Ir para conteúdo
  • Cadastre-se
Danut

Brazylijska magia - Pogon contra Pogon? [atualizado em 17.02]

Recommended Posts

marciof89

Boa sorte Danut, espero que se divirta com o save e com a proposta. Legal ver que insistiu no mesmo tema mas adaptou um pouquinho para não sentir o peso de sentir que está repetindo passos. Acompanhando novamente.

Compartilhar este post


Link para o post
Compartilhar em outros sites
Danut
3 horas atrás, marciof89 disse:

Boa sorte Danut, espero que se divirta com o save e com a proposta. Legal ver que insistiu no mesmo tema mas adaptou um pouquinho para não sentir o peso de sentir que está repetindo passos. Acompanhando novamente.

Obrigado. Pois é, eu acho que repetir exatamente a mesma coisa não ia dar certo. Então fiz leves mudanças no jogo para ter uma história diferente, e tô fazendo outras na forma de contar para me divertir mais contando também. Espero que seja uma história legal.

Compartilhar este post


Link para o post
Compartilhar em outros sites
Danut

uK1DY-Xrzwm_ntYr6oljycAb7bGLsLjV2zfbAYum

Na última atualização vimos que o Pogon Szczecin teve um bom início de temporada. Carregada principalmente pela sua defesa, a equipe conseguiu conquistar 19 pontos em 11 jogos, o que a deixou na 5ª posição. Agora é hora de ver como foram os jogos entre os meses de outubro e dezembro.

 

Ekstraklasa

Nrdwznzb7jNh0oJw4jaPbEgoyP304kDx--oBCeOL

Na atualização anterior eu havia comentado que estava um pouco incomodado com a produção ofensiva da equipe. Fiz alguns pequenos ajustes táticos buscando melhorar essa parte de nosso jogo, e o resultado pode ser conferido no desempenho da equipe nesse período.

Começamos outubro com uma ótima goleada fora de casa sobre os rivais do Cracovia. No jogo seguinte uma briga direta pela segunda colocação, onde conseguimos outra grande vitória. Para encerrar o mês 100%, uma vitória diante do Wroclaw. A má notícia ficou por conta da lesão de Dawid Kort, nosso meio campista que está em grande fase – tendo inclusive sido eleito melhor jogador da liga no mês de outubro. Ficamos um mês sem o jogador.

Iniciamos novembro notando a falta que Kort faz à equipe. Não atuamos bem diante do Legia. Ainda assim, poderíamos ter vencido. Mas uma expulsão na metade da segunda etapa e uma penalidade já nos acréscimos nos roubaram a chance de levar mais dois pontos. Contra o Krakow, outra má atuação.

Nosso ataque acordou apenas no último jogo de novembro, quando derrotamos o Gliwice por 3 a 0. No primeiro jogo de dezembro, outra vitória, dessa vez em um jogo bem mais equilibrado. Szczezin e Jagiellonia protagonizaram uma linda briga direta por posição, em jogo que esteve empatado praticamente o tempo inteiro – sempre que alguém marcava um, levava outro logo na sequência. Foi só nos quinze minutos finais que minha equipe abriu vantagem e conseguiu segurar.

Infelizmente, o torcedor do Pogon não pôde comemorar muito a vitória. Isto porque estavam todos preocupados com outra lesão importante: a de nosso lateral esquerdo Ricardo Nunes. A lateral esquerda vinha sendo nossa grande arma nesse primeiro semestre, e a falta que Nunes faz ficou escancarada nos dois jogos seguintes. Até aqui, o Pogon só havia passado em branco em um único jogo. Sem Nunes, foram dois jogos em sequência sem marcar gols, incluindo uma goleada sofrida contra o Gdansk. Nem mesmo a volta de Dawid Kort foi capaz de compensar esta segunda perda. Só conseguimos marcar gols contra o fraco Arka Gdynia, no jogo de encerramento do semestre.

 

Tabela

e79xmkk4yB7uOQ50iqk-qJeqqf28kpqB22kHCTwD

Estamos na liderança!

Muito importante para isto foi o fato de que vencemos os jogos contra Termalica e Jagiellonia, adversários diretos – o Lech Poznan e o Korona Kielce também foram derrotados no período anterior. A ótima campanha no confronto direto somada à empatite do Poznan fazem com que o torcedor do Pogon possa dormir tranquilo pelos próximos dois meses, até a volta dos jogos oficiais. Claro que o campeonato ainda está muito equilibrado, e há razões para se imaginar que o Pogon não terá fôlego para manter o ritmo atual, mas para quem esperava brigar pelo meio de tabela a situação está muito boa.

Menos boa está a situação de Gdansk e Warsaw. Ambas equipes estão bastante abaixo da expectativa da imprensa, com uma distância para o líder que já soma oito pontos. Curiosamente, ambos conseguiram bons resultados no confronto direto com o Pogon – foram os demais jogos que deixaram as equipes em má posição.

Voltando a falar do Pogon, o destaque do período é mesmo a melhora do ataque. Nos primeiros onze jogos minha equipe marcou apenas 1,2 gol por jogo. Nos dez jogos deste segundo período o número se inverteu: são 2,1 gols por jogo. Já a defesa manteve o mesmo ritmo, inclusive com a mania de levar muitos gols em poucas partidas – como atestam os três gols sofridos diante do Jagiellonia e do Gdansk.

 

Destaque

Escolher apenas um jogo de destaque nesse período foi tarefa muito difícil. Deveria trazer o confronto direto com o Termalica, onde conseguimos uma bela vitória por 4 a 2 graças à mágica de Rasmussen? Ou o outro confronto direto do período, contra o Jagiellonia – um incrível 4 a 3 com direito a atuação magistral do argentino Pacheco, autor de dois gols e uma assistência?

BtXajBVPPIQ6okruSacrLH0G-kd5psOI7lj2YtFN

Acabei optando pelo primeiro, ainda que tenha sido o jogo menos emocionante dos dois. E a razão para tanto é a importância tática desse jogo para todo o período. Ele foi logo o segundo confronto de outubro, quando eu ainda tentava definir a nossa forma de jogo. Contra um adversário do topo da tabela, pensei em adotar um estilo de jogo mais cauteloso. Mas no fim das contas resolvi jogar da mesma forma que atuei no jogo anterior, com mentalidade atacante. Deu certo.

Talvez se o resultado da partida fosse outro, eu não teria insistido na mentalidade atacante. Como funcionou, passei a utilizar ela em praticamente todos os jogos. Nosso desempenho atual passa muito por essa vitória, portanto.

Outro destaque desse jogo, claro, é o hattrick de Rasmussen. Com um detalhe interessante: o jogador não tinha feito nenhuma partida como titular na liga até aquele momento. Antes do jogo com o Termalica, Rasmussen veio exigir mais tempo em campo. Resolvi ceder, até porque não estava feliz com o desempenho de quem vinha sendo titular. O jogador disse que ia compensar a oportunidade que lhe foi dada, e cumpriu a promessa com louvor.

 

Tática

um1WhQRwU77sbGOtMAlSqWbOHGGCgc6jOahy6tcn

Desde o começo do campeonato nossa equipe tem utilizado o 4-1-2-3 como sua formação. A base é a mesma desde o início do ano, mas com algumas pequenas alterações nesse segundo período.

No começo do ano, estava utilizando os dois pontas com a função de extremo. O problema é que isso tornava minha equipe muito previsível, já que nossas jogadas pelos lados consistiam basicamente em um jogador correndo até o fundo e buscando o cruzamento. Resolvi então trocar a função de Pacheco, que passou a jogar como armador avançado. Isso trouxe algumas consequências positivas que considero fundamentais para nosso momento atual:

  • a mudança liberou o próprio Pacheco para utilizar melhor suas qualidades técnicas, já que o jogador não está mais tão preso a jogar colado à linha lateral;
  • a mudança nos permite explorar melhor a habilidade ofensiva do lateral Ricardo Nunes, que antes acabava tendo seu movimento ofensivo anulado pelo fato de que Pacheco também corria por aquele lado. Com Pacheco buscando mais o meio, abre-se o corredor para a ultrapassagem de Nunes, uma jogada muito explorada pela equipe;
  • a nova movimentação de Pacheco cria uma dinâmica interessante na intermediária ofensiva, especialmente quando combinada com as movimentações de Kort (meia central atacar) e Drygas (mezzala atacar), o que cria grandes dificuldades para as defesas adversárias.

As demais funções da equipe foram definidas conforme o que entendo mais adequado para a nossa tática atual. Não pretendo entrar em detalhes aqui pois o post já está muito grande, mas se alguém quiser entender o pensamento por trás da função de qualquer jogador pode perguntar nos comentários.

Em termos de instruções coletivas, estamos jogando com maior liberdade criativa, passes curtos e mentalidade atacante. Estas instruções vão de encontro ao estilo de jogo que quero implementar no Pogon, de domínio das ações e futebol ofensivo. Destaque para a mentalidade atacante, que tem sido utilizada até mesmo nos jogos fora de casa e está funcionando bastante bem.

Para encerrar, queria falar também do que considero os pontos fracos da tática – aquilo que pode acabar sendo um problema daqui para a frente. Acho que existem duas questões que podem acabar assombrando o treinador no futuro, custando pontos ao Pogon.

A primeira delas é que, ainda que as movimentações dos jogadores tenham se tornado muito menos previsíveis com a mudança na função de Pacheco, nosso jogo continua a ser muito focado no lado esquerdo do campo. Se os adversários começarem a reforçar aquele lado teremos que ser capazes de criar algo pelo lado direito. Até o momento, isso não ocorre.

O segundo ponto importante é que a mentalidade ofensiva faz com que minha equipe jogue em alta intensidade. Isso traz como consequência um maior desgaste físico e pode impactar no número de lesões. A pausa de inverno vem em ótimo momento para o clube, que já estava sofrendo com uma série de pequenas lesões como as de Kort e Nunes (outros jogadores também se lesionaram brevemente no período, perdendo um ou dois jogos). Mas é preciso ficar de olho para ver se o mesmo não irá acontecer a partir da metade do segundo semestre.

 

Compartilhar este post


Link para o post
Compartilhar em outros sites
Master Darthz

Lidera o campeonato, e apesar da igualdade entre as quatro primeiras equipas, está a fazer um excelente campeonato.

A táctica que apresentou é muito semelhante ao esquema que costumo usar também. Não sinto segurança na defesa para jogar sem um trinco, mesmo que seja com funções de construção.

Editado por Master Darthz

Compartilhar este post


Link para o post
Compartilhar em outros sites
Danut
47 minutos atrás, Master Darthz disse:

Lidera o campeonato, e apesar da igualdade entre as quatro primeiras equipas, está a fazer um excelente campeonato.

A táctica que apresentou é muito semelhante ao esquema que costumo usar também. Não sinto segurança na defesa para jogar sem um trinco, mesmo que seja com funções de construção.

Estou bem feliz com o campeonato até agora mesmo. Vamos ver se conseguimos manter.

O 4-1-2-3 é uma tática muito bem equilibrada mesmo. Acaba que quase todo mundo usa ela. Isso até me incomoda um pouco no FM, gostaria de evitar a mesma formação de sempre. Mas considerando como fui no meu save anterior, preferi ficar com o seguro.

Compartilhar este post


Link para o post
Compartilhar em outros sites
Henrique M.

Teve um começo interessante, mas as coisas se acertaram de tal maneira, que o Pogon nesse momento é líder. Vamos ver como o time lida com a pressão de ser o time a ser batido.

Compartilhar este post


Link para o post
Compartilhar em outros sites
Danut
9 horas atrás, Henrique M. disse:

Teve um começo interessante, mas as coisas se acertaram de tal maneira, que o Pogon nesse momento é líder. Vamos ver como o time lida com a pressão de ser o time a ser batido.

As coisas deram muito certo nesse segundo período mesmo. De um lado temos que lidar com a pressão. De outro, com o cansaço físico dos jogadores. Acho que isso pode acabar até sendo mais complicado.

Compartilhar este post


Link para o post
Compartilhar em outros sites
PedroJr14

Vixi Maria! Agora o negócio tá andando. Já treinei o Rasmussen no Midtjylland e lá pela Dinamarca ele metia gol pra caralho. Já meteu um hat-trick por aí, mas acredito que ele não seja o titular da ponta de lança, muito por conta da idade também, mas não despreze ele, ele pode ser importante.

Fez bem em mudar a função de Pacheco, agora ele poderá explorar as ultrapassagens de Nunes, com uma boa presença de área do Centroavante e a aproximação dos meias, isso com certeza vai fazer muita diferença. Também faço isso com meus jogadores de lateral de campo, a menos que os pontas sejam muito bons, aí deixo por conta deles mesmo e procuro um lateral mais defensivo.

Outra coisa, o que acontece com o Legia aí? O time mais dominante da Ekstraklasa na década parece não estar muito bem das pernas. Wisla Krakow e Górnik Zabrze, os maiores campeões, também não estão muito bem, no caso do Zabrze isso já faz algumas décadas. rs

Boa sorte na continuação!

 

Compartilhar este post


Link para o post
Compartilhar em outros sites
Neynaocai

Pelo visto, outra vida mesmo. Que continue bem e leve a magia brasileira ao sucesso.

Não rola uma barquinha de brasileiros na próxima temporada? hahaha

Compartilhar este post


Link para o post
Compartilhar em outros sites
marciof89

É rapaz, #empolgou.

Se tornou time sensação e vem mostrando credenciais para faturar o caneco, só não pode desanimar.

Você falou de táticas ontem no Boteco e foi bom reparar na tática que vem usando, acho ela uma das variações mais equilibradas dentre as 4-2-3-1 possíveis.

Curiosa a temporada do Legia.

Boa sorte!

Compartilhar este post


Link para o post
Compartilhar em outros sites
ggpofm

Creio que já era esperado um bom desempenho do Pogon depois do que você disse sobre o reboot do save, mas espero que o time não seja campeão na primeira temporada. Será que não?

Compartilhar este post


Link para o post
Compartilhar em outros sites
Vannces

Danut, muito boa atuação da equipe até o momento e não é nenhum exagero dizer que o título é uma realidade. Você minuciou a tática e as funções de alguns jogadores, principalmente quanto às instruções ofensivas que no caso é de alta intensidade e como disse, realmente perigoso quanto à possibilidade de lesões e desgastes. Terá que ter muito cuidado nesse quesito, pois muitas perdas de jogadores por lesões pode comprometer o restante da temporada. Fará alguma contratação ou pretende ainda mexer em algum setor do time nesse período de férias de Inverno? Boa sorte na sequência.

Uma curiosidade: no seu save, dá uma busca pelo Garbarnia e veja se ele conseguiu subir para a I LIga.

Compartilhar este post


Link para o post
Compartilhar em outros sites
Danut
20 horas atrás, PedroJr14 disse:

Vixi Maria! Agora o negócio tá andando. Já treinei o Rasmussen no Midtjylland e lá pela Dinamarca ele metia gol pra caralho. Já meteu um hat-trick por aí, mas acredito que ele não seja o titular da ponta de lança, muito por conta da idade também, mas não despreze ele, ele pode ser importante.

Fez bem em mudar a função de Pacheco, agora ele poderá explorar as ultrapassagens de Nunes, com uma boa presença de área do Centroavante e a aproximação dos meias, isso com certeza vai fazer muita diferença. Também faço isso com meus jogadores de lateral de campo, a menos que os pontas sejam muito bons, aí deixo por conta deles mesmo e procuro um lateral mais defensivo.

Outra coisa, o que acontece com o Legia aí? O time mais dominante da Ekstraklasa na década parece não estar muito bem das pernas. Wisla Krakow e Górnik Zabrze, os maiores campeões, também não estão muito bem, no caso do Zabrze isso já faz algumas décadas. rs

Boa sorte na continuação!

 

No momento está tudo indo muito bem mesmo. Sobre o Rasmussen, eu não dava muito pra ele por conta da idade e por ser lento e tal. Mas como acabei tendo que prometer a titularidade pra ele, me vi forçado a escalar o cara de qualquer modo. Na estreia ele foi muito bem. Depois não fez mais gol - só que eu tô com a impressão de que ele teve uma lesão também. Infelizmente tô sem acesso ao save por estar viajando, então não posso te confirmar 😕 De qualquer modo, vamos voltar a falar dele no futuro.

Essa mudança na função do Pacheco foi muito interessante para a equipe. Eu comecei usando ele de extremo porque era o que o jogo dizia que ele faz melhor. Mas ele tem qualidade pra fazer mais do que só correr com a bola. E o Nunes é um grande jogador, faz sentido tentar explorar ele no ataque.

A campanha do Legia tá bem esquisita mesmo. Esperava mais deles. Mostra o equilíbrio da liga, pois até o time grande pode ficar perdido lá no meio. Por isso precisamos cuidar bastante na sequência.

 

12 horas atrás, Neynaocai disse:

Pelo visto, outra vida mesmo. Que continue bem e leve a magia brasileira ao sucesso.

Não rola uma barquinha de brasileiros na próxima temporada? hahaha

Pois é, por enquanto está tudo ótimo. Mas ainda tem muito campeonato pela frente.

Olha, tenho dois olheiros trabalhando em tempo integral na busca de talento em solo brasileiro. Não posso garantir nada no momento, mas estamos de olho no que surge por aí.

 

10 horas atrás, marciof89 disse:

É rapaz, #empolgou.

Se tornou time sensação e vem mostrando credenciais para faturar o caneco, só não pode desanimar.

Você falou de táticas ontem no Boteco e foi bom reparar na tática que vem usando, acho ela uma das variações mais equilibradas dentre as 4-2-3-1 possíveis.

Curiosa a temporada do Legia.

Boa sorte!

Empolgou a torcida só se for. O treinador ainda está com os pés no chão, contando quantos pontos precisa para fugir do rebaixamento 😛

Brincadeiras à parte, acho que ainda falta muito para o título. Tem bastante gente na briga, e nossa tática pode apresentar problemas no próximo semestre.

Eu fiz a pergunta no Boteco justamente por imaginar que quase todo mundo estaria usando o 4-1-2-3, pois vejo ela como a tática mais simples de se equilibrar no FM. Me surpreendi até em ver que o pessoal parece usar mais o 4-2-3-1 mesmo.

O Legia tá decepcionando a torcida. Acho até que trocaram treinador já (mas tô sem acesso ao save pra te dar certeza).

Obrigado.

 

9 horas atrás, ggpofm disse:

Creio que já era esperado um bom desempenho do Pogon depois do que você disse sobre o reboot do save, mas espero que o time não seja campeão na primeira temporada. Será que não?

Bem, era pouco provável que eu teria conseguido animar com o save com uma temporada de estreia ruim, realmente. Mas entre isso e o título há um longo caminho de possibilidades. Independentemente do resultado final, sei que posso contar com tua corneta 😛

 

15 minutos atrás, Vannces disse:

Danut, muito boa atuação da equipe até o momento e não é nenhum exagero dizer que o título é uma realidade. Você minuciou a tática e as funções de alguns jogadores, principalmente quanto às instruções ofensivas que no caso é de alta intensidade e como disse, realmente perigoso quanto à possibilidade de lesões e desgastes. Terá que ter muito cuidado nesse quesito, pois muitas perdas de jogadores por lesões pode comprometer o restante da temporada. Fará alguma contratação ou pretende ainda mexer em algum setor do time nesse período de férias de Inverno? Boa sorte na sequência.

Uma curiosidade: no seu save, dá uma busca pelo Garbarnia e veja se ele conseguiu subir para a I LIga.

Olha, eu acho que a essa altura falar em título é exagero sim 😛 Vamos com calma. Principalmente por conta do meu medo de que os jogadores sofram lesões que compliquem nossa situação.

Logo mais (se não desistir e pegar no sono) trago a atualização de inverno. Como joguei com fundos para transferência liberados logo de saída, houve mais movimentação nessa janela do que o normal para uma primeira temporada. Então vamos ter algumas mudanças sim. Mas eu não tinha nenhuma contratação específica em mente, só fizemos negócios com base no que os outros queriam (pra tirar jogadores do meu clube) e no que surgiu (pra trazer jogadores).

Vou ficar te devendo a informação do Garbarnia porque estou viajando e sem acesso ao save. Amanhã volto pra casa. Se não trouxer ela até domingo é porque esqueci, pode me cobrar de novo daí.

Compartilhar este post


Link para o post
Compartilhar em outros sites
Danut
@PedroJr14, só pra complementar a resposta anterior agora que tô com acesso ao save: o Rasmussen fez os 3 gols na estreia, daí jogou mais 3 partidas onde foi mais ou menos, mas aí se lesionou. Então realmente não deu tempo de avaliar ainda se ele tem futebol pra ser titular mesmo ou se depois de cumprir a promessa de titularidade ele volta para o banco.
 
@Vannces, o Garbarnia tá em 10º lugar da I liga perto do final da segunda temporada. Então sim, subiram.

 

Compartilhar este post


Link para o post
Compartilhar em outros sites
Danut

C_qPftz9t2nXSOIFUM-H3LfrZ4WeyuWlF4WhJDzY

Os meses de outubro a dezembro foram bastante proveitosos para o Pogon Szczecin. Depois de algumas mudanças táticas efetuadas pelo treinador a equipe melhorou bastante seu desempenho ofensivo, e com isso escalou a tabela de classificação até a liderança. Com a chegada da janela de inverno, é hora de ver quem entrou e saiu do clube, além de acompanhar os jogos restantes da primeira fase da liga.

 

Transferências

doptuJat5xCuI2OR6EzAvsNALTV96EYXYReuzRbR

Uma das características de se jogar em uma liga periférica é o assédio dos grandes clubes estrangeiros sobre os jovens promissores. Com o Pogon não foi diferente, e a janela de inverno representou a despedida de dois garotos que rumaram para o futebol inglês. A saída mais sentida no curto prazo é a de Marcin Listkowski, de 19 anos. Embora sua posição natural seja atacante, o jogador vinha fazendo boas atuações como titular da ponta direita, tendo participado diretamente de cinco gols na temporada. O Swansea ofereceu 200 mil pelo jogador, com mais 400 mil dependentes de certas condições. Pedi os 600 mil em dinheiro vivo, mais outros 600 mil condicionados e ainda o direito de ficar com 50% do lucro da próxima transferência. Achei que os ingleses iriam trazer nova proposta, mas eles aceitaram de imediato.

Já no longo prazo a saída que deve doer mais é a de Sebastian Walukiewicz. O zagueiro de apenas 17 anos tem potencial para ser craque, mas a negociação com o Stoke City chegou em um ponto bastante tentador: 1 milhão de euros na hora, quase 2 milhões em cláusulas e ainda metade do lucro da próxima transferência. Uma venda recorde para o clube. Além disso, havia um detalhe fundamental: o Legia - clube formador do atleta - possuía uma cláusula que permitiria recontratá-lo por apenas 100 mil euros. Portanto era melhor aceitar o dinheiro dos ingleses do que arriscar perder o jogador quase de graça no futuro.

Além dos garotos tivemos também a saída de Lukasz Zwolinski, um atacante de 24 anos que estava sobrando no elenco. Queria ao menos ficar com parte do passe do jogador para lucrar no futuro, mas o máximo que consegui foi liberá-lo de graça para o Arka Gdynia - e ainda vamos continuar pagando parte de seu salário.

Nas entradas, realizamos duas contratações em negócios de ocasião. No primeiro deles, fui avisado de que seria possível pegar o lateral direito Gerard Valentín por empréstimo do Deportivo La Coruña, com quem temos uma parceria. No momento do empréstimo eu não sabia nenhum atributo do jogador, mas como era de graça mesmo resolvi arriscar - afinal, se o La Coruña havia pago 700 mil euros no jogador seis meses antes, ele não deveria ser tão ruim. De fato, Valentín parece ser muito melhor do que nosso reserva da posição, e poderá ajudar muito o clube durante a próxima temporada e meia.

A outra contratação foi iniciativa de meu diretor desportivo. Embora estivesse satisfeito com o elenco, eu estava pensando que gostaria de contar com mais um homem de meio campo para cobrir eventuais lesões. E foi justamente para esse espaço que meu diretor desportivo encontrou Rafal Figiel. O jogador de 26 anos chega do Rakow Czestochowa por 175 mil euros, em negociação realizada inteiramente pela diretoria do Pogon (entrei apenas na negociação contratual). Curiosamente, Figiel jamais jogou na Ekstraklasa - sua carreira oscilou entre o segundo, o terceiro e o quarto(!) nível do futebol polonês. Mesmo sem um currículo impressionante, acho que o jogador tem capacidade de ser um bom reserva, tendo sido um ótimo achado da diretoria.

 

Ekstraklasa

Ock4Lzqb6GnbRAcFbH_9YXJhMnFgeGA4_Hdnf19W

A equipe desacelerou um pouco na reta final do campeonato, até porque enfrentamos muitos adversários de peso. Além disso, por uma coincidência da tabela enfrentamos todos os adversários mais fracos em casa, e os mais fortes fora. Em casa fizemos a obrigação, vencendo todos os jogos – destaque para a goleada sobre o Cracovia, construída ainda no primeiro tempo. Fora sofremos muito mais. Não vencemos nenhum dos jogos como visitantes, e perdemos para o rival Poznan e para o Korona Kielce.

Claro que há de se considerar a diferença de qualidade dos adversários, mas o treinador também precisa encontrar uma solução para os jogos como visitante, pois não podemos depender de uma campanha perfeita em nossos domínios.

Por fim, quero dar destaque para a ótima fase de Rasmussen nos jogos finais. Após uma estreia com hattrick, o atacante não havia marcado mais nenhum gol, decepcionando bastante a torcida. Agora parece ter encontrado o caminho, sendo responsável direto pelos pontos conquistados nos últimos quatro jogos. 

 

Tabela

V1dOu7V6_pk_KmmkwRq1OcWGih1yCtAIz0l0-kyr

Pode parecer um tanto surpreendente levando em consideração os nossos resultados fora de casa, mas ainda estamos na liderança da competição. A reta final foi marcada por alguns tropeços de quem vinha logo atrás – tanto que Legia e Jagiellonia, que agora estão em nossa cola, iniciaram o segundo semestre em 7º e 5º lugares, respectivamente.

Vamos agora para os sete jogos derradeiros da temporada. A classificação está ainda totalmente embolada – apenas o Wisla Krakow entrou de perdido no grupo de apuração do campeão. Do Pogon até o Korona Kielce todos ainda tem chances de título. Com um pouco de sorte, até o Gdansk entra na briga. E há a briga pelas vagas continentais, é claro.

Dos sete jogos finais, faremos quatro em casa (acredito que a posição na primeira fase defina isso, pois todos os quatro primeiros jogarão uma a mais em casa). Korona Kielce, Termalica, Legia Warsaw e Jagiellonia. Ou seja: quatro das cinco equipes que vêm logo atrás de nós. Os confrontos fora serão um pouco mais tranquilos: Wisla Krakow, Lech Poznan e Lechia Gdansk. Resta agora saber se isso se mostrará como uma grande sorte – pois nos permite enfrentar os adversários mais fracos fora de casa, aumentando a chance de um resultado positivo em situação adversa – ou um grande azar – pois se não vencemos mesmo fora era melhor enfrentar os adversários que devem nos tirar pontos de qualquer modo.

 

Destaque

haaXEblKVV3q901ZxCGTS1emgIMBPnYfstdjpNSq

Na atualização anterior eu havia comentado que o Legia Warsaw decepcionava. A equipe se encontrava na sétima colocação, a oito pontos da liderança. Na virada de ano a equipe embalou: até a última rodada, a equipe tinha seis vitórias, um empate e uma derrota no ano. Com isso, chegou ao confronto com o Pogon a apenas três pontos de distância.

O jogo, portanto, valia a liderança final da primeira fase. E o que se viu dentro de campo correspondeu às expectativas. Empurrado por 30 mil torcedores, o Legia tomou a frente das ações. O Pogon por sua vez buscava o contra-ataque. Logo no começo, um gol para cada lado. Na segunda etapa conseguimos a virada, mas ela não durou. O detalhe é que o empate do Legia veio em um lance irregular, de claro impedimento – o bandeirinha tremeu e ficou quieto.

Ainda assim, eu estava satisfeito com o empate. Até que aos 84 minutos minha equipe se lançou demais ao ataque em uma jogada de bola parada e levamos o gol no contra-ataque. Fiquei muito puto, seria inadmissível perder um jogo desses porque todo mundo quis ir pra frente na hora da falta. Mas a redenção veio também através de uma cobrança de falta, com Rasmussen recebendo a bola na área pra finalizar com força já nos acréscimos.Vamos para a segunda fase em leve vantagem.

 

Base

xdOppLS301mTZ-rBFVfoir_cdfMSx7NzcA2XO_7T

Fiquei um tanto quanto decepcionado com os garotos surgidos esse ano. O goleiro Kotowicz é a grande promessa, e além dele também pode ser que Piotr Bednarz se torne um bom jogador. Os demais não eram aproveitáveis e foram mandados embora.

Compartilhar este post


Link para o post
Compartilhar em outros sites
Herr Jones

O Pogon vai fazendo uma campanha sensacional no campeonato e tem tudo para brigar pelo título, mesmo eu achando que seja difícil conquistá-lo no final por conta dos próximos adversários serem justamente aqueles que o time tem mais dificuldade de enfrentar, mas é aquilo: você vai jogar contra eles e eles também vão jogar entre si, então se mantiver uma consistência é capaz de conquistar o troféu. 

Uma pena o assédio dos times ingleses, mas achei que conseguiu fazer bons negócios e no futuro pode ser que pinte um bom dinheiro pro clube. Quanto à fornada, realmente veio bem fraca. Acho que o goleiro tem tudo pra ser um bom nome pro plantel principal no futuro, mas dependerá de como ele se desenvolver.

Boa sorte na sequência!

Compartilhar este post


Link para o post
Compartilhar em outros sites
Danut
39 minutos atrás, Herr Jones disse:

O Pogon vai fazendo uma campanha sensacional no campeonato e tem tudo para brigar pelo título, mesmo eu achando que seja difícil conquistá-lo no final por conta dos próximos adversários serem justamente aqueles que o time tem mais dificuldade de enfrentar, mas é aquilo: você vai jogar contra eles e eles também vão jogar entre si, então se mantiver uma consistência é capaz de conquistar o troféu. 

Uma pena o assédio dos times ingleses, mas achei que conseguiu fazer bons negócios e no futuro pode ser que pinte um bom dinheiro pro clube. Quanto à fornada, realmente veio bem fraca. Acho que o goleiro tem tudo pra ser um bom nome pro plantel principal no futuro, mas dependerá de como ele se desenvolver.

Boa sorte na sequência!

Essa fase final não é fácil pra ninguém né. Apesar de ter estranhado um pouco, achei legal dessa fórmula do polonesão que ela obriga o time que quer ser campeão a mostrar a que veio contra os times mais fortes. Não dá pra contar só com vitória contra time fraco, na hora que a coisa aperta mesmo todo adversário é difícil.

Mas concordo com a avaliação de que o título é difícil. Vamos tentar, claro, mas serão sete jogos bem complicados.

O mais triste é não poder ver os garotos se desenvolverem no clube. Mas do ponto de vista da equipe acho que o dinheiro agora pode ser mais útil do que um jogador bom no futuro. E ainda temos uma parcela da próxima venda, então pode vir dinheiro no futuro também.

Esperava ter mais um ou dois jogadores úteis na fornada ao menos. Paciência. Se o goleiro se desenvolver mesmo já estamos no lucro.

Obrigado 🙂

Compartilhar este post


Link para o post
Compartilhar em outros sites
LC

Assédio as jovens promessas acaba com qualquer planejamento. Se você não vende eles começam a reclamar e isso contamina o balneário. Como cordo com o Jones. Se mantiver uma regularidade o título é possível, mesmo com toda a dificuldade. Boa sorte na sequência.

Compartilhar este post


Link para o post
Compartilhar em outros sites
Master Darthz

Ligas mais pequenas são sempre complicadas para manter jogadores, pois querem jogar em clubes maiores e ligas superiores. 

De qualquer forma conseguiu segurar o primeiro posto da fase regular, e agora nos sete jogos finais talvez consiga um resultado importante. Não vou arriscar em título porque não é obrigação, mas já que está na luta... 

Compartilhar este post


Link para o post
Compartilhar em outros sites
Danut
1 hora atrás, LC disse:

Assédio as jovens promessas acaba com qualquer planejamento. Se você não vende eles começam a reclamar e isso contamina o balneário. Como cordo com o Jones. Se mantiver uma regularidade o título é possível, mesmo com toda a dificuldade. Boa sorte na sequência.

Quanto ao Walukiewicz eu já não estava planejando com ele mesmo, pois sabia que o assédio viria. O Listkowski que me surpreendeu dos ingleses quererem agora, mas felizmente temos alternativas no elenco. E realmente, recusei algumas propostas pelo Walukiewicz (de outros clubes ingleses que não queriam pagar o que achava que ele valia) e ele já ficou chateado. No fim é melhor ceder.

Considerando que estamos na liderança a sete rodadas do final, não há como dizer que o título não é possível. Mas será difícil. Obrigado.

 

1 hora atrás, Master Darthz disse:

Ligas mais pequenas são sempre complicadas para manter jogadores, pois querem jogar em clubes maiores e ligas superiores. 

De qualquer forma conseguiu segurar o primeiro posto da fase regular, e agora nos sete jogos finais talvez consiga um resultado importante. Não vou arriscar em título porque não é obrigação, mas já que está na luta... 

Pois é. Mas tem um lado interessante nisso, ao forçar o jogador a se adaptar.

Também acho que o título não é obrigação. Mas não há como negar que estamos na briga, realmente. Afinal, estamos na liderança faltando sete rodadas... Por outro lado, o Legia está vindo com muita força.

Compartilhar este post


Link para o post
Compartilhar em outros sites
Tsuru

Muito disputada essa temporada e de fato todos os primeiros colocados têm chances. Mas acho que o Pogon leva.

E esse goleiro hein? Tem tudo para virar uma estrela do clube.

Boa sorte na continuação!

Compartilhar este post


Link para o post
Compartilhar em outros sites
Danut
1 hora atrás, Tsuru disse:

Muito disputada essa temporada e de fato todos os primeiros colocados têm chances. Mas acho que o Pogon leva.

E esse goleiro hein? Tem tudo para virar uma estrela do clube.

Boa sorte na continuação!

Acho que ainda está muito aberto para cravar quem será o campeão.

Olha, eu espero que ele atinja seu potencial. Se chegar lá pode ser um grande nome mesmo.

Obrigado 🙂

Compartilhar este post


Link para o post
Compartilhar em outros sites
marciof89

O Legia acordou, e agora tem pelo menos 6 times na fase final disputando título. A parada promete ser bem tensa até o fim. Mas acho as regras desses campeonatos muito enroladas, deveria ser baseado em pontos corridos, terminou em primeiro é campeão e acabou ahushasuhas (devo ser o único que detesta a versão antiga do Brasileirão, por ex).

No mais, revelou 2 jogadores de futuro. Antes ter 2 do que nenhum.

Boa sorte nessa reta final!

Compartilhar este post


Link para o post
Compartilhar em outros sites
Danut
2 minutos atrás, marciof89 disse:

O Legia acordou, e agora tem pelo menos 6 times na fase final disputando título. A parada promete ser bem tensa até o fim. Mas acho as regras desses campeonatos muito enroladas, deveria ser baseado em pontos corridos, terminou em primeiro é campeão e acabou ahushasuhas (devo ser o único que detesta a versão antiga do Brasileirão, por ex).

No mais, revelou 2 jogadores de futuro. Antes ter 2 do que nenhum.

Boa sorte nessa reta final!

Pois é, a campanha deles nessa fase final tá sendo muito boa. É o time a ser batido, certamente.

Sobre as regras, elas são basicamente pontos corridos né. Só que com um "terceiro turno" envolvendo apenas metade das equipes. Antes até tinha umas regras de que ficavam só metade dos pontos da fase anterior e tal, mas agora é só um turno extra mesmo. Não acho tão ruim. E a versão anterior do brasileirão era mais legal, saudades das finais.

É, os dois jogadores ali podem ser bons. O que me decepcionou é o nível do resto da base. Esperava mais gente com potencial pra ser alguém no futuro, mas não se salvava um.

Obrigado 🙂

Compartilhar este post


Link para o post
Compartilhar em outros sites
Danut

EHooyht_jeHsaA4q1bCXHMyl9D8mTiKgQwYgSJZG

Na última atualização vimos como foi a campanha do Pogon até o final da primeira fase. Apesar de uma certa dificuldade nos jogos fora de casa, o time conseguiu se manter na liderança, com três pontos de vantagem. Agora vamos ver o que aconteceu nos jogos decisivos. Como são apenas sete partidas, resolvi mudar o estilo e contar cada uma com um pouco mais de detalhes.

 

Ekstraklasa

Pogon Szczezin 4x0 Korona Kielce – 31ª rodada

Disse a meus jogadores para vingar a derrota sofrida no último confronto, em março. Eles entraram em campo com fogo nos olhos e passaram por cima do adversário, com dois gols em cada etapa. Uma exibição que nos garantiu sete dos onze jogadores da equipe da semana. Com os resultados paralelos, chegamos a quatro pontos de vantagem na liderança.

 

Wisla Krakow 0x3 Pogon Szczezin – 32ª rodada

Marcamos o primeiro gol aos 28 minutos e dominamos as ações em toda a primeira etapa. Logo no começo do segundo tempo tivemos a oportunidade de aumentar a vantagem, em cobrança de pênalti que o goleiro adversário espalmou pra fora. Pensei que seria o lance que renovaria as forças dos donos da casa. Mas a sorte está mesmo sorrindo para o Pogon. Imediatamente após o pênalti marcamos o segundo gol, na cobrança de escanteio. Ao final ainda marcamos o terceiro, fechando a goleada. Mais uma vez os resultados paralelos ajudaram, e nossa vantagem aumentou para cinco pontos.

 

Pogon Szczezin 0x4 Termalica – 33ª rodada

HFlwRkOYMKxZoPooOvqb3wX04QNhCbYa6itBqH6l

Nossa atuação não foi tão ruim quanto o resultado – levamos dois gols nos acréscimos, quando estávamos com dez homens devido à lesão de um de meus zagueiros. Mas merecemos a derrota de qualquer forma. Além de perder bastante de nossa vantagem – reduzida a dois pontos – ainda perdemos um dos zagueiros titulares pelo resto do campeonato.

 

Lech Poznan 3x2 Pogon Szczezin – 34ª rodada

Um jogo que já seria muito complicado de qualquer forma, mas que ficou ainda pior com a lesão de Spas Delev aos dez minutos de jogo. Chegamos a sonhar com a vitória na segunda etapa, mas o Poznan logo empatou e, nos minutos finais, conseguiu a virada. O resultado nos tirou da liderança, que passou a ser do Legia Warsaw – justamente o próximo adversário.

 

Pogon Szczecin 3x1 Legia Warsaw – 35ª rodada

NMJ7fkqVDOsM0nhFv_Y-udhh4qOC9F21dF9Xlntp

O jogo era praticamente uma final antecipada. Uma vitória nossa e voltaríamos à liderança, dependendo apenas das próprias pernas nos dois jogos finais. Uma derrota ou mesmo um empate, e o título estaria inteiramente nas mãos do Legia. Por conta da importância do jogo fiz algo que raramente faço: disse a Spas Delev para tomar uma injeção contra dor e ir pro jogo mesmo lesionado.

Em campo, as coisas começaram muito mal. O Legia abriu o placar já aos 7 minutos. Aliás, minha equipe fez um primeiro tempo inteiro muito ruim. Mas fomos salvos por uma bola: depois de um cruzamento despretensioso para a área Spas Delev pegou a sobra e mandou forte pro meio. Ela bateu no zagueiro do Legia e entrou.

Na volta do intervalo continuamos cometendo muitos erros. Em um deles, meu zagueiro derrubou o atacante adversário na área. Pênalti. Para nossa sorte, mal batido – e meu goleiro pulou certo para fazer a defesa, nos mantendo na briga pelo título.

Mesmo sendo o Pogon quem precisava da vitória o Legia continuou pressionando. Até que aos 70 minutos Buksa, que entrara pouco antes, recebeu a bola na frente da área e mandou de primeira no ângulo. Era a virada do Pogon.

O 2 a 1 mudou completamente a imagem do jogo. Passamos a controlar as ações. Os jogadores que estavam errando tudo até ali começaram a acertar. Aos 81 minutos, veio a confirmação da vitória: Spas Delev – de novo ele – recebeu uma bola enfiada no canto da área e chutou cruzado, matando o goleiro.

O mais curioso é que por muito pouco Spas Delev não jogou essa partida na outra equipe. Isto porque Pogon e Legia foram até o último dia da janela de inverno negociando a venda do jogador, mas ela acabou não saindo. Com a janela de verão se aproximando o treinador do Legia voltou a declarar que quer Delev, e a novela pode se repetir. Pelo que fez contra eles agora, o ponta justifica o interesse.

 

Lechia Gdansk 0x2 Pogon Szczezin – 36ª rodada

Havia dito antes de iniciar a fase final que imaginava precisar de ao menos uma vitória e um empate nos jogos fora de casa para poder brigar pelo título. A previsão não poderia estar mais acertada: um empate nesse jogo nos deixaria com o mesmo número de pontos que Legia Warsaw e Lech Poznan, mas com vantagem nos critérios de desempate. Fizemos mais do que isso e conseguimos uma ótima vitória. Graças a ela vamos ao último jogo precisando de apenas um empate para conquistar o título.

 

Pogon Szczezin 3x0 Jagiellonia – 37ª rodada

aSAk2omm-mWBCOHw2SZ-ckUr43j2us3E1tRL8EI7

O empate bastaria para o título, mas fizemos mais do que isso. Embalados por um Spas Delev em atuação magistral – apesar de ser o terceiro jogo seguido que atuava sob efeito de analgésicos –, conseguimos uma goleada para fechar o ano com chave de ouro, soltando o grito de campeão.

 

Tabela

6aNr0_4g6kF6xMMb2tFbmZwEz-Ue52eV9hjA6378

Grupo de despromoção - destaque para o triplo empate em pontos na briga contra o rebaixamento.

Pela primeira vez, o Pogon Szczecin é campeão nacional! Depois de um começo razoável fizemos algumas alterações táticas que levaram a equipe a outro nível. Ainda assim, foi um campeonato muito disputado. O Legia arrancou muito bem na reta final e quase levou. Mas dependíamos apenas de nós mesmos. Com mais sorte do que juízo levamos a melhor no confronto direto, e não vacilamos na hora de finalizar o que começamos. Com o título, levei o prêmio de melhor treinador da divisão.

Como já destacado acima, o mês chave para nossa campanha foi outubro. Foi em outubro que alteramos nossa tática, resultando em um mês de vitórias e, simbolicamente, a primeira vez que estivemos na liderança (naquele momento por apenas uma rodada). Depois de pegar o gostinho de estar no topo minha equipe não descansou mais, e fizemos uma campanha que vai entrar para a história.

 

Elenco

IizAbBuZe4gyrKEnqUhy8rF8OjUn4jNFqQfXyVLY

Infelizmente vou ficar devendo a imagem tradicional do elenco ao final da temporada, pois aparentemente esqueci de tirar esse print e só tenho jogo salvo após a virada de época.

Ricardo Nunes, Sebastian Rudol, Dawid Kort e Spas Delev foram escolhidos para a equipe do ano da divisão. 

  • Destaques positivos:
    • German Pacheco (cl. 7.24): a grande contratação da temporada, o argentino foi absolutamente fundamental na campanha que levou ao título. Sua movimentação partindo da ponta esquerda para o meio trouxe todo tipo de problemas às defesas adversárias, e resultou em 7 gols e 11 assistências.
    • Spas Delev (cl. 7.23): Confesso que não via o jogador como grande coisa, apesar da avaliação positiva pelos olheiros. Em certos momentos, Delev pareceu confirmar minha avaliação. Entre fevereiro e abril sua nota média ficou em assustadores 6,4. Mas depois de um puxão de orelha o jogador resolveu acordar para a vida. Nos sete últimos jogos que atuou, Delev conseguiu média acima de 8,2 – e isso que em três deles jogou lesionado. Sua contribuição na reta final foi absolutamente fundamental para a conquista do título. Além disso, o jogador fecha o ano como artilheiro do Pogon, tendo marcado 14 gols – e ainda deu 6 assistências.
    • Dawid Kort (cl. 7.58): o melhor jogador da liga no ano deve ser motivo de pesadelos em nove a cada dez zagueiros do polonesão. Graças à sua ótima capacidade de movimentação ofensiva, Kort regularmente recebia a bola de frente para os zagueiros. Se ninguém o marcava, vinha o chute para o gol. O fundamento não é seu forte, mas ainda assim balançou as redes seis vezes no ano. Se a defesa saía do lugar para marcá-lo, abria o buraco para o que Kort sabe fazer melhor – encontrar o companheiro no espaço. Foi assim que o jogador atingiu a impressionante marca de 13 assistências, quase uma a cada dois jogos.
  • Destaques negativos:
    • Jakub Piotrowski (cl. 6.83): esperava muito do jovem meia, mas ele não conseguiu se adaptar a nosso estilo de jogo. Tentei utilizá-lo em todas as posições do meio de campo, sem sucesso. Ainda há tempo para ele se desenvolver, é claro, mas a temporada foi muito ruim.
    • Adam Fraczczak (cl. 6.76): outro jogador que não encaixou no esquema tático utilizado. Fraczczak iniciou o ano sendo considerado um dos jogadores fundamentais do elenco, e encerra como jogador absolutamente dispensável.

 

Finanças

1hfMMoAllmjoujWynRvuUss5AZy6opzxtKNUtDB6

Passamos o ano inteiro no vermelho, mesmo com as vendas da janela de inverno. A situação mudou ao final do campeonato, quando entra o dinheiro das premiações. Graças ao título, conseguimos receber mais de 4 milhões de euros, o que foi suficiente para alavancar nossas finanças. Para a próxima temporada teremos quase o dobro da folha salarial atual disponível, o que deve ajudar a segurar alguns jogadores e trazer um ou outro reforço importante.

 

Compartilhar este post


Link para o post
Compartilhar em outros sites

Crie uma conta ou entre para comentar

Você precisar ser um membro para fazer um comentário

Criar uma conta

Crie uma nova conta em nossa comunidade. É fácil!

Crie uma nova conta

Entrar

Já tem uma conta? Faça o login.

Entrar Agora

  • Conteúdo Similar

    • Lucas Matías
      Por Lucas Matías
      :: APRESENTAÇÃO
      Após longos meses no fórum apenas acompanhando por cima as histórias do pessoal aqui na área, resolvi me aventurar agora que estou com mais tempo livre para finalmente conseguir passar horas à frente do FM.
      O desafio que irei compartilhar com vocês é um que eu já faço a muito tempo, desde o FM 14 pra ser mais exato, porém, apenas no 16 eu consegui ter êxito. É simples, passar por todos os países da Europa e conquistar o campeonato nacional em todos eles.
      O desafio terá algumas regras para que o save flua de uma maneira mais rápida, já que meu PC não é dos melhores e consequentemente com uma base de dados grande ele acaba ficando bem lento. Uma delas é que a cada objetivo alcançado, um novo save será criado. Exemplo: Após conquistar títulos em San Marino, irei para o próximo desafio em um novo save, sempre seguindo a ordem do Ranking de Coeficientes da UEFA.
      Não vou tentar conquistar a Champions League com clubes de Andorra e Gibraltar, nesses países de menor expressão o objetivo é se consolidar nacionalmente com conquistas e entrar no quadro de honra nacional como um dos treinadores mais vitoriosos do país. Claro que uma boa campanha na UCL será bem vinda, mas esse não será o principal objetivo.
      Sempre irei iniciar no clube que está cotado para terminar a primeira divisão nacional na última colocação e irei trocar de clube caso receba uma proposta de uma equipe de maior expressão nacionalmente.
      O manager será o pseudônimo Giovanni Rizzo, italiano de 38 anos que terá a licença para treinador A continental e a experiencia anterior como futebolista profissional nível local.
      A principio é isso, quero fazer algo bem simples mas que agrade a todos, então qualquer dica é bem vinda, até porque essa será a primeira vez que irei tentar jogar com essas regras que criei. Valeu!
       
      :: HISTÓRICO
      01. SAN MARINO
       
    • marciof89
      Por marciof89
      Eis que, enfim, criei coragem para postar uma história aqui no Profissão Manager. Frequento o fórum a muitos anos mas sou um completo bicho do mato, portanto interajo muito pouco, motivo pelo qual demorei a adentrar aqui. Agradeço desde já quem tiver interesse em seguir, e ouvirei todas as dicas que quiserem sugerir, sejam sobre organização, táticas, etc. Li as regras e as recomendações antes de começar, mas deslizes podem acontecer. Os gráficos foi eu mesmo quem fiz, não reparem! hahaha
      Sem mais delongas, vamos ao que interessa.
      Eu tenho um carinho muito grande pelo Tupi, apesar de não ser mineiro. A torcida do Tupi, apesar de pequena como de praxe entre os times pequenos, é muito apaixonada. Não são muitos os times brasileiros sem muita relevância no cenário nacional que mantenham uma torcida apaixonada assim. E como sou da época do Elifoot 2 e 98, então sempre achei graça em pegar um time lá das divisões de baixo e levar até a glória.
       

      O Tupi Futebol Clube é um clube da cidade de Juiz de Fora, Minas Gerais, e foi fundado no dia 26 de maio de 1912 por moradores ilustres da cidade. Durante os primeiros anos, era chamado de Tupy, já que muitos de seus fundadores eram dissidentes do Tupynambás (atualmente seu maior rival). É o maior clube da cidade, e tem como maior glória a conquista da Série D em 2011. A equipe manda seus jogos no estádio Radialista Mário Heleno (estádio da cidade), com capacidade para mais de 30 mil pessoas.
      Seu maior rival, como dito anteriormente, é o Tupynambás, time também de Juiz de Fora, com quem faz o clássico Tu-Tu. Durante um curto período de tempo na década de 90, ele se fundiu com o Tupynambás e o Sport (outro time da cidade) e formaram a Cooperativa Manchester de Futebol, inspirados no sucesso da fusão do Paraná Clube. Porém, resultados pífios e crises de ego fizeram com que a fusão não aguentasse, tendo disputado apenas 3 estaduais com o novo nome.
      O time carece de ídolos, e não revelou grandes jogadores para o futebol mundial. Apesar disso, dois nomes notáveis passaram pela equipe. Muller, campeão mundial pelo São Paulo, e Romário, que apesar de ter sido proibido pela FIFA de atuar pelo time por ter jogado por 2 equipes num período de um ano, chegou a treinar com o elenco e atraiu a atenção da mídia para o time.
      O mascote do time é o Galo-Carijó, em homenagem ao principal fundador da equipe, que tinha o apelido de carijó, e que inspira o nome da história.

      Estádio Municipal Radialista Mário Helênio
       

      Vou jogar esse save com o Brasil Mundi Up, pois apesar de muita gente falar que ele pode dar uns crashs, eu sempre usei ele (com uma quantidade bacana de ligas ativadas) sem ter problema algum, inclusive passando de 2030. Gosto da organização dele, além do acréscimo de outros níveis do brasileirão e disputas de taças que costumam ajudar até mesmo no teste de táticas e jogadores.
      • Início: 18/12/17
      • Ligas adicionais ativadas: Todas as sulamericanas, China, Alemanha, EUA, Espanha, Inglaterra, Itália, Portugal, Rússia e Ucrânia. (todas elas apenas as primeiras divisões, apenas para deixar a Libertadores mais realística e as transferências também).
       

      O save vai se basear no meu nome pessoal, mas com uma idade mais elevada que a minha, até para condizer com uma experiência razoável futebolística pré-vida de treinador.
       

      Escolhi sugestões baseadas no nível do Tupi, pra não ficar roubado nem absurdamente difícil também pois não sou o Mourinho do FM haha.
      Gosto de fazer técnicos que são mais voltados para o conhecimento do elenco em si, deixando o grosso do desenvolvimento e contratação de jovens jogadores a cargo do auxiliar e diretor desportivo. Claro que estou sempre acompanhando e impedindo algumas burradas que eles costumam cometer, mas meu foco, ao menos inicial, é me dedicar ao elenco principal.
      E aqui um panorama inicial do time:

       

      • Subir a Série B
      • Subir a Série A
      • Ganhar a Copa do Brasil
      • Ganhar o Campeonato Brasileiro
      • Ganhar a Copa Libertadores da América
      • Ser o time do interior de Minas Gerais com o maior número de títulos do Campeonato Mineiro (Villa Nova detém 5 títulos)
      • Desenvolver a infraestrutura de treinos do time para, ao menos, 4 estrelas
      • Ser um dos times mais bem reputados do Brasil (Top 5)
      • Melhorar as finanças do clube
      Objetivos complementares:
      • Ganhar o Mundial de Clubes
       
       

       
    • thyagocda
      Por thyagocda
      SUMÁRIO

      Apresentação
      Sou mais um daqueles apaixonados por FM, mas por conta dos compromissos pessoais, o tempo gasto com o jogo deve ser bem equilibrado. Ano passado criei uma história aqui na PM com o Porto mas acabei interrompendo depois que descobri que eu seria pai, a gravidez passou, meu filho (Thayler) já nasceu com saúde graças a Deus. E agora que as coisas acalmaram vinha planejando o retorno a área.
       
      Estilo de Postagem
      Tentarei seguir um padrão de postagens bimestrais sobre os acontecimentos no jogo. Mas pretendo utilizar as probabilidades de apostas do jogo para gerar interatividade com os leitores entre as postagens. Pelo menos a introdução do save contará com uma "pequena ficção" e ao longo do save tentarei dar prosseguimento.
       
       

      O Desafio Real #1 | A Dany - MAI/17
      Valência - ESP

      Clique aqui para a próxima postagem
    • Ari Cesar
      Por Ari Cesar
      Olá a todos.
      Comprei o FM 18 e resolvi iniciar um save no Brasil de formação e base. Já estava realizando em off no FM 17 com o Milan RS e ai com a nova versão resolvi jogar da mesma forma e compartilhar. A ideia é bem similar aos demais saves de base: levar o clube a glória usando apenas a base.
      Escolha do clube
      Para escolher o clube resolvi pesquisar na base do brasil up qual seria o clube profissional com menor estádio no Brasil. Inicialmente havia encontrado um clube do RS com um estádio de 200 lugares, mas procurando um pouco mais encontrei o SC Jaraguá que possui um estádio com apenas 100 lugares. Após isso resolvi pesquisar um pouco da história e descobri que SC Jaraguá foi criado graças ao desenvolvimento da base. Dessa forma resolvi escolher o Leão do Vale para iniciar minha empreitada.
      Objetivos do save
      Resolvi colocar algumas metas que em sua maioria serão atingidos a longo prazo. Coloquei asterisco naqueles que acho ser quase impossíveis mas que gosta de ver como o FM se comporta.
      Equipe
      Utilizar a base Aplicar o modelo de jogo ofensivo visando a posse de bola e passes rápidos.  Reter o máximo de jogadores na equipe impedindo que saiam para a Europa. * Ter eleito o melhor jogador jovem do mundo. * Ter eleito o melhor jogador do mundo. *  
      Clube
      Possuir a melhor estrutura de Santa Catarina Possuir a melhor estrutura do Brasil Possuir a melhor estrutura de clube Sul Americano Se tornar o principal clube formador de Santa Catarina Se tornar o principal clube formador do Brasileiros Se tornar o principal clube formador Sul Americano Se tornar o principal clube Catarinense Se tornar o principal clube Brasileiro Se tornar o principal clube da América do Sul Ficar entre os 5 melhores clubes do mundo * Títulos
      Ganhar a campeonato catarinense Ganhar o Brasileiro série A Ganhar a copa do Brasil Ganhar a Sul Americana Ganhar a libertadores Ganhar o mundial de clubes Técnico
      Me tornar o melhor técnico brasileiro de todos os tempos História do clube
      O Sport Club Jaraguá nasceu inicialmente com o nome de: Associação Catarinense de Futebol Arte, quando foi fundado em 15 de abril de 2008, e no dia 25 de março de 2011, passou a ser chamado pelo nome atual. O clube iniciou suas atividades com o intuito de trabalhar com atletas da região, com idade de categorias de base. Com o passar do tempo a base foi se estruturando, parcerias foram sendo firmadas com outros clubes e empresários e, no ano de 2011, um novo clube de futebol profissional foi lançado no futebol catarinense.
      O Sport Club Jaraguá possui as cores preto, vermelho e amarelo, devido a forte imigração alemã da região.Sua estreia em competições oficiais, ocorreu na disputa da Divisão de acesso do Campeonato Catarinense de 2011 quando terminou a competição como vice-campeão.
       
      Historia do manager
      Lucas Castro é morador de Jaraguá e em sua infância/adolescência atuou na Associação Catarinense de Futebol Arte. No período de transição dos nomes Lucas abandonou a equipe por perceber que não possuía qualidade suficiente para atuar como jogador. Apesar de sua paixão pelo clube e pelo futebol Lucas decidiu cursar Educação física para no futuro ajudar a equipe fora das 4 linhas. Agora chegou esse dia e Lucas foi escolhido como técnico do Sport Clube Jaraguá. Ele não possui licença e seu passado esta como futebol amador.
       
      Em breve coloco informações sobre a equipe, formação, competições e início da aplicação da filosofia na equipe.
       
    • Gamereivo
      Por Gamereivo
      Pessoal, sou novo aqui
      Sei que os criadores ja pararam de dar suporte para o Brasil Mundi Up do FM18, mas gostaria de saber se tem mais alguém que tem o mesmo bug que eu.
      Quando inicia o jogo em times da serie D e times na serie regional os jogadores ganham um burst em todos atributos e ficam com tudo no total, além de ficarem com 5 estrelas de CA e de CP.
      Eu uso o Brazil - Full Leagues 2017-18 para os uniformes, Cut Out Player Faces Megapack para as faces, e o FM 2018 Standard Logo Pack para as logos, e também uso o Wannachup-Instant-Result
      Se alguém souber como resolver por favor me ajude.
       
×