Jump to content
Sign in to follow this  
ggpofm

O "Princípio 323": Como distribuir tarefas por um time (Atualizado em 09/06/17)

Recommended Posts

ggpofm

fgBNK2j.png

 

O "Princípio 323": como distribuir tarefas por um time
Por ggpofm


O Football Manager (FM) é um jogo envolvente. A possibilidade de atuar como um treinador que comanda e/ou influencia várias áreas de um clube é cativante, mas sabemos que muitos dos que estão dando os primeiros passos no FM se sentem um pouco perdidos em vários aspectos do jogo, inclusive naquele momento de colocar o time em campo.

Para tentar ajudar quem é iniciante no FM, resolvi contribuir com um texto sobre a distribuição de tarefas na formação tática um time. Espero que as ideias que serão apresentadas possam ajudá-lo de alguma forma, mas tenha em mente que elas não são uma receita de bolo e nem a solução para todos os seus problemas. É fundamental a leitura de outros textos que abordam outros aspectos do jogo e também a compreensão de que o jogo simula o futebol e como tal, muitos acontecimentos em campo ocorrem de forma ocasional.

Desde o FM 2010, a Sports Interactive (SI) introduziu o “Criador de Táticas” com objetivo de facilitar o trabalho de quem vai controlar um time. Com ele é possível organizar de forma intuitiva como um time se estruturará taticamente para as partidas. Mesmo assim, um dos aspectos do “Criador de Táticas” que podem gerar confusão para quem está dando os primeiros passos no mundo do FM é a definição das tarefas dos jogadores.


As tarefas no FM

No FM há seis opções de tarefas: defesa, apoio (suporte), ataque, cobertura, bloqueio e automática. Para algumas funções existe apenas uma tarefa, como por exemplo, o Primeiro Volante, que possui somente a tarefa defender. Para outras existem quatro tarefas, como por exemplo a função de Meia Central, com as tarefas de defesa, apoio, ataque e automática. Enfim, para cada posição em campo é possível escolher algumas funções e cada uma delas possui um número de tarefas pré-definidas pelo FM.

7oElvgr.png

Escolher bem as tarefas de um time permitirá que ele se torne equilibrado em campo, mantendo seus três setores (defesa, meio-campo e ataque) conectados, facilitando que os jogadores desenvolvam o modelo de jogo pretendido.

Para o que nos interessa precisamos apenas nos concentrar nas tarefas básicas do FM: as tarefas de defesa, apoio e ataque. O motivo para isso é que as tarefas de bloqueio e cobertura são na realidade adaptações da tarefa defender, enquanto a tarefa automática reúne as três tarefas fundamentais (defesa, apoio, ataque) em uma só. Os mais experientes fazem uso da tarefa automática de forma precisa, mas para quem está iniciando eu acredito que é mais educativo controlar as tarefas que cada jogador executa em campo em determinado momento de uma partida, do que deixar que a inteligência artificial do jogo controle isso por conta própria.

 

O que é o “Princípio 323”

E como essas três tarefas devem ser distribuídas por um time? Quantas tarefas de defesa um time precisa ter? E quantas de apoio e ataque? Todos os jogadores de defesa devem ter tarefas de defesa e os jogadores de ataque devem ter tarefas de ataque?

As respostas para essas e outras questões estão no que eu batizei de “Princípio 323”. A primeira vez que eu vi essa ideia apresentada de forma clara foi no “Tactical Theorems and Frameworks 09” (TT&F 09), dos idealizadores do “Criador de Táticas”, Richard Claydon (wwfan) e Gareth Millward (Millie).

Todo time deve ter jogadores que foquem seu jogo intensivamente na defesa (tarefa defender), jogadores que foquem seu jogo intensivamente no ataque (tarefa atacar) e aqueles que jogam de forma mais equilibrada nas duas tarefas (tarefa apoiar). Para os autores do TT&F 09, para um time alcançar o equilíbrio tático é preciso que entre os 10 jogadores de campo exista o mínimo de três jogadores com tarefa defender, dois jogadores com tarefa apoiar e três jogadores com tarefa atacar.

Sendo assim, quando se distribui as tarefas seguindo o “Princípio 323” entre os 10 jogadores de campo de um time, oito terão que estar distribuídos como a forma enunciada acima, enquanto a tarefa dos outros dois jogadores que sobraram serão designadas de acordo com a postura que for adotada em um determinado momento da partida.

A partir desse princípio, os desdobramentos são lógicos. De forma geral, se em algum momento da partida o objetivo é atacar serão necessários mais jogadores com tarefas ofensivas e se em outro pretende-se defender, haverá necessidade de mais jogadores com tarefas defensivas. A conclusão para uma proposta defensiva, uma equilibrada (neutra) e uma ofensiva, a distribuição de tarefas entre os 10 jogadores de campo será a seguinte:

 
  • Postura defensiva: cinco com tarefa defender, dois com tarefa apoiar e três com tarefa atacar;

  • Postura equilibrada: três com tarefa defender, quatro com tarefa apoiar e três com tarefa atacar;

  • Postura ofensiva: três com tarefa defender, dois com tarefa apoiar e cinco com tarefa atacar.

 

Observe que em todas as três propostas acima sempre existe o mínimo proposto pelo “Princípio 323”, ou seja, três jogadores com tarefa defender, dois de apoio e três com tarefa atacar.

Espero que não, mas alguém pode imaginar que as tarefas de defesa devem ser dadas aos defensores, as tarefas de apoio aos meio-campistas e as tarefas de ataque aos atacantes. Nada mais equivocado!

Para um time alcançar o equilíbrio tático, evitando-se que a defesa, o meio-campo e o ataque fiquem desconectados, é preciso misturar as tarefas pelos três setores de um time para que exista movimento entre eles. Por isso, não basta saber a quantidade de tarefas necessárias em um time. É importantíssimo saber distribuí-las pelos três setores do time.

 

“O Princípio 323” na prática

Não tenho a intenção de apresentar imagens de várias formações táticas e sugestões de distribuição de tarefas porque não é meu desejo transformar o “Princípio 323” em algo a ser seguido às cegas e sem nenhuma reflexão por parte de quem irá usá-lo. Se pelo “Princípio 323” tenho um modelo a ser seguido que “exige” o mínimo de três jogadores com tarefa de defesa, três de apoio e três com tarefas de ataque, espero que ao distribuir as tarefas pelos setores de um time, você pare, pense e consiga distribuí-las de forma racional, lembrando-se que durante os 90 minutos de partida existem vários momentos diferentes e que, talvez, em cada um deles seu time precise de uma distribuição de tarefas diferente para conseguir jogar de forma equilibrada.

Mesmo assim, vou apresentar um exemplo simples com uma formação que já foi muito usada no FM, o 4-4-2 inglês. Como você deve saber, essa formação tática utiliza os três setores em linha (quatro defensores, quatro meio-campistas e dois atacantes).

EQvuyrQ.png

Como toda e qualquer formação tática, ela só funcionará bem se conexões foram criadas entre os setores e por isso, o 4-4-2 inglês precisa de defensores que se aproximem do meio-campo ou que o ultrapasse, de meio-campistas que ajudem a defesa, de meio-campistas que ajudem o ataque e atacantes que ajudem o meio-campo.

Seguindo as diretrizes do “Princípio 323” uma das maneiras possíveis de distribuir as tarefas do 4-4-2 inglês é a seguinte:

te4v2hI.png

Como é possível ver acima, existem três jogadores com tarefas defensivas (dois zagueiros e um meio-campista central), dois com tarefas de apoio (um meio-campista central e um atacante) e três com tarefas de ataque (um atacante e dois meio-campistas laterais). Também existem os dois laterais para os quais as tarefas não foram definidas.

Determinadas escolhas parecem óbvias, mas outras nem tanto. O meio-campo é sempre problemático porque ele precisa executar várias atividades simultâneas. Ele é o setor que conecta a defesa e o ataque, mas também precisa proteger a defesa e se aproximar do ataque para não deixá-lo isolado. Por isso é comum que se tenha as três tarefas distribuídas por ele.

q6CQdpH.png

Como é possível ver na imagem, existe um meia-central com tarefa defender que será o jogador mais recuado do meio-campo e que auxiliará na proteção da defesa, dois meio-campistas laterais que procurarão chegar ao ataque e um meia-central com tarefa de apoio que ajudará na ligação defesa e ataque.

No ataque, há outro jogador com uma tarefa que não parece óbvia, o atacante com tarefa apoiar.

TFzKn2a.png

Ele é responsável por impedir que o ataque se desconecte do restante da equipe, por isso ao receber a tarefa de apoio ele fica mais recuado. É um tarefa parecida com a do meia-central com tarefa defender que é o responsável por impedir que o meio-campo se desconecte da defesa.

Observe que as ideias apresentadas no “Princípio 323” estão presentes no 4-4-2 inglês apresentado. O mínimo exigido pelo “Princípio” foi respeitado e as tarefas foram distribuídas entre os três setores do time garantindo que eles fiquem conectados e que exista movimento entre os jogadores desses setores.

Ainda restam dois jogadores que fazem parte de um tipo de reserva: os dois laterais. Eles se adaptam dependendo do que se queira em determinado momento de uma partida.

Se a ideia é que a defesa fique postada e resista à pressão do adversário, os laterais serão colocados com tarefa defender.

z7CwGKf.png

Se quiser que os laterais vão à frente em busca de criar sobreposições e superioridade numérica no campo ofensivo, eles devem ser colocá-los com tarefa atacar.

hRIoL5r.png

E se o objetivo é que eles subam ao ataque, mas de forma paciente, sem se descuidar da defesa, os laterais devem ter tarefas de apoio.

NSgPCg1.png

 

As variações no “Princípio 323”

Com esse exemplo do 4-4-2 inglês não quero dizer que outras combinações de tarefas não são possíveis. Isso depende do elenco de que se dispõe e também do modelo de jogo que se pretende jogar.

Por usar há vários anos o “Princípio 323”, consigo manejá-lo com maior flexibilidade, inclusive “desrespeitando-o” algumas vezes, como por exemplo, ao usar apenas dois jogadores com tarefa de ataque em vez do mínimo de três que o princípio pede.

Outros autores também sugerem combinações diferentes. Por exemplo, The Hand of God sugere no artigo “The Mentality Ladder: A Practical Framework for Understanding Fluidity and Duty” três jogadores com tarefa defender, dois com tarefa apoiar e três com tarefa atacar. Já o Llama3 em seu artigo “Pairs and Combination: The Complete Guide” sugere como regra que um time tenha três jogadores com tarefa defender, quatro com tarefa apoiar e três com tarefa atacar.

A minha sugestão para quem está começando é que o ideal é seguir as ideias aqui expostas à risca e só quando a compreensão sobre como funcionam as dezenas de variáveis do FM se tornar maior, que se flexibilize o “Princípio 323”.

Agora é com você. Boa diversão!

 

Download da 1ª parte em pdf

Download da 2ª parte em pdf

Share this post


Link to post
Share on other sites
jakofrildo

ótimo texto, ajuda bastante quando estamos tendo alguma dificuldade em montar uma tática balanceada e para mudar o estilo do time durante a partida

Share this post


Link to post
Share on other sites
Alemão

Orientação perfeita, muito bem ilustrada e objetiva, parabéns!

Share this post


Link to post
Share on other sites
guigasparotto

Muito bom! Tenho utilizado esse princípio desde que você me apresentou ele. Parabéns pelo trabalho!

Share this post


Link to post
Share on other sites
ggpofm

ótimo texto, ajuda bastante quando estamos tendo alguma dificuldade em montar uma tática balanceada e para mudar o estilo do time durante a partida

Orientação perfeita, muito bem ilustrada e objetiva, parabéns!

Muito bom! Tenho utilizado esse princípio desde que você me apresentou ele. Parabéns pelo trabalho!

Obrigado pelos elogios. Espero que seja útil aos novatos também.

Share this post


Link to post
Share on other sites
Anjo_Ed

Bah, deveríamos ter mais pessoas com a tua disposição para explicar todo o jogo.

Obrigado pela explicação, vou tentar aplicar esse princípio (estou perdendo muito nos jogos...).

Share this post


Link to post
Share on other sites
Anjo_Ed

Olha, eu tenho que te agradecer. Você tem toda razão na sua teoria. Eu investiguei um pouco sobre a movimentação do meu time com este teorema e percebi que meus alas estavam sempre atrasados na marcação e, além disso, percebi que eu tinha poucas opções para conduzir a bola. Fiz o seguinte, alas com a opção de apoio (contra times fortes principalmente), meu volante/Armador apoiador e, dos 3 meias atacantes ( eu jogo com o 4-2-3-1 com um falso nove), o MAD eu defini como apoio, juntamente com o Douglas ( Que gosta de voltar para carregar a bola). Deu certo, fiz um magro 1 x 0, e no sufoco, mas tive mais opções de condução da bola, enquanto meus alas só subiam quando davam, parando o meio de campo construtivo do Corinthians...

 

Share this post


Link to post
Share on other sites
ggpofm

Bah, deveríamos ter mais pessoas com a tua disposição para explicar todo o jogo.

Obrigado pela explicação, vou tentar aplicar esse princípio (estou perdendo muito nos jogos...).

Realmente precisamos de mais textos em português,  mas eu não posso me incluir no grupo das pessoas com disposição para explicar o jogo, pois raramente escrevo sobre ele.

O princípio por si só não funciona. Ele é apenas uma variável de um jogo com centenas de variáveis se você levar em conta, por exemplo, que cada jogador tem mais de 40 atributos entre visíveis e ocultos 

Olha, eu tenho que te agradecer. Você tem toda razão na sua teoria. Eu investiguei um pouco sobre a movimentação do meu time com este teorema e percebi que meus alas estavam sempre atrasados na marcação e, além disso, percebi que eu tinha poucas opções para conduzir a bola. Fiz o seguinte, alas com a opção de apoio (contra times fortes principalmente), meu volante/Armador apoiador e, dos 3 meias atacantes ( eu jogo com o 4-2-3-1 com um falso nove), o MAD eu defini como apoio, juntamente com o Douglas ( Que gosta de voltar para carregar a bola). Deu certo, fiz um magro 1 x 0, e no sufoco, mas tive mais opções de condução da bola, enquanto meus alas só subiam quando davam, parando o meio de campo construtivo do Corinthians...

 

A teoria não é minha. Apenas dei o nome a ela para facilitar a memorização dela e a divulgação do que ela é. 

Share this post


Link to post
Share on other sites
_Matheus_

Excelente, Gilson!

Share this post


Link to post
Share on other sites
Toggy81

Excelente material Gilson!

Utilizo esse princípio desde uma vez q conversamos sobre isso qndo acompanhei um save seu, lá pro FM 12 por aí e desde então utilizo isso sempre.

Hoje em dia com um pouco mais de domínio as vezes fujo um pouco dessa regra, mas normalmente ela me acompanha.

Os gráficos ficaram excelentes para passar a mensagem.

Leitura obrigatória pra qualquer jogador de FM.

Temos que fixar este tópico!

Share this post


Link to post
Share on other sites
ggpofm

Excelente, Gilson!

Valeu.

Excelente material Gilson!

Utilizo esse princípio desde uma vez q conversamos sobre isso qndo acompanhei um save seu, lá pro FM 12 por aí e desde então utilizo isso sempre.

Hoje em dia com um pouco mais de domínio as vezes fujo um pouco dessa regra, mas normalmente ela me acompanha.

Os gráficos ficaram excelentes para passar a mensagem.

Leitura obrigatória pra qualquer jogador de FM.

Temos que fixar este tópico!

Aproveito para agradecer pela ajuda que você me deu. Acabou que a parte final do texto foi totalmente modificada. ;

Eu penso como, você, o @guigasparotto e outros. Acho que tudo que aprendemos sobre o FM, inclusive o  "Princípio 323", não pode ser uma camisa-de-força que nos aprisione, mas sem conhecimento acabamos tomando atitudes sem sentido.

Valeu.

 

Share this post


Link to post
Share on other sites
upmjunior

É possível que esse princípio não se aplique à determinadas formações?

Fiz essa pergunta porque só fui aprender de fato a montar uma tática com duas linhas (4-4-2, 4-4-1-1) no FM12. Consegui resultados expressivos, venci campeonatos e minhas equipes jogavam um bom futebol. No entanto, eu "burlava" esse princípio: a primeira linha era defensiva; na linha de meio campo, os extremos atacavam e os centrais apoiavam (sendo um criador/medio-centro/área-a-área) e outro recuperador de bolas. Dessa forma, seriam 4 defensores, 3 apoiadores e 3 atacantes.

Antes de "padronizar" as funções "corretas" de um 4-4-2 britânico, testei várias maneiras de distribuir funções, inclusive a deste tópico. A única que verdadeiramente funcionou foi essa.

Share this post


Link to post
Share on other sites
Toggy81

É possível que esse princípio não se aplique à determinadas formações?

Fiz essa pergunta porque só fui aprender de fato a montar uma tática com duas linhas (4-4-2, 4-4-1-1) no FM12. Consegui resultados expressivos, venci campeonatos e minhas equipes jogavam um bom futebol. No entanto, eu "burlava" esse princípio: a primeira linha era defensiva; na linha de meio campo, os extremos atacavam e os centrais apoiavam (sendo um criador/medio-centro/área-a-área) e outro recuperador de bolas. Dessa forma, seriam 4 defensores, 3 apoiadores e 3 atacantes.

Antes de "padronizar" as funções "corretas" de um 4-4-2 britânico, testei várias maneiras de distribuir funções, inclusive a deste tópico. A única que verdadeiramente funcionou foi essa.

Dá pra não aplicar sim, mas no caso do exemplo que você citou está caracterizado o "Princípio 323".

4 defensores, 3 apoiadores e 3 atacantes = 3 defensores, 2 apoiadores e 3 atacantes

A aplicação se dá quando 8 jogadores estão distribuídos dessa forma. Os outros 2 você decide conforme a proposta de jogo. 

No seu caso além dos 8 no "Principio 323", vc decidiu por ter mais um defensivo e outro apoiador nos dois jogadores restantes.

Share this post


Link to post
Share on other sites
Gourcuff

É possível que esse princípio não se aplique à determinadas formações?

Já consegui fazer esquemas vencedores usando ou não essa regra.

Com o Princípio 323 e com a leitura de um tópico que esqueci onde li, consegui montar uma boa tática focada no domínio da posse de bola e vario entre 4-3-3, 4-4-2, 4-4-1-1. O 4-4-2 foi a base de tudo, já que uso três jogadores defender (dois zagueiros e o MC Armador Recuado/Defender), dois jogadores apoiar (MC Médio Centro/Apoiar e Avançado Recuado/Apoiar) e três atacar (Avançado Completo/Atacar ou Centroavante e os dois jogadores abertos da segunda linha como Médio/Ala Atacar).

Partindo dessa "filosofia", inclusive, venci a minha primeira UCL com o Liverpool logo na primeira temporada.
http://www.fmanager.com.br/topic/119614-como-está-o-seu-jogo-conte-nos/?do=findComment&comment=1062568280 e http://www.fmanager.com.br/topic/119614-como-está-o-seu-jogo-conte-nos/?do=findComment&comment=1062568676

Já no FM16 uso uma tática que foge um pouco desse princípio, mas ainda falta testar bastante até chegar numa versão final desse 4-4-2 losango.

T_ticas.png

E para melhorar a discussão, sugiro que postem suas táticas que encaixem nesse princípio e deixem de ficar apenas nos elogios kk

Share this post


Link to post
Share on other sites
ggpofm

É possível que esse princípio não se aplique à determinadas formações?

Fiz essa pergunta porque só fui aprender de fato a montar uma tática com duas linhas (4-4-2, 4-4-1-1) no FM12. Consegui resultados expressivos, venci campeonatos e minhas equipes jogavam um bom futebol. No entanto, eu "burlava" esse princípio: a primeira linha era defensiva; na linha de meio campo, os extremos atacavam e os centrais apoiavam (sendo um criador/medio-centro/área-a-área) e outro recuperador de bolas. Dessa forma, seriam 4 defensores, 3 apoiadores e 3 atacantes.

Antes de "padronizar" as funções "corretas" de um 4-4-2 britânico, testei várias maneiras de distribuir funções, inclusive a deste tópico. A única que verdadeiramente funcionou foi essa.

O "Princípio" é apenas uma sugestão sobre um aspecto do jogo. Não é algo que não possa ser "burlado" como você fez e outros também fazem. Seu próprio relato mostra que um time pode funcionar com outras configurações.

E é como eu disse, é acima de tudo uma ajuda para os novatos.  

Share this post


Link to post
Share on other sites
Toggy81

[...]

A definição das tarefas dessa sua tática tb se enquadra dentro do Princípio Renato. =)

Share this post


Link to post
Share on other sites
Gourcuff

A definição das tarefas dessa sua tática tb se enquadra dentro do Princípio Renato. =)

Até agora sim né, mas como estou testando principalmente o que posso fazer com os alas e os dois meias centrais ela não está 100% pronta, diferente das táticas em que uso pontas (MD/ME ou MAD/MAE). O objetivo é imitar a tática do Lyon na vida real e como eu acredito bastante no equilíbrio entre as tarefas, é capaz que mude algo ainda.

Share this post


Link to post
Share on other sites
Toggy81

Até agora sim né, mas como estou testando principalmente o que posso fazer com os alas e os dois meias centrais ela não está 100% pronta, diferente das táticas em que uso pontas (MD/ME ou MAD/MAE). O objetivo é imitar a tática do Lyon na vida real.

Entendo. De qqer forma a ideia inicial do tópico é demonstrar pra quem está começando a jogatina no FM um modo base para "espalhar" as funções Atacar/Apoiar/Defender pelo campo. 

Eu já consegui fazer funcionar sem ser nesse princípio, mas não durante uma partida inteira e sim com objetivos específicos como retrancar um jogo ou ir pro tudo ou nada em outros nos minutos finais. 

De um modo geral acho o Principio um fundamento básico que o pessoal que está começando deveria procurar absorver.

Share this post


Link to post
Share on other sites
Gourcuff

Entendo. De qqer forma a ideia inicial do tópico é demonstrar pra quem está começando a jogatina no FM um modo base para "espalhar" as funções Atacar/Apoiar/Defender pelo campo. 

Eu já consegui fazer funcionar sem ser nesse princípio, mas não durante uma partida inteira e sim com objetivos específicos como retrancar um jogo ou ir pro tudo ou nada em outros nos minutos finais. 

De um modo geral acho o Principio um fundamento básico que o pessoal que está começando deveria procurar absorver.

Com certeza. Eu, por exemplo, tive uma melhora imensa nos resultados quando passei a focar na forma como quero que a minha equipe joga. Esse Princípio 323 é só um dos aspectos que considero base e uma discussão num tópico na área de táticas no fórum da SI ajuda muito a quem procura ajuda para montar a sua tática.

O ideal é já chegar no jogo com certeza absoluta sobre como você quer que sua equipe jogue e, após isso, o próximo passo é definir as funções e tarefas de cada jogador e é aí que esse tópico aqui se torna muito útil. Depois, se baseando na forma como você quer que sua equipe jogue, é definir as instruções da equipe e individuais e começar a assistir os jogos, de preferência no modo mais completo possível seguindo as suas dicas, e ir corrigindo cada detalhe pra alcançar o jogo coletivo ideal.

Share this post


Link to post
Share on other sites
Seo Beraldo

Excelente Topico GG!

 

Millie e WWFAN continuam ativos no forum da SI apos o desfecho fo FMBritain? 

Faz muito tempo que não acompanho o forum da SI.

Share this post


Link to post
Share on other sites
ggpofm

Excelente Topico GG!

 

Millie e WWFAN continuam ativos no forum da SI apos o desfecho fo FMBritain? 

Faz muito tempo que não acompanho o forum da SI.

Valeu, Beraldo.

Não tenho visto posts deles por lá, mas não tenho estado atento a isso. ;)

 

Share this post


Link to post
Share on other sites
senna889091

Boa dica, vou prestar mais atenção nesses detalhes e posto aqui se noto alguma melhora. To precisando rs

Share this post


Link to post
Share on other sites
Boca Juniors

Eu meio que sempre fiz isso no automatico, como foi amplamente discutido no topico, nao como uma regra, mas de acordo com as minhas observacoes.

 

Parabens por "traduzir" isso pra todos.

Share this post


Link to post
Share on other sites
Perissé

Excelente tópico @ggpofm! Mesmo sendo de ajuda para iniciantes, eu não sabia do 323, mesmo sabendo utilizar as tarefas.

[...]

Não tem problema os jogadores estarem sobrepostos?

Share this post


Link to post
Share on other sites
SamuelFerreguetti

Desculpa se estiver postando no canto errado, mas sumiu do meu jogo aquela informação se o jogador está ou não habituado à função. Aquele circulo, no canto direito superior do quadrado na tática. Alguém sabe como reativar? Valeu

Share this post


Link to post
Share on other sites

Join the conversation

You can post now and register later. If you have an account, sign in now to post with your account.

Guest
Reply to this topic...

×   Pasted as rich text.   Paste as plain text instead

  Only 75 emoji are allowed.

×   Your link has been automatically embedded.   Display as a link instead

×   Your previous content has been restored.   Clear editor

×   You cannot paste images directly. Upload or insert images from URL.

Sign in to follow this  

  • Similar Content

    • Bega Gomes
      By Bega Gomes
      Paracleto, 1. Teologia (com inicial maiúscula); O Espírito Santo. 2. Pessoa que defende ou dá proteção a alguém; mentor, protetor. Variações: paraclito , paráclito . ETIMOLOGIA, do grego paráklētos.
      (Dicionário Michaelis on-line)

      Fala pessoal, blz? Estou de volta a área e espero muito que por algumas temporadas. Quem escreve, ou já escreveu histórias, conhece os desafios de conciliar o jogo com as postagens e a vida, kkk, mas, vamos que vamos.
      O Save terá como mote a República Tcheca com possível(eis) passagem(s) pela Alemanha e, talvez, Áustria, França e Itália, isso pq todos essas grandes potências europeias tiveram, em algum momento, ligações com o povo Tcheco.
      Criei um técnico Tcheco de nome Pavel Veselik. Nascido em 1982 (10 anos antes da separação da Checoslováquia) na cidade de Olomouc, a qual pertence ao território da Morávia, referência inclusive presente no banner da história no brasão da águia quadriculada. Suas qualificações não são as mais baixas - Licença Nacional B e Jogador de Futebol Profissional (Nível Nacional) - o que, concordo, pode me favorecer indiretamente em contratações, porém, a escolha se deu por nunca ter começado um Save assim e por tentar emular uma carreira comum de ex-jogador.
      As ligas habilitadas de início foram todas da Alemanha, França, Itália, Áustria e República Tcheca presentes na db original 16.3.0. E como perceberam, talvez já na tag do Save, usarei o FM16 (foi mal @vinny_dp) pq é o único que tenho, hehe.
      Certa vez abri um Save em off na Finlândia e curti a experiência, pois, abriu meus olhos pra um mundo que eu nunca tinha dado importância. Embora a RT tenha mais representatividade no futebol do que os finlandeses, a ideia de conhecer um “novo mundo” é meu grande objetivo.
      Veselik começa a jornada desempregado. Duas vagas estão abertas:
      Mantova FC, SerieC/C (ITA) SC Preußen Münster, 3ª Divisão (ALE) Uma terceira vaga surgiu enquanto participava das entrevistas:
      Bremen II Ainda me candidatei ao cargo, porém, o Mantova não quis esperar mais e acabei aceitando a proposta do time Italiano. Optei pela Itália por já ter jogado em off na Alemanha e, como a ideia inicial é a da "novidade", Andiamo Avanti!
       
      ÍNDICE
       
       
    • Tsuru
      By Tsuru
      Apresentação
      Olá pessoal. Quero dar as boas vindas a vocês no meu novo save aqui na área.
      Depois do fim precoce da trajetória do Olímpio - na qual não estava mais conseguindo me divertir - pensei em voltar à Europa e inclusive já tinha um desafio em mente. Mas, conversando com alguns colegas da área, concordei que era, digamos, muito complicado, no mesmo nível ou até mais do que os últimos. E que talvez fosse o momento de tentar algo diferente, mais simples, para não atrapalhar a diversão.
      A ideia de voltar a jogar no Brasil já vinha há algum tempo, até porque a última vez que treinei times em terras tupiniquins foi no FM 11, no save do Central, e por isso decidi colocá-la em prática. Apesar das muitas ideias e sugestões de possíveis clubes, fiz algo diferente: deixei o FM 15 rodando de férias por 5 temporadas, até dezembro de 2019, com objetivo de ver o que acontecia na Série C. Será que teríamos algum clube grande rebaixado? Viria algum time interessante das regionais? A ideia era, a partir daí, adotar um critério aleatório para a escolha final - separar três equipes com as quais eu simpatizasse, e jogar com a que tivesse menos títulos.
      O problema é que, por esse critério, o time com o qual eu jogaria seria o Madureira. Gosto bastante do Velho Madura, até pensei em fazer o save originalmente com eles (com o título "O despertar do Tricolor Suburbano"), mas sabe quando você vai assumir o clube e não dá vontade de continuar? Então acabei descartando essa possibilidade e optando por uma outra equipe da terceirona que achei bastante simpática, a única que estava sem treinador: o Santos do Amapá.
      Tem grau de desafio? Tem. É uma equipe do Norte do país, talvez a região hoje menos competitiva no futebol brasileiro, e que acabou de subir da Série D, o que significa que estabelecê-la entre os grandes não será fácil. Mas a ideia deste save novo não é ser fácil, é simplificar as coisas e jogar com um time que eu ache legal (até porque será um save de clube). Então acho que nesse sentido foi uma boa escolha.
       
      Objetivos
      - Ir da Série C ao topo das Américas, conquistando duas vezes a Copa Libertadores;
      - Ter instalações e infraestrutura de primeiro mundo;
      - Ter pelo menos um jogador convocado para a Seleção Brasileira.
       
      Regras
      - Se for demitido, o save acaba.
       
      Ligas carregadas
      - Inglaterra, França, Itália, Alemanha, Espanha, Argentina, Uruguai, Chile e Colombia (1ª divisão); Brasil (Série C, B e A).
       
      Histórico
      Temporada 1 
      Campeonato Amapaense: Campeão Copa Verde: Vice-campeão (derrotado pelo Remo na final) Copa do Brasil: Derrotado na segunda eliminatória pelo Internacional-RS Série C: Eliminado na primeira fase Temporada 2
      Campeonato Amapaense: Campeão Copa Verde: Campeão Copa do Brasil: Derrotado na primeira eliminatória pelo Guarani Série C: Em disputa
      Índice
      01 - A volta ao mundo em cinco temporadas
      02 - O mar está para peixe
      03 - A ponte, a taça e as copas
      04 - Se eles querem a bola, a gente também quer
      05 - El cuarteto argentino
      06 - Verdejantes tempos
    • Andreh68
      By Andreh68
      Apresentação pessoal
      Desafio lapidando vencedores desafio-lapidando-vencedores , lapidando-vencedores-um-incentivo-a-mais      Já há algum tempo tenho me dedicado mais a saves tipo LLM(com alguma flexibilidade, algumas regras ao meu ver são um pouco exageradas), sempre privilegiando as categorias de base. Esse desafio no fórum me incentiva a ser ainda mais "ousado".
      O ressurgimento do Uralan - Na virada do século, eu brincava muito num site tipo manager online chamado www.soccersim.com, onde os jogadores eram todos "regen". Eu tinha assumido o Uralan, time do qual nunca havia ouvido falar. Nele havia um atacante de nome Afanasy Stiatchkov. Com o tempo minha memória pode estar exagerando um pouco, mas o cara era monstro. Foi artilheiro da Europa umas 4 vezes, artilheiro russo praticamente todas temporadas. Fui campeão russo umas 5 vezes em 7 anos, e campeão chegamos em fases avançadas da champions umas 2 vezes. Mesmo velho e com seus atributos caindo, o cara mantinha a performance. Depois que comecei a jogar FM mais a sério, comecei a procurar pelo time, mas nunca tive a oportunidade de dirigi-lo, já que o time faliu e foi extinto DUAS vezes! Agora no 2015 vou ter a chance pela primeira vez. Além do time ter sido recriado do zero novamente, ainda em situação amadora, foi publicada uma extensão da liga Russa contendo a quarta divisão. Soccersim - figuras grandes
      Nações escolhidas - Rússia / jogável até a 3a div B(equivalente a 4a divisão) Início - Rússia 2014 Opções avançadas - adicionar jogadores a equipes jogáveis demais não marcadas por default - config inicial Database - grande, com todos os jogadores russos e baseados na Rússia, todos os jogadores de seleções e de reputação continental, jogadores dos principais clubes da Europa e América do Sul - 57.000 jogadores - database Expansão da liga Russa disponível na Steam Workshop, mais edição dos uniformes e estádio; Clube escolhido - Uralan. Não fiz como sugerido no desafio mas não fugi ao espírito dele. O Uralan não existia no campeonato passado, foi criado do nada, é como se tivesse sido promovido. Além disso é time com pior reputação e pior previsão de colocação pela mídia. Criei um treinador para ocupar o cargo de treinador e imediatamente o aposentei. Depois criei meu treinador como desempregado e me inscrevi para entrevista de emprego.
      Técnico sem qualificação, jogador de futebol amador   Ser campeão russo Vencer a Champions league Seguir as orientações do desafio lapidando vencedores, não contratar jogadores, somente utilizar a base. Ter um jogador artilheiro da Europa Se for demitido o save acaba Ser treinador do Barcelona após ser pelo menos campeão russo
       
      Prefácio 
      Ivan Afanasyevitch  13/02
      Afanasy Stiatchkov pt1 14/02
      Afanasy Stiatchkov pt215/02

      Capítulo 1 - 2015
      O renascimento 15/02
      A estreia 20/02
      Ultras! 22/02     
      E o pau comeu 26/02
      Primeiro turno 01/03
      Intertemporada 03/03
      Segundo turno 05/03  
      O primeiro vôo 07/03    
      Ode à torcida 08/03

      Capítulo 2 - 2016
      Tempestade a vista 12/03
      Bonança  19/03
      Bom anfitrião 26/03
      Déjà  vu 28/03
      Olhar para trás 29/03

      Capítulo 3 - 2017 
      Rapadura é doce... 03/04
      Bungee jumping 11/04
      O elástico rompeu...14/04
      Adeus   segundona? 16/04
      Xeque! 18/04
      Xeque-mate! 20/04

      Capítulo 4 - 2018
      On the wings of a dream 26/04
      Asas de cera 02/05
      Fracassos... não está fácil para ninguém 11/05

      Capítulo 5 - 2019
      De volta para a casa     14/05
      Um bom começo, mas foi só isso? 25/05
      Um sonho que passou... 26/05
      Ser ou não ser? 01/06
      Flying high again16/06

      Capítulo 6 - 2020
      No quartel de Abrantes  21/06
      Tudo como dantes! 23/06
      Foi quase! Quase??? 02/07

      Capítulo 7 - 2021
      Recomeço 30/07
      Parece, mas não é 31/07
      A vida não é um passeio no bosque 10/08

      Capítulo 8 - 2022
      Você pode vergar um pinheiro se tentar aos poucos 11/08
      Nem tudo que brilha é ouro  29/08
      Seu cotovelo está próximo, mas nem por isso você consegue mordê-lo 05/09
      #Pep no Linha 07/09
      Primeiras fornadas, o que aconteceu?   09/09

      Capítulo9 - 2023
      Adeus também foi feito para se dizer 19/09
      Se forçares um tolo a rezar, ele tanto machucará sua testa quanto os dedos dos pés de outros 28/09
      A testa abriu 13/10

      Capítulo 10 - 2024
      Começar de novo! 17/10
      Vassoura nova varre diferente 19/10
      São somente flores, os frutos virão depois 22/10
      Acredite, mas se certifique! 24/10
      Via Crúcis em 12 estações tempos AKA desastres acontecem 26/10
      Via Crúcis em 12 estações tempos - 2a parte 28/10
      Um pássaro é reconhecido pelo seu vôo 03/11

      Capítulo 11 - 2025
      O mais difícil é começar, depois fica fácil 07/11
      A língua solta é um tesouro para o espião 24/11
      Um turno em silêncio. (A língua solta é um tesouro para o espião) 28/11
      O medo tem olhos grandes 30/11
      Sem esforço não se tira um peixe de um lago raso 04/12
      Sem esforço não se tira um peixe de um lago raso pt.2 05/12

      Capítulo 12 - 2026
      Ovos não ensinam a galinha 10/12
      Bravo frente a um cordeiro, um cordeiro frente a um bravo pt1 11/12
      Bravo frente a um cordeiro, um cordeiro frente a um bravo pt2 15/12
      Bravo frente a um cordeiro, um cordeiro frente a um bravo pt3 17/12
      Outubro Vermelho 18/12
      Um turno para trás 21/12
      Long and winding road 07/01
      8 jogos, 7 pontos! 11/01
      Acima da linha d´água 12/01

      Capítulo 13 - 2027
      Fundação 14/01
      Em marcha 21/01
      Uma locomotiva chamada Bonatini 24/01
      Da água para a Vodka 25/01
      A marvada castiga 30/01
      Feliz aniversário! 12/02

      Capítulo 14 - 2028
      Antes tarde do que nunca 02/10
      Não só as arvores têm raízes 04/10
      Vamos voltar às nossas ovelhas 07/10
      O que é bom para um russo, é a morte para um alemão 21/10
      O inverno passou... 04/11
      ...mas o frio ficou 07/11
      ...mas o frio ficou, parte II 09/11

      Capítulo 15 - 2029
      A volta do filho pródigo 11/11
      Um bom começo é metade da batalha 13/11
      Um velho amigo é melhor que dois novos 16/11
      Do que os ricos e os felizes 18/11
      Capítulo 16 - 2030
      Da Champions! 19/11
      A primeira panqueca sempre tem caroços. 21/11
      Moer água em um pilão 23/11
      Dominnnngo, eu vou ao Maracanãããã.... 25/11
      As galinhas são contadas no outono 28/11
      Tudo está bem, quando acaba bem 03/12

      Capítulo 17 - 2031
      Father, father... I look up to you! 17/01
      Acima de tua cabeça não consegues pular 28/01
      Não se trocam cavalos na travessia 18/02
      O que aconteceu, já foi. 20/02
      Hoje não, hoje não! Hoje sim? Hoje SIM!!?? 23/02
      Cicatrizará antes de seu casamento 26/02

      Capítulo 18 - 2032
      Juntando as forças 10/03
      Quando um lagostim subir a montanha e assoviar 12/03
      Aconteceu, eu vi. A cabra comeu o lobo. 28/03
      Nem peixe nem carne(n. do a. - medíocre). 01/04
      Um bom trabalho fala por si. 05/04
      Quem se queimou com leite quente sopra a água gelada. 07/04
      Vai ter festa la na rua! 19/04

      Capítulo 19 - 2033
      Quanto mais tens, mais queres. 26/04
      A igreja está perto, mas a estrada está sob a neve, o bar está longe, mas vou com cuidado. 27/04
      Foi pegar lã mas voltou tosqueado. 21/07
      Forje o ferro enquanto ainda está quente. 24/07
      Tudo a seu tempo. 28/07 
      De uma ovelha magra pelo menos um punhado de lã. 29/12
      Capítulo 20 - 2034
      O trabalho nâo é um lobo. Ele não correrá para a floresta. 02/01
      Nem tudo que brilha é ouro. 05/01
      Um cão preto não fica branco se você lavar bastante. 10/01
      Sem sofrimento não há aprendizado. 18/01
      Não culpe o espelho pela sua cara feia. 21/01
      Mãe Rússia 24/01
      Capítulo 21 - 2035
      Vá devagar e irá mais distante. 26/01
      Parece mas não é. Episódio II. 30/01
      Uma esposa ruim leva a casa a falência, uma sela ruim machuca o cavalo. 31/01
      Não há heróis que não tenham experimentado tristeza. 08/02
      Não pergunte ao Mal, pois ele responderá. 09/02
      Para os espertos, a sorte acontece uma vez, para os habilidosos, duas vezes. 12/02
      Se a mão trabalha, a boca também. 22/02

      Capítulo 22 - 2036
      Não importa a distância, siga pela estrada; não importa quantos anos tenha - leve a garota. 27/02
      Melhor que ser o rabo do elefante, é ser a cabeça do camelo. 05/03
      Aquele que joga contra si mesmo nunca perde. 12/03

      Capítulo 23 - 2037
      O cobre de qualidade não enferruja; filhos e parentes da mãe não se esquecem.14/03
      Aquele que ama a terra natal derrota o inimigo mais facilmente. 16/03
      Não se pode confiar no inverno. 18/03
      Aquele que não tem desejo, não tem força também. 22/03
      O sol sempre brilha, e aprender é mais doce que o mel e açúcar. 24/03
      A arrogância estraga uma pessoa, o muito branco rapidamente se suja. 17/04 
      Meça sete vezes, corte uma. 03/05 

      Capítulo 24 - 2038
      Com as barbas de molho. 10/05  
      Um(?) Torpedo vindo em nossa direção! 14/05 
      Até o último minuto! 17/05 
      A árvore que cresce na borda da floresta é resiliente. 23/05 

      Classificação nos torneios disputados
    • Khroiskantis
      By Khroiskantis
      Robur. Termo que vem do latim e significa “força”.
      Para os moradores de Siena, na Toscana, Robur vai além de um verbete no dicionário. Robur simboliza uma paixão: o calcio. Inicialmente batizado Robur Siena, o antigo Associazione Calcio Siena foi um clube tradicionalíssimo nas divisões inferiores italianas, e no início deste século conseguiu chegar no sonho de todo clube de divisão inferior italiana: a Serie A.
      Fazendo campanhas até respeitáveis, os bianconeri se mantiveram por algum tempo na divisão, mas a queda veio, e com fúria: tão logo caíram para a Serie B, declararam falência e recomeçaram em 2014-15 na Serie D. Agora com o nome original, conseguiram a promoção para a Lega Pro na primeira temporada, onde militam até hoje.
      O caminho do Robur Siena para retornar à Serie A é árduo, mas força não faltará aos toscanos.

      FM 2016 16.3
      Ligas carregadas:


      - Retornar à Serie A;
      - Conquistar vaga nas competições europeias;
      - Vencer a Serie A e somar mais scudetti que as rivais históricas Roma (3) e Fiorentina (2);
      - Vencer a Coppa Italia;
      - Vencer as competições europeias;
      - Colocar jogadores em todos os escalões da seleção italiana;
    • Vini - Ministro da saúde
      By Vini - Ministro da saúde
      INTRODUÇÃO E CONSIDERAÇÕES INICIAIS Olá, eu me chamo Thomas Lawrence. Se você conhece o Oriente Médio como ele é hoje, mais precisamente o que era território do antigo Império Otomano, isso tem a ver com meu homônimo.
      O meu nome veio por pura coincidência, mas o desejo de liberdade e o gosto pelo desconhecido pode-se dizer que é bem parecido com o dele. Já que falamos um pouco sobre o Lawrence da Arábia, agora falemos sobre o Lawrence de Alexandria, no caso eu. Meu bisavô, trabalhou em atividades no protetorado inglês no Egito e gostou tanto que acabou fixando residência, algo repetido pelo meu avô e pelo meu pai.
      Eu vim ao mundo em setembro de 1987, quando o mundo já era completamente diferente e a Inglaterra estava bem longe do que era no começo do século XX. Ainda assim, ouvi bastante histórias sobre os dias gloriosos do império onde o sol nunca se punha, ficando fascinado com tantos locais diferentes: Índia, Afeganistão, Chipre e Grécia, só para ficar em alguns exemplos.
      O que me chamava realmente a atenção eram as histórias sobre o Mar Mediterrâneo, com a quantidade de países que ele abrigava e a beleza de suas paisagens. Esse fascínio sempre me trouxe a vontade de ler mais sobre o assunto, sem contar que a minha viagem após terminar os estudos básicos começou em Malta, passando por outros países banhados pelo famoso Mar.
      O que tudo isso tem a ver comigo? Bem, além de ser uma paixão pessoal, começou a se ligar quando eu comecei a estudar Educação Física e o sonho de trabalhar com o futebol foi ficando cada vez mais forte. Desse modo, quando concluí os estudos, resolvi que iria me aventurar pelo mundo, trabalhando com a minha paixão.
      Primeiro comecei com alguns trabalhos como preparador e assistente no futebol local, inclusive participando da comissão técnica do meu time do coração, o Zamalek. Assim, quando cheguei próximo aos meus trinta anos, com alguma experiência acumulada, resolvi cair no mundo, agora buscando a vaga de técnico.
      Distribuí currículos entre vários lugares, até que fui chamado para trabalhar em um país próximo. Porém deixemos essa história para depois.
      O SAVE Bom, como alguns notaram, na entrevista do Cleyton falou-se de um membro que teve o notebook furtado no bar. Então, a história foi comigo.
      Para ajudar, o idiota aqui não salvou nada na nuvem e acabou sem o save do Ajaccio e o na América do Sul. Depois do coração partido e mais despesas para recuperar o que eu perdi naquele dia, faltava voltar ao FManager. Qual foi a minha surpresa ao perceber que eu não lembrava a senha?
      Bem, passado todo esse caminho, comecei a me decidir sobre o que faria na sequência. Indo na contramão de alguns amigos que não estão com pique para o FM, eu estou voltando com a certeza que quero ir longe. E nada melhor do que conquistar a revanche com uma história que não foi para frente no FM 16, sobre o Mar Mediterrâneo.
      Só que até aí faltava me decidir sobre os caminhos do save, ponto esse em que o homem das 1000 ideias, @Tsuru, me deu uma baita ajuda.
      Consultei quais eram os países banhados pelo Mediterrâneo e verifiquei que eram 22. Deles eu tirei de cara Malta, Mônaco, Gibraltar, Síria e Palestina; por motivos que variam de uma liga que eu não julgava ser interessante, até pelo momento dos países na vida real. Nas listas que verifiquei, inicialmente não localizei o Chipre, mas decidi coloca-los por conta própria e assim fiquei com 18 ligas jogáveis.
      Dividi essas 18 ligas em potes, a saber:
      Pote 3
      Argélia, Egito, Líbano, Líbia, Tunísia e Marrocos
      Pote 2
      Albânia, Bósnia-Herzegovina, Chipre, Eslovênia, Montenegro e Israel
      Pote 1
      Croácia, Espanha, França, Grécia, Itália e Turquia
      Com essa divisão estabeleci que só passaria para os países do próximo pote assim que vencesse um título nacional em cada um dos locais do pote. Assim, só irei ativar as ligas do pote 2 assim que estiver no último país do pote 3.
      Dito isso, meus objetivos são os seguintes:
      Vencer títulos nacionais em todos os países do desafio Conquistar três Liga dos Campeões Mudar de time apenas via convite, nunca me candidatando a outros cargos  
      O CLUBE Como disse, comecei desempregado o save, com experiência local e licença nacional A. Recebi alguns convites e acabei aceitando a proposta do ES Hamman-Sousse da Tunísia, que calhou de ser uma cidade na costa do Mediterrâneo. O time, que nunca foi muito além de campanhas medianas na Tunisian Ligue 1, já vai para sua quinta temporada na Tunisian Ligue 2.
      Vale lembrar que estou com o FM 17, o que quer dizer que o jogo irá iniciar na temporada 2016/17.
      Basicamente estou indo treinar um asilo. Fiquei impressionado com a quantidade de jogadores já beirando os 40 anos e devo pensar em qual estilo adotar com tantos veteranos, uma vez que uma reformulação completa não deve acontecer agora.
      Mandamos nossos jogos no estádio municipal Bou Ali-Lahouar, com capacidade para 6500 pessoas. Já pensando em um estilo que não canse tanto a equipe, solicitei ao responsável pelo gramado que deixe o tapete com as menores condições possíveis, no caso 90x70m.
      O time é cotado para a promoção à Ligue 1 e só me resta cumprir esse objetivo ou se não deverei sofrer minha primeira demissão.

      INFRAESTRUTURAS | LIGAS CARREGADAS
      A LIGA A Ligue 2 é um campeonato dividido em dois grupos de 10 equipes, que jogam em turno e returno, totalizando 18 jogos na primeira fase. Após essa fase, os três primeiros de cada grupo jogam o playoff de promoção, que é disputado também em turno e returno.
      Depois dos 10 jogos, os dois primeiros garantem acesso direto à Ligue 1, enquanto o terceiro disputa um playoff contra o antepenúltimo da divisão principal. O penúltimo da L2 disputa um playoff contra o vice da terceira divisão e o último colocado é rebaixado automaticamente.
       

      TEMPORADA 2016-2017 - Ligue 2 - Um Asilo na Tunísia
      Mercado de Transferências
      Nossa janela buscou reduzir a alta média de idade do elenco. Arouri veio para a reserva na lateral-esquerda, Onana veio (e já foi, devido às regras de estrangeiros no país), Adjeman-Pamboe é um inglês e atua nas duas pontas; Khenissi, Chikoto e Barrani vieram no final da janela, mas já para entrar no time titular, no comando do ataque, zaga e meio-campo, respectivamente.
      Em janeiro perdemos Momble (PE) e Khemiri (LE). Trouxemos Bani (LE) e Kacem (PE) como reposição destes, além de Kchok para reforçar a zaga.

      ELENCO INICIAL | ELENCO PÓS-JANELA
       
      Ligue 2 e Copa da Tunísia
      Abrimos esta fase contra um dos piores times do campeonato, - o Stade Africain – e fizemos a nossa parte goleando, com uma baita partida de Khenissi, que marcou 4 dos 5 gols do ESHS. Nosso domínio foi tão evidente que até trouxe uma empolgação para as partidas seguintes, na qual vencemos o Korba (4-1) e Ben Arcus (1-0).

      Essa empolgação foi por terra quando encaramos os times mais fortes do nosso grupo. Contra o Monastir, abrimos o placar e até pensamos que poderíamos tirar algo de bom da partida mas o adversário virou em 7 minutos no segundo tempo e sacramentou nossa primeira derrota na competição. O Gafsa, outra equipe cotada para brigar pelo acesso à L1, foi o time que enfrentamos na rodada seguinte e também nos derrotou.

      Nos recuperamos vencendo o Hammamet com um gol já nos minutos finais da partida e fomos para o jogo contra o Gafsa, dessa vez pela Copa da Tunísia, e perdemos novamente, saindo precocemente da competição.
      Um empate contra o Siliana e uma vitória contra o Kef colocaram nosso time nos eixos, prontos para jogar contra o Kasserine, nosso principal adversário pelo acesso. E o duelo foi bastante disputado e nos detalhes a derrota foi selada, com um gol próximo do final do primeiro tempo.

       
      Ligue 2 – Returno
      Nesse segundo turno eu já sabia o que seria preciso para conquistar a promoção, então a meta era vencer todos os três primeiros jogos, roubar pontos contra Monastir e Gafsa, para depois perder o mínimo de pontos possíveis nos três jogos antes de decidir a vaga contra o Kasserine.
      Bem, parte desse roteiro aconteceu conforme eu esperava: vitórias contra Stade Africain (5-0), Korba (1-0) e Ben Arcus (2-1); a derrota para o Monastir (0-2) quebrou um pouco minha expectativa, mas o empate contra o Gafsa (2-2) recuperou meu ânimo.
      Contra o Hammamet só a vitória interessava para nos manter firmes na briga pelo acesso. Bem, aí é que vimos do que esse time é feito.
      Ben Frej abriu o placar aos 6’, mas sofremos a virada em cinco minutos. Aos 31’ pênalti para o Hammamet e o goleirão pegou. Essa defesa deu o gás necessário para buscarmos o resultado e logo aos 35’ empatamos com Barrani. Aos 57’ mais drama no jogo: Ben Abid comete falta estúpida e leva o segundo amarelo, comprometendo seriamente nossas chances no duelo. Fomos nos segurando como dava até os 10 minutos finais, quando fomos para o pau e aí Barrani, o nome do jogo, marcou o 3 a 2 aos 87’. Jogaço.

      Essa partida deu o ritmo para a equipe nos três últimos compromissos e vencemos Siliana (3-0), Kef (2-0) e Kasserine (3-1). Neste último duelo, tínhamos dois pontos de vantagem para o quarto colocado e precisávamos da vitória para garantir a vaga.
      O jogo foi bastante duro. Labroussi abriu o placar aos 28’ e nos colocou nas cordas, fazendo com o que o primeiro tempo fosse um suplício. No segundo tempo, eu coloquei a instrução sobrecarregar, mesma tática que usei nas últimas cinco partidas, e logo aos 57’ empatamos. Continuei com a instrução, ainda que o empate já nos garantisse na próxima fase. Aos 80’, a recompensa: gol de Aouichaoui e o desespero trocava de lado; no final, jogamos a última pá de cal nas esperanças do Kasserine com Bachouche.

       
      Calendário

       
      Classificação - Ligue 2 - Primeira Fase

       
      Ligue 2 – Grupo de Promoção
      Na segunda fase, os três primeiros dos dois grupos jogaram entre si em turno e returno, totalizando 10 jogos. E o meu cálculo foi que eu teria que ganhar seis pontos contra o terceiro da outra chave, no caso o Jendouba Sport e vencer os outros times em casa, para roubar pontos fora. Vamos aos jogos.
      A abertura foi justamente contra o Jendouba e terminamos com um empate frustrante por 1 a 1. Empates foram os resultados finais contra Djerba e Monastir (ambos por 0 a 0), este último uma evolução.
      O duelo pela quarta rodada marcou a virada na briga pelo acesso. Enfrentando o líder do outro grupo na primeira fase, o Stade Tunisien, fomos mais efetivos em um jogo muito complicado e saímos com a vitória por 2 a 0. Vale destacar que desde o final da primeira fase tenho entrado com a proposta de atacar desde o início, alterando para sobrecarregar se preciso do resultado e controlar para segurar vantagem.

      Mais um empate, desta vez contra o Gafsa e assim já somávamos quatro empates e uma vitória em cinco jogos, uma marca bem ruim. No returno, batemos o Jendouba Sport e ficamos firmes na briga pelo acesso.
      Estávamos invictos, apesar do maior número de empates e fomos encarar o Djerba, duelo em que flertamos bastante com o perigo e só conseguimos o empate (mais um!) no final dos 90 minutos. Outro empate foi o resultado contra o Monastir e assim o acesso era bastante incerto, considerando que todos os times eram de níveis equivalentes. Contra o Stade Tunisien fizemos outro jogaço e com três gols depois dos 30 minutos do segundo tempo, fizemos o 4 a 2 e ficamos muito próximos da Ligue 1. Sacramentamos o acesso justamente contra o time que mais nos deu dor de cabeça durante o ano, virando o duelo contra o Gafsa, fechando o placar em 3 a 1.

       
      Calendário

       
      Classificação
      No final das contas, terminamos na liderança da segunda fase, algo surpreendente pela primeira fase que fizemos. Valeu a pena colocar o time no ataque e invictos, fechamos esta fase com quatro vitórias e seis empates.
      No fim, fomos promovidos diretamente junto com o Stade Tunisien, deixando o Monastir para jogar o playoff de rebaixamento contra o Gabes, não conseguindo o resultado para chegar à Ligue 1. O quadro de honra da Tunísia tem tão poucos nomes que esse título foi suficiente para me colocar no top 10.

      LIGUE 1 PRIMEIRA FASE | LIGUE 1 GRUPO REBAIXAMENTO | LIGUE 1 GRUPO DO TÍTULO
       
      Elenco 
      No geral, o elenco foi bem para os desafios dessa temporada, apesar da alta média de idade, algo que é urgente corrigir para 2017/18. Na defesa, fica o destaque para Ben Frej, que conseguiu contribuir bastante ofensiva e defensivamente, do alto dos seus 38 anos.
      O meio-campo foi dominado por Barrani – eleito o jogador do ano pela torcida -, que ditava o ritmo das partidas, além de marcar ou dar passes em momentos importantes. Sua renovação é fundamental para a próxima temporada.
      No ataque, Khenissi fez o que se esperava dele e marcou 13 gols em 23 jogos, média razoável. Como perdeu algumas partidas por lesão, creio que seu desempenho ficou comprometido em alguns momentos.

      ESTATÍSTICAS
×
×
  • Create New...