Jump to content
Danut

Brazylijska magia - Tudo ou nada [atualizado em 16.02]

Recommended Posts

Andreh68

Cara já falei. Esse Carlos Antonio e Flop!!!

Pelo menos não perdeu pro Legia. Talvez as coisas com o City mudem tb. 

Boa sorte

Share this post


Link to post
Share on other sites
Vannces

Lendo as duas últimas postagens, vi que você deu uma segurada na expectativa sobre a Champions para não ser cobrado pela direção de forma a colocar o trabalho em risco. 

Depois vi sua trajetória dentro da Polônia que já está se tornando corriqueiro com a dominação, o que faz parecer que qualquer clube que se estruture um pouco lá, consegue voar nas competições nacionais.

Agora na Champions a segunda colocação do grupo te levou para um confronto nada agradável. Alguma estratégia diferente em mente para esse confronto?

Seria interessante se o FM nos desse a liberdade para escolher o país para escolher o clube que se deseja fazer parceria, seria realmente divertido.

Share this post


Link to post
Share on other sites
jeanslay

City de novo? Ah cara...

Dessa vez passa, aposto em dois empates com gols e voce passa no saldo. Boa sorte!

Share this post


Link to post
Share on other sites
marciof89

City de novo! HUASHDUIHSADUIHASDIUAHSDI Parece que encontramos o Atlético Mineiro do seu save. 😂

O Rapid me tomou uma senhora goleada e ainda ficou em terceiro? Uau.

Share this post


Link to post
Share on other sites
Henrique M.

A minha maior frustração com o Shamrock Rovers eram os sorteios, eu sofria na fase de grupos, você, pelo visto, sofre mais no confronto mata-mata. Por três anos seguidos pegar o apelão do City é brochante.

Share this post


Link to post
Share on other sites
Danut
On 2/13/2020 at 3:16 PM, Andreh68 said:

Cara já falei. Esse Carlos Antonio e Flop!!!

Pelo menos não perdeu pro Legia. Talvez as coisas com o City mudem tb. 

Boa sorte

O cara é quatro vezes eleito melhor do mundo, tem 10 gols em fase eliminatória da UCL (o resto do Pogon todo junto tem 12), mais de um gol por jogo na carreira toda, e tem que aguentar o torcedor chamar de flop... 😛

Tomara que mudem. Eu não aguento mais ouvir as coletivas do Renato Gaúcho.

Valeu 🙂

 

On 2/13/2020 at 8:33 PM, Vannces said:

Lendo as duas últimas postagens, vi que você deu uma segurada na expectativa sobre a Champions para não ser cobrado pela direção de forma a colocar o trabalho em risco. 

Depois vi sua trajetória dentro da Polônia que já está se tornando corriqueiro com a dominação, o que faz parecer que qualquer clube que se estruture um pouco lá, consegue voar nas competições nacionais.

Agora na Champions a segunda colocação do grupo te levou para um confronto nada agradável. Alguma estratégia diferente em mente para esse confronto?

Seria interessante se o FM nos desse a liberdade para escolher o país para escolher o clube que se deseja fazer parceria, seria realmente divertido.

Era esperado esse domínio na Polônia né. O campeonato nacional é fraco e tem muito pouco dinheiro. Aí com o dinheiro da Champions entrando fica muito fácil abrir distância para as demais equipes. Infelizmente essa é a tendência do futebol europeu, que cada país tenha uma equipe que ganha muito mais dinheiro que o resto com a Champions e daí domina o campeonato nacional. Com o fator "jogador humano vs IA do jogo" fica ainda maior a diferença.

Sobre a estratégia para o jogo com o City, o maior problema do save é que eu não tenho muito espaço para testar novas estratégias. Apesar de gostar de dar meus pitacos no FM (o @Tsuru que o diga), eu não sou um bom treinador. E, em especial, não sou um bom teórico tático, principalmente quando se trata de neutralizar o que os adversários fazem. Não sou o cara que olha por um instante o campo e já sabe o que fazer. Faço mudanças geralmente mais na base da tentativa e erro do que qualquer outra coisa. Vou lá, troco uma coisa e vejo se deu resultado. Se não deu, tento algo diferente. E assim vai.

E aí vem o grande problema desse save: se eu tento algo e não dá certo, só posso tentar de novo um ano depois. Porque não adianta ficar testando mudança tática contra as equipes polonesas. Ganhamos sempre, boa parte de goleada, independentemente da tática. Mudar algo nesses jogos não me dá feedback nenhum. Acaba que por temporada eu tenho uns quatro jogos que realmente dá pra tentar ver alguma coisa (dois na fase de grupos contra o outro adversário forte, dois nas oitavas da Champions). Isso tá me ferrando demais a vida. Eu sei qual meu maior problema contra o City - não conseguimos parar a dupla Kim Slamar e Patrick Cutrone, principalmente quando um deles volta pra pegar a bola entre meu meio de campo e minha defesa. Mas não consegui até aqui descobrir como resolver. É uma dificuldade que já tive contra outras equipes (o Leverkusen nos machucou algumas vezes no save com atacantes com jogo parecido ao da dupla do City, o Liverpool também). Mas são tão poucos jogos que fica complicado montar uma estratégia contra.

Resumindo: sim, tenho algumas estratégias em mente para dificultar a vida do City. Mas não tenho muita ideia se vão dar certo. Só vou descobrir quando entrar em campo contra eles. E, se não der certo, provavelmente vou descobrir isso tarde demais pra mudar.

Sobre a parceria, o FM até permite que o treinador escolha o clube para fechar a parceria (depois de vários anos no clube, como é o caso aqui). Mas a lista de clubes que o FM dá só contém equipes europeias. Por isso suspeito que o limite seja o próprio continente.

 

7 hours ago, jeanslay said:

City de novo? Ah cara...

Dessa vez passa, aposto em dois empates com gols e voce passa no saldo. Boa sorte!

Parece zueira do FM. Pior que dessa vez a culpa foi minha mesmo, porque deixei a primeira colocação do grupo escapar. Tinha um monte de adversário mais fácil - o Monaco vai enfrentar o Dortmund, por exemplo.

Espero que tu esteja certo. Gols em todo caso é certeza que vai ter - nos quatro confrontos anteriores sempre as duas equipes balançaram as redes.

Valeu 🙂

 

5 hours ago, marciof89 said:

City de novo! HUASHDUIHSADUIHASDIUAHSDI Parece que encontramos o Atlético Mineiro do seu save. 😂

O Rapid me tomou uma senhora goleada e ainda ficou em terceiro? Uau.

Se bem me lembro no teu caso tu teve a redenção ao humilhar o Atlético numa final, não foi? Tomara que aqui a história chegue nesse ponto também. Porque até agora tá foda...

O Zenit é muito fraco, não sei como empatamos com eles. Perderam as duas do Rapid Vienna, graças à força ofensiva do excelente Beto da Silva (que na vida real jogou no Grêmio em 2017 e eu nem lembrava, de tão bom que é).

 

3 hours ago, Henrique M. said:

A minha maior frustração com o Shamrock Rovers eram os sorteios, eu sofria na fase de grupos, você, pelo visto, sofre mais no confronto mata-mata. Por três anos seguidos pegar o apelão do City é brochante.

Tive minha dose de complicações em sorteios de grupos já, mas como subimos para o primeiro pote agora essa parte tá bem mais tranquila. Só com muito azar pra pegar um grupo que pode realmente complicar nossa vida. Agora, o sorteio das oitavas realmente tá brincando com a minha cara. Não tem muito o que fazer, os caras tem um time muito melhor que o meu. É tentar até que num dia de sorte a gente passa - espero que esse ano.

Share this post


Link to post
Share on other sites
marciof89
2 horas atrás, Danut disse:

Se bem me lembro no teu caso tu teve a redenção ao humilhar o Atlético numa final, não foi?

Se você se refere ao 8x2, esse placar foi foda mesmo!

A questão é que foi o Atlético que o aplicou, na final da Libertadores. E nem foi no agregado, foi no primeiro jogo. ahahahhaha

Share this post


Link to post
Share on other sites
Danut
1 hour ago, marciof89 said:

Se você se refere ao 8x2, esse placar foi foda mesmo!

A questão é que foi o Atlético que o aplicou, na final da Libertadores. E nem foi no agregado, foi no primeiro jogo. ahahahhaha

hahahahahahaha

Putz, eu confundi as coisas então. Esquece a parte de querer que o mesmo aconteça aqui. Eu REALMENTE espero que não aconteça.

Share this post


Link to post
Share on other sites
Vannces
15 horas atrás, Danut disse:

aí vem o grande problema desse save: se eu tento algo e não dá certo, só posso tentar de novo um ano depois.

Passando por isso em alguns saves que joguei offline, um dia resolvi assistir aos primeiros 20 minutos de uma partida para ver se identificava alguma falha da equipe e de alguma maneira poder mexer, não é algo fácil de identificar, mas acabei conseguindo e o jogo ficou equilibrado. Perdi a partida no final das contas, mas ainda assim vi a diferença que fez. Você teria a paciência para tentar essa experiência? Não estou afirmando que é fácil identificar, mas às vezes está na cara da gente, rsrs.

Share this post


Link to post
Share on other sites
Danut
10 hours ago, Vannces said:

Passando por isso em alguns saves que joguei offline, um dia resolvi assistir aos primeiros 20 minutos de uma partida para ver se identificava alguma falha da equipe e de alguma maneira poder mexer, não é algo fácil de identificar, mas acabei conseguindo e o jogo ficou equilibrado. Perdi a partida no final das contas, mas ainda assim vi a diferença que fez. Você teria a paciência para tentar essa experiência? Não estou afirmando que é fácil identificar, mas às vezes está na cara da gente, rsrs.

Eu já andei pensando em assistir essas partidas por inteiro mesmo, já que são tão poucas na temporada. O problema é que quando assisto partida no completo eu fico nervoso e tento mudar a equipe a cada cinco minutos - o que obviamente não dá certo. Mas é algo que eu tô considerando tentar de novo sim, porque com tão poucas partidas tá bem complicado de achar o equilíbrio tático.

Share this post


Link to post
Share on other sites
Danut

JGGBCEZdQXiTZoQmWWgKLKBvMp0TknA0-iRk70ra

S13 E03 - Tudo ou nada

Olá pessoal. Na última atualização vimos que o Pogon tropeçou contra o Zenit na fase de grupos da Champions e, por conta disso, acabou terminando o grupo em segundo. Como punição pelo tropeço, o sorteio das oitavas nos colocou para enfrentar a equipe do Manchester City - pela terceira vez seguida. É hora de ver como foi o segundo semestre da temporada.

 

Transferências

s_WmSD2HTKC9LxH2QfJcumb13FPoT0X-7xerVTUP

Além da saída de Formiga, já acertada na última janela, o torcedor se despediu do goleiro brasileiro Alisson Ottoni. Tinha esperanças de transformar o garoto em titular da posição no futuro, mas ele acabou não se desenvolvendo tanto quanto esperado. Em parte, o problema foi falta de tempo de jogo. É muito difícil dar espaço para um goleiro sem nacionalidade comunitária em uma liga que permite apenas dois jogadores com esse status em campo. Não lucramos muito com a venda (contratado por 4,75 milhões), mas sua saída abre espaço para outro garoto brasileiro que atualmente joga em nossa base.

Do outro lado, chegaram duas apostas do Brasil. Romulo Duarte é um meia de bom passe e marcação, e se corrigir algumas falhas em seu jogo pode ser uma ótima opção mais defensiva para meu meio de campo - que tem jogadores muito técnicos, mas é fraco na marcação. José Renato é o típico caso do garoto contratado pelo que prometia aos 16 anos que, quando chega ao clube, com 18, já não mostra tudo aquilo. Em todo caso, vamos acompanhar seu desenvolvimento no time B.

Por fim, chamei Dean Krizman de volta de seu empréstimo à Inter de Milão. Com a saída de Formiga e a possibilidade de um calendário apertado (a depender de como for nosso desempenho continental), considerei que precisava de mais um zagueiro.

 

Ekstraklasa

d9u3MGGd58Dpbl2epuyOYP0bmVv6NFZGbsXN6bs2

Campeão invicto! Mantendo a tradição dos últimos anos, não perdemos nenhuma partida na segunda metade do campeonato. A diferença é que dessa vez havíamos conseguido manter a invencibilidade também no primeiro turno, e assim conquistar o primeiro título sem qualquer derrota no save.

QZ-uXqnr98ignuGgSAhfXx2Ol14s77hz4bVpnRYO

Grupo de despromoção

Aliás, como a última derrota do Pogon foi no primeiro turno do campeonato passado, estamos há 68 jogos da liga sem perder. Além do inédito título invicto, esse ano também marcou nosso melhor desempenho defensivo em todo o save, com apenas 16 gols sofridos. Quem não esteve tão bem foi o ataque, que marcou "apenas" 108 gols - nossa melhor marca é de 123 gols em uma temporada. Como resultado, tivemos apenas o quarto melhor saldo de gols do save.

Quanto às demais equipes polonesas, o Legia ficou em terceiro no grupo da UCL e caiu nas quartas da UEL (passou por Brondby e Milan, mas levou 8 a 0 no agregado do Celta de Vigo). O Lechia Gdansk foi eliminado na classificatória pra UCL e ficou em terceiro no grupo da UEL, atrás de Tottenham e Köln. O mesmo aconteceu com o Jagiellonia, que ficou atrás de Inter de Milão e AEK, da Grécia. Fiquei decepcionado especialmente com o Jagiellonia, pois ficar atrás de uma equipe grega é realmente triste.

 

Puchar Polski

5PP3-DOH1R2wopZp-ZSCNK9cV-0D_KY1UK3zaL62

Nosso caminho para a final foi até relativamente complicado, pois pegamos apenas equipes da primeira divisão. Mas a distância do Pogon pro resto é tão grande que nem dá para perceber de que divisão são os adversários.

Nas primeiras duas rodadas, goleamos com tranquilidade Zaglebie Sosnowiec e Wisla Krakow. Na fase de quartas de final, o adversário foi o Olimpia Grudziadz. A equipe de pior campanha na Ekstraklasa ainda inventou de entrar em campo no esquema "árvore de natal", deixando muito espaço pelos lados do campo. E, para afundar de vez, teve um jogador expulso no começo da segunda etapa. O resultado foi um massacre do Pogon, que quebrou o recorde de maior goleada da sua história - superando o 10 a 1 sobre o Ajax ocorrido há 1 ano e 362 dias. E também a maior goleada da história da competição - superando nossa própria marca de 8 a 0.

tE-XnePxDj2zBGGzt0jVdLLrObOCZ-wIZn4ZhgzD

Cumprido o protocolo do jogo de volta, fomos enfrentar o Legia. Fiquei feliz de enfrentar a equipe da capital na semifinal. A final é jogo único, então tem mais chances de alguma surpresa desagradável. Já na semi há mais espaço para corrigir eventuais erros. Além disso, a final é sempre no estádio deles.

Em todo caso, a preocupação com os dois jogos se mostrou desnecessária. Vencemos na capital em noite inspirada de Nikola Gavric, e apenas confirmamos a classificação em casa.

Na final, o adversário foi o Lechia Gdansk. Outra equipe com algum potencial para causar surpresas, mas que dessa vez foi completamente atropelada.

WyMktB1ZUerx545CwOD_N1yAx5ppW2rvWgKZo89O

 

Champions League

Como já adiantado, enfrentamos o Manchester City pelo terceiro ano seguido. A diferença é que dessa vez jogamos a primeira eliminatória em casa - seria esse um fator relevante na definição do confronto? O torcedor otimista esperava que sim, e citava como argumento do seu otimismo que o Pogon acabara de completar um ano sem derrotas por qualquer competição. O pessimista, por sua vez, lembrava que a última derrota havia sido justamente para o City.

A partida de ida começou lenta, como se as equipes estivessem mais preocupadas em não sofrer o primeiro gol. Aos 16 minutos, porém, um chute longo do goleiro do City se transformou em oportunidade quando Badé falhou a interceptação. Cutrone não perdoou o erro e abriu o placar para os visitantes. No minuto seguinte, Cutrone se aproveitou de novo de falha de Badé e marcou o segundo. Para nossa sorte, estava impedido.

O empate do Pogon não demorou. Cinco minutos depois de sair atrás no placar, Damiën Terol enfiou a bola para Carlos Antônio. O passe acabou saindo forte demais, mas encontrou Nikola Gavric correndo em diagonal pelo outro lado - seu chute cruzado morreu na lateral da rede.

Pogon e City continuaram trocando golpes, com leve vantagem para a equipe inglesa, que chegava com mais qualidade. Aos 41 minutos, nova falha de Badé: o zagueiro não percebeu o movimento dos companheiros para fazer a linha de impedimento e ficou sozinho contra dois atacantes adversários. 2 a 1 para os visitantes.

Voltamos do intervalo sabendo que a situação era crítica. Uma derrota no jogo de ida praticamente acabaria com nossas chances de classificação. Tomamos a frente nos acontecimentos. Mas quem colocou a bola na rede foi o City. Um cruzamento de Kim Slamar encontrou Cutrone nas costas de Badé - sempre ele.

Perdendo por 3 a 1, troquei a mentalidade para sobrecarregar. Encostamos no placar aos 59 minutos, em jogada muito parecida com a do primeiro gol - de novo Nikola Gavric fez a corrida em diagonal e chutou cruzado. 3 a 2. Placar final, pois apesar da pressão não conseguimos nada nos 30 minutos restantes.

88OysUvobcONpG33iuuaBnzdqoix3CpwWaJlOMrQ

Nossa situação para o jogo de volta era bastante desesperadora. Vencer por dois gols de diferença já é complicado em qualquer situação. Considerando que o City marcou gols em todos os cinco confrontos anteriores - e só numa delas pararam em apenas um gol -, seria preciso uma noite brilhante de meu ataque. Ou então uma atuação sem precedentes da defesa.

Quanto a essa segunda parte, o City logo tratou de enterrar os sonhos. Moise Kean abriu o placar aos 13 minutos. Kim Slamar ampliou aos 19. E Patrick Cutrone transformou o jogo em goleada ao fim de meia hora.

Como já diz o ditado: perdido por três, perdido por mil. Troquei a equipe para um 4-2-4 com mentalidade sobrecarregar, na busca do milagre. Aos 37 minutos, Carlos Antônio cruzou e Nikola Gavric descontou - seu terceiro gol na eliminatória. Aos 44, o próprio Carlos Antônio correu com a bola e chutou cruzado. Fraco, mas o goleiro inglês aceitou. Ao menos iríamos cair atirando.

E, de repente, o estádio se calou. Nem dois minutos depois do segundo gol, o Pogon chegava de novo. Outra vez Carlos Antônio cruzando, outra vez Nikola Gavric empurrando para as redes. 3 a 3. O Pogon precisava de apenas um gol para ficar com a vaga.

A mudança no ambiente era total. Os torcedores do City quietos. 1500 poloneses fazendo a festa. Em campo, jogadores de azul completamente atônitos viam o gás de uma equipe que acabava de perceber que podia fazer um milagre. Estava tudo a nosso favor.

Tudo, menos o intervalo. A pausa veio no pior momento possível para a equipe do Pogon, quebrando completamente o nosso domínio do jogo. O City aproveitou os quinze minutos para se reorganizar, e voltou muito melhor. Cutrone marcou o quarto da equipe da casa aos 52 minutos, e Moise Kean ampliou a vantagem aos 59. O Pogon ainda descontou com Luiz Alberto, mas o City fechou o caixão com o hattrick de Cutrone.

Gjqpwlm3lNFnXokj90HOCYkcbuq8ie-J2lFaTAkr

 

Notícias gerais

  • O mau desempenho das equipes polonesas nas competições continentais fez com que o país caísse uma posição no ranking de coeficientes, voltando a ficar atrás de Portugal. A pior parte da notícia é que perdemos um lugar na Liga dos Campeões - agora o vice entra apenas na fase qualificatória (não direto no grupo), e o terceiro colocado vai para a Liga Europa. Não deve afetar o Pogon, mas gostaria de ver a liga como um todo se desenvolvendo.
  • 13 atletas do Pogon foram convocados para a Copa do Mundo do Japão. Representando o Brasil, participaram os zagueiros Badé e Elézio, o lateral Tite, o meia André e, claro, o atacante Carlos Antônio. A seleção foi eliminada na semifinal, ao perder por 2 a 0 para a Argentina (que se sagrou campeã). Badé entrou para o melhor onze da Copa.

Share this post


Link to post
Share on other sites
mfeitosa

Nossa, perdi várias atualizações!

Gostei muito do nível do elenco. Tem uma garotada evoluindo bem nos treinos e este é o maior reforço que o Pogon pode ter hoje. Damiën Terol é um monstro nos atributos. 

Que coisa incrível essa insistência do City sempre estar no seu caminho! Não é possível, cara! Caramba... 

No mais, passeou Ekstraklasa e na Puchar Polski, como já era de se esperar. Média de quase três gols por jogo e apenas 16 gols sofridos na liga. 

Acho que o desempenho tranquilo nas competições nacionais acaba por trazer um fator negativo ao Pogon. Você se sente na obrigação de atropelar todos os adversários locais, mas quando leva essa mesma postura para defrontar um time como o City, a coisa acaba desandando. 9 a 6 no placar agregado demonstra bem isso, pelo menos pra mim. 

É meio como aquela coisa que ocorre muito no Brasil em relação aos estaduais. Uma equipe vai muito bem no estadual e quando chega numa Série A, acaba demorando para se readaptar ao ambiente, em razão da presença de adversários mais fortes.

Share this post


Link to post
Share on other sites
Vannces

Chega a ser covardia esse time dentro do futebol polonês, mas quanto ao City, complicado, heim!

20 horas atrás, Danut disse:

A pausa veio no pior momento possível para a equipe do Pogon, quebrando completamente o nosso domínio do jogo.

Era de se esperar que algo aconteceria, alguma mexida foi feita por parte deles, já o Pogon ficou esperando manter o ritmo, mas contra o futebol inglês é sempre arriscado, eles estão dominando o futebol. Mas preciso dizer que há esperança nesse sonho de título internacional, ou seja, esqueça de tudo que aconteceu e lembre-se apenas de uma coisa, o Pogon marcou 6 gols no Manchester em duas partidas, de resto basta trabalhar essa postura defensiva que não funcionou, porque o resto está indo bem, há alguma dúvida quanto a isso?

Share this post


Link to post
Share on other sites
Andreh68

Bom, agora e partir para 100% de aproveitamento no polonês.

Concordo com o Vannces, nesses jogos sensiveis e importante jogar no completo Tem um jogo ou outro que fica monótono, mas na maioria das vezes da para perceber coisas que no amplo não vemos. Eu mantenho sempre uma janelinha com a formação do adversário. Ajuda ver as mudanças antes que seja tarde demais.

Onde tava o Flop no  primeiro jogo em casa? Se não é o Gavric ja era.

Ja tentou marcar mais amistosos com times de primeiro escalão para testar as alternativas? Usar 2 ou 3 DMs e jogar como time "reativo"?

E ano que vem pode ser que o City perca para alguém em outra chave, sonhar é permitido!

Boa sorte!!!

 

Share this post


Link to post
Share on other sites
Danut
17 hours ago, mfeitosa said:

Nossa, perdi várias atualizações!

Gostei muito do nível do elenco. Tem uma garotada evoluindo bem nos treinos e este é o maior reforço que o Pogon pode ter hoje. Damiën Terol é um monstro nos atributos. 

Que coisa incrível essa insistência do City sempre estar no seu caminho! Não é possível, cara! Caramba... 

No mais, passeou Ekstraklasa e na Puchar Polski, como já era de se esperar. Média de quase três gols por jogo e apenas 16 gols sofridos na liga. 

Acho que o desempenho tranquilo nas competições nacionais acaba por trazer um fator negativo ao Pogon. Você se sente na obrigação de atropelar todos os adversários locais, mas quando leva essa mesma postura para defrontar um time como o City, a coisa acaba desandando. 9 a 6 no placar agregado demonstra bem isso, pelo menos pra mim. 

É meio como aquela coisa que ocorre muito no Brasil em relação aos estaduais. Uma equipe vai muito bem no estadual e quando chega numa Série A, acaba demorando para se readaptar ao ambiente, em razão da presença de adversários mais fortes.

Aqui a coisa vai rápido (ao menos quando eu me empolgo, daí depois passa a empolgação e fico 30 dias sem atualizar, rs).

Sobre o elenco, é bem isso que tu falou - o caminho pra melhorar o time passa mais pela garotada evoluindo do que qualquer coisa. Com a questão de priorizar os brasileiros é bem difícil achar alguém melhor do que os jogadores atuais no mercado. Além da questão dos melhores já estarem em equipes grandes, que pagam salários mais altos, ainda tem a limitação de precisar ser alguém já com cidadania europeia. Então o jeito é ir investindo nos garotos e tentar subir aos poucos. E claro, um ou outro estrangeiro no elenco ajudam - caso do Terol, que é realmente um jogador com atributos sem igual no Pogon.

Esse negócio do City parece que o FM tá zoando com a minha cara. E nem é que sempre enfrentamos eles em algum ponto do caminho porque eles tão sempre chegando até a final (que daí a chance de pegar eles em alguma fase no meio do caminho é bem alta). É sempre já de cara, nas oitavas. Pelo menos ano que vem isso não vai acontecer - o City ficou em quinto no inglesão e só se classificou pra Liga Europa 😛

As competições internas não tem graça nenhuma mais. Posso jogar com metade do time B e metade do sub-19 que ainda vamos ser campeões da liga. Infelizmente o polonesão tem um nível muito baixo mesmo.

Sobre essa última parte, eu não tenho dúvidas de que teria uma chance maior de sucesso se mudasse a forma de jogo para enfrentar os gigantes europeus, empregando uma tática mais defensiva. Mas isso é um dos dois pilares básicos do save. O primeiro é montar uma equipe cheia de brasileiros. O segundo é jogar futebol ofensivo sempre. Então não é bem uma questão de se sentir obrigado a atacar por causa do desempenho nas competições nacionais. Mas sim porque é essa a forma que eu quero jogar nesse save. Geralmente quando jogo FM acabo chegando nos jogos importantes e metendo um 4-1-4-1 defender. Dessa vez queria justamente sair dessa zona de conforto, e ver como me saio jogando sempre pra cima, independentemente do adversário ou da situação de jogo. Tanto que a última vez que usei uma mentalidade abaixo de "atacar" foi na metade da sétima temporada (estamos na 13ª).

Teria mais sucesso jogando de outro modo? Provavelmente sim. Tem momentos onde fica bem claro que essa postura ofensiva traz problemas ao Pogon, que tenta se impor mas não consegue porque o adversário é superior. Mas pra mim esse save só faz sentido com essa proposta. Se não der certo, tudo bem. Caso chegue o momento que eu perceba que realmente não sou capaz de ultrapassar essa barreira sem repensar o estilo de jogo, arrumo minhas coisas e parto pro próximo desafio.

O que também não quer dizer que eu não busque alternativas táticas quando enfrento os grandes. Nesses últimos confrontos com o City fiz uso de um monte de instruções individuais de marcação pra tentar parar o meio deles, por exemplo. Não é que eu não adapte o jogo do Pogon ao adversário. Mas essa adaptação não passa por alterar o DNA do clube. Isso não quero fazer.

 

15 hours ago, Vannces said:

Chega a ser covardia esse time dentro do futebol polonês, mas quanto ao City, complicado, heim!

Era de se esperar que algo aconteceria, alguma mexida foi feita por parte deles, já o Pogon ficou esperando manter o ritmo, mas contra o futebol inglês é sempre arriscado, eles estão dominando o futebol. Mas preciso dizer que há esperança nesse sonho de título internacional, ou seja, esqueça de tudo que aconteceu e lembre-se apenas de uma coisa, o Pogon marcou 6 gols no Manchester em duas partidas, de resto basta trabalhar essa postura defensiva que não funcionou, porque o resto está indo bem, há alguma dúvida quanto a isso?

O Pogon já tá estudando pedir autorização pra UEFA pra ir jogar no campeonato inglês, porque no polonês não dá graça mais...

Pois então, esse intervalo de partida realmente me quebrou as pernas. Eu tentei voltar com exatamente a mesma postura do fim da primeira etapa, o 4-2-4 meio suicida. E acabou que não deu nada certo. Acho que teria sido melhor voltar atrás, para nosso esquema normal. Mas é aquela coisa, depois do jogo a gente sempre sabe melhor o que não fazer.

Eu tô bem satisfeito com a parte ofensiva. O problema realmente é ajeitar a defesa. E o problema maior é como ajeitar a defesa sem perder o espírito ofensivo que é marca do Pogon. Como coloquei no comentário acima, eu realmente não quero mudar esse estilo de jogo de tentar atacar contra o adversário que for. Então a questão é como equilibrar essas duas necessidades em uma mesma equipe.

 

34 minutes ago, Andreh68 said:

Bom, agora e partir para 100% de aproveitamento no polonês.

Concordo com o Vannces, nesses jogos sensiveis e importante jogar no completo Tem um jogo ou outro que fica monótono, mas na maioria das vezes da para perceber coisas que no amplo não vemos. Eu mantenho sempre uma janelinha com a formação do adversário. Ajuda ver as mudanças antes que seja tarde demais.

Onde tava o Flop no  primeiro jogo em casa? Se não é o Gavric ja era.

Ja tentou marcar mais amistosos com times de primeiro escalão para testar as alternativas? Usar 2 ou 3 DMs e jogar como time "reativo"?

E ano que vem pode ser que o City perca para alguém em outra chave, sonhar é permitido!

Boa sorte!!!

 

Acho que o 100% não vai vir. Talvez se eu jogasse todas as partidas treinando a equipe no jogo mesmo fosse possível. Mas usando bastante o botão de simular acaba que sempre tem um jogo onde o adversário apronta.

Tô considerando essa sugestão de vocês. Minha experiência com jogar no completo realmente não foi muito boa, mas a essa altura pode ser válida uma nova tentativa. De repente nos próximos anos faço isso.

O Carlos Antônio realmente não teve um grande jogo contra o City, ficou preso na marcação. Aliás, já dando um leve spoiler do próximo ano (me empolguei e joguei uma temporada além do postado aqui), acho que tu vai gostar das próximas atualizações...

Olha, eu não curto usar jogos amistosos pra testar tática, acho que eles dizem muito pouco. Mas é uma opção a se considerar nessa situação em que temos tão poucos jogos contra equipes grandes. Não tinha pensado nisso ainda.

Agora, quanto a jogar com 2 ou 3 DMs e time reativo... Rapaz, eu não jogo nem com 1 DM, vou jogar com 2 ou 3? Sai pra lá Celso Roth 😛

Mas falando mais sério, eu toquei nessa questão de tática no final da resposta ao mfeitosa (nesse mesmo post, mais acima). Dá uma olhada ali, porque é meio que o mesmo que tenho a te dizer. Em resumo: isso não é uma opção, porque esse save é pra ser de uma equipe que joga pra cima de qualquer adversário, que valoriza o futebol jogado pra frente acima de tudo. Ou dá certo desse jeito, ou falhamos tentando.

Ano que vem não vai ter confronto com o City porque eles ficaram em quinto no inglesão e só se classificaram pra Liga Europa. Ri demais quando descobri isso. Bem feito, time de merda.

Share this post


Link to post
Share on other sites
Henrique M.

Fez grandes jogos contra o City, francos, abertos e quase de igual para igual. Prevaleceu a maior qualidade do adversário, que tem um poderio financeiro inimaginável para os padrões poloneses, mesmo com a supremacia do Pogon. E triste a notícia do péssimo desempenho dos outros clubes na Europa, e consequente queda no ranking de coeficientes.

Share this post


Link to post
Share on other sites
Andreh68

Não tenho nada contra o gajo não, só zoando mesmo.

Jogar com DM e um pouco mais atrás não necessariamente deixa de ser ofensivo, mas entendo suas colocações, especialmente da zona de conforto.

Share this post


Link to post
Share on other sites
Danut
6 hours ago, Henrique M. said:

Fez grandes jogos contra o City, francos, abertos e quase de igual para igual. Prevaleceu a maior qualidade do adversário, que tem um poderio financeiro inimaginável para os padrões poloneses, mesmo com a supremacia do Pogon. E triste a notícia do péssimo desempenho dos outros clubes na Europa, e consequente queda no ranking de coeficientes.

Eu fiquei meio chateado com a equipe no primeiro jogo, pois apesar de ter finalizado mais não conseguimos criar grandes chances - o Gavric foi bem demais nas finalizações dos gols, mas mesmo os dois gols não eram, em si, chances de qualidade. E deixamos o City criar muita coisa. Acho que para um jogo em casa tinha que ter feito melhor.

No segundo é aquela coisa: levamos três gols antes de entrar no jogo. Depois disso jogamos bem, fizemos gols e quase ainda saímos com alguma coisa mesmo em uma situação ridiculamente desfavorável. Mas o começo do jogo foi bem ruim, não dá pra levar três gols assim. O lado positivo é que mesmo falhando tanto minha equipe deu jogo ainda.

Em termos financeiros tem nem o que falar né. E com a história de contratar brasileiros ficamos mais atrás ainda. Mas isso é o que eu me propus a jogar, agora é aguentar a própria escolha 😛

Não me preocupo tanto com a queda de coeficiente porque esse não é um foco do save. Mas que seria legal ver as outras equipes irem melhor, seria.

 

6 hours ago, Andreh68 said:

Não tenho nada contra o gajo não, só zoando mesmo.

Jogar com DM e um pouco mais atrás não necessariamente deixa de ser ofensivo, mas entendo suas colocações, especialmente da zona de conforto.

Então, sobre jogar com DM especificamente: eu quero evitar isso enquanto for possível, porque parece que toda tática minha que tem sucesso no FM tem DM. É 4-1-4-1, 3-5-2 (com duas linhas no meio, uma com ala/volante/ala, outra com dois meias centrais), pra não falar no infame 4-1-2-3 que todo mundo usa. O 4-1-2-3, aliás, é bem provavelmente a resposta para boa parte dos meus problemas. Mas quase toda vez que jogo acabo caindo nessa tática (e na sua variação 4-1-4-1 quando preciso segurar resultado). Queria evitar isso. Cheguei a treinar esquema com volante (4-2-3-1 com um volante e um meia central), mas não coloquei muito em prática. Não era isso que eu queria.

Quanto a jogar mais atrás de outras formas: não necessariamente deixa de ser ofensivo, mas é menos ofensivo do que somos atualmente. Quando comecei o save não pretendia ser tão rígido com essa questão da ofensividade. Mas com o decorrer do save vi que me divirto muito mais nesse estilo louco de sempre atacar, tanto que não uso mais mentalidade controlar ou abaixo - só atacar e sobrecarregar. Mas isso é só gosto pessoal mesmo, não há nenhuma regra que proíba que isso mude. E pode até mudar, eventualmente. Se eu não conseguir mesmo sucesso com o estilo atual eu penso na possibilidade. Não sei ainda se mudaria ou se preferiria insistir do jeito que tá até desistir de vez, isso eu vejo quando (se) chegar a hora.

Share this post


Link to post
Share on other sites
Vannces
6 horas atrás, Danut disse:

Então a questão é como equilibrar essas duas necessidades em uma mesma equipe.

Trocar algum jogador ou jogadores da parte defensiva da equipe pode fazer a diferença? Os atributos deles combinam com a atual necessidade da equipe nessas grandes competições?

Share this post


Link to post
Share on other sites
Danut
2 hours ago, Vannces said:

Trocar algum jogador ou jogadores da parte defensiva da equipe pode fazer a diferença? Os atributos deles combinam com a atual necessidade da equipe nessas grandes competições?

Então, uma questão que é complicada é a posição mais defensiva do meio de campo. Meu meio de campo é muito técnico, estamos entre os melhores do mundo em passar a bola, todo mundo com atributos técnicos altos, mas marcação e desarme fraquíssimos. Veja o André e o Marek Piatek, os dois titulares.

Isso é algo que com certeza tem que melhorar, e que eu estou cuidando nos potenciais reforços. Já trouxe o David Bartos, que embora não dê para dizer que é bom na marcação, tem atributos levemente melhores do que o resto. No meio do ano chegou também o Romulo Duarte, que foi contratado exatamente por ser um meio campista com atributos defensivos melhores - é um pouco pior na parte técnica, mas tem boa marcação e antecipação (só falha um tanto em desarme, mas vai trabalhar isso).

Uma dificuldade que eu tenho no save é que entre perceber um problema no elenco e dar um jeito nele vai muito tempo. Se for com um garoto estrangeiro até dá pra resolver em um ou dois anos. O próprio Bartos é um caso assim, acabei contratando muito por conta de achar que preciso de uma resposta melhor logo. Já para os brasileiros o ciclo geralmente leva uns 4 ou 5 anos: contrato o cara com 16 ou 17, ele chega no clube com 18, até se desenvolver e ganhar a cidadania polonesa vai mais três anos. Então é um trabalho realmente de longo prazo.

De resto estou satisfeito com a defesa. A primeira linha do time é de nível mundial, pra subir mais do que isso só com jogadores extraordinários mesmo.

Share this post


Link to post
Share on other sites
jeanslay

A torcida do city ja deve entoar o famoso "jogou como nunca, perdeu como sempre". Foda. É dificil digerir isso, ainda mais com as falhas individuais decidindo o jogo. 

Share this post


Link to post
Share on other sites
Tsuru

De novo o City e de novo eliminação. Até eu já tô ficando desanimado, imagina você depois dessa partida.

Algo que tenho pensado e que talvez te ajude também - e que me ocorreu lendo uma resposta sua ao Vannces - é que às vezes a gente tenta "jogar futebol ofensivo" ou, no meu caso, "intenso", com funções e tarefas que envolvem maior risco e maior recompensa. Não é seu caso, mas tipo, alguém que coloca por exemplo um Recuperador de Bolas tá apostando que o risco de pressionar mais forte e com mais frequência vale o fato do jogador deixar a posição e abrir um buraco no meio. 

Dito isso, talvez valha repensar a distribuição das funções e tarefas do esquema (além dos já mencionados atributos) pra que seu time jogue um futebol ofensivo, agressivo, mas seja mais equilibrado ao correr os riscos. Eu tô passando por isso no meu save também (será abordado em breve), e é algo que certamente vai me ajudar agora e no futuro.

E eu iria mais além. Talvez valha você pensar numa formação alternativa que seja firme, agressiva, mas dê menos espaços que o 4-2-3-1. Não custa testar.

Boa sorte na continuação!

Share this post


Link to post
Share on other sites
Danut
9 hours ago, jeanslay said:

A torcida do city ja deve entoar o famoso "jogou como nunca, perdeu como sempre". Foda. É dificil digerir isso, ainda mais com as falhas individuais decidindo o jogo. 

O pior é que não tem muito o que falar contra isso... realmente viramos fregueses deles. Ano passado porque o nosso capitão Carlos Antônio perdeu o pênalti. Dessa vez foi o Badé (que é o vice-capitão) quem entregou o ouro no primeiro jogo. É foda.

 

3 hours ago, Tsuru said:

De novo o City e de novo eliminação. Até eu já tô ficando desanimado, imagina você depois dessa partida.

Algo que tenho pensado e que talvez te ajude também - e que me ocorreu lendo uma resposta sua ao Vannces - é que às vezes a gente tenta "jogar futebol ofensivo" ou, no meu caso, "intenso", com funções e tarefas que envolvem maior risco e maior recompensa. Não é seu caso, mas tipo, alguém que coloca por exemplo um Recuperador de Bolas tá apostando que o risco de pressionar mais forte e com mais frequência vale o fato do jogador deixar a posição e abrir um buraco no meio. 

Dito isso, talvez valha repensar a distribuição das funções e tarefas do esquema (além dos já mencionados atributos) pra que seu time jogue um futebol ofensivo, agressivo, mas seja mais equilibrado ao correr os riscos. Eu tô passando por isso no meu save também (será abordado em breve), e é algo que certamente vai me ajudar agora e no futuro.

E eu iria mais além. Talvez valha você pensar numa formação alternativa que seja firme, agressiva, mas dê menos espaços que o 4-2-3-1. Não custa testar.

Boa sorte na continuação!

É, não tá sendo muito legal isso. Mas o jeito é ir lá e tentar de novo.

Então, sobre a questão do esquema, eu não tenho nada contra usar outro esquema, desde que não seja o 4-1-2-3. Esse eu faço questão de não usar, justamente porque parece que é sempre ele o caminho. Não quero e pronto. Quanto a outros esquemas, a questão é só descobrir um que funcione. Já treinei o 4-2-3-1 com um volante e um meia, mas não cheguei a usar muito e não me encantou. Cheguei a esboçar um esquema com três zagueiros, mas também não achei que ficou legal (ainda mais que não tenho alas no elenco, ou improviso ali ou jogo com linha de 5 atrás). Não quero tirar os pontas, porque eles são parte fundamental do nosso jogo - e alguns só sabem jogar como ponta mesmo, não sabem jogar como meia lateral por exemplo. Também não quero tirar o meia ofensivo central. Aí as opções já começam a ficar escassas... Mas eu tenho pensado nisso, só não encontrei uma saída mesmo.

Valeu 🙂

Share this post


Link to post
Share on other sites

Join the conversation

You can post now and register later. If you have an account, sign in now to post with your account.

Guest
Reply to this topic...

×   Pasted as rich text.   Paste as plain text instead

  Only 75 emoji are allowed.

×   Your link has been automatically embedded.   Display as a link instead

×   Your previous content has been restored.   Clear editor

×   You cannot paste images directly. Upload or insert images from URL.


  • Similar Content

    • Jirimias
      By Jirimias
      Fala aí, povo!   Depois de muito tempo, eis que decidi retornar ao ofício de jogar e contar saves. Apesar do tempo está ainda mais curto do que antes, a saudade era maior, e depois de ensaiar vários retornos, enfim tomei coragem. A versão do jogo escolhida é o FM 2018, pois comprei e não havia jogado. Como já estamos quase no meio do ano, achei conveniente esperar para comprar o 20, e não o 19. 
      Como vocês podem ver eu escolhi a Hungria tema deste save, e isso deve-se muito à admiração adquirida por ter conhecido um pouco do futebol mágico do país na década de 50. Soma-se a isso o imenso desafio que é jogar e desenvolver um trabalho num país que hoje vive uma realidade no futebol muito diferente daquela do passado. Estes dois fatores foram fundamentais para minha escolha.   Peço apenas a compreensão se não houver postagens regulares, mas farei o possível para tentar duas por semana, exceto por este início que há capítulos introdutórios que já estão prontos.   
      Conhecer o passado nos ajuda a compreender suas consequências no presente, seja ele este atual que estamos vivendo agora, ou aquele que virá a ser presente, a qual chamamos de futuro. Só que na maioria das vezes mexer no passado é abrir feridas , e é isso que veremos em  "O sonho proibido" . Se esta aventura de voltar ao passado sem máquina do tempo pode ser perigoso, por outro lado, também é somente através desta visita ao passado que tanto o personagem  como o próprio futebol húngaro encontrarão respostas que poderão mudar suas histórias.
      A trama passa pelo encontro entre dois personagens que viveram em épocas diferentes, mas que tem em comum um sonho: trazer de volta a glória do futebol húngaro. Átila é um jovem recém-formado em Educação Física que tem como sonho treinar um time de futebol profissional. A inspiração para sua carreira é um ex-treinador que não teve uma carreira brilhante, mas que tinha a mesma determinação em fazer de sua carreira um combate pelo resgate da grandeza do futebol da Hungria. Tal dedicação  pela Causa Húngara, como ele mesmo denominou sua busca, fez o velho treinador ser tido como lunático. Sem familiares e esquecido, o velho treinador interna-se voluntariamente num asilo onde inicia a carreira de escritor.  Quando estas duas gerações se encontrarem, nem a vida dos dois, e nem o futebol húngaro serão mais os mesmos.  
      O "Sonho proibido" tem como objetivo principal levar a Hungria ao centro das atenções do futebol mundial, e para isso, a pretensão não é fazer o save de uma única liga, mas  de uma nação. Desta forma, terei a liberdade de mudar de liga, treinar mais de um clube da Hungria, treinar seleções, trabalhar com a revelação de talentos húngaros, enfim, buscar em todos horizontes resgatar as glórias do passado do futebol do país. Em síntese, são estes os objetivos:
      Ser campeão treinando um time brasileiro, remontando a ligação do passado entre húngaros e brasileiros no futebol; Revelar um novo Puskás; Levar a Seleção Húngara à disputa de uma Copa do Mundo, que desde 1986 não acontece; Vencer uma competição europeia com um clube húngaro; Ser o melhor treinador húngaro no quadro de Honra; Colocar a Primeira Divisão Húngara entre as dez primeiras do mundo:

      (atualmente atrás das ligas de Catar, segunda divisão da Turquia, segunda divisão da Áustria, Moldávia, Egito, entre outras)        
       
    • Ari Cesar
      By Ari Cesar
      Olá a todos.
      Comprei o FM 18 e resolvi iniciar um save no Brasil de formação e base. Já estava realizando em off no FM 17 com o Milan RS e ai com a nova versão resolvi jogar da mesma forma e compartilhar. A ideia é bem similar aos demais saves de base: levar o clube a glória usando apenas a base.
      Escolha do clube
      Para escolher o clube resolvi pesquisar na base do brasil up qual seria o clube profissional com menor estádio no Brasil. Inicialmente havia encontrado um clube do RS com um estádio de 200 lugares, mas procurando um pouco mais encontrei o SC Jaraguá que possui um estádio com apenas 100 lugares. Após isso resolvi pesquisar um pouco da história e descobri que SC Jaraguá foi criado graças ao desenvolvimento da base. Dessa forma resolvi escolher o Leão do Vale para iniciar minha empreitada.
      Objetivos do save
      Resolvi colocar algumas metas que em sua maioria serão atingidos a longo prazo. Coloquei asterisco naqueles que acho ser quase impossíveis mas que gosta de ver como o FM se comporta.
      Equipe
      Utilizar a base Aplicar o modelo de jogo ofensivo visando a posse de bola e passes rápidos.  Reter o máximo de jogadores na equipe impedindo que saiam para a Europa. * Ter eleito o melhor jogador jovem do mundo. * Ter eleito o melhor jogador do mundo. *  
      Clube
      Possuir a melhor estrutura de Santa Catarina Possuir a melhor estrutura do Brasil Possuir a melhor estrutura de clube Sul Americano Se tornar o principal clube formador de Santa Catarina Se tornar o principal clube formador do Brasileiros Se tornar o principal clube formador Sul Americano Se tornar o principal clube Catarinense Se tornar o principal clube Brasileiro Se tornar o principal clube da América do Sul Ficar entre os 5 melhores clubes do mundo * Seleção
      Treinar a seleção Brasileira e conquistas todos os títulos possíveis. (adicionado 3/12/2019) Treinar alguma seleção européia e conquistar todos os títulos possíveis (adicionado 3/12/2019) Títulos
      Ganhar a campeonato catarinense [ 2040, 2041] Ganhar o Brasileiro série A Ganhar a copa do Brasil Ganhar a Sul Americana [2041] Ganhar a libertadores Ganhar o mundial de clubes Técnico
      Me tornar o melhor técnico brasileiro de todos os tempos História do clube
      O Sport Club Jaraguá nasceu inicialmente com o nome de: Associação Catarinense de Futebol Arte, quando foi fundado em 15 de abril de 2008, e no dia 25 de março de 2011, passou a ser chamado pelo nome atual. O clube iniciou suas atividades com o intuito de trabalhar com atletas da região, com idade de categorias de base. Com o passar do tempo a base foi se estruturando, parcerias foram sendo firmadas com outros clubes e empresários e, no ano de 2011, um novo clube de futebol profissional foi lançado no futebol catarinense.
      O Sport Club Jaraguá possui as cores preto, vermelho e amarelo, devido a forte imigração alemã da região.Sua estreia em competições oficiais, ocorreu na disputa da Divisão de acesso do Campeonato Catarinense de 2011 quando terminou a competição como vice-campeão.
       
      Historia do manager
      Lucas Castro é morador de Jaraguá e em sua infância/adolescência atuou na Associação Catarinense de Futebol Arte. No período de transição dos nomes Lucas abandonou a equipe por perceber que não possuía qualidade suficiente para atuar como jogador. Apesar de sua paixão pelo clube e pelo futebol Lucas decidiu cursar Educação física para no futuro ajudar a equipe fora das 4 linhas. Agora chegou esse dia e Lucas foi escolhido como técnico do Sport Clube Jaraguá. Ele não possui licença e seu passado esta como futebol amador.
       
      Em breve coloco informações sobre a equipe, formação, competições e início da aplicação da filosofia na equipe.
       
    • thyagocda
      By thyagocda
      SUMÁRIO

      Apresentação
      Sou mais um daqueles apaixonados por FM, mas por conta dos compromissos pessoais, o tempo gasto com o jogo deve ser bem equilibrado. Ano passado criei uma história aqui na PM com o Porto mas acabei interrompendo depois que descobri que eu seria pai, a gravidez passou, meu filho (Thayler) já nasceu com saúde graças a Deus. E agora que as coisas acalmaram vinha planejando o retorno a área.
       
      Estilo de Postagem
      Tentarei seguir um padrão de postagens bimestrais sobre os acontecimentos no jogo. Mas pretendo utilizar as probabilidades de apostas do jogo para gerar interatividade com os leitores entre as postagens. Pelo menos a introdução do save contará com uma "pequena ficção" e ao longo do save tentarei dar prosseguimento.
       
       

      O Desafio Real #1 | A Dany - MAI/17
      Valência - ESP

      Clique aqui para a próxima postagem
    • Lanko
      By Lanko
      Próxima>>>                 
       
      ATUALIZAÇÃO MAIS RECENTE!
      ÍNDICE
       
      E aê galera, tudo bom? Descobri o fórum recentemente há uns dias atrás, especificamente a área de histórias. Li algumas e adorei o formato e o fato que a galera resolveu postar suas jornadas e challenges interessantíssimos. 
      Enquanto jogava o FM18 fiquei pensando nas várias coisas que aconteceram e que dificilmente conseguiria guardar pra lembrar depois, especialmente as coisas memoráveis.
      Deixei quieto e segui em frente, mas como disse, encontrei essa área aqui e me arrependo de não ter pesquisado e encontrado antes. Mas antes tarde do que nunca, né! O save não tem tanto tempo e muitas dos principais eventos estão frescas na memória.
      Esse save não tem objetivos específicos a serem alcançados, simplesmente criei um perfil de treinador (sem escolher clube, comecei desempregado) e saí pro mundo pra ver no que vai dar. 
      PERFIL DO TREINADOR:
       
      Lanko Askarian sempre teve interesse por futebol, principalmente na parte tática, já que jogando ele é um grande perna de pau. Decidiu ir adiante com esse pensamento e resolveu estudar para ser técnico e dirigir uma equipe.
      Diante dos vários fracassos do Brasil na área, decidiu, corretamente ou não, ir estudar e fazer cursos na Europa. Escolheu a Inglaterra já que sabia inglês e nada dos outros idiomas. Depois de algum tempo, adquiriu profundo conhecimento tático, de treinamentos, de filosofias de jogo.
        
       
      Agora só faltava botar tudo isso em prática, e é aí que morava o problema. Lanko entrou determinado a começar 2018 como técnico, mas passou o primeiro semestre desempregado. Nem clubes brasileiros da 3a divisão quiseram sequer conceder uma entrevista.
      No fim da temporada europeia, Lanko voltou a Inglaterra, disposto a aceitar propostas da 5a ou 6a divisão inglesas só pra começar a trabalhar, mas mesmo dessa vez conseguindo entrevistas, não foi o escolhido em nenhum dos oito clubes em que bateu a porta.
       

       
      Jovem (30 anos, muito menos que muitos jogadores em atividade), sem ter comandado vestiário antes e ainda por cima estrangeiro, esses foram os principais motivos das recusas.
      Até que viu um anúncio de um clube de Portugal (o único), a Mondinense, da terceira divisão portuguesa, e decidiu entrar em contato com eles.
      O presidente foi surpreendido pelo contato. Ele acabou gostando do perfil. Avisou que o clube era pequeno, mas gostaria de ver o clube crescer e talvez tentar algo inusitado seria o primeiro passo ideal. O presidente convidou Lanko para a cidade de Mondim de Basto para assinarem o contrato.
       

       
      Lanko aceitou, muito feliz. Portugal não estava nos planos iniciais, mas quem sabe, caindo do céu, seria o melhor lugar para começar a carreira. O idioma não seria problema e Portugal era um bom país, além de ter certa história no futebol e um cenário respeitável.

      Ele sabia que o começo ia ser difícil, mas até chegar em Portugal e ver a sede da Mondinense de perto, ele não fazia ideia do quão difícil…
       
      Próxima>>>
    • RedEnd
      By RedEnd
      Pessoal Se Alguem Poder Me Ajudar Estou Com Um Erro Que o Meu Jogo Para De Carregar Quando Chega Em ''A Configurar a Base De Dados Do Jogo'' E So Estou Com o Brasil Mundi Up Na Pasta
      Editor Data Alguem Pode Me Ajudar.
×
×
  • Create New...