Ir para conteúdo
AJUDE O FMANAGER! Seja Membro VIP ou faça uma DOAÇÃO! ×
  • Cadastre-se

Matias_

Posts Recomendados

Bom, não sei se isso já está sendo discutido em algum lugar aqui no Fórum (até onde vi, não estava), ou onde isso vai dar (provavelmente em nada), mas acho lícito discutir as implicações dessa "crise".

 

Petrobras anuncia redução de 10% no diesel; medida deve valer por 15 dias

 

Aqui na minha cidade, e na cidade onde estudo (João Monlevade - MG), o combustível já acabou. Rumores que mais um dia de greve e a cidade para.

Enfim, achei interessante esse acontecimento porque escancara o que uma mobilização bem feita pode desencadear. E aí, o que pensam a respeito?

Link para o comentário
Compartilhar em outros sites

Aqui na minha cidade o etanol acabou e já fechou uns 5 postos que não tem mais combustível.

Link para o comentário
Compartilhar em outros sites

Aqui em Brasília a situação está piorando, nesse ritmo só os ricos terão condições de andar por aí (a.k.a Congresso, Planalto e Ministérios).

O que eu queria que acontecesse é um choque de realidade em todos. A Petrobrás aumenta a gasolina assim que o petróleo/dólar sobem. Esses aumentos são quase diários. Tudo isso para conter o endividamento gerado no desgoverno Dilma e tudo o que aconteceu graças à Lava Jato. Ou toda a política de preços da estatal será discutida, ou o governo terá que cortar impostos. Zeraram o CIDE, um imposto com impacto mínimo no preço do diesel. O que realmente pega é o maldito ICMS e o seu amiguinho PIS/Cofins. Vi um gráfico do g1 mostrando que a composição do preço da nossa gasolina é 50-60% de tributos. Teriam que abaixar esses dois tributos que falei, mas que representam muita grana pro governo. Se tirar daí, terá que cobrar em outro lugar.

E aí entra a história de mais/menos estado. Esse é o resultado de cada vez mais estado, mais tributos, mais cargos e empresas públicas, enfim. Sempre existirão milhares de interesses para se cumprir. E quem se fode é quem está no elo mais fraco disso tudo.

Link para o comentário
Compartilhar em outros sites

Em 24/05/2018 at 09:41, Tehh disse:

O que realmente pega é o maldito ICMS e o seu amiguinho PIS/Cofins. Vi um gráfico do g1 mostrando que a composição do preço da nossa gasolina é 50-60% de tributos

E o ICMS é um percentual sobre o preço de venda, ou seja, cada vez que ele sobe, os Estados recolhem mais impostos = não vão reduzir nem fudendo.

petrobrasx.jpg

 

Link para o comentário
Compartilhar em outros sites

Se não me engano, é a terceira greve geral de caminhoneiros em cinco anos, não?

É muito foda a situação dos caras. Orçam uma viagem, e se fodem no meio dela porque o preço do combustível sobe todo o dia.

Tenho um conhecido caminhoneiro que leva mercadorias de Carazinho pra Pelotas (é um bom percurso, deve dar algo tipo 500km) e volta trazendo areia. Ele me contou que o valor que ganha na ida, empata com o que gasta em combustível e pedágio, de forma que se não conseguisse aproveitar o retorno pra trazer carga, ele literalmente pagaria pra trabalhar ou trabalharia de graça. Sem condições.

Por outro lado, acho que já passou da hora do Brasil investir em transporte fluvial e férreo. Essa dependência exclusiva de caminhões é prejudicial pela falta de concorrência/dependência de petróleo, e pela questão de segurança e manutenção viária (antes de vir morar em PT, sempre viajei bastante no interior do RS, porque tenho família espalhada - dentre estas andanças, duas vezes quase sofri acidentes gravíssimos por causa de caminhoneiro que dormiu no volante).

Enfim, na melhor da melhor das hipóteses, o governo vai adotar alguma medida paliativa e deixar a bomba para o próximo governante, que com certeza não vai ser o Meirelles (escolhido pela situação).

 

Link para o comentário
Compartilhar em outros sites

  • Vice-Presidente
2 horas atrás, ZaMBiA disse:

Por outro lado, acho que já passou da hora do Brasil investir em transporte fluvial e férreo. Essa dependência exclusiva de caminhões é prejudicial pela falta de concorrência/dependência de petróleo, e pela questão de segurança e manutenção viária (antes de vir morar em PT, sempre viajei bastante no interior do RS, porque tenho família espalhada - dentre estas andanças, duas vezes quase sofri acidentes gravíssimos por causa de caminhoneiro que dormiu no volante).

Eu penso a mesma coisa, mas esse tipo de coisa não elege ninguém. É um plano de longo prazo e na política do Brasil não existe espaço nem para médio prazo, quem dirá longo.

Link para o comentário
Compartilhar em outros sites

4 horas atrás, ZaMBiA disse:

Se não me engano, é a terceira greve geral de caminhoneiros em cinco anos, não?

É muito foda a situação dos caras. Orçam uma viagem, e se fodem no meio dela porque o preço do combustível sobe todo o dia.

Tenho um conhecido caminhoneiro que leva mercadorias de Carazinho pra Pelotas (é um bom percurso, deve dar algo tipo 500km) e volta trazendo areia. Ele me contou que o valor que ganha na ida, empata com o que gasta em combustível e pedágio, de forma que se não conseguisse aproveitar o retorno pra trazer carga, ele literalmente pagaria pra trabalhar ou trabalharia de graça. Sem condições.

Por outro lado, acho que já passou da hora do Brasil investir em transporte fluvial e férreo. Essa dependência exclusiva de caminhões é prejudicial pela falta de concorrência/dependência de petróleo, e pela questão de segurança e manutenção viária (antes de vir morar em PT, sempre viajei bastante no interior do RS, porque tenho família espalhada - dentre estas andanças, duas vezes quase sofri acidentes gravíssimos por causa de caminhoneiro que dormiu no volante).

Enfim, na melhor da melhor das hipóteses, o governo vai adotar alguma medida paliativa e deixar a bomba para o próximo governante, que com certeza não vai ser o Meirelles (escolhido pela situação).

 

O modal ferroviário é de longe o mais vantajoso com relação ao volume de carga transportada, o que reduz bastante o preço no transporte e por ser um modal exclusivo (não tem trânsito) . Então, mesmo que a construção de Ferrovias seja mais cara inicialmente do que um pavimento rodoviário (cerca de 6 milhões por km enquanto que uma rodovia, cerca de 1 milhão..fora o superfaturamento, claro), ela acaba "se pagando" ao longo do tempo...porém, como disseram isso é algo que só é constatado a longo prazo e os políticos não tem interesse em iniciar uma obra que não será concluída no mandato deles.

O Brasil é um país com dimensões continentais, tem uma malha ferroviária ridícula para o seu potencial. A própria norte-sul é um projeto bom, mas que infelizmente ficou parado e se tornou oneroso. O grande problema é o famoso custo-brasil: como toda obra de infra-estrutura, o superfaturamento nesse tipo de obra é algo absurdo e, quando constatada alguma irregularidade, a obra para e fica ainda mais cara para ser reiniciada (por causa de toda burocracia para se refazer uma licitação, revisar todo o projeto e etc.), acaba tendo que refazer tudo o que foi executado por um valor muito maior. Uma redução no custo de transporte de cargas poderia implicar uma redução de custo em todo o mercado em geral.

 

Quanto a greve: é os caminheiros finalmente descobrindo o poder que tem nas mãos. Uma greve no transporte rodoviário simplesmente para o País, é um serviço essencial que afeta todas as áreas da economia. O governo fala que uma queda nessa arrecadação seria absurdamente prejudicial ao país, mas eles não buscam cortar gastos em serviços onerosos como a própria manutenção do congresso nacional, cargos comissionados e etc. Outro tributo que não é foco de redução é o ICMS, os estados se isentam da responsabilidade dos preços dos combustíveis, já que o foco está no governo federal.

Aqui em Goiânia, eu ainda consegui abastecer com tranquilidade até ontem a noite e por um preço dentro da normalidade, mas hoje já existem muitos relatos de falta de combustíveis em algumas regiões. Eu sei que muitos amigos meus de Brasília disseram que era possível encontrar gasolina a R$ 9,99 e os postos estavam recusando a emitir nota fiscal. O que é absurdo já que o preço do combustível é tabelado.

Link para o comentário
Compartilhar em outros sites

É mais um da série "resolvendo provisoriamente problemas que não deveriam existir".

Que a política de preços ferra quem depende da estabilidade dos mesmos pra poder manter uma margem de lucro é fato, mas os problemas estruturais que causam essa dependência são ainda mais importantes e nunca se fala nisso sendo que "só" seria vantajoso pra todo mundo que depende da circulação de bens e serviços.

Cada vez que tem algo minimamente relacionado eu fico esperando pra ver se alguém "importante" vai comentar e nunca acontece. Não parece que vai ser agora e já acho que ninguém aqui vai ver isso discutido a fundo e não só em algum momento aleatório durante alguma campanha - e prontamente esquecido a partir do tópico seguinte.

Link para o comentário
Compartilhar em outros sites

Engraçado são os Estados caladinhos nessa briga toda com uma alíquota percentual, em média, de 27 a 29 pontos percentuais sobre o combustível, hahaha.

Sinceramente? Acho difícil mexerem no vespeiro que é o ICMS (principal fonte de receita tributária dos Estados), ainda mais nos combustíveis, que são um dos campeões de arrecadação.

O que devem fazer, num cenário muuuitoo positivista, é diminuir a alíquota sobre o diesel e repassar o ônus para outros combustíveis. Mas acho bem improvável.

Outra solução seria rever esta política de preços flutuantes da Petrobrás, mas, nesta briga, acho mais fácil o Estado ceder do que a Petrobrás, por mais incrível que pareça.

Link para o comentário
Compartilhar em outros sites

Eu não entendo absolutamente nada sobre o assunto, mas lá na faculdade rolou uma discussão que um entendido da área, que trabalha há 10 anos no setor de infraestrutura,  argumentou que no Brasil não tem malha ferroviária robusta porque isso não compensa economicamente pra ninguém.

Pra início de conversa, a implementação de ferrovias e rodovias tem ordens de grandeza diferentes... a primeira é muito, mas muito mais cara e demoraria (com muito otimismo) 20 anos pra ser implementada. Nem se tivéssemos o Estado mais competente e eficiente do mundo teríamos condições de arcar com tal investimento, então dependeria do interesse da iniciativa privada.

E aí (posso estar falando merda novamente, me corrijam) teria que ocorrer uma concessão ou uma privatização, mas pra iniciativa privada também não é economicamente viável. Só vale a pena pra quem produz imensos volumes de produtos de baixo valor agregado (que, no brasil, é soja, minério e mais uma outra coisa que eu esqueci), e aí eles já construíram a ferrovia deles nos trechos que os interessam.

No passado, o brasil também tentou fazer um esforço pra ter ferrovia, mas esbarrou nos mesmos problemas e no final implementaram as rodovias, que eram/são muito mais baratas. Não foi uma questão de opção, e sim de possibilidades.

E aí chegamos nos dias de hoje, em que já temos rodovias implementadas em todo o país, tendo que arcar apenas com os custos de manutenção e conservação, infinitamente menores do que o de implementação de ferrovias (e nem isso conseguimos fazer direito, o que já denota a falta de recursos).

Então, em resumo, não é tão simples assim, "oh, temos que fazer ferrovia, isso é obvio e os políticos são burros e corruptos". É uma realidade, infelizmente, muito distante. E isso não advém da corrupção não galera... no imaginário popular, a corrupção é um cracken que suga todo o orçamento da nação, mas a verdade é que o Brasil é um país POBRE. Se pegar toda a riqueza da suécia e dividir igualmente entre todos os habitantes, todos teriam vidas confortáveis. Agora, se fizesse isso no Brasil, todo mundo passaria fome. A corrupção fode a democracia, não as contas públicas. E aí as contas públicas são fodidas em decorrência da democracia ter sido fodida, já que, com isso, vicia-se o sistema eleitoral, perpetuando os mesmos oligarcas no poder - que, por sua vez, governam para atender os interesses daqueles que os financiam às custas dos interesses gerais. Esse, no entanto, por certo não é o caso da questão das ferrovias; não é como se alguém estivesse tirando vantagem pela falta de opções. 

Link para o comentário
Compartilhar em outros sites

16 minutos atrás, Bernardo13 disse:

(que, no brasil, é soja, minério e mais uma outra coisa que eu esqueci)

Milho ou café, provavelmente.

 

Mas eu discordo de que não haviam opções. A malha rodoviária também foi um projeto caro e complicado, mas como havia vontade política acabaram fazendo. A malha ferroviária não era nem pra ter a mesma abrangência mas teria que escoar pelo menos os grãos e minério do Centro-Oeste para o Sudeste. Esse escoamento também não significaria que cada local de produção teria uma parada mas só que o trajeto de caminhão ficaria bem menor entre a produção e o transporte.

O investimento inicial seria, sim, maior mas o retorno seria mais vantajoso a longo prazo pela capacidade maior de escoamento.

Link para o comentário
Compartilhar em outros sites

36 minutos atrás, Bernardo13 disse:

Pra início de conversa, a implementação de ferrovias e rodovias tem ordens de grandeza diferentes... a primeira é muito, mas muito mais cara e demoraria (com muito otimismo) 20 anos pra ser implementada. Nem se tivéssemos o Estado mais competente e eficiente do mundo teríamos condições de arcar com tal investimento, então dependeria do interesse da iniciativa privada.

E aí (posso estar falando merda novamente, me corrijam) teria que ocorrer uma concessão ou uma privatização, mas pra iniciativa privada também não é economicamente viável. Só vale a pena pra quem produz imensos volumes de produtos de baixo valor agregado (que, no brasil, é soja, minério e mais uma outra coisa que eu esqueci), e aí eles já construíram a ferrovia deles nos trechos que os interessam.

No passado, o brasil também tentou fazer um esforço pra ter ferrovia, mas esbarrou nos mesmos problemas e no final implementaram as rodovias, que eram/são muito mais baratas. Não foi uma questão de opção, e sim de possibilidades.

 

Vamos lá, primeiramente é sempre mais interessante que haja mais alternativas de modais de transporte. Em um mundo ideal, não é colocar o modal ferroviário como substituto ao rodoviário, mas buscar interligar os modais de transporte. O investimento inicial em uma ferrovia sim é muito mais caro que uma rodovia, porém os custos com manutenção (que é sim muito significativo, ainda mais pela péssima qualidade dos pavimentos nas rodovias brasileiras) são bem menores e a capacidade de escoamento de carga também é significativo, portanto a longo prazo essa diferença acabaria diminuindo bastante e a própria diminuição do sobrecarregamento das rodovias seria menos impactante para os gastos com manutenção de pavimentos. 

Claro que é inviável "colocar ferrovias no Brasil inteiro", mas pelo menos a conclusão de alguns projetos existentes seria essencial. A conclusão da própria Norte-Sul, que hoje opera em apenas alguns trechos pontuais,seria bastante importante para o escoamento da uma conclusão dessa ferrovia já seria muito importante para o aumento do escoamento da produção de grãos do Centro-Oeste e interligação entre as regiões. Não dá para desprezar isso.

Com relação às concessões, essa é uma tendência que já vem acontecendo nas rodovias brasileiras e vem se estendendo aos aeroportos. Acho que a construção de uma ferrovia acabaria sendo um gasto pela a iniciativa pública, mas a operação desse sistema seria uma concessão. Minha opinião é, hoje não há lucro porque ainda não foi criada a demanda...mas se tivermos uma malha ferroviária bem distribuída, seria algo bem vantajoso sim.

Os investimento no passado em Ferrovias não foi feito por pura falta de interesse do Governo. O Brasil sempre buscou movimentar a economia com incentivos à indústria automobilística, desprezando os outros modais de transporte..até no início dessa década com a redução do ICMS para carros e caminhões, consolidação do Álcool no século passado e etc.

Link para o comentário
Compartilhar em outros sites

20 minutos atrás, davidreisc disse:

Vamos lá, primeiramente é sempre mais interessante que haja mais alternativas de modais de transporte. Em um mundo ideal, não é colocar o modal ferroviário como substituto ao rodoviário, mas buscar interligar os modais de transporte. O investimento inicial em uma ferrovia sim é muito mais caro que uma rodovia, porém os custos com manutenção (que é sim muito significativo, ainda mais pela péssima qualidade dos pavimentos nas rodovias brasileiras) são bem menores e a capacidade de escoamento de carga também é significativo, portanto a longo prazo essa diferença acabaria diminuindo bastante e a própria diminuição do sobrecarregamento das rodovias seria menos impactante para os gastos com manutenção de pavimentos. 

Claro que é inviável "colocar ferrovias no Brasil inteiro", mas pelo menos a conclusão de alguns projetos existentes seria essencial. A conclusão da própria Norte-Sul, que hoje opera em apenas alguns trechos pontuais,seria bastante importante para o escoamento da uma conclusão dessa ferrovia já seria muito importante para o aumento do escoamento da produção de grãos do Centro-Oeste e interligação entre as regiões. Não dá para desprezar isso.

Com relação às concessões, essa é uma tendência que já vem acontecendo nas rodovias brasileiras e vem se estendendo aos aeroportos. Acho que a construção de uma ferrovia acabaria sendo um gasto pela a iniciativa pública, mas a operação desse sistema seria uma concessão. Minha opinião é, hoje não há lucro porque ainda não foi criada a demanda...mas se tivermos uma malha ferroviária bem distribuída, seria algo bem vantajoso sim.

Os investimento no passado em Ferrovias não foi feito por pura falta de interesse do Governo. O Brasil sempre buscou movimentar a economia com incentivos à indústria automobilística, desprezando os outros modais de transporte..até no início dessa década com a redução do ICMS para carros e caminhões, consolidação do Álcool no século passado e etc.

Acho que a iniciativa teria que partir justamente como falou: a ferrovia vindo como um "auxílio" a rodovia. Qualquer atitude além disso não passará, seja por lobby ou investimento a médio e longo prazo.

Então o ideal seria a construção de ferrovias onde:

a) rodovias não consigam acessar ou o custo de transporte não é rentável

b) consigam facilitar o escoamento para rodovias.

Achar que vão "substituir" ferrovias por rodovias é utopia, infelizmente. 

Link para o comentário
Compartilhar em outros sites

15 horas atrás, Lucca_inter disse:

Ainda bem que o petróleo é nosso, rs

Hahahaha, melhor comentário, justamente porque quem sobe a hashtag #somostodoscaminhoneiros são os mesmos que ficam lutando por essa bobagem. Já pensou que louco se fosse a Shell e a ExxonMobil explorando e o preço não variasse pela arbitrariedade de uma empresa? QUE PAÍS SERIA ESSE, MEUS AMIGOS.

Link para o comentário
Compartilhar em outros sites

Governo e caminhoneiros anunciam proposta de acordo para suspender paralisação por 15 dias

 

Aparentemente, o acordo foi fachada.

Vários vídeos circulam pela Internet indicando que os representantes, de fato, nem sequer foram permitidos comparecer à tal reunião.

Na iminência de uma crise ainda maior, o governo continua cagando pra situação, impressionante.

Link para o comentário
Compartilhar em outros sites

15 minutos atrás, Matias_ disse:

Governo e caminhoneiros anunciam proposta de acordo para suspender paralisação por 15 dias

 

Aparentemente, o acordo foi fachada.

Vários vídeos circulam pela Internet indicando que os representantes, de fato, nem sequer foram permitidos comparecer à tal reunião.

Na iminência de uma crise ainda maior, o governo continua cagando pra situação, impressionante.

Tem link desses videos?

Link para o comentário
Compartilhar em outros sites

Tá todo mundo errado nessa porra, os caminhoneiros estão errados, o governo tá errado e a população também. PQP!

Link para o comentário
Compartilhar em outros sites

23 minutos atrás, Mark. disse:

Tem link desses videos?

Só jogar "caminhoneiros" no search do Twitter e aparecerão vários outros.

 

25 minutos atrás, ZaMBiA disse:

Faz todo sentido. O problema é que dessa vez os caminhoneiros bateram o pé, vamos ver no que vai dar.

 

 

Link para o comentário
Compartilhar em outros sites

14 horas atrás, Bernardo13 disse:

Eu não entendo absolutamente nada sobre o assunto, mas lá na faculdade rolou uma discussão que um entendido da área, que trabalha há 10 anos no setor de infraestrutura,  argumentou que no Brasil não tem malha ferroviária robusta porque isso não compensa economicamente pra ninguém.

Pra início de conversa, a implementação de ferrovias e rodovias tem ordens de grandeza diferentes... a primeira é muito, mas muito mais cara e demoraria (com muito otimismo) 20 anos pra ser implementada. Nem se tivéssemos o Estado mais competente e eficiente do mundo teríamos condições de arcar com tal investimento, então dependeria do interesse da iniciativa privada.

E aí (posso estar falando merda novamente, me corrijam) teria que ocorrer uma concessão ou uma privatização, mas pra iniciativa privada também não é economicamente viável. Só vale a pena pra quem produz imensos volumes de produtos de baixo valor agregado (que, no brasil, é soja, minério e mais uma outra coisa que eu esqueci), e aí eles já construíram a ferrovia deles nos trechos que os interessam.

No passado, o brasil também tentou fazer um esforço pra ter ferrovia, mas esbarrou nos mesmos problemas e no final implementaram as rodovias, que eram/são muito mais baratas. Não foi uma questão de opção, e sim de possibilidades.

E aí chegamos nos dias de hoje, em que já temos rodovias implementadas em todo o país, tendo que arcar apenas com os custos de manutenção e conservação, infinitamente menores do que o de implementação de ferrovias (e nem isso conseguimos fazer direito, o que já denota a falta de recursos).

Então, em resumo, não é tão simples assim, "oh, temos que fazer ferrovia, isso é obvio e os políticos são burros e corruptos". É uma realidade, infelizmente, muito distante. E isso não advém da corrupção não galera... no imaginário popular, a corrupção é um cracken que suga todo o orçamento da nação, mas a verdade é que o Brasil é um país POBRE. Se pegar toda a riqueza da suécia e dividir igualmente entre todos os habitantes, todos teriam vidas confortáveis. Agora, se fizesse isso no Brasil, todo mundo passaria fome. A corrupção fode a democracia, não as contas públicas. E aí as contas públicas são fodidas em decorrência da democracia ter sido fodida, já que, com isso, vicia-se o sistema eleitoral, perpetuando os mesmos oligarcas no poder - que, por sua vez, governam para atender os interesses daqueles que os financiam às custas dos interesses gerais. Esse, no entanto, por certo não é o caso da questão das ferrovias; não é como se alguém estivesse tirando vantagem pela falta de opções. 

Tem muito mais coisas que necessitam de uma nova abordagem em seu transporte, vou falar o que eu chonheço aqui em SC nas BRs 470 e 282, a quantidade de FRANGO e PORCO que vai para os portos é IMENSA, sem levar em consideração a parte graneleira. Além disso, as exportações de compensados, celulose e madeiras beneficiadas também é muito volumosa. Inclusive tinha um projeto rolando, já há algum tempo, de uma ferrovia para cortar o estado de oeste a leste, chamada de rodovia do frango, puxada por políticos da região.

Quem já viajou pelo interior de SC e do PR, sabe que o fluxo de CARRETAS e Bi-Trens é absurdo, e que só degrada as estradas, causa acidente e encarece os produtos, além de poluir e aumentar significativamente o trânsito.

É óbvio que o investimento para a construção de Ferrovias é alto, além da manutenção, mas mesmo assim, os benefícios compensarão, a longo prazo a sua implementação. Por exemplo, querem duplicar a BR-470, e até já "começaram", o investimento pra isso, fazendo uma estimativa bizarra, deve dar pra pagar 3 ferrovias. Pois haverão trechos onde a rodovia acompanha o curso do rio itajaí, e não faço ideia de como vão fazer pra duplicar nesses pontos.

--

Sobre a greve, a greve é pra beneficiar os patrões e não os caminhoneiros autônomos.

Link para o comentário
Compartilhar em outros sites

É real que o líder do sindicato das transportadoras pediu intervenção militar por causa do preço do diesel?

Link para o comentário
Compartilhar em outros sites

2 hours ago, Léo R. said:

Sobre a greve, a greve é pra beneficiar os patrões e não os caminhoneiros autônomos.

No fim é bem provável que os donos de transportadoras acabem aumentando seus lucros às nossas custas e usando os motoristas como bucha de canhão.

Link para o comentário
Compartilhar em outros sites

2 minutos atrás, xBode disse:

No fim é bem provável que os donos de transportadoras acabem aumentando seus lucros às nossas custas e usando os motoristas como bucha de canhão.

Mas é bem isso, fora que as distribuidoras de combustíveis também só tem a ganhar com isso.

Link para o comentário
Compartilhar em outros sites

Arquivado

Este tópico foi arquivado e está fechado para novas respostas.

×
×
  • Criar Novo...