Jump to content

Quero zagueiros


daniel.drd5

Recommended Posts

  • 1 month later...

Join the conversation

You can post now and register later. If you have an account, sign in now to post with your account.

Guest
Reply to this topic...

×   Pasted as rich text.   Paste as plain text instead

  Only 75 emoji are allowed.

×   Your link has been automatically embedded.   Display as a link instead

×   Your previous content has been restored.   Clear editor

×   You cannot paste images directly. Upload or insert images from URL.

  • Similar Content

    • Nismotoquinha
      By Nismotoquinha
      Apresentação
      Depois de um tempo desanimado e “descansando” um pouco do FM e do fórum, eu resolvi retornar a área. Analisei muitas ideias, muitos cenários e optei por voltar a um lugar que havia bastante tempo que eu não jogava, que é a Inglaterra. O clube escolhido é o Plymouth Argyle Football Club, que, aqui no Profissão Manager teve uma breve menção no save do Druida do @Tsuru, onde ele deixou o Forest Green Rovers e teve uma passagem relâmpago pelo clube.
      Minha escolha pelo clube deu-se por algumas curiosidades: A primeira, mas não a principal é a sua cor. Verde não é a minha cor favorita, mas o Plymouth, junto com o Forest Green, o Yeovil Town – que é participante frequente das terceiras e quartas divisões inglesas, e o Norwich City, são os únicos times a vestirem a cor dentro das 4 primeiras divisões da pirâmide. O Norwich usa o verde como cor secundária, dando preferência ao amarelo (até pelo seu apelido The Canaries), o Yeovil usa em combinação com o branco em grande parte do tempo, e o Forest Green usa um verde meio limão, meio neon combinando com o preto em muitas das camisas. O verde em si, escuro e como cor principal, só o Plymouth.
      A segunda, e principal, tem a ver com a própria trajetória do clube. No FM 21 chama a atenção a presença do Wycombe Wanderers na Championship (2ª Divisão). O clube, até então, nunca havia chegado além da League One (3ª Divisão), o tornando completamente “novato” entre os principais times do futebol inglês. Isso me deu a idéia de buscar times em condições semelhantes às do Wycombe dentro das 4 primeiras divisões e, após filtrar as opções, escolhi o Plymouth. E vocês vão entender melhor nos próximos parágrafos.

      Começando a falar do clube, o Plymouth está sediado na cidade de mesmo nome, parte do condado de Devon, localizada no sudoeste da Inglaterra. Fundado em 1886 como Argyle FC, a equipe realiza seus jogos desde 1901 no Home Park, estádio construído em 1893. Durante a Segunda Guerra Mundial o campo chegou a ser bombardeado pela Força Aérea Alemã e precisou ser reconstruído após o fim da guerra.

      Atualmente, conta com 18.600 lugares, segundo o FM 21, mas passou por algumas reformas que diminuíram a capacidade para 17.000 lugares. O apelido da equipe é The Pilgrims (Os Peregrinos) e, sim, ele faz referência ao grupo de calvinistas que viajou pelo Oceano Atlântico e estabeleceram colônias onde hoje é o estado de Massachussetts nos Estados Unidos. Há duas referências a este fato histórico: a primeira está no escudo do clube, com uma referência ao navio Mayflower, em referência ao barco que levou os peregrinos à América do Norte. A segunda está no estádio, onde uma das arquibancadas se chama Mayflower Stand.

      Seus principais rivais são outras equipes do condado de Devon, como o Torquay United e o Exeter City, além de times da região sul/sudoeste da Inglaterra como o Portsmouth, o Bristol City e o Bristol Rovers. Para estes jogos é usado o termo West Country Derby, que engloba também Cheltenham Town, Forest Green Rovers, Swindon Town e Yeovil Town.

      E a trajetória do time faz jus ao seu apelido. O Plymouth Argyle literalmente peregrinou ao longo de sua trajetória na Football League. Desde a sua chegada à Football League, em 1913, o time oscilou entre a segunda e a quarta divisões inglesas, em boa parte do tempo estando na Terceira Divisão Inglesa, onde conquistou 4 títulos (o último em 2003-04). O mais próximo da Primeira Divisão/Premier League que a equipe chegou foram nas temporadas 1931-32 e 1952-53, onde terminou em quarto lugar, porém, as regras da época promoviam apenas o campeão e o vice. Na FA Cup e na Copa da Liga, seus maiores feitos foram as semifinais em 3 temporadas diferentes.

      Também vale registrar que dois jogadores do clube já jogaram a Copa do Mundo, o galês George Baker em 1958 e o neozelandês Rory Fallon em 2010. Outra curiosidade tem relação com o futebol brasileiro: em 1973, o Santos de Pelé visitou o Plymouth Argyle – na época na Terceira Divisão - durante uma das inúmeras excursões pelo exterior que os clubes brasileiros faziam na época. E o resultado foi surpreendente: Plymouth Argyle 3x2 Santos. Mike Dowling, Derek Rickard e Jimmy Hinch marcaram para os ingleses no primeiro tempo e o Santos teve que correr atrás do placar na parte final: Pelé, de pênalti e Edu marcaram os gols santistas.
      Atualmente o Plymouth Argyle tenta se recuperar na League One e voltar a crescer depois de algumas temporadas na League Two e de fazer o tal “bate e volta” entre as divisões. E, como os peregrinos mundo afora e no decorrer dos séculos, seja por suas crenças ou por outros motivos, segue Em Busca da Terra Prometida!
      Dados do Save
      FM 21
      Ligas carregadas:
       
      O desafio
      Como o nome do tópico diz, o clube está em busca da Terra Prometida. E considero que a Terra Prometida do Plymouth Argyle é a Premier League! O clube é centenário, mas nunca chegou necessariamente perto desse nível de competição. Quando chegou na Championship parece que faltou algo e o time teve que começar tudo de novo.
      Nesse momento meu objetivo é esse, e não faltam adversários para chegar lá. A equipe está na League One, que na primeira temporada do Football Manager 21 conta com Hull City, Portsmouth, Sunderland, Blackpool, Charlton e Ipswich Town, para ficar nos times mais tradicionais e que batem ponto na Championship, alguns até na Premier League. Fora outros times que devem ser pedras no sapato, como Lincoln City, Wimbledon e Oxford United.
      E ainda tem a Championship, cheia de “camisas pesadas” e times com muito mais investimento. Chegar à Premier League em si já será um desafio, depois o que vier será lucro.
    • Tsuru
      By Tsuru
      O gigante - FC Tokyo Verdy 1969 ou simplesmente Verdy
      No ano de 1968 o Yomiuri Giants, equipe de beisebol muito popular do Japão e pertencente a um dos maiores conglomerados de mídia do país (Yomiuri Group), decidiu formar sua própria equipe de futebol. A ideia era aproveitar o crescente interesse pelo esporte bretão depois da boa campanha japonesa nos Jogos Olimpicos do México daquele ano, nos quais os Samurais Azuis conquistaram a medalha de bronze.
      Nascia assim o Yomiuri FC, que em nove anos (1969-1978) subiu rapidamente a pirâmide do futebol japonês, saindo da quinta para a primeira divisão. E já em 1979 ganhou seu primeiro título de expressão, a Copa da Liga Japonesa. 
      O Yomiuri não era o único “clube de fábrica” do Japão: naquela época a grande maioria das equipes era formada pelos próprios empregados das empresas, que atuavam de maneira amadora. Em 1992 tudo mudou e, por influência de Zico, a elite do futebol japonês, então Japan Soccer League, passou por um processo de profissionalização para a atual J-League.
      Assim, o Sumitomo Metals virou o Kashima Antlers, o Hitachi mudou de nome para Kashiwa Reysol, o Toshiba passou a ser o Consadole Sapporo, o Nissan Motors se tornou o Yokohama Marinos etc. Já o Yomiuri FC passou a se chamar Verdy Kawasaki: era uma modificação da palavra em português “verde” (a cor do clube) com o nome da cidade onde estava baseado (sem qualquer relação com a fábrica de motocicletas). Importante mencionar que Kawasaki fica na região de Kanagawa, na Grande Tóquio - guardem essa informação.
      As mudanças não diminuíram o sucesso do Verdy, que viveu seus anos dourados (ou seriam verdes?) nos anos 80 e início dos 90:
      Campeão da Liga dos Campeões da Ásia (1987) Heptacampeão japonês (1983, 1984, 1986–87, 1990–91, 1991–92, 1993 e 1994) Quatro vezes vice-campeão japonês (1979, 1981, 1989–90 e 1995) Hexacampeão da Copa da Liga Japonesa (1979, 1985, 1991, 1992, 1993 e 1994) Tetracampeão da Copa do Imperador (1984, 1986–87, 1987–88, 1996) Tricampeão da Supercopa do Japão (1984, 1994, 1995) O Yomiuri/Verdy sempre seguiu a mesma linha de seu co-irmão do baseball, tentando investir em grandes estrelas e se posicionando como uma equipe de todo o Japão (em vez de se associar a uma região específica). Por lá passaram nomes como Kazuyoshi Miura e Tsuyoshi Kitazawa, jogadores da seleção japonesa, bem como os brasileiros Ruy Ramos (que se naturalizou japonês e também defendeu a seleção local), Bismarck (ex-Vasco), Alcindo Sartori (ex-Flamengo e São Paulo), Edmundo e Hulk. Isso e o próprio nome Verdy acabaram por criar uma ligação especial da equipe com o Brasil.
      Os anos dourados (verdes…) terminaram por volta de 1996, coincidindo com a conquista da Copa do Imperador. O interesse pela J-League esfriou um pouco e a crise econômica da época obrigou os clubes locais a cortarem gastos (algo parecido com o que aconteceu recentemente com o futebol chinês). Assim, com as grandes estrelas envelhecendo, o Verdy ficou sem dinheiro para reposições à altura e passou a fazer campanhas medianas na primeira divisão. 
      Há quem diga ainda que o marketing focado em ser um time nacional acabou por afastar os torcedores, que dentro da cultura do futebol japonês teriam preferido torcer para equipes mais “locais”. Entre elas estavam o Yokohama Marinos e o Yokohama Flugels (que se fundiram em 1999 para dar origem ao atual Yokohama F. Marinos) e o então recém-profissionalizado e rival do Verdy, o Kawasaki Frontale, que teria “roubado” a maior parte da torcida da cidade. O curioso é que, assim como o Verdy escolheu um nome inspirado numa palavra em português, o Frontale também teve grande influência do Brasil: na época existia uma parceria com o Grêmio, do qual a equipe japonesa herdou, por exemplo, as cores azul e preto.
      Tentando resolver a questão, o Verdy se mudou para a vizinha e capital Tóquio e alterou seu nome para o atual FC Tokyo Verdy 1969. Mas o problema foi junto: um outro time chamado apenas FC Tokyo (ironicamente um grande rival do Kawasaki Frontale desde os tempos do amadorismo) havia sido promovido para a J-League em 2000 e “capturado” a maior parte da torcida da capital. Nascia ali uma rivalidade local na qual o lado verde de Tóquio já começava em desvantagem. O Frontale também aproveitou, já que passou a ser o único time de Kawasaki e ficou com a torcida local toda para si.
      As estratégias malsucedidas e a crise econômica levaram o Verdy a começar a rondar a parte de baixo da tabela - em 2001 por exemplo escapou do rebaixamento por pouco, na última rodada, graças a um gol de Edmundo. Nas temporadas seguintes seguiu fazendo campanhas medianas e, já comandado por Osvaldo Ardiles, venceu a Copa do Imperador em 2004, garantindo uma vaga na Liga dos Campeões da Ásia, conquistando ainda a Supercopa do Japão em 2005. 
      Por ironia do destino, os primeiros títulos desde a década anterior levaram o clube ao pior momento de sua história. A campanha na J1 League de 2004 foi péssima, com direito a derrotas históricas (7 a 1 para o Gamba Osaka, 7 a 0 para o Urawa Red Diamonds e 6 a 0 para o Júblio Iwata), fazendo Ardiles perder o emprego e o Verdy ser rebaixado à segunda divisão (J2 League) pela primeira vez na era do profissionalismo. 
      Apesar de ter sido promovida em 2007 tendo no elenco Hulk (ele mesmo) em grande fase, chegando a fazer três hat-tricks, a equipe foi rebaixada novamente no ano seguinte - por coincidência, após Hulk se transferir para o Porto - e nunca mais conseguiu subir.
      Enquanto o rival Frontale ascendia para se transformar em um time dominante no futebol japonês (tetracampeão da J-League em 2017, 2018, 2020 e 2021, vencedor da Copa do Imperador de 2020, da Copa da Liga de 2019 e da Supercopa do Japão em 2019 e 2020), o Verdy entrava em declínio até virar um time de meio de tabela da J2 League...
       
      A Terra do Sol Nascente - update
      FM 21 J-League Database 2021/2022 por Robles Quin (https://www.fmscout.com/a-fm21-j-league-database-2021-2022.html). Esse update tem os níveis do futebol japonês até a sétima divisão, times universitários, regras reais (incluindo premiações, salários e pagamentos de TV), estádios com os nomes certos e mais de 7 mil jogadores criados individualmente, incluindo os da seleção japonesa. Existe também uma versão para o FM 22, maior e mais completa: https://community.sigames.com/forums/topic/559109-fm224-winter-advanced-jfa-j-league-pyramid-levels-1-13-u18high-school-manageable-2642022/ A configuração da database acabou se tornando um capítulo à parte e trouxe alguns detalhes interessantes para o jogo, falarei mais sobre isso no próximo post.
       
      Objetivos
      Subir para a J1 League
        Vencer a J1 League
        Vencer a Copa do Imperador
        Vencer a Copa da Liga Japonesa
        Vencer a Supercopa do Japão
        Conquistar a Liga dos Campeões da Ásia
        Ter pelo menos um jogador formado na base convocado para a seleção japonesa
        Ser o time mais rico do Japão
        Índice
      Temporada 1 Parte 1 - Iniciando os trabalhos
    • Johann Duwe
      By Johann Duwe
      Banner by @Tsuru
      Após o insucesso com o FC Cincinnati, volto a Europa para dar seguimento em um save de desenvolvimento de clube, e gostaria de atuar em alguma liga do Top 10 e que me desse a liberdade necessária para poder garimpar pelo mundo todo sem ter restrições quanto a estrangeiros, ou ao menos ser mais liberal do que a MLS.
      Entre elas a Turquia e Portugal foram fortes concorrentes, mas no fim acabei me virando para a Holanda. Comecei então as buscas de um clube e me deparei com duas ou três opções, mas o escolhido foi o FC Eindhoven.
      Breve História
      O FC Eindhoven é um clube de futebol criado em 16 de Novembro de 1909 na cidade de Eindhoven, Província de Brabanta do Norte, ficando próximo de Antuérpia na Bélgica e Düsseldorf/Mönchegladbach na Alemanha, há outras é claro, mas com equipes relevantes para seus países, são as mais próximas.
      Então em 16/11/1909 o clube foi fundado e começa jogando em ligas amadoras, até ter seu primeiro momento de brilho em 1937 ao vencer a KNVB Beker e em 1950 teve o primeiro jogador chamado a seleção holandesa, no caso foi o atacante Nuod van Melis, seguido por Frans Tebak e Dick Snoek nos anos seguintes, essa geração teve ainda a conquista da Eredivisie em 1954, último ano antes da profissionalização.
      Em 1957 a equipe foi rebaixada a Erste Divisie e seguiu um tempo na gangorra, chegou a terceira divisão em 1969, mas já em 1975 voltou a Eredivisie, alegria que durou pouco e em 1977 voltou para ficar na Erste Divisie.
      Nomes
      Assim como muitos clubes, o Eindhoven trocou algumas vezes de nome. Criado como E.V.V. Eindhoven (Eindhovense Voetbal Vereniging), foi fundido em 1921 com a equipe amadora do Gestel, em 1997 o E.V.V. Eindhoven deixa de ser profissional. Pelo que entendi, no lugar dele foi criado o SBV Eindhoven (Stichting Betaald Voetbal Eindhoven) que manteve a história e títulos do passado e finalmente em 2002 o nome é alterado para o padrão inglês Football Club Eindhoven, o que é uma pena pois Voetbalclub Eindhoven seria muito mais charmoso e identificado com os nomes anteriores.
      Rivalidades
      Havendo duas equipes na cidade, normalmente uma delas é de maior sucesso. Foi o caso do FC Eindhoven, ao menos até o final da Década de 1950. Tendo o PSV fundado em 1913 e aceitado inicialmente apenas trabalhadores da Philips, naturalmente o lado azul predominou por um tempo, mas isso foi mudado pois ao menos pela Eredivisie, o Lichtstad Derby não ocorre desde a temporada 1976-1977. Sendo o PSV um clube de empresa, ele é considerado um clube da elite, enquanto que o FC Eindhoven é um clube do povo, vale ainda destacar que existe uma parceria entre ambos desde 2004.
      Infelizmente não encontrei em nenhum lugar nenhum os dados do Derby, seja quantidade de partidas jogadas e nem quem está levando a melhor no confronto.
      Atualmente o Helmond Sport é visto como grande rival, pois joga na mesma divisão e está distante 20km do estádio do clube.
      Distância até o Philips Stadion - Distância até o Stadion de Braak.
      Títulos
      Somente a KNVB Beker em 1937 e a Eredivisie em 1954.
      Estádio
      O Jan Louwers Stadion é um estádio multi-esportivo porém é principalmente usado para prática de Futebol, seu nome é uma homenagem a Jan Louwers que foi jogador da equipe entre 1949 e 1960 e tem capacidade para 4.600 pessoas.
      Objetivos
      - Vencer a Eredivisie.
      - Vencer a KNVB Beker.
      - Ter três jogadores chamados a Seleção Principal da Holanda, não necessariamente na mesma convocação.
      - Ser comparado ao Ajax no que tange ao desenvolvimento e valorização de produtos da base.
      Não colocarei nada sobre vencer algum título europeu pois isso, caso aconteça, será de forma natural com o desenvolvimento da equipe, das estruturas e do staff.
      Ferramentas Disponíveis
      Como o FM permite usar e abusar de ir manualmente para buscar jogadores e staff, é o que eu farei. Escrevendo até passou pela cabeça usar apenas olheiros e anúncio de emprego para contratar, porém o fato da liga holandesa não ter limite de estrangeiro, é um convite enorme para ficar fuçando e encontrando bons jogadores escondidos.
      Ressalto que minha intenção é desenvolver a base, mas isso não vai me impedir de contratar jogadores de outras equipes/nacionalidades.
      Resumo das Temporadas
       
       
       
       
       
    • Guilhererme
      By Guilhererme
      E ae galerinha do mal, tudo certo aí? Como vai a família? Já fez carinho num doguinho hoje? Hoje volto a ter um save na área depois de um  pequeno hiato depois do fim do save com Brescia, como gostei da experiência de compartilhar historias volto para area com um novo desafio em um novo continente e com novos objetivos, mas vamos com calma, primeiramente a ideia do save veio depois do @Johann Duwe se aventurar por lá com o Cincinnati FC, uma pena que acabou não dando certo , mas me ascendeu uma ideia, bem se vocês olharem ali debaixo da fotinha do Kiba vão ver os clubes que torço, e ali tem os times que torço na NFL & NBA, realmente sou um fã assíduo das ligas americanas, então quando estava vendo o save do Duwe pensei será que dá pra ser campeão da MLS e tudo mais só com o draft? Então fui ler sobre o Draft e as regrinhas na MLS, que inclusive tem um texto do Henrique M. aqui no fórum muito bom que vou deixar no final da apresentação, mas voltando a pergunta inicial sobre draft pega num ponto que é o fato das franquias terem categorias de base, então com 2 oportunidades de pegar jovens jogadores pensei "ta aí a oportunidade de fazer o meu "Youth Challenge""
       

       
      O clube escolhido para esse desafio foi o Houston Dynamo como vocês já devem ter percebido, Dynamo tem o mesmo dono do Houston Texas da NFL, inclusive a cidade de Houston não tem multo para onde sorrir ultimamente nos outros esportes fora o Baseball, Rockets (NBA), Texas (NFL) & o próprio Dynamo estão numa reconstrução forte, mas Dynamo já teve seus momentos de gloria no inicio da década de 2010, o clube fundado em oficialmente em 2005, digo oficialmente porque antes de 2005 basicamente o dono do San José Earthquakes quis que o time mudasse para Houston e conseguiu a liberação da liga para isso então toda a estrutura do Earthquakes foi para Houston mas com um novo nome e CNPJ digamos assim, toda a historia do time anterior ia ficar de stand by, até os Earthquakes voltarem com um novo investidor (o que aconteceu em 2008), então mesmos jogadores, mesma comissão e mesmos donos mas time diferente
       

       
      Logo após a mudança o Dynamo conquistou seus maiores feitos foram bi campeões da MLS em 2007 e 2008, Os títulos mais as boas performances em outras competições fazem com que o Houston Dynamo seja uma das mais competitivas equipes da MLS. A campanha realizada em 2007 também lhe deu o direito de participar da primeira Liga dos Campeões da CONCACAF. depois dessa época de ouro Dynamo não conseguiu repetir os feitos, a ponto de hoje em dia ser u dos elencos menos valiosos da MLS
       
      Ainda falando sobre intersecções nas ligas americanas James Harden ex-astro do Houston Rockets agora no Brooklyn Nets adquiriu em 2019 uma participação minoritária no grupo que detém o Houston Dynamo, da Major League Soccer, e também a equipe feminina Houston Dash. Harden terá 5% de participação na organização.
      “Houston é minha casa agora, e eu vi isso como uma maneira de investir na minha cidade e expandir meus interesses comerciais ao mesmo tempo. O futebol em geral, e especialmente a MLS, explodiu neste país ao longo da minha vida. Sou fã do jogo há vários anos e sei que Houston tem uma grande base de fãs de futebol, então foi uma decisão fácil para mim quando surgiu essa oportunidade”, destacou Harden.
       

       

       
      No inicio falei que a ideia central do save seria uma espécie de Youth Challenge, que é um clássico para quem acompanha FM a algum tempo já viu ou ouviu falar, basicamente Você não pode contratar ninguém (seja por transferência ou empréstimo), mas pode vender e emprestar à vontade, mas para apimentar as coisas na MLS nas categorias de base só posso usar jogadores Estadunidenses nascidos/criados no Texas, na verdade essa é uma regra da MLS, que vou levar bem a serio no save, jogadores estrangeiros apenas no draft, mas das 8 vagas disponíveis na MLS posso usar apenas 3.
       
      Agora em formato simplificado e de listinha:
      REGRAS:
      não pode contratar ninguém (seja por transferência ou empréstimo), mas pode vender e emprestar à vontade No máximo 3 estrangeiros no clube (o Dynamo hoje tem um monte então talvez não consiga se livrar da galera toda na primeira temporada, então uma canja de 3 temporadas para isso) Escolhas de draft são negociáveis posso vender e comprar elas a minha vontade Se for demitido o save acaba  
      OBJETIVOS:
      ser bicampeão da MLS novamente Ser o clube da MLS com mais Champions da CONCACAF Ser campeão com o elenco mais jovem da MLS Assumir a seleção das EUA em algum momento no save Ter 7 jogadores formados aqui disputando uma Copa do Mundo  
       
      GLOSSARIO:
       
      Draft: Eu fiquei falando de draft e tudo mais, mas o que carambas é um draft Guilhererme??? Bom eu explico, a cultura de incentivo ao esporte americana é ganhar bolsas nas universidades para praticar esporte x, já que fazer faculdade lá é BEM caro, e nas universidades eles tem uma rotina de atleta profissional só que sem receber nada por isso, e também é cultural lá entrar nas ligas americanas por meio do DRAFT, que basicamente os times da liga olham os jogos da universidade e ao fim da temporada podem escolher algum jogador universitário para o seu elenco, o pior time da última temporada tem a primeira escolha e vai até o campeão nesse formato, é basicamente isso, desculpa se ficou confuso galera
       
       Texto do Henrique M. explicando algumas regrinhas da MLS caso alguém se interessa
       
      Bom agora é isso galera, em breve o começo dessa longa (espero pelo menos kkk ) nova saga 
       
       
    • Tsuru
      By Tsuru
      Durante a pesquisa para o save do Druida, me deparei com o lema oficial de Gales, “Cymru Am Byth” (se lê “Kimiru Am Bith”) que quer dizer “País de Gales para sempre” (Wales Forever) ou “Vida longa ao País de Gales” (Long Live Wales). Na ocasião eu li erradamente “Galês para sempre” (que em inglês seria “Welsh Forever”), e apesar de estar incorreto - porque originalmente o lema se refere ao país e não à nacionalidade - a ideia ficou na minha cabeça como uma espécie de conceito de fidelidade à nacionalidade em questão.
      Na época li que as maiores equipes de Gales jogam há muitos anos na pirâmide inglesa e que decidiram permanecer assim mesmo após a criação da liga galesa, em 1992 (eu sinceramente não os culpo). Isso gera uma inusitada situação de mais de um time de um país atuando em outro (são quatro na db oficial do FM, mas soube que há outros em divisões ainda mais baixas). E por fim, pesquisando sobre experiências de jogadores com essas equipes no FM, achei no fórum oficial um jogador que decidiu criar uma espécie de “Athletic Bilbao inglês”, com a regra de contratar apenas jogadores galeses (https://community.sigames.com/forums/topic/438707-fm-18-wrexham-the-welsh-red-dragons/?tab=comments). 
      Eu adorei e percebi que ele estava basicamente materializando em um save o conceito de “Galês para sempre”. A ideia ficou guardada no porão (porque a gaveta já estava cheia delas) e ao pensar em qual save seria o primeiro no FM 21, foi a que mais me empolgou. Não só pelo desafio em si, mas por misturar uma série de elementos que eu não costumo utilizar nos meus saves, permitindo fazer mesmo algo diferente do meu usual. Entre eles estão restrição de contratações, desenvolvimento da base (que aqui vai acabar tendo papel fundamental) e o sistema que batizei de “Cafundó League”, aquele que você pega um time de uma divisão ali perto do Pré-Sal e segue nele até o mais alto possível. Eu pensei em fazer mais uma coisa diferente que seria jogar a primeira temporada antes de postar, mas empolguei e decidi compartilhar de uma vez.
      Por fim, temos a escolha do clube. Eu considero que o “nível fácil” desse desafio (isso existe?) é com Swansea e Cardiff, times maiores, com mais dinheiro e estrutura, que militam na segunda divisão e já possuem boa parte de seu elenco nacionalizada. O “nivel médio” seria com o Newport County, hoje na League Two, a quarta divisão, com um elenco com bom número de galeses mas menos estrutura e recursos do que os outros dois. E o “nível difícil” é com o Wrexham, que há algum tempo milita na Football League, quinto escalão inglês, e que por seu natural estado de penúria, contrata o que é possível (não devem nem olhar o nome do sujeito, imagina onde o cara nasceu).
      Um deles eu já queria treinar desde que fiz a entrevista aqui no PM, e foi uma escolha natural. Ok, pelo banner já dava para saber, mas quis explicar assim mesmo. Hahahaha
       

       
      Fundado em 1864, o Wrexham Association Football Club (galês: Clwb Pêl-droed Cymdeithas Wrecsam - tente dizer isso rápido três vezes!) é o mais antigo do País de Gales e se define como o terceiro clube mais antigo do mundo (embora esse critério possa ser variável), sendo inclusive membro do Club of Pioneers. O nome é uma homenagem à cidade natal, Wrexham, próxima a locais de muita tradição no futebol como Liverpool e Manchester. E a equipe é conhecida como The Red Dragons, provavelmente por utilizar em seu escudo dois dragões semelhantes aos da bandeira do País de Gales.
       

       
      O time manda seus jogos no Racecourse Ground, a arena internacional mais antiga do mundo que ainda recebe jogos internacionais. Ela foi aberta em 1807, sendo que recebe jogos de futebol desde 1864, e o recorde de público foi estabelecido em 1957, quando o Wrex sediou uma partida contra o Manchester United diante de cerca de 35 mil espectadores. 
       

       
      Após iniciarem a vida esportiva disputando competições locais em sua terra natal, os Red Dragons entraram para a pirâmide inglesa em 1905, na Liga de Birmingham e Distrital. Em 1958 o campeonato inglês foi reorganizado e o Wrex foi para a terceira divisão, de onde oscilou desde a segundona (em fins dos anos 70), o mais alto que já chegou, e flutuou daí para baixo até o quinto escalão, a partir de 2008, quando não conseguiu mais ser promovido. 
      Depois de algumas décadas sendo administrado por um fundo de torcedores, em novembro de 2020 o clube foi vendido aos atores hollywoodianos Ryan Reynolds (o Deadpool - que aliás tem um ótimo gosto para esposas) e Rob McElhenney. Isso ocorreu depois do fechamento da db do FM, o que significa que o 21 é o último com os Red Dragons ainda sob propriedade dos seus adeptos e iniciando em dezembro de 2019 sem investidores externos (embora eu não saiba se isso vai mudar no update final).
      Em termos de títulos, o Wrexham venceu a Copa Galesa 23 vezes - o que permitiu algumas participações na antiga Taça dos Vencedores das Taças -, ganhou o FA League Trophy em 2005 e o FA Trophy em 2013, além de ter 11 títulos da FAW Premier Cup, torneio que reunia os outros galeses que jogam na Inglaterra.
      Apesar de existirem naturalmente rivalidades locais entre as equipes de Gales, os maiores rivais do Wrexham são três ingleses, nos chamados Derbies Transfronteiriços: Shrewsbury Town, Tranmere Rovers e o arquirrival Chester. Separados por apenas 20 km, Wrexham e Chester fazem um duelo muito nervoso, marcado por uma rivalidade bastante agressiva e um clima de guerra (no campo e em volta dele).
       

       
      Jogadores que atuaram em um ou nos dois clubes dizem que é tão intenso quanto Arsenal vs Spurs, parecendo um verdadeiro confronto Inglaterra x País de Gales. Outra curiosidade é que o estádio do Chester, o Deva, transpassa a fronteira e seu campo está localizado totalmente em Gales - o que meio que faz dele um time inglês que joga no país vizinho (!).
      No FM o Chester está uma divisão abaixo, portanto caso esse encontro aconteça de forma oficial, deve ser mais adiante no save. Enquanto isso penso em criar uma copinha chamada Cross Border Trophy com o Wrex e os três rivais, vamos ver se eles topam.
       

       
      Contratar apenas jogadores de nacionalidade galesa; (removido em 19/08/21 para tornar o save mais dinâmico e adequado ao tempo disponível) Dar preferência à equipe técnica de nacionalidade galesa (alterado em 18/10/2021 para evitar que a restrição comprometa a melhoria da equipe técnica do clube)  

       
      Conquistar a Premier League; Conquistar uma copa inglesa; Conquistar um torneio europeu; Ter pelo menos um jogador formado no clube convocado para a seleção galesa; Ter instalações de primeiro mundo em todos os níveis; Entrar para a lista dos 10 times mais ricos da Europa.  

       
      Criei um personagem fictício chamado Oliver Jones para ser o treinador, mas decidi não arriscar nessa parte e deixei as licenças de acordo com o que o jogo sugeria, apenas dando maior foco ao desenvolvimento de formação.
       

       
      Para me dar mais opções em termos de jogadores, ativei as cinco divisões de Gales utilizando o update do Timo e personalizei a database. A opção por incluir as primeiras divisões de outros países foi para deixar o save mais realista quando o Wrexham começar a subir um pouco mais na pirâmide.
       

       
      Depois que iniciei eu me dei conta que deveria ter carregado Escócia e Irlanda, onde certamente há galeses jogando. Adicionei as duas nos primeiros dias de jogo e elas estarão disponíveis a partir da próxima temporada, porém a Irlanda do Norte acabou ficando de fora por limitações de hardware.
       

       
       Apresentação  "Os números não mentem jamais"  "Iniciar o trabalho é fazer dois terços dele"  "Independente da situação, olhe sempre os dois lados da moeda"  "Gol, o grande detalhe do futebol"  "O ataque é a melhor defesa?"  "A adversidade traz conhecimento, e o conhecimento traz sabedoria"  "Não há azar que sempre dure e nem sorte que nunca se acabe"  "O pagamento vem ao fim da canção"  "Se a vida te der limões..." "O que não tem remédio, remediado está" "Os diamantes galeses" "A batida insistente quebra a pedra" "Chegou a hora de recomeçar" "Poucos pregos, muitas marteladas" "Subidas e descidas" "Se um é ótimo, Dois é ainda melhor" "É sempre bom olhar na direção de casa" A reestreia na Liga Dois No rumo certo Acima das previsões e abaixo das expectativas Seja como o camaleão: mude e adapte-se sem perder a sua essência Nem tudo que reluz é ouro Derrapada ou solavanco? Não podemos mudar o vento, mas podemos ajustar as velas Quando o futebol é justo A chaleira ferve e estamos prontos Oi, tio Pep! Outubro/novembro 2026 Tem novo líder na área  
      Posts históricos:
      O nascimento do futebol galês O gramado inglês era mais verde que o galês
×
×
  • Create New...