Jump to content
VitorSouza

Chase That Dream

Recommended Posts

VitorSouza

Foi muito louco ano passado, cara. Mas tudo teve um início.

2016 foi um ano de transição. Depois de um 2015 onde a equipe chegou próxima do acesso, o ano seguinte foi catastrófico. Quase infrutífero, visto que nos salvamos após a perda de pontos do Angra dos Reis. O Bóvio pode ter sido um bom jogador em sua passagem, mas infelizmente não deu certo aqui no comando técnico. Aliás, não só ele, outros nomes também passaram por aqui naquele ano e não renderam.

E veio o ano novo, que representou uma vida nova para a gente. No início do ano contrataram o Paulo Henrique para ser nosso treinador. E foi comemorada a chegada dele: ex-jogador de anos do Flamengo, disputou a Copa do Mundo de 1966, e não só teve uma boa passagem anterior por aqui como pelo Quissamã e pelo América de Três Rios. Ele me escolheu pra ser o auxiliar dele. Minha primeira chance a beira do campo, de certa forma. 27 anos, recém-concluído o curso de treinador da FERJ, sempre com a ideia dessa profissão, e tenho a chance de trabalhar na quinta maior torcida do estado. Em busca do sonho, como uma certa música de algum jogo de futebol antigo dizia - ou ao menos eu entendi na época.

O Paulo Henrique sempre foi uma pessoa muito forte. Encarou a perda do filho dele no início do ano, mas ainda assim conseguiu estar com o time por todo o campeonato. E deu certo pra caramba, o título veio. Era o acesso depois de 25 anos no ostracismo, tantas disputas da segunda divisão, e até mesmo da terceirona, em 2003 e em 2011.

Só que a idade chega pra todo mundo. O Paulo Henrique havia disputado a Copa do Mundo na Inglaterra, como eu falei. Ele preferiu se aposentar depois daquele título heroico, da volta do Goytacaz a primeira divisão do estado. E sobrou pro auxiliar técnico. Agora era a hora de se provar ali na casamata, 28 anos, um ano de auxiliar.

Mas nada será fácil para esse novo treinador, é óbvio. Desde 2017 a FERJ colocou no Campeonato Carioca uma "seletiva", que envolve os dois piores da fase principal (Taça Guanabara e Taça Rio), os dois remanescentes do ano anterior e os dois promovidos. Estarão conosco na briga pelas vagas o Macaé, o Resende, a Cabofriense, o Bonsucesso e o America. Vai ser pauleira, mas vai valer a pena.

Edited by VitorSouza
Arrumar as tags

Share this post


Link to post
Share on other sites
VitorSouza

Y1LcIN0.png

 

Ligas carregadas

Alemanha - 2. Bundesliga e acima

Argentina - Primera B Nacional e acima

Brasil - estaduais e acima

Chile - Campeonato Nacional Loto e acima

China - Super League

Colômbia - Torneo Águila e acima

Espanha - La Liga 1|2|3

EUA - Major League Soccer

França - Domino's Ligue 2 e acima

Holanda - Eerste Divisie e acima

Inglaterra - EFL Championship e acima

Itália - Serie B ConTe.It e acima

Japão - Meiji Yasuda J3 League e acima

México - Ascenso MX e acima

Portugal - Ledman LigaPRO e acima

Uruguai - Segunda División e acima

 

Configurações gerais

Jogar taças internacionais de clubes, competições de seleções e Copa do Mundo 2018 com os grupos reais

Salários mensais

Forças no modo clássico


odwqDQd.png

Esse aí é o elenco para a temporada 2018. O presidente Dartagnan Fernandes fez com que algumas peças permanecessem na equipe, como o capitão Tenente e o meia Almir. Outros acabaram saindo, como Gabriel Galhardo, que foi para o Itaboraí. A base tem alguns bons nomes, mas não deixaremos de ver quem se destaca no estadual sub-20 para fechar um contrato de formação.

A ideia é disputar o Campeonato Carioca e a Série D com ele, talvez para a Copa Rio iremos mexer um pouco no plantel. Lembrando que ainda não temos a vaga garantida para a quarta divisão: precisamos passar pela fase preliminar e não ficarmos entre os dois últimos da fase principal para disputarmos o último escalão do futebol nacional. Na Copa Rio iremos enfrentar o Itaboraí na fase de oitavas de final. É jogo único, com vantagem para o mandante, que disputa a divisão superior.

E essa fase preliminar é traiçoeira. São cinco jogos, turno único, e só os dois primeiros avançam. Três vitórias não são suficientes, é preciso algo mais. Felizmente fomos presenteados com três jogos em casa na formação da tabela, serão úteis para conseguir alguns pontos a mais.

fDPNXgM.png

Prestes ao primeiro desafio da carreira começar. A fiel torcida estará lá no Aryzão, na vitória ou na derrota, na alegria ou no amargor. É hora de justificar todo o apoio.

Share this post


Link to post
Share on other sites
marciof89

Desafio no Brasfoot? Rapaz... não esperava por essa.

Só quem já foi num Goytacano sabe o que é clássico raiz de verdade.

Boa sorte!

Share this post


Link to post
Share on other sites
LC

Boa sorte com o Goytacas.

Share this post


Link to post
Share on other sites
VitorSouza
22 horas atrás, marciof89 disse:

Desafio no Brasfoot? Rapaz... não esperava por essa.

Só quem já foi num Goytacano sabe o que é clássico raiz de verdade.

Boa sorte!

Valeu, Marcio! É, o bom e velho Brasfoot ainda dá um caldo se bem editado. O Goytacano é um jogo à parte, pena que não vai ocorrer no Carioca do ano corrente.

2 horas atrás, LC disse:

Boa sorte com o Goytacas.

Valeu, LC!


Y1LcIN0.png

 

O início do desafio

O primeiro jogo foi em Campos, contra o Resende. Havia uma alta expectativa na cidade por ser a volta do Goytacaz a elite do estadual, e com isso a torcida compareceu em peso no Ary de Oliveira e Souza. Pena que nada deu certo nas quatro linhas.

Logo de cara, com 2 minutos, uma bola rebatida colocou o Resende na frente. A equipe do Sul Fluminense ampliou o placar nos acréscimos, complicando ainda mais nossa situação. Até troquei um volante no intervalo e o Goyta diminuiu pouco tempo após a volta, mas não adiantou muita coisa: o Resende marcou mais dois. Derrota muito amarga, dada toda a circunstância: um treinador estreante em um time que volta a divisão principal após meio quarto de século.

9XTZkXu.png

2ª partida: em um duelo complicado no verão carioca, até tentei mudar uma peça no ataque, mas nada serviu. Em uma bola vadia o Bonsucesso nos venceu, e complicou imensamente nossa situação. Precisávamos vencer as três partidas faltantes e torcer por resultados adversos dos oponentes para buscarmos a classificação.

 

3ª partida: tivemos um grande domínio do jogo, a Cabofriense quase não entrou em campo na primeira etapa. Era questão de tempo pra sair um gol, e saíram três. Vitória maiúscula de quem havia perdido a confiança nos jogos anteriores.

CFdvec1.png

4ª partida: jogo mais complicado dentro de casa. Uma partida bem equilibrada no primeiro tempo, mas na segunda etapa o Macaé apresentou maior domínio e venceu pelo placar mínimo. Só um desastre tiraria o alvianil e o leão da Leopoldina da fase principal.

 

5ª partida: cumprindo tabela, um jogo contra o America em Mesquita. Serviu pra testar algumas mudanças táticas na equipe. Fomos dominados, mas ainda assim saímos na frente, só levamos o empate quase no apagar das luzes.

SAjpgDX.png

Terminada a fase preliminar com a classificação de Macaé e Bonsucesso, agora era a hora de focar no torneio da morte para fugir da Série B1. A Série D foi pro ralo, e provavelmente também foi embora a vaga na Copa Rio de 2019. A nossa saga começaria contra a Cabofriense, no Aryzão, em 11 de fevereiro.

1WtZNqg.png

 

Elenco

Quase todo o (curto) plantel foi utilizado nessa fase preliminar. Não deu pra achar um onze ideal, alguns titulares oscilaram bastante nessas primeiras cinco partidas. Os principais nomes foram Rodriguinho e Mateus. Tenente é outro que tem potencial para seguir forte, é um bom zagueiro, mas a equipe não rendeu nas partidas que fez.

SvVbreJ.png

 

Notícias

- Botafogo conquista a Taça Guanabara após vencer o Vasco da Gama

Share this post


Link to post
Share on other sites
Lol94

Não começou bem, agora é hora de se recuperar na seletiva.

Share this post


Link to post
Share on other sites
marciof89

Que lindo ver o time de Araruama, pelo menos no Brasfoot ele existe hahahaha

Infelizmente não conseguiu disputar a segunda fase do carioqueta, e vai ter que disputar a duras penas pra poder permanecer na Série A. Vamos ver se consegue. 

Share this post


Link to post
Share on other sites
VitorSouza
9 horas atrás, Lol94 disse:

Não começou bem, agora é hora de se recuperar na seletiva.

Valeu pelo apoio, Lol94.

9 horas atrás, marciof89 disse:

Que lindo ver o time de Araruama, pelo menos no Brasfoot ele existe hahahaha

Infelizmente não conseguiu disputar a segunda fase do carioqueta, e vai ter que disputar a duras penas pra poder permanecer na Série A. Vamos ver se consegue. 

Pois é, o Araruama que, ao menos no jogo, tá mandando suas partidas no campo do Rubro. A duras penas, mais um time do futebol carioca. Esse grupo X vai ser complicado e reduziu muito nosso calendário...


Y1LcIN0.png

 

Já que o regulamento causa essas bizarrices de seletiva, torneio da morte, turnos que não servem pra nada, é jogar pra se salvar agora. Aos poucos vamos observando a Série B1 e a fase principal, de olho em quem pode nos enfrentar na seletiva de 2019.

A Taça Guanabara deixou Macaé e Madureira nas duas últimas colocações da tabela geral da Série A, e ambos estão seguindo de perto Portuguesa, Bonsucesso e Fluminense. Mas está tudo aberto ainda, o segundo turno é mais longo, pode jogar alguma das zebras da Taça GB (Nova Iguaçu e Volta Redonda) pra parte de baixo da tabela.

Na segundona, temos três rodadas pro fim, e a briga ainda está bem aberta, com o Americano na disputa. A liderança está com o Sampaio Corrêa.

1ª partida: em uma estratégia louca, coloquei os jogadores no time titular baseado pelas atuações nos primeiros cinco jogos. Não deu muito certo, o jeito é voltar pro planejamento. A derrota veio pelo placar mínimo novamente, mostrando solidez defensiva - e só. É pouco.

 

2ª partida: viagem longa até Resende pra enfrentar o time que venceu o America na primeira rodada. No final do primeiro tempo, notava-se um amplo domínio deles em campo, tinham 63% de posse e chutaram o dobro de vezes. Mas não souberam aproveitar as chances, e coube a Almir fazer o gol solitário, o gol da vitória e do alívio temporário. Com o calendário apertado, em dois dias iríamos matar outro leão.

xACIyiq.png

3ª rodada: a base foi mantida, somente uma troca de Admilton por Valdir para manter o jogador descansado. O Mequinha não foi páreo para nós em um jogo de péssima pontaria, mas mesmo assim o Goyta conseguiu vencer de forma tranquila. Mais 3 pontos na conta.

A essa altura, a classificação mostrava Resende, Goytacaz e Cabofriense empatados com 6 pontos. O America perdeu as três partidas e precisaria de um milagre para escapar da queda.

 

4ª rodada: nova troca para rodar o elenco, a saída de Almir para a entrada de Rodrigo Teixeira. O início foi muito bom, infelizmente tivemos a lesão do Admilton, era um nome importante na lateral. Tudo caminhava para dar certo, o adversário teve até um jogador expulso. Pena que o experiente Roy colocou em campo um tal de Lauro no lugar do veterano Cláudio Pitbull, esse cara destruiu o jogo e complicou muito a nossa situação. Ainda dependemos só da gente, mas ficou uma missão mais complicada, perder é suicídio na atual conjuntura.

djtCXWM.png

5ª rodada: eu falei que perder era suicídio, o time quase se matou hoje. Em outro dia de péssima pontaria, novamente uma derrota pelo placar mínimo pra nos ferrar. Entramos em um mato sem cachorro: precisamos vencer o America em Mesquita e torcer para que, de preferência, a Cabofriense perca pro Resende no Trabalhador.

 

6ª rodada: uma pressão da porra, sinceramente. Logo no primeiro ano do treinador, depois de uma boa temporada como auxiliar do vitorioso Paulo Henrique, na recondução do Goytacaz à Série A... e olha esse perrengue. Essa torcida não merece isso, é até um discurso clichê, mas olha que situação eles estão passando. Ao menos o Americano não subiu, e assim não fez nascer mais um ano de gozação dentro de Campos.

A tensão era muito grande dentro de campo. Tão grande que, mesmo eu pedindo para que o time pegasse leve nas divididas, vi os dois volantes da equipe serem expulsos antes da primeira meia-hora de jogo. Puta que pariu! Olha o mato sem cachorro que a gente havia entrado. Na hora do desespero, deixei dois laterais improvisados atrás como zagueiros, tirei o Tenente e botei um terceiro atacante. De pouco adiantou, a gente não tinha meio de campo.

O tempo passava e a equipe não fazia nada. O Resende fez sua parte, venceu a Cabofriense. Nos últimos instantes, uma contusão de Almir, que deu lugar a Jonathan. Falta cobrada, e no contra-ataque o America fez o gol da vitória, que sacramentou nossa queda. A situação foi tão dramática que com mais um gol o America teria escapado e jogado a Cabofriense para a Série B1. Acabava a curta aventura do Goytacaz na primeira divisão.

HC1K4Vm.png

0jjCatk.png

Resende e Cabofriense irão passar mais um ano na seletiva: vão encontrar Macaé e Madureira, os dois times com a pior campanha geral na fase principal, além dos dois finalistas da B1.

Depois desse desastre que foi o grupo X, marcamos um amistoso para daqui a um mês, contra o Paduano, no Ary de Oliveira e Souza. Precisamos rearrumar a casa, afinal, por mais que a Copa Rio valha pouca coisa financeiramente, é um título.

 

Elenco

É certo que alguns nomes vão sair ou perderão a titularidade para a Copa Rio. Com uma atuação abaixo do esperado, normal esse tipo de atitude. Sobretudo por parte dos dois volantes, que levaram cartão vermelho onde menos poderiam.

t4kdUhM.png

 

Notícias

- Após vencer a ida por 2x0, Botafogo também vence a volta e é o campeão estadual de 2018. O Fluminense, campeão da Taça Rio em cima do Botafogo, foi eliminado nos pênaltis pro mesmo Botafogo nas semifinais

- Gonçalense e São Gonçalo são promovidos para a Série A após eliminarem Americano e Angra dos Reis nas semifinais; SGEC conseguiu o título

- Nova Cidade é campeão da Série B2 e voltará ao segundo nível após 27 anos

- Outros campeões pelo país: Vitória (Baiano), Ceará (Cearense), Cruzeiro (Mineiro), Sport (Pernambucano), Londrina (Paranaense), Grêmio (Gaúcho), Criciúma (Catarinense) e Palmeiras (Paulista)

Share this post


Link to post
Share on other sites
LC

Uma pergunta Vitor. O Serrano faz parte do seu save? Se faz posta uma screenshot deles.

Share this post


Link to post
Share on other sites
MitoMitológico

Legal ver um save de Brasfoot aqui. Recentemente joguei o 17, e passei por River Plate, Grêmio, São Paulo, Flamengo e Palmeiras.. é um jogo muito bom devido ao fato do tempo de jogo passar rápido e você chegar a 2030 com muita facilidade.

Já joguei com o Goytacaz no FM16, então criei meio que uma simpatia por eles. Estou na torcida. Boa Sorte.

Share this post


Link to post
Share on other sites
zk01

Fala Vitor!!Tudo bem?Pena não ter escapado da degola,mas ainda tem Copa Rio?Talvez dê pra entrosar a equipe pra segunda divisão do ano que vem,onde teremos goytacano!!Nunca joguei brasfoot,vou dar uma pesquisada haha Boa sorte na continuação!!

Share this post


Link to post
Share on other sites
marciof89

Que bosta, acabou caindo mesmo. Agora só sobrou a Copa Rio, que é título mas que não salva ano. Infelizmente vai ter que esperar a próxima temporada, e espero que ela chegue, pois tem risco até de ser mandado embora.

Boa sorte!

Share this post


Link to post
Share on other sites
Henrique M.

Curioso um save no Brasfoot por aqui. Acho que é o primeiro que vejo.

Não teve um bom começo, mas talvez já fosse esperado. Vamos ver como será a Copa Rio.

Share this post


Link to post
Share on other sites
VitorSouza
Em 19/10/2018 at 22:11, LC disse:

Uma pergunta Vitor. O Serrano faz parte do seu save? Se faz posta uma screenshot deles.

Faz sim, LC. Eu estou com essas postagens já prontas, quando eu sincronizar o tópico com o save posto um print do Serrano.

Em 20/10/2018 at 12:59, MitoMitológico disse:

Legal ver um save de Brasfoot aqui. Recentemente joguei o 17, e passei por River Plate, Grêmio, São Paulo, Flamengo e Palmeiras.. é um jogo muito bom devido ao fato do tempo de jogo passar rápido e você chegar a 2030 com muita facilidade.

Já joguei com o Goytacaz no FM16, então criei meio que uma simpatia por eles. Estou na torcida. Boa Sorte.

É, o jogo anda rapidamente, mesmo. Volta e meia eu até tento pegar o FM pra ver se embalo, mas não consigo, é falta de costume e muita coisa pra gerenciar. Valeu pelo apoio, Mito.

20 horas atrás, zk01 disse:

Fala Vitor!!Tudo bem?Pena não ter escapado da degola,mas ainda tem Copa Rio?Talvez dê pra entrosar a equipe pra segunda divisão do ano que vem,onde teremos goytacano!!Nunca joguei brasfoot,vou dar uma pesquisada haha Boa sorte na continuação!!

Pois é, a Copa Rio tá aí batendo a porta. Esperança de melhores resultados na sequência. Valeu pelo apoio, zk01.

14 horas atrás, marciof89 disse:

Que bosta, acabou caindo mesmo. Agora só sobrou a Copa Rio, que é título mas que não salva ano. Infelizmente vai ter que esperar a próxima temporada, e espero que ela chegue, pois tem risco até de ser mandado embora.

Boa sorte!

Eu espero que a diretoria seja um pouco mais compreensiva. Acho que a Copa Rio não vá ser um problema tão grande... são 10 times da Série A, e é um campeonato sempre muito disputado.

14 horas atrás, Henrique M. disse:

Curioso um save no Brasfoot por aqui. Acho que é o primeiro que vejo.

Não teve um bom começo, mas talvez já fosse esperado. Vamos ver como será a Copa Rio.

Esperava mais, mas é um misto da minha inexperiência com um elenco que não rendeu como o esperado. Valeu, Henrique.


Y1LcIN0.png

 

Após um estadual melancólico, era hora de sacudir a poeira. A temporada seguia, a Copa Rio vem por aí como a oportunidade de tirar algo de positivo do ano. E, como era de esperar, algumas mudanças no elenco.

Transferências

EUmXkgJ.png

Pequeno, mas acho que é suficiente.

 

O Jarles vai vestir a número 20 aqui, o conheço de uma boa Copa Rio dele pelo Friburguense em 2016. Fez dois gols pelo Estrela do Norte na segunda divisão do Campeonato Capixaba.

O Mateus Pivô vem pra usar a camisa 25, conheço ele por sua passagem pelo Campos também em 2016, fez uma boa Série B1, chegou até a ser emprestado para disputar o Brasileirão sub-20 pelo Grêmio, mas não foi utilizado, não vingou na sua volta em 2017 e vinha escanteado no Carapebus.

 

O Vanderson não vinha bem nos treinos nem teve boas atuações quando exigido, então foi liberado para ir treinando com o River do Piauí.

 

Diferentemente do que acontecia até o ano anterior, a Copa Rio não dá mais vaga para nenhuma competição. Vale somente como título, tal como ocorreu no final dos anos 1990 e em 2005. Pode ser o sonho de consumo para quem teve um primeiro semestre melancólico ou não conseguiu o acesso nas divisões inferiores. As mudanças recentes que foram impostas pela CBF no calendário mudaram de forma incisiva alguns torneios. Até como forma de registro, a FERJ mudou a fórmula de novo: o time da divisão superior não joga mais em casa, joga no campo do visitante, mas ainda assim tem a vantagem do empate.

 

Amistoso: confronto em casa contra um time da Série B2 por um amistoso. A torcida até compareceu, mas sem muita força. E logo de cara Gabriel Leite abriu o placar, segundos após a saída de bola. O Goytacaz pouco fez até o final do primeiro tempo. Promovi a estreia dos recém-contratados, e vi a equipe apagar rapidamente, levando a virada com gols de Mauricio Stronda e Tiaguinho. A equipe parecia inerte a tudo até o momento que uma bola alçada deu pro Tiaguinho a chance de empatar o jogo, bem aproveitada. Nos salvou naquela noite.

KIKh9BV.png

Oitavas de final: a vantagem do empate nos deu tranquilidade, mas nem por isso deixamos de aproveitar as oportunidades. Saímos na frente, levamos o empate, e esse cenário se repetiu mais duas vezes, fazendo um placar final de 3x3. A ADI até jogou melhor por uma parte do jogo, mas foi insuficiente. Buscamos a classificação e o próximo confronto será contra o Nova Cidade em Nilópolis.

 

Quartas de final: jogo mais tranquilo, vencemos o atual campeão da Série B2 sem maiores sustos. Fomos efetivos quando necessário, suficiente para efetuar mais uma classificação no torneio.

Z7L3o0l.png

 

Semifinal: tão lastimável que até esqueci de tirar print. 3x0 e uma atuação muito ruim do Goytacaz, que não viu a cor da bola e teve sorte do placar não ser maior. O jeito é planejar de vez o calendário para 2019.

NDfGysP.png

 

Elenco

Não consegui pegar as estatísticas depois de perder a súmula da semifinal, então ficou um pouco desatualizado. Destaques positivos para Lorran, Rodriguinho, Mateus e Almir, que apresentaram uma boa média das atuações. Gabriel Moreira também se desenvolveu bem, boa parte da base deve ser mantida para a B1.

zVTZUtV.png

 

Notícias

- O Americano se sagrou campeão da Copa Rio

- Após 52 anos, a Inglaterra bate a França por 2x0 na final e é campeã do mundo novamente. A Espanha fechou o pódio ao vencer a Sérvia na disputa de terceiro lugar. A se destacar as campanhas de Irã e Coreia do Sul, que chegaram até as quartas de final, e as quedas na primeira fase de Portugal, Brasil e México

- O São Caetano foi campeão da Série D ao derrotar o Fluminense de Feira na final por 4x3 (agregado). Junto aos dois, sobem Maringá e Santa Cruz RN, que ocuparão as vagas de Volta Redonda, Ypiranga RS, Operário PR e Luverdense

- Na Série C, o Botafogo SP foi campeão em cima do Náutico. Ambos subiram junto ao Tupi e ao ABC, substituindo CSA, Fortaleza, Londrina e CRB

- O Goiás foi campeão da Série B, subindo junto a Guarani, Brasil de Pelotas e Criciúma

- O Palmeiras foi campeão da Série A, e vai pra Libertadores junto do Cruzeiro, Vitória, Sport, São Paulo, Paraná e Bahia (este via Copa do Brasil). Caíram Corinthians, Vasco da Gama, Chapecoense e Fluminense

- Outros campeões pelo mundo: Borussia Dortmund (Alemanha), San Lorenzo (Argentina), Universidad de Chile (Chile), Valencia (Espanha), Dijon (França), PSV Eindhoven (Holanda), Manchester City (Inglaterra), Roma (Itália), Chivas Guadalajara (México), Sporting Braga (Portugal) e Peñarol (Uruguai)

- O Benfica voltou a conquistar uma Liga dos Campeões após 56 anos, fazendo cair a maldição de Béla Guttmann. A taça veio após uma vitória sobre o Manchester City

- O River Plate garantiu o tetracampeonato da Libertadores após derrotar o Boca Juniors na final por 4x2 (agregado)

- Outros campeões continentais: UANL (CONCACAF), Urawa Red Diamonds (Ásia), Warri Wolves (África), Tefana (Oceania), Godoy Cruz (Copa Sul-Americana) e Milan (Liga Europa)

- O Urawa Red Diamonds foi campeão do Mundial de Clubes em cima do River Plate

Share this post


Link to post
Share on other sites
marciof89
3 horas atrás, VitorSouza disse:

O Urawa Red Diamonds foi campeão do Mundial de Clubes em cima do River Plate

Eu amava o Brasfoot por causa disso. HAHAHAHHAHAH

Que venha 2019! Vai precisar se desdobrar pra subir de novo. Boa sorte!

Share this post


Link to post
Share on other sites
VitorSouza
Em 21/10/2018 at 17:32, marciof89 disse:

Eu amava o Brasfoot por causa disso. HAHAHAHHAHAH

Que venha 2019! Vai precisar se desdobrar pra subir de novo. Boa sorte!

Esse tipo de acontecido é uma coisa que volta e meia me irrita dentro do jogo, mas já me acostumei. Vamos ver o que o novo ano nos promete.


Y1LcIN0.png

 

De vez em quando vou trazer alguns conteúdos históricos das equipes que eu comandar, até pra fugir um pouco do modelo de só ter jogo e texto. O primeiro será com o Goytacaz, uma história até um pouco antiga.

A última competição nacional

Por inúmeros anos nas décadas de 1970 e 1980, o Goytacaz participou de torneios nacionais. A primeira participação do Goyta foi em 1964, na Taça Brasil, após a conquista do extinto Campeonato Fluminense no ano anterior. Era a segunda vez que um time campista disputava o principal torneio de clubes da época, já que o Rio Branco, o róseo-negro, participou da Taça Brasil em 1962. Foram três participações no torneio: 1964, 1967 e 1968.

Na década de 1970, após o início da fusão do Campeonato Carioca com o Campeonato Fluminense e a expansão do Brasileirão sob o lema "onde a Arena vai mal, mais um time no nacional; onde a Arena vai bem, mais um time também", o alvi-anil da Rua do Gás teve três participações na chamada Taça de Ouro, todas elas entre 1977 e 1979. Depois, mais cinco participações na segunda divisão, seja como Taça de Prata ou Módulo Azul.

Foram 16 anos sem um jogo a nível nacional, até que em 2003 surgiu a oportunidade da disputa da Série C. Na época, o torneio era livre, qualquer equipe poderia se inscrever, as únicas participações garantidas eram as das equipes rebaixadas. 95 equipes se inscreveram para a disputa do torneio, mas após duas desistências (Esportiva Guaxupé e Parnahyba), o número fechou em 93 participantes.

O Rio de Janeiro teve 11 participantes naquele torneio: Americano, America, Bangu, Cabofriense, Friburguense, Goytacaz, Macaé, Olaria, Portuguesa, Rio Branco e Volta Redonda. Dos 28 grupos da competição, dois tinham quatro equipes do estado, um era um triangular com dois cariocas e a Portuguesa Santista, e o outro era justamente o do Goytacaz, que ficou numa chave com o Tupi, o Rio Branco ES e o Serra.

Na época, a Série C também era realizada em um espaço menor de tempo, o que levava o torneio a ter partidas toda quarta e domingo. Em três semanas e meia a fase de grupos havia acabado, e com classificação para a segunda fase do Tupi e do Goyta, que haviam empatado em pontos e vitórias com o Rio Branco, mas levaram a melhor no saldo de gols.

O chaveamento da segunda fase reservou um duelo importante: um Goyta-cano. O Americano havia terminado líder de seu grupo, e a ordem dos confrontos previa justamente o enfrentamento do líder da chave 20 contra o vice-líder da chave 19. E era justamente a situação do momento. Além do peso de um clássico, ainda havia outro fator: o Americano era o time do presidente da FFERJ, Eduardo Viana, o popular Caixa D'Água. Por anos ele foi acusado de ajudar o seu clube de coração, e enquanto isso acontecia o Goytacaz sofria reveses duros no esporte.

O jogo de ida, no Aryzão, foi 1x0 pro alvi-anil. Jogo bem truncado, com gol solitário de Luciano Gá. O jogo de volta, no antigo Godofredo Cruz, não terminou. O placar estava 1x0 para o Americano após um gol considerado duvidoso. Uma batalha se formou, os jogadores do Goytacaz abandonaram o gramado e o TJD deu vitória e classificação para o alvinegro do Parque Tamandaré.

 

Share this post


Link to post
Share on other sites
VitorSouza

Y1LcIN0.png

 

Uma nova etapa

Fui mantido no cargo para a temporada de 2019. O Goytacaz está de volta a Série B1 após uma curta passagem pela primeira divisão, e agora irá encarar um campeonato difícil: 16 times brigam por duas vagas de acesso. E, ainda assim, é um acesso para a seletiva.

Devido ao desastroso 2018, o Goytacaz só terá a Série B1 pela frente. Série D e Copa do Brasil dificilmente virão, e a Copa Rio só irá surgir em caso de muitas desistências na Série A do Carioca. A torcida quer uma satisfação após o último ano, e para isso o clube botou a mão no bolso para modificar o plantel.

Transferências

YDknPZd.png

Quantas caras novas, hein? O elenco fica bem maior e mais qualificado para a disputa da Série B1.

 

O Tiaguinho vem após uma boa Série B2 pelo Paduano, logo na sua primeira temporada como profissional ele marcou 9 gols em 17 partidas. Agora o nível de exigência será maior, mas nem por isso a gente espera que ele pare de marcar.

O Eberson foi o melhor zagueiro da última Série B1 pelo São Gonçalo e vem para engrossar nossa linha de zaga. Jogou anteriormente por Rio Branco PR e Internacional PB.

Waldson vem mais pra compor elenco, não teve muitas chances no Goiânia vice-campeão da segundona goiana.

O folclórico Q. Susto, ex-Serrano e Rio de Janeiro, também terá a mesma função. Outro que teve uma temporada apagada no CEAC.

Otinho foi o camisa 10 do Galícia na última segundona baiana e deve aparecer no time titular vez ou outra.

E outro atacante foi contratado: Edu, do Itaboraí, centroavante nato, que teve um 2018 bom, mas ainda assim foi aquém de outros anos dele. Esperamos que a frase "#BrotaNaBaseETocaOMerengue" apareça muito por aqui.

Diogo Alvarenga veio da base.

 

Valdir e Ruan Sousa já estavam fora de cogitação dos trabalhos, foram vendidos e boa sorte na sequência das carreiras. O atacante Thiago Moreira deve ser emprestado em breve.

 

FhR3jva.png

A base tem alguns nomes novos e promissores. Vamos ver se poderemos tirar bons frutos daí.

QzbKZXQ.png

A nossa estreia na Série B1 será fora de casa, em Saquarema, contra o Sampaio Corrêa.

Share this post


Link to post
Share on other sites
baltazar

Bem legal um save no brasfoot, o começo foi mais ou menos, espero que o time melhore nessa temporada.

Boa sorte.

Share this post


Link to post
Share on other sites
zk01

Esse lema do futebol brasileiro dessa época me faz rir muito,melhor do que chorar hehe.E esse Americano ganhou dois turnos de um estadual lá por 2001 e mesmo assim não foi campeão ou algo assim não?Que zona era essa época hehe.Mas falando do save,acha que dá pra subir-ok,pra seletiva hehe-ou tem equipes mais qualificadas?Pena a queda na Copa Rio,mas foi até onde dava na minha opinião!!Boa sorte na continuação!!

Share this post


Link to post
Share on other sites
Henrique M.

Nossa, que tanto de dinheiro que você gastou. Ter grana é fácil assim no Brasfoot?

Share this post


Link to post
Share on other sites
marciof89

Torrou dinheiro, vamos ver se consegue tornar esse investimento em resultado.

Share this post


Link to post
Share on other sites
VitorSouza
Em 28/10/2018 at 11:48, baltazar disse:

Bem legal um save no brasfoot, o começo foi mais ou menos, espero que o time melhore nessa temporada.

Boa sorte.

Valeu, Baltazar. Realmente um começo abaixo do esperado.

Em 28/10/2018 at 18:23, zk01 disse:

Esse lema do futebol brasileiro dessa época me faz rir muito,melhor do que chorar hehe.E esse Americano ganhou dois turnos de um estadual lá por 2001 e mesmo assim não foi campeão ou algo assim não?Que zona era essa época hehe.Mas falando do save,acha que dá pra subir-ok,pra seletiva hehe-ou tem equipes mais qualificadas?Pena a queda na Copa Rio,mas foi até onde dava na minha opinião!!Boa sorte na continuação!!

Em 2002 o Americano ganhou os dois turnos do Campeonato Carioca (Taça Guanabara e Taça Rio), mas, diferentemente de outros estados (como São Paulo e Minas Gerais), o Rio de Janeiro não teve uma fase preliminar e depois o Supercampeonato; os grandes estavam desde o início, quase sempre poupando seus elencos, pois já tinham a classificação garantida.

Isso gerou algumas situações indesejáveis como o Flamengo na lanterna do 1º turno, atrás até do Entrerriense, mas que eram facilmente contornáveis pois os dois turnos só valiam para a definição dos quatro melhores pequenos, que disputaram a segunda fase junto dos quatro grandes.

No fim das contas, o único dos quatro maiores que foi pra semifinal foi o Fluminense, que ainda se classificou à final sob dúvidas pois o juiz viu uma falta inexistente no lance que daria o gol da classificação para o Bangu. Depois o Fluminense acabou campeão em cima do próprio Americano, e com toda a fase final ocorrendo durante a Copa do Mundo.

Em 29/10/2018 at 16:13, Henrique M. disse:

Nossa, que tanto de dinheiro que você gastou. Ter grana é fácil assim no Brasfoot?

É algo que eu não gosto no jogo. Qualquer time da Série D ou abaixo começa com 2,5 milhões (podendo ser o Novorizontino ou o Sport Belém), e é fácil conseguir dinheiro com bilheteria. Mas as contratações em si não são tão irreais, são muitos nomes que permeiam o futebol carioca e capixaba.

9 horas atrás, marciof89 disse:

Torrou dinheiro, vamos ver se consegue tornar esse investimento em resultado.

Valeu, Marcio.


Y1LcIN0.png

 

A estreia na Série B1 marcou como vai ser todo o campeonato. Partidas em campos acanhados, gramados não tão bons, um futebol mais rústico, sem muita bola no chão. O Sampaio Corrêa é, de certa forma, um contraponto disso, tem uma estrutura boa, o Estádio Lourival Gomes é bem cuidado. Muito se deve a participação dos Supermercados Gomes no patrocínio da equipe de Saquarema.

E eles começaram bem melhores. Ventava muito, fator importante que ajudou no gol olímpico do estreante Frank Cordeiro. Joguei a equipe pra frente na segunda etapa, Mateus até empatou. Só que não havia muita disciplina tática, tanto que levamos três gols no segundo tempo. Estreia lamentável.

qCoFhDj.png

2ª partida: mesmo com o apoio da torcida no Aryzão e a mudança de algumas peças, não conseguimos vencer o Olaria. Foi doído da forma como foi, com um "abafa" nosso no final do jogo em busca do empate.

 

3ª partida: eu fico impressionado como as coisas acontecem por aqui. Mesmo com um a mais em campo, o time teve a capacidade de levar 2x0 do Santa Cruz no primeiro tempo. Mateus até descontou no final, mas ficou o placar de mais uma derrota amarga.

 

4ª partida: mais uma derrota, agora para outro time bem fraco do torneio, o Carapebus. A situação vai se complicando, tanto a minha no cargo como a do Goytacaz no campeonato. Estou com medo do que pode vir pela frente, nem em casa o time rende...

yi9mbQo.png

Até agora deu pra tirar algumas coisas da equipe: a dupla de ataque entre Mateus e Edu funciona, a armação também tá legal e tanto as laterais como o goleiro estão ok. O problema é na defesa, volância e zaga. Precisamos ajustar isso logo se quisermos fugir da queda.

5ª partida: com uma mudança na zaga e outras duas no meio, seja por incapacidade técnica ou cansaço, fomos para Nova Friburgo enfrentar o time local. O desempenho até foi um pouco melhor que o das partidas anteriores, mas ainda insuficiente. Outra derrota pra conta.

Diante da insustentável situação, eu me comprometi com a diretoria em arrancar ao menos uma vitória nas duas partidas seguintes. Caso isso não aconteça, eu peço saída.

 

6ª partida: e deu certo como eu não esperava. Uma atuação de gala contra uma equipe que também briga pra não cair, o Artsul. Eles estavam extremamente perdidos em campo, não acertavam três passes em sequência. Depois do primeiro tempo incrível, até tentei apertar ainda mais o adversário em seu próprio campo, conseguindo mais dois gols para fechar o incrível placar de 6x0.

Edu finalmente desencantou e o merengue tocou. E a vitória veio para uma equipe que havia perdido TODAS até agora.

QQJ0NqM.png

7ª partida: com um pouco mais de segurança no cargo, o embate agora seria novamente contra uma equipe que briga na parte de baixo da classificação. Um primeiro tempo bem pegado, saímos na frente na segunda etapa, mas levamos a virada com dois gols do veteraníssimo Dudu, presente no Duque de Caxias desde sua criação em 2005. E o último gol foi no último lance do jogo. 2x1 extremamente doído do jeito que foi.

 

8ª rodada: pressionamos o então vice-líder Barra da Tijuca em casa, tivemos mais posse, chutamos mais, de nada adiantou. Outra derrota. Uma bola aérea cabeçada pelo zagueiro Kerlyson logo aos 10 minutos do primeiro tempo. E assim ficou. Foi a gota d'água pra mim. O time não rendia, o 6x0 foi um resultado enganoso. Melhor sair para não piorar ainda mais minha situação por aqui.

DZ6zBWI.png

GIAVgba.png

E realmente, como eu falei, minha hora já tinha dado por ali. Estava fritando no cargo, o time não fazia uma campanha dentro do esperado. Sorte para o Juninho, o novo treinador da equipe.

3lVLw19.png

 

Elenco

Rodamos praticamente todos os jogadores na busca de uma equipe ideal. Quando a vitória veio e eu mantive a escalação, nós perdemos na partida seguinte. O único destaque foi o Mateus, que atacante incrível.

D0KfxZ6.png

 

Novos rumos

Após a demissão, na espera de algumas propostas, eu recebo um telefonema inesperado. Era lá de Vila do Conde, em Portugal: o Rio Ave, recém-rebaixado da Liga NOS para a LigaPro, não achava nenhum treinador para a disputa da segundona e entrou em contato comigo. Eu aceitei um pouco receoso, afinal, minha passagem pelo Goytacaz foi insatisfatória, praticamente rebaixei a equipe nos dois anos que estive no comando. Vamos ver o que teremos de novidade pela frente.

7wAq2aI.png

 

Notícias

- Macaé e Gonçalense avançaram da seletiva para a fase principal do estadual

- Em uma final sensacional, Fluminense vence Vasco da Gama e ganha a Taça Guanabara

- O Goytacaz acabou rebaixado para a Série B2 junto com o Serra Macaense, serão substituídos por Serrano e Itaboraí

- O Barra da Tijuca foi campeão da Série B1 e sobe junto ao Olaria; substituirão São Gonçalo e Cabofriense

- A Taça Rio ficou com o Flamengo

- O Botafogo foi campeão carioca após superar o Flamengo na final

- Outros campeões pelo Brasil: Vitória (Baiano), Fortaleza (Cearense), Atlético (Goiano), Atlético (Mineiro), Atlético (Paranaense), Sport (Pernambucano), Grêmio (Gaúcho), Avaí (Catarinense) e Santos (Paulista)

Share this post


Link to post
Share on other sites
VitorSouza

a37DYqy.png

 

O novo desafio em terras lusas começa em alguns dias. No dia 7 de março, 10 dias antes do início da Liga de Honra, fui apresentado ao elenco. Vamos avaliar posição por posição:

GOLEIROS - temos dois nomes competitivos para a vaga e o titular da última temporada. Makaridze e Rui Vieira estão quase no ápice da forma, na flor da idade, vem com tudo para tentar a titularidade. Já o Cássio, aquele que jogou no Vasco da Gama, está com seus 38 anos e, apesar de ter sido o titular em todo o ano de 2018, já não é mais o mesmo. Aos poucos iremos fazendo a transição necessária nessa posição.

LATERAIS - dois direitos, Lionn e Nadjack. Praticamente se completam: o primeiro é mais defensivo e o segundo apoia o ataque muito bem. Em compensação, a lateral esquerda dá calafrios: Walter López, uruguaio contratado junto ao Spezia no início do ano, tem as mesmas características do guineense Nadjack, mas a idade não o permite tanto esforço físico. Não era um sufoco necessário, visto que a diretoria vendeu Bruno Teles e Yuri Martins, dois laterais esquerdos, no início da temporada.

ZAGUEIROS - acaba caindo no mesmo caso. Dois zagueiros direitos brasileiros, Marcelo e Marcão, ambos bons no cabeceio. Pelo lado esquerdo, o português Nélson Monte, bastante veloz, mas que precisa de alguém junto a ele para dar segurança, não é muito aplicado taticamente.

VOLANTES - aqui eu fico tranquilo por termos reposição a altura. Pelé e Leandrinho são os titulares, tem seus bons pontos, também se completam e ao menos nos treinos apresentaram a possibilidade do time funcionar com um ou outro dentro de campo, abdicando do segundo volante. Pedro Moreira está em um nível próximo aos dois, e Jeffrey, recém-promovido da base, também parece pedir passagem num futuro não tão distante.

MEIAS - novamente temos reposição a altura. São jogadores de nível bastante semelhante: os portugueses Chico Geraldes, João Novais e Nuno Santos e o colombiano Barreto. Todos tem a capacidade de fazer a função de "camisa 10" e o sul-americano ainda pode ser improvisado como segundo atacante ou ponta. É um setor sem muitos problemas.

ATACANTES - não vejo ninguém pra fazer a função de centroavante aqui, talvez tenhamos que trabalhar com dois lado a lado. Diego Lopes é veloz, Hélder Guedes e Gelson Dala são semelhantes, possuem muito do estilo Peter Crouch, pode nos ajudar como pode nos atrapalhar.

 

BASE - nenhum nome muito promissor. Pelo pouco que vi, Rúben Grilo e Thomas tem potencial, resta saber se terão fôlego pra manter o ritmo a nível profissional quando forem promovidos.

Já vejo a possibilidade de, na janela do meio da temporada, contratar algumas peças que possam nos ajudar na sequência do campeonato.

pRirAd2.png

vK8xAUY.png

 

E o campeonato? Pois bem, a Ledman LigaPRO (nome oficial da Segunda Liga) é composta por 20 times, que jogam entre si em turno e returno. Os dois primeiros são promovidos para a Primeira Liga e os quatro últimos são rebaixados para o Campeonato de Portugal. Muito mudou desde que a FPF proibiu a participação das equipes B na pirâmide profissional, isso possibilitou o retorno na canetada de equipes tradicionais como o União de Leiria (que quase subiu ano passado) e o Farense.

Na última temporada, foram promovidos o Leixões (campeão, volta após 9 anos) e o Santa Clara (retorna após 16 anos na segunda divisão). Eles ocupam o lugar do Rio Ave (rebaixado após 10 temporadas na elite) e do Marítimo (que não disputava a Segunda Liga desde 1985).

Na parte de baixo, subiram o Lusitano FCV, Vilafranquense (ambos estreantes), o Caldas (que também é estreante, mas disputou a Primeira Liga numa época que não havia a LigaPRO como conhecemos hoje) e o Olhanense (rebaixado em 2017, volta após um ano de terceirona).

Apesar de, na teoria, sermos uma das equipes mais fortes, são só duas vagas de acesso e algumas equipes como o Nacional e o Académico mostraram um futebol digno no último ano. Não será tão fácil como parece.

Não nos classificamos para a Taça de Portugal após a queda da primeira divisão. Para estarmos na da próxima temporada, basta evitar o rebaixamento (16 da Primeira Liga + 16 da LigaPRO = 32).

 

Nossa estreia será fora de casa, contra a UD Oliveirense.

gyHxAaN.png

Share this post


Link to post
Share on other sites
marciof89

A demissão já era esperada, agora foi parar num time tradicional de Portugal. Se fosse na vida real, duvido que isso acontecesse hahaha

Mas vamos ver. Acho que dá pra fazer um campeonato tranquilo sim.

Boa sorte!

Share this post


Link to post
Share on other sites
Henrique M.

Achei meio irreal essa mudança, mas não é sua culpa. Foi o que o jogou te ofereceu.

Share this post


Link to post
Share on other sites

Create an account or sign in to comment

You need to be a member in order to leave a comment

Create an account

Sign up for a new account in our community. It's easy!

Register a new account

Sign in

Already have an account? Sign in here.

Sign In Now

×