Jump to content
17octavius

O reemergir do gigante

Recommended Posts

17octavius

Qualificação do treinador: Nacional

Experiência como jogador: Profissional de nível nacional

Idade do treinador: 37 anos

Personalidade do treinador: 55% entusiasmado, 35% assertivo, 10% calmo, 0% cauteloso

Equipe a ser treinada: Fluminense

 

Imagem relacionada

 

ACABOU O CAÔ... O GENERAL CHEGOU. Abad. Depois de um 2017 com mudanças, mas lamentavelmente sem tanto sucesso dentro de campo, o Fluminense modernamente presidido por Abad pode ser chamado de outro. Ele simplesmente está mudando a equipe para melhor. Com dívidas pagas, alguns reforços... a torcida tricolor carioca está bastante feliz até então com seu presidente.

 

O que não agradou muito foi a decisão de demitir Marcelo Oliveira. O experiente treinador, que decidiu substituir Abel Braga no Flu para 2018, acabou por ser trocado. Logo na hora de solicitar reforços, ele levantou a voz com o executivo de futebol e numa decisão tomada em conjunto foi demitido sem treinar o time. Por algum outro velho conhecido? Hum... não. Na verdade, Pedro Abad optou por um jovem. Octávio. Octávio Henrique. Você provavelmente nunca ouviu falar nele, eu também não, mas é ele quem deve treinar o Fluminense em 2018. Isso se durar um ano no comando da equipe, o que acho improvável.

 

3oJaX7S.png

 

Meu nome vocês não sabem e não saberão tão cedo. A única coisa que posso dizer por agora é que narrarei a história da carreira de Octávio daqui para frente. O que sei dele como técnico é muito superficial. Apenas que, quando mais jovem, era um exímio jogador de Football Manager. Ah, acho que também me lembro dele treinando o sul-coreano FC Anyang sub-17 no ano retrasado. Volto a dizer que não o conheço, isso é o que li via Wikipédia. Terminou em 9º na K-League Challenge, o campeonato de 11 clubes... vou relevar, pois foi sua primeira experiência após se aposentar no Atlético Paranaense um ano antes, em 2015.

 

Sou tricolor apaixonado, e faço de tudo pelo meu time. Ele não é o técnico que eu queria, até por ter atuado por Botafogo, em 2002 - mesmo ano do rebaixamento - e Vasco, em 2011 (sua única temporada vitoriosa); mesmo tendo sido banco durante toda a campanha da Copa do Brasil. Bom, talvez seja ele o técnico que o Fluminense precisa. Alguém jovem, com muita lenha para queimar e determinado. Não espero grandes coisas nem boto minha mão no fogo, mas enquanto isso prefiro fingir que estou feliz com a decisão da diretoria. Lá vem mais um 14º lugar, assim como em 2017...

 

Resultado de imagem para torcida do fluminense triste

Imagem aleatória de lamúrias de um tricolor

 

E o "século" 2018 começa aqui.

Edited by 17octavius

Share this post


Link to post
Share on other sites
LC

Boa sorte.

 

PS: Depois coloca a tag do jogo na frente do título do save.

 Dá uma olhada nesta imagem:

 

PRX9kYq.png

Escolhe a tag fm 2017, fm2018 ou fm 2019.Vá em prefixo e coloque a tag inicial.

Share this post


Link to post
Share on other sites
17octavius
1 hora atrás, LC disse:

Boa sorte.

 

PS: Depois coloca a tag do jogo na frente do título do save.

 Dá uma olhada nesta imagem:

 

PRX9kYq.png

Escolhe a tag fm 2017, fm2018 ou fm 2019.Vá em prefixo e coloque a tag inicial.

Feito.

Share this post


Link to post
Share on other sites
Neynaocai

Boa sorte nessa jornada.

Torcerei que você tenha sucesso, mas antes paga a série B. hahaha

Share this post


Link to post
Share on other sites
17octavius
12 minutos atrás, Neynaocai disse:

Boa sorte nessa jornada.

Torcerei que você tenha sucesso, mas antes paga a série B. hahaha

Kkkkkkkkkkkkkk, aí não pô

Share this post


Link to post
Share on other sites
17octavius

Jan. 2018

 

Depois de contratado, Octávio foi convocado para uma reunião com Pedro Abad. Os dois conversaram por algum tempo, até que Abad apresentou Leomir de Souza para o novo treinador do Flu. Ele seria o auxiliar de Octávio. O presidente do tricolor carioca avisou então que muito em breve Octávio seria oficialmente apresentado através de uma coletiva de imprensa.

 

Para não tomar mais o tempo do novo técnico, o presidente saiu da sala e deixou ele conversando com seu auxiliar. Pelo que pude perceber, a relação entre Octávio e seu auxiliar começou boa. Leomir, que trabalhava com Abel Braga, foi chamado para ser auxiliar fixo no Flu e topou. Os dois parecem bastante empenhados.

 

Solicitado, Octávio apresentou-se aos jogadores. Essa primeira conversa foi sobre os objetivos que serão traçados para a temporada. Sem tocar no tema "títulos", Octávio relevou que podíamos terminar entre os melhores no Brasileirão. Apesar de alguns poucos jogadores - como Pedro - concordarem com ele, outros muitos não gostaram do que foi dito. Principalmente Gum, que é um dos líderes do time. Ele disse que a equipe não é suficientemente boa para alcançar tal coisa.

 

E falando em Gum, ele quer receber mais de 400 mil por mês de salário para renovar até dezembro de 2020. Por ora, Octávio abandonou as negociações e só renovou com o goleiro Júlio César, uma das peças mais importantes da equipe até então.

 

Coletiva de imprensa

 

SN3Jg5m.png

 

Danilo Padilha Gomes (O diário desportivo Brasileiro): "Olá, Octávio Henrique. Quais foram os teus pensamentos iniciais quando aceitaste o convite do Fluminense?"

Octávio Henrique: "Estou ansioso por começar a trabalhar. Há muito que fazer aqui e estou orgulhoso por me terem dado esta oportunidade."

 

AMISTOSO - CASA

 

Fluminense 3x2 Fluminense B

Estádio das Laranjeiras

 

Minha estreia foi logo no dia 2. Pedi para o auxiliar arranjar esse amistoso e ele foi rápido no gatilho. É bom, pois poderei testar a tática que escolhi como principal; um 4-2-4 com extremos. Além desse teste, teremos outro, no dia 7, contra a Ponte Preta. Fui eu mesmo que dei meu jeito para que acontecesse. No jogo contra a Ponte, testarei a secundária (momentaneamente), que é um 4-4-1-1; praticamente 4-5-1, mas o meia-atacante joga mais avançado do que o pré-definido.

 

Vale lembrar: de 10/1 até 20/1 é estágio com sede em Nova Iorque, EUA.

 

01s4weu.png

 

Com menos de 20 segundos, Kayke abriu o placar. Com menos de 15 minutos, já havíamos feito outros dois gols. Adotando uma postura equilibrada para ter uma noção de como a equipe se sai jogando assim, minha estratégia foi pelo ralo quando Matheus Alessandro foi avermelhado perto dos 40 minutos de partida. A partir daí, a equipe B do Fluminense cresceu absurdamente no jogo, aproveitando o buraco no meio-campo e criando chances.

 

Ainda no 1º tempo, levamos um gol de Dudu após Júlio César dar dois rebotes no pé. Não fomos muito criativos e ficamos finalizando de longe, sem êxito. O Fluminense B foi se animando, e acabamos por ser pressionados. Fiz 11 trocas. Afinal, amistoso serve pra dar ritmo de jogo aos atletas. Perto do fim, um cruzamento e um cabeceio. Rodolfo fez excelente defesa espalmando, mas a bola bateu na nossa própria defesa e entrou. Gol contra de Fernando Neto.

 

Uma reclamação que tenho a fazer é com relação ao gramado. Laranjeiras precisa urgentemente de cuidados especiais, pois foi horrível trocar passes curtos. E nem falo isso por ter desfavorecido minha equipe, já que optei por passes mais diretos e longos, uma das principais qualidades do plantel de acordo com o relatório que me foi entregue por auxiliares.

 

AMISTOSO - CASA

 

Fluminense 0x0 Ponte Preta

Maracanã

 

Utilizando outra tática e com alguns outros nomes em campo, enfrentamos a Ponte. Era para Elias jogar, mas o salário que ele pediu estava muito alto e a diretoria não liberou dinheiro o suficiente para que pudéssemos firmar negócio. Ele continua no Atlético-MG, desvalorizando.

 

Basicamente, sobre o duelo: o 1º tempo que fizemos foi horrível. A Ponte teve o total controle do jogo e diversas oportunidades para abrir o marcador, mas Júlio César fez milagres atrás de milagres para evitar o pior.

 

bSAblHg.png

 

Durante o intervalo, Octávio conversou com os jogadores. Estava irritado com a má atuação, e suas reclamações surtiram efeito. A equipe passou a ter um pouco mais da posse de bola e finalizou bem mais que a Macaca, causando perigo. Pena que faltou pontaria e o jogo terminou empatado mesmo. Ficou aquele "gostinho de quero mais", mesmo que o time não tenha sido derrotado confrontando uma Ponte Preta longe de ser fraca.

 


 

Não esperem TANTA frequência. Os capítulos vão sair em dias randômicos. Não me cobrem, pois Football Manager não é Brasfoot que em 5 minutos você roda três jogos. No FM, em 5 minutos você avança três dias E OLHE LÁ...

 

Por sinal, creio que teremos muito mais texto do que imagens. É melhor assim. Escrevo com carinho, leiam e não se arrependerão. Um dia vira livro. :v

Share this post


Link to post
Share on other sites
17octavius

Nossos dois primeiros jogos foram satisfatórios. Nada além disso. Contra o Fluminense B, podíamos ter goleado, mas foi só 3x2. Contra a Ponte, o 0x0 ficou de bom tamanho até. Diretoria e torcida encontram-se esperançosas com o novo técnico, mas falta contratação, o que não deixa os adeptos se iludirem. No mais, na terça-feira (9), ocorreu o sorteio da Primeira Liga. O Fluminense foi uma das quatro cabeças de chave. E caiu no grupo B, com Brasil de Pelotas, Internacional e Paraná. Um grupo complicado, com duas equipes recém-promovidas. O Brasil está na Série B, mas possui grandes chances de subir e se tornar uma das 20 equipes na elite nacional até 2020.

 

Com a chegada do dia 10, o Flu viajou para Nova Iorque, sede do estágio de pré-temporada. 10 dias lá. De última hora, propus um amistoso no dia 17 contra o Vélez Sarsfield (fora de casa) e com pênaltis em caso de empate. E outro amistoso, porém local, contra o Boavista. Enquanto isso, a Seletiva do Campeonato Carioca pegava fogo: America, Goytacaz e Nova Iguaçu surpreenderam na 1ª rodada conseguindo bons resultados. O Cabofriense era a pior equipe, tendo levado um 4x0.

 

AMISTOSO - FORA

 

Vélez Sarsfield 2x2 Fluminense (6x7)

José Amalfitani

 

No vestiário, Octávio teve uma conversa com os jogadores. Tentou motivá-los como pôde, mas não sei se conseguiu. Meu intuito dizia que não.

 

Antes da partida, liguei a TV para ver o que os comentaristas haviam dito horas antes do início da partida. A maioria disse que o mais provável é que empatasse e fosse para as penalidades máximas. O pensamento de todo mundo não fugia muito disso, para mal ou para bem.

 

O jogo começou bastante movimentado, com o Fluminense tentando marcar e logo depois sendo surpreendido no contra-ataque pelo Vélez, que demorou na concretização. Deu tempo do Flu reagrupar e afastar o perigo (isso tudo com menos de 3 minutos). Com o Vélez a ter uma porcentagem bastante significativa de posse, Octávio pediu aos jogadores que trocassem alguns passes curtos para poder controlar melhor o jogo. Pouco depois, aos 30', uma tragédia: Dodi expulso por falta grave no meio-campo. Os laterais foram sacrificados e Sornoza entrou na partida.

 

oo1UsV0.png

 

A pressão do Vélez aumentou. E foi assim que aos 42 minutos abriram o placar, mostrando que precisamos urgentemente de jogadores com passe e finalizações precisas. Com o fim do 1º tempo, UFA! Faltou pouco para o Vélez ampliar. Octávio e seu auxiliar tiveram que dar boas broncas nos jogadores, que entenderam o recado. Só faltava saber se corresponderiam dentro de campo...

 

Júnior Dutra no lugar de Kayke e bola rolando para a etapa final. Já no início, Matheus Alessandro substituiu o carequinha Marcos Júnior, substituição que era para o intervalo. E entrou fazendo besteira... besteira que quase resultou no gol do adversário. 8 para 9 minutos e uma falta para o Fluminense, que vinha muito mal na partida. Sornoza coloca na área e Gum sobe lá em cima para cabecear. O goleiro do Vélez solta e ela fica viva na pequena área; e agora? Pablo Dyego, sozinho, finaliza caído no chão. O chute, todo torto, não parecia ter a direção do gol, mas... por sorte, Agustín Bouzat desvia. Gol contra do meia.

 

No lance seguinte, os argentinos vieram com tudo. E adivinha quem quase se redimiu? Ele: Agustín Bouzat. Deu trabalho para o Júlio César. Pedro, apagado no jogo, saiu para a entrada de Everaldo. Era o momento para o Fluzão crescer, mas só era mesmo. Escanteio, Nicolás Domínguez livre. Ele tem tempo de dominar e acertar um foguete para os donos da casa. 2 a 1. Mudanças táticas.

 

Continuava impossível assistir aquele jogo. O Fluminense não podia trocar mais de três passes que já perdia a bola. O Vélez que era forte ou o Fluminense que era fraco? Mais um escanteio e o resultado foi uma bola na trave... o Vélez não matava o jogo por não querer mesmo. Mais trocas. O jogo ficava chato, até o Fluminense voltar a ser pressionado. Quase o terceiro gol, precisávamos contra-atacar. E, num contra-ataque rápido, Everaldo cruzou bem. Júnior Dutra, que chegou de trás, testou firme e empatou. Tínhamos um jogo! Acho que fiz certo ao mandar o time abordar positivamente a partida.

 

No reinício, recuperamos a bola e partimos com ela. Ficamos no quase, e então eles responderam. RODOLFO! De goleiro já vi que não terei problemas. Aos 86', Everaldo já ia servindo Júnior Dutra de novo. Pena que foram infantis e ficaram em posição de impedimento, flagrada pelo bandeirinha. Quatro minutos de acréscimos, Everaldo recebe na cara do gol por Matheus Alessandro. Bateu, o goleiro espalmou. Rebote, era só fazer e... isola a bola! Jogou a chance de vencermos no tempo normal no lixo. Aproveitei e fui escolhendo os batedores enquanto o Fluminense segurava como podia:

 

IJv3evj.png

 

1/FLU - Everaldo (x) 0-1

1/VEL - Robertone (x) 1-1

2/FLU - Matheus Alessandro (x) 1-2

2/VEL - Nicolás Domínguez (x) 2-2

3/FLU - Junior Sornoza (x) 2-3

3/VEL - Mainero (x) 3-3

4/FLU - Paulo Ricardo (x) 3-3

4/VEL - De La Fuente (x) 4-3

5/FLU - Júnior Dutra (x) 4-4

5/VEL - Ramis (x) 4-4

6/FLU - Gum (x) 4-5

6/VEL - Laso (x) 5-5

7/FLU - Pablo Dyego (x) 5-6

7/VEL - Versaci (x) 6-6

8/FLU - Airton (x) 6-7

8/VEL - Di Lena (x) 6-7

 

Na loteria dos pênaltis, vitória!!! Atuação triste, resultado excelente.

 

tzRcuZK.png

 

No mesmo dia, o São Bento sub-20 enfrentou o Fluminense sub-20. Amistoso também. Deu Flu 4x3 com exibição sensacional de Marcos Paulo. De olho na base...

 

Para a partida contra o Boavista, o time já estava mais familiarizado com as instruções e tática. Obrigação total de ganhar.

 

AMISTOSO - NEUTRO

 

Fluminense 4x0 Boavista

MCU Park

 

Logo no comecinho já demos perigo. Cruzamento e Pedro cabeceou por cima do gol. Com 16 minutos, falta em Kayke e Luiz Gustavo é amarelado pela segunda vez. Tínhamos o domínio do jogo e também um jogador a mais para trabalhar. Aos 39', Everaldo aproveitou um rebote e estufou as redes, porém o bandeirinha subiu a bandeira e o gol foi invalidado. Não demorou muito e o Fluminense teve pênalti para cobrar. Pedro foi derrubado na grande área e ele mesmo bateu, afinal era nosso melhor cobrador. Não adiantou... Gabriel, goleiro do Boavista, foi no canto para pegar e coroar sua atuação impecável na etapa inicial.

 

Na sequência, o Fluminense ganhou dois escanteios. Pena que não soube aproveitar nenhum deles. Iriam ter que lidar com as críticas de Octávio no intervalo.

 

Quando voltaram para o 2º tempo, pareciam outras pessoas. E foi assim que abriram o placar. Everaldo cruzou, Marcos Júnior desviou de cabeça e Pedro apareceu para desencantar. Everaldo cobrou falta no travessão, Gabriel fez milagres para o Flu não ampliar... resolvi mexer na equipe. Botei Gilberto e Júnior Dutra, pois gostei da última partida dele e queria ver como se saía novamente. Tirei Pedro, que apesar do gol não foi bem. Contra Fluminense B, Ponte e Vélez ele também tinha ido mal.

 

Deu certo. Gilberto precisou de três toques na bola para ser garçom de Júnior Dutra, que só precisou de um, com a cabeça. Foi um minuto em campo para aumentarem a vantagem. Botei Bryan Cabezas. Foi menos de 300 segundos para deixar o seu. E o jogo seguiu sendo controlado pelo Fluminense até o final.

 

savpLnZ.png

 

O 4º gol foi marcado por Marcos Júnior, numa cobrança de pênalti. O pênalti foi sofrido por Bryan Cabezas. Júnior Dutra ainda teve um gol anulado.

 

Com o passar dos dias, muitas notícias. Octávio foi atrás de alguns reforços, pensando não só no 2018 como também no 2019 do clube. A Seletiva do Carioca teve um fim. E foi trágico para o America, que vinha fazendo uma excelente campanha. Três rodadas já haviam se passado, estava 100%. Aí pegou o Nova Iguaçu, que passou com o trator por cima de todo mundo e perdeu. Mas ainda tinha a chance de se classificar. Bastava vencer em casa no jogo de seis pontos contra o Americano. E ficou bastando...

 

42vGLOg.png

Nova Iguaçu e Americano avançaram vencendo. Não foi com esses resultados aí, mas avançaram vencendo. Vocês vão entender o motivo disso que estou falando no decorrer do capítulo...

 

Nosso grupo na 2ª fase foi definido: Bangu, Boavista, Macaé, Nova Iguaçu e Vasco.

 

Tivemos sorte por não ter caído na chave do Flamengo. Falando sério.

 

Contratações

 

ZAG: Rafael Vaz - Universidad de Chile (emprestado pelo Flamengo) (para 2019) - 3,5M

VOL: Richardson - Ceará (transferência imediata) - 2,6M

 

Coletiva de imprensa

 

Fxn3ots.png

 

Octávio respondeu diversas perguntas polêmicas e mostrou que está animado com o recente reforço. Ele tentou contratar Edinho, também volante do Ceará, mas a proposta foi rejeitada. Não farei a cobertura de todas as conferências de imprensa, informarei somente as principais e mais aguardadas.

 

CAMPEONATO CARIOCA - CASA - 1ª RODADA

 

Fluminense 4x0 Bangu

Maracanã

 

O jogo iniciou como todos esperavam: Fluminense atacando, Bangu se defendendo. Perdemos uma boa chance no começo após cruzamento. Mas os deuses do futebol foram bonzinhos conosco. Aos 25 minutos, Gilberto cruzou e Pedro se desvencilhou da marcação para cabecear. O Flu abria o marcador ali.

 

Momentos depois, bola levantada na área e alguém, que eu não vi direito, testou firme. Foi por cima do gol para a sorte do Bangu. De nada adiantou. Aos 39', Pedro cruzou para Pablo Dyego, que guardou. Estreia oficial bastante satisfatória de Octávio Henrique.

 

Os passes longos para os atacantes velozes do Flu não parariam tão cedo. Aos 45', foi a vez de Kayke ter sua chance, pena que na cara do goleiro ele finalizou para fora. Vendo que a situação era delicada, o Bangu resolveu partir para o ataque e até cresceu no jogo, mas sua única tentativa de finalizar foi sem sucesso.

 

2º tempo começou com Octávio promovendo a entrada de Ibañez. O zagueiro precisava ganhar ritmo de jogo. Bola fica com Jádson... tá lá. Três para o Flu.

 

Escanteio. Bola na área e Jádson sobe mais alto que todo mundo. Mais um dele.

 

11.png?1547512552

 

Após a primeira parte da etapa final, Richardson entrou. Era a estreia do ex-jogador do Ceará. Everaldo cedeu lugar para Marcos Júnior.

 

Perto do fim do jogo, pênalti. O Bangu estava rendido e não sabia o que fazer dentro de campo. Já com quase 40 minutos de 2º tempo e com um Fluminense bem menos dedicado, Daronco chamou o VAR, que confirmou a penalidade. Pedro chutou com tanta confiança que mandou para longe do gol.

 

oZPcyci.png

 

DEIXE PARA LER POR ÚLTIMO:

Spoiler

Aconteceu algo muito triste logo depois do fim da 1ª rodada. Eu tinha caído num grupo com o Americano, e ganhei deles por 9x0 (pic). Havia tido poker de Pedro e gol do debutante Richardson. Estava chovendo muito aqui e trovejando, então eu fui salvar o jogo e... o PC desligou. Eu não sou idiota e não quis reescrever tudo, apenas reciclei o que deixei para trás. Então meu sincero VAI TOMAR NO CU para a cidade de Registro por ter escolhido o pior horário do mundo, que é quando eu estou escrevendo algo na porra do fórum, para chover. Tava um calor do caralho o dia inteiro e foi chover agora de noitinha, mas eu tô puto pra desgraça mesmo.

 

Mas não tem problema, eu tinha salvo o jogo logo depois da partida com o Boavista. Nova Iguaçu e Americano passaram pela Seletiva do Carioca de novo, mas meu grupo no Cariocão mudou e ficou com Bangu, Boavista, Macaé, Nova Iguaçu e Vasco. Novamente o Flamengo ficou no grupo A para a minha felicidade.

 

Recontratei Vaz e Richardson. Respondi as perguntas da coletiva. Na 1ª rodada, enfrentei o Bangu e venci por 4x0 como vocês viram. A imagem da tabela, abaixo desse spoiler, mostra.

 

Ainda bem que eu perdi pouca coisa. Menos algumas horas de vida, dá pra recuperar isso se eu ficar dois dias sem tomar Coca-Cola.

 

Veja como ficou a classificação aqui:

 

SKEfyTN.png

 

Temos tudo para avançar, basta querermos isso e irmos atrás.

Share this post


Link to post
Share on other sites
Neynaocai

Começou bem, negócio é torcer pro Pedro não se machucar, já que ele além de tudo está te apoiando.

Eu curto bastante mesclar história e jogo. Uma dica é colocar banner e faixas pra organizar a história (especialmente pra quem lê por celular). Eu não sou um bom exemplo mas tenho tentado melhorar. Aqui um exemplo, se quiser é só pedir que a galera se disponibiliza algum diferente:

https://www.fmanager.com.br/topic/120539-galeria-de-gráficos/?do=findComment&comment=1062546907

Boa sorte na sequência. E esse negócio de perder alguns jogos quando cai a luz não tem o que fazer. Ou a gente joga ou salva, os dois não rola.

Share this post


Link to post
Share on other sites
17octavius
3 horas atrás, Neynaocai disse:

Começou bem, negócio é torcer pro Pedro não se machucar, já que ele além de tudo está te apoiando.

Eu curto bastante mesclar história e jogo. Uma dica é colocar banner e faixas pra organizar a história (especialmente pra quem lê por celular). Eu não sou um bom exemplo mas tenho tentado melhorar. Aqui um exemplo, se quiser é só pedir que a galera se disponibiliza algum diferente:

https://www.fmanager.com.br/topic/120539-galeria-de-gráficos/?do=findComment&comment=1062546907

Boa sorte na sequência. E esse negócio de perder alguns jogos quando cai a luz não tem o que fazer. Ou a gente joga ou salva, os dois não rola.

Respondendo só agora pq tava jogando kkkkkk. Agradeço a sugestão, amigo. A real é que não venho fazendo assim pq no fórum que participo as carreiras seguem um estilo mais simples mesmo, mas obrigado por acompanhar e comentar!

Se já fez ou ainda faz alguma carreira, me envia o link, fazendo o favor.

Abraço! 😉

Share this post


Link to post
Share on other sites
Andreh68

Um dia vou treinar o tricolor aqui no forum, mas bem pra frente.

Pena que voltou para 2018, e não começou agora em 2019. Achei curiosa sua enaltação do Abad, ta mais sujo que o Cabral.

Agora desculpa que vou cornetar muito. Kayke e Junior Dutra pode fuzilar. Gum valeu mesmo, mas tchau.

Um problema meu com o Fluminense no FM é que não consigo desvincular a atuação virtual no FM da real.

Boa sorte!

Share this post


Link to post
Share on other sites
17octavius
59 minutos atrás, Andreh68 disse:

Pena que voltou para 2018, e não começou agora em 2019. Achei curiosa sua enaltação do Abad, ta mais sujo que o Cabral.

Kkkkkkkkkkkkkkk, foi pra dar mais graça ao save.

Share this post


Link to post
Share on other sites
Neynaocai
15 horas atrás, 17octavius disse:

Se já fez ou ainda faz alguma carreira, me envia o link, fazendo o favor.

Estou tentando tocar duas, por mais absurdo que seja.

essa tá no começo.

essa já tem seis meses.

Valeu

Share this post


Link to post
Share on other sites
LC

Até que começou com o tricolor carioca, mas como disse o Doc...Abad tá mais sujo que pau de galinheiro. Boa sorte na sequência.

Share this post


Link to post
Share on other sites
17octavius

Com a excelente estreia no Carioca, era para Octávio se sentir mais seguro no cargo, mas não. Na verdade, ele ainda está bastante preocupado com o andar da carruagem. Afinal, ele mesmo pediu para a diretoria aumentar o orçamento para contratar por se achar capaz de levar o Flu até a final do estadual e deixá-lo na briga entre os melhores no Brasileirão.

 

Até então, só contratou dois jogadores: Vaz, que chega em 2019, e Richardson, que já estreou contra o Bangu. Além desses, apenas membros da comissão técnica. Será que virão mais reforços por aí? A torcida já pediu.

 

Fev. 2018

 

Estamos no mês do Carnaval. E será um mês importantíssimo. Logo no dia 4 a gente enfrenta o Vasco, e no dia 11 a gente estreia na Copa do Brasil contra o Rio Branco-AC. Seria interessante vencer essas duas partidas.

 

Contratação

 

MEI: Michel Bastos - Sport (emprestado pelo Palmeiras) (para 2019) - 500m

 

Octávio ainda tentou trazer Marlone, Luís Ricardo e Nenê Bonilha. Todas as negociações melaram.

 

CAMPEONATO CARIOCA - CASA - 2ª RODADA

 

Fluminense 4x1 Vasco

Maracanã

 

Dia de clássico é dia de guerra. Com o time armado para jogar nos pontos fracos do Vasco, já começamos finalizando com Jádson num contra-ataque. Com 1', tivemos falta para cobrar. Bola foi alçada na área e Marcos Júnior testou com muito perigo.

 

O jogo estava mesmo para nós. Foi Martín Silva cobrar o tiro de meta mal que já fomos pra cima. E foi após Kayke receber passe dentro da grande área que ele pôde deixar Pedro em excelentes condições de marcar com um cruzamento rasteiro. Dois minutos de dérbi e placar aberto. Teria mais? Teria mais. Aos 5', ganhamos escanteio para Everaldo cobrar. Ele botou na cabeça de Pedro, que ampliou o placar. Alberto Valentim não fazia a mínima ideia do que fazer.

 

O Fluminense continuou atacando; e com Kayke, quase transformou a boa vantagem em goleada antes dos 10 minutos de bola rolando. Foram surgindo chances... Pedro ficou próximo de concretizar o hat-trick, mas a cabeçada foi por cima do gol. Vendo que não havia necessidade de cansar seus atletas, Octávio pediu que diminuíssem o ritmo com a fraqueza vascaína evidente dentro de campo. Pois para comprovar a tese, aos 27 minutos Kayke colocou a bola na área e Everaldo deixou o dele. Já estava merecendo, diga-se.

 

Kayke sentiu a virilha. Octávio teve que trocá-lo por Júnior Dutra, e avançou Pedro. Deu MUITO certo. Com um minuto em campo, ele acompanhou de perto o cruzamento para Everaldo ajeitar de cabeça e Pedro fazer mais um.

 

yp3LUGa.png

 

Falta. De longe, mas podia render perigo com Yago Pikachu na bola. Foi só falar... Pikachu cobrou com perfeição e diminuiu para o Vasco. Alucinante a etapa inicial. E a final não começou diferente, mas nenhum gol saiu até os 10 minutos e Ayrton Lucas foi substituído por Marlon. O lateral ainda está tratando uma lesão e Octávio quis poupá-lo de muito esforço.

 

Com o Vasco mantendo mais a posse, Octávio optou por orientar o time a não forçar passes longos como no 1º tempo. Também diminuiu o ritmo outra vez vendo que o adversário não transformava a posse de bola em chances para gol. Acabou que deu espaço para o Vasco crescer na partida.

 

Não faltou muita coisa para Ríos marcar. Seu azar era ter Júlio César executando defesas milagrosas. O Flu quis responder. Jádson lançou, e Pedro foi derrubado dentro da grande área. Naquele momento, o juiz não marcou nada, mas aí o árbitro de vídeo solicitou que ele visse o lance e voilà! Pênalti. Na bola, o mesmo Pedro. Ele vinha de duas cobranças recentes e dois erros, mas ali podia se redimir. Octávio não viu sentido em poupá-lo de mais um erro, afinal ele estava livre de críticas com três gols marcados no jogo; também podia conseguir o tão cobiçado poker na carreira. Deu ruim... Pedro não bateu muito no canto, não bateu muito no meio e o goleiro uruguaio Martín Silva voou para espalmar.

 

20 minutos de 2º tempo. Octávio gasta a última alteração do Fluminense trocando o participativo Jádson por Dodi. Mais nada de relevante acontece e a torcida tricolor celebra a goleada no clássico. QUATRO A UM FOI POUCO!

 

gE8b49q.png

 

XHqFCHw.png

 

Pelo grupo A, outro clássico. Venceu quem já era favorito.

 

JR5gcWE.png

 

Um dia antes da nossa partida contra o Boavista, os confrontos da Sul-Americana foram definidos por sorteio. O Flu confronta o Lanús, atual vice-campeão da Libertadores. Será um embate entusiasmante e ao mesmo tempo complicado para nós. Obviamente espero que a gente se sobressaia e avance.

 

Se vencermos, Deportes Temuco ou LDU nos aguardará (acho). Sim, LDU, nossa pedra no sapato.

 

CAMPEONATO CARIOCA - FORA - 3ª RODADA

 

Boavista 0x2 Fluminense

Eucy Resende de Mendonça

 

Octávio resolveu promover uma rotação para o jogo com o Boavista. Poupou quem estava mais cansado e colocou jogadores precisando entrar em forma. Mesmo com o time quase todo reserva, o Fluminense não precisou de muito tempo para se provar superior ao oponente. E conseguiu algumas chances logo de cara, sem sucesso para abrir o marcador.

 

Aos 22 minutos, Pablo Dyego serviu Júnior Dutra. Um cruzamento na medida e uma finalização de qualidade do centroavante resultou no gol do Flu. Aos 29', tivemos tiro de canto para cobrar. A defesa do Boavista foi mais rápida e afastou todo e qualquer perigo.

 

A partida seguiu sendo controlada pelo Fluminense até que Frazan aproveitou assistência de Igor Julião para ampliar com quase meia-hora de 2º tempo. O lateral-direito precisava dessa assistência depois dos desempenhos recentes mais fracos.

 

MwTfb11.png

 

Depois da vitória, Octávio preferiu não elogiar seus jogadores pela performance, afinal não deu para tirar muitas coisas da exibição. O que se sabe é que o calendário apertado vai prejudicar o Fluminense, pois o descanso até a 4ª rodada será de apenas dois dias. O adversário é o Macaé, que vai ter de jogar muita bola para vencer outro mistão do Flu.

 

Contratação

 

MEI: Serginho - livre (transferência imediata) - 0

 

Sabe aquele Serginho que foi revelado pelo Santos (ganhou Copinha, inclusive) e depois jogou um tempo no Vitória? Pois é. Sem clube, ele foi procurado pelo Sport. O Flu, de olho no mercado, fez questão de aplicar um chapéu na equipe pernambucana e trazê-lo sem custos.

 

Miq3saz.png

 

CAMPEONATO CARIOCA - CASA - 4ª RODADA

 

Fluminense 2x0 Macaé

Maracanã

 

Surpreendentemente, o Macaé veio para o ataque. E já na primeira tentativa marcou. Gol contra de Ayrton Lucas. Estavam todos os jogadores comemorando, até que... VAR. Falta de ataque detectada, gol anulado. Que decepção para eles...

 

A resposta do Fluminense foi com um cabeceio por Júnior Dutra que assustou bastante. Mas, para o gol sair, teve que ser com Dodi. Jádson passou para o volante que acertou uma pancada no canto superior. Golaço!

 

O jogo reiniciou, o Macaé tocou na bola... e o Flu ficou com ela. Rápido contra-ataque, lançamento na ponta para Pablo Dyego. Ele cruza e Júnior Dutra chega completando a jogada para aumentar a vantagem. Gol que desestabilizou totalmente os visitantes.

 

No fim das contas, vitória. Seguimos 100% mesmo com o rendimento mais ou menos no jogo.

 

b0eOkf3.png

 

Foi solicitado ao Fluminense que inscrevesse um máximo de 30 jogadores para a disputa da Sul-Americana. Após a partida, Octávio enviou a lista, sem grandes novidades.

 

COPA DO BRASIL - FORA - 1ª ELIMINATÓRIA

 

Rio Branco-AC 1x5 Fluminense

Arena da Floresta

 

Jogando no Acre, mas com a vantagem do empate, Octávio promoveu a estreia de Serginho. O meia começou tomando importantes decisões e participando bem do jogo.

 

Com 10 minutos, Richardson foi derrubado na área. Sornoza foi pra bola e guardou. Era o dia do gringo... no finzinho do 1º tempo, o Rio Branco não aguentou mais a pressão e o estreante Serginho levantou para Sornoza dar um tapa, de chapa, entre a trave e o goleiro.

 

No 2º tempo, o Rio Branco cresceu. E depois de insistir, marcou com Marcos Adriano no cruzamento de Felipe. Octávio permaneceu tranquilo. Afinal, mesmo se empatassem a vaga era do Fluminense, e diga-se de passagem: não tinha como se preocupar. Menos de cinco minutos depois e Júnior Dutra aproveitou uma bola solta na área para deixar o dele. Aí foi só apertar um pouquinho que os gols foram saindo.

 

wyGMais.png?1

 

Incrivelmente, o São Paulo foi eliminado pelo Fluminense de Feira. Perdeu de 1x0 com gol de Reinaldo Alagoano. Foi uma das duas zebras. Além dessa, o Náutico saiu para o Manaus, tendo perdido por 1x0 também.

 

Dois dias se passaram, e a CBF sorteou os confrontos das duas próximas fases. O sorteio nos garantiu um duelo com o Globo para Natal-RN ferver. Já o sorteio da 3ª eliminatória mostrou que se passarmos, é Ponte ou Bragantino. Desafio complicado...

 

COPA SUL-AMERICANA - FORA - 1ª ELIMINATÓRIA

 

Lanús 1x1 Fluminense

Ciudad de Lanús

 

O jogo mais importante da temporada até aqui fez até Tite assistir no estádio. Octávio montou uma estratégia equilibrada, mas parece que não adiantou no início. O Lanús, empurrado pela sua torcida, começou atacando e deu trabalho para a defesa do Flu, que se saia consideravelmente bem. Com a equipe argentina a trabalhar bastante a bola, Octávio orientou os jogadores. Pediu que praticassem mais lançamentos longos, afinal o Fluminense não conseguia ficar com a bola por muito tempo e jogar simples não era tão inteligente se olhado pelo lado do entrosamento. O foco dos treinos raramente foi toques curtos.

 

Falta frontal. Pasquini bateu e assustou. Aos 12', Digão derrubou Ribas na grande área. Pênalti assinalado e defendido por Júlio César. Que homem!!! Mas, a pressão do Lanús só aumentava. O Fluminense estava perdido, parecendo naquele amistoso com o Vélez. Por recomendação do treinador, passou a jogar com mais cautela.

 

Para ajudar, o árbitro estava nos assaltando. Falta do Dodi ele deu cartão, falta do Quignón ficou só na bronca. Melhoramos no jogo e conseguimos finalizar, mas faltava uma chance de verdade. O 1º tempo acabou, e Octávio mexeu no time. Deu palestra e trocou Jádson por Serginho. De primeira, parece que as coisas não mudaram muito, e o Lanús ficou rodeando a área até que Dodi recuperasse a bola. Contra-ataque. Pedro virou para Serginho que atrasou um pouco, mas conseguiu achar Ayrton Lucas na ponta. Ayrton levou, levou... e cruzou com perfeição. Pedro subiu lá em cima, o goleiro pegou, mas o rebote foi fatal. Lanús zero, Fluminense um.

 

Ainda era cedo para adotar uma postura defensiva e segurar o resultado. Além disso, placar era perigoso. Mas isso não importa... um minuto depois do gol, o Lanús armou um contragolpe. Cruzamento, Ribas e Digão no lance... gol do Lanús. Ops! Foi falta em Digão. Gol invalidado para a nossa sorte. Octávio foi esperto, instruiu a equipe a queimar mais tempo, tentando controlar os argentinos através da cera. Gilberto saiu, Igor Julião entrou. Não tava 100% obviamente, mas tinha uma preparação decente assim como o Serginho. Ganhou palestra para compensar.

 

Tempo passando, vitória importante sendo conquistada. Octávio diminuiu a responsabilidade dos atacantes e preferiu continuar a partida de forma a defender mais do que atacar. Por cansaço, Júnior Dutra entrou no lugar de Everaldo. Faria a função de "Avançado Interior" por seu pé ser o oposto do lado em que jogaria.

 

36 minutos. O Lanús, apoiado pelos torcedores, pegou a bola. Com ela, Lautaro Acosta recebeu e lançou Lodico em posição legal. O meio-campo aparece na cara de Júlio César, invade a área e toca na saída. Empate (agora valeu! 😕).

 

Imagem relacionada

Barra brava dos mandantes comemora

 

No lance seguinte, Pedro acertou o travessão com o jogo parado. E no lance seguinte desse lance, foi a vez dele acertar a trave, mas aí tava rolando. Placa levantada... +4. Escanteio, Lautaro Acosta cruzou e Júlio César ficou com ela. Ele chutou pra frente, o Flu ficou com a bola e Júnior Dutra foi acionado. Levantou a cabeça, viu Pedro e passou. Na cara do goleiro, o jovem atacante finalizou fraco e perdeu uma grande chance de se consagrar. Dessa forma, o Fluminense voltou pra casa com um resultado nada mau, mas que podia ter sido melhor.

 

nh87nIe.png

 

"E as tabelas, como ficaram?"

 

Calma que eu te mostro.

 

Campeonato Carioca:

 

hrpAs6I.png

 

Copa Sul-Americana:

 

SlDedsB.png

 

Estamos bem no Carioca. Na Sul-Americana, o jogo de volta ainda vai demorar, nossa classificação é incerta.

 

E como eu havia dito, Copa do Brasil a gente pega o Globo. Foco que tem muita bola pra rolar ainda!

Share this post


Link to post
Share on other sites
LC

No carioqueta é obrigação chegar as finais. Agora na Sula pegou pedreira. Lanus é um time muito chato. Boa sorte na sequência.

Share this post


Link to post
Share on other sites
marciof89

Bom início, fazendo sua parte nas competições em curso. Contratou bem aparentemente, apesar de achar que Michel Bastos logo em breve vai cair de produção.

Pode passar pelo Lanús, mas tem que abrir os olhos. Cair na primeira fase seria catastrófico.

Boa sorte.

Share this post


Link to post
Share on other sites
Andreh68

Nossa , o faro para contratações no início foi de doer, parece mesmo a diretoria do time. Que bom que o Serginho fugiu dessa m;édia.

Junior Dutra jogando bem e marcando é muito multiverso!!! Mas não há o que se reclamar de Otávio, a torcida está feliz!

Share this post


Link to post
Share on other sites
17octavius

Fevereiro está sendo maravilhoso. Precisando somente de um empate para se garantir na final da Taça Guanabara e com uma vantagem magra para avançar na Sul-Americana, a torcida do Flu já nem sabe o que é crise. Mesmo com a mídia tentando criar caso e falando em problema com finanças, nosso saldo global melhorou bem. E apesar das despesas terem aumentado, a esperança é de que em março lucremos para compensar os reforços que foram trazidos. Alguns por preços mais baixos, outros por preços um pouco mais caros.

 

Se Octávio levar mesmo o Flu para a final como eu acho que vai, o Flamengo que se cuide. Eles podem ter um conjunto muito mais forte e valioso que o nosso, mas se tivermos o dobro da raça que estamos tendo, somos capazes de surpreendê-los.

 

Coletiva de imprensa

 

az81vUt.png

 

Na coletiva após o jogo contra o Lanús, Octávio pareceu bastante satisfeito com o resultado que conseguiu. Entretanto, não escondeu que Pedro podia ter feito o gol da vitória no fim.

 

Perguntado sobre o desempenho da equipe, ele minimizou a atuação. E vai aqui o primeiro grande feito no comando do Fluminense:

 

F0gstG6.png

 

CAMPEONATO CARIOCA - FORA - 5ª RODADA

 

Nova Iguaçu 1x2 Fluminense

Jânio Moraes

 

Era partida decisiva. Quem vencesse, ia para a final da Taça Guanabara pegar o já classificado Flamengo. O empate era nosso. O Nova Iguaçu ainda estava invicto, venceu as três primeiras rodadas e empatou na 4ª com o Vasco. Foi um resultado que mostrou mais uma vez como o time está sendo bem treinado, afinal o jogo foi em São Januário.

 

Os especialistas cravavam vitória do Nova Iguaçu. As probabilidades nos favoreciam. Pensando no duelo contra o Globo pela Copa do Brasil, Octávio resolveu rodar o elenco. Também usou a tática secundária para que o time pudesse se familiarizar com ela. Um pouco arriscado por valer a final da Taça Guanabara, mas no fim das contas foi o correto a se fazer visto que não chegar na final ia mudar pouca coisa. O regulamento maluco da FERJ sempre ajuda os grandes.

 

A partida em si começou truncada, ninguém criava nada. Até que o Flu teve uma falta para cobrar na linha de fundo aos 19'. Sornoza colocou na cabeça de Ibañez, que testou firme.

 

O 2º gol saiu de um jeito estranho. Sornoza - ao que parece - cobrou o escanteio, Murilo Henrique foi tentar tirar de cabeça e errou. A bola ficou viva na área, e Lucas tentou matar no peito. Acabou deixando ela escapar e o gol contra saiu. No meio da etapa final, Fernando Neto sentiu o joelho. Como Octávio havia gastado as três alterações de uma vez só minutos antes, o tricolor carioca jogou com 10 até o fim.

 

Vendo que o Flu já tinha tirado o pé, o Nova Iguaçu buscou reagir. E num bom lance individual de Andrezinho, diminuiu. O empate quase veio logo depois, mas Rodolfo operou grandes defesas.

 

68eyZBx.png

 

Com a vitória, estamos na decisão da Taça Guanabara. A partida ocorrerá em março e terá como palco o Maraca. Além da liderança do grupo, a vitória nos garantiu a liderança geral. O gol contra do Lucas valeu muito...

 

8WPz6Yk.png

 

Com Americano e Nova Iguaçu indo bem assim, entendo a razão de Cabofriense e Resende terem caído.

 

Uma coisa que eu já ia me esquecendo de falar era sobre a pré-Libertadores; após fazer e tomar 2x1 contra o Independiente del Valle, o Vasco passou pela 2ª qualificação vencendo nos pênaltis por 8x7. A Chapecoense não seguiu os mesmos passos e foi eliminada pelo Guaraní-PAR pela regra do gol fora.

 

COPA DO BRASIL - FORA - 2ª ELIMINATÓRIA

 

Globo 2x3 Fluminense

Barretão

 

Promessa de partida pegada. O Globo vinha de um empate sem gols contra o ABC, um clássico que foi dominado por eles. O Flu vinha da classificação para a final da Taça Guanabara.

 

Começamos controlando a partida e tendo chances nas bolas paradas. E foi após sobras de escanteio que Serginho bateu forte. O goleiro espalmou e Marcos Júnior estava atento ao rebote para abrir o placar.

 

O empate veio cedo. Alex Sandro armou contra-ataque, levou até a linha de fundo e cruzou. Ruan Café apareceu finalizando e deixou tudo igual aos 16'. Desatenção da nossa zaga reserva que não viu o Ruan Café chegando. Para voltarmos a vencer, Gilberto teve que insistir em uma jogada e cruzar rasteiro. Pedro desviou, ela bateu na trave e entrou. No fim da etapa inicial, Gilberto voltou a dar assistência para Pedro marcar.

 

No 2º tempo, o jogo estava mais calmo. Gilberto ainda atuava muito bem e era quem conduzia o Flu ao ataque quase sempre. Kayke, que vinha de partidas ruins, acertou a trave já na parte final do jogo. Ele estava querendo marcar há algum tempo, mas não aproveitava suas chances. E como quem não faz toma, o Globo foi ao ataque. Ruan Café marcou de novo depois de rebote de Rodolfo e pôs fogo no jogo.

 

Como a equipe natalina não se mostrou merecedora do empate, ficou por isso mesmo. Nosso próximo adversário é o Bragantino, que eliminou a Ponte nas penalidades.

 

NnYCxkz.png

 

Entre as zebras da fase, tivemos: Atlético-GO derrotando o Botafogo, Ceará derrotando o Atlético-PR (na Arena da Baixada), Botafogo-PB derrotando o Internacional e o Remo eliminando o Sport nos pênaltis. Lembrando vocês que o SPFC já saiu na 1ª eliminatória por ter perdido para o Fluminense de Feira.

 

Spoiler

Uma coisa nada a ver, mas valeu, @VitorSouza, por me passar os kits atualizados da Série A. Ficou bem top aqui. :biggrin:

Share this post


Link to post
Share on other sites
Andreh68

No Carioca ja vi esse filme, vai bem vai bem, na hora H, algo da errado. Torçamos que não! 🙂

Agora, aproveita e ouve a voz da arquibancada, fora Kayke!

Share this post


Link to post
Share on other sites
17octavius

Nada mudou até então. Seguimos invictos na temporada e na caça aos time ricos. Octávio está seguro no cargo e mandando bem em todos os aspectos, principalmente no que se refere a táticas. Só o suporte administrativo que deixa a desejar (49%), mas é algo facilmente contornável.

 

Algo que está incomodando é a quantidade de lesões. Júnior Dutra se lesionou e ficará de fora por umas cinco semanas. Apesar do número de lesões esperado ser 26% maior, o Flu ocupa a 2ª colocação na tabela de lesões. A boa notícia é que Luciano está voltando e a contratação de um fisioterapeuta está para ser fechada.

 

COPA DO BRASIL - CASA - 3ª ELIMINATÓRIA

 

Fluminense 2x3 Bragantino

Maracanã

 

A primeira fase com ida e volta da Copa do Brasil. Chovia muito, mas o clima dentro de campo era quente por toda a fase vivida pelo Fluminense e a esperança do torcedor tricolor celebrar algum título expressivo novamente.

 

Octávio solicitou que o time começasse jantando o Bragantino, indo pra cima sem medo. E o mistão começou bem, tendo chances e tudo mais. Até que aos 6' tudo foi por água abaixo. Marlon cruzou e Gustavo desviou de cabeça na saída ruim de Rodolfo para abrir o placar. Eu tava sentindo que isso aconteceria, meu pressentimento não era dos melhores depois do apito inicial...

 

Aos poucos fui ficando otimista, e o Fluminense teve uma grande chance com Matheus Alessandro, mas ele desperdiçou ridiculamente. O Bragantino, que começou finalizando bastante, deu uma desacordada por ter feito o gol, e isso nos possibilitava atacar. Pena que o dia era ruim... Léo Jaime invadiu a área e tocou para o meio; Marlon só teve o trabalho de completar pro fundo do gol.

 

O bom placar construído pela equipe de Bragança Paulista fez Octávio sentir a necessidade de reagir. E botou o time do Flu para diminuir rapidamente. Aos 31', o resultado veio: cruzamento de Igor Julião, gol de Pedro. Foi a única coisa que deu certo até a etapa inicial acabar, fazendo Octávio mexer no time. Partida ruim da dupla de zaga, partida ruim de Rodolfo.

 

Se quem pensava que com o 2º tempo haveria melhora por parte do Fluminense, pôde se desiludir. Além de não criar nada no início, tomou o 3º gol, originado de bola parada, e Octávio alterou mais uma vez.

 

32.png?1549212508

 

O 4º gol do Braga só não saiu por milagre. E o Flu foi pra cima, sem sucesso. Aos 39 minutos, finalmente conseguiu marcar, com Pablo Dyego fazendo o pivô para Cabezas.

 

Apesar do gol, Cabezas estava mal. No fim, jogou fora duas chances do Fluminense chegar ao empate através de passes dele. E a partida terminou assim, com a primeira derrota do tricolor carioca no ano. Teve menos a bola? Sim, é verdade. Mas finalizou quase o dobro de vezes e não merecia ter perdido assim.

 

LtE4JiB.png

 

Antes do jogo contra o Flamengo pela final da Taça Guanabara, o Flu treinou escanteios ofensivos. Octávio solicitou após observar que para o tanto de escanteios que o Flu consegue falta concretização e efetividade.

 

Na Liberta, o Vasco conseguiu mesmo alcançar a fase de grupos ao golear o Jorge Wilstermann por 3x0 e depois segurar um empate. Inclusive, a fase de grupos teve início e alguns dos resultados que as equipes brasileiras obtiveram na 1ª rodada foram: três vitórias (Grêmio, Palmeiras e Santos), um empate (Flamengo) e duas derrotas (Corinthians e Vasco). O curioso é que o grupo A está com Grêmio, Palmeiras e Vasco, então pelo menos um time não iria escapar. O Cruzeiro, no momento em que escrevo isso, ainda não jogou.

 

Mar. 2018

 

Mais um mês se passando, e devo admitir que a derrota para o Bragantino foi doída. Mas o que interessa mesmo é o Flamengo, nosso próximo adversário.

 

CAMPEONATO CARIOCA - NEUTRO - FINAL (TAÇA GUANABARA)

 

Flamengo 1x0 Fluminense

Maracanã

 

Octávio escalou a equipe com força máxima para dar tudo e conseguir o resultado positivo. Antes do jogo, motivou os jogadores que ficaram inspirados. O apito soou, a bola rolou e o Flamengo já começou indo para o ataque. Paquetá foi parado com falta perto da grande área. Cobrou na barreira e o Fla não aproveitou o rebote.

 

A partida seguiu sendo dominada pelo Flamengo, mas aí o Flu resolveu se impor e finalizou com Jádson. Conseguiu administrar a posse e equilibrar o duelo, mas não criava nenhuma boa chance. Numa cobrança de falta jogada na área, Rodinei desviou no travessão e Renê aproveitou o rebote para fazer 1 a 0.

 

Reagimos. Gilberto botou na área e Everaldo quase empatou de cabeça. Aos 24', Jádson foi derrubado. Me pareceu fora da área de começo, mas o árbitro quis conferir com o VAR e... nada de pênalti mesmo. Fomos tentando, quando não errávamos era Diego Alves quem defendia. O fim do 1º tempo chegou, os jogadores voltaram para o vestiário perdendo, mas fizeram um bom jogo.

 

Volta para o 2º com mexida. O Flu seguiu desperdiçando chances e o Fla idem. Os erros de passe faziam do jogo um show de horrores. Matheus Alessandro, que não iniciou jogando, ainda teve a capacidade de perder um gol feito aos 32 minutos. O tempo foi passando, o Fluminense não ofereceu mais nenhum grande perigo e Héber Roberto Lopes apontou o centro de campo. Flamengo campeão da Taça Guanabara.

 

D6QRK4P.png

 

Antes da próxima partida, o Flu anunciou a contratação de uma jovem promessa chamada Danilo por indicação dos olheiros. Esperança é grande entorno do jogador. Léo foi devolvido ao Flamengo.

 

CAMPEONATO CARIOCA - FORA - 6ª RODADA

 

Nova Iguaçu 0x2 Fluminense

Jânio Moraes

 

Início da Taça Rio e o Fluminense vindo de duas derrotas. Necessidade imensa de voltar a vencer e uma bela oportunidade contra o Nova Iguaçu antes de partida importante contra o Bragantino pela Copa do Brasil.

 

Não começamos muito bem, mas logo as coisas foram se ajeitando. Com Marcos Jr., abrimos o marcador aos 16 minutos em boa trama. O VAR ainda foi solicitado para ver se o nosso carequinha estava impedido, mas a posição era legal. Para ajudar, Kayke ampliou antes dos 20' com bolão de Marlon, e o Flu baixou a intensidade.

 

Serginho insistiu em chutes de fora da área sem a direção do gol e a partida terminou 2x0 pra gente. Podíamos ter feito muito mais que isso, mas tiramos o pé. Sornoza ainda se lesionou no fim.

 

6wmm8Ok.png

 

A tabela da Taça Rio começa assim:

 

qca7XSf.png

 

Lembrando que a 2ª rodada é contra o Flamengo.

 

COPA DO BRASIL - FORA - 3ª ELIMINATÓRIA

 

Bragantino 1x1 Fluminense

Nabi Abi Chedid

 

Nossa obrigação era vencer. Qualquer outro resultado daria numa eliminação vexaminosa. E a tentativa de jantar os caras que não deu certo na ida, começou dando na volta. Logo no comecinho, falta na entrada da área. Everaldo cobrou com perfeição e abriu o marcador para o Fluzão. A resposta do Braga veio nos acréscimos, com Jádson a cometer pênalti e ser expulso. Cobrança convertida e placar igualado.

 

A infantilidade de Jádson custou caro. O Fluminense não teve forças para criar com um jogador a menos e simplesmente foi neutralizado pelo seu adversário, que cresceu no jogo e por pouco não virou. Perto do fim da etapa final, Pedro cabeceou e o goleiro deles fez boa defesa.

 

Saída precoce na Copa do Brasil e total descontentamento de diretoria, treinador e torcida. Para amenizar, o Atlético-MG foi outro que saiu fora. Foi despachado pelo Ceará.

 

fMMLERU.png

 

O que será do Fluminense agora? Crise instalada? Para Octávio ter abandonado uma coletiva de imprensa no meio...

Share this post


Link to post
Share on other sites
Banton

Concordo que uns bannerzinho deixariam a história mais interativa e organizada... 

Share this post


Link to post
Share on other sites
17octavius
Em 05/02/2019 at 16:54, Banton disse:

Concordo que uns bannerzinho deixariam a história mais interativa e organizada... 

Gosto de fazer como estou fazendo. O feedback é muito fraco para encher de linguiça.

 


 

A eliminação na Copa do Brasil doeu. Todos sentiram, todos ficaram desanimados. Mas é vida que segue. Não adianta chorar pelo leite derramado, a temporada não acabou. Infelizmente escolhemos o pior momento para perder e pagamos o pato. Nos resta esquecer isso e dar continuidade ao trabalho que estava muito bom antes da primeira derrota. Não há nada perdido.

 

CAMPEONATO CARIOCA - CASA - 7ª RODADA

 

Fluminense 2x0 Flamengo

Maracanã

 

Espírito de vingança após a derrota na Taça Guanabara. Jogo em casa (eu diria), com cerca de 70 mil pessoas presentes no Maraca. A ideia de Octávio para esse jogo era começar no ataque. Sabendo que o Flamengo costuma tomar gols nos minutos iniciais, ele não quis promover troca de peças em relação ao jogo com o Bragantino que terminou empatado em 1x1. Ele preferiu focar em mudar a abordagem.

 

O Flamengo passou a oferecer perigo logo aos 3', quando Geuvânio quase abriu o marcador. Sem Paquetá ao lado deles, a missão ficaria um pouco mais complicada. E aos 12', o Flu chegou pela primeira vez. Ganhou escanteio. Cruzamento forte, Jádson cabeceou pro meio da área. Kayke, no lugar certo, só desviou pra estufar as redes. Flu na frente!

 

A partir daí, passamos a jogar de maneira mais pensada. Sem subir muito, pensando apenas em neutralizar o Flamengo e contra-atacar. Se eles ficassem com a bola, reagruparíamos para evitar vulnerabilidade. Dessa forma, passamos o 1º tempo inteiro sem correr grandes riscos e fomos para o intervalo com a vantagem mínima. Ainda desperdiçamos algumas subidas por erros individuais, mas infelizmente o Flu não tem nenhum Barcelona no papel para que eu possa reclamar. Marcos Júnior, um dos principais culpados por matar contra-ataques, foi substituído por Pablo Dyego.

 

Na última etapa, sentimos desde o princípio que o Fla estava bem mais ofensivo. Martelaram muito, mas Júlio César salvava. Até que Octávio botou Bryan Cabezas no jogo. Bastou um contra-ataque fulminante para ampliarmos com ele. Jádson deu um passe em profundidade que permitiu um belo pique de Pablo Dyego. Ele levou, cruzou e Bryan finalizou. Diego Alves defendeu, mas no rebote não pôde evitar. Tava na rede.

 

Matheus Alessandro entrou. O Flu foi ao ataque e marcou o 3º com assistência dele para Pablo Dyego, mas o bandeirinha assinalou impedimento. Mantivemos a intensidade e entusiasmo, mas não saíram mais gols por nada. Para nenhum dos lados.

 

iMHWCMo.png

 

Detalhe para as substituições feitas pelo Flamengo. Dorival extremamente medroso, qual o sentido de botar um volante e um zagueiro numa partida em que se está perdendo?

 

Surpreendemos muita gente com esse resultado, inclusive as casas de aposta, que tinham o Flamengo como ligeiro favorito. Também os ditos "especialistas", que apostavam, no máximo, em empate. Não podíamos ter jogado melhor.

 

Para melhorar, Dorival ainda fez questão de expor seu descontentamento com as recentes declarações de Octávio. Foi coisa normal de coletiva, jogo psicológico. O experiente treinador caiu na provocação.

 

TRXHUW7.png

 

Questionado sobre, Octávio tirou o peso de suas costas, respondendo:

 

ebytE9C.png

 

Contratação

 

ATA: Wilson - Fortaleza (transferência imediata) - 210m

 

Depois de uma longa busca por um centroavante para fazer sombra, aí está.

 

CAMPEONATO CARIOCA - FORA - 8ª RODADA

 

Portuguesa-RJ 1x5 Fluminense

Ilha do Urubu

 

Programação normal voltando para a alegria do torcedor. Com o time reserva, o Fluminense foi capaz de derrotar a Portuguesa-RJ sem dificuldades. Matheus Alessandro desencantou no início e Wilson, o estreante, ampliou depois (com assistência do Matheus Alessandro). No fim da etapa inicial, o estreante Wilson ainda marcou mais um, de pênalti, após ter sido claramente empurrado dentro da grande área.

 

Com o esperado desleixo do Flu após os gols, a Portuguesa ainda conseguiu uma parcial reação. Mas no 2º tempo tudo desandou quando outra penalidade foi cometida, dessa vez em cima de Everaldo. Wilson bateu de novo e fez. Hat-trick.

 

P6AlUBM.png

 

Pedro quem marcou o 5º gol. Foi uma bela finalização. A assistência foi de Wilson, ele não foi parado por ninguém.

 

kW3jbJu.png

 

E a classificação ficou assim. Estou na torcida pelo Boavista no grupo B, se chegarmos na final da Taça Rio, quero que o Fluminense enfrente eles. Mas também não dá pra ter medo se for Flamengo ou Botafogo.

Share this post


Link to post
Share on other sites
vinny_dp

@17octavius entendo que você queira tocar a história da maneira como deseja, mas a resposta ao Banton ficou um tom acima do normal, principalmente porque ele apenas deixou uma sugestão pensando no desenvolver do save. Recomendo tirar um tempo lendo a Central de Informações da área, para que você curta mais a experiência do seu save, além de tornar a interação com os leitores mais suave.

Boa sorte com o tópico. 

Share this post


Link to post
Share on other sites
CCSantos

Concordo que a ausência de um banner desorienta e desmotiva quem lê a história.

E, se tiver preguiça pra fazer essa coisa 'pra encher linguiça', é só pedir lá no Boteco que vai achar gente que não acha que isso é encher linguiça e vai te ajudar, seja com banner e com barras. Na boa, de graça, sem pedir nada.

Se quer mais feedback, melhore o save, faça ele ser mais atrativo. Nada na vida se consegue interesse fazendo do seu jeito. Busque o diferente, pois nesse momento, está bem comum.

Na vida, para se ter interesse, é necessário fazer um bom produto, que precisa de uma boa primeira impressão, uma organização... Isso não é 'encher linguiça'.

Abraço e vai precisar melhorar muito durante a temporada pra não ser demitido, pois a taça mais rentável, você já perdeu, que é a Copa do Brasil.

Share this post


Link to post
Share on other sites
17octavius

Obrigado, mas não sei nem como devo usar os banners.

Share this post


Link to post
Share on other sites

Create an account or sign in to comment

You need to be a member in order to leave a comment

Create an account

Sign up for a new account in our community. It's easy!

Register a new account

Sign in

Already have an account? Sign in here.

Sign In Now

  • Similar Content

    • Luchín
      By Luchín
      Prólogo
      Após quase dois anos ausente do fórum, devido à vários motivos, o lançamento de uma nova versão do Football Manager me trouxe novamente até aqui e estar no fórum e ler algumas excelentes histórias de alguns companheiros, é impossível que o bichito não te pique. Ainda não me adaptei completamente a essa nova versão, que, para quem vem do FM17, apresenta muitas novas features, principalmente no âmbito tático e de controle de plantel, mas, como vinha tendo algumas dificuldades para me empolgar em saves offline, acabei me decidindo a contar uma história, que, de antemão, afirmo que será simples, nada mais que um relato do que estou jogando. 
      O clube escolhido é o Fútbol Club Andorra, que participa da pirâmide espanhola, estando, na vida real, na Preferente Catalana, equivalente ao quinto nível, mas como a expansão de ligas ainda não está completa, o coloquei na Tercera División, que é o quarto nível, substituindo a equipe de menor reputação presente. 
      A minha ideia para esse save será utilizar apenas jogadores andorranos. Para isso, habilitei, além da pirâmide espanhola, as duas divisões do futebol andorrano. 
      O treinador do clube será o ex-zagueiro Antoni "Toni" Lima, que, apesar de nunca ter atuado no clube, é um dos maiores jogadores da história do futebol andorrano. Antoni tem um irmão mais novo, Ildefons, que atualmente atua no próprio futebol andorrano, mas foi formado no FC Andorra e rodou por vários clubes, passando até mesmo pelo futebol da América, onde atuou no Pachuca. Via editor, coloquei o no clube para que termine sua carreira onde começou e "comandado" pelo irmão. 
      Concluindo, acredito que possa não receber a melhor recepção nesse retorno, pois cometi erros no passado, ofendi alguns membros desnecessariamente, e sei que após errar, a confiança não retorna de imediato, mas espero pode demonstrar que os erros ficaram no passado e que retorno à área com uma nova forma de pensar e me comportar. De todas as maneiras, um sincero pedido de desculpas para aqueles com quem não me portei bem no passado.
      Espero me divertir e que vocês também se divirtam com a história.
      Luiz. 
    • DjonatanJG
      By DjonatanJG
      Depois de muito trabalho envolvendo os kits "Fifa Style" decidi juntar tudo em um só pack, muitos kits estão bem desatualizados por isso pedimos a sua ajuda para aumentar e atualizar cada vez mais esse pack, aceitamos qualquer sugestão ou colaboração que faça crescer o pack, ja são mais de 270 equipes de todo o brasil ! creditos a: Caio Morais, DecoRuiz, Pedro Oscar, Mario Rorschach, Spica, VictorHugob15 e Yanfer
      Downloads:
      Megapack 1.0 (14.03.2019)(272 equipes):http://www.mediafire.com/file/bmy2ewefbzo26ro/Megapack+Kits+Fifa+Style.rar
      Modo de instalação:
      Extraia e jogue os arquivos aqui. 
      X:\Meus documentos\Sports Interactive\Football Manager 2017\graphics\pictures\kits\Clubs
      Vá em "Preferências" dentro do jogo, e desabilite "Cache" e habilitar o campo sempre "Recarregar Skin".
       
      DÚVIDAS, SUGESTÕES, PEDIDOS, qualquer outra coisa envolvendo os Fifa Style kits, postem aqui
      Processos(por estaduais):
      Acriano 100%
      Carioca 100%
      Candango 100%
       
      Proximos:
       
      Paulista
      Mineiro
      Gaúcho
      Goiano
      Catarinense
    • LuizH
      By LuizH
      Afastado durante longo período, senti que era hora de retornar à área para compartilhar uma nova experiência dentro deste jogo que tanto nos ocupa. A compra recente de um novo computador - o primeiro com capacidades dignas - unido a vontade de concretizar um objetivo que há bastante tempo almejo, levou-me a criação deste tópico e realização vasta pesquisa sobre o histórico do clube que possui comigo uma ligação bastante particular e que pretendo relatar no capítulo seguinte, o qual deixarei, por questões visuais, à disposição apenas daqueles que realmente se interessarem pelas motivações que levaram à escolha.
      Aos demais, resumidamente: A motivação é o futebol (hoje inexistente) da minha cidade, qual seja: Cachoeira do Sul(RS). O clube é o que leva o nome dela: Cachoeira FC; O início é na Terceira Divisão do Rio Grande do Sul. Te aguardo no capítulo 2.1!
      1.1 AS MOTIVAÇÕES EM UM BREVE RELATO HISTÓRICO:
      2.1 - DA CIDADE, DO CLUBE E DO ESTÁDIO:

      Cachoeira do sul é uma cidade do Rio Grande do Sul, localizada a 196 km de Porto Alegre. É uma cidade de aproximadamente 90 mil habitantes que ostenta o título de "capital nacional do arroz". Orgulha-se por ser o quinto município mais antigo do Estado, emancipando-se da cidade de Rio Pardo no ano de 1820. Dispondo de vastos territórios, pertenciam a Cachoeira do Sul municípios como Alegrete, Santa Maria, Santana do Livramento e São Gabriel.
      Cachoeira do Sul pertence a região econômica da Metade Sul do Rio Grande do Sul, grupo de municípios que teve prosperidade na primeira metade do século XX graças à agropecuária, mas que não se industrializaram ou tiveram uma industrialização tardia, mantendo seus tradicionais tipos de economia, empobrecendo e perdendo a concorrência para outros municípios.

      O Foot Ball Club Cachoeira, hoje Cachoeira Futebol Clube, é um clube fundado em 24 de fevereiro de 1914, na cidade de Cachoeira do Sul(RS), na residência do estudante Henrique Müller Barros, que mais tarde se tornaria médico no município. Em um período onde o campeonato gaúcho era disputado por regiões, em um sistema eliminatório entre o campeão da capital e um número variável de clubes das demais regiões do estado, o Cachoeira FC fora ter suas primeiras aparições no então campeão estadual somente no início da década de 40, mais precisamente em 1944. Até então, o clube viu-se ser amplamente dominado por seu grande rival, o Guarany de Cachoeira.  
      2.1.1 - A PRIMEIRA ERA
      Em 1944, depois de ser campeão municipal, a equipe derrotou o Inter de Santa Maria, pela final da Zona Centro, e o Floriano (após duas prorrogações), pelas quartas do estadual. Na semifinal, entretanto, o Cachoeira veio a ser facilmente eliminado pelo Bagé. Esse foi um momento muito importante na história do Cachoeira, pois, no ano anterior, o Guarany havia sido vice-campeão estadual e uma vitória contra o Bagé teria, ao menos, igualado o feito. O Cachoeira esteve ainda mais próximo da grande final estadual em 1948, quando foi eliminado, outra vez na semifinal, pelo Grêmio Santanense, em Porto Alegre. Na ocasião, o Cachoeira chegou a estar vencendo o jogo por 3 a 1, mas cedeu o empate e foi derrotado na prorrogação. O Cachoeira ainda voltaria ao Estadual em 1951 e 1955, mas nessas vezes seria eliminado em fases mais precoces.

      (Cachoeira FC, campeão citadino de 1942)
      2.1.2 - A GLORIOSA DÉCADA DE 70
      A partir da unificação do Campeonato Gaúcho em 1961, houve uma realocação dos clubes por meio de divisões: os clubes da capital e outros mais tradicionais foram incluídos na primeira divisão enquanto aqueles de regiões menos qualificadas foram alocados em uma segunda divisão, o do Cachoeira FC fora um destes clubes. 
      Dentro de um sistema bastante confuso de campeonatos que não davam acesso e nem rebaixavam, além das fórmulas mirabolantes existentes da década de 70, o Cachoeira FC conseguiu estar presente em 5 temporadas na primeira divisão do Campeonato Gaúcho: 72/73/75/77/79. O que causa surpresa, no entanto, é o fato de o clube ter sido promovido pela via tradicional em apenas uma oportunidade, quando obteve o acesso pelo vice campeonato da segunda divisão em 1978. 
      Considerada a melhor (e unica) década de sucesso na história do clube, o fim dos anos 70 culminariam com desaparecimento do Cachoeira FC na elite do futebol gaúcho. Após um péssimo desempenho campeonato de 1979, amargando a última posição entre 20 clubes, o clube ainda manteria, precariamente, suas atividades profissionais durante as temporadas de 80,81 e 82, até decidir-se pelo abandono do futebol profissional. 
      2.1.3 - O RETORNO AO FUTEBOL PROFISSIONAL E O PRIMEIRO E ÚNICO TÍTULO
      Foram necessários 17 anos até que o Cachoeira FC novamente voltasse a disputar uma competição profissional. Somente no ano de 2000, após a autorização para refiliação do clube à FGF, o Cachoeira FC voltaria a Terceira divisão do campeonato gaúcho.
      Eliminado precocemente na primeira temporada de retorno, o clube voltaria a campo para fazer história na temporada de 2001. Após vencer o Farroupilha por 3-2 no agregado (1-1 em Pelotas e 2-1 em Cachoeira do Sul) o clube alcançava seu primeiro e único título de sua história de 115 anos. 

      Elenco campeão da Série C do Campeonato Gaúcho em 2001 (Terceirona)
      O acesso à segunda divisão trouxe nova esperança ao clube que passara seu últimos anos na obscuridade. Durante 7 temporadas consecutivas a equipe buscou retornar a elite do futebol gaúcho sem obter sucesso em nenhuma delas. O período, ainda, ficou marcado pela realização dos primeiros clássicos CA-SÉ (Cachoeira FC x São José-CS) em nível profissional. 
      Entre boas e más campanhas, o clube ainda teria que amargar ver o seu principal rival disputando a elite gaúcha durante as temporadas de 2003-2007. O retorno do clássico se daria na temporada de 2008, quando após uma campanha melancólica, ambos os clubes fechariam seus departamentos profissionais para nunca mais voltar. 
      2.1.4 - JOGOS MEMORÁVEIS
      Em 19 de junho de 1962, ocorre um fato marcante na história do clube: um amistoso contra o Racing Club de Montevideo, como preliminar de Uruguai e Checoslováquia (que alguns dias antes havia perdido a Copa do Mundo para o Brasil, no Chile), no Estádio Centenário. Logo no primeiro tempo, o Racing abre cinco gols de vantagem. Na segunda etapa, o time da casa tirou o pé e o Cachoeira diminuiu o placar para 5 a 3. Dois anos mais tarde, o Racing iria a Cachoeira do Sul para a revanche e seria derrotado no Estádio Municipal por 1 a 0.
      No jogo da volta, o goleiro do Racing era um jovem Ladislao Mazurkiewicz em começo de carreira, pouco antes de se transferir para o Peñarol e de jogar três Copas do Mundo. 
      Além disto, outros dois jogos são lembrados como memoráveis na história do clube, mesmo que se tratassem apenas de amistosos. 
      16.05.1965 - Cachoeira FC 2 x 1 Grêmio 
      31.05.1972 - Cachoeira FC 1 x 0 Internacional
      2.1.5 - O ESTÁDIO
      Estádio Joaquim Vidal
      O estádio Joaquim Vidal pertence ao município de Cachoeira do Sul. Atualmente, encontra-se dentro de um projeto de revitalização infraestrutural uma vez que a deterioração de sua estrutura o levara à interdição. Com a necessária destruição de um setor de arquibancadas que ficava no lado oposto ao pavilhão central, não se sabe qual sera a capacidade do estádio após o fim da referida reforma, mas acredita-se que o estádio deva ter capacidade para 2 a 3 mil pessoas (no FM são 5 mil lugares)
      2.2 - DO JOGO EM SI:
      A estrutura exigia o máximo de realidade possível e eis o que eu tentei buscar dentro do que eu entendia do editor do jogo. Diante da disponibilidade aqui no fórum do update MRT90 e a realidade estrutural alcançada dentro dele, restou a mim a parte fácil: encontrar uma forma de tornar "real" o possível retorno do Cachoeira FC ao futebol profissional.
      Considerando que o update não dispunha da segunda e terceira divisão gaúcha, fora necessário apenas alterar algumas configurações para incluí-las ao jogo. Mesmo que sem a reprodução perfeita das estruturas reais dos campeonatos, consegui criar as respectivas divisões. Atualizados os elencos da primeira e segunda divisão e habilitado novamente o profissionalismo ao futebol do Cachoeira FC (constava como extinto) estava tudo pronto.
      Em relação aos clubes da terceira divisão, optei por incluir aqueles que de fato participam da terceira divisão estadual em 2019 e fiz um apanhado de algumas pequenas equipes que estiveram presentes nos últimos anos para completar os 16 clubes da estrutura.
      Já a questão dos jogadores em si, nada foi alterado. Com exceção de alguns jogadores perdidos que já constavam em algumas equipes, a maioria das outras inicia com os conhecidos jogadores "cinzentos", inclusive o Cachoeira FC.
      2.3 - DOS OBJETIVOS:
      De início, há apenas um único objetivo que é algo que está ligado mais a minha forma de jogar FM do que propriamente a desafio na história: o desenvolvimento das categorias de base. 
      Confesso que por um determinado período eu até dividi a vontade de unir o youth challenge a esta história, afinal, gosto da ideia e e algo que ainda não fiz. Porém, no fim das contas, acabei optando por jogar de forma mais casual (com contratações).
      No mais, por ser um desafio, tentarei buscar incluir objetivos mais dinâmicos, temporada a temporada. 

      Créditos ao trabalho de Evaldo Júnior (www.erojkit.com)
      3 - REFERÊNCIAS:
      Jamais havia encontrado na internet muito material acerca do Cachoeira FC, portanto, deixo aqui meus créditos de pesquisa ao excelente trabalho do blog "um pequeno museu do futebol gaúcho" (Disponível em: (https://1pmfg.com/home/)).
    • Henrique M.
      By Henrique M.
      Depois de muito tempo sem jogar um save no Brasil, decidi que era hora de retornar ao nosso país e começar uma nova aventura. Com o recém-lançamento do patch 19.2 do Football Manager 2019 e o final da temporada brasileira, e consequentemente atualização da database que irei utilizar para adicionar a Série D ao jogo, é hora do anúncio. Para o meu retorno ao Brasil, escolhi um clube mineiro, a Associação Atlética Caldense, também conhecida como A veterana.
      Coincidentemente ou não, é meu terceiro save consecutivo aqui com uma equipe alviverde (Shamrock Rovers em Uma Só Nação e Werder Bremen). E se não fosse a Caldense, aparentemente, a outra opção também seria alviverde. Acaba sendo uma curiosidade, apesar de não ter muita relevância, achei interessante mencionar. O clube é de Poços de Caldas, cidade do interior de Minas Gerais. Poços de Caldas conta com quase 170 mil habitantes, portanto, é uma cidade com potencial para um clube de futebol.
      A Caldense foi fundada em 1925, logo, a ideia é estarmos ao menos na Série A no ano do centenário. Como entre a temporada 2019 e 2025 ocorrem cinco temporadas, seria uma meta plausível, entretanto, algumas ideias surgiram para tornar esse save diferente do tradicional. Não via muito sentido em fazer uma jogatina tradicional, tal qual fiz com o Werder Bremen no FM 2018, por isso, decidi pensar algumas estratégias para tornar o desafio de levar uma equipe brasileira do anonimato ao estrelato.
      Categoria de base ou Diretor de Futebol?
      Existem alguns desafios tradicionais no Football Manager, como o desafio de San Marino, o Desafio do Sir Alex Ferguson, o Desafio da Base, o Desafio do Diretor de Futebol e muitos outros. Os dois primeiros são específicos da liga italiana e inglesa, respectivamente, enquanto a aplicação dos outros dois é universal. Eu já realizei um save da base, nos moldes idealizados no FM 2016, mas não fui muito além. Assumi o Concarneaux, na última divisão francesa e apesar de ter jogado seis temporadas, não foi de muito sucesso. Consegui subir e jogar a Ligue 2 na quinta temporada, mas caímos na primeira participação de volta à National, mas encerramos a sexta temporada com o retorno a Ligue 2 e título da divisão.
      O desafio do Diretor de Futebol eu nunca tentei e por isso, ficava o desejo. E temos que lembrar que a liga brasileira é uma das mais recomendadas para esse tipo de abordagem, já que simula bem a realidade dos treinadores brasileiros. Esse desafio consiste em delegar todas as contratações ao seu Diretor de Futebol, com o treinador podendo apenas realizar indicações.
      Até pensei em mesclar as duas coisas em uma só, mas o fato de poder recomendar contratações, tiraria todo o sentido de fazer um save de categoria de base. Por isso, para o save com a Caldense, retirando o atual elenco, eu apenas utilizarei jogadores oriundos da base nesse save. Logo, A Veterana será a busca de fazer com que a base da Caldense leve a equipe até o ápice do futebol continental e mundial.
      Apresentação do save sem FM
      Meu tempo está meio curto nesse final de ano, mas deve melhorar a partir da próxima semana, mas eu quis utilizar um pouco do tempo que tenho para fazer o anúncio e apresentar o save. Desde que o FM 2019 foi lançado, meu tempo passou a ser dividido entre FM 2017, recentemente o 2018 e The Witcher 3. Ao optar por fazer isso, terei tempo para fazer uma apresentação mais detalhada e não algo apressado apenas para jogar o FM 2019.
      Por isso, essa apresentação veio assim, sem muito FM, entretanto, para compensar resolvi trazer algumas informações para que vocês possam conhecer melhor o clube.
      Informações sobre a Caldense
      Como já mencionamos, as cores da equipe são verde e branco e o mascote da veterana é um periquito. A sua grande rivalidade futebolística é o Rio Branco de Andradas Futebol Clube. A equipe joga no Estádio Dr. Ronaldo Junqueira, carinhosamente apelidado de Ronaldão. O estádio tem capacidade para 7600 pessoas (vida real), e sua maior lotação foi de 14200 pessoas. Infelizmente, o proprietário não é o clube. Felizmente, algumas dessas informações divergem do que está na base de dados do Football Manager. O estádio é maior e do clube no jogo.

      Periquitão, o mascote da Caldense
      Principais conquistas
      Em termos de título, a equipe ganhou o Campeonato Mineiro em 2002. Entretanto, nesse ano, o campeonato foi uma espécie de Campeonato do Interior, já que os grandes da capital não participaram. Enquanto em 2015, a Caldense fez uma brilhante campanha, chegou até a final contra o Atlético-MG e foi prejudicada pela arbitragem no jogo decisivo, onde o mando de campo era seu. Infelizmente, esses são os maiores momentos de glória da Veterana.

      Estádio Dr. Ronaldo Junqueiro, o Ronaldão, a casa da Caldense

      Elenco da equipe na conquista do Campeonato Mineiro de 2002
      A equipe participa do Campeonato Mineiro desde 1960, são 43 participações ao longo desses anos todos. A equipe esteve na elite mineira em 36 delas, e desde 1986 foi rebaixada apenas uma vez. A queda em 2007 levou a equipe ao Módulo II, onde levou duas temporadas para retornar. E desde 2009, a equipe está ininterruptamente no Módulo I do Campeonato Mineiro, apesar de ter flertado com o rebaixamento nesse ano.

      Elenco da Caldense que foi vice-campeão do Campeonato Mineiro em 2015
      Participações em competições nacionais
      A equipe participou apenas uma vez da elite do futebol brasileiro, em 1979. Além disso, também só tem uma participação na Série B e Série C. Mas em termos de Série D, ela é uma das equipes que mais representou Minas Gerais. São cinco participações em 10 anos de competição, e apenas o Villa Nova tem mais participações que a Veterana.
      A equipe de Nova Lima participou por seis vezes do último escalão nacional. Curiosamente, nenhuma das duas conquistou a promoção para a Série C, mesmo com uma participação enorme na divisão. Em Minas Gerais, apenas Tombense e Tupi já conquistaram o acesso, com a equipe de Juiz de Fora sendo a equipe que mais vezes subiu para a Série C na história da competição, com dois acessos.
      Curiosidades e ídolos do clube
      No site oficial da Caldense, a equipe cita algumas curiosidades como ter sido a última equipe que Garrincha enfrentou, a primeira equipe que Ronaldo Fenômeno enfrentou, ter recebido um prêmio das mãos de Galvão Bueno e ter disputado uma partida com a seleção brasileira.
      Os ídolos são o goleiro Paulão (jogador que mais vezes vestiu a camisa do clube), o goleiro Gilberto Voador (considerado o melhor goleiro da história do clube), o zagueiro Fábio Paulista (que chegou ao clube no último rebaixamento ao módulo II e ajudou na transformação da Veterana em uma das forças do interior mineiro), o zagueiro Buzuca (considerado o maior zagueiro da história do clube), o lateral-direito Orlando (um dos quatro jogadores que vestiram a camisa da seleção brasileira na história do clube), o também lateral-direito Arnaldo, o ponta-direita Augusto (um dos maiores artilheiros da história do clube), o atacante Mirandinha (o maior artilheiro da história da Caldense e não é o ex-São Paulo), e o atacante Walderi. Além disso, Walter Casagrande já passou pelo clube e é o jogador de maior renome a vestir a camisa da veterana.
      Objetivos do save
      Conquistar o Mundial de Clubes; Conquistar a Libertadores da América; Conquistar o Campeonato Brasileiro - Série A; Conquistar a Copa do Brasil; Conquistar o Campeonato Mineiro; Ser o clube mineiro com a maior quantidade de campeonatos brasileiros (Cruzeiro possui 4); Ser o clube brasileiro com a maior quantidade de Libertadores (Grêmio, São Paulo e Santos possuem 3); Ser o clube mineiro com a maior quantidade de Copas do Brasil (Cruzeiro possui 6); Ser o clube do interior com a maior quantidade de estaduais (Villa Nova possui 5); Ter, simultaneamente, 11 jogadores da base da Caldense na seleção brasileira; Ser o clube brasileiro com a maior quantidade de jogadores formados no clube na Série A; Ser o clube brasileiro com a maior quantidade de jogadores formados no clube nas principais ligas europeias; Ter superioridade de vitórias no confronto direto contra as grandes equipes do Estado; Estar na Série A no ano do centenário do clube; Mais objetivos podem ser adicionados, caso eu julgue necessário; Continuidade de Uma Só Nação
      O save Uma Só Nação continuará a todo vapor. Não tenho intenção de pará-lo.
      Histórico da Caldense
      2019: 7º lugar no Campeonato Mineiro, eliminado nas quartas-de-final, 4º lugar no Grupo M da Série D; 2020: 7º lugar no Campeonato Mineiro, eliminado nas quartas-de-final, 4º lugar no Grupo N da Série D; 2021: 5º lugar no Campeonato Mineiro, eliminado nas quartas-de-final, 3º lugar no Grupo M da Série D; 2022: 6º lugar no Campeonato Mineiro, eliminado nas quartas-de-final, 3º lugar no Grupo M da Série D; 2023: 4º lugar no Campeonato Mineiro, eliminado nas semi-finais, 1º lugar no Grupo M da Série D, eliminado nas quartas-de-final; 2024:  Índice da história
      Apresentação do save; Começo de trabalho no Mineiro; Um periquito costuma ser inofensivo; A classe de 2019 Déjà Vu Uma pequena evolução A classe de 2020 A Veterana vai encorpando Copo meio cheio ou meio vazio? A classe de 2021 Aos trancos e barrancos é o suficiente O verdadeiro primeiro adeus A classe de 2022 Nos restabelecendo como força do interior A dois pênaltis do paraíso A classe de 2023
    • Darthz
      By Darthz
      Apresentação
      Já há algum tempo que tinha vontade de voltar a postar um save no Profissão Manager, mas com a leitura de alguns textos e o acompanhamento de histórias da área, decidi passar das palavras aos actos e tentar levar um save em frente mais do que umas duas ou três épocas, coisa que já não acontece há algumas versões do Football Manager.
      Não prometo gráficos “topo de gama”, mas sim um tópico organizado e com as informações mais importantes do que for acontecendo durante as temporadas, não só no clube que estiver a treinar, mas também nas competições e prémios que eu considerar relevantes.
      O Save
      O Leste Europeu é sem dúvida um dos lugares mais interessantes para treinar, pelo menos no meu ponto de vista, e apesar de já ter realizado algumas carreiras começando em ligas desta região da Europa, fica sempre a sensação que há mais para desbravar, e muitos países e equipas diferentes para descobrir e conhecer.
      Depois de ter lido alguns artigos sobre o Ajax de Rinus Michels e Cruijff, fiquei fascinado com a história, não só dos acima citados, mas também de Ștefan Kovács, treinador sucessor de Michels e que levou o Ajax a duas Taças dos Campeões Europeus consecutivas. Sendo bem mais desconhecido que os dois holandeses, o romeno foi responsável por continuar e expandir a filosofia do “futebol total”, e isso levou-me então a desejar fazer algo que pudesse aliar o meu gosto pessoal com uma pequena homenagem àquele que é considerado por muitos o melhor treinador romeno de todos os tempos e muito pouco conhecido pelos adeptos de futebol em geral.
      Para finalizar, apenas referir que o nome do save deve-se aos Cárpatos, maior conjunto montanhoso da Europa Oriental, e que percorre uma grande parte da Roménia, sendo um “cartão de visita” do país.
      Biografia de Ștefan Kovács
      Ștefan Kovács (Timișoara, 2 de outubro de 1920 — Cluj-Napoca, 12 de maio de 1995) foi um jogador e treinador de futebol romeno, considerado um dos mais bem sucedidos treinadores na história do futebol europeu.

      Nascido em Timișoara, na Roménia, Kovács foi um meio-campista que apesar de possuir técnica apurada e intuição tática nunca foi escolhido para jogar na seleção romena, ao contrário do seu irmão mais velho Nicolae Kovács, que foi um dos cinco jogadores que participaram nos três Mundiais anteriores à Segunda Guerra Mundial.
      Kovács teve seus primeiros grandes sucessos como treinador no comando do Steaua Bucureşti, onde venceu por uma vez o campeonato (1967-68) e três vezes a Taça da Roménia (1968–69, 1969–70, 1970–71).
      Depois disso, ele substituiu Rinus Michels como treinador do Ajax em 1971, continuando e expandindo a filosofia do "futebol total". Com o Ajax, Kovács venceu duas Taças dos Campeões Europeus consecutivas (1971–72, 1972–73). Ainda em 1972, ele também ganhou a Taça Intercontinental e no ano seguinte a primeira edição da Supertaça Europeia. Além disso, ele liderou o Ajax para a vitória dos campeonato holandeses em 1972 e 1973 e Taça da Holanda dos mesmos anos.
      Apesar de ter comandado o Ajax em apenas duas temporadas, o romeno tornou a equipa holandesa na melhor da sua geração, sendo a caminhada para a sua terceira final europeia quase processional. Tímido e sem vontade de atrair atenção, ao contrário de Michels, Kovács tornou-se uma estrela na Holanda. Quando Nicolae Ceausescu visitou a Holanda em 1973, a rainha holandesa Beatriz perguntou ao ditador romeno num banquete: “O que podemos dar-lhe para você levar de volta à Roménia? Deve aceitar algo em troca de nos enviar Kovács.”

      Um homem inteligente, Kovács decidiu sensatamente sair quando a equipa estava no auge. Foi uma decisão sábia. Johan Cruijff, o melhor jogador da equipa e força de galvanização, partiu para o Barcelona para se juntar a Michels pouco tempo depois, e o grande Ajax rapidamente se desintegrou.
      Depois de deixar a equipa holandesa em 1973, foi convidado pela federação francesa de futebol para assumir a seleção principal. Jornalistas do France Football perguntaram-lhe quanto tempo demoraria para fazer da seleção francesa uma das melhores do mundo, Kovács respondeu: “Com boas estruturas, em oito a dez anos, poderemos ter uma boa seleção nacional.” Michel Hidalgo, seu adjunto e sucessor, aproveitaria o trabalho já realizado e lideraria a geração de Platini, Giresse e Tigana ao título do Campeonato Europeu de Futebol de 1984. Actualmente Ștefan Kovács continua a ser o único treinador estrangeiro que alguma vez treinou a seleção francesa de futebol.
      Infelizmente a carreira de treinador de Kovács terminou em ignomínia: no seu retorno à seleção da Roménia, onde já estivera como assistente, foi acusado de perder de propósito para a Hungria, falhando assim a qualificação para o Mundial de 1982. Após a saída da seleção romena, ainda realizou três temporadas como treinador do Panathinaikos da Grécia (1981-1983), e uma breve passagem sem glória pelo Mónaco, onde foi despedido após um punhado de partidas, e substituído por Arséne Wenger.
      Faleceu a 12 de maio de 1995, doze dias antes do Ajax ganhar a sua quarta Liga dos Campeões.
      Troféus e dados de carreira de Ștefan Kovács
      1953-1960 : Universitatea Cluj 1960-1962: CFR Cluj 1962-1967: Roménia (Assistente) 1967-1971: Steaua de Bucareste - 1 campeonato da Roménia e 3 Taças da Roménia 1971-1973: Ajax - 2 Campeonatos da Holanda, 1 Taça da Holanda, 2 Taças dos Campeões Europeus, 1 Supertaça Europeia e 1 Taça Intercontinental 1973-1975: França 1976-1980: Roménia (Treinador Principal) 1981-1983: Panathinaikos - 1 Taça da Grécia 1986-1987: Mónaco Dados, ligas e treinador
      Como é perceptível, irei fazer um save carreira, no estilo JET, utilizando uma base de dados que activa a terceira divisão da Roménia. Coloquei como jogáveis 13 ligas de modo a dar o máximo de oportunidades ao treinador, e de aumentar a dificuldade do save.
      Utilizarei a personagem Andrei Kovács, pois apesar de não ser um save de ficção, quero homenagear Ștefan Kovács, e quem sabe, superá-lo como melhor treinador romeno de todos os tempos. Não procurarei seguir o mesmo trajeto em termos de clubes, mas se surgir uma proposta, quem sabe?
      Objectivos do Save
      Superar o número de títulos de Ștefan Kovács na Roménia (3 taças da Roménia e 1 campeonato); Vencer duas Ligas dos Campeões; Treinar a seleção da Roménia;
×