Jump to content
Sign in to follow this  
CCSantos

Real Sociedad Gimnástica de Torrelavega - ¡Tu has de vencer! - Quando vai acontecer??? (01.05)

Recommended Posts

marciof89

Fez um bom fim de temporada, não conseguindo de fato correr atrás do título, mas mostrando que tá cada vez mais próximo do G2 do campeonato. A questão é ultrapassar os ricos.

Não pode perder Isak de forma alguma! Que isso nunca aconteça!

Essa temporada, você acha que vai conseguir roubar pontos dos grandes?

Share this post


Link to post
Share on other sites
CCSantos

2wBlALF.jpg

Em 28/01/2021 em 14:47, div disse:

Gostei bastante dos reforços. O Baric, se conseguir adquirir em definitivo depois do empréstimo seria um investimento e tanto.

Conseguiu montar um elenco bem jovem, com bastante potencial de crescimento.

E olha.. eu pensava que essa janela seria complicada por conta do assédio em cima do Gómez e do Isak, mas consegui manter eles, @div. Até quando? Não sei.

Sobre montar um elenco jovem, é justamente isso que procuro fazer. Juventude e polivalência são coisas que priorizo demais nos meus times.

Muito obrigado pelo comentário.

Em 29/01/2021 em 14:25, dantenetocosta disse:

Muito legal tua saga camarada,

Achei esses logos muito lindos, qual é o nome?

Opa @dantenetocosta, seja bem-vindo por aqui.

Rapaz, eu utilizo os logos standard mesmo, não uso um específico não. Eles já são excelentes mesmo.

Valeu pelo comentário.

Em 31/01/2021 em 16:14, marciof89 disse:

Fez um bom fim de temporada, não conseguindo de fato correr atrás do título, mas mostrando que tá cada vez mais próximo do G2 do campeonato. A questão é ultrapassar os ricos.

Não pode perder Isak de forma alguma! Que isso nunca aconteça!

Essa temporada, você acha que vai conseguir roubar pontos dos grandes?

Concordo que o fim de temporada foi bom pra equipe @marciof89. Acabou sendo uma questão mais de detalhes mesmo. O ruim de ficar em 3º foi não pegar Pote 1 na Champions, com o título do Real Madrid. Mas até aí, tudo certo.

Estou tentando manter o Isak, mas é uma novela bem longa, espero que consiga ultrapassar a janela de inverno também.

Não sei se consigo roubar pontos, mas acho que podemos, ao menos, complicar ainda mais a vida, sobretudo do Atlético, pois ele perdeu Simeone pro Liverpool - eles vem agora com Nuno Espírito Santo.

Vamos ver o que nos espera. Valeu pelo comentário.

Share this post


Link to post
Share on other sites
CCSantos

qo9m9uY.jpg

Início interessante

Vamos começar de vez mais uma temporada com a Gimnástica, onde teremos compromissos nesta atualização com LaLiga e também com a Champions.
Ainda vamos saber nossos adversários na Champions e na Copa del Rey.
Mas, antes disso tudo, ainda tem reforço sendo anunciado para Janeiro.

Vamos lá!

uAyNBxM.jpg

Garantimos a vinda de mais um zagueiro para a equipe. Trata-se do croata Nikica Majkic, de 18 anos, que vem do Slaven Belupo. Era simplesmente um dos atletas mais desejados pelos principais clubes europeus.

Barcelona, Real Madrid, PSG, Tottenham, Arsenal... a lista de pretendentes era ENORME, e não é pra menos. Condição física excepcional para um atleta de 18 anos, Determinação, Índice de Trabalho, Bravura e Decisões elevados. Na parte técnica, bom Cabeceio, Desarme e Marcação.

Traduzindo em poucas palavras: Uma jóia, que chega a Torrelavega já um pouco lapidada. Majkic chega por pouco mais de 8,5M de Euros, ao todo (5M no ato + 3,8M em 48 meses + 30% da próxima transferência), e chega ao clube em Janeiro, e o melhor: Dependendo da situação, ele pode ser inscrito na Champions, pois o Slaven Belupo não disputa a competição - o representante croata é o Dinamo Zagreb.

A chegada de Majkic simboliza uma coisa: Devemos ter modificações na defesa.

etslmKQ.png

Futuro reforço apresentado, agora vamos aos sorteios, começando pela Copa del Rey.

6mrMZo5.jpg

UeFbEGn.png

Pois é, pessoal...
Se vocês pensaram que haveria facilidades... se enganaram.
Por mais que enfrentemos o Alcorcón, que está longe de ser aquela equipe que chegou em LaLiga, é nas fases seguintes que o nível aumenta consideravelmente. 
Caso tudo ocorra dentro da normalidade, nós devemos enfrentar Valencia ou Real Sociedad nas oitavas (vocês vão entender essa preocupação durante a atualização), ninguém menos que o Barcelona nas quartas e Atlético ou Sevilla nas semifinais.

O chaveamento desta vez, foi BEM FAVORÁVEL ao Real Madrid, já que ele só deve encontrar com Villarreal e Athletic Bilbao, além do Sporting Gijón - que o eliminou na edição passada - esse último, logo nas oitavas.

Chaveamento da Copa feito, vamos agora para o chaveamento da Champions.

MGZBexT.jpg

Chegamos em uma fase de grupos, imaginando que teríamos consideráveis dificuldades. A Gimnástica ainda está no Pote 3, enquanto o Atlético de Madrid está no 2, vindo da pré-Champions, enquanto o Barcelona se uniu ao Real Madrid no Pote 1, por ter sido vice-campeão espanhol, já que os Madrilhenos ganharam a Champions.

Acho que nosso cenário ficou no nível 'Médio', por assim dizer.

CfCOkov.jpg

Vamos enfrentar Zidane novamente, dessa vez com o francês comandando o Manchester City, campeão inglês depois de muito tempo.

Além disso, vamos enfrentar o português Sporting, que é comandado por Jorge Jesus e acabou ficando atrás do Benfica temporada passada.

O diferencial aí é que o Sporting se desfez dos seus dois principais atacantes: Alexis Braulio foi para o Bayern por quase 50M de Euros, enquanto Emanuel Camará foi para o Schalke, por 26,5M, fora outras saídas como Marín, Reguillón, Cassata e Blas Riveros. Isso enfraqueceu bastante os Leões.

Finalmente, o último adversário é o BATE Borisov, campeão de Belarus, que deve ser o saco de pancadas do grupo.

Nossa briga tende a ser com o Sporting pela segunda vaga, já que os Citizens devem ir com facilidade para as oitavas.
Teremos os dois primeiros jogos contra BATE Borisov (fora) e Sporting (casa) ainda nessa atualização.

Dado isso, vamos acompanhar como foi nosso início em LaLiga.

DlsuxSt.jpg

1a Rodada vs Osasuña: Cubículo foi ótimo

A nossa estreia foi contra o Osasuña, no pequeno cubículo chamado El Sadar. Nosso time tinha como meta abrir o placar rapidamente, tanto que acertou a trave após escanteio de Carpentier, que Aleña acertou a trave. Isso animou nossa equipe, tanto que não tardamsos a abrir o marcador.

Novo escanteio cobrado por Carpentier e Gómez pulou bem para abrir o placar, na marca dos 14'. O Osasuña não conseguia assustar uma boa defesa com Gómez e Golubovic, e por isso, conseguimos aumentar o placar aos 25'. Jogada de Tulissi, que encontrou Isak para chutar de primeira e ampliar. Essa dupla quase funcionou de novo aos 42', mas novamente a trave parou a Gimnástica.

Para a segunda etapa, o time de Pamplona decidiu vir em um 4-3-3, tirando dois meias e colocando Zawada e Enguix para fazer companhia a Insigne (sim, aquele!). Mas a Gimnástica ainda era soberana no jogo, e não adiantava eles baterem, tanto que Carpentier ameaçou sair ainda no primeiro tempo, e Aleñá acabou tendo uma lesão no pescoço, mas nada grave.

No fim, nova jogada de Carpentier, e Isak escapa de Unai García para chutar sem chances para Atangana (sim, aquele! [2]) o segundo gol dele e o terceiro da Gimnástica.

Acabou sendo um seguro 3 a 0 e sem erros, mesmo no cubículo do El Sadar.

qqDro3B.png

2a Rodada vs Numancia: A turnê de despedida começa

Nosso primeiro jogo em casa nesta última temporada do El Malecón foi contra o Numancia, outra equipe que subiu da Liga 123. Dá pra se dizer que não gostei desse jogo.

A Gimnástica teve um bom começo, e abriu o placar com Aouar aos 10' de partida, com um bom chute da entrada da área. Isak acertou o travessão após lindo cruzamento de Carpentier na sequência, mas depois disso, a Gimnástica simplesmente parou.

O Numancia teve maior ação durante boa parte do jogo, tanto que Brandon Thomas acertou o travessão na metade do segundo tempo, enquanto a Gimnástica não tinha poder ofensivo, com Isak e Tulissi atuando abaixo do esperado.

Só consegui ficar aliviado aos 43' do segundo tempo, quando Choneftidis cruzou para Aouar, na marca do pênalti, tirar do alcance do goleiro Julián, e dar números finais ao confronto.

O placar de 2 a 0 não chega a ser de todo injusto, mas a nossa atuação ficou bem aquém do esperado.

hd8T8hg.png

3a Rodada vs Villarreal: Sorte e azar

Visitamos o sempre perigoso Villarreal no Estádio de La Cerámica, sabendo que poderíamos acompanhar o ritmo do líder Real Madrid, mas Goncharenko manteve a tradição dos nossos confrontos: Um jogaço e um jogo ruim na sequência.

A primeira etapa até que foi bem movimentada, com nossa equipe parando nas mãos do goleiro Rúben Blanco. Soma-se isso a uma partida bem ruim de Baric e Isak, sendo que o sueco foi sacado no intervalo.

A minha insatisfação com o time era grande, tanto que fiz as três mexidas antes dos 15' do segundo tempo, tirando Isak e Gómez - este amarelado - no intervalo, além de Baric, para colocar Sandro, Aranburu e Varela, respectivamente.

Mas aí, o capitão Choneftidis quis complicar, e recebeu dois cartões em um espaço de 11 minutos, e foi expulso, aos 24' da etapa complementar. Só que o ataque deles também não rendeu, tanto que Golubovic foi o melhor em campo.

Mesmo tendo ficado pouco mais de 20 minutos com um atleta a menos, achei que o empate em 0 a 0 foi um resultado desapontante, sobretudo em relação ao ataque.

E isso não era bom, pois a nossa sequência seria contra três times da parte alta da tabela: Sevilla, Barcelona e Real Sociedad.

dksMQtj.png

4a Rodada vs Sevilla: Gaveta

Fomos até o Ramón Sánchez Pizjuán enfrentar o Sevilla de Tite, que tinha como destaque o argentino Hernán Cuevas, prodígio vindo do Banfield. Seria um belo desafio para o lateral-direito Gomis, que entraria no lugar do expulso Choneftidis. E ele começou muito bem.

Aos 3', em troca de passes, Aleñá vê Gomis aparecendo livre, e lança. O lateral foi até o limite do campo e cruzou rasteiro para que Isak abrisse o marcador. O gol animou a equipe, mas sabíamos que o time da casa poderia se aproveitar de qualquer vacilo nosso.

Ele ocorreu aos 25', com uma troca de passes envolvendo Xadas, Cuevas e António Gil. O espanhol, em lance parecido ao nosso gol, viu o lateral Mittelstadt avançar e ele cruzou para Góngora empatar.

Mas nossa equipe reagiu rápido, pois tínhamos Aleñá, e na bola parada, ele decide. Em clássica cobrança da meia-lua da grande área, ele fez o básico: Cobrança por cima da barreira, 'onde a coruja dorme'. Zero chances para Pau López, e a Gimnástica estava novamente na frente.

Depois disso, o jogo até teve uma boa movimentação, mas nada muito flagrante. Não gostei da atuação dos três meia-atacantes, tanto que Aouar, Tulissi e Carpentier saíram para darem lugar a Rúben Ortiz, Baric e Sandro.

No fim, o time de Seo Adenor não conseguiu assustar uma Gimnástica segura de si, e precisava de uma vitória grande. Esse foi o caso desse 2 a 1.

1mjV2tu.png

5a Rodada vs Barcelona: Furor

Após enfrentar o Sevilla, teríamos o Barcelona no El Malecón, e eles já começaram falando que estavam interessados em Isak. Nem comentei sobre isso, pois a ideia, obviamente, era atrapalhar a equipe.

Também seria o último jogo contra os catalães jogando no El Malecón. Havia todo um clima de expectativa acerca do jogo, e de como ambas as equipes poderiam atuar.
Isak jogaria bem? Neymar definiria como sempre? Eram diversas as perguntas.

Algumas já foram respondidas no começo do jogo. Aos 8', Tulissi trabalhou com Aouar, que encontrou Carpentier nas costas de Sergi Roberto. O francês cruzou de primeira para Isak escorar para as redes, abrindo o placar.

O gol dava um pequeno respiro em meio ao caos, já que, do Barcelona podemos esperar tudo. E as nossas expectativas aumentaram ainda mais com o passar daquele primeiro tempo, tanto que ampliamos.

Tulissi passou por Rodriguez e viu Aouar na grande área. Aouar tinha Isak na frente dele, mas passou para Aleñá, que vinha de trás. Ele chutou, e a bola desviou em Sergi Roberto. Gol contra aos 25', 2 a 0 e uma Gimnástica nas nuvens.

O Barcelona ficou paralisado durante o resto do primeiro tempo e eu pensando: 'Pode não ser suficiente', pois sabia que o Barcelona viria com a 'peixeira na boca' pra reagir.

Dito e feito. O Barcelona nos engoliu nos 45 minutos finais, e fomos pressionados ao extremo. O time catalão acertou duas vezes a trave, uma com Neymar aos 16' e outra com Lewandowski, aos 41'.

Mas, graças a uma atuação divina de todo o setor defensivo - Golubovic teve uma atuação imperial, daquelas que nós colocamos o atleta como um dos melhores do planeta - e a Gimnástica estampou na cara do Barcelona, um 2 a 0 inesquecível.

O El Malecón se despediria do Barcelona com mais uma vitória para os livros.

rs7MJys.png

6a Rodada vs Real Sociedad: Justiça

Tive um dilema antes de enfrentar a Real Sociedad, pois fui com o time titular contra o Barcelona, e teria o jogo contra o Sporting, pela Champions. Por isso, fui com uma equipe mista, mesmo com a Real Sociedad estando entre as primeiras colocadas.

A partida foi daquelas bem travadas, pois o time treinado por Didier Deschamps apostava em contra-golpes, mas eles abriram o placar numa falha de Aranburu. Bilbao lançou Iñigo Mateo, que ganhou de Zeybek e cruzou rasante. Aranburu chegou depois que Bilbao chegara na bola, e a Sociedad abriu o placar aos 22'.

Nosso time não conseguia pressionar, e eles estavam bem travados, mas aí o experiente Ilarramendi inventa de tomar dois cartões amarelos em quatro minutos. Tínhamos um a mais antes do fim do primeiro tempo.

O time não criava - Ortiz, Foden e Trincão não estavam bem - e chegamos a acertar a trave em cobrança de escanteio, com Riera, mas só conseguimos empatar após nova falha defensiva, desta vez, do lado deles.

Jemerson acertou Carpentier - que entrara no lugar de um apagado Hélio Varela - dentro da área, e Sandro - que também veio do banco, no lugar de Valzania - tirou do alcance do jovem Arrieta, para igualar o jogo aos 24'.

Se analisarmos, o 1 a 1 ficou de bom tamanho, pelo que ambas as equipes apresentaram no El Malecón.

xNznDrR.png

7a Rodada vs UCAM Murcia: Dava pra ser melhor

Visitei o simpático UCAM Murcia, com a ideia de rodar mais o time, e dar chance para dois atletas que estavam atrás em suas posições: Ortiz e Lakhsassi. Era um jogo meio que perfeito pra isso, pois o time da casa está na zona de rebaixamento.

Até começamos acertando a trave com Isak, após bom lance de Trincão aos 18'. O gol estava amadurecendo, tanto que veio aos 39' da primeira etapa, com a dupla Carpentier-Isak funcionando.

Depois disso, continuamos a mandar no jogo, mas a UCAM Murcia passava a querer assustar, sobretudo nos 30 minutos finais, mas sem muito êxito. A nossa equipe também não conseguia ampliar, pois parava em uma boa atuação do goleiro Micai.

Aí aos 35' da segunda etapa, eles conseguem o empate, em um golpe de azar, justamente de um dos atletas que dava chance. Após 'balão' na área, a sobra ficou com Juan Rodríguez, e ele cruzou para Julio. Ele chutou, a bola bateu em Lakhassi e entrou.

Depois disso, eu que fui pro abafa, mas aí tivemos Isak, que aproveitou bom lance de Gomis e garantiu a vitória aos 41'.

Mas eu saí bem insatisfeito, mesmo tendo vencido por 2 a 1.

vaUq3XS.png

MGZBexT.jpg

1a Rodada vs BATE Borisov: Desapontador

A nossa estréia na Champions seria fora de casa, contra o heptadecacampeão de Belarus, o BATE Borisov.

Sem Carpentier naquele instante - lesionado -a equipe foi desta forma: Vanja, Choneftidis, Golubovic, Gómez e Piroddi; Aleñá, Ortiz, Tulissi, Aouar e Baric; Isak.
Já o BATE iria com: Shunto, Suman, Fadyanin, Lavrushko e Kustinsky; Tyunis, Dovgel e Naumik; Sherman, Mustygin e Shilo.

Eu esperava golear a equipe deles, a nossa pressão no começo parecia demonstrar isso, mas o gol não saía. Só que sabia que, uma hora, eles iriam falhar. Dito e feito.

Kustinsky acertou Baric dentro da área. Pênalti que Aouar cobrou sem chances para o goleiro deles, tirando o 0 do placar aos 23'.

Nesse momento, pensei: 'Agora vai'. Ledo engano. A partida ficou um completo marasmo, com a nossa equipe não aproveitando as chances.

Foi uma partida bem equilibrada, o que não esperava, já que enfrentávamos, na teoria, o saco de pancadas do grupo. Eles até assustaram com Shilo, mas Vanja e o setor defensivo seguraram o ímpeto dos donos da casa.

Por mais que tenha vindo a vitória por 1 a 0, o sentimento foi de desapontamento com o desempenho da equipe.

p9RnAfu.png

2a Rodada vs Sporting de Lisboa: Uma decisão

Chegamos na segunda rodada e já com uma decisão: Sporting de Lisboa, jogando no El Malecón. Era jogo para ganhar e respirar dentro do grupo.

Nossa equipe vinha de um bom momento, onde tínhamos batido o Barcelona, e sabia que os Leões viriam mais enfraquecidos, principalmente pela saída de sua dupla de ataque, já citada nesta atualização.

Desta vez, tínhamos Carpentier de volta e dando chance para Abad. Fomos com Vanja, Choneftidis, Golubovic, Gómez e Piroddi; Alená, Abad, Tulissi, Aouar e Carpentier; Isak.
Já o time de Jorge Jesus entrou com o eterno Rui Patrício, Manuel Rodrigo, Vitor Canilhas, Johann Richard e Luiz Carlos; Rui Pires, Daniel Bragança, Baldé e Zuccotti; Munir e Ricardo Mina.

A partida começou com nossa equipe implantando o seu ritmo de jogo, e um Sporting todo recuado, com oito jogadores na linha de defesa. Parecia que jogavam por uma bola. Mas só que essa bola veio para a nossa equipe.

Aleñá acertou primorosa cobrança de falta, sem nenhuma chance para Rui Patrício. Abrimos o placar aos 21', e continuamos na pressão, já que o Sporting não esboçava reação.

Eles mantiveram o mesmo ritmo na segunda etapa, e nós chutando mais, pressionando, mas o segundo gol não saiu. Outro importante elogio foi que, nas poucas vezes que o Sporting avançava, tinha Gómez, mas principalmente, Golubovic terminou com um estrondoso 8,7, e foi o melhor em campo.

No fim, o 1 a 0 nos deu três pontos essenciais. Isso para uma equipe que conquistou duas vitórias na bola parada.

VFTByUX.png

NOIPZOh.jpg

HhJfeiA.png

DlsuxSt.jpg

8FFsxsN.png

Só o Real Madrid está destoando das outras equipes da competição. O atual campeão espanhol e europeu é uma máquina de gols, com média de 3,5 gols/jogo. Assustador. Poderíamos estar com 21 pontos? Poderíamos, mas Villarreal e Real Sociedad nos travaram. Aliás, esse G4 com Sociedad e Gijón premia o bom trabalho, sobretudo do Gijón.
Quem surpreende negativamente são Barcelona - empatou demais - mas principalmente, Atlético de Madrid, que vive um recomeço de era com Nuno Espírito Santo. O time chegou a ficar na vice-lanterna, mas vem se reerguendo.
Na zona vermelha, sem novidades, com Deportivo, UCAM Murcia, Numancia e Osasuña batalhando pra evitar o descenso.

MGZBexT.jpg

2UDTnOQ.png

Acho que, não analisando o desempenho do time nas partidas, tivemos um bom início.
O resultadismo ajuda a não exibir um problema, que foi o fato de não fazer boas partidas. Isso preocupa, mas isso é mais pra frente.

eYi1n1X.jpg

SH2jY77.png

Tentei rodar bastante a equipe nos primeiros jogos. Só o goleiro Caro (lesionado e só volta no fim de novembro) não jogou. Morales até jogou, mas ficou sem nota, por isso não está aqui.
Vanja vem dominante no gol, já a dupla de zaga surpreende positivamente: Golubovic e Gómez estão dominantes na posição, onde vimos Lakhsassi e Aranburu com poucas chances - e na maioria das vezes, não aproveitadas. Até Riera aproveitou melhor as oportunidades que teve.
As laterais preocupam por conta dos cartões, pois nossa equipe não bate tanto; Choneftidis já nos complicou e vê Gomis em alta. Já na esquerda, Piroddi vem muito bem, enquanto que Zeybek teve poucas chances. Espero que a estreia dele na National Elf - com direito a gol - anime mais ele.
Na meia-central, Aleñá e Abad estão na frente, até pelo fato que Bruno Jordão e Valzania não foram tão bem nesse início.
Nosso jogo nas pontas não está nada bom. Só Carpentier encaixou automaticamente. Trincão deve jogar mais nos próximos jogos, já que Tulissi não foi bem. As notas de Ortiz, Foden, Sandro e Baric estão um pouco mais baixas, muito mais por conta dos diversos posicionamentos que eles possuem, sobretudo Sandro. Aouar é outro que começou bem a temporada.
Finalmente no ataque, Isak tem números altos, mas eles enganam: o sueco só jogou efetivamente bem contra Barcelona e UCAM Murcia. E Varela rotacionou pouco, às vezes, preterido por Sandro como centroavante.

LALIGA - COLETIVOS

Terceira maior Posse de Bola
Segunda melhor Defesa
Terceiro em Aproveitamento de Cruzamentos

LALIGA - INDIVIDUAIS

Isak disputando o Pichichi
Carpentier começando bem nas Assistências

UCL - COLETIVOS

Segunda maior Posse de Bola

ZaX8YPr.jpg

SBklgKD.png

Estamos bem financeiramente, até por conta dos 3M de Euros, que vieram nas vitórias das partidas da Champions.

https://i.imgur.com/Jgrh4vS.jpg

DlHAUX1.png

Agenda com com compromissos interessantes em LaLiga. No El Malecón, duas partidas complicadas no começo, contra o 'Rei dos Empates' Athletic Bilbao e um Sporting Gijón que - mais uma vez - surpreende na temporada. Cara de jogaços.

Depois, dois compromissos fora contra equipes da parte baixa da tabela, Las Palmas - que é sempre um difícil time de se ganhar na casa deles - e o Deportivo, que mantém a tradição de uma defesa ruim.

Para fechar os jogos de LaLiga, vamos receber o time que tem a pior defesa da competição, Real Valladolid e um Celta Vigo que precisa de ajustes para engrenar.

Já na Champions, teremos dois jogos duríssimos contra o Manchester City, de Zidane. Qualquer ponto será essencial. Um empate em um dos jogos dará tranquilidade para o confronto contra o BATE Borisov, jogando na Espanha. Se conseguir um empate contra o City, devo chegar na última rodada classificado, caso aconteça o que estou pensando.
A ver.

Share this post


Link to post
Share on other sites
Cadete213

Início muito forte a mostrar que estás na luta nas duas frentes. Jogos com o City serão emocionantes mas acredito que irás causar dificuldades.

Share this post


Link to post
Share on other sites
div

Começo ótimo de temporada, chega metendo o pé na porta na La Liga e já derrota o Barcelona logo de cara e segura uma embalada Real Sociedad com time misto. A defesa que vem muito bem, 3 gols sofridos apenas.

Na UCL tudo indica que é favorito para passar junto com o City. Vamos ver como a equipe vai sair dos confrontos com o time inglês.

Boa sorte na sequência!

Share this post


Link to post
Share on other sites
marciof89

O começo na Champions foi tímido, venceu por placares magros e com pouca empolgação. O importante são os 6 pontos, claro, mas o bicho pode pegar quando enfrentar o City.

Na Liga em compensação a mentalidade é outra e fez bom início. Acho que uma coisa pode levar a outra, com a equipe engrenando.

Bom, talvez eu esteja sendo exigente demais. A média da equipe é boa. hahahah

Share this post


Link to post
Share on other sites
CCSantos

2wBlALF.jpg&key=be5996f0ceceb69c591bf989

Em 15/03/2021 em 10:54, Cadete213 disse:

Início muito forte a mostrar que estás na luta nas duas frentes. Jogos com o City serão emocionantes mas acredito que irás causar dificuldades.

Também achei que fora um bom início, @Cadete213. Mas ainda assim, vamos ver se vamos conseguir manter isso. Os jogos contra o City serão complicados, eles possuem um time muito forte. Mas vamos tentar.

Valeu pelo comentário.

Em 15/03/2021 em 16:54, div disse:

Começo ótimo de temporada, chega metendo o pé na porta na La Liga e já derrota o Barcelona logo de cara e segura uma embalada Real Sociedad com time misto. A defesa que vem muito bem, 3 gols sofridos apenas.

Na UCL tudo indica que é favorito para passar junto com o City. Vamos ver como a equipe vai sair dos confrontos com o time inglês.

Boa sorte na sequência!

Derrotei o Barcelona parindo filho e tudo, né @div? Jogo complicadíssimo. Me surpreendi com esta Real Sociedad, é um time muito chato, muito bem armado pelo Deschamps.

Sobre a zaga, surpreende ao mesmo tempo que não surpreende. Golubovic faltou na última Champions - falha minha não ter inscrito ele - e Gómez formam uma zaga bem entrosada mesmo.

Na UCL, acho que a vitória no Malecón dá tranquilidade, mas precisamos jogar bem contra o City. Vai ser difícil, pois o time deles tem muitos bons jogadores, e o Zidane uniu toda essa galera pra levar a PL, o que não acontecia desde o Guardiola. Vai ser complicado, mas espero, nem que seja um empate pra garantir a vaga pras oitavas.

Muito obrigado pelo comentário.

Em 26/03/2021 em 12:08, marciof89 disse:

O começo na Champions foi tímido, venceu por placares magros e com pouca empolgação. O importante são os 6 pontos, claro, mas o bicho pode pegar quando enfrentar o City.

Na Liga em compensação a mentalidade é outra e fez bom início. Acho que uma coisa pode levar a outra, com a equipe engrenando.

Bom, talvez eu esteja sendo exigente demais. A média da equipe é boa. hahahah

Eu já acho que nosso início em ambas as competições, foi bem burocrático, @marciof89. Até porque, ofensivamente, quem tá levando sozinho é o Isak. Mas é a defesa que tá mandando no time. Sobre os jogos da Champions, eu gostei do jogo contra o Sporting; já contra o BATE, eu fiquei bem puto. A gente quase perde dois pontos por um marasmo.

O Real tá sobressaindo, até pelo fato de não ter Barcelona e Atlético no encalço - e acho que eles não vão chegar nessa temporada, dado a falta de vacilos do Real.

Eu sou que nem você, sou exigente com o time, e ainda não tô 100% seguro que o time esteja bem. Tá se segurando pelo resultadismo, mas jogar bem, da forma que fizemos na temporada passada, isso não tá conseguindo ainda. Vamos ver o que nos espera.

Valeu por comentar, meu caro.

Share this post


Link to post
Share on other sites
CCSantos

qo9m9uY.jpg

Ainda dá pra ser melhor

Chegamos a segunda atualização da temporada, onde teremos poucos jogos na vista: Vamos acompanhar as rodadas 8 a 13 de LaLiga, atrás de três jogos da fase de grupos da Champions League, com destaque aos dois confrontos contra Zidane e seu Manchester City.

Sem mais delongas, vamos começando com os jogos de LaLiga.

DlsuxSt.jpg

Rodada 8 vs Athletic Bilbao: Aos 40

Chegamos na Fecha 8 vendo a dupla Real-Barça tropeçando na rodada - Real perdeu para o Villarreal no Bernabéu e o Barcelona empatou com o Numancia por 3 a 3 -, logo a nossa chance de aproveitar o vacilo, principalmente o do Real seria nessa rodada.

Só que nosso adversário não seria fácil: O Athletic Bilbao, comandado por Roger Machado, equipe que havia vencido só um jogo, mas também perdeu só um jogo. Seria complicado, mesmo com a partida sendo feita no El Malecón.

Preferi descansar algumas peças como Golubovic, que havia atuado na DataFifa, logo o time era o mesmo que havia vencido o UCAM Murcia. Tentamos impor nosso ritmo desde o começo, e abrimos o placar aos 15'. Escanteio de Carpentier e Luca Valzania subiu no 3ºandar, para abrir o marcador.

Mas o time do País Basco conseguiu empatar no final do primeiro tempo. Cruzamento de García, Gómez corta mal, Unai López domina e passa para Jonathan Domingo empatar, aos 40'.

Na segunda etapa, a partida ainda tinha um domínio nosso, mas sem assustar tanto a meta de Francisco Javier. Tirei Isak no intervalo - para descansá-lo para o jogo contra o City - e Varela teve chances, mas assim como Ortiz e Lakhsassi (6,4 os dois primeiros; 6,5 para o último), não fizeram bom jogo.

Quando chegamos novamente na marca dos 40', dessa vez do segundo tempo, o Athletic fez uma boa trama no ataque, e a bola chegou para Iñaki Williams. O contestado - e que quase saiu do clube em Julho - acertou um chutaço para garantir nossa primeira derrota em LaLiga.

Jogo doído, derrota por 2 a 1 mais ainda, se adicionarmos o tropeço no Real. Perdemos uma chance de encostar neles. A próxima chance? Na rodada seguinte tem Superclásico.

3ht6Pzt.png

Rodada 9 vs Sporting Gijón: Melhorias

Após a partida contra o City, tivemos o Sporting Gijón, novamente jogando no El Malecón. A nossa partida aconteceria antes do SuperClásico, então precisaríamos fazer a nossa parte, e esperar.

Enfrentamos um bom Gijón, comandado por Munitis, e que vinha em um grande momento, mas a partida foi desapontante por parte deles.

Tivemos o comando da partida desde o começo, só que não conseguíamos transforma esse domínio todo em gols, tanto que o primeiro tempo foi bem desanimador, com o empate sem gols.

Tulissi - que teve chance nesse jogo - chegou ao intervalo com 6,5, destoando de toda a equipe. Saquei ele e Choneftidis - que recebeu outro amarelo - para colocar Trincão e Aranburu, respectivamente.

A resposta das alterações veio num segundo tempo mais ativo da Gimnástica. Aos 8', Trincão chamou Gersbach para dançar, e o fim, o lateral alemão cometeu pênalti que Aouar converteu com tranquilidade.

No minuto seguinte, após boa jogada de Carpentier, ele cruzou para Isak ampliar. Depois disso, o jogo retornou para o mesmo marasmo da primeira etapa, mas aí já era uma coisa mais interessante para o nosso lado.

Uma vitória tranquila - até demais - por 2 a 0. Já no SuperClásico, o Real deu um passeio no Barcelona: 3 a 0, com três gols de Alan Bacchetta.

oqK8Po3.png

Rodada 10 vs Las Palmas: Aniversário

Apenas três dias após a vitória contra o Sporting, tínhamos uma viagem para as Ilhas Canárias, pois enfrentaríamos o Las Palmas, time que abre a zona vermelha. Ainda por cima, é dia do meu aniversário. Logo, queria uma vitória a qualquer custo, ainda mais pelo fato que iríamos 'rodar o time'.

Nunca foi fácil jogar no Estadio de Gran Canaria, e eu decidi que daria chances a alguns atletas, até para dar um descanso para algumas peças importantes. Vanja, Golubovic, Gómez, Aleñá, Trincão, Aouar e Isak ficariam no banco; Choneftidis e Piroddi, nem viajaram.

A equipe foi completamente distinta em relação aos jogos anteriores, com Spasojevic, Gomis, Lahksassi, Aranburu e Zeybek; Valzania e Abad; Tulissi, Ortiz e Carpentier; Baric.

No primeiro tempo, o jogo foi bem travado, de poucas finalizações, e com toda a pinta de um empate sem sal, mas aí Ortiz dominou bem e encontrou Tulissi na área. O italiano ajeitou e abriu o marcador, no seu 1ºgol pela Gimnástica. Estava precisando o italiano.

O time passou a dominar mais as ações, mesmo vendo um Las Palmas querendo avançar, eis que, ainda no início do segundo tempo, nosso contra-ataque foi mortal: Após uma cobrança de escanteio, Valzania tirou, Carpentier encontrou Baric que chamou a marcação e, na hora certa, passou para Valzania ampliar, aos 8'.

Esse gol dava um ar de tranquilidade para a equipe, tanto que pensava em colocar alguns titulares, no lugar de atletas que estavam em uma partida apenas 'regular'. Lakhsassi era um deles. E para piorar, ele falhou.

Em cobrança de escanteio, ele foi tirar, mas errou o timing da jogada, viu David Subías chegar antes na bola e escorar para o gol de Lejeune, aos 25'. Era a senha para tirar o zagueiro (6,2), que saiu junto com os únicos 'titulares' em campo: Abad e Carpentier.

O Las Palmas não conseguiu mais assustar mais a meta de Spasojevic, e com isso, conseguimos uma vitória por 2 a 1, no dia de aniversário dos meus 36 anos, e que dava bons ares para atletas como Aranburu (7,4), Ortiz e Baric.

tGnKWcn.png

Rodada 11 vs Deportivo: Volta-reviravolta

Seguindo o 'Gimnástica on the Road', dessa vez, fomos ao Riazor, enfrentar um Deportivo que, se não tivesse vencido o Atlético de Madrid na rodada passada, estaria bem próximo da zona do descenso.

O fato da partida ser próxima ao segundo jogo contra o City, fez com que mantivesse quase todo o time da vitória contra o Las Palmas, as exceções foram os titulares Abad e Carpentier - em seus lugares, entravam Bruno Jordão e Foden; enquanto Baric e Lakhsassi (o segundo por conta de sua má fase), davam espaço para Sandro e Riera.

A partida começou com um marasmo, e iria desse jeito até a marca dos 37', quando em boa jogada de Jordão e Ortiz, a bola chegou em Foden, e o inglês cruzou para Sandro abrir o marcador. Mas durou pouco a liderança do jogo.

Borja Lasso lançou Baron, que ganhou de Gomis e empatou aos 40', chutando no cantinho de Spasojevic. O Depor, embalado pela boa vitória por 2 a 0 sobre o Atlético de Madrid na rodada passada, conseguiu a virada no início da segunda etapa. Milik domina dentro da área e passa para Janvier bater no contra-pé de Spaso, isso aos 3'. O bom é que essa liderança também durou pouco.

José Garcia Amo foi recuar para o goleiro David Raya, mas tocou fraco demais. Sandro estava acompanhando o lance, e se antecipou ao goleiro para empatar aos 7'.

A partir daí, foi pressão de ambos os lados, jogo aberto e imprevisível, mas conseguimos a virada aos 25'. Com quem? Sandro de novo.

Com uma rápida troca de passes, a bola chegou em Tulissi (enfim um jogo bom dele!), que encontrou Sandro livre na pequena área. Aí foi só fuzilar Raya para deixar a Gimnástica na frente.

Mas eles tinham caras bons no banco, e um deles tratou de igualar o jogo novamente. O rápido Angel Escoms - que era titular do time até a chegada de Milik, e entrou no lugar dele - recebeu um cruzamento divino, vindo de Baron e cabeceou firme para empatar aos 29', apenas quatro minutos depois de voltarmos a dianteira.

Já era muita loucura nesse jogo, mas aí Tulissi decidiu aprontar das suas. Ele aproveitou um desvio de um chute de Ortiz, dominou e fez 4 a 3 aos 37'. Depois disso, o Depor já não teve mais forças para se reerguer, e ficamos com a vitória.

Em um jogo de defesas ruins, conseguimos ser mais efetivos no ataque e saímos do Riazor com três pontos na maleta.

0Nyds4b.png

Rodada 12 vs Valladolid: Demorou, mas...

Logo após o jogo contra o City na Inglaterra, tínhamos apenas um compromisso antes da DataFifa, e era contra a pior defesa da competição, a do Real Valladolid, jogando no El Malecón.

O primeiro tempo foi bastante tranquilo, com amplo domínio nosso, e com o Valladolid apostando na pancadaria. Finalizamos bastante, mas paramos no goleiro Menéndez, que segurou o placar até o intervalo.

Só que na segunda etapa, de tanto bater, o Valladolid teve um atleta expulso. O volante Loscos acertou Abad e recebeu o segundo cartão amarelo aos 6'. Aí, o que era um castelo firme, desmoronou.

No minuto seguinte à expulsão, Isak aproveitou cruzamento açucarado de Carpentier para abrir o marcador. O Valladolid não conseguia nem atacar mais. E os gols foram saindo naturalmente.

Aos 21, Aleñá promove a Lei do Ex e amplia em cobrança de falta no ângulo de Menéndez. Depois, já perto do final da partida aos 38', Oliván segura Abad dentro da área. Pênalti que Aouar converteu com tranquilidade.

Os gols, é bem da verdade, demoraram. Mas a vitória por 3 a 0 foi bem justa pelo que foi a partida.

cX4yIKP.png

Rodada 13 vs Celta de Vigo: Um cumprimento

Por conta do compromisso contra o BATE Borisov, tratei de ir com um time misto para enfrentar um Celta de Vigo que estava no caos de ficar em 17ºlugar, a uma posição da zona vermelha. Isso para um time que era cotado a brigar por Liga Europa, era incrível.

Entre as novidades, voltaram Cano - de volta, após longo tempo de lesão -, Lakhsassi - já dei muitas chances para ele -, mas principalmente, Gonzalo Morales. O jovem disputou o Qualificatório para a Euro Sub-19, com direito a gol em cima da Alemanha, e é uma grande aposta do time.

A aposta foi certeira. Aos 7', recebeu passe caprichado de Baric, cortou de Josu Galán, e chutou forte, tirando do venezuelano Alvarez para abrir o placar. O Celta atacava pouco, mas ainda assim, conseguiu o placar.

Com um contra-golpe rápido puxado por Jesús Gómez, ele cruzou rasteiro para Mensah empatar, aos 24'. Depois disso, os comandados de Pablo Machín simplesmente recuaram, não queriam mais jogo, e assim se arrastou até aos 27' do segundo tempo, quando Baric, enfim, desencantou. Bom cruzamento de Foden, e ele escora para as redes do Celta, deixando a Gimnástica.

O Celta, de tão recuado, não teve forças para reagir, e levamos por 2 a 1. O meu cumprimento a Machín também foi o último que ele fez como técnico do Celta; ele foi demitido após essa derrota.

SKeuQh3.png

MGZBexT.jpg

Rodada 3 vs Manchester City: O dono da bola

Chegou o dia de enfrentar o Manchester City de Zidane. Vindo de duas vitórias tímidas e com um tropeço frente ao Athletic, nossa equipe receberia o atual campeão inglês com algumas ressalvas.

Enquanto isso, no lado azul de Manchester, o time comandava na Premier League, mesmo vindo de um empate em 2 a 2 contra o Leicester. Seria um compromisso duríssimo.

A nossa equipe foi com o que tinha de melhor para essa partida: Vanja, Choneftidis, Golubovic, Gómez e Piroddi; Aleñá e Abad; Trincão - ganhou a posição de Tulissi -, Aouar e Carpentier; Isak.
Já a escalação do City tinha dez atletas considerados 'de elite'. Zidane iria com Rulli, Kimmich, Stones, Giménez e Gayá (o único não 'de elite'); Ospitaleche e Rúben Neves; Sané, Davydov e Coman; Parilla era o centroavante.

A partida começou bem equilibrada, mas tomamos um susto aos 13', com Coman mandando um lindo chute no travessão de Vanja. Bola essa que serviu para acordar o time, e aí, apareceu Isak.

Aos 20', Abad e Carpentier fizeram boa trama pela direita, e o francês cruzou rasteiro para o sueco, aproveitando falha de Giménez na marcação e deixando a Gimnástica na frente.

O gol parecia que iria dar uma mexida considerável nos comandados de Zidane, e até que deu. Tanto que Coman empatou o jogo aos 29', em jogada individual onde ele deixou Choneftidis e Golubovic na saudade e bateu, sem chance para Vanja. Aí apareceu Isak novamente.

Apenas dois minutos após sofrer o empate, Aouar ganha em um bate-rebate e passa para o Isak, que chama a marcação de Giménez e Stones. Nessa, aparece Abad nas costas de Stones, e Isak passa para ele. O jovem de 18 anos dominou e chutou cruzado para deixar a Gimnástica de novo na frente.

E teve mais. No minuto seguinte, foi a vez de Aouar fazer um longo lançamento para Isak, que chegou antes de Giménez e, no mano-a-mano com Rulli, chutpu forte para deixar o 3 a 1 no placar.

O City depois disso, chutou sem parar até o fim do primeiro tempo, mas a defesa ia segurando. Na segunda etapa, tirei Trincão para colocar Tulissi, enquanto o City colocava dois centroavantes, com a entrada de Ibañez, no lugar de Davydov.

Só que essa alteração fez que meu jogo até melhorasse, e aquele City do primeiro tempo, que finalizava bastante, sumiu. A Gimnástica assustava mais que o time inglês. Golubovic e Gómez (8 e 7,8, respectivamente) faziam outro jogo de gente grande, assim como nosso canterano Abad (8,3).

Tirei Aleñá para colocar Ortiz, e depois Carpentier (cansado) por Sandro, enquanto Zidane tirava o azarado Giménez e Kimmich, para colocar Doucouré e Hilson, respectivamente.

No fim, conseguimos conter o ímpeto dos Citizens, e garantir mais pontos - e meio que, por tabela, uma das vagas para as oitavas - com uma maiúscula vitória por 3 a 1, principalmente graças a Isak, que foi o dono da bola.

nwfB6hc.png

Rodada 4 vs Manchester City: Sorriso amarelo

Fomos a Manchester com um objetivo preciso: Tentar garantir uma vantagem no confronto direto contra o City, para depender apenas de si no Grupo G da Champions. Se der pra pontuar, e assim, garantir a vaga ali mesmo, melhor ainda. Mas nossa meta era não ficar atrás dos Citizens no confronto, e isso passa por duas coisas:

1. Perder por um gol (1x0, 2x1, 3x2...) OU;
2. Perder por dois gols, DESDE QUE nosso time faça, ao menos, DOIS GOLS, com um adendo: o 3x1 pertenceria ao City, pois o segundo critério é Saldo de Gols em todo o grupo.

Convenhamos que pensar nisso é difícil, ainda mais frente ao atual campeão inglês, e que viria mordendo a todo instante, querendo vingança da derrota sofrida no El Malecón.

Os times foram quase os mesmos do jogo em Torrelavega.
Gimnástica com Vanja, Choneftidis, Golubovic, Gómez e Piroddi; Aleñá e Abad; Tulissi (deixou Trincão no banco), Aouar e Carpentier; Isak.
City com Rulli, Kimmich, Stones, Giménez e Gayá; Ospitaleche e Rúben Neves; Sané, Davydov e Coman; Parilla.

Se tem uma palavra que pode resumir, principalmente os primeiros 30 minutos de jogo seria INFERNO. O City fez uma pressão insuportável. Davydov acertou o travessão aos 6'. Veio uma avalanche em cima da Gimnástica, e ela era comandada pelo 'Diabo Azul' Federico Parilla, e ele estava afim de caos.

Aos 9', ele recebe passe de Ospitaleche e chuta de primeira no ângulo de Vanja;
Sete minutos depois, ele domina a bola após cabeceio de Sané, escapa de Gómez e Golubovic e chuta cruzado, um golaço. O City já ficava na frente, no confronto direto;
Quando chegamos aos 30', é ele quem começa a jogada. Chega a ter três jogadores da Gimnástica em cima dele, mas ele faz escapa e faz tabela com Davydov, que o deixa na cara do gol. Vanja (5,9) sai mal do gol e toma mais um.
Parilla 3 x 0 Gimnástica. Parecia todo perdido aquele discurso.

Mas eis que uma bola cretina nos deixa com um pouco de esperança no jogo. Já no finalzinho, aos 45', em um enorme bate-rebate na grande área, Tulissi chuta, a bola bate em Rúben Neves e cai no pé de Aouar, sozinho, na frente de Rulli. Ele só descolou o goleiro argentino e tacou querosene no confronto. 3 a 1 e confronto todo igual.

Saquei Abad e Piroddi (ambos 6,4 e nervosos) para colocar Ortiz e Zeybek. Fomos para o segundo tempo sabendo que o confronto imaginando como se estivesse realmente 0 a 0, pois o placar em Torrelavega estava replicado. Logo, quem desse a primeira pancada, teria enorme vantagem.

E foi a gente. Aos 5' do segundo tempo, Carpentier cruza, Gómez se antecipa a Gayá e escora para Golubovic escorar para o gol vazio e fazer 3 a 2. Mesa virada. O City precisava de dois gols agora.

Após esse gol, o City obviamente adiantou o time, mas não fez aquele mesmo sufoco que fizera no primeiro tempo, e a partida meio que ficou igual. O maior susto veio com Giménez que acertou a trave em cobrança de escanteio.

Isak teve boas chances também pelo nosso lado, e acabou do jeito que estávamos esperando. Ainda tivemos a chance do empate em duas jogadas aos 41' e 44', mas Rulli defendeu as finalizações de Isak e Aleñá.

No fim, a vitória do City teve um certo sorriso amarelo por parte dos comandados de Zidane, que com o 3 a 2, vão ter que torcer para BATE Borisov e Sporting para ficar com a ponta da chave. Estamos com a vantagem.

gnjMYEm.png

Rodada 5 vs BATE Borisov: Solidificação

Na penúltima rodada do Grupo G, enfrentamos o BATE Borisov, sabendo que com uma vitória, a vaga era nossa nas oitavas de final. Mesmo enfrentando um rival que não luta nem por Liga Europa - ele perde no confronto direto para o Sporting -, preferi valorizar o confronto e ir de força máxima.

A Gimnástica foi com Vanja, Choneftidis, Golubovic, Gómez e Piroddi; Aleñá e Abad; Trincão, Aouar e Carpentier; Isak.
Já o multicampeão de Belarus foi com Shunto, Sashcenko, Fedyanin e Lavrushko; Kustinsky e Voylishenok; Naumik, Vougel e Tyunis; Sherman e Shilo.

Dessa vez, ao contrário do jogo em Borisov, os gols saíram naturalmente. Aos 6', Trincão recebeu passe de Isak e chutou rasteirinho, e a bola indo lentamente no canto de Shunto.

Aos 25', novo passe de Isak, novo gol de Trincão, que estava zerado até antes dessa partida. Outro que estava zerado na temporada e que fez o seu foi Carpentier. O francês aproveitou cobrança de falta de Alená, que acertou o travessão e pegou rebote para ampliar aos 31'.

Já com tudo decidido cá e lá em Manchester - o City fazia 3 a 1 no Sporting -, jogamos bem tranquilos a segunda etapa, e Isak apareceu com mais dois gols. O primeiro recebendo cruzamento preciso de Choneftidis aos 6' e depois aos 19', com outro cruzamento, dessa vez vindo da esquerda, por Piroddi.

Apareceu sendo uma vitória por 5 a 0 bastante tranquila de um time que bota os dois pés nas oitavas de final, mas acima de tudo, demonstrando bom futebol, coisa que estava faltando.

I7tCf0w.png

NOIPZOh.jpg

hhSFKj1.png

DlsuxSt.jpg

0wZIfse.png

Não digo que seja impossível pegar o Real Madrid nesta temporada, mas o time fez 36 dos 39 pontos possíveis até agora. Eu tô, de longe, fazendo a melhor temporada, mas aí chega o Allegri e transforma o Real em uma máquina. Detalhe: O Real tem retrospecto melhor jogando fora de Madrid.
Não destacávamos o Málaga, mas olha ele lá no G4, junto com o Sevilla de Seo Adenor.
O Atlético de Madrid ainda está meio capenga, mas está em zona europeia, já o Barcelona estaria em zona europeia apenas se o campeão da Copa del Rey estivesse com vaga garantida. Victor Mañas já é cotado para ser demitido no Camp Nou.
Na parte baixa, surpreendente ver o Celta de Vigo - que demitiu Machín - ao lado dos três que subiram, e que estão na zona vermelha.

MGZBexT.jpg

tQFGQaM.png

Aconteceu o que imaginava, a vaga chegando uma rodada antes.
Apenas não contava com o fato de ter a vantagem no confronto direto contra o City.
Precisamos agora confirmar a ponta da chave.

eYi1n1X.jpg

eCMM9Zt.png

Conseguimos, enfim, utilizar todo o elenco, com o retorno do goleiro Caro. Agora vamos falar do elenco em si.
No gol, Vanja ainda é soberano e Spasojevic não foi tão bem nas partidas em que foi acionado. Estou ansioso para ver o desempenho de Caro. Na partida contra o Celta ele foi bem.
Na direita, Choneftidis vem sendo mais constante, mas Gomis vem ganhando um espaço bem importante. Faltava essa concorrência, principalmente no que diz respeito a entrega, sobretudo na parte defensiva.
Já na esquerda, Zeybek vem ganhando confiança, ainda atua menos em relação a Piroddi, mas no pouco que atua, não compromete.
O miolo de zaga vem muito bem servido por Gómez (merecidamente convocado para a Fúria), mas principalmente, Golubovic. O que ele está fazendo, sobretudo na Champions - ele tem média 8,08 - o coloca como uma das maiores promessas entre defensores. Sobre os outros, destaque para Aranburu, que vem melhorando seu jogo. Riera jogou pouco.
Mas aqui vai um pensamento sobre Hakim Lakhsassi: Ele vem sendo o elo mais fraco de toda a equipe. E não digo pela média seca de 6,5 em 5 jogos, mas sim, pelo quão decisivos foram esses jogos. 6,2 - e falha - contra o Las Palmas; 6,5 - e falha - contra o Bilbao; 6,6 - e gol contra - contra a UCAM Murcia. Até mesmo no jogo contra o Celta, ele foi pro intervalo com 6,4. Ainda por cima, ele reclamou de oportunidades. Rapaz, eu tenho um zagueiro da Fúria e outro que colocou o City no bolso, você ainda pede chance?!?!
E, analisando ele, dá pra se pensar, que é um pouco culpa minha. Qual o motivo? Entendo que ele funcionaria melhor em um esquema de três defensores, fazendo a sobra, pelo fato de ser lento, e a Gimnástica ser uma equipe que avança demais, agride demais.
Depois de passar pelo Divã, retornemos ao time.
Gostei muito da fase do Valzania. Não é a dele fazer gols, então me surpreendi com os dois gols nesse período. O Ortiz está se habituando ao time e já vem tentando nos últimos jogos, demonstrar mais. Aleñá manteve o alto nível de sempre, já Abad é outro que subiu a régua de desempenho, principalmente após a partidaça contra o City, jogando em casa, com direito a gol. Bruno Jordão vem sendo regular sobre os jogos, mas nada muito absurdo.
No meio de ataque, temos um cara que chuta muito e outro que não chuta nada. Tulissi e Carpentier são antagônicos nesse cenário, mas o italiano - mesmo com dois gols e três assistências - ainda não conseguiu engrenar, ao contrário do francês, que faz o torcedor nem sentir tanta falta do Ontiveros. Foden e Trincão apareceram mais nas pontas, e o português, novamente vem sendo meu 'canivete suiço': Joga numa ponta, na outra, e o desempenho é o mesmo: Muito bom.
Fiquei feliz pelos dois bons jogos - o primeiro foi sem nota, mas apareceu bem, e o segundo com gol - de Morales. Aouar continua soberano e bem decisivo, não a toa, é o vice artilheiro da equipe.
Finalmente sobre o ataque, Varela praticamente não atuou e, nas poucas vezes que ficou no banco, viu Sandro roubar a cena, sobretudo contra o Deportivo. Baric vem jogando um pouquinho mais, só que ainda não encaixou também.
Já o Isak... bem é o Isak que a Gimnástica conhece, empilhando gols.

LALIGA - COLETIVOS

Terceiro Melhor Ataque
Segunda Melhor Defesa
Terceira Melhor Posse de Bola
Melhor Aproveitamento em Cruzamentos

LALIGA - INDIVIDUAIS

Isak disputando o Pichichi
Carpentier se destacando nas Assistências e nos Passes-Chave
Vanja sendo o goleiro menos vazado

UCL - INDIVIDUAIS

Carpentier sendo um dos maiores dribladores

ZaX8YPr.jpg

xFtKwmE.png

Finanças bem estáveis neste instante. Estamos bem, e a tendência é de mantuenção deste estado financeiro.

Jgrh4vS.jpg

ddwd7Ii.png

Agora começa a loucura.
Nós teremos uma tabela bem dura, sobretudo o começo, onde vamos ter a trinca Valencia-Atlético-Real, sendo que só o jogo contra o Real será em casa..
Ainda vamos enfrentar o Betis jogando fora de casa.
Atuar no El Malecón? Apenas contra o Real, um assanhado Málaga que está no G4 e o Granada.
Teremos ainda a Copa del Rey, que deve encavalar a disputa pois, em caso de vitória contra o Alcorcón, nós já teremos que enfrentar Valencia ou Sociedad entre os dias 8 e 15/1, e vai ser daí pra baixo, em caso de avanço.
Para fechar, teremos o confronto contra o Sporting, onde nós temos que fazer a nossa parte, para ficar na ponteira da chave na Champions.
As coisas estão começando a esquentar...

Share this post


Link to post
Share on other sites
Cadete213

@LC deve estar feliz por ver essa vitoria do Bilbao. Muito equilibrio e vitórias pela margem mínima, mas estás num bom momento de forma e na luta com o Real Madrid. Vitoria diria historica contra o City e passagem garantida no grupo depois da goleada contra o BATE. Resta saber se acabas o grupo em 1º ou 2º.

Share this post


Link to post
Share on other sites
marciof89

Conseguiu dar um up nas atuações, mas como vc mesmo me respondeu no meu comentário anterior, parece que tá faltando alguma coisa ainda, não parece o mesmo desempenho da temporada passada. Muitos jogos vencidos por 1 gol só de diferença mas... enfim, classificou para a próxima fase da UCL, então tá bom. Os acertos podem vir conforme o tempo passa.

Share this post


Link to post
Share on other sites
div

Caramba, mas esse Real aí é imparável, hein? Os caras fazem 90% dos pontos, fica complicado competir. Entretanto, vai aproveitando muito bem a lacuna que o Barcelona tá deixando e aparece bem na 2ª posição.

Na Champions League os confrontos contra o City tiveram emoção e depende só de si pra pegar o primeiro lugar no grupo.

Share this post


Link to post
Share on other sites
CCSantos

2wBlALF.jpg&key=be5996f0ceceb69c591bf989

Em 30/03/2021 em 19:46, Cadete213 disse:

@LC deve estar feliz por ver essa vitoria do Bilbao. Muito equilibrio e vitórias pela margem mínima, mas estás num bom momento de forma e na luta com o Real Madrid. Vitoria diria historica contra o City e passagem garantida no grupo depois da goleada contra o BATE. Resta saber se acabas o grupo em 1º ou 2º.

Hahahahaha Fato raro uma vitória dessa. Mas, brincadeira a parte, o Bilbao precisa se reinventar nesta temporada. Por enquanto, as vitórias são pequeninas, e dá uma impressão de quem ainda não está na ponta dos cascos. Vamos ver se nos acertamos.

Nem acho que o grande jogo fora contra o City. Em resultados, sem dúvida, mas a nossa grande atuação foi contra o Sporting, que por sinal, deve nos complicar lá no Alvalade. Vamos ver.

Muito obrigado pelo comentário.

Em 31/03/2021 em 12:25, marciof89 disse:

Conseguiu dar um up nas atuações, mas como vc mesmo me respondeu no meu comentário anterior, parece que tá faltando alguma coisa ainda, não parece o mesmo desempenho da temporada passada. Muitos jogos vencidos por 1 gol só de diferença mas... enfim, classificou para a próxima fase da UCL, então tá bom. Os acertos podem vir conforme o tempo passa.

Pois é, tá dando esse feeling mesmo @marciof89. Diria que é um momento de cera reinvenção, e acho até que estamos tendo muita sorte, até pelo fato de que temos um Barcelona mal e um Atlético que trocou de treinador em Julho. Sobre a UCL, achei que estava bem encaminhada quando ganhamos do Sporting. Daí, a situação já ficou mais confortável.

Vamos ver o que nos espera. Valeu pelo comentário.

Em 31/03/2021 em 19:06, div disse:

Caramba, mas esse Real aí é imparável, hein? Os caras fazem 90% dos pontos, fica complicado competir. Entretanto, vai aproveitando muito bem a lacuna que o Barcelona tá deixando e aparece bem na 2ª posição.

Na Champions League os confrontos contra o City tiveram emoção e depende só de si pra pegar o primeiro lugar no grupo.

Pois é @div, o time do Real é ridículo de bom, ainda tem Dybala e Bacchetta sendo artilheiros DO CAMPEONATO. É uma diferença enorme, mas estamos levando até onde dá. Vamos ver se eles cansam em algum momento.

Concordo que dependa só de nós, até porque não dá pra depender do BATE Borisov nessas horas. Adoraria, mas...

Valeu por comentar por aqui.

Share this post


Link to post
Share on other sites
CCSantos

qo9m9uY.jpg

Quando vai acontecer???

Chegamos a atualização do meio de temporada, onde teremos três frentes a disputar. Além de definir quem ficará na ponta do grupo na Champions, temos ainda o início da Copa del Rey.

Sem mais delongas, já aviso que a atualização será grande. Por isso, vamos começar com os reforços.

uAyNBxM.jpg

Antes de falar dos reforços em si, irei falar de dores de cabeça. Sim, a Gimnástica teve três até o momento. Duas causadas pela Juventus, e uma pela Roma.

Aouar e Aleña interessam a Juve, enquanto Vanja interessa aos Giallorossi. Os três receberam propostas, mas recusei todas (Aouar recebeu por 15M, Aleñá por 11,5M - fechada - e Vanja, 4,5M; eu peço 35M, 30M e 10M, respectivamente), o que deixou eles desapontados. A negação da proposta da Roma fez criar um pequeno motim, que envolvia Aleñá (por estar insatisfeito mesmo), Golubovic e Spasojevic (são sérvios) e Caro (parceiro de posição). Só Aouar não quis papo, o resto me ouviu, e concordou comigo: O time iria enfraquecer com a saída ele.

Dito isso, vamos agora aos reforços.

Houveram mudanças no gol. Spasojevic pedia oportunidades, e o time decidiu por emprestá-lo ao Mainz por 1,3M de Euros + 100% de seu salário. Mas fomos rápidos na busca pelo substituto.

O nome dele é Pedro Lara. O goleiro de 22 anos estava no Real Madrid, onde não era aproveitado por Massimiliano Allegri. Era o equivalente ao 4ºgoleiro, atrás de Ederson, Rojas e Mbaye.

Sem experiência em LaLiga, Lara pediu para sair, e a Gimnástica o contratou por módicos 950 mil Euros, praticamente uma barganha por um ótimo goleiro com passagem longa pelas seleções de base da Espanha, e que não recebeu a atenção devida no Real.

Lara é ótimo em aspectos físicos e, salvo o aspecto mental (que não fica tão distante), possui o mesmo nível que Vanja. Ele será uma ótima opção, e mais preparado que Caro para uma eventualidade.

iwh46gC.png

Tivemos uma chegada na defesa, mas para isso, houve uma saída, que fora necessária. Lahksassi precisa de novos ventos, e foi colocado em empréstimo pelo clube. Ele, assim como Spaso, foi para a Alemanha, só que para o Borussia M'Gladbach, por 1,4M de Euros + 100% do salário até o fim da temporada.

Essa saída também abriu mais uma vaga para inscrição, e decidi por colocar o meia grego Antonis Kalitzidis, pois senti que ele merecia uma chance, ao menos, na Copa del Rey, já que lá não se exige a inscrição. Vocês vão saber se ele aproveitou ou não a chance, durante a atualização.

Em seu lugar, vamos ocupar com o já anunciado Nikita Majkic, que não entra na inscrição oficial de LaLiga, por ter menos de 19 anos.

Majkic com quase dois anos a menos, possui melhor físico que Lakhsassi, além de um aspecto mental bem parelho. É mais uma boa opção vinda dos Balcãs, que já possuem Vanja, Golubovic (Sérvios) e Baric (Croata) no elenco.

b9XD2fC.png

Finalmente, o ataque. E novamente, uma saída para uma entrada. Acabou a era Hélio Varela na Gimnástica. Varela não marcava um gol pela equipe desde a última rodada da temporada passada de LaLiga, contra o Las Palmas. Desde então, somente seis jogos, nenhum gol, média 6,48 - e vendo Baric e Sandro em destaque. Era hora dele ir embora, e o Valencia aproveitou.

Varela saiu por 8M de Euros + 30% da próxima transferência. Foram 65 jogos, com 34 gols, 7 assistências e o recorde de maior artilheiro da Copa del Rey em uma só edição, batendo 'Prodígio' González, que conseguira o recorde também pela Gimnástica.

Para o seu lugar, trouxemos um atleta ex-Valencia: Roberto Navarra chegou ao clube. O atacante (que mesmo com este nome, é italiano) fez quase toda a carreira na Juventus, exceto uma temporada em empréstimo pelo Valencia, onde teve bons números, com 13 decisivos gols (11 em LaLiga) em uma temporada que serviu para os valencianos permanecessem em LaLiga, após o incrível descenso em 20/21.

No fim de dezembro, ofereci 4,5M de Euros à Juventus, e no dia seguinte, ofereci Varela ao mercado por 10M, com a ideia de que os clubes interessados em Varela e Navarra (Valencia e Villarreal) se decidissem em quem eles iriam. Os valencianos foram em Varela, o Villarreal foi apostar em um japonês do Watford, e a negociação com o time de Turim, ficou mais simples.

Navarra tem excelente físico, possui ótimos números mentais, além de uma caraterística distinta: Ele se junta a Baric como os únicos atacantes que chutam com o pé esquerdo. O italiano chega para rotacionar no ataque, isso se Sandro e Baric deixarem.

gNChkhn.png

Reforços e saídas apresentadas, vamos direto para os jogos, começando por LaLiga.

DlsuxSt.jpg

14a Rodada vs Valencia: Uma chance

Após a goleada contra o BATE Borisov, fomos até o Nuevo Mestalla para enfrentar o Valencia, em um estádio onde, habitualmente, não nos damos tão bem assim. E iríamos com uma dose adicional de pressão.

Jogamos no domingo, já sabendo que o Real Madrid errou. Ele empatou sem gols contra o Atlético de Madrid. Logo, era uma chance de encostar no time de Allegri, e diminuir a distância de quatro para dois pontos. Por conta disso, fomos com o time principal.

A partida começou travadíssima, mas eles não finalizaram a gol. Logo, quem tivesse efetividade, levava.

E aí apareceu Isak. Abad acertou um cruzamento na medida para Isak ganhar de Lema e abrir o marcador aos 31'. Onze minutos depois, foi a vez de Carpentier fazer a típica jogada de ponta e cruzar rasteiro para o sueco ampliar.

No primeiro lance da segunda etapa, a partida ficou ainda mais fácil, pois Radosevic - que recebera todos os avisos para parar de bater - calçou Isak no meio-campo. Resultado? Segundo amarelo e expulsão.

A Gimnástica era dona do jogo, e o Valencia não finalizava a gol. Aos 9', após uma cobrança de falta, Golubovic passou pra Trincão, que chutou no ângulo do goleiro Eugenio Lucas, deixando a Gimnástica com 3 a 0.

O Valencia só foi começar a chutar no gol a partir dos 25' do segundo tempo, mas aí Borja Bastón parou em Vanja em duas oportunidades.

No fim, a Gimnástica dominou o Valencia, venceu por 3 a 0, encostou no Real Madrid, o que dava um tempero a mais para os confrontos contra a dupla de Madrid.

Dpvo8kD.png

Spoiler

[Durante o intervalo das partidas entre Valencia e Atlético de Madrid, fora anunciado as datas dos jogos do Mundial de Clubes, que o Real Madrid jogaria. No fim, o jogo contra o Real teve sua data modificada para 15/01, mas haveria um adendo: Se nossa equipe passasse pelo Alcorcón, esse jogo mudaria de data novamente e, se chegasse até as semifinais, provavelmente a partida ficaria para o fim de fevereiro ou até para março, logo essa partida não deve acontecer nesta atualização]

15a Rodada vs Atlético de Madrid: Tradição?

Fomos até o Wanda Metropolitano enfrentar Nuno Espírito Santo e o Atlético de Madrid que vinha se acertando. Não dava para poupar ninguém nesta partida, tanto lá quanto cá, mesmo com o adendo de termos a rodada da Champions no meio da semana.

Eles ainda carregavam uma carga extra de pressão (mais uma, já que a temporada vem sendo atribulada por lá), já que haviam perdido para o Recreativo de Huelva na Copa del Rey na ida dos 16avos de final. Os únicos que foram 'poupados' da partida foram só Lukaku e Icardi, que começaram do banco, deixando o excelente Fidel Muñiz na frente.

E conheci mais uma coisa sobre os Colchoneros: O Simeone sai do time, mas o time não sai de Simeone. A equipe bateu o jogo inteiro, mas foi o típico jogo onde as defesas se sobressaíram.

Quase todos os defensores terminaram com média 7, e com boas defesas de Oblak e Vanja. No fim, nossa equipe até jogou bem e conseguiu arrancar um pontinho da partida no Wanda Metropolitano, com um 0 a 0 bem merecido.

Mas bem comemorado por duas razões: Primeiro, por ser a 1ªvez que a equipe não perde em oito idas ao estádio; e segundo, pois o Real também não aproveitou a chance, e também empatou sem gols com o Málaga.

z5h0gpe.png

16a Rodada vs Málaga: Pra fechar o ano

LaLiga tiraria uma folga para as Festas de Fim de Ano, e o Real Madrid jogaria a final do Mundial de Clubes (seu compromisso contra a UCAM Murcia, assim como o nosso compromisso, fora adiado). Por conta disso, a Gimnástica teria a chance de passar as Festas de Fim de Ano, em uma espécie de 'Liderança Mandrake', já que teríamos um jogo a mais em relação ao Real.

O adversário? Málaga, jogando no El Malecón. Começamos pressionando bem a equipe treinada por Míchel, tanto que abrimos rapidamente o marcador. Boa jogada de Aleñá e Francisco Trincão fez 1 a 0 aos 16'. Só não esperávamos que o Málaga empatasse tão rapidamente.

Daniele Verde recebeu linda bola de Duda para empatar aos 22'. Depois disso, o Málaga se fechou, e nossa equipe não conseguia presisonar, e acabamos indo para o intervalo empatados.

No intervalo, saquei Isak para colocar Baric. O time não fluía pelo lado esquerdo, e tirei Carpentier para colocar Sandro, e assim colocar Baric na ponta. Deu certo, tanto que, em dois minutos, um aviso e uma certeza: Aouar acertou o travessão aos 22', e no minuto seguinte, Abad encontrou Baric que finalizou no cantinho de Vicente Luís, para deixar a Gimnástica na ponta de LaLiga.

Depois disso, o jogo deu aquela esfriada, pois o Málaga sentiu o gol, e não conseguiu assustar mais na partida. Foi um bom resultado para a Gimnástica. Um 2 a 1 que ajuda a passar o Ano-Novo na liderança.

mqrffxD.png

17a Rodada vs Real Betis: Passou dos 30

Ir ao Benito Villamarín é sempre uma missão bem complicada, ainda mais na condição de 'líder' da competição. O Real Betis não queria saber deste favoritismo, e queria atazanar a nossa vida.

No primeiro compromisso já no ano de 2025, nossa equipe foi com o time principal, já que o time reserva estava na Copa del Rey, e a partida em si, ao contrário do que imaginava, foi até bem tranquila, só os gols que demoraram a sair.

O destaque da tarde foi Carpentier. O francês cobrou falta aos 32', e o goleiro Batalla acabou aceitando. Não foi bem um frango, pois a bola veio serpenteando, mas...

Esse gol nos deu um alívio extra, já que o Betis precisaria se soltar, e por mais que tivessem boas peças de armação, com Miquel Molina e Muniain, mas ainda era pouco para passar de Gomez e Golubovic.

Para sacramentar o resultado, Carpentier fez boa jogada na ponta, e fez aquele cruzamento básico para Isak fazer o 2º aos 33' da etapa complementar, e selar mais três pontos.

Um 2 a 0 seguro, em um lugar onde não esperava tanta segurança assim.

NecowPe.png

18a Rodada vs Granada: Raiva

Na 'rodada 18' - que é 19, mas estamos com um jogo a menos, lembremos - recebemos a equipe do Granada, time que, se não é osso duro que nem um Betis que sempre complica, também não é aquela facilidade de se enfrentar.

A partida até começou bem, mas nossa equipe estava estranha. Nessa partida, dei chance para Aleñá (mesmo tretado) e Tulissi (que tomara um chá de banco, apenas atuando na Copa), e conseguimos abrir o marcador aos 27'.

Em cobrança de falta de Carpentier, Golubovic foi puxado dentro da área. Pênalti que Isak deslocou bem o goleiro Alex Remiro, para abrir o marcador. Só que o jogo não estava agradando. Aleñá, Tulissi e Isak (o terceiro, mesmo com o gol, estava 6,8), não estavam bem.

Para fechar a dose de falta de paciência, Pozo escorou para Ogbo finalizar da pequena área, em sobra de escanteio, já aos 46'. Pronto. Era o básico para se ter uma dose cavalar de raiva.

Saquei as três alterações no intervalo e ainda vi Aleñá desapontado com minha orientação. Entraram Valzania, Trincão e Sandro, respectivamente.

Com as alterções, o time, ao menos, se colocou de novo no jogo, e conseguimos o 2 a 1, com Sandro aos 7', após ótimo passe de Abad, mas o Granada insistia. Na marca dos 17', Biraghi acertou lindo cruzamento para que Nouvier deixasse novamente tudo igual.

O alívio veio cinco minutos mais tarde, quando Ortiz (que recebera chance após a confusão de Aouar) cobrar falta, Carpentier resvalar e Golubovic completar para as redes. Ainda tivemos a chance de sacramentar com Sandro, que parou no travessão aos 32', mas tava tudo bem.

O importante era mais uma vitória, dessa vez, um suado 3 a 2, mas que foi passível de bronca para todo o time.

EnjcxbX.png

19a Rodada vs Numancia: Negativo

Para fechar o 'nosso turno', fomos até o Nuevo Los Pajaritos com direito a uma temperatura de -4ºC, onde enfrentaríamos o vice-lanterna Numancia, com um adicional: O Real empatou sem gols com o Granada, jogando fora de casa. Roteiro perfeito para dar um respiro depois da tensão desnecessária do confronto contra o Granada, certo? Nem tanto...

O primeiro tempo contra o Numancia foi um pavor. Nossa armação de jogadas estava toda quebrada, Ortiz não jogava bem, e isso influenciou Tulissi e Carpentier. E complicava a vida de Navarra - preferi poupar Isak, e queria testá-lo.

Após uma primeira etapa de pesadelos, eu avancei o time, saquei Ortiz para colocar Baric e, nos primeiros minutos da etapa complementar, foi a vez de Sandro entrar no lugar de Carpentier. O time não fluía, joguei todo o time pra cima, para garantir a vitória.

A falta de eficácia fez eu colocar Isak no lugar de Navarra, e nada. Até que aos 34', Abad encontrou Baric, que aproveitou o fato de Isak ter puxado os zagueiros para o lado dele, e chutou para garantir mais uma vitória.

Mais uma sofrida, diga-se. O 1 a 0 novamente não foi bom, pela atuação como um todo - de novo, dei bronca no time novo, mas a equipe saía três pontos a frente do Real na tabela (ou empatados com o time da capital, pois o adversário deles é o UCAM Murcia, logo...)

0o3aOD0.png

Vamos agora de Copa del Rey!

6mrMZo5.jpg

16avos de final vs Alcorcón: Tranquilidade? Nem tanto...

Na fase de 16avos de final, enfrentamos o Alcorcón, que é líder de seu grupo na Segunda División B, logo não seria toda aquela barbada que se esperava de um confronto entre time de LaLiga contra time de divisão inferior, ainda mais rotacionando o time.

O jogo de ida, atuando no pequenino estádio Santo Domingo, nosso time misto foi bem mal, mas o time da casa bateu demais, e em situações erradas. Aos 43', Morales entrou na área e foi calçado por Gutierrez. Sandro cobrou bem, tirando do goleiro Lucho.

Aos 15' da etapa complementar, nova penalidade. Dessa vez foi o norte-americano Shaq Moore que derrubou Kalaitzidis. Nova cobrança de Sandro, novo acerto para garantir um (nem tão justo assim) 2 a 0 no confronto.

6Gx8AgX.png

Na partida de volta, o começo novamente não foi bom. Arimany ganhou de Riera para abrir o marcador aos 14', dando a possibilidade de uma zebra no El Malecón.

Mas, assim como na ida, eles seguiram batendo, principalmente Diezma, que acertou Valzania com uma tesoura e foi expulso aos 35' de partida. Depois disso, a equipe visitante quase não atacou mais. Só que fomos perdendo por 1 a 0. Saquei Varela (6,4) e Aranburu, para dar lugar a Baric e Lakhsassi. Aí, o croata decidiu.

Com duas jogadas pelo lado direito, Baric aproveitou cruzamentos de Sandro e Gomis para virar a partida, com gols aos 6' e 9' da etapa complementar, e assim selar, com uma dose de sufoco, a classificação para as oitavas, com a vitória por 2 a 1.

8RmcJtm.png

Oitavas de Final vs Valencia: Primeiros

Recebemos o Valencia, que havia tirado a Real Sociedad, até que de uma forma surpreendente, e o primeiro jogo no El Malecón foi disputado.

O 'mistão' começou bem o trabalho, pois Sandro encontrou Kalaitzidis, e o grego chegou antes de Lucas, abrindo o placar. O gol animou o jogo, o Valencia foi pra cima e empatou com um lançamento nojento de Zappacosta, que Promes só teve o trabalho de escorar para as redes, aos 22'.

Era o dia de gols bonitos, e Tulissi recebeu aquela 'bola típica de treino' por parte de Valzania e chutou no ângulo para deixar a Gimnástica novamente em vantagem.

Só que na segunda etapa, o Valencia foi buscar novamente, graças a uma falha do estreante Majkic, somada a uma malandragem. Mayta havia sido atendido e liberado para retornar a campo. Aí o zagueiro croata foi chutar a bola pra frente, mas acertou Ballesteros, e a bola caiu no pé de... Mayta. O atacante foi pra cima de Riera, fez um golaço aos 25' e foi substituído.

Daí, fomos todos pra cima, e o Valencia também, mesmo com uma boa vantagem já estabelecida. E aí, apareceu um jogador que estava bem sumido: Phil Foden entrou no segundo tempo no lugar de Bruno Jordão, e acertou lindo chute no contra-pé de Lucas, para deixar a Gimnástica novamente em vantagem.

O inglês apareceu novamente aos 37', quando cruou na área, o meia do Valencia Juan Carlos resvalou, dando condição a Aranburu fazer o 4ºgol, aos 38'.

Enfim foi um movimentado 4 a 2, o que nos deixa até com uma boa vantagem para a partida de volta, no Nuevo Mestalla.

eW9hwBc.png

Já o jogo de volta no Nuevo Mestalla teria outras estréias. Se no jogo de ida, Majkic estreou - e não foi tão bem -, na partida de volta, o goleiro Pedro Lara e Navarra estreariam. Só que um outro atleta queria aparecer mais, talvez imaginando que fosse, provavelmente a última chance de mostrar serviço.

O grego Kalaitzidis fez uma bela dupla com Navarra, tanto que o italiano recebeu passe de Bruno Jordão, e viu o grego correr sem marcação. Bom passe de Navarra, finalização fria de Kalaitzidis, para abrir o placar, logo aos 7'.

O jogo era bom para a dupla, tanto que a dobradinha aconteceu, só que agora de forma reversa, para manter a tradição da 'Lei do Ex'. Dessa vez, foi Navarra quem finalizou para as redes aos 35', meio que sacramentando o confronto.

Álex Gomez até fez um gol bonito no final do primeiro tempo, mas não houveram tantos sustos assim, para se preocupar, mesmo com a pressãozinha habitual de fim de partida. Graças a boa estréia de Lara, além de uma atuação enorme de Riera (7,6), a vaga foi conquistada com tranquilidade.

Nova vitória, essa por 2 a 1, e vaga nas quartas garantida.

KJiTajM.png

Mas eu fiquei pasmo mesmo quando vi os últimos resultados, antes de seguir o jogo.

O Deportivo eliminou o Atlético de Madrid, sendo treinado pelo técnico interno, enquanto, pasmem, o Betis tirou uma vantagem de dois gols do Barcelona, e venceu por 3 a 0, todos os gols marcados por Miquel Molina. Detalhe: Ele pertence ao Atlético de Madrid.

O Betis será nosso adversário nas quartas, enquanto Sevilla e um bem surpreendente Deportivo La Coruña - que agora, é comandado por Pablo Villa, mas que já tomou de 5 do Athletic Bilbao, que não é mais comandado por Roger Machado, mas sim por Ronald Koeman.

A ida será no Benito Villamarín, dia 22/1.
A volta, uma semana depois, no El Malecón.

E vocês sabem o que pode adiar em caso de classificação para as semifinais? Sim, o confronto contra o Real Madrid em LaLiga, como já avisamos.

v21Elks.png

Finalmente, vamos de Champions!

MGZBexT.jpg

6ª Rodada vs Sporting de Lisboa: Líder?

Fomos para o José Alvalade Século XXI sabendo que precisávamos apenas da vitória para assumir a ponta do grupo G, contra um Sporting que, como dizem, jogaria 'pela honra', já que a vaga para a Europa League estava garantida. Do outro lado, o City foi até Belarus enfrentar o BATE Borisov, para ganhar e ver no que iria acontecer.

Mesmo tendo vantagem no confronto direto, não dava a ponta como garantida, pois o Sporting poderia nos complicar, até pelo fato que a formação deles seria distinta ao do jogo no El Malecón.

Eles foram com Rui Patrício, Manuel Rodrigo, Vitor Canilhas, Johann Richard e Sadjó Silva; Mendy, Daniel Bragança, Rodolfo Recalde, Correia; Kikas e Munir.
Já a Gimnástica fora com o time titular: Vanja, Choneftidis, Golubovic, Gómez e Piroddi; Abad e Aleñá; Trincão, Aouar e Carpentier; Isak.

O jogo começa, aquele modo travado como todo jogo equilibrado, eis que duas desgraças acontecem ao mesmo tempo: Primeiro, o gol de Parilla para o City lá em Belarus. E quase ao mesmo tempo, o gol de Recalde para o Sporting aos 10', recebendo passe de Kikas. De uma só vez, eu saía de 'precisamos de um gol para liderar' para 'precisamos de um gol para voltar ao jogo'.

Depois disso, os comandados de Jorge Jesus sentaram em cima da vantagem, nos deram a bola e fomos pra cima. Só que os principais regentes não estavam em um dia bom. Isak, Aleñá, mas principalmente Aouar, estavam atuando mal, tanto que fomos para o intervalo perdendo.

Não tirei ninguém, pois queria ver se haveria melhoria. Ainda tentávamos, mas o nosso ataque estava inoperante. Fiz minha primeira mexida após o Sporting ter feito a sua segunda alteração: Antes, os Leões havia sacado Correia e Mendy para dar lugar a Zuccotti e Rui Pires.

Eu tirei Aleñá, que estava nervoso, mesmo com nota 7, para colocar Ortiz. Minutos mais tarde, eu via Isak regular (o que é ruim num jogo desses) e Aouar desabando em 6,2, e fazendo besteira atrás de besteira. Tirei ambos sem dó, para colocar Sandro e Baric, respectivamente.

Após o Sporting tirar Munir para dar lugar a Mina, decidi avançar o time mesmo, pois já estava no prejuízo e o tempo era curto: 15 minutos pra dois gols.

Eis que, tirando Aouar e Isak, o time melhorou e no abafa, as coisas fluíram. Tanto que conseguimos a virada após a marca dos 30'.

Primeiro com Sandro, que recebera cruzamento rasteiro de Carpentier para empatar aos 37'. Esse gol fez o Sporting literalmente desabar.
No minuto seguinte, foi a vez de uma ótima jogada, iniciada por Vanja, e que passou pelos pés de Sandro. Ele deixou para Trincão cruzar e Baric (poderia ser o Abad, já que ambos chegaram livres na pequena área) virou o jogo.

Depois disso, a equipe do Sporting morreu, e não queria mais jogo. Foi no sufoco, mas veio o 2 a 1 que nos deixou na ponta do grupo G. E não foi graças a Isak, Aouar... e sim, graças aos reservas Sandro e Baric.

WLXJvv8.png

Ao término da fase de grupos, fiquei com dúvida se havia sido uma boa ficar na ponta da chave. O motivo? Fiquei com uma impressão de que os cabeças de chave eram mais fracos que os segundos colocados.

No bolo de líderes: Roma, Tottenham, Atlético de Madrid, Manchester United, Juventus, Chelsea, Napoli e nós.
No bolo dos vices: Bayern, Benfica, PSG, Real Madrid, Monaco, Schalke 04, Manchester City e Barcelona.

Mesmo sabendo que não enfrentaria Barcelona, Real Madrid ou Manchester City, fiquei temeroso.
No fim, ainda demos uma pontinha de sorte, mas não tanta assim.

Vamos enfrentar um time que já enfrentamos em Champions: O Monaco, que teve a sorte do Dortmund ter perdido para o Anderlecht na última rodada, para ficar em segundo no Grupo E.

O jogo de ida será dia 19/2, no Louis II.
A volta, somente em 11/3, no El Malecón.

wfdKXwa.png

NOIPZOh.jpg

kBd7G7S.png

DlsuxSt.jpg

saTYlJi.png

Estamos na liderança ao mesmo tempo que não.
O Real Madrid ainda precisa nos enfrentar e enfrentar o UCAM Murcia, que surpreende mais uma vez, ficando fora do Z3. Eu não reclamaria se o time da cidade de Murcia, que é um dos que menos empata, ao lado do Sevilla, segurasse aquele empate sem gols.
O jogo entre eles poderia ser dia 12/2, mas lembremos que esse confronto - ou até mesmo nosso confronto, tudo depende da boa vontade da organização - deve ser jogado em duas datas 'possíveis': 26/02 (como escrevi na seção da Copa) e 20/03. Sim, e esses jogos estavam marcados para a metade de Dezembro... pois é.
Agora falando da tabela, o Barcelona acordou, enquanto Tite vem fazendo um belíssimo trabalho no Sevilla, e que está tentando fazer frente a Real e Gimnástica.
No Z3, os três que caíram, mas olha ali Deportivo e Celta Vigo firmes na batalha para ver quem inventa de entrar na zona vermelha...

eYi1n1X.jpg

NB5t6LJ.png

Período de muitas surpresas. O grande destaque da atualização foi Abad, que vem crescendo enormemente nesta temporada, além de aparecer muito bem nos últimos jogos.
Indo agora por posição, começando pelo gol. Vanja ainda é titular, mas estou satisfeito com a chegada de Pedro Lara, para dar mais força ao setor. Caro se torna 3ªopção.
Nas laterais, Gomis teve uma queda e viu Choneftidis ter mais destaque no período, mesma coisa que Zeybek no comparativo com Piroddi, pelo lado esquerdo.
Entre os defensores, Golubovic e Gómez ainda são unânimes, mas o momento de Aranburu e Riera também é digno de nota. Majkic ainda está no começo, e tende a sofrer, o que é natural.
Na meia-central, além do já citado Abad, não tivemos muitas destaques na posição. Valzania, Aleñá, Jordão e Ortiz (o último, também atuando como meia-atacante) ainda estão devendo.
Nas pontas, Trincão e Carpentier ainda comandam, mas Morales aparece bem. Depois de um começo ruim, Tulissi vem tentando se ajustar, principalmente nos jogos da Copa del Rey. Percebeu que perdeu espaço. E um que me surpreendeu bem positivamente foi Kalaitzidis, a ponto de inscrever ele em LaLiga.
Na armação de jogadas, existe preocupação: Aouar está em crise. Nesta atualização, foram cinco jogos sem fazer NADA. Até o Foden que sempre se complica nesse revezamento, fez mais que ele. E isso somado a negativa para a Juventus cria uma situação complicada, para ele e para o clube.
Finalmente, o ataque. Isak não foi bem do jeito que imaginávamos. Sim, ele jogou mal esse período, o que é estranho, pois o Barcelona parou de assediar o clube por ele.
Navarra foi bem nos primeiros jogos, Sandro não é vice artilheiro do time a toa, além de Baric, que teve um momento bem importante durante o mês de Dezembro.

Vamos as estatísticas individuais e coletivas.

LA LIGA - COLETIVAS

Melhor Aproveitamento de Cruzamentos
Segunda Melhor Defesa
Terceira Maior Posse de Bola
Terceiro Melhor Aproveitamento de Passes

LA LIGA - INDIVIDUAIS

Isak liderando o Pichichi
Carpentier liderando as Assistências

COPA - COLETIVAS

Segundo Melhor Ataque

ZaX8YPr.jpg

SMjtnr9.png

Mesmo com estes 14M negativos na temporada, ainda temos um bom capital, e sabendo que devemos ganhar bastante, tanto com a premiação final da Champions, quanto com as outras premiações da temporada.

Jgrh4vS.jpg

0CI2PFd.png

Deixei sete jogos de LaLiga, mas não é que vou jogar estes jogos, mas sim, por conta da agenda atribulada do Real Madrid.
Se o jogo contra o Real Madrid for remarcado para o dia 26/02 - que pode acontecer em caso de avanço, tanto meu ou do Real na Copa del Rey - o último jogo de LaLiga na atualização será justamente contra o Real. Em caso dessa partida for reagendada pra Março, aí nosso último compromisso será contra a UCAM Murcia. Qualquer um dos jogos será no El Malecón.
Além desses dois jogos, ainda teremos Osasuña, Villarreal e Sevilla jogando em casa. Já fora, teremos 'somente' Barcelona e Real Sociedad.
Também teremos os jogos contra o Betis - e em caso de avanço, virá Sevilla ou Deportivo nas semifinais - pela Copa del Rey, e o jogo de ida das oitavas da Champions, onde vamos ir para Monte Carlo, onde enfrentaríamos o Monaco.
Período decisivo.

Share this post


Link to post
Share on other sites
Tsuru

Rapaz...tô achando que o Real vai pipocar nessa diferença de jogos e a Gimnástica vai se manter isolada na ponta. 

E olha essa Liga dos Campeões...suou sangue pra avançar na ponta da tabela para depois descobrir que talvez o segundo lugar fosse melhor. De qualquer forma o Mônaco não parece o adversário mais complicado, acho que passa por eles.

Aguardemos a próxima atualização para saber se estou bom de palpites hahahahaha

Share this post


Link to post
Share on other sites
div

Uma bem-vinda queda do Real (claro que há o jogo atrasado, mas é nítido que houve uma queda do time da capital) cumulado com um período quase perfeito, não podia dar em outra, né? Liderança muito bem assegurada. Agora vai precisar lutar pra manter, que o Real não vai querer deixar barato.

Enquanto isso, segue passeando na Copa del Rey e nem o Valencia faz frente.

Na UCL, considerando os possíveis adversários, até que deu sorte né? Imagina se vem um PSG ou Bayern. Acho que passa do time do principado.

Share this post


Link to post
Share on other sites

Join the conversation

You can post now and register later. If you have an account, sign in now to post with your account.

Guest
Reply to this topic...

×   Pasted as rich text.   Paste as plain text instead

  Only 75 emoji are allowed.

×   Your link has been automatically embedded.   Display as a link instead

×   Your previous content has been restored.   Clear editor

×   You cannot paste images directly. Upload or insert images from URL.

Sign in to follow this  

  • Similar Content

    • Bigode.
      By Bigode.
      A Federação Espanhola de Futebol decidiu mudar. Decidiu inovar. E, bem... vou deixar a notícia e as imagens da nova logomarca (que substitui a histórica inspirada em Joan Miró) e do novo escudo.
      Minha opinião, especialmente em relação a logomarca, vai de encontro a do sempre ótimo Gustavo Hofman: abriram mão de um dos símbolos mais bonitos entre federações em troca de "uma marca que poderia tranquilamente representar uma rede ferroviária". Não consigo olhar pra nova marca, aliás, e não pensar também numa logo de empresa farmacêutica, na linha da Bayer.
      E aqui o vídeo de apresentação:
       
    • #Vini
      By #Vini
      INTRODUÇÃO E CONSIDERAÇÕES INICIAIS Olá, eu me chamo Thomas Lawrence. Se você conhece o Oriente Médio como ele é hoje, mais precisamente o que era território do antigo Império Otomano, isso tem a ver com meu homônimo.
      O meu nome veio por pura coincidência, mas o desejo de liberdade e o gosto pelo desconhecido pode-se dizer que é bem parecido com o dele. Já que falamos um pouco sobre o Lawrence da Arábia, agora falemos sobre o Lawrence de Alexandria, no caso eu. Meu bisavô, trabalhou em atividades no protetorado inglês no Egito e gostou tanto que acabou fixando residência, algo repetido pelo meu avô e pelo meu pai.
      Eu vim ao mundo em setembro de 1987, quando o mundo já era completamente diferente e a Inglaterra estava bem longe do que era no começo do século XX. Ainda assim, ouvi bastante histórias sobre os dias gloriosos do império onde o sol nunca se punha, ficando fascinado com tantos locais diferentes: Índia, Afeganistão, Chipre e Grécia, só para ficar em alguns exemplos.
      O que me chamava realmente a atenção eram as histórias sobre o Mar Mediterrâneo, com a quantidade de países que ele abrigava e a beleza de suas paisagens. Esse fascínio sempre me trouxe a vontade de ler mais sobre o assunto, sem contar que a minha viagem após terminar os estudos básicos começou em Malta, passando por outros países banhados pelo famoso Mar.
      O que tudo isso tem a ver comigo? Bem, além de ser uma paixão pessoal, começou a se ligar quando eu comecei a estudar Educação Física e o sonho de trabalhar com o futebol foi ficando cada vez mais forte. Desse modo, quando concluí os estudos, resolvi que iria me aventurar pelo mundo, trabalhando com a minha paixão.
      Primeiro comecei com alguns trabalhos como preparador e assistente no futebol local, inclusive participando da comissão técnica do meu time do coração, o Zamalek. Assim, quando cheguei próximo aos meus trinta anos, com alguma experiência acumulada, resolvi cair no mundo, agora buscando a vaga de técnico.
      Distribuí currículos entre vários lugares, até que fui chamado para trabalhar em um país próximo. Porém deixemos essa história para depois.
      O SAVE Bom, como alguns notaram, na entrevista do Cleyton falou-se de um membro que teve o notebook furtado no bar. Então, a história foi comigo.
      Para ajudar, o idiota aqui não salvou nada na nuvem e acabou sem o save do Ajaccio e o na América do Sul. Depois do coração partido e mais despesas para recuperar o que eu perdi naquele dia, faltava voltar ao FManager. Qual foi a minha surpresa ao perceber que eu não lembrava a senha?
      Bem, passado todo esse caminho, comecei a me decidir sobre o que faria na sequência. Indo na contramão de alguns amigos que não estão com pique para o FM, eu estou voltando com a certeza que quero ir longe. E nada melhor do que conquistar a revanche com uma história que não foi para frente no FM 16, sobre o Mar Mediterrâneo.
      Só que até aí faltava me decidir sobre os caminhos do save, ponto esse em que o homem das 1000 ideias, @Tsuru, me deu uma baita ajuda.
      Consultei quais eram os países banhados pelo Mediterrâneo e verifiquei que eram 22. Deles eu tirei de cara Malta, Mônaco, Gibraltar, Síria e Palestina; por motivos que variam de uma liga que eu não julgava ser interessante, até pelo momento dos países na vida real. Nas listas que verifiquei, inicialmente não localizei o Chipre, mas decidi coloca-los por conta própria e assim fiquei com 18 ligas jogáveis.
      Dividi essas 18 ligas em potes, a saber:
      Pote 3
      Argélia, Egito, Líbano, Líbia, Tunísia e Marrocos
      Pote 2
      Albânia, Bósnia-Herzegovina, Chipre, Eslovênia, Montenegro e Israel
      Pote 1
      Croácia, Espanha, França, Grécia, Itália e Turquia
      Com essa divisão estabeleci que só passaria para os países do próximo pote assim que vencesse um título nacional em cada um dos locais do pote. Assim, só irei ativar as ligas do pote 2 assim que estiver no último país do pote 3.
      Dito isso, meus objetivos são os seguintes:
      Vencer títulos nacionais em todos os países do desafio Conquistar três Liga dos Campeões com clubes de países de continentes diferentes (alterado pela conquista com um clube libanês, que abriu frentes para a conquista do continente africano e europeu) Mudar de time apenas via convite, nunca me candidatando a outros cargos   (retirado pela dificuldade em surgirem convites, treinador passou a se candidatar, escolhendo opções viáveis dentro do plano de carreira)  
      HISTÓRICO  
       
      SALA DE TROFÉUS  
       
      O CLUBE Como disse, comecei desempregado o save, com experiência local e licença nacional A. Recebi alguns convites e acabei aceitando a proposta do ES Hamman-Sousse da Tunísia, que calhou de ser uma cidade na costa do Mediterrâneo. O time, que nunca foi muito além de campanhas medianas na Tunisian Ligue 1, já vai para sua quinta temporada na Tunisian Ligue 2.
      Vale lembrar que estou com o FM 17, o que quer dizer que o jogo irá iniciar na temporada 2016/17.
      Basicamente estou indo treinar um asilo. Fiquei impressionado com a quantidade de jogadores já beirando os 40 anos e devo pensar em qual estilo adotar com tantos veteranos, uma vez que uma reformulação completa não deve acontecer agora.
      Mandamos nossos jogos no estádio municipal Bou Ali-Lahouar, com capacidade para 6500 pessoas. Já pensando em um estilo que não canse tanto a equipe, solicitei ao responsável pelo gramado que deixe o tapete com as menores condições possíveis, no caso 90x70m.
      O time é cotado para a promoção à Ligue 1 e só me resta cumprir esse objetivo ou se não deverei sofrer minha primeira demissão.

      INFRAESTRUTURAS | LIGAS CARREGADAS
      A LIGA A Ligue 2 é um campeonato dividido em dois grupos de 10 equipes, que jogam em turno e returno, totalizando 18 jogos na primeira fase. Após essa fase, os três primeiros de cada grupo jogam o playoff de promoção, que é disputado também em turno e returno.
      Depois dos 10 jogos, os dois primeiros garantem acesso direto à Ligue 1, enquanto o terceiro disputa um playoff contra o antepenúltimo da divisão principal. O penúltimo da L2 disputa um playoff contra o vice da terceira divisão e o último colocado é rebaixado automaticamente.
       

      TEMPORADA 2016-2017 - Ligue 2 - Um Asilo na Tunísia
      Mercado de Transferências
      Nossa janela buscou reduzir a alta média de idade do elenco. Arouri veio para a reserva na lateral-esquerda, Onana veio (e já foi, devido às regras de estrangeiros no país), Adjeman-Pamboe é um inglês e atua nas duas pontas; Khenissi, Chikoto e Barrani vieram no final da janela, mas já para entrar no time titular, no comando do ataque, zaga e meio-campo, respectivamente.
      Em janeiro perdemos Momble (PE) e Khemiri (LE). Trouxemos Bani (LE) e Kacem (PE) como reposição destes, além de Kchok para reforçar a zaga.

      ELENCO INICIAL | ELENCO PÓS-JANELA
       
      Ligue 2 e Copa da Tunísia
      Abrimos esta fase contra um dos piores times do campeonato, - o Stade Africain – e fizemos a nossa parte goleando, com uma baita partida de Khenissi, que marcou 4 dos 5 gols do ESHS. Nosso domínio foi tão evidente que até trouxe uma empolgação para as partidas seguintes, na qual vencemos o Korba (4-1) e Ben Arcus (1-0).

      Essa empolgação foi por terra quando encaramos os times mais fortes do nosso grupo. Contra o Monastir, abrimos o placar e até pensamos que poderíamos tirar algo de bom da partida mas o adversário virou em 7 minutos no segundo tempo e sacramentou nossa primeira derrota na competição. O Gafsa, outra equipe cotada para brigar pelo acesso à L1, foi o time que enfrentamos na rodada seguinte e também nos derrotou.

      Nos recuperamos vencendo o Hammamet com um gol já nos minutos finais da partida e fomos para o jogo contra o Gafsa, dessa vez pela Copa da Tunísia, e perdemos novamente, saindo precocemente da competição.
      Um empate contra o Siliana e uma vitória contra o Kef colocaram nosso time nos eixos, prontos para jogar contra o Kasserine, nosso principal adversário pelo acesso. E o duelo foi bastante disputado e nos detalhes a derrota foi selada, com um gol próximo do final do primeiro tempo.

       
      Ligue 2 – Returno
      Nesse segundo turno eu já sabia o que seria preciso para conquistar a promoção, então a meta era vencer todos os três primeiros jogos, roubar pontos contra Monastir e Gafsa, para depois perder o mínimo de pontos possíveis nos três jogos antes de decidir a vaga contra o Kasserine.
      Bem, parte desse roteiro aconteceu conforme eu esperava: vitórias contra Stade Africain (5-0), Korba (1-0) e Ben Arcus (2-1); a derrota para o Monastir (0-2) quebrou um pouco minha expectativa, mas o empate contra o Gafsa (2-2) recuperou meu ânimo.
      Contra o Hammamet só a vitória interessava para nos manter firmes na briga pelo acesso. Bem, aí é que vimos do que esse time é feito.
      Ben Frej abriu o placar aos 6’, mas sofremos a virada em cinco minutos. Aos 31’ pênalti para o Hammamet e o goleirão pegou. Essa defesa deu o gás necessário para buscarmos o resultado e logo aos 35’ empatamos com Barrani. Aos 57’ mais drama no jogo: Ben Abid comete falta estúpida e leva o segundo amarelo, comprometendo seriamente nossas chances no duelo. Fomos nos segurando como dava até os 10 minutos finais, quando fomos para o pau e aí Barrani, o nome do jogo, marcou o 3 a 2 aos 87’. Jogaço.

      Essa partida deu o ritmo para a equipe nos três últimos compromissos e vencemos Siliana (3-0), Kef (2-0) e Kasserine (3-1). Neste último duelo, tínhamos dois pontos de vantagem para o quarto colocado e precisávamos da vitória para garantir a vaga.
      O jogo foi bastante duro. Labroussi abriu o placar aos 28’ e nos colocou nas cordas, fazendo com o que o primeiro tempo fosse um suplício. No segundo tempo, eu coloquei a instrução sobrecarregar, mesma tática que usei nas últimas cinco partidas, e logo aos 57’ empatamos. Continuei com a instrução, ainda que o empate já nos garantisse na próxima fase. Aos 80’, a recompensa: gol de Aouichaoui e o desespero trocava de lado; no final, jogamos a última pá de cal nas esperanças do Kasserine com Bachouche.

       
      Calendário

       
      Classificação - Ligue 2 - Primeira Fase

       
      Ligue 2 – Grupo de Promoção
      Na segunda fase, os três primeiros dos dois grupos jogaram entre si em turno e returno, totalizando 10 jogos. E o meu cálculo foi que eu teria que ganhar seis pontos contra o terceiro da outra chave, no caso o Jendouba Sport e vencer os outros times em casa, para roubar pontos fora. Vamos aos jogos.
      A abertura foi justamente contra o Jendouba e terminamos com um empate frustrante por 1 a 1. Empates foram os resultados finais contra Djerba e Monastir (ambos por 0 a 0), este último uma evolução.
      O duelo pela quarta rodada marcou a virada na briga pelo acesso. Enfrentando o líder do outro grupo na primeira fase, o Stade Tunisien, fomos mais efetivos em um jogo muito complicado e saímos com a vitória por 2 a 0. Vale destacar que desde o final da primeira fase tenho entrado com a proposta de atacar desde o início, alterando para sobrecarregar se preciso do resultado e controlar para segurar vantagem.

      Mais um empate, desta vez contra o Gafsa e assim já somávamos quatro empates e uma vitória em cinco jogos, uma marca bem ruim. No returno, batemos o Jendouba Sport e ficamos firmes na briga pelo acesso.
      Estávamos invictos, apesar do maior número de empates e fomos encarar o Djerba, duelo em que flertamos bastante com o perigo e só conseguimos o empate (mais um!) no final dos 90 minutos. Outro empate foi o resultado contra o Monastir e assim o acesso era bastante incerto, considerando que todos os times eram de níveis equivalentes. Contra o Stade Tunisien fizemos outro jogaço e com três gols depois dos 30 minutos do segundo tempo, fizemos o 4 a 2 e ficamos muito próximos da Ligue 1. Sacramentamos o acesso justamente contra o time que mais nos deu dor de cabeça durante o ano, virando o duelo contra o Gafsa, fechando o placar em 3 a 1.

       
      Calendário

       
      Classificação
      No final das contas, terminamos na liderança da segunda fase, algo surpreendente pela primeira fase que fizemos. Valeu a pena colocar o time no ataque e invictos, fechamos esta fase com quatro vitórias e seis empates.
      No fim, fomos promovidos diretamente junto com o Stade Tunisien, deixando o Monastir para jogar o playoff de rebaixamento contra o Gabes, não conseguindo o resultado para chegar à Ligue 1. O quadro de honra da Tunísia tem tão poucos nomes que esse título foi suficiente para me colocar no top 10.

      LIGUE 1 PRIMEIRA FASE | LIGUE 1 GRUPO REBAIXAMENTO | LIGUE 1 GRUPO DO TÍTULO
       
      Elenco 
      No geral, o elenco foi bem para os desafios dessa temporada, apesar da alta média de idade, algo que é urgente corrigir para 2017/18. Na defesa, fica o destaque para Ben Frej, que conseguiu contribuir bastante ofensiva e defensivamente, do alto dos seus 38 anos.
      O meio-campo foi dominado por Barrani – eleito o jogador do ano pela torcida -, que ditava o ritmo das partidas, além de marcar ou dar passes em momentos importantes. Sua renovação é fundamental para a próxima temporada.
      No ataque, Khenissi fez o que se esperava dele e marcou 13 gols em 23 jogos, média razoável. Como perdeu algumas partidas por lesão, creio que seu desempenho ficou comprometido em alguns momentos.

      ESTATÍSTICAS
    • cheirador
      By cheirador
      O mesmo megapack do FM2016, com algumas adições e updates. Mais de 1000 imagens. 

      Método de instalação:
      1. Extraia o arquivo
      2. Coloque em Meus Documentos\Sports Interactive\Football Manager 2016 (ou 17)\graphics\pictures
      3. Abra o Football Manager 2017
      Download
      PRÉVIAS:

    • Kalemy
      By Kalemy
      Fala pessoal, espero que estejam bem.
      Seguinte: estou jogando a liga das Ilhas Cook e me classifiquei pra fase preliminar da liga dos campeões da Oceania. Porém, em nenhum momento aparece solicitando inscrever os jogadores e no dia da estreia não tem ninguém inscrito e não consigo jogar prq simplesmente não tenho nenhum jogador pra escalar. Já procurei de toda forma inscrever os jogadores e não consigo. Tem alguma forma de fazer isso, por editor ou algo parecido? Prq me parece que é bug no jogo ou a liga foi mal editada.
      Agradeço!
      Abraços
    • oLightw
      By oLightw
      Durante qualquer partida no FM 17 os personagens correm parados e com os braços abertos. E até o manager no menu do jogo após abri-lo.

×
×
  • Create New...