Jump to content
Sign in to follow this  
Dr.Thales

Discurso de Greta Thunbereg na ONU

Recommended Posts

Dr.Thales

Mudando de assunto...

 

Trabalhando igual condenado, não fiquei muito por dentro do assunto dos últimos dias. Mas fiquei assustado com tanta gente falando do discurso da tal Greta Thunberg.

Fui verificar quem era e vi que é mais um desses personagens "prodígios" que aparecem de tempos em tempos para darem lição de moral na, como diria o Cassetes & Planeta, civilização-judaico-cristã-ocidental.

Dito isso, tudo o que foi dito, só comprovou três coisas que tô cansado de saber:

 

1) o ambientalismo é, via de regra, anti-humano.

2) Nelson Rodrigues estava muito certo ao dizer que a melhor coisa que pode acontecer a um jovem é envelhecer.

3) um discurso feito na ONU e adjacências que repercute na mídia internacional tem 95% de chances de ser algum bostejamento de alguém que nunca lavou uma louça e que culpa os outros pela própria infelicidade.

Share this post


Link to post
Share on other sites
Dinheiro Tardelli
Quote

Greta Thunberg, anjo ou demônio das mudanças climáticas

A sueca Greta Thunberg carrega a paixão de uma geração que decidiu enfrentar o monstro das mudanças climáticas, mas também sofre com o desprezo daqueles que a veem como uma marionete messiânica da consciência ecológica.

Aos 16 anos, a adolescente é o rosto e a voz de uma juventude preocupada, que recicla lixo, limpa as praias, evita carne e aviões e vota em partidos ambientais nas eleições.

Há pouco mais de um ano, no início do ano letivo de 2018, Greta deixou sua mochila em casa e passou a se manifestar toda sexta-feira em frente ao Parlamento sueco em Estocolmo com uma placa feita a mão para tentar sensibilizar os deputados sobre a emergência climática.

Sua “greve escolar”, transmitida pelas redes sociais, atravessou fronteiras e promoveu o movimento global “Sexta-feiras para o futuro”.

O fenômeno “Greta” se tornou planetário. Suas contas no Twitter e no Instagram têm mais de seis milhões de assinantes.

Os jovens a escolheram como porta-voz das preocupações com as mudanças climáticas. E o tom é claramente acusatório.

“Vocês roubaram meus sonhos e minha infância com suas palavras vazias”, disse ela, com lágrimas nos olhos, aos líderes mundiais reunidos para a cúpula climática em Nova York, na segunda-feira, evento do qual participou após atravessar o Atlântico em um veleiro “zero carbono”.

A adolescente e sua causa mobilizam milhões de jovens nas ruas, fascinados por sua determinação.

Para seus críticos, Greta é um oráculo vergonhoso, cujas “utopias mortíferas” expõem as neuroses de uma adolescente autista (ela foi diagnosticada com Síndrome de Asperger), manipulada pelos agentes do “capitalismo verde” e por seus pais.

Essas reações são porque ela “é poderosa”, diz Severn Cullis-Suzuki, uma bióloga canadense que tinha 12 anos quando desempenhou um papel semelhante durante a Cúpula da Terra, organizada no Rio de Janeiro em 1992.

“Ela pede uma revolução. É por isso que eles tentam silenciá-la”, afirma Cullis-Suzuki à AFP.

– Milagre, ou ciborgue –

Quando se trata de Greta, nascida em 3 de janeiro de 2003 no país menos “religioso ou espiritual” do planeta, referências místicas, mágicas ou clínicas são recorrentes.

O fotógrafo Yann Arthus-Bertrand a vê como “um milagre”, e o ex-presidente americano Barack Obama, como a personificação de uma juventude que “muda o mundo”.

Outros a veem como “um ciborgue”, nas palavras do filósofo francês Michel Onfray, ou “uma doente mental” que cedeu à “histeria climática”, segundo o comentarista conservador Michael Knowles, da Fox News.

Em abril, o papa Francisco recebeu a jovem em Roma por ocasião do segundo aniversário da “Laudato si” (Louvado seja), a segunda encíclica do pontífice. A legenda “Aos cuidados da casa de todos” ecoa as palavras de Greta: “a casa está pegando fogo”.

Segundo alguns críticos, ela utiliza uma semântica mágica que desfoca a mensagem científica, prejudica a inovação tecnológica e oculta alguns desafios ecológicos.

“A questão climática ofuscou todos os outros problemas ambientais, como abuso de animais, indústria de carne, ou pesticidas”, diz a cientista política Katarina Barrling, da Universidade de Uppsala.

Nesse contexto, as vozes que questionam as posições de Greta são imediatamente suspeitas de “ceticismo climático”, acrescenta a especialista.

Ela também é acusada de gerar ansiedade em vez de produzir um discurso racional.

No Fórum Econômico de Davos, ela disse: “Quero que entrem em pânico, que sintam o medo que sinto todos os dias”. Na semana passada, falando ao Congresso dos EUA, a adolescente moderou o discurso: “Quero que vocês ouçam os cientistas”.

– Pensamento crítico –

O dedo que acusa os adultos incomoda no exterior, mas não tanto na Suécia.

Tudo nela – a irreverência, o espírito de desobediência e as tranças – lembra o personagem de Pippi Meialonga, criado pela autora sueca Astrid Lindgren, um paradigma da criança liberta da tutela dos adultos e que aprende por si mesma como é o mundo.

“Não é por acaso que Greta é sueca. Acho que ela não existiria sem Pippi, ou Lisbeth Salander”, diz a ensaísta sueca Elisabeth Asbrink, referindo-se à especialista em computadores com um dragão tatuado nas costas, personagem dos romances da saga Millennium.

“Durante décadas, o currículo escolar sueco priorizou a formação do pensamento crítico dos alunos, e não o acúmulo de conhecimento”, destaca Barrling.

Mas a pergunta que muitos se fazem é: para que serve Greta?

Para defender os direitos humanos, disse a ONG Anistia Internacional, que concedeu a ela o prêmio de “embaixadora da consciência”. Seu nome também é mencionado como um possível candidato ao Prêmio Nobel da Paz de 2019.

O Comitê Nobel da Paz já concedeu prêmios com cores ambientais no passado – como Al Gore, o Painel Intergovernamental de Mudanças Climáticas (IPCC), ou o ativista queniano Wangari Maathai -, vinculando-os a questões democráticas.

A contribuição de Greta ainda deve ser demonstrada, afirma o diretor do Oslo Peace Research Institute (Prio), Henrik Urdal.

“O vínculo entre paz e aquecimento global é baseado em alegações que a pesquisa não apoia. Ela deu um impulso impressionante às questões da mudança climática, mas a pergunta permanece: é relevante para o Prêmio? O Prêmio Nobel da Paz?”, questiona.

https://istoe.com.br/greta-thunberg-anjo-ou-demonio-das-mudancas-climaticas/

 

Share this post


Link to post
Share on other sites
Henrique M.
8 hours ago, Dr.Thales said:

1) o ambientalismo é, via de regra, anti-humano.

Por quê?

É melhor ter um aquecimento global nas previsões mais pessimistas?

Share this post


Link to post
Share on other sites
Dr.Thales
1 hora atrás, Henrique M. disse:

Por quê?

É melhor ter um aquecimento global nas previsões mais pessimistas?

O aquecimento global nas previsões mais pessimistas é a realidade.

Não entendi sua questão.

Já leu as publicações do IPCC?

Existem N previsões lá. E a que é amplamente difundida é a mais alarmista delas. Veja só...

Share this post


Link to post
Share on other sites
Dr.Thales

Curiosidade:

O principal problema ambiental do Brasil é saneamento básico.

Afeta diretamente (e diariamente) MILHÕES de pessoas. Sobretudo as mais pobres.

Mas o discurso histérico da vez é queimada na Amazônia, que ano sim, ano também, sofre com queimadas na seca (e neste ano, não teve fora da média histórica deste fenômeno).

Isso tudo baseado numa falácia não comprovada de que gás carbônico esquenta o planeta e que existe aquecimento global antropogenico. 

A quem serve a ONU e o IPCC?

Share this post


Link to post
Share on other sites
Dr.Thales

Só pra adicionar:

Pra quem não quer ler os relatórios do IPCC (relatório mesmo. Não o sumário), já que é extremamente enfadonho e difícil de compreender, talvez sirva como começo de discussão este artigo (muito bem escrito, por sinal), que serve pra deixar claro o quanto essa questão do aquecimento global e efeito estufa não é tão científico e verdadeiro quanto ONU, mídia e etc querem fazer crer:

 

https://singep.org.br/6singep/resultado/357.pdf

Share this post


Link to post
Share on other sites
Ariel'
15 hours ago, Dr.Thales said:

Curiosidade:

O principal problema ambiental do Brasil é saneamento básico.

Afeta diretamente (e diariamente) MILHÕES de pessoas. Sobretudo as mais pobres.

Mas o discurso histérico da vez é queimada na Amazônia, que ano sim, ano também, sofre com queimadas na seca (e neste ano, não teve fora da média histórica deste fenômeno).

Isso tudo baseado numa falácia não comprovada de que gás carbônico esquenta o planeta e que existe aquecimento global antropogenico. 

A quem serve a ONU e o IPCC?

A queimada do cerrado também, por exemplo, pouquíssimo comentada. Ou na Indonésia. Ou a poluição na China, muito pior que o céu preto em São Paulo, principalmente porque eles já estão acostumados.

Incência na Amazônia é uma tragédia, mas é como discutir a violência no Rio de Janeiro, quando a taxa de homicídio em diversas cidades do norte e nordeste superam a da cidade carioca. Mas aí não dá like, né?

(reitero, devemos discutir todos esses problemas para tentar resolvê-los, porém uma tempestade para algo que sequer é o maior problema) 

Share this post


Link to post
Share on other sites
Dr.Thales
16 minutos atrás, Ariel' disse:

A queimada do cerrado também, por exemplo, pouquíssimo comentada. Ou na Indonésia. Ou a poluição na China, muito pior que o céu preto em São Paulo, principalmente porque eles já estão acostumados.

Incência na Amazônia é uma tragédia, mas é como discutir a violência no Rio de Janeiro, quando a taxa de homicídio em diversas cidades do norte e nordeste superam a da cidade carioca. Mas aí não dá like, né?

(reitero, devemos discutir todos esses problemas para tentar resolvê-los, porém uma tempestade para algo que sequer é o maior problema) 

Não sei até que ponto é uma tragédia ou até que ponto é algo que acontece naturalmente, na seca, pra diminuir o acúmulo de folhas e detritos que, regularmente, é acumulado nas florestas equatoriais.

 

As árvores secam, folhas caem, galhos secam, fogo destrói parte disso...e na próxima chuva a floresta está intacta.

 

Enfim. Como não sou especialista, apenas curioso da área, não vou dizer que é X ou Y.

Mas que há uma histeria absolutamente SEM SENTIDO nesta questão, há.

Share this post


Link to post
Share on other sites
Mantrax
Em 26/09/2019 em 06:23, Dr.Thales disse:

Só pra adicionar:

Pra quem não quer ler os relatórios do IPCC (relatório mesmo. Não o sumário), já que é extremamente enfadonho e difícil de compreender, talvez sirva como começo de discussão este artigo (muito bem escrito, por sinal), que serve pra deixar claro o quanto essa questão do aquecimento global e efeito estufa não é tão científico e verdadeiro quanto ONU, mídia e etc querem fazer crer:

 

https://singep.org.br/6singep/resultado/357.pdf

 

Não to entendendo, Thales. Na comunidade científica são um ou dois trabalhos q desmentem o aquecimento global e uns 90 q concordam. Pq acreditar justamente nos q dizem q não é realidade? 

Edited by Mantrax

Share this post


Link to post
Share on other sites
Aleef
1 hora atrás, Mantrax disse:

Não to entendendo, Thales. Na comunidade científica são um ou dois trabalhos q desmentem o aquecimento global e uns 90 q concordam. Pq acreditar justamente nos q dizem q não é realidade? 

Aquecimento global existe, o tema do debate é o quanto em % é influência dos seres humanos.

Share this post


Link to post
Share on other sites
ZaMBiA

Minha opinião, sem aprofundar no juízo de valor do discurso, é que a menina de dezesseis anos já fez mais pela comunidade que provavelmente todos nós.

Nessa idade, geral aqui tava batendo bronha e tomando vodka com sprite que eu sei.

Share this post


Link to post
Share on other sites
Dr.Thales
On 9/27/2019 at 11:23 AM, Mantrax said:

Não to entendendo, Thales. Na comunidade científica são um ou dois trabalhos q desmentem o aquecimento global e uns 90 q concordam. Pq acreditar justamente nos q dizem q não é realidade? 

Há um quase consenso que há aquecimento e resfriamento do clima da terra de tempos em tempos.

O que não há, nem de perto, é consenso (tampouco) comprovação de aquecimento global antropogênico.

Veja, são duas coisas absolutamente distintas.

Nem a questão do CO2 e do efeito estufa é consenso e comprovado, ao contrário do que muitos acham. É uma hipótese. Uma teoria. 
 

Aliás, ainda está sobre pesquisa e estudo se a temperatura sobe por causa de mais CO2 OU se há mais CO2 porque a temperatura subiu (numa relação de causa e efeito, essa resposta é bastante importante).

E não sou eu que tô dizendo. Tá nos relatórios do próprio IPCC. É só ler lá as pesquisas e resultados dos cientistas que ainda participam do painel.

Como uma teoria ainda em desenvolvimento e em pesquisa vira verdade absoluta?

Share this post


Link to post
Share on other sites
Douglas.
42 minutos atrás, Dr.Thales disse:

Há um quase consenso que há aquecimento e resfriamento do clima da terra de tempos em tempos.

O que não há, nem de perto, é consenso (tampouco) comprovação de aquecimento global antropogenico.

Veja, são duas coisas absolutamente distintas.

Nem a questão do CO2 e do efeito estufa é consenso e comprovado, ao contrário do que muitos acham.

E não sou eu que tô dizendo. Tá nos relatórios do próprio IPCC. É só ler lá as pesquisas e resultados dos cientistas que ainda participam do painel.

 

Citar

Climate Change 2014

Synthesis Report

Summary for Policymakers

 

Citar

SPM 1.Observed Changes and their Causes

Human influence on the climate system is clear, and recent anthropogenic emissions of green-house gases are the highest in history. Recent climate changes have had widespread impacts on human and natural systems. {1}

SPM 1.1 Observed changes in the climate system

Warming of the climate system is unequivocal, and since the 1950s, many of the observed changes are unprecedented over decades to millennia. The atmosphere and ocean have warmed, the amounts of snow and ice have diminished, and sea level has risen. {1.1}

 

Citar

The evidence for human influence on the climate system has grown since the IPCC Fourth Assessment Report (AR4). It is extremely likely that more than half of the observed increase in global average surface temperature from 1951 to 2010 was caused by the anthropogenic increase in GHG concentrations and other anthropogenic forcings together. The best estimate of the human-induced contribution to warming is similar to the observed warming over this period (Figure SPM.3). Anthro-pogenic forcings have likely made a substantial contribution to surface temperature increases since the mid-20th century over every continental region except Antarctica4. Anthropogenic influences have likely affected the global water cycle since 1960 and contributed to the retreat of glaciers since the 1960s and to the increased surface melting of the Greenland ice sheet since 1993. Anthropogenic influences have very likely contributed to Arctic sea-ice loss since 1979 and have very likely made a substantial contribution to increases in global upper ocean heat content (0–700 m) and to global mean sea level rise observed since the 1970s. {1.3, Figure 1.10}

 

Citar

Each finding is grounded in an evaluation of underlying evidence and agreement. In many cases, a synthesis of evidence and agreement supports an assignment of confidence. The summary terms for evidence are: limited, medium or robust. For agreement, they are low, medium or high. A level of confidence is expressed using five qualifiers: very low, low, medium, high and very high, and typeset in italics, e.g., medium confidence. The follow-ing terms have been used to indicate the assessed likelihood of an outcome or a result: virtually certain 99–100% probability, very likely 90–100%, likely 66–100%, about as likely as not 33–66%, unlikely 0–33%, very unlikely 0–10%, exceptionally unlikely 0–1%. Additional terms (extremely likely 95–100%, more likely than not >50–100%, more unlikely than likely 0–<50%, extremely unlikely 0–5%) may also be used when appropriate. Assessed likelihood is typeset in italics, e.g., very likely. See for more details: Mastrandrea, M.D., C.B. Field, T.F. Stocker, O. Edenhofer, K.L. Ebi, D.J. Frame, H. Held, E. Kriegler, K.J. Mach, P.R. Matschoss, G.-K. Plattner, G.W. Yohe and F.W. Zwiers, 2010: Guidance Note for Lead Authors of the IPCC Fifth Assess-ment Report on Consistent Treatment of Uncertainties, Intergovernmental Panel on Climate Change (IPCC), Geneva, Switzerland, 4 pp.

 

https://www.ipcc.ch/site/assets/uploads/2018/02/AR5_SYR_FINAL_SPM.pdf

 

 

 

Share this post


Link to post
Share on other sites
Dr.Thales
On 9/27/2019 at 8:35 PM, Douglas. said:

Eu citei (Provavelmente aqui mesmo)...

O sumário do IPCC não serve de parâmetro. De N estudos, pegam as partes alarmistas pra propaganda pura e simples.

Há uma diferença (até grotesca) entre o que o sumário repassa e o que a integralidade dos estudos apontam, motivo, inclusive, da debandada de pesquisadores do IPCC em 2007.

Share this post


Link to post
Share on other sites
Dr.Thales

Adendo: não por acaso, desde que o IPCC foi fundado, erraram 99% das suas previsões contidas em sumários.

 

Share this post


Link to post
Share on other sites
Dr.Thales

Adendo 2: CFC, buraco da camada de ozônio e a Veneza debaixo da água em 2003 ninguém cita mais...mas foi nisso aí que os sumários do IPCC me fizeram acreditar ser verdade absoluta (e fui ensinado sobre isso na escola, durante toda década de 90).

Foi exatamente por este motivo que me interessei pela área. 

Adendo 3: climatologistas e meteorologistas mal conseguem prever, com precisão, fenômenos naturais que irão acontecer em 40 dias. Mas programações computadorizadas (absolutamente incapazes de prever as milhões de variáveis que influenciam no clima) diz que gás carbônico causa efeito estufa (o que vem sistematicamente sendo derrubado, por isso usam cada vez menos esse termo) e que a terra tá aquecendo em razão do ser humano (enquanto aponta uma tendência de resfriamento pros próximos anos, que se vier, será realmente cômico).

Share this post


Link to post
Share on other sites
Head Coche Z

Idade do planeta que chamamos Terra: 4,5 bilhões de anos (voltar em torno do sol)

Tempo da Terra ao redor da estrela que chamamos Sol para uma volta do Sol em torno da galáxia: 225 milhões de anos (voltas da Terra em torno do Sol).

Lá no início, a Terra era mais quente... e tem se resfriado desde então, às vezes esquenta um pouco depois de picos de resfriamento, mas até que o Sol apague com certeza vai se resfriar e muito, ainda. Para além do tempo humano.

Enquanto isso, aqui na nossa autoimaginária importância cósmica, neste hiato minúsculo do tempo, será que a Terra está esquentando ou resfriando?

1309_globaltemps_agency_comparison_2018.

 

Parece que o clima só tem aquecido continuamente desde os anos 1980. Quer dizer alguma coisa? O combustível fóssil não era tão relevante até os anos 1940?

Creio que, independentemente do fim do ser humano ou da Terra, por mais longínquo na escala de tempo que pareça ser, nós deveríamos apenas nos preocupar em não acelerar o processo inevitável de autodestruição.

Afinal, dor e sofrimento são inerentes à realidade que vivemos, mas elas não precisam ser exaltadas nem aumentadas. O planeta está esquentando por causas antrópicas? Ao que parece, sim, está, e isto não muda a possibilidade factual de que se o Sol não engolir a Terra algum dia, ela terminará gelada.

Edited by Head Coche Z

Share this post


Link to post
Share on other sites
Psicopinto
Em 27/09/2019 em 21:36, Dr.Thales disse:

Adendo 2: CFC, buraco da camada de ozônio e a Veneza debaixo da água em 2003 ninguém cita mais...mas foi nisso aí que os sumários do IPCC me fizeram acreditar ser verdade absoluta (e fui ensinado sobre isso na escola, durante toda década de 90)

Hahahahaha.. pior que é verdade. Boa lembrança.

 

Share this post


Link to post
Share on other sites
Dr.Thales
On 10/3/2019 at 2:15 PM, Psicopinto said:

Hahahahaha.. pior que é verdade. Boa lembrança.

Pior que professora falava em aula, nem se discutia.

A realidade, é que há quase 30 anos os prognósticos do IPCC (sobretudo os propagandeados, já que existem N pesquisas dentro dos relatórios que dizem ser impreciso e inconclusivo qualquer afirmação com base nestas teorias) vem falhando miseravelmente.

Quanto ao CFC, compartilho da teoria de que não passou de mero interesse econômico dos detentores de patentes...

Mais ou menos como escrito aqui:

https://www.noticiasagricolas.com.br/noticias/meio-ambiente/93058-a-mentira-do-buraco-antropogenico-de-ozonio.html

Share this post


Link to post
Share on other sites
_Matheus_
Em 27/09/2019 em 19:47, Dr.Thales disse:

Há um quase consenso que há aquecimento e resfriamento do clima da terra de tempos em tempos.

O que não há, nem de perto, é consenso (tampouco) comprovação de aquecimento global antropogenico.

Veja, são duas coisas absolutamente distintas.

Eu ia mencionar isso. 

  • É a natureza do sistema solar ter ciclos de expansão e contração do sol e a bem da verdade é que estima-se (?) que este seja a principal causa, de longe, para o aquecimento global.
  • Nós como seres humanos, produzimos CO2. 
  • CO2, camada de ozônio, efeito estufa, aquecimento. True story também.

Aqui é onde entra a distinção entre correlação e relacionamento causa-efeito.

Sobre a Greta:

  • Filha de pais ativistas.
  • Cabeça vazia como qualquer adolescente de 16 anos.
  • Discurso de efeito com a certeza de que sabe alguma coisa da vida.
  • Já passei por isso. Felizmente, eu estava escondendo a minha ignorância jogando GTA e tocando uma.

Share this post


Link to post
Share on other sites
Lanko

Boa cartada essa dos ambientalistas.

Colocam uma garota com autismo pra fazer esse barulho todo, como se querendo dizer "até ela com autismo consegue perceber a gravidade da situação, e vocês?"

E se a criticarem, ironizarem ou atacarem, mesmo com argumentos e fatos, será tudo desviado e ignorado sob o pretexto de "ataque desproporcional" não apenas a uma criança, mas a uma criança com deficiência.

Share this post


Link to post
Share on other sites
Psicopinto
15 horas atrás, Dr.Thales disse:

Pior que professora falava em aula, nem se discutia.

Estava nos livros.  Se estava nos livros, era verdade pra gente. Bons tempos de inocência.

O discurso do ecoapocalipse é muito mais velho que menina sueca.

 

Share this post


Link to post
Share on other sites
Head Coche Z

O mundo iria acabar um dia mesmo se a humanidade não existisse. Após todos os estragos que cometeremos, não vai precisar de alguns poucos milhões de anos (ou sequer um milhão) para o Planeta se recuperar. Mesmo assim, volto a dizer, não há motivo para que nós aceleremos o processo inevitável de audodestruição...

Share this post


Link to post
Share on other sites
Douglas.
Em 03/10/2019 em 23:37, Lanko disse:

Boa cartada essa dos ambientalistas.

Colocam uma garota com autismo pra fazer esse barulho todo, como se querendo dizer "até ela com autismo consegue perceber a gravidade da situação, e vocês?"

E se a criticarem, ironizarem ou atacarem, mesmo com argumentos e fatos, será tudo desviado e ignorado sob o pretexto de "ataque desproporcional" não apenas a uma criança, mas a uma criança com deficiência.

 

Malditos ambientalistas globalistas pagos pelo Soros.

Share this post


Link to post
Share on other sites

Join the conversation

You can post now and register later. If you have an account, sign in now to post with your account.

Guest
Reply to this topic...

×   Pasted as rich text.   Paste as plain text instead

  Only 75 emoji are allowed.

×   Your link has been automatically embedded.   Display as a link instead

×   Your previous content has been restored.   Clear editor

×   You cannot paste images directly. Upload or insert images from URL.

Sign in to follow this  

  • Similar Content

    • Aleef
      By Aleef
      Almeidinha: " Direitos humanos para humanos direitos"
      "Direitos humanos para humanos direitos". Este é o lema do Almeidinha, um brasileiro médio para quem a “crise de segurança” é só papo de intelectual
       
      Almeidinha era o sujeito inventado pelos amigos de faculdade para personalizar tudo o que não queríamos nos transformar ao longo dos anos. A projeção era a de um cidadão médio: resmungão em casa, satisfeito com o emprego na “firma” e à espera da aposentadoria para poder tomar banho, colocar pijama às quatro da tarde, assistir ao Datena e reclamar da janta preparada pela esposa. O Almeidinha é aquele sujeito capaz de rir de qualquer piada de português, negro, gay e loira. Que guarda revistas pornográficas no armário, baba nas pernas da vizinha desquitada (é assim que ele fala) mas implica quando a filha coloca um vestido mais curto. Que não perde a chance de dizer o quanto a esposa (ele chama de “patroa”) engordou desde o casamento.
      O Almeidinha, para nosso espanto, está hoje em toda parte. Multiplicou-se em proporção geométrica e, com os anos, se modernizou. O sujeito que montava no carro no fim de semana e levava a família para ir ao jardim zoológico dar pipoca aos macacos (apesar das placas de proibição) sucumbiu ao sinal dos tempos e aderiu à internet. Virou um militante das correntes de e-mail com alertas sobre o perigo comunista, as contas no exterior do ex-presidente, os planos do Congresso para acabar com o 13º salário. Depois foi para o Orkut. Depois para o Facebook. Ali encontrou os amigos da firma que todos os dias o lembram dos perigos de se viver num mundo sem valores familiares. O Almeidinha presta serviços humanitários ao compartilhar alarmes sobre privacidade na rede, homenagens a pessoas doentes e fotos de crianças deformadas. O Almeidinha também distribui bons dias aos amigos com piadas sobre o Verdão ("estude para o vestibular porque vai cair… hihihi") e mensagens motivacionais. A favorita é aquela sobre amar as pessoas como se não houvesse amanhã, que ele jura ser do Cazuza mas chegou a ele como Caio Fernandes (sic) Abreu.
      O Almeidinha gosta também de se posicionar sobre os assuntos que causam comoção. Para ele, a atual onda de violência em São Paulo só acontece porque os pobres, para ele potenciais criminosos (seja assassino ou ladrão de galinha) têm direitos demais. O Almeidinha tem um lema: “Direitos Humanos para Humanos Direitos”. Aliás, é ouvir essa expressão, que ele não sabe definir muito bem, e o Almeidinha boa praça e inofensivo da vizinhança se transforma. “Lógica da criminalidade”, “superlotação de presídios”, “sindicato do crime”, “enfrentamento”, “uso excessivo da força”, para ele, é conversa de intelectual. E se tem uma coisa que o Almeidinha detesta mais que o Lula ou o Mano Menezes (sempre nesta ordem) é intelectual. O Almeidinha tem pavor. Tivesse duas bombas eram dois endereços certos: a favela e a USP. A favela porque ele acredita no governador Sergio Cabral quando ele fala em fábrica de marginais. A USP porque está cansado de trabalhar para pagar a conta de gente que não tem nada a fazer a não ser promover greves, invasões, protestos e espalhar palavras difíceis. O Almeidinha vota no primeiro candidato que propuser esterilizar a fábrica de marginal e a construção de um estacionamento no lugar da universidade pública.
      Uma metralhadora na mão do Almeidinha e não sobraria vagabundo na Terra. (O Almeidinha até fala baixo para não ser repreendido pela “patroa”, mas se alguém falar ao ouvido dele que “Hitler não estava assim tão errado” ganha um amigo para o resto da vida).
      A cólera, que o fazia acordar condenando o mundo pela manhã, está agora controlada graças aos remédios. O Almeidinha evoluiu muito desde então. Embora desconfiado, o Almeidinha anda numas, por exemplo, de que agora as coisas estão entrando nos eixos porque os políticos – para ele a representação de tudo o que o impediu de ter uma casa na praia – estão indo para a cadeia. Ele não entende uma palavra do que diz o tal do Joaquim Barbosa, mas já reservou espaço para um pôster do ministro do Supremo ao lado do cartaz do Luciano Huck (“cara bom, ajuda as pessoas”) e do Rafinha Bastos (“ele sim tem coragem de falar a verdade”). O Almeidinha não teve colegas negros na escola nem na faculdade, mas ele acha que o exemplo de Barbosa e do presidente Barack Obama é prova inequívoca de que o sistema de cotas é uma medida populista. É o que dizia o “meme” que ele espalhou no Facebook com o argumento de que, na escravidão, o tráfico de escravos tinha participação dos africanos. Por isso, quando o assunto encrespa, ele costuma recorrer ao “nada contra, até tenho amigos de cor (é assim que ele fala), mas muitos deles têm preconceitos contra eles mesmos”.
      O Almeidinha costuma repetir também que os pobres é que não se ajudam. Vê o caso da empregada, que achou pouco ganhar vinte reais por dia para lavar suas cuecas e preferiu voltar a estudar. Culpa do Bolsa Família, ele diz, esse instrumento eleitoral que leva todos os nordestinos, descendentes de nordestinos e simpatizantes de nordestinos a votar com medo de perder a boquinha. Em tempo: o filho do Almeidinha tem quase 30 anos e nunca trabalhou. Falta de oportunidade, diz o Almeidinha, só porque o filho não tem pistolão. Vagabundo é outra coisa. Outra cor. Como o pai, o filho do Almeidinha detesta qualquer tipo de bolsa governamental. A bolsa-gasolina que recebe do pai, garante, é outra coisa. Não mexe com recurso público. (O Almeidinha não conta pra ninguém, mas liga todo dia, duas vezes por dia, para o primo de um conhecido instalado na prefeitura para saber se não tem uma boca de assessor para o filho em algum gabinete).
      O filho do Almeidinha também é ativista virtual. Curte PlayStation, as sacadas do Willy Wonka, frases sobre erros de gramática do Enem, frases sobre o frio, sobre o que comer no almoço e sobre as bebedeiras com os moleques no fim de semana (segue a página de oito marcas de cerveja). Compartilha vídeos de propagandas de carro e fotos de mulheres barrigudas e sem dentes na praia. Riu até doer a barriga com a página das barangas. Detesta política – ele não passa um dia sem lembrar a eleição do Tiririca para dizer que só tem palhaço em Brasília. E se sente vingado toda vez que alguém do CQC faz “lero-lero” na frente do Congresso. Acha todos eles uns caras fodásticos (é assim que ele fala). Talvez até mais que o Arnaldo Jabor. Pensa em votar com nariz de palhaço na próxima eleição (pensa em fazer isso até que o voto deixe de ser obrigatório e ele possa aproveitar o domingo no videogame). Até lá, vai seguir destruindo placas e cavaletes que atrapalham suas andanças pela cidade.
      Como o pai, o filho do Almeidinha tem respostas e certezas para tudo. Não viveu na ditadura, mas morre de saudade dos tempos em que as coisas funcionavam. Espera ansioso um plebiscito para introduzir de vez a pena de morte (a única solução para a malandragem) e reduzir a maioridade penal até o dia em que se poderá levar bebês de oito meses para a cadeia. Quer um plebiscito também para acabar com a Marcha das Vadias. O que é bonito, para ele, é para se ver. E se tocar. E ninguém ouve cantada se não provoca (a favorita dele é “hoje não é seu aniversário mas você está de parabéns, sua linda”. Fala isso com os amigos e sai em disparada no carro do pai. O filho do Almeidinha era “O” zoão da turma na facul).
      Pai e filho estão cada vez mais parecidos. O pai já joga Playstation e o menino de 30 anos já fala sobre a decadência dos costumes. Para tudo têm uma sentença: “Ê, Brasil”. Almeidinha pai e Almeidinha filho têm admiração similar ao estilo civilizado de vida europeu. Não passam um dia sem dizer que a vida, deles e da humanidade em geral, seria melhor se o país fosse dividido entre o Brasil do Sul e o Brasil do Norte. Quando esse dia chegar, garantem, o Brasil enfim será o país do presente e não do futuro. Um país à imagem e semelhança de um Almeidinha.
       
       
       
       
       
      Texto escrito pro Carta Capital em 2012 nas épocas das eleições. Continua atual.
    • Dinheiro Tardelli
      By Dinheiro Tardelli
      Mais um triste capítulo da nossa história.
    • Dinheiro Tardelli
      By Dinheiro Tardelli
      Pra mim, é impossível discordar dos argumentos que ele traz. O que acham?
       
    • Aleef
      By Aleef
      Justiça absolve homem por estupro porque vítima estava bêbada no RS
      Marcos Candido,
      Da Universa - 02/08/2019 13h10

      A Justiça absolveu um homem que havia sido condenado a dez anos de prisão por estupro com a alegação de que a vítima estava bêbada quando sofreu a violência. A mulher apresentou um laudo que constatou as lesões causadas pelo suspeito. Apesar disso, para os desembargadores da 5ª Câmara Criminal do Tribunal de Justiça do Rio Grande do Sul, ela havia saído para beber "por conta própria" com os amigos e que não poderia ser considerada vítima do abuso sexual.
      A decisão dos desembargadores considerou que a mulher foi embora sozinha do bar onde estava com amigos na noite da agressão. Levou em conta, inclusive, que o homem fez uma ligação para ela no dia seguinte para 'esclarecer os fatos' e perguntar se ela tinha alguma doença sexualmente transmissível. O caso aconteceu em fevereiro de 2017, em Porto Alegre. O novo entendimento da Justiça, atendendo a um recurso da defesa, foi divulgado no dia 17 de julho de 2019.
      Segundo o boletim de ocorrência, a vítima estava em um bar com os amigos quando chamou um motorista por aplicativo para voltar para casa. O motorista, Fábio Biachi Machado, atendeu ao chamado e teria entrado no apartamento da vítima, onde teria acontecido a agressão. No dia seguinte, ela acordou sem o celular e com hematomas. Segundo a primeira condenação, quando ela procurou pelo aparelho, descobriu que estava com o motorista, que também teria cobrado R$ 50 para fazer a devolução.
      Ainda na primeira condenação, o juiz considerou ser "amplamente comprovado que a vítima estava com sua capacidade de reação anulada, por embriaguez completa, ao ponto de ter que ser conduzida por terceiros (segurança do estabelecimento)". Ela necessitou, segundo o relatório, de ajuda dos amigos para desbloquear o celular, chamar um carro e se deitou no banco traseiro do veículo. "Não era crível, pois, a alegação da defesa de que, durante o deslocamento do local da festa até sua casa, teria recobrado a consciência, ao ponto de manter fluente conversação com o acusado e, assim, teria consentido em manter relações sexuais".
      O suspeito alega, e relatou a testemunhas, que entrou no apartamento e penetrou a vítima de maneira consensual.
      Desta vez, os desembargadores afirmam que não se pode descartar a possibilidade das marcas no corpo da vítima terem sido consensuais, mesmo que com a afirmação de terem sido frutos da agressão. Outro motivo pela absolvição foi o fato de a mulher ter bebido a ponto de lembrar-se "somente de flashes". Um laudo também comprovou vestígios do DNA de Fábio na vagina da vítima.

      O Ministério Público contesta a absolvição e afirma que o tribunal desconsiderou provas, relatos das testemunhas e da própria vítima. Segundo a promotoria, o caso pode ir parar no Superior Tribunal de Justiça ou Supremo Tribunal Federal.
      Fonte: UOL
    • Aleef
      By Aleef
      Podcast Presidente da Semana conta a história de Jair Bolsonaro; ouça
       
      Fatos relevantes
      1º de Novembro de 2018 - Moro aceita convite de Bolsonaro para comandar Ministério da Justiça
      "Sua agenda anti-corrupção, anti-crime organizado, bem como respeito à Constituição e às leis será o nosso norte!", afirmou Bolsonaro.
      22 de Novembro de 2018 - Bolsonaro anuncia Ricardo Velez Rodriguez como ministro da Educação
      "Aceitei a indicação movido unicamente por um motivo: tornar realidade, no terreno do MEC, a proposta de governo externada pelo candidato Jair Bolsonaro, de 'Mais Brasil, menos Brasília'" - Ricardo Velez Rodriguez.
      6 de Dezembro de 2018 - Coaf aponta que ex-motorista de Flávio Bolsonaro movimentou mais de R$ 1,2 milhão em operações suspeitas
      "Fabrício Queiroz trabalhou comigo por mais de dez anos e sempre foi da minha confiança. Nunca soube de algo que desabonasse sua conduta. Em outubro foi exonerado, a pedido, para tratar de sua passagem para a inatividade. Tenho certeza de que ele dará todos os esclarecimentos." - Flávio Bolsonaro.
      8 de Janeiro de 2019 - Filho de Mourão assume assessoria especial da presidência do Banco do Brasil
      "Meu filho, Antônio, ingressou por concurso no BB há 19 anos. Com excelentes serviços, conduta irrepreensível e por absoluta confiança pessoal do Presidente do Banco foi escolhido por ele para sua assessoria. Em governos anteriores, honestidade e competência não eram valorizados." - General Mourão.
      14 de Janeiro de 2019 - Coaf aponta que Flávio Bolsonaro recebeu 48 depósitos suspeitos em 1 mês, no total de R$ 96 mil
      Na reclamação ao STF, Flávio Bolsonaro argumentou que o Ministério Público do Rio se utilizou do Coaf para "criar atalho e se furtar ao controle do poder judiciário, realizando verdadeira burla às regras constitucionais de quebra de sigilo bancário e fiscal"
      18 de Fevereiro de 2019 - Governo anuncia demissão de Bebianno; Floriano Peixoto assume Secretaria-Geral
      "O desleal, coitado, viverá sempre esperando o mundo desabar na sua cabeça" - Gustavo Bebbiano.
      20 de Fevereiro de 2019 - Governo apresenta proposta de Reforma da Previdência para a Câmara
      “A reforma interessa a todo o Brasil, até para o servidor, porque se não reformar vai faltar dinheiro para pagar o servidor lá na frente. É uma maneira que nós temos de mostrar para o mundo lá fora, e para os investidores aqui dentro, que estamos fazendo o dever de casa” - Jair Bolsonaro
      8 de Abril de 2019 - Vélez Rodríguez é demitido e Bolsonaro anuncia novo ministro da Educação
      "Comunico a todos a indicação do Professor Abraham Weintraub ao cargo de Ministro da Educação. Abraham é doutor, professor universitário e possui ampla experiência em gestão e o conhecimento necessário para a pasta. Aproveito para agradecer ao Prof. Velez pelos serviços prestados." - Jair Bolsonaro
      17 de Junho de 2019 - Em novo diálogo vazado, Moro orienta força-tarefa da Lava Jato a contestar na imprensa depoimento de Lula
      "O que eu vejo ali, nas mensagens que foram divulgadas, tem algumas coisas que, eventualmente, eu possa ter dito. Tem algumas coisas que me causam estranheza..." - Sérgio Moro.
×
×
  • Create New...