Jump to content

Recommended Posts

  • Vice-President

eossvsD.png

Depois de muito tempo sem jogar um save no Brasil, decidi que era hora de retornar ao nosso país e começar uma nova aventura. Com o recém-lançamento do patch 19.2 do Football Manager 2019 e o final da temporada brasileira, e consequentemente atualização da database que irei utilizar para adicionar a Série D ao jogo, é hora do anúncio. Para o meu retorno ao Brasil, escolhi um clube mineiro, a Associação Atlética Caldense, também conhecida como A veterana.

Coincidentemente ou não, é meu terceiro save consecutivo aqui com uma equipe alviverde (Shamrock Rovers em Uma Só Nação e Werder Bremen). E se não fosse a Caldense, aparentemente, a outra opção também seria alviverde. Acaba sendo uma curiosidade, apesar de não ter muita relevância, achei interessante mencionar. O clube é de Poços de Caldas, cidade do interior de Minas Gerais. Poços de Caldas conta com quase 170 mil habitantes, portanto, é uma cidade com potencial para um clube de futebol.

A Caldense foi fundada em 1925, logo, a ideia é estarmos ao menos na Série A no ano do centenário. Como entre a temporada 2019 e 2025 ocorrem cinco temporadas, seria uma meta plausível, entretanto, algumas ideias surgiram para tornar esse save diferente do tradicional. Não via muito sentido em fazer uma jogatina tradicional, tal qual fiz com o Werder Bremen no FM 2018, por isso, decidi pensar algumas estratégias para tornar o desafio de levar uma equipe brasileira do anonimato ao estrelato.

Categoria de base ou Diretor de Futebol?

Existem alguns desafios tradicionais no Football Manager, como o desafio de San Marino, o Desafio do Sir Alex Ferguson, o Desafio da Base, o Desafio do Diretor de Futebol e muitos outros. Os dois primeiros são específicos da liga italiana e inglesa, respectivamente, enquanto a aplicação dos outros dois é universal. Eu já realizei um save da base, nos moldes idealizados no FM 2016, mas não fui muito além. Assumi o Concarneaux, na última divisão francesa e apesar de ter jogado seis temporadas, não foi de muito sucesso. Consegui subir e jogar a Ligue 2 na quinta temporada, mas caímos na primeira participação de volta à National, mas encerramos a sexta temporada com o retorno a Ligue 2 e título da divisão.

O desafio do Diretor de Futebol eu nunca tentei e por isso, ficava o desejo. E temos que lembrar que a liga brasileira é uma das mais recomendadas para esse tipo de abordagem, já que simula bem a realidade dos treinadores brasileiros. Esse desafio consiste em delegar todas as contratações ao seu Diretor de Futebol, com o treinador podendo apenas realizar indicações.

Até pensei em mesclar as duas coisas em uma só, mas o fato de poder recomendar contratações, tiraria todo o sentido de fazer um save de categoria de base. Por isso, para o save com a Caldense, retirando o atual elenco, eu apenas utilizarei jogadores oriundos da base nesse save. Logo, A Veterana será a busca de fazer com que a base da Caldense leve a equipe até o ápice do futebol continental e mundial.

Apresentação do save sem FM

Meu tempo está meio curto nesse final de ano, mas deve melhorar a partir da próxima semana, mas eu quis utilizar um pouco do tempo que tenho para fazer o anúncio e apresentar o save. Desde que o FM 2019 foi lançado, meu tempo passou a ser dividido entre FM 2017, recentemente o 2018 e The Witcher 3. Ao optar por fazer isso, terei tempo para fazer uma apresentação mais detalhada e não algo apressado apenas para jogar o FM 2019.

Por isso, essa apresentação veio assim, sem muito FM, entretanto, para compensar resolvi trazer algumas informações para que vocês possam conhecer melhor o clube.

Informações sobre a Caldense

Como já mencionamos, as cores da equipe são verde e branco e o mascote da veterana é um periquito. A sua grande rivalidade futebolística é o Rio Branco de Andradas Futebol Clube. A equipe joga no Estádio Dr. Ronaldo Junqueira, carinhosamente apelidado de Ronaldão. O estádio tem capacidade para 7600 pessoas (vida real), e sua maior lotação foi de 14200 pessoas. Infelizmente, o proprietário não é o clube. Felizmente, algumas dessas informações divergem do que está na base de dados do Football Manager. O estádio é maior e do clube no jogo.

mascote da caldense
Periquitão, o mascote da Caldense

Principais conquistas

Em termos de título, a equipe ganhou o Campeonato Mineiro em 2002. Entretanto, nesse ano, o campeonato foi uma espécie de Campeonato do Interior, já que os grandes da capital não participaram. Enquanto em 2015, a Caldense fez uma brilhante campanha, chegou até a final contra o Atlético-MG e foi prejudicada pela arbitragem no jogo decisivo, onde o mando de campo era seu. Infelizmente, esses são os maiores momentos de glória da Veterana.

estádio da Caldense
Estádio Dr. Ronaldo Junqueiro, o Ronaldão, a casa da Caldense

caldense campeã mineira de 2002
Elenco da equipe na conquista do Campeonato Mineiro de 2002

A equipe participa do Campeonato Mineiro desde 1960, são 43 participações ao longo desses anos todos. A equipe esteve na elite mineira em 36 delas, e desde 1986 foi rebaixada apenas uma vez. A queda em 2007 levou a equipe ao Módulo II, onde levou duas temporadas para retornar. E desde 2009, a equipe está ininterruptamente no Módulo I do Campeonato Mineiro, apesar de ter flertado com o rebaixamento nesse ano.

11847656_905616676179169_1457684866_o.jp
Elenco da Caldense que foi vice-campeão do Campeonato Mineiro em 2015

Participações em competições nacionais

A equipe participou apenas uma vez da elite do futebol brasileiro, em 1979. Além disso, também só tem uma participação na Série B e Série C. Mas em termos de Série D, ela é uma das equipes que mais representou Minas Gerais. São cinco participações em 10 anos de competição, e apenas o Villa Nova tem mais participações que a Veterana.

A equipe de Nova Lima participou por seis vezes do último escalão nacional. Curiosamente, nenhuma das duas conquistou a promoção para a Série C, mesmo com uma participação enorme na divisão. Em Minas Gerais, apenas Tombense e Tupi já conquistaram o acesso, com a equipe de Juiz de Fora sendo a equipe que mais vezes subiu para a Série C na história da competição, com dois acessos.

Curiosidades e ídolos do clube

No site oficial da Caldense, a equipe cita algumas curiosidades como ter sido a última equipe que Garrincha enfrentou, a primeira equipe que Ronaldo Fenômeno enfrentou, ter recebido um prêmio das mãos de Galvão Bueno e ter disputado uma partida com a seleção brasileira.

Os ídolos são o goleiro Paulão (jogador que mais vezes vestiu a camisa do clube), o goleiro Gilberto Voador (considerado o melhor goleiro da história do clube), o zagueiro Fábio Paulista (que chegou ao clube no último rebaixamento ao módulo II e ajudou na transformação da Veterana em uma das forças do interior mineiro), o zagueiro Buzuca (considerado o maior zagueiro da história do clube), o lateral-direito Orlando (um dos quatro jogadores que vestiram a camisa da seleção brasileira na história do clube), o também lateral-direito Arnaldo, o ponta-direita Augusto (um dos maiores artilheiros da história do clube), o atacante Mirandinha (o maior artilheiro da história da Caldense e não é o ex-São Paulo), e o atacante Walderi. Além disso, Walter Casagrande já passou pelo clube e é o jogador de maior renome a vestir a camisa da veterana.

Objetivos do save

  • Conquistar o Mundial de Clubes;
  • Conquistar a Libertadores da América;
  • Conquistar o Campeonato Brasileiro - Série A;
  • Conquistar a Copa do Brasil;
  • Conquistar o Campeonato Mineiro;
  • Ser o clube mineiro com a maior quantidade de campeonatos brasileiros (Cruzeiro possui 4);
  • Ser o clube brasileiro com a maior quantidade de Libertadores (Grêmio, São Paulo e Santos possuem 3);
  • Ser o clube mineiro com a maior quantidade de Copas do Brasil (Cruzeiro possui 6);
  • Ser o clube do interior com a maior quantidade de estaduais (Villa Nova possui 5);
  • Ter, simultaneamente, 11 jogadores da base da Caldense na seleção brasileira;
  • Ser o clube brasileiro com a maior quantidade de jogadores formados no clube na Série A;
  • Ser o clube brasileiro com a maior quantidade de jogadores formados no clube nas principais ligas europeias;
  • Ter superioridade de vitórias no confronto direto contra as grandes equipes do Estado;
  • Estar na Série A no ano do centenário do clube;
  • Mais objetivos podem ser adicionados, caso eu julgue necessário;

Continuidade de Uma Só Nação

O save Uma Só Nação continuará a todo vapor. Não tenho intenção de pará-lo.

Histórico da Caldense

  • 2019: 7º lugar no Campeonato Mineiro, eliminado nas quartas-de-final, 4º lugar no Grupo M da Série D;
  • 2020: 7º lugar no Campeonato Mineiro, eliminado nas quartas-de-final, 4º lugar no Grupo N da Série D;
  • 2021: 5º lugar no Campeonato Mineiro, eliminado nas quartas-de-final, 3º lugar no Grupo M da Série D;
  • 2022: 6º lugar no Campeonato Mineiro, eliminado nas quartas-de-final, 3º lugar no Grupo M da Série D;
  • 2023: 4º lugar no Campeonato Mineiro, eliminado nas semi-finais, 1º lugar no Grupo M da Série D, eliminado nas quartas-de-final;
  • 2024: 5º lugar no Campeonato Mineiro, eliminado nas semi-finais, 1º lugar no Grupo M da Série D, eliminado na 1ª Eliminatória;
  • 2025: 8º lugar no Campeonato Mineiro, eliminado nas quartas-de-final, 1º lugar no Grupo M da Série D, eliminado nas oitavas-de-final;
  • 2026: 6º lugar no Campeonato Mineiro, eliminados nas quartas-de-final, 2º lugar no Grupo M da Série D, eliminado na 1ª Eliminatória;
  • 2027: 4º lugar no Campeonato Mineiro, eliminado nas semi-finais, vice-campeão da Série D;
  • 2028: 9º lugar no Campeonato Mineiro, 6º lugar no Grupo B da Série C;

Índice da história

Link to comment
Share on other sites

Henrique, cumprir esses objetivos será acima de tudo uma aula de como jogar FM. Eu não me atrevo a tanto, rsrs, principalmente porque além dos desafios em si, você criou regras para cumpri-las. Acompanharei a nova saga sem dúvida, boa sorte!

Link to comment
Share on other sites

bacana save com a caldense..sorte.. 

Edited by Thiago Snitram
Link to comment
Share on other sites

Vai ter um grande desafio pela frente, mas isso faz com que o save seja prazeroso. Como sempre estarei acompanhando e claro, comentando. Boa sorte.

Link to comment
Share on other sites

Legal seu retorno ao Brasil. Sorte na continuação dos saves. 

Qual o motivo para se chamar a Veterana, se existem clubes mais antigos em MInas Gerais?

Link to comment
Share on other sites

Boa sorte, Henrique. Mais um clube verde e branco na sua vida rs

Link to comment
Share on other sites

Boa sorte, esses desafios no futebol Brasileiro sempre chamam a atenção, principalmente quando se assume uma equipe de divisão inferior.

Tem alguma ligação com a equipe ou só escolheu no aleatório mesmo?

Link to comment
Share on other sites

Que desafio. Ousado, obstinado e com umas das equipes mais bem conhecidas no interior de Minas.

Ainda mais utilizando a base, não sei você, mas vi outros utilizando o desafio da base aqui no BR e passaram muito sufoco, pois os jogadores bons os times da elite logo pegam kkk

E que dureza deve ser jogar vários saves simultâneos. Lhe admiro por isso.

Boa Sorte Henrique.

Link to comment
Share on other sites

Grande Caldense, primeiro lar de um dos maiores goleadores do meu Tupi, Rodrigo Grieger. Espero que sua base veja um cara que nem ele surgindo.

Estarei atento, boa sorte.

Link to comment
Share on other sites

  • Vice-President
Em 16/12/2018 at 10:22, Vannces disse:

Henrique, cumprir esses objetivos será acima de tudo uma aula de como jogar FM. Eu não me atrevo a tanto, rsrs, principalmente porque além dos desafios em si, você criou regras para cumpri-las. Acompanharei a nova saga sem dúvida, boa sorte!

Menos, Vannces, menos. hahaha

Acho importante ir além de ser só um save de ganhar algo com a base, é importante lembrar que além de ser um save de base, é um save de clube e não faz sentido ganhar um título e encerrar o projeto. Não é o mesmo caso do Shamrock Rovers, onde estamos indo atrás de algo extremamente improvável.

Em 16/12/2018 at 12:57, Thiago Snitram disse:

bacana save com a caldense..sorte.. 

Valeu, Thiago.

Em 16/12/2018 at 13:04, LC disse:

Vai ter um grande desafio pela frente, mas isso faz com que o save seja prazeroso. Como sempre estarei acompanhando e claro, comentando. Boa sorte.

Valeu, LC. Espero que acima de tudo, o desafio seja divertido de jogar e narrar.

Em 16/12/2018 at 13:57, ggpofm disse:

Legal seu retorno ao Brasil. Sorte na continuação dos saves. 

Qual o motivo para se chamar a Veterana, se existem clubes mais antigos em MInas Gerais?

Obrigado, Gilson.

É o único clube de Poços de Caldas que sobrou da época em que foi fundado, portanto, é a Veterana de Poços de Caldas.

Em 16/12/2018 at 17:51, PedroJr14 disse:

Boa sorte, Henrique. Mais um clube verde e branco na sua vida rs

Sim, mais um. Valeu, Pedro.

Em 17/12/2018 at 22:08, Lucas Matías disse:

Boa sorte, esses desafios no futebol Brasileiro sempre chamam a atenção, principalmente quando se assume uma equipe de divisão inferior.

Tem alguma ligação com a equipe ou só escolheu no aleatório mesmo?

Valeu, Lucas.

A única ligação seria o fato de ser mineiro.

Em 18/12/2018 at 15:03, Johann Duwe disse:

Objetivos ousados em um save de base,

Boa Sorte.

Valeu, Johann.

Em 19/12/2018 at 00:22, MitoMitológico disse:

Que desafio. Ousado, obstinado e com umas das equipes mais bem conhecidas no interior de Minas.

Ainda mais utilizando a base, não sei você, mas vi outros utilizando o desafio da base aqui no BR e passaram muito sufoco, pois os jogadores bons os times da elite logo pegam kkk

E que dureza deve ser jogar vários saves simultâneos. Lhe admiro por isso.

Boa Sorte Henrique.

A Caldense ganhou certo destaque recentemente, normalmente era equipe que figurava do meio para baixo no Estadual.

Cada lugar tem suas peculiaridades, por isso, é interessante utilizar esse tipo de desafio, num ambiente inóspito para a base como o Brasil.

É questão de organização e tempo. Se você tem o segundo, basta se organizar que dá.

Em 20/12/2018 at 16:57, Danut disse:

Boa sorte no novo save ?

Valeu, Danut.

Em 20/12/2018 at 17:01, marciof89 disse:

Grande Caldense, primeiro lar de um dos maiores goleadores do meu Tupi, Rodrigo Grieger. Espero que sua base veja um cara que nem ele surgindo.

Estarei atento, boa sorte.

Espero que surjam diversos craques como ele. hahaha

Valeu, Marcio.

Link to comment
Share on other sites

Interessante seu retorno ao Brasil. Confesso que, desde que cheguei ao fórum, acho que ainda não o vi jogar em terras tupiniquins.

Enfim, boa sorte, principalmente para cumprir o desafio de chegar rapidamente à Série A. Estarei acompanhando!

Link to comment
Share on other sites

Vai ser um desafio bem interessante, vai trabalhar com a base, vou acompanhar e aprender para aplicar essa idéia no meu que um dos objetivos primários é valorizar a base, um coisa é você trabalhar com a base no Brasil, num time com certa tradição, outra coisa é você querer aplicar essa mesma idéia num país como Gibraltar, com tradição 0 no futebol, com certeza vem coisa boa por aí.

Link to comment
Share on other sites

  • Vice-President
Em 21/12/2018 at 18:02, Perissé disse:

Interessante seu retorno ao Brasil. Confesso que, desde que cheguei ao fórum, acho que ainda não o vi jogar em terras tupiniquins.

Enfim, boa sorte, principalmente para cumprir o desafio de chegar rapidamente à Série A. Estarei acompanhando!

A última vez que me recordo de ter feito um save no Brasil foi quando fiz um save carreira com o Sorín e acabei indo parar no Cruzeiro.

Acho que é o desafio mais complicado de todos, já que não vou poder contratar e terei que contar com as fornadas para chegar até lá.

21 horas atrás, DiegoCosta7 disse:

Vai ser um desafio bem interessante, vai trabalhar com a base, vou acompanhar e aprender para aplicar essa idéia no meu que um dos objetivos primários é valorizar a base, um coisa é você trabalhar com a base no Brasil, num time com certa tradição, outra coisa é você querer aplicar essa mesma idéia num país como Gibraltar, com tradição 0 no futebol, com certeza vem coisa boa por aí.

Mas a Caldense tem 0 tradição, a única diferença é que um bom trabalho de base pode trazer bons jogadores, ao invés de Gibraltar.

Link to comment
Share on other sites

Agora, Henrique M. disse:

Mas a Caldense tem 0 tradição, a única diferença é que um bom trabalho de base pode trazer bons jogadores, ao invés de Gibraltar.

Discordo, acho que a Caldense tem POUCA tradição, mas tem. O Rating do Brasil nesse aspecto de base pode te ajudar, agora, em Gibraltar é esperar pra surgir algum fora de série lá, e consequentemente fazer um bom trabalho de base para que isso ocorra. Até criei uma solução pra dar um viés mais realista no meu Save, que depois quando eu postar a atualização lá vai constar lá o que é.

Link to comment
Share on other sites

  • Vice-President
1 hora atrás, DiegoCosta7 disse:

Discordo, acho que a Caldense tem POUCA tradição, mas tem. O Rating do Brasil nesse aspecto de base pode te ajudar, agora, em Gibraltar é esperar pra surgir algum fora de série lá, e consequentemente fazer um bom trabalho de base para que isso ocorra. Até criei uma solução pra dar um viés mais realista no meu Save, que depois quando eu postar a atualização lá vai constar lá o que é.

Você por ser mineiro, acaba por conhecer a Caldense e no nosso estado, ela tem uma certa tradição, principalmente por causa dos últimos anos, mas em termos gerais de Brasil, não é uma equipe tradicional como o América-RJ, Bangu, Juventude, etc.

Link to comment
Share on other sites

  • Vice-President

eossvsD.png&key=03d301ef4e2a84c2dbabc359

Apresentação do save

Como eu havia mencionado anteriormente, a apresentação viria logo em sequência ao anúncio. Dessa forma, eu pude dar uma analisada em como proceder com o save e decidir como lidar com alguns desafios que surgiram da forma como eu gosto de criar um save de FM, para buscar uma similaridade com a realidade e ter a melhor experiência possível dentro do jogo.

Dados do save

Meu plano sempre foi não utilizar nenhuma base de dados, apenas a adição da Série D Real do Brasil através do update do MRT90. Como é um save de base, não fazia sentido pegar um update que atualiza o elenco da Caldense para a temporada 2019. Teoricamente, o meu treinador está assumindo a equipe e irá começar um novo projeto, portanto, é natural que seja melhor dessa forma. Por isso, estou usando a base de dados média do jogo e o update.

Na questão das ligas, a única coisa que tinha certeza é que iria carregar todas as ligas sul-americanas presentes no FM. A ideia é ter uma Libertadores mais difícil e termos um mercado sudaca mais realista. A outra decisão que normalmente se toma nesse caso é colocar ou não ligas europeias. Pensei em colocar apenas as principais ligas europeias, e apenas suas primeiras divisões, mas isso aumentava em quase 20 mil jogadores o meu save. Como esse é um save de longo prazo, tive que buscar uma maneira de equilibrar as coisas. Por isso, optei por colocar algumas ligas que considero essenciais para o futebol brasileiro como Ver Apenas. Perco bastante na dinâmica de mercado, mas é melhor do que não ter as ligas. Além disso, bloqueei a primeira janela do mercado de transferências.

 Football-Manager-2019_-Novo-jogo-Escolhe

O treinador

Na hora de adicionar o treinador, me veio a dúvida, vou com os perfis fictícios que costumo criar ou escolher algum ex-jogador com uma forte ligação à Caldense? Como esse ponto é meio questão de ficção ou imersão, aproveitei o meu retorno para o Brasil para fazer algo que normalmente não faço. Decidi que o treinador não seria um perfil fictício e sim o meu próprio, que normalmente só existe para saves testes que realizo. Portanto, Henrique Melo irá assumir o comando da Veterana.

Na hora de montar o estilo do treinador, utilizei a opção de costume, utilizar a qualificação e experiência equivalentes à equipe. Como não é um save carreira e a ideia é ter uma certa estabilidade, a melhor forma de termos isso, é com as recomendações do jogo. Na hora de balancear os atributos, dei destaque para aquilo que considero essencial que um perfil de treinador do FM deva ter, além, é claro, de adicionar Trabalho com Jovens, já que a base é o grande mote desse save.

Jogo_-_Sem-Titulo__-Jogo-Adicionar-Novo-

A recepção de Henrique Melo

O dia 24 de Dezembro de 2018 marca a contratação de Henrique Melo como novo técnico da Caldense. Como a minha reputação e a da Caldense são equivalentes, não houve muita contestação quanto ao meu anúncio.

Henrique-Melo_-Recebidas17b565b03d3210d8

Entretanto, uma coisa me surpreendeu: o alto salário oferecido. Com um estipêndio de quase 30 mil reais, achei o valor muito irreal (tanto em euros como em reais). Acredito que nunca na história da Caldense, algum treinador (quiça, algum jogador) tenha recebido um salário tão alto assim. O contrato vai até o final de 2019, portanto, uma boa temporada é necessária para que o trabalho ganhe continuidade.

Henrique-Melo_-Recebidas-26431dabcf1afdb

A Caldense no FM

Normalmente, o anúncio do treinador é seguido de uma coletiva e de um breve histórico da equipe. Irei me aprofundar mais na questão das infraestruturas posteriormente, mas é importante deixar essa informação aqui, pois ela nos mostra exatamente o caminho que temos que percorrer em termos de infraestrutura.

Henrique-Melo_-Recebidas-3e5769850661031

Depois disso, é hora de conhecer o elenco. Sinceramente, não sabia o que me aguardava e quase considerei buscar um update que atualizasse melhor as divisões inferiores do Brasil. Entretanto, resolvi abraçar o desafio que as minhas escolhas trouxeram e levar o save dessa maneira. Com a ausência de uma base de dados especializada, o elenco da Caldense veio praticamente vazio (optei por não obrigar o jogo a preencher equipes jogáveis com staff e jogadores). A Veterana conta com apenas 5 jogadores na base de dados do jogo, portanto, o resto da equipe, até o surgimento da primeira fornada, será composta por esses jogadores e por jogadores cinzas.

AA-Caldense_-Jogadores-Jogadores307dbdc3

Como é um save de base, e o orçamento salarial da equipe já está definido e não tem nenhum centavo além do que já está sendo pago a esses jogadores, não vou propor contrato aos jogadores cinza. Minha escolha tática, obviamente vai se basear no que esses jogadores cinzas tem para me oferecer, entretanto, decidi manter um pouco mais de mistério.

A etapa seguinte era entrar em contato com a equipe técnica da Caldense. E assim como o elenco do clube, o staff também é bem minguado. Além do treinador, existem apenas mais dois integrantes, o treinador de goleiros e um preparador físico. A primeira preocupação é encontrar um Diretor de Futebol Jovem e preencher as outras vagas. Para ser uma experiência mais realista, apenas contratarei membros para a equipe técnica utilizando os anúncios na Central de Empregos.

AA-Caldense_-Vista-Geral-Todosb63d3fec0d

Depois de vermos a situação esmirrada do elenco e do staff da Caldense, é hora de falarmos das infraestruturas. Como mencionei anteriormente, a equipe joga no Estádio Municipal Dr. Ronaldo Junqueira, o Ronaldão. Infelizmente, no FM, o estádio pertence ao clube e tem uma capacidade muito maior do que a atual. Já solicitei a pesquisa que corrigisse essas informações, mas só viram no próximo patch, logo, teremos que lidar com essas questões no save.

Em termos de infraestrutura, estamos no quarto nível no que tange as condições de treino, ou seja, precisaremos de seis reformas para chegarmos até o nível máximo. Quanto as instalações das categorias de base, estamos um nível pior, ou seja, no terceiro escalão. Logo, serão necessárias sete reformas para atingirmos o topo desse nível de infraestrutura. Em termos dos níveis de treino das categorias de base, estamos no terceiro nível e precisaremos de quatro investimentos nesse setor para atingirmos o nível máximo. Em termos de recrutamento das camadas jovens, também estamos no terceiro nível, entretanto, são necessário ao menos cinco investimento para termos o nível máximo nesse quesito.

AA-Caldense_-Infraestruturas135bc7f0aeea

É sempre bom lembrar que as infraestruturas de treino e das categorias de base controlam a qualidade e velocidade do desenvolvimento dos jogadores do clube, ou seja, se eles vão surgir com uma habilidade atual mais próxima da habilidade potencial e quanto tempo eles irão demorar para atingí-la estando no clube. Por fim, o nível de treino das amadas jovens controla a qualidade da Capacidade Atual nas fornadas, ou seja, quanto maior o nível, maior a CA dos jogadores. Por fim, a qualidade do recrutamento controla a Capacidade Potencial, ou seja, quanto maior o nível, maior a PA dos jogadores. As infraestruturas são moleza de alcançar os níveis mais alto, entretanto, precisamos sempre de muito CA e PA para alcançarmos os objetivos em um save que só utiliza a base.

Outras informações

Link to comment
Share on other sites

  • Henrique M. changed the title to A Veterana - Apresentação do save [22/12]

Tá feio esse elenco. Por um segundo eu vi os jogadores com um monte de estrelas e pensei que tu tinha selecionado os melhores, pra dizer que o time tem craques. Mas daí me dei conta do que é a situação real.

O salário do técnico ficou bem irreal mesmo. Esquisito isso. Time gasta 3/5 do orçamento só com o treinador...

Sobre as ligas escolhidas, vou confessar uma coisa: apesar de jogar FM tem quase 15 anos, eu não faço ideia do que exatamente faz o "ver apenas". Sabe me explicar?

Link to comment
Share on other sites

Rapaz, o trabalho vai ser árduo (ênfase no árduo).

Vai precisar de uma boa dose de sorte pra poder fazer uma boa temporada com um clube cheio de jogadores cinzas. Boa sorte!

Link to comment
Share on other sites

Olha, tenho que dizer que começar um desafio como você começou, não está a minha altura, ou seja, está muito acima do que eu poderia conseguir. Esses jogadores cinzas são um tiro no pé. há algum coelho na cartola para tirar nesse momento ou será só muito trabalho mesmo? Se o salário é muito bom, o trabalho não pode ser diferente, rs. Boa sorte na sequência

Link to comment
Share on other sites

É.. jogar só com 5 jogadores e o resto cinza será meio chato até que venha os jogadores da base.

Link to comment
Share on other sites

  • Vice-President
Em 22/12/2018 at 23:50, Danut disse:

Tá feio esse elenco. Por um segundo eu vi os jogadores com um monte de estrelas e pensei que tu tinha selecionado os melhores, pra dizer que o time tem craques. Mas daí me dei conta do que é a situação real.

O salário do técnico ficou bem irreal mesmo. Esquisito isso. Time gasta 3/5 do orçamento só com o treinador...

Sobre as ligas escolhidas, vou confessar uma coisa: apesar de jogar FM tem quase 15 anos, eu não faço ideia do que exatamente faz o "ver apenas". Sabe me explicar?

São os únicos jogadores reais do time. Conversei com o @PMLF sobre essa questão e ele disse que isso é comum, porque os times brasileiros que não estão na Série A ou B mandam todo mundo embora antes do fechamento da DB para o lançamento do jogo. Então, querendo ou não, é um reflexo da realidade do nosso futebol.

O salário do treinador e do staff foi separado do orçamento salarial da equipe tem algum tempo, acho que no FM17, então, não é como se eu estivesse roubando dinheiro de reforço do elenco. Entretanto, o valor é realmente absurdamente alto.

Vou deixar um link aqui para você tirar suas próprias conclusões, vai ser melhor que qualquer explicação resumida que eu te der: https://community.sigames.com/topic/422150-playable-vs-view-only-leagues/

Em 23/12/2018 at 14:48, marciof89 disse:

Rapaz, o trabalho vai ser árduo (ênfase no árduo).

Vai precisar de uma boa dose de sorte pra poder fazer uma boa temporada com um clube cheio de jogadores cinzas. Boa sorte!

Será, principalmente porque as outras equipes ao menos vão buscar reforços, mesmo que nunca velocidade inferior ao treinador humano.

A questão é que como disse ali pro Danut, quase todos os clubes da Série D tem jogadores cinzas nesse momento. Vamos ver o que fatora na decisão dos resultados quando todo mundo está em condições de igualdade.

Em 23/12/2018 at 23:27, Vannces disse:

Olha, tenho que dizer que começar um desafio como você começou, não está a minha altura, ou seja, está muito acima do que eu poderia conseguir. Esses jogadores cinzas são um tiro no pé. há algum coelho na cartola para tirar nesse momento ou será só muito trabalho mesmo? Se o salário é muito bom, o trabalho não pode ser diferente, rs. Boa sorte na sequência

É a primeira vez que estou testando isso, então, não é como se eu tivesse certeza de alguma coisa também. No momento, a única alternativa é continuar jogando e esperar a primeira fornada do save, que deve vir em setembro, provavelmente após o fim da Série D.

Em 24/12/2018 at 14:06, Thiago Snitram disse:

É.. jogar só com 5 jogadores e o resto cinza será meio chato até que venha os jogadores da base.

Já dei uma iniciada no save e está sendo até bem mais interessante do que imaginei que seria.

Link to comment
Share on other sites

1 hora atrás, Henrique M. disse:

São os únicos jogadores reais do time. Conversei com o @PMLF sobre essa questão e ele disse que isso é comum, porque os times brasileiros que não estão na Série A ou B mandam todo mundo embora antes do fechamento da DB para o lançamento do jogo. Então, querendo ou não, é um reflexo da realidade do nosso futebol.

É, os clubes no mundo real fazem contrato só até o fim da Série C ou D, que é mais ou menos quando a database é fechada, aí liberam (quase) todo mundo quando são eliminados destes torneios.

Depois (entre outubro e janeiro) eles refazem os elencos para os estaduais.

Edited by PMLF
Link to comment
Share on other sites

  • Fujarra changed the title to A Veterana
  • AllMight featured this topic
  • AllMight unfeatured this topic
  • Fujarra locked this topic
Guest
This topic is now closed to further replies.
 Share

  • Similar Content

    • Nei of
      By Nei of
      “Depois de maio de 1940, os bons tempos se acabaram: primeiro a guerra a capitulação, seguida da chegada dos alemães. Foi então que, realmente, principiaram os sofrimentos dos judeus. Decretos anti-semitas surgiam, uns após os outros, em rápida sucessão. Os judeus tinham de usar, bem à vista, uma estrela amarela; os judeus tinham de entregar suas bicicletas; os judeus não podiam andar de bonde; os judeus não podiam dirigir automóveis. Só lhes era permitido fazer compras das três as cinco e, mesmo assim, apenas em lojas que tivessem uma placa com os dizeres: LOSA ISRAELIA. Os judeus eram obrigados a se recolher a suas casas às oito da noite, e, depois dessa hora, não podiam sentar-se nem mesmo em seus próprios jardins. Os judeus não podiam frequentar teatros, cinemas e outros locais de diversão. Os judeus não podiam praticar esportes publicamente. Piscinas, quadras de tênis, campos de hóquei e outros locais para a prática de esportes eram-lhes terminantemente proibidos. Os judeus não podiam visitar os cristãos. Só podiam frequentar escolas judias, sofrendo ainda uma série de restrições semelhantes.
      Assim, não podíamos fazer isto e estávamos proibidos de fazer aquilo. Mas a vida continuava, apesar de tudo Jopie costumava dizer-me: _ A gente tem medo de fazer qualquer coisa porque pode estar proibido. _ Nossa liberdade era tremendamente limitada, mas ainda assim as coisas eram suportáveis.” Diário de Anne Frank, págs. 11 e 12.
       
      Não possuo qualquer ligação com a comunidade judaica, nem ascendência ou apreço maior por algum clube com tal relação. Por outro lado, os absurdos cometidos pelos nazistas foram muito bem documentados para não deixar ninguém incauto. Nada obstante, a idiotice humana aparece com mais força em tempos e situações de escassez (econômica, política, cultural...), portanto não me surpreendem que manifestações preconceituosas se reciclem em nossa história.
      A não ser que cheguemos em um tempo de disponibilidade total de recursos (o que considero improvável), entendo que o preconceito sempre existirá, transmutando-se em mentes fracas e com medo. Sim, o preconceito é a voz do medo e faz do ódio seu fio condutor. Por isso, não consigo ver muito sentido na frase comum: “não acredito que em 2019 alguém ainda pense assim”. Pois pensamos absurdos todo santo dia e o melhor que podemos fazer é explorar nossas opiniões, amadurecê-las e buscar evoluir – a expressão preconceituosa é imatura, fechada em si mesma e irracional.
      Apesar de não ser judeu, meu nome – para quem ainda não sabe – é Israel (tambores de revelação). O livro da Anne Frank chegou agora em minha vida e a genialidade, sensibilidade e capacidade de transmitir a crueldade e dor de um período com a sutileza do olhar de uma criança de 13 anos, me tocou demais.
      Pensei, portanto, em fazer uma jornada entre Alemanha e Holanda, lugares por onde Anne passou. Mas como ficaria um tanto limitado, decidi que vou começar de baixo, trabalhando em clubes com ligações à comunidade judaica, especialmente em Alemanha, Holanda e Israel, eventualmente jogando em algum clube dos EUA. O objetivo é chegar ao topo da carreira treinando Ajax e/ou Tottenham.
      A princípio começaria em Frankfurt, mas não consegui encontrar na base de dados (German System Football League - dica muito boa do @Johann Duwe) que estou utilizando o FC Gudesding Frankfurt, um clube criado por amigos judeus em Frankfurt an Main, cidade de nascimento de Anne. Enquanto procurava, me chamou atenção o TuS Makkabi Berlin e é por lá que vamos começar. Ou melhor, por onde Pedro Van Pels vai começar sua carreira.
       
      Makkabi Berlin
      Fundado em 1898, o clube antecessor Bar Kochba Berlin era uma das maiores organizações judaicas do mundo em 1930, com mais de 40.000 membros de 24 países, parte do movimento geral de Bar-Kochba destinado a promover a educação física e a herança judaica. O clube organizou equipes em vários esportes, incluindo um time de futebol que competiu nas ligas da cidade entre 1911 e 1929. Em 1924, Lilli Henoch, recordista mundial de eventos de discus, arremesso de peso e revezamento de 4 × 100 metros, treinou as mulheres. (Henoch foi assassinada pelos nazistas em um gueto próximo a Riga, Letônia, em 1942).
      Em 1929, o Bar Kochba fundiu-se com o Hakoah Berlin para formar o clube esportivo Bar Kochba-Hakoah . O lado Hakoah teve um sucesso cada vez maior, conquistando três campeonatos consecutivos na divisão inferior entre 1925 e 1927. Eles eram promovidos a cada vez até que, em 1928, jogavam futebol de primeira linha. O lado recém-combinado continuou a competir como Hakoah depois de 1929.
      A ascensão ao poder dos nazistas no início dos anos 30 levou à discriminação contra judeus e, em 1933, as equipes judias foram excluídas da competição geral e limitadas a jogar em ligas ou torneios separados. Em 1938, as equipes judaicas foram banidas imediatamente, quando a discriminação se transformou em perseguição.
      Em 26 de novembro de 1970, o TuS Makkabi Berlin foi formado a partir da fusão da Bar-Kochba Berlin (ginástica e atletismo), Hakoah Berlin (futebol, restabelecido em 1945) e Makkabi Berlin (boxe).
      Aparentemente não possui quaisquer títulos, mas poderei descobrir mais sobre o clube no decorrer.
      O clube joga a Berlin Liga, que faz parte do sexto nível do futebol alemão, tendo o seguinte caminho de ascensão:

       
      Índice:
      Histórico:
      Ligas selecionadas:
       

       
    • Leho.
      By Leho.
      📅 De 2 a 25 de Janeiro
      🔰 GRUPOS DEFINIDOS:

      🏆 MAIORES CAMPEÕES:

       
      📺 TRANSMISSÃO:
       
      ⚔️ FINAL DEFINIDA:


      ---
       
      Fiquem à vontade pra postar sobre os vossos clubes e seus times juniores, resultados, comentários sobre os jogos, molecada que tá despontando em clubes menores e etc, etc. Tópico oficial da competição é aqui!
    • Danilo10
      By Danilo10
      ola amigos voltei a jogar o FM apos mto tempo porem so consigo rodar o FM 2019 no meu PC alguem por acaso poderia disponibilizar o update do Brasil mundi up 2019 por favor
       
    • samuelzeeraa
      By samuelzeeraa
      Gentileza, meu computador infelizmente não roda Football Manager superior a 2019. Alguém tem download de Update para FM 2019 o recente ou o último? Obrigado. Espero ajuda de vocês. 
    • Leho.
      By Leho.
      O começo do fim dos Estaduais
      11 DE OUTUBRO, 2021
      por Rodrigo Capelo | @rodrigocapelo

      Brasileirão tem calendário complexo daqui para frente Foto: Divulgação / CBF
      O futebol brasileiro tem um roteiro repetitivo, meio enfadonho, que de certa maneira ainda me surpreende pelo cinismo dos atores envolvidos. À esta altura da temporada, era óbvio que atletas estariam esgotados, que técnicos não conseguiriam nem sequer escalar o time titular – quem dirá treinar adequadamente! –, que convocações para a seleção fariam a crise estourar.
      Cinismo, eu digo, porque todos sabem qual é o problema. O calendário não suporta campeonatos estaduais com 16 datas, como a CBF planeja para 2022. Dirigentes, técnicos e jogadores sabem disso. Mas ninguém faz nada porque é conveniente que seja assim.
      Das federações estaduais, não se pode esperar uma reforma que contemple o desenvolvimento do futebol. Essas entidades querem seus torneios intactos, porque, caso contrário, ficariam sem dinheiro. Não daria para sustentar cabides de empregos, sedes ostentosas e “consultorias” inventadas para enriquecer cartolas do século passado.
      Aliás, é curioso notar como federações se apropriam do dinheiro do torcedor. Não existe no Brasil um único “fpfista” – um adepto da instituição paulista. Nunca ouvi falar em um “ferjista”. Mas seus cartolas pegam parte da grana da televisão e das bilheterias, captam seus patrocínios – que podiam ser dos clubes – e ainda cobram taxas.
      Por que os clubes não fazem nada? Porque, apesar de contraproducentes no aspecto esportivo, os estaduais ainda põem dinheiro no caixa. No início do ano, justo quando bilheterias não rendem quase nada, na hora em que décimo terceiro e férias ainda atrasam.
      Essa grana é oriunda dos direitos de transmissão. Em São Paulo, até 2021, o campeonato tinha R$ 225 milhões por ano, na soma de clubes e federação. No Rio de Janeiro, até a temporada retrasada, eram R$ 120 milhões no total. Valores desproporcionais em vários sentidos. Estaduais são tradicionais, mas produtos ruins para o público e para o mercado.
      A parte boa de qualquer novela é que ela acaba. E essa novela, do calendário deformado para que estaduais sejam jogados de fevereiro a maio, parece estar próxima de chegar ao fim, pois o financiamento que a televisão garantia a esses torneios está seriamente comprometido.
      No Rio de Janeiro, o Carioca não teve a Globo pela primeira vez em 2021. Perdeu audiência e dinheiro. Em São Paulo, o Paulista estreará um novo modelo de venda dos direitos de TV em 2022 – de novo, sem a Globo. Mesmo com Record e YouTube, além da promessa de um pay-per-view, a chance de assegurar os mesmos valores é remota.
      Dirigente é movido por dinheiro, pois é o dinheiro que move o futebol. No momento em que responsáveis pelos clubes sacarem que não será possível nem mesmo manter a grana que eles tinham, pode ser que um olhe para o outro e diga: por que estamos jogando campeonatos irrecuperáveis? Por que sustentamos a farra das federações?
      Até lá, o jeito é tolerar o cinismo. Dos dirigentes que atacam o “sistema”, vagamente, mas se satisfazem com trocados que o estadual ainda dá. Dos técnicos e jogadores que reclamam da sobrecarga, mas aceitam passivamente as datas impostas. De todos os que sabem qual é o problema, porém confundem com narrativas – como se a seleção e as competições nacionais fossem um estorvo, e não as federações e seus estaduais.
      https://oglobo.globo.com/esportes/rodrigo-capelo-comeco-do-fim-dos-estaduais-25232156
      ▪️

      E aí... será que é por aí mesmo que vamos caminhar? O que acham?
×
×
  • Create New...