Jump to content

[FM08] Um tributo a Ernst Happel - de 2007/08 a 2023/24


GGilson
 Share

Recommended Posts

banner.png


Começa aqui o meu 1º save no FM2008. Ele será um “save de carreira” em homenagem a um dos grandes treinadores do futebol mundial, falecido em 1992, o austríaco Ernst Happel. Pouco conhecido no Brasil, Happel foi considerado recentemente, o 3º melhor treinador de todos os tempos pelo jornal The Times depois do holandês Rinus Michels e do inglês Matt Busby.

Pensei muito sobre o estilo de narrativa a adotar neste save e depois de pensar muito resolvi fazer um save com ficção semelhante ao que fiz no save “Na Trilha de Alex Ferguson”. O grande problema que vejo ao se fazer um save ficcional é a demora no desenrolar da temporada por conta da infinidade de detalhes que um save com ficção exige. Por isso, pretendo fazer atualizações mais espaçadas no tempo, para poder fazer o save caminhar com maior rapidez, já que o mais importante para mim é jogar o FM.

Ainda não joguei o FM2008, nenhuma partida sequer, mesmo estando com ele desde o final de outubro. Resisti à tentação e agora terei a oportunidade de jogá-lo pela 1ª vez, o que me deixa com aquela sensação de novidade e de desafio.

Desde já, aviso que não pretendo seguir os passos de Happel, por isso, não me cobrem que eu passe pelo clube A ou B que o Happel treinou. Se ocorrer essa oportunidade será bem-vinda, mas ela não faz parte da minha proposta de save. Além disso, incluí outras duas ligas que há tempos quero jogar, mas não tive oportunidade, mas que manterei em segredo por enquanto.



Dados do save

* Versão: 8.0.1 build 114310
* Base de dados: SI Games
* Início do jogo: julho de 2007
* Tamanho da base de dados: médio e mais um arquivo ddt com vários países africanos
* Atributos dos jogadores exibidos
* Orçamentos para transferências: permitir orçamentos para transferência no 1º período
* Ligas selecionadas: África do Sul, Bélgica, Alemanha, Áustria, Holanda e outras divulgadas posteriormente. Ao todo são 7 jogáveis e 2 para acompanhar.
* Moeda: Euro
* Remunerações: Mensais



Histórico de clubes

-Ajax Cape Town (África do Sul): 18/07/2007 a 17/01/2010
-Anderlecht (Bélgica): 19/02/2010 a 15/05/2011
-Hamburgo (Alemanha): 23/05/2011 a 3/06/2014
-Rapid Viena (Áustria): 29/03/2015 a 10/05/2017
-Ajax (Holanda): 16/06/2017 a 20/05/2021


Histórico de seleções

-Nigéria: 16/02/2014 a 6/07/2014
-Áustria: 5/07/2020 a 6/07/2023


Histórico de desempenho

Temporada 2007/08 (Ajax Cape Town)

-ABSA Premiership: campeão
-ABSA Knockout Cup: vice-campeão
-Telkom Knockout Cup: desclassificado na semifinal
-SAA Supa 8 Tournament: desclassificado nas quartas-de-final
-Telkom Charity Cup: campeão

-Copa Confederação: desclassificado na semifinal


Temporada 2008/09 (Ajax Cape Town)

-ABSA Premiership: bicampeão
-ABSA Knockout Cup: campeão
-Telkom Knockout Cup: vice-campeão
-SAA Supa 8 Tournament: vice-campeão
-Telkom Charity Cup: bicampeão

-Copa Confederação: desclassificado na semifinal


Temporada 2009/10 (Ajax Cape Town e Anderlecht)

Ajax Cape Town
-ABSA Premiership: 2º lugar após 17 rodadas de 30 rodadas
-ABSA Knockout Cup: ainda não havia começado quando deixei clube
-Telkom Knockout Cup: campeão
-SAA Supa 8 Tournament: campeão
-Telkom Charity Cup: vice-campeão

-Liga dos Campeões: campeão
-Campeonato Mundial de Clubes: desclassificado na 2ª Eliminatória

Anderlecht
-Jupiler League (6º lugar. Assumi a equipe em 14º)


Temporada 2010/11 (Anderlecht)

-Jupiler League: campeão
-Beker van België: não foi disputada por conta de um bug no FM2008


Temporada 2011/12 (Hamburgo)

-Bundesliga: campeão
-DFB-Pokal: desclassificado na 3ª eliminatória (oitavas-de-final)


Temporada 2012/13 (Hamburgo)

-Bundesliga: bicampeão
-DFB-Pokal: campeão
-Premier Ligapokal: campeão

-Liga dos Campeões: desclassificado na 1ª fase de qualificação (oitavas-de-final)


Temporada 2013/14 (Hamburgo e Nigéria)

-Bundesliga: tricampeão
-DFB-Pokal: bicampeão
-Premier Ligapokal: bicampeão

-Liga dos Campeões: campeão

Nigéria
- Copa do Mundo: desclassificado nas quartas-de-final


Temporada 2014/15 (Rapid Viena)

-Bundesliga: peguei o time em 10º lugar (último) faltando 4 rodadas e terminei em 8º e o salvei do rebaixamento


Temporada 2015/16 (Rapid Viena)

-Bundesliga: campeão
-ÖFB-Stiegl-Cup: campeão


Temporada 2016/17 (Rapid Viena)

-Bundesliga: bicampeão (invicto)
-ÖFB-Stiegl-Cup: bicampeão
-Österreich Supercup: campeão

-Liga dos Campeões: desclassificado nas quartas-de-final


Temporada 2017/18 (Ajax)

-Eredivisie: campeão
-KNVB Beker: campeão


Temporada 2018/19 (Ajax)

- Eredivisie: bicampeão (invicto)
- KNVB Beker: bicampeão
- Johan Cruijff Schaal: campeão

-Liga dos Campeões: desclassificado nas oitavas-de-final


Temporada 2019/20 (Ajax)

- Eredivisie: tricampeão (invicto)
- KNVB Beker: tricampeão
- Johan Cruijff Schaal: bicampeão

-Liga dos Campeões: campeão


Temporada 2020/21 (Ajax e Áustria)

- Eredivisie: tetracampeão (invicto)
- KNVB Beker: tetracampeão
- Johan Cruijff Schaal: tricampeão

- Liga dos Campeões: bicampeão
- Supercopa UEFA: campeão
- Campeonato Mundial de Clubes FIFA: campeão


Temporada 2021/22 (Áustria)

- Eliminatórias para a Copa: 1º lugar no grupo
- Copa do Mundo de 2022: desclassificado nas quartas-de-final


Temporada 2022/23 (Áustria)


Temporada 2023/24 (Áustria)

- Eliminatórias para a Eurocopa: 1º lugar no grupo
- Eurocopa de 2024: desclassificado na fase de grupos

Link to comment
Share on other sites

  • Replies 1.6k
  • Created
  • Last Reply

Top Posters In This Topic

  • GGilson

    553

  • gq-tricolor

    88

  • Henrique M.

    99

  • bbds

    118

Um verdadeiro monstro.

O que ele fez com o Feyenoord nao tá no gibi! Levar um time daqueles pra final da Champions League, e ainda por cima vence-la, é um ato de mestre. Depois, ganhou o mesmo titulo com o Hamburgo! Uma pena que tenha morrido tão jovem.

Boa sorte, irei acompanhar.

Link to comment
Share on other sites

banner.png


Ernst Happel: feiticeiro?


Ernst Franz Hermann Happel nasceu em Viena, Áustria, em 29 de novembro de 1925. Ele foi um dos treinadores mais vitoriosos do futebol mundial. Para quem não o conhece, posso garantir que a leitura do texto que segue abaixo o surpreenderá com a carreira desse treinador.

happel.jpg


O jogador

Foi durante a 2ª Guerra Mundial, em 1943, que Ernest Happel, então com 18 anos, iniciou sua carreira futebolística no Rapid Viena. Não demorou muito para ele conquistar os primeiros títulos como jogador. Na temporada 1945/46, o Rapid Viena foi campeão nacional e venceu a Copa da Áustria. Rapidamente, o defensor Happel se tornou um dos preferidos da torcida e em setembro de 1947 foi convocado para a seleção austríaca pela 1ª vez. Ao todo foram 51 partidas e cinco gols marcados pela Áustria.

rapid194546.jpg
Happel (em pé, o 2º da direita para a esquerda) e a equipe de seu 1º título como jogador.

austriainglatera.jpg
Happel e Lofthouse caídos em uma partida amistosa entre Áustria e Inglaterra que terminou empatada em 2 a 2. Estádio Wembley, Londres, 1951.

Pela seleção de seu país, Happel disputou duas Copas do Mundo: a de 1954, na Suíça, e a de 1958, na Suécia. Na Copa de 1954, a Áustria vez sua melhor campanha das sete edições da Copa que disputou e terminou em 3º lugar ao derrotar o Uruguai por 3 a 1.

Em sua carreira de jogador, Happel atuou por apenas dois clubes: o Rapid Viena e o Racing Club de Paris. De 1943 a 1954, ele atuou no Rapid, depois se transferiu para o Racing e depois, em 1956, voltou novamente para jogar pelo Rapid Viena, onde encerrou a carreira em 1959, aos 34 anos.

rapid195859.jpg
Happel (em pé, o 2º da esquerda para a direita) e a equipe de seu último título como jogador.

Durante seus anos como jogador, Happel foi sete vezes campeão austríaco (1945/46, 1947/48, 1950/51, 1951/52, 1953/54, 1955/56 e 1956/57) e uma vez campeão da Copa da Áustria (1945/46). Também conquistou em 1951, uma edição não-oficial da Copa Mitropa em 1951.


O treinador

Ao encerrar a carreira como jogador, Happel iniciou imediatamente a carreira como treinador no Rapid Vienna. Robert Körner era o treinador da equipe, mas o treinador de campo era Ernest Happel.

Rapid Vienna

No seu 1º ano como treinador, Happel conquistou a liga austríaca de 1959/60, mas perdeu a Copa da Áustria para o Áustria Viena. Na temporada seguinte, 1960/61, o Rapid conseguiu o título da Copa da Áustria, devolvendo a derrota ao Áustria Viena e conseguiu ir até a semifinal da Copa dos Campeões da Europa, quando foi derrotado pelo Benfica, que seria o campeão daquela edição. Da competição.

Den Haag

Na temporada seguinte, 1961/62, Happel não dirigiu nenhum clube, mas na temporada 1962/63 deu início a sua carreira como treinador internacional. Seu 1º trabalho no exterior foi na Holanda. Ele assinou um contrato com o ADO Den Haag, de Haia.

Nas seis temporadas em que esteve no comando do Den Haag, Happel tirou o time da metade inferior da tabela da 1ª divisão e o colocou por duas vezes em 3º lugar (1964/65 e 65/66) e outras duas em 4º lugar (1966/67 e 67/68). No entanto, o mais importante foram as participações do Den Haag na Copa da Holanda. Por três vezes o clube foi vice-campeão (1962/63, 63/64 e 65/66) e na temporada 1967/68, o clube conquistou seu 1º título nessa competição.

denhaag6566.jpg
Happel e a equipe do Den Haag na temporada 1965/66. Na temporada seguinte conquistariam a Copa da Holanda

Feyenoord

O bom desempenho de Happel no comando do ADO Den Haag despertou a atenção de outro clube holandês e a partir da temporada 1968/69, ele passou a dirigir o Feyenoord, de Roterdã. Foram cinco temporadas à frente do Feyenoord e logo na 1ª temporada, o clube conquistou o título da liga e também a Copa da Holanda. Nas outras quatro temporadas, o Feyenoord conquistou novamente o título holandês em 1970/71 e três vice-campeonatos (1969/70, 71/72 e 72/73), todos perdidos para o Ájax, que na época se tornou tricampeão da Copa dos Campeões da Europa, a atual Liga dos Campeões.

ucl1970.jpg
Happel e a equipe do Feyenoord

O maior sucesso de Happel no Feyenoord ocorreu em sua 2ª temporada pelo clube, quando o Feyenoord se tornou o 1º clube holandês a conquistar a Copa dos Campeões da Europa ao derrotar o Celtic por 2 a 1, na prorrogação, em uma final disputa em Milão. Como nas três edições seguintes dessa competição o Ájax se tornou tricampeão, o feito de Happel ficou eclipsado.

Com o título europeu, o Feyenoord disputou, ainda em 1970, a Taça Intercontinental contra o Estudiantes, da Argentina. Depois de empatar em 2 a 2 na América do Sul, o Feyenoord soube aproveitar a vantagem de jogar em casa e venceu por 1 a 0, conquistando outro título inédito para o Feyenoord e o futebol holandês.

Quando deixou o Feyenoord, Happel disse sobre o relacionamento com o elenco: “Tivemos muitas experiências juntos e devemos parar. Depois de muitas conquistas, a disciplina cai. Já somos muito amigos. Sofremos e choramos, rimos e ganhamos juntos. Isso não pode durar muito tempo.”

Bétis

Depois de 11 temporadas na Holanda, Happel mudou de ares e foi para a Sevilha, na Espanha, para dirigir o Real Bétis, que havia sido rebaixado na temporada 1972/73. No Bétis, Happel mostrou novamente sua competência e conquistou o título de campeão da 2ª divisão espanhola de 1973/74 e conseguiu a promoção do alviverde de Sevilha para a 1ª divisão.

Club Brugge

Ao contrário dos outros dois clubes que treinou, Ernest Happel permaneceu no Bétis por apenas uma temporada e na temporada seguinte, 1975/76, estava na Bélgica para dirigir o Club Brugge. Nas três temporadas em que dirigiu o clube belga, Happel levou o Club Brugge ao seu único tricampeonato na liga (1975/76, 76/77 e 77/78) e ao título da Copa da Bélgica em 1976/77.

Na temporada em que assumiu o Brugge, o clube chegou a sua 1ª final continental, a disputa pela Copa UEFA. O adversário foi o Liverpool e na final disputada em duas partidas, o Brugge perdeu em Londres por 3 a 2, depois de estar vencendo por 2 a 0 e em casa não passou de um empate em 1 a 1 e ficou com o vice-campeonato.

Com Happel no comando, o Brugge foi ainda mais longe. Na temporada 1977/78, o Brugge chegou à final da Copa dos Campeões da Europa, a 2ª da carreira de Happel, e novamente encontrou o Liverpool na final, que foi disputada em Londres. O clube belga perdeu por 1 a 0 e novamente perdeu o título para os ingleses. Mesmo assim, o Club Brugge continua sendo o único clube belga a disputar a final da competição continental mais importante da Europa.

Seleção holandesa

Enquanto dirigia o Brugge, Happel aceitou um trabalho na Holanda. Dessa vez não seria para dirigir um clube, mas para comandar a seleção holandesa, vice-campeã mundial. Entre agosto de 1977 e junho de 1978, a Oranje foi comandada em 13 partidas pelo austríaco Ernest Happel e conquistou oito vitórias, três empates e duas derrotas. Com Happel, a seleção holandesa disputou a Copa do Mundo de 1978, na Argentina, e chegou até a final contra os donos da casa, mas perdeu na prorrogação por 3 a 1, depois do empate em 1 a 1 no tempo normal.

Harelbeke

O treinador austríaco era uma pessoa surpreendente. Mesmo com o sucesso profissional como treinador, Happel deixou a seleção holandesa depois da Copa e também o Club Brugge e na temporada seguinte, 1978/79, dirigiu um pequeno clube belga, o KRC Harelbeke (atual SW Ingelmunster-Harelbeke), que estava na 2ª divisão daquele país. As coisas não correram tão bem e o clube terminou o campeonato em 11º lugar.

Standard Liège

Para a temporada 1979/80, Happel permaneceu na Bélgica, mas dessa vez em uma equipe da 1ª divisão. Nas duas temporadas em que dirigiu o Standard Liège, o clube não conseguiu ser campeão na liga e terminou a temporada 1979/80 em 2º e a temporada 1980/81 em 3º lugar, mas Happel não deixou o Standard sem título e conquistou a Copa da Bélgica em 1980/81.

Hamburgo

A partir da temporada 1981/82, Happel iniciou uma nova experiência como treinador. Depois de passar por Holanda, Espanha e Bélgica, ele foi para a Alemanha dirigir o Hamburgo. O clube alemão tinha uma forte equipe e havia sido campeão na temporada 1978/79, mas nas duas seguintes havia terminado em 2º lugar, atrás do Bayern Munique.

Na temporada de estréia, 1981/82, o Hamburgo de Happel conquistou o título da Bundesliga e na temporada seguinte se tornou bicampeão. Na temporada 1983/84, o Hamburgo lutou pelo tricampeonato, mas terminou em 2º lugar atrás do Stuttgart. Nas três temporadas seguintes, o Hamburgo não conquistou a Bundesliga e terminou a liga em 5º, 7º e novamente em 2º lugar. Foi na última de suas seis temporadas pelo clube, 1986/87, que o Hamburgo conquistou a 3ª Copa da Alemanha de sua história.

Em 1981/82, Happel levou o Hamburgo até a final da Copa UEFA. O adversário da final foi o Gotemburgo, da Suécia. Na 1ª partida, na Suécia, o Gotemburgo venceu por 1 a 0. Na 2ª partida, na Alemanha, o Hamburgo não foi capaz de reverter o resultado e perdeu por 3 a 0 e ficou com o vice.

Contudo, o grande feito de Happel no Hamburgo foi conquistar a Copa dos Campeões de 1982/83. Depois de vencê-la com o Feyenoord e de ser vice-campeão com o Brugge, Happel levou o Hamburgo ao título mais importante da Europa ao derrotar por 1 a 0 a Juventus, em Atenas.

ucl19832.jpg
Happel sorri ao final da partida contra a Juventus.

ucl1983.jpg
Happel e Hrubesch com a taça ao chegar à Alemanha depois da partida em Atenas

O título europeu credenciou o Hamburgo a disputar sua 1ª Final Intercontinental contra o Grêmio, representante da América do Sul, em 1983. Na partida jogada em Tóquio, o Hamburgo não conseguiu derrotar o Grêmio e perdeu por 2 a 1 na prorrogação e assim, Happel deixou escapar a chance de conquistar o troféu pela 2ª vez em sua vitoriosa carreira.

Swarovski Tirol

Padecendo de um câncer, Happel voltou para sua pátria depois de 29 anos atuando como treinador em outros países. Na Áustria, ele dirigiu o FC Swarovski Tirol, clube que havia sido fundado em 1986. Durante o período em que dirigiu o clube, Happel conquistou três títulos para o clube. Foi bicampeão da liga austríaca em 1988/89 e 1989/90, e também conquistou o a Copa da Áustria em 1988/89 (vice em 1987/88) e bicampeão da Supercopa da Áustria em 1989 e 1990.

Seleção austríaca

Em 1992, Happel assumiu também o comando da seleção austríaca. Dirigiu a seleção pela qual também havia atuado como jogador por nove partidas, com duas vitórias, três empates e quatro derrotas. Sua última partida no comando de um time de futebol foi em 28 de outubro, em Viena, quando a Áustria derrotou Israel por 5 a 2. No dia 11 de novembro, Ernest Happel faleceu em Innsbruck, Áustria, próximo de completar 67 anos.


O personagem

Ernest Happel foi um dos grandes treinadores do futebol mundial. Ele foi o 1º e é um dos dois únicos treinadores (o outro é o alemão Ottmar Hitzfeld) a vencer a Liga dos Campeões por dois clubes diferentes. É também um dos poucos treinadores que conquistaram quatro campeonatos nacionais e quatro copas nacionais em quatro países diferentes. Giovanni Trapattoni é outro treinador que conquistou quatro campeonatos nacionais em quatro países diferentes, mas só conquistou duas copas nacionais.

Um aspecto que conta a favor de Ernst Happel é o fato da carreira dele ter se desenvolvido em clubes de menor expressão. Happel nunca dirigiu um grande clube do futebol europeu, o que só aumenta os méritos do trabalho dele.

Por conta de seu comportamento calado e de poucas palavras, Happel foi apelidado de “Resmungão”. Segundo reza a lenda, antes da final da Copa de 1978, Happel disse apenas três palavras aos jogadores da Holanda na preleção antes da partida: “Senhores, dois pontos” (Na época a vitória valia dois pontos).

Taticamente, Happel gostava de um futebol de posse de bola, marcação por zona e o uso da defesa em linha. Com a bola sob o domínio de sua equipe, Happel gostava que a bola circulasse rapidamente entre seus jogadores para cansar o adversário.

Theo van Duivenbode, que jogou sob o comando de Rinus Michels e Happel, disse sobre o treinador austríaco: “Ele era um soberbo dissecador de jogos. Ele via as coisas rapidamente e podia fazer mudanças na equipe com poucos minutos de partida”.

Happel também ficou conhecido por outras frases interessantes: “Quem deve correr é a bola e não os jogadores” e “o futebol é 80% de prática e 20% de teoria”.

Equipes que dirigiu em 30 anos de trabalho como treinador:

1959-1961: Rapid Vienna
1962-1968: Den Haag
1968-1973: Feyenoord
1973-1974: Real Bétis
1974-1978: Club Brugge
1978: seleção holandesa
1978/79: Harelbeke
1979-1981: Standard Liège
1981-1987: Hamburgo
1987-1992: Swarowski Tirol
1992: seleção austríaca

23 títulos como treinador e 13 vice-campeonatos:

- Copa da Holanda: campeão em 1967/68, 1968/69 (vice-campeão em 1962/63, 1963/64, 1965/66, 1969/70, 1971/72 e 1972/73)
- Copa da Bélgica: campeão em 1976/77 e 1980/81
- Copa da Alemanha: campeão em 1986/87
- Copa da Áustria: campeão em 1960/61 e 1988/89 (vice-campeão em 1960/1961 e 1987/88)
- 1ª Divisão Holandesa: campeão em 1968/69 e 1970/71
- 1ª Divisão Belga: campeão em 1975/76, 1976/77 e 1977/78 (vice-campeão em 1979/80)
- 1ª Divisão Alemã: campeão em 1981/82 e 1982/83 (vice em 1983/84 e 1986/87)
- 1ª Divisão Austríaca: campeão em 1959/60, 1988/89 e 1989/90
- 2ª Divisão Espanhola: campeão em 1973/74
- Supercopa da Áustria: campeão em 1989 e 1990
- Copa dos Campeões da Europa (Liga dos Campeões): campeão em 1969/70 e 1982/83 (vice-campeão 1977/78)
- Copa UEFA: vice-campeão em 1975/76 e 1981/82
- Taça Intercontinental: campeão em 1970 (vice-campeão em 1983)
- Copa do Mundo: vice-campeão em 1978


As homenagens

Ainda em 1992, depois da morte de Happel, o maior estádio da Áustria, o Praterstadion com capacidade para quase 50 mil espectadores, teve seu nome alterado em homenagem ao maior treinador austríaco de todos os tempos e passou a se chamar Ernst-Happel-Stadion.

stadio.jpg
Estádio Ernst Happel

Em 1999, o jornal Kronen Zeitung fez uma votação para escolher a seleção austríaca do século XX. Ernst Happel foi um dos 11 mais votados juntamente com Matthias Sindelar, Krankl, Prohaska, Pezzey, Polster, Andreas Herzog e outros jogadores.

Em 2004, o serviço postal austríaco lançou um selo em homenagem a Happel.

selo.gif
Selo em homenagem a Ernst Happel.

Link to comment
Share on other sites

Um gênio.

Não sabia que era ele que dirigia aquele Hamburgo de 83 que foi derrotado pelo imortal tricolor.

Giovanni Trapattoni é outro treinador que conquistou quatro campeonatos nacionais em quatro países diferentes, mas só conquistou duas copas nacionais.

:rolleyes:

Bom, eu já conhecia a idéia do save né Gilson hehe, tenho que te desejar sorte, e estou ansioso p/ aprender mais nesse teu novo save!

Link to comment
Share on other sites

Gilsão na área

Boa sorte ai :D

E se derrubar é pênalti. :thumbsup:

Um verdadeiro monstro.

O que ele fez com o Feyenoord nao tá no gibi! Levar um time daqueles pra final da Champions League, e ainda por cima vence-la, é um ato de mestre. Depois, ganhou o mesmo titulo com o Hamburgo! Uma pena que tenha morrido tão jovem.

Boa sorte, irei acompanhar.

Realmente Ingo, um monstro.

Ainda mais sabendo-se que ele nunca dirigiu um Bayern, um Ajax, uma Juve ou qualquer outra grande equipe européia na época.

Ele fumava muito...câncer.

Boa! Gilsão iniciando no FM08...

Sorte pra vc ai com esse monstro que é o Happel qdo se trata de treinar clubes.

Pois é, bbds, se a bola no final do tempo normal contra a Argentina não tivesse batido na trave ele seria campeão mundial com a Holanda.

Não conheci o Happel, mas conheço o ggpofm! :D

Boa sorte e que venha mais uma grande história.

Então Friigi, leia o que escrevi e veja os filmes e as imagens...deu trabalho.

Mais um save do Gílson para acompanhar. Já tinha ouvido fala do Happel, mas não sei muita coisa dele.

Boa sorte no save!

Você é outro que poderá saber mais sobre ele na pequena biografia que fiz.

Que história genial desse cara, realmente é um mito do esporte.

O cara era fantástico mesmo.

Um gênio.

Não sabia que era ele que dirigia aquele Hamburgo de 83 que foi derrotado pelo imortal tricolor.

:rolleyes:

Bom, eu já conhecia a idéia do save né Gilson hehe, tenho que te desejar sorte, e estou ansioso p/ aprender mais nesse teu novo save!

Era ele mesmo...os colorados costumam dizer que o Hamburgo não era nada, mas eles se enganam ou mostram desconhecimento. O time tinha uma grande treinador do banco e 4 jogadores da seleção alemã, vice-campeã mundial em 1982 e derrotaram na final a Juve, que tinha 6 jogadores campeões do mundo em 82 e mais Platini e Boniek... o Hamburgo não era um qualquer. Ninguém que ganha a Liga dos Campeões é um qualquer.

Link to comment
Share on other sites

Abemus Ernst Happel!

eu já tinha ouvido falar um pouco dele, sobre ele no brugge q perdeu as 2 copas pro liverpool.

nem sabia q era ele q comandava o Hamburgo contra o Grêmio de Espinosa lá em tóquio!

boa sorte nesse save gilson! e honre o mestre happel! hehe

Link to comment
Share on other sites

Boa sorte no save Gilson.

Eu também não conhecia a história desse mito do esporte, Gilson também é cultura. :D

abraços....

Link to comment
Share on other sites

AEEEEEEEEEEEE YEEEEEEEEEEEEEESS AHAHAHAHAHA YES YES YEEEEEEES! AHAAAAAAAAAAAA!!!!!!!!!

PRIMEIRO SAVE DO GILSON Q VOU ACOMPANHAR DESDE O INICIO! ALELUIA IRMAOS!

voltando ao normal...

30 titulos no total. Otimo!

Boa sorte! (deseja-se sorte ao Gilson?hm... ok...)

Link to comment
Share on other sites

Esse foi O CARA mesmo...

Mas o Gílson vai igualar seus feitos, huashuahusuhas... Pode ser que não seja com os mesmos clubes, mas vai conquistar muitos títulos!

OBS: Alguém além de mim notou a semelhança física de Ernst com o Nelsinho Baptista? uhsuhuhasuhas

Link to comment
Share on other sites

ernst happel é mito

vou acompnhar fielmente

sorte ae

Link to comment
Share on other sites

Abemus Ernst Happel!

eu já tinha ouvido falar um pouco dele, sobre ele no brugge q perdeu as 2 copas pro liverpool.

nem sabia q era ele q comandava o Hamburgo contra o Grêmio de Espinosa lá em tóquio!

boa sorte nesse save gilson! e honre o mestre happel! hehe

Muitos não sabem que naquela final contra o Grêmio (eu vi pela TV) ele era o treinador, ou seja, vocês tiveram que lidar com uma raposa, não era um qualquer como eu disse em outra resposta.

Esse save vai ser dureza, mas espero me divertir.

Boa sorte no save Gilson.

Eu também não conhecia a história desse mito do esporte, Gilson também é cultura. :D

abraços....

Obrigado.

Que bom que ficou conhecendo. Sempre que faço um save, aproveito para ler mais sobre os clubes, competições e ídolos do esporte. É um momento para aumentar a cultura futebolística.

AEEEEEEEEEEEE YEEEEEEEEEEEEEESS AHAHAHAHAHA YES YES YEEEEEEES! AHAAAAAAAAAAAA!!!!!!!!!

PRIMEIRO SAVE DO GILSON Q VOU ACOMPANHAR DESDE O INICIO! ALELUIA IRMAOS!

voltando ao normal...

30 titulos no total. Otimo!

Boa sorte! (deseja-se sorte ao Gilson?hm... ok...)

Valeu Pardal. Obrigado pela festa

Você contou errado. São 23 mesmo.

Sorte? Sim, claro que se deseja é sempre bom tê-la ao lado.

Esse foi O CARA mesmo...

Mas o Gílson vai igualar seus feitos, huashuahusuhas... Pode ser que não seja com os mesmos clubes, mas vai conquistar muitos títulos!

OBS: Alguém além de mim notou a semelhança física de Ernst com o Nelsinho Baptista? uhsuhuhasuhas

Sempre que comparo a carreira dele com outros fico pensando no tamanho dos feito dele já que nunca passou pelo Real Madrid, Milan, Juve, Liverpool ou outros gigantes do futebol europeu.

Minha intenção não é igualar porque o save seria gigantesco.

Agora que você falou eu notei...parece mesmo...mas a competência tá um pouco distante.

Grande história a dele. Deu trabalho para ler também. Ufa!

Pro Gilson não se deseja boa sorte (apesar de eu ter feito isso), se deseja bom desempenho! =D

Leu? Que bom...viu os filmes ou ficou com preguiça?

Quem disse que não? Sorte é sempre importante.

Deu trabalho de ler também, mas li tudo, o cara é genial. Boa sorte.

Legal que tenha lido...fiz para vocês.

SRN.

Esse cara é mito, virei fã dele agora.

Boa sorte ai Gilson.

SRN...rumo à Libertadores

Ele merece todo o respeito.

ernst happel é mito

vou acompnhar fielmente

sorte ae

Valeu, obrigado.

Link to comment
Share on other sites

Agora sim este fórum está completo!!!

Muito boa idéia e ancioso por saber as ligas...

Parabéns, Gílson!

Link to comment
Share on other sites

Muito bonita a história dele, nunca tinha ouvido falar nele, afinal ele morreu antes de eu nascer...

A seleção holandesa que ele treinou foi a famosa Laranja Mecânica?

Link to comment
Share on other sites

Boa sorte gg, irei acompanhar.

Não conhecia nada do Happel, e fiquei até abismado com a capacidade

desse treinador.

Link to comment
Share on other sites

Join the conversation

You can post now and register later. If you have an account, sign in now to post with your account.

Guest
Reply to this topic...

×   Pasted as rich text.   Paste as plain text instead

  Only 75 emoji are allowed.

×   Your link has been automatically embedded.   Display as a link instead

×   Your previous content has been restored.   Clear editor

×   You cannot paste images directly. Upload or insert images from URL.

 Share

×
×
  • Create New...