Jump to content
Jirimias

O sonho proibido - Capítulo 11 : Um jogo para cardíacos

Recommended Posts

Jirimias

R0QaOwY.png

 

Press Hostel - Varsóvia, Polônia

- Boa noite, Timor!

- Hoje não era sua folga, Iguez?

- Sim, mas troquei com o Arid. Ele precisava descansar.

- Nada melhor do que ser novato: descansado, sempre disposto...continue assim! Bom, fique então na ala A, já que você está acostumado a fazê-la.

- Poxa, chefe, deixa eu cuidar da B, do Arid. Ele até me passou a preferência dos hóspedes, e também é bom diversificar um pouco.

- Tudo bem, se você prefere assim. Só fique atento, pois esta ala tem pessoas que tem tratamentos especiais.

- Está falando do Sr. Vaduk.

- Sim, ele é um destes.

- Já estou sabendo. Ele toma o chá das 9 e depois dorme como um anjinho.

- Isso mesmo. Mas tem que bater um papo com ele, pois ele sente só. A vantagem é que normalmente rola uma gorjeta. Aliás já está quase na hora. Confira na cozinha se o chá está pronto.

- Pode deixar.

Minutos depois

A TV no quarto estava num volume bem alto, mas não o suficiente para o velho escritor, Odoz Vaduk. Os 87 anos estavam mais pesados a cada dia, mas aquele dia parecia pior do que todos os outros. Ainda assim havia disposição para sua maior paixão depois dos livros: o futebol húngaro. Longe de sua terra natal, ele acompanhava o noticiário de esportes esboçando nítida alegria.

Citar

 

“Pela primeira vez na temporada, o MTK assume a liderança da segunda divisão após bater o Bekescsaba fora de casa por 1-0. Diante de um pouco menos de 3000 torcedores, o time da capital fez uma das suas partidas mais difíceis do campeonato. Os donos da casa dominaram a partida, porém, faltou pontaria, e isso custou caro. Pacientemente, o MTK rodou a bola e esperou o momento certo para fazer o único gol da partida, num contra-ataque que terminou em um chute rasteiro do volante Borbély.

uH7H_GIjbKVgA82Xt6gBdsUnYmLEIl2tlghUlHwpGGua0p4MXTpikf2w6-ey0ytL0ZpQjeZrGHiugN2DXrIQ0LvtVTFd6G0TpRcxyBBohnTXeBXrvnMASRe7DM_ix2iB6_Cn3jAv

Com a vitória, o MTK chegou a 49 pontos, e mantendo-se invicto após a parada de dois meses. Ao final da partida, Tòth ressaltou a união do grupo em torno do objetivo e a importância da intertemporada neste bom momento: “ Nosso grupo está focado em conseguir o acesso, e queremos que seja em primeiro lugar. Já temos vaga garantida nas quartas de final da Copa, e vamos lutar até o fim pelos dois títulos. Aproveitamos bem a intertemporada, onde testamos outras formas de jogo, o que nos tem capacitado a jogar contra qualquer tipo de adversário.”

2QSFQnd67mRYFJGvXEkEYIcQf8aepxtbWWdbzSosV9pqhUu5iQb_l2gOVUZrsw72tvxHauG-ARB6eA5j2oo-_VDhN3QaEbORuMOS8QN36oEKgmltWvqDQC1K9n6BOY3RTAWazbw3

 

Vaduk suspirou fundo e soltou um “boa,time!”. Em seguida ouviu baterem à porta. levantou-se vagarosamente arrastando os pés. Abriu a porta e deu de cara com um rapaz narigudo e com um sorriso estampado:

- Boa noite! É hora do chá, Sr. Vaduk!

- Maravilha!! Entre, vamos conversar enquanto tomo este chá. 

Iguez sorriu. Já conhecia o hábito do velho de beber chá acompanhado com algum funcionário do hotel. Era comum Vaduk pagar para ter companhia.

Os dois conversavam descontraidamente. Entre uma frase e outra Vaduk bebia seu chá, enquanto Iguez aguardava que terminasse. Terminado o chá, eles continuaram a conversar por alguns minutos, até que Vaduk começou a sentir-se mal. Iguez continuava ali imóvel. Vaduk pedia socorro. Algo estranho estava acontecendo. O teto parecia cair, o chão afundar, tudo rodava, o coração acelerava.

- Faça alguma coisa. Eu estou morrendo!

Iguez ria descontroladamente.

- Você me envenenou...

Iguez ainda gargalhava enquanto o velho se debatia. Levantou-se, encontrou sobre a TV a carteira do homem, retirou o dinheiro que ali estava. Começou a revirar o quarto, buscava algo. Sorriu quando encontrou o que queria: vários cadernos. Antes de sair , observou o velho dando espasmos sobre a cadeira e por fim deixou o quarto já sem o uniforme do hotel. Pegou o elevador e deixou o local sem muitas dificuldades  Já do lado de fora do hotel fez um telefonema.

- Está consumado! 

Dia seguinte

Era manhã ainda quando o telefone do abrigo para idosos tocou. A telefonista entregou o telefone à Florinda, que imediatamente o levou até Zsibó. Segurando um charuto na mão, o velho atendeu:

- Vancik? O que foi? Como isso aconteceu? Meu Deus! Você sabe o que isso significa? Isso mesmo. A temporada de caça está aberta. 

Share this post


Link to post
Share on other sites
DiegoCosta7

Essa História tá muito show. Sensacional, e já chego num momento que rola morte na trama, o que será que está reservado para Átila/Tóth ? E Zsibó, o que pode acontecer com ele ? No aguardo dos próximos capítulos.

Share this post


Link to post
Share on other sites
Jirimias
Agora, DiegoCosta7 disse:

Essa História tá muito show. Sensacional, e já chego num momento que rola morte na trama, o que será que está reservado para Átila/Tóth ? E Zsibó, o que pode acontecer com ele ? No aguardo dos próximos capítulos.

Opa, obrigado! Eh, pelo jeito uma caçada começou, ainda não sabemos quem são as caças, mas temos um caçador. Pelo jeito Zsibó está preocupado. Vlw!

Share this post


Link to post
Share on other sites
marciof89

Então, de repente eu só tenho uma coisa pra dizer: EITA. Não esperava uma morte tão cedo, apesar de que imaginava que ele morreria em algum momento.

Quanto ao time, boa sequência até aqui, apesar de estar só a 2 pontos do segundo lugar. Tem que tomar cuidado, qualquer deslize nesse momento pode ser decisivo.

No mais, boa sorte!

Share this post


Link to post
Share on other sites
Jirimias
1 hora atrás, marciof89 disse:

Então, de repente eu só tenho uma coisa pra dizer: EITA. Não esperava uma morte tão cedo, apesar de que imaginava que ele morreria em algum momento.

Quanto ao time, boa sequência até aqui, apesar de estar só a 2 pontos do segundo lugar. Tem que tomar cuidado, qualquer deslize nesse momento pode ser decisivo.

No mais, boa sorte!

Campeonato está embolado, vai ser troca de posição até o fim.
Pelo que o Zsibó mencionou não deve parar por aí.

Share this post


Link to post
Share on other sites
vinny_dp

Que retorno, Jiri. Está on fire!

O MTK está mostrando sua força e se conseguir manter o ritmo, deve voltar à Primeira Divisão.

Vamos ver o desenrolar dos próximos capítulos.

Boa sorte.

Share this post


Link to post
Share on other sites
felipevalle

Senhores, e aqui está o fragmento do roteiro que desbancou o segredo dos teus olhos.

Share this post


Link to post
Share on other sites
PedroJr14

O time está jogando o dino da bola e parece que não poderá ser freado nessa temporada. Vamos ver ser as minhas previsões se confirmam e você acaba com o título nas mãos.

Boa sorte!

Share this post


Link to post
Share on other sites
Jirimias
Em 13/05/2019 at 18:00, vinny_dp disse:

Que retorno, Jiri. Está on fire!

O MTK está mostrando sua força e se conseguir manter o ritmo, deve voltar à Primeira Divisão.

Vamos ver o desenrolar dos próximos capítulos.

Boa sorte.

Opa! Tmj! Td indica que vem o acesso mas este campeonato está muito equilibrado e temos tido dificuldades em manter a regularidade. 

Tem muita coisa aí pra acontecer, a idéia é manter a ficção viva em boa parte do save. A vontade é entregar a história toda, mas tô aprendendo a segurar os acontecimentos.  

Em 13/05/2019 at 18:15, felipevalle disse:

Senhores, e aqui está o fragmento do roteiro que desbancou o segredo dos teus olhos.

Hahaha gostei. 

6 horas atrás, PedroJr14 disse:

O time está jogando o dino da bola e parece que não poderá ser freado nessa temporada. Vamos ver ser as minhas previsões se confirmam e você acaba com o título nas mãos.

Boa sorte!

Tb espero que se confirmem, mas este equilíbrio: um campeonato de vários líderes inspira cuidados.  O acesso com título seria muito bom. Vlw!

Share this post


Link to post
Share on other sites
Neynaocai

A vitória sobre o Ferencvaros, a utilização do pseudômino e a liderança do MKT tem causado transformações em solo búlgaro.

O coração de Zsibó aguenta tanta emoção? Átila suportará a culpa/responsabilidade por ter girado o moinho do tempo?

Tá demais.

Share this post


Link to post
Share on other sites
DiogoHernandes

Grande vitória no clássico eterno! e o time ainda avançou mais uma fase na copa após este jogo, aos poucos o MTK vai retomando ao seu lugar histórico. 

Disse que ia dar uma pausa na ficção mas a história tem se desenrolado de forma bem fluída, e estou ficando bem curioso com os próximos capítulos.

Share this post


Link to post
Share on other sites
Jirimias
4 horas atrás, DiogoHernandes disse:

Grande vitória no clássico eterno! e o time ainda avançou mais uma fase na copa após este jogo, aos poucos o MTK vai retomando ao seu lugar histórico. 

Disse que ia dar uma pausa na ficção mas a história tem se desenrolado de forma bem fluída, e estou ficando bem curioso com os próximos capítulos.

Sim, aos poucos o time vai recuperando seu espaço, mas é bom lembrar que a diretoria quer promoção com título e isso é um perigo rs.

Na verdade, eu ia pausar aquela sequência de ficção e espalhar a trama aos poucos. Obrigado pelo feedback pq as vezes rola a dúvida em fazer uma história assim cheia de pontas que tem uma hora certa de se encontrar.

9 horas atrás, Neynaocai disse:

A vitória sobre o Ferencvaros, a utilização do pseudômino e a liderança do MKT tem causado transformações em solo búlgaro.

O coração de Zsibó aguenta tanta emoção? Átila suportará a culpa/responsabilidade por ter girado o moinho do tempo?

Tá demais.

Eh, parece que o garoto quer mesmo ganhar espaço. Zsibó precisa aguentar pq tem que ver o MTK campeão húngaro de novo rs. E vc tocou num ponto interessante, pois o Átila realmente moveu a história e as consequências vão do campo até fora dele.

Share this post


Link to post
Share on other sites
Andreh68

Cairá um escritor após o outro? Foi se esconder na Polônia, mas infelizmente não foi longe o suficiente....

Share this post


Link to post
Share on other sites
Jirimias
Em 16/05/2019 at 22:24, Andreh68 disse:

Cairá um escritor após o outro? Foi se esconder na Polônia, mas infelizmente não foi longe o suficiente....

Pode ser, mas este não parece ser o perfil que o assassino está em busca. Não sei se ele fugia, se realmente o fez não foi para longe o suficiente, como vc disse. Acho que ele não esperava por isso.

Share this post


Link to post
Share on other sites
Jirimias

 

pmMTKBy.png

 

Era véspera da partida de volta contra o Vasas, pelas quartas de finais da Taça da Hungria. Tòth estava diante do presidente do MTK e de uma proposta de efetivação no cargo juntamente com uma renovação do contrato com aumento de salário. Tòth lia cuidadosamente a papelada e demonstrava alguma indiferença. Por dentro estava soltando fogos, mas não queria deixar transparecer a euforia e assim pretendia valorizar sua resposta. Lembrou de quando recebia proposta de renovação no Football Manager e resolveu aplicar a mesma estratégia:

- Não.

- Não o quê? Ficou louco, rapaz?

- Não aceito o aumento. Prefiro que faça o repasse do valor à nossa categoria de base.

- Mas isto é impossível! Além de termos hoje uma das melhores estruturas para formar jogadores.

- Minha proposta é esta.

- Não temos como aceitar.

- Não consigo entender. Estou pedindo para reverter este valor em favor de uma melhoria do clube.

- Tem pormenores administrativos que não vem ao caso tratar aqui.

- Ok. Então nós conversamos depois. Talvez até o fim da temporada o clube entenda que é mais barato aceitar meu pedido a ter que gastar com outro treinador.

Levantou-se, virou as costas e deixou o dirigente falando sozinho. Quando fechou a porta e deixou a sala sentiu-se o cara por ter desdenhado da proposta, mas um imbecil com a possibilidade de ser mandado embora. Era tarde para voltar atrás.

5TyXk94.png

 

Horas depois, Estádio do Vasas

O time da casa precisava reverter o placar de 4-2 obtido pelo MTK diante de sua torcida e conseguia quando o relógio marcava 10 minutos da segunda etapa. Os dois gols marcados eram suficientes para garantir a vaga no critério de gol qualificado. Apesar do favoritismo do adversário, o corajoso MTK se arriscava na busca de um gol que mudasse aquilo tudo. Porém, a medida em que o tempo passava, o nervosismo aumentava, enquanto ao adversário não fazia o menor esforço em ampliar o placar.  A torcida já cantava a classificação, quando nos minutos finais, Patrick Vass apareceu na esquerda e recebeu passe de Kanta e fez o gol histórico. 

xmcozq0.png

 A meta da diretoria era chegar às quartas de finais. A expectativa era que a equipe não conseguisse superar os times da Primeira Divisão, mas contrariou os prognósticos ao deixar Ferencváros e Vasas pelo meio do caminho. Agora o degrau anterior à final era o Honvéd, que ocupava a sexta colocação no Campeonato Húngaro. A má fase do adversário dava esperança, apesar de claramente ser um grupo mais qualificado.

09UwLFH.png

Mês seguinte

Às vésperas da partida de ida contra o Honved, Tòth decidiu por poupar jogadores. A decisão dividia muitos, pois o título da segunda divisão seria um consolo para o torcedor que viu seu time ser rebaixado pela segunda vez na história. O fato é que àquela altura, o MTK detinha uma boa vantagem sobre o segundo lugar, e permitia tal manobra. Foi então a vez da torcida ver Àdam Schrammel em ação. Jogador que atuava pelo lado esquerdo é cria da base e sempre esteve à sombra de Lencse, um dos principais jogadores do elenco. A oportunidade de ouro foi bem aproveitada e o jovem além de demonstrar potencial ainda marcou um dos gols contra o Moson.

kQuxKz4.png

O jovem ainda seria o responsável pelo passe para Hrepka abrir o placar fora de casa contra o Csakvari na partida que terminou em 1-1. O empate significava oito jogos sem derrotas, e tal regularidade frente à irregularidade dos adversários fez com que o clube de Budapeste abrisse incríveis 12 pontos de vantagem sobre o segundo colocado faltando cinco jogos para o fim, o que poderia ser o suficiente para conquista do título já na partida seguinte em caso de vitória do MTK.

EiTlQlm.png

O sucesso do MTK levou Tòth ao primeiro programa esportivo da carreira, e consequentemente, a uma exposição nacional. O jovem treinador vivia o céu, mas dentro dele havia combates que ninguém via.

Cemitério da cidade, dias depois

Era um dia de folga para o grupo do MTK, mas para Tòth aquele dia era um dia especial. Acordou bem cedo e seguiu para o cemitério da cidade como fazia a cada 16 de maio de todo ano. Levava flores e fotos. Caminhou entre jazigos até que encontrou aquele que procurava. “Ljane Rodrigues Dusdak”. Colocou flores no alto do túmulo, sentou à beira dele e começou a colocar as fotos sobre a lápide e conversava como se tivesse alguém com ele.

- Mãe, se tivesse aqui teria orgulho de mim, mesmo não sendo o médico que você queria que eu fosse. Eu não nasci para isso. De qualquer forma, acho que só o fato de eu estar indo bem seria o suficiente para arrancar um sorriso do seu rosto. Sinto muito sua falta. É estranho estar rodeado das pessoas e ainda assim sentir-me só. Eu sei que as pessoas se aproximam do personagem que eu me tornei, daquilo que posso oferecê-las e não de quem eu sou.

Respirou fundo e continuou:

- Mãe, eu não sei se te magoou buscando respostas sobre o meu pai, é que apesar dele ter-nos abandonado, ainda seria a única pessoa com o qual eu teria algum vínculo de sangue. Me perdoe. Seria demais pedir que me ajudasse a encontrá-lo?

Silenciou-se. Uma lágrima escapou dos olhos do rapaz que deitou sobre o túmulo. Perdido em seus pensamentos, olhava para o céu como quem esperava uma resposta. Naquele momento começou a chover, forçando o jovem a refugiar-se numa pequena capela próxima. Ali nas primeiras cadeiras um padre juntava algumas mensagens que costumava deixar para aqueles que perdiam os familiares. Ele interrompeu seu trabalho quando viu o jovem rapaz. Olhou para ele de longe. Não sendo o suficiente chegou bem próximo, olhou nos olhos e disse:

- Rapaz, você se parece muito com alguém que eu conheço.

Quando iria perguntar sobre a coincidência, uma mulher entrou apressada pela pequena capela.

- Frei Badu! Venha por favor! Tem um rapaz querendo tirar a própria vida ali na frente do cemitério. Ajude-o.

- Estou indo. Rapaz, aguarde. Eu estou retornando.

Já havia passado cerca de meia hora e nada do religioso retornar. O celular de Tòth tocou e viu que era de um canal de TV confirmando sua presença numa entrevista ainda naquela tarde. Decidiu então que retornaria àquela capela em outro momento.

Quando estava próximo de deixar o local pelo portão principal ouviu gritos, que reconhecer serem da mesma mulher que havia chamado o frei minutos atrás. Preocupado e curioso, Tòth caminhou até uma das alas do cemitério e deparou com a pior cena que havia visto na vida: a mulher desconsolada estava ajoelhada diante do corpo ensanguentado do frei que balançava lentamente numa corda. Notou ainda que uma pedra manchada de sangue foi usada para escrever a seguinte frase no chão:

Existe algum destino que seja mais forte

Do que essas duas quando estão unidas?

Share this post


Link to post
Share on other sites
Andreh68

Apos vencer a 2 liga, passa pelo Honved e chegar a final seria a glória.

Que duas??? 😶

Share this post


Link to post
Share on other sites

Create an account or sign in to comment

You need to be a member in order to leave a comment

Create an account

Sign up for a new account in our community. It's easy!

Register a new account

Sign in

Already have an account? Sign in here.

Sign In Now

  • Similar Content

    • Herr Jones
      By Herr Jones
      Luz, câmera e... Futebol: l'histoire de Damien Devereaux
      CONSIDÉRATIONS INITIALES – entendendo o propósito da história:
      PROFIL DU ENTRTEINEUR – contextualizando o protagonista:
      O personagem escolhido para protagonizar toda a história é um jovem chamado Damien Devereaux. Nascido na cidade de Cannes, em 31 de maio de 1992, mudou-se ainda moço, aos 16 anos, para Paris onde graduou-se em Ciências Sociais pela Sorbonne, buscando enfatizar o aspecto de gestão esportiva. Amante de futebol, simpatizava bastante com as equipes de futebol que eram capazes de revelar grandes nomes para o cenário futebolístico internacional. Cresceu assistindo, e ouvindo de seu pai, sobre uma prática fulminante do futebol francês: o Jeu à la Nantaise, protagonizado pela equipe de Nantes e inspirado no jeito irreverente de se jogar futebol que faz brilhar os olhos de qualquer brasileiro quando assistia à seleção canarinho protagonizar maravilhas com a bola nos pés. Através de seu pai, o jovem Devereaux criou um carinho especial pelo Nantes; porém, por si, passou a acompanhar o Cannes: time de sua cidade e que, na época, estava em franco crescimento chegando a revelar grandes nomes para o futebol, incluindo um dos mais geniais meio-campistas que o jovem teve a oportunidade de acompanhar: Zinédine Zidane.

      Ao longo de sua graduação, Devereaux participou de algumas competições amadoras de futebol atuando pelo Corbeil-Essonnes, das divisões de honra francesas. Ele atuava como meio-campista avançado, mas não considerava a hipótese de se tornar um jogador profissional; preferiu enfatizar sua formação e, assim, dedicou-se bastante aos estudos. Tão logo recebeu seu diploma de graduação, decidiu abandonar o futebol amador para buscar uma vaga no mercado de trabalho. Conseguiu, ainda em 2014, quando se formou, uma vaga como professor em um Liceu particular dando aulas de Sociologia e Filosofia. Sem desistir de seu sonho para atuar no futebol, Devereaux seguiu sua formação adentrando ao mestrado em gestão esportiva e buscou, junto à Fédération Française de Football, a obtenção de sua Licença Nacional C para poder atuar como treinador. Tanto sua licença quanto seu título de mestre só chegaram em 2017.
      Neste meio-tempo, enquanto aguardava sua licença, Devereaux se disponibilizava nas horas vagas para realizar consultorias aos clubes de futebol franceses, principalmente para os clubes semi-profissionais próximos a Paris, mas também prestou seus serviços a alguns clubes mais conhecidos que hoje se estagnaram como, por exemplo, o Racing Club de Lens e Association de Jeunesse Auxerroise.
    • marciof89
      By marciof89
      Já tinha um tempo que eu havia feito a minha pós em futebol e futsal, mas eu não estava com muito saco de sair de casa. Sou filho brasileiro de dois ingleses que vieram pro Brasil a passeio, mas que decidiram ficar por aqui mesmo. Minha família tem vida boa, não tenho do que reclamar, saca? Eles me incentivaram a fazer algo relacionado a esporte e até custearam tudo, já que meu sonho era ser jogador de futebol (porém a total ausência de habilidade com a redonda me fez desistir cedo da ideia e partir pra outro foco). Só que agora depois de formado, eu só penso em desisti dessa ideia maluca de trabalhar...
      (o celular toca, era número desconhecido)

      - Alô?
      - Fala "Mac", como ce tá irmão?
      - Quem tá falando? Eu não to reconhecendo a voz não
      - Que absurdo, não tá lembrado de mim não po? Calmaí, vou te fazer lembrar: Lembra do trote na UFF? Lembra do cara que riu da sua cara por causa do seu nome ridículo, e por isso te pintou de hambúrguer do McDonald's?
      - FAAAAAALA DIGÃO. Era pra eu ter reconhecido essa sua voz de retardado.
      - Primeiramente, vai se f****, beleza? Segundamente, eu tenho uma surpresa pra tu.
      - Lá vem merda.
      - Não, fica calmo, a parada é boa. Tá afim de um trabalho diferenciado?
      - Só de falar em trabalho eu chego a me coçar...
      - Mas tu é um vagabundo mesmo, ein? Todo mundo sabe da tua paixão e do seu sonho de treinar um time de futebol. Tu não fez pós pra dar aula em colégio, né?
      - Ah Rodrigo, a real é que...
      - Real nada meu irmão. A parada é o seguinte: Meu pai é presidente de um clube e tá querendo um técnico pra treinar o time. Não paga muito bem não, mas pô, tu vai poder participar da montagem do elenco, implementar sua filosofia, vai poder fazer o que quiser. Tu vai curtir. Melhor do que essa vida de Football Manager aí que tu vive.
      - Pô... sei não.
      - Confia no Digão que a parada é boa. Não vou aceitar um não como resposta, tu ainda me deve por causa daquela parada lá que rolou em Búzios
      - Tá, não vamos falar de Búzios não. Marca uma reunião com o teu pai e eu prometo que compareço.
      A ideia era promissora mesmo, montar uma equipe do zero, implementar meu estilo de jogo, participar de forma ativa no ambiente de um clube... acho que é o sonho de qualquer técnico, mesmo que seja num time de divisão inferior. Ele só esqueceu de avisar que o time é lá de Rondônia. E eu aqui, crente crente que seria no Rio de Janeiro. Pior: depois que fiz a entrevista com o pai dele, fiquei sem graça de negar. Aonde eu fui amarrar o meu burro?
       

      Eu falei que ia esperar até junho pra começar um novo save aqui na área, mas a real é que eu já tava me coçando pra voltar, ainda mais que eu comprei o FM19. Joguei 2 temporadas com o Vasco e já me habituei com o game. Sendo assim, cá estou eu de volta. Será um save ficcional de carreira, totalmente focado no Brasil, com a intenção de vencer todos os estaduais do Brasil. A ideia surgiu de repente, eu estava lendo uma matéria no Lance e lá falaram do Givanildo de Oliveira, treinador mais raiz desse país. O cara tem 18 estaduais. Daí eu pensei: Hm, e se eu vencesse todos os estaduais do país? Acho que isso me tornaria o rei dos estaduais.
       

      O nome do personagem é Elliot McNamara. Elliot por que eu gosto de um cantor chamado Elliott Smith (mas acho mais fácil escrever só com um T) e McNamara, sobrenome do "pai" da guerra no Vietnã. E por quê um cara também com nacionalidade inglesa? Bom, por que eu acho legal homenagear os caras que trouxeram o esporte que se tornou paixão no nosso país. Ele terá 26 anos e é recém-formado. Sendo assim, status e reputação no mínimo de tudo, basicamente.
       

       
       

      - Conquistar todos os 27 estaduais espalhados pelo Brasil.
      O objetivo é esse, e só esse. Claro que se pintar a possibilidade de vencer outros torneios, eu vou tentar. Mas o foco vai ser sempre esse: Venci um estadual, parto pro próximo estado, contanto claro que isso faça sentido. Pensei em delimitar uma regra de só assumir clubes que nunca foram campeões estaduais, mas isso tornaria o save enorme e completamente irreal já que eu levaria muitos anos pra completar, e a intenção é que o técnico se aposente tal como qualquer técnico de futebol faria na vida real.
      Sendo assim, estabeleci uma pirâmide, que deve ser respeitada para que eu possa sair de um clube para outro. Enquanto eu não terminar os meus objetivos nos estados do 5º nível, eu não posso assumir clubes do 4º nível. A intenção com isso é dar um pouco mais de realidade para as escolhas do técnico. Afinal de contas, não quero pular do Ceilândia para o Flamengo. E claro, só aceitar empregos em times sem técnico ou convites de clubes que sejam do mesmo nível da pirâmide que eu me encontrar, isso claro, se eu já tiver vencido o estadual no clube atual. Decidi começar em Rondônia pois é um dos únicos estaduais do país que não tem segunda divisão no jogo.
      5º nível: Roraima - Amapá - Rondônia - Espírito Santo - Tocantins
      4º nível: Mato Grosso do Sul - Amazonas - Brasília - Piauí - Acre - Sergipe - Paraíba - Maranhão
      3º nível: Rio Grande do Norte - Mato Grosso - Pará - Alagoas - Ceará - Goiás - Bahia - Pernambuco - Paraná
      2º nível: Santa Catarina - Rio Grande do Sul - Minas Gerais
      1º nível: Rio de Janeiro - São Paulo
       

      - Versão do jogo: 2019
      - Database MRT90 Brasil, pois é o que traz a Série D mais realística possível.
      - Ligas sulamericanas ativadas, pra poder dar mais opções nas contratações.
      - Editor desativado, calendário real iniciado em 27/12/2017, sem inclusão de equipe técnica, sem inclusão de jogadores nos clubes. Primeira janela de transferências ativa normalmente
    • thyagocda
      By thyagocda
      SUMÁRIO

      Apresentação
      Sou mais um daqueles apaixonados por FM, mas por conta dos compromissos pessoais, o tempo gasto com o jogo deve ser bem equilibrado. Ano passado criei uma história aqui na PM com o Porto mas acabei interrompendo depois que descobri que eu seria pai, a gravidez passou, meu filho (Thayler) já nasceu com saúde graças a Deus. E agora que as coisas acalmaram vinha planejando o retorno a área.
       
      Estilo de Postagem
      Tentarei seguir um padrão de postagens bimestrais sobre os acontecimentos no jogo. Mas pretendo utilizar as probabilidades de apostas do jogo para gerar interatividade com os leitores entre as postagens. Pelo menos a introdução do save contará com uma "pequena ficção" e ao longo do save tentarei dar prosseguimento.
       
       

      O Desafio Real #1 | A Dany - MAI/17
      Valência - ESP

      Clique aqui para a próxima postagem
    • Bigode.
      By Bigode.
      Olá, pessoal! É chegada a hora de voltar a contar histórias por aqui. Ou melhor: a frequentar a área. Já tenho ensaiado a volta nas últimas semanas (ainda timidamente), mas agora é o momento. Depois de uma saga de muito sucesso, acredito eu, com a Pro Vercelli e o fracasso na tentativa com o Nottm Forest, espero acertar mais uma vez.
      O clube escolhido, levando em conta os acontecimentos do último mês, não poderia ser outro: Sporting Clube Farense. Como alguns sabem, me mudei no ano passado para Portugal e estou residindo em Faro, cidade bem ao sul do país. De fato: hoje completo 5 meses aqui. A data, simbólica, é a ideal para se iniciar a nova trajetória.
      Minha vinda para cá teve como objetivos terminar a faculdade e iniciar minha carreira (ou continuar, sendo que já atuei na área no Brasil) e, pensando em uma ideia de save, o estalo veio: por que não iniciar no FM uma, digamos, "preparação" para o que pode ser minha vida/carreira real?
      Chega de papo, né? Deixo algumas informações iniciais sobre o save e é isso. No mais: um agradecimento gigante e mais do que especial ao @Tsuru, que providenciou esse excelente e maravilhoso banner pra saga.
      Quanto aos OBJETIVOS, decidi não estabelecer nada de início. A ideia é levar o clube da 3ª divisão até a elite portuguesa e elevar o clube a um patamar de altíssimo nível, como consegui fazer com a Pro Vercelli. As boas campanhas (e títulos) são consequência. Obviamente, é claro, quero conquistar tudo o que for possível e desbancar os três grandes. Mas veremos como as coisas correm quanto a isso futuramente. Outro ponto que pode ser considerado é sempre buscar se superiorizar em relação aos grandes rivais.
      | DADOS DO JOGO | 
      Base de Dados: original
      Versão 18.2.2
      - Países Selecionados:
      Europa: Portugal (Campeonato Nacional Prio e superiores), Alemanha (Bundesliga apenas), Espanha (La Liga Santander apenas), França (Ligue 1 apenas), Inglaterra (Sky Bet Championship e superiores) e Itália (Serie B Eurobet e superiores)
      América do Sul: Brasil (Campeonato Brasileiro Série A apenas) - ver apenas
      Tamanho da Base de Dados: Grande
      + Jogadores de clubes do escalão máximo (América do Sul)
      + Jogadores de clubes do escalão máximo (África)
      + Jogadores no país + Jogadores da nacionalidade (Portugal)
      [x] Não Adicionar Equipe Técnica Chave
      [x] Impedir uso do Editor de Jogo
      *** Como pretendo emular um pouco da vida real, decidi não marcar (ao contrário do que faço normalmente) e caixa "Desativar Disfarce de Atributos de Jogadores", deixando o jogo mais real. Isso não significa que contratarei, por exemplo, somente jogadores observados pelos olheiros ou algo do tipo. Terei total liberdade no mercado. Só um pouco mais de dificuldade. ***
      Data de Início do Jogo: Portugal - Fase Inicial de Pré-Época 2017/18 (3/7/2017)
      ---
      É isso aí. Sejam bem-vindos a minha nova saga.
    • arecibo8
      By arecibo8
      O nome da Saga vem de uma teoria do Gramsci da hegemonia cultural. Gramsci é o fundador do Partido Comunista italiano, que foi fundado na região da cidade. O partido hoje está extinto.
      Estava vendo 'Club de cuervos', e lá se fala de um clube, que é a paixão da cidade e que o clube acabou por colocar a cidade no mapa (Não falarei mais sobre a série). Eu escolhi o clube por ser o maior da cidade e por levar o nome da cidade e que com o tempo, creio que podemos ajudar as demais equipes a crescer. Temos outros dois clubes na cidade, mas não disputam as competições nacionais, por isso não vou pensar em como fazer isso agora (até por que o próprio clube está em situação complicada).
      Pela situação ser complicada, não farei ainda planos para um futuro muito distante, mas desejo utilizar a base, que sempre revelou bons jogadores para a seleção italiana.
      O save é do clube, não de uma carreira.
      1° ano 
      - Conhecer a equipe
          Creio que este sempre seja o primeiro passo, no Palmeiras eu conhecia todo o elenco, aqui poucas figuras.
      - Rejuvenescer a equipe
      Temos uma média de idade de 26 anos, algo que considero ok, mas os principais jogadores, sobretudo do meio campo, tem mais de 33 anos. Com isto em vista, esta temporada pode ser a última deles em alto nível (talvez a última da carreira), por isso já colocarei olheiros para observar jogadores desta área de campo sem contrato para a próxima temporada
      -Criar uma filosofia de trabalho
          Além de trabalhar com jovens, quero fazer da posse de bola uma marca registrada da equipe. Ainda não coloquei isto como uma das filosofias para a diretoria, por não saber se será possível fazer isso com os jogadores atuais, e não temos condições financeiras para contratações.
      2° ano
      -Reformular a base
          Temos muitos jogadores sem futuro, e que só consomem os recursos já escassos do clube, prefiro me focar em poucos, mesmo que custe em desempenho nas competições de base. Mas creio que a médio prazo isso será revertido.
      -Comissão técnica renovada
          O que não mudar no primeiro ano (pouquíssima coisa, talvez nada), mudará aqui. Quero que o clube tenha o que pode ter melhor em profissional, na equipe profissional, sub-20 e sub-18.
      -equipe competitiva
          Com a base formada no outro ano, desejo ter uma equipe que brigue para subir, não necessita subir, mas estar na briga vai ser o objetivo.
      -Olheiros
          Com o meio campo não sendo mais urgente, eles procuraram por jogadores jovens para as categorias de base do clube. Mesmo sabendo que isso não é tão efetivo como no Brasil (que um jogador de base tem uma clausula próxima de 1M e o clube acaba por não ter como segurar, creio ser mais viável que comprar jogador pronto), creio que colheremos frutos a médio prazo. Colocarei eles em países periféricos da europa (como Sérvia, Suíça, Suécia, Dinamarca, Polônia), pois devo ter menos concorrência.
      Como tudo pode mudar nesse meio tempo, me reservo a planejar só estes 2 anos
      Principais jogadores
      Mais famoso: Alessandro Diamanti - jogador com passagens em diversas grandes equipes pela europa e pela seleção, veio do Palermo sem custo. Meio que veio para se aposentar.
      Jogador mais antigo do clube: Luca Mazzoni - Desde 2001 clube, vai ficar até se aposentar e depois espero que assuma alguma função no clube.
      Capitão: Andrea Luci - no clube desde 2010, um dos nomes que estão na história do clube.
      Futura estrela: Gabriel Santini - Zagueiro, 17 anos, tem muito a ser lapidado ainda, mas tem tudo para ser um zagueiro bem técnico, mas tem que melhorar o físico para não virar um Rodrigo Caio.
      Primeiros atos
      Mesmo sendo um bom jogador, o salário era muito alto para a equipe, por isso o Niccolò Giannetti teve seu empréstimo rescindido, mesmo que isso impossibilite jogar com dois atacantes.
      Como pretendo jogar com 3 zagueiros e o clube só possui 3 com condições, pretendo contratar para agora outros para ter reservas.
      No resto estamos bem servidos, pelo menos em quantidade.
       
      Estrutura 

       
      Finanças

      Comissão técnica

×