Jump to content

O sonho encorajador de Hyun-Jun Suk no Ajax


PsychoShow
 Share

Recommended Posts

Citar

Suk-Ajax.jpg

Em um dia, você está treinando na Coreia do Sul, com o time escolar da sua cidade. No outro, está em um voo para a Holanda, rumo a Amsterdã. O dinamismo da vida moderna não matou os contos de fada no esporte. O atacante Hyun-Jun Suk é a prova de que ser “entrão” pode render grandes oportunidades.

Quem cresce jogando bola alimenta, sem querer, um sonho impossível. A cada vez que veste um uniforme, coloca a chuteira e entra na quadra, o silêncio ensurdecedor dos arredores se transforma em tela.  Com muita imaginação, surge um cenário em que a torcida recebe e abraça. E quando a cabeça chega ao travesseiro, a fantasia dos lances que poderiam ter sido feitos nos grandes palcos, dribles inesquecíveis, gols absurdos e lances de genialidade se erige. São desejos ocultos muitas vezes restritos ao mundo dos sonhos.

A vida passa. O destino obriga a aceitar que o futuro reservado talvez seja longe da bola, com outras obrigações e objetivos. Mas a faísca do futebolista está sempre ali. Um dia, esquecido no canto, o sonho volta a chamar. Sedutor, pode levar à insanidade de tentar a sorte.

Era 2013 quando tive a ideia de uma matéria bizarra para a Trivela. Estava voltando a jogar bola depois de quatro anos parado, mas o aspecto lúdico da pauta tornava isso irrelevante. Afiei o inglês e mandei um e-mail para o Newcastle Jets, da Austrália. No corpo da mensagem, pedi permissão para treinar com o elenco profissional. A secretária, Monique Valentine, respondeu educadamente. Me pediu um currículo, histórico no futebol, e um vídeo em anexo. Contudo, ficou por isso mesmo.

A chance de Hyun-Jun Suk no Ajax

Suk-Ajax-2.jpg

Troquei essa realização esportiva por muito trabalho em outras áreas. Fui campeão algumas vezes, em competições amadoras, e esses momentos ficaram tatuados na memória. No entanto, imaginar algo mais sempre me maltratou. Talvez por medo de dar com a cara na porta.

Esse receio nunca incomodou um certo sul-coreano chamado Hyun-Jun Suk. Atacante alto e de imposição nas jogadas aéreas, saiu da Shin-Gal High School e do Young-In para perseguir um dragão imaginário, em 2009. Assim como muitos outros meninos que largam tudo muito cedo para correr atrás da bola, Suk não começou mirando baixo.

Com a cara e a coragem, pegou um avião para a Holanda. Chegando em Amsterdã, foi procurar um clube e entrou em contato com o então treinador do Ajax, Martin Jol. A ideia do garoto de 18 anos era simplesmente treinar. Mas os planetas se alinharam, ele agradou Jol e ganhou uma vaga no time juvenil dos ajacieden. De repente, nessas mudanças malucas, o sul-coreano assinou contrato profissional com o clube da capital.

O desempenho impressionante na base alavancou Suk ao elenco principal. Depois de marcar três gols em um amistoso sub-23, o asiático atraiu a atenção da comissão técnica. Levado pelo furacão, o garoto até estreou na Liga Europa contra a Juventus. Em Amsterdã, os italianos venceram por 2 a 1. Suk não teve vida longa na capital holandesa depois disso.

Queda livre

Suk-Porto.png

 

Depois de apenas cinco aparições, o coreano foi despachado para o Groningen e iniciou uma verdadeira peregrinação pelo futebol europeu. O atacante rodou por Marítimo, Al-Ahli, Nacional e Vitória de Setúbal. Foi com a camisa dos Sadinos que ele reencontrou o bom futebol. Treze gols depois, conseguiu a façanha de ser contratado pelo Porto. O desfecho foi o mesmo do Ajax: apenas um gol, decepção e nova mudança de ares.

Desde então, Suk passou sem deixar saudades por Trabzonspor, Debrecen e Troyes. Em 2019, atua pelo Stade Reims, na França. A jornada do garoto, dez anos depois, já atravessou seis países. Inclusive, ele já chegou a ser convocado para a seleção, marcando cinco gols em 15 partidas. Dois desses gols foram contra o Laos, pelas Eliminatórias da Copa do Mundo de 2018.

Por fim, chegamos à conclusão de que ele jamais foi uma promessa, porque sequer teve tempo para alimentar esse status. Suk é muito mais uma surpresa anônima do que um jogador de grande potencial. Assim sendo, o resto da sua carreira mostra que a cartada de treinar com o Ajax foi, no limite, a oportunidade ideal no momento ideal. A chave, aqui, é como essas oportunidades em questão são descobertas e aproveitadas.

Revista Relvado

 

Link to comment
Share on other sites

Join the conversation

You can post now and register later. If you have an account, sign in now to post with your account.

Guest
Reply to this topic...

×   Pasted as rich text.   Paste as plain text instead

  Only 75 emoji are allowed.

×   Your link has been automatically embedded.   Display as a link instead

×   Your previous content has been restored.   Clear editor

×   You cannot paste images directly. Upload or insert images from URL.

 Share

  • Similar Content

    • SilveiraGOD.
      By SilveiraGOD.
      17h



       
      MINHA NOSSA SENHORA! EUROPA LEAGUE, AÍ VAMOS NÓS!
      Kelleher, terceiro goleiro, vai jogar um jogo de Champions League decidindo classificação contra o Ajax. Não tá legal ainda? Vamo de Neco Williams na lateral e de Jones na meia. Ah, não nos esqueçamos que o Fabinho tá na zaga, também.
      Caralho, sério, eu não lembro de ter tanto problema de lesão ou de jogadores medianos/não prontos desde a chegada do Klopp, 4~5 anos atrás. É rezar pro Henderson segurar o meio e o trio de frente estar inspirado porque olha... tá foda o bagulho.
    • SilveiraGOD.
      By SilveiraGOD.
      Valor bem legal de venda pras duas partes. Ziyech tá saindo da Holanda com uns 2 anos de atraso. Acho que vai mitar na PL, ainda mais sob comando do Lampard, que vem fazendo um bom trabalho.
    • Lanko
      By Lanko
      Última fase de mata-mata antes da fase de grupos. O Ajax vai visitar os cipriotas hoje, às 16:00.
      Infelizmente só devo poder assistir o 2° tempo, se isso.
    • Henrique M.
      By Henrique M.
      Contratação muito grande para se perder no tópico único.
    • David R.
×
×
  • Create New...