Jump to content
Sign in to follow this  
mfeitosa

A.S. Fidentina, Il Lupi di Fidenza! - "Período de maturação" (09/04)

Recommended Posts

mfeitosa

FIDENTINA-CALCIO-02.png

consideracoes-iniciais.png

il-lupi-di-fidenza.png

Com a frustração de ser demitido do Koninklijke HFC (Holanda) em meu último save, já na primeira temporada, resolvi deixar um pouco de lado o meu espírito nostálgico para tentar algo com um clube ainda mais "aleatório". Embora a liga escolhida seja a Itália, onde vocês devem estar cansados de me ver jogar, o ponto de partida aqui será a Eccellenza, que corresponde à 5ª divisão italiana. Estarei sob o comando da A.S. Fidentina, também chamada de Lupi, uma equipe com menos de meio século de existência e sem qualquer tradição no Calcio.

É importante ressaltar que não abandonarei o Desafio da Base e todas as diretrizes apontadas no frustrado save com o HFC serão mantidas para o trabalho com a Fidentina. Minha expectativa e objetivo é ter um save bastante longevo onde, ainda que eu não consiga cumprir todos os objetivos apontados, ele possa render um considerável período de divertimento, sem prazo para terminar.

sobre-o-clube.png

a-s-fidentina.png

A Associazione Sportiva Fidentina foi criada após um "papo de boteco". Tudo começou em 1978, quando um pequeno grupo de rapazes que frequentavam o Bar Marisa (que existe até hoje) resolveu criar um time de futebol para participar de campeonatos amadores. A ideia foi muito bem recebida pelo dono do bar, que acabou por se tornar o primeiro patrocinador e presidente do clube. E assim nasceu o G.S. Bar Marisa, que logo mudaria de nome para G.S. Amatori Fidenza, e décadas depois para A.S. Fidentina (nome definitivo). O clube é sediado em Fidenza, comuna italiana da região da Emília-Romanha, província de Parma com pouco mais de 23 mil habitantes.

UNIFORMES.png

O time se destaca pelos curiosos desenhos de seus uniformes, principalmente na cor grená, e pelas várias versões de seu escudo, onde sempre há espaço a "águia imperial" e a "cruz de prata" presentes no brasão de Fidenza, assim como o Lobo (em italiano, Lupi), tradicional mascote da equipe. Na imagem dos uniformes que criei, é possível verificar uma das variações do escudo da A.S. Fidentina, mas existem muitos outros (veja o fundo desta imagem) que, de tempos em tempos, surgem em algum uniforme ou arte. 

Nos últimos anos, graças ao apoio de apaixonados empresários locais e ao jovem entusiasmo de seus dirigentes, o clube atingiu alguns resultados importantes dentro e fora de campo, alcançando patamares nunca sonhados anteriormente, como o acesso à Promozione e Eccellenza, a sexta e a quinta divisões do futebol italiano, respectivamente.

A Fidentina rivaliza com as outras duas equipes da cidade, o Fidenza (time mais antigo, de 1922) e o Borgo San Donnino (fundado em 2009).

diretrizes-do-save.png

regras-e-objetivos.png

Tomando como base o tópico oficial do The FM21 Youth Academy Challenge, no fórum da SI, os objetivos principais aqui serão conquistar a Serie A (primeira divisão do país escolhido) e a UEFA Champions League (competição continental), utilizando apenas as categorias de base da A.S. Fidentina como forma de adquirir novos jogadores. Ou seja, sem contratações de qualquer gênero, com exceção aos membros da comissão técnica. Vendas e empréstimos de jogadores a outros clubes também são permitidos. 

Para tornar as coisas um pouco mais intuitivas em termos de evolução do save, ampliarei os objetivos da seguinte forma:

  • Conquistar o título da Serie A;
  • Conquistar o título da Coppa Italia;
  • Conquistar o título da UEFA Champions League;
  • Ter um jogador convocado para uma Copa do Mundo;
  • Ser o maior clube formador da Itália;
  • Possuir as melhores infraestruturas de base da Itália;
  • Tornar-se o principal clube itália, em termos de reputação.

base-de-dados.png

Estarei utilizando o "Fusion DB - Prima Categoria v1.2" como forma de ativar os escalões mais baixos do futebol italiano, o que me permitiu escolher a Fidentina para jogar. Embora esse update contemple a 7ª divisão da Itália, carreguei a pirâmide apenas até a divisão em que estarei jogando, Eccellenza (5ª divisão), em razão da morosidade que seria gerada com o passar dos anos. Além da Itália, selecionei as principais ligas da Europa (apenas a divisão principal de cada) de acordo com o ranking das associações, e também a primeira divisão da Suíça, Brasil e Argentina. A base de dados escolhida foi Média. Por fim, das opções avançadas, segui à risca o que o desafio determina.

perfil-do-treinador.png

il-capitano.png

Nascido em 6 de março de 1983, em Milão, Luca Ferretti é um meia-atacante com origens na base do Parma, onde iniciou uma carreira repleta de frustrações. Em junho de 2003, o Milan realizou uma troca entre jogadores de sua base e garotos da base do Parma, o que incluiu o ainda jovem Ferretti. Essa transação foi alvo de investigação e, em 2009, os clubes foram multados por inflacionarem os preços dos atletas para garantir um falso lucro no balanço patrimonial. Além disso, Luca não teve espaço na equipe de Milão e foi emprestado de imediato para a Reggiana, que estava na Serie C1, e já no meio da temporada foi cedido ao Legnano, da Serie C2.

Em 2005, Luca Ferretti foi contratado pelo (hoje extinto) San Marino e resolveu pendurar as chuteiras após atuar em apenas três partidas. 

luca-ferretti.png

Em 2008, aos 25 anos, Luca Ferretti foi convencido a retornar ao futebol e assinou com o Lecco por uma temporada, mas acabou sendo pouco aproveitado. No ano seguinte, Luca acertou com o modesto Terme Monticelli e finalmente alcançou uma sequência de jogos. Em 2012, Luca Ferretti foi contratado pela Fidentina, onde se tornaria a principal referência e capitão da equipe. Ferretti atuou pela Fidentina por sete anos e marcou mais de 50 gols com a camisa grená, deixando o clube ao final da temporada 2018/19, após o rebaixamento para a Promozione. Sem acordo com a Lupi, Ferretti acertou sua ida ao Noceto, onde atua até hoje. 

Para este save, aposentei o Luca Ferretti "original" com o auxílio do editor do FM. O estilo do treinador escolhido foi sem qualificações, experiência anterior de Futebolista Amador e foco do estilo de gestão Original. Sem mais delongas, mãos à obra! 🐺🇮🇹

HASHTAG.png

Share this post


Link to post
Share on other sites
mfeitosa

FIDENTINA-CALCIO-02.png

temporadas.png

20-21.png

italy.png Eccellenza (Emilia-Romagna): 5º lugar (Girone A) image.png tabela e image.png calendário
italy.png Coppa Italia Eccellenza (Emilia-Romagna): Eliminado na Fase de Grupos (3º lugar no Grupo D) image.png tabela e calendário

- 03.02.2021 O retorno do "capitano"
- 09.02.2021 Com a bola toda
- 15.02.2021 Choque de realidade

Artilheiro da temporada: Vincenzo Dimilta - 13 gols
Assistente da temporada: Giuseppe Pasaro - 7 assistências
Maior Classificação Média: Filippo Pioli - 7.09 (30 jogos)

Spoiler

Condições Corporativas: Básicas
Condições de Treino: Más
Condições das Camadas Jovens: Más
Treino de Camadas Jovens: Academia Básica
Recrutamento de Camadas Jovens: Limitado

21-22.png

italy.png Eccellenza (Emilia-Romagna): 4º lugar (Girone A) image.png tabela e image.png calendário
italy.png Coppa Italia Eccellenza (Emilia-Romagna): Classificado na Fase de Grupos (2º lugar no Grupo A) image.png tabela e calendário
----seta.png Eliminado nas Oitavas de Final (por Felino, 0 a 3 no agregado) image.png diagrama e image.png calendário

- 21.02.2021 Saco de pancadas
- 26.02.2021 A retomada dos lobos

Artilheiro da temporada: Vincenzo Dimilta - 15 gols
Assistente da temporada: Filippo Pioli - 7 assistências
Maior Classificação Média: Filippo Pioli - 7.20 (30 jogos)
Revelação da Temporada: Giacomo Zanardini (21B) - 6.80 (32 jogos)

Spoiler

Condições Corporativas: Básicas
Condições de Treino: Básicas (instalações melhoradas em 13/11/2021 - Custo: 110 mil Є)
Condições das Camadas Jovens: Básicas (instalações melhoradas em 13/11/2021 - Custo: 210 mil Є)
Treino de Camadas Jovens: Academia Bastante Básica (orçamento ampliado)
Recrutamento de Camadas Jovens: Básico (orçamento ampliado)

2022-23.png

italy.png Eccellenza (Emilia-Romagna): 6º lugar (Girone A)
italy.png Coppa Italia Eccellenza (Emilia-Romagna): Eliminado na Fase de Grupos (3º lugar no Grupo A)

- 06.03.2021 Il diamante "Bianco"

Artilheiro da temporada: Luca Bianco (22A) - 24 gols
Assistente da temporada: Filippo Pioli - 8 assistências
Maior Classificação Média: Luca Bianco (22A) - 7.17 (31 jogos)
Revelação da Temporada: Luca Bianco (22A) - 7.17 (31 jogos)

Spoiler

Condições Corporativas: Básicas
Condições de Treino: Básicas
Condições das Camadas Jovens: Básicas
Treino de Camadas Jovens: Nível de Treino Médio (orçamento ampliado)
Recrutamento de Camadas Jovens: Bastante Básico (orçamento ampliado)

2023-24.png

italy.png Eccellenza (Emilia-Romagna): Campeão! (1º lugar da Girone A)
----seta.png Mini Liga (Playoff dos Campeões da Emilia-Romagna): Acesso falhado (3º lugar)
----seta.png Playoff de Promoção (Geral): Acesso conquistado! (contra Vasto Marina, 8 a 4 no agregado)
italy.png Coppa Italia Eccellenza (Emilia-Romagna): Classificado na Fase de Grupos (1º lugar no Grupo B)
----seta.png Eliminado nas Quartas de Final (por Lentigione, 3 a 4 no agregado)

- 14.03.2021 O time dos 125 gols

Artilheiro da temporada: Luca Bianco (22A) - 42 gols
Assistente da temporada: Filippo Pioli - 20 assistências
Maior Classificação Média: Luca Bianco (22A) - 7.55 (35 jogos)
Revelação da Temporada: Gianluca Adamo (21A) - 7.19 (36 jogos)

Spoiler

Condições Corporativas: Básicas
Condições de Treino: Básicas
Condições das Camadas Jovens: Abaixo da Média (instalações melhoradas em 02/11/2023 - Custo: 725 mil Є)
Treino de Camadas Jovens: Nível de Treino Adequado (orçamento ampliado)
Recrutamento de Camadas Jovens: Adequado (orçamento ampliado)

2024-25.png

italy.png Serie D: 3º colocado (Girone E)
----seta.png Playoffs: Vencedor (prêmio de 40 mil €)
italy.png Coppa Italia Serie D: Eliminado na Primeira Eliminatória (por Lavagnese, nos pênaltis) image.png calendário

- 21.03.2021 Bianco-dependência?
- 25.03.2021 De olho na base

Artilheiro da temporada: Luca Bianco (22A)* - 19 gols
Assistente da temporada: Michael Di Lallo (24J) - 8 assistências
Maior Classificação Média: Dennis Novelli (24B) - 7.10 (34 jogos)
Revelação da Temporada: Dennis Novelli (24B) - 7.10 (34 jogos)
* DEIXOU O CLUBE NO MEIO DA TEMPORADA

Spoiler

Condições Corporativas: Básicas
Condições de Treino: Básicas
Condições das Camadas Jovens: Abaixo da Média
Treino de Camadas Jovens: Nível de Treino das camadas jovens excelente (orçamento ampliado 2x)
Recrutamento de Camadas Jovens: Bom recrutamento de jovens jogadores (orçamento ampliado 2x)

2025-26.png

italy.png Serie DCampeão! Acesso conquistado! (1º lugar da Girone E) image.png tabela
----seta.png Poule Scudetto Serie D: Eliminado na Fase de Grupos (2º lugar no Grupo B) image.png tabela e calendário
italy.png Coppa Italia Serie D: Eliminado na Segunda Eliminatória (por Virtus Castelfranco, nos pênaltis) image.png calendário

- 31.03.2021 Chegou a vez da garotada
- 04.04.2021 Entrando para a história

Artilheiro da temporada: Salvatore Anzolut (25E) - 19 gols
Assistente da temporada: Pier Luigi Giuffrida (24C) - 10 assistências
Maior Classificação Média: Dennis Novelli (24B) - 7.21 (38 jogos)
Revelação da Temporada: Salvatore Anzolut (25E) - 7.12 (38 jogos)

Spoiler

Condições Corporativas: Básicas
Condições de Treino: Básicas
Condições das Camadas Jovens: Abaixo da Média
Treino de Camadas Jovens: Nível de Treino das camadas jovens excelente
Recrutamento de Camadas Jovens: Bom recrutamento de jovens jogadores

26-27.png

italy.png Serie C: Em andamento.
italy.png Coppa Italia: Eliminado na 2ª Fase de Qualificação (por Crotone, 2 a 4)
italy.png Coppa Italia Serie C: Eliminado na Segunda Eliminatória (por Triestina, 1 a 3)

sub20.png Campionato Nazionale Dante Berretti: Em andamento.
sub17.png Under 17 Serie C: Em andamento.

- 09.04.2021 Período de maturação

Share this post


Link to post
Share on other sites
mfeitosa

FIDENTINA-CALCIO-02.png

equipe.png

Espaço destinado às estatísticas da equipe em todo o save, incluindo número de vitórias, empates e derrotas, gols pró e contra, etc. Atualizado ao final de cada temporada.

partidas.png

  • Total de jogos: 210 (107 C, 103 F)
  • Vitórias: 114 (58 C, 56 F)
  • Empates: 54 (30 C, 24 F)
  • Derrotas: 42 (19 C, 23 F)
  • % Aproveitamento: 63% (64% C, 62% F)
  • % Vitórias: 54% (54% C, 54% F)

gols.png

  • Gols marcados: 430 (209 C, 221 F)
  • Gols sofridos: 281 (132 C, 149 F)
  • Saldo: 149 (77 C, 72 F)
  • Média de gols marcados: 2,05 (1,95 C, 2,15 F)
  • Média de gols sofridos: 1,34 (1,23 C, 1,45 F)
  • Maior vitória: 8 a 1 (contra Borgo San Donnino, Coppa Italia Emilia-Romagna 2023/24)
  • Maior derrota: 2 a 6 (contra Felino, Eccellenza Emilia-Romagna 2021/22)
  • Jogo com mais gols: 6 a 3 (contra Quarantolese, Eccellenza Emilia-Romagna 2023/24)

temporadas.png

  • Mais gols marcados: 125 (2023/24)
  • Menos gols marcados: 41 (2020/21)
  • Mais gols sofridos: 61 (2024/25)
  • Menos gols sofridos: 26 (2020/21)
  • Maior média de gols marcados: 3,12 (2023/24)
  • Menor média de gols sofridos: 0,87 (2020/21)
  • Mais partidas: 40 (2023/24)
  • Menos partidas: 30 (2020/21)
  • Maior pontuação na liga: 73 (Serie D/E 2025/26)
  • Menor pontuação na liga: 44 (Eccellenza Emilia-Romagna Girone A 2021/22 e 2022/23)

jogadores.png

Espaço destinado às estatísticas dos jogadores, incluindo aqueles que mais vestiram a camisa Granata, os artilheiros, etc.  Atualizado ao final de cada temporada.

artilheiros.png

  1. Luca Bianco (22A) (atacante, 2021/22 a 2024/25) - 86 gols
  2. Vincenzo Dimilta (atacante, 2020/21 a 2024/25) - 71 gols
  3. Filippo Pioli (ponta-esquerda, 2020/21 a 2025/26) - 44 gols
  4. Cesare Speranza (24A) (atacante, 2023/24 a 2025/26) - 33 gols
  5. Giuseppe Pasaro (ponta-direita, 2020/21 a 2025/26) - 24 gols
  6. Salvatore Anzolut (25E) (atacante, 2024/25 a 2025/26) - 19 gols
  7. Floriano Contento (25A) (atacante, 2024/25 a 2025/26) - 17 gols

passes.png

  1. Filippo Pioli (ponta-esquerda, 2020/21 a 2025/26) - 47 assistências
  2. Vincenzo Dimilta (atacante, 2020/21 a 2024/25) - 34 assistências
  3. Gianluca Adamo (21A) (lateral-direito, 2020/21 a 2025/26) - 33 assistências
  4. Alessandro Roma (meio-campo, 2020/21 a 2025/26) - 28 assistências
  5. Giuseppe Pasaro (ponta-direita, 2020/21 a 2025/26) - 24 assistências
  6. Luca Bianco (22A) (atacante, 2021/22 a 2024/25) - 15 assistências
  7. Giorgio Zanotti (22D) (meio-campo, 2021/22 a 2025/26) - 12 assistências

mais-jogos.png

  1. Alessandro Roma (meio-campo, 2020/21 a 2025/26) - 179 partidas
  2. Filippo Pioli (ponta-esquerda, 2020/21 a 2025/26) - 178 partidas
  3. Vincenzo Dimilta (atacante, 2020/21 a 2024/25) - 146 partidas
  4. Giuseppe Pasaro (ponta-direita, 2020/21 a 2025/26) - 137 partidas
  5. Gianluca Adamo (21A) (lateral-direito, 2020/21 a 2025/26) - 132 partidas
  6. Antonio Amoroso (22K) (zagueiro, 2021/22 a 2025/26) - 130 partidas
  7. Giacomo Zanardini (21B) (zagueiro, 2020/21 a 2025/26) - 121 partidas

temporadas.png

  • Mais gols marcados: Luca Bianco (22A) (2023/24) - 42 gols
  • Mais assistências: Filippo Pioli (2023/24) - 20 assistências
  • Mais prêmios de melhor em campo: Luca Bianco (22A) e Filippo Pioli (2023/24) - 9 prêmios
  • Maior classificação média: Luca Bianco (22A) (2023/24) - 7.55
  • Mais partidas: Dennis Novelli (24B) (2025/26) - 38 partidas
  • Mais cartões: Dennis Novelli (24B) (2024/25) - 15 cartões amarelos e 1 vermelho

Share this post


Link to post
Share on other sites
mfeitosa

FIDENTINA-CALCIO-02.png

trofeus.png

titulos.png

promo.pngecc.pngSERIE-DE.png

regionais.png

  • Promozione Emilia-Romagna Girone A: 2019/20
    (ÚNICO TÍTULO CONQUISTADO NA VIDA REAL)
  • Eccellenza Emilia-Romagna Girone A: 2023/24

inter-regionais.png

galeriadehonra.png

base.png

Espaço destinado às joias formadas nas Categorias de Base da Fidentina que ganharam destaque em suas carreiras, seja na equipe grená ou em outros clubes. A avaliação de cada jogador pode ser visualizada através dos dois círculos localizados no canto superior esquerdo de cada figurinha, e a posição em que ele se consagrou do lado direito. Nos spoilers, vocês poderão ver um resumo da carreira de cada um deles. Os jogadores serão adicionados aqui apenas depois de terem saído do clube, ou se aposentado.

FIGURINHA-GALERIA-LUCA-BIANCO.pngFIGURINHA-GALERIA-DENNIS-NOVELLI.pngFIGURINHA-GALERIA-em-branco.png

Spoiler

luca-bianco.png

Luca Bianco surgiu na base da Fidentina na Classe de 2022 como a principal promessa de sua geração (A) e não demorou para despontar na equipe principal dos lobos. Nos três anos em que esteve no clube, de meados de 2021/22 a meados de 2024/25, Bianco esteve presente em 89 partidas, marcou 86 gols (média de 0,96 p/j), fez 15 assistências, ganhou 18 prêmios de HDJ (homem do jogo) e recebeu oito cartões amarelos. O meia-atacante foi artilheiro de três competições (Eccellenza 2022/23 e 2023/24, e Coppa Italia Eccellenza 2023/24) e foi o principal destaque da Fidentina na campanha do título da Eccellenza Emilia-Romagna Girone A 2023/24, que garantiu o inédito acesso à Serie D.

Após ter assinado um pré-contrato, Bianco saiu dos lobos para o pequeno Valcalepio na metade temporada 2024/25, onde não conseguiu se encaixar e foi rebaixado à Eccellenza. Atualmente, ele joga no Spezia Sub-20 e raramente tem conseguido chances na equipe principal.

  • 2021 a 2025 - Fidentina (Eccellenza > Serie D)
  • 2025 a 2026 - Valcalepio (Serie D > Eccellenza)
  • 2026 (atualmente) - Spezia (Sub-20)
Spoiler

Em breve incluirei o histórico de Dennis Novelli (24B).

Spoiler

Em branco.

FIGURINHA-GALERIA-em-branco.pngFIGURINHA-GALERIA-em-branco.pngFIGURINHA-GALERIA-em-branco.png

Share this post


Link to post
Share on other sites
mfeitosa

FIDENTINA-CALCIO-02.png

resumo-do-periodo.png

retorno.png

Um ano após ter deixado o clube para defender as cores do Noceto, Luca Ferretti retorna à Fidentina para capitanear a equipe Granata outra vez. No entanto, sua liderança agora ocorrerá fora das quatro linhas, na função de treinador. E a tarefa de Ferretti sob o comando da Lupi não promete ser das mais fáceis. Apesar de estar familiarizado com as limitações estruturais da Fidentina, Luca precisará conduzir uma verdadeira reformulação no clube, a iniciar pela montagem de uma nova comissão técnica, já que não há nenhum profissional à disposição no momento.

Além disso, Luca Ferretti precisará encontrar uma maneira de assegurar que sua proposta de utilizar unicamente as categorias de base como fonte de jogadores para reforçar a equipe principal não se torne um problema com a diretoria e o elenco remanescente, que parece não concordar tanto com a ideia. A primeira temporada promete ser uma das mais complicadas neste aspecto, caso os resultados em campo não correspondam às expectativas.

luca-ferreti-foto.png

prima-squadra.png

onze.png

Neste primeiro ano, Luca Ferretti contará com um grupo formado por 11 jogadores remanescentes, que até poderiam ser escalados juntos em um 3-4-3 improvisado. No entanto, a ideia inicial não será essa, e nem seria possível fazê-la. Luca precisará utilizar jogadores "sem vínculo" com o clube (jogadores cinzas) para escalar a Fidentina durante toda a temporada, como forma de cumprir as regras de escalação da liga, onde há a obrigatoriedade de ter jogadores Sub-20, Sub-19 e Sub-18 em campo. 

Entre os que terão vaga garantida no onze inicial da Lupi, obrigatoriamente iniciamos com o goleiro Stefano Dondi (22 anos), a dupla de zaga formada por Alfredo Ottoni (31 anos) e Lorenzo Leporati (19 anos), e o ala versátil Andrea Petrelli (34 anos), que tem sido o capitão da equipe desde a última temporada. A possibilidade de ter Petrelli atuando um pouco mais avançado, que é onde ele possui maior familiaridade, abre a opção de Luca Ferretti alinhar a Fidentina em um 3-5-2. 

petrelli.png

Do meio para frente, Ferretti já precisará abrir mão de algum jogador, caso contrário não conseguirá escalar o time de acordo com as regras da Eccellenza. A tendência é que o setor de sangria seja o ataque, onde nenhuma das opções atende ao requisito de Sub-20. Logo, deveremos ter uma dupla ofensiva formada por Luca Franchi (34 anos) e Vincenzo Dimilta (21 anos), enquanto o veteraníssimo Luca Montali (38 anos) permanecerá como uma alternativa no banco.

franchi.png

Já no meio-campo, é possível que o treinador granata consiga escalar todos os jogadores à disposição, já que terá a opção do jovem Alessandro Roma (19 anos), que fará companhia a Pietro D'Urso (29 anos), Filippo Pioli (31 anos) e Giuseppe Pasaro (25 anos). Pioli é disparadamente o jogador de maior qualidade técnica do elenco da Fidentina e será de enorme importância dentro do esquema planejado por Luca Ferretti.

pioli.png

esquema.png

442.png

Embora a ideia de utilizar um 3-5-2 agrade bastante Luca Ferretti, um esquema com três zagueiros necessitaria de jogadores mais rápidos na posição e que tivessem capacidade de cobrir os espaços gerados pela ausência dos laterais, algo que a Fidentina não possui no momento. Dessa forma, o técnico granata tem treinado sua equipe alinhada num 4-4-2 assimétrico, com Giuseppe Pasaro mais adiantado na ponta-direita, enquanto Filippo Pioli comandará a meia-esquerda.

O estilo de jogo adotado tem sido de mais passes diretos e foco pelas laterais, sempre buscando aproveitar os espaços cedidos pelo adversário, sem muito atraso. A dupla de ataque formada por Luca Franchi e Vincenzo Dimilta será abastecida principalmente com cruzamentos (variados) e passes em profundidade. Sem a bola, a Fidentina buscará recuperar a posse com rapidez (mais urgente) e uma marcação apertada, porém evitando entradas mais duras (carrinhos). 

esquema-01.png
esquema-02.png

No caso do 3-5-2 precisar ser adotado durante a temporada, ainda que como um "segundo esquema", teremos o experiente Andrea Petrelli passando para o meio-campo como mudança principal na formação, onde ele faria companhia a Alessandro Roma e Pietro D'Urso

competicoes.png

eccellenza.png

A principal competição da temporada para a Fidentina será a Eccellenza, que corresponde ao quinto escalão do futebol italiano. O campeonato possui 28 grupos (girones) regionalizados, onde a Lupi está atualmente na Girone A da região da Emilia-Romagna, mas isso pode mudar com o passar dos anos. Das 15 equipes participantes da atual edição da Eccellenza Emilia-Romagna Girone A, quatro serão rebaixadas para a Promozione (6ª divisão), sem sequer disputar um play-out. Trata-se de um regulamento bastante perigoso, que forçará Luca Ferretti a ser bastante assertivo desde o primeiro momento.

Na parte superior da tabela, a equipe melhor colocada será considerada a campeã da girone, no entanto, o título não garante o acesso à Série D. O sistema de promoção da Eccellenza (da Emilia-Romagna) funciona com o formato de playoffs, onde os dois primeiros colocados terão a chance de brigar pelo sonhado acesso contra as equipes das outras girones de sua região.

eccellenza.png

A exigência da diretoria é para que Luca Ferretti evite o rebaixamento da Fidentina à Promozione (6ª divisão). Para a imprensa, a manutenção é considerada como alcançável, embora a Lupi ainda seja tratada como um "azarão".

coppaitalia.png

Em paralelo, a Fidentina enfrentará as disputas da Coppa Italia Eccellenza, que é a taça formada pelas equipes do quinto escalão do futebol italiano. Para a primeira fase, a equipe de Luca Ferretti foi sorteada para o Grupo D da região da Emilia-Romagna, ao lado de Agazzanese (equipe considerada inferior à Fidentina) e Felino (favorito à classificação). De toda forma, é preciso destacar que a diretoria granata não possui qualquer interesse nesta competição.

coppaeccellenza.png

financas.png

amadorismo.png

Uma das "vantagens financeiras" das equipes do 4º e 5º escalões do Calcio gozam é deter o estatuto de clube amador. Dessa forma, equipes como a Fidentina não possuem quaisquer gastos com salários de jogadores ou até mesmo da equipe técnica, com raríssimas exceções, ao mesmo tempo que ainda podem arrecadar recursos através de patrocínios e rendas com as bilheterias dos jogos, por exemplo.

financas.png

Consequentemente, as finanças dos lobos de Fidenza parecem seguir uma tendência de crescimento para as próximas temporadas, algo que será fundamental para que o clube possa realizar os investimentos necessários para melhorar suas estruturas e dar condições para suas Categorias de Base evoluírem. 🐺🇮🇹

HASHTAG.png

Share this post


Link to post
Share on other sites
Danut

Fidentina parece que alguém resolveu criar uma Fiorentina genérica.

Bem-vindo de volta, e tomara que consiga maior sucesso nessa nova empreitada.

Share this post


Link to post
Share on other sites
mfeitosa
1 hora atrás, Danut disse:

Fidentina parece que alguém resolveu criar uma Fiorentina genérica.

Bem-vindo de volta, e tomara que consiga maior sucesso nessa nova empreitada.

Hahaha! Pensei a mesma coisa, não tem como fugir disso! Mas achei o clube bem legal, apesar do nome pouco inspirado! 

Obrigado, Danut! Agora vai!

Share this post


Link to post
Share on other sites
Bigode.

Pensei exatamente a mesma coisa que o @Danut em relação ao nome do clube. hahaha

Gostei da história do clube. Legal como uma "brincadeira" acabou chegando tão longe.

Como um cara que toda versão tá jogando nas versões inferiores da Itália (embora com o jogo limpo, então do terceiro escalão pra cima) e somando ao foto dos seus tópicos sempre primarem pela excelência, com certeza estarei de olho por aqui. Boa sorte na nova empreitada!

Share this post


Link to post
Share on other sites
Cadete213

Boa sorte. Liga Italiana sempre me fascinou. Gostava de te ver na Série A e a concretizar os objetivos do save.

Share this post


Link to post
Share on other sites
div

Boa sorte!

Share this post


Link to post
Share on other sites
ggpofm

Que bom que você retornou, Marcelo.

E para nossa alegria com uma bela apresentação. 

Fiquei surpreso com a escolha do clube, mas achei legal. Gostei dos uniformes que você fez, mas tenho ressalvas ao escudo que achei muito confuso com os quatro quadrantes e ainda invadindo o círculo, sem contar as cimitarras dos lados.  Gostei das camisas antigas com o patrocínio do bar. Um time de bebum.

Parabéns pela vontade de encarar novamente o YC na Itália. Um desafio de verdade. Só posso lhe deseajar um bom trabalho e um sucesso correspondente.

Legal a escolha do Luca Ferreti.

Depois comento o outro post.

Share this post


Link to post
Share on other sites
LC

Boa sorte meu amigo e como no outro save eu estarei acompanhando.

Share this post


Link to post
Share on other sites
Henrique M.

Boa sorte.

Você que fez esses uniformes ou são os do clube mesmo?

Share this post


Link to post
Share on other sites
felipevalle

E tome-lhe bicão pra frente.

Boa sorte 😉

Share this post


Link to post
Share on other sites
marciof89

Fala Feitosa! Boa sorte no novo save 😄 

Share this post


Link to post
Share on other sites
ggpofm

Vai ter uma temporada bastante complicada, ainda mais com quatro caindo e com apenas 15 participantes. Por outro lado, ao escapar do rebaixamento ficará muito próximo de ficar entre os dois primeiros colocados e isso pode ser muito bom. Exige bastante cuidado, mas o investimento pode ser mostrar lucrativo.

Share this post


Link to post
Share on other sites
ElPerroMG

Fala, Feitosa!!

Enfim saiu a db italiana, né? 

Fico feliz que tenha insistido na proposta, afinal de contas essa na Itália era a ideia inicial. Espero que tenha uma melhor sorte dessa vez e que se divirta. 

Boa sorte!!

Share this post


Link to post
Share on other sites
mfeitosa
Em 04/02/2021 em 02:03, Bigode. disse:

Pensei exatamente a mesma coisa que o @Danut em relação ao nome do clube. hahaha

Gostei da história do clube. Legal como uma "brincadeira" acabou chegando tão longe.

Como um cara que toda versão tá jogando nas versões inferiores da Itália (embora com o jogo limpo, então do terceiro escalão pra cima) e somando ao foto dos seus tópicos sempre primarem pela excelência, com certeza estarei de olho por aqui. Boa sorte na nova empreitada!

Hahaha! Sabia que o nome do time ia dar o que falar! Não tem como passar despercebido.

Também curti a história do clube, o que acabou sendo uma surpresa. Sem dúvida, foi uma brincadeira que acabou dando certo. Mesmo havendo um clube bem mais antigo na cidade, a Fidentina caminha para ser o principal time local. 

Jogar na Itália é muito bacana, também sempre jogo por lá. Geralmente, vinha sempre fazendo saves com o Casale, geralmente vindo da Serie D. É a primeira vez que iniciarei por lá no quinto escalão. 

Valeu, Bigode!

Em 04/02/2021 em 05:01, Cadete213 disse:

Boa sorte. Liga Italiana sempre me fascinou. Gostava de te ver na Série A e a concretizar os objetivos do save.

Também gosto bastante da liga italiana, sempre foi uma das minhas favoritas. 

Obrigado, Cadete!

Em 04/02/2021 em 07:58, div disse:

Boa sorte!

Valeu, div!

Em 04/02/2021 em 12:09, ggpofm disse:

Que bom que você retornou, Marcelo.

E para nossa alegria com uma bela apresentação. 

Fiquei surpreso com a escolha do clube, mas achei legal. Gostei dos uniformes que você fez, mas tenho ressalvas ao escudo que achei muito confuso com os quatro quadrantes e ainda invadindo o círculo, sem contar as cimitarras dos lados.  Gostei das camisas antigas com o patrocínio do bar. Um time de bebum.

Parabéns pela vontade de encarar novamente o YC na Itália. Um desafio de verdade. Só posso lhe deseajar um bom trabalho e um sucesso correspondente.

Legal a escolha do Luca Ferreti.

Depois comento o outro post.

Obrigado, GG! 

Confesso que foi um pouco difícil escolher um clube na Itália que não fosse o Casale. 😛 E minha primeira alternativa era ainda mais interessante do que a Fidentina, "historicamente" falando. Era a Torinese, um dos clubes mais antigos da Itália que foi refundado há poucos anos. Mas percebi nos testes que fiz da DB que o save sempre ficava MUITO pesado quando carregava a Promozione (6ª divisão), e como o Desafio da Base exige um grande número de temporadas a serem jogadas, optei por não arriscar.

Mas ainda assim, acabei me agradando bastante da Fidentina. E até curti esse escudo do clube, embora concorde que é confuso. De toda forma, essa versão mais moderna que está no peito dos uniformes me agrada um pouco mais, por ser mais limpo e casa bem com a cor grená.

Em 04/02/2021 em 18:50, LC disse:

Boa sorte meu amigo e como no outro save eu estarei acompanhando.

Valeu, LC! 

Em 04/02/2021 em 21:22, Henrique M. disse:

Boa sorte.

Você que fez esses uniformes ou são os do clube mesmo?

Valeu, Henrique!

Criei esses uniformes com base no que o clube tem utilizado nos últimos anos. 

Em 04/02/2021 em 21:34, felipevalle disse:

E tome-lhe bicão pra frente.

Boa sorte 😉

Hahaha! Isso mesmo!

Valeu, Felipe!

Em 05/02/2021 em 18:17, marciof89 disse:

Fala Feitosa! Boa sorte no novo save 😄 

Fala, Marcio! Obrigado! 

Em 06/02/2021 em 11:07, ggpofm disse:

Vai ter uma temporada bastante complicada, ainda mais com quatro caindo e com apenas 15 participantes. Por outro lado, ao escapar do rebaixamento ficará muito próximo de ficar entre os dois primeiros colocados e isso pode ser muito bom. Exige bastante cuidado, mas o investimento pode ser mostrar lucrativo.

Esse regulamento de cair quatro é complicado e é algo que não se repete na maioria das outras Girones. Para o azar da Fidentina, os grupos da Emilia-Romagna são todos assim. Talvez esta primeira temporada não seja tão complicada, pq ainda tenho alguns jogadores reais à disposição. A questão é se a garotada que surgirá nas primeiras fornadas terão nível suficiente para manter a equipe numa zona segura. 

Valeu, GG!

7 horas atrás, ElPerroMG disse:

Fala, Feitosa!!

Enfim saiu a db italiana, né? 

Fico feliz que tenha insistido na proposta, afinal de contas essa na Itália era a ideia inicial. Espero que tenha uma melhor sorte dessa vez e que se divirta. 

Boa sorte!!

Sim, finalmente saiu! A versão atual do editor limitou bastante o trabalho da italianada, ainda mais considerando a complexidade que é a pirâmide do Calcio. Mas os caras ainda conseguiram fazer um belo trabalho. Fiz alguns testes e a DB parece segura. 

Espero que corra tudo bem! 

Valeu, Perro!

Share this post


Link to post
Share on other sites
mfeitosa

FIDENTINA-CALCIO-02.png

resumo-do-periodo.png

com-a-bola-toda.png

Com o baixo rendimento na pré-temporada diante de equipes do mesmo escalão e a eliminação precoce na Coppa Italia, muito se esperava que o início de campanha da Fidentina na Eccellenza Emilia-Romagna fosse bastante complicado. Afinal, os sinais apresentados pela equipe não eram nada animadores até então. No entanto, para a surpresa muitos, os comandados de Luca Ferretti têm embaralhado todas as previsões para a temporada com uma campanha extraordinária, onde o acesso à Serie D já não parece uma utopia.

Enquanto isso, nos bastidores, a Fidentina efetuou as contratações de onze membros para compor sua comissão técnica que, até pouco tempo, contava apenas com o treinador Luca Ferretti. Por outro lado, o clube ainda não conseguiu contratar profissionais para o setor de observação (olheiro chefe e olheiro). Já se passaram cinco meses e os anúncios emitidos pelo clube não atraíram absolutamente ninguém.

com-a-bola-toda.png

coppa-italia.png

fase-de-grupos.png

Abrindo o calendário da temporada 2020/21, a Fidentina teve pela frente as disputas da primeira fase da Coppa Italia Eccellenza, da região da Emilia-Romagna, onde foi sorteado para o Grupo D. O adversário dos lobos na estreia do técnico Luca Ferretti foi o Agazzanese, que havia perdido na rodada de abertura para o Felino (3 a 2). Com a bola rolando, a equipe Granata teve uma atuação apenas razoável e, apesar do bom volume de jogo, não conseguiu balançar as redes. O empate sem gols foi o resultado mais justo para essa partida medíocre, empate.png 0 a 0.

Na rodada seguinte, a Fidentina encarou o favorito Felino com a obrigação de vencer para conquistar a classificação. Nenhum outro resultado interessaria à Lupi. E os comandados de Ferretti até criaram algumas boas oportunidades, mas novamente não conseguiram marcar gols. Enquanto isso, o Felino fez uma partida muito mais segura e conquistou sua vaga para o mata-mata sem muitos sustos, derrota.png 0 a 1.

jogos-coppa.png

class.png

Com apenas um ponto conquistado e nenhum gol marcado, a Fidentina encerrou sua curta campanha na Coppa Italia Eccellenza 2020/21 na lanterna do Grupo D, da Emilia-Romagna.

class-coppa.png

exp-coppa.png

Como a diretoria do clube não possuía qualquer expectativa em relação à competição, a eliminação dos lobos não tem sido levada em consideração na avaliação do trabalho de Luca Ferretti no comando da equipe.

russi-campeao.png

O Felino, que passou adiante no Grupo D sem tantas dificuldades, acabou eliminado na fase seguinte, embora tenha feito uma excelente partida contra o Cittadella Vis Modena, que avançou até a semifinal. Na grande final, o Russi (atual líder da Girone C) levou a melhor diante do Piccardo Traversetolo (atual 3º colocado da Girone A, a mesma da Fidentina) e garantiu o título da Coppa Italia Eccellenza - Emilia-Romagna.

mata-mata.png

eccellenza.png

primeiro-turno.png

Como já foi dito na abertura, a má campanha da Fidentina na Coppa Italia Eccellenza parecia prenunciar uma temporada bastante complicada para os lobos, que acabaram retornar da Promozione (6ª divisão italiana). Seria um bate e volta? Definitivamente, não! A imprensa que previa que a Lupi brigaria com dificuldades na parte inferior da tabela, chegando até a colocar a equipe como principal candidato ao rebaixamento, está sendo obrigada a assistir aos comandados de Luca Ferretti contestarem todos os prognósticos ao assumirem o topo da Girone A já nas primeiras rodadas.

Spoiler

outubro.png

vitoria.png (C) 2 a 0 Agazzanese (9º) - F. Pioli (10') e V. Dimilta (47')
vitoria.png (F) 3 a 2 Cittadela Vis Modena (12º) - F. Pioli (6'), L. Franchi (pen 38') e A. Petrelli (72')
empate.png (C) 1 a 1 Vigor Carpaneto (13º) - F. Pioli (19')

A Fidentina fez sua estreia na Eccellenza diante do Agazzanese, contra quem havia empatado pela Coppa Italia há poucas semanas. E dessa vez a equipe Granata levou a melhor, numa partida em que foi superior durante os 90'. Na rodada seguinte, os comandados de Ferretti superaram o bom time do Cittadella Vis Modena, em jogo de muita disputa e muitos cartões. Para fechar outubro, os lobos ainda conseguiram um importante ponto diante do Vigor Carpaneto, que vinha sendo colocado pela imprensa como um dos candidatos ao acesso. Filippo Pioli foi o grande destaque do mês ao balançar as redes em todos os jogos.

novembro.png

vitoria.png (F) 2 a 0 Nibbiano Valtidone (2º) - V. Dimilta (45' e 63')
empate.png (C) 1 a 1 Felino (6º) - L. Franchi (17')
vitoria.png (F) 2 a 0 Bibbiano San Polo (14º) - V. Dimilta (29') e F. Pioli (61')
vitoria.png (C) 1 a 0 Rolo (15º) - V. Dimilta (89')

Abrindo o mês novembro, a Fidentina enfrentou o Nibbiano Valtidone, principal candidato ao título da Girone A, e acabou por provar que está indo totalmente na contramão das previsões da temporada. Uma vitória surpreendente para a Lupi, graças aos dois belos gols de Vincenzo Dimilta. Na sequência, o time acabou cedendo um empate para o Felino, mas voltou a vencer já contra Bibbiano San Polo, que tentou segurar a equipe Granata com faltas em sequência, sem êxito. Diante do lanterninha Rolo, a Fidentina sofreu mais do que o necessário para garantir os três pontos, resultado alcançado apenas nos minutos finais. Vincenzo Dimilta foi o destaque do mês ao marcar em três das quatro rodadas disputadas, chegando a marca de cinco gols na temporada.

dezembro.png

vitoria.png (F) 5 a 1 Salsomaggiore (11º) - G. Pasaro (9' e 12'), V. Dimilta (21' e 59') e L. Montali (25')
vitoria.png (C) 1 a 0 Piccardo Traversetolo (3º) - G. Pasaro (29')
derrota.png (F) 0 a 1 Borgo San Donnino (8º) - Nenhum

Partindo para os últimos três jogos de 2020, a Fidentina atropelou o Salsomaggiore, dentro de seus domínios, com atuações inspiradas do ponta Giuseppe Pasaro e do atacante Vincenzo Dimilta. Na rodada seguinte, a equipe Granata sofreu para vencer o Piccardo Traversetolo, que vinha dividindo suas atenções com as disputas da Coppa Italia Eccellenza, onde foram vice-campeões. Para fechar o ano, Luca Ferretti encarou seu primeiro clássico sob o comando da Fidentina, diante do Borgo San Donnino, e acabou sendo derrotado pela primeira vez na temporada. A liderança foi mantida, mas a vantagem para o Nibbiano Valtidone não.

janeiro.png

vitoria.png (C) 3 a 1 Colorno (5º) - V. Dimilta (11') e L. Franchi (33' e pen '76)
vitoria.png (F) 1 a 0 Campagnola (10º) - L. Franchi (35')
vitoria.png (C) 3 a 0 Arcetana (4º) - L. Leporati (31'), V. Dimilta (57') e C. Furini (68')
empate.png (F) 2 a 2 Sanmichelese (7º) - L. Franchi (22') e G. Pasaro (87')

A derrota no clássico contra o Borgo San Donnino não afetou em nada a equipe Granata, que encerrou o primeiro turno somando mais dez pontos na tabela, após a virada de ano. E assim, a Fidentina emplacou três vitórias importantes diante de Colorno, Campagnola e Arcetana, e ficou no empate com o Sanmichelese, resultado que deve ser bastante comemorado, tendo em vista a superioridade demonstrada pelo adversário dentro de seus domínios. O destaque de janeiro foi o centroavante Luca Franchi com três gols marcados, apesar do pênalti perdido diante do Arcetana.

class.png

Com um aproveitamento de 78,5%, a Fidentina tem mantido uma disputa "palmo a palmo" pelo título da Girone A com o grande favorito Nibbiano Valtidone. As equipes possuem campanhas praticamente iguais, com uma diferença mínima de gols marcados e sofridos. Trata-se de uma briga bastante inusitada, principalmente se analisarmos as previsões da imprensa (atuais), que colocam os dois em extremos completamente opostos.

class-ecc.png

exp-ecc.png

A campanha impressionante da Fidentina tem deixado a diretoria do clube em delírio com o trabalho de Luca Ferretti. Com o rebaixamento completamente fora de cogitação, independente do que ocorra com os lobos na sequência da temporada, a continuidade do trabalho do treinador novato está mais do que garantida.

prima-squadra.png

quarteto.png

O bom rendimento apresentado na Eccellenza Emilia-Romagna tem atraído os olhares de diversas equipes para os jogadores da Fidentina. Entre os destaques da equipe, o meia Alessandro Roma (19 anos) tem sido o principal alvo de propostas. O número de ofertas recebidas pelo jovem Roma foi impressionante, mas o garoto tem optado por permanecer em Fidenza, para sorte do treinador Luca Ferretti, que perderia uma peça fundamental no seu esquema.

elenco.png

Ainda assim, a principal força da Fidentina na temporada tem sido seu quarteto ofensivo formado pelos extremos Filippo Pioli e Giuseppe Pasaro, e a dupla de atacantes Luca Franchi e Vincenzo Dimilta, que foi responsável por 23 dos 27 gols marcados pela equipe em toda a temporada (segundo melhor ataque da Girone A). Desses quatro jogadores, o grande destaque tem sido o artilheiro Vincenzo Dimilta, que já soma nove gols e quatro assistências na temporada, e também tem atraído interesse de outros clubes.

accademia.png

previsoes.png

Recém-contratado pelo clube, o diretor das categorias de base da Fidentina, Edoardo Dianda, divulgou uma antevisão do que o clube poderá atrair em sua geração de jovens desta temporada. Tendo como base unicamente as posições dos jogadores que estão por chegar, é possível que os lobos tenham uma fornada de grande utilidade para a rotação de elenco, principalmente pela presença de um lateral-direito (embora o ideal seria se fosse "esquerdo") e de um meio-campo.

previsao-base.png

Por outro lado, a ausência de volantes, que é a principal carência do atual elenco Granata, é algo que preocupa. À vista disso, o alinhamento baseado em um 4-4-2, que tem sido utilizado por Ferretti em toda a temporada, deve permanecer praticamente imutável por mais um ano, por falta de profundidade de plantel. Resta saber se o primeiro desafio dos garotos da Fidentina será ainda na Eccellenza ou na Série D. 🐺🇮🇹

HASHTAG.png

Share this post


Link to post
Share on other sites
Cadete213

Não foi a melhor das estreias na Taça mas estás surpreendendo na Liga, com a liderança. Bons resultados dão ânimo à equipa e algo que tento sempre também ter, são xamadas jovens capazes de produzir jogadores para a equipa principal. Acho muito importante.

Share this post


Link to post
Share on other sites
ggpofm

Apesar da diretoria achar que a luta era contra o rebaixamento, o 10º lugar dos apostadores indicava que era totalmente possível fazer algo mais e Ferretti vem mostrando a força da Fidentina, assuntando aqueles que achavam que lutar para confirmar as previsões era o máximo que ele faria. Que venha o returno e depois os playoffs se tudo der certo.

Share this post


Link to post
Share on other sites
div

Fidentina mostrando sua força! Vai fazendo uma campanha muito além do esperado e briga com força pelas cabeças, do jeito que está, parece que um 2º lugar, no mínimo, já é quase certo.

Tu comentou sobre não ter conseguido contratar olheiros. Com exceção da análise do próximo adversário, nesse tipo de save olheiros têm alguma função?

Em tempo, estranhei que o diretor das categorias de base não considerou essa a "geração de ouro" do Fidentina. Removeram isso pro FM 21 ou será que a fornada não é tão boa assim. Espero que seja a primeira opção hehe

Share this post


Link to post
Share on other sites
dantenetocosta

campanha maravilhosa! ninguém segura.

Share this post


Link to post
Share on other sites
LC

Excelente campanha na Liga e espero que consiga o título.

Feitosa, quais as regras da Liga?

Share this post


Link to post
Share on other sites
Henrique M.

Uma pergunta, dos seus adversários na liga, quantos tem elenco completo ou algo próximo disso?

No mais, grande campanha até o momento. Acredito que o pessoal que é real está fazendo o clube sonhar mais alto do que o esperado.

Share this post


Link to post
Share on other sites

Join the conversation

You can post now and register later. If you have an account, sign in now to post with your account.

Guest
Reply to this topic...

×   Pasted as rich text.   Paste as plain text instead

  Only 75 emoji are allowed.

×   Your link has been automatically embedded.   Display as a link instead

×   Your previous content has been restored.   Clear editor

×   You cannot paste images directly. Upload or insert images from URL.

Sign in to follow this  

  • Similar Content

    • Victor Duque
      By Victor Duque
      Salve comunidade, depois de muito tempo, decidi me me aventurar (tentar) compartilhar uma saga por aqui. Não tive talento para ser um jogador profissional, mas a paixão pelas táticas fez este cidadão, mesmo sem nenhuma qualificação de treinador, explorar o mercado do futebol aos 25 anos de idade!! Só me impus duas restrições nessa busca inicial, não trabalhar no Brasil nem na Europa. Sobre preferências, não tenho. Estou aberto a avaliar as propostas independente do lugar, já que nada na minha vida me prende. 
      Dessa forma então iniciarei minhas buscas e contatos para em breve, anunciar o primeiro desafio dessa carreira.
      Capítulos da saga:
      Desempenho por temporadas:
       
    • six_strings
      By six_strings
      Clube Norueguês, que milita no segundo escalão do país, com excelentes instalações
      de treino e de desenvolvimento de jovens jogadores.
       

       

       
      Gubther Söme Fodsen foi contratado para assumir os comandos do TROMSO IL.
      Natural de Tromso e sócio do clube o antigo jogador amador, dá início a 
      uma carreira no clube do seu coração, onde promete levar o clube ao sucesso.
       




      A direção espera que consigamos trabalhar com o orçamento que dispomos, que é 
      pouco ou quase nada, e que tenhamos um desempenho que nos permita a promoção para
      o escalão maior na Noruega.
       

       
       

    • Cadete213
      By Cadete213
      Olá a todos. Sou novo por cá, mas sou um dos veteranos do CMPT (o fórum FM em Portugal), onde me registei em 2006. Gosto de apresentar os saves com mais base nas imagens do que nos textos, mas não esperem muito em termos de grafismos 😁
      Meu nome é Fábio, mas sou conhecido como Cadete, devido ao antigo jogador de futebol do Sporting e Celtic (entre outros), Jorge Cadete. Sou natural do Funchal, Ilha da Madeira. Ou seja, sou da mesma cidade do Cristiano Ronaldo.

      Sempre fui fã de futebol e minha equipa favorita é o Arsenal. Muito novo comecei a jogar nas camadas jovens do CS Marítimo, e por lá fiquei até aos 17 anos. Pelo caminho, fui campeão regional várias vezes e cheguei a jogar contra o grande CR7, quando este ainda vestia as cores da camisola do CD Nacional. A melhor época que tive, foi nos sub-17, quando terminamos a época sem derrotas (20 vitórias e 2 empates). De seguida, disputamos a fase nacional, onde defrontei o Sporting CP, Barreirense e Campomaiorense. Estes dois últimos, já viveram dias melhores e o Campomaiorense, na altura, jogava no Tugão.

      Nos sub-19, decidi sair do clube da minha infância e fui jogar no clube da terra da minha mãe, o CD Ribeira Brava, que tem como maiores rivais, o Pontassolense. Passei dois anos fantásticos no clube e vencemos o primeiro troféu do clube, nas camadas jovens, a Taça da Madeira. Na final, derrotamos o CF União. Lembro-me muito bem desse jogo. Marquei o primeiro golo e o resultado final foi 4-2. No final, festejamos imenso e levamos a Taça para a nossa "terrinha". Isto foi na primeira época. 
      Na segunda época, fui chamado à equipa principal, para fazer a pré-época. O CD Ribeira Brava disputava o Campeonato Nacional de Séniores e ainda joguei um amigável contra a equipa B do Marítimo, uma casa que conhecia muito bem. Fiz a época nos sub-19 e fui o melhor marcador da equipa. Nos séniores, ainda fui emprestado ao São Vicente, mas infelizmente, devido a um problema de saúde no sangue, abandonei o futebol e a carreira de jogador.

      A vida seguiu e comecei a trabalhar. Acabei os estudos à noite, onde conheci minha parceira. Passados 15 anos ainda estamos juntos. Mudou a minha vida para muito melhor e vivemos juntos na sua terra, o Jardim do Mar. Uma pequena vila no sudeste da Ilha da Madeira, com 200 habitantes. Mas não se deixem enganar pelo seu tamanho, pois é conhecida a nível mundial, devido ao surf. A modalidade chegou tarde à Madeira, nos anos 90. Começou então a ser divulgada e de repente, tínhamos surfistas do mundo inteiro a visitar a ilha, que rapidamente se tornou conhecida como  o "Hawai da Europa". 
      Minha sogra tem uma Residencial a Casa da Cecília, que recebeu os primeiros surfistas na ilha e a minha parceira foi a primeira mulher a surfar na Madeira. Os mais famosos surfistas portugueses passaram por cá várias vezes, houve um Billabong Contest no final dos anos 90, Garrett McNamara também já esteve na Residencial da minha sogra e Grant "Twiggy" Baker, campeão mundial de ondas grandes, é um regular por aqui. Gosta de ir ao Jardim do Mar treinar, antes da etapa da Nazaré, em Portugal Continental.

      Em 2008, decidimos emigrar e passamos o Verão em Cagnes-Sur-Mer, no sul de França. Trabalhamos num camping e os donos tornaram-se na nossa segunda família. Sempre que podemos, fazemos uma visita e vice-versa. Aprendi a falar francês, o que é sempre bom no mundo do trabalho. Depois deste magnífico Verão, acabamos na Ilha de Jersey. Uma dependência da coroa Britânica. É uma ilha offshore, ou seja, um paraíso fiscal, que goza de uma certa independência e tem o seu próprio governo. No entanto, o poder supremo é a raínha de Inglaterra.
      A comunidade portuguesa é grande e equivale a cerca de 10% da população local. Brasileiros tem poucos e só conheço 2. 
      Trabalhei vários anos na loja de um campo de golfe, e comecei a praticar este desporto. Tornou-se um dos meus passatempos favoritos e cheguei a fazer parte da equipa que se tornou campeã de Jersey, indo de seguida à ilha vizinha de Guernsey, jogar pelo título de campeão das Ilhas do Canal. Infelizmente perdemos.

      Vida que segue (como diz um amigo meu cá do fórum), e como trabalhava aos fins-de-semana, não pude jogar futebol. Dediquei-me então ao Futsal, que por cá é amador. Aliás, em Jersey, a única equipa profissional que há, é o Jersey Reds. Uma equipa de râguebi que disputa o segundo escalão do râguebi inglês. No futsal, joguei em 2 equipas locais. Fui campeão duas vezes e venci a taça uma vez. O futsal aqui é diferente e as regras também. Tanto, que ainda chamam de 5-a-side, não podemos entrar na área do Guarda-Redes e a bola não pode subir acima da altura dos ombros. Coisas dos ingleses.

      Após vários anos no campo de golfe, consegui um emprego no HSBC, um dos maiores bancos a nível mundial. Sendo Jersey um paraíso fiscal, a sua economia é movida pelo mundo das finanças. Vários são os bancos que cá estão, incluíndo Royal Bank of Canada, Lloyds, Santander, CitiBank ou Natwest. Além destes, tem outros bancos privados e muito dinheiro passa por cá. De vez em quando, entra nas bocas do mundo por eventuais branqueamentos de dinheiro e abrem-se investigações. É um mundo à parte.
      O HSBC Expat e o HSBC Channel Islands e Isle of Man, têm cá a sua sede e é lá que trabalho. Fui Product Manager e agora sou Operational Support Manager. 

      Trabalhar no banco libertou-me os fins-de-semana, e voltei ao futebol de 11. Como ja estava a chegar aos 35 anos, decidi jogar nos veteranos. Fui convidado para jogar no St Paul's FC, que é o maior clube da ilha. Aceitei logo e na primeira época fomos campeões, só com vitórias. Não perdemos nenhum ponto. Época de sucesso e apenas não vencemos a Taça de Veteranos, pois esta foi cancelada devido ao Covid-19. Começamos a segunda época, e até ao momento nao perdemos nenhum jogo. Queremos ser bi-campeões, sem derrotas. 
      Como ainda estou para as curvas, tenho feito alguns jogos pela equipa de reservas, onde a minha experiência é essencial para ajudar os mais jovens. Disputam a 3ª e última divisão de Jersey, e permite-me ir mantendo a forma ao jogar contra os mais novos.

      E por aquí fica a realidade do save. Aproveitei para me apresentar e assim ficam a me conhecer um pouco melhor. Daqui em diante, entraremos na ficção e na parte divertida do save. Adoro viajar e já estive em 5 continentes. Só me falta mesmo visitar a América do Sul.
      Trabalhando no HSBC, irei aproveitar esse facto para dar andamento a este save e irei baseá-lo nisso mesmo, a oportunidade de poder viajar pelo trabalho. 
       

       

       

       
    • Saulodwornik
      By Saulodwornik
      É possível copiar a base de dados de um fm antigo e colocar em outro fm mais novo? 
      Queria colocar os jogadores com potencial máximo de 140 a 200 aposentados de 2014 até 2020 porem para fazer isso preciso reeditar de um por um. Não existe um recurso no editor que copie dados de uma base antiga para a nova.
    • Megalodonte
      By Megalodonte
      Prezados
      Esta é a história de José Silva,  mais um entre tantos milhões de brasileiros.
       
      REGRAS DO SAVE E DATABASE
      Escrever a história de José Silva no cenário mundial; Expressar ao máximo os dilemas da carreira de José Silva no fórum; Diversão total no save  
      Database: TODAS as ligas do mundo como jogáveis, totalizando 490 mil jogadores, para dar o máximo de realismo possível. Estou utilizando também o BRMundiup atualizado em 26/03 e o modo de inteligência deles que deixa o jogo mais realista e difícil, sobretudo na América do Sul. Já deixo a dica para quem tem notebook/PC gamer que selecionar todas as ligas do mundo roda de boa e sem travar, independente do fato de ficar com "meia estrela" no desempenho. Apenas recomendo um acelerador de dias (FMspeed ou Cheat Engine) para que o jogo dê uma acelerada na passagem de dias (sem perder qualquer interação), mas é opcional isso.
       
       

      Imagem da Zona Leste de São Paulo-SP
      TEMPORADA 2021 - CAPÍTULO 1
      Quem sou eu?!
      Esta história será escrita em primeira pessoa. Sim, sou eu, José Silva, que está escrevendo. Não farei joguetes dissertativos nesta jornada, mas garanto sinceridade máxima para com o leitor. Antes de tudo, vou me apresentar. Eu sou José Silva, mais um entre tantos milhões de brasileiros. Mais um José e mais um Silva, talvez o nome e o sobrenome mais comum do Brasil. Ok, sei que não ficou legal esta apresentação, portanto serei mais direto para me ater à promessa de evitar os joguetes na narração.
      Nasci na cidade de São Paulo, no Natal de 1990. Estou prestes a completar 30 anos. Sou da Zona Leste, uma área predominantemente pobre na capital paulista, apesar de eu particularmente nunca ter sido pobre a ponto de ter passado fome ou frio na vida, sempre tive consciência de classe, que no meu caso, na melhor das hipóteses sempre foi a classe média baixa. Minha mãe é professora de uma escola estadual de Guarulhos, cidade com mais de 1 milhão de pessoas, ao qual faz divisa com a Zona Leste de São Paulo. A inflação imobiliária nos impediu de mudar para Guarulhos mais perto do colégio, portanto moro até hoje numa casa velha da Zona Leste, porém digna, adquirida pela minha mãe nos anos 90 e quitada após uns 15 anos de prestações. Sempre estudei no colégio público que minha mãe deu aula em Guarulhos, portanto era cobrado duplamente, tanto como filho quanto como aluno. Da nossa casa até o Colégio dava cerca de 20 minutos de moto e essa foi minha trajetória da infância até completar o ensino médio: acordar cedo, ir pra escola na garupa da moto da minha mãe e passar a tarde toda jogando bola na quadra do meu colégio. Eu era um goleiro mediano e nunca sequer cogitei ser jogador de futebol e apesar de amar futebol, sempre gostei mais de assistir do que jogar futebol. Era um corintiano moderado, que não desenvolveu o fanatismo por nunca ter ido ao Pacaembu na infância, pois não tinha um pai pra me levar ao estádio. Nunca conheci o meu pai, que segundo minha mãe sumiu no mundo após engravidá-la. Não tinha o nome dele em minha identidade ou certidão de nascimento, e herdara apenas o sobrenome Silva, de minha mãe. Além de "José" e "Silva", era mais um brasileiro filho de mãe solteira na imensidão demográfica deste País Continental.
      Sempre tirei notas boas, apesar de nunca ter sido um bom aluno. Meus interesses eram curiosidades globais, romances policiais, séries baixadas em péssima qualidade, idiomas, história do futebol e livros políticos e filosóficos. Desenvolvi um bom nível de inglês através de jogos na lanhouse que frequentava perto da minha casa, no auge dos anos 2000. Quanto à politica, se você é de esquerda, me achará de direita e se você é de direita, me achará de esquerda. Me considero um verdadeiro "isentão" que gosta de ver o circo pegar fogo. Acho tanto o coletivismo quanto a meritocracia duas farsas, quando postas de maneira integral, além de ser um adepto da teoria do caos, também conhecida como efeito borboleta. Acredito que pequenos detalhes mudam toda uma trajetória e que a sorte e o azar são fundamentais na vida do cidadão, desde a loteria genética até estar em determinados lugares ou conhecer determinadas pessoas. 
      Após terminar o colégio, fui o último aprovado no vestibular para o curso de Educação Física na USP, ao qual confesso que levei uma sorte desgraçada. Mais procrastinava do que estudava, porém acertei o necessário para entrar. Dizem que vestibular é igual sexo: não importa a posição, o que importa é entrar. A essa altura eu tinha 18 anos e uns 500 reais de patrimônio total. O departamento de Educação Física da USP era bem longe da minha casa, e sabia que teria que pegar ônibus e metrô para chegar lá, portanto decidi que iria trabalhar durante o dia (a faculdade era noturna) para juntar um dinheiro para tirar carteira de motorista e comprar uma moto, pois a perda de tempo dentro do transporte público era imensa, economizaria umas duas horas diárias que poderiam ser empregadas em outra coisa. Sempre achei que o capitalismo é um jogo de tempo.
      Falando em tempo, vou adiantar um pouco minha história para chegarmos ao presente. Quando entrei na faculdade, consegui um emprego na lanhouse ao qual frequentei minha infância e adolescência e acabei virando uma espécie de "gerentão" lá. No meio do segundo ano, após todo mês juntar uma parte do salário que sobrava, enfim consegui comprar a moto e tirar minha CNH. Aproveitei o tempo livre diário que ganhei ao não ter mais que pegar transporte público pra dormir. Sim, isso mesmo, eu vivia num sono infernal nessa rotina de trabalhar e estudar e duas horas de sono a mais por dia me davam uma revigorada satisfatória. Terminei a faculdade e decidi que queria ser professor de Educação Física, para isso teria que estudar, pois apesar do salário de professor da rede estadual não ser nada atraente, a concorrência era imensa, pois ganhar 3 ou 4 salários mínimos com estabilidade em um país de terceiro mundo como o Brasil era algo muito acima da média. Meu TCC foi sobre evolução de táticas de futebol na Ásia. Sim, bizarro.
      Com o diploma na mão, fiz as contas e vi que tinha dinheiro para me manter por 6 meses sem ter que trabalhar, portanto, para não queimar minhas reservas, tive a ideia de pedir ao dono da lanhouse se era possível que eu trabalhasse meio-período, para poder focar o máximo de tempo no concurso, que seria no final do ano (estávamos em 2012). Ele resmungou, dizendo que esse negócio de emprego meio-período era coisa de País rico, que não existia isso no Brasil, mas acabou cedendo, pois tinha grande apreço por mim. Eu ganhava dois salários mínimos na lanhouse, com essa redução, viria a ganhar um, o pouco de vida social que eu tinha acabava de ir pros quiabos com essa nova renda. Era apenas subsistência e mais nada.
      Dessa vez eu não procrastinei e pela primeira vez estudei de maneira sistemática e organizada e no final de 2012 passei no concurso, em uma posição intermediária. No começo de 2013 assumi uma escola Estadual em Itaquaquecetuba, outra cidade metropolitana grudada em São Paulo e Guarulhos, ao qual o pessoal costuma chamar apenas de "Itaquá". Tinha apenas 22 anos e seria professor de alunos da quinta e sexta série, ou seja, uma intersecção de crianças e adolescentes, metade infância e metade puberdade. As condições da escola eram ruins, mas não chegavam a ser deploráveis, daria uma nota 4,5 numa escala de 0 a 10. Confesso que esperava algo pior. No meu primeiro ano, tive muitos problemas, pois eu alternava entre ser bonzinho demais e severo em demasia, e os alunos deitavam e rolavam, tanto por mau comportamento pela minha inércia, quanto reclamando com os pais que eu gritava e era bravo demais quando eu decidia fazer alguma coisa. Somente no final de 2014, no meu segundo ano como professor que fui pegando o jeito do negócio e a partir de 2015 eu já era um dos professores mais queridos do colégio.
      Eu era criativo e costumava dar aulas envolvendo competições de diversos esportes, apesar de não esconder minha preferência pelo futebol, também desenvolvia-os com Xadrez e alguns jogos de tabuleiro. Os anos foram passando e a maioria dos meses eu conseguia guardar cerca de 10% do meu salário, minha mãe estava prestes a aposentar e eu sentia que faltava algo para dar uma guinada na minha vida. Confesso que me iludi com algumas promessas miraculosas de dinheiro, mentalidade empreendedora e outras baboseiras de espertalhões na internet que enganavam ingênuos ambiciosos e acabei perdendo dinheiro nessas coisas, ao qual eu sequer gostava. 
      Mal sabia que a grande teoria do caos que estava por aparecer na minha vida seria um "pequeno" torneio escolar. Era o ano de 2020 e eu notei que desde que entrei no colégio em Itaquá, aquele ano era ao qual os alunos do sexto ano eram os melhores nas aulas de futsal desde 2013. Tinha pelo menos 6 alunos ali com um potencial monstruoso perto do que eu já tinha visto de garotos daquela idade, e pela primeira vez nosso colégio foi convidado para a disputa dos jogos escolares da Grande São Paulo, pois a Prefeitura de São Paulo havia expandido a participação para todos os colégios da capital e região metropolitana. Seria uma espécie de Copa da Inglaterra, com mais de 1000 escolas públicas e particulares disputando um gigantesco torneio em mata-mata. Só eram permitidos alunos de 11 ou 12 anos completos até o fim de 2020 , ou seja, alunos do quinto ou sexto ano (os reprovados mais velhos ficariam de fora). Montei um time de toque de bola rápido na quadra, ofensivo e que sabia a hora certa de dar o bote.
      Apesar de ser cético até demais, um grave defeito que tenho, confesso que fui criando a ilusão que dava pra chegar longe, pois os meninos do colégio eram realmente bons e o mais importante: todos fortes fisicamente, uns verdadeiros cavalos pra idade que tinham. O único que tinha 11 anos e era mais mirrado era o nosso goleiro, que tive que buscar na quinta série, pois na sexta não havia nenhum, de resto eram todos com 12 anos e ótimo porte, além de apurada técnica. Me espelhei na zebra do Guga em Roland Garros em 1997 ao qual foi campeão sendo o número 66 do ranking mundial e fomos passando de fase. Os jogos eram sempre em algum colégio neutro, e nossos alunos que não jogavam, tanto meninos quanto meninas, eram uma torcida bem fiel e sempre empurravam a gente. As fases foram passando, até que chega outubro de 2020 e estávamos nas oitavas de final. Dentre os 16 colégios, éramos o único colégio público. Todos os outros eram particulares. A partir desta fase, os jogos eram disputados no Ginásio Ibirapuera, o que atraía atenção da mídia local, dos holofotes da educação e é claro: o de olheiros que estavam ali para tentar descobrir o próximo Neymar. O Brasil tem uma tradição monstruosa em revelar grandes jogadores que começaram no futsal.
      Eu havia levantado informação dos outros 15 adversários e pelo que vi todos eram mais ou menos do mesmo nível, com exceção a três colégios que serviam de base através de uma parceria para os três grandes da capital: Corinthians, Palmeiras e São Paulo. Eu estava torcendo pro sorteio não colocar esses colégios frente ao nosso time, e acabei levando sorte: o Colégio parceiro do Palmeiras enfrentaria o do Corinthians logo de cara, na outra chave, e o do São Paulo também caiu do outro lado da chave, ou seja, só pegaria um dos top 3 numa eventual final. Tanto nas oitavas, quanto nas quartas e na semi, nos classificamos nos pênaltis, todos empatando por 2x2. Três resultados iguais e três êxitos na loteria dos pênaltis. Parecia história de filme de final feliz, estilo a Libertadores do Atlético Mineiro de 2013. Confesso que não treinava muito as penalidades, apenas o básico, mas o meu goleiro de 11 anos tinha uma habilidade paranormal para defender pênalti, era um novo Dida. Com certeza algum olheiro acabaria incentivando-o a treinar em algum clube quando os Jogos Escolares acabassem. 
      A grande final veio, em novembro de 2020, e seria contra um dos colégios mais tradicionais da capital paulista, que servia de base para o São Paulo Futebol Clube. Calculei que teríamos no máximo 25% de chance de sermos campeões (sou um tarado em números, estatísticas e probabilidades), tratei aquela final da pirralhada da sexta série como o maior desafio da minha vida. O jogo começou e logo no primeiro tempo  tomamos 3 gols. A mini-escolinha do SPFC era uma máquina mortífera. Eu não sei qual espírito da oratória entrou em mim no intervalo que consegui entrar na cabeça da mulecada de um jeito que por uns instante me senti o Bernardinho do Vôlei no quesito motivação. O final feliz não veio e o milagre também não aconteceu, mas marcamos dois gols e faltando 15 segundos meu pivô acerta uma bola no travessão, quase empatando e forçando a prorrogação. Perdemos de 3 a 2. Fomos vice-campeões, mas o ginásio inteiro do Ibirapuera nos aplaudiu. Caímos de pé.
      No final do jogo, os garotos desabaram em lágrimas tenras. O lado criança venceu o pré-adolescente, e a dor do "quase" foi cruel e torturante. Após meia hora consolando-os, com palavras inócuas para uma perda deste tamanho, um senhor grisalho de camisa social me aborda:
      - Você é o José Silva, né? Gostaria de trocar uma ideia com você.
      Eu tinha mania de tomar conclusões precipitadas e já fui falando:
      - Sou sim. Você deve ser olheiro de algum clube, né? Já adianto que pra falar com qualquer aluno meu para eventuais testes, antes de mais nada, é necessário a autorização dos pais deles, pois são menores de idade.
      - Você errou duplamente, retrucou o senhor Grisalho. Não sou olheiro e não quero falar sobre teus alunos. Sou vice-presidente do ********* e gostaria de te propor uma entrevista. Já tem um tempo que estamos observando profissionais de educação física dedicados e acredito que tens o necessário para um projeto em nosso clube.
      Bom, confesso que por uns 10 segundos senti um formigamento misturado com ansiedade e felicidade, além de um pouco de medo. No próximo capítulo eu conto o que aconteceu. E os asteriscos no nome do time é pra dar um ar de mistério, mesmo. A única dica que lhes dou é que é um time aqui do Estado de São Paulo, mesmo.
      Continua...
×
×
  • Create New...