Ir para conteúdo
  • Cadastre-se
Perissé

Los Bukaneros: Não me acorde! (14/02)

Recommended Posts

Perissé
Em 17/01/2019 at 22:24, Johann Duwe disse:

Campeonato muito embolado na luta pelo acesso a La Liga, gostamos disso ahahha.

Emoção é sempre bem-vinda, rs.

Em 18/01/2019 at 22:33, marciof89 disse:

O bom das ligas de acesso pelo mundo é que elas costumam ser bem equilibradas, então vc empatou mas mesmo assim está perto do líder. Tem oscilado entre jogos que vence com bastante gols e empates frustrantes. Tem que melhorar no segundo aspecto para poder sonhar com o acesso direto.

Boa sorte!

Valeu, Marcio.

A minha sorte foi a queda de Valladolid e Zaragoza em escalas até piores, o que manteve a equipe no G6. No entanto, temos sim que melhorar nesses empates, geralmente por dificuldade de criar contra defesas bem postadas. Capaz de variar o 4-1-2-3-0, mas é assunto para a próxima atualização.

Em 19/01/2019 at 18:28, vinny_dp disse:

Com sete jogos por disputar e tendo identificado os principais problemas para a queda de ritmo creio que conseguirá encontrar soluções para minimizar essas situações e garantir o acesso, seja diretamente ou após os playoffs. 

Boa sorte.

Valeu, Vinny.

Como disse ao Marcio, capaz de eu variar o 4-1-2-3-0 para poder propor e criar mais contra defesas fechadas, objetivando brigar pelo acesso direto, já que eu não quero viver a tensão dos play-offs.

21 horas atrás, Vannces disse:

Seria um confronto muito complicado o que virá pela Copa Del Rey contra o Real Sociedad? Na liga o time está a apenas 2 pontos do Líder, então dá para ver que a equipe está a um passo do sucesso. É possível conseguir um rendimento melhor no ataque? Tipo alguma mexida ou ajuste? Ou seria arriscado? Tem muita lenha para queimar e acho que um pouco de cuidado defensivo e os empates podem virar vitórias que levará o time direto para o topo. Boa sorte na sequência.

Valeu, Vannces.

O Real Sociedad está num patamar abaixo do Real Betis, estando na 19º lugar na La Liga, mas não deixa de ser o favorito no confronto.

Eu acredito que o desempenho atual garante apenas a vaga nos play-offs, mas, por estarmos oscilantes, deixaria outras equipes favoritas para o acesso direto. Portanto, vou fazer ajustes pontuais na parte ofensiva, não vou mudar em nada as estratégias de pressão e linha defensiva que vem dando certo. Desta forma, acho que não tem muito risco do rendimento cair de vez.

Compartilhar este post


Link para o post
Compartilhar em outros sites
ggpofm

Está cumprindo as expectativas assumidas no início de temporada e se tudo der certo conseguirá a promoção na temporada de estreia do save. Boa sorte.

Compartilhar este post


Link para o post
Compartilhar em outros sites
Perissé

809466313_Banner(LosBukaneros).thumb.png.b73e12b5e2c3ce214a7541e37d21a10d.pngBarra.png.be810d698f89bb9c202d787af83663c8.png

  • 4-1-2-3 y adaptaciones al contexto:

Como havia adiantado na atualização passada, a equipe obteve dificuldades diante de defesas bem postadas que possuíam uma linha defensiva baixa, o que dificultava o espaço de penetração dos raumdeuters. Sendo assim, o caminho encontrado foi variar apenas funções do ataque para adaptar a equipe ao contexto imposto, sem alteração alguma nas instruções.

kGSzsbj.png

Desta forma, a configuração do ataque mudou para um extremo na esquerda, que flutuará por ser destro, liberando espaço para o avanço do lateral-esquerdo e auxiliando o meio na criação, um avançado interior na direita, que será agudo e terá o pé trocado, e um avançado completo, que sabe se posicionar muito bem, seja para fazer uma "parede" ou em um cruzamento.

Além disso, será comum inverter os extremos em contextos de menor posse de bola, precisando de mais rapidez pelos lados e jogadores agudos.

  • Copa del Rey:

Como havia adiantado na atualização passada, fomos sorteados para enfrentar o Real Sociedad nas quartas de final. A equipe de Frank de Boer se organiza em um 4-1-2-3 ou 4-2-3-1 com uma mentalidade ofensiva e de passes curtos.

Na ida, em Vallecas, sufocamos La Real na primeira etapa e abrimos o placar com Álex Moreno. Após o intervalo, perdemos algumas chances, porém conseguimos neutralizar o adversário e segurar a vantagem de 1-0 para a partida de volta.

Na volta, no Anoeta, a primeira etapa foi de jogo "feio e brigado" pela posse no meio-campo, ocasionando apenas seis chutes no total. No entanto, após o intervalo, Oscar Trejo puxou a responsabilidade e driblou os centrais realistas em uma jogada individual com direito a cavadinha para abrir o placar e selar a classificação. O conto de fadas continua!

8xe2UgL.png

Para a próxima fase, fomos sorteados para enfrentar rival do nosso adversário recente: Athletic Bilbao.

  • La Liga 123:

Inicialmente, sugiro aos leitores que voltem à uma atualização anterior, onde há um resumo de cada equipe da competição para compreender melhor os comentários sobre cada partida. Além disso, quando mencionar um jogador, também mencionarei a sua função na partida.

Na primeira partida da nova estratégia, controlamos facilmente a posse diante do Almería, porém não soubemos transformar os 60% de posse de bola em chances e, novamente, empatamos (1-1). Na sequência, alterei a equipe para o 4-2-3-1 especialmente para enfrentar o então líder Osasuna, que iniciou a partida fechando bem os espaços, porém viu o regista Beltrán abrir o placar em mais um balaço do meio da rua, seu terceiro em jogos importantes com apenas 19 anos. Em seguida, voltamos do intervalo sufocando ainda mais os rojillos e transformamos o placar mínimo em goleada (4-0) com os dois gols do avançado completo Khalifa e com o gol contra do meia Roberto Torres, que quis contribuir com a fantástica exibição.

Na partida seguinte, matamos a partida com o Reus em apenas 27 minutos e controlamos a posse até o apito final, apesar do desconto dos ganxets (2-1). Na sequência, recebemos o Alcorcón, que tiveram uma expulsão direta no primeiro minuto e tiveram que jogar 89 minutos com 10 jogadores, mudando constantemente a formação, como o mapa de calor mostra. No entanto, só abrimos o placar de pênalti aos 71 minutos (1-0).

Em seguida, começamos o mês de março diante do Real Valladolid, que abriu o placar aos 5 minutos com um chute desviado e ampliou logo depois do intervalo. Nos minutos finais, alterei a equipe para o 4-2-3-1 e descontamos com o avançado completo De Tomás (1-2), porém já era tarde. Na sequência, visitamos o Albacete, que arrematou quatro vezes a gol e marcou duas vezes, ambas de bola parada. Enquanto isso, acertamos o dobro de chutes a gol e três vezes na trave, porém não marcamos o fundamental no futebol (o gol) e voltamos derrotados (0-2) para casa.

9AFO3Zv.png

No final de março, a equipe engrenou e completou quatro vitórias seguidas, o que nos colocou de volta à briga pelo título.

A primeira delas foi sobre o Cádiz, que ficou com apenas 30% da posse e sofreu dois tentos (2-0) em 26 minutos de jogo. Na sequência, diante do Numancia, fomos acertar uma estratégia mais direta (diferente de uma reativa) apenas no final da primeira etapa, porém conseguimos anotar três tentos (3-0) desde então. Em seguida, abrimos o placar diante do Barcelona B, ampliamos e não tivemos pressa em parar a trocação de passes dos catalães, que assustaram no final (2-1), porém sem alcançar o empate. Por fim, diante do Córdoba, Álex Moreno abriu o placar com 24 segundos e De Tomás ampliou logo em seguida. Os blanquiverdes chegaram a diminuir (2-1), mas não assustaram.

4F3YtkZ.png

ESTATÍSTICAS DAS EQUIPES | ESTATÍSTICAS DOS JOGADORES

Desde a última atualização, subimos três posições e empatamos em pontos com o líder Cultural y Deportiva Leonesa, que vem sendo a sensação da competição. No entanto, os últimos oito jogos do campeonato serão de extrema influência no resultado final. Acredito que, mesmo com uma campanha abaixo na reta final, conseguiremos alcançar os play-offs. Entretanto, não é o meu desejo disputar duas fases de mata-mata recheadas de tensão com uma equipe que possui altas expectativas pela promoção.

Algo a se destacar no coletivo é a queda drástica nos desarmes com êxito com uma média de 23 por jogo (eram 27 nas 13 primeiras rodadas), apesar dos bons resultados defensivos, sendo a melhor defesa da competição (27 gol sofridos). Além disso, a disparidade das oportunidades criadas (164) para o restante das equipe é surpreendente.

Já no individual, Álex Moreno é o artilheiro da equipe com 13 gols em 27 jogos, Saber Khalifa é o garçom da equipe com 10 assistências em 23 jogos e Unai López é o maior criador da equipe com 55 passes-chave em 27 jogos.

Compartilhar este post


Link para o post
Compartilhar em outros sites
Perissé
Em 21/01/2019 at 09:04, ggpofm disse:

Está cumprindo as expectativas assumidas no início de temporada e se tudo der certo conseguirá a promoção na temporada de estreia do save. Boa sorte.

Valeu, Gilson.

Compartilhar este post


Link para o post
Compartilhar em outros sites
ggpofm

Como eu havia dito anteriormente, via o Rayo com possibilidade de disputar o título e a equipe confirma minhas expectativas. Esse bom desempenho tem se refletido na Copa do Rei, onde a equipe é semifinalista depois de passar pelo bascos da Real Sociedad. Creio que talvez, a semifinal, seja o ponto mais que o Rayo Vallecano alcançou na competição, mas não custa nada sonhar com um nova derrota basca diante da equipe de Vallecas. Quais são as equipes que farão a outra semifinal?

Vi sua observação sobre a queda do número de desarmes. Teria como verificar os dados das interceptações nas duas atualizações? Nem sei se existem no FM para falar a verdade.

Boa sorte na reta de chegada.

Compartilhar este post


Link para o post
Compartilhar em outros sites
MitoMitológico

Grande Perissé! De volta com mais um save. Pena que o com a Lusa Carioca não foi pra frente, mas espero que esse com o Rayo vingue de fato. Por sinal, gostei da escolha do clube, mas um que utiliza bandeiras sociais e progressistas, de origem operária e humilde, isso é admirar, combatendo contra o facismo europeu e o retrocesso que infelizmente contaminou algumas pessoas aqui no Brasil. Não vou entrar muito em assuntos políticos, mas sabemos bem como a galera de intolerância e extrema-direita atua, transformando um falador de merda como "mito". Por isso, viva o Livorno, o St.Pauli e o Rayo Vallecano!

Enfim, sobre o seu save não tenho o que falar, bons gráficos, bom entendimento tático, textos bem elaborados, é um estilo diferenciado das outras histórias.

Bom, pelo visto o clube está cumprindo com o esperado, e além de estar perto da promoção, está perto do título. Os próximos jogos da reta final serão fundamentais para definir o campeão.

Sem falar que pode vir o título da Copa. É claro que existe outros clubes maiores na disputa, mas em mata-mata tudo é possível. 

Boa Sorte na continuação.

Compartilhar este post


Link para o post
Compartilhar em outros sites
Tsuru

Muito interessantes as mudanças táticas, o time correpondeu em campo e a campanha é muito boa. Tem tudo para levar o título e avançar mais um pouquinho na Copa do Rei.

Boa sorte na continuação!

Compartilhar este post


Link para o post
Compartilhar em outros sites
Neynaocai

Você está nos deixando sonhar.

Compartilhar este post


Link para o post
Compartilhar em outros sites
Danut
Citar

Confesso que não sou muito fã de ativar os orçamentos para transferência na primeira temporada. Acho que traz uma facilidade muito grande para o treinador humano, que já de cara pode modificar um time que em tese estava pronto já. Mas enfim, cada um joga como quer.

O certo é que se já havia a previsão de que tua equipe iria brigar pela subida, agora considero que é obrigação. Estarei aqui com a corneta se não entregar 😛

Cantei a pedra lá na primeira página. A equipe era favorita à subida, e tá cumprindo o papel até o momento. Mas ainda estou com a corneta na mão, pois ainda é preciso garantir que não vai danutar na reta final. Acho difícil, a vantagem de pontos é grande.

Compartilhar este post


Link para o post
Compartilhar em outros sites
Master Darthz

Promoção parece perto mesmo. Está a lutar pelos primeiros lugares e isso tem que ser destacado. Na Taça do Rei esteve muito bem e eliminou um adversário teoricamente mais forte. Vamos ver o que dá para fazer com o Bilbao.

Compartilhar este post


Link para o post
Compartilhar em outros sites
Henrique M.

Porra, Yan, subtítulo em espanhol? hahahaha

A equipe tem a chance de subir com título e esses últimos jogos serão importantes para definir que tipo de equipe o Rayo será na próxima temporada.

Compartilhar este post


Link para o post
Compartilhar em outros sites
Perissé
7 horas atrás, ggpofm disse:

Como eu havia dito anteriormente, via o Rayo com possibilidade de disputar o título e a equipe confirma minhas expectativas. Esse bom desempenho tem se refletido na Copa do Rei, onde a equipe é semifinalista depois de passar pelo bascos da Real Sociedad. Creio que talvez, a semifinal, seja o ponto mais que o Rayo Vallecano alcançou na competição, mas não custa nada sonhar com um nova derrota basca diante da equipe de Vallecas. Quais são as equipes que farão a outra semifinal?

Vi sua observação sobre a queda do número de desarmes. Teria como verificar os dados das interceptações nas duas atualizações? Nem sei se existem no FM para falar a verdade.

Boa sorte na reta de chegada.

Valeu, Gilson.

Até onde eu sei, as quartas de final foi o ponto mais longe que o Rayo chegou. As outras equipes serão Barcelona e Atlético de Madrid.

Pois é, o FM não junta a quantidade de interceptações nessa tela de estatísticas das equipes. Eu logo pensei em ver essa quantidade pra ver se, em contrapartida dos desarmes, teria subido, mas não foi possível.

7 horas atrás, MitoMitológico disse:

Grande Perissé! De volta com mais um save. Pena que o com a Lusa Carioca não foi pra frente, mas espero que esse com o Rayo vingue de fato. Por sinal, gostei da escolha do clube, mas um que utiliza bandeiras sociais e progressistas, de origem operária e humilde, isso é admirar, combatendo contra o facismo europeu e o retrocesso que infelizmente contaminou algumas pessoas aqui no Brasil. Não vou entrar muito em assuntos políticos, mas sabemos bem como a galera de intolerância e extrema-direita atua, transformando um falador de merda como "mito". Por isso, viva o Livorno, o St.Pauli e o Rayo Vallecano!

Enfim, sobre o seu save não tenho o que falar, bons gráficos, bom entendimento tático, textos bem elaborados, é um estilo diferenciado das outras histórias.

Bom, pelo visto o clube está cumprindo com o esperado, e além de estar perto da promoção, está perto do título. Os próximos jogos da reta final serão fundamentais para definir o campeão.

Sem falar que pode vir o título da Copa. É claro que existe outros clubes maiores na disputa, mas em mata-mata tudo é possível. 

Boa Sorte na continuação.

Valeu, @MitoMitológico, pelo feedback do save.

A escolha do Rayo Vallecano no meio do contexto que vivemos não é coincidência. Pensei no Livorno e no St. Pauli, mas já fizeram saves com eles recentemente. Já o Rayo, está fora da PM desde o FM 2012.

6 horas atrás, Tsuru disse:

Muito interessantes as mudanças táticas, o time correspondeu em campo e a campanha é muito boa. Tem tudo para levar o título e avançar mais um pouquinho na Copa do Rei.

Boa sorte na continuação!

Valeu, Rafael.

Não subestime o Cultural Leonesa, é o time mais consistente da competição faz um bom tempo. Eles estão bem encaixados dentro do 4-4-1-1 e só não dispararam na tabela por ter uma qualidade inferior aos favoritos da competição.

3 horas atrás, Neynaocai disse:

Você está nos deixando sonhar.

Sai desse cheirinho, @Neynaocai.

1 hora atrás, Danut disse:

Cantei a pedra lá na primeira página. A equipe era favorita à subida, e tá cumprindo o papel até o momento. Mas ainda estou com a corneta na mão, pois ainda é preciso garantir que não vai danutar na reta final. Acho difícil, a vantagem de pontos é grande.

E não tem nada garantido! Apesar de estabelecermos uma vantagem de cinco pontos para as equipes dos play-offs, os confrontos diretos podem diminuir essa vantagem num toque de mágica. É preciso esquecer esse momento e terminar a competição como se estivesse com as mesmas condições das outras equipes.

55 minutos atrás, Master Darthz disse:

Promoção parece perto mesmo. Está a lutar pelos primeiros lugares e isso tem que ser destacado. Na Taça do Rei esteve muito bem e eliminou um adversário teoricamente mais forte. Vamos ver o que dá para fazer com o Bilbao.

Apesar de estabelecermos uma vantagem de cinco pontos para as equipes dos play-offs, os confrontos diretos podem diminuir essa vantagem facilmente. Se formos para os play-offs, a situação vai do céu ao inferno. É um mata-mata com quatro equipes do mesmo tamanho da sua e apenas uma passará.

31 minutos atrás, Henrique M. disse:

Porra, Yan, subtítulo em espanhol? hahahaha

A equipe tem a chance de subir com título e esses últimos jogos serão importantes para definir que tipo de equipe o Rayo será na próxima temporada.

SABIA que você viria aqui reclamar. Deixa eu silveirar em outra língua, poxa.

Compartilhar este post


Link para o post
Compartilhar em outros sites
PedroJr14

Fala, Yan. Vem fazendo um campeonato excelente com o Rayo, só não sei se é uma pena ou se dá um tempero a mais o fato de que o Cultura Leonesa também está destruindo nesse campeonato. Tem mais oito jogos para garantir não só o acesso, mas também o título da divisão que tem grandes possibilidades de ficar nas suas maos.

Boa sorte nessa reta final!

Compartilhar este post


Link para o post
Compartilhar em outros sites
Vannces

Gosto dessa tática escolhida, mas usar o controlar e de forma fluída é algo que nunca tive sorte de conseguir bons resultados, o que não é o seu caso. A equipe está rendendo de forma bem consistente. Temo que uma hora ou outra tenha que escolher entre a copa e o nacional. Por outro lado, quanto mais avançar, melhor será para as finanças do clube. Se chegou até aqui com a equipe crescendo, tem tudo para conseguir o título da segunda divisão e com isso, o tão esperado acesso. Boa sorte na sequência.

Compartilhar este post


Link para o post
Compartilhar em outros sites
marciof89

Sempre bom mudar as táticas e ter resultado, algo que sempre me frusta, demoro bastante pra encaixar hahahah

No mais, ótima campanha, conseguiu chegar as semis da Copa e vai enfrentar um time beeeeeem chato, mas quem sabe né? Tudo é possível. Na segundona eu acho q sobe com título.

Boa sorte!

Compartilhar este post


Link para o post
Compartilhar em outros sites
Perissé
Em 24/01/2019 at 02:38, PedroJr14 disse:

Fala, Yan. Vem fazendo um campeonato excelente com o Rayo, só não sei se é uma pena ou se dá um tempero a mais o fato de que o Cultura Leonesa também está destruindo nesse campeonato. Tem mais oito jogos para garantir não só o acesso, mas também o título da divisão que tem grandes possibilidades de ficar nas suas maos.

Boa sorte nessa reta final!

Valeu, Pedro.

É uma pena, rs. A briga pelo título sempre tem grandes favoritos (geralmente três ou quatro, tirando aqueles que correm por fora), ter mais um não é tempero, é dificuldade dobrada. É uma liga competitiva para os padrões europeus.

Em 25/01/2019 at 19:18, Vannces disse:

Gosto dessa tática escolhida, mas usar o controlar e de forma fluída é algo que nunca tive sorte de conseguir bons resultados, o que não é o seu caso. A equipe está rendendo de forma bem consistente. Temo que uma hora ou outra tenha que escolher entre a copa e o nacional. Por outro lado, quanto mais avançar, melhor será para as finanças do clube. Se chegou até aqui com a equipe crescendo, tem tudo para conseguir o título da segunda divisão e com isso, o tão esperado acesso. Boa sorte na sequência.

Valeu, Vannces.

Eu uso o controlar basicamente por ser entre o "normal" e o "atacar". Consigo ter um mínimo de equilíbrio que eu não teria com as mentalidades mais ofensivas.

Creio que eu geri mal a estratégia de rotatividade da equipe. O momento para eu escolher entre a Copa e a La Liga era ali no jogo contra o Betis ou antes, depois disso eu já havia assumido a vontade de brigar pelo título e tinha que terminar a merda que eu comecei. Digo "merda" porque não sabia que seria um calendário tão louco em janeiro (falarei sobre), justamente quando eu precisava utilizar mais os titulares na La Liga.

22 horas atrás, marciof89 disse:

Sempre bom mudar as táticas e ter resultado, algo que sempre me frusta, demoro bastante pra encaixar hahahah

No mais, ótima campanha, conseguiu chegar as semis da Copa e vai enfrentar um time beeeeeem chato, mas quem sabe né? Tudo é possível. Na segundona eu acho q sobe com título.

Boa sorte!

Valeu, Marcio.

Eu não mudei tanto também, né. Só avancei a referência do ataque para ter mais opção na área e coloquei um dos pontas para ocupar o papel de terceiro homem do meio que o MAC ocupava.

Compartilhar este post


Link para o post
Compartilhar em outros sites
Perissé

718577684_Banner(LosBukaneros).thumb.png.c1d43928c16515b9b65501a755c4dbb2.pngBarra.png.5d779df1205d4e6c7a3c50e6c85949af.png

  • Copa del Rey:

Como havia dito na atualização anterior, o sorteio separou ninguém menos que o Athletic Bilbao, o quinto clube mais rico do país. O time é comandado por José Ángel Ziganda, que aplica uma mentalidade de pressão e direta.

Os problemas começaram antes da bola rolar com a inelegibilidade de Enric Saborit, que possui vínculo com o clube bilbaíno. Desta forma, pedi a promoção do jovem Sergio Akieme do Rayo Vallecano B. O lateral-esquerdo possui um potencial notório e já seria promovido na temporada seguinte.

Na ida, em Vallecas, sufocamos, porém os bascos tinham um leão defendendo a área: Iñigo Martínez. Acabou que não conseguíamos entrar na área e o placar final ficou no empate sem gols.

Na volta, no San Mamés, seguramos a barra na primeira etapa, mas saímos atrás depois do intervalo em uma bola parada. Lancei a equipe ao ataque, perdemos três chances claríssimas que matariam o jogo e levamos o segundo.

Uo3BXo6.png

Infelizmente, chegou ao fim a melhor campanha da história do Rayo Vallecano na competição, igualando a campanha da temporada 1981/82 em que fomos eliminados pelo Sporting Gijón.

Acredito que será uma das poucas vezes que iremos tão longe assim na competição, já que a campanha desse ano foi um erro de planejamento. A competição acontece bastante por volta de dezembro, janeiro e fevereiro e gera 2 meses (7 semanas) com dois jogos por semana. De agora em diante, usaremos apenas os reservas na competição.

  • La Liga 123:

Inicialmente, sugiro aos leitores que voltem à uma das atualizações anteriores, onde há um resumo de cada equipe da competição para compreender melhor os comentários sobre cada partida. Além disso, quando mencionar um jogador, também mencionarei a sua função na partida.

Iniciamos a reta final no confronto direto com o Sporting Gijón e, ainda na primeira etapa, Cerro recebeu o segundo amarelo e deixou a equipe em desvantagem, o que não evitou o mezzala Santi Comensaña de abrir placar. Entretanto, os rojiblancos empataram de bola parada aos 78' e transformaram a partida em sofrência até o fim, mas sem alterar o placar (1-1). Na sequência, visitamos o Tenerife e cumprimentamos os adversários com Trejo abrindo o placar aos 12', mas logo sofremos o empate. A partida seguiu aberta e com muita briga no meio-campo, mas o placar não mudou (1-1).

Chegou a vez de pegar o líder Cultural Leonesa em uma partida com cara de final e com mudança tática: recuei o volante para a linha defensiva, gerando superioridade contra os quatro avançados. Na peleja, aquele torcedor que foi ao banheiro no começo, achando que não teria nada, voltou com os olhos arregalados. Em sete minutos, De Tomás e Sergio Akieme, fazendo uma bela ultrapassagem por sinal, deixaram a equipe em ótima situação. No entanto, o que não podia acontecer, aconteceu: dormimos em plena final e La Cultu empatou ainda na primeira etapa. E não parou por aí: tentei voltar com a linha de quatro e a virada aconteceu. A equipe se abalou e a frustração era imensa, porém, aos 89 minutos, o árbitro assinalou um escanteio a nosso favor. O poste que atende por Abdoulaye Ba aproveitou do momento e desviou para o zagueiro José Caro estufar as redes, empatar (3-3) e deixar o Rayo Vallecano com chances de título.

Em seguida, recebemos o Huesca, fizemos o dever de casa e os despachamos com 4-1 na bagagem com gols de De Tomás (2), Santi e Khalifa. Na sequência, visitamos o Granada, que estava em decadência e a sete jogos sem vencer. Em campo, Khalifa abriu o placar em profundidade e, em seguida, ampliou de cabeça, encaminhando os três pontos, correto? Errado, o lateral-direito Iván López falhou uma interceptação e deixou um rombo para os nazaríes diminuírem. Logo depois, o empate veio de falta e ainda contaram com inúmeras chances perdidas para saírem com um enganoso empate (2-2) e minarem o sonho de título do Rayo Vallecano.

Desta forma, com quatro pontos de distância para os líderes, se quiséssemos disputar o título, precisávamos ganhar tudo e torcer por dois tropeços alheios. Pensei que era melhor focarmos na promoção e passei essa mensagem para o grupo de jogadores, reforçando que podíamos alcançar a promoção direta na próxima partida. Contra quem? Ninguém menos que o Osasuna, que aparecia em terceiro. Em campo, esquecemos a intensidade no vestiário e saímos atrás no placar. Na segunda etapa, resolvi assentar oito jogadores no campo adversário e conseguimos o empate com De Tomás. Entretanto, os rojillos fecharam o placar (1-2) nos minutos finais e apareceram no retrovisor com três pontos atrás.

A condição da partida passada se repetiu na partida seguinte, desta vez contra o lanterna Sevilla Atlético, que já havia complicado a equipe no turno passado. Com a bola rolando, começamos com dificuldades para criar, mas Abdoulaye Ba aproveitou um escanteio e aliviou a equipe. No entanto, a dificuldade de ampliar se manteve e a afobação voltou com um chute na trave feito pelos blanquirrojos. Os minutos se passavam e o drama continuava, até De Tomás receber um passe cavado de Trejo e ser derrubado na área: pênalti. O argentino não quis saber: chumbou o meio do gol e fechou o placar (2-0). SUBIMOS, PORRA!

VYpl5If.png

Precisando cumprir a tabela, escalei a equipe reserva com o goleiro Toño e o lateral Chechu Dorado, que decidiram pela aposentadoria no final da temporada. Mesmo enfrentando o Real Zaragoza, fechamos a temporada com uma vitória por 3-2 diante de um Vallecas lotado.

qNmtX6o.png

A campanha na reta final foi dentro do esperado. Não fomos tão decisivos, mas não pretendia cobrar isso da equipe. O erro crasso foi no período entre dezembro e fevereiro, quando disputávamos a Copa del Rey com a equipe titular. No entanto, cumprimos as expectativas com a promoção e o foco agora é a preparação para a La Liga, aprendendo com os erros de planejamento e com o contrato renovado.

  • Análisis del equipo:

Q1vqqld.png

O segundo melhor ataque (76 gols marcados) com diferença de 10 gols para o terceiro colocado foi crucial para a campanha, deixando de marcar em apenas três partidas da La Liga. Foram 62 assistências para gol, sendo 27% em cruzamentos e 31% de passes em profundidades, o que explicita como trabalhamos a bola: construção pelo meio para chegar ao passe em profundidade ou ao cruzamento em boas condições. E ainda há os escanteios, onde o zagueiro Abdoulaye Ba mostra a sua importância quando o jogo com a bola rolando não entrar.

Já na parte defensiva, a equipe me decepcionou bastante na reta final, terminando como quinta melhor defesa (39 gols sofridos) apenas. Foram 32 assistências para gol, sendo 41% em passes em profundidade. A marcação alta não foge da observação também. Na 13ª rodada, éramos a equipe com maior quantidade de desarmes e terminamos a temporada sem aparecer entre as cinco melhores. O que aconteceu? Chuto que tem relação com o aumento da posse contra as equipes menores.

Na parte individual, o extremo Adrián Embarba recuperou a titularidade com a mudança para o 4-1-2-3 e foi o garçom da equipe, contando com o meia Unai López por perto para ser o "gatilho" com os seus passes-chave. Sem contar com o meia, extremo e centroavante Oscar Trejo. O homem atuou em todas do ataque e foi o carregador de piano da equipe, rendendo notas baixas, mas sendo crucial no funcionamento do sistema.

  • Finanzas:

Um dos objetivos traçados no começo da minha estadia em Vallecas era terminar todas as primeiras temporadas no positivo, porém já vacilamos: a temporada 2017/18 terminou com o saldo global negativo. A partir do começo da temporada, a gestão do clube tinha €6,4M de empréstimos para serem quitados, restando apenas €4M para a próxima temporada.

No entanto, acredito que o destaque foi o nosso esforço em manter o mais próximo do positivo possível, vendendo alguns jogadores e, apesar do orçamento de transferências alto, consciência na aquisição de reforços. Sem contar que vai cair muita grana em direitos de transmissão pela subida para a La Liga.

dMFes7F.png

SUMÁRIO COMERCIAL

Compartilhar este post


Link para o post
Compartilhar em outros sites
Danut

Alguns empates desnecessários na reta final, mas a equipe cumpriu bem o papel esperado. Não teve danutada.

Apesar de já ser esperado, parabéns pela promoção. Vamos ver como se sai na elite.

Compartilhar este post


Link para o post
Compartilhar em outros sites
Neynaocai

Ficamos no cheirinho. hahaha

Boa subida, campeonato muito longo, difícil manter uma regularidade. Um absurdo é esse Cultural Leonesa que assume o inesperado.

Gijon e Osasuna ficaram chupando o dedo. Dinheiro não é tudo.

Entra muita grana na Primeira? Se não, como se manter competitivo?

 

Compartilhar este post


Link para o post
Compartilhar em outros sites
Master Darthz

Garantiu a subida de divisão, e apesar de não ter conseguido conquistar o título, isso é o mais importante.

As finanças não estão grande coisa, mas a primeira liga espanhola tratará de resolver o assunto.

Compartilhar este post


Link para o post
Compartilhar em outros sites
Henrique M.

Achei que com esse tanto de empates, a promoção ficaria arriscada. Mas conseguiu cumprir bem sua missão e retornar até a La Liga e uma pena que não deu nada diante do Sevilla, mas teoricamente, era o resultado esperado.

Compartilhar este post


Link para o post
Compartilhar em outros sites
Perissé
7 horas atrás, Danut disse:

Alguns empates desnecessários na reta final, mas a equipe cumpriu bem o papel esperado. Não teve danutada.

Apesar de já ser esperado, parabéns pela promoção. Vamos ver como se sai na elite.

Valeu, Danut.

Pode guardando a tua corneta, não foi dessa vez, rs.

5 horas atrás, Neynaocai disse:

Ficamos no cheirinho. hahaha

Boa subida, campeonato muito longo, difícil manter uma regularidade. Um absurdo é esse Cultural Leonesa que assume o inesperado.

Gijon e Osasuna ficaram chupando o dedo. Dinheiro não é tudo.

Entra muita grana na Primeira? Se não, como se manter competitivo?

O Cultural Leonesa encaixou um 4-4-1-1 que esmagava qualquer adversário no aspecto ofensivo (melhor ataque da competição). Foi muito regular durante o ano e apenas usou a estratégia de não ceder pontos (vulgo empate) a adversários diretos.

Entra, fiquei assustado. Vou falar disso só no final da próxima temporada, quando falo sobre as finanças.

3 horas atrás, Master Darthz disse:

Garantiu a subida de divisão, e apesar de não ter conseguido conquistar o título, isso é o mais importante.

As finanças não estão grande coisa, mas a primeira liga espanhola tratará de resolver o assunto.

A equipe e eu ficamos frustrados após o jogo contra o Osasuna, quando o Cultural Leonesa garantiu matematicamente o título. Foi aí que tive que encorajar a equipe ressaltando o nosso foco desde o início do ano: a promoção.

1 hora atrás, Henrique M. disse:

Achei que com esse tanto de empates, a promoção ficaria arriscada. Mas conseguiu cumprir bem sua missão e retornar até a La Liga e uma pena que não deu nada diante do Sevilla, mas teoricamente, era o resultado esperado.

A gordura que tínhamos de cinco pontos pro terceiro colocado ajudou. Os empates acabaram refletindo na perda do título apenas.

Compartilhar este post


Link para o post
Compartilhar em outros sites
PedroJr14

O sorteio da copa foi cruel com o Rayo, colocando-o à frente de um dos grandes  clubes do país. Apesar de estar há muito tempo sem vencer a Liga, o Bilbao geralmente é um time muito consistente e difícil de bater, ainda mais para um time de  uma liga inferior. Na segunda divisão, 13 pontos nos últimos 8 jogos e a garantia da promoção. Dava pra ser melhor, mas acredito que você já está feliz em podem disputar La Liga na próxima temporada. Vamos ver como se sairá contra os gigantes.

Compartilhar este post


Link para o post
Compartilhar em outros sites
Tsuru

Não danutou, conseguiu subir e isso é o mais importante - ainda que tenha sentido o título escorrer pelos dedos. 

Quais os planos para a primeira temporada na La Liga? Vai seguir alguma estratégia em termos de mercado? Pretende apostar na força do elenco que montou, já entrosado, ou vai fazer muitas mudanças para tentar qualificar a equipe?

Boa sorte na continuação!

Compartilhar este post


Link para o post
Compartilhar em outros sites
marciof89

É, deu uma desafinada na orquestra na reta final, mas subiu e é isso que interessa no fim das contas.

Contra o Bilbao, fez o que podia, mas foi eliminado por uma forte equipe. Ainda sim, arrancou um empate contra eles. Quais suas perspectivas para a La Liga?

Boa sorte!

Compartilhar este post


Link para o post
Compartilhar em outros sites

Crie uma conta ou entre para comentar

Você precisar ser um membro para fazer um comentário

Criar uma conta

Crie uma nova conta em nossa comunidade. É fácil!

Crie uma nova conta

Entrar

Já tem uma conta? Faça o login.

Entrar Agora

  • Conteúdo Similar

    • Danut
      Por Danut
      Olá a todos. Sejam bem-vindos à segunda versão do save Brazylijska magia. Como a maioria já deve estar sabendo, esse foi um save que eu iniciei no final de dezembro do ano passado, mas que acabou tendo uma vida muito curta. Depois de um tempo pensando, decidi que queria mesmo jogar o save outra vez. Como a versão original mal passou da primeira temporada, acredito que haja espaço para jogar a mesma proposta sem que acabe sendo apenas uma repetição do que já passou.
      A proposta para essa segunda versão é a mesma da versão anterior: conquistar títulos com uma equipe que jogo futebol ofensivo com ênfase na qualidade individual e que consiga incorporar um bom número de brasileiros ao elenco.
      Fiz, contudo, duas mudanças importantes para essa nova versão. A primeira delas é que decidi jogar com orçamentos para transferência já na primeira temporada. Normalmente, não gosto de usar essa opção. Mas acho que nessa situação específica ela pode ser uma boa arma para aumentar as possibilidades de mudança de elenco logo de saída, trazendo uma dinâmica diferente para a primeira temporada do que aquela do save anterior.
      A segunda mudança é que resolvi jogar as duas primeiras temporadas do save (quase) por inteiro antes de trazer ele para cá. Isso tem a óbvia desvantagem de fazer as interações com os leitores ficarem um pouco prejudicadas nesse momento inicial, pois vou estar trazendo a vocês algo que já sei o desfecho. Mas considerando o que ocorreu no save anterior, eu queria ter certeza de que conseguiria me envolver emocionalmente com a história antes de trazer ela para os leitores. Sinto que falhei no compromisso com os leitores na história passada, quando fiz bastante gente começar a acompanhar apenas para encerrar logo em seguida. Por isso agora preferi esperar até garantir que o save está me dando vontade de jogar.
       
      Encerrado o prefácio à segunda edição, voltamos com a programação normal. Abaixo segue a introdução da proposta do save em si. Ela é igual à introdução da versão anterior, então quem já leu por lá pode pular o resto do post.
       
      Introdução
      Szczecin, Polônia. Rua Mieczysława Karłowicza, número 28. 23 de agosto de 2005.
      P: Boguslaw, os nossos resultados estão uma merda.
      B: Tenha paciência, Ptak. Os jogadores ainda não incorporaram a minha ideia de jogo.
      P: Ideia de jogo é o caralho. Ninguém ganha com ideia de jogo. O importante é ter habilidade. Olha o Brasil. Destruíram a Argentina na Copa das Confederações. Tu acha que os argentinos não tinham ideia de jogo? Vocês treinadores sempre cheios de ideias. O futebol é uma arte, não uma ciência.
      B: Bem, as contratações são responsabilidade do presidente. Se falta habilidade, então precisamos trazer mais alguns bons nomes. O Przemyslaw e o Rafal poderiam falar com outros jogadores da seleção, quem sabe um deles não quer vir para cá?
      P: Boguslaw, eu aqui falando de habilidade, e tu me vem com seleção polonesa? Tu é burro mesmo, hein?! Que se foda a seleção polonesa. Eu quero o quadrado mágico!
      B: Mas Ptak, esses caras jogam nos melhores times do mundo. Barcelona, Real Madrid, Inter, Milan. Não temos dinheiro pra trazer um jogador de lá nem se vendermos o estádio com o time todo dentro.
      P: E quem falou em trazer alguém desses clubes, imbecil? Nós vamos montar o nosso próprio quadrado mágico. Trazer os caras direto do Brasil. Naquele país é todo mundo pobre, vai chover jogador querendo vir pra cá.
      B: Mas Ptak, ninguém da equipe técnica conhece os jogadores do Brasil. Precisamos contratar olheiros, enviar eles para lá, esperar até que comecem a se achar no futebol local e...
      P: Caralho Boguslaw, eu não sei porque continuo falando contigo. Que porra de olheiro que nada. Os caras são brasileiros, o futebol tá no sangue deles. Todo mundo nasce sabendo jogar naquele país. É só ir lá e pegar qualquer um. Não tem como dar errado.
      B: Tem também os nossos jogadores atuais. Eles não vão ficar felizes em ser reservas, ainda mais de jogadores desconhecidos por aqui.
      P: Quem não tiver feliz pode ir embora. É todo mundo perna de pau aqui mesmo. Vou encher esse time de brasileiros, de gente com habilidade. Vamos fazer mágica.
      B: Mas Ptak, eu não falo português, e os caras não vão saber falar polonês. Como vou treinar jogadores que não são capazes de me entender?
      P: Já pensei nisso. A habilidade brasileira não pode ficar presa nesse estilo de futebol ruim que a gente joga. O Cláudio disse que lá no Brasil eles falam que é preciso ter gingado. Eu quero um treinador com esse tal de gingado. Pode ir pegando tuas coisas. Na saída já aproveita e mostra a sala do treinador pro Zé Carlos, que é quem vai cuidar do time a partir de hoje.
       
      O dialogo acima é, obviamente, fictício. Mas poderia muito bem ter ocorrido. Naqueles dias, o Pogon Szczecin passava por um mau momento. Os resultados não estavam de acordo com o que o presidente imaginava. Foi aí que ele teve uma ideia brilhante: ora, se o clube não está jogando bem, por que não trocar todo mundo por brasileiros? Afinal, o Brasil é a terra do futebol. País campeão mundial. País que encantava a todos com Ronaldo e Ronaldinho – para não falar de Kaká, Adriano e tantos outros craques.
      É claro que havia algumas falhas no plano do presidente. Afinal, mesmo o Brasil tendo grandes jogadores, nem todo brasileiro é um grande jogador. Para qualquer um de nós, isso é uma obviedade. Antoni Ptak, porém, parece jamais ter pensado nisso.
      Aproveitando-se que a liga polonesa não possuía qualquer restrição ao número de estrangeiros, o Pogon Szczecin trouxe, em uma única temporada, dezoito jogadores brasileiros. A maior parte deles de grandes clubes do futebol nacional, como Sorocaba, Atlético Guaçuano ou União Barbarense.
      Do outro lado, boa parte do elenco do Szczecin saiu quase de graça – afinal, era preciso abrir espaço para os craques brasileiros. A estratégia, é claro, não deu nada certo. Os resultados pioraram ainda mais, a torcida se desencantou com o time, e o Pogon afundou em dívidas, chegando até mesmo a fechar as portas. Mas os detalhes eu conto depois.
       
      Ligas carregadas: Polônia e Brasil (ambos 2ª divisão); Inglaterra, Espanha e Alemanha (todos 1ª divisão).
      Base de dados: pequena, mas com todos os jogadores brasileiros.
      Data de início: 29.05.2017
      Outras opções: mascarar atributos, não adicionar equipe técnica, impedir uso de editor do jogo, ativar orçamentos na primeira janela
    • Lucas Matías
      Por Lucas Matías
      :: APRESENTAÇÃO
      Após longos meses no fórum apenas acompanhando por cima as histórias do pessoal aqui na área, resolvi me aventurar agora que estou com mais tempo livre para finalmente conseguir passar horas à frente do FM.
      O desafio que irei compartilhar com vocês é um que eu já faço a muito tempo, desde o FM 14 pra ser mais exato, porém, apenas no 16 eu consegui ter êxito. É simples, passar por todos os países da Europa e conquistar o campeonato nacional em todos eles.
      O desafio terá algumas regras para que o save flua de uma maneira mais rápida, já que meu PC não é dos melhores e consequentemente com uma base de dados grande ele acaba ficando bem lento. Uma delas é que a cada objetivo alcançado, um novo save será criado. Exemplo: Após conquistar títulos em San Marino, irei para o próximo desafio em um novo save, sempre seguindo a ordem do Ranking de Coeficientes da UEFA.
      Não vou tentar conquistar a Champions League com clubes de Andorra e Gibraltar, nesses países de menor expressão o objetivo é se consolidar nacionalmente com conquistas e entrar no quadro de honra nacional como um dos treinadores mais vitoriosos do país. Claro que uma boa campanha na UCL será bem vinda, mas esse não será o principal objetivo.
      Sempre irei iniciar no clube que está cotado para terminar a primeira divisão nacional na última colocação e irei trocar de clube caso receba uma proposta de uma equipe de maior expressão nacionalmente.
      O manager será o pseudônimo Giovanni Rizzo, italiano de 38 anos que terá a licença para treinador A continental e a experiencia anterior como futebolista profissional nível local.
      A principio é isso, quero fazer algo bem simples mas que agrade a todos, então qualquer dica é bem vinda, até porque essa será a primeira vez que irei tentar jogar com essas regras que criei. Valeu!
       
      :: HISTÓRICO
      01. SAN MARINO
       
    • marciof89
      Por marciof89
      Eis que, enfim, criei coragem para postar uma história aqui no Profissão Manager. Frequento o fórum a muitos anos mas sou um completo bicho do mato, portanto interajo muito pouco, motivo pelo qual demorei a adentrar aqui. Agradeço desde já quem tiver interesse em seguir, e ouvirei todas as dicas que quiserem sugerir, sejam sobre organização, táticas, etc. Li as regras e as recomendações antes de começar, mas deslizes podem acontecer. Os gráficos foi eu mesmo quem fiz, não reparem! hahaha
      Sem mais delongas, vamos ao que interessa.
      Eu tenho um carinho muito grande pelo Tupi, apesar de não ser mineiro. A torcida do Tupi, apesar de pequena como de praxe entre os times pequenos, é muito apaixonada. Não são muitos os times brasileiros sem muita relevância no cenário nacional que mantenham uma torcida apaixonada assim. E como sou da época do Elifoot 2 e 98, então sempre achei graça em pegar um time lá das divisões de baixo e levar até a glória.
       

      O Tupi Futebol Clube é um clube da cidade de Juiz de Fora, Minas Gerais, e foi fundado no dia 26 de maio de 1912 por moradores ilustres da cidade. Durante os primeiros anos, era chamado de Tupy, já que muitos de seus fundadores eram dissidentes do Tupynambás (atualmente seu maior rival). É o maior clube da cidade, e tem como maior glória a conquista da Série D em 2011. A equipe manda seus jogos no estádio Radialista Mário Heleno (estádio da cidade), com capacidade para mais de 30 mil pessoas.
      Seu maior rival, como dito anteriormente, é o Tupynambás, time também de Juiz de Fora, com quem faz o clássico Tu-Tu. Durante um curto período de tempo na década de 90, ele se fundiu com o Tupynambás e o Sport (outro time da cidade) e formaram a Cooperativa Manchester de Futebol, inspirados no sucesso da fusão do Paraná Clube. Porém, resultados pífios e crises de ego fizeram com que a fusão não aguentasse, tendo disputado apenas 3 estaduais com o novo nome.
      O time carece de ídolos, e não revelou grandes jogadores para o futebol mundial. Apesar disso, dois nomes notáveis passaram pela equipe. Muller, campeão mundial pelo São Paulo, e Romário, que apesar de ter sido proibido pela FIFA de atuar pelo time por ter jogado por 2 equipes num período de um ano, chegou a treinar com o elenco e atraiu a atenção da mídia para o time.
      O mascote do time é o Galo-Carijó, em homenagem ao principal fundador da equipe, que tinha o apelido de carijó, e que inspira o nome da história.

      Estádio Municipal Radialista Mário Helênio
       

      Vou jogar esse save com o Brasil Mundi Up, pois apesar de muita gente falar que ele pode dar uns crashs, eu sempre usei ele (com uma quantidade bacana de ligas ativadas) sem ter problema algum, inclusive passando de 2030. Gosto da organização dele, além do acréscimo de outros níveis do brasileirão e disputas de taças que costumam ajudar até mesmo no teste de táticas e jogadores.
      • Início: 18/12/17
      • Ligas adicionais ativadas: Todas as sulamericanas, China, Alemanha, EUA, Espanha, Inglaterra, Itália, Portugal, Rússia e Ucrânia. (todas elas apenas as primeiras divisões, apenas para deixar a Libertadores mais realística e as transferências também).
       

      O save vai se basear no meu nome pessoal, mas com uma idade mais elevada que a minha, até para condizer com uma experiência razoável futebolística pré-vida de treinador.
       

      Escolhi sugestões baseadas no nível do Tupi, pra não ficar roubado nem absurdamente difícil também pois não sou o Mourinho do FM haha.
      Gosto de fazer técnicos que são mais voltados para o conhecimento do elenco em si, deixando o grosso do desenvolvimento e contratação de jovens jogadores a cargo do auxiliar e diretor desportivo. Claro que estou sempre acompanhando e impedindo algumas burradas que eles costumam cometer, mas meu foco, ao menos inicial, é me dedicar ao elenco principal.
      E aqui um panorama inicial do time:

       

      • Subir a Série B
      • Subir a Série A
      • Ganhar a Copa do Brasil
      • Ganhar o Campeonato Brasileiro
      • Ganhar a Copa Libertadores da América
      • Ser o time do interior de Minas Gerais com o maior número de títulos do Campeonato Mineiro (Villa Nova detém 5 títulos)
      • Desenvolver a infraestrutura de treinos do time para, ao menos, 4 estrelas
      • Ser um dos times mais bem reputados do Brasil (Top 5)
      • Melhorar as finanças do clube
      Objetivos complementares:
      • Ganhar o Mundial de Clubes
       
       

       
    • thyagocda
      Por thyagocda
      SUMÁRIO

      Apresentação
      Sou mais um daqueles apaixonados por FM, mas por conta dos compromissos pessoais, o tempo gasto com o jogo deve ser bem equilibrado. Ano passado criei uma história aqui na PM com o Porto mas acabei interrompendo depois que descobri que eu seria pai, a gravidez passou, meu filho (Thayler) já nasceu com saúde graças a Deus. E agora que as coisas acalmaram vinha planejando o retorno a área.
       
      Estilo de Postagem
      Tentarei seguir um padrão de postagens bimestrais sobre os acontecimentos no jogo. Mas pretendo utilizar as probabilidades de apostas do jogo para gerar interatividade com os leitores entre as postagens. Pelo menos a introdução do save contará com uma "pequena ficção" e ao longo do save tentarei dar prosseguimento.
       
       

      O Desafio Real #1 | A Dany - MAI/17
      Valência - ESP

      Clique aqui para a próxima postagem
    • Ari Cesar
      Por Ari Cesar
      Olá a todos.
      Comprei o FM 18 e resolvi iniciar um save no Brasil de formação e base. Já estava realizando em off no FM 17 com o Milan RS e ai com a nova versão resolvi jogar da mesma forma e compartilhar. A ideia é bem similar aos demais saves de base: levar o clube a glória usando apenas a base.
      Escolha do clube
      Para escolher o clube resolvi pesquisar na base do brasil up qual seria o clube profissional com menor estádio no Brasil. Inicialmente havia encontrado um clube do RS com um estádio de 200 lugares, mas procurando um pouco mais encontrei o SC Jaraguá que possui um estádio com apenas 100 lugares. Após isso resolvi pesquisar um pouco da história e descobri que SC Jaraguá foi criado graças ao desenvolvimento da base. Dessa forma resolvi escolher o Leão do Vale para iniciar minha empreitada.
      Objetivos do save
      Resolvi colocar algumas metas que em sua maioria serão atingidos a longo prazo. Coloquei asterisco naqueles que acho ser quase impossíveis mas que gosta de ver como o FM se comporta.
      Equipe
      Utilizar a base Aplicar o modelo de jogo ofensivo visando a posse de bola e passes rápidos.  Reter o máximo de jogadores na equipe impedindo que saiam para a Europa. * Ter eleito o melhor jogador jovem do mundo. * Ter eleito o melhor jogador do mundo. *  
      Clube
      Possuir a melhor estrutura de Santa Catarina Possuir a melhor estrutura do Brasil Possuir a melhor estrutura de clube Sul Americano Se tornar o principal clube formador de Santa Catarina Se tornar o principal clube formador do Brasileiros Se tornar o principal clube formador Sul Americano Se tornar o principal clube Catarinense Se tornar o principal clube Brasileiro Se tornar o principal clube da América do Sul Ficar entre os 5 melhores clubes do mundo * Títulos
      Ganhar a campeonato catarinense Ganhar o Brasileiro série A Ganhar a copa do Brasil Ganhar a Sul Americana Ganhar a libertadores Ganhar o mundial de clubes Técnico
      Me tornar o melhor técnico brasileiro de todos os tempos História do clube
      O Sport Club Jaraguá nasceu inicialmente com o nome de: Associação Catarinense de Futebol Arte, quando foi fundado em 15 de abril de 2008, e no dia 25 de março de 2011, passou a ser chamado pelo nome atual. O clube iniciou suas atividades com o intuito de trabalhar com atletas da região, com idade de categorias de base. Com o passar do tempo a base foi se estruturando, parcerias foram sendo firmadas com outros clubes e empresários e, no ano de 2011, um novo clube de futebol profissional foi lançado no futebol catarinense.
      O Sport Club Jaraguá possui as cores preto, vermelho e amarelo, devido a forte imigração alemã da região.Sua estreia em competições oficiais, ocorreu na disputa da Divisão de acesso do Campeonato Catarinense de 2011 quando terminou a competição como vice-campeão.
       
      Historia do manager
      Lucas Castro é morador de Jaraguá e em sua infância/adolescência atuou na Associação Catarinense de Futebol Arte. No período de transição dos nomes Lucas abandonou a equipe por perceber que não possuía qualidade suficiente para atuar como jogador. Apesar de sua paixão pelo clube e pelo futebol Lucas decidiu cursar Educação física para no futuro ajudar a equipe fora das 4 linhas. Agora chegou esse dia e Lucas foi escolhido como técnico do Sport Clube Jaraguá. Ele não possui licença e seu passado esta como futebol amador.
       
      Em breve coloco informações sobre a equipe, formação, competições e início da aplicação da filosofia na equipe.
       
×