Jump to content

Recre: Las Inolvidables Historias del Abuelo Decano - Aguardando avaliação


Bigode.
 Share

Recommended Posts

Reforçou bem a equipe, com empréstimos longos e assegurando algumas promessas como o Pellegri.

Essa dívida vai ser algo que terá que ser administrado pra não se transformar numa bola de neve, pelo menos conseguiu economizar com salários graças aos empréstimos sem custos.

Link to comment
Share on other sites

Parece uma equipe forte que foi reforçada ainda mais.

Negócio é chamar o Ronaldo pra ver se não tem interesse no Huelva.

Link to comment
Share on other sites

de fato alguns nomes surpreendentes como você disse. primeiros passos promissores, reestruturou o elenco sem fazer loucuras e com alívio financeiro, excelente. que venham os próximos passos, boa sorte!

Link to comment
Share on other sites

Em 04/03/2021 em 11:35, div disse:

Reforçou bem a equipe, com empréstimos longos e assegurando algumas promessas como o Pellegri.

Essa dívida vai ser algo que terá que ser administrado pra não se transformar numa bola de neve, pelo menos conseguiu economizar com salários graças aos empréstimos sem custos.

Acredito que o mercado foi muito bom mesmo. Bons nomes, jovens, com dois anos de contrato de empréstimo. Vamos ver como isso tudo responde em campo!

A dívida é uma situação complicada, mas teremos que lidar com isso. É conter a folha salarial e aproveitar ao máximo as boas oportunidades de mercado, tanto para entradas quanto saídas, para minimizar o prejuízo dentro e fora de campo.

Obrigado pelo comentário!

Em 04/03/2021 em 11:41, Nei não cai (38D) disse:

Parece uma equipe forte que foi reforçada ainda mais.

Negócio é chamar o Ronaldo pra ver se não tem interesse no Huelva.

A equipe tinha peças interessantes, mas ao meu ver também tinham fraquezas que não me faziam enxergar como uma equipe favorita aos playoffs, como o jogo dá a crer que seria o caso. De toda maneira, consegui reforçar bem, preenchendo a maioria dessas lacunas.

Rapaz, um investidor por essas bandas aqui não seria má ideia, hein?!

Obrigado pelo comentário, meu caro!

14 horas atrás, Victor Duque disse:

de fato alguns nomes surpreendentes como você disse. primeiros passos promissores, reestruturou o elenco sem fazer loucuras e com alívio financeiro, excelente. que venham os próximos passos, boa sorte!

Me surpreendi bastante, especialmente pelos nomes que inicialmente estavam “disponíveis” através da ferramenta de busca.

Que seja o suficiente para darmos ótimos passos! Obrigado!

Link to comment
Share on other sites

Fez um ótimo trabalho no mercado de transferências, tanto em termos técnicos quanto financeiros. Acho que vem pelo menos a vaga no playoff.

A imprensa chegou a modificar a expectativa da classificação final do Recre como fez com o Wrex? Não que isso queira dizer algo em termos práticos, mas acaba sendo mais um parâmetro do que se espera da equipe com base no trabalho realizado.

Boa sorte na continuação e que venha a temporada oficial!

Link to comment
Share on other sites

Conseguiu reforços de extrema qualidade para um time da terceira divisão espanhola, Pellegri e Correia vão fazer chover aí.

Link to comment
Share on other sites

  • Vice-President

Montou um elenco equilibrado em termos de qualidade, podendo ter aquela segurança de trocar um jogador por outro sem medo de ocorrer uma queda de rendimento devido à diferença de qualidade entre os atletas. Agora é ver como essa equipe se encaixou em campo.

Link to comment
Share on other sites

22 horas atrás, Tsuru disse:

Fez um ótimo trabalho no mercado de transferências, tanto em termos técnicos quanto financeiros. Acho que vem pelo menos a vaga no playoff.

A imprensa chegou a modificar a expectativa da classificação final do Recre como fez com o Wrex? Não que isso queira dizer algo em termos práticos, mas acaba sendo mais um parâmetro do que se espera da equipe com base no trabalho realizado.

Boa sorte na continuação e que venha a temporada oficial!

A ideia dessas mudanças todas é justamente essa. Você me conhece, já falamos, quero sempre buscar o topo, e acredito que o elenco precisava dessa reformulação para isso.

Então, como falei ali na outra atualização, nossa cotação pela mídia já era ficar em primeiro lugar logo no início do save (com a diretoria tendo como expectativa mínima a classificação pros playoffs), então mesmo que houvesse essa mudança, não teria muito pra onde subir, né? hahaha O que pode ter acontecido é aquele número das casas de aposta ter melhorado, mas eu não lembro como ta no início do save, antes das contratações, então fica difícil afirmar agora.

Obrigado!

20 horas atrás, Johann Duwe disse:

Conseguiu reforços de extrema qualidade para um time da terceira divisão espanhola, Pellegri e Correia vão fazer chover aí.

Pois é, reforços excelentes mesmo, me surpreendi demais. Acho que as reputações tanto do clube como da divisão são maiores do que eu pensava, talvez. Tô contando que eles joguem muito mesmo!

Obrigado pelo comentário!

12 horas atrás, Henrique M. disse:

Montou um elenco equilibrado em termos de qualidade, podendo ter aquela segurança de trocar um jogador por outro sem medo de ocorrer uma queda de rendimento devido à diferença de qualidade entre os atletas. Agora é ver como essa equipe se encaixou em campo.

Tirando uma ou outra posição ali (alô, laterais!), realmente consegui uma profundidade bacana e que me permite fazer uma rotação sem grande prejuízo, e isso é o mais importante, mesmo o campeonato sendo relativamente curto. Agora o importante mesmo é isso aí, tudo se encaixar em campo.

Obrigado pelo comentário!

Link to comment
Share on other sites

Banner.png.9196461175d362e7ced87f677fc95078.png

3. Una Maquina Argentina

Na última atualização, mostramos aqui um pouco da Revolución Onubense, com toda a transformação pela qual o elenco passou e o impacto financeiro que isso teve.

Agora, é hora de ver como foram os primeiros passos dessa nova Era no clube, abordando o sistema tático, a pré-temporada e os primeiros jogos oficiais

Amistosos.png.37009b9e73fc61f1b424a141e150e9d9.png

Normalmente, eu começaria falando do sistema tático, pra depois emendar os jogos - oficiais e amistosos. Por questões que ficarão claras nas próximas linhas, porém, achei por bem falar primeiro sobre como correu nossa pré-temporada dentro de campo.

Há quem menospreze os amistosos, colocando-os em segundo plano e afirmando que é perda total de tempo falar sobre eles. Não poderia discordar mais. É óbvio que a atenção dada a eles nas atualizações, via de regra, não será a mesma de jogos oficiais, mas os vejo com muita importância, não só para dar ritmo de jogo e entrosar atletas entre si e com o modelo de jogo. E nossa pré-temporada é uma grande prova disso. E é por isso, aliás, que sempre faço questão de jogar as partidas da pré-temporada, ao invés de botar o jogo em modo Férias ou lançar a partida em Instant Result

O primeiro exemplo disso é Nauzet, experiente goleiro que fazia parte do elenco no início do save. Ao analisar os jogadores, tive para mim que o veterano tinha qualidade mais do que suficiente ao menos para o atual escalão, com Yamaguchi sendo um reserva decente para quando (e se) necessário. Parte dessa convicção era baseada também na análise da comissão técnica. Vale lembrar que não cheguei a analisar os elencos dos outros clubes. Pois bem... primeiro amistoso, segundo, terceiro... e meus olhos já sangravam. Eu soube: se dependesse de Nauzet, nossa temporada nem precisaria começar. De início, até pensei que pudesse ser a falta de ritmo de jogo, mas eram erros grotescos. E não melhorou com o tempo. Fui então ao mercado atrás de um goleiro, que não era meu plano inicial. Mariano Barbosa, que acabou contratado, veio para fazer testes e agradou logo de cara, o que me confirmou que não era falta de ritmo, o Nauzet era ruim mesmo.

298559428_Pr-Temporada.thumb.png.64d9f1ab81f40d61a01a5d37fad1e392.png
Vale lembrar que o elenco esteve em processo de reformulação durante quase toda a pré-temporada

Outro exemplo diz respeito ao modelo de jogo. Durante a criação do meu perfil, marquei o Tiki-Taka Vertical como minha filosofia favorita e o 1-4-3-3, com um volante, dois meias centrais e dois pontas, como meu sistema tático preferido. Acreditando naquilo que o jogo trazia como padrão para a filosofia e sistema em conjunto, não alterei nada, indo com o que era setado por padrão para essa combinação. Foi sofrível e penamos em campo. Eu acreditava que essa conjuntura padrão daria bom, não deu. Meti a mão na massa, então. Dei um pouco mais da minha cara, transformei aquilo no que eu acredito como Modelo de Jogo. Não me lembro agora de cabeça, mas creio que concretizei as mudanças logo antes do jogo contra San Roque de Lepe ou Cartaya. A diferença passou a ser brutal.

Imaginem só se eu desprezasse a pré-temporada como tem gente que despreza...

244178606_DecanoTctico.png.324aa7161005beb090ba66ea633c9604.png

1610611408_SistemaTtico.png.6b654c9be9f50ea5175dd9694ff762d5.pngSobre nosso Modelo de Jogo e nosso sistema tático, não há muito mistério. Como falei acima, a filosofia-base é o Tiki-Taka Vertical, que consiste com as ideias de jogo que mais me agradam e que gosto de introduzir em minhas equipes. Antes de mais nada, vale ressaltar que, para mim, não importa se o FM acusa que um jogador é muito ou pouco proficiente em tal posição. Como já conversei com alguns colegas, como o @Tsuru, acredito que isso é irrelevante. Já vi, por exemplo, muito atacante que supostamente atuava melhor como Avançado Completo só fazendo atuação péssima na função, enquanto outros que teoricamente não eram tão proficientes na mesma (e muitas vezes tinham vários dos atributos necessários pra função abaixo do que se espera para uma boa atuação) deitando e rolando.

Pois bem: coletivamente, com a bola, uma equipe razoavelmente estreita, com foco nos passes curtos e um ritmo alto. Com a saída de jogo à partir da defesa, e jogando centralizado, o foco é no underlap tanto pelo lado direito do ataque quanto pelo lado esquerdo. Aqui, optei por manter o padrão, mas a ideia é, com o tempo, tentar a transição para o overlap em ambos os lados. O foco é também evitar chutar de qualquer jeito, e por isso a instrução para levar a bola até a área.

Nossa transição não tem muito mistério: quando perdemos a bola, peço para que busquem recuperar a mesma imediatamente. E quando recuperamos a posse, partimos para a baliza adversária.

Para facilitar esse processo, jogamos com a linha defensiva o mais alto possível, de forma a cercar o adversário em seu campo de defesa. A linha de engajamento, por sua vez, é "intermediária", evitando um grande espaçamento das linhas e buscando diminuir o risco de nossos jogadores mais avançados ficarem constantemente impedidos. Como acredito que o atacante é nosso primeiro defensor em campo, a busca por provocar o erro do adversário é constante, com uma intensidade de pressão ligeiramente alta e a instrução de obrigar o goleiro adversário a buscar o chutão, aumentando nossas chances de ficar com a posse da bola e iniciar um novo ataque.

Individualmente, temos o goleiro como líbero, que é algo que nunca abro mão. As funções dos laterais fora mantidas como padrão, mas como na questão do underlap/overlap, a ideia é com o tempo buscar a transição, possivelmente para o Ala Completo, ao menos de um dos lados. O mesmo vale para a dupla de zaga, a qual pretendo ter dois zagueiros que saibam atuar mais com a bola nos pés (Ball Playing Defender, no original; não lembro o termo em português, mas acho que é Defensor com Bola mesmo).

No meio-campo, gosto sempre de ter uma presença bem técnica, um meio dinâmico e que goste de ter a bola, que goste de jogar. Até por isso, por não alguém fazendo uma função REALMENTE defensiva, que optei por deixar os três com funções de suporte (na verdade, somente o construtor de jogo recuado tem mais de uma tarefa disponível, sendo elas Defender e Apoiar). O Regista é nosso grande maestro, é quem dita nosso ritmo, que rege nossa orquestra. O Box-to-Box, pra mim, é um jogador indispensável em meus sistemas. A única hipótese de não contar com um jogador exercendo essa função é se contar ao menos com um Mezzala. Por fim, minha dúvida era mesmo com o Construtor de Jogo Recuado. Estava entre ele e uma função mais ofensiva, o Construtor de Jogo Avançado. A princípio, optei pelo primeiro, mas a ideia é eventualmente fazer testes com a segunda função.

Mais a frente, a ideia inicial era ter um Ponta Invertido e um Avançado Interior. Por questões de cláusula de contrato de empréstimo, estou tendo que escalar Vorlicky como Ponta Invertido, mas o time tem rendido bem com dois jogadores nessa função, então tenho mantido. Fica, porém, essa nota para o futuro. Também fica para o centroavante. Gosto muito de utilizar um jogador atuando como Avançado Completo. É sempre minha primeira opção. O contrato de empréstimo de Pellegri, porém, tem uma cláusula que exige que ele atue como Advanced Forward (Ponta-de-Lança no português, talvez, não lembro). Felizmente a função ornou com o sistema e com o Modelo, e Pellegri e Beljo estão tendo boas atuações dessa maneira.

1263126810_SegundaDivisinB.png.5eaa511b6f1b5ed6f0015597c805ae40.png

Depois de tanto escrever, passou da hora de falar do que realmente importa: os jogos oficiais. Antes, um breve resumo da Segunda División B, a qual somos cotados para o topo:

Spoiler

 

A competição é disputada por 102 clubes, divididos em 20 grupos (3 de 20 clubes cada, 2 de 21 clubes cada). Cada um desses grupos (nomeados I, II, III, IV, e V) é dividido em dois subgrupos (A e B - oito deles com 10 clubes cada, dois deles com 11 clubes cada). O Recreativo de Huelva está no subgrupo A do grupo IV. Nosso grupo conta com 10 clubes, o que significa que nessa primeira fase realizaremos 18 partidas.

Em todos os subgrupos, temos os três primeiros colocados garantindo classificação para a Fase de Promoção, enquanto os últimos quatro clubes vão para a Fase de Rebaixamento. Não sei se o campeonato foi sempre assim, creio que não, visto que sofrerá mudanças a partir da próxima temporada, diminuindo drasticamente o número de participantes. Inclusive, pelo que entendi, os clubes "intermediários", que terminarem entre a 4ª e 6ª posições, disputam também um playoff, para decidir quem será promovido para futura nova divisão. Como minha ideia é subir agora, não quero pensar nisso agora. 😂

Pelo que pesquisei aqui, na Fase de Promoção, os clubes "carregam" suas campanhas da primeira fase. É vital, portanto ficar de olho nos outros grupo e tentar fazer a melhor campanha possível nesse primeiro momento. Nessa segunda fase, os três primeiros de cada subgrupo se juntam, formando um grupo de seis clubes. Aqui, novos confrontos de ida e volta, mas apenas dos clubes do subgrupo A contra os clubes do subgrupo B - clubes que disputaram a primeira fase no mesmo subgrupo não se enfrentam. Os três primeiros colocados de cada grupo mais o quarto melhor colocado dentre todos os grupos (somando assim 16 clubes) se classificam para a próxima fase, denomeada Play Off de Ascenso a Segunda División. Aqui a coisa é mais simples: mata-mata. Só mata, na verdade, já que cada eliminatória será em jogo único. As partidas ocorrem em campo neutro e são definidas por sorteio, com base no desempenho e evitando até onde der que dois clubes que disputaram o mesmo grupo se enfrentem novamente. Em caso de empate na prorrogação, se classifica quem teve melhor campanha na segunda fase. Pênaltis apenas se os clubes terminaram na mesma posição. Sobem quatro clubes. Portanto, se chegarmos nessa fase, precisamos vencer duas eliminatórias.

Quero só ver se o FM tá voando nessa questão e vai reproduzir tudo certinho. Vamos ver do que é feita a SI... 😂

 

Iniciamos nossa campanha recebendo o Atlético Sanluqueño, um dos piores cotados do grupo. Sem dificuldade, começamos de forma arrasadora e com cinco minutos já vencíamos por 2x0, ambos os gols de Pellegri com assistências de Vorlicky. Parecia que viria goleada, mas paramos por aí, apesar do amplo domínio. Na sequência, visitamos o Cádiz B e goleamos sem dificuldades, dessa vez com brilho de Alexander Szymanowski, que marcou duas vezes e ainda deu uma assistência.

O mês de Novembro começou com uma pedreira, ao recebermos o San Fernando, clube da terceira melhor cotação do grupo e que também havia vencido suas duas primeiras partidas. Apesar de dominarmos novamente, o jogo foi mais duro e a vitória veio só nos acréscimos com um gol salvador de Szymanowski, com outra atuação de gala. Mais um gol de uma assistência pro veterano argentino.

1804139411_RecrevsSanFernando.thumb.png.7de94df94bbc3ea3d16bfc44ecf609c9.png

Na sequência, visitamos o Algeciras e o placar ficou até barato para o que foi o jogo: amplo domínio, com 57% da posse de bola e 29 remates (10 no alvo) contra apenas 4 (2 no alvo) dos donos da casa. Novamente destaque para Szymanowski, com mais dois gols marcados. Vale menção também a Ranocchia, com duas ótimas assistências. O jogo seguinte foi uma daquelas frustrações típicas de FM: na visita ao Tamaraceite, simplesmente amassamos o time da casa. Com 60% da posse de bola, foram 22 remates (10 no alvo) contra apenas 2 (2 no alvo) deles. O placar? Não saiu do zero. Curiosamente, o goleiro deles, que terminou com nota 7,9, se chama... Nauzet. Certamente quis vingar o xará, relegado ao nosso time B.

Em busca de nos recuperarmos do tropeço, recebemos o Las Palmas Atlético, mas em uma bobeada, saímos atrás aos 16'. Apenas quatro minutos depois, porém, Szymanowski, sempre ele, empatou. O primeiro tempo se arrastou assim e aí decidi mexer: saquei José Carlos (que foi titular na ponta esquerda devido à lesão de Vorlicky) e mandei Valakari a campo. Contratado inicialmente para atuar na zona central do meio-campo, ele também pode atuar por ali e decidi optar por isso. Quatro minutos depois, e um chutaço de esquerda de fora da área do finlandês virava o jogo. Aos 78', nova assistência de Szymanowski e Ranocchia deu números finais.

Para a partida seguinte, visitamos o Linense e com Beljo no comando do ataque, vencemos por 2x0 com dois gols dele, mostrando que se Pellegri dormir no ponto, tem uma sombra fortíssima. Dias depois, para iniciar Dezembro, recebemos o fortíssimo Marbella, que comandado por Esteban Granero e Juanmi Callejón, disputa ponto a ponto a liderança conosco. Com Beljo novamente titular, foi dele o gol que abriu o placar logo aos 8'. Apesar de jogarmos melhor, o Marbella mostrou sua força ao empatar aos 33', vinte minutos depois de Szymanowski ter perdido um pênalti. E aí começou a palhaçada: apenas dois minutos depois do gol do empate, o juizão resolveu aparecer e expulsou Tripaldelli por um carrinho na lateral, na altura do meio-campo. Fui à loucura. Com um a menos, contra uma equipe qualificada, ficou difícil. Eles viraram aos 73' e nós até empatamos aos 85', novamente na estrela de Valakari, que entrara três minutos antes, na mesma substituição daquele jogo contra o Las Palmas (mas no lugar de Vorlicky, já recuperado de lesão). Pena que aos 87' acabamos levando o terceiro, perdendo nossa invencibilidade.

Na coletiva pós-jogo, o primeiro indício de que eu estava certo: me perguntaram sobre a ausência do VAR. Claramente a TV viu o lance e sabia que o árbitro errou. O segundo indício veio logo depois: apelei contra a suspensão de Tripaldelli e a federação ACEITOU MEU PEDIDO, afirmando que eu estava correto. O árbitro? Apesar do erro, ganhou nota 9 e segue fazendo seu trabalho normalmente.

751804458_RecrevsMarbella.thumb.png.4b9cf25cf08e912ec067b4b80908b1aa.png

A derrota nos tirou a liderança, mas nos recuperamos bem: naquele que era pra ser o primeiro jogo do 2º turno, visitamos o Atlético Sanluqueño e, novamente sem dificuldades, vencemos por 3x1, apesar de sair atrás com um gol aos 3' - dois minutos depois, porém, Beljo já havia empatado. E Szymanowski novamente nos liderou rumo a virada, com um gol e uma assistência. Depois, para fechar Dezembro, visitamos o C.D. Marino, no que era teoricamente o último jogo do 1º turno, e também sem problemas goleamos por 3x0. O homem do jogo? Vocês sabem: Szymanowski, com mais um gol e uma assistência.

1192480080_JogosOutubro-Dezembro.thumb.png.3599ffb3c12a38bfd7109cc242cdba18.png

Após 10 rodadas jogadas, ocupamos o posto máximo do grupo, com o melhor ataque e a melhor defesa. O Marbella, porém, segue na nossa cola. O San Fernando começou muito bem também, mas teve uma pequena queda e creio que a luta pela liderança deve mesmo ficar entre Recre e Marbella. A classificação pra próxima fase dificilmente deve escapar desses três times.

1318756926_ClassificaoPs-10Rodada.png.560761c2815bd4e0a0873f91d50daab8.png

538667592_CopaDelRey.png.48bf1387f505910159cf207aae07c844.png

Já no fim de Dezembro, entre as partidas contra Atlético Sanluqueño e C.D. Marino, tivemos também nossa estreia na Copa del Rey. Aqui, a expectativa da diretoria é chegar pelo menos na Terceira Eliminatória. Temos, portanto, que vencer duas partidas. E na estreia recebemos o La Nucía, então 6º colocação do Grupo III Subgrupo B da Segunda División B.

Poupando alguns jogadores, não fizemos o jogo dos sonhos, mas dominamos amplamente e goleamos sem dificuldades, com gols de Vorlicky e Pellegri, duas vezes cada. O tcheco ainda deu uma assistência.

Nosso próximo adversário será o Getafe, da LaLiga. Acredito que, infelizmente, não será possível cumprir as expectativas da diretoria para a competição.

1101659584_RecrevsLaNuca.thumb.png.889ea15ef5d505f89ef8f1eae4f9d44b.png

62249743_LaPlantilla.png.bf468e91658e3c0950426230f6d676ae.png

Com uma campanha tão boa até aqui, é fácil afirmar que basicamente o time todo tem estado muito bem. Mas é necessário destacar um nome: Alexander Szymanowski. Eu sabia que o argentino poderia ter papel importante, mas ele vai superando e muito as expectativas. Com 8 gols e 7 assistências em 11 partidas, o veterano é uma verdadeira máquina, tendo sido o Melhor em Campo em 6 oportunidades e somando uma média de 7,64 - a maior do elenco, com sobras.

Pietro Pellegri é outro que vem muito bem - e ainda acho que poderia estar melhor - com 7 gols e 1 assistência em 8(1) partidas. Seu reserva, Dion Drena Beljo, não decepciona também: em 3(3) partidas, foram 4 gols.

Na baliza, embora não sofra muito, Mariano Barbosa vai fazendo bem seu papel. Nossa dupla de zaga começou composta por Jiménez e Valentín, ambos atuando em altíssimo nível. Com o passar dos jogos, passei a dar tempo de jogo também para Pedro Álvaro e o experiente Jorge Morcillo, com o português me dando uma boa dor de cabeça com ótimas atuações. Já nas laterais, Thierry e Tripaldelli são unânimes, muito devido a fragilidade de seus reservas (especialmente Madrigal). Mas Tripaldelli também faz por merecer. Thierry começou tímido e com atuações apagadas, mas tem melhorado.

No meio-campo, a trinca formada por Alberto Martín, Ranocchia e Molina vai muito bem, obrigado. Martín é o que menos se destaca. Ranocchia, inicialmente, seria reserva, mas uma lesão de González na pré-temporada lhe garantiu a vaga e as boas atuações nos jogos o fizeram permanecer lá. González que corra atrás! Valakari tem entrado bastante, e embora tenha sido contratado como meia-central, suas grandes atuações foram nas partidas em que entrou pela ponta esquerda. Atenção a essa informação para o futuro, aliás.

Além do já citado e enaltecido Szymanowski, Vorlicky também vem muito bem do lado esquerdo do ataque, contribuindo com 4 gols e 3 assistências em 8 partidas. Números que poderiam ser ainda melhores não fosse uma lesão que o deixou de fora de algumas partidas. Vai voando o ponta tcheco!

581654514_EstatsticasElencoDezembro.thumb.png.609c1a203e02e644e1d7f077cc2ba202.png

Com o fim de Dezembro e a chegada de Janeiro, chega também a abertura da janela. Mudanças podem ocorrer, não descarto nada. O foco, porém, segue forte dentro de campo, com a segunda metade dessa primeira fase e a sequência da Copa del Rey. Vamos, Recre! ⚫

 

Link to comment
Share on other sites

  • Bigode. changed the title to Recre: Las Inolvidables Historias del Abuelo Decano [att: 06/03]

Ui ui, vamos Recre. A pré-época foi positiva e preparaste bem o plantel para os jogos oficiais. Foi um arranque a todo o gás. Derrota contra Marbella só veio equilibrar a liga mas acredito que irás sorrir no final.

Link to comment
Share on other sites

Eu sempre falo que amistosos servem para dar conjunto a equipe e para os jogadores assimilarem bem as táticas. As vezes desenhamos uma formação tática, mas ela não é eficiente com os jogadores que temo e é nos amistosos que conseguimos ver e mudar se for necessário. Na maioria das vezes eu jogo os amistosos no 3D justamente para analisar essas situações. Nos jogos a vera o Recreativo de Huelva tem feito uma excelente temporada, mas tem que abrir os olhos com os seus dois perseguidores: Marbella e San Fernando.

Se já colocou eu peço desculpas se eu não vi, mas pode colocar uma screen do Szymanowski? O cara parece ser um matador nato.

Link to comment
Share on other sites

Que confusão as regras do campeonato haha.

Ainda bem que conseguiu identificar cedo que o goleiro poderia causar problemas e isso não veio a ser problema para esse início de temporada, que vem sendo bastante positivo. A lamentar só a derrota em casa pro Maribella. E acho que vai ser o que tu falou mesmo, os dois primeiros que vão disputar mais intensamente a liderança, San Fernando já ficou um pouco para trás.

Link to comment
Share on other sites

Gosto do seu estilo de postagem. É objetivo e simples. Vou acompanhar!

Arrisquei a Espanha também com o La Coruña mas devido as finanças, desanimei. O clube realmente está fadado a falência ou eu que administrei errado.

ANYWAY...

Aposto que o Szymanowski será o craque desse time, assim como é na vida real.

Me chamou atenção um CJR (Ap) e um Regista no meio campo. Eles não vão bater cabeça, por mais que estejam em setores diferentes do campo? Nunca usei a função do Pirlo apesar de ser possivelmente uma das minhas favoritas no futebol.

Boa sorte!

Link to comment
Share on other sites

Eu li, ia comentar e acabei esquecendo HAHAH. 

Enfim, usou e abusou dos empréstimos para montar o time, isso é bom. Foi a mesma estratégia que usou no Pro Vercelli no saves e desafios e deu certo. Outra coisa que me chamou atenção é o que já foi comentado, Pellegri e Thierry terem aceitado ir. Que bom que aceitaram né? Vai montar uma máquina.

O esquema 4-3-2-1 é o mais versátil de todos os esquemas na minha opinião. Tu consegue adiantar o volante para um MOC se precisar. Consegue recuar os 2 extremos fazendo um 4-4-2, enfim, opções não faltam. Da maneira como tu usou fica bem legal também. Não sei se minha interpretação é a certa, mas tu soltou o Thierry pela direita como atacar (igual o Gallardo faz com o Montiel no River), enquanto o Szymanowski fica como apoiar por ali. No outro lado, seu LE fica como apoiar e o extremo atacar. Bem equilibrado e simétrico. Os gols têm saído mais pela direita, né?

A derrota para o Marbella parece ter sido prevista, inclusive elogiou o time deles antes. Ou seja, não prejudicou a bela campanha até aqui. Espero que continue ido bem. Boa sorte na sequência!

Link to comment
Share on other sites

Excelente arranque, vamos ver se consegue manter o ritmo, acredito que sim. As derrotas acontecem especialmente quando menos esperamos, por isso isto é um espetáculo. Força Recre.

PEACE

Link to comment
Share on other sites

Em 06/03/2021 em 08:30, Cadete213 disse:

Ui ui, vamos Recre. A pré-época foi positiva e preparaste bem o plantel para os jogos oficiais. Foi um arranque a todo o gás. Derrota contra Marbella só veio equilibrar a liga mas acredito que irás sorrir no final.

Temporada até agora decorreu muito bem mesmo, desde a movimentação no mercado, passando pela pré-época e os jogos oficiais. O jogo contra o Marbella foi um roubo, mas é legal também pra dar um gostinho a mais pro campeonato. Só espero não afetar o resultado final da tabela.

Obrigado pelo comentário!

Em 06/03/2021 em 11:53, LC disse:

Eu sempre falo que amistosos servem para dar conjunto a equipe e para os jogadores assimilarem bem as táticas. As vezes desenhamos uma formação tática, mas ela não é eficiente com os jogadores que temo e é nos amistosos que conseguimos ver e mudar se for necessário. Na maioria das vezes eu jogo os amistosos no 3D justamente para analisar essas situações. Nos jogos a vera o Recreativo de Huelva tem feito uma excelente temporada, mas tem que abrir os olhos com os seus dois perseguidores: Marbella e San Fernando.

Se já colocou eu peço desculpas se eu não vi, mas pode colocar uma screen do Szymanowski? O cara parece ser um matador nato.

Penso exatamente o mesmo da pré-temporada. Algumas vezes já pensei em mexer em tudo e colocar em modo férias (ou em Instant Result, agora que existe essa possibilidade) na hora das partidas, mas não o faço exatamente por essa maneira de pensar.

A temporada tem corrido muito bem, mas não podemos bobear mesmo, porque os dois concorrentes estão ali bem na cola.

Sobre o Szymanowski, eu havia colocado no último post da primeira página, quando apresentei o elenco, mas vou colocar o perfil dele aqui em spoiler. Por acaso, ele não joga como atacante (até pode jogar, mas sem uma proficiência alta), mas vem realmente deitando e rolando aberto pela direita. É um cara bem completo pra esse escalão, com uma boa veia artilheira e sabendo também servir muito bem os companheiros, seja em bola parada ou com bola rolando.

Spoiler

ACtC-3cONLyLRENFTDRvtb1hiA7QXSJbHP-dCOtb

 

23 horas atrás, div disse:

Que confusão as regras do campeonato haha.

Ainda bem que conseguiu identificar cedo que o goleiro poderia causar problemas e isso não veio a ser problema para esse início de temporada, que vem sendo bastante positivo. A lamentar só a derrota em casa pro Maribella. E acho que vai ser o que tu falou mesmo, os dois primeiros que vão disputar mais intensamente a liderança, San Fernando já ficou um pouco para trás.

Achei um pouco confuso também a princípio, mas depois lendo mais uma ou duas vezes até que deu pra entender. Imagino como o pessoal da SI deve ter amado pra fazer isso. O pior é que tiveram que fazer duas coisas diferentes, já que a partir da próxima temporada vai ter uma mudança nesses escalões inferiores.

Olha, santa pré-temporada que me ajudou a identificar o problema! Na liga, no fundo acho que a briga fica entre Marbella e nós mesmo, mas todo cuidado é pouco. Uma má fase pode significar o San Fernando chegar perto. Achei uma equipe meio embaçada.

15 horas atrás, Banton disse:

Gosto do seu estilo de postagem. É objetivo e simples. Vou acompanhar!

Arrisquei a Espanha também com o La Coruña mas devido as finanças, desanimei. O clube realmente está fadado a falência ou eu que administrei errado.

ANYWAY...

Aposto que o Szymanowski será o craque desse time, assim como é na vida real.

Me chamou atenção um CJR (Ap) e um Regista no meio campo. Eles não vão bater cabeça, por mais que estejam em setores diferentes do campo? Nunca usei a função do Pirlo apesar de ser possivelmente uma das minhas favoritas no futebol.

Boa sorte!

Obrigado! Tento simplificar ao máximo, apesar de acabar escrevendo muito. Já utilizava esse estilo nas histórias anteriores, embora tenha aprimorado um pouco agora com a inserção das barras e uma melhor divisão dentre os assuntos dentro do post.

Acho que por mais que o clube esteja realmente em condições financeiras ruins, não há nada que não seja possível de reverter. É tudo uma questão de organizar a casa, literalmente, com uma política mais áustera no curto prazo, abusando de empréstimos de jogadores, até chegar na elite e começar a receber mais dinheiro para virar de vez o jogo.

O argentino tem se destacado mesmo. Espero que continue assim até o fim da temporada, é um jogador com o qual conto muito, até pela experiência.

Olha, sobre as funções, aqui não há problema não. Vou até convocar o @Tsuru, que no jogo sabe sobre a parte tática de forma bem mais minuciosa do que eu (embora eu não me ache uma planta nessa área, claro hahaha), mas eles não batem cabeça não, pelo contrário. Pelo menos por aqui, isso não está acontecendo. Eu até acho que eles ornam muito bem, isso sim.

Obrigado!

6 horas atrás, ElPerroMG disse:

Eu li, ia comentar e acabei esquecendo HAHAH. 

Enfim, usou e abusou dos empréstimos para montar o time, isso é bom. Foi a mesma estratégia que usou no Pro Vercelli no saves e desafios e deu certo. Outra coisa que me chamou atenção é o que já foi comentado, Pellegri e Thierry terem aceitado ir. Que bom que aceitaram né? Vai montar uma máquina.

O esquema 4-3-2-1 é o mais versátil de todos os esquemas na minha opinião. Tu consegue adiantar o volante para um MOC se precisar. Consegue recuar os 2 extremos fazendo um 4-4-2, enfim, opções não faltam. Da maneira como tu usou fica bem legal também. Não sei se minha interpretação é a certa, mas tu soltou o Thierry pela direita como atacar (igual o Gallardo faz com o Montiel no River), enquanto o Szymanowski fica como apoiar por ali. No outro lado, seu LE fica como apoiar e o extremo atacar. Bem equilibrado e simétrico. Os gols têm saído mais pela direita, né?

A derrota para o Marbella parece ter sido prevista, inclusive elogiou o time deles antes. Ou seja, não prejudicou a bela campanha até aqui. Espero que continue ido bem. Boa sorte na sequência!

Quem nunca? HAHAHA

É exatamente a mesma estratégia, de fato. E é uma que gosto de usar - e vejo como extremamente necessária - quando estamos em uma situação onde o dinheiro não é algo abundante (e no caso do Recreativo, ainda tem a questão da dívida). É péssimo não poder ter um elenco todo ligado em definitivo ao clube, já que os jogadores são o grande ativo, mas é um mal necessário, por assim dizer. E, deixando a modéstia de lado, nessa parte (de mercado como um todo, na verdade) eu sou foda pra caralho. ADORO fuçar, pesquisar, garimpar jogadores... acho que se não fosse seguir a carreira de treinador, certamente iria ali pro lado de ser diretor de futebol ou olheiro. Claro, não é 100% e erros acontecem, mas posso dizer que tenho uma excelente taxa de acerto - e que acaba compensando em muito os poucos erros.

O Pellegri e o Thierry terem aceitado me surpreendeu demais, mesmo. Não tava esperando. O Thierry ainda demorou uma vida pra aceitar, o Pellegri foi rápido: fiz a proposta, apertei Continuar, eles aceitaram, apertei Continuar de novo, ele aceitou.

Eu gosto muito desse sistema tático. É meu preferido, de longe. E justamente essa questão "híbrida" dele é uma das coisas que mais me chama atenção, além da facilidade que esse sistema te dá pra conseguir tanto solidez defensiva quanto defensiva, pela disposição dos jogadores em campo. A ideia sobre as tarefas ali é mais ou menos essa mesmo. Chega até a ser sem querer, de tão automático pra mim que é fazer isso. Equilíbrio é tudo. Cara, pensando agora de cabeça, a impressão que tenho é que os gols saem de ambos os lados em boa quantidade. Depois vou até confirmar aqui. Mas o fato do Szymanowski contribuir tanto pra gol acaba corroborando mais com essa sua ideia mesmo.

A derrota pro Marbella foi foda porque assim... é um time encardido, então digamos que é aceitável um revés, mas jogando na nossa casa, era obrigação vencer - e acredito que se não fosse o roubo, isso teria acontecido. Mas é fato que é uma equipe que dá trabalho, não é como um tropeço qualquer.

Obrigado!

5 horas atrás, six_strings disse:

Excelente arranque, vamos ver se consegue manter o ritmo, acredito que sim. As derrotas acontecem especialmente quando menos esperamos, por isso isto é um espetáculo. Força Recre.

PEACE

Início muito bom mesmo, mas agora é a hora da verdade. Temos que manter a pegada e ir rumo a próxima fase. É isso mesmo, quando menos esperamos, vem o revés. O importante é conseguir se levantar dele.

Força, Recre!

Link to comment
Share on other sites

Banner.png.47b9453fda4a73c81f9db10a7a346654.png

4. Um ataque avassalador

Na última atualização, acompanhamos o início da temporada do Recreativo, com um ótimo primeiro turno que alçou o clube a liderança do seu grupo, embora dois concorrentes estivessem na cola. Além disso, disputamos a primeira eliminatória da Copa del Rey, garantindo a classificação. Vamos ver o que a sequência nos reservou?

Transferencias.png.bc65b22c71d470232e27a7222390257e.png

Antes de falar do que aconteceu dentro de campo, vamos dar uma olhadinha no mercado do clube durante a janela de transferências de Janeiro.

Depois de não conseguirmos nos desfazer de cinco atletas que não faziam parte dos planos no início da temporada, relegando os mesmo ao nosso time B, dessa vez a história foi diferente. O foco, porém, era mais em nos livrarmos dos salários, tanto que fiz zero força para conseguir algum trocado com eles. Relembrando, os cinco jogadores eram: Nauzet (Getafe), Antonio Ponce (S.D. Logroñés), Víctor Barroso (F.C. Andorra), Jesús Sillero (Ibiza) e Alberto Quiles (FK Vojvodina). O único que nos rendeu algum dinheiro foi o atacante Quiles, vendido por €30 mil. Com a saída deles, liberamos quase €53 mil/mês. A pegadinha, e o que só reparei depois, é que esse valor já havia sido liberado da folha salarial quando os rebaixamos para o time B.

Isso não quer dizer que não reduzimos mais nossa folha salarial. O veterano Jorge Morcillo pouco vinha jogando e já havia pedido mais tempo de jogo. Quando a janela abriu, os israelitas do Maccabi Petah Tikva fizeram uma proposta por ele, à custo zero. Como o contrato dele acabaria no fim da temporada e ele dificilmente ganharia muito mais tempo de jogo, decidi aceitar. Além dele, também mais para diminuir a folha salarial do que ganhar dinheiro, liberei de graça o ponta José Carlos para o Badajoz. Ele pouco jogava, quando entrava não mostrava bom nível e acertei sua saída após a única chegada dessa janela. Com ambas as saídas, reduzimos a folha salarial em €34 mil/mês. A redução, na verdade, foi um pouco inferior a isso...

Isso porque ainda no início de Dezembro, tomei conhecimento da rescisão mútua de contrato do meia Sergio Gil junto ao Extremadura. O jogador passou o restante do mês em testes por aqui e logo após a virada do ano, acertamos um contrato de 2 anos, com vencimentos na casa dos €5 mil/mês. Com sua chegada, oficializei o avanço de Valakari para fazer sombra a Vorlicky na ponta esquerda.

1115961576_SergioGil.thumb.png.41c75d9e625fe6a4202b119e188f013c.png

1717898294_CopaDelRey.png.2978ee52c89ca460ca7f665000bf669b.png

Dessa vez vou inverter o começar pela Copa del Rey. Depois de atropelarmos o La Nucía na Primeira Eliminatória da competição, tivemos o azar do sorteio nos colocar a frente do Getafe, 14º colocado da LaLiga na altura do confronto. O lado positivo seria o mando do campo.

Em campo, tivemos um 1º tempo muito pobre, com apenas sete remates ao todo - e apenas um deles, da nossa parte, no alvo.

Da parte do Getafe, as coisas não mudaram muito depois do intervalo. Nós, por outro lado, tivemos uma ligeira melhora. E durante todo o jogo, ameaçamos muito mais também, com 4 chances claras e 1 meia chance - enquanto o Getafe só produziu uma de cada. O jogo, embora aparentemente equilibrado, pendia mais pro nosso lado. Mas o futebol tem das suas, os visitantes abriram o placar aos 57' e contaram com uma partida muito boa do goleiro Rubén Yáñez para segurar a vantagem.

Com a derrota, acabamos por não cumprir com as expectativas da diretoria, de chegar a próxima fase. Saio frustrado, mas ao mesmo tempo feliz pela maneira como jogamos e pelo bom número de chances criado.

1671992676_RecrevsGetafe.thumb.png.7421f3272951772ef028c76c3eff9545.png

689381906_SegundaDivisinB.png.58d266685b555daf6c1f576abc00f35d.png

Antes da partida pela Copa, abrimos o novo ano recebendo o Cádiz B e simplesmente atropelamos o adversário, abrindo o placar logo aos 4' com Ranocchia. Passada a metade do 2º tempo, transformamos a vitória em goleada com Vorlicky e Alberto Martín balançando as redes.

Após a eliminação da Copa del Rey, fomos para nosso 3º jogo consecutivo em casa, o segundo pela liga, e nos recuperamos da eliminação com uma excelente goleada sobre o Algeciras. Antes mesmo do primeiro minuto, um golaço de Luis Madrigal, substituindo Tripaldelli (que teve uma lesão moderada frente ao Cádiz B), já nos colocou em vantagem. Na metade do 1º tempo, a goleada já estava construída, com gols de Christensen e Dani Molina. No 2º tempo, Szymanowski garantiu o dele e fechou a goleada, pouco depois dos visitantes terem descontado.

1014922217_RecrevsAlgeciras.thumb.png.1800d2518bf91f750765f7ab360979b3.png

Quase duas semanas depois, fomos visitar o San Fernando e com gols de Pellegri de ponta a ponta, aos 8' e 83', conseguimos uma vitória muito tranquila contra os donos da casa, numa partida totalmente dominante e controlada. Mais importante ainda: os três pontos nos garantiram matematicamente na Fase de Promoção, com cinco rodadas por jogar.

Apesar da classificação garantida, mediante o regulamento da competição, não estaríamos agora apenas cumprindo tabela. Quanto melhor nossa campanha, mais importante seria. E foi com essa mentalidade que visitamos o Las Palmas Atlético para encerrar o mês com ótima goleada por 3x0, com mais dois gol de Pellegri e atuação de gala de Szymanowski, que mesmo sem contribuir diretamente para os gols, foi o melhor da partida.

Fevereiro significava o último mês dessa primeira fase e iniciamos da melhor maneira possível, ao receber o Tamaraceite e golear por 3x0. Esse é aquele mesmo time que amassamos completamente no 1º turno, mas não saímos do 0x0. Dominando novamente, mas em menor escala, vimos Beljo abrir o placar logo cedo e Szymanowski perder pênalti, mas se redimir convertendo outro e ainda deixando mais um com bola rolando.

Na sequência, visitamos o Marbella engasgados com aquele roubo do 1º turno. Buscando a revanche, não tivemos bom início, sofrendo gol de Chumi logo aos 2'. Depois disso, porém, só deu Recreativo. Apesar do domínio amplo, foi só no primeiro minuto da segunda etapa que empatamos. Gol dele, Szymanowski. Depois disso, porém, o jogo morreu. O Marbella conseguiu amarrar bem o restante do 2º tempo e termina essa primeira fase como única equipe que não foi batida nenhuma vez por nós.

195582882_MarbellavsRecreativo.thumb.png.d5f33a5d41a8378084c6aea2782cf0fb.png

Para encerrar nossa campanha, mais dois jogos em casa. Primeiro, amassamos o Linense, mas não conseguimos transformar essa superioridade em gols e vencemos por um apertado 2x1, gols de Pellegri e Thierry Correia. Depois, não tivemos dificuldades para também amassar o frágil C.D. Marino, repetindo a goleada do 1º turno, graças a dois gols de Pellegri e outro de Vorlicky.

1963552914_JogosJaneiro-Fevereiro.thumb.png.31d698461c68efcdd9f8bf42ffcb9322.png

Como esperado, acabamos nos classificando junto a Marbella e San Fernando. Nossa campanha, porém, destoou bastante de ambos, com o San Fernando quase perigando pisar na manteiga.

909253441_ClassificaoPs-18Rodada.png.aaeadb29eba806f758204db520174b7e.png

Olhando para os 10 subgrupos da divisão, somente pontuamos menos que o Barcelona B. Os 48 pontos deles, porém, foram conquistados em 20 jogos, visto que estavam em um grupo de 11 clubes. Se olharmos para o coeficiente de pontos - que é exatamente o que conta aqui, exatamente para equiparar os clubes dos grupos de 11 com os clubes dos grupos de 10 - tivemos a melhor campanha da fase, com 2.67 pontos, contra os 2.40 do Barcelona. Seja pela pontuação normal ou pelo coeficiente, vale notar que ficamos também a frente do Bilbao Athletic, que também num grupo de 11 clubes, fez 44 pontos.

Ainda olhando para todos os grupos, tivemos o melhor ataque, com 44 gols (o Barcelona foi o mais próximo, com 43) e a 2ª melhor defesa, com 10 gols sofridos (atrás apenas dos 8 do Barcelona).

Pensando no grupo IV, o nosso, fica clara a nossa superioridade em relação aos adversários. Mas agora a história é outra. Nos juntaremos a UCAM Murcia (39 pontos), Córdoba (39 pontos) e Real Murcia (32 pontos), os três classificados do subgrupo B, em busca de uma vaga na Fase de Playoff, grande objetivo da diretoria. Vale lembrar que são dois turnos, mas apenas contra os adversários do outro grupo. Portanto, não enfrentaremos novamente, pelo menos nessa fase, Marbella e San Fernando.

Finanzas.png.5820ac76bbb431b6a0f444b720974843.png

Como esperado, entramos no vermelho. Não há muito o que se fazer aqui, com a dívida vigente. O que está ao meu alcance, eu tenho feito, como a redução salarial. Aliás, nossa folha agora está na casa dos €200 mil/mês. Vale lembrar que quando iniciei o save, ela era de cerca de €298 mil/mês, o que significa uma redução de praticamente 1/3 da folha salarial. Tudo isso sem perder qualidade - pelo contrário, o elenco ficou ainda mais forte do que era inicialmente.

1856828182_FinanasFevereiro.thumb.png.c71782534a18fbd74991d69b274b56a7.png

1287985549_LaPlantilla.png.cb2b07328e97e7230fceb080484fa8ac.png

É difícil falar de um nome de destaque num elenco que atua TODO muito bem.

O veterano Mariano Barbosa comanda com maestria nosso sistema defensivo, num raro caso de goleiro com média superior a 7. A sua frente, Jiménez, Valentín e Pedro Álvaro revezam em duas vagas, todos em alto nível. Thierry, na direita, se firmou de vez e só falta fazer chover, enquanto Tripaldelli também segue a mesma toada do lado esquerdo.

No meio-campo, Ranocchia e Dani Molina complicam a vida dos companheiros e são dos que mais tempo jogaram, merecidamente. Revezando no papel de Regista, Alberto Martín e Christensen podem até não ter uma nota média de destaque, mas ambos têm sido muito importantes para nosso jogo.

El Rey Szymanowski segue jugando y jugando e vai sendo a grande estrela da companhia. São 23 gols - 12 marcados e 11 assistências - em 19 jogos. Um absurdo. Mais absurdo ainda são suas 10 nomeações de Melhor em Campo. Mas ele não está só: do outro lado do campo, Vorlicky também tem sido muitíssimo importante e forma uma boa dupla de experiência e juventude com o argentino.

No comando do ataque, que sorte grande! Dois atacantes que fedem a gol. Não importa se joga Pellegri ou Beljo, posso ter a consciência de que quem entrar, vai fardar. Pellegri mantém uma média de uma contribuição pra gol por jogo, com 14 gols e 2 assistências em 14(2) jogos. Nesse período, aliás, foram três os jogos em que ele terminou com dois gols marcados em cada. Avassalador. Beljo, com bem menos minutagem, não faz por menos, contribuindo com 5 gols e 1 assistência em 6(3) jogos.

857536408_EstatsticasElencoFevereiro.thumb.png.59aec4ba27d0e0cde5d354fecf1a4aa0.png

O que o futuro nos reserva? Não sei. Mas vamos com tudo em busca dessa promoção. E acredito firmemente que somos favoritos. Vamos, Recre! ⚫

 

Link to comment
Share on other sites

  • Bigode. changed the title to Recre: Las Inolvidables Historias del Abuelo Decano [att: 07/03]

Quando vi a mudança na terceira divisão espanhola eu estava curiosíssimo para ver como seria e essa temporada com o Recreativo está interessante para acompanhar isso.

Passou de forma praticamente perfeita por essa primeira fase, que foi de tiro curtíssimo, e agora vai ter que encarar dois times tradicionais e uma força emergente para seguir sonhando com a promoção. 

Boa sorte para a continuação.

Link to comment
Share on other sites

Série fantástica recheada de vitórias e bom jogo contra o Getafe. O sonho da promoção continua vivo e estás bem encaminhado para tal.

Link to comment
Share on other sites

  • General Director

Rapaz, que desafio bacana! Não conhecia o Recre, tampouco sua história. Já acompanhando aqui!

A campanha na primeira fase foi soberba, literalmente teu time sobrou em campo. Acredito que agora, afunilando a competição, a disputa fique mais ferrenha e os adversários de melhor nível ofereçam mais dificuldades, então veremos como vai se sair teu grupo.

Ótimo mercado de transferências, como sempre. Tu é bom nisso mesmo, hehe! As finanças não tem jeito: vai ter que saber conviver com esse balanço no vermelho, abusar de ferramentas como empréstimos pra fortalecer a equipe sem ter dinheiro até chegar em La Liga. Aí a partir dali pensar em estruturar essa parte de uma forma melhor, mas acho que até aqui você tá indo bem.

 

 

p.s: lindas as artes da história, gostei bastante.

p.s²: tá usando a "Rensie skin", né? Hahahaha não aguentou e se rendeu que eu sei.

Link to comment
Share on other sites

Sobrou no campeonato, foi muito bem e sobrou em campo. Ta com um planejamento interessante e acho que o time só vai crescer a cada temporada. Boa sorte na sequencia!

Link to comment
Share on other sites

  • Vice-President

Regulamento digno da FERJ essa da terceira divisão espanhola. Mas, compreendo que foi causado pelas questões do covid. Se não subir, acha que o calendário continua assim ou voltam para o formato antigo?

Link to comment
Share on other sites

21 horas atrás, Bigode. disse:

Olha, sobre as funções, aqui não há problema não. Vou até convocar o @Tsuru, que no jogo sabe sobre a parte tática de forma bem mais minuciosa do que eu (embora eu não me ache uma planta nessa área, claro hahaha), mas eles não batem cabeça não, pelo contrário. Pelo menos por aqui, isso não está acontecendo. Eu até acho que eles ornam muito bem, isso sim.

Convocado se apresentando. Hehehe

Em teoria o Regista e o CJR AP cumprem o mesmo papel quando seu time se movimenta na direção do gol adversário - é aquele jogador que recebe a bola da defesa, ajuda a organizar o jogo no centro e distribui para os mais avançados. No caso do Regista se não me engano ele faz a saída Lavolpiana como um autêntico terceiro zagueiro, não tenho certeza se com tarefa apoiar o CJR também faz.

A diferença é que, quando a jogada se aproxima da área adversária, o Regista se projeta mais à frente no campo, geralmente ali pela meia lua da grande área, se posicionando como um autêntico camisa 10 faria, com muita liberdade para distribuir a bola, achar espaços, se movimentar e finalizar ("toca pra mim que eu resolvo"). Por sua vez, o CJR AP tende a guardar posição atrás da linha da bola para cobrir a defesa em caso de contragolpes, ficando mais ou menos da intermediária adversária para trás. Geralmente o máximo que ele arrisca é um chute de longe ou um passe mais perigoso se tiver uma boa oportunidade.

Podem funcionar juntos? Acho que sim, se a intenção for utilizar mais de um organizador de jogo e se a estrutura do time comportar isso. Geralmente são dois jogadores que não guardam posição na frente da defesa - então o ideal é que alguém cumpra esse papel para não deixar os zagueiros sozinhos no mano a mano.

Link to comment
Share on other sites

3 horas atrás, Tsuru disse:

Convocado se apresentando. Hehehe

Em teoria o Regista e o CJR AP cumprem o mesmo papel quando seu time se movimenta na direção do gol adversário - é aquele jogador que recebe a bola da defesa, ajuda a organizar o jogo no centro e distribui para os mais avançados. No caso do Regista se não me engano ele faz a saída Lavolpiana como um autêntico terceiro zagueiro, não tenho certeza se com tarefa apoiar o CJR também faz.

A diferença é que, quando a jogada se aproxima da área adversária, o Regista se projeta mais à frente no campo, geralmente ali pela meia lua da grande área, se posicionando como um autêntico camisa 10 faria, com muita liberdade para distribuir a bola, achar espaços, se movimentar e finalizar ("toca pra mim que eu resolvo"). Por sua vez, o CJR AP tende a guardar posição atrás da linha da bola para cobrir a defesa em caso de contragolpes, ficando mais ou menos da intermediária adversária para trás. Geralmente o máximo que ele arrisca é um chute de longe ou um passe mais perigoso se tiver uma boa oportunidade.

Podem funcionar juntos? Acho que sim, se a intenção for utilizar mais de um organizador de jogo e se a estrutura do time comportar isso. Geralmente são dois jogadores que não guardam posição na frente da defesa - então o ideal é que alguém cumpra esse papel para não deixar os zagueiros sozinhos no mano a mano.

Que homem!

 

Link to comment
Share on other sites

23 horas atrás, Seguradora Gralha Azul disse:

Quando vi a mudança na terceira divisão espanhola eu estava curiosíssimo para ver como seria e essa temporada com o Recreativo está interessante para acompanhar isso.

Passou de forma praticamente perfeita por essa primeira fase, que foi de tiro curtíssimo, e agora vai ter que encarar dois times tradicionais e uma força emergente para seguir sonhando com a promoção. 

Boa sorte para a continuação.

Não sei como era antes, mas também na próxima já vai ser tudo diferente, então né... hahaha

Eu me surpreendi com a rapidez da temporada. É tiro curto mesmo. É engraçado, porque eu tenho a impressão de divisões inferiores normalmente sendo maiores do que a elite, então foi estranho pra mim quando pisquei e tava no fim do 1º turno, por exemplo. Felizmente conseguimos performar muito bem e demos um bom primeiro passo de saída pra próxima fase. Agora é que a coisa fica mais séria.

Obrigado!

23 horas atrás, Cadete213 disse:

Série fantástica recheada de vitórias e bom jogo contra o Getafe. O sonho da promoção continua vivo e estás bem encaminhado para tal.

A gente vem mesmo numa temporada muito boa e o bom jogo contra um clube da elite - mesmo que não seja de metade superior - anima bastante para o futuro, especialmente no curto prazo.

Obrigado pelo comentário!

23 horas atrás, Leho. disse:

Rapaz, que desafio bacana! Não conhecia o Recre, tampouco sua história. Já acompanhando aqui!

A campanha na primeira fase foi soberba, literalmente teu time sobrou em campo. Acredito que agora, afunilando a competição, a disputa fique mais ferrenha e os adversários de melhor nível ofereçam mais dificuldades, então veremos como vai se sair teu grupo.

Ótimo mercado de transferências, como sempre. Tu é bom nisso mesmo, hehe! As finanças não tem jeito: vai ter que saber conviver com esse balanço no vermelho, abusar de ferramentas como empréstimos pra fortalecer a equipe sem ter dinheiro até chegar em La Liga. Aí a partir dali pensar em estruturar essa parte de uma forma melhor, mas acho que até aqui você tá indo bem.

 

 

p.s: lindas as artes da história, gostei bastante.

p.s²: tá usando a "Rensie skin", né? Hahahaha não aguentou e se rendeu que eu sei.

Pô, sério que não conhecia o Recreativo? Ok que não é exatamente um clube com presença na elite, mas vejo como um clube com algum nome, sabe? Fiquei surpreso que tu não conhece.

Te contar uma coisa então, aproveitando a deixa, e acho que tu vai se surpreender ainda mais. Já passaram pelo clube nomes como Marco Ruben, Rodolfo Bodipo, Florent Sinama-Pongolle, Ikechukwu Uche, Pawel Brozek, Beto (o goleiro tuga, ex-Sporting e Seleção), Luis Aragonés (como jogador), Santi Cazorla, Mariano Pernía e Martín Cáceres. E o clube foi treinador pelo Marcelino, hoje no Athletic, que deu ao clube o título da Segundona Espanhola em 2005/2006 e a melhor campanha da história do clube na elite na temporada seguinte (um 8º lugar), comandando justamente nomes como Santi Cazorla e Sinama-Pongolle naquela temporada.

A campanha na primeira fase foi mesmo extraordinária, mas como você bem apontou, agora o desafio é outro! Em relação ao mercado, eu deixo a humildade totalmente de lado: nessa área, considero que sou foda pra caralho mesmo. E quanto às finanças, é isso mesmo: tu já me viu em situações semelhantes (alô, Pro Vercelli) e o quadro é o mesmo, não tem como fugir disso. Usar e abusar dos empréstimos PELO MENOS até chegar a elite, quando aí sim começamos a receber o suficiente pra de fato arrumar a casa.

Obrigado pelo elogio quando a parte gráfica. Um tempinho atrás me meti a mexer no Photoshop de novo, mas beeem pouco, e a real é que tem muito (muito mesmo) tempo que não mexo com frequência. Se antes já não era um craque (guardo minhas artes até hoje aqui, todas elas, até as horríveis hahaha), imagina depois desse tempo todo?! Mas acho que ficaram boas mesmo e agradeço demais o elogio.

Quanto a skin, é isso mesmo! Cara, eu te falei lá no tópico que iria testar, mas fui adiando. Aí quando fui apresentar o elenco aqui em uma das atualizações, tive que fazer uns cortes e ficou ruim (a Vince Skin Pro tem ali na parte superior esquerda umas "faixas" que pegam já a zona onde ficam os nomes dos jogadores, então quando faço o corte, acaba cortando ela no meio e aí quando junto, fica zoado, sabe?). Aí fui olhar o tópico da Rensie pra confirmar e vi que a tela de fundo é 100% lisa, sem nenhum detalhe. Aí juntei o útil ao agradável e aproveitei pra testar. Gostei muito e sigo com ela. Até jurava que tinha ido ali no tópico dela comentar contigo, mas acho que o cansaço fez eu pensar que tinha feito isso e não fiz. Só reparei quando vi esse seu comentário aqui. HAHAHA

22 horas atrás, Valismaalane disse:

Sobrou no campeonato, foi muito bem e sobrou em campo. Ta com um planejamento interessante e acho que o time só vai crescer a cada temporada. Boa sorte na sequencia!

Por enquanto, tudo tem conspirado a favor mesmo e o trabalho fora de campo tem rendido dentro. Espero continuar assim. Obrigado!

16 horas atrás, Henrique M. disse:

Regulamento digno da FERJ essa da terceira divisão espanhola. Mas, compreendo que foi causado pelas questões do covid. Se não subir, acha que o calendário continua assim ou voltam para o formato antigo?

Nem me fala. E olha, pelo que pude entender, piora, viu? Posso dizer que já avancei bastante (atualização sai logo menos) e chegaram notícias de outros times aqui que me deixaram bem confusos - e tô avançando mais até a virada da temporada pra tentar entender o rolo todo. E, nesse caso, o pior é que acho que a confusão não tem NADA a ver com a pandemia. hahaha

Então, vai mudar. Ali na aba de Regras dentro do competição, tu consegue ver o regulamento atual e da próxima temporada e já deu pra ver que será diferente mesmo. A pesquisa incluiu as mudanças que ocorrerão na vida real e a SI incorporou pra iniciar a partir da próxima temporada, como será na vida real e como eles fazem habitualmente nesses casos.

5 horas atrás, Tsuru disse:

Convocado se apresentando. Hehehe

Em teoria o Regista e o CJR AP cumprem o mesmo papel quando seu time se movimenta na direção do gol adversário - é aquele jogador que recebe a bola da defesa, ajuda a organizar o jogo no centro e distribui para os mais avançados. No caso do Regista se não me engano ele faz a saída Lavolpiana como um autêntico terceiro zagueiro, não tenho certeza se com tarefa apoiar o CJR também faz.

A diferença é que, quando a jogada se aproxima da área adversária, o Regista se projeta mais à frente no campo, geralmente ali pela meia lua da grande área, se posicionando como um autêntico camisa 10 faria, com muita liberdade para distribuir a bola, achar espaços, se movimentar e finalizar ("toca pra mim que eu resolvo"). Por sua vez, o CJR AP tende a guardar posição atrás da linha da bola para cobrir a defesa em caso de contragolpes, ficando mais ou menos da intermediária adversária para trás. Geralmente o máximo que ele arrisca é um chute de longe ou um passe mais perigoso se tiver uma boa oportunidade.

Podem funcionar juntos? Acho que sim, se a intenção for utilizar mais de um organizador de jogo e se a estrutura do time comportar isso. Geralmente são dois jogadores que não guardam posição na frente da defesa - então o ideal é que alguém cumpra esse papel para não deixar os zagueiros sozinhos no mano a mano.

Convocado e presente. APRENDE, NEYMAR!

Obrigado pela contribuição. E, como tu disse, tem como ambos jogarem juntos sim, tanto que ambos vem jogando juntos e tá dando certo (apesar do Regista não estar com uma média alta). Noto, porém, essa dificuldade na fase defensiva mesmo, embora não tenha passado por grandes problemas até agora - mas aí acho que em parte também é pelo baixo nível da divisão, talvez num escalão mais alto a coisa fica mais complicada.

2 horas atrás, ElPerroMG disse:

Que homem!

 

O Tsuru é nosso 10 e faixa quando diz respeito a parte tática.

Link to comment
Share on other sites

  • marciof89 changed the title to Recre: Las Inolvidables Historias del Abuelo Decano - Aguardando avaliação
  • marciof89 locked and unlocked this topic
  • marciof89 locked this topic
Guest
This topic is now closed to further replies.
 Share

  • Similar Content

    • Megalodonte
      By Megalodonte
      Prezados
      Esta é a história de José Silva,  mais um entre tantos milhões de brasileiros.
       
      REGRAS DO SAVE E DATABASE
      Escrever a história de José Silva no cenário mundial; Expressar ao máximo os dilemas da carreira de José Silva no fórum; Diversão total no save  
      Database: TODAS as ligas do mundo como jogáveis, totalizando 490 mil jogadores, para dar o máximo de realismo possível. Estou utilizando também o BRMundiup atualizado em 26/03 e o modo de inteligência deles que deixa o jogo mais realista e difícil, sobretudo na América do Sul. Já deixo a dica para quem tem notebook/PC gamer que selecionar todas as ligas do mundo roda de boa e sem travar, independente do fato de ficar com "meia estrela" no desempenho. Apenas recomendo um acelerador de dias (FMspeed ou Cheat Engine) para que o jogo dê uma acelerada na passagem de dias (sem perder qualquer interação), mas é opcional isso.
       
       

      Imagem da Zona Leste de São Paulo-SP
      TEMPORADA 2021 - CAPÍTULO 1
      Quem sou eu?!
      Esta história será escrita em primeira pessoa. Sim, sou eu, José Silva, que está escrevendo. Não farei joguetes dissertativos nesta jornada, mas garanto sinceridade máxima para com o leitor. Antes de tudo, vou me apresentar. Eu sou José Silva, mais um entre tantos milhões de brasileiros. Mais um José e mais um Silva, talvez o nome e o sobrenome mais comum do Brasil. Ok, sei que não ficou legal esta apresentação, portanto serei mais direto para me ater à promessa de evitar os joguetes na narração.
      Nasci na cidade de São Paulo, no Natal de 1990. Estou prestes a completar 30 anos. Sou da Zona Leste, uma área predominantemente pobre na capital paulista, apesar de eu particularmente nunca ter sido pobre a ponto de ter passado fome ou frio na vida, sempre tive consciência de classe, que no meu caso, na melhor das hipóteses sempre foi a classe média baixa. Minha mãe é professora de uma escola estadual de Guarulhos, cidade com mais de 1 milhão de pessoas, ao qual faz divisa com a Zona Leste de São Paulo. A inflação imobiliária nos impediu de mudar para Guarulhos mais perto do colégio, portanto moro até hoje numa casa velha da Zona Leste, porém digna, adquirida pela minha mãe nos anos 90 e quitada após uns 15 anos de prestações. Sempre estudei no colégio público que minha mãe deu aula em Guarulhos, portanto era cobrado duplamente, tanto como filho quanto como aluno. Da nossa casa até o Colégio dava cerca de 20 minutos de moto e essa foi minha trajetória da infância até completar o ensino médio: acordar cedo, ir pra escola na garupa da moto da minha mãe e passar a tarde toda jogando bola na quadra do meu colégio. Eu era um goleiro mediano e nunca sequer cogitei ser jogador de futebol e apesar de amar futebol, sempre gostei mais de assistir do que jogar futebol. Era um corintiano moderado, que não desenvolveu o fanatismo por nunca ter ido ao Pacaembu na infância, pois não tinha um pai pra me levar ao estádio. Nunca conheci o meu pai, que segundo minha mãe sumiu no mundo após engravidá-la. Não tinha o nome dele em minha identidade ou certidão de nascimento, e herdara apenas o sobrenome Silva, de minha mãe. Além de "José" e "Silva", era mais um brasileiro filho de mãe solteira na imensidão demográfica deste País Continental.
      Sempre tirei notas boas, apesar de nunca ter sido um bom aluno. Meus interesses eram curiosidades globais, romances policiais, séries baixadas em péssima qualidade, idiomas, história do futebol e livros políticos e filosóficos. Desenvolvi um bom nível de inglês através de jogos na lanhouse que frequentava perto da minha casa, no auge dos anos 2000. Quanto à politica, se você é de esquerda, me achará de direita e se você é de direita, me achará de esquerda. Me considero um verdadeiro "isentão" que gosta de ver o circo pegar fogo. Acho tanto o coletivismo quanto a meritocracia duas farsas, quando postas de maneira integral, além de ser um adepto da teoria do caos, também conhecida como efeito borboleta. Acredito que pequenos detalhes mudam toda uma trajetória e que a sorte e o azar são fundamentais na vida do cidadão, desde a loteria genética até estar em determinados lugares ou conhecer determinadas pessoas. 
      Após terminar o colégio, fui o último aprovado no vestibular para o curso de Educação Física na USP, ao qual confesso que levei uma sorte desgraçada. Mais procrastinava do que estudava, porém acertei o necessário para entrar. Dizem que vestibular é igual sexo: não importa a posição, o que importa é entrar. A essa altura eu tinha 18 anos e uns 500 reais de patrimônio total. O departamento de Educação Física da USP era bem longe da minha casa, e sabia que teria que pegar ônibus e metrô para chegar lá, portanto decidi que iria trabalhar durante o dia (a faculdade era noturna) para juntar um dinheiro para tirar carteira de motorista e comprar uma moto, pois a perda de tempo dentro do transporte público era imensa, economizaria umas duas horas diárias que poderiam ser empregadas em outra coisa. Sempre achei que o capitalismo é um jogo de tempo.
      Falando em tempo, vou adiantar um pouco minha história para chegarmos ao presente. Quando entrei na faculdade, consegui um emprego na lanhouse ao qual frequentei minha infância e adolescência e acabei virando uma espécie de "gerentão" lá. No meio do segundo ano, após todo mês juntar uma parte do salário que sobrava, enfim consegui comprar a moto e tirar minha CNH. Aproveitei o tempo livre diário que ganhei ao não ter mais que pegar transporte público pra dormir. Sim, isso mesmo, eu vivia num sono infernal nessa rotina de trabalhar e estudar e duas horas de sono a mais por dia me davam uma revigorada satisfatória. Terminei a faculdade e decidi que queria ser professor de Educação Física, para isso teria que estudar, pois apesar do salário de professor da rede estadual não ser nada atraente, a concorrência era imensa, pois ganhar 3 ou 4 salários mínimos com estabilidade em um país de terceiro mundo como o Brasil era algo muito acima da média. Meu TCC foi sobre evolução de táticas de futebol na Ásia. Sim, bizarro.
      Com o diploma na mão, fiz as contas e vi que tinha dinheiro para me manter por 6 meses sem ter que trabalhar, portanto, para não queimar minhas reservas, tive a ideia de pedir ao dono da lanhouse se era possível que eu trabalhasse meio-período, para poder focar o máximo de tempo no concurso, que seria no final do ano (estávamos em 2012). Ele resmungou, dizendo que esse negócio de emprego meio-período era coisa de País rico, que não existia isso no Brasil, mas acabou cedendo, pois tinha grande apreço por mim. Eu ganhava dois salários mínimos na lanhouse, com essa redução, viria a ganhar um, o pouco de vida social que eu tinha acabava de ir pros quiabos com essa nova renda. Era apenas subsistência e mais nada.
      Dessa vez eu não procrastinei e pela primeira vez estudei de maneira sistemática e organizada e no final de 2012 passei no concurso, em uma posição intermediária. No começo de 2013 assumi uma escola Estadual em Itaquaquecetuba, outra cidade metropolitana grudada em São Paulo e Guarulhos, ao qual o pessoal costuma chamar apenas de "Itaquá". Tinha apenas 22 anos e seria professor de alunos da quinta e sexta série, ou seja, uma intersecção de crianças e adolescentes, metade infância e metade puberdade. As condições da escola eram ruins, mas não chegavam a ser deploráveis, daria uma nota 4,5 numa escala de 0 a 10. Confesso que esperava algo pior. No meu primeiro ano, tive muitos problemas, pois eu alternava entre ser bonzinho demais e severo em demasia, e os alunos deitavam e rolavam, tanto por mau comportamento pela minha inércia, quanto reclamando com os pais que eu gritava e era bravo demais quando eu decidia fazer alguma coisa. Somente no final de 2014, no meu segundo ano como professor que fui pegando o jeito do negócio e a partir de 2015 eu já era um dos professores mais queridos do colégio.
      Eu era criativo e costumava dar aulas envolvendo competições de diversos esportes, apesar de não esconder minha preferência pelo futebol, também desenvolvia-os com Xadrez e alguns jogos de tabuleiro. Os anos foram passando e a maioria dos meses eu conseguia guardar cerca de 10% do meu salário, minha mãe estava prestes a aposentar e eu sentia que faltava algo para dar uma guinada na minha vida. Confesso que me iludi com algumas promessas miraculosas de dinheiro, mentalidade empreendedora e outras baboseiras de espertalhões na internet que enganavam ingênuos ambiciosos e acabei perdendo dinheiro nessas coisas, ao qual eu sequer gostava. 
      Mal sabia que a grande teoria do caos que estava por aparecer na minha vida seria um "pequeno" torneio escolar. Era o ano de 2020 e eu notei que desde que entrei no colégio em Itaquá, aquele ano era ao qual os alunos do sexto ano eram os melhores nas aulas de futsal desde 2013. Tinha pelo menos 6 alunos ali com um potencial monstruoso perto do que eu já tinha visto de garotos daquela idade, e pela primeira vez nosso colégio foi convidado para a disputa dos jogos escolares da Grande São Paulo, pois a Prefeitura de São Paulo havia expandido a participação para todos os colégios da capital e região metropolitana. Seria uma espécie de Copa da Inglaterra, com mais de 1000 escolas públicas e particulares disputando um gigantesco torneio em mata-mata. Só eram permitidos alunos de 11 ou 12 anos completos até o fim de 2020 , ou seja, alunos do quinto ou sexto ano (os reprovados mais velhos ficariam de fora). Montei um time de toque de bola rápido na quadra, ofensivo e que sabia a hora certa de dar o bote.
      Apesar de ser cético até demais, um grave defeito que tenho, confesso que fui criando a ilusão que dava pra chegar longe, pois os meninos do colégio eram realmente bons e o mais importante: todos fortes fisicamente, uns verdadeiros cavalos pra idade que tinham. O único que tinha 11 anos e era mais mirrado era o nosso goleiro, que tive que buscar na quinta série, pois na sexta não havia nenhum, de resto eram todos com 12 anos e ótimo porte, além de apurada técnica. Me espelhei na zebra do Guga em Roland Garros em 1997 ao qual foi campeão sendo o número 66 do ranking mundial e fomos passando de fase. Os jogos eram sempre em algum colégio neutro, e nossos alunos que não jogavam, tanto meninos quanto meninas, eram uma torcida bem fiel e sempre empurravam a gente. As fases foram passando, até que chega outubro de 2020 e estávamos nas oitavas de final. Dentre os 16 colégios, éramos o único colégio público. Todos os outros eram particulares. A partir desta fase, os jogos eram disputados no Ginásio Ibirapuera, o que atraía atenção da mídia local, dos holofotes da educação e é claro: o de olheiros que estavam ali para tentar descobrir o próximo Neymar. O Brasil tem uma tradição monstruosa em revelar grandes jogadores que começaram no futsal.
      Eu havia levantado informação dos outros 15 adversários e pelo que vi todos eram mais ou menos do mesmo nível, com exceção a três colégios que serviam de base através de uma parceria para os três grandes da capital: Corinthians, Palmeiras e São Paulo. Eu estava torcendo pro sorteio não colocar esses colégios frente ao nosso time, e acabei levando sorte: o Colégio parceiro do Palmeiras enfrentaria o do Corinthians logo de cara, na outra chave, e o do São Paulo também caiu do outro lado da chave, ou seja, só pegaria um dos top 3 numa eventual final. Tanto nas oitavas, quanto nas quartas e na semi, nos classificamos nos pênaltis, todos empatando por 2x2. Três resultados iguais e três êxitos na loteria dos pênaltis. Parecia história de filme de final feliz, estilo a Libertadores do Atlético Mineiro de 2013. Confesso que não treinava muito as penalidades, apenas o básico, mas o meu goleiro de 11 anos tinha uma habilidade paranormal para defender pênalti, era um novo Dida. Com certeza algum olheiro acabaria incentivando-o a treinar em algum clube quando os Jogos Escolares acabassem. 
      A grande final veio, em novembro de 2020, e seria contra um dos colégios mais tradicionais da capital paulista, que servia de base para o São Paulo Futebol Clube. Calculei que teríamos no máximo 25% de chance de sermos campeões (sou um tarado em números, estatísticas e probabilidades), tratei aquela final da pirralhada da sexta série como o maior desafio da minha vida. O jogo começou e logo no primeiro tempo  tomamos 3 gols. A mini-escolinha do SPFC era uma máquina mortífera. Eu não sei qual espírito da oratória entrou em mim no intervalo que consegui entrar na cabeça da mulecada de um jeito que por uns instante me senti o Bernardinho do Vôlei no quesito motivação. O final feliz não veio e o milagre também não aconteceu, mas marcamos dois gols e faltando 15 segundos meu pivô acerta uma bola no travessão, quase empatando e forçando a prorrogação. Perdemos de 3 a 2. Fomos vice-campeões, mas o ginásio inteiro do Ibirapuera nos aplaudiu. Caímos de pé.
      No final do jogo, os garotos desabaram em lágrimas tenras. O lado criança venceu o pré-adolescente, e a dor do "quase" foi cruel e torturante. Após meia hora consolando-os, com palavras inócuas para uma perda deste tamanho, um senhor grisalho de camisa social me aborda:
      - Você é o José Silva, né? Gostaria de trocar uma ideia com você.
      Eu tinha mania de tomar conclusões precipitadas e já fui falando:
      - Sou sim. Você deve ser olheiro de algum clube, né? Já adianto que pra falar com qualquer aluno meu para eventuais testes, antes de mais nada, é necessário a autorização dos pais deles, pois são menores de idade.
      - Você errou duplamente, retrucou o senhor Grisalho. Não sou olheiro e não quero falar sobre teus alunos. Sou vice-presidente do ********* e gostaria de te propor uma entrevista. Já tem um tempo que estamos observando profissionais de educação física dedicados e acredito que tens o necessário para um projeto em nosso clube.
      Bom, confesso que por uns 10 segundos senti um formigamento misturado com ansiedade e felicidade, além de um pouco de medo. No próximo capítulo eu conto o que aconteceu. E os asteriscos no nome do time é pra dar um ar de mistério, mesmo. A única dica que lhes dou é que é um time aqui do Estado de São Paulo, mesmo.
      Continua...
    • Cadete213
      By Cadete213
      Embolajádo – Achatado, deformado
      Ora muito bem pessoal, como comprei o Editor, decidi começar um novo save, depois de andar a "brincar" um pouco com o jogo. Este save é chamado "O Madeirense" e será uma homenagem aos madeirenses e à Ilha da Madeira, terra da qual sou natural, com muito orgulho.
      No início de cada post, irei colocar um termo madeirense e seu significado, para que possam também aprender algumas palavras "madeirenses". 
      O objetivo passa por me divertir e divertir-vos e os resultados não são importantes.
      Como disse anteriormente, andei a mexer no Editor e decidi adicionar um clube à última divisão da Madeira. O clube é fictício. Chama-se Cabouco Futebol Clube e foi criado na freguesia da Ponta do Pargo, zona Oeste da ilha. O que fiz para deixar a liga o mais real possível, foi tirar a equipa B do Portosantense. Assim, todas as outras equipas mantém-se.

      E porquê o Cabouco FC? Ora, o Cabouco FC, é um clube fictício, criado pelos 4Litro, os artistas da fotografia em baixo. Os 4Litro são um grupo de comédia madeirense, com imenso sucesso na ilha e que até já vieram a Jersey ou mesmo a Crawley, com performances.  Durante o save, irei colocar vários vídeos deles que aconselho a verem. Espero que também achem piada, como eu, e que também percebam o sotaque, hehehe.
       
      Em jeito de previsão ao que aí vem, deixo-vos com aqueles que são as estrelas da equipa. O Mister, o avançado CR Zero, o defesa central Pata Laje e ainda o guarda-redes e capitão Vazilha. São jogadores da terra, naturais da ponta do Pargo e que vivem e respiram o clube. Confio muito neles para atingir os objetivos do clube.

      Para começar, deixo-vos com um vídeo sobre a ética madeirense e um curso de iniciação para ser madeirense. Este curso poderá ser crucial, se por acaso forem à ilha de férias. À boa maneira madeirense, nada como ir para o campo cavar a terra e disfrutar da 
       
    • Johann Duwe
      By Johann Duwe
      Banner by @Tsuru
      Após o insucesso com o FC Cincinnati, volto a Europa para dar seguimento em um save de desenvolvimento de clube, e gostaria de atuar em alguma liga do Top 10 e que me desse a liberdade necessária para poder garimpar pelo mundo todo sem ter restrições quanto a estrangeiros, ou ao menos ser mais liberal do que a MLS.
      Entre elas a Turquia e Portugal foram fortes concorrentes, mas no fim acabei me virando para a Holanda. Comecei então as buscas de um clube e me deparei com duas ou três opções, mas o escolhido foi o FC Eindhoven.
      Breve História
      O FC Eindhoven é um clube de futebol criado em 16 de Novembro de 1909 na cidade de Eindhoven, Província de Brabanta do Norte, ficando próximo de Antuérpia na Bélgica e Düsseldorf/Mönchegladbach na Alemanha, há outras é claro, mas com equipes relevantes para seus países, são as mais próximas.
      Então em 16/11/1909 o clube foi fundado e começa jogando em ligas amadoras, até ter seu primeiro momento de brilho em 1937 ao vencer a KNVB Beker e em 1950 teve o primeiro jogador chamado a seleção holandesa, no caso foi o atacante Nuod van Melis, seguido por Frans Tebak e Dick Snoek nos anos seguintes, essa geração teve ainda a conquista da Eredivisie em 1954, último ano antes da profissionalização.
      Em 1957 a equipe foi rebaixada a Erste Divisie e seguiu um tempo na gangorra, chegou a terceira divisão em 1969, mas já em 1975 voltou a Eredivisie, alegria que durou pouco e em 1977 voltou para ficar na Erste Divisie.
      Nomes
      Assim como muitos clubes, o Eindhoven trocou algumas vezes de nome. Criado como E.V.V. Eindhoven (Eindhovense Voetbal Vereniging), foi fundido em 1921 com a equipe amadora do Gestel, em 1997 o E.V.V. Eindhoven deixa de ser profissional. Pelo que entendi, no lugar dele foi criado o SBV Eindhoven (Stichting Betaald Voetbal Eindhoven) que manteve a história e títulos do passado e finalmente em 2002 o nome é alterado para o padrão inglês Football Club Eindhoven, o que é uma pena pois Voetbalclub Eindhoven seria muito mais charmoso e identificado com os nomes anteriores.
      Rivalidades
      Havendo duas equipes na cidade, normalmente uma delas é de maior sucesso. Foi o caso do FC Eindhoven, ao menos até o final da Década de 1950. Tendo o PSV fundado em 1913 e aceitado inicialmente apenas trabalhadores da Philips, naturalmente o lado azul predominou por um tempo, mas isso foi mudado pois ao menos pela Eredivisie, o Lichtstad Derby não ocorre desde a temporada 1976-1977. Sendo o PSV um clube de empresa, ele é considerado um clube da elite, enquanto que o FC Eindhoven é um clube do povo, vale ainda destacar que existe uma parceria entre ambos desde 2004.
      Infelizmente não encontrei em nenhum lugar nenhum os dados do Derby, seja quantidade de partidas jogadas e nem quem está levando a melhor no confronto.
      Atualmente o Helmond Sport é visto como grande rival, pois joga na mesma divisão e está distante 20km do estádio do clube.
      Distância até o Philips Stadion - Distância até o Stadion de Braak.
      Títulos
      Somente a KNVB Beker em 1937 e a Eredivisie em 1954.
      Estádio
      O Jan Louwers Stadion é um estádio multi-esportivo porém é principalmente usado para prática de Futebol, seu nome é uma homenagem a Jan Louwers que foi jogador da equipe entre 1949 e 1960 e tem capacidade para 4.600 pessoas.
      Objetivos
      - Vencer a Eredivisie.
      - Vencer a KNVB Beker.
      - Ter três jogadores chamados a Seleção Principal da Holanda, não necessariamente na mesma convocação.
      - Ser comparado ao Ajax no que tange ao desenvolvimento e valorização de produtos da base.
      Não colocarei nada sobre vencer algum título europeu pois isso, caso aconteça, será de forma natural com o desenvolvimento da equipe, das estruturas e do staff.
      Ferramentas Disponíveis
      Como o FM permite usar e abusar de ir manualmente para buscar jogadores e staff, é o que eu farei. Escrevendo até passou pela cabeça usar apenas olheiros e anúncio de emprego para contratar, porém o fato da liga holandesa não ter limite de estrangeiro, é um convite enorme para ficar fuçando e encontrando bons jogadores escondidos.
      Ressalto que minha intenção é desenvolver a base, mas isso não vai me impedir de contratar jogadores de outras equipes/nacionalidades.
       
      Havendo alguma outra sugestão de objetivos, por favor, o façam e irei verificar se estarei adicionando.
       
       
    • tricolor de coraçao
      By tricolor de coraçao
      *Créditos ao @Guilherermepor essa bela arte
      Considerações iniciais
      Antes de entrarmos a fundo na história umas breves considerações para situar o leitor
      Primeiramente, digo que dei uma pausa na saga do "SER Caxias" e retomei uma antiga série. Talvez você não lembre ou não saiba, mas no passado fiz uma saga pela América do Sul onde passei os 10 países da América do Sul + México e USA na saga chamada O Desbravador da América. A ideia agora era continuar o mesmo estilo pela Ásia passando os 12 países do continente, porém no passado já tentei por 3 vezes fazer a saga e sempre deu bugs. O @Cadete213 deve se lembrar, pois lembro que ele acompanhava.
      Mas eu sou brasileiro e não desisto nunca!
      Recentemente (nem tão recentemente) conheci o @Orieomil666num grupo de wattsap (descobri ele lá meio ao acaso enfim) e testando o save acabei pegando os arquivos dele que são mais atualizados, fizemos uns testes e não mais deu bugs.
      Isso me animou a refazer a saga. Não pretendo passar os 12 países. Em vez de todo ano passar um país pretendo passar menos países, entre 6 a 10 países dos 12 selecionados na data base e talvez ficar mais tempo em algum deles se a coisa ficar boa. Tanto faz a divisão
      E assim estipulei algumas regras. Li várias sagas aqui e mesclei várias ideias para escrever esta que irei contar.
      A saga será contada sobre um irmão meu (imaginário é claro, não tenho irmão). Por que? Ocorre que o save anterior que deu bug teve meus dados arquivados, então para resolver esse problema vou dizer que sofri um acidente de trabalho algo assim e meu irmão agora está indo lá seguir meus passos enfim vou contornar essas questõezinhas e deixar a coisa bacana. Mas em forma de diário na terceira pessoa com termos como "o treinador...", "o manager Carlos Magno Bonfante"...assim por diante. 
      Tentarei dar um ar fictício a história. 
       
      REGRAS
      Não pretendo me complicar, apenas me divertir, não priorizarei os clubes mas sim minha evolução pessoa, mas quero aplicar umas regras para a coisa ficar mais interessantes.

      (mais o Brasil por recomendação do pessoal do Mundiup. Vinte e oito ligas de 13 países e quase 50 mil jogadores)
       
      São 12 países e assim eu dividi estes em 3 grupos conforme o ranking da reputação da divisão principal. 
      Grupo 1: Singapura (38º) , Honk Kong (29º), Malásia (28º) e Indonésia (25º)
      Grupo 2: Japão (5º), Arábia Saudita (7º), Austrália (8) e India (23º)
      Grupo 3: China (1º), Catar (2º), Emirados Arabes Unidos (3º) e Coreia do sul (4º)
       
      A regra que pensei é a seguinte eu começo no grupo na Singapura, pior primeira divisão entre os rankeados da database mas num dos melhores times de lá, o Tampines. Mas só posso ir para o grupo acima se passar antes por mais um país do mesmo grupo. Ou seja preciso passar no mínimo 2 países de cada grupo.
      Por que isso? Seria muito fácil eu no segundo ano ir para uma terceira divisão chinesa que deve estar mal rankeada e de repente logo estar na segunda e na primeira chinesa. Ou então estar no Japão e depois ir para uma Austrália seria estranho.
      Ou seja, eu quero subir sem ser tão forçado, sem parecer ser tão irreal. Meu medo é ir para uma divisao inferior depois e desequilibrar mas tentarei subir com certa gradação.
      Claro, não estou muito a fim de passar por Índia e Hong Kong, mas tudo pode acontecer. Uma coisa é certa, pelo ranking já se vê que a partir da Austrália os times são muito bons, mas que o terceiro grupo é terrível.
      Não que eu tenha que seguir a ordem acima, é apenas um roteiro pré-definido para dar um norte.
      Mesmo assim #Partiu Cingapura.
       
      P.S.: Abaixo meu passado no save anterior
      Vamos começar a aventura?
       
      __________
      CAPÍTULO 1
      ATO 1
      Planejando a Aventura
       
      01 de janeiro de 2021 - 12:00 h, horário de Brasília
      Carlos Magno Bonfante ou simplesmente Carlos Magno é o irmão mais novo de Ernani Bonfante, um ex-treinador que fora para a Ásia no passado, tentar a sorte por lá e que tem tido um passado interessante. Conta a lenda que no velho continente, seu irmão Bonfante começou num clube que trabalhava com sub-23, o Young Lions de Cingapura e depois para o Tampines e teria sido campeão em em ambos, campeão da segunda divisão malaia com o Kelantam, da segunda divisão arabe-saudita com o Al Batin, campeão indiano com o AL-Mohamed Sporting e campeão da liga e taça indonésia com o PSM Makasar. Além de ter passado sem muito sucesso pelo Lee-Man de Hong Kong. Tempos em que o futebol não era tão profissional. As autoridades negam esses fatos, mas o nome do irmão de Carlos Magno está no quadro da fama desses países.
      O mais estranho que seu irmão nunca mais foi visto. Como explicar tal mistério? Mundo paralelo tipo Dark? Problemas na matrix? Estariam as autoridades asiáticas escondendo algo? Mistééééério!
      Carlos Magno, formado em Educação Física e Administração sempre seguiu os passos do irmão, quer descobrir o que houve ou ao menos terminar o que seu irmão começou: seu irmão simpatizante do ganghzou como Carlos deseja um dia treinar esse grande clube asiatico.
      Sem perspectivas e sem dinheiro ligou para @Cadete213 um bancário, amigo de seu irmão Ernani,  que atualmente soube Carlos que ele resolveu ser treinador e estaria treinando o Napoli,  para ver se emprestava dinheiro e ajudasse com Cingapura. 
      Cadete disse as mesmas palavras que havia dito a seu irmão:
      Cadete: amigo, vá para a Cingapura e os países da Asia, é lindo lá, irá gostar
      (Carlos pensou: Será que o cadete sabe algo de lá que eu não sei? Devo estar delirando...) e respondeu
      Carlos: Obrigado amigo, se puder financiar esse meu projeto...estive falando com meu empresário o @Orieomil666, o mesmo que empresariava meu irmão, talvez conheça ele por Claudio Xing Ling, então eu agradeço muito.
      Cadete não respondeu, ficou de dar um retorno.
      Carlos Magno saiu e foi buscar alguns acessores.
       
      10 de Janeiro de 2021 - 12:00, horário de Brasília
       
      Carlos Magno pode não ter sido um atleta profissional mas fez alguns cursos da CBF e se preparou, teve algum preparo minimo e nesse mundo do futebol conheceu algumas pessoas do meio como o ex-tecnico do Young Lions @Bruno Alves Managerque disse já ter tido uma experiência na Cingapura no passado.
      Bruno: Rapaz. não vá para o Young Lions, eles são muito ruins cara, tudo sub23 e se você ficar no top 3 nao poderá disputar Champions, taça asiatica, taça de Singapura, nem contratar estrangeiros nesse clube. Sinceramente eu fui um tempo lá e di no pé.
      Carlos: É, estive pensando nisso, meu irmão já havia dito que apesar do titulo todo ano era só a S-League que tinha para disputar. To pensando em ir para o Tampines.
      Bruno: Isso, vá para o Tampines. O DPMM de Brunei, O Nigata Albirex do Japão e o Sailors também são bons.
      Carlos: Ué times estrangeiros em Cingapura....?
      Fora interrompido Carlos:
      Bruno: Seu irmão não explicou essa parte não? Esses clubes acham pouco interessante ou muito forte em seus países e preferem jogar em Cingapura
      Carlos: Hummm, vou ir para o Tampines mesmo então.
      Bruno: Boa sorte.
      Carlos: Só uma duvida, conte-me mais sobre sua experiência em Cinga...
      Bruno mudou a conversa, não contou nada. Estaria Bruno escondendo algo também. Estraaaanho!
       
      20 de Janeiro, 12:00 h,  horário de Brasília.
      Carlos conheceu mais pessoas que parecem dispostas a apoia-lo nessa empreitada: @Victor Duque, @schacoffee @alberto_ijui @Johann Duwe @Megalodonte @PedroJr14 @just12 mas não sabe ainda o que são eles, se são profissionais que poderiam ser seu staff na Asia ou o que, ao que tudo indica são conselheiros, algo como coachs esportivos e Carlos esta disposto a leva-los consigo para Cingapura. Conseguiu o patrocinio do @Cadete213. E fechou contato com seu empresário.
      Carlos: fala @Orieomil666 meu empresário Xing Ling, vamos para a Cingapura?
      Xingling: Faaaala "el mago de cedro segundo" hahahaha tu me lembras teu irmão. Boraaa, só não vai me dizer que vai para aquele yooo ...io...young o que mesmo?
      Carlos: Relaxa, tu me consegue colocar no Tampines?
      Xingling: Meu amigo, não me chamo Xingling a toa né? Sou mestre ali nessa área "xacomigo"!
      (Esse cara é estranho, asiático que parece carioca e usa camisa do Flamengo,estranho, devo estar delirando, tenho que superar o sumiço de meu irmão - pensou Carlos)
      Carlos: combinado meu guru!
       
      Carlos reuniu esse pessoal todo e partiu para Tampines, Cingapura onde treinará o TAMPINES ROVERS FOOTBALL CLUB.

       
      A gente se vê em um próximo capítulo. Gostaram da história pessoal? Algum problema que não gostara?
      A vontade para darem suas impressões.
    • Guilhererme
      By Guilhererme
      Brescia é um tradicional clube italiano, mas sem grandes glórias, o clube detém o record de temporadas consecutivas nas Serie B italiana (18) e de temporadas totais (61) na competição, o clube que ficou mundialmente famoso por ser o clube onde o grande ídolo de toda Itália Roberto Baggio onde na temporada 2000/2001 teve sua melhor colocação em sua historia sendo o oitavo colocado na Serie A, além de ser a primeira vez em mais de 40 anos que Brescia não caiu em seu primeiro ano na elite do italiano, grande ídolo da torcida teve sua camisa 10 aposentada para sempre do clube, por tudo que representou para o clube.
      Guilherme um sonhador técnico Italiano que cresceu vendo as glórias do clube de sua cidade, torcedor do clube desde sempre conseguiu um estagio nas categorias de base do clube e tendo uma carreira meteórica era dito como principal responsável pela base do clube e foi lhe dado a chance de ser o grande nome dessa nova fase e identidade visual do clube, mas será que ele vai dar conta de dirigir o orgulho da cidade sendo tão novo? será que vai ser queimado muito rápido? Bom só vamos saber se tentar 
       

       
      Um grande professor um dia me disse "Você tem que sonhar alto, porque nem tudo que você sonha se realiza então sonhe o máximo que puder para chegar o mais longe possível", logo vamos para nossos objetivos:
       
      A Curto Prazo:
      - Conseguir o acesso a Serie A do Italiano
      - Reforçar as promessas sub-23 do clube
      - Dar espaço pros Jovens se habituarem na com o elenco na Serie B
       
      A Médio Prazo:
      - Se firmar na Serie A sem ficar voltando para o B
      - Voltar a ter 2 jogadores na seleção italiana
      - Tentar surpreender nas Copas
      - Abrir 6 jogos de vantagens no clássico contra a Atalanta
      - Classificar para uma competição Europeia
       
      A Longo Prazo: 
      - Ganhar a Serie A do Italiano
      - Ser o time base da seleção Italiana
      - Ganhar 2 Coppa da Italia (ou seja uma a mais que a Atalanta)
       
      [[BONUS]]: Trazer Tonalli de volta para sua casa em algum momento kkkk
       
      É isso galera colado ja vem a primeira atualização com as primeiras "paginas" kk
       
       
       
       
      "RUJA BRESCIA RUJA PARA TODA ITÁLIA OUVIR"
       
       
       
       
       
       
×
×
  • Create New...