Jump to content
Victor Duque

Um Duque desconhecido na busca pela glória - Voltando aos trilhos - ATT 18/05

Recommended Posts

Victor Duque

Salve comunidade, depois de muito tempo, decidi me me aventurar (tentar) compartilhar uma saga por aqui. Não tive talento para ser um jogador profissional, mas a paixão pelas táticas fez este cidadão, mesmo sem nenhuma qualificação de treinador, explorar o mercado do futebol aos 25 anos de idade!! Só me impus duas restrições nessa busca inicial, não trabalhar no Brasil nem na Europa. Sobre preferências, não tenho. Estou aberto a avaliar as propostas independente do lugar, já que nada na minha vida me prende. 

Dessa forma então iniciarei minhas buscas e contatos para em breve, anunciar o primeiro desafio dessa carreira.

Capítulos da saga:

Spoiler

Capítulo 1 - Primeira parada, Bolívia

Capítulo 2 - Primeira temporada - Ano difícil, porém de muito aprendizado

Capítulo 3 - Hora da virada - Próxima parada, Equador

Capítulo 4 - Início da Série B Equatoriana

Capítulo 5 - Período turbulento, um jogo decisivo e uma jovem promessa

Capítulo 6 - Reta final da temporada 2022 - Título? Acesso?

Capítulo 7 - Transição para a temporada 2023 - Estatísticas, Janela de Transferências e Projeções

Capítulo 8 - Temporada 2023 - Início da Série A Equatoriana

Capítulo 9 - Olmedo na cola dos grandes, rumo aos playoffs

Capítulo 10 - Uma dose de sorte, e outra de competência, uma temporada para a história

Capítulo 11 - Preparação para a temporada 2024 e um convite (quase) irrecusável

Capítulo 12 - 2024 - Início da Liga e da Libertadores

Capítulo 13 - Decisões importantes e uma mudança significativa

Capítulo 14 - La Academia, conhecendo o Racing Club de Avellaneda

Capítulo 15 - Primeiros meses de Racing, dificuldades e reconstrução

Capítulo 16 - Um segundo turno com a cara do Racing!

Capítulo 17 - Planejamento e início da temporada com o Racing, o futuro é promissor!

Capítulo 18 - Um início irregular. Pagando pela austeridade financeira?

Capítulo 19 - O Racing segue vivo!

Capítulo 20 - A reta final da temporada 25/26, será que deu pro Racing?

Capítulo 21 - Um novo começo, um velho continente

Capítulo 22 - O início em Portugal - Sporting Club de Braga

Capítulo 23 - Um carrasco nas Copas e um final de Liga muito importante

Capítulo 24 - Fim da temporada no Braga

Capítulo 25 - Um novo clube, um novo começo

Capítulo 26 - Primeiros passos na Bulgária

Capítulo 27 - Final de temporada com o Ludogorets (com taças!)

Capítulo 28 - Bienvenue à Rennes

Capítulo 29 - Planejamento e primeiros jogos pelo Rennes

Capítulo 30 - Rennes e suas variações táticas

Capítulo 31 - Defesa funcionando, ataque nem tanto

Capítulo 32 - Final da temporada 28/29 com vaga continental confirmada!

Capítulo 33 - Início de Ligue 1 tenebroso - brilhante na Champions - o louco Rennes de 29/30

Capítulo 34 - Voltando aos trilhos

Desempenho por temporadas:

Spoiler

2021: Guabirá - 11° na primeira divisão boliviana / eliminado nas quartas da copa nacional;

2022: Olmedo - Campeão da segunda divisão equatoriana;

2023: Olmedo - Campeão da primeira divisão equatoriana;

2024/2025: Racing - 5° na primeira divisão Argentina;

2025/2026: Racing - 2° na primeira divisão Argentina / Eliminado na semi final da Copa Nacional;

2026/2027: Braga - 2° na primeira divisão portuguesa / Eliminado na semifinal da Taça de Portugal / Vice campeão da Taça da Liga de Portugal;

2027/2028: Ludogorets - Campeão da Liga / Campeão da Copa Nacional / Eliminado nas oitavas de final da Europa League;

2028/2029: Rennes - 4° na primeira divisão francesa / eliminado nas quartas da Copa Nacional;

 

Share this post


Link to post
Share on other sites
Cadete213

Boa sorte.

Share this post


Link to post
Share on other sites
AllMight

Bem vindo Victor! Boa sorte com o save, te desejo muita diversão contando sua a história aqui na área.

Algumas dicas importantes:

- Usamos uma tag no tópico pra indicar a versão do FM que está sendo jogado, assim que der coloque-a, para os leitores saberem a versão.

- A Central de Informações é uma área onde reuni as regras da área, tutoriais e dicas pertinentes para quem deseja postar sua história aqui, não deixe de dar uma olhada, vai te ajudar muito.

- Não sei se você acompanha outros tópicos da área, mas para um iniciante ler e se inspirar em alguns tópicos é a melhor maneira de formatar sua história. 

No mais, te desejo novamente muita diversão e boa sorte com o save.

 

Share this post


Link to post
Share on other sites
Victor Duque

A busca começou devagar, muitos clubes pelo Brasil nas divisões inferiores fatalmente chamavam para entrevistas, mas não era meu desejo. A falta de paciência dos clubes daqui e o calendário curto eram as coisas que pesavam contra na minha cabeça. Também pesou a oportunidade de viver uma nova cultura enquanto fazia o que gostava.


Algumas semanas depois, recebi alguns convites para entrevistas online, 3 para ser específico (um amigo da área de propaganda e publicidade me ajudou e muito com algumas formas de divulgação, disse que pagaria depois que tivesse um salário). Um time do Paraguai, um da Bolívia e um da Índia(????).
Confesso que mentalmente, já tinha descartado o time da Índia. Medo talvez? Receio? Acho que sim. Mas o clube, que era da segunda divisão, até que teria uma situação financeira melhor que imaginei, mas com pretensão de subir de divisão. Pedi para pensar.
Depois foi o clube do Paraguai. Segunda divisão também, condições precárias tanto nas instalações quanto nas finanças. Não tinham muitas expectativas no plano de 5 anos.

 

2SYUDYQ.png

 

Chegamos então ao escolhido, ou acham que não citei o nome dos outros times por acaso? Melhor preservar não é? Sim, o clube boliviano se mostrou a melhor opção por vários motivos. Aliás, Club Deportivo Guabirá, muito prazer. Fundado em 1962, na cidade de Montero. Manda seus jogos no estádio Gilberto Parada, que tem capacidade para 13 mil torcedores.
Mas então, por que o Guabirá? Já adianto que a língua não seria problema. Eu tinha estudado espanhol, e gostava. Tudo bem que não praticava muito, mas a necessidade me faria voltar a praticar, e estava confortável com isso. Bom, surpreendentemente, dos que me chamaram, eram o único jogando a primeira divisão de seu país. O campeonato já estava em andamento, e quando assumi, com 8 rodadas, eles estavam em 11°, em uma liga com 14 equipes. Confesso que isso me atraiu, a chance de estrear na primeira divisão de um país de fato pesou na decisão, por mais que eu nem soubesse da existência dessa equipe. Mas fora isso, a situação financeira que me passaram era bem estável, e melhor do que imaginei que encontraria.

Decisão tomada então, pedi para a diretoria 1 semana para juntar minhas coisas, viajar para lá, achar um lugar provisório para me instalar, e começar a trabalhar. Vamos lá!

 

Destino: Montero, Bolívia.

Preciso ser sincero sobre o que sabia sobre a Bolívia, muito pouco. Sobre futebol, sabíamos que eram times fracos tecnicamente, que as vezes se aproveitavam da altitude para arrancar bons resultados por lá. os brasileiros sabem bem disso. Quem nunca sofreu vendo seu time levar um baile na altitude tem muita sorte.

Durante a viagem, pesquisei um pouco sobre a cidade, o clube, a liga, e tudo mais que eu achasse. A cidade tinha algo em torno de 170 mil habitantes. O clima era agradável, uma média de 23° C. E a cidade era predominantemente agrícola.

O clube, sem relevância nacionalmente, tinha conquistado um campeonato nacional em 1975, quando a liga tinha outro formato, outro nome até. 

A liga, é disputada por 14 equipes, em 3 turnos, 39 rodadas. Dois são rebaixados.

Chegando na cidade, já era noite, e só tive tempo de descarregar minhas coisas na pousada que o clube reservou e seguir para o estádio, onde haveria uma pequena apresentação, com presença da mídia local (a cidade é pequena, mas tem orgulho do clube) e de alguns sócios, o que gostei muito. Pedi que os sócios fizessem perguntas também, ninguém melhor que o torcedor para fazer as perguntas que precisam de resposta. E em uma delas, deu pra sentir a insatisfação, quando fui perguntado se eu seria a pessoa para mudar o histórico recente de temporadas desapontadoras da equipe. E respondi.

"Você tem razão quanto ao histórico. Mas não acho que sejam apenas temporadas ruins. Isso sempre se explica. Conversei com o presidente, não quero necessariamente reforços para essa temporada. Quero liberdade e confiança para implementar as ideias, e uma equipe técnica para delegar funções. Esse vai ser o primeiro passo, de muitos que precisaremos dar. conto com o apoio de todos."

Não tinha falado sobre equipe técnica com o presidente. Foi mais uma cutucada, porque sabia que acumular funções, sem ter experiência e moral com o grupo (pelo menos nesse primeiro momento), seria dar um tiro no pé.

Depois da entrevista, dei uma volta pelas instalações e conheci o estádio, registrei com uma foto.

Ql81RVS.jpg

 

Agora é hora de ir. Cheguei um dia antes da minha estreia. Vamos apenas ter um bom papo com o elenco, definir algumas situações táticas, e tentar começar com os 3 pontos!

Share this post


Link to post
Share on other sites
six_strings

Boa sorte na Bolívia.

PEACE

Share this post


Link to post
Share on other sites
Victor Duque
6 minutos atrás, six_strings disse:

Boa sorte na Bolívia.

PEACE

Obrigado! 💪

Share this post


Link to post
Share on other sites
LC

Boa sorte Victor. Te enviei uma mp.

Seja bem vindo a área e esperamos que seu save seja longo e duradouro.

Share this post


Link to post
Share on other sites
Victor Duque
18 minutos atrás, LC disse:

Boa sorte Victor. Te enviei uma mp.

Seja bem vindo a área e esperamos que seu save seja longo e duradouro.

Valeu! olhei lá, obrigado e vamo que vamo👊

Share this post


Link to post
Share on other sites
Peepe

Boa sorte, Victor!

Curto muito futebol boliviano, tenho inclusive vontade de fazer um save de clubes por aqui no país. Espero que a trajetória no Guabirá seja duradoura.

Share this post


Link to post
Share on other sites
Victor Duque
34 minutos atrás, Peepe disse:

Boa sorte, Victor!

Curto muito futebol boliviano, tenho inclusive vontade de fazer um save de clubes por aqui no país. Espero que a trajetória no Guabirá seja duradoura.

Assim espero também! Com muito trabalho vai dar certo, obrigado!!

Share this post


Link to post
Share on other sites
Cadete213

Escolha interessante. Boa sorte na Bolívia

Share this post


Link to post
Share on other sites
Victor Duque
1 hora atrás, Cadete213 disse:

Escolha interessante. Boa sorte na Bolívia

Valeu mesmo! vai ser um bom desafio

Share this post


Link to post
Share on other sites
Victor Duque

A PRIMEIRA TEMPORADA


Cheguei na cidade um dia antes da minha estreia como havia dito. Não houve tempo para muita coisa. O presidente me ajudou a identificar algumas situações de elenco, fizemos o pré jogo juntos, e estávamos confiantes.
A estreia foi dos sonhos, 5x1 pra cima do Aurora (lanterna). Mas não se deixem enganar, uma temporada longa de mais baixos do que altos estava por vir.
depois da estreia, tive a chance de pedir para a diretoria começar a procurar profissionais que pudessem agregar na comissão, principalmente na parte de preparadores. Não posso reclamar nessa parte, dentro de poucos dias, tínhamos nossa equipe técnica mais completa. O problema mesmo iria se mostrar outro, o elenco era um tanto desequilibrado. Primeiro, meu único volante com cara de camisa 5 marcador e ladrão de bola, se lesionou no primeiro jogo, por 6 meses... Mais um detalhe é que assumi já fora da janela de transferências e não pude agregar valores ao elenco, nem mesmo jogadores livres. A falta de profundidade e qualidade no meio de campo me preocupava muito. Por isso decidi começar usando uma tática com 3 zagueiros, laterais um pouco mais avançados, e dois atacantes com certa movimentação para aproveitar contra ataques.
mas a prática pode ser muito diferente. Ainda mais para um treinador novato, sem formação, em um país novo para ele.


Vou dividir a temporada em duas partes.

- Primeira metade da temporada

Resumindo, UM DESASTRE. Some o elenco desequilibrado já citado, ao alto número de lesões e também a baixa estatura de zagueiros e laterais. Na janela de meio de ano, precisava cobrir todos esses buracos. Mas vamos ao resumo de resultados.

76w0536.png

 

Difícil explicar e aceitar, mas foi isso mesmo. O time sofria gols bobos, muito cedo no jogo as vezes. Não era só uma batalha contra o adversário, mas também contra o psicológico abalado após cada jogo e contra as próprias deficicências individuais e coletivas.  
Na copa, consegui avançar nas 3 primeiras fases que disputei até chegar nas quartas, que seria jogada na segunda metade da temporada.

- A segunda metade da temporada

ApIvN1M.png

 

Fica evidente a melhora do candidato ao rebaixamento na reta final do ano. As contratações pontuais foram importantíssimas, principalmente no ataque, onde a equipe ficou mais criativa e perigosa ao jogar no contra ataque. Destaque para o 0x0 contra o Bolívar, fora de casa, clube que foi campeão da liga mais tarde.
Na copa, cumpri o desejo da diretoria, de chegar até as quartas de final. Na liga, também escapamos da queda como era desejado. Assim ficou a tabela.

MHUSupe.png

 

- As decisões e mudanças no final da temporada

Era ano de eleições no clube. É claro que sabia que as coisas podiam tender contra mim, afinal, mesmo que a luta para não cair fosse esperada, ninguém gosta de passar por essas situações. Depois que as eleições tinham passado, e do final da liga Boliviana, eu ainda não tinha recebido nenhuma proposta de renovação. Para mim, ficava cada vez mais claro o que estava para acontecer. 
faltando pouco menos de um mês para o fim do meu contrato, fui chamado pela diretoria para uma conversa. Logo de início, mostraram a insatisfação com o ano de uma forma geral, apesar de eu ter cumprido com os objetivos na liga e na copa. Na liga inclusive, a previsão da imprensa era de que o clube seria rebaixado. Ponto pra mim!
Porém, o tom ácido do inicio da conversa me fez recuar. Não me senti seguro em iniciar uma temporada com uma diretoria que a qualquer momento poderia me sacar. Para mim, eu merecia ter um ano completo de trabalho para poder ser avaliado. Por isso, agradeci a conversa e decidi que queria que o clube rescindisse meu contrato. E assim foi feito.

Porém, precisava me auto avaliar. Agora vejo que a decisão de treinar em uma primeira divisão (por mais que seja da Bolívia), talvez tenha sido muita pressão para um treinador sem experiência e nenhuma formação. Talvez seja a hora de dar um passo para trás, para daqui um tempo, poder dar dois passos para frente. É com esse pensamento que inicio a busca por um novo clube!

Adeus Bolívia👋✈️

 

Share this post


Link to post
Share on other sites
Cadete213

Época complicada mas cumpriste os objetivos propostos pela direção. Eleições são lizadas e acabas por sair da Bolívia. Que venha o novo desafio.

Share this post


Link to post
Share on other sites
six_strings

Dever cumprido, dormes descansado à noite. E agora?

PEACE

Share this post


Link to post
Share on other sites
Victor Duque
3 horas atrás, Cadete213 disse:

Época complicada mas cumpriste os objetivos propostos pela direção. Eleições são lizadas e acabas por sair da Bolívia. Que venha o novo desafio.

É isto!! Cabeça erguida para agora fazer uma temporada positiva!

Share this post


Link to post
Share on other sites
Victor Duque
2 horas atrás, six_strings disse:

Dever cumprido, dormes descansado à noite. E agora?

PEACE

Como gosto de dizer, o melhor ainda está por vir! Vamos por mais!

Share this post


Link to post
Share on other sites
dantenetocosta

Foi um desafio e tanto, particularmente nunca tinha ouvido falar desse time. Uma pena a diretoria não ter renovado, normalmente a segunda temporada já da pra se organizar melhor dentro do time.

Share this post


Link to post
Share on other sites
Nei não cai (38D)

Bem vindo e boa sorte.

Já se achegue ao clube dos desempregados hahaha

Que a próxima temporada venha melhor.

Share this post


Link to post
Share on other sites
Peepe

Assustador esse começo de campeonato mas ao menos sobreviveu e guarda algumas goleadas aplicadas para engrandecer a passagem.

Aconselho a inserir os marcadores de gol quando postar o calendário, ao menos pra gente acompanhar, e quem sabe fazer recorte em algumas imagens. Por exemplo, a parte 1 acaba em 23/06 ao passo que a parte 2 inicia em 31/07. É um detalhe bobo mas é importante conseguir incluir os jogos de julho na postagem.

Uma pena que saiu da Bolívia mas vamos em frente, boa sorte no próximo desafio.

Share this post


Link to post
Share on other sites
Victor Duque
36 minutos atrás, Nei não cai (38D) disse:

Bem vindo e boa sorte.

Já se achegue ao clube dos desempregados hahaha

Que a próxima temporada venha melhor.

Hahahaha obrigado! Com certeza será💪🏼

Share this post


Link to post
Share on other sites
Victor Duque
30 minutos atrás, Peepe disse:

Assustador esse começo de campeonato mas ao menos sobreviveu e guarda algumas goleadas aplicadas para engrandecer a passagem.

Aconselho a inserir os marcadores de gol quando postar o calendário, ao menos pra gente acompanhar, e quem sabe fazer recorte em algumas imagens. Por exemplo, a parte 1 acaba em 23/06 ao passo que a parte 2 inicia em 31/07. É um detalhe bobo mas é importante conseguir incluir os jogos de julho na postagem.

Uma pena que saiu da Bolívia mas vamos em frente, boa sorte no próximo desafio.

Foi mesmo! Depois que consegui melhorar um pouco o elenco no meio do ano, ficou aquela sensação de que assumir com o campeonato em andamento, fez toda a diferença para o início desequilibrado. 

E obrigado pelas dicas, vou adicionar os marcadores e farei recortes menores para encaixar jogos de toda a temporada!

Pois é, gostaria de continuar mais um ano pelo menos, mas valeu como um excelente aprendizado. Altas emoções para um primeiro trabalho!

Share this post


Link to post
Share on other sites
LC

Bem ou mal conseguiu cumprir os objetivos da diretoria, mas infelizmente a primeira parte da temporada foi sinistra. A diretoria até foi legal com você, pois em outros clubes já teriam de mandado embora por causa do número de derrotas. Boa sorte no novo clube.

Share this post


Link to post
Share on other sites
Victor Duque
14 minutos atrás, LC disse:

Bem ou mal conseguiu cumprir os objetivos da diretoria, mas infelizmente a primeira parte da temporada foi sinistra. A diretoria até foi legal com você, pois em outros clubes já teriam de mandado embora por causa do número de derrotas. Boa sorte no novo clube.

Falou bem meu amigo, e pressão não faltou. Tivemos 2 reuniões durante o ano que serviram como ultimato, fiquei na corda bamba, mas realmente foi bom poder ficar até o fim para ver algum resultado do trabalho. Obrigado!!

Share this post


Link to post
Share on other sites
Henrique M.

Foi uma temporada difícil e realmente não achei que iria abandonar o barco depois de conseguir bons resultados no segundo semestre e atingir os objetivos propostos. Vamos ver o que o futuro guarda.

Share this post


Link to post
Share on other sites

Join the conversation

You can post now and register later. If you have an account, sign in now to post with your account.

Guest
Reply to this topic...

×   Pasted as rich text.   Paste as plain text instead

  Only 75 emoji are allowed.

×   Your link has been automatically embedded.   Display as a link instead

×   Your previous content has been restored.   Clear editor

×   You cannot paste images directly. Upload or insert images from URL.


  • Similar Content

    • Megalodonte
      By Megalodonte
      Prezados
      Esta é a história de José Silva,  mais um entre tantos milhões de brasileiros.
       
      REGRAS DO SAVE E DATABASE
      Escrever a história de José Silva no cenário mundial; Expressar ao máximo os dilemas da carreira de José Silva no fórum; Diversão total no save  
      Database: TODAS as ligas do mundo como jogáveis, totalizando 490 mil jogadores, para dar o máximo de realismo possível. Estou utilizando também o BRMundiup atualizado em 26/03 e o modo de inteligência deles que deixa o jogo mais realista e difícil, sobretudo na América do Sul. Já deixo a dica para quem tem notebook/PC gamer que selecionar todas as ligas do mundo roda de boa e sem travar, independente do fato de ficar com "meia estrela" no desempenho. Apenas recomendo um acelerador de dias (FMspeed ou Cheat Engine) para que o jogo dê uma acelerada na passagem de dias (sem perder qualquer interação), mas é opcional isso.
       
       

      Imagem da Zona Leste de São Paulo-SP
      TEMPORADA 2021 - CAPÍTULO 1
      Quem sou eu?!
      Esta história será escrita em primeira pessoa. Sim, sou eu, José Silva, que está escrevendo. Não farei joguetes dissertativos nesta jornada, mas garanto sinceridade máxima para com o leitor. Antes de tudo, vou me apresentar. Eu sou José Silva, mais um entre tantos milhões de brasileiros. Mais um José e mais um Silva, talvez o nome e o sobrenome mais comum do Brasil. Ok, sei que não ficou legal esta apresentação, portanto serei mais direto para me ater à promessa de evitar os joguetes na narração.
      Nasci na cidade de São Paulo, no Natal de 1990. Estou prestes a completar 30 anos. Sou da Zona Leste, uma área predominantemente pobre na capital paulista, apesar de eu particularmente nunca ter sido pobre a ponto de ter passado fome ou frio na vida, sempre tive consciência de classe, que no meu caso, na melhor das hipóteses sempre foi a classe média baixa. Minha mãe é professora de uma escola estadual de Guarulhos, cidade com mais de 1 milhão de pessoas, ao qual faz divisa com a Zona Leste de São Paulo. A inflação imobiliária nos impediu de mudar para Guarulhos mais perto do colégio, portanto moro até hoje numa casa velha da Zona Leste, porém digna, adquirida pela minha mãe nos anos 90 e quitada após uns 15 anos de prestações. Sempre estudei no colégio público que minha mãe deu aula em Guarulhos, portanto era cobrado duplamente, tanto como filho quanto como aluno. Da nossa casa até o Colégio dava cerca de 20 minutos de moto e essa foi minha trajetória da infância até completar o ensino médio: acordar cedo, ir pra escola na garupa da moto da minha mãe e passar a tarde toda jogando bola na quadra do meu colégio. Eu era um goleiro mediano e nunca sequer cogitei ser jogador de futebol e apesar de amar futebol, sempre gostei mais de assistir do que jogar futebol. Era um corintiano moderado, que não desenvolveu o fanatismo por nunca ter ido ao Pacaembu na infância, pois não tinha um pai pra me levar ao estádio. Nunca conheci o meu pai, que segundo minha mãe sumiu no mundo após engravidá-la. Não tinha o nome dele em minha identidade ou certidão de nascimento, e herdara apenas o sobrenome Silva, de minha mãe. Além de "José" e "Silva", era mais um brasileiro filho de mãe solteira na imensidão demográfica deste País Continental.
      Sempre tirei notas boas, apesar de nunca ter sido um bom aluno. Meus interesses eram curiosidades globais, romances policiais, séries baixadas em péssima qualidade, idiomas, história do futebol e livros políticos e filosóficos. Desenvolvi um bom nível de inglês através de jogos na lanhouse que frequentava perto da minha casa, no auge dos anos 2000. Quanto à politica, se você é de esquerda, me achará de direita e se você é de direita, me achará de esquerda. Me considero um verdadeiro "isentão" que gosta de ver o circo pegar fogo. Acho tanto o coletivismo quanto a meritocracia duas farsas, quando postas de maneira integral, além de ser um adepto da teoria do caos, também conhecida como efeito borboleta. Acredito que pequenos detalhes mudam toda uma trajetória e que a sorte e o azar são fundamentais na vida do cidadão, desde a loteria genética até estar em determinados lugares ou conhecer determinadas pessoas. 
      Após terminar o colégio, fui o último aprovado no vestibular para o curso de Educação Física na USP, ao qual confesso que levei uma sorte desgraçada. Mais procrastinava do que estudava, porém acertei o necessário para entrar. Dizem que vestibular é igual sexo: não importa a posição, o que importa é entrar. A essa altura eu tinha 18 anos e uns 500 reais de patrimônio total. O departamento de Educação Física da USP era bem longe da minha casa, e sabia que teria que pegar ônibus e metrô para chegar lá, portanto decidi que iria trabalhar durante o dia (a faculdade era noturna) para juntar um dinheiro para tirar carteira de motorista e comprar uma moto, pois a perda de tempo dentro do transporte público era imensa, economizaria umas duas horas diárias que poderiam ser empregadas em outra coisa. Sempre achei que o capitalismo é um jogo de tempo.
      Falando em tempo, vou adiantar um pouco minha história para chegarmos ao presente. Quando entrei na faculdade, consegui um emprego na lanhouse ao qual frequentei minha infância e adolescência e acabei virando uma espécie de "gerentão" lá. No meio do segundo ano, após todo mês juntar uma parte do salário que sobrava, enfim consegui comprar a moto e tirar minha CNH. Aproveitei o tempo livre diário que ganhei ao não ter mais que pegar transporte público pra dormir. Sim, isso mesmo, eu vivia num sono infernal nessa rotina de trabalhar e estudar e duas horas de sono a mais por dia me davam uma revigorada satisfatória. Terminei a faculdade e decidi que queria ser professor de Educação Física, para isso teria que estudar, pois apesar do salário de professor da rede estadual não ser nada atraente, a concorrência era imensa, pois ganhar 3 ou 4 salários mínimos com estabilidade em um país de terceiro mundo como o Brasil era algo muito acima da média. Meu TCC foi sobre evolução de táticas de futebol na Ásia. Sim, bizarro.
      Com o diploma na mão, fiz as contas e vi que tinha dinheiro para me manter por 6 meses sem ter que trabalhar, portanto, para não queimar minhas reservas, tive a ideia de pedir ao dono da lanhouse se era possível que eu trabalhasse meio-período, para poder focar o máximo de tempo no concurso, que seria no final do ano (estávamos em 2012). Ele resmungou, dizendo que esse negócio de emprego meio-período era coisa de País rico, que não existia isso no Brasil, mas acabou cedendo, pois tinha grande apreço por mim. Eu ganhava dois salários mínimos na lanhouse, com essa redução, viria a ganhar um, o pouco de vida social que eu tinha acabava de ir pros quiabos com essa nova renda. Era apenas subsistência e mais nada.
      Dessa vez eu não procrastinei e pela primeira vez estudei de maneira sistemática e organizada e no final de 2012 passei no concurso, em uma posição intermediária. No começo de 2013 assumi uma escola Estadual em Itaquaquecetuba, outra cidade metropolitana grudada em São Paulo e Guarulhos, ao qual o pessoal costuma chamar apenas de "Itaquá". Tinha apenas 22 anos e seria professor de alunos da quinta e sexta série, ou seja, uma intersecção de crianças e adolescentes, metade infância e metade puberdade. As condições da escola eram ruins, mas não chegavam a ser deploráveis, daria uma nota 4,5 numa escala de 0 a 10. Confesso que esperava algo pior. No meu primeiro ano, tive muitos problemas, pois eu alternava entre ser bonzinho demais e severo em demasia, e os alunos deitavam e rolavam, tanto por mau comportamento pela minha inércia, quanto reclamando com os pais que eu gritava e era bravo demais quando eu decidia fazer alguma coisa. Somente no final de 2014, no meu segundo ano como professor que fui pegando o jeito do negócio e a partir de 2015 eu já era um dos professores mais queridos do colégio.
      Eu era criativo e costumava dar aulas envolvendo competições de diversos esportes, apesar de não esconder minha preferência pelo futebol, também desenvolvia-os com Xadrez e alguns jogos de tabuleiro. Os anos foram passando e a maioria dos meses eu conseguia guardar cerca de 10% do meu salário, minha mãe estava prestes a aposentar e eu sentia que faltava algo para dar uma guinada na minha vida. Confesso que me iludi com algumas promessas miraculosas de dinheiro, mentalidade empreendedora e outras baboseiras de espertalhões na internet que enganavam ingênuos ambiciosos e acabei perdendo dinheiro nessas coisas, ao qual eu sequer gostava. 
      Mal sabia que a grande teoria do caos que estava por aparecer na minha vida seria um "pequeno" torneio escolar. Era o ano de 2020 e eu notei que desde que entrei no colégio em Itaquá, aquele ano era ao qual os alunos do sexto ano eram os melhores nas aulas de futsal desde 2013. Tinha pelo menos 6 alunos ali com um potencial monstruoso perto do que eu já tinha visto de garotos daquela idade, e pela primeira vez nosso colégio foi convidado para a disputa dos jogos escolares da Grande São Paulo, pois a Prefeitura de São Paulo havia expandido a participação para todos os colégios da capital e região metropolitana. Seria uma espécie de Copa da Inglaterra, com mais de 1000 escolas públicas e particulares disputando um gigantesco torneio em mata-mata. Só eram permitidos alunos de 11 ou 12 anos completos até o fim de 2020 , ou seja, alunos do quinto ou sexto ano (os reprovados mais velhos ficariam de fora). Montei um time de toque de bola rápido na quadra, ofensivo e que sabia a hora certa de dar o bote.
      Apesar de ser cético até demais, um grave defeito que tenho, confesso que fui criando a ilusão que dava pra chegar longe, pois os meninos do colégio eram realmente bons e o mais importante: todos fortes fisicamente, uns verdadeiros cavalos pra idade que tinham. O único que tinha 11 anos e era mais mirrado era o nosso goleiro, que tive que buscar na quinta série, pois na sexta não havia nenhum, de resto eram todos com 12 anos e ótimo porte, além de apurada técnica. Me espelhei na zebra do Guga em Roland Garros em 1997 ao qual foi campeão sendo o número 66 do ranking mundial e fomos passando de fase. Os jogos eram sempre em algum colégio neutro, e nossos alunos que não jogavam, tanto meninos quanto meninas, eram uma torcida bem fiel e sempre empurravam a gente. As fases foram passando, até que chega outubro de 2020 e estávamos nas oitavas de final. Dentre os 16 colégios, éramos o único colégio público. Todos os outros eram particulares. A partir desta fase, os jogos eram disputados no Ginásio Ibirapuera, o que atraía atenção da mídia local, dos holofotes da educação e é claro: o de olheiros que estavam ali para tentar descobrir o próximo Neymar. O Brasil tem uma tradição monstruosa em revelar grandes jogadores que começaram no futsal.
      Eu havia levantado informação dos outros 15 adversários e pelo que vi todos eram mais ou menos do mesmo nível, com exceção a três colégios que serviam de base através de uma parceria para os três grandes da capital: Corinthians, Palmeiras e São Paulo. Eu estava torcendo pro sorteio não colocar esses colégios frente ao nosso time, e acabei levando sorte: o Colégio parceiro do Palmeiras enfrentaria o do Corinthians logo de cara, na outra chave, e o do São Paulo também caiu do outro lado da chave, ou seja, só pegaria um dos top 3 numa eventual final. Tanto nas oitavas, quanto nas quartas e na semi, nos classificamos nos pênaltis, todos empatando por 2x2. Três resultados iguais e três êxitos na loteria dos pênaltis. Parecia história de filme de final feliz, estilo a Libertadores do Atlético Mineiro de 2013. Confesso que não treinava muito as penalidades, apenas o básico, mas o meu goleiro de 11 anos tinha uma habilidade paranormal para defender pênalti, era um novo Dida. Com certeza algum olheiro acabaria incentivando-o a treinar em algum clube quando os Jogos Escolares acabassem. 
      A grande final veio, em novembro de 2020, e seria contra um dos colégios mais tradicionais da capital paulista, que servia de base para o São Paulo Futebol Clube. Calculei que teríamos no máximo 25% de chance de sermos campeões (sou um tarado em números, estatísticas e probabilidades), tratei aquela final da pirralhada da sexta série como o maior desafio da minha vida. O jogo começou e logo no primeiro tempo  tomamos 3 gols. A mini-escolinha do SPFC era uma máquina mortífera. Eu não sei qual espírito da oratória entrou em mim no intervalo que consegui entrar na cabeça da mulecada de um jeito que por uns instante me senti o Bernardinho do Vôlei no quesito motivação. O final feliz não veio e o milagre também não aconteceu, mas marcamos dois gols e faltando 15 segundos meu pivô acerta uma bola no travessão, quase empatando e forçando a prorrogação. Perdemos de 3 a 2. Fomos vice-campeões, mas o ginásio inteiro do Ibirapuera nos aplaudiu. Caímos de pé.
      No final do jogo, os garotos desabaram em lágrimas tenras. O lado criança venceu o pré-adolescente, e a dor do "quase" foi cruel e torturante. Após meia hora consolando-os, com palavras inócuas para uma perda deste tamanho, um senhor grisalho de camisa social me aborda:
      - Você é o José Silva, né? Gostaria de trocar uma ideia com você.
      Eu tinha mania de tomar conclusões precipitadas e já fui falando:
      - Sou sim. Você deve ser olheiro de algum clube, né? Já adianto que pra falar com qualquer aluno meu para eventuais testes, antes de mais nada, é necessário a autorização dos pais deles, pois são menores de idade.
      - Você errou duplamente, retrucou o senhor Grisalho. Não sou olheiro e não quero falar sobre teus alunos. Sou vice-presidente do ********* e gostaria de te propor uma entrevista. Já tem um tempo que estamos observando profissionais de educação física dedicados e acredito que tens o necessário para um projeto em nosso clube.
      Bom, confesso que por uns 10 segundos senti um formigamento misturado com ansiedade e felicidade, além de um pouco de medo. No próximo capítulo eu conto o que aconteceu. E os asteriscos no nome do time é pra dar um ar de mistério, mesmo. A única dica que lhes dou é que é um time aqui do Estado de São Paulo, mesmo.
      Continua...
    • mfeitosa
      By mfeitosa
      Não, não é um déjà vu! Acredito que quem acompanha os meus saves há algum tempo não vá se surpreender com o meu retorno a uma proposta (não tão) antiga, que é a de fazer uma carreira dentro do futebol latino-americano. Na primeira de minhas tentativas, em "A volta por cima de Wanchope", relatei uma curta trajetória do costarriquenho Paulo Wanchope na América do Norte e Central. Apesar de ter sido um dos saves que mais gostei de fazer, infelizmente não consegui concluí-lo em razão de projetos pessoais que exigiram toda a minha atenção na época.
      Mais recentemente, entre idas e vindas, tentei retomar a proposta com "Soy Loco Por Ti América", sob a alcunha do chileno Arturo Sanhueza. No entanto, este save acabou não sendo o que eu planejava, pois não consegui um bom conjunto de ligas alternativas, fora da América do Sul, estáveis o suficiente para que tornasse o projeto viável em sua integralidade. Ainda assim, insisti em fazê-lo utilizando apenas as ligas sul-americanas e foi bom enquanto durou. Mas faltava algo e acabei desanimando. 
      Agora é a vez que reunir esses dois saves em um só, colocando a figura de Paulo Wanchope dentro do cenário de "Soy Loco Por Ti América", dessa vez contemplando todas as ligas necessárias. Após tantas tentativas, tenho esperanças de que teremos um bom save pela frente, com início, meio e fim. Mãos à obra!


      Como já antecipei em minhas considerações iniciais, esse save contemplará todas as ligas de expressão do futebol latino-americano e outras adicionais, incluindo a América do Sul (Argentina, Brasil, Bolívia, Chile, Colômbia, Equador, Paraguai, Peru, Uruguai e Venezuela), a América do Norte (Estados Unidos, México e Canadá) e a América Central (Belize, Costa Rica, Cuba, El Salvador, Guatemala, Haiti, Honduras, Jamaica, Nicarágua, Panamá, República Dominicana e Trinidad e Tobago). Ainda carreguei as principais ligas de alguns países da Europa (Alemanha, Espanha, França, Inglaterra, Itália e Portugal) para manter o Mundial de Clubes da FIFA competitivo.
      As ligas que estou utilizando são do megapack do DaveTheEditor. Fiz um teste de dez temporadas e não consegui identificar nenhum erro importante que impeça o bom andamento do save. Analisei aspectos como qualificação para as competições continentais, inscrição de jogadores, acessos, rebaixamentos e calendarização.

      Optei por uma base de dados Enorme (Personalizada), adicionando todos os jogadores do continente americano disponíveis no jogo, totalizando algo próximo de 100 mil jogadores. E como os times das ligas mais significativas estão razoavelmente atualizados no patch 21.4, não achei necessário marcar a opção de "Adicionar Jogadores a Equipes Jogáveis", evitando que o jogo esteja repleto de newgens logo de cara.


      Fugindo um pouco do que vinha fazendo em minhas últimas histórias, decidi por não estabelecer nenhuma regra ou objetivo específico para esse save. Obviamente, não fugirei ao que o título e banner da história nos remete, que é a conquista de títulos continentais como a Libertadores da América e a Liga dos Campeões da CONCACAF. Não há como fugir disso. No entanto, a caminhada que pretendo construir até conquistá-los não será das mais curtas. O FM nos possibilita grandes saltos dentro de um save carreira, mas farei o possível para que isso não ocorra com Paulo Wanchope.
      Minha ideia é que esse percurso seja construído da forma mais verossímil possível. Logo, não se assustem ao me ver tomar decisões dentro do save que atravanquem a evolução da carreira do costarriquenho em alguns momentos, algo que eu já fiz sutilmente com Arturo Sanhueza. Farei o possível para que as mudanças de clube de Wanchope sejam as mais modestas possíveis, nunca saltando para uma equipe ou liga de reputação muito maior à que eu estiver jogando, por exemplo.
      O estilo principal das postagens será no formato de notícias, com algumas pitadas de ficção para que as ações realizadas dentro do jogo façam um pouco mais de sentido para quem estiver acompanhando. Quando necessário, alternarei com postagens no velho estilo JeT, como forma de complementar informações.


      Uma das formas que conheço que podem me auxiliar a impedir que a carreira de Paulo Wanchope evolua rapidamente é a questão das licenças. Este, inclusive, foi um dos erros que acabei cometendo com Arturo Sanhueza, que passou a receber propostas de clubes de reputação continental muito cedo. Dessa forma, atrasarei ao máximo os cursos do costarriquenho dentro do save, que iniciará Sem Qualificações e com experiência passada de Futebolista Amador. 
      A outra forma que conheço é tomando decisões controversas dentro do jogo, o que fará todo o sentido aqui. Para quem não conhece bem a figura de Paulo Wanchope, é importante saber que se trata de uma pessoa de temperamento difícil e que coleciona diversas confusões em sua carreira, seja como jogador, dirigente ou treinador. Com base nisto, buscarei sempre realizar ações dentro do save que sejam condizentes ao que ele é na vida real.

      Por exemplo, no save com Arturo Sanhueza, lembro que engoli em seco uma renovação do Sport Boys com um contrato de duração muito maior do que eu desejava. Salvo engano, até com um salário menor. E como eu queria muito disputar a Libertadores, acabei aceitando. Bom, se fosse o Wanchope no lugar de Sanhueza, não tenho dúvidas de que o costarriquenho não apenas recusaria tal proposta como ainda faria comentários polêmicos à imprensa. Isto, se não partisse para a porrada com alguém.
    • six_strings
      By six_strings
      Clube Norueguês, que milita no segundo escalão do país, com excelentes instalações
      de treino e de desenvolvimento de jovens jogadores.
       

       

       
      Gubther Söme Fodsen foi contratado para assumir os comandos do TROMSO IL.
      Natural de Tromso e sócio do clube o antigo jogador amador, dá início a 
      uma carreira no clube do seu coração, onde promete levar o clube ao sucesso.
       




      A direção espera que consigamos trabalhar com o orçamento que dispomos, que é 
      pouco ou quase nada, e que tenhamos um desempenho que nos permita a promoção para
      o escalão maior na Noruega.
       

       
       

    • Ibarra
      By Ibarra
      É com muita alegria, prazer, esforço e dedicação que continuarei a postar muita coisa bacana para este fórum com o FManager Brasil Ultimate Update agora e em breve, ou seja: a partir do dia 24 de Novembro, dia do lançamento do FM21 irei soltar a primeira atualização desde o Campeonato Brasileiro Série A até as divisões regionais do Brasileirão, além de Ligas e Copas do Brasil e do Mundo Inteiro juntamente com os elencos dos times nacionais e internacionais atualizados.
      Bom galera desta vez o Brasil Ultimate Update vai ser de maneira diferente, ou seja: vai ser o Brasil em formato europeu, eu decidi fazer assim o update devido aos jogos acumulados dos estaduais que ao meu ver acaba por enjoar os saves no Brasil, por isso decidi retirar os estaduais e manter as seguintes ligas e copas no update, vejam abaixo:
      Brasileirão Série A Brasileirão Série B Brasileirão Série C Brasileirão Série D Brasileirão Divisões Inferiores Copa do Brasil Supertaça do Brasil Países fundamentais são: Arábia Saudita, Emirados Árabes Unidos, Tailândia, Qatar, Bolívia, Equador, Paraguai, Venezuela. Outros conteúdos também foram inseridos, como lesões e suspensões retiradas, cores reais dos clubes brasileiros e muito mais.
      Peço também desculpa pelos incômodos causados pq eu ontem estava enfrentando "crash dumps" no jogo e não pude mandar o download como prometido.
       
      Tutorial de Instalação: extraia o arquivo .RAR para a seguinte pasta
      🗂️ C:\documentos\sports interactive\football manager 2021\editor data
       
      Download Liberado e Atualizado até dia 16/05/2021 compatível com a DLC 21.4.
      Vale também lembrar que as transferencias do Mercado da Bola serão feitas diariamente a partir de 2021.
      Começar sempre na Superliga de Seychelles ou na Liga da India tanto para jogar no Brasil e até no Resto do Mundo com o calendario que bem entenderem.
      Link para download:
      ⬇️FM21FManager Brasil Ultimate Update Atualizado (16/05/2021) - Atualizações - FManager Brasil
       
      Link dos gráficos que eu uso tanto para FM20 como para FM21 para download:
       graphics (mediafire.com)
       
      Link dos Adboards que eu uso tanto para FM20 como para FM21 para download:
      FM20 Adboard Project v1.4 (mediafire.com)
       
      Link do download da Skin que eu uso para FM21:
      skins (mediafire.com)
      Tutorial de Instalação:
      Extrair os arquivos rar. para Documentos/Sports Interactive/Football Manager 2021
       
      Agradecimentos
      FMSortitoutsi.net (pelo arquivo das transferencias de jogadores e staff)
      RodrigoFec (cores reais dos clubes brasileiros)
      Bom Divertimento !
    • gustavo922
      By gustavo922
      SENTEM-SE QUE LÁ VEM HISTÓRIA!
       

       
      Die Anfänge - Os primórdios
      Orgulho do leste de Berlim, o Union Berlin remonta ao FC Olympia Oberschoneweide, de 1906, que mais tarde se tornaria SC Union Oberschoneweide. O clube ganhou popularidade local no início do século XX e ganhou o apelido de "Schlosserjungs" (garotos metalúrgicos) por conta do uniforme azul que os jogadores utilizavam — o mesmo tom de cor dos operários da região em que o clube foi fundado. No entanto, após o fim da Segunda Guerra Mundial muitas equipes organizações esportivas na Alemanha se extinguiram, e o SC Union Oberschoneweide foi uma delas.

       
      Clubstiftung - Fundação do Union Berlin
      Após fatos históricos e depois de muita luta por parte dos civis em ter no lado leste de Berlim uma equipe de futebol que representasse a classe dos operários, em 20 janeiro de 1966 foi fundado Union Berlin — o vermelho e branco foram as cores escolhidas para o clube.
      Em 1968, veio o primeiro e único título de peso da história do Union Berlin, a Copa da Alemanha Oriental. As alegrias não duraram muito tempo no leste da capital alemã, pois a situação ente Alemanha Ocidental e Alemanha Oriental ficava cada vez mais tensa com o passar dos anos e os clubes do leste alemão ficaram enfraquecidos nesse período.

       
      die Berliner Mauer - Mudanças após a queda do Muro de Berlim
      Após a queda do Muro de Berlim em 1989 e consequente reunificação alemã, o Union Berlin conseguiu, enfim, se tornar um clube registrado de acordo com a lei do país. É válido destacar que reunificação alemã em 1990 trouxe outra série de mudanças estruturais nas associações nacionais e expôs a fraqueza do leste alemão no futebol.
      No início da década de 1990, o Union Berlin lutava para alcançar uma vaga na Bundesliga 2, a segunda divisão do futebol alemão. Finalmente, na temporada de 1992-93, o time da capital conseguiu o feito. Porém, por falta de licenciamento, o clube não pôde jogar a segunda divisão e disputou torneios regionais nos anos seguintes.
       
      Stadion An der Alten Försterei

       
      Em 2005-06, o time conseguiu o aceso da quarta para terceira divisão e foram três anos até conquistar sua volta à Bundesliga 2. Nesse meio tempo, o Estádio An der Alten Försterei, casa da equipe, precisou de passar por reformas para atender às exigências da federação alemã.
      Sem muitos recursos financeiros, os torcedores foram fundamentais para que o Union Berlin conseguisse reformar o estádio. Isso porque 2.500 voluntários dedicaram mais de 140.000 horas nas obras do An der Alten Försterei.
       
      O histórico acesso para a Bundesliga e uma nova realidade
      Depois de vários anos de luta no futebol, o Union Berlin conseguiu chegar à Bundesliga na temporada passada após ficar uma década na segunda divisão. Com o acesso e agora como um clube da elite do futebol alemão, alguns torcedores temem que os valores tradicionais do clube se percam com as realidades do futebol moderno.
       

       
      Die Geheimnisse - Os segredos do Union Berlin
      Um deles é, sem sombra de dúvida, sua política de contratações, que se resume em achar bons jogadores disponíveis a preço baixo ou até que não custem nada, como foi o caso do atacante Max Kruse, que veio de graça e logo se integrou ao time. Ao todo, o clube investiu apenas 2,5 milhões de euros em aquisições de novos jogadores, quantia irrisória para os padrões da Bundesliga. Na sua maioria, trata-se de profissionais que já passaram por muitos clubes sem terem conseguido um bom contrato ou não foram notados pelos olheiros que costumam andar à caça em busca de novos talentos.
      O nigeriano Taiwo Awoniyi, de 23 anos, é um exemplo clássico. Desde 2017, ele é emprestado pelo Liverpool a tudo quanto é clube porque Jürgen Klopp não encontra utilidade para um atacante como ele. Awoniyi passou por sete clubes na Europa e agora está no Union Berlin, onde é o vice-artilheiro do time, com cinco gols e três assistências na atual temporada. Talvez fique por lá. 
      Enquanto isso, o Hertha gastou aproximadamente 70 milhões de euros na contratação de jogadores para a temporada 20/21 e até agora sem resultados visíveis. O brasileiro Matheus Cunha, por exemplo, custou 18 milhões de euros e, após um início promissor, de repente parou de fazer gols. Desde novembro, não marca um golzinho sequer e, para piorar tudo mais um pouco, agora está no estaleiro, com lesão muscular na coxa.
       
      E tem ainda o fator simpatia. Não é de agora que o Union se orgulha de ser um pequeno clube da classe trabalhadora berlinense e sua política de comunicação social leva em conta esse aspecto. A exemplo do St. Pauli de Hamburgo, o clube participa de iniciativas pela integração e inclusão de todos. Não há lugar para discriminação, racismo, homofobia e tantas outras manifestações nefastas que denigram os mais elementares direitos humanos.
       

       
      TEMPORADA 2020/21 - 14ª posição na Bundesliga e Terceira-fase na DFB Pokal
      TEMPORADA 2021/22 - 10ª posição na Bundesliga e Semifinal na DFB Pokal
      TEMPORADA 2022/23 - 7ª posição na Bundesliga e Vice-Campeão na DFB Pokal
      TEMPORADA 2023/24 - 5ª posição na Bundesliga, Quartas na DFB Pokal e CAMPEÃO da Conference League
      TEMPORADA 2024/25 - 4ª posição na Bundesliga, CAMPEÃO da DFB Pokal e Semifinais da Europa League
      TEMPORADA 2025/26 -
×
×
  • Create New...