Jump to content

Entendendo e analisando a atuação do seu time no FM


Henrique M.
 Share

Recommended Posts

  • Vice-President

G8ixsYp.jpg

Mesmo com a inevitável chegada do Football Manager 2019 (o beta deve ser lançado na próxima semana), ainda existem conteúdos de qualidade e perenes que merecem ser divulgados. O guia a seguir, entra nesse contexto, pois ele vai além das mecânicas de uma determinada versão. Com ele, você será capaz de ler melhor o que acontece dentro do jogo e evitar desespero quando as coisas estão indo mal ou vacilos se as coisas estiverem indo bem.

Nota do tradutor: O artigo original é em inglês, por isso, as imagens demonstradas estarão nesse idioma, pois muito pode ser perdido do conteúdo sem elas. Como se trata de uma análise de uma partida específica para explicar o tema central do texto, não tem como eu simular ou repetir o que foi feito em outro save ou situação, sem perder o trabalho original realizado. Por essa razão, optei também por preservar o tempo verbal (primeira pessoa do singular) no qual o texto foi escrito.

Introdução

O contexto é tudo no Football Manager e muitas vezes não percebemos isso, por exemplo, você pode estar vencendo por dois gols e achar que está jogando bem. Ou você pode estar perdendo por dois gols e achar que está jogando mal, mas assim como tudo na vida, nem tudo é preto no branco. É possível perder jogando bem e vencer jogando mal. Existem centenas de razões para explicar o placar de final de um jogo, logo, precisamos entender como estamos jogando para entender quais mudanças precisam feitas e porquê. O quão bem você entende o que exatamente está acontecendo nos seus jogos?

Eu recentemente joguei uma partida pela Copa da Liga Inglesa, sendo que eu estava no comando do Sheffield United, que joga no equivalente à Terceira Divisão Inglesa. A partida era diante do Swansea City, da Premier League. Como dito acima, se eu não entendesse o que estava acontecendo no jogo, eu poderia ter entrado em pânico e feito mudanças apenas por causa disso. Eu vejo muitos jogadores em pânico quando marcam um gol ou saem atrás do placar e instantaneamente começam a fazer mudanças, e isso pode ser uma péssima ideia se você não sabe porquê fez ou tomou o gol. Se você está jogando bem e saiu atrás no placar, por que você faria mudanças no seu time? Certamente se você está jogando bem, provavelmente você deu azar, certo? Nenhuma quantidade de instruções táticas que definimos pode controlar erros dos jogadores, eles vão acontecer independentemente do que você fizer. Ou, ao menos é assim que eu enxergo as coisas.

O cenário

Deixe me mostrar um exemplo do que eu estou falando baseado no jogo entre Sheffield United e Swansea City. Mas antes, um pouco mais de informação para vocês entenderem o cenário. Eu estava jogando fora de casa e com 30 minutos de jogo restando, estava 3 x 0 para o adversário. Essas são as formações que ambos os times estavam usando:

1-2.png

A seguir, as estatísticas de finalizações de ambos os lados no primeiro tempo:

2-1.png

Como você pode ver, em termos de finalizações estava praticamente igual para os dois lados. E eu fui para o intervalo perdendo apenas por 2 x 0. O primeiro gol do Swansea veio de uma fantástica bola de um de seus jogadores mais abertos, e como resultado de um cruzamento no qual meu goleiro não lidou corretamente, eles marcaram um gol extremamente fácil. Eu coloco isso como um erro do goleiro pois eu espero que ele lide com cruzamentos muito melhor do que ele lidou (mesmo que seja por limitações da ME ou eventualmente, um erro de decisão dentro do jogo).

O segundo gol foi uma excelente jogada do atacante deles, apesar de ter sido um chute com uma distância maior de 18 metros e eu também espero que meu goleiro defenda mais esses chutes do que aceite. Portanto, novamente, coloquei como erro ou simplesmente azar.

Logo, apesar de eu estar perdendo por dois gols, eu não senti que os gols sofridos deveriam ter acontecido, então, podemos considerar que meu time deu azar com esse placar. Mas e sobre como eu estava jogando? Eu não achei que estávamos jogando tão mal, nós tivemos nossas chances de marcar durante o primeiro tempo e meu time defendeu bem considerando a distância que existe entre o nível de jogadores de um time da primeira e da terceira divisão. Eu gostaria de ter acertado mais chutes no gol, mas não era algo para se preocupar, já que eu senti que estávamos criando o suficiente e que os gols eventualmente sairiam.

Mudar ou não mudar? Eis a questão

Quando o intervalo chegou, eu tinha uma decisão a fazer: eu mantenho meu plano de jogo ou em mudo tudo? Considerando que eu estava jogando bem (na minha cabeça, assistindo ao jogo e não somente julgando pelas estatísticas, já que elas podem ser bastante enganosas quando olhamos exclusivamente para elas) e eu senti que os gols iriam sair, portanto, eu optei por manter meu plano de jogo. Outros treinadores provavelmente iriam mudas as coisas nesse momento, já que eles estavam perdendo por 2 x 0 e precisavam fazer gols para seguir adiante. Mas se você acha que jogou bem o suficiente e não foi esmagado pelo adversário, então, por que mudar? E sim, eu entendo que você possa pensar que precisar ser mais agressivo por estar correndo atrás de um empate ou virada, mas eu não vejo motivos para mudar algo baseado no que eu considerei ser duas falhas técnicas do meu goleiro, e isso era exatamente o que separava as duas equipes no intervalo. Se meus atacantes fossem melhores, facilmente poderia ser meu time com a vantagem de 2 x 0. Eu não gosto de decisões precipitadas, se eu faço uma mudança é porque eu quero algo que minha atual tática ou proposta não oferece, e como eu realmente acreditei que tínhamos atuado melhor, o jogo ainda estava em aberto.

Com tudo isso em mente, nenhuma mudança foi feita e eu mantive a minha confiança e proposta de jogo para a segunda etapa.

O segundo tempo

O segundo tempo seguiu da mesma forma que o primeiro mas eu não criei muitas chances e nem o Swansea. Então, por volta dos 15 minutos, o Swansea marcou seu terceiro gol no jogo. Essa tinha sido a primeira tentativa de gol no segundo tempo. Agora, novamente eu tinha uma escolha a ser feita: mudar ou não? Eu mantive meus nervos no lugar e não entrei em pânico e mantive tudo como dantes. Eu sempre tenho o grande esquema das coisas na mente e não queria precipitar nada.

Isso pode parecer estranho para muito de vocês, mas eu ainda acreditava que eu podia ver o jogo nos minutos finais quando o cansaço se torna uma questão importante. Então eu mantive tudo igual pelos próximos dez minutos. Mas com 20 minutos restando no cronômetro, eu enfim realizei minhas mudanças, já que eu precisava de quatro gols para passar de fase, e isso parece controverso, não? Eu não acho, eu sei que nós fomos melhor dentro de campo e criamos as melhores chances. O Swansea também estava cansado, mas meu time conservou melhor suas energias ao longo do jogo.

Com isso em mente, eu decidi que eu deveria mudar da minha estratégia de contra-ataque para uma estratégia ofensiva, já que meus jogadores ainda tinham condições físicas para isso e o Swansea parecia cansado e com diversos jogadores em condições inferiores aos meus. Logo, eu pensei que deveria explorar essa situação e foi para cima.

Os 20 minutos finais

Aos 30 minutos do segundo tempo, eu marquei um belo gol coletivo, que abriu a defesa do Swansea e finalmente aproveitamos bem uma chance. Dez minutos depois eu marquei o segundo gol que nos colocou de volta no jogo, restando apenas cinco minutos para o final. Dois minutos depois, marcamos o terceiro gol após uma cobrança de escanteio, empatando o jogo. Estávamos no paraíso, buscamos o empate e com três minutos de acréscimos, tudo indicava que iríamos para a prorrogação.

Nesse momento, o Swansea estava assustado e parecia perdido e cansado, já que nos últimos dez minutos eles ficaram entrincheirados no próprio campo e nas raras vezes que avançaram para o ataque, levaram pouco perigo, devido ao cansaço dos jogadores. Com um minutos de tempo normal restando, o inimaginável ocorre, eu marco o quarto gol do jogo. O Sheffield United assumia a liderança do placar depois de estar perdendo por 3 x 0. E quase que diretamente do reinício do jogo, o Swansea sobe ao ataque e empata a partida, em um jogo extremamente louco e que jogo. Mas no fim, é estranho porque vinte minutos atrás, eu teria aceitado esse resultado imediatamente, mas agora estou um pouco desapontado, já que viramos o placar. O apito final chega e terminou 4 x 4 no tempo normal, o que significa que teríamos mais meia hora de prorrogação.

As estatísticas do segundo tempo

As estatísticas de finalização no segundo tempo foram essas:

3.png

Eu tive sete chutes e marquei quatro gols, o que não é uma péssima média. Eu mencionei que durante o primeiro tempo o time tinha jogado bem e que os gols viriam. Eu acredito que jogamos muito melhor na segunda etapa e também fomos mais precisos na hora de finalizar.

Prorrogação

Após 90 minutos eletrizantes, o tempo extra foi bastante chato, já que ambos os times estavam cansado e não ofereceram muita coisa ofensivamente.

4.png

Como o placar continuou 4 x 4 depois de 120 minutos de bola rolando, fomos para os pênaltis e acabamos perdendo. Depois de todo aquele drama que o jogo nos trouxe, perdemos nas penalidades máximas. Entretanto, ao menos mostramos caráter, garra e disposição e não existe nada que possamos fazer para influenciar os pênaltis, é loteria no final das costas. Essas foram as estatísticas completas do jogo:

5.png

Por fim, seguem os gols do jogo.

Swansea 1 x 0 Sheffield United

Swansea 2 x 0 Sheffield United

Swansea 3 x 0 Sheffield United

Swansea 3 x 1 Sheffield United

Swansea 3 x 2 Sheffield United

Swansea 3 x 3 Sheffield United

Swansea 3 x 4 Sheffield United

Swansea 4 x 4 Sheffield United

Mas qual é o sentido desse guia?

Eu acho que a lição que devemos tirar daqui é que você deve entender como o jogo está indo e não olhar somente para as estatísticas e para o placar, contexto é tudo. Se você sabe que está jogando bem e apenas teve azar, então, não existe muito sentido em mudar as coisas para buscar algo que você não precisa buscar.

Eu não estou dizendo que todo mundo deveria fazer isso, mas funciona para mim e para a maneira como eu jogo. Além disso, se você vai fazer mudanças, então tenha certeza que é para realmente mudar alguma coisa ou tirar vantagem de situações que ocorrem dentro do jogo. Algumas pessoas entrariam em pânico no intervalo e teriam feito mudanças drásticas e eles poderiam até ter obtido um resultado melhor que o meu, mas ele também poderia ter conseguido um muito pior. Momento e compreensão são tudo em um jogo como o Football Manager, eles são as pequenas margens entre vencer e perder.

Ás vezes, podemos ser muito rápido em mudar as coisas ou ás vezes muito lento em mudar as coisas. O que devemos fazer é ver como o jogo está acontecendo e então, bolar uma estratégia. Minha estratégia foi simples, manter fiel ao que eu sei que funciona e não entrar em pânico. Então, com apenas 20 minutos de bola faltando para o apito final, ir com tudo em busca da vitória, já que eu sabia que o Swansea cansaria e teria jogadores em péssimas condições físicas. Em outra partida, talvez eu pudesse fazer essas mudanças um pouco mais cedo para vencer o jogo. Mas não importa o que eu decida, eu sempre terei um plano claro ao longo do jogo para quando eu irei fazer mudanças baseadas em como o jogo vai indo. Eu não estou dizendo que as mudanças sempre irão funcionar e o feitiço também pode virar contra o feiticeiro, mas eu acho que frequentemente eu consigo reverter situações e conseguir resultados como esse.

Traduzido e adaptado por Henrique M. para o FManager Brasil e Engenharia do Futebol
Fonte: https://teaandbusquets.com/blog/stick-or-twist
Banner: @_Matheus_

Link to comment
Share on other sites

Muito bom, valeu pelo post.

Achei bem interessante, e como você disse entender isso não vai fazer seu time virar uma máquina destruidora, mas ajuda muito a entender e estudar melhor as formas de jogar e agir.

Link to comment
Share on other sites

Valeu por trazer esse artigo. O que ele fala pode parecer óbvio pra alguns, mas é algo que muitos de nós não seguimos as vezes pelo comodismo ou impaciência ou pânico. Independente de estar ganhando ou perdendo, é preciso primeiro entender se o time está jogando bem ou mal pra decidir se uma mudança é necessária.

Link to comment
Share on other sites

Show. Me fez refletir muita coisa. Desde o jogo em si, quanto as mudanças de formações entre os jogos.

Link to comment
Share on other sites

  • 1 month later...

Um ótimo tópico da sua parte, me ajudou muito porque me identifiquei nele, num jogo passado de FM eu estava perdendo no placar e fiz uma séries de mudanças para tentar ter alguma reação do time que estava sofrendo demais no seu campo de defesa, mas como o time adversário era superior ao meu não tinha oque fazer, mas enfim... Se o seu adversário é superior ao seu, adotar uma estratégia de contra atacar mesmo não tendo as peças fundamentais para esse estilo de jogo é o ideal mesmo? Qual foi a tática que você usou para jogar contra o Swansea?

Agradeço de puder responder.

Link to comment
Share on other sites

  • Vice-President
Em 11/12/2018 at 19:30, 49ers disse:

Um ótimo tópico da sua parte, me ajudou muito porque me identifiquei nele, num jogo passado de FM eu estava perdendo no placar e fiz uma séries de mudanças para tentar ter alguma reação do time que estava sofrendo demais no seu campo de defesa, mas como o time adversário era superior ao meu não tinha oque fazer, mas enfim... Se o seu adversário é superior ao seu, adotar uma estratégia de contra atacar mesmo não tendo as peças fundamentais para esse estilo de jogo é o ideal mesmo? Qual foi a tática que você usou para jogar contra o Swansea?

Agradeço de puder responder.

A ideia desse tópico é que o importante é ter um plano de jogo e não abdicar dele porque o placar não está favorável, e sim, analisar o jogo como um todo, antes de sair fazendo mudanças por atacado. Não importa se é contra-ataque, se é posse de bola. Obviamente que em termos gerais, adotar uma estratégia de contra-ataque sem que seu time seja capaz de executá-la não é uma boa ideia.

A tática do jogo contra o Swansea é o 4-1-2-3 como está na screenshot demonstrada.

Link to comment
Share on other sites

  • 1 month later...

  Esse pessoal gringo deve jogar outro jogo, 7 chutes a gol apenas e fez 4 gol , aqui é 30 chutes por jogo no minimo 20.  

  Fazer analise baseado em apenas 1 jogo não convence,  tem que fazer as mesma ações em no minimo 10 jogos, pegar um jogo qualquer da temporada na qual as minhas decisões foram boas não da parâmetro pra nada! 

  Ex: estou no Cuiba jogando na 1 divisão meu elenco é o mais fraco e meu time é contado pra cair,  bom meu time já ta cotado pra cair,  coloquei muito atacante  de estrategia , laterais e pontas atacar e atacante atacar, zc defender e 3 meias apoiar.   Perdi no Morumbi para o são paulo 1x0, ganhei do Palmeira em casa (palmeira é o favorito a ser campeão) e ganhei do cruzeiro no Mineirão.  Mantenho a estrategia do começo ao fim 8x80 vou fazer 38 jogos se eu ganhar 15 praticamente me salvo do rebaixamento.  

Link to comment
Share on other sites

  • Perissé featured this topic

Join the conversation

You can post now and register later. If you have an account, sign in now to post with your account.

Guest
Reply to this topic...

×   Pasted as rich text.   Paste as plain text instead

  Only 75 emoji are allowed.

×   Your link has been automatically embedded.   Display as a link instead

×   Your previous content has been restored.   Clear editor

×   You cannot paste images directly. Upload or insert images from URL.

 Share

  • Similar Content

    • bronoti
      By bronoti
      Alguém tem a tradução do Football Manager 2012?
    • Bigode.
      By Bigode.
      Apertando as teclas Crtl + F, digite o número da versão (ex.: 18) para ver todo material construído para a versão desejada. A maior parte dos guias presentes aqui servirá também para as versões mais novas do FM.
      ***
      Conteúdos da FManager TV estão neste post.
      ***
      Guias (em ordem alfabética) do Centro Tático:
      A arte do contra-ataque [FM 2016] A arte de Mourinho: retrancando o seu time [FM 2018] Atributos de Jogador por "Guide to Football Manager.com em PT-BR [FM 2015] Botando os pingos no IS: Ações com Bola [FM 2015] Botando os pingos no IS: Passe [FM 2015] Como jogar FM: Um guia de 12 passos [FM 2014] Como montar um esquema de Gegenpressing no FM [FM 2016] Como utilizar os gritos à beira do gramado [FM 2015] Como usar o estádio a seu favor [FM 2015] Criando uma tática em poucos minutos [FM 2017] Dicas básicas: de um novato para um novato [FM 2015] Entendendo e analisando a atuação do seu time no FM [FM 2018] Estilos de Jogo: a importância dos atributos [FM 2017] Enganche: uma ligação rápida para um ataque devastador [FM 2021] Extremo Invertido: uma breve análise [FM 2021] Football Manager: a evolução tática do jogo [FM 2018] Guia: Jogadas de Bola Parada [FM 2015] Guia Tático do FM 2015: Como criar uma tática? [FM 2015] Guia Teórico e Prático sobre o Football Manager [FM 2014] Guia de um perfeccionista para encontrar o estilo perfeito de jogo [FM 2021] Lidando com cartões vermelhos [FM 2017] O guia de instruções à equipe e instruções ao jogador no FM [FM 2018] O manual das instruções ao adversário [FM 2018] O que faz um goleador - Parte 1 [FM 2016] O "Princípio 323": Como distribuir tarefas por um time [FM 2016] O time da virada! 5 dicas para reverter um placar adverso [FM 2018] O guia rápido dos laterais no FM [FM 2021] O guia rápido dos pontas no FM [FM 2021] O guia rápido dos volantes no FM [FM 2021] O guia rápido dos meias ofensivos no FM [FM 2021] Pressionando de 3 maneiras diferentes [FM 2017] Princípios básicos de sistemas defensivos: um guia tático não oficial [FM 2021] Tactical Central & Insight: The New Era [FM 2016] Templates táticos não devem ser usados como táticas prontas [FM 2021] Transformando rotinas de escanteios ofensivos em gols no FM [FM 2021] Uma pré-temporada básica [FM 2016] Uma tática sem tática e muitos gritos à beira do gramado [FM 2021] Usando as cobranças laterais ao seu favor no FM [FM 2018] Um guia de design tático, gestão e construção de elencos no FM [FM 2021] Uma abordagem sobre o 4-4-2 diamante [FM 2021] Aos moderadores da área, pedimos que mantenham o tópico atualizado. Aos membros, pedimos que reportem materiais que podem ser adicionados ao índice geral em virtude de sua relevância para que possamos avaliar a situação.
      Obrigado.
    • Tsuru
      By Tsuru
      Por herne79
      Tradução e adaptação: Tsuru
      Link original: https://community.sigames.com/forums/topic/487345-no-tactic-and-lots-of-experimental-shouting/

      Tenho feito algumas experiências e brincado com o uso dos gritos à beira do gramado sem instruções táticas. Ou seja, não uso nenhuma instrução de equipe, de jogador ou à oposição, e escolho sempre mentalidade Equilibrada.
      Tudo o que fiz foi escolher um time, uma formação e juntar algumas funções e tarefas dos jogadores. Então, durante as partidas, eu apenas uso gritos da linha lateral, sem outras alterações (além de substituições). Nunca fiz isso antes, então queria ver duas coisas:
      O efeito de não usar nenhuma instrução. Quero deixar as coisas o mais "baunilha" possível, sem sobrecarregar os jogadores com instruções táticas. Em outras palavras, eu dou a eles a estrutura (mentalidade, formação e tarefas) e, em seguida, deixo que eles prossigam com as coisas. Não tenho nenhum estilo tático em mente (uma razão primária para usar TIs, etc.) e quero remover (na medida do possível) qualquer influência externa que possa distrair meus jogadores. Quero focar nos jogadores tanto quanto possível.
        O que acontece ao usar os gritos na beira do gramado? Isso faz alguma coisa? Seria ainda mais difícil avaliar isso se eu jogasse um monte de TIs na minha equipe ou fizesse mudanças táticas constantes durante o curso de uma partida. Minha configuração:
       

      Funções:
      CD - Defesa Central
      WB - Ala
      CM - Meia Central
      T - N10
      AM - Meia Ofensivo
      IF - Atacante Interior
      AF - Ponta de Lança

      Tarefas:
      D - Defender
      Su - Apoiar
      At - Atacar

      Eu queria usar uma equipe prevista para terminar no meio da tabela. Portanto, devo esperar alguns jogos disputados contra times semelhantes, alguns (espero) jogos mais fáceis contra os candidatos ao rebaixamento e jogos mais difíceis contra os melhores times. Eu quero uma variedade de níveis diferentes de jogo, que eu não conseguiria se eu fosse com um clube superior ou inferior. É também por isso que escolhi a mentalidade equilibrada. Então, escolhi o West Ham. Sim, sou fã, mas também estou bastante familiarizado com os jogadores, o que me ajuda a definir as coisas.
      É literalmente isso. A única mudança tática leve que às vezes fazia era trocar o Ponta de Lança por um Oportunista, mas isso era raro.
      Portanto, meu objetivo era nada mais do que atingir meu objetivo de início de temporada (9º lugar). Com o West Ham, posso ganhar a primeira temporada da Premier League se estabelecer um certo estilo de jogo usando o criador tático e bagunçar as coisas durante as partidas, mas aqui não estou fazendo nada disso, então tudo que quero fazer é terminar na pior das hipóteses, 9º. Daqui para frente, o plano é melhorar gradualmente os jogadores do clube - então as melhorias na posição na liga viriam de jogadores melhores, e não do meu gênio tático (* ahem *). Veja como eu me saí no final da primeira temporada:
       

       
      Terminei em 3º, o que me surpreendeu muito para ser sincero. Eu sei que uma abordagem de "nenhuma (ou poucas) instruções táticas" ainda pode produzir bons resultados se as funções e tarefas dos jogadores forem bem definidos, mas a parte interessante aqui para mim é o impacto dos gritos da linha de lateral em jogo. Eu nunca os uso e para ser justo, é difícil decifrar o impacto que eles realmente têm - pode ser nada mais do que um placebo - mas depois de usá-los durante toda a temporada, vi as reações do jogador a eles (nem sempre positivas, para ser sincero) e o resultado, é difícil descontar seu efeito.
      Acabei de terminar a primeira temporada e estou construindo um time. Moise Kean e Donny van de Beek por 20m e 15m respectivamente lol (Juve e Ajax devem estar loucos) junto com Jack Butland no gol também por 15m farão muito bem. Assim, quando eu começar a jogar novamente, irei passar em mais detalhes (com exemplos) de como tenho usado os gritos.
      Eu tenho que dizer, a primeira temporada foi muito interessante e um pouco reveladora.
    • Tsuru
      By Tsuru
      Por FM Rensie
      Tradução e adaptação: Tsuru
      Link original: https://coffeehousefm.com/fmrensieblog/2021/6/11/my-fm21-attacking-corner-routines

      Todos nós temos algum desenvolvimento como jogadores do Football Manager. Eu não sou uma exceção, sempre quis marcar o maior número possível de gols nas bolas paradas. Mas deixei de ser o criador de bolas paradas “excitantes” para marcar muitos gols e passei a ser o criador paciente que está gostando de fazer pequenas mudanças e ajustes e vendo como a coisa se desenvolve: cada gol marcado em alguma rotina de bola parada é a melhor recompensa. E estas são minhas rotinas de escanteios ofensivos no FM 21.
      Gosto de assistir à partida no modo Alargado para poder ver minhas rotinas. Isso atrasa um pouco meu tempo de jogo, mas eu realmente gosto disso. Eu não tenho que chegar a um futuro distante, prefiro seguir o save mais devagar e ver o impacto dos meus ajustes.
      E a versão FM21 é perfeita para isso porque eu sabia antes de iniciar o save que não duraria muito. Isso significa que não vejo motivo para acelerar apenas para progredir.
       
      Escanteios ofensivos - Primeiro Pau
      Ainda é um dos meus tipos favoritos de rotina. Normalmente vejo algo como "basta colocar aqui o melhor cabeceador e pronto". De alguma forma, sim, isso mesmo. Você precisa de um jogador muito forte. Mas, como mencionei no passado, na postura atual do jogo as bolas paradas são sobre o movimento Sem Bola.
      Normalmente tento testar qual jogador se encaixa melhor aqui. Eu também gostei de colocar o melhor jogador possível para Esperar o Primeiro Poste em vez de Atacar Primeiro Poste porque era mais perigoso no início do save.
      Quando contratei Niklas Backman, ele era uma escolha lógica para as rotinas de ataque como homem principal. Ele é corajoso e suas decisões vão até 15. Os atributos de cabeceio e salto de alcance também são muito bons.
      Mas ele não entregou o que se esperava e seu movimento Sem Bola (6) nos escanteios foi uma piada. Outra prova da minha teoria. Eu realmente estava ansioso para usá-lo como ponto focal, mas tinha que tentar outro jogador.
      Os exemplos de gols de Markus Nakkim.
       


      Às vezes, a bola pode chegar ao poste mais distante quando os jogadores ao redor do primeiro poste não a acertam. E pode ser assim, é por isso que tenho um jogador definido para Esperar ao Segundo Poste.
       
      Escanteios ofensivos - Curto
      Comecei a usar a rotina curta logo após o início do save. Mas eu removi essa rotina durante a primeira temporada porque percebi que não tinha jogadores bons o suficiente para as funções-chave - o cobrador aquele que oferece a opção curta.
      Não importava o que eu tentasse, geralmente terminava com o impedimento ou com uma má decisão do jogador "curto", que demorava demais a decidir o que fazer e o adversário recuperava a bola. Ou pior, ele apenas dava uma bolada no adversário e a mesma coisa acontecia três ou quatro vezes seguidas.
      Mas comecei a usá-lo novamente durante o save, quando a qualidade dos meus jogadores era maior e alguns dos jogadores desenvolveram os atributos principais.
      Não sei se minha teoria sobre o movimento Sem Bola está certa, mas vou viver com isso. Principalmente porque o atacante, que  está marcado para atacar o primeiro poste, é capaz de marcar gols na área do segundo pau porque consegue encontrar o espaço. E outro jogador é capaz de encontrá-lo desmarcado com um cruzamento bem feito (veja mais no vídeo abaixo).
      De vez em quando, eu mudo a função Ir a Frente para Atacar a Bola no Limite da Área. Mas eu sempre tento manter dois jogadores com a função de Aguardar Fora da Área para proteger as bolas desviadas ou rebatidas.

       
      2020 vs 2023
      Mencionei que usei a rotina do canto curto no início do save. A rotina parecia um pouco diferente, mas o ponto principal era o mesmo. Dois jogadores foram colocados à espreita fora da área para ajudar em tudo ao redor da grande área.
      Funcionou bem com o defesa-lateral nestes dois jogadores, visto que foi muito útil graças à sua velocidade e também à capacidade de cruzamento.
      A maior diferença é que os jogadores que deveriam ser a principal ameaça para o oponente foram definidos para atacar o poste mais distante, pois eu queria ver o cruzamento para este lugar ou para oferecer espaço suficiente ao redor do poste mais próximo para a opção curta.
      Você pode ver como estava a rotina em 2020 AQUI. Como já escrevi, assim como a defesa, o clube ou a liga se desenvolveram ao longo dos quatro anos, os jogadores também se desenvolveram e suas decisões são muito melhores dentro da curta rotina. É por isso que decidi tentar novamente com pequenos ajustes e melhorias. E dei aos meus jogadores outra oportunidade de provar que essa rotina pode funcionar.
      Três exemplos recentes no meu save com o GAIS. Não estou jogando muito rápido, então são exemplos bem recentes.
       
      Equipes juvenis como o melhor teste
      Uma das minhas coisas favoritas provavelmente nas últimas três edições FM é verificar os destaques de minha reserva / equipe B ou times juvenis. Todos os meus times jogam com a mesma tática. Isso significa que todas as equipes também estão usando as mesmas rotinas de bolas paradas.
      Considero isso uma opção de teste fantástica de como minhas rotinas funcionam para outras equipes. E eu sempre recebo as informações sobre a partida na caixa de correio com o simples botão Assistir os destaques para que seja fácil assistir apenas os gols. Gosto de fazer isso, principalmente se vejo que um dos zagueiros está na súmula, pois isso significa um escanteio ou um gol de cobrança de falta.
      Mas gosto de verificar também por causa dos gols de laterais, porque minha equipe sub-19 está marcando muitos gols, graças à rotina de reposição curta.
      E se eu não tenho tempo para assistir os destaques, ou me esqueci de assistir, eu só checo o relatório / pontuação e tela de assistências do analista do time juvenil. Infelizmente, e não tenho ideia do porquê, mas você não pode selecionar mais do que as últimas 5 partidas aqui dentro do time de juniores.

       
      Filtro de pesquisa de conjunto de ataque
      Já escrevi sobre isso (aqui) e ainda estou usando o mesmo método. Você pode encontrar alguns jogadores muito bons, não apenas para bolas paradas, com o filtro incluindo os principais atributos para funções como ataque próximo ao poste, enfrentar goleiro, etc.
      A maioria deles também é útil para as rotinas defensivas, pois alguns desses atributos são os mesmos para funções de ataque e defesa.
      É principalmente para brincar com os valores dos atributos dentro do filtro. Você pode definir todos esses atributos para 15, mas não pode esperar que ele encontre algum jogador quando você jogar fora das principais nações / ligas. Ou melhor, não encontrará jogadores que não estejam interessados em transferir / emprestar ao seu clube. E o valor razoável / taxa de transferência esperada / salário também desempenham um papel nisso.
      Eu defini o limite de atributos para 13 neste FM21, exceto para os melhores atributos - verde brilhante. Portanto, também defino o valor padrão para esses atributos-chave como 13. Se encontrar alguns jogadores, ótimo. Caso contrário, baixarei todos os valores. Ou apenas alguns deles.
      No exemplo abaixo, eu reduzi os atributos para 10, exceto os atributos Bravura e Sem Bola. Encontrou nove jogadores. Posso ver os valores desses 7 atributos diretamente graças à visualização personalizada. Todos nós podemos ver que o atacante finlandês de 19 anos Joni Kovanen parece promissor e comecei a observá-lo.

       
      Treinamento?
      Como eu compartilhei anteriormente, este é o meu esquema de treinamento atual. As sessões de bola parada têm o seu lugar, mas geralmente apenas as sessões de canto de ataque e entrega antes da partida.
      Não tenho mais agora, até porque ainda me lembro do que o Oliver Jensen sugeriu há algum tempo durante o FM20.
      Você pode ou não saber disso, mas a razão de não notar qualquer diferença com mais treinamento de bola parada é porque você só pode obter resultados uma vez por partida partida dessas sessões, então se você colocar três sessões de escanteio ofensivo antes de uma partida, vai obter o mesmo resultado que teria apenas com uma.
      Perguntei a SI quando escrevi sobre o treinamento e eles disseram que você pode adicionar muitas sessões na semana, mas apenas uma funcionará. Não faz sentido que você possa fazer mais sessões, nesse caso deveria limitar-se a um antes de cada partida.
      Uma coisa que provavelmente vou mudar no futuro é a sessão de defesa na quinta-feira para as cobranças de falta do ataque. Mas isso não é tão importante.


      Só quero dizer que o seu principal jogador nos escanteios não precisa ser o defensor mais forte apenas por cabecear ou pular. É mais sobre como combinar todos os atributos necessários juntos. E pensar em coisas simples. Não é tão complicado como alguns jogadores de FM pensam e preferem ignorar lances de bola parada.
      Para ser honesto, deixe as peças predefinidas como padrão, especialmente os lançamentos laterais são uma ideia realmente ruim no FM21. Mas essa é uma história para outro dia...
    • Tsuru
      By Tsuru
      Lateral. Função consagrada por muitos brasileiros como Nilton Santos, Cafu, Roberto Carlos, Jorginho, Marcelo, Daniel Alves e outros - a tal ponto que “lateral brasileiro” chegou a resumir um tipo específico de jogador - é hoje essencial nos times de elite. Geralmente nessas equipes o lateral é o jogador responsável por colocar a bola na área enquanto os pontas marcam gols, se deslocam para o centro e ajudam a armar as jogadas. Mas em times pequenos o lateral ainda pode dar apoio ou ajudar um ponta clássico a abrir espaço - ou em times sem pontas, fazer todo o trabalho de flanco. Fora que um bom lateral fecha os lados corretamente, o que é fundamental num jogo que desde os anos 90 vem cada vez mais se deslocando do centro para os lados do campo. Deixar um flanco exposto ou errar na dose da marcação por ali pode significar grandes problemas, e por isso saber escolher a função e tarefa do seu lateral ajuda bastante no Football Manager.
      Mais fácil falar que fazer, admito. As opções não são muitas em si, mas como equilibrar agressividade, apoio ao ataque e não expor tanto a defesa? Esse é um dos objetivos desse guia: explicar o que cada função/tarefa de lateral faz no FM para ajudar num melhor processo de escolha  e mesmo para corrigir eventuais problemas que surjam.
      Não abordarei aqui de forma específica a função Automática, mas tentem pensar essencialmente que, em Automático, o lateral joga com a tarefa igual à mentalidade da equipe, em vez de ser previamente definida como "Defender" / "Apoiar" / "Atacar".
       
      Defesa Lateral
      O chamado “Lateral básico”, é uma função que vem sofrendo algumas modificações nas últimas versões do FM. Resumidamente, é um defensor de flanco - ainda que usando uma tarefa mais agressiva, ele tende a subir menos, só ataca “na boa” e sua prioridade é proteger a defesa antes de agredir. 
      E as tarefas? Há várias formas de abordar, mas eu resumiria de forma bem simples: quanto mais agressiva for a tarefa (Defender-Apoiar-Atacar), mais o seu lateral vai subir no campo (ainda que apenas “na boa”), mais adiante ele tende a iniciar a pressão/marcação, e mais ele vai aparecer no último terço para cruzar a bola para a área. Por exemplo, em Defender ele tende a atacar bem raramente (quase um zagueiro de lado de campo), com Apoiar ataca de vez em quando, e em Atacar, ataca com uma frequência maior.
      Eu tenho observado o DL bem limitado nas últimas versões - mesmo em suas formas mais agressivas, no último terço ele tende a simplesmente cruzar a bola para a área, sem pensar nem elaborar muito a jogada. E na defesa, limpa o jogo e distribui para os mais avançados. É bom? É ruim? Depende do que você quer e do que seu time precisa.
       
      Ala
      Se até o FM 17 o Defesa Lateral parecia ser a “função básica para não complicar a vida”, desde o 18 o jogo parece estar reservando um pouco mais esse papel ao Ala (especialmente Ala Apoiar). É um movimento visto também na vida real: assim como quase todas as funções, os laterais hoje precisam atacar e defender com a mesma efetividade, equilibrando as ações e aparecendo em quase todos os setores, marcando e agredindo de forma eficiente e proativa. Ainda que eu ache que o Ala não é exatamente assim no FM, talvez ele seja o mais próximo disso.
      Eu diria que, se o DL se preocupa primeiro em defender e depois em atacar - daí o nome “Defesa” Lateral - o Ala faz o movimento contrário, ou seja, o primeiro pensamento dele é atacar, subir no campo e dar apoio aos jogadores mais avançados, e só depois defender. E esse ímpeto geralmente é calibrado pelo uso das três tarefas disponíveis, ou seja, Defender, Apoiar e Atacar (não entrando aqui no mérito das instruções individuais de jogador).
      Então um Ala em Defender também ataca (confuso, não?), mas faz isso com menos riscos e em situações onde tenha mais segurança para fazer isso (ou ache que tenha). Um Ala Apoiar é um pouco mais equilibrado, avança mais no campo mas não tanto a ponto de se descuidar muito da defesa. E o Ala Atacar é aquele lateral que não tá nem aí, se manda pro campo de ataque o tempo todo, joga no último terço e faz literalmente o mesmo papel de um Extremo aberto, se preocupando bem pouco se está ou não deixando espaço às costas.
      Particularmente o meu preferido é o Ala Apoiar, para mim o mais equilibrado e “sensato”, mas mesmo quando eu o uso, tento sempre fazer de forma que a defesa fique o menos desguarnecida possível, pelo simples fato de que fechar espaços ou se preocupar com a zaga são coisas que essa função faz menos do que o DL.
      Lembrando ainda que o Ala, além de ser uma função dos laterais, pode também ser uma posição - é quando ele joga entre o meio e a defesa, geralmente em esquemas com três zagueiros. O papel em si é parecido, apenas a posição reflete o fato de que ele será mais um híbrido de meia e lateral do que um lateral em si.

      Ala Completo
      Sabe o Atacante Completo, aquele que falamos que é o centroavante forte, rápido, bom de finalização, movimentação e cabeceio, a quem posso dar mais liberdade porque o talento extraordinário dele compensa tudo? Então, grosso modo o Ala Completo é a mesma coisa - mas em relação aos laterais.
      É aquele lateral excepcional, bom na marcação, muito rápido, forte fisicamente, com excelente passe, movimentação, visão de jogo, lançamento, tudo e mais um pouco, a quem eu posso dar liberdade para jogar como achar melhor. Isso inclui se movimentar dos flancos para o centro, cruzar ou passar a bola, chutar, lançar, enfim, ele faz o que bem entende e quando entende. Há quem diga que funciona melhor em sistemas onde o lateral joga sozinho, sem pontas na frente - eu particularmente acho que isso depende muito.
      Eu o enxergo essencialmente como “um Ala bom de bola a quem dou muita liberdade para fazer o que quiser”. Em Apoiar ele tende a ser um pouco mais equilibrado em relação à defesa, e em Atacar, bem mais agressivo, quase um “Ponta Completo” no último terço.
      Apesar de não gostar muito de exemplos da vida real no FM, acho que o Maestro Júnior é um bom exemplo de Ala Completo.
      Lembrando ainda que o Ala Completo, além de ser uma função dos laterais, pode também jogar na posição de Ala - é quando ele joga entre o meio e a defesa, geralmente em esquemas com três zagueiros. O papel em si é parecido, apenas a posição reflete o fato de que ele será mais um híbrido de meia e lateral do que um lateral em si.

      Defesa Ala Invertido
      É simples, portanto não vamos complicar: o Defesa Ala Invertido é um lateral que, em condições normais, afunila o jogo e se desloca para o centro do campo, jogando como um meia central em vez de atuar aberto e dando amplitude dos lados. Essa movimentação pode servir para várias coisas, desde levá-lo a ser um elemento surpresa - porque é incomum que laterais façam isso -, abrir espaço para um extremo jogar, “cobrir” a movimentação de um jogador de meio campo que esteja mais avançado no último terço, ou ainda para exercer um papel que seu time não tem na formação.
      Considerando as características do DAI, faz sentido para mim que seu pé bom seja oposto ao do flanco em que está - ou seja, um DAI destro faz mais sentido para mim na esquerda, e um canhoto, na direita. É regra? Não - da mesma maneira que eu já usei um DL destro na esquerda pelo simples motivo que não reparei que ele era destro, e o cara foi muito bem, você pode usar o lateral como DAI do lado do pé bom. Vai depender muito da capacidade do jogador, da estratégia de jogo do seu time e principalmente, de funcionar no campo, porque é isso que dá a última palavra.
      Com tarefa Defender, o DAI inicia normalmente no flanco e, ao se movimentar, meio que assume o papel de um volante, ficando pela zona da própria intermediária e ajudando a organizar o jogo por ali. Já as tarefas seguintes, Apoiar e Atacar, basicamente o definem como um meia que inicia na posição de lateral, flutua por dentro e avança mais agressivamente com a equipe, sendo que em Atacar essa agressividade atinge níveis maiores que com Apoiar, inclusive aparecendo mais frequentemente para finalizar as jogadas na área adversária.
      Lembram que eu disse que “em condições normais” o DAI corta por dentro? Pois é. Se sua formação utilizar dois volantes de ofício ou se o DAI for o único jogador a atuar no flanco (sem pontas ou meias laterais na frente), ele tende a não cortar para dentro e em jogar no flanco mesmo. O interessante é que, como possui instruções únicas em relação às demais funções, você nesses casos tem um “DAI aberto”, uma mistura de meia e lateral com um comportamento bem diferente e bem específico.
      Um comentário pessoal: eu já testei o DAI sozinho no flanco e particularmente não gostei do resultado, porque ao contrário do que disse a descrição do FM, ele afunilou o jogo sim e meu time ficou sem largura/amplitude/profundidade, fora que ele trombava bastante com o Carrilero. Mas talvez em outra circunstância, com um jogador melhor e com um outro meia daquele lado até funcionasse melhor.
      Uma última observação: eu acho o DAI muito, muito interessante, mas lembre-se que ele simplesmente tende a abandonar o flanco para jogar pelo meio - portanto a falta de cobertura dos lados pode custar caro se seu time não estiver de alguma forma preparado para lidar com isso, ou se simplesmente não aceitar o risco. Acho ainda que é um jogador que precisa ter excelente sentido de decisão e movimento para saber a hora certa de fazer as coisas, portanto em times menores pode ser mais difícil de encontrar.

      Lateral Limitado
      Não gosto muito desse nome, admito - eu prefiro o original em inglês “No-Nonsense Fullback”, cuja tradução mais literal seria “Lateral Sensato”. Ou pelas características dele poderia ser ironicamente chamado de “Lateral Sem Noção”, ou quem sabe ainda “Lateral Botinudo”, menos conhecido como "Lateral do Celso Roth" (hehehehe). 
      Disponível apenas com a tarefa Defender, eu diria que o Limitado é uma versão de flanco do Defesa Central Eficiente. Ou seja, é focado em limpar a jogada, correr poucos riscos e, com a posse, abusar de passes longos tentando armar o contra-ataque e fazer ligações diretas. Ele não vai chegar a frente, não vai apoiar o ataque e não vai cruzar, vai simplesmente assumir a posse e dar uma bicuda para o mais longe possível. Portanto usá-lo por exemplo em uma formação onde ele é o único elemento no flanco (sem pontas ou meias laterais a frente) pode não ser muito boa ideia.
      Alguns o definem como “o melhor amigo dos times azarões”, o que eu não concordo muito. Isso porque, quando se é azarão, você precisa cuidar da bola com carinho, não terá muitas oportunidades de atacar, e simplesmente ter um cara que limpe a jogada - talvez basicamente devolvendo a posse ao adversário - seja um pouco arriscado.
      O curioso é que eu não me lembro de ver nenhum jogador assim no futebol da vida real e não sei realmente onde o FM foi buscar essa função. Mas está lá e precisamos entender e saber como funciona, até porque talvez algum dia possamos precisar dela.
×
×
  • Create New...