Jump to content
Perissé

Associação Atlética Portuguesa: Comunicado (29/12) - Aguardando Avaliação

Recommended Posts

Herr Jones

O começo promete dar muito trabalho! Terá que buscar algumas peças para compor o elenco, mas acho que não deve ser tão complicado achar esses reforços, já que no Brasil sempre têm bons jogadores disponíveis para equipes menos reputadas. 

O maior problema, talvez, será entrosar o time nesse pouco tempo e contornar o calendário recheado de jogos... Boa sorte! 

Share this post


Link to post
Share on other sites
LC

É o Rubinzão. Em vez deles simplificar o regulamento,eles criam essas regras idiotas. Quanto a Portuguesa vai ter muito trabalho.

Share this post


Link to post
Share on other sites
ggpofm

Cadê você, Yan.

Share this post


Link to post
Share on other sites
Perissé
Em 22/12/2017 at 21:37, Danut disse:

Vai precisar mesmo contratar mais alguns jogadores para ter um elenco de tamanho razoável. Mas não acho que isso seja um grande problema, te dá uma margem para procurar jogadores interessantes - ainda que o orçamento para contratações não seja lá uma maravilha.

Esse regulamento do cariocão é bizarro.

Há 21 mil de sobra no orçamento salarial. Levando em conta que o salário médio é por volta de 12 mil, o orçamento engloba mais dois jogadores. Sem contar com saídas de salários altos durante o Carioca, algo que explicarei na próxima atualização.

E pior: esse regulamento é ainda pior na realidade. A primeira partida da edição de 2018 foi no dia 20 de dezembro de 2017. O FM ainda nos dá uma folga, iniciando somente no dia 4 de janeiro.

Em 23/12/2017 at 22:46, vinny_dp disse:

Que bom que voltou como autor Yan, já fazia um tempo. 

Achei bacana a escolha do clube, que lhe dará um desafio e tanto. A começar pelo elenco, que precisa ser muito reforçado e entrosado em um curtíssimo espaço de tempo, uma vez que o calendário do Cariocão é daquelas coisas que não tem explicação.

Boa sorte!

Faz um tempo mesmo, mas acredito que foi um tempo importante e necessário pra evoluir no FM e planejar este save.

Bom, como o Carioca começa bastante cedo, não dá pra formar um elenco agindo tão rapidamente. O objetivo é formar o elenco pensando na Série D. Portanto, a nossa campanha no Carioca pode ficar um pouco comprometida no início com um elenco tão pequeno.

Valeu, Vini.

23 horas atrás, Herr Jones disse:

O começo promete dar muito trabalho! Terá que buscar algumas peças para compor o elenco, mas acho que não deve ser tão complicado achar esses reforços, já que no Brasil sempre têm bons jogadores disponíveis para equipes menos reputadas. 

O maior problema, talvez, será entrosar o time nesse pouco tempo e contornar o calendário recheado de jogos... Boa sorte! 

Já contratei uma boa equipe de olheiros para me auxiliar nessas contratações, já que ficarei mais responsável por captar jogadores por empréstimo. Te garanto que há bons jogadores por empréstimo aceitando vir pra Série D, mas veremos como será o trabalho dos olheiros com os jogadores livres.

Bom, o objetivo é formar o elenco pensando na Série D. Portanto, a campanha no Carioca ficará um pouco comprometida com saídas, entradas e o processo de entrosamento.

Valeu, Jones.

20 horas atrás, LC disse:

É o Rubinzão. Em vez deles simplificar o regulamento, eles criam essas regras idiotas. Quanto a Portuguesa vai ter muito trabalho.

O Rubens é um dos personagens mais nojentos do futebol carioca, todos sabem. O regulamento é nitidamente em prol de mais lucro pra FERJ, que ganha mais que os clubes nessa competição.

6 horas atrás, ggpofm disse:

Cadê você, Yan.

O cronograma de postagem está dentro do planejado. Hoje sai mais uma atualização.

Share this post


Link to post
Share on other sites
São Marcos

Fala, @Yan Perisse !!
Como fã das sagas com times menores do Brasil, acompanharei seu tópico!

Boa sorte e boa diversão!

Share this post


Link to post
Share on other sites
Danut

@Yan Perisse, já que tu falou mais do regulamento ali: como são definidas as equipes que participam da primeira fase? Na vida real e no FM.

Share this post


Link to post
Share on other sites
Perissé
4 horas atrás, São Marcos disse:

Fala, @Yan Perisse

Como fã das sagas com times menores do Brasil, acompanharei seu tópico!

Boa sorte e boa diversão!

Valeu, @São Marcos.

41 minutos atrás, Danut disse:

@Yan Perisse, já que tu falou mais do regulamento ali: como são definidas as equipes que participam da primeira fase? Na vida real e no FM.

Na vida real, as quatro equipes de pior campanha na edição passada e os dois promovidos da Série B1 participam da primeira fase. No FM, os seis participantes da primeira fase do Carioca de 2017 são os mesmos da vida real. No entanto, eu não sei como será na próxima temporada, se o regulamento será igual à vida real ou não.

Como eu falei na atualização, algo certo é que os dois últimos são rebaixados e os dois primeiros vão pro restante do Carioca, mas na Taça Guanabara e na Taça Rio não há rebaixamento, o que me leva a pensar que sempre serão os mesmos primeiros quatro clubes nesta fase, a não ser que um seja rebaixado.

Share this post


Link to post
Share on other sites
Perissé

image.png.8d59f66dec163cbffbd795ebf895d6c5.png

image.png.7e25d7475a271640c58eb900bd44832c.png

  • Transferências:

Seguimos o planejamento feito na atualização passada e conseguimos acertar com um lateral direito, um zagueiro, um meia e um atacante, faltando apenas o reforço para a lateral esquerda, que já necessita de um reforço urgente por termos apenas o zagueiro Pessanha sabendo atuar nesta posição.

image.png.25526004612df43969a31f0bb558f59b.png

A única peça contratada foi o prodígio Juliano de apenas 21 anos, que possui passagens por Juventude e Internacional e vem para receber R$17 mil, um dos maiores salários do elenco. Já para a reserva desta posição, será trago um jovem por empréstimo sem custos. Para a outra lateral, além do titular, também traremos um jovem por empréstimo.

Acertamos apenas com o jovem zagueiro Lucas Kal de 20 anos por empréstimo junto ao São Paulo para compor o elenco. Já para a equipe titular devemos trazer mais um reforço, já que o contrato do experiente Rodrigo de 33 anos terminará antes do final do Campeonato Carioca e já decidi que não renovarei.

image.png.60fba55198430b015b1549cebd46c5a1.png

image.png.7933dbe151193bf4bf83ba42d01a3c71.png

Mesmo sendo o setor mais carente, acertamos apenas com o jovem meia Thiago Souza de 19 anos por empréstimo junto ao Cruzeiro para substituir por antecedência a saída de Wellington Júnior após término do contrato pelo salário bastante acima de sua qualidade. O meu objetivo é acertar com mais um reforço antes do início da Série D, mas há uma escassez de bons nomes por um preço acessível no mercado.

Acertamos com o jovem centroavante Ramón de 18 anos por empréstimo junto ao Fluminense para ser o reserva imediato de Fabiano Oliveira junto ao Allan Barreto, já que o experiente Gilcimar de 37 anos não é utilizado e não terá o seu contrato renovado.

image.png.10f30255750cb2977bcfedb628dd6324.png

  • Planejamento tático:

A formação escolhida será o tradicional 4-1-2-3, onde teremos uma linha de quatro defensores com bastante apoio com amplitude dos laterais. No meio de campo, temos um armador recuado importantíssimo tanto na saída de três quanto na recuperação da segunda bola e dois “elementos surpresa” que buscam infiltrar e acionar o passe que quebra linhas, sendo que um deles (box-to-box) segurará mais o posicionamento para ligar pelo meio o armador recuado e o meia-central. Por fim, no ataque temos um avançado recuado com alta mobilidade e dois avançados interiores que buscam com o jogo pelo meio, possuindo, portanto, pés invertidos, liberando espaço para a ultrapassagem dos laterais.

image.png.ab003a5925729b3105ce1eb5773abf39.png

Como é possível ver acima, vamos jogar com o ritmo normal, pretendendo alcançar um meio termo entre um estilo mais arriscado e outro mais paciente. Quanto à linha defensiva, ela será adiantada, que anda de mão dada com a pressão escolhida. Com essas escolhas de linha defensiva e pressão, selecionei por consequência a “linha burra”, com o intuito de diminuir a eficácia de bola nas costas, e o desarme agressivo, aumentando a probabilidade de roubar a bola, mesmo que signifique cometer mais faltas.

Na construção, vamos jogar com os passes mistos, sem limitar-se a bolas longas ou passes curtos, e com as instruções de passar à frente e de levar a bola até a área. A primeira terá papel fundamental no passe que quebra as linhas do adversário. Já a segunda é para os jogadores serem um pouco mais pacientes na construção em vez de rifar a bola com muitos lançamentos pela escolha da instrução de passar à frente.

  • Primeira Fase:

Começamos a fase inicial do Campeonato Carioca goleando o Nova Iguaçu por 4 a 1 e o Campos por 3 a 0, explorando em ambos a dificuldade da linha defensiva adversária em lidar com os dois homens pelas laterais e o nosso bom aproveitamento nos escanteios. Em seguida, tivemos uma série de três empates contra Bonsucesso, Tigres do Brasil, em que a equipe se limitou aos cruzamentos em ambos, mas conquistou a vaga para o restante da competição, e Cabofriense.

image.png.4557a22b79b00627259013b9a43b707a.png

Nos qualificamos tranquilamente para o restante da competição de forma antecipada e com um aproveitamento considerável (60%). Inclusive, a tranquilidade nesta fase não só surpreendeu a diretoria como também me surpreendeu positivamente, já que acreditava em uma classificação de forma mais difícil com os adversários incomodando.

O ataque esteve impecável, sem depender de cruzamentos ou ficar preso nos adversários fechados e com problemas de finalização apenas na última partida. O negativo fica por conta dos quatro gols em contragolpes em cinco partidas, algo que buscaremos resolver para o restante do Campeonato Carioca com um pequeno recuo e uma melhora técnica da linha defensiva e um recuo na tarefa do armador recuado, que não está recuperando a “segunda bola”.

image.png.20fccdf433f7725469512f137b8a8c3b.png

  • Taça Guanabara:

Após a qualificação, entramos no grupo mais fácil ao lado de Bangu, Fluminense, Resende, Vasco e Volta Redonda, mas acredito que não servirá muito por ser muito difícil terminar em primeiro colocado e seguir para a final do turno. Sendo assim, minha expectativa será terminar atrás apenas dos clubes grandes, já que usaremos tanto a Taça Guanabara quanto a Taça Rio para entrosar o elenco e treinar para a Série D, que começa no final de maio.

Começamos a Taça Guanabara vencendo Bangu e Volta Redonda pelo placar mínimo, em que pouco produzimos em ambos por pararmos no meio-campo adversário fechado e congestionado. Em seguida, o calendário não foi generoso com a nossa equipe e nos colocou para jogar contra Fluminense e Vasco de forma consecutiva, respectivamente. Não sofremos goleadas, mas o ataque não criou perante defesas bastante superiores e a defesa sofreu com a superioridade técnica dos ataques adversários. Por fim, encerramos a Taça Guanabara empatando por 2 a 2 de forma emocionante e merecida nos acréscimos com o Resende.

image.png.6adc5e5ea88534dd7bbffa1f2b93aa77.png

Ao fim desta fase, ficamos com um bom aproveitamento (77%) contra times pequenos e cumprimos a minha expectativa de ser “o melhor dos piores” se posicionando logo atrás dos grandes do Rio, apesar de esperar o aproveitamento máximo contra essas equipes menores.

Assim como na primeira fase, tenho uma ressalva a ser feita na parte tática. Não fiquei satisfeito com a pouca participação coletiva dos pontas se escondendo na linha defensiva adversária, tendo seus chutes travados pelo pouco espaço e pouca movimentação. Portanto, vou deixá-los mais abertos com a função de extremo e com a tarefa mais ofensiva e os pés não serão invertidos, dando a opção do cruzamento rasteiro. No entanto, essa alteração será somente nos jogos com nosso mando pelo nosso gramado ter a menor largura possível. Nas partidas fora de casa, a grande largura dos gramados exige que os nossos pontas avancem pelo meio para não descompactar a equipe.

image.png.478b833c99bf28a753774ff6fd359e13.png

Share this post


Link to post
Share on other sites
ggpofm

Bom, que começou a atualizar o save com as partidas.

A estratégia de reforçar o elenco com jovens de times grandes foi algo deliberado de sua parte, ou foi casual?

Sobre a "saída de três" com o armador recuado (apoiar) como você conseguirá fazê-la funcionar se ele não recua até a linha dos zagueiros? Acredito que com o FM, o único que possa fazer a saída lavolpiana seja o volante chamado de "3º zagueiro", fora ele, o máximo que teremos é um volante que recua para mais próximo da zaga, sem que isso signifique a tal saída lavolpiana ou a saída de três. ;)

Passou bem pela primeira fase, que por ser curta pode ser muito perigosa. Na Taça GB, também acho que o caminho é ser o melhor entre os piores ou menores. Vamos ver como será na Taça RJ.

Quando será a próxima atualização segundo seu cronograma de postagem. :)

Share this post


Link to post
Share on other sites
Henrique M.

Fez uma boa campanha, porém, com um regulamento esdrúxulo desse, o importante era não fazer feio e foi muito bem nos jogos contra as equipes de mesmo nível.

Share this post


Link to post
Share on other sites
managersergipano

Apesar de não torcer pra nenhum time fluminense, amo o Rio de Janeiro e tenho muito carinho pelos pequenos tradicionais (em especial Bangu, América, Olaria e Portuguesa). Talvez por ter crescido assistindo jogos do campeonato carioca na tv aberta por aqui kkkkkk. Em todo caso, faz tempo que queria jogar com a Lusa Carioca, e é muito legal ver alguém fazendo isso por aqui. Acompanhado, boa sorte no caminho pra ser a quinta potência!

Algumas considerações: nos saves que começo (gosto de jogar no Brasil, e sempre começo na menor divisão disponível), tenho evitado contratar jovens da base dos gigantes por empréstimos, por achar, ao mesmo, pouco realista, e algo que facilita demais o crescimento do time, já que são jogadores que geralmente vem pra assumir titularidade e raramente integram a folha de pagamento, pois os clubes grandes emprestam pra dar experiência e aceitam pagar os salários. Por isso, "impus" duas regras a mim mesmo para contratar esses jogadores: até chegar à série "b", só contrataria por empréstimo pagando os salários, e somente para completar o elenco, não podendo contratar jogadores melhores que os titulares da função. É um modo de tornar o jogo mais desafiador (e acho que foi por isso que o ggpofm perguntou se foi algo casual ou deliberado da sua parte). É uma dica pra evitar uma ascensão rápida que torne o seu save desinteressante para você mesmo.

Quanto à estratégia, gostei do seu estilo de jogo, mas duas dúvidas:

1) Apesar de você não ter tido problemas aparentes com o número de gols sofridos, vc acha que a "linha burra" anda resolvendo os problemas do espaço deixado pela defesa alta e marcação de pressão alta? 

2) Quanto ao ataque, porque a estratégia de levar a bola até a área, se você não está usando um estilo de jogo de paciência? Os seus jogadores de frente não tem boa finalização? Não acha que essa tática pode "matar" o ataque em jogos contra equipes mais fortes defensivamente (como no caso do Fluminense e do Vasco)?

No mais, curtindo bastante o save, boa sorte! Avante, Lusa!

 

Share this post


Link to post
Share on other sites
CesarShowOff

Começou não perdendo na primeira fase o que isso já é bom, mesmo não tendo uma campanha extraordinária, assegurou a primeira posição. Depois começou bem na GB com duas vitórias, e assim como disse foi o melhor dos piores, pois a vaga seria difícil naquela altura. Espero que o time só melhore daqui pra frente. Boa sorte. Acompanhando.

Share this post


Link to post
Share on other sites
Perissé
17 horas atrás, ggpofm disse:

Bom, que começou a atualizar o save com as partidas.

A estratégia de reforçar o elenco com jovens de times grandes foi algo deliberado de sua parte, ou foi casual?

Sobre a "saída de três" com o armador recuado (apoiar) como você conseguirá fazê-la funcionar se ele não recua até a linha dos zagueiros? Acredito que com o FM, o único que possa fazer a saída lavolpiana seja o volante chamado de "3º zagueiro", fora ele, o máximo que teremos é um volante que recua para mais próximo da zaga, sem que isso signifique a tal saída lavolpiana ou a saída de três. ;)

Passou bem pela primeira fase, que por ser curta pode ser muito perigosa. Na Taça GB, também acho que o caminho é ser o melhor entre os piores ou menores. Vamos ver como será na Taça RJ.

Quando será a próxima atualização segundo seu cronograma de postagem. :)

Foi planejado. Se você notar, todos esses empréstimos são para compor o elenco, exceto a vinda do Thiago Souza, que só veio pois não encontramos nenhum meia por definitivo que me agradasse.

aa3dd06e1417c097b5d40ccd2c801302.gif

Como pode ver, é feita a saída de três gerando superioridade contra os dois atacantes, algo bem comum no Brasil (pelo menos no FM), com o armador recuado (defender) recuando para entre os dois zagueiros.

Como você disse, essa fase inicial podia ser bem traiçoeira por ser turno único. No entanto, percebi ao final da fase que o nível das equipes participantes é bem ridículo, está longe do nível atual da Portuguesa.

Bom, seguindo esse cronograma, espero atualizar a cada cinco ou seis dias, ou seja, deve sair nos primeiros dias de 2018.

10 horas atrás, Henrique M. disse:

Fez uma boa campanha, porém, com um regulamento esdrúxulo desse, o importante era não fazer feio e foi muito bem nos jogos contra as equipes de mesmo nível.

Eu esperava um pouco mais da equipe do que "não fazer feio". Se nos posicionarmos como o primeiro ou segundo melhor entre os piores, fico tranquilo, já que há sempre uma equipe de Série D em cada grupo no mínimo.

9 horas atrás, managersergipano disse:

Apesar de não torcer pra nenhum time fluminense, amo o Rio de Janeiro e tenho muito carinho pelos pequenos tradicionais (em especial Bangu, América, Olaria e Portuguesa). Talvez por ter crescido assistindo jogos do campeonato carioca na tv aberta por aqui kkkkkk. Em todo caso, faz tempo que queria jogar com a Lusa Carioca, e é muito legal ver alguém fazendo isso por aqui. Acompanhado, boa sorte no caminho pra ser a quinta potência!

Algumas considerações: nos saves que começo (gosto de jogar no Brasil, e sempre começo na menor divisão disponível), tenho evitado contratar jovens da base dos gigantes por empréstimos, por achar, ao mesmo, pouco realista, e algo que facilita demais o crescimento do time, já que são jogadores que geralmente vem pra assumir titularidade e raramente integram a folha de pagamento, pois os clubes grandes emprestam pra dar experiência e aceitam pagar os salários. Por isso, "impus" duas regras a mim mesmo para contratar esses jogadores: até chegar à série "b", só contrataria por empréstimo pagando os salários, e somente para completar o elenco, não podendo contratar jogadores melhores que os titulares da função. É um modo de tornar o jogo mais desafiador (e acho que foi por isso que o ggpofm perguntou se foi algo casual ou deliberado da sua parte). É uma dica pra evitar uma ascensão rápida que torne o seu save desinteressante para você mesmo.

Quanto à estratégia, gostei do seu estilo de jogo, mas duas dúvidas:

1) Apesar de você não ter tido problemas aparentes com o número de gols sofridos, vc acha que a "linha burra" anda resolvendo os problemas do espaço deixado pela defesa alta e marcação de pressão alta? 

2) Quanto ao ataque, porque a estratégia de levar a bola até a área, se você não está usando um estilo de jogo de paciência? Os seus jogadores de frente não tem boa finalização? Não acha que essa tática pode "matar" o ataque em jogos contra equipes mais fortes defensivamente (como no caso do Fluminense e do Vasco)?

No mais, curtindo bastante o save, boa sorte! Avante, Lusa!

Os clubes pequenos do Rio de Janeiro possuem sua tradição e seu glamour, não há como não gostar deles. Tenho um carinho muito grande por todos eles, mas a Portuguesa é especial por ser meu clube de bairro. Aliás, não sabia que passava partidas até desses clubes pequenos na TV aberta do Sergipe, que possui o Sergipe e o Confiança como os principais clubes.

Sobre os jovens de clubes gigantes, eu não monto a equipe com base neles. Como falei na atualização, apenas um dos três jovens que contratei veio para ser titular, pois procuro montar a equipe com base em jogadores por definitivo. No entanto, é bastante realista a sua ideia, os clubes gigantes não emprestam seus jovens para equipes de Série D, no máximo para a Série C e olhe lá. Pensarei nesta dica para o próximo save.

Sobre a tática:

  • 1) A "linha burra" falha de vez em quando, mas notei em saves passados que sem ela o estrago é grande e decidi trazer para esse save também;
  • 2) A instrução de levar a bola até a área é para dar um pouco de paciência à instrução de passar à frente e também para evitar que aconteça uma grande quantidade de finalizações de fora da área, já que meus meias e atacantes não possuem o atributo de rematar de longe muito evoluído. E ela não freia o contra-ataque, pois o 4-1-2-3 já não possui um contra-ataque eficiente pelos pontas marcarem os laterais, deixando apenas o centroavante para puxá-lo. No entanto, vou falar dela na próxima atualização.

Valeu, Manager!

2 horas atrás, CesarShowOff disse:

Começou não perdendo na primeira fase o que isso já é bom, mesmo não tendo uma campanha extraordinária, assegurou a primeira posição. Depois começou bem na GB com duas vitórias, e assim como disse foi o melhor dos piores, pois a vaga seria difícil naquela altura. Espero que o time só melhore daqui pra frente. Boa sorte. Acompanhando.

Nos situamos dentro das minhas expectativas nas duas fases mesmo, o que é bom mesmo, espero que continuemos assim para a Taça Rio e a Série D. Valeu, Cesar.

Share this post


Link to post
Share on other sites
ggpofm
7 horas atrás, Yan Perisse disse:

Como pode ver, é feita a saída de três gerando superioridade contra os dois atacantes, algo bem comum no Brasil (pelo menos no FM), com o armador recuado (defender) recuando para entre os dois zagueiros.

Pela imagem da sua formação tática, o "Armador Recuado" seu tem tarefa apoiar e não defender como você escreveu na resposta. ;)

Mas independentemente disso, fiquei surpreso com o recuo tão acentuado dele. Nunca tinha observado isso.

Valeu.

Share this post


Link to post
Share on other sites
vinny_dp

Perdeu alguns pontos nos finais dos jogos que poderiam ter dado mais folga numa boa campanha na fase inicial do Carioca. Na segunda fase, conseguiu ser o "melhor dos pequenos", isso com um elenco ainda em formação, muito bem.

Sobre a tática, acho que 10 jogos são pouco para avaliar, ainda mais em uma tática que busca o protagonismo no jogo. Ainda assim, dá para se notar que a equipe está no caminho certo e, com os ajustes que você tem em mente, tem margem para melhora. 

Boa sorte na sequência.

Share this post


Link to post
Share on other sites
Tsuru

Achei a campanha muito boa para a primeira temporada no Carioquinha. Fora Fluminense e Vasco, que obviamente estão bem acima, nos demais jogos os outros times menores não mostraram muita força.

Acha que a partir da próxima temporada dá pra aprontar no Estadual?

Boa sorte na Série C.

Share this post


Link to post
Share on other sites
Perissé
Em 28/12/2017 at 09:45, ggpofm disse:

Pela imagem da sua formação tática, o "Armador Recuado" seu tem tarefa apoiar e não defender como você escreveu na resposta. ;)

Mas independentemente disso, fiquei surpreso com o recuo tão acentuado dele. Nunca tinha observado isso.

Valeu.

Após o final da Primeira Fase, eu avisei que havia mudado a tarefa do armador recuado por estar com um posicionamento mais avançado do que eu pretendia. Não cheguei a notar a saída de bola com a tarefa antiga, mas acredito que ele não recuaria tanto assim, como você achou.

Em 28/12/2017 at 15:53, vinny_dp disse:

Perdeu alguns pontos nos finais dos jogos que poderiam ter dado mais folga numa boa campanha na fase inicial do Carioca. Na segunda fase, conseguiu ser o "melhor dos pequenos", isso com um elenco ainda em formação, muito bem.

Sobre a tática, acho que 10 jogos são pouco para avaliar, ainda mais em uma tática que busca o protagonismo no jogo. Ainda assim, dá para se notar que a equipe está no caminho certo e, com os ajustes que você tem em mente, tem margem para melhora. 

Boa sorte na sequência.

A sequência de empates no final da Primeira Fase levando gols em todas as partidas me assustou mesmo, foi necessário uma vista grossa para ver o que poderia mudar. Em seguida, as mudanças deram certo e conquistamos uma boa colocação na Taça Guanabara. Espero o mesmo para a Taça Rio.

Acredito que até a Série D teremos algumas mudanças na tática. No momento ela está caminhando bem, mas está em fase de observação, algo como uma criança perto de andar sem o auxílio dos pais. Na Série D acredito que estará caminhando sozinha. Valeu, Vini.

23 horas atrás, Tsuru disse:

Achei a campanha muito boa para a primeira temporada no Carioquinha. Fora Fluminense e Vasco, que obviamente estão bem acima, nos demais jogos os outros times menores não mostraram muita força.

Acha que a partir da próxima temporada dá pra aprontar no Estadual?

Boa sorte na Série C.

Acredito que podemos aprontar a qualquer momento no Carioca, só não podemos esperar por isso até estarmos perto do nível dos grandes. Talvez a chance de aprontar nas próximas temporadas serão maiores, mas virá a Copa do Brasil junto.

Quem dera estar na Série C, rs. Valeu, Tsuru.

Share this post


Link to post
Share on other sites
Perissé

 

 image.png.8858fe2f33aead9fa5fe67b1a0d4ea51.png

image.png.27eb927ef421e07b182ba0619454368e.png

  • Transferências:

Terminamos o planejamento para a montagem do elenco e, consequentemente, encerramos as transferências neste ano. Este planejamento final consistia em trazer um lateral esquerdo, um zagueiro, um meia e dois jogadores reservas por empréstimo para cada lateral. Além desses reforços, aceitamos uma proposta do Flamengo-PI de R$ 50 mil pelo ponta Maicon Assis, que era reserva imediato nas pontas e no meio, o que nos fez agir de maneira rápida no mercado para contratar um substituto.

image.png.76394ddbb8c1549e9b03b6663c4a6045.png

Como foi dito, acertamos com Guilherme, que possui passagem pelo Botafogo e vem para ser o nosso titular pela esquerda e ganhar R$ 8,75 mil por mês. Além do ex-botafoguense, acertamos com os jovens Breno e Victor Luiz para serem os reservas em cada lateral por empréstimos sem custo junto ao Fluminense e ao Cruzeiro, respectivamente.

Para a zaga, acertamos a rescisão do experiente zagueiro Rodrigo, que se aposentou. Para o seu lugar, acertamos o empréstimo de Sabino junto ao Santos para ser o nosso quarto zagueiro do elenco.

image.png.e0195dfada097c1fe6944e466dce7231.png

image.png.ee55ad4a803a8ceb00d1d75f8d73ce20.png

Após uma árdua busca por um meia central de qualidade, acertamos com o polivalente Fabrício Lusa, que possui passagens por Bahia e Juventude, onde coincidentemente atuou ao lado do lateral Juliano, por R$10 mil antes que o Batatais renovasse seu contrato. O meia ganhará R$18 mil e só disponibilizou um contrato até o final da temporada, mas trabalharemos para estender o seu vínculo.

Dada a saída de Maicon Assis, recorremos ao mercado e acertamos com o prodígio argentino Emiliano Trovento de 22 anos, que estava sem clube após ser dispensado do Argentinos Juniors e ganhará o terceiro maior salário do elenco ao lado de Juliano, perdendo apenas para Fabiano Oliveira e Fabrício Lusa, em ordem.

image.png.463529f0d35fd7e2209fa909b7e0dcc1.png

  • Taça Rio:

Seguimos para o segundo turno do Campeonato Carioca denominado Taça Rio, em que as equipes do Grupo A da Taça Guanabara enfrentam as mesmas equipes do Grupo B em partida única, totalizando seis partidas ao final do turno. Ao final das seis partidas, a melhor equipe de cada grupo se enfrenta na final, com o vencedor enfrentando o campeão da Taça Guanabara na final do Campeonato Carioca. Caso o vencedor da Taça Guanabara e da Taça Rio for o mesmo clube, ele já será considerado o campeão da competição.

Iniciamos o turno de forma excelente empatando contra o Botafogo, com alguns desfalques por causa da Libertadores, em uma partida que sofremos o doloroso empate nos acréscimos, mas que não deixa de ser um ótimo resultado, apesar do gosto de derrota. A vitória viria na rodada seguinte com dois pênaltis nos dando a vitória contra o Bonsucesso, já que com bola rolando paramos no esquema idêntico do adversário.

Em seguida, inacreditavelmente vencemos o Flamengo reserva, por disputar a Libertadores, por 2 a 1 aproveitando a postura ofensiva do adversário e a infiltração do meia Thiago Souza, que marcou duas vezes e levou o prêmio de melhor da partida. No outro lado, os rubro-negros apenas produziram suas oportunidades com base na qualidade superior de seu elenco durante o abafa no final da partida, mas foi insuficiente para evitar a derrota.

Com os bons resultados contra os clubes grandes, tínhamos três partidas contra equipes do nosso patamar para chegar a 13 pontos e nos garantir na final da Taça Rio, algo inédito na história da Portuguesa desde a criação do turno em 1982. A começar pela vitória contra o Macaé e sua linha defensiva alta com seus laterais ofensivos, presa fácil para os nossos pontas. Em seguida, paramos no meio-campo congestionado do Boavista de Papai Joel e sofremos com a velocidade de Robert, que possui passagens por Fluminense e Barcelona B, contra a nossa linha defensiva, resultando na derrota por 2-0.

Com a derrota para o Boavista, jogamos a pressão para a última rodada, quando a briga pela liderança era contra o Vasco e íamos enfrentar o Madureira, enquanto que os cruzmaltinos jogariam o clássico contra o Flamengo. Dentro das quatro linhas, sofremos um gol logo no início, mas não demoramos para empatar e virar com grande atuação do menino Ramón, liderando as rápidas transições ofensivas nas costas dos laterais e nos colocando na final da Taça Rio. Adeus, Vasco!

image.png.7485eb5440d0c15e5916799748e3c227.png

As expectativas não se alteraram da Taça Guanabara para a Taça Rio. Portanto, a campanha neste turno foi obviamente muito acima do que imaginávamos e podemos dizer que estamos bem preparados para a Série D com o esquemas bem definido e boas atuações.

Como é de praxe, tenho uma ressalva tática a fazer: notei contra o 4-2-2-2 uma dificuldade em penetrar no meio-campo congestionado dos adversários sem uma ligação entre os dois meias e os atacantes. A minha reação foi retirar a instrução de levar a bola até a área, dando-nos mais verticalidade. No entanto, se eu sentir que estamos rifando muito a posse de bola, voltarei de forma provisória com a instrução usada anteriormente.

image.png.2ddbff99298cce58cf705527162883f4.png

Por fim, na final, estávamos de frente ao Flamengo novamente. Dentro de campo, a bola não entrou no primeiro tempo, mas a expulsão do volante Marcinho no início da segunda etapa degringolou o sofrimento que foi a segunda etapa: os rubro-negros marcaram duas vezes e só não marcaram mais por causa do goleiro Marcelo Moretto. No fim, título e classificação dos rubro-negros para a final do Campeonato Carioca, onde perderam para o Botafogo, e classificação da Portuguesa para a Copa do Brasil de 2018.

  • Campeonato Brasileiro Série D:

Após quase um mês sem jogos oficiais, finalmente a Série D está chegando e, para que tenham uma melhor noção dos nossos adversários na fase de grupos, fiz um breve resumo sobre as equipes que estão conosco no Grupo N.

Citar

yps6vbr.png J. MALUCELLI: o clube administrado por empresários, que está cotado para a liderança do Grupo N, atua sob as bases do 4-4-2 Losango e possui a melhor qualidade técnica entre as quatro equipes. Além disso, a equipe alcançou as quartas de final no Campeonato Paranaense, perdendo para o Coritiba nos pênaltis.

fkw42V4.png CEILÂNDIA: o Gato Preto, que será o nosso adversário direto pela segunda vaga nas oitavas de final da Série D, atua sob o 4-2-3-1. No Campeonato Brasiliense, os alvinegros não disputaram a final de nenhum dos turnos da competição, possuindo uma campanha ruim ao final dessa.

vbnxax8.png ESPÍRITO SANTO: a jovem equipe do Espírito Santo com seus apenas 11 anos de existência chega à Série D cotada a ser o saco de pancadas do Grupo N. No Campeonato Capixaba, a equipe comandada por Leandro Niehues foi semifinalista da competição atuando sob o 4-2-2-2 e perdendo para o campeão Vitória (ES).

O regulamento da competição funciona da seguinte forma: 17 grupos de quatro equipes são formados e o primeiro colocado e os 13 melhores segundos colocados são classificados diretamente para as quartas de final, enquanto que os quatro piores segundos colocados disputam uma eliminatória, onde os dois vencedores seguem para as quartas de final. Já o último colocado de cada grupo ficará sem divisão no ano seguinte. Por fim, os clubes seguem no mata-mata das quartas até a final. No entanto, a final não determina um vencedor, e sim os quatro clubes que alcançaram o acesso para a Série C.

NOTA: A outra opção de liga alternativa da Série D formava quatro grupos com 17 participantes, algo cansativo e totalmente fora da realidade. Apesar desta opção que escolhi não estar correta, é a que reproduz melhor a realidade.

Share this post


Link to post
Share on other sites
Tsuru

Fez uma Taça Rio excelente, se classificou vencendo um time grande e empatando com outro, e por pouco não conseguiu um resultado histórico. Com o time mais forte na próxima temporada as coisas podem ser ainda melhores.

Na Série D o único que deve dar trabalho deve ser mesmo o J. Malucelli. Ceilândia viveu um momento ruim no campeonato local e o Espírito Santo não deve ser uma ameaça. Acho que passa com a segunda vaga.

Boa sorte na continuação.

Share this post


Link to post
Share on other sites
ggpofm

Não esperava a Lusinha tão bem na Taça RJ. Alcançou uma final inédita e um vice para a galeria. Como ficou a classificação final do campeonato? A Lusa ficou em 4º?

Sendo um clube de uma liga com grande reputação e tendo montado um elenco com vários jovens vindo dos grandes clubes, acho que tem que colocar o Madureira como candidato à vaga, juntamente com o J. Malucelli. Os demais integrantes do grupo são figurantes, mas não pode vacilar.

De qual autor você usou a liga alternativa do Brasil? Brasil UP? MRT90? FMB?

Share this post


Link to post
Share on other sites
Henrique M.

2º turno surpreendente, achei que a equipe teria uma campanha similar a da Taça Guanabara, mas mesmo assim, a equipe conseguiu chegar a final e talvez tivesse capacidade de surpreender o Flamengo com 11 em campo. Mas mostra que a equipe vem forte para a Série D.

Share this post


Link to post
Share on other sites
Maiiron_

Gigantesco o segundo turno, mano. Agora é a hora de esperar a Série D, o grande desafio da temporada.

Share this post


Link to post
Share on other sites
Perissé
11 horas atrás, Tsuru disse:

Fez uma Taça Rio excelente, se classificou vencendo um time grande e empatando com outro, e por pouco não conseguiu um resultado histórico. Com o time mais forte na próxima temporada as coisas podem ser ainda melhores.

Na Série D o único que deve dar trabalho deve ser mesmo o J. Malucelli. Ceilândia viveu um momento ruim no campeonato local e o Espírito Santo não deve ser uma ameaça. Acho que passa com a segunda vaga.

Boa sorte na continuação.

Como a montagem do elenco visando a Série D terminou ali próxima do início da Taça Rio, jogamos o turno com uma qualidade maior e fizemos o crime contra o Flamengo e o Botafogo, que estavam com as equipes reservas por causa da Libertadores, diferente do Vasco e Fluminense, que ganharam da Portuguesa na Taça Guanabara.

Teoricamente, o Ceilândia seria o nosso adversário direto, mas a péssima campanha no Brasiliense me deixou mais confiante. Valeu, Tsuru.

8 horas atrás, ggpofm disse:

Não esperava a Lusinha tão bem na Taça RJ. Alcançou uma final inédita e um vice para a galeria. Como ficou a classificação final do campeonato? A Lusa ficou em 4º?

Sendo um clube de uma liga com grande reputação e tendo montado um elenco com vários jovens vindo dos grandes clubes, acho que tem que colocar o Madureira como candidato à vaga, juntamente com o J. Malucelli. Os demais integrantes do grupo são figurantes, mas não pode vacilar.

De qual autor você usou a liga alternativa do Brasil? Brasil UP? MRT90? FMB?

Acredito que ninguém esperava, né. No entanto, o término da montagem do elenco no início da Taça Rio qualificou o elenco. Além disso, os clubes grandes que enfrentei na Taça Rio usaram suas equipes reservas por causa da Libertadores. Já os grandes da Taça Guanabara não participaram da competição internacional.

O FM não monta a classificação geral, mas dá pra fazer facilmente com o cálculo usado pela FERJ (soma dos pontos da Taça Rio e Taça Guanabara, excluindo as partidas da fase preliminar e mata-mata). Assim, ficaríamos em 5º.

Madureira? Teoricamente, o Ceilândia seria o nosso adversário direto, mas a péssima campanha no Brasiliense me deixa mais aliviado e focado em bater o J. Malucelli. E sobre a liga alternativa, eu usei a do Gods.

7 horas atrás, Henrique M. disse:

2º turno surpreendente, achei que a equipe teria uma campanha similar a da Taça Guanabara, mas mesmo assim, a equipe conseguiu chegar a final e talvez tivesse capacidade de surpreender o Flamengo com 11 em campo. Mas mostra que a equipe vem forte para a Série D.

A montagem do elenco terminou no início da Taça Rio e o elenco sofreu uma notável melhora, comparando com a equipe da Taça Guanabara. Além disso, os clubes grandes que enfrentei na Taça Rio são os únicos do Rio que estavam na Libertadores, consequentemente tiveram que usar suas equipes reservas na maioria das partidas.

Sinto que o resultado na final contra o Flamengo teve um pouco de influência na expulsão, mas a equipe reserva rubro-negra ainda é forte, não sei se com 11 em campo surpreenderia. Na partida que vencemos, por exemplo, o Flamengo produziu inúmeras chances. A vitória só veio pela qualidade das chances que criamos, além de termos um porção de sorte quanto às chances do Flamengo.

2 horas atrás, Maiiron_ disse:

Gigantesco o segundo turno, mano. Agora é a hora de esperar a Série D, o grande desafio da temporada.

Valeu, Maiiron. Também esperei a Série D como o principal evento da temporada. Não é a toa que usei o Carioca pra montar e entrosar o elenco.

Share this post


Link to post
Share on other sites
ggpofm
13 horas atrás, Yan Perisse disse:

Madureira? Teoricamente, o Ceilândia seria o nosso adversário direto, mas a péssima campanha no Brasiliense me deixa mais aliviado e focado em bater o J. Malucelli. E sobre a liga alternativa, eu usei a do Gods.

KKKK. Fiquei com outro save na cabeça.

Seria uma surpresa para mim, o Ceilândia, equipe de uma campeonato com baixa reputação em relação ao Campeonato Carioca e também à Portuguesa se tornar seu adversário direto. Continuo apostando em uma pontuação alta que ou lhe dará o 1º lugar ou lhe dará a vaga como um dos melhores segundos. Vamos ver o que acontecerá.

Gods? É o Godão?

Share this post


Link to post
Share on other sites
Perissé
Em 04/01/2018 at 08:15, ggpofm disse:

Seria uma surpresa para mim, o Ceilândia, equipe de uma campeonato com baixa reputação em relação ao Campeonato Carioca e também à Portuguesa se tornar seu adversário direto. Continuo apostando em uma pontuação alta que ou lhe dará o 1º lugar ou lhe dará a vaga como um dos melhores segundos. Vamos ver o que acontecerá.

Gods? É o Godão?

O elenco do Ceilândia não é ruim, é um ligeiramente pior que o nosso. No entanto, a péssima campanha num Estadual bastante abaixo do nosso é de dar mais confiança mesmo.

Não faço ideia, mas acredito que não. Fui dar uma olhada na Série D que o Godão fez no FM 2017 é o formato é diferente da Série D que uso.

Share this post


Link to post
Share on other sites

Create an account or sign in to comment

You need to be a member in order to leave a comment

Create an account

Sign up for a new account in our community. It's easy!

Register a new account

Sign in

Already have an account? Sign in here.

Sign In Now

  • Similar Content

    • PedroJr14
      By PedroJr14
      Real Racing Club Santander, S.A.D.
      O clube da cidade de Santander teve sucesso relativo na Espanha, mantendo-se na primeira divisão do país em 15 das 16 temporadas entre 1996/97 e 2011/2012, só não esteve presente em 2001/02. Em todas essas temporadas em La Liga, o Racing superou a décima posição apenas uma vez, quando terminou em sexto na temporada 2007/08, ganhando assim a vaga continental. Los Verdiblancos terminaram em quarto, num grupo que continha Twente, Manchester City, Schalke e PSG, perdendo apenas um jogo e vencendo o Manchester City, que terminou na liderança do grupo. Conseguiram se manter na liga principal até 2011/12, quando começou a cair sucessivamente até chegar à Terceira Divisão, 2 anos mais tarde. O clube ensaiou uma reação em 2014/15, quando conseguiu o acesso para a Segunda Divisão, mas logo caiu de volta e até o presente não mais saiu de lá.

      O Racing Santander manda seus jogos no folclórico estádio El Sardinero, que tem capacidade para pouco mais de 22 mil espectadores. Entre os nomes que desfilaram por esse aconchegante estádio vestindo a camisa do Racing, estão: Felipe Melo (Palmeiras), Henrique (Corinthians), Ezequiel Garay (Valencia), Yossi Benayoun (ex-Chelsea e Liverpool), Giovanni Dos Santos (LA Galaxy), Sérgio Canales (ex-Real Madrid), Marcos Alonso (ex-Barcelona e A. Madrid, pai de Marcos Alonso do Chelsea) e Christian Stuani.

      Sem nunca ter conquistado um título de expressão, o Racing Santander caiu ao fundo do poço por causa de uma crise financeira e nunca mais conseguiu se reerguer. A saída do treinador Pedro Muntis para o Ponferradina e a falta de recursos para buscar um técnico fora de Santander, obrigaram o clube a promover o Técnico Marco Botín, que terá um contrato curto, de apenas 1 ano. O jovem treinador de 26 anos terá que provar o seu valor e o seu amor pelo clube da cidade.
       
      Objetivos
      [Secundários]
      - Subir de volta à La Liga
      - Ter um jogador convocado por uma seleção top 10 mundial
      - Fortalecer as estruturas das divisões de base do clube ao máximo
      - Construir um novo estádio, ou ampliar o Sardinero
      - Transformar ao menos 3 jogadores contratados por mim em lendas do clube

      [Primários]
      - Terminar acima do décimo lugar em La Liga
      - Chegar a uma competição continental
      - Vencer uma competição de nível nacional 
      - Vencer uma competição intercontinental
      - Ser Campeão Mundial de Clubes
      - Tornar-se uma lenda no clube
       
    • Henrique M.
      By Henrique M.
      Reflexões, ponderações e filosofias
      Antes de falar do save em si, queria aproveitar o espaço para fazer um desabafo. Parece que a cada novo FM que surge eu vou perdendo cada vez mais o contato que eu tinha com o jogo no passado, mas vejo alguns exemplos de pessoas na mesma faixa de idade, mesma faixa de afazeres ou até em faixa maiores, jogando e tendo a boa e velha conexão com o jogo. Não sei se posso culpar o jogo em si ou culpar o jogo com relação a mim. Poderia ser pessoal, mas recentemente venho me divertindo no Football Manager 2008 e poderia facilmente migrar para o Football Manager Touch, que foi minha grande empolgação com um save, tirando os playoffs de promoção com o Santarcangelo. Então acredito que o problema não é do jogo, nem da minha relação com o jogo. É do que eu quero ver acontecendo no jogo.
      Infelizmente eu escolhi um desafio que o jogo não estava disposto a aceitar nas minhas condições, era possível, mas eu precisava aceitar as condições que o jogo impunha e isso não era o suficiente, eu precisava de mais e não aguentava ver o resultado do que eu queria dentro de campo. Não ligo para derrotas, para os percalços, desde que eles ocorram com meu time atuando da maneira pela qual ele foi desenhado para atuar. Se eu me comprometo com a retranca, tenho que estar ciente do que ela causa, se eu me comprometo com o jogo ofensivo, tenho que estar ciente do que ele causa e assim por diante. A questão é que eu me comprometi com uma coisa diferente, que era o líbero, não era uma questão de tática, não era uma questão de estilo de jogo. Era uma questão de trazer uma função morta para o FM e fazê-la funcionar tanto defensivamente quanto ofensivamente, mas isso limitava meu estilo de jogo a ser puramente defensivo ou contra-ofensivo. E as equipes que tiveram grandes líberos ofensivos não jogavam exclusivamente assim e muitas poderiam ser descritas como equipes fluidas e ofensivas.
      Eu passei do estágio de querer ver um desafio impossível sendo feito por mim, passei do estágio de querer acumular títulos e fazer grandes saves em termos de troféus e vitórias. Tive um dos maiores prazeres no FM 2015 com uma equipe que ganhou 3 italianos em umas 15 temporadas, perdeu 2 vezes a Champions e até hoje sinto saudades desses momentos, pois ali eu não estava construindo a minha dinastia, ali eu estava construindo uma história em conjunto com um clube. Tinha aquele apego, tinha aquela paixão de transformar o mundo do futebol. E esse é um problema grande, não consigo fazer igual a maioria das pessoas e escolher um save simples, seguro e que seja factível de se encerrar. Eu quero o desafio de modificar a história, criar momentos que só o FM proporciona e isso acredito que vem dificultando o processo de jogar FM.
      Desafabo feito, hora de seguir adiante e tentar mais uma vez. Se falharmos, levantamos, sacudimos a poeira e tentamos de novo.
      Introdução
      No Football Manager 2014 eu tentei aquele desafio impossível, meu grande feito até hoje foi conquistar a Champions League com o Rangers da Escócia no FM 2012. Por isso, decidi apimentar as coisas e buscar o título da Champions League com outro clube britânico, só que dessa vez advindo da Irlanda. Foram lindas 12 temporadas com 10 títulos nacionais, 9 deles consecutivos e incontáveis títulos nas copas domésticas, transformando o Shamrock Rovers no maior vencedor de todas as competições irlandesas. Em nível continental, realizamos o feito que o Dundalk realizou nessa temporada, ao se tornar o primeiro clube irlandês a participar de uma fase de grupos de uma competição europeia e fomos além, chegamos até as oitavas-de-final da Champions em uma ocasião e participamos por 3 ou 4 vezes do mata-mata da Liga Europa. Porém, apesar de nunca sequer estar perto de alcançar o único objetivo do save, transformei o Shamrock Rovers, mas isso não foi o suficiente para alavancar o futebol irlandês e sem a alavancagem do futebol irlandês seria impossível chegar até o objetivo do save. Eu me frustrei com isso, encerrei o save, depois me arrependi, mas a decisão já estava feita. Contudo, nesse save desenvolvi jogadores, criei ícones e lendas do clube, inclusive consegui segurar uma gigante promessa irlandesa por mais de 10 temporadas na equipe, fazendo com que um jogador da base se tornasse um importante jogador da história da equipe. E eram essas pequenas coisas que seguravam o save, mas infelizmente, ele estaria fadado a nunca dar certo da maneira que eu gostaria.
      Por isso, no ano passado, o ggpofm traduziu e adaptou um texto sobre como tornar uma liga competitiva e eu decidi que era hora de tentar realizar o impossível novamente, porém eu incuti no erro de começar o jogo no FM 2014 e comparar as duas histórias e é óbvio que isso deu errado, pois eu me frustrava com o que ocorria e olhava e comparava com o que havia sido feito e me perguntava o que estava acontecendo e o que estava sendo feito de errado, até o ponto em que eu comecei a tentar emular as decisões do passado. Isso ruiu a tentativa.
      É hora de aprender com o passado e recomeçar um desafio diferente que é transformar uma liga com um desafio do passado, a busca do impossível. Sinceramente, espero que seja esse o combustível necessário, pois o fato de querer continuar participando ativamente da área me fez retornar rapidamente com uma história. Quando não estou contando um save, a atenção que dou a área é totalmente diferente e sinceramente, como é uma área que pulsa numa vibração interessante e revigorante, acho injusto comigo mesmo não estar aqui, mesmo que o preço seja mais uma história inacabada.
      Objetivo
      Conquistar a Champions League com o Shamrock Rovers Regras do save
      Se o jogador não serve mais para o Shamrock Rovers, a prioridade é repassá-lo para uma equipe irlandesa, mesmo que isso signifique aceitar uma oferta menor ou perder o jogador de graça. Não contratar destaques de outras equipes irlandesas. Buscar repatriar jogadores irlandeses de ligas estrangeiras. Buscar contratar jovens promessas de equipes irlandesas, com o propósito de acelerar a evolução do mesmo. Buscar antecipar a concorrência externa pelos principais jogadores da liga, evitando que jogadores de bom nível ou alto potencial saiam do país. (A única condição que permite contratar um jogador adversário que seja importante para o clube) Caso alguma nova necessidade vá surgindo, irei informar num post e adicionar aqui Histórico
      2017 - 1º lugar na Airtricity Premier League, eliminado na 1ª rodada qualificatória da Europa League
      2018 - 1º lugar na Airtricity Premier League, eliminado no Playoff dos campeões da Champions League, 4º lugar no Grupo K da Europa League
      2019 - 1º lugar na Airtricity Premier League, Campeão da Copa da Irlanda, Campeão da Leinster Cup, 4º colocado no Grupo C da Champions League
      2020 - 1º lugar na Airtricity Premier League, Campeão da Copa da Irlanda, eliminado na 3ª Qualificatória da Champions League e nos Playoffs da Europa League
      2021 - 1º lugar na Airtricity Premier League, Campeão da Copa da Irlanda, Campeão da EA Sports Cup e 4º colocado no Grupo C da Champions League
      2022 - 1º lugar na Airtricity Premier League, Campeão da Leinster Senior Cup e 4º colocado no Grupo H da Champions League
      2023 - 1º lugar na Airtricity Premier League, Campeão da Copa da Irlanda, Campeão da Leinster Senior Cup e 2º colocado no Grupo J da Europa League
      2024 - 1º lugar na Airtricity Premier League, Campeão da Copa da Irlanda, Campeão da EA Sports Cup, eliminado nos 32-avos-de-final da Europa League e 3º colocado no grupo G da Champions League
      2025 - 2º lugar na Airtricity Premier League, Campeão da Copa da Irlanda, eliminado nos 32-avos-de-final da Europa League e 4º colocado no grupo B da Champions League
      2026 - 1º lugar na Airtricity Premier League, Campeão da Copa da Irlanda, Campeão da Leinster Senior Cup e 4º colocado no Grupo L da Europa League
      2027 - 1º lugar na Airtricity Premier League, Campeão da EA Sports Cup, Campeão da Leinster Senior Cup e 3º colocado no Grupo H da Champions League
      2028 - 1º lugar na Airtricity Premier League, Campeão da Copa da Irlanda, Campeão da EA Sports Cup e eliminado nas oitavas-de-final da Europa League e 3º colocado no Grupo E da Champions League
      2029 - 1º lugar na Airtricity Premier League, eliminado nos 32-avos de final da Europa League, 4º lugar no Grupo A da Champions League
      2030 - 1º lugar na Airtricity Premier League, Campeão da Copa da Irlanda, Campeão da Leinster Senior Cup e 4º lugar no Grupo C da Champions League
      2031 - 1º lugar na Airtricity Premier League, Campeão da Copa da Irlanda, Campeão da EA Sports Cup, Campeão da Leinster Senior Cup e 2º lugar no Grupo H da Champions League
      2032 - 1º lugar na Airtricity Premier League, Campeão da EA Sports Cup, Campeão da Leinster Senior Cup, Eliminado nas oitavas-de-final da Champions League 2031/2032  e 2º lugar no Grupo F da Champions League 2032/2033
      2033 - 1º lugar na Airtricity Premier League, Campeão da Leinster Senior Cup, Eliminado nas oitavas-de-final da Champions League 2032/2033 e 3º lugar no Grupo G da Champions League 2033/2034
      2034 - 1º lugar na Airtricity Premier League, Campeão da EA Sports Cup, Campeão da Leinster Senior Cup, Eliminado nas quartas-de-final da Europa League 2033/2034 e 3º lugar no Grupo C da Champions League 2034/2035
      2035 - 1º lugar na Airtricity Premier League, Campeão da EA Sports Cup, Campeão da Leinster Senior Cup, Campeão da FAI Ford Cup, Campeão da Europa League 2034/2035, Campeão da Super Copa da UEFA 2035 e 1º lugar no Grupo H da Champions League 2035/2036
      2036 - 1º lugar na Airtricity Premier League, Campeão da FAI Ford Cup, Eliminado nas oitavas-de-final da Champions League 2035/2036 e 3º lugar no Grupo E da Champions League 2036/2037
      2037 - 1º lugar na Airtricity Premier League, Campeão da FAI Ford Cup, 4º lugar no grupo C da Champions League 2037/2038
      2038 - 1º lugar na Airtricity Premier League, Campeão da FAI Ford Cup, Campeão da EA Sports Cup, Campeão da Leinster Senior Cup, 3º lugar no Grupo F da Champions League 2038/2039
      Histórico de posts
      Shamrock Rovers e Irlanda A primeira pré-temporada Algumas surpresas na tabela Liderança na Irlanda, decepção na Europa Vantagem é sempre importante A baciada fica para o meio do ano Uma temporada mais competitiva Irlanda x Escócia Celtic Park, Olympiyskyi, Vélodrome e King Power Stadium 3 contratações, 32 despedidas Enfim mediremos força com o Dundalk? Onde os outros perdem, nós vencemos Um empate que vale por duas temporadas e meia Em time que está ganhando não se mexe? Mais um voo solo? Dois patetas, as traves e um muro espanhol Em terra de irlandês, quem é Shamrock, é rei! As primeiras cifras em reforços Um começo de temporada inédito 166 convocações no elenco Os desafios financeiros da Irlanda Um estádio para chamar de nosso Alguém parará o Shamrock Rovers? Muita movimentação no Tallaght Uma Irlanda que dá trabalho O retorno do atacante solitário Falta embalar Uma chance inesperada Deem um pouco mais de crédito para a Liga Irlandesa Vendas milionárias Sentimos sua falta, O’Brien! Gribbinaldinho Fenômeno! A 5ª maior instituição da Irlanda Remodelagem tática A melhor campanha da história do primeiro turno Na perseguição do Cork City Verde é a cor da Irlanda Um vacilo milionário A melhor campanha da história do primeiro turno – Parte 2 Mais Irlanda na Europa Forde, por que faz isso comigo? Batemos a marca de 2 milhões Um carrossel verde e branco Simplesmente avassalador! Um péssimo ano para ser Bohemian Um mercado prolífico Um novo concorrente no horizonte? Eurocopa 2028 A solução que veio e que foi Chora, Allegri! Reaprendendo a jogar Tudo conforme o script Dinamo Zagreb A única vez foi em 2017 O bom filho a casa torna Uma máquina chamada Conor Wilson Copa do Mundo 2030 Maldito sorteio da Champions League Uma abordagem renovada Poxa, UCD! Um dia ruim por turno O doce aroma da elite europeia De pontas para volante Uma noite irlandesa em Londres As dificuldades de ser maior que a liga irlandesa Meus jogadores são de um material superior Que venha o Lyon! Teremos um campeonato!? Segue o líder! A gente bem que tentou, mas o Cork não quis! Regulamento debaixo do braço Faltaram apenas 6 minutos Mais uma vaga na Champions League! Dosharaithe E estamos de volta A estrada até aqui... Real Madrid x Shamrock Rovers Super Copa da UEFA Green Stadium Uma homenagem à Conor Wilson Começo claudicante, mas final esperado O fim de duas eras Sob nova direção A Airtricity Premier League é uma das 10 maiores da Europa 20 anos de Danny Green Um campeonato que ainda está em aberto Vexatório! O plano quinquenal Zero gols, zero derrotas Uma nova era para o Hoops Tinha um italiano no meio do caminho Uma insípida janela de transferências Um paredão azul
    • Felipe Soares
      By Felipe Soares
      Desde o saudoso CM 01/02 eu marco presença e viro noites e dias jogando games de manager. E, talvez, como muitos aqui vivia na solidão de não ter nenhum amigo que jogasse e pudesse compartilhar histórias, fatos e conquistas. Eu acreditava que era um universo pouco explorado e pouquíssimas pessoas jogavam, até que recentemente descobri o blog do Henrique M. (https://www.engenhariadofutebol.com.br/) que consequentemente me levou até aqui. Acompanho muitas histórias aqui, mas sempre fui tímido pra comentar ou até mesmo criar uma conta, preferi segui o anonimato. Em meus anos de vivência de alegrias e tristezas provindas do FM, tive várias conquistas épicas, mas sem ninguém pra contar, sem prints, sem nada, hoje não passariam de história de pescador. Então resolvi escrever minha primeira história, rasgar a barreira do anonimato e me colocar no mapa do FManager.


      O Save  

      Aproveitando a oportunidade, quero colocar o Maranhão no mapa também. Mesmo tendo nascido em Imperatriz e ser torcedor Cavalino (Cavalo de Aço é a alcunha do time em questão), nunca comecei um save com o SID (Sociedade Imperatrizense de Desportos). Sempre preferi os saves europeus e tal, porém no último sábado o Cavalo de Aço levantou a a taça do Campeonato Maranhense pela 3x na sua história com um gol aos 47 minutos do segundo tempo na casa do adversário (#ChupaMoto). Não existe nada mais incrível no mundo que uma situação assim, nada é mais lindo que um gol de título nos acréscimos. Foi impossível não me apaixonar novamente pelo clube da minha cidade natal depois dessa experiência. 


      Apresentação do Imperatriz (SID) e contexto político

      Conhecido como a força do interior, o time representa a maior cidade do interior do Maranhão (Que por muito tempo foi/é considerado o estado mais pobre do país). Fundado em 4 de janeiro de 1962 o clube nunca teve muito destaque no cenário futebolístico brasileiro, contando apenas com discretas participações no Campeonato Brasileiro da Série C no seu auge e apenas três (gloriosos) títulos estaduais (2005, 2015 e 2019).

      O time tem a honra de ter tido na estreia do seu estádio (Frei Epifânio D'Abadia) o gênio das pernas tortas, Garrincha, vestindo o seu manto. Além dos títulos estaduais, o maior feito do time foi ter descoberto o Ralf (atualmente Corinthians e Seleção Brasileira) quando ele estava esquecido e sem clube. Após a campanha história do primeiro título estadual, marcando gol na final, o volante revitalizou a carreira. Mas ficou conhecido como "caso Ralf" porque saiu a custo zero e o SID nunca ganhou um centavo com o sucesso dele. Anos depois em entrevista ele criticou a diretoria e ainda mandou a frase: "passei fome lá".


      Ralf em 2005

      Sim, futebol e política se misturam e no Maranhão essa sempre foi uma verdade. Talvez existam aqui no grupo companheiros ludovicenses que possam discordar (ou não) dos fatos a seguir, mas meu vô (ex-ponta esquerda) sempre falou "Só quem calça o sapato sabe onde aperta".

      Por muito tempo houve um movimento separatista chamado Maranhão do Sul (onde Imperatriz seria a capital desse novo estado) movido pela insatisfação das inúmeras injustiças/descaso do governo da capital. Não quero adentrar nos detalhes econômicos e sociais da "coisa", vou me ater ao futebol. Além dos regulamentos like a Carioca, a FMF sempre arrumou uma maneira de prejudicar os times de Imperatriz. O próprio JV Lideral, time que surgiu com força econômica e estrutura acima da média, desistiu do futebol profissional por não aguentar as barbáries da Federação Maranhense. 

      Objetivos e regras do save

      Sempre tive curiosidade de jogar um desafio da base e então esse será o primeiro. Mas diferente de outros desafios da base, quero responder essa pergunta: "Será que é possível desenvolver uma base moldado em uma filosofia e, com o tempo, formar jogadores nesses moldes e eles mudarem a 'cultura futebolística' de um lugar?" Sou fã de Pepe Guardiola, La Masia, J. Cruyff e tudo que envolveu essa atmosfera 'barcelonística'. Inclusive sou técnico de um time de fut7 (@atleticorealec - instagram) e tento aplicar esse estilo de jogo (quem sabe um dia eu conto sobre isso). Então não poderia ser diferente, a ideia é colocar o Maranhão no mapa do futebol brasileiro jogando um futebol que lembre o Barcelona de Pep: Ofensividade e Posse de Bola.
       
      Ser o maior time maranhense (Títulos, Reputação e Finanças) Se tornar o maior campeão maranhense - Sampaio Correia (33) Superar o feito histórico do Sampaio (Único time no país a vencer 3 divisões - B, C e D) Repetir o Caso Ralf (Um jogador revelado no clube que chega a seleção), só que com um desfecho "feliz" e com um jogador oriundo da base. Ter um representante do "Barcelona do Maranhão" no verdadeiro: um jogador revelado no SID ser contratado pelo Barcelona. Vencer a Série A Vencer a Copa do Brasil Vencer a Libertadores Vencer o Mundial  
      Então é isso, em breve eu atualizo aqui com os dados do jogo, treinador e os primeiros resultados. 
    • Tsuru
      By Tsuru
      Os celtas eram um conjunto de povos que ocupava grande parte do território da Europa por volta de 1.000 a.C., indo desde a atual Grã-Bretanha até o local onde hoje é a Turquia. Há muitas teorias sobre a origem e a expansão desses povos, mas é um período tão antigo que as raízes se perdem no tempo. É inclusive dessa época que surge a lenda do Rei Arthur, que teria liderado a resistência dos bretões celtas contra os romanos.
      Outro detalhe interessante é que, na cultura celta, "Brasil" era uma ilha mística situada em algum local do oceano, e a própria origem desse nome é céltica. Há quem acredite que os povos antigos já conheciam a origem do Brasil e que foram eles que introduziram, na cultura popular europeia, a informação de que existiam terras além mar cheias de riquezas e animais exóticos. Esse detalhe eu não sabia e quem compartilhou a informação foi o @Inner Logic.
      Entre outras coisas que se sabe concretamente, é notório que os celtas veneravam a natureza e que, entre seus pares, existiam os druidas, pessoas encarregadas das tarefas de aconselhamento, ensino, orientações filosóficas e jurídicas, e rituais religiosos. 
      Entre os druidas famosos, reais ou imaginários, estão o lendário Merlin e o Panoramix, que preparava a poção mágica do Asterix. E essa figura do druida sempre fascinou este que vos fala, o que levou a pesquisar mais sobre a cultura em questão e sobre sua história.
      Descobri, inclusive, que hoje existem seis nações apontadas como “célticas originais”, por manterem traços culturais ou de linguagem desse povo - País de Gales, Escócia, Irlanda, Bretanha (no norte da França), Cornualha (sul da Inglaterra) e Isle of Man (entre a Inglaterra e a Irlanda). Há ainda outras regiões onde a influência celta é considerada forte, como o Norte de Portugal, as regiões da Galícia e Astúrias na Espanha, e a antiga Gália (atuais França, Bélgica e norte da Itália). E há ainda territórios ocupados por antigas tribos celtas onde pouco se sabe sobre o legado deixado por eles, como o sul da Alemanha/Áustria e diversos países do Leste Europeu.
      No futebol, talvez a influência mais clara desses povos seja o Celtic FC da Escócia, batizado com objetivo de propagar o orgulho que os fundadores tinham dessa origem.
      Já havia lido sobre a liga de futebol do País de Gales e sentido bastante vontade de experimentá-la, talvez porque seja um país muito associado aos druidas. E a ideia se complementou com a descoberta das nações célticas.
      Assim, narrarei a carreira de Drew Johnson, um treinador galês fictício sem qualquer experiência, apelidado de “O Druida” por ser um adepto do Neodruidismo.
      A jornada se iniciará na terra natal de Johnson, uma vila de 7 mil habitantes chamada Cefn Mawr (se lê "Kevin Maur"), localizada no condado de Wrexham.

       


       


      Carreguei todas as nações celtas “originais”, algumas delas representadas pelo país onde se situam, e escolhi outras para representar os territórios com forte influência céltica. 
      Na database original do FM, a liga galesa só tem a Welsh Premier League, a elite do futebol local; para dar um pouco mais de emoção, ativei a segunda divisão através do update do Classen.
      Foi necessário deixar alguns países de fora - por exemplo, Itália, Alemanha e Áustria - até porque não sei se meu notebook aguentaria o tranco. Só para garantir, diminuí a qualidade gráfica e tirei as animações, aparentemente o jogo está rodando sem problemas.
      Acho que, no geral, ficou bem representativo e com boas opções de progressão de carreira.
       

       
      Conquistar pelo menos um título por cada país onde passar; Conquistar um título invicto; Conquistar, em uma temporada, todos os títulos em disputa; Vencer a Liga dos Campeões da Europa; Vencer a Copa do Mundo; Me divertir.
       
       
      Nunca pedir demissão no meio de uma temporada;
      Se estiver empregado, priorizar a assinatura de novos contratos para o início da temporada seguinte, a fim de não abandonar nenhum clube durante uma competição.
       
    • Neynaocai
      By Neynaocai
      PRA QUEM CHEGOU AGORA, RECOMENDO DAR APENAS UMA OLHADA POR CIMA NA PRIMEIRA TEMPORADA E IR LOGO AO QUE INTERESSA, QUE A PARTIR DE HOJE (07/12/2018) SERÁ INDICADO ABAIXO:
       
       
      Uma nova jornada. Capítulo 1: La voix du peuple est la voix de Dieu.
      Uma nova jornada. Capítulo 2: Entre grandes expectativas e a realidade!
      Uma nova jornada. Capítulo 3: A segunda temporada.
      Uma nova jornada. Capítulo 4: X-saladas, caldo-de-canas, bolachas, refrigerantes e gols.
      Uma nova jornada. Capítulo 5: Tem que ter pojeto?
      Uma nova jornada. Capítulo 6: Tutorial de como ser campeão em menos de duas temporadas.
      Uma nova jornada. Capítulo 7: Em segundo, se virares a mesa.
      Uma nova jornada. Capítulo 8: O último a sair apague a luz.
      Uma nova jornada. Capítulo 9: Prioridades.
      Uma nova jornada. Capítulo 10: Um Chicago a sorrir.
       
      ESPECIAIS
      You are fake news. Um desabafo contra a imprensa.
      Copa do Mundo Sub-20 2017.
      Copa do Mundo 2018
      Copa Ouro 2019 - Campeonato Mundial Sub-20 2019.
      Pré-olímpico 23: Sem chance.
       
       
       
×