções, você nesses casos tem um “DAI aberto”, uma mistura de meia e lateral com um comportamento bem diferente e bem específico.
      Um comentário pessoal: eu já testei o DAI sozinho no flanco e particularmente não gostei do resultado, porque ao contrário do que disse a descrição do FM, ele afunilou o jogo sim e meu time ficou sem largura/amplitude/profundidade, fora que ele trombava bastante com o Carrilero. Mas talvez em outra circunstância, com um jogador melhor e com um outro meia daquele lado até funcionasse melhor.
      Uma última observação: eu acho o DAI muito, muito interessante, mas lembre-se que ele simplesmente tende a abandonar o flanco para jogar pelo meio - portanto a falta de cobertura dos lados pode custar caro se seu time não estiver de alguma forma preparado para lidar com isso, ou se simplesmente não aceitar o risco. Acho ainda que é um jogador que precisa ter excelente sentido de decisão e movimento para saber a hora certa de fazer as coisas, portanto em times menores pode ser mais difícil de encontrar.

      Lateral Limitado
      Não gosto muito desse nome, admito - eu prefiro o original em inglês “No-Nonsense Fullback”, cuja tradução mais literal seria “Lateral Sensato”. Ou pelas características dele poderia ser ironicamente chamado de “Lateral Sem Noção”, ou quem sabe ainda “Lateral Botinudo”, menos conhecido como "Lateral do Celso Roth" (hehehehe). 
      Disponível apenas com a tarefa Defender, eu diria que o Limitado é uma versão de flanco do Defesa Central Eficiente. Ou seja, é focado em limpar a jogada, correr poucos riscos e, com a posse, abusar de passes longos tentando armar o contra-ataque e fazer ligações diretas. Ele não vai chegar a frente, não vai apoiar o ataque e não vai cruzar, vai simplesmente assumir a posse e dar uma bicuda para o mais longe possível. Portanto usá-lo por exemplo em uma formação onde ele é o único elemento no flanco (sem pontas ou meias laterais a frente) pode não ser muito boa ideia.
      Alguns o definem como “o melhor amigo dos times azarões”, o que eu não concordo muito. Isso porque, quando se é azarão, você precisa cuidar da bola com carinho, não terá muitas oportunidades de atacar, e simplesmente ter um cara que limpe a jogada - talvez basicamente devolvendo a posse ao adversário - seja um pouco arriscado.
      O curioso é que eu não me lembro de ver nenhum jogador assim no futebol da vida real e não sei realmente onde o FM foi buscar essa função. Mas está lá e precisamos entender e saber como funciona, até porque talvez algum dia possamos precisar dela.
    • Tsuru
      By Tsuru
      Uma abordagem sobre o 4-4-2 diamante
      Por nick1408
      Tradução e adaptação: Tsuru
      Original: https://community.sigames.com/forums/topic/551917-my-take-on-a-4-4-2-diamond/
      Não sou um gênio tático. Pode (e provavelmente vai) haver muitas coisas aqui com as quais as pessoas não concordem. Tudo bem e podemos ter opiniões diferentes. Com isso dito, vamos nessa!
      No momento, estou gerenciando um bom time do Everton. Eu reuni alguns jogadores realmente bons, mas um dos meus principais jogadores (Dominic Calvert-Lewin) decidiu que não queria mais estar no clube, então meu uso dele como Avançado de Referência não poderia mais acontecer. Não tive substituição e os Avançados de Referência são difíceis de encontrar. Dei uma boa olhada no meu time, pensei no que eu queria fazer e decidi que uma formação em diamante era melhor. Tomei esta decisão devido ao seguinte:
      Eu queria jogar com dois atacantes (prefiro sistemas com dois atacantes); Eu queria Tonali, Castrovilli e Yusef Demir no campo juntos; Eu queria usar Tomiyasu como lateral direito. Uma rápida olhada no meu plantel mostrou que eu realmente só tinha dois jogadores que seriam mais prejudicados por um sistema estreito (Richarlison e Marcos Leonardo). Ambos podem ser usados como atacantes, então não é de todo ruim para eles e eu não preciso vendê-los devido ao novo formato tático.
      Com essas decisões tomadas, acabei com o seguinte:
       

       
      Funções e tarefas, da direita para a esquerda: Goleiro Líbero Apoiar, Defesa Ala Invertido Atacar, dois Defesa Central Defender, Ala Apoiar, Trinco Defender, Meia Central Apoiar, Construtor de Jogo Avançado Apoiar, Atacante Sombra Atacar, Atacante Trabalhador Atacar, Atacante Recuado Apoiar.
      Instruções:
      Com a Posse: Antecipar Cruzamentos, Sobreposição Exterior Esquerda, Ritmo Mais Alto, Jogar Mais Largo. Em Transição: Bater Pontapés Curtos, Distribuir para os Flancos, Distribuir Rapidamente, Contra-Atacar. Sem a Posse: Forçar ataques pelo centro, Linha de Engajamento Mais Alta, Pressionar Mais Urgente, Evitar Distribuição Curta do Goleiro, Usar Linha de Impedimento.
        Muitas pessoas vão olhar para a tática e ver os problemas. Deixe-me explicar por que tomei certas decisões. Vou falar sobre muitas das instruções da equipe dentro das funções dos jogadores, pois tomei muitas dessas decisões para trabalhar com as funções.

      Goleiro Líbero: Quero dar a Donnarumma a flexibilidade de pensar fora da caixa, se necessário. Eu quero que ele seja capaz de fazer passes longos se houver possibilidade (o diamante é muito bom no contra-ataque). Eu provavelmente poderia me safar com Goleiro Líbero-Defender (SK-De, em inglês), mas tenho Donnarumma, então posso também dar a ele alguma licença de ataque. Eu escolhi adicionar ainda as instruções Distribuir Rapidamente, Fazer Passes Curtos & Distribuir para os Flancos. Acho que essas instruções complementam a instrução Contra-Atacar. O Distribuir para os Flancos pode parecer contra-intuitivo sem alas. Em geral, eu concordo, mas deixe-me mostrar isso: 
      https://imgur.com/KzUQ1t4
      A distribuição para Hickey é o motivo pelo qual eu tenho o Distribuir para os Flancos. Se optasse por distribuir para os laterais, isso arrastaria ambos para mais perto do goleiro, o que não é o que eu quero. Eu os quero bem mais acima no campo para potencialmente iniciar um contragolpe.

      Defesa Ala invertido: Esta é a primeira decisão que tomei e que terá muitas reações de "Por quê!?" - mas há uma razão. O diabo está nos detalhes do DAI. Dê uma olhada na própria função: 
       

      “Driblar Mais”, “Cortar Para Dentro com a Bola”, “Correr Mais Riscos”, “Cruzar Menos Vezes”, “Chegar mais a frente”, “Afunilar Jogo”, “Deambular da Posição”.
      Segundo a própria descrição da função, existem duas circunstâncias em que o DAI não corta para dentro com a bola:
      Quando há dois volantes; Quando ele é o único homem do flanco, sem nenhum meia lateral ou ponta à sua frente. Como você pode ver, caio na opção dois aqui. O papel foi escolhido especificamente devido às instruções individuais pré-determinadas. Quero que ele atue mais ou menos como meio-campista a partir da posição lateral direita, que jogue com a bola no pé e faça passes, em vez de cruzar. Eu quero que ele ainda forneça a largura e jogue alto no campo, mas de uma maneira diferente:
       


      Eu destaquei os passes-chave aqui, pois é isso que quero que ele faça nesta função. Você pode ver que Tomiyasu (# 3) fez alguns aqui. É uma área perigosa que muitos opositores lutam para defender.
      Zagueiros: Fácil aqui - evitar gols! Eu não preciso de um Defesa com Bola fazendo passes longos. Na verdade, sem jogadores laterais, não quero “pular” o meio-campo a menos que haja um contra-ataque, então estou feliz em jogar com DCs para tentar manter a posse de bola um pouco mais.
      Ala: Inicialmente eu tinha o Ala definido para Atacar. Notei algum movimento que não gostei: 
      https://imgur.com/MXmokps
      https://imgur.com/rNEhRdN
      Eu odiava que os cruzamentos estivessem sendo bloqueados. Eu adicionei Antecipar Cruzamentos, mas sozinho não obteve o efeito desejado. Eu dei uma olhada um pouco mais no que estava acontecendo e quais outras opções o lateral pode ter. Então percebi - ele não tem suporte:
       

       
      O pobre coitado não tem apoio. Que outra opção ele tem aqui? Para aliviar isso, coloquei a tarefa de volta a Apoiar, acrescentei Driblar mais e Cruzar com mais frequência (ambos que vêm por padrão no Ala-At), em seguida, adicionei Sobreposição Exterior para aumentar sua mentalidade de volta ao ataque. A última peça do quebra-cabeça era transformar o meia lateral esquerdo em um CJA (falarei mais sobre isso depois). O resultado final é um lateral esquerdo que faz o que eu quero - fornece largura, movimento de ataque e não tem os cruzamentos bloqueados o tempo todo.
      Trinco/Primeiro Volante: Porque eu gosto dos filmes de Will Ferrell ... nah, em um diamante, acredito que existem algumas opções aqui, mas a escolha terá um efeito geral na tática:
      Um craque (Regista, CJR, OM), o que significa que os jogadores nas posições de MC precisam jogar um pouco mais na defensiva para cobrir o craque e dar-lhe espaço para operar; Uma "rolha" (PD, TR, MD) para cobrir a defesa e permitir que os MCs sejam um pouco mais atacantes. Acho um pouco mais fácil configurar um diamante com a opção dois. Não tenho certeza do porquê, apenas faço. Além disso, meus jogadores de defesa escolhidos são DCs convertidos, suas habilidades de passe não são boas o suficiente para estar em minhas posições de MC.
      Como vim para o Trinco? Basicamente porque ele não se move de seu lugar (nota do tradutor - em inglês a função se chama "Anchorman", o "Homem Âncora", enfatizando seu comportamento mais "preso"). Eu queria que ele fosse uma opção atrás de jogadores atacantes, mas sem o flash extra que um organizador pode ter. Eu não quero que ele desça para a defesa, então PD/TZ foi descartado. Eu não preciso que ele pressione pesadamente como um MRB faz ou como um MD pode. O Trinco é perfeito para o que preciso tanto na defesa quanto no ataque: seu simples passe para a frente é perfeito para os dois caras mais acima no campo.
      Meia Central: Foi uma função muito difícil de escolher. Comecei inicialmente com o MAA, depois brinquei com um Carrilero, mas acabei optando pelo “quadro em branco”. O MC-Ap não deambula da posição (o DAI atrás dele faz isso) e pode ser solicitado a fazer qualquer coisa. Eu adicionei Pressionar Mais & Passes Mais Diretos. Eu quero que ele pressione mais para ajudar a apertar o flanco e fazer com que os jogadores adversários tomem decisões precipitadas. Eu quero que ele faça passes mais diretos para colocar a bola no ataque mais cedo, se for possível. É uma função simples em que um excelente jogador pode realmente se sobressair. Um jogador inferior também pode ser eficaz, pois você não está pedindo a ele para fazer muito. É mais sobre o que o jogador pode fazer do que sobre o que ele não pode.
      CJA: começou a vida na formação como um CJR, mas algumas coisas me levaram a mudar:
      Ao perceber que o CJR não estava apoiando o lateral esquerdo, precisava de uma função que atuasse um pouco mais a frente e de forma mais ampla para permitir a reciclagem da posse se e quando o lateral estivesse sob algum risco; Perceber que um Trinco poderia ter um jogador mais atacante na sua frente; Tonali sendo um jogador de mentalidade relativamente defensiva, permite-me usar uma função um pouco mais agressiva. Eu a princípio não usaria um CJA aqui. Eu sempre me inclinei para um jogador do tipo CJR, eu ainda preciso de um pouco de cobertura defensiva, pois novamente estou pedindo a ele para pressionar mais e para atuar mais avançado. Ambas as instruções são para ajudar a cobrir o movimento de ataque do lateral esquerdo. Ocasionalmente, eu o troco para tarefa Atacar para entrar mais na área, mas gosto do espaço que ele ocupa quando definido como suporte. É um papel engraçado para mim, já que não me lembro de alguma vez ter usado um CJA no local do MC em qualquer tática que experimentei antes. Estou feliz por ter usado aqui.
      Atacante Sombra: Este é um papel que eu realmente gosto, e se encaixa muito bem aqui. Sem um AS, meu ataque se tornaria muito limitado apenas ao AT. Adicionar um Atacante Sombra dá algum poder ofensivo e adiciona outro elemento para puxar os defensores para fora da posição. Devido aos jogadores atrás dele, não preciso dele na formação e ele só precisa atuar na ponta da jogada. Um N10/Trequartista foi considerado, mas eu não preciso desse nível de deambulação. O Sombra se encaixa aqui.
      Atacantes: Farei esses dois juntos, pois essa é uma parceria muito importante. Originalmente, eles jogavam do lado contrário ao que estão agora. Então percebi que provavelmente quero o lateral esquerdo cruzando para o poste mais distante, onde o mais avançado dos dois atacantes está operando. A troca foi feita e o resto é história. O Atacante Recuado antes da mudança foi experimentado principalmente com um F9. O F9 ficou muito "profundo" e deixou o outro atacante e o AS solitários. O Recuado acabou vencendo.

      Eu também pedi ao Recuado para passar mais direto na tentativa de colocar o AS e o Trabalhador ainda mais na ponta da jogada. Ao segurar a bola e mover-se pelos espaços, ele deve arrastar os defensores para fora da posição para que o Sombra ataque. O AT começou como um Ponta de Lança, mas não foi eficaz o suficiente. Troquei-o para AT para ajudar a pressionar a retaguarda (além de pedir a toda a equipa que pressionasse mais).
      A pressão alta nesta formação é grande. E ao mesmo tempo que os adversários deveriam ter uma saída fácil para os flancos, torna-se uma passagem que leva nada a lugar nenhum, já que estou com o centro todo fechado para eles tentarem um ataque.
       

       
      Em posse: Ritmo Mais Alto se deve à habilidade dos meus jogadores em acertar passes. Também não posso deixar a bola estagnada no meio-campo, pois um meio-campo estreito pode ser mais fácil de fechar. Para aliviar isso, pedi mais largura de ataque. A formação é estreita de qualquer maneira (nota do tradutor: toda formação que usa apenas um homem em cada flanco é considerada "estreita"), então pedir que eles se movam um pouco mais para os lados permitirá um pouco mais de espaço para operar.
      Fora de posse: não discuti nenhum desses anteriormente. Estou forçando os adversários a atacar pelo meio, pois é lá que está a maior parte dos meus defensores. Isso torna mais fácil para mim defender. A linha mais alta de engajamento, a pressão mais urgente e evitar distribuição curta do goleiro são simplesmente colocar a oposição sob pressão mais cedo. Se eles puderem contornar isso, ainda tenho MCs e um MD para cobrir. A armadilha do impedimento é simplesmente porque eu gosto.
      Eu mudo entre mentalidade Positiva e Atacante dependendo do adversário. O Treinador Adjunto geralmente me lembra antes do jogo para dar uma olhada. Não descarte a opinião do seu auxiliar - você não o teria contratado se não quisesse que ele fizesse algo.
      Posso ter perdido algo aqui, então fique à vontade para fazer perguntas. Não sinta que não pode usar uma função específica porque não faz sentido. Como eu mostrei com o Defesa Ala Invertido, se você tem um plano e quer que algo específico aconteça, um papel sem sentido pode realmente fazer sentido para você.
    • Tsuru
      By Tsuru
      Eternizada pelo argentino Carlos Volante (foto), que jogou nos anos 20, 30 e 40 - daí o nome, porque os técnicos queriam que os atletas “jogassem como Volante” - a posição de meia defensivo viu crescer sua importância no FM nas versões recentes, com o advento do 4-2-3-1 e do 4-1-2-3. Times que não usam volante geralmente o enfrentam, e equipes que o usam ganham uma cobertura extra para liberarem mais seus meias e pontas no ataque (embora usá-lo não seja sinônimo de consistência defensiva). Sendo assim, é importante conhecer as diferentes funções e tarefas dessa posição, seja para saber como usá-la da melhor forma ou para vencer os desafios naturais que traz aos adversários.
       
      Trinco / Primeiro Volante / Anchorman
      Funciona quase como um terceiro zagueiro à frente da defesa. O Trinco geralmente não é o jogador mais técnico, não sai da posição para pressionar os adversários em busca da bola, não se aventura muito no ataque e não se arrisca demais nos passes - leia-se, tende a dar uma bicuda e limpar a jogada em vez de tentar um passe mais elaborado ou algo assim. Por isso, há uma tendência de que seja mais adequado a sistemas onde a solidez defensiva é mais importante, ou onde seja necessária cobertura extra na frente da zaga. Se usado em um jogo de muita pressão na bola, por exemplo, ele pode acabar saindo errado para dar o combate e deixar buracos que seus adversários possam explorar.
       
      Pivô Defensivo / Terceiro Zagueiro / Halfback
      Assim como o Trinco, funciona como um terceiro zagueiro, mas com movimento inverso. Ou seja, é um volante que desce para formar uma linha de três beques, empurrando os outros dois mais para as laterais, e que sobe a frente da zaga em momentos de necessidade, por exemplo quando seu time está com a bola no ataque. Permite diminuir as preocupações defensivas dos laterais, permitindo que ataquem de maneira mais incisiva, além de encostar nos meias mais adiantados e reciclar a posse de bola. É por isso que normalmente o PD se utiliza com dois laterais com função de alas (embora isso não seja de nenhuma maneira obrigatório).
      É geralmente recomendado em formações mais agressivas, exatamente por permitir que os laterais subam e sejam mais incisivos. Eu recomendo bastante cautela ao utilizar essa função no FM, porque há relatos de que a match engine não entende bem e não traduz corretamente os movimentos. Há vezes em que os zagueiros se mantêm muito abertos mesmo sem o PD entre eles, e outros casos - esses eu já pude comprovar - onde o volante com essa função sobe de forma bizarramente agressiva ao ataque, quase atuando como um Regista, o que, além de não ter sido solicitado, pode comprometer a estrutura defensiva da sua equipe.

      Meia Defensivo / Volante / Defensive Midfielder
      Mal comparando, é parecido com um Meia Central, mas obviamente jogando na própria intermediária. É mais versátil, um coringa adequado tanto a sistemas que pedem mais solidez quanto um volante mais participativo e que pressione mais a bola. Mesmo com tarefa Defender, ele vai apoiar mais o ataque do que o Trinco, vai se arriscar um pouco mais nos passes e tende a pressionar um pouco mais os adversários para recuperar a pelota, ainda assim, não tanto que deixe espaços demais à sua volta.
      Pessoalmente, acho o MD uma boa opção para quem não quer um tipo muito específico de volante, não tem um estilo de jogo muito definido ou ainda está buscando a melhor função para ele.

      Construtor de Jogo Recuado / Armador Recuado / Deep-Lying Playmaker
      Atuando na volância, o Armador Recuado é aquele volante que “sabe jogar”. Geralmente tem técnica, elegância, é inteligente, tem bom passe e ao mesmo tempo sabe desarmar e enfrentar os adversários. Carrega a responsabilidade de ajudar a fechar os espaços na intermediária sem se aventurar demais no ataque, e ao mesmo tempo, de ser o sujeito que pensa o jogo após a bola sair da defesa, buscando a melhor opção para iniciar as jogadas. Por esse motivo, o CJR/AR é perfeito para quem quer solidez, um homem para ajudar a defesa a iniciar as jogadas e/ou utilizar um sistema de posse (já que ele atrai a bola e inicia a jogada de trás, dando tempo a seus colegas para se movimentarem no campo).
      Sugestão: não coloque “brucutus” nessa função. Um meia defensivo mais técnico é perfeitamente capaz de atuar de forma mais simples, dando coices e limpando a jogada,  mas o inverso não me parece tão sensato. Um volante mais bruto provavelmente teria dificuldades de carregar a responsabilidade de armar e distribuir passes para iniciar movimentos ofensivos, tendendo a cometer erros bobos e perder a bola.
       
      Meia Recuperador de Bolas / Médio Recuperador de Bolas / Ball Winning Midfielder
      Aqui estamos começando a entrar nos terrenos dos volantes mais agressivos. O MRB é aquele cão-de-guarda que sai atrás da bola buscando recuperá-la de qualquer forma, esteja ela em qualquer zona mais próxima a ele (em alguns casos, nem tão próxima). Caso não consiga, a tendência é cometer uma falta para não perder a viagem. Caso consiga, tende a distribuí-la rapidamente a jogadores mais avançados e criativos, oferecendo mais dinamismo e movimentação do que um passe mais elaborado. 
      Precisa ser um jogador muito bom fisicamente, inteligente e certeiro na hora de “dar o bote”, ou vai tender a cometer muitas faltas e erros na hora de pressionar a bola. A tendência é que funcione melhor em sistemas de maior pressão e onde o objetivo tende a ser a recuperação da bola assim que ela é perdida. Há quem o use em sistemas sem pontas a fim de tentar proteger os laterais, mas há o risco do adversário congestionar um lado, atrair o MRB e inverter rapidamente para o outro, formando uma avenida para jogadores mais rápidos explorarem.
       
      Segundo Volante
      Grosso modo (bem grosso modo), é basicamente um Meia Área-a-Área que joga na volância. É aquele cara de bom físico, boa movimentação e dinamismo, além de boa parte técnica, que ajuda a iniciar a jogada na própria intermediária e aparece para ajudar no ataque, cobrindo uma faixa bem grande do campo. Algumas diferenças para o Organizador Móvel, por exemplo, é que o Segundo Volante não tem responsabilidades de organizar o jogo e que dá para controlar um pouco o ímpeto ofensivo com a escolha da tarefa (Apoiar ou Atacar), enquanto o OM tende a ser mais agressivo mesmo tendo apenas a tarefa Apoiar. Fora que o SV só pode ser utilizado em sistemas com dois volantes, o que o coloca em uma dinâmica bem específica em campo.
       
      Regista / Médio Criativo
      O futebol jogado entre os anos 60 e 80 eternizou a figura do “camisa 10”, aquele meia ofensivo organizador de jogo que atuava na intermediária do adversário e tinha total liberdade para se movimentar, apoiar o ataque e construir as jogadas (e que hoje foi deslocado para os flancos e ganhou mais responsabilidades defensivas). Pois bem, o Regista é basicamente um “camisa 10” que joga na volância. É óbvio que, sendo um meia defensivo, ele terá algumas diferenças em relação ao Trequartista - precisará ajudar a fechar os espaços e descerá entre os zagueiros para fazer a saída Lavolpiana, por exemplo - mas fora isso, terá liberdade para subir ao ataque, se movimentar e organizar o jogo tal qual um camisa 10 faria.
      Função eternizada por Pirlo, geralmente exige um atleta excepcional, muito inteligente, muito técnico e bom de cobertura, caso contrário vai subir para apoiar o ataque na hora errada e formar uma avenida às próprias costas, ou errar um passe e entregar um contragolpe lindo ao adversário (já vi isso acontecer e acreditem, não é legal). Eu diria ainda que o Regista precisa ser usado no sistema correto, contando com encaixe com as funções dos laterais e tendo como colega um meia de característica mais defensiva, para que possa colocar todo o seu talento em prol do time.
       
      Organizador Móvel / Roaming Playmaker
      É aquele volante incansável, de físico invejável, muito técnico e muito inteligente, capaz de subir para o ataque e organizar as jogadas ofensivas, e ao mesmo tempo colaborar um pouco na defesa. Seu papel geralmente é abrir espaços, distribuir a bola e oferecer movimentação ao mesmo tempo que organiza o jogo (playmaker), misturando um pouco de outras funções como Meia Área-a-Área, Armador Avançado e Armador Recuado. Eu diria que a diferença para um Regista, por exemplo, é que o OM tende a se movimentar ainda mais e tem menos responsabilidades defensivas.
      Para exercer bem a função obviamente é necessário ser um jogador excepcional, com bons atributos físicos, técnicos e mentais. E não raro essa movimentação e o fato de deambular da posição vão gerar espaços na defesa, que ou precisarão ser cobertos por algum outro jogador mais “operário” ou não farão diferença porque a qualidade técnica do seu time é tão alta que o adversário não vai conseguir construir muita coisa.
      Sugestões e ideias para complementar o guia são sempre muito bem-vindas.
       
       
      Algumas fontes:
      Football Manager Lines and Diamonds: https://community.sigames.com/topic/345094-lines-and-diamonds-the-tacticians-handbook-for-football-manager-2015/
      Understanding Roles in Football Manager (and real life): https://medium.com/@v_maedhros/understanding-roles-in-football-manager-and-real-life-part-1-73054cfbb303 e https://medium.com/@v_maedhros/understanding-roles-in-football-manager-and-real-life-part-2-a889e488a0f0
      Pairs and Combinations: https://www.fmscout.com/a-tactical-guide-pairs-and-combinations-2020.html
×
×
  • Create New...