Jump to content

Flamengo com muitas falhas no ataque


fae0zin
 Share

Recommended Posts

Bom dia rapaziada, comecei um save com o flamengo, em 2019 consegui ganhar o carioca e o brasileiro, mas aos trancos e barrancos, o time não conseguia ter uma boa taxa de finalização, do meio para trás estava perfeito, porém, chutava em média 20 vez a gol e fazia um único gol. Agora em 2020 continua essa história, mesmo que eu tenha contratado alguns jogares para tentar melhorar a zona de ataque, escalação:

GOL. Marchesin ( consegui trazer no meio de 2019)

LAT. Renê, Rodinei

ZAG. Lé Santos ( Veio em 2019),  Rodolfo

ME. Arthur ( consegui um empréstimo a custo zero em janeiro de 2020 ), Willian Arão

ALA. Everton Ribeiro, Vitinho/Paulinho( veio de empréstimo a custo zero também junto com o Arhur), obs. está quase votando já que quase não utilizo pelo seu baixo rendimento.))

MA. Diego

ATA. Gabriel B.

Formação 4 2 3 1 com extremos, mentalidade positiva.

O time simplesmente não consegue ter um bom ataque, chuta sempre em cima da zaga, força a todo o tempo escanteio por meio de cruzamentos errados e chutes aleatórios, foram raríssimos os cruzamentos certos, por mais que o atacante fosse o Henrique Dourado como jogador alvo (que ele não é jogador ruim nessa posição.).

Qualquer coisa pego mais informações da tática.

 

Edited by fae0zin
Link to comment
Share on other sites

  • Perissé changed the title to Flamengo com muitas falhas no ataque

@fae0zin, é melhor você postar mesmo as informações da tática. Fica um pouco difícil saber o porquê do baixo rendimento sem tê-las.

Link to comment
Share on other sites

A unica foto que tenho aqui no celular(estou no trampo rs) é essa que eu havia mandado para um amigo:

tática

 

 

 

Edited by fae0zin
Link to comment
Share on other sites

Manda foto das funções que você colocou nos jogadores, meu chapa.

Link to comment
Share on other sites

Em 29/01/2019 at 13:34, fae0zin disse:

A unica foto que tenho aqui no celular(estou no trampo rs) é essa que eu havia mandado para um amigo:

tática

Cara, que quantidade de instruções é essa? Tem algumas até conflituosas ali como "driblar menos" com "ser mais expressivo", "sobreposição pelos lados" com "focar o jogo pelo meio", "diminuir ritmo de jogo" com "ritmo extremamente elevado" e "contra-ataque".

Acho que seria bom você pensar melhor no estilo que você deseja pro seu time e colocar, aos poucos, as instruções. Parece que você quis marcar todas as opções possíveis ali.

Link to comment
Share on other sites

Em 29/01/2019 at 13:34, fae0zin disse:

A unica foto que tenho aqui no celular(estou no trampo rs) é essa que eu havia mandado para um amigo:

tática

 

 

 

 

Gegenpress funciona com jogo rápido, dinâmico, então diminuir o ritmo de jogo na Transição não parece casar bem.

Passes muito curtos também não casam muito bem. É uma instrução mais voltada a manter a posse de bola que contra-ataques fulminantes.

 

Se a estratégia de Gegenpress é o que você quer, o melhor é começar com as instruções padrão que o jogo te dá e fazer ajustes a partir daí, sempre aos poucos. E tente usar mais instruções individuais e PPMs. Quanto mais instruções pra equipe, mais demora pros jogadores assimilarem, sem contar a intensidade, que já deve ser altíssima.

Link to comment
Share on other sites

Em 29/01/2019 at 12:32, Perissé disse:

@fae0zin, é melhor você postar mesmo as informações da tática. Fica um pouco difícil saber o porquê do baixo rendimento sem tê-las.

Chegando em casa eu tiro foto de tudo, hoje devo chegar mais cedo do trampo.

Link to comment
Share on other sites

18 horas atrás, StrongAxe disse:

Manda foto das funções que você colocou nos jogadores, meu chapa.

Estou no trampo agora, mas lembro de cabeça:

GOL. Marchesin - goleiro/defender

LAT. Renê, Rodinei - os dois de ala/automático.

ZAG. Lé Santos -  defensor que joga com a Bola/cobrir,  Rodolfo -  zagueiro/defender

ME. Arthur - meia recuperador de bolas/Apoiar, Willian Arão - Meio área a área-Apoiar

ALA. Everton Ribeiro, Vitinho/Paulinho - avançado Interior/apoiar ambos lados.

MA. Diego - meia-atacante/Atacar

ATA. Gabriel B. - ponta de lança/atacar

Link to comment
Share on other sites

9 horas atrás, Perissé disse:

Cara, que quantidade de instruções é essa? Tem algumas até conflituosas ali como "driblar menos" com "ser mais expressivo", "sobreposição pelos lados" com "focar o jogo pelo meio", "diminuir ritmo de jogo" com "ritmo extremamente elevado" e "contra-ataque".

Acho que seria bom você pensar melhor no estilo que você deseja pro seu time e colocar, aos poucos, as instruções. Parece que você quis marcar todas as opções possíveis ali.

Tentei seguir as instruções de um Youtuber rs, vou ter que remodular ela toda.

Link to comment
Share on other sites

9 horas atrás, Douglas. disse:

 

Gegenpress funciona com jogo rápido, dinâmico, então diminuir o ritmo de jogo na Transição não parece casar bem.

Passes muito curtos também não casam muito bem. É uma instrução mais voltada a manter a posse de bola que contra-ataques fulminantes.

 

Se a estratégia de Gegenpress é o que você quer, o melhor é começar com as instruções padrão que o jogo te dá e fazer ajustes a partir daí, sempre aos poucos. E tente usar mais instruções individuais e PPMs. Quanto mais instruções pra equipe, mais demora pros jogadores assimilarem, sem contar a intensidade, que já deve ser altíssima.

O ultimo FM que joguei legal foi o 16, era muito diferente, ainda estou me adaptando, ontem empatei de 1 a 1  com o CRB(subiu esse ano) rsrsr, fui a deixa para saber que a tática está realmente um coco.

Link to comment
Share on other sites

5 horas atrás, fae0zin disse:

O ultimo FM que joguei legal foi o 16, era muito diferente, ainda estou me adaptando, ontem empatei de 1 a 1  com o CRB(subiu esse ano) rsrsr, fui a deixa para saber que a tática está realmente um coco.

Eu falo a mesma coisa pra todo mundo, mesmo pra quem não é iniciante: começa um jogo sem se preocupar com contratações, avança o mais rápido possível pros jogos e monta duas táticas com pouca variação pro time se adaptar mais rápido. Joga 2-3 meses e observa o que funciona e o que não funciona sem fazer grandes alterações. Depois recarrega o save lá no início com as alterações pontuais e vê se o caminho fica mais suave. Fazendo isso 2-3 vezes, se você escolheu a melhor estratégia pro elenco que tem, terá observado o efeito de quase todas as opções.

O maior problema do Brasil é que o ideal seria testar isso no Brasileiro pela diferença de qualidade dos adversários.

Link to comment
Share on other sites

35 minutos atrás, Douglas. disse:

Eu falo a mesma coisa pra todo mundo, mesmo pra quem não é iniciante: começa um jogo sem se preocupar com contratações, avança o mais rápido possível pros jogos e monta duas táticas com pouca variação pro time se adaptar mais rápido. Joga 2-3 meses e observa o que funciona e o que não funciona sem fazer grandes alterações. Depois recarrega o save lá no início com as alterações pontuais e vê se o caminho fica mais suave. Fazendo isso 2-3 vezes, se você escolheu a melhor estratégia pro elenco que tem, terá observado o efeito de quase todas as opções.

O maior problema do Brasil é que o ideal seria testar isso no Brasileiro pela diferença de qualidade dos adversários.

Chegando em casa hoje, vou ver mais ou menos isso, tentar reduzir as instruções, e não mexer no time, estou em junho de 2020, vou manter o mesmo time, por mais que eu precise de um zagueiro já que o Léo Santos chegou a brigar comigo para sair depois de uma proposta da Juv que rejeitei. Vou tentar ir até dezembro hoje, se conseguir posto como o time ficou. 

Link to comment
Share on other sites

O problema aí é realmente a quantidade de instruções, ainda mais com muitas se conflitando. Você tem que definir o estilo de futebol que tu quer jogar, e a partir daí ir marcando. Suas funções aparentemente tão ok, mas é bom você pegar um ou dois jogos desses de pré temporada e assistir ele por completo, pra ver a associação entre os jogadores, saber se os jogadores tão tendo o apoio suficiente, opções de passe, etc.

Outra coisa, você ta jogando futebol de alta intensidade. Eu normalmente não gosto de usar isso, porque se você não tiver um elenco grande, e efetivamente rodar os jogadores, na metade da temporada ta todo mundo morto/lesionado. Então dê o tempo adequado de recuperação pros jogadores e rode bem o elenco pra não ter problemas.

Link to comment
Share on other sites

Bom, consegui uma grande melhora diminuindo as instruções, alguns jogos ainda foram inconstantes, mas melhorou bem, o jogo que divide antes e depois da postagem é contra o CRB dia 02/06:

https://imgur.com/Ivs7jsQ

Obs: Não consigo postar a foto aberta... rsrsrs

Obrigado pela ajuda rapaziada!!!!

Edited by fae0zin
Link to comment
Share on other sites

Realmente tem muita instrução mesmo. Os jogadores que atuam como Segundo Atacante costumam cortar pra dentro e com dois Alas com a tarefa automática (que depende da mentalidade, no caso a positiva eles atuam como se fosse apoiar) não fazem a ultrapassagem de forma adequada (mesmo forçando ela com a instrução de "sobrepor pelas laterais") e isso impacta no fato deles receberem a bola para cruzar com um marcador já à postos; então tentam o cruzamento e erram. Então acho que aí reside o seu problema nos cruzamentos.

Com relação às finalizações, pela forma como você trouxe as instruções, o atacante fica isolado e o único jogador que acaba acompanhando ele pra dentro da área é o Meia Ofensivo, então é provável que a) haja superioridade numérica dos defensores que bloqueiam os chutes e/ou b) os jogadores finalizem de fora da área com maior frequência, matando a construção de jogo.

A dica que eu dou é no sentido do que o pessoal já trouxe: pensa o modelo de jogo que você quer pro seu time, tenta entender como posicionar seu time da melhor forma possível, distribuindo funções e tarefas adequadas ao modelo de jogo, para que tenha eficiência em todos os setores do campo. Se você optou por escolher um estilo predefinido pode ser que você acrescente uma ou outra coisa - desde que não seja conflitante com o que estilo e distribuição tática dos jogadores em campo (exemplo: sobreposição pelas laterais + alas/laterais com tarefa de apoiar) e, principalmente, fazer a leitura do que está acontecendo durante o jogo para modificar algumas coisas (p. ex. seu segundo atacante pela direita está com mais liberdade, por que não designar a tarefa de ataque pra ele? Já que assim ele pode fazer infiltrações por dentro e ser um jogador a mais para finalizar uma bola perigosa de dentro da área). 

Link to comment
Share on other sites

Join the conversation

You can post now and register later. If you have an account, sign in now to post with your account.

Guest
Reply to this topic...

×   Pasted as rich text.   Paste as plain text instead

  Only 75 emoji are allowed.

×   Your link has been automatically embedded.   Display as a link instead

×   Your previous content has been restored.   Clear editor

×   You cannot paste images directly. Upload or insert images from URL.

 Share

  • Similar Content

    • Nei of
      By Nei of
      “Depois de maio de 1940, os bons tempos se acabaram: primeiro a guerra a capitulação, seguida da chegada dos alemães. Foi então que, realmente, principiaram os sofrimentos dos judeus. Decretos anti-semitas surgiam, uns após os outros, em rápida sucessão. Os judeus tinham de usar, bem à vista, uma estrela amarela; os judeus tinham de entregar suas bicicletas; os judeus não podiam andar de bonde; os judeus não podiam dirigir automóveis. Só lhes era permitido fazer compras das três as cinco e, mesmo assim, apenas em lojas que tivessem uma placa com os dizeres: LOSA ISRAELIA. Os judeus eram obrigados a se recolher a suas casas às oito da noite, e, depois dessa hora, não podiam sentar-se nem mesmo em seus próprios jardins. Os judeus não podiam frequentar teatros, cinemas e outros locais de diversão. Os judeus não podiam praticar esportes publicamente. Piscinas, quadras de tênis, campos de hóquei e outros locais para a prática de esportes eram-lhes terminantemente proibidos. Os judeus não podiam visitar os cristãos. Só podiam frequentar escolas judias, sofrendo ainda uma série de restrições semelhantes.
      Assim, não podíamos fazer isto e estávamos proibidos de fazer aquilo. Mas a vida continuava, apesar de tudo Jopie costumava dizer-me: _ A gente tem medo de fazer qualquer coisa porque pode estar proibido. _ Nossa liberdade era tremendamente limitada, mas ainda assim as coisas eram suportáveis.” Diário de Anne Frank, págs. 11 e 12.
       
      Não possuo qualquer ligação com a comunidade judaica, nem ascendência ou apreço maior por algum clube com tal relação. Por outro lado, os absurdos cometidos pelos nazistas foram muito bem documentados para não deixar ninguém incauto. Nada obstante, a idiotice humana aparece com mais força em tempos e situações de escassez (econômica, política, cultural...), portanto não me surpreendem que manifestações preconceituosas se reciclem em nossa história.
      A não ser que cheguemos em um tempo de disponibilidade total de recursos (o que considero improvável), entendo que o preconceito sempre existirá, transmutando-se em mentes fracas e com medo. Sim, o preconceito é a voz do medo e faz do ódio seu fio condutor. Por isso, não consigo ver muito sentido na frase comum: “não acredito que em 2019 alguém ainda pense assim”. Pois pensamos absurdos todo santo dia e o melhor que podemos fazer é explorar nossas opiniões, amadurecê-las e buscar evoluir – a expressão preconceituosa é imatura, fechada em si mesma e irracional.
      Apesar de não ser judeu, meu nome – para quem ainda não sabe – é Israel (tambores de revelação). O livro da Anne Frank chegou agora em minha vida e a genialidade, sensibilidade e capacidade de transmitir a crueldade e dor de um período com a sutileza do olhar de uma criança de 13 anos, me tocou demais.
      Pensei, portanto, em fazer uma jornada entre Alemanha e Holanda, lugares por onde Anne passou. Mas como ficaria um tanto limitado, decidi que vou começar de baixo, trabalhando em clubes com ligações à comunidade judaica, especialmente em Alemanha, Holanda e Israel, eventualmente jogando em algum clube dos EUA. O objetivo é chegar ao topo da carreira treinando Ajax e/ou Tottenham.
      A princípio começaria em Frankfurt, mas não consegui encontrar na base de dados (German System Football League - dica muito boa do @Johann Duwe) que estou utilizando o FC Gudesding Frankfurt, um clube criado por amigos judeus em Frankfurt an Main, cidade de nascimento de Anne. Enquanto procurava, me chamou atenção o TuS Makkabi Berlin e é por lá que vamos começar. Ou melhor, por onde Pedro Van Pels vai começar sua carreira.
       
      Makkabi Berlin
      Fundado em 1898, o clube antecessor Bar Kochba Berlin era uma das maiores organizações judaicas do mundo em 1930, com mais de 40.000 membros de 24 países, parte do movimento geral de Bar-Kochba destinado a promover a educação física e a herança judaica. O clube organizou equipes em vários esportes, incluindo um time de futebol que competiu nas ligas da cidade entre 1911 e 1929. Em 1924, Lilli Henoch, recordista mundial de eventos de discus, arremesso de peso e revezamento de 4 × 100 metros, treinou as mulheres. (Henoch foi assassinada pelos nazistas em um gueto próximo a Riga, Letônia, em 1942).
      Em 1929, o Bar Kochba fundiu-se com o Hakoah Berlin para formar o clube esportivo Bar Kochba-Hakoah . O lado Hakoah teve um sucesso cada vez maior, conquistando três campeonatos consecutivos na divisão inferior entre 1925 e 1927. Eles eram promovidos a cada vez até que, em 1928, jogavam futebol de primeira linha. O lado recém-combinado continuou a competir como Hakoah depois de 1929.
      A ascensão ao poder dos nazistas no início dos anos 30 levou à discriminação contra judeus e, em 1933, as equipes judias foram excluídas da competição geral e limitadas a jogar em ligas ou torneios separados. Em 1938, as equipes judaicas foram banidas imediatamente, quando a discriminação se transformou em perseguição.
      Em 26 de novembro de 1970, o TuS Makkabi Berlin foi formado a partir da fusão da Bar-Kochba Berlin (ginástica e atletismo), Hakoah Berlin (futebol, restabelecido em 1945) e Makkabi Berlin (boxe).
      Aparentemente não possui quaisquer títulos, mas poderei descobrir mais sobre o clube no decorrer.
      O clube joga a Berlin Liga, que faz parte do sexto nível do futebol alemão, tendo o seguinte caminho de ascensão:

       
      Índice:
      Histórico:
      Ligas selecionadas:
       

       
    • Danilo10
      By Danilo10
      ola amigos voltei a jogar o FM apos mto tempo porem so consigo rodar o FM 2019 no meu PC alguem por acaso poderia disponibilizar o update do Brasil mundi up 2019 por favor
       
    • Cadete213
    • samuelzeeraa
      By samuelzeeraa
      Gentileza, meu computador infelizmente não roda Football Manager superior a 2019. Alguém tem download de Update para FM 2019 o recente ou o último? Obrigado. Espero ajuda de vocês. 
    • bstrelow
      By bstrelow
      Prováveis escalações:

×
×
  • Create New...