Jump to content
Sign in to follow this  
CCSantos

RFC Liège - Le Matricule 4 - Enfim, estabilidade (20/07)

Recommended Posts

Andreh68
Em 18/05/2019 em 19:25, Andreh68 disse:

com essas regras me perdi, tive que reler para entender!

Indo bem! Vai cair na copa, vencer o segundo turno e conseguir o acesso!

Nostradamus!

Esse elenco ta paracendo a ONU, e tem até 4 belgas!

Share this post


Link to post
Share on other sites
Neynaocai
34 minutos atrás, Andreh68 disse:

Nostradamus!

Esse elenco ta paracendo a ONU, e tem até 4 belgas!

Mudaram a sede pra Liège. Um time que tem como destaque um Nepales (!?!), só pode ser time da ONU. No máximo, vai ficar em empate.

Share this post


Link to post
Share on other sites
CCSantos

wS4iixj.jpg&key=b2ac83cd2ef49ad63df1e095

Em 11/06/2019 em 19:23, Inner Logic disse:

Tô muito curioso pra ver o que vai sair com esse time. Dá pra perceber que tem jogadores interessantes em todas as posições.

Pelo visto a tabela vai oscilar bastante: um jogo fácil, um difícil, um fácil, um difícil,...

Boa sorte para o início da temporada

Compartilho dessa sua curiosidade, meu caro @Inner Logic. Tem variação de bons atletas na equipe, e isso me deixa bastante satisfeiro.

Realmente, vai ser bem isso, um fácil, um difícil, depois uma sequência de jogos fora, depois em casa, etc... Nada muito absurdo.

Valeu pelo comentário e pela participação. Abraço!

6 horas atrás, Andreh68 disse:

Nostradamus!

Esse elenco ta paracendo a ONU, e tem até 4 belgas!

Ah, @Andreh68, é um bom elenco. Fico feliz de ter toda essa variação de atletas de diversos países. hahaha

Abraço e valeu pelo comentário.

5 horas atrás, Neynaocai disse:

Mudaram a sede pra Liège. Um time que tem como destaque um Nepales (!?!), só pode ser time da ONU. No máximo, vai ficar em empate.

A sede da ONU tá muito bem onde está, lá em NYC, caro @Neynaocai hahahahaha

Mas vô te contar: Você encanou no Gharti, né? Ele nem é o destaque mesmo da equipe (é o Mayembo e o De Smet)... tô vendo essa perseguição aí, hein?

Abraço e valeu pelo comentário.

Share this post


Link to post
Share on other sites
CCSantos

CQIXx4H.jpg&key=802ee1b30b5147010d7e24db

E começou!

Vamos com as primeiras seis rodadas, e nossas expectativas para este início de temporada, mas antes, vamos com mais alguns jogadores que chegaram ao clube:

68uC2XM.jpg&key=b30001cdbb7f38304e9b58c1

Chegaram quatro atletas, sendo que dois tem chance de aparecem com frequência no time principal. Vamos aos reforços, que são todos ofensivos.

gohi-bi-cyriac-31-10-2015-charleroi---oo

Comecemos com Cyriac Gohi Bi, meia-atacante marfinense de 29 anos, com diversas passagens por grandes times da Bélgica, como Standard Liège e Anderlecht, além de ter atuado no Fulham. Gohi Bi tem passagem pela seleção marfinense, mas sabe que a concorrência será duríssima.

img_920x518$2016_07_06_14_56_54_1126173.

O segundo reforço tem um nome ao melhor estilo trava-língua: Przemyslaw Macierzynski vem por empréstimo sem custos da Lazio. O atleta de 20 anos, revelado pelo Lechia Gdansk assina até o final da temporada. Macierzynski tem muita explosão, assim como Gohi Bi e tende a ajudar em ambas as pontas. Os laterais que se cuidem!

O terceiro reforço é o ponta-esquerda Leonardo Chão. Dispensado do Vitória de Setúbal, o atleta apareceu como um bom negócio de oportunidade, sobretudo na ponta-esquerda da equipe. Tem contrato longo, é jovem, e tende a aparecer no time titular em breve.

CpSjBz7VIAA8JeC.jpg

Já o último dos reforços chegou com a pompa de vir da base de La Masia. Jang Gyeol-Hee foi dispensado do Barcelona em Julho, e não pediu praticamente nada para quem veio da Espanha. Segue a linha do típico ponta da região dos Tigres Asiáticos: Rápido, imprevisível e com bom trabalho em equipe. Será emprestado ou vai atuar no time sub-21 nesta temporada.

Reforços apresentados, vamos para as partidas inaugurais da temporada.

67Ug7tw.jpg&key=f7dc93c27e0dedeb8053d7c1

Nossa estreia foi contra o Mouscron-Peruwélz jogando fora de casa, e fizemos até um bom jogo, sobretudo na parte defensiva, ainda mais pelo fato deles terem um cara como Fejsal Mulic, de 2m02 no ataque.

No fim, ainda pressionamos bastante, mas a trave e a boa atuação do goleiro cipriota Papacharabolous impediram, mas saímos um bom empate em 0 a 0.

Na segunda rodada, logo na primeira partida como mandante, um desafio: Logo de cara a equipe do Genk, com uma linha de frente perigossíma, liderada pela dupla Etebo e Ocansey.

Após um primeiro tempo travado, Peter Reeve aparece após lindo passe de Tamuzo e faz 1 a 0. Quando já estava começando a ficar satisfeito com a vitória, Etebo empatou, o que não me desanimou, pois conseguimos um excepcional empate por 1 a 1 contra um dos favoritos.

RFtE76x.jpg

Na terceira rodada, o adversário era o Oostende, cuja equipe vinha surpreendendo, pois havia ganhado seus dois primeiros jogos na competição.

Até conseguimos ter um bom ritmo de jogo contra eles na primeira parte, mas tomamos dois gols após os 15 minutos da etapa complementar e tivemos nossa primeira derrota, por 2 a 0.

A quarta rodada reservava um confronto difícil contra o Charleroi, que não havia começado bem a temporada, e quem decidiu a partida foi a bola parada.

Em escanteio de Allée, houve uma confusão na área, e De Smet fez o gol aos 13 minutos. Depois disso, a partida ficou franca, mas com mais domínio terriorial nosso, e graças a isso, conseguimos nossa primeira vitória, dessa vez por 1 a 0.

OXCnhDE.jpg

Na rodada seguinte, a parada seria contra o Lokeren, atuando novamente no Kehrweg, e Gharti Magar começou bem fazendo 1 a 0 logo aos seis minutos, mas eles empataram antes do intervalo.

No segundo tempo, o jogo novamente ficou travado, mas Gharti Magar fez uma bela arrancada para fazer 2 a 1. Pena que, próximo dos acréscimos, sofremos o gol de empate, e ficamos no 2 a 2.

Paa fechar estas seis primeiras rodadas, talvez o jogo mais difícil dessa temporada na Liga: Anderlecht, jogando no Constant Vanden Stock lotado. Se a gente saísse vivo de lá com um pontinho na mala, estaria satisfeito, e quase conseguimos, viu?

Após a pressão no primeiro tempo, meio que o Anderlecht se desesperou no segundo tempo, e tudo dava a crer que terminaria empatado, mas aí Guillermo Celis acerta um 'pombo sem asa' no ângulo de Ladas, sacramentado a justa derrota por 1 a 0. Mas fiquei bastante orgulhoso do empenho da equipe. Esse jogo deixou bem claro uma coisa: Temos condições de incomodar os grandes.

2l9LqcB.jpg

8j0GUyp.jpg&key=89545512c94c64a3b86588c3

SXU6J9g.jpg

A Cofidis Cup foi sorteada, mas o sorteio não foi tão amigo nosso. Vamos pegar o atual líder da Derde Klasse, o Dessel, de Jan Brugelmans (lembra que ele foi destaque da temporada que subimos? Pois é, e ele ainda é protagonista por lá). O jogo acontece dia 25 de Setembro no acanhado Armand Melis Stadion, em Dessel.

Dessel-27.jpg

67Ug7tw.jpg&key=f7dc93c27e0dedeb8053d7c1

RM1mrXU.jpg

eLYo5tC.jpg&key=2ab1aef07d8060ce358fb6f2

Nxuuoob.jpg&key=deb97423a7a04b24e3a02d53

nd5FuK0.jpg

Fazer seis pontos em dezoito possíveis não é um começo ruim, ainda mais que a distância para o lanterna Mouscron-Peruwélz é de cinco pontos.
Nosso campeonato é esse, evitar a lanterna já está de excelente tamanho para a nossa equipe.

5GyioFF.jpg&key=0927cfe6e62dd9e6f71693a6

cImtkxS.jpg

Poucos gols, poucas assistências. O mais próximo de um destaque na parte ofensiva é Macierzynski, que já ajudou com duas assistências.
O grande destaque continua sendo Fernand Mayembo, mas já começa a dividir protagonismo (ainda bem!) com o zagueiro improvisado na lateral direita Ruddy Ebondo, que vai confirmando o motivo por ficar 'secando' ele quase uma temporada inteira.

Um outro detalhe importante é que nossa equipe está entre as cinco que tem maior posse de bola, o que é notável para uma equipe que acabou de subir de divisão.

Vhw39R4.jpg

2KuTv1y.jpg&key=cfafcf1797cb5ce23c689085

tIXgayp.jpg

Ainda vai demorar para sair do 'Inseguro', mas a venda do Jackson nos deu um enorme respiro financeiro para pensar no futuro.

twdHG3k.jpg&key=7f02da5ee140ae7fc150f9f4

qANL45X.jpg

Sequência bem interessante, mesclando jogos fáceis com pedreiras, com destaque para a partida da Cofidis Cup contra o Dessel, a ida a Bruxelas para enfrentar o Club Brugge e, claro que não podemos esquecer dos jogos contra o Eupen, que nos emprestou seu estádio, mas principalmente, o CLÁSSICO DE LIÈGE contra o Standard Liège.

Vai ser legal!

Share this post


Link to post
Share on other sites
Andreh68

Confesso que na Bélgica simpatizo com o Standard.

Bom começo, apesar de poucos jogos e da pequena distancia, me parece que a vaga na metade de cima é pedir muito no momento, o negocio e  esse mesmo, ir metendo pontos de distancia para a lanterna.

Share this post


Link to post
Share on other sites
Neynaocai

Foi realmente bacana a venda de um jogador direto para um gigante inglês. Observando como são as coisas no mercado do futebol, normalmente é preciso de um trampolim, um intermediário, fazendo o clube original perder dinheiro.

No mais, um começo bom é verdade. Olhando jogo a jogo até achei que estaria melhor classificado, considerando que fez frente aos maiores times. Mas, logicamente, empate não joga ninguém pra cima.

De qualquer forma, jogando bem pra cima dos outros times é capaz de fazer um campeonato tranquilo.

Share this post


Link to post
Share on other sites
marciof89

Vai dando mostras de que tem time para não cair. Não deve terminar no grupo de cima, mas deve acabar a temporada sem grandes sustos.

Aliás, gostei das contratações que fez, em geral. Gente pro futuro e para o presente.

A próxima sequência de jogos parece um bom desafio para o clube. E não pode dar mole na copa.

Boa sorte!

Share this post


Link to post
Share on other sites
CCSantos

wS4iixj.jpg&key=b2ac83cd2ef49ad63df1e095

Em 20/06/2019 em 11:38, Andreh68 disse:

Confesso que na Bélgica simpatizo com o Standard.

Bom começo, apesar de poucos jogos e da pequena distancia, me parece que a vaga na metade de cima é pedir muito no momento, o negocio e  esse mesmo, ir metendo pontos de distancia para a lanterna.

O @Andreh68 vai ser sempre do contra aqui, pelo visto. hahahahahaha

Cara, gostei bastante do início, o desempenho condiz com as partidas, e isso já me deixa satisfeito. Nessa temporada, a nossa briga é para evitar o descenso mesmo. Quero manter esse desempenho para ter uma temporada tranquila. Parte de cima? Talvez no futuro...

Abraço e valeu pelo comentário!

Em 21/06/2019 em 10:50, Neynaocai disse:

Foi realmente bacana a venda de um jogador direto para um gigante inglês. Observando como são as coisas no mercado do futebol, normalmente é preciso de um trampolim, um intermediário, fazendo o clube original perder dinheiro.

No mais, um começo bom é verdade. Olhando jogo a jogo até achei que estaria melhor classificado, considerando que fez frente aos maiores times. Mas, logicamente, empate não joga ninguém pra cima.

De qualquer forma, jogando bem pra cima dos outros times é capaz de fazer um campeonato tranquilo.

E um outro detalhe que não joguei ali, mas lembrei a posteriori é de que Jackson não queria renovar e era sua última temporada de vínculo. Traduzindo: Ou vendia agora ou iria perder muito. Fiquei bastante feliz com os R$5M arrematados pelos Reds. A ideia não é nem tanto ser um trampolim, mas se vier esses negócios de oportunidade de lucro a médio prazo (no caso do Jackson, foi curto-médio prazo), é bom aproveitar, @Neynaocai.

Também achei um começo interessante, rapaz. O único resultado que dá pra falar que poderia ser melhor era justamente o da estreia, mas não fiquei tão mal nesse pois o time realmente avançou, buscou a vitória, que não veio por detalhes.

Tomara que consiga fazer uma campanha tranquila, pra solidificar terreno para as próximas temporadas.

Valeu pelo comentário, nobre.
Abraço!

Em 22/06/2019 em 00:16, marciof89 disse:

Vai dando mostras de que tem time para não cair. Não deve terminar no grupo de cima, mas deve acabar a temporada sem grandes sustos.

Aliás, gostei das contratações que fez, em geral. Gente pro futuro e para o presente.

A próxima sequência de jogos parece um bom desafio para o clube. E não pode dar mole na copa.

Boa sorte!

Também vi isso nesse início, @marciof89. Uma equipe bem focada defensivamente, para tentar evitar problemas na temporada.

O trabalho de pesquisa buscando reforços aumenta consideravelmente, pois fica mais difícil encontrar jogadores para agregar no Liège nesse momento, principalmente por imposição das regras da Liga (25 atletas inscritos; menor de 21 não precisa ser inscrito; preciso ter oito com base na Bélgica e desses, seis precisam ser relacionados por jogo). A ideia é solidificar as bases para um futuro melhor para a equipe.

A sequência é bem dura, e esse jogo contra o Dessel, ao contrário do que o pessoal está pensando, está longe de ser fácil. É um time bem chato o Dessel.

Obrigado pelos votos no SdM, e valeu pelo comentário. Abraço, rapaz!

Share this post


Link to post
Share on other sites
CCSantos

CQIXx4H.jpg&key=802ee1b30b5147010d7e24db

LADAS!!!!!!!!

Chegamos a mais uma parte da temporada 2019/20 do Liège. Vamos conferir como foram as rodadas 7 a 12 da Jupiler Pro League e o jogo contra o Dessel, pela Cofidis Cup. Bora!

67Ug7tw.jpg&key=f7dc93c27e0dedeb8053d7c1

Na 7ªrodada, recebemos o time do Westerlo, que na temporada passada, nos venceu por um dominante 3 a 0, num jogo apático de Denzeil Boadu.

Pois bem, dessa vez, o time foi longe de ser apático, e graças a um Fumu Tamuzo disposto a mudar a escrita, com o 1 a 0 aos 11 minutos. Boussaid empatou, mas Tamuzo estava encapetado e fez 2 a 1. Na etapa complementar, Boadu lavou a alma e ampliou o placar aos 9 minutos. O segundo gol de Boussaid serviu apenas para colocar o atleta na seleção da rodada. Uma ótima vitória por 3 a 2 que nos dá tranquilidade.

2D6Hs3k.jpg

O jogo seguinte fora contra o Zulte Varegem, e nossa equipe até saiu na frente com Jordan N'Kololo, onde nós tentávamos aproveitar e jogar na base dos contra-ataques.

Só que dessa vez, a equipe da casa realmente teve poucas chances, mas as aproveitou. Resultado final? Um justo 3 a 1 para o ZV.

Após a derrota para o Zulte, recebemos o bom time do KV Kortrijk, e aí, conseguimos fazer o resultado no primeiro tempo de jogo.

Em excelente partida de Acheampong e Gharti Magar (1 gol e 1 assistência cada um), conseguimos um seguro 2 a 0 que nos dava confiança para seguir para a capital do País.

Havíamos feito jogos duros contra Genk e Anderlecht, daí fomos com confiança contra o Club Brugge atuando na capital, mas...

JulwniU.jpg

É isso. Fomos amplamente dominados. Nenhum chute a gol em 45 minutos. Não dá pra contestar o 3 a 0 aplicado pelo Club Brugge. Próximo jogo: O clássico de Liège.

Sabíamos que seria um jogo bem complicado contra o Standard, devido ao fato de terem uma equipe melhor qualificada, mas nos recuperamos do massacre da rodada passada.

Travamos boa parte da partida, mas aos 20' do segundo tempo, Hugo Ragelli fez 1 a 0 para o lado rico de Liège. A nossa equipe surpreendeu e dominou o jogo após o gol, e recebemos a chance de empatar com N'Kololo, que não desperdiçou. No fim, outro 'pombo sem asa' definiu a partida, novamente contra o Liège: Hugo Ragelli fez aos 42 minutos o gol que garantiu a vitória do Standard. Ficou um gosto meio azedo após esse gol, não achei justo o 2 a 1 sofrido em casa.

Para fechar, o confronto contra o dono do Kehrweg, o Eupen. E soubemos aproveitar bem a partida.

Em jogo imenso de Macierzynski que fez dois gols e a assistência para o gol de Boadu, aplicamos um ótimo 3 a 0, para recuperar a moral das últimas derrotas. Um resultado bem importante, justamente contra uma equipe que vem tentando ficar entre as seis primeiras.

F6UySvT.jpg

8j0GUyp.jpg&key=89545512c94c64a3b86588c3

Eu sabia que a partida contra o Dessel seria bem tenso, mas não esperava tanto assim.
A nossa equipe entrou para o jogo de uma forma insossa, time com sono mesmo.
Tanto que só acordou após tomar uma bola na trave e dois gols, marcados por Ruyssen e Brugelmans.

Joguei a equipe para cima e Acheampong, que vinha revezando entre a ponta-direita e como centroavante (função que estava fazendo nesse jogo) apareceu e diminuiu logo após sofrer o 2 a 0.

Na segunda etapa, o Dessel meio que se abdicou do jogo e não assustava mais, tanto que crescemos bastante na partida. Boadu acertou a trave aos 24 minutos, e o cenário estava parecendo que nossa equipe seria eliminada, mas em ótimo lance de Tamuzo, ele encontra Acheampong que empata o jogo. Continuamos pressionando, mas não saímos do empate, nem nos minutos finais do tempo e nem na prorrogação.

O destino seria decidido nos pênaltis. Logo de cara, Tamuzo perde a primeira cobrança, mas Ladas consegue salvar a segunda cobrança, de Ruyssen. Na quarta cobrança, Acheampong (que foi o MeC) também perde a sua cobrança. Quando tudo parecia perdido, Ladas novamente aparece e pega a cobrança de Verbugh, que fechava a série. Fomos para as alternadas.

Na sétima cobrança, Jota teve tranquilidade para deslocar o goleiro. Tranquilidade essa que faltou para o tão tarimbado Brugelmans, que parou nas mãos do (Deus Grego) Ladas e assim, com uma IMENSA DOSE DRAMÁTICA, o Liège avança para as oitavas de final da Cofidis Cup.

Lz96vgh.jpg

Nosso adversário foi definido, e será outra equipe da Derde Klasse, mas será igualmente uma partida difícil. É o Cercle Brugge, que duas temporadas atrás estava na Jupiler, logo não será jogo fácil.

A partida será no Estadío Jan Breydel, em Bruxelas, no dia 4 de Dezembro.

Bruges_Jan_Breydel_Stadium_1.jpg

Além disso, o chaveamento das quartas de final foi realizado, e enfrentaríamos Zulte Varegem ou Gent, jogando fora de casa. Caso avancemos, será uma parada duríssima. Esse confronto vai acontecer na metade de Dezembro, dias após a partida das oitavas de final.

A surpresa aí é a ausência do Anderlecht, que foi eliminado pelo Lierse.

xYM8y7G.jpg

67Ug7tw.jpg&key=f7dc93c27e0dedeb8053d7c1

uN0V3zR.jpg

eLYo5tC.jpg&key=2ab1aef07d8060ce358fb6f2

Nxuuoob.jpg&key=deb97423a7a04b24e3a02d53

ehj0gjh.jpg

Estamos conseguindo ter um início de temporada bem tranquilo, muito por conta do péssimo momento de Mechelen e Mouscron-Péruwelz, que devem lutar para evitar o descenso.

O equilibrio está tão grande na parte média da tabela que a distância do Standard Liège, 5º para o 12º, KV Kortrijk é de somente quatro pontos. Fico feliz da equipe ficar nesse bolo. Vai que tenhamos sorte de pegar uma das vagas para disputar o título, não?

5GyioFF.jpg&key=0927cfe6e62dd9e6f71693a6

sGdzGgg.jpg

O destaque desse período foi Acheampong, que vem cumprindo extamente com o que esperava dele. Os dois gols contra o Dessel (mesmo tendo perdido sua cobrança nos penais), e a ótima série de partidas credenciam a ser destaque na temporada, ao lado de Macierzynski, Mayembo, De Smet e Ladas.

2KuTv1y.jpg&key=cfafcf1797cb5ce23c689085

xUe1i0z.jpg

Tranquilidade financeira garantida, ao menos para esta temporada.
Se bem que quero ver como será o panorama quando retornarmos ao Rocourt, em Março.

twdHG3k.jpg&key=7f02da5ee140ae7fc150f9f4

8iX1Rgp.jpg

Uma sequência em que há uma oportunidade de embalar.
Enfrentar dois times da parte baixa, como Waasland Beveren e Mechelen é uma boa oportunidade para se espantar de vez a expectativa de queda.
Teremos jogos bem duros contra Gent e Genk, é bem da verdade, mas teremos também o lanterna Mouscron-Peruwelz e o Charleroi, na rodada seguinte ao Natal.
Fora que essa tabela pode dar uma bagunçada, caso ganhemos do Cercle Brugge, pois as quartas de final da Cofidis Cup acontece justamente em Dezembro.
Dezembro é o mês decisivo para as pretensões do time na temporada.
A ver o que vai acontecer.

Share this post


Link to post
Share on other sites
Johann Duwe

Foi um período em que as derrotas era esperadas, porém acredito que poderia ter conseguido o empate jogando em casa contra o Standard. Na classificação vem sossegado, e na próxima sequência de resultados pode conseguir ao menos outros 10 pontos.

Na Cofidis Cup vai ter que jogar muita bola para passar de fase.

Share this post


Link to post
Share on other sites
Lanko

Nossa senhora, cada divisão tem uma regra nova! Se entendi direito, quer dizer que o 4th colocado depois vai jogar um playoff e se bobear pode acabar caindo pra segundona no lugar de um 14th colocado da vida? Nossa.

Não quero nem ver como vai ficar isso se por acaso a liga ganhar reputação e ganhar mais vagadas de UEL.

No mais, excelente campanha, indo já pra primeira divisão belga em pouquíssimo tempo. Agora se mantendo por pelo menos umas duas temporadas já deve dar pra começar a ter recursos pra ir pra parte de cima.

Share this post


Link to post
Share on other sites
Neynaocai

Você disse que eu to gamado no Magar, mas ele continua artilheiro...

Share this post


Link to post
Share on other sites
CCSantos

wS4iixj.jpg&key=b2ac83cd2ef49ad63df1e095

Em 01/07/2019 em 13:19, Johann Duwe disse:

Foi um período em que as derrotas era esperadas, porém acredito que poderia ter conseguido o empate jogando em casa contra o Standard. Na classificação vem sossegado, e na próxima sequência de resultados pode conseguir ao menos outros 10 pontos.

Na Cofidis Cup vai ter que jogar muita bola para passar de fase.

Sim, concordo contigo @Johann Duwe, eram derrotas previsíveis mesmo. O único lamento realmente foi a derrota para o Standard, pois vacilamos no finalzinho. No mais, tudo normal por aqui.

Em relação a Cofidis Cup, vai ser bem complicado o Cercle Brugge, e se passarmos, teremos dificuldades, pois nosso jogo não fluiu nem contra o Zulte, mas principalmente, contra o Gent. Desafio bem grande, diga-se.

Valeu pelo comentário. Abraço!

16 horas atrás, Lanko disse:

Nossa senhora, cada divisão tem uma regra nova! Se entendi direito, quer dizer que o 4th colocado depois vai jogar um playoff e se bobear pode acabar caindo pra segundona no lugar de um 14th colocado da vida? Nossa.

Não quero nem ver como vai ficar isso se por acaso a liga ganhar reputação e ganhar mais vagadas de UEL.

No mais, excelente campanha, indo já pra primeira divisão belga em pouquíssimo tempo. Agora se mantendo por pelo menos umas duas temporadas já deve dar pra começar a ter recursos pra ir pra parte de cima.

Olá @Lanko, seja bem-vindo aqui ao save! Em relação a regra de playoff é em relação a uma vaga para a Europa League, não tem nada de descenso não. Vou explicar aqui: Os seis primeiros após 30 rodadas, disputam o título, enquanto do 7º ao 15º, mais os 2º, 3º e 4º colocados da Proximus League (que só completam a lista, pois não podem subir de divisão, pois a disputa já está decidida) disputam uma fase de playoff que vale a vaga para a Europa League. São dois grupos de seis, e os campeões desses grupos se enfrentam em jogo único, na casa da equipe que teve melhor campanha na elite.

Quem vencer, enfrenta o 5º colocado do pessoal que estava disputando o título, em jogo único, na casa dele, valendo a vaga para a Europa League. O time rebaixado já é definido após as 30 rodadas. Espero que tenha explicado sobre, mas se houver dúvidas, tudo bem. Pode deixar que explico aqui. Já me adaptei ao formato. É interessante, pois dá chance para todas as equipes.

Sobre a distribuição de vagas, ela já é bem grande, com duas vagas para a UCL, mais duas para a UEL, fora a vaga da Cofidis Cup.

Em relação as campanhas, tivemos muito sucesso nas duas últimas temporadas, e espero que consigamos manter esse crescimento a partir desta temporada na elite. Tomara que consiga bater de frente com o pessoal da parte alta da tabela.

Abraço, e muito obrigado pelo comentário.

2 horas atrás, Neynaocai disse:

Você disse que eu to gamado no Magar, mas ele continua artilheiro...

Ele teve um começo bem mais ou menos, tem passado por destaque pontual, mas vamos ver o que a temporada nos espera, @Neynaocai.

Abraço e obrigado pelo comentário.

Share this post


Link to post
Share on other sites
CCSantos

CQIXx4H.jpg&key=802ee1b30b5147010d7e24db

Dezembro meio azedo

Vamos a mais uma atualização, essa mais direcionada para o mês de Dezembro, onde tivemos diversas partidas, e a maioria, decisivas. Mas antes, vamos a um único reforço que chegou nesse mês.

68uC2XM.jpg&key=b30001cdbb7f38304e9b58c1

B9716607972Z.1_20180813144735_000+G20BRL

Trata-se do ponta congolês Bryan Ntambani, de 20 anos. O atleta tem bons atributos de finta e cruzamento, mas não entra na equipe nesse instante. Deve ser emprestado para outra equipe do futebol belga. Ele passou, por exemplo pelo (agora falido) Mons.

Vamos as partidas deste maluco mês de Dezembro.

67Ug7tw.jpg&key=f7dc93c27e0dedeb8053d7c1

Vale dar um destaque que, antes dessa sequência, que era uma data-FIFA, nosso meia-atacante Fumu Tamuzo se lesionou por três meses. Logo, teríamos um desfalque enorme na parte ofensiva da equipe, e isso refletiu de certa forma nos resultados da equipe.

Comecemos com um jogo em casa, contra a equipe do Waasland-Beveren, em uma partida um tanto quanto faltosa demais.

O time deles tem valores interessantes, como Schwartz e Larsen, e, por conta disso, acabamos ficando em um desapontador empate por 0 a 0, jogando no Kehrweg.

pYfOTPO.jpg

A partida seguinte seria fora de casa, porém contra um dos times que lutariam para não cair: O Mechelen.

O gol de Adam Sarota bem no início da partida nos deu tranquilidade para dominar a partida e, principalmente, não sofrer com a pressão/início de desespero de uma equipe que irá lutar para não ser rebaixada. Placar tímido, mas bem importante por 1 a 0, jogando em Malines.

GDJKvs0.jpg

Na sequência, viria o Gent, time da parte alta da tabela, jogando no Kerhweg, e aconteceu o que já estava esperando: Um domínio do time visitante.

Eles saíram na frente com Barazite, nossa equipe ainda empatou com um gol contra do zagueiro Gershon, mas Gigot garantiu o bom resultado dos índios: 2 a 1.

Começando o returno, nosso adversário seria o Mouscron-Peruwelz, jogando novamente em 'casa', onde, dessa vez, nos desapontamos.

A equipe não conseguiu exercer a pressão e a posse de bola tão características do Liège, e sofremos para segurar o 0 a 0 contra o Mouscron. Empate importante pela pontuação, mas preocupante pela atuação.

Próximos ao Natal, enfrentamos o Genk fora de casa, e obviamente fomos atropelados, principalmente por um Eric Ocansey raivoso.

Foram três gols do atacante destaque da equipe, e, se forem ver o print, verão uma outra dura notícia. De Smet também saiu lesionado, o que causou críticas por parte da imprensa, e minhas. Essa notícia fez com que o 3 a 0 ficasse ainda mais duro de se aceitar.

13BIhZd.jpg

Para completar esse período complicado, jogamos contra o Charleroi, novamente distante de casa.

Selak fez um golaço de fora da área e a partir daí, foi pressão da equipe da casa, que empatou no início da etapa complementar, com Diandy. Novo empate, dessa vez por 1 a 1, e já eram três partidas sem vitória na competição.

8j0GUyp.jpg&key=89545512c94c64a3b86588c3

Após o sufoco contra o Dessel, enfrentamos o Cercle Brugge sabendo que seria igual - ou até mesmo, mais difícil - do que a partida da fase anterior.

Mesmo com o favoritismo, nossa equipe precisaria de algo mais para não sofrer da mesma forma que sofremos contra o Dessel.

Na primeira etapa, dominamos as ações,mas paramos nas boas defesas do goleiro Moris, que vinha sendo o herói da equipe.

Ao mesmo tempo, tinhamos cuidado redobrado, sobretudo com três atletas que haviam sido emprestados da Juventus. No segundo tempo, promovi alterações, colocando Mboko na ponta-direita no lugar de Reeve - que vinha em péssimo momento - e direcionando Acheampong para a função de centroavante. Em jogada de Mboko, Macierzynski fez 1 a 0 aos 20 minutos, só não esperávamos tomar o empate quase na sequência, com Bertrand.

Novamente a partida ficou tensa, mas as mudanças no intervalo decidiram o rumo do jogo, com Mboko fazendo 2 a 1 aos 34 minutos, em lance de oportunismo, e com Acheampong sacramentando a vaga, com mais uma assistência de Macierzysnki, já aos 44.

Quem vê as estatísticas acha que foi fácil, mas sabíamos que nossa equipe deveria melhorar. Foi digamos, um 3 a 1 enganoso.

v5uWBqX.jpg

Nosso rival nas quartas de final seria o duro time do Gent, atuando na Ghelamco Arena. Já me dava por satisfeito de chegar as quartas, mas queria complicar a vida dos índios e, por não, sonhar com uma semifinal em uma Cofidis Cup das mais imprevisíveis da história.

A primeira etapa foi travada, do jeito que nós queríamos. Conseguíamos travar sobretudo Barazite, que é o principal organizador da equipe.

Na segunda etapa, soltei mais a equipe, e passamos a ter chances de gol. Ao mesmo tempo que Ladas trabalhava bem, do outro lado havia um monstro de 2,01m chamado Lovre Kalinic, que salvou a equipe nas finalizações de Acheampong e Boadu, essa segunda, da marca do pênalti.

Acabamos empatados por 0 a 0 no tempo normal, e na prorrogação também, sendo que o Liège simplesmente morreu nos últimos 15 minutos, mas conseguimos segurar o âmbito da equipe da casa. Daí vieram os penais.

Na decisão, Ladas ainda defendeu um pênalti de Macek, mas Kalinic foi um gigante e defendeu três cobranças, de Boadu, De Smet e Sarota, sendo que apenas o garoto Jota acertou.

No fim, ficou um gosto um tanto quanto amargo, pois tivemos até mais chances do que um Gent que assustou menos do que esperava, mas estava com um goleiro em dia de glória. O que machuca mais é ter visto que o Gent irá enfrentar o Sint-Truidense (da Proximus League) na semifinal. A outra semi será entre Eupen e Mechelen.

Tenho quase convicção que, se tivesse levado esse confronto, fatalmente iríamos para a final. Resta só o lamento e a decepção do quase.

N8p6ZB0.jpg

67Ug7tw.jpg&key=f7dc93c27e0dedeb8053d7c1

zLS5dqW.jpg

eLYo5tC.jpg&key=2ab1aef07d8060ce358fb6f2

Nxuuoob.jpg&key=deb97423a7a04b24e3a02d53

jQIs2vO.jpg

Foi uma sequência ruim de partidas neste mês de Dezembro, mas estamos ainda na meiúca, com dez de frente para o Mouscron-Peruwelz. Prefiro não cravar a permanência, mas que falta pouco para isso, isso é notório.

Só que devemos melhorar nosso futebol acima de tudo.

5GyioFF.jpg&key=0927cfe6e62dd9e6f71693a6

EiWvco3.jpg

Período para se esquecer.
Não dá pra selecionar um único atleta que tenha sido destaque durante o período.
E a cada partida que passa, mais tenho a certeza do quanto vendi bem o Jackson, que realmente, não vem jogando nada bem. Ebondo até vem melhorando, mas é o australiano que está entregando.

2KuTv1y.jpg&key=cfafcf1797cb5ce23c689085

RjG40Xx.jpg

As finanças estão caindo, como era de se esperar.
Agora a expectativa é conferir como vão ficar lá no fim da temporada, com premiações e tudo.

O consolo foi que terminei a Licença Nacional B, e já solicitei a entrada da Licença Nacional A.
5PqHxPT.jpg

Segue o perfil do treinador neste momento:
BBfY4iL.jpg

Além disso, houve a procura dos dirigentes do Cambuur, equipe que disputa a Eredvisie, e está na 14ªcolocação neste momento.
xMBMzWJ.jpg

twdHG3k.jpg&key=7f02da5ee140ae7fc150f9f4

mnWIzAQ.jpg

Antes do recesso de Janeiro, nós ainda vamos enfrentar o Lokeren, para terminar o ano de 2019.
Como preparação, vamsos enfrentar simplesmente o líder da Eredvisie, o surpreendente time do Vitesse, no Kehrweg.
Quando voltarmos, teremos duras missões contra três times da parte alta da tabela: Oostende, Anderlecht e Zulte Varegem, com todos os jogos em casa.
Westerlo e KV Kortijk fecham estes seis jogos, em partidas longe de Eupen.
É a típica sequência que, se conseguirmos sete pontos, já ficarei muito feliz com o desempenho do time.

Share this post


Link to post
Share on other sites
Lanko

Eita, é o Vitesse do LC? 🤣

No mais, parece que é muito improvável que seja rebaixado com 10 pontos de diferença e 18 em disputa.

Mas ainda tem todo aquele lance de playoffs de rebaixamento também né? Então pode acabar caindo ainda. Negócio é usar mesmo esses últimos 6 jogos pra tentar ajustar as coisas pro playoff final.

Share this post


Link to post
Share on other sites
Neynaocai
Em 03/07/2019 em 11:42, CCSantos disse:

Tenho quase convicção que, se tivesse levado esse confronto, fatalmente iríamos para a final. Resta só o lamento e a decepção do quase.

Realmente, todas as condições para um anticlímax. Até porque acho que dá pra dizer que o título estava a uma mão, diante dos adversários.

Agora, errar três pênaltis? Coisa de Elano e Cia.

Quantos caem? Porque se forem três a situação não está mais tão tranquila.

Share this post


Link to post
Share on other sites
CCSantos

wS4iixj.jpg&key=b2ac83cd2ef49ad63df1e095

Em 04/07/2019 em 15:34, Lanko disse:

Eita, é o Vitesse do LC? 🤣

No mais, parece que é muito improvável que seja rebaixado com 10 pontos de diferença e 18 em disputa.

Mas ainda tem todo aquele lance de playoffs de rebaixamento também né? Então pode acabar caindo ainda. Negócio é usar mesmo esses últimos 6 jogos pra tentar ajustar as coisas pro playoff final.

Olá @Lanko!

Não sei se notou, mas a Liga é de 30 rodadas, logo estão faltando não 18 (6 jogos), mas 36 pontos (12 jogos) em disputa. Olha direito, rapaz hahahaha

Aqui não tem negócio de playoff de rebaixamento. Ficou em último após os 30 jogos, cai.

Abraço.

Em 05/07/2019 em 13:03, Neynaocai disse:

Realmente, todas as condições para um anticlímax. Até porque acho que dá pra dizer que o título estava a uma mão, diante dos adversários.

Agora, errar três pênaltis? Coisa de Elano e Cia.

Quantos caem? Porque se forem três a situação não está mais tão tranquila.

Só cai o último colocado, @Neynaocai. Olha direito, rapaz... hahahaha

Paciência em relação ao jogo contra o Gent, que jogamos bem, mas perdemos.

Abraço.

Share this post


Link to post
Share on other sites
marciof89

Você é sempre muito cauteloso com as possibilidades do time (e eu entendo), mas vamos convir: Você não cai mais. hahaha

Porém precisa realmente melhorar o desempenho do time. Perder jogos que joga melhor que o adversário é sempre sinal de que algo muito errado não está dando certo. Você tá jogando com o 4-1-4-1 ou um 4-2-3-1? (ou algum outro hauhahahau)

Meu palpite para os próximos jogos: Faz 10 pontos.

Boa sorte!

Share this post


Link to post
Share on other sites
Andreh68

Se cair e pra pedir o chapéu mesmo.

Mantem uma assembleia da ONU no elenco, apesar da queda da importância, é louvável ver o nepalês ainda jogando nesse nível.

Share this post


Link to post
Share on other sites
CCSantos

wS4iixj.jpg&key=b2ac83cd2ef49ad63df1e095

Em 08/07/2019 em 23:42, marciof89 disse:

Você é sempre muito cauteloso com as possibilidades do time (e eu entendo), mas vamos convir: Você não cai mais. hahaha

Porém precisa realmente melhorar o desempenho do time. Perder jogos que joga melhor que o adversário é sempre sinal de que algo muito errado não está dando certo. Você tá jogando com o 4-1-4-1 ou um 4-2-3-1? (ou algum outro hauhahahau)

Meu palpite para os próximos jogos: Faz 10 pontos.

Boa sorte!

Melhor manter esse discurso cauteloso mesmo, mas eu mesmo já sei que, provavelmente estou livre do descenso , @marciof89.

Realmente preciso adaptar esse esquema, e é uma coisa mais de ajustes mesmo. Estou revezando nos dois estilos de 4-2-3-1, com 2 DM e 2 MCs. Já cheguei a usar um esquema assimétrico, mas parece que o time não rendeu, quando fiz isso.

Na próxima att, vamos ver se acertou ou não.

Abraço e valeu pelo recado.

19 horas atrás, Andreh68 disse:

Se cair e pra pedir o chapéu mesmo.

Mantem uma assembleia da ONU no elenco, apesar da queda da importância, é louvável ver o nepalês ainda jogando nesse nível.

hahahaha Isso é verdade, @Andreh68.

Acho que todos ali ganharam uma considerável importância, mas fico feliz do Gharti Magar manter essa importância dentro do elenco. Isso é importante por demais.

Abraço e valeu pelo comentário.

Share this post


Link to post
Share on other sites
CCSantos

spacer.png

Enfim, estabilidade

Chegamos a mais uma atualização do RFC Liège, dessa vez com mais uma parte da temporada 2019-20. Antes de mostrar os jogos, vamos destacar alguns jogadores que chegaram nessa janela de inverno. Vamos a eles:

spacer.png

Foram três atletas, todos dispensados de equipes francesas e holandesas. Foi um goleiro, um jogador para o setor defensivo, e outo para o setor ofensivo. Vamos a eles:

spacer.png

Comecemos pelo goleiro lituano Edvinas Gertmonas. O goleiro de 23 anos de idade e 5 jogos pela seleção de seu país havia sido dispensado pelo Rennes, e aceitou por uma quantia irrisória. Ele chega para disputar posição com Kacou e Ladas. Tendência é que Matheus saia do clube no fim da temporada.

spacer.png

No setor defensivo, a chegada era de um atleta que já estava acompanhando há um bom tempo: Trata-se do neo-zelandês Bill Tuiloma. O jogador de 24 anos é presença constante dos All Whites e fora dispensado pelo Olympique de Marseille. Pesa a seu favor o fato de trabalhar em todos os setores defensivos da equipe, com uma certa eficiência.

spacer.png

O último dos atletas é o meia-atacante sueco Ramon Pascal Lundqvist. Cria da base do PSV Eindhoven, Lundqvist tem uma larga passagem pela seleção de base sueca, e chega com a mesma premissa de Tuiloma: Atuar em praticamente todos os segmentos, só que, no caso do sueco, no âmbito ofensivo. Pode se tornar importante por conta de atributos como o Sem Bola e a Agilidade.

Reforços devidamente apresentados, vamos para as partidas.

spacer.png

Nossa sequência começa ainda no finalzinho de 2019, quando enfrentamos o Lokeren, fora de casa, tentando nos reencontrar na temporada, pois a sequência já era bem ruim.

Timothy Weah abriu o marcador para a equipe, mas o Lokeren, que vinha com treinador novo, por conta da situação na tabela, conseguiu o empate por 1 a 1 atuando em casa. Para nós, até foi uma forma bem razoável de ir para a inter-temporada de Inverno.

Nesse meio-tempo, fizemos um amistoso contra o - até aquele momento - líder da Eredvisie, o Vitesse, onde fomos dominados pela maior qualidade do rival, e o resultado ficou nítido no 2 a 0, com gols feitos no 1ºtempo. O consolo foi que 'empatamos' o 2ºtempo, o que entendia que era uma questão mais de ajustes do que por qualidade de elenco.

Nosso retorno para a Jupiler League foi em grande estilo, enfrentando um rival complicado como o Oostende, no Kerhweg.

Conseguimos domar o ímpeto do time deles, que estava entre os primeiros da competição, e com gols de N'Kololo e Macierzynski, e quebramos a sina de 5 partidas em vencer na Jupiler League: 2 a 0, e jogando bem, o que era louvável.

O que seria pior para nossa equipe? Claro! Pegar o líder da temporada!

Foi esse atropelo aqui:

spacer.png

Fomos até bem defensivamente, mas nosso ataque inexistiu, e os gols de Thern e Lammers garantiram mais uma grande vitória do Anderlecht, dessa vez por 2 a 0, que vai disparando para conseguir uma pontuação bem alta nessa primeira parte da competição (lembrando que, após as 30 rodadas, os seis primeiros jogam entre si duas vezes, e a pontuação é dividida por 2).

Sem muito tempo para relaxar, por conta do calendário, fomos até Westerlo, enfrentar a equipe da casa, e que estava buscando uma escalada para o G6.

Outra vez, fomos engolidos pelo adversário, mas conseguimos sair com três pontos valiosíssimos com a vitória por 1 a 0, graças a Acheampong, nosso sistema defensivo, mas principalmente, a trave, que negou sorte ao Westerlo por duas vezes, em meio a um temporal. Ainda bem.

spacer.png

Dá pra se dizer que a superação do jogo de quarta nos detonou para a partida de sexta, em Eupen, contra o Zulte-Waregem, que estava buscando se firmar lá no G6. Era um jogo vital para o Liège, pois uma vitória nos colocava em um impensável bolo de equipes que ambicionam o G6, algo impensável para um time que acabou de subir duas divisões em duas temporadas.

Mas, dessa vez, não houve superação que nos colocasse no jogo e, mesmo com o gol "sai agouro" de Peter Reeve, não conseguiu fazer com que valesse o fator casa e perdemos por 2 a 1.

Para fechar, outro jogo fora, dessa vez contra o KV Kortrijk, que luta para não lutar por nada nas rodadas finais. Infelizmente pra eles, a nossa equipe não estava muito afim de ajudá-los.

Aproveitamos um rival que abusou das jogadas mais fortes, e que cometeu pênalti em Leonardo Chão - que tanto apanhou que saiu lesionado no segundo tempo - e que N'Kololo fez o gol que nos deu a plena calma de sabe que, matematicamente, estávamos na Jupiler League na próxima temporada. Além disso, demonstramos muita força coletiva, e isso ficou bem claro na forma que fizemos o placar de 1 a 0.

spacer.png

spacer.png

spacer.png

spacer.png

spacer.png

spacer.png

Pronto!

Estamos salvos. 17 pontos em vantagem com 18 pontos a disputar.
Agora o foco é terminar bem esses 30 jogos.

spacer.png

spacer.png

Peter Reeve acabou ficando de fora da lista, mas ele volta na próxima Att - foi por vacilo do autor.
Após um difícil período, sem Mayembo e Fumu Tamuzo que estavam ambos lesionados, eles retornaram a equipe, e a qualidade subiu.
N'Kololo, enfim, acordou na temporada, com dois gols e uma assistência no período, o que é bem importante.
Defensivamente, o destaque foi Ebondo que, na ausência de Mayembo, deu igual segurança ao setor, tanto que deve ter seu empréstimo prorrogado pelo clube.

Um dado bem importante é que mantivemos o status de manter a posse de bola, e somos o 3º nesse quesito.

spacer.png

spacer.png

Uma queda considerável nas finanças, mas o alívio virá com as prováveis premiações e futuros patrocínios ao clube, que estão ainda nos moldes da Derde Klasse, para se ter ideia.

Além disso, começou a procura de outras equipes por meus trabalhos.

Foram essas equipes:
Gazélec Ajaccio (Ligue 2)
Lokeren (Jupiler League)
Twente (Eredvisie)
Chaves (Liga NOS)

spacer.png

spacer.png

Com a permanência na Jupiler League assegurada, a meta é pontuar ao máximo, para chegar bem na fase  qualificatória para a Europa League.
Serão jogos interessantes, como pegar o Club Brugge e o Gent, além do clássico de Liège.
Seis jogos para afinar o time para o retorno ao Rocourt, que está previsto para Abril.

Share this post


Link to post
Share on other sites

Join the conversation

You can post now and register later. If you have an account, sign in now to post with your account.

Guest
Reply to this topic...

×   Pasted as rich text.   Paste as plain text instead

  Only 75 emoji are allowed.

×   Your link has been automatically embedded.   Display as a link instead

×   Your previous content has been restored.   Clear editor

×   You cannot paste images directly. Upload or insert images from URL.

Sign in to follow this  

  • Similar Content

    • Tsuru
      By Tsuru
      Os celtas eram um conjunto de povos que ocupava grande parte do território da Europa por volta de 1.000 a.C., indo desde a atual Grã-Bretanha até o local onde hoje é a Turquia. Há muitas teorias sobre a origem e a expansão desses povos, mas é um período tão antigo que as raízes se perdem no tempo. É inclusive dessa época que surge a lenda do Rei Arthur, que teria liderado a resistência dos bretões celtas contra os romanos.
      Outro detalhe interessante é que, na cultura celta, "Brasil" era uma ilha mística situada em algum local do oceano, e a própria origem desse nome é céltica. Há quem acredite que os povos antigos já conheciam a origem do Brasil e que foram eles que introduziram, na cultura popular europeia, a informação de que existiam terras além mar cheias de riquezas e animais exóticos. Esse detalhe eu não sabia e quem compartilhou a informação foi o @Inner Logic.
      Entre outras coisas que se sabe concretamente, é notório que os celtas veneravam a natureza e que, entre seus pares, existiam os druidas, pessoas encarregadas das tarefas de aconselhamento, ensino, orientações filosóficas e jurídicas, e rituais religiosos. 
      Entre os druidas famosos, reais ou imaginários, estão o lendário Merlin e o Panoramix, que preparava a poção mágica do Asterix. E essa figura do druida sempre fascinou este que vos fala, o que levou a pesquisar mais sobre a cultura em questão e sobre sua história.
      Descobri, inclusive, que hoje existem seis nações apontadas como “célticas originais”, por manterem traços culturais ou de linguagem desse povo - País de Gales, Escócia, Irlanda, Bretanha (no norte da França), Cornualha (sul da Inglaterra) e Isle of Man (entre a Inglaterra e a Irlanda). Há ainda outras regiões onde a influência celta é considerada forte, como o Norte de Portugal, as regiões da Galícia e Astúrias na Espanha, e a antiga Gália (atuais França, Bélgica e norte da Itália). E há ainda territórios ocupados por antigas tribos celtas onde pouco se sabe sobre o legado deixado por eles, como o sul da Alemanha/Áustria e diversos países do Leste Europeu.
      No futebol, talvez a influência mais clara desses povos seja o Celtic FC da Escócia, batizado com objetivo de propagar o orgulho que os fundadores tinham dessa origem.
      Já havia lido sobre a liga de futebol do País de Gales e sentido bastante vontade de experimentá-la, talvez porque seja um país muito associado aos druidas. E a ideia se complementou com a descoberta das nações célticas.
      Assim, narrarei a carreira de Drew Johnson, um treinador galês fictício sem qualquer experiência, apelidado de “O Druida” por ser um adepto do Neodruidismo.
      A jornada se iniciará na terra natal de Johnson, uma vila de 7 mil habitantes chamada Cefn Mawr (se lê "Kevin Maur"), localizada no condado de Wrexham.

       


       


      Carreguei todas as nações celtas “originais”, algumas delas representadas pelo país onde se situam, e escolhi outras para representar os territórios com forte influência céltica. 
      Na database original do FM, a liga galesa só tem a Welsh Premier League, a elite do futebol local; para dar um pouco mais de emoção, ativei a segunda divisão através do update do Classen.
      Foi necessário deixar alguns países de fora - por exemplo, Itália, Alemanha e Áustria - até porque não sei se meu notebook aguentaria o tranco. Só para garantir, diminuí a qualidade gráfica e tirei as animações, aparentemente o jogo está rodando sem problemas.
      Acho que, no geral, ficou bem representativo e com boas opções de progressão de carreira.
       

       
      Conquistar pelo menos um título por cada país onde passar; Conquistar um título invicto; Conquistar, em uma temporada, todos os títulos em disputa; Vencer a Liga dos Campeões da Europa; Vencer a Copa do Mundo; Me divertir.
       
       
      Nunca pedir demissão no meio de uma temporada;
      Se receber uma proposta e estiver empregado, priorizar a assinatura de novos contratos para o início da temporada seguinte, fazendo o máximo possível para não abandonar nenhum clube durante uma competição.
       
    • Henrique M.
      By Henrique M.
      Reflexões, ponderações e filosofias
      Antes de falar do save em si, queria aproveitar o espaço para fazer um desabafo. Parece que a cada novo FM que surge eu vou perdendo cada vez mais o contato que eu tinha com o jogo no passado, mas vejo alguns exemplos de pessoas na mesma faixa de idade, mesma faixa de afazeres ou até em faixa maiores, jogando e tendo a boa e velha conexão com o jogo. Não sei se posso culpar o jogo em si ou culpar o jogo com relação a mim. Poderia ser pessoal, mas recentemente venho me divertindo no Football Manager 2008 e poderia facilmente migrar para o Football Manager Touch, que foi minha grande empolgação com um save, tirando os playoffs de promoção com o Santarcangelo. Então acredito que o problema não é do jogo, nem da minha relação com o jogo. É do que eu quero ver acontecendo no jogo.
      Infelizmente eu escolhi um desafio que o jogo não estava disposto a aceitar nas minhas condições, era possível, mas eu precisava aceitar as condições que o jogo impunha e isso não era o suficiente, eu precisava de mais e não aguentava ver o resultado do que eu queria dentro de campo. Não ligo para derrotas, para os percalços, desde que eles ocorram com meu time atuando da maneira pela qual ele foi desenhado para atuar. Se eu me comprometo com a retranca, tenho que estar ciente do que ela causa, se eu me comprometo com o jogo ofensivo, tenho que estar ciente do que ele causa e assim por diante. A questão é que eu me comprometi com uma coisa diferente, que era o líbero, não era uma questão de tática, não era uma questão de estilo de jogo. Era uma questão de trazer uma função morta para o FM e fazê-la funcionar tanto defensivamente quanto ofensivamente, mas isso limitava meu estilo de jogo a ser puramente defensivo ou contra-ofensivo. E as equipes que tiveram grandes líberos ofensivos não jogavam exclusivamente assim e muitas poderiam ser descritas como equipes fluidas e ofensivas.
      Eu passei do estágio de querer ver um desafio impossível sendo feito por mim, passei do estágio de querer acumular títulos e fazer grandes saves em termos de troféus e vitórias. Tive um dos maiores prazeres no FM 2015 com uma equipe que ganhou 3 italianos em umas 15 temporadas, perdeu 2 vezes a Champions e até hoje sinto saudades desses momentos, pois ali eu não estava construindo a minha dinastia, ali eu estava construindo uma história em conjunto com um clube. Tinha aquele apego, tinha aquela paixão de transformar o mundo do futebol. E esse é um problema grande, não consigo fazer igual a maioria das pessoas e escolher um save simples, seguro e que seja factível de se encerrar. Eu quero o desafio de modificar a história, criar momentos que só o FM proporciona e isso acredito que vem dificultando o processo de jogar FM.
      Desafabo feito, hora de seguir adiante e tentar mais uma vez. Se falharmos, levantamos, sacudimos a poeira e tentamos de novo.
      Introdução
      No Football Manager 2014 eu tentei aquele desafio impossível, meu grande feito até hoje foi conquistar a Champions League com o Rangers da Escócia no FM 2012. Por isso, decidi apimentar as coisas e buscar o título da Champions League com outro clube britânico, só que dessa vez advindo da Irlanda. Foram lindas 12 temporadas com 10 títulos nacionais, 9 deles consecutivos e incontáveis títulos nas copas domésticas, transformando o Shamrock Rovers no maior vencedor de todas as competições irlandesas. Em nível continental, realizamos o feito que o Dundalk realizou nessa temporada, ao se tornar o primeiro clube irlandês a participar de uma fase de grupos de uma competição europeia e fomos além, chegamos até as oitavas-de-final da Champions em uma ocasião e participamos por 3 ou 4 vezes do mata-mata da Liga Europa. Porém, apesar de nunca sequer estar perto de alcançar o único objetivo do save, transformei o Shamrock Rovers, mas isso não foi o suficiente para alavancar o futebol irlandês e sem a alavancagem do futebol irlandês seria impossível chegar até o objetivo do save. Eu me frustrei com isso, encerrei o save, depois me arrependi, mas a decisão já estava feita. Contudo, nesse save desenvolvi jogadores, criei ícones e lendas do clube, inclusive consegui segurar uma gigante promessa irlandesa por mais de 10 temporadas na equipe, fazendo com que um jogador da base se tornasse um importante jogador da história da equipe. E eram essas pequenas coisas que seguravam o save, mas infelizmente, ele estaria fadado a nunca dar certo da maneira que eu gostaria.
      Por isso, no ano passado, o ggpofm traduziu e adaptou um texto sobre como tornar uma liga competitiva e eu decidi que era hora de tentar realizar o impossível novamente, porém eu incuti no erro de começar o jogo no FM 2014 e comparar as duas histórias e é óbvio que isso deu errado, pois eu me frustrava com o que ocorria e olhava e comparava com o que havia sido feito e me perguntava o que estava acontecendo e o que estava sendo feito de errado, até o ponto em que eu comecei a tentar emular as decisões do passado. Isso ruiu a tentativa.
      É hora de aprender com o passado e recomeçar um desafio diferente que é transformar uma liga com um desafio do passado, a busca do impossível. Sinceramente, espero que seja esse o combustível necessário, pois o fato de querer continuar participando ativamente da área me fez retornar rapidamente com uma história. Quando não estou contando um save, a atenção que dou a área é totalmente diferente e sinceramente, como é uma área que pulsa numa vibração interessante e revigorante, acho injusto comigo mesmo não estar aqui, mesmo que o preço seja mais uma história inacabada.
      Objetivo
      Conquistar a Champions League com o Shamrock Rovers Regras do save
      Se o jogador não serve mais para o Shamrock Rovers, a prioridade é repassá-lo para uma equipe irlandesa, mesmo que isso signifique aceitar uma oferta menor ou perder o jogador de graça. Não contratar destaques de outras equipes irlandesas. Buscar repatriar jogadores irlandeses de ligas estrangeiras. Buscar contratar jovens promessas de equipes irlandesas, com o propósito de acelerar a evolução do mesmo. Buscar antecipar a concorrência externa pelos principais jogadores da liga, evitando que jogadores de bom nível ou alto potencial saiam do país. (A única condição que permite contratar um jogador adversário que seja importante para o clube) Caso alguma nova necessidade vá surgindo, irei informar num post e adicionar aqui Histórico
      2017 - 1º lugar na Airtricity Premier League, eliminado na 1ª rodada qualificatória da Europa League
      2018 - 1º lugar na Airtricity Premier League, eliminado no Playoff dos campeões da Champions League, 4º lugar no Grupo K da Europa League
      2019 - 1º lugar na Airtricity Premier League, Campeão da Copa da Irlanda, Campeão da Leinster Cup, 4º colocado no Grupo C da Champions League
      2020 - 1º lugar na Airtricity Premier League, Campeão da Copa da Irlanda, eliminado na 3ª Qualificatória da Champions League e nos Playoffs da Europa League
      2021 - 1º lugar na Airtricity Premier League, Campeão da Copa da Irlanda, Campeão da EA Sports Cup e 4º colocado no Grupo C da Champions League
      2022 - 1º lugar na Airtricity Premier League, Campeão da Leinster Senior Cup e 4º colocado no Grupo H da Champions League
      2023 - 1º lugar na Airtricity Premier League, Campeão da Copa da Irlanda, Campeão da Leinster Senior Cup e 2º colocado no Grupo J da Europa League
      2024 - 1º lugar na Airtricity Premier League, Campeão da Copa da Irlanda, Campeão da EA Sports Cup, eliminado nos 32-avos-de-final da Europa League e 3º colocado no grupo G da Champions League
      2025 - 2º lugar na Airtricity Premier League, Campeão da Copa da Irlanda, eliminado nos 32-avos-de-final da Europa League e 4º colocado no grupo B da Champions League
      2026 - 1º lugar na Airtricity Premier League, Campeão da Copa da Irlanda, Campeão da Leinster Senior Cup e 4º colocado no Grupo L da Europa League
      2027 - 1º lugar na Airtricity Premier League, Campeão da EA Sports Cup, Campeão da Leinster Senior Cup e 3º colocado no Grupo H da Champions League
      2028 - 1º lugar na Airtricity Premier League, Campeão da Copa da Irlanda, Campeão da EA Sports Cup e eliminado nas oitavas-de-final da Europa League e 3º colocado no Grupo E da Champions League
      2029 - 1º lugar na Airtricity Premier League, eliminado nos 32-avos de final da Europa League, 4º lugar no Grupo A da Champions League
      2030 - 1º lugar na Airtricity Premier League, Campeão da Copa da Irlanda, Campeão da Leinster Senior Cup e 4º lugar no Grupo C da Champions League
      2031 - 1º lugar na Airtricity Premier League, Campeão da Copa da Irlanda, Campeão da EA Sports Cup, Campeão da Leinster Senior Cup e 2º lugar no Grupo H da Champions League
      2032 - 1º lugar na Airtricity Premier League, Campeão da EA Sports Cup, Campeão da Leinster Senior Cup, Eliminado nas oitavas-de-final da Champions League 2031/2032  e 2º lugar no Grupo F da Champions League 2032/2033
      2033 - 1º lugar na Airtricity Premier League, Campeão da Leinster Senior Cup, Eliminado nas oitavas-de-final da Champions League 2032/2033 e 3º lugar no Grupo G da Champions League 2033/2034
      2034 - 1º lugar na Airtricity Premier League, Campeão da EA Sports Cup, Campeão da Leinster Senior Cup, Eliminado nas quartas-de-final da Europa League 2033/2034 e 3º lugar no Grupo C da Champions League 2034/2035
      2035 - 1º lugar na Airtricity Premier League, Campeão da EA Sports Cup, Campeão da Leinster Senior Cup, Campeão da FAI Ford Cup, Campeão da Europa League 2034/2035, Campeão da Super Copa da UEFA 2035 e 1º lugar no Grupo H da Champions League 2035/2036
      2036 - 1º lugar na Airtricity Premier League, Campeão da FAI Ford Cup, Eliminado nas oitavas-de-final da Champions League 2035/2036 e 3º lugar no Grupo E da Champions League 2036/2037
      2037 - 1º lugar na Airtricity Premier League, Campeão da FAI Ford Cup, Eliminado nas oitavas-de-final da Europa League 2036/2037, 4º lugar no grupo C da Champions League 2037/2038
      2038 - 1º lugar na Airtricity Premier League, Campeão da FAI Ford Cup, Campeão da EA Sports Cup, Campeão da Leinster Senior Cup, 3º lugar no Grupo F da Champions League 2038/2039
      2039 - 1º lugar na Airtricity Premier League, Campeão da FAI Ford Cup, Campeão da EA Sports Cup, Campeão da Leinster Senior Cup, Eliminado nas oitavas-de-final da Europa League 2038/2039, 3º lugar no Grupo G da Champions League 2039/2040
      2040 - 1º lugar na Airtricity Premier League, Campeão da FAI Ford Cup, Campeão da EA Sports Cup, Campeão da Leinster Senior Cup, Eliminado nas oitavas-de-final da Europa League 2039/2040, 1º lugar no Grupo G da Europa League 2040/2041
      Histórico de posts
      Shamrock Rovers e Irlanda A primeira pré-temporada Algumas surpresas na tabela Liderança na Irlanda, decepção na Europa Vantagem é sempre importante A baciada fica para o meio do ano Uma temporada mais competitiva Irlanda x Escócia Celtic Park, Olympiyskyi, Vélodrome e King Power Stadium 3 contratações, 32 despedidas Enfim mediremos força com o Dundalk? Onde os outros perdem, nós vencemos Um empate que vale por duas temporadas e meia Em time que está ganhando não se mexe? Mais um voo solo? Dois patetas, as traves e um muro espanhol Em terra de irlandês, quem é Shamrock, é rei! As primeiras cifras em reforços Um começo de temporada inédito 166 convocações no elenco Os desafios financeiros da Irlanda Um estádio para chamar de nosso Alguém parará o Shamrock Rovers? Muita movimentação no Tallaght Uma Irlanda que dá trabalho O retorno do atacante solitário Falta embalar Uma chance inesperada Deem um pouco mais de crédito para a Liga Irlandesa Vendas milionárias Sentimos sua falta, O’Brien! Gribbinaldinho Fenômeno! A 5ª maior instituição da Irlanda Remodelagem tática A melhor campanha da história do primeiro turno Na perseguição do Cork City Verde é a cor da Irlanda Um vacilo milionário A melhor campanha da história do primeiro turno – Parte 2 Mais Irlanda na Europa Forde, por que faz isso comigo? Batemos a marca de 2 milhões Um carrossel verde e branco Simplesmente avassalador! Um péssimo ano para ser Bohemian Um mercado prolífico Um novo concorrente no horizonte? Eurocopa 2028 A solução que veio e que foi Chora, Allegri! Reaprendendo a jogar Tudo conforme o script Dinamo Zagreb A única vez foi em 2017 O bom filho a casa torna Uma máquina chamada Conor Wilson Copa do Mundo 2030 Maldito sorteio da Champions League Uma abordagem renovada Poxa, UCD! Um dia ruim por turno O doce aroma da elite europeia De pontas para volante Uma noite irlandesa em Londres As dificuldades de ser maior que a liga irlandesa Meus jogadores são de um material superior Que venha o Lyon! Teremos um campeonato!? Segue o líder! A gente bem que tentou, mas o Cork não quis! Regulamento debaixo do braço Faltaram apenas 6 minutos Mais uma vaga na Champions League! Dosharaithe E estamos de volta A estrada até aqui... Real Madrid x Shamrock Rovers Super Copa da UEFA Green Stadium Uma homenagem à Conor Wilson Começo claudicante, mas final esperado O fim de duas eras Sob nova direção A Airtricity Premier League é uma das 10 maiores da Europa 20 anos de Danny Green Um campeonato que ainda está em aberto Vexatório! O plano quinquenal Zero gols, zero derrotas Uma nova era para o Hoops Tinha um italiano no meio do caminho Uma insípida janela de transferências Um paredão azul Winner Winner Chicken Dinner Um quinquênio que durou dois anos Uma debandada do Green Stadium A lei do ex é terrível Em meio a Euro 40, Hoops quebram recordes Dois pênaltis, dois destinos
    • IgorNatalino
      By IgorNatalino
      Estamos animados em apresentar a todos, a criação do tópico para os kits FC'12, um projeto do FM Slovakia, para a temporada 2018-2019.
      Para os que gostam do nosso estilo de kits, aqui ficarão todos os links úteis e atualizações sobre o lançamentos dos kits, principalmente os brasileiros feitos por mim; A ideia principal do tópico é entregar packs de qualidade para todos jogadores do FM.
      Gosta de acompanhar o desenvolvimento dos kits e saber quais estão sendo produzidos?
      Nos acompanhe no Facebook - https://www.facebook.com/groups/allstar.kitmakers/
      Parceiros:
      FM Slovakia - http://fmslovakia.com/

      Todos os Kits produzidos na temporada 2016-2017:
      http://fmslovakia.com/downloads/kitpacks/fc12-season-201617/
      Todos os Kits produzidos na temporada 2017-2018:
      http://fmslovakia.com/downloads/kitpacks/fc12-season-201718/
      Todos os Kits produzidos na temporada 2018-2019:
      https://fmslovakia.com/en/downloads/kitpacks/fc12-season-2018-19/
      Todos os Kits produzidos na temporada 2019-2020:
      https://fmslovakia.com/en/downloads/kitpacks/fc12-season-2019-20/

      Como instalar:
      Passo 1:
      Faça o download do pack e extraia usando Winrar ou 7-zip.
      Passo 2:
      Copie a pasta com os arquivos para:
      \Documents\Sports Interactive\Football Manager 2017\graphics\kits\
      p.s: Crie as pastas Graphics e Kits caso não existam.
      Passo 3:
      Abra o FM e vá em Preferências > Interface
      Marque "Recarregar Skin quando confirmar alterações nas preferências"
      Desmarque "Usar cache para reduzir o tempo de carregamento das telas"
       
      Qualquer dúvida, sugestão ou comentário, deixe sua postagem!

      Quer nos ajudar?
      Me contate para fazer parte do All Star Kitmakers.
    • Lohan
      By Lohan
      BRASIL MUNDI UP  (26-05-2019)    
      ✔️Séries A, B, C e D (formato original) 
      ✔️Serie Regional, equivalente a uma 5 divisão fictícia, nas qual faz com que os estaduais fiquem mais realistas e disputados (grupos verdadeiramente regionalizados)
      ✔️Segundonas, Terceiras e Quartas Estaduais
       ✔️Copa SP de Futebol Júnior, Copa BH, Copa do Brasil e Brasileirão sub-20, Brasileirão sub-17
       ✔️Copas Estaduais (quando os times sobem pra Seria A e B, deixam de participar pra não inflar o calendário)
      ✔️ Novidade Todos os Campeonatos Estaduais Sub-20
      Colocar o arquivo .FMF na pasta (editor data) que fica em: documentos / Sports Interactive / Football Manager 2017 / editor data,
      e depois selecioná-lo antes de criar o Save.
      Testado 3 vezes até 2030 sem bugs! (protegido contra cópia)
      DOWNLOAD:  
                        Brasil Mundi Up (26-05-2019) 
                      4Shared: https://www.4shared.com/file/uCfFcoiUda/Brasil_Mundi_UP_FM17__26-05-19.html?
      ❌  (Só funciona no patch 17.3 em diante)
       
       
      Ligas fundamentais que não vem no FM17 e fazem muita diferença, principalmente pra quem joga no Brasil (só funciona se deixar como "Jogáveis", não adianta nada ativar essas ligas ao criar o save e deixar em "Ver apenas"?
      Libertadores mais difícil e realista
      Deixando as primeiras divisões de todas as ligas Sulamericanas + México ativadas, a Libertadores e a Copa Sulamericana ficam mais difícil
      Mercado de transferências bastante ativo
      Ativando Japão, Emirados Árabes, Arábia Saudita, Qatar, Portugal, China e Itália você vai ver bastante transferências realistas, e vai conseguir vender ou emprestar facilmente até jogadores encostados sugando a folha salarial

      DOWNLOAD:  http://www.fmscout.com/a-fm17-leagues-megapack-by-claassen.html
       
      Apos fazer o download extraia o arquivo na pasta editor data, a mesma pasta em que fica o Brasil Mundi UP
       
      Amigos, a pouco estava tirando as dúvidas de uma pessoa sobre se fazer a série D real ou não, com os times participando dela baseado em suas classificações via estaduais, e tive a ideia de escrever esse texto, para ajudar a esclarecer algumas coisas, dando minha opinião pessoal sobre o jogo, e sobre o motivo de não fazer nesse formato mesmo sendo realista.
      Como todos sabem, o FM é um jogo Inglês, feito de acordo em teoria, baseado na realidade do futebol inglês e europeu, então infelizmente algumas coisas que estão programadas pra funcionar lá, não são bem geridas pela inteligência artificial do jogo no Brasil, e até por esse motivo, muita gente não gosta de jogar aqui, preferindo até ir pra China rsrs.
      Ao longo dos anos, venho estudando e analisando os mecanismos de muitas dessas configurações no editor, tem algumas pessoas que tem essa mesma visão e linha de raciocínio, como o amigo Leon Coutinho, então começamos a implementar isso aos poucos, sempre testando massivamente.
      Eu me senti satisfeito, por achar que consegui atingir no FM14, um nível de realismo absurdo (dentro das limitações do jogo), seja no mercado de transferências, nas finanças, cotas dos clubes e etc, lembrando que nossos pesquisadores nacionais fazem um excelente trabalho, até porque não é nada fácil ter que estar atento a cada mínimo detalhe de uma Database tão grande e complexa.
      É difícil saber o valor correto exato da parte financeira dos clubes, mas o pessoal faz isso bem, o problema é como o jogo gere as finanças no nosso país, fazendo os grandes clubes ficarem ricos em 2 ou 3 anos, tirando assim grande parte da graça de jogar por ficar muito fácil.
      A partir do momento em que vc cria o save e clica em continuar, vc esta entrando em um mundo de simulação futebolística virtual, onde tudo pode acontecer, (vírgula), muitas coisas precisam de coerência, o Brasil tomar 7 da Alemanha não parece ser nada coerente né? Então, isso pode acontecer no jogo tb, só não pode acontecer o tempo todo.
      O que eu quero dizer, é que o FM tem simulado muito melhor e com mais realismo e dinamismo muitas coisas do mundo do futebol nas ultimas versões, as opções de configuração são bastante complexas, mas se tivermos atenção a isso o jogo fica muito melhor, basta analisarmos e testarmos com parcimônia.
      Sempre fui muito perfeccionista e detalhista, o jogo perde a graça quando vejo em 2015, Tite treinando o Goiás ou Renato Gaúcho sendo contratado para treinar o Inter (what? Só acho que a Sigames deveria me adicionar a folha salarial deles rsrs.
      Quanto a Série D real, com os times provindo de suas classificações nos estaduais, deixando o jogo supostamente mais realista (porém sem graça), é aí que entra o que falei (pra se ter mais realismo no Brasil, é preciso configurar algumas coisas diferentes, para num todo, termos um jogo bem melhor, e sim, mais realista e divertido!
      Então ter uma Série D com 128 clubes, nos moldes da Série C dos antigos CM´s e FM´s (oh nostalgia que me faz envelhecer rs) e ter uma série Regional, onde muito mais clubes pequenos participam, privilegia justamente os estaduais, faz com que os times menores busquem reforços no mercado, por terem uma divisão ativa, ao invés de ficar com jogadores cinzas, levando goleadas e mais goleadas dos grandes todos os anos, sem contar que fica mais fácil ainda vc vender ou emprestar aquela naba que fica escanteada, sugando toda sua folha salarial.
      Sou da opinião que é muito mais divertido pegar um time da Série A3 do Paulistão ou da Segundona Gaúcha e tentar levar pra Série D ou C, de maneira suada, do que pegar o Paysandu no estadual do Pará (com a Série D real), enfiar goleadas nos minúsculos do estado (por não terem divisão) e ir simplesmente participar da Série C na cara de pau (essa é minha opinião) acho totalmente sem graça isso!
      *Campeonatos estaduais precisam ser mais difíceis e realistas! (o Ituano Campeão Paulista de 2014 manda abraços!)
      *Libertadores não pode ter todos os anos uma semi-final com 3 ou 4 brasileiros! (O papa torcedor do San Lorenzo que o diga) 
      Mas quem disse que isso não foi a primeira coisa que eu tentei melhorar? =P
      Abraços e bom final de semana cambada!
    • El Hincha
      By El Hincha
      NOTA OFICIAL DA CHAPA DE OPOSIÇÃO #SAPAOFORTE

      “A Federação Paulista de Futebol (FPF) divulgou a tabela da Série A1 do Campeonato Paulista. Na primeira rodada, dia 28 de janeiro, o Mogi Mirim irá enfrentar o Santos, na Vila Belmiro. Mas, irá mesmo? A 60 dias da estreia na A1, o Mogi passará por duas eleições presidenciais, convive com processos na Justiça, a inércia de quem pode salvá-lo e, o principal, hoje não existe.
      É tão absurda a situação do clube que, seja em Mogi ou fora, poucas pessoas sabem o tamanho do vazio que vive o clube fora dos grandes que mais vezes disputou o Paulistão nos últimos 30 anos. A marca impressiona? É novidade? Pois, saiba, que a crise do clube vai te impressionar ainda mais.
      O Mogi vive uma crise política desde novembro de 2015. O racha entre Luiz Henrique de Oliveira e Victor Manuel Simões resultou em uma enxurrada de processos e, desde então, a instituição jamais se levantou. A derrocada é tamanha, que parece orquestrada. Em 2015, quando este grupo assumiu, o Sapo já balançava. Era a reta final da ‘Era Rivaldo’.
      Discordo do modo como Rivaldo e quem estava à sua volta dirigiu o clube, mas, quando saiu, o Mogi não era uma terra arrasada. Hoje é mais do que isso. Beira a morte. Não pode se dizer nem que o clube respira por aparelhos, pois, o clube foi esvaziado. Os funcionários foram mandados embora e a base só está ativa por conta de uma negociação assinada há mais de um ano e que jamais se tornou clara para a torcida. Reclamam que herdaram um clube deficitário, que perderam dinheiro pessoal em um período em que o clube recebeu três cotas milionárias de direitos televisos e, mesmo sem vínculo com a região, não querem sair.
      A eleição convocava pelo grupo situacionista será nesta segunda (23), às 16h00, na sede do clube. Um clube que não respondeu nenhuma pergunta sobre o evento administrativo mais importante de uma agremiação de futebol. Não bastasse tudo isso, evitaram a concorrência ao publicarem o edital após o prazo em que outros interessados poderiam inscrever uma chapa. Tivemos que recorrer na justiça para estar no pleito. E se o argumento for o de que os editais estavam publicados na sede, fica difícil imaginar alguém com acesso a tal documento.
      O Mogi pode ser suspenso de competições da CBF em decorrência de um julgamento por não ter pago taxas de arbitragem. Depois, ignorou a multa e parece ignorar a punição. Está na elite do Campeonato Paulista, mas já sofreu dois rebaixamentos em 2 anos e segue sério risco de sequer disputar a Serie C. Ainda assim, praticamente sem funcionários dentro e fora de campo, confirmou presença no Campeonato Paulista A1.
      Mas, como pagará salários a atletas e membros de uma comissão técnica, se não pagam a arbitragem? Aliás, mais de 80% dos jogadores que atuaram entre 2015 e 2016 processam o clube por falta de salários. Será que 100% findaram a passagem pelo Mogi com ao menos um mês de salário atrasado? Como será possível estancar este rombo financeiro causado por este desrespeito trabalhista?
      Se o clube fechar as portas, ainda irão terceirizar a culpa? Vociferar que elementos ocultos demonizam o Mogi? Basta! A cidade precisa esquecer que o casamento com o clube caiu na rotina e lutar por ele.
      O Mogi é um cônjuge em estado terminal, mas que ainda pode viver. Mais do que isso. É um exemplo para outros clubes de futebol. As torcidas de todos os pequenos clubes do país precisam ser alertadas sobre os riscos que estas agremiações correm de um câncer ser instalado. No cérebro da vítima. Na administração.
      Enquanto isso, o coração precisa seguir batendo. E é claro que este órgão vital se chama torcedor. É você o único que pode controlar e até derrubar o mal instalado na cabeça. Esteja perto. Você pode tirar o Mogi Mirim do leito da morte.
      Então, nas eleições desta segunda-feira, estejamos todos por um #SapaoForte!”
×
×
  • Create New...