Jump to content

Ajuda com tática / Estrela da Amadora


fabioaraujo89
 Share

Recommended Posts

29 minutos atrás, Chaves disse:

Eu já vi uns vídeos desse cara e, honestamente, ele muito ruim. Pior que deve ter gente que leva a sério.

 

Link to comment
Share on other sites

47 minutos atrás, Chaves disse:

Para quem quer se aperfeiçoar, eu recomendo começar saves em equipe grandes, já formadas e com recursos financeiros. Assim teriam chance de se concentrar em entender os conceitos e instruções táticas.

Outra boa sugestão são equipes de segunda divisão que sejam favoritas ao título/primeiro lugar. Geralmente elas são mais fortes que as demais, tem mais recursos e estrutura, mas a pressão costuma ser menor do que numa primeira divisão de uma grande liga, onde a expectativa é bem alta e qualquer sequência ruim pode derrubar o treinador.

Link to comment
Share on other sites

48 minutos atrás, Chaves disse:

Eu já vi uns vídeos desse cara e, honestamente, ele muito ruim. Pior que deve ter gente que leva a sério.

Esse resumo é muito mais maduro.

Para quem quer se aperfeiçoar, eu recomendo começar saves em equipe grandes, já formadas e com recursos financeiros. Assim teriam chance de se concentrar em entender os conceitos e instruções táticas.

Ruim em quê exatamente?

Do que vi só achei brisa uma 4-2-4 que ele recomendou e o pessoal do Fb usa 😵

E na bola parada também não sigo deixar todo mundo atrás na marcação.

Sobre começar em time grande, não muda muita coisa. Na verdade ele tem que se acostumar em identificar e entender o porquê de certas jogadas acontecerem, e como evitar ou mantê-las.

Link to comment
Share on other sites

@Tsuru, em primeiro lugar, muito obrigado!

Esse guia ficou excelente, me ajudou a entender melhor vários conceitos do jogo que podem ser bem confusos para quem está iniciando, além de estar muito bem escrito.

Depois de ler, eu entendi porque muitas vezes meus jogadores tinham determinados comportamentos indesejados, por mais que eu colocasse instruções individuais para ele não fazer aquilo: eu não estava compreendendo a influência da mentalidade, das funções definidas e das "instruções ocultas" sobre eles. Vou passar a prestar bem mais atenção nisso.  

Naquele mesmo dia em que eu postei, eu iniciei o save com o 4-3-3 que eu tinha cogitado (4-1-4-1, para ser mais preciso), até porque, reavaliando o elenco, vi que os meus dois laterais eram na verdade muito bons para a divisão em que eu estava. Eu me baseei também em outro ótimo guia que tem aqui no fórum, que você traduziu, sobre design tático, porque ali o autor faz um 4-1-4-1 também, mas com a atribuição de funções diferentes. 

Eu usei o Rate My Tatic como ponto de partida, para identificar os problemas mais evidentes e achar um equilíbrio, então ela ficou assim: 

Formação: 4-1-4-1

posições, funções e tarefas:

goleiro > guarda-redes > defender

2 zagueiros > defesa central > defender

2 laterais> defesa lateral> atacar

1 meia defensivo > médio defensivo > defender

2 meias centrais > carrilero > apoio

2 pontas > extremos invertidos > atacar

1 centro-avante > avançado recuado > apoiar

O jogo ficou bem interessante, os carrileros deram uma boa dinâmica ao time, pois cumprem bem o papel de pegar a bola lá atrás com os defesas e ligar com os extremos e os laterais que avançam. O time ataca com bastante gente, e até que não ficou tão vulnerável quanto eu pensei a princípio (menos que no 4-2-3-1 que eu usava no outro save). No 4-2-3-1 do outro save eu sentia que os meias centrais não faziam uma ligação tão interessante.

Uma coisa que eu tive que mexer foi na linha defensiva. O RMT disse que uma linha mais baixa contrariava o estilo de jogo, e acho que eles tem razão, mas já na pré-temporada eu vi que tava tomando muitos gols com bolas longas atrás da minha zaga. Baixei a linha e isso parou. Entendo que isso dificulta muito a vida dos meus laterais, mas não vi outro jeito.

O time ficou em 2º no grupo no Campeonato de Portugal com segurança (ficou atrás apenas do time B do Sporting) e, apesar de ter dado uma derrapada na reta final (quando já estava classificado para a qualificatória do acesso) e nas duas primeiras partidas da fase de grupos de acesso, conseguiu a promoção!

Agora, está liderando a terceira divisão (com 13 partidas disputadas, mas ainda falta muito, pois são 46 jogos) e já estou sonhando com outro acesso.

Eu achei bem interessante começar no Campeonato de Portugal (quarta divisão de lá), porque são poucos jogos (22  na fase regular + 6 da disputa pelo acesso para quem ficar entre os primeiros + os jogos da Taça que o time fizer até ser eliminado). É um jogo por semana, às vezes com intervalo ainda maior, o que diminui muito a necessidade de rodar o time e os desfalques por lesões. 

O Estrela da Amadora recebe uma injeção de dinheiro já na primeira temporada, talvez para refletir a vida real (não pesquisei). Isso não faz tanta diferença na primeira temporada porque esse dinheiro só vai para orçamento de transferências e salários depois, mas para a segunda temporada está sendo de muita ajuda, pois fico com a impressão que o time tem mais caixa que quase todos os da divisão. Além disso, o Estrela tem o Brasil na abrangência de observação (não sei se outros times portugueses dessa divisão também), o que facilita para pegar jogadores melhores. Busquei alguns do Volta Redonda e outros pequenos por transferência livre, por exemplo. 

Eu fui tentar ajustar a tática 4-4-1-1 com esse time, mas eu não tenho nenhum jogador que o jogo chama de "médio-ala" (aquele meia aberto). Como você faria essa tática mais conservadora?

Pensei por alto em fazer um 5-1-3-1, com 1 meia defensivo, os 2 médios centros mais "abertos" com função mezzala e tarefa de apoio, e o médio centro centralizado com função de CJA e tarefa apoio e um atacante com função de ponta-de-lança com tarefa de ataque, pois foi a que consegui que o RMT desse potencial de 5 estrelas .

Sobre o cara do vídeo, eu já vi alguns e gostei. Talvez porque eu esteja iniciando, mas alguns videos ajudaram em várias coisas. O das bolas paradas, por exemplo, me ajudou a fazer as rotinas de bolas ofensivas e defensivas (parei de tomar tanto gol de escanteio). Eu concordo com o Felipe com a questão de não deixar "todo mundo atrás": eu já tomei muito gol em que a zaga cortava o escanteio, mas a bola sobrava com um adversário que trabalhava a jogada até conseguir fazer. Isso eu só aprendi depois. Teve um que ele fazia a tática a partir do time que eu achei interessante, ao invés de tentar forçar uma tática goela abaixo, como iniciantes podem querer fazer. Outros vídeos, como o de "táticas matadoras", eu não gostei, porque parece que vão funcionar sempre mas, quando você faz no seu time, pode não dar certo, por causa das características do jogadores. 

Eu imagino que seja bem difícil falar de FM para um público amplo, porque tem gente num nível muito iniciante, que tá começando a aprender o jogo, e gente que já joga há anos e há várias versões.

Agora que eu descobri esse fórum vou ficar por aqui, mas ter formado de vídeo às vezes é bom, para assistir enquanto joga e vendo na tela como faz as coisas. 

 

 

 

 

 

Link to comment
Share on other sites

17 horas atrás, fabioaraujo89 disse:

@Tsuru, em primeiro lugar, muito obrigado!

Esse guia ficou excelente, me ajudou a entender melhor vários conceitos do jogo que podem ser bem confusos para quem está iniciando, além de estar muito bem escrito.

Depois de ler, eu entendi porque muitas vezes meus jogadores tinham determinados comportamentos indesejados, por mais que eu colocasse instruções individuais para ele não fazer aquilo: eu não estava compreendendo a influência da mentalidade, das funções definidas e das "instruções ocultas" sobre eles. Vou passar a prestar bem mais atenção nisso.  

Naquele mesmo dia em que eu postei, eu iniciei o save com o 4-3-3 que eu tinha cogitado (4-1-4-1, para ser mais preciso), até porque, reavaliando o elenco, vi que os meus dois laterais eram na verdade muito bons para a divisão em que eu estava. Eu me baseei também em outro ótimo guia que tem aqui no fórum, que você traduziu, sobre design tático, porque ali o autor faz um 4-1-4-1 também, mas com a atribuição de funções diferentes. 

Eu usei o Rate My Tatic como ponto de partida, para identificar os problemas mais evidentes e achar um equilíbrio, então ela ficou assim: 

Formação: 4-1-4-1

posições, funções e tarefas:

goleiro > guarda-redes > defender

2 zagueiros > defesa central > defender

2 laterais> defesa lateral> atacar

1 meia defensivo > médio defensivo > defender

2 meias centrais > carrilero > apoio

2 pontas > extremos invertidos > atacar

1 centro-avante > avançado recuado > apoiar

O jogo ficou bem interessante, os carrileros deram uma boa dinâmica ao time, pois cumprem bem o papel de pegar a bola lá atrás com os defesas e ligar com os extremos e os laterais que avançam. O time ataca com bastante gente, e até que não ficou tão vulnerável quanto eu pensei a princípio (menos que no 4-2-3-1 que eu usava no outro save). No 4-2-3-1 do outro save eu sentia que os meias centrais não faziam uma ligação tão interessante.

Uma coisa que eu tive que mexer foi na linha defensiva. O RMT disse que uma linha mais baixa contrariava o estilo de jogo, e acho que eles tem razão, mas já na pré-temporada eu vi que tava tomando muitos gols com bolas longas atrás da minha zaga. Baixei a linha e isso parou. Entendo que isso dificulta muito a vida dos meus laterais, mas não vi outro jeito.

O time ficou em 2º no grupo no Campeonato de Portugal com segurança (ficou atrás apenas do time B do Sporting) e, apesar de ter dado uma derrapada na reta final (quando já estava classificado para a qualificatória do acesso) e nas duas primeiras partidas da fase de grupos de acesso, conseguiu a promoção!

Agora, está liderando a terceira divisão (com 13 partidas disputadas, mas ainda falta muito, pois são 46 jogos) e já estou sonhando com outro acesso.

Eu achei bem interessante começar no Campeonato de Portugal (quarta divisão de lá), porque são poucos jogos (22  na fase regular + 6 da disputa pelo acesso para quem ficar entre os primeiros + os jogos da Taça que o time fizer até ser eliminado). É um jogo por semana, às vezes com intervalo ainda maior, o que diminui muito a necessidade de rodar o time e os desfalques por lesões. 

O Estrela da Amadora recebe uma injeção de dinheiro já na primeira temporada, talvez para refletir a vida real (não pesquisei). Isso não faz tanta diferença na primeira temporada porque esse dinheiro só vai para orçamento de transferências e salários depois, mas para a segunda temporada está sendo de muita ajuda, pois fico com a impressão que o time tem mais caixa que quase todos os da divisão. Além disso, o Estrela tem o Brasil na abrangência de observação (não sei se outros times portugueses dessa divisão também), o que facilita para pegar jogadores melhores. Busquei alguns do Volta Redonda e outros pequenos por transferência livre, por exemplo. 

Que bom que eu pude ajudar de alguma forma. Acho que você compreendeu direitinho como as coisas funcionam, montou uma estratégia de jogo que faz sentido - soltou mais os laterais, botou pontas por dentro e um meio campo que compensa essas subidas - e os resultados vieram. Não apenas isso como descobriu um problema - que aliás eu também estou enfrentando, que são essas irritantes bolas nas costas da defesa - e conseguiu corrigir usando as instruções. É como eu disse, parece complicado no início mas quando a gente entende como funciona a coisa flui naturalmente.

17 horas atrás, fabioaraujo89 disse:

Eu fui tentar ajustar a tática 4-4-1-1 com esse time, mas eu não tenho nenhum jogador que o jogo chama de "médio-ala" (aquele meia aberto). Como você faria essa tática mais conservadora?

Bem, o Médio Ala é uma espécie de "Meia Central lateral" (funciona do mesmo jeito que o MC; mas no flanco), ou, se você preferir, um meio-termo entre um Extremo comum e um Defesa Lateral mais avançado. O que eu observo é que poucos jogadores são Médio Alas naturais, então eu costumo adaptar um jogador de outra função por ali. Se o jogador em questão for um Extremo e eu quiser um Médio Ala Apoiar, não mexo em nada. Se eu quiser um Médio Ala Atacar e for usar um Extremo, normalmente eu acrescento as mesmas instruções individuais de um Extremo Atacar.

se por acaso ele for um ponta invertido ou atacante interior, eu coloco como Médio Ala e acrescento pelo menos as instruções "Cortar para Dentro com a Bola" e "Afunilar Jogo". Geralmente mexo depois no treino individual desse jogador e peço para ele treinar como Médio Ala, com o tempo eles costumam se adaptar. Já usei essa função várias vezes e sempre funcionou bem.

O interessante é que geralmente os alas e os laterais (posição) se adaptam melhor a serem Médio Ala do que os pontas mais avançados, por conta de serem treinados desde cedo a terem mais responsabilidades defensivas. 

17 horas atrás, fabioaraujo89 disse:

Pensei por alto em fazer um 5-1-3-1, com 1 meia defensivo, os 2 médios centros mais "abertos" com função mezzala e tarefa de apoio, e o médio centro centralizado com função de CJA e tarefa apoio e um atacante com função de ponta-de-lança com tarefa de ataque, pois foi a que consegui que o RMT desse potencial de 5 estrelas .

Cuidado com táticas de três zagueiros. Não que você não possa usar, só cuidado mesmo. Elas geralmente só têm um homem no flanco - os alas - e eu sempre achei muito difícil encontrar o equilíbrio entre uma estratégia muito passiva, uma que dê liberdade suficiente aos alas e ao mesmo tempo que tenha um meio campo com estrutura forte o suficiente para cobrir o espaço na frente da sua zaga, apoiar os homens de flanco e se aproximar dos atacantes. Para mim, equipes com mais qualidade tendem a conseguir encaixar esse tipo de formação mais facilmente.

17 horas atrás, fabioaraujo89 disse:

Eu imagino que seja bem difícil falar de FM para um público amplo, porque tem gente num nível muito iniciante, que tá começando a aprender o jogo, e gente que já joga há anos e há várias versões.

Agora que eu descobri esse fórum vou ficar por aqui, mas ter formado de vídeo às vezes é bom, para assistir enquanto joga e vendo na tela como faz as coisas. 

É difícil de forma geral, eu diria, porque o jogo não é muito intuitivo - tipo, muitas vezes é questão de entender como você quer traduzir o que pensa dentro do jogo, por mais que você, sei lá, ache que Passe Mais Direto poderia combinar com Jogar a Partir da Defesa, na prática tende a não funcionar. E muitas vezes nos falta paciência pra observar, reassistir os jogos, tentar entender os problemas e corrigir, até porque muitos que não são iniciantes jogaram versões anteriores que eram bem mais simples, encaixava uma tática e a coisa ia. Fazer essa migração pra um sistema onde você precisa pensar um pouco mais, testar, se adaptar e testar de novo nem sempre é fácil. Pra mim também não foi, mas posso dizer que vale muito a pena 🙂 

Link to comment
Share on other sites

Em 14/05/2021 em 12:42, felipevalle disse:

Ruim em quê exatamente?

Do que vi só achei brisa uma 4-2-4 que ele recomendou e o pessoal do Fb usa 😵

E na bola parada também não sigo deixar todo mundo atrás na marcação.

Sobre começar em time grande, não muda muita coisa. Na verdade ele tem que se acostumar em identificar e entender o porquê de certas jogadas acontecerem, e como evitar ou mantê-las.

Esse vídeo em especifico não cheguei a ver, mas nos outros que assisti ele caga regra demais, como se estivesse passando uma receita de bolo, passo a passo, e quem joga FM sabe que não é assim.

Sobre os times grandes, foi exatamente isso que quis dizer. Com um Real Madrid da vida, você pode se dar ao luxo de dar praticamente qualquer função para os jogadores que eles vão desempenhar no mínimo bem. Sem falar que nunca vai enfrentar uma equipe melhor que a sua, no máximo de mesmo nível. Não tem preocupações com finanças, estrutura, staff... enfim, isso dá liberdade para experimentar, observar e aprender.

Link to comment
Share on other sites

@Tsuru (e demais colegas que se solidarizarem) meu caro, venho mais uma vez em busca de auxílio!

O time está (ou estava) conseguindo progredir com aquela tática que falei. Estamos na Segunda Liga. 

Mas o desempenho tá caindo. Eu percebi que com essa tática o time lateraliza muito as jogadas, quase não entra pelo meio, e que isso decorre das funções que eu dei.

O time depende demais de bola parada (tem jogo que meus únicos highlights são escanteios cabeceados para fora), cruzamentos (no alargado também entram muitas tentativas erradas de cruzamentos) e chutes de fora da área (botei até a instrução rematar mais nos carrileiros, que recebem essas bolas na meia lua, para tentar aproveitar).

Mas eu não sei o que fazer. Já tentei ajustar funções, transformando um dos médios em mezzala ou CJA, tanto no atacar quanto no apoiar e, embora tenha jogadores com atributos razoáveis para fazer isso, não senti diferença. 

alguma sugestão de mudança em funções, tarefas ou até instruções? Estou perdido. 

O time é bom para a divisão, pode até brigar pelo acesso (tem muito time B dos grandes, de modo que daria pra subir até em 5º ou 6º), mas no momento está bem estagnado no meio da tabela. 
 

e como vc monta essa tática de contragolpe?

os confrontos contra os times B dos grandes tem sido pontos perdidos certos: eu não consigo agredir e fico exposto. A minha tática defensiva me faz assistir o adversário jogar sem agredir e isso nem sempre garante um pontinho no sufoco. 
 

e tem algum guia que vc recomende sobre o que fazer durante o jogo? Eu me sinto muito limitado só fazendo as 3 substituições e gritando pedir mais. 
 

o máximo que consigo fazer é lançar um 4-2-4 do desespero nos minutos finais para tentar empatar uma partida que esteja perdendo ou quando quero forçar uma vitória contra um adversário que ameaça pouco, mas fora isso fico assistindo meu time apanhar ou terminar o jogo sem esboçar reação. 
 

pode me ajudar? 

Link to comment
Share on other sites

15 horas atrás, fabioaraujo89 disse:

@Tsuru (e demais colegas que se solidarizarem) meu caro, venho mais uma vez em busca de auxílio!

O time está (ou estava) conseguindo progredir com aquela tática que falei. Estamos na Segunda Liga. 

Oi Fabio. Manda um print da tática quando puder - formação, funções/tarefas e instruções.

15 horas atrás, fabioaraujo89 disse:

Mas o desempenho tá caindo. Eu percebi que com essa tática o time lateraliza muito as jogadas, quase não entra pelo meio, e que isso decorre das funções que eu dei.

Sim. Usando dois laterais mais agressivos e dois meias mais contidos, os flancos vão ser basicamente a sua única rota para o gol. Daí tantos gols de cruzamento, é basicamente assim que sua equipe ataca.

15 horas atrás, fabioaraujo89 disse:

alguma sugestão de mudança em funções, tarefas ou até instruções? Estou perdido. 

O time é bom para a divisão, pode até brigar pelo acesso (tem muito time B dos grandes, de modo que daria pra subir até em 5º ou 6º), mas no momento está bem estagnado no meio da tabela. 

O print vai ajudar a gente a entender melhor como melhorar. Mas me parece que você precisa de mais rotas para o gol, como comentei acima. Enquanto um dos flancos de repente pode continuar como está, o outro talvez precise de um lateral mais contido, um meia mais agressivo e um ponta que combine com os dois e complemente isso. Pode ainda ter a ver com a movimentação do atacante, que vai precisar ajudar a abrir esses espaços.

15 horas atrás, fabioaraujo89 disse:

e como vc monta essa tática de contragolpe?

Calma. Você está no meio da temporada e numa posição onde o rebaixamento não é uma ameaça, portanto acho que pode começar a pensar em como corrigir os problemas sem se afobar. Qualquer mudança muito brusca de estratégia pode piorar as coisas. Nessa altura do campeonato, é melhor e menos arriscado a gente tentar corrigir a atual do que começar uma nova do zero.

15 horas atrás, fabioaraujo89 disse:

os confrontos contra os times B dos grandes tem sido pontos perdidos certos: eu não consigo agredir e fico exposto. A minha tática defensiva me faz assistir o adversário jogar sem agredir e isso nem sempre garante um pontinho no sufoco. 

e tem algum guia que vc recomende sobre o que fazer durante o jogo? Eu me sinto muito limitado só fazendo as 3 substituições e gritando pedir mais. 

o máximo que consigo fazer é lançar um 4-2-4 do desespero nos minutos finais para tentar empatar uma partida que esteja perdendo ou quando quero forçar uma vitória contra um adversário que ameaça pouco, mas fora isso fico assistindo meu time apanhar ou terminar o jogo sem esboçar reação. 

pode me ajudar? 

Duas coisas aqui: os times B dos grandes são mesmo mais fortes, então eu nem esperaria muita coisa dos confrontos com eles. 

Outra: se seu time está muito "passivo", você precisa de alguma forma ajustar ele para buscar esse equilíbrio. Tenta pensar o que é essa passividade - está muito "preso" no próprio campo? Talvez subir um pouco as linhas (defensiva/engajamento), ou pedir uma pressão mais agressiva, possa ajudar. Talvez colocar mais tarefas Atacar - de uma maneira lógica, claro - também ajude. Não existe um guia sobre isso - ao menos eu não conheço - porque isso pode e varia muito de jogo para jogo.

E digo mais, está variando cada vez mais, porque o FM está exigindo menos acomodação da parte dos jogadores. É como comentei antes, aquele lance de encaixar uma tática e tudo fluir é um pouco mais raro hoje em dia, a menos que você use táticas "exploradoras" que são feitas de propósito para "quebrar" o motor do jogo.

De qualquer forma manda o print que podemos dar algumas sugestões de como melhorar.

Link to comment
Share on other sites

Oi @Tsuru, boa noite, meu caro. 

Eu não estou sabendo subir imagem aqui. Para mim só aparece a opção de subir imagem a partir de uma URL, mas como as fotos estão no celular (o save é no Xbox, então tirei fotos), não consigo trazê-las para cá. 

Vou tentar "desenhar" a tática aqui. A formação, as funções e as tarefas estão abaixo:

 

Estilo: tiki taka em profundidade - 4-3-3 MD com Extremos Positivo

 

                                                                                                                                                AvR - at

 

                       EI - at                                                                                                                                                                                                                           EI - at   

 

 

 

                                                                             Car - ap                                                                                                                    Car - ap  

 

                                                                                                                                              MD - df

 

                   DL - at                                           DC - df                                                                                                                DC -  df                                           DL - at

 

                                                                                                                                            GR - def

 

 

Mentalidade: positiva

Instruções

 - com posse: 

largura atacante: muito estreito (veio como default com o estilo, preferi não mexer, mas posso mudar)

passar para o espaço

sobreposições exteriores pela D e E

jogar a partir da defesa

passes mais curtos

ritmo mais elevado

perder tempo: nunca

levar bola até a área 

- em transição

diminuir ritmo de jogo

reagrupar

contra-atacar

distribuir para defesas centrais e laterais

estender

- sem posse:

linha de pressão: normal

linha defensiva: mais recuada (usei para evitar bolas longas nas costas da zaga, mas posso mudar também)

largura defensiva: normal

intensidade de pressão: mais urgente

 

Os únicos jogadores com instruções de jogador postas por mim são os carrileros, com "rematar mais", pois eles ocasionalmente recebem a bola na entrada da área adversária e imaginei que faria sentido pedir para eles chutarem um pouco mais. 

Eu mencionei a tática de contragolpe porque está batendo o desespero rs. É que, apesar de os times B não disputarem o acesso, eu preciso tentar pontuar um pouco mais contra eles, pois do contrário fica complicado. E alguns dos outros estão times conseguindo contra eles: com 15 de 34 jogos, os B de Benfica e Sporting estão 1º e 2º, mas o B do Braga está "só" em 5º e o B do Porto, surpreendentemente, está em 8º. Eu sou o 9º, e o time que está indo para o play-off de promoção/rebaixamento está em 6º com 6 pontos de vantagem.  Em 4 jogos contra eles, só conquistem 1 pontinho. Mas posso ajustar a tática atual. Se conseguir, é até o que eu prefiro, na verdade, pois gosto mais quando o time tenta controlar a partida.

Quando eu falo "passivo" normalmente me refiro a preso no meu próprio campo, ou até saindo para o jogo, mas sem ameaçar efetivamente o adversário. Tem jogos que mesmo no alargado só aparece meu time tomando pressão, quando aparecem chegadas minhas ou são escanteios ou cruzamentos errados em cima dos marcadores. Eu até fico com por volta de 52/55% de posse, mas sem criar muito perigo.

Em alguns jogos eu subo as linhas, se percebo que o adversário não está usando bola longa. Ainda fico com receio de botar pressão muito mais urgente e me desorganizar, mas, novamente, é algo que posso fazer também. 

Estou inteiramente aberto a sugestões. E desde já um muito obrigado pela atenção.

 

Link to comment
Share on other sites

Então @fabioaraujo89...vamos lá.

Os templates são pontos de partida - importantes para quem está começando - mas estão cheios de "cascas de banana", principalmente em relação a excesso de instruções que fazem a mesma coisa. Por exemplo: Jogar a Partir da Defesa + Passes Mais Curtos + Levar a Bola Até a Área são instruções que de alguma forma encorajam sua equipe a controlar a posse da bola, mas juntas acabam criando um efeito "posse pela posse" - o time fica lento, toca pro lado e não tem objetividade.

Enquanto o uso de "Ritmo Mais Alto" e "Passar para o Espaço" poderiam em tese corrigir isso, para mim gera um outro efeito: confunde seus jogadores. Sabe por quê? As três primeiras instruções orientam um jogo de toque curto e controle de bola, com menos velocidade envolvida, mas Ritmo Mais Alto pede toques mais rápidos na bola e Passar para o Espaço pede aos jogadores para tocarem menos no pé e mais no "vazio", "ponto futuro". É como se você pedisse a eles, ao mesmo tempo, para tocarem a bola mais curto e devagar, no pé, e também para fazerem mais passes para os espaços abertos e ponto futuro, e ao mesmo tempo para trabalharem a bola mais rápido e em velocidade. Eu ficaria confuso se me pedissem tanta coisa...

Mesma coisa as instruções Em Transição. Você gosta de um jogo veloz e intenso, mas pede ao time para diminuir o ritmo...acaba soando contraditório, entende? E muito, muito cuidado com Reagrupar. Eu acho uma instrução muito importante pelo que ela em teoria faz, mas o que eu vejo na prática é uma equipe totalmente fechada no próprio campo só vendo o adversário atacar. Acho eu que o motor de jogo tem algum problema com essa instrução, é como se ela não estivesse muito "calibrada" e deixasse seu time muito passivo (eu suspeito que boa parte da passividade venha daí, acredite se quiser).

As instruções Sem Posse não estão muito ruins (não achei), mas dá pra melhorar. A culpa não é sua, como não é de nenhum jogador - o FM não explica direito como as instruções funcionam e ainda coloca um monte de templates como se fossem táticas prontas, sem nem ao menos explicar que precisam de ajustes.

Agora vamos para a parte dois. Eu vou sugerir algumas ideias aqui para você montar seu próprio Tiki Taka Vertical - alguns pontos de partida, de forma que você possa ir observando em campo, ajustando e mexendo. Não conheço bem seus jogadores e talvez o que eu diga aqui não funcione de primeira, mas acho que pode te dar um "Norte".

Tiki Taka Vertical é, basicamente, uma versão mais rápida e intensa do Tiki Taka original espanhol. Ambos buscam atacar e controlar a bola o tempo todo, mas enquanto o original é paciente e muitas vezes lento, o Vertical quer toques rápidos na bola e muita velocidade.

Ora, se quero toques curtos e rápidos, três instruções "gritam" aqui: Passes Mais Curtos, Ritmo Mais Alto e Jogar Mais Estreito ou Muito Mais Estreito. Eu preciso que meus atletas estejam próximos uns dos outros (ou muito próximos), para que esse toque curto e rápido flua da maneira correta. Caso contrário perde-se o principal elemento, que é o controle da bola, por conta de erros de passe. Ao mesmo tempo, apenas a união do toque curto com o ritmo não configura uma contradição.

E se eu preciso ter a bola, eu preciso recuperá-la o mais rápido possível quando perdê-la. E preciso ainda que meus jogadores, ao observar qualquer espaço, imediatamente tentem aproveitar para atacar e criar chances de gol - afinal é um jogo de velocidade e intensidade e eu preciso aproveitar as brechas que surgirem. No FM isso poderia se traduzir em duas instruções: Pressionar Mais e Contra-Atacar. 

Aqui surge a primeira questão: eu não sei se, quando você colocar Ritmo Mais Alto com Contra Atacar, seus jogadores vão simplesmente rifar a bola para a frente em vez de controlar a posse como deveria ser. Se isso acontecer, tira o Contra-Atacar e deixa o Ritmo Mais Alto, porque o ritmo é a base do que você está tentando criar e o Contra Atacar é um complemento.

E a segunda questão: quando eu boto Pressionar Mais, eu estou pedindo ao time inteiro, os 10 jogadores, que deixem a posição natural para apertar quem está com a bola. Mas se um zagueiro fizer isso é uma boa ideia? E um lateral? 

Estamos indo bem até aqui. Se eu quero agredir o adversário e recuperar a bola logo, eu preciso que ele tenha o mínimo de espaço disponível para jogar. Isso geralmente se traduz no FM com a instrução Linha Defensiva Mais Alta. Mas eu diria que isso depende - porque se a mentalidade escolhida for Positiva, a Linha Defensiva já é mais alta que na Equilibrada ou Cautelosa. Então nem sempre você vai precisar mexer. 

Acho que em termos de instruções a base já ficou clara. Agora é que o bicho pega: a distribuição de funções e tarefas. Para mim é o mais importante numa tática, o mais difícil, e ao mesmo tempo, existem n maneiras diferentes de fazer. Há uma escola por exemplo que diz que o TT Vertical precisa de muitas tarefas apoiar, porque elas encorajam um maior controle da bola e uma abordagem um pouco mais paciente, com menos risco de perder a posse (que é a base do que estamos tentando criar), considerando que o Ritmo por exemplo já é mais Alto. E outra escola que diz que isso não tem nada a ver, porque existindo um equilíbrio de tarefas apoiar, atacar e defender, seu time vai ficar naturalmente equilibrado e vai executar melhor as instruções.

Particularmente eu vou mais na primeira abordagem, portanto o que eu vou te sugerir aqui é baseado nela. Mas não é a única forma e outras podem funcionar da mesma maneira. Propositalmente eu tentei modificar a partir do que você construiu - dois laterais que ajudam mais o ataque, dois meias centrais com tarefa apoiar, dois pontas por dentro e um atacante que participa bastante do jogo. 

4141fabio.png.3874e4c4bcef70c19f16ebe887f69aed.png

Dois Ala Apoiar, um MD Def, um MC AP, um Area a Area AP, do lado direito um Extremo Invertido em Apoiar, do lado esquerdo um Atacante Interior Atacar, no centro um Atacante Recuado Apoiar.

Instruções de equipe:

  • Mentalidade: Positiva
  • Em Posse: Passes Mais Curtos, Ritmo Mais Alto, Jogar Muito Mais Estreito (pode aumentar pra Mais Estreito se achar que está muito "apertado");
  • Em Transição: Distribuir Rapidamente, Contra-Atacar (mas são opcionais, pode tirar o Contra Atacar e testar outras opções de distribuição)
  • Sem a Posse: nada (ao menos por enquanto).

O Distribuir Rapidamente é porque assim, toda vez que você escolhe um jogador para distribuir (ou usa Jogar a Partir da Defesa), ele tende a recuar para mais perto do goleiro para receber a bola, e num movimento meio bizarro, fica mais longe dos outros colegas. Aí vem o adversário, aperta a tua saída de bola e ou obriga o jogador a dar uma bicuda para a frente ou ele perde a bola de forma bisonha. Pode usar? Claro, eu particularmente não acho necessário e prefiro só Distribuir Rápido, mas vai vendo.

Instruções individuais de jogador:

  • Atacante Recuado, Atacante Interior, Extremo Invertido e Area a Area Apoiar: Pressionar Mais.

Isso se chama "bloco dividido" - os quatro da frente pressionam mais e os demais pressionam no padrão da mentalidade. É mais seguro tentar apertar a saída de bola assim do que pedir a todo o time para pressionar mais.

Tem algumas nuances aí? Tem. Em vez de usar o Atacante Interior Atacar, você pode botar ele em Apoiar e experimentar o Atacante Recuado em Atacar - eu não gosto muito dessa combinação, mas tem quem goste e ache que funciona melhor.

Ou em vez de um Area a Area, que é mais contido e equilibrado, você pode tentar um Mezzala Apoiar. Pode ainda experimentar um Armador Avançado Apoiar em vez do MC Apoiar, vai ficar um pouco mais cadenciado e vai ter um cara ali para "pensar" mais o jogo, em vez de dar um pouco mais de velocidade e movimentação.

Se seu time por exemplo estiver dando muito tempo/espaço de jogo ao adversário, pode experimentar colocar Linha Defensiva Mais Alta e/ou Contra-Pressão (eu não testaria as duas juntas ao mesmo tempo).

Você também pode experimentar essas mesmas ideias com a mentalidade Equilibrado e ver se funciona melhor - eu particularmente acho que não, entendo que não combina muito com o que você está tentando criar, mas é aquilo, futebol se decide no campo e não na teoria 🙂 

Por fim, eu acho esse estilo e essa formação um pouco exigentes para um time como o que você tem. Mas é questão de ir testando e vendo se é mesmo, pode ser apenas uma impressão minha. E de qualquer forma pode ser aos poucos adaptado para se encaixar com o que a sua equipe é capaz de fazer.

Espero ter ajudado e traga notícias de como as coisas estão indo - o que deu certo, o que não, o que você modificou, os resultados disso...

Link to comment
Share on other sites

@fabioaraujo89 tente hospedar a imagem desejada pelo imgbb.com

Após o envio da imagem, há nas opções de código para incorporar o código em html. Copie e cole na sua postagem aqui. E depois vá na lupa para ver se ela aparece na postagem.

@Tsuru eu observei o elenco inicial do time dele, e vi que os atacantes são mais fixos e com baixos níveis nos atributos para jogarem apoiando. Ao menos na teoria. Mas pode ser que na prática funcione a sua tática.

Testarei em alguns jogos com o mesmo time dele e depois mostro aqui 👌🏽

Link to comment
Share on other sites

13 minutos atrás, felipevalle disse:

@fabioaraujo89 tente hospedar a imagem desejada pelo imgbb.com

Após o envio da imagem, há nas opções de código para incorporar o código em html. Copie e cole na sua postagem aqui. E depois vá na lupa para ver se ela aparece na postagem.

@Tsuru eu observei o elenco inicial do time dele, e vi que os atacantes são mais fixos e com baixos níveis nos atributos para jogarem apoiando. Ao menos na teoria. Mas pode ser que na prática funcione a sua tática.

Testarei em alguns jogos com o mesmo time dele e depois mostro aqui 👌🏽

Sim, como eu comentei, é um desenho inicial. Teria que testar e ver se o elenco se adequa - como tem também os adversários, precisa ver se os ajustes durante os jogos resolvem eventuais problemas. E ainda teria que aguardar um pouco a familiarização, porque no fim não é A+B = C, leva um tempo até as coisas encaixarem.

O bonito - e complicado - da parte tática é que ela é absolutamente variável, tem tanta coisa envolvida que nem a teoria mais bonita e mais funcional aparece 100% na prática. Por isso acho importante entender os conceitos para facilitar eventuais mexidas. 🙂 

Link to comment
Share on other sites

14 horas atrás, felipevalle disse:

Testei @Tsuru

Ela é uma tática equilibrada.

 

Legal esse feedback Felipe. Meu time é mais fraco, portanto não cheguei a testar, mas é bom saber que como ponto de partida funciona bem. 🙂 

Link to comment
Share on other sites

  • 4 weeks later...
Posted (edited)

Pessoal,

em primeiro lugar, muito obrigado pela disponibilidade e atenção! Eu fiquei sem responder um tempo porque o jogo me deu uma raiva tamanha que eu tive que dar um tempo dele. Agora estou querendo voltar.

Desculpe o textão a seguir, é que esse jogo perturba o psicológico do ser humano.  
 

As minhas duas táticas principais nessa temporada foram essas: 

https://ibb.co/YB728SQ

https://ibb.co/fMgxkqS


Na tela da versão Xbox não dá para ver as instruções, mas ela são quase as mesmas nas duas:

Com posse > muito mais estreito, passar para o espaço, passes mais curtos, jogar a partir da defesa, levar bola até a área 

(no 4-1-4-1 tem sobreposição D e E)

transição: mudei para contra-pressão, contra-atacar, distribuir rapidamente, distribuir para defesas centrais e laterais

sem posse: nada 


Eu não consegui o acesso. Acabou que fiquei em 8º lugar e o último que subiu foi o 5º (no final nem subiu, porque caiu no playoff de promoção/rebaixamento). 
 

O time começou super bem, mas depois “do nada” a tática parou de funcionar e entrei numa draga terrível. Digo “do nada” porque eu não entendi como aconteceu. Foi aí que saiu da briga pela subida e caiu pela tabela, ainda que não tenha corrido risco sério de cair.


Tentei várias coisas, nada dava jeito, embora estivesse tomando cuidado com condições físicas e satisfação dos jogadores. No fim, o que deu “certo” foi botar o 4-2-3-1, e houve uma recuperação no fim, mas pode ser só um caso de regressão à média. 

Eu tentei as mudanças. Eu gostei muito da função avançado interior ao invés do extremo invertido porque acho que deu mais infiltração. 
 
Fiquei com sentimentos mistos em relação às do meio campo: achei que o construtor de jogo recuado mais participativo, volta e meia ele tentava um passe mais arriscado para os pontas e isso criou algumas chances, mas isso também contra-ataques e os laterais também participaram menos. O MAA eu vi percebi pouca diferença, mas eu já estava tão puto com o jogo que estava vendo o jogo em “lances decisivos”, então pode ser que seja eu que deixei de perceber. 

Olhando as estatísticas da temporada, eu percebi: 

> o ataque foi relativamente bem: o time tinha um bom número de remates/jogo, junto com os líderes. Mas a taxa de conversão foi mediana.
 

Tem alguma coisa que eu possa fazer taticamente para tentar melhorar isso ou é problema dos jogadores? 

 
pior que eles não são maus finalizadores: o meu ponta direita foi o 4º goleador da liga e o esquerdo tava em 13º. 

> a defesa foi quase o oposto: eu dava muitas chances, embora a taxa de gols sofridos fosse mediana. Mas como eram muitas chances, eu tomava muitos gols. 
 

isso é compatível com o que eu passei em vários jogos: fora os confrontos contra os times B dos grandes, eu costumava ter mais posse, chutar mais, ter um XG mais alto que os adversários…e empatar ou perder. Que ódio. Isso acontecer em um jogo ou outro é da vida, faz parte do futebol, mas virou rotina, principalmente nessa fase terrível. É como se eu fosse um time do Fernando Diniz (com todo o respeito a ele, mas ele já treinou meu time e não é fácil rsrs).

Sobre os gols sofridos: eu tomava gol de formas variadas, mas duas se destacavam: > o time adversário roda a bola na entrada da minha área (e ninguém consegue tomar, mesmo com instruções de pressionar ou desarme agressivo), até conseguir pegar um flanco no 1x1, e aí ou cruza ou consegue achar alguém infiltrando. Eu coloco os pontas para marcar os laterais adversários (já fica setado), mas sempre um ponta ou lateral escapa e cruza. Já tentei usar o defesa lateral em apoiar ao invés de atacar, mas não vi muita diferença e ainda perco poder ofensivo.

> o time adversário vem tocando de trás, o meu time pressiona e acaba abrindo espaço para alguém entrar pelo meio da zaga. E se eu jogo sem pressionar e mais fechado, acontece a situação 1.

no relatório de equipe, diz que metade das assistências permitidas vieram de passes de morte e que aproximadamente 1/3 tiveram origem em posições na entrada da área. É isso bate bem com o que eu vejo acontecendo. 


o que dá pra fazer? Como tomar menos gols? Acho que se eu arrumar a defesa o time melhora muito, porque no ataque eu produzo (mesmo desperdiçando chances).

 

Por fim, eu tenho umas dúvidas que acho que são bem bobas para os iniciados, mas eu não estou conseguindo responder sozinho:

> o que significam, de fato, aquelas estrelas e às recomendações do olheiro de “jogador bom para a liga”? 
 
Eu tenho uns reservas insatisfeitos. Um deles, em particular, tem só mais 1 ano de contrato, não queria renovar. No começo da temporada ele estava com 3 estrelas e potencial para mais uma. Aí caiu para 2 e meia. Nas férias eu comecei a ver potenciais substitutos, encontrei um ou dois, aí botei o meu jogador na lista de transferências e ofereci…vieram umas propostas bem interessantes. Aí logo depois aparece “fulaninho feliz em ficar no clube”. Passou a dar para renovar até combinando um tempo de jogo como jogador de grupo, de modo que acho que ele não vai mais ficar insatisfeito no futuro. Aí fui comparar com os potenciais substitutos: o meu jogador tem atributos melhores, inclusive os chave para a função, e até mais jovem (23 x25 do substituto). Mas no relatório do olheiro, com as “estrelinhas” ele aparece atrás do potencial substituto. O que isso quer dizer? E por que alguns jogadores que nitidamente evoluíram em atributos passam a ter menos estrelas no decorrer de uma temporada ou de uma temporada para outra, mesmo sendo jovens? Eu devo prestar atenção nisso? Não achei nada nas informações  prós e contras que justificasse isso. 

Essa operação de venda e aquisição até poderia me render lucro, mas eu não quero trocar se meu jogador atual for melhor e eu estiver 

em relação as funções e tarefas, uma coisa ainda me confunde: qual a diferença entre um defesa lateral atacar e um ala apoiar, p.ex? 
 

Eu nunca uso alas porque quando monto a tática no Rate My Tatic isso abaixa a minha solidez, mas vendo os templates e as táticas da IA, ele volta e meia usam alas. 
 

E uma última (prometo): já deu pra perceber, mas eu tenho mania (é a única explicação rs) de fazer táticas “simétricas”, com as mesmas funções e tarefas dos dois lados.  Eu fico com medo de deixar um lado deliberadamente mais fraco defensivamente que o outro, p.ex, e aí se começar a tomar gol por ali e ficar tentado a mexer. 
 

Da pra fazer funcionar uma tática simétrica?

 

Se não der para fazer, como fazer para jogar com dois pontas? Eu vejo muito a IA usando extremo + defesa lateral de um lado e avançado interior ou extremo invertido + ala do outro? Funciona melhor?

Edited by fabioaraujo89
Link to comment
Share on other sites

Em 25/06/2021 em 19:59, fabioaraujo89 disse:

Na tela da versão Xbox não dá para ver as instruções, mas ela são quase as mesmas nas duas:

Com posse > muito mais estreito, passar para o espaço, passes mais curtos, jogar a partir da defesa, levar bola até a área 

(no 4-1-4-1 tem sobreposição D e E)

transição: mudei para contra-pressão, contra-atacar, distribuir rapidamente, distribuir para defesas centrais e laterais

sem posse: nada 

Oi Fabio.

As instruções que eu sugeri foram as seguintes:

Em 27/05/2021 em 11:36, Tsuru disse:

Instruções de equipe:

  • Mentalidade: Positiva
  • Em Posse: Passes Mais Curtos, Ritmo Mais Alto, Jogar Muito Mais Estreito (pode aumentar pra Mais Estreito se achar que está muito "apertado");
  • Em Transição: Distribuir Rapidamente, Contra-Atacar (mas são opcionais, pode tirar o Contra Atacar e testar outras opções de distribuição)
  • Sem a Posse: nada (ao menos por enquanto).

Você acrescentou Jogar a Partir da Defesa e Levar a Bola Até a Área, que pedem menor velocidade e mais cadência de jogo, num esquema onde o objetivo era tocar a bola com velocidade. Fica contraditório - e mais difícil de funcionar.

Aí botou Contra-Pressão, que eu também não sugeri e que é bem arriscada se seu time não é de topo, aumenta a intensidade e abre mais espaços na defesa, exatamente um dos problemas que você mencionou, porque pede aos seus jogadores para pressionarem imediatamente quando perdem a bola. Somado a uma mentalidade Positiva, o risco fica enorme.

Mas sobretudo, os desenhos que você utilizou - as funções e tarefas nas formações - precisam de mais equilíbrio. No 4-2-3-1 você não tem nenhum meia defensivo protegendo a defesa e seus dois laterais sobem pouco, diminuindo a profundidade de um time que joga com os dois pontas por dentro e ainda os dois com tarefa Atacar. No 4-1-4-1 os dois laterais e os dois pontas com tarefa atacar estão muito agressivos e prejudicam o equilíbrio ofensivo e defensivo do time.

Assim, existem diversas maneiras de se jogar o FM. Tem gente que joga com mentalidade Equilibrado e não usa nenhuma instrução de equipe, tem gente que cria um sistema todo complexo cheio de funções complicadas, tem quem use os templates, tem gente que prefere jogar de uma maneira bem específica - que me parece ser o seu caso. Mas se você joga de uma maneira específica, você não pode ficar mexendo na tática toda hora, porque aí cada instrução, cada função/tarefa é pensada previamente para produzir determinado efeito, e qualquer alteração que você faça e que não seja em prol disso pode gerar uma derrubada típica de castelo de cartas. Uma simples alteração malfeita desmonta o castelo inteiro, porque ele foi todo encaixado pra ser de uma forma determinada e sem esse encaixe ele tende a não funcionar. 

Em 25/06/2021 em 19:59, fabioaraujo89 disse:

O time começou super bem, mas depois “do nada” a tática parou de funcionar e entrei numa draga terrível. Digo “do nada” porque eu não entendi como aconteceu. Foi aí que saiu da briga pela subida e caiu pela tabela, ainda que não tenha corrido risco sério de cair.

Recentemente meu time estava fazendo campanha de postulante ao título e começou a empatar. Foi do nada? Não, quase todas as vitórias que eu consegui foram com gols de bola parada, e algumas delas inclusive de virada. Isso significa que, quando a bola parada não funcionou, minha equipe começou a sofrer os mesmos gols que antes, mas o ataque não está conseguindo marcar de forma eficiente para compensar isso. Sinal que eu preciso rever os dois pontos - a defesa que não anda boa e o ataque que não marca gols.

Com o tempo aprendi que a tática não para de funcionar do nada - provavelmente o que aconteceu é que ou ela tinha uma falha muito grave que começou a ser explorada, ou ela já não vinha bem mesmo nas vitórias e em dado momento a coisa começou a falhar naturalmente. A culpa não é sua, nem minha, nem de ninguém, é que no fim a gente acaba supervalorizando o resultado e não corrige os eventuais problemas que aparecem.

Em 25/06/2021 em 19:59, fabioaraujo89 disse:

> o ataque foi relativamente bem: o time tinha um bom número de remates/jogo, junto com os líderes. Mas a taxa de conversão foi mediana.
 

Tem alguma coisa que eu possa fazer taticamente para tentar melhorar isso ou é problema dos jogadores? 

Se as chances estão sendo criadas e o número de remates é bom, eu chutaria que a qualidade dos jogadores pesou um pouco. Mas é chute mesmo, porque às vezes falta, sei lá, espaço para eles criarem chances melhores ou estão chutando de qualquer jeito diante de uma defesa fechada. Eu não sei, teria que analisar de forma mais aprofundada ou rever as partidas.

Em 25/06/2021 em 19:59, fabioaraujo89 disse:

o que dá pra fazer? Como tomar menos gols? Acho que se eu arrumar a defesa o time melhora muito, porque no ataque eu produzo (mesmo desperdiçando chances).

Falei um pouco disso ali em cima. Com instruções menos contraditórias e um desenho mais equilibrado seu time ficará defensivamente mais forte (ou pelo menos deveria).

Em 25/06/2021 em 19:59, fabioaraujo89 disse:

> o que significam, de fato, aquelas estrelas e às recomendações do olheiro de “jogador bom para a liga”? 
 
Eu tenho uns reservas insatisfeitos. Um deles, em particular, tem só mais 1 ano de contrato, não queria renovar. No começo da temporada ele estava com 3 estrelas e potencial para mais uma. Aí caiu para 2 e meia. Nas férias eu comecei a ver potenciais substitutos, encontrei um ou dois, aí botei o meu jogador na lista de transferências e ofereci…vieram umas propostas bem interessantes. Aí logo depois aparece “fulaninho feliz em ficar no clube”. Passou a dar para renovar até combinando um tempo de jogo como jogador de grupo, de modo que acho que ele não vai mais ficar insatisfeito no futuro. Aí fui comparar com os potenciais substitutos: o meu jogador tem atributos melhores, inclusive os chave para a função, e até mais jovem (23 x25 do substituto). Mas no relatório do olheiro, com as “estrelinhas” ele aparece atrás do potencial substituto. O que isso quer dizer? E por que alguns jogadores que nitidamente evoluíram em atributos passam a ter menos estrelas no decorrer de uma temporada ou de uma temporada para outra, mesmo sendo jovens? Eu devo prestar atenção nisso? Não achei nada nas informações  prós e contras que justificasse isso. 

As estrelas e avaliações dos olheiros são sugestões, apenas isso, servem de orientação e apoio para as decisões que você vai tomar.

Essas avaliações não são absolutas, mas relativas à divisão em que seu time está. Então um cara que seja 5 estrelas numa quinta divisão seria, sei lá, três ou duas estrelas na terceira divisão (ou uma, de repente). O FM se comunica muito mal com a gente e tem uma tendência a não explicar as coisas - você já viu em algum lugar do jogo algum comentário dizendo que as estrelas e avaliações são relativas? Eu não tenho certeza se deixando o cursor em cima aparece, mas sinceramente, da forma como é feito confunde mais do que ajuda. 

Em 25/06/2021 em 19:59, fabioaraujo89 disse:

em relação as funções e tarefas, uma coisa ainda me confunde: qual a diferença entre um defesa lateral atacar e um ala apoiar, p.ex? 

Pensa assim: o Defesa Lateral pensa primeiro em defender e depois em agredir. O Ala pensa primeiro em agredir e depois em defender (ou nem defende). 

O DL tem três tarefas: Defender, Apoiar e Atacar. Elas meio que "regulam" o quanto ele vai agredir - quase nada, mais ou menos ou bastante, respectivamente.

O Ala também tem três tarefas: Defender, Apoiar e Atacar. Elas meio que "regulam" o quanto ele vai se preocupar com a defesa - bastante, mais ou menos ou quase nada, respectivamente.

Percebeu a diferença?

Não existem regras no FM, mas eu geralmente penso da seguinte forma: quando não tenho volante, eu tenho uma tendência a usar mais o DL que precisa de menos cobertura. Quando tenho volante e portanto, mais cobertura, eu posso optar por um Ala.

Em 25/06/2021 em 19:59, fabioaraujo89 disse:

Eu nunca uso alas porque quando monto a tática no Rate My Tatic isso abaixa a minha solidez, mas vendo os templates e as táticas da IA, ele volta e meia usam alas. 

O RMT é uma ferramenta legal, mas como ponto de partida e não para determinar o que se faz ou não. Já montei táticas com 5 estrelas que não funcionavam legal e outras que ele não avaliava bem mas que rendiam na prática. Cada jogador se comporta de forma única e se eu achar que preciso de um Ala, independente do que diga o RMT; eu vou usar um Ala 🙂 

Em 25/06/2021 em 19:59, fabioaraujo89 disse:

Da pra fazer funcionar uma tática simétrica?

 

Se não der para fazer, como fazer para jogar com dois pontas? Eu vejo muito a IA usando extremo + defesa lateral de um lado e avançado interior ou extremo invertido + ala do outro? Funciona melhor?

Como eu disse, não existem regras no FM (como no futebol também não). Dá para fazer, sim, mas se você tem dois lados exatamente iguais, a chance de que seu time fique previsível é maior. Você fica sem variação de jogadas e ângulos diferentes de passe, entende? É por isso que os adversários usam um flanco com DL + Extremo e outro com AI + Ala, isso cria movimentação diferente e ajuda a confundir as defesas adversárias. Mas possível é, sim.

Por último sei que se conselho fosse bom a gente não dava, vendia ( 😛 ), acho que diante do desânimo com o jogo você devia tentar uma abordagem mais simples - nada de táticas muito complicadas ou estilos muito definidos. Se quiser eu posso te ajudar: me manda um print dos três ou quatro melhores jogadores da sua equipe que posso sugerir alguma coisa. 

Link to comment
Share on other sites

Oi @Tsuru, obrigado pela atenção de novo, cara. Eu juro que tento parar de abusar da sua boa vontade, mas não consigo rs. 

essas táticas que eu postei foram as que foram utilizadas principalmente no começo da temporada. Eu preferi postá-las como estavam até então, justamente para a gente poder conversar sobre os defeitos dela. 

Quando chegou a fase difícil, eu acabei fazendo vários testes, muitas vezes jogo a jogo (ou a cada 2 jogos). O "estrago" já estava feito, pois eu não conseguiria mais subir. por outro lado, eu também não iria cair. Por isso, fui tentando mexer aqui e ali para ver o que funcionava, mas confesso que, como eu já não tinha nada pelo que brigar, a paciência para observar não foi a adequada.

Em 30/06/2021 em 10:29, Tsuru disse:

Você acrescentou Jogar a Partir da Defesa e Levar a Bola Até a Área, que pedem menor velocidade e mais cadência de jogo, num esquema onde o objetivo era tocar a bola com velocidade. Fica contraditório - e mais difícil de funcionar.

Aí botou Contra-Pressão, que eu também não sugeri e que é bem arriscada se seu time não é de topo, aumenta a intensidade e abre mais espaços na defesa, exatamente um dos problemas que você mencionou, porque pede aos seus jogadores para pressionarem imediatamente quando perdem a bola. Somado a uma mentalidade Positiva, o risco fica enorme.

Eu cheguei a tirar o jogar a partir da defesa em alguns jogos. Mas aí o time tentava uns lançamentos mais longos para sair jogando que, normalmente, davam errado.  Em vários casos, até geravam ataques do adversário. Acredito que seja porque meus zagueiros e laterais não tem bons atributos de lançamento, mas até tem passes razoáveis. Como time não costumava muito errar na saída de bola, mesmo quando pressionado, e no geral conseguia manter a posse (normalmente só perdia a bola lá na frente mesmo), eu voltei a colocar, porque achei até menos arriscado, inclusive defensivamente.

O levar a bola até a área foi parecido, mas esse eu posso tirar na próxima temporada: eu fico com a impressão de que, sempre que meu time tenta apressar a jogada, ele erra. Muitas vezes ele tenta fazer um cruzamento antecipado, a zaga corta e puxa um contra-ataque. Seria bom poder aproveitar os chutes de fora da área, mas só os meus meias tem bons atributos de remates de longe (vou falar sobre eles mais adiante). 

O contra-pressão eu realmente tirei. Eu terminei a temporada sem instrução, mas em jogos que eu achava mais difíceis eu acaba colocando "Reagrupar". 

Em 30/06/2021 em 10:29, Tsuru disse:

Mas sobretudo, os desenhos que você utilizou - as funções e tarefas nas formações - precisam de mais equilíbrio. No 4-2-3-1 você não tem nenhum meia defensivo protegendo a defesa e seus dois laterais sobem pouco, diminuindo a profundidade de um time que joga com os dois pontas por dentro e ainda os dois com tarefa Atacar. No 4-1-4-1 os dois laterais e os dois pontas com tarefa atacar estão muito agressivos e prejudicam o equilíbrio ofensivo e defensivo do time.

Eu realmente estou com esse dificuldade. Com base naquele mapa verde do jogo, no fim da temporada, nos últimos jogos, eu mudei os meus dois MCs para a função "construtor de jogo recuado" e com a tarefa apoiar. Quando eles estavam com a função "médio centro", o mapa apontava atrás deles "alguns problemas menores". Quando eu mudava para CJR, virava "sem problemas". E, de fato, eu passei a tomar bem menos gols com o adversário avançando em velocidade pelo meio e enfrentando os zagueiros no mano-a-mano. E, ofensivamente, eu gostei do resultado, porque eles continuam buscando desmarcar os colegas e chegando à frente, mas não de uma forma tão irresponsável quanto antes. 

Cheguei a colocar tarefa "defender" em um deles, mas o mapa já dava por "resolvida" a questão com a tarefa apoiar nos dois e, principalmente, eu achei que com defender esse meia praticamente não ajudava mais à frente. Talvez seja o caso de deixá-lo com "defender" só nos jogos mais difíceis e, nos equilibrados ou mais fáceis, deixar no apoiar? Ou você acha que pode funcionar melhor com outras funções? Eu vejo a AI jogando com mezzalas, mas fico com a impressão de que isso deixa o time meio exposto (90% das vezes que abro o relatório do adversário, lá diz que o time toma mais gol justamente do lado que o mezzala está - especialmente quando o time joga no 4-2-3-1 como eu). 

Os laterais, de fato, são um problema sério para mim. É bem difícil encontrar bons laterais. Os meus são basicamente defensivos. Um deles, inclusive, é um zagueiro adaptado por ali, porque também tem a função DL como natural, mas joga também como central. Além disso, eu fico bem receoso de usar alas, justamente por jogar sem essa cobertura no meio, como você mencionou. 

No 4-2-3-1 você acha que dá pra usar alas? Em qual tarefa? Seria bom ter quem desse amplitude ao time, mas jogando só com dois CJRs fico pensando na defesa sofrendo com essa configuração.

Em 30/06/2021 em 10:29, Tsuru disse:

Recentemente meu time estava fazendo campanha de postulante ao título e começou a empatar. Foi do nada? Não, quase todas as vitórias que eu consegui foram com gols de bola parada, e algumas delas inclusive de virada. Isso significa que, quando a bola parada não funcionou, minha equipe começou a sofrer os mesmos gols que antes, mas o ataque não está conseguindo marcar de forma eficiente para compensar isso. Sinal que eu preciso rever os dois pontos - a defesa que não anda boa e o ataque que não marca gols.

Com o tempo aprendi que a tática não para de funcionar do nada - provavelmente o que aconteceu é que ou ela tinha uma falha muito grave que começou a ser explorada, ou ela já não vinha bem mesmo nas vitórias e em dado momento a coisa começou a falhar naturalmente. A culpa não é sua, nem minha, nem de ninguém, é que no fim a gente acaba supervalorizando o resultado e não corrige os eventuais problemas que aparecem.

Se as chances estão sendo criadas e o número de remates é bom, eu chutaria que a qualidade dos jogadores pesou um pouco. Mas é chute mesmo, porque às vezes falta, sei lá, espaço para eles criarem chances melhores ou estão chutando de qualquer jeito diante de uma defesa fechada. Eu não sei, teria que analisar de forma mais aprofundada ou rever as partidas.

Uma coisa que deu razoavelmente certo foi: reduzir a largura defensiva (forçar o adversário pelos flancos) e botar os pontas marcando os laterais, inclusive mando marcar apertadamente e pressionar, nas instruções de oposição. Contra times do mesmo nível (muitos jogando num 4-2-3-1 com extremos invertidos ou avançados interiores de um lado ou até dos dois) eu passei a tomar bem menos gol de cruzamento e, fechado pelo meio, os caras também tinham dificuldade de entrar. O time engatou algumas vitórias magras assim (1-0, 2-0), sem dar golear, mas sem dar chances. Na reta final eu só enfrentei um time bem mais forte, que foi o Sporting B: meu time segurou bastante o jogo, mas no fim a água mole em pedra dura tanto bateu até que furou e perdi de 1x0, com o meia pela direita deles ganhando do meu lateral e cruzando mesmo assim. Não se pode ter tudo.

 

Em 30/06/2021 em 10:29, Tsuru disse:

O RMT é uma ferramenta legal, mas como ponto de partida e não para determinar o que se faz ou não. Já montei táticas com 5 estrelas que não funcionavam legal e outras que ele não avaliava bem mas que rendiam na prática. Cada jogador se comporta de forma única e se eu achar que preciso de um Ala, independente do que diga o RMT; eu vou usar um Ala 🙂 

Como eu disse, não existem regras no FM (como no futebol também não). Dá para fazer, sim, mas se você tem dois lados exatamente iguais, a chance de que seu time fique previsível é maior. Você fica sem variação de jogadas e ângulos diferentes de passe, entende? É por isso que os adversários usam um flanco com DL + Extremo e outro com AI + Ala, isso cria movimentação diferente e ajuda a confundir as defesas adversárias. Mas possível é, sim.

Por último sei que se conselho fosse bom a gente não dava, vendia ( 😛 ), acho que diante do desânimo com o jogo você devia tentar uma abordagem mais simples - nada de táticas muito complicadas ou estilos muito definidos. Se quiser eu posso te ajudar: me manda um print dos três ou quatro melhores jogadores da sua equipe que posso sugerir alguma coisa. 

Você acha melhor usar um extremo de um lado e um avançado interior do outro? Quais tarefas você acha que funcionam melhor? E como encaixar o CA e o MO? 

Na tática da reta final, eu deixei o CA na função avançado completo (peguei um cara bom) e na tarefa apoiar, para ele sair da área, puxar marcação e enfiar a bola, enquanto os avançados interiores entravam. Foi assim que saiu a maioria dos meus gols nos últimos jogos. Mas como o jogo era pelo meio, de fato, contra defesas que fechavam o meio (como eu fazia, inclusive) o meu time teria bastante dificuldades. 

Outra posição que tenho dificuldade de encaixar é o MO. Já deixei na função "médio ofensivo", já deixei como CJA, ambos como apoiar (já que os AIs estão em atacar). Assim, não ficava ruim, ele até fez gols de fora da área e deu assistências, mas tinha jogo que ele ficava muito preso na marcação. Será que, como já estou usando o avançado completo no apoio, fica melhor botar esse meia como avançado sombra (ele tem bons atributos), para ter mais gente entrando na área?

Eu testei isso num único jogo, mas como eu disse, a paciência tava baixa e eu estava querendo passar o jogo mais rápido. Esses jogos eu vi no "resumo". Não vi nenhum lance de destaque com esse meia, mas a produção ofensiva do meu time foi bem acima do comum pelas estatísticas (xG alto, muitos remates, boa parte à baliza), contra um adversário bem razoável (não era os bicho-papões dos times B, mas era o Estoril, que tinha acabado de cair e foi um dos que subiu no fim, inclusive). 

Por fim, sem querer abusar muito mas já abusando muito: vi que sua tática preferida é o 4-4-2. Como você configura? Consegue ter boa produção ofensiva sem depender tanto só dos atacantes? 

Eu queria uma formação que me desse mais solidez para jogos contra times mais fortes (como os de taça ou times B). 

Teve um jogo antes da fase degringolar de vez que eu usei aquele 4-4-1-1 que está no guia do perfeccionista que você traduziu. Foi louco, eu consegui uma vitória contra o Vitória de Guimarães, da primeira divisão, por 2x0, no grupo da Taça da Liga. Duas estocadas mortais. Mas nesse grupo tinha o Benfica (o principal), que passou o rodo em todo mundo e não deu nem chance para sonhar. Contra o Benfica, inclusive, eu usei essa tática, nem ameacei os caras e tomei o famoso "3x0 fora o baile". Também não consegui fazê-la funcionar na segunda contra os times B. 

Link to comment
Share on other sites

Oi Fabio. Vamos por partes:

15 horas atrás, fabioaraujo89 disse:

Eu cheguei a tirar o jogar a partir da defesa em alguns jogos. Mas aí o time tentava uns lançamentos mais longos para sair jogando que, normalmente, davam errado.  Em vários casos, até geravam ataques do adversário. Acredito que seja porque meus zagueiros e laterais não tem bons atributos de lançamento, mas até tem passes razoáveis. Como time não costumava muito errar na saída de bola, mesmo quando pressionado, e no geral conseguia manter a posse (normalmente só perdia a bola lá na frente mesmo), eu voltei a colocar, porque achei até menos arriscado, inclusive defensivamente.

Eu tive esse problema também, no meu caso eu resolvi diminuindo a mentalidade. Você pode tentar pedir aos seus zagueiros para fazerem "Passes Mais Curtos" como instruções individuais e tirar o Jogar a Partir da Defesa, vê se o problema melhora e se te agrada.

15 horas atrás, fabioaraujo89 disse:

O levar a bola até a área foi parecido, mas esse eu posso tirar na próxima temporada: eu fico com a impressão de que, sempre que meu time tenta apressar a jogada, ele erra. Muitas vezes ele tenta fazer um cruzamento antecipado, a zaga corta e puxa um contra-ataque. Seria bom poder aproveitar os chutes de fora da área, mas só os meus meias tem bons atributos de remates de longe (vou falar sobre eles mais adiante). 

Eu deixaria o Levar a Bola para situações mais específicas, tipo quando o adversário está muito fechado e você precisa de paciência para abrir espaços.

 

15 horas atrás, fabioaraujo89 disse:

Eu realmente estou com esse dificuldade. Com base naquele mapa verde do jogo, no fim da temporada, nos últimos jogos, eu mudei os meus dois MCs para a função "construtor de jogo recuado" e com a tarefa apoiar. Quando eles estavam com a função "médio centro", o mapa apontava atrás deles "alguns problemas menores". Quando eu mudava para CJR, virava "sem problemas". E, de fato, eu passei a tomar bem menos gols com o adversário avançando em velocidade pelo meio e enfrentando os zagueiros no mano-a-mano. E, ofensivamente, eu gostei do resultado, porque eles continuam buscando desmarcar os colegas e chegando à frente, mas não de uma forma tão irresponsável quanto antes. 

Cheguei a colocar tarefa "defender" em um deles, mas o mapa já dava por "resolvida" a questão com a tarefa apoiar nos dois e, principalmente, eu achei que com defender esse meia praticamente não ajudava mais à frente. Talvez seja o caso de deixá-lo com "defender" só nos jogos mais difíceis e, nos equilibrados ou mais fáceis, deixar no apoiar? Ou você acha que pode funcionar melhor com outras funções? Eu vejo a AI jogando com mezzalas, mas fico com a impressão de que isso deixa o time meio exposto (90% das vezes que abro o relatório do adversário, lá diz que o time toma mais gol justamente do lado que o mezzala está - especialmente quando o time joga no 4-2-3-1 como eu). 

Essa é a tática que venho utilizando recentemente:

442wrex9a67240cfadb99e5.png


Repara como o mapa diz que há problemas nos dois flancos ali perto da área adversária e na intermediária deles? Pois é. Mas não faz o menor sentido, porque eu tenho dois alas completos e dois atacantes que se movem e ocupam o flanco se necessário (o Atacante Recuado e o N10). E porque uso um Mezzala e um Carrilero, que são meias que se comportam como pontas interiores - eles "abrem" para os lados quando o time tem a bola para apoiarem os laterais (ocupando a mesma zona que se fossem pontas instruídos a jogar pelo meio). Então eu vejo claramente durante o jogo que essas zonas que mencionei estão ocupadas e preenchidas, e que o time faz o que eu quero.

Se eu fosse seguir o mapa eu provavelmente ia mexer - mas só perdi uma partida em 16, e no geral mudou pouca coisa em relação ao que está aí em cima. No meu lugar você mudaria por conta do mapa ou confiaria nos resultados e no que você vê em campo? 

Minha sugestão é que ignore o mapa e os conselhos dos adjuntos - não vale muito a pena.

Quando se trata de 4-2-3-1, a dupla ideal para mim é um meia com tarefa defender, que joga mais perto da linha defensiva - MC-D, CJR-D ou MRB-D - com o suporte de outro que apoia um pouco mais o ataque mas não desguarnece muito a defesa (MC-Ap, MAA-Ap, MRB-Ap ou CJR-Ap). Mas eu nunca usaria dois CJR, eles são organizadores de jogo e tendem a atrair a bola, seu time fica mais lento e tende a lerdar demais o jogo.

Por outro lado, nenhuma função funciona de forma isolada - é preciso encaixar os laterais com os meias com os meias ofensivos e os atacantes, de forma que todos funcionem dentro do estilo que você procura.

15 horas atrás, fabioaraujo89 disse:

Os laterais, de fato, são um problema sério para mim. É bem difícil encontrar bons laterais. Os meus são basicamente defensivos. Um deles, inclusive, é um zagueiro adaptado por ali, porque também tem a função DL como natural, mas joga também como central. Além disso, eu fico bem receoso de usar alas, justamente por jogar sem essa cobertura no meio, como você mencionou. 

No 4-2-3-1 você acha que dá pra usar alas? Em qual tarefa? Seria bom ter quem desse amplitude ao time, mas jogando só com dois CJRs fico pensando na defesa sofrendo com essa configuração.

Dá para usar alas sim, mas como eu disse em cima, é relativo. Depende do estilo que seu time vai utilizar e de como eles vão se combinar com as outras funções.

15 horas atrás, fabioaraujo89 disse:

Uma coisa que deu razoavelmente certo foi: reduzir a largura defensiva (forçar o adversário pelos flancos) e botar os pontas marcando os laterais, inclusive mando marcar apertadamente e pressionar, nas instruções de oposição. Contra times do mesmo nível (muitos jogando num 4-2-3-1 com extremos invertidos ou avançados interiores de um lado ou até dos dois) eu passei a tomar bem menos gol de cruzamento e, fechado pelo meio, os caras também tinham dificuldade de entrar. O time engatou algumas vitórias magras assim (1-0, 2-0), sem dar golear, mas sem dar chances. Na reta final eu só enfrentei um time bem mais forte, que foi o Sporting B: meu time segurou bastante o jogo, mas no fim a água mole em pedra dura tanto bateu até que furou e perdi de 1x0, com o meia pela direita deles ganhando do meu lateral e cruzando mesmo assim. Não se pode ter tudo.

Você descobriu uma boa estratégia defensiva e acho esse um passo fundamental. Inclusive dá para usar ela como ponto de partida para criar uma estratégia geral de jogo, se você quiser. 😄 

15 horas atrás, fabioaraujo89 disse:

Você acha melhor usar um extremo de um lado e um avançado interior do outro? Quais tarefas você acha que funcionam melhor? E como encaixar o CA e o MO? 

Na tática da reta final, eu deixei o CA na função avançado completo (peguei um cara bom) e na tarefa apoiar, para ele sair da área, puxar marcação e enfiar a bola, enquanto os avançados interiores entravam. Foi assim que saiu a maioria dos meus gols nos últimos jogos. Mas como o jogo era pelo meio, de fato, contra defesas que fechavam o meio (como eu fazia, inclusive) o meu time teria bastante dificuldades. 

Como eu disse mais em cima, depende. Depende do estilo de jogo, depende dos jogadores que você tem, depende da expectativa do time para a liga...tudo é muito relativo, entende? Você pode usar um Extremo e um AI e dar tudo errado e outra pessoa usar e a coisa funcionar bem - porque o estilo de jogo da outra pessoa, os jogadores disponíveis, a perspectiva do time e as instruções utilizadas se encaixam com essas funções. Em tática o ideal é nunca pensar de forma isolada, mas coletiva 🙂 

15 horas atrás, fabioaraujo89 disse:

Outra posição que tenho dificuldade de encaixar é o MO. Já deixei na função "médio ofensivo", já deixei como CJA, ambos como apoiar (já que os AIs estão em atacar). Assim, não ficava ruim, ele até fez gols de fora da área e deu assistências, mas tinha jogo que ele ficava muito preso na marcação. Será que, como já estou usando o avançado completo no apoio, fica melhor botar esse meia como avançado sombra (ele tem bons atributos), para ter mais gente entrando na área?

Eu testei isso num único jogo, mas como eu disse, a paciência tava baixa e eu estava querendo passar o jogo mais rápido. Esses jogos eu vi no "resumo". Não vi nenhum lance de destaque com esse meia, mas a produção ofensiva do meu time foi bem acima do comum pelas estatísticas (xG alto, muitos remates, boa parte à baliza), contra um adversário bem razoável (não era os bicho-papões dos times B, mas era o Estoril, que tinha acabado de cair e foi um dos que subiu no fim, inclusive). 

Já mencionei o fato que tudo é relativo? Hehehehe

Se você voltar um pouco no print do 4-4-2 diamante, vai observar que eu uso um Sombra. Mas nem sempre foi assim, eu comecei a temporada com um meia construtor (Meia Ofensivo Atacar/Apoiar), um atacante mais recuado (Falso 9 e depois Recuado) e um outro responsável por fazer os gols (era Completo Atacar e depois Trabalhador Atacar) - que é um desenho clássico dos anos 80 e 90. 

Não deu certo. Por quê? Porque o futebol mudou pra caramba desde os anos 80 e 90 e hoje faz mais gol quem acha mais espaço - ou quem nega mais espaços. Os adversários recuavam as linhas, colocavam volante no centro e o trio que eu utilizava não dava a movimentação necessária para abrir os espaços, o atacante goleador ficava sobrecarregado e eu dependia ou da bola parada, ou de um cruzamento para ganhar os jogos. Quando a bola parada deixou de funcionar, parei de ganhar. Foi a tática que parou de funcionar? Não, ela nunca funcionou, apenas os gols estavam me dando a ilusão que funcionava.

Quando eu decidi mudar, me vi num dilema. Sabe por quê? Eu usava um Trinco e dois Carrileros, que são a função mais segura quando você joga sem pontas, mas se eu tirasse o MO, eu ficaria sem criatividade; o MO Apoiar jogava muito perto do meio e isolava os atacantes; e o MO Atacar ajudava os atacantes mas abandonava o meio e eu ficava sem opções pelo centro. Ou seja, o MO precisava sair mas alguém tinha que "substituir" ele criando as jogadas, buscando espaços, fazendo passes e tentando abrir as defesas adversásias.

Para tirar o Meia Ofensivo eu tinha que dar a outro jogador - ou a outros - mais responsabilidade criativa, entende? Porque senão o time ia ficar burocrático pra caramba, não ia ter ninguém pra "pensar" o jogo. Eu pedi ajuda no fórum da Sports Interactive e me sugeriram colocar o Mezzala em vez de outro Carrilero, mas para fazer essa mudança eu tive que alterar todo o lado em que ele joga - o lateral ficou menos agressivo e o atacante também, passou a ser um homem mais de suporte. Com o meia central subindo mais, se não mudasse isso eu ia ficar com o flanco mais exposto.

Só depois disso resolvido de fato é que foi possível mexer no meia ofensivo central - já que agora ele não precisava mais ser tão criativo - e o @#Vini deu a ideia de colocar o Sombra. Isso desconstrói um pouco o desenho tradicional do 4-4-2 diamante que ficou famoso em outros tempos: meu centroavante joga na meia ofensiva e meu N10 é um atacante, o inverso do que acontecia nos anos 80 e 90 quando o N10 era o meia ofensivo e um dos atacantes era o centroavante. A ideia de usar o Armador Recuado Defender veio depois, quase por acaso, porque diante de uma lesão eu coloquei o Callum Jones ali e essa é uma função natural dele, ele foi bem e devo deixar assim. Acabou que deu certo porque o CJR D e o Mezzala dividem a parte criativa, o Carrilero faz o "trabalho sujo" e cobre as subidas do lateral, e o Sombra pode ficar liberado para agredir e marcar gols, com o suporte dos dois atacantes mais a frente.

Repare que, pra uma decisão simples - trocar o meia ofensivo - eu precisei mexer em um monte de outras coisas e levar uma série de elementos em conta, porque eu sabia que essa mudança se feita sem cuidado iria desequilibrar o time inteiro. Aliás minto, eu cheguei a testar o Sombra com dois Carrileros e foi um desastre, o time ficou mais ofensivo mas eu tinha basicamente um "10" que entrava agressivamente na área e dois meias muito abertos, abrindo um buraco e deixando o pobre Trinco sozinho para lidar com os contragolpes. 

Toda mudança, toda troca, toda alteração tática precisa ser pensada com cuidado dentro daquilo que você está tentando ou pretendendo fazer. Simplesmente mudar por mudar tende a não resolver o problema, porque funções, tarefas e instruções funcionam sempre em conjunto e nunca de forma isolada, e sempre relativas aos jogadores e elenco que você tem. 😉 

15 horas atrás, fabioaraujo89 disse:

Por fim, sem querer abusar muito mas já abusando muito: vi que sua tática preferida é o 4-4-2. Como você configura? Consegue ter boa produção ofensiva sem depender tanto só dos atacantes? 

Eu queria uma formação que me desse mais solidez para jogos contra times mais fortes (como os de taça ou times B). 

Teve um jogo antes da fase degringolar de vez que eu usei aquele 4-4-1-1 que está no guia do perfeccionista que você traduziu. Foi louco, eu consegui uma vitória contra o Vitória de Guimarães, da primeira divisão, por 2x0, no grupo da Taça da Liga. Duas estocadas mortais. Mas nesse grupo tinha o Benfica (o principal), que passou o rodo em todo mundo e não deu nem chance para sonhar. Contra o Benfica, inclusive, eu usei essa tática, nem ameacei os caras e tomei o famoso "3x0 fora o baile". Também não consegui fazê-la funcionar na segunda contra os times B. 

Bem, eu gosto de diferenciar "tática" e "formação".

Tática para mim é o conjunto completo - instruções de equipe, de jogador, funções, tarefas, formação, instruções à oposição, tudo.

Formação entendo como mais simples, é um conjunto de posições - por exemplo um 4-4-2 é uma formação que te dá um conjunto com um goleiro, dois laterais, dois zagueiros, dois meias laterais, dois meias centrais e dois atacantes. Um 4-2-3-1 te daria um goleiro, dois laterais, dois zagueiros, dois meias centrais, dois pontas avançados, um meia ofensivo e um atacante. Toda tática tem uma formação, mas nem toda formação tem uma tática (hehehe).

Só para dizer que assim, eu gosto da "formação" (conjunto de posições) 4-4-2 e variações, porque adoro duplas de ataque e prefiro meias laterais que meias avançados.

A configuração do meu 4-4-2 depende do meu objetivo. Se eu quero um jogo mais reativo, de bola mais longa e jogando no contragolpe, eu começaria optando por uma formação 4-4-2 inglês básica (ou um 4-4-1-1), ou um 4-2-2-2 com dois volantes, porque essas duas opções têm apenas um ou dois jogadores no campo adversário e oito ou nove do meio para trás, o que ajuda meu time a negar e fechar os espaços para poder contragolpear. E a partir daí desenharia as funções e tarefas para atingir esse objetivo, usando as instruções para complementar a coisa. 

Se eu quisesse um jogo mais propositivo - eu controlo o jogo, eu controlo a bola, eu pressiono alto, eu me defendo atacando - eu optaria por um 4-4-2 ou variação que tivesse três ou mais jogadores no campo de ataque adversário, porque a maioria das equipes faz a saída de jogo com três, quatro ou cinco jogadores e eu preciso de mais opções para "apertar" a saída de bola. Nesse sentido não tenho muitas opções, em geral teria que ser um 4-3-1-2 "argentino" ou um 4-4-2 diamante (como o atual). Ou eu poderia partir de repente para um 4-2-4, que apesar de não ser uma variação direta do 4-4-2 e ter os meias avançados que eu não gosto, ainda tem a dupla de ataque que eu gosto. Nesse caso eu abriria mão dos meias laterais para ganhar um quarteto de frente, que ao iniciar a pressão poderia causar sérios problemas para as defesas adversárias - e provavelmente alguns para a minha com uma marcação tão adiantada. Mas aí seria questão de ir ajustando aos poucos.

Tipo, ficou mais claro agora como eu costumo pensar e desenhar a parte tática? Não é a única forma, certamente, tem gente que faz de forma mais simples, mas é a maneira como eu me sinto mais confortável. 

Como eu comentei ali em cima, você escolheu o 4-2-3-1 e desenhou uma boa estratégia defensiva. Quer ajuda para seguir a partir desse ponto e organizar um estilo de jogo a partir daí? Só falar que a gente pensa junto em alguma coisa. 😉 

Link to comment
Share on other sites

Join the conversation

You can post now and register later. If you have an account, sign in now to post with your account.

Guest
Reply to this topic...

×   Pasted as rich text.   Paste as plain text instead

  Only 75 emoji are allowed.

×   Your link has been automatically embedded.   Display as a link instead

×   Your previous content has been restored.   Clear editor

×   You cannot paste images directly. Upload or insert images from URL.

 Share

  • Similar Content

    • tricolor de coraçao
      By tricolor de coraçao
      *Créditos ao @Guilherermepor essa bela arte
      Considerações iniciais
      Antes de entrarmos a fundo na história umas breves considerações para situar o leitor
      Primeiramente, digo que dei uma pausa na saga do "SER Caxias" e retomei uma antiga série. Talvez você não lembre ou não saiba, mas no passado fiz uma saga pela América do Sul onde passei os 10 países da América do Sul + México e USA na saga chamada O Desbravador da América. A ideia agora era continuar o mesmo estilo pela Ásia passando os 12 países do continente, porém no passado já tentei por 3 vezes fazer a saga e sempre deu bugs. O @Cadete213 deve se lembrar, pois lembro que ele acompanhava.
      Mas eu sou brasileiro e não desisto nunca!
      Recentemente (nem tão recentemente) conheci o @Orieomil666num grupo de wattsap (descobri ele lá meio ao acaso enfim) e testando o save acabei pegando os arquivos dele que são mais atualizados, fizemos uns testes e não mais deu bugs.
      Isso me animou a refazer a saga. Não pretendo passar os 12 países. Em vez de todo ano passar um país pretendo passar menos países, entre 6 a 10 países dos 12 selecionados na data base e talvez ficar mais tempo em algum deles se a coisa ficar boa. Tanto faz a divisão
      E assim estipulei algumas regras. Li várias sagas aqui e mesclei várias ideias para escrever esta que irei contar.
      A saga será contada sobre um irmão meu (imaginário é claro, não tenho irmão). Por que? Ocorre que o save anterior que deu bug teve meus dados arquivados, então para resolver esse problema vou dizer que sofri um acidente de trabalho algo assim e meu irmão agora está indo lá seguir meus passos enfim vou contornar essas questõezinhas e deixar a coisa bacana. Mas em forma de diário na terceira pessoa com termos como "o treinador...", "o manager Carlos Magno Bonfante"...assim por diante. 
      Tentarei dar um ar fictício a história. 
       
      REGRAS
      Não pretendo me complicar, apenas me divertir, não priorizarei os clubes mas sim minha evolução pessoa, mas quero aplicar umas regras para a coisa ficar mais interessantes.

      (mais o Brasil por recomendação do pessoal do Mundiup. Vinte e oito ligas de 13 países e quase 50 mil jogadores)
       
      São 12 países e assim eu dividi estes em 3 grupos conforme o ranking da reputação da divisão principal. 
      Grupo 1: Singapura (38º) , Honk Kong (29º), Malásia (28º) e Indonésia (25º)
      Grupo 2: Japão (5º), Arábia Saudita (7º), Austrália (8) e India (23º)
      Grupo 3: China (1º), Catar (2º), Emirados Arabes Unidos (3º) e Coreia do sul (4º)
       
      A regra que pensei é a seguinte eu começo no grupo na Singapura, pior primeira divisão entre os rankeados da database mas num dos melhores times de lá, o Tampines. Mas só posso ir para o grupo acima se passar antes por mais um país do mesmo grupo. Ou seja preciso passar no mínimo 2 países de cada grupo.
      Por que isso? Seria muito fácil eu no segundo ano ir para uma terceira divisão chinesa que deve estar mal rankeada e de repente logo estar na segunda e na primeira chinesa. Ou então estar no Japão e depois ir para uma Austrália seria estranho.
      Ou seja, eu quero subir sem ser tão forçado, sem parecer ser tão irreal. Meu medo é ir para uma divisao inferior depois e desequilibrar mas tentarei subir com certa gradação.
      Claro, não estou muito a fim de passar por Índia e Hong Kong, mas tudo pode acontecer. Uma coisa é certa, pelo ranking já se vê que a partir da Austrália os times são muito bons, mas que o terceiro grupo é terrível.
      Não que eu tenha que seguir a ordem acima, é apenas um roteiro pré-definido para dar um norte.
      Mesmo assim #Partiu Cingapura.
       
      P.S.: Abaixo meu passado no save anterior
      Vamos começar a aventura?
       
      __________
      CAPÍTULO 1
      ATO 1
      Planejando a Aventura
       
      01 de janeiro de 2021 - 12:00 h, horário de Brasília
      Carlos Magno Bonfante ou simplesmente Carlos Magno é o irmão mais novo de Ernani Bonfante, um ex-treinador que fora para a Ásia no passado, tentar a sorte por lá e que tem tido um passado interessante. Conta a lenda que no velho continente, seu irmão Bonfante começou num clube que trabalhava com sub-23, o Young Lions de Cingapura e depois para o Tampines e teria sido campeão em em ambos, campeão da segunda divisão malaia com o Kelantam, da segunda divisão arabe-saudita com o Al Batin, campeão indiano com o AL-Mohamed Sporting e campeão da liga e taça indonésia com o PSM Makasar. Além de ter passado sem muito sucesso pelo Lee-Man de Hong Kong. Tempos em que o futebol não era tão profissional. As autoridades negam esses fatos, mas o nome do irmão de Carlos Magno está no quadro da fama desses países.
      O mais estranho que seu irmão nunca mais foi visto. Como explicar tal mistério? Mundo paralelo tipo Dark? Problemas na matrix? Estariam as autoridades asiáticas escondendo algo? Mistééééério!
      Carlos Magno, formado em Educação Física e Administração sempre seguiu os passos do irmão, quer descobrir o que houve ou ao menos terminar o que seu irmão começou: seu irmão simpatizante do ganghzou como Carlos deseja um dia treinar esse grande clube asiatico.
      Sem perspectivas e sem dinheiro ligou para @Cadete213 um bancário, amigo de seu irmão Ernani,  que atualmente soube Carlos que ele resolveu ser treinador e estaria treinando o Napoli,  para ver se emprestava dinheiro e ajudasse com Cingapura. 
      Cadete disse as mesmas palavras que havia dito a seu irmão:
      Cadete: amigo, vá para a Cingapura e os países da Asia, é lindo lá, irá gostar
      (Carlos pensou: Será que o cadete sabe algo de lá que eu não sei? Devo estar delirando...) e respondeu
      Carlos: Obrigado amigo, se puder financiar esse meu projeto...estive falando com meu empresário o @Orieomil666, o mesmo que empresariava meu irmão, talvez conheça ele por Claudio Xing Ling, então eu agradeço muito.
      Cadete não respondeu, ficou de dar um retorno.
      Carlos Magno saiu e foi buscar alguns acessores.
       
      10 de Janeiro de 2021 - 12:00, horário de Brasília
       
      Carlos Magno pode não ter sido um atleta profissional mas fez alguns cursos da CBF e se preparou, teve algum preparo minimo e nesse mundo do futebol conheceu algumas pessoas do meio como o ex-tecnico do Young Lions @Bruno Alves Managerque disse já ter tido uma experiência na Cingapura no passado.
      Bruno: Rapaz. não vá para o Young Lions, eles são muito ruins cara, tudo sub23 e se você ficar no top 3 nao poderá disputar Champions, taça asiatica, taça de Singapura, nem contratar estrangeiros nesse clube. Sinceramente eu fui um tempo lá e di no pé.
      Carlos: É, estive pensando nisso, meu irmão já havia dito que apesar do titulo todo ano era só a S-League que tinha para disputar. To pensando em ir para o Tampines.
      Bruno: Isso, vá para o Tampines. O DPMM de Brunei, O Nigata Albirex do Japão e o Sailors também são bons.
      Carlos: Ué times estrangeiros em Cingapura....?
      Fora interrompido Carlos:
      Bruno: Seu irmão não explicou essa parte não? Esses clubes acham pouco interessante ou muito forte em seus países e preferem jogar em Cingapura
      Carlos: Hummm, vou ir para o Tampines mesmo então.
      Bruno: Boa sorte.
      Carlos: Só uma duvida, conte-me mais sobre sua experiência em Cinga...
      Bruno mudou a conversa, não contou nada. Estaria Bruno escondendo algo também. Estraaaanho!
       
      20 de Janeiro, 12:00 h,  horário de Brasília.
      Carlos conheceu mais pessoas que parecem dispostas a apoia-lo nessa empreitada: @Victor Duque, @schacoffee @alberto_ijui @Johann Duwe @Megalodonte @PedroJr14 @just12 mas não sabe ainda o que são eles, se são profissionais que poderiam ser seu staff na Asia ou o que, ao que tudo indica são conselheiros, algo como coachs esportivos e Carlos esta disposto a leva-los consigo para Cingapura. Conseguiu o patrocinio do @Cadete213. E fechou contato com seu empresário.
      Carlos: fala @Orieomil666 meu empresário Xing Ling, vamos para a Cingapura?
      Xingling: Faaaala "el mago de cedro segundo" hahahaha tu me lembras teu irmão. Boraaa, só não vai me dizer que vai para aquele yooo ...io...young o que mesmo?
      Carlos: Relaxa, tu me consegue colocar no Tampines?
      Xingling: Meu amigo, não me chamo Xingling a toa né? Sou mestre ali nessa área "xacomigo"!
      (Esse cara é estranho, asiático que parece carioca e usa camisa do Flamengo,estranho, devo estar delirando, tenho que superar o sumiço de meu irmão - pensou Carlos)
      Carlos: combinado meu guru!
       
      Carlos reuniu esse pessoal todo e partiu para Tampines, Cingapura onde treinará o TAMPINES ROVERS FOOTBALL CLUB.

       
      A gente se vê em um próximo capítulo. Gostaram da história pessoal? Algum problema que não gostara?
      A vontade para darem suas impressões.
    • Cadete213
      By Cadete213
      Embolajádo – Achatado, deformado
      Ora muito bem pessoal, como comprei o Editor, decidi começar um novo save, depois de andar a "brincar" um pouco com o jogo. Este save é chamado "O Madeirense" e será uma homenagem aos madeirenses e à Ilha da Madeira, terra da qual sou natural, com muito orgulho.
      No início de cada post, irei colocar um termo madeirense e seu significado, para que possam também aprender algumas palavras "madeirenses". 
      O objetivo passa por me divertir e divertir-vos e os resultados não são importantes.
      Como disse anteriormente, andei a mexer no Editor e decidi adicionar um clube à última divisão da Madeira. O clube é fictício. Chama-se Cabouco Futebol Clube e foi criado na freguesia da Ponta do Pargo, zona Oeste da ilha. O que fiz para deixar a liga o mais real possível, foi tirar a equipa B do Portosantense. Assim, todas as outras equipas mantém-se.

      E porquê o Cabouco FC? Ora, o Cabouco FC, é um clube fictício, criado pelos 4Litro, os artistas da fotografia em baixo. Os 4Litro são um grupo de comédia madeirense, com imenso sucesso na ilha e que até já vieram a Jersey ou mesmo a Crawley, com performances.  Durante o save, irei colocar vários vídeos deles que aconselho a verem. Espero que também achem piada, como eu, e que também percebam o sotaque, hehehe.
       
      Em jeito de previsão ao que aí vem, deixo-vos com aqueles que são as estrelas da equipa. O Mister, o avançado CR Zero, o defesa central Pata Laje e ainda o guarda-redes e capitão Vazilha. São jogadores da terra, naturais da ponta do Pargo e que vivem e respiram o clube. Confio muito neles para atingir os objetivos do clube.

      Para começar, deixo-vos com um vídeo sobre a ética madeirense e um curso de iniciação para ser madeirense. Este curso poderá ser crucial, se por acaso forem à ilha de férias. À boa maneira madeirense, nada como ir para o campo cavar a terra e disfrutar da 
       
    • Cadete213
      By Cadete213
      Olá a todos. Sou novo por cá, mas sou um dos veteranos do CMPT (o fórum FM em Portugal), onde me registei em 2006. Gosto de apresentar os saves com mais base nas imagens do que nos textos, mas não esperem muito em termos de grafismos 😁
      Meu nome é Fábio, mas sou conhecido como Cadete, devido ao antigo jogador de futebol do Sporting e Celtic (entre outros), Jorge Cadete. Sou natural do Funchal, Ilha da Madeira. Ou seja, sou da mesma cidade do Cristiano Ronaldo.

      Sempre fui fã de futebol e minha equipa favorita é o Arsenal. Muito novo comecei a jogar nas camadas jovens do CS Marítimo, e por lá fiquei até aos 17 anos. Pelo caminho, fui campeão regional várias vezes e cheguei a jogar contra o grande CR7, quando este ainda vestia as cores da camisola do CD Nacional. A melhor época que tive, foi nos sub-17, quando terminamos a época sem derrotas (20 vitórias e 2 empates). De seguida, disputamos a fase nacional, onde defrontei o Sporting CP, Barreirense e Campomaiorense. Estes dois últimos, já viveram dias melhores e o Campomaiorense, na altura, jogava no Tugão.

      Nos sub-19, decidi sair do clube da minha infância e fui jogar no clube da terra da minha mãe, o CD Ribeira Brava, que tem como maiores rivais, o Pontassolense. Passei dois anos fantásticos no clube e vencemos o primeiro troféu do clube, nas camadas jovens, a Taça da Madeira. Na final, derrotamos o CF União. Lembro-me muito bem desse jogo. Marquei o primeiro golo e o resultado final foi 4-2. No final, festejamos imenso e levamos a Taça para a nossa "terrinha". Isto foi na primeira época. 
      Na segunda época, fui chamado à equipa principal, para fazer a pré-época. O CD Ribeira Brava disputava o Campeonato Nacional de Séniores e ainda joguei um amigável contra a equipa B do Marítimo, uma casa que conhecia muito bem. Fiz a época nos sub-19 e fui o melhor marcador da equipa. Nos séniores, ainda fui emprestado ao São Vicente, mas infelizmente, devido a um problema de saúde no sangue, abandonei o futebol e a carreira de jogador.

      A vida seguiu e comecei a trabalhar. Acabei os estudos à noite, onde conheci minha parceira. Passados 15 anos ainda estamos juntos. Mudou a minha vida para muito melhor e vivemos juntos na sua terra, o Jardim do Mar. Uma pequena vila no sudeste da Ilha da Madeira, com 200 habitantes. Mas não se deixem enganar pelo seu tamanho, pois é conhecida a nível mundial, devido ao surf. A modalidade chegou tarde à Madeira, nos anos 90. Começou então a ser divulgada e de repente, tínhamos surfistas do mundo inteiro a visitar a ilha, que rapidamente se tornou conhecida como  o "Hawai da Europa". 
      Minha sogra tem uma Residencial a Casa da Cecília, que recebeu os primeiros surfistas na ilha e a minha parceira foi a primeira mulher a surfar na Madeira. Os mais famosos surfistas portugueses passaram por cá várias vezes, houve um Billabong Contest no final dos anos 90, Garrett McNamara também já esteve na Residencial da minha sogra e Grant "Twiggy" Baker, campeão mundial de ondas grandes, é um regular por aqui. Gosta de ir ao Jardim do Mar treinar, antes da etapa da Nazaré, em Portugal Continental.

      Em 2008, decidimos emigrar e passamos o Verão em Cagnes-Sur-Mer, no sul de França. Trabalhamos num camping e os donos tornaram-se na nossa segunda família. Sempre que podemos, fazemos uma visita e vice-versa. Aprendi a falar francês, o que é sempre bom no mundo do trabalho. Depois deste magnífico Verão, acabamos na Ilha de Jersey. Uma dependência da coroa Britânica. É uma ilha offshore, ou seja, um paraíso fiscal, que goza de uma certa independência e tem o seu próprio governo. No entanto, o poder supremo é a raínha de Inglaterra.
      A comunidade portuguesa é grande e equivale a cerca de 10% da população local. Brasileiros tem poucos e só conheço 2. 
      Trabalhei vários anos na loja de um campo de golfe, e comecei a praticar este desporto. Tornou-se um dos meus passatempos favoritos e cheguei a fazer parte da equipa que se tornou campeã de Jersey, indo de seguida à ilha vizinha de Guernsey, jogar pelo título de campeão das Ilhas do Canal. Infelizmente perdemos.

      Vida que segue (como diz um amigo meu cá do fórum), e como trabalhava aos fins-de-semana, não pude jogar futebol. Dediquei-me então ao Futsal, que por cá é amador. Aliás, em Jersey, a única equipa profissional que há, é o Jersey Reds. Uma equipa de râguebi que disputa o segundo escalão do râguebi inglês. No futsal, joguei em 2 equipas locais. Fui campeão duas vezes e venci a taça uma vez. O futsal aqui é diferente e as regras também. Tanto, que ainda chamam de 5-a-side, não podemos entrar na área do Guarda-Redes e a bola não pode subir acima da altura dos ombros. Coisas dos ingleses.

      Após vários anos no campo de golfe, consegui um emprego no HSBC, um dos maiores bancos a nível mundial. Sendo Jersey um paraíso fiscal, a sua economia é movida pelo mundo das finanças. Vários são os bancos que cá estão, incluíndo Royal Bank of Canada, Lloyds, Santander, CitiBank ou Natwest. Além destes, tem outros bancos privados e muito dinheiro passa por cá. De vez em quando, entra nas bocas do mundo por eventuais branqueamentos de dinheiro e abrem-se investigações. É um mundo à parte.
      O HSBC Expat e o HSBC Channel Islands e Isle of Man, têm cá a sua sede e é lá que trabalho. Fui Product Manager e agora sou Operational Support Manager. 

      Trabalhar no banco libertou-me os fins-de-semana, e voltei ao futebol de 11. Como ja estava a chegar aos 35 anos, decidi jogar nos veteranos. Fui convidado para jogar no St Paul's FC, que é o maior clube da ilha. Aceitei logo e na primeira época fomos campeões, só com vitórias. Não perdemos nenhum ponto. Época de sucesso e apenas não vencemos a Taça de Veteranos, pois esta foi cancelada devido ao Covid-19. Começamos a segunda época, e até ao momento nao perdemos nenhum jogo. Queremos ser bi-campeões, sem derrotas. 
      Como ainda estou para as curvas, tenho feito alguns jogos pela equipa de reservas, onde a minha experiência é essencial para ajudar os mais jovens. Disputam a 3ª e última divisão de Jersey, e permite-me ir mantendo a forma ao jogar contra os mais novos.

      E por aquí fica a realidade do save. Aproveitei para me apresentar e assim ficam a me conhecer um pouco melhor. Daqui em diante, entraremos na ficção e na parte divertida do save. Adoro viajar e já estive em 5 continentes. Só me falta mesmo visitar a América do Sul.
      Trabalhando no HSBC, irei aproveitar esse facto para dar andamento a este save e irei baseá-lo nisso mesmo, a oportunidade de poder viajar pelo trabalho. 
       

       

       

       
    • Victor Duque
      By Victor Duque
      Bom dia/tarde/noite pessoal!

      Nesta minha nova história aqui pela área, o que posso adiantar é que será um save de clube. O porque e como isso foi decidido, será explicado no início e decorrer da história para que não fique nenhum spoiler por aqui. Esta postagem e o próprio título da saga também serão atualizados e personalizados assim que o clube for revelado (logo).

      Dados:
      FM 2021
      Brasil Mundi Up, atualizado até algum momento do mês de junho de 2021 (exemplo: Gerson já negociado com o Marseille);
      Ligas: as ligas carregadas você pode ver aqui.
      Sobre reputação e experiência anterior do treinador, também serão informações que ficarão claras na introdução do save!
      *OBS: Esta história vai misturar realidades da vida do autor, com ficção.


      2021:
      Campeão do Campeonato Carioca série b2 (4ª divisão) Acesso no Pré-Regional;  
    • Guilhererme
      By Guilhererme
      Brescia é um tradicional clube italiano, mas sem grandes glórias, o clube detém o record de temporadas consecutivas nas Serie B italiana (18) e de temporadas totais (61) na competição, o clube que ficou mundialmente famoso por ser o clube onde o grande ídolo de toda Itália Roberto Baggio onde na temporada 2000/2001 teve sua melhor colocação em sua historia sendo o oitavo colocado na Serie A, além de ser a primeira vez em mais de 40 anos que Brescia não caiu em seu primeiro ano na elite do italiano, grande ídolo da torcida teve sua camisa 10 aposentada para sempre do clube, por tudo que representou para o clube.
      Guilherme um sonhador técnico Italiano que cresceu vendo as glórias do clube de sua cidade, torcedor do clube desde sempre conseguiu um estagio nas categorias de base do clube e tendo uma carreira meteórica era dito como principal responsável pela base do clube e foi lhe dado a chance de ser o grande nome dessa nova fase e identidade visual do clube, mas será que ele vai dar conta de dirigir o orgulho da cidade sendo tão novo? será que vai ser queimado muito rápido? Bom só vamos saber se tentar 
       

       
      Um grande professor um dia me disse "Você tem que sonhar alto, porque nem tudo que você sonha se realiza então sonhe o máximo que puder para chegar o mais longe possível", logo vamos para nossos objetivos:
       
      A Curto Prazo:
      - Conseguir o acesso a Serie A do Italiano
      - Reforçar as promessas sub-23 do clube
      - Dar espaço pros Jovens se habituarem na com o elenco na Serie B
       
      A Médio Prazo:
      - Se firmar na Serie A sem ficar voltando para o B
      - Voltar a ter 2 jogadores na seleção italiana
      - Tentar surpreender nas Copas
      - Abrir 6 jogos de vantagens no clássico contra a Atalanta
      - Classificar para uma competição Europeia
       
      A Longo Prazo: 
      - Ganhar a Serie A do Italiano
      - Ser o time base da seleção Italiana
      - Ganhar 2 Coppa da Italia (ou seja uma a mais que a Atalanta)
       
      [[BONUS]]: Trazer Tonalli de volta para sua casa em algum momento kkkk
       
      É isso galera colado ja vem a primeira atualização com as primeiras "paginas" kk
       
       
       
       
      "RUJA BRESCIA RUJA PARA TODA ITÁLIA OUVIR"
       
       
       
       
       
       
×
×
  • Create New...