Jump to content
Victor Duque

Um Duque desconhecido na busca pela glória - Defesa funcionando, ataque nem tanto (temp 28/29) - ATT 07/05

Recommended Posts

Victor Duque

Salve comunidade, depois de muito tempo, decidi me me aventurar (tentar) compartilhar uma saga por aqui. Não tive talento para ser um jogador profissional, mas a paixão pelas táticas fez este cidadão, mesmo sem nenhuma qualificação de treinador, explorar o mercado do futebol aos 25 anos de idade!! Só me impus duas restrições nessa busca inicial, não trabalhar no Brasil nem na Europa. Sobre preferências, não tenho. Estou aberto a avaliar as propostas independente do lugar, já que nada na minha vida me prende. 

Dessa forma então iniciarei minhas buscas e contatos para em breve, anunciar o primeiro desafio dessa carreira.

Capítulos da saga:

Spoiler

Capítulo 1 - Primeira parada, Bolívia

Capítulo 2 - Primeira temporada - Ano difícil, porém de muito aprendizado

Capítulo 3 - Hora da virada - Próxima parada, Equador

Capítulo 4 - Início da Série B Equatoriana

Capítulo 5 - Período turbulento, um jogo decisivo e uma jovem promessa

Capítulo 6 - Reta final da temporada 2022 - Título? Acesso?

Capítulo 7 - Transição para a temporada 2023 - Estatísticas, Janela de Transferências e Projeções

Capítulo 8 - Temporada 2023 - Início da Série A Equatoriana

Capítulo 9 - Olmedo na cola dos grandes, rumo aos playoffs

Capítulo 10 - Uma dose de sorte, e outra de competência, uma temporada para a história

Capítulo 11 - Preparação para a temporada 2024 e um convite (quase) irrecusável

Capítulo 12 - 2024 - Início da Liga e da Libertadores

Capítulo 13 - Decisões importantes e uma mudança significativa

Capítulo 14 - La Academia, conhecendo o Racing Club de Avellaneda

Capítulo 15 - Primeiros meses de Racing, dificuldades e reconstrução

Capítulo 16 - Um segundo turno com a cara do Racing!

Capítulo 17 - Planejamento e início da temporada com o Racing, o futuro é promissor!

Capítulo 18 - Um início irregular. Pagando pela austeridade financeira?

Capítulo 19 - O Racing segue vivo!

Capítulo 20 - A reta final da temporada 25/26, será que deu pro Racing?

Capítulo 21 - Um novo começo, um velho continente

Capítulo 22 - O início em Portugal - Sporting Club de Braga

Capítulo 23 - Um carrasco nas Copas e um final de Liga muito importante

Capítulo 24 - Fim da temporada no Braga

Capítulo 25 - Um novo clube, um novo começo

Capítulo 26 - Primeiros passos na Bulgária

Capítulo 27 - Final de temporada com o Ludogorets (com taças!)

Capítulo 28 - Bienvenue à Rennes

Capítulo 29 - Planejamento e primeiros jogos pelo Rennes

Capítulo 30 - Rennes e suas variações táticas

Capítulo 31 - Defesa funcionando, ataque nem tanto

Desempenho por temporadas:

Spoiler

2021: Guabirá - 11° na primeira divisão boliviana / eliminado nas quartas da copa nacional;

2022: Olmedo - Campeão da segunda divisão equatoriana;

2023: Olmedo - Campeão da primeira divisão equatoriana;

2024/2025: Racing - 5° na primeira divisão Argentina;

2025/2026: Racing - 2° na primeira divisão Argentina / Eliminado na semi final da Copa Nacional;

2026/2027: Braga - 2° na primeira divisão portuguesa / Eliminado na semifinal da Taça de Portugal / Vice campeão da Taça da Liga de Portugal;

2027/2028: Ludogorets - Campeão da Liga / Campeão da Copa Nacional / Eliminado nas oitavas de final da Europa League;

 

Share this post


Link to post
Share on other sites
Cadete213

Boa sorte.

Share this post


Link to post
Share on other sites
AllMight

Bem vindo Victor! Boa sorte com o save, te desejo muita diversão contando sua a história aqui na área.

Algumas dicas importantes:

- Usamos uma tag no tópico pra indicar a versão do FM que está sendo jogado, assim que der coloque-a, para os leitores saberem a versão.

- A Central de Informações é uma área onde reuni as regras da área, tutoriais e dicas pertinentes para quem deseja postar sua história aqui, não deixe de dar uma olhada, vai te ajudar muito.

- Não sei se você acompanha outros tópicos da área, mas para um iniciante ler e se inspirar em alguns tópicos é a melhor maneira de formatar sua história. 

No mais, te desejo novamente muita diversão e boa sorte com o save.

 

Share this post


Link to post
Share on other sites
Victor Duque

A busca começou devagar, muitos clubes pelo Brasil nas divisões inferiores fatalmente chamavam para entrevistas, mas não era meu desejo. A falta de paciência dos clubes daqui e o calendário curto eram as coisas que pesavam contra na minha cabeça. Também pesou a oportunidade de viver uma nova cultura enquanto fazia o que gostava.


Algumas semanas depois, recebi alguns convites para entrevistas online, 3 para ser específico (um amigo da área de propaganda e publicidade me ajudou e muito com algumas formas de divulgação, disse que pagaria depois que tivesse um salário). Um time do Paraguai, um da Bolívia e um da Índia(????).
Confesso que mentalmente, já tinha descartado o time da Índia. Medo talvez? Receio? Acho que sim. Mas o clube, que era da segunda divisão, até que teria uma situação financeira melhor que imaginei, mas com pretensão de subir de divisão. Pedi para pensar.
Depois foi o clube do Paraguai. Segunda divisão também, condições precárias tanto nas instalações quanto nas finanças. Não tinham muitas expectativas no plano de 5 anos.

 

2SYUDYQ.png

 

Chegamos então ao escolhido, ou acham que não citei o nome dos outros times por acaso? Melhor preservar não é? Sim, o clube boliviano se mostrou a melhor opção por vários motivos. Aliás, Club Deportivo Guabirá, muito prazer. Fundado em 1962, na cidade de Montero. Manda seus jogos no estádio Gilberto Parada, que tem capacidade para 13 mil torcedores.
Mas então, por que o Guabirá? Já adianto que a língua não seria problema. Eu tinha estudado espanhol, e gostava. Tudo bem que não praticava muito, mas a necessidade me faria voltar a praticar, e estava confortável com isso. Bom, surpreendentemente, dos que me chamaram, eram o único jogando a primeira divisão de seu país. O campeonato já estava em andamento, e quando assumi, com 8 rodadas, eles estavam em 11°, em uma liga com 14 equipes. Confesso que isso me atraiu, a chance de estrear na primeira divisão de um país de fato pesou na decisão, por mais que eu nem soubesse da existência dessa equipe. Mas fora isso, a situação financeira que me passaram era bem estável, e melhor do que imaginei que encontraria.

Decisão tomada então, pedi para a diretoria 1 semana para juntar minhas coisas, viajar para lá, achar um lugar provisório para me instalar, e começar a trabalhar. Vamos lá!

 

Destino: Montero, Bolívia.

Preciso ser sincero sobre o que sabia sobre a Bolívia, muito pouco. Sobre futebol, sabíamos que eram times fracos tecnicamente, que as vezes se aproveitavam da altitude para arrancar bons resultados por lá. os brasileiros sabem bem disso. Quem nunca sofreu vendo seu time levar um baile na altitude tem muita sorte.

Durante a viagem, pesquisei um pouco sobre a cidade, o clube, a liga, e tudo mais que eu achasse. A cidade tinha algo em torno de 170 mil habitantes. O clima era agradável, uma média de 23° C. E a cidade era predominantemente agrícola.

O clube, sem relevância nacionalmente, tinha conquistado um campeonato nacional em 1975, quando a liga tinha outro formato, outro nome até. 

A liga, é disputada por 14 equipes, em 3 turnos, 39 rodadas. Dois são rebaixados.

Chegando na cidade, já era noite, e só tive tempo de descarregar minhas coisas na pousada que o clube reservou e seguir para o estádio, onde haveria uma pequena apresentação, com presença da mídia local (a cidade é pequena, mas tem orgulho do clube) e de alguns sócios, o que gostei muito. Pedi que os sócios fizessem perguntas também, ninguém melhor que o torcedor para fazer as perguntas que precisam de resposta. E em uma delas, deu pra sentir a insatisfação, quando fui perguntado se eu seria a pessoa para mudar o histórico recente de temporadas desapontadoras da equipe. E respondi.

"Você tem razão quanto ao histórico. Mas não acho que sejam apenas temporadas ruins. Isso sempre se explica. Conversei com o presidente, não quero necessariamente reforços para essa temporada. Quero liberdade e confiança para implementar as ideias, e uma equipe técnica para delegar funções. Esse vai ser o primeiro passo, de muitos que precisaremos dar. conto com o apoio de todos."

Não tinha falado sobre equipe técnica com o presidente. Foi mais uma cutucada, porque sabia que acumular funções, sem ter experiência e moral com o grupo (pelo menos nesse primeiro momento), seria dar um tiro no pé.

Depois da entrevista, dei uma volta pelas instalações e conheci o estádio, registrei com uma foto.

Ql81RVS.jpg

 

Agora é hora de ir. Cheguei um dia antes da minha estreia. Vamos apenas ter um bom papo com o elenco, definir algumas situações táticas, e tentar começar com os 3 pontos!

Share this post


Link to post
Share on other sites
six_strings

Boa sorte na Bolívia.

PEACE

Share this post


Link to post
Share on other sites
Victor Duque
6 minutos atrás, six_strings disse:

Boa sorte na Bolívia.

PEACE

Obrigado! 💪

Share this post


Link to post
Share on other sites
LC

Boa sorte Victor. Te enviei uma mp.

Seja bem vindo a área e esperamos que seu save seja longo e duradouro.

Share this post


Link to post
Share on other sites
Victor Duque
18 minutos atrás, LC disse:

Boa sorte Victor. Te enviei uma mp.

Seja bem vindo a área e esperamos que seu save seja longo e duradouro.

Valeu! olhei lá, obrigado e vamo que vamo👊

Share this post


Link to post
Share on other sites
Peepe

Boa sorte, Victor!

Curto muito futebol boliviano, tenho inclusive vontade de fazer um save de clubes por aqui no país. Espero que a trajetória no Guabirá seja duradoura.

Share this post


Link to post
Share on other sites
Victor Duque
34 minutos atrás, Peepe disse:

Boa sorte, Victor!

Curto muito futebol boliviano, tenho inclusive vontade de fazer um save de clubes por aqui no país. Espero que a trajetória no Guabirá seja duradoura.

Assim espero também! Com muito trabalho vai dar certo, obrigado!!

Share this post


Link to post
Share on other sites
Cadete213

Escolha interessante. Boa sorte na Bolívia

Share this post


Link to post
Share on other sites
Victor Duque
1 hora atrás, Cadete213 disse:

Escolha interessante. Boa sorte na Bolívia

Valeu mesmo! vai ser um bom desafio

Share this post


Link to post
Share on other sites
Victor Duque

A PRIMEIRA TEMPORADA


Cheguei na cidade um dia antes da minha estreia como havia dito. Não houve tempo para muita coisa. O presidente me ajudou a identificar algumas situações de elenco, fizemos o pré jogo juntos, e estávamos confiantes.
A estreia foi dos sonhos, 5x1 pra cima do Aurora (lanterna). Mas não se deixem enganar, uma temporada longa de mais baixos do que altos estava por vir.
depois da estreia, tive a chance de pedir para a diretoria começar a procurar profissionais que pudessem agregar na comissão, principalmente na parte de preparadores. Não posso reclamar nessa parte, dentro de poucos dias, tínhamos nossa equipe técnica mais completa. O problema mesmo iria se mostrar outro, o elenco era um tanto desequilibrado. Primeiro, meu único volante com cara de camisa 5 marcador e ladrão de bola, se lesionou no primeiro jogo, por 6 meses... Mais um detalhe é que assumi já fora da janela de transferências e não pude agregar valores ao elenco, nem mesmo jogadores livres. A falta de profundidade e qualidade no meio de campo me preocupava muito. Por isso decidi começar usando uma tática com 3 zagueiros, laterais um pouco mais avançados, e dois atacantes com certa movimentação para aproveitar contra ataques.
mas a prática pode ser muito diferente. Ainda mais para um treinador novato, sem formação, em um país novo para ele.


Vou dividir a temporada em duas partes.

- Primeira metade da temporada

Resumindo, UM DESASTRE. Some o elenco desequilibrado já citado, ao alto número de lesões e também a baixa estatura de zagueiros e laterais. Na janela de meio de ano, precisava cobrir todos esses buracos. Mas vamos ao resumo de resultados.

76w0536.png

 

Difícil explicar e aceitar, mas foi isso mesmo. O time sofria gols bobos, muito cedo no jogo as vezes. Não era só uma batalha contra o adversário, mas também contra o psicológico abalado após cada jogo e contra as próprias deficicências individuais e coletivas.  
Na copa, consegui avançar nas 3 primeiras fases que disputei até chegar nas quartas, que seria jogada na segunda metade da temporada.

- A segunda metade da temporada

ApIvN1M.png

 

Fica evidente a melhora do candidato ao rebaixamento na reta final do ano. As contratações pontuais foram importantíssimas, principalmente no ataque, onde a equipe ficou mais criativa e perigosa ao jogar no contra ataque. Destaque para o 0x0 contra o Bolívar, fora de casa, clube que foi campeão da liga mais tarde.
Na copa, cumpri o desejo da diretoria, de chegar até as quartas de final. Na liga, também escapamos da queda como era desejado. Assim ficou a tabela.

MHUSupe.png

 

- As decisões e mudanças no final da temporada

Era ano de eleições no clube. É claro que sabia que as coisas podiam tender contra mim, afinal, mesmo que a luta para não cair fosse esperada, ninguém gosta de passar por essas situações. Depois que as eleições tinham passado, e do final da liga Boliviana, eu ainda não tinha recebido nenhuma proposta de renovação. Para mim, ficava cada vez mais claro o que estava para acontecer. 
faltando pouco menos de um mês para o fim do meu contrato, fui chamado pela diretoria para uma conversa. Logo de início, mostraram a insatisfação com o ano de uma forma geral, apesar de eu ter cumprido com os objetivos na liga e na copa. Na liga inclusive, a previsão da imprensa era de que o clube seria rebaixado. Ponto pra mim!
Porém, o tom ácido do inicio da conversa me fez recuar. Não me senti seguro em iniciar uma temporada com uma diretoria que a qualquer momento poderia me sacar. Para mim, eu merecia ter um ano completo de trabalho para poder ser avaliado. Por isso, agradeci a conversa e decidi que queria que o clube rescindisse meu contrato. E assim foi feito.

Porém, precisava me auto avaliar. Agora vejo que a decisão de treinar em uma primeira divisão (por mais que seja da Bolívia), talvez tenha sido muita pressão para um treinador sem experiência e nenhuma formação. Talvez seja a hora de dar um passo para trás, para daqui um tempo, poder dar dois passos para frente. É com esse pensamento que inicio a busca por um novo clube!

Adeus Bolívia👋✈️

 

Share this post


Link to post
Share on other sites
Cadete213

Época complicada mas cumpriste os objetivos propostos pela direção. Eleições são lizadas e acabas por sair da Bolívia. Que venha o novo desafio.

Share this post


Link to post
Share on other sites
six_strings

Dever cumprido, dormes descansado à noite. E agora?

PEACE

Share this post


Link to post
Share on other sites
Victor Duque
3 horas atrás, Cadete213 disse:

Época complicada mas cumpriste os objetivos propostos pela direção. Eleições são lizadas e acabas por sair da Bolívia. Que venha o novo desafio.

É isto!! Cabeça erguida para agora fazer uma temporada positiva!

Share this post


Link to post
Share on other sites
Victor Duque
2 horas atrás, six_strings disse:

Dever cumprido, dormes descansado à noite. E agora?

PEACE

Como gosto de dizer, o melhor ainda está por vir! Vamos por mais!

Share this post


Link to post
Share on other sites
dantenetocosta

Foi um desafio e tanto, particularmente nunca tinha ouvido falar desse time. Uma pena a diretoria não ter renovado, normalmente a segunda temporada já da pra se organizar melhor dentro do time.

Share this post


Link to post
Share on other sites
Nei não cai (38D)

Bem vindo e boa sorte.

Já se achegue ao clube dos desempregados hahaha

Que a próxima temporada venha melhor.

Share this post


Link to post
Share on other sites
Peepe

Assustador esse começo de campeonato mas ao menos sobreviveu e guarda algumas goleadas aplicadas para engrandecer a passagem.

Aconselho a inserir os marcadores de gol quando postar o calendário, ao menos pra gente acompanhar, e quem sabe fazer recorte em algumas imagens. Por exemplo, a parte 1 acaba em 23/06 ao passo que a parte 2 inicia em 31/07. É um detalhe bobo mas é importante conseguir incluir os jogos de julho na postagem.

Uma pena que saiu da Bolívia mas vamos em frente, boa sorte no próximo desafio.

Share this post


Link to post
Share on other sites
Victor Duque
36 minutos atrás, Nei não cai (38D) disse:

Bem vindo e boa sorte.

Já se achegue ao clube dos desempregados hahaha

Que a próxima temporada venha melhor.

Hahahaha obrigado! Com certeza será💪🏼

Share this post


Link to post
Share on other sites
Victor Duque
30 minutos atrás, Peepe disse:

Assustador esse começo de campeonato mas ao menos sobreviveu e guarda algumas goleadas aplicadas para engrandecer a passagem.

Aconselho a inserir os marcadores de gol quando postar o calendário, ao menos pra gente acompanhar, e quem sabe fazer recorte em algumas imagens. Por exemplo, a parte 1 acaba em 23/06 ao passo que a parte 2 inicia em 31/07. É um detalhe bobo mas é importante conseguir incluir os jogos de julho na postagem.

Uma pena que saiu da Bolívia mas vamos em frente, boa sorte no próximo desafio.

Foi mesmo! Depois que consegui melhorar um pouco o elenco no meio do ano, ficou aquela sensação de que assumir com o campeonato em andamento, fez toda a diferença para o início desequilibrado. 

E obrigado pelas dicas, vou adicionar os marcadores e farei recortes menores para encaixar jogos de toda a temporada!

Pois é, gostaria de continuar mais um ano pelo menos, mas valeu como um excelente aprendizado. Altas emoções para um primeiro trabalho!

Share this post


Link to post
Share on other sites
LC

Bem ou mal conseguiu cumprir os objetivos da diretoria, mas infelizmente a primeira parte da temporada foi sinistra. A diretoria até foi legal com você, pois em outros clubes já teriam de mandado embora por causa do número de derrotas. Boa sorte no novo clube.

Share this post


Link to post
Share on other sites
Victor Duque
14 minutos atrás, LC disse:

Bem ou mal conseguiu cumprir os objetivos da diretoria, mas infelizmente a primeira parte da temporada foi sinistra. A diretoria até foi legal com você, pois em outros clubes já teriam de mandado embora por causa do número de derrotas. Boa sorte no novo clube.

Falou bem meu amigo, e pressão não faltou. Tivemos 2 reuniões durante o ano que serviram como ultimato, fiquei na corda bamba, mas realmente foi bom poder ficar até o fim para ver algum resultado do trabalho. Obrigado!!

Share this post


Link to post
Share on other sites
Henrique M.

Foi uma temporada difícil e realmente não achei que iria abandonar o barco depois de conseguir bons resultados no segundo semestre e atingir os objetivos propostos. Vamos ver o que o futuro guarda.

Share this post


Link to post
Share on other sites

Join the conversation

You can post now and register later. If you have an account, sign in now to post with your account.

Guest
Reply to this topic...

×   Pasted as rich text.   Paste as plain text instead

  Only 75 emoji are allowed.

×   Your link has been automatically embedded.   Display as a link instead

×   Your previous content has been restored.   Clear editor

×   You cannot paste images directly. Upload or insert images from URL.


  • Similar Content

    • six_strings
      By six_strings
      Clube Norueguês, que milita no segundo escalão do país, com excelentes instalações
      de treino e de desenvolvimento de jovens jogadores.
       

       

       
      Gubther Söme Fodsen foi contratado para assumir os comandos do TROMSO IL.
      Natural de Tromso e sócio do clube o antigo jogador amador, dá início a 
      uma carreira no clube do seu coração, onde promete levar o clube ao sucesso.
       




      A direção espera que consigamos trabalhar com o orçamento que dispomos, que é 
      pouco ou quase nada, e que tenhamos um desempenho que nos permita a promoção para
      o escalão maior na Noruega.
       

       
       

    • fabioaraujo89
      By fabioaraujo89
      Fala, pessoal!
      sou novo aqui e no FM. Nunca tinha jogado o jogo, aí vi que liberaram no Xbox pelo Game Pass e viciei! (até tentei passar para a versão normal, mas não rodou bem no meu PC). 
      Hoje estou jogando bastante (em quantidade rs), mas já vi (e confirmei lendo aqui) que o jogo pode ser bem frustrante, especialmente para os iniciantes como eu, que não entendem ainda o que estão fazendo no game. 
      Assim, eu queria uma ajuda com a parte tática. Nesse meu sabe específico, eu comecei no Campeonato de Portugal com a Estrela da Amadora, mas depois de uma curta passagem pelo QPR eu estou há algumas temporadas no Watford, da Inglaterra. 
      Peguei o time na Championship, consegui subir (não foi exatamente “fácil” pra mim, mas eles tinham acabado de cair e tinham um dos elencos mais fortes da divisão) e me estabilizei bem na PL. 
      Eu uso desde sempre um 4-2-3-1 com extremos, tiki-taka personalizado. Era a tática que já era da Estrela lá no começo, eu não mexi muito e fui usando. Já tentei outras, mas essa foi a que mais me serviu ao longo do tempo. 

      Meu time tem um desempenho sempre aceitável. Eu sempre estou ali brigando por uma vaga nas competições continentais, normalmente pego o Camp. Europeu ou o Camp. Europeu II. Teve uma que fui pra Champions.
      Como estou há tempos no clube, eu consegui montar um time bom. Tem vários jogadores muito interessantes, que volta e meia recebem propostas altas de clubes bem maiores e o elenco é equilibrado e com opções. 
      O problema? O time sempre se dava mal no confronto com os grandes ingleses (seja nas taças ou na liga) e perdia uns jogos bobos, que faziam o desempenho cair.
      Aí eu descobri o Rate My Tatic...fiz os ajustes para a tática ficar 5 estrelas (que envolviam alguns ajustes de funções e principalmente remover várias instruções que eu nem sabia que estavam e conflitos. Fiz uma ou outra contratação para fechar.
      E deu bem certo. O time melhorou, diminuiu muito os pontos perdidos em jogos fáceis, fez bons jogos com os grandes, cheguei a sonhar com o título... mas ficou em segundo lugar, a 4 pts do campeão (Chelsea). E ainda perdeu a final da FA Cup pro Arsenal. Foi positivo, mas frustrante demais. 
      Eu sinto que falta só um “ajuste fino” pro time ir mais longe, levantar canecos. Que modificações vocês sugerem? 
      (Não estou conseguindo subir imagem, mas a tática é assim):
      4-2-3-1 com extremos 
      2 Defesas laterais com função de apoio
      2 defesas centrais função defender
      2 Médios centros com função de apoio
      1 médio ofensivo com função apoio
      2 extremos invertidos com função apoio 
      1 atacante completo com função atacar 

      as instruções de equipe 
      com posse:
      passar para espaço 
      jogar a partir da defesa 
      levar bola até a área 
      ritmo muito mais alto (estou pensando em tirar, meu time termina morto todas as partidas e tem quedas de desempenho ao longo da temporada) 
      em transição (não tinha no Rate):
      Pressionar
      contra atacar
      Sem posse
      linhas normais 
      Marcação apertada
      pressao muito mais urgente (o Rate mandou tirar e acho que vou fazer pra próxima temporada porque acho que está tirando meus zagueiros da posição e permitindo infiltrações demais). 
       
      O que vocês acham? Ajudem o novato, pfvr! Abraços!
    • Cadete213
      By Cadete213
      Olá a todos. Sou novo por cá, mas sou um dos veteranos do CMPT (o fórum FM em Portugal), onde me registei em 2006. Gosto de apresentar os saves com mais base nas imagens do que nos textos, mas não esperem muito em termos de grafismos 😁
      Meu nome é Fábio, mas sou conhecido como Cadete, devido ao antigo jogador de futebol do Sporting e Celtic (entre outros), Jorge Cadete. Sou natural do Funchal, Ilha da Madeira. Ou seja, sou da mesma cidade do Cristiano Ronaldo.

      Sempre fui fã de futebol e minha equipa favorita é o Arsenal. Muito novo comecei a jogar nas camadas jovens do CS Marítimo, e por lá fiquei até aos 17 anos. Pelo caminho, fui campeão regional várias vezes e cheguei a jogar contra o grande CR7, quando este ainda vestia as cores da camisola do CD Nacional. A melhor época que tive, foi nos sub-17, quando terminamos a época sem derrotas (20 vitórias e 2 empates). De seguida, disputamos a fase nacional, onde defrontei o Sporting CP, Barreirense e Campomaiorense. Estes dois últimos, já viveram dias melhores e o Campomaiorense, na altura, jogava no Tugão.

      Nos sub-19, decidi sair do clube da minha infância e fui jogar no clube da terra da minha mãe, o CD Ribeira Brava, que tem como maiores rivais, o Pontassolense. Passei dois anos fantásticos no clube e vencemos o primeiro troféu do clube, nas camadas jovens, a Taça da Madeira. Na final, derrotamos o CF União. Lembro-me muito bem desse jogo. Marquei o primeiro golo e o resultado final foi 4-2. No final, festejamos imenso e levamos a Taça para a nossa "terrinha". Isto foi na primeira época. 
      Na segunda época, fui chamado à equipa principal, para fazer a pré-época. O CD Ribeira Brava disputava o Campeonato Nacional de Séniores e ainda joguei um amigável contra a equipa B do Marítimo, uma casa que conhecia muito bem. Fiz a época nos sub-19 e fui o melhor marcador da equipa. Nos séniores, ainda fui emprestado ao São Vicente, mas infelizmente, devido a um problema de saúde no sangue, abandonei o futebol e a carreira de jogador.

      A vida seguiu e comecei a trabalhar. Acabei os estudos à noite, onde conheci minha parceira. Passados 15 anos ainda estamos juntos. Mudou a minha vida para muito melhor e vivemos juntos na sua terra, o Jardim do Mar. Uma pequena vila no sudeste da Ilha da Madeira, com 200 habitantes. Mas não se deixem enganar pelo seu tamanho, pois é conhecida a nível mundial, devido ao surf. A modalidade chegou tarde à Madeira, nos anos 90. Começou então a ser divulgada e de repente, tínhamos surfistas do mundo inteiro a visitar a ilha, que rapidamente se tornou conhecida como  o "Hawai da Europa". 
      Minha sogra tem uma Residencial a Casa da Cecília, que recebeu os primeiros surfistas na ilha e a minha parceira foi a primeira mulher a surfar na Madeira. Os mais famosos surfistas portugueses passaram por cá várias vezes, houve um Billabong Contest no final dos anos 90, Garrett McNamara também já esteve na Residencial da minha sogra e Grant "Twiggy" Baker, campeão mundial de ondas grandes, é um regular por aqui. Gosta de ir ao Jardim do Mar treinar, antes da etapa da Nazaré, em Portugal Continental.

      Em 2008, decidimos emigrar e passamos o Verão em Cagnes-Sur-Mer, no sul de França. Trabalhamos num camping e os donos tornaram-se na nossa segunda família. Sempre que podemos, fazemos uma visita e vice-versa. Aprendi a falar francês, o que é sempre bom no mundo do trabalho. Depois deste magnífico Verão, acabamos na Ilha de Jersey. Uma dependência da coroa Britânica. É uma ilha offshore, ou seja, um paraíso fiscal, que goza de uma certa independência e tem o seu próprio governo. No entanto, o poder supremo é a raínha de Inglaterra.
      A comunidade portuguesa é grande e equivale a cerca de 10% da população local. Brasileiros tem poucos e só conheço 2. 
      Trabalhei vários anos na loja de um campo de golfe, e comecei a praticar este desporto. Tornou-se um dos meus passatempos favoritos e cheguei a fazer parte da equipa que se tornou campeã de Jersey, indo de seguida à ilha vizinha de Guernsey, jogar pelo título de campeão das Ilhas do Canal. Infelizmente perdemos.

      Vida que segue (como diz um amigo meu cá do fórum), e como trabalhava aos fins-de-semana, não pude jogar futebol. Dediquei-me então ao Futsal, que por cá é amador. Aliás, em Jersey, a única equipa profissional que há, é o Jersey Reds. Uma equipa de râguebi que disputa o segundo escalão do râguebi inglês. No futsal, joguei em 2 equipas locais. Fui campeão duas vezes e venci a taça uma vez. O futsal aqui é diferente e as regras também. Tanto, que ainda chamam de 5-a-side, não podemos entrar na área do Guarda-Redes e a bola não pode subir acima da altura dos ombros. Coisas dos ingleses.

      Após vários anos no campo de golfe, consegui um emprego no HSBC, um dos maiores bancos a nível mundial. Sendo Jersey um paraíso fiscal, a sua economia é movida pelo mundo das finanças. Vários são os bancos que cá estão, incluíndo Royal Bank of Canada, Lloyds, Santander, CitiBank ou Natwest. Além destes, tem outros bancos privados e muito dinheiro passa por cá. De vez em quando, entra nas bocas do mundo por eventuais branqueamentos de dinheiro e abrem-se investigações. É um mundo à parte.
      O HSBC Expat e o HSBC Channel Islands e Isle of Man, têm cá a sua sede e é lá que trabalho. Fui Product Manager e agora sou Operational Support Manager. 

      Trabalhar no banco libertou-me os fins-de-semana, e voltei ao futebol de 11. Como ja estava a chegar aos 35 anos, decidi jogar nos veteranos. Fui convidado para jogar no St Paul's FC, que é o maior clube da ilha. Aceitei logo e na primeira época fomos campeões, só com vitórias. Não perdemos nenhum ponto. Época de sucesso e apenas não vencemos a Taça de Veteranos, pois esta foi cancelada devido ao Covid-19. Começamos a segunda época, e até ao momento nao perdemos nenhum jogo. Queremos ser bi-campeões, sem derrotas. 
      Como ainda estou para as curvas, tenho feito alguns jogos pela equipa de reservas, onde a minha experiência é essencial para ajudar os mais jovens. Disputam a 3ª e última divisão de Jersey, e permite-me ir mantendo a forma ao jogar contra os mais novos.

      E por aquí fica a realidade do save. Aproveitei para me apresentar e assim ficam a me conhecer um pouco melhor. Daqui em diante, entraremos na ficção e na parte divertida do save. Adoro viajar e já estive em 5 continentes. Só me falta mesmo visitar a América do Sul.
      Trabalhando no HSBC, irei aproveitar esse facto para dar andamento a este save e irei baseá-lo nisso mesmo, a oportunidade de poder viajar pelo trabalho. 
       

       

       

       
    • mfeitosa
      By mfeitosa
      Não, não é um déjà vu! Acredito que quem acompanha os meus saves há algum tempo não vá se surpreender com o meu retorno a uma proposta (não tão) antiga, que é a de fazer uma carreira dentro do futebol latino-americano. Na primeira de minhas tentativas, em "A volta por cima de Wanchope", relatei uma curta trajetória do costarriquenho Paulo Wanchope na América do Norte e Central. Apesar de ter sido um dos saves que mais gostei de fazer, infelizmente não consegui concluí-lo em razão de projetos pessoais que exigiram toda a minha atenção na época.
      Mais recentemente, entre idas e vindas, tentei retomar a proposta com "Soy Loco Por Ti América", sob a alcunha do chileno Arturo Sanhueza. No entanto, este save acabou não sendo o que eu planejava, pois não consegui um bom conjunto de ligas alternativas, fora da América do Sul, estáveis o suficiente para que tornasse o projeto viável em sua integralidade. Ainda assim, insisti em fazê-lo utilizando apenas as ligas sul-americanas e foi bom enquanto durou. Mas faltava algo e acabei desanimando. 
      Agora é a vez que reunir esses dois saves em um só, colocando a figura de Paulo Wanchope dentro do cenário de "Soy Loco Por Ti América", dessa vez contemplando todas as ligas necessárias. Após tantas tentativas, tenho esperanças de que teremos um bom save pela frente, com início, meio e fim. Mãos à obra!


      Como já antecipei em minhas considerações iniciais, esse save contemplará todas as ligas de expressão do futebol latino-americano e outras adicionais, incluindo a América do Sul (Argentina, Brasil, Bolívia, Chile, Colômbia, Equador, Paraguai, Peru, Uruguai e Venezuela), a América do Norte (Estados Unidos, México e Canadá) e a América Central (Belize, Costa Rica, Cuba, El Salvador, Guatemala, Haiti, Honduras, Jamaica, Nicarágua, Panamá, República Dominicana e Trinidad e Tobago). Ainda carreguei as principais ligas de alguns países da Europa (Alemanha, Espanha, França, Inglaterra, Itália e Portugal) para manter o Mundial de Clubes da FIFA competitivo.
      As ligas que estou utilizando são do megapack do DaveTheEditor. Fiz um teste de dez temporadas e não consegui identificar nenhum erro importante que impeça o bom andamento do save. Analisei aspectos como qualificação para as competições continentais, inscrição de jogadores, acessos, rebaixamentos e calendarização.

      Optei por uma base de dados Enorme (Personalizada), adicionando todos os jogadores do continente americano disponíveis no jogo, totalizando algo próximo de 100 mil jogadores. E como os times das ligas mais significativas estão razoavelmente atualizados no patch 21.4, não achei necessário marcar a opção de "Adicionar Jogadores a Equipes Jogáveis", evitando que o jogo esteja repleto de newgens logo de cara.


      Fugindo um pouco do que vinha fazendo em minhas últimas histórias, decidi por não estabelecer nenhuma regra ou objetivo específico para esse save. Obviamente, não fugirei ao que o título e banner da história nos remete, que é a conquista de títulos continentais como a Libertadores da América e a Liga dos Campeões da CONCACAF. Não há como fugir disso. No entanto, a caminhada que pretendo construir até conquistá-los não será das mais curtas. O FM nos possibilita grandes saltos dentro de um save carreira, mas farei o possível para que isso não ocorra com Paulo Wanchope.
      Minha ideia é que esse percurso seja construído da forma mais verossímil possível. Logo, não se assustem ao me ver tomar decisões dentro do save que atravanquem a evolução da carreira do costarriquenho em alguns momentos, algo que eu já fiz sutilmente com Arturo Sanhueza. Farei o possível para que as mudanças de clube de Wanchope sejam as mais modestas possíveis, nunca saltando para uma equipe ou liga de reputação muito maior à que eu estiver jogando, por exemplo.
      O estilo principal das postagens será no formato de notícias, com algumas pitadas de ficção para que as ações realizadas dentro do jogo façam um pouco mais de sentido para quem estiver acompanhando. Quando necessário, alternarei com postagens no velho estilo JeT, como forma de complementar informações.


      Uma das formas que conheço que podem me auxiliar a impedir que a carreira de Paulo Wanchope evolua rapidamente é a questão das licenças. Este, inclusive, foi um dos erros que acabei cometendo com Arturo Sanhueza, que passou a receber propostas de clubes de reputação continental muito cedo. Dessa forma, atrasarei ao máximo os cursos do costarriquenho dentro do save, que iniciará Sem Qualificações e com experiência passada de Futebolista Amador. 
      A outra forma que conheço é tomando decisões controversas dentro do jogo, o que fará todo o sentido aqui. Para quem não conhece bem a figura de Paulo Wanchope, é importante saber que se trata de uma pessoa de temperamento difícil e que coleciona diversas confusões em sua carreira, seja como jogador, dirigente ou treinador. Com base nisto, buscarei sempre realizar ações dentro do save que sejam condizentes ao que ele é na vida real.

      Por exemplo, no save com Arturo Sanhueza, lembro que engoli em seco uma renovação do Sport Boys com um contrato de duração muito maior do que eu desejava. Salvo engano, até com um salário menor. E como eu queria muito disputar a Libertadores, acabei aceitando. Bom, se fosse o Wanchope no lugar de Sanhueza, não tenho dúvidas de que o costarriquenho não apenas recusaria tal proposta como ainda faria comentários polêmicos à imprensa. Isto, se não partisse para a porrada com alguém.
    • mfeitosa
      By mfeitosa
      Com a frustração de ser demitido do Koninklijke HFC (Holanda) em meu último save, já na primeira temporada, resolvi deixar um pouco de lado o meu espírito nostálgico para tentar algo com um clube ainda mais "aleatório". Embora a liga escolhida seja a Itália, onde vocês devem estar cansados de me ver jogar, o ponto de partida aqui será a Eccellenza, que corresponde à 5ª divisão italiana. Estarei sob o comando da A.S. Fidentina, também chamada de Lupi, uma equipe com menos de meio século de existência e sem qualquer tradição no Calcio.
      É importante ressaltar que não abandonarei o Desafio da Base e todas as diretrizes apontadas no frustrado save com o HFC serão mantidas para o trabalho com a Fidentina. Minha expectativa e objetivo é ter um save bastante longevo onde, ainda que eu não consiga cumprir todos os objetivos apontados, ele possa render um considerável período de divertimento, sem prazo para terminar.


      A Associazione Sportiva Fidentina foi criada após um "papo de boteco". Tudo começou em 1978, quando um pequeno grupo de rapazes que frequentavam o Bar Marisa (que existe até hoje) resolveu criar um time de futebol para participar de campeonatos amadores. A ideia foi muito bem recebida pelo dono do bar, que acabou por se tornar o primeiro patrocinador e presidente do clube. E assim nasceu o G.S. Bar Marisa, que logo mudaria de nome para G.S. Amatori Fidenza, e décadas depois para A.S. Fidentina (nome definitivo). O clube é sediado em Fidenza, comuna italiana da região da Emília-Romanha, província de Parma com pouco mais de 23 mil habitantes.

      O time se destaca pelos curiosos desenhos de seus uniformes, principalmente na cor grená, e pelas várias versões de seu escudo, onde sempre há espaço a "águia imperial" e a "cruz de prata" presentes no brasão de Fidenza, assim como o Lobo (em italiano, Lupi), tradicional mascote da equipe. Na imagem dos uniformes que criei, é possível verificar uma das variações do escudo da A.S. Fidentina, mas existem muitos outros (veja o fundo desta imagem) que, de tempos em tempos, surgem em algum uniforme ou arte. 
      Nos últimos anos, graças ao apoio de apaixonados empresários locais e ao jovem entusiasmo de seus dirigentes, o clube atingiu alguns resultados importantes dentro e fora de campo, alcançando patamares nunca sonhados anteriormente, como o acesso à Promozione e Eccellenza, a sexta e a quinta divisões do futebol italiano, respectivamente.
      A Fidentina rivaliza com as outras duas equipes da cidade, o Fidenza (time mais antigo, de 1922) e o Borgo San Donnino (fundado em 2009).


      Tomando como base o tópico oficial do The FM21 Youth Academy Challenge, no fórum da SI, os objetivos principais aqui serão conquistar a Serie A (primeira divisão do país escolhido) e a UEFA Champions League (competição continental), utilizando apenas as categorias de base da A.S. Fidentina como forma de adquirir novos jogadores. Ou seja, sem contratações de qualquer gênero, com exceção aos membros da comissão técnica. Vendas e empréstimos de jogadores a outros clubes também são permitidos. 
      Para tornar as coisas um pouco mais intuitivas em termos de evolução do save, ampliarei os objetivos da seguinte forma:
      Conquistar o título da Serie A; Conquistar o título da Coppa Italia; Conquistar o título da UEFA Champions League; Ter um jogador convocado para uma Copa do Mundo; Ser o maior clube formador da Itália; Possuir as melhores infraestruturas de base da Itália; Tornar-se o principal clube itália, em termos de reputação.
      Estarei utilizando o "Fusion DB - Prima Categoria v1.2" como forma de ativar os escalões mais baixos do futebol italiano, o que me permitiu escolher a Fidentina para jogar. Embora esse update contemple a 7ª divisão da Itália, carreguei a pirâmide apenas até a divisão em que estarei jogando, Eccellenza (5ª divisão), em razão da morosidade que seria gerada com o passar dos anos. Além da Itália, selecionei as principais ligas da Europa (apenas a divisão principal de cada) de acordo com o ranking das associações, e também a primeira divisão da Suíça, Brasil e Argentina. A base de dados escolhida foi Média. Por fim, das opções avançadas, segui à risca o que o desafio determina.


      Nascido em 6 de março de 1983, em Milão, Luca Ferretti é um meia-atacante com origens na base do Parma, onde iniciou uma carreira repleta de frustrações. Em junho de 2003, o Milan realizou uma troca entre jogadores de sua base e garotos da base do Parma, o que incluiu o ainda jovem Ferretti. Essa transação foi alvo de investigação e, em 2009, os clubes foram multados por inflacionarem os preços dos atletas para garantir um falso lucro no balanço patrimonial. Além disso, Luca não teve espaço na equipe de Milão e foi emprestado de imediato para a Reggiana, que estava na Serie C1, e já no meio da temporada foi cedido ao Legnano, da Serie C2.
      Em 2005, Luca Ferretti foi contratado pelo (hoje extinto) San Marino e resolveu pendurar as chuteiras após atuar em apenas três partidas. 

      Em 2008, aos 25 anos, Luca Ferretti foi convencido a retornar ao futebol e assinou com o Lecco por uma temporada, mas acabou sendo pouco aproveitado. No ano seguinte, Luca acertou com o modesto Terme Monticelli e finalmente alcançou uma sequência de jogos. Em 2012, Luca Ferretti foi contratado pela Fidentina, onde se tornaria a principal referência e capitão da equipe. Ferretti atuou pela Fidentina por sete anos e marcou mais de 50 gols com a camisa grená, deixando o clube ao final da temporada 2018/19, após o rebaixamento para a Promozione. Sem acordo com a Lupi, Ferretti acertou sua ida ao Noceto, onde atua até hoje. 
      Para este save, aposentei o Luca Ferretti "original" com o auxílio do editor do FM. O estilo do treinador escolhido foi sem qualificações, experiência anterior de Futebolista Amador e foco do estilo de gestão Original. Sem mais delongas, mãos à obra! 🐺🇮🇹

×
×
  • Create New...