Ir para conteúdo
  • Cadastre-se
Perissé

Vereadora do Rio de Janeiro é assassinada a tiros no Centro

Recommended Posts

Perissé
Citar

Marielle Franco denunciou abusos de policiais do batalhão que mais mata no Rio

A vereadora do Rio de Janeiro Marielle Franco (PSOL), morta na noite desta quarta-feira (14), fez uma denúncia, no último dia 10, em seu perfil nas redes sociais contra policiais do 41º BPM (Batalhão da Polícia Militar) de Acari no último sábado. Segundo a vereadora, o batalhão estaria "aterrorizando e violentando os moradores de Acari".

>> Marielle Franco, vereadora assassinada no Rio, era relatora de comissão que acompanha a intervenção federal

A vereadora Marielle Franco, do Psol, foi morta esta noite no Estácio, centro do Rio de Janeiro. Dois homens atiraram contra o carro em que ela estava e fugiram. O motorista da vereadora também morreu, mas uma assessora sobreviveu com ferimentos

Bem-vindos ao Rio de Janeiro. A vereadora negra e feminista do PSOL foi morta a nove tiros no Centro, sem dúvidas de que foi a mando de alguém, mesmo não tendo sofrido ameaças recentemente. Deixo as duas maiores hipóteses acima.

Compartilhar este post


Link para o post
Compartilhar em outros sites
Danut

Essa notícia mexeu comigo. Que esperança a gente pode ter nesse país quando tão executando quem tenta fazer qualquer coisa?

No mais, a entrevista do Nem da Rocinha tá aí no tópico do lado. Falando de corrupção no exército, dos políticos e tal. Liguem os pontos.

Compartilhar este post


Link para o post
Compartilhar em outros sites
felipevalle

Foi queima de arquivo.

Mas isso é bem mais comum do que imagina. Já o era desde a formação da cidade, por exemplo.

Agora, será que fazer certo tipo de denúncia em rede social é uma boa ideia? Ademais, será que ela sabia da real dimensão ao fazer isso? Dando um exemplo, não faz sentido um juiz executar penas contra certas classes, ainda mais interligadas do jeito que estão e continuar tentando levar uma vida normal, sem a proteção adequada.

Mas já deu para perceber que ela não tinha, afinal o veículo que estava não possuia a blindagem necessária para suportar o peso de um ataque mediano, e pela notícia nem deixaram o carro em uma emboscada, mas sim foi um ataque surpresa. Agora, sei que pedir para um partidário de uma classe militante ter segurança devida e blindagem suficiente nos transportes que utilizar é inviável, mas então que ela realizasse certas denúncias de forma anônima ou propondo inquéritos em conjunto antes e fizesse um estudo antes para prever as consequências e, moderasse cada notícia antes de publicá-la. Também sei que fazendo isso o raio de alcance diminui em muito, pois as que geralmente são publicadas pela mídia em geral possuem pouco impacto e quase sempre são desmentidas de forma compulsória pelos réus, enquanto não é dada a sentença definitiva.

Compartilhar este post


Link para o post
Compartilhar em outros sites
Perissé
2 minutos atrás, felipevalle disse:

Mas isso é bem mais comum do que imagina. Já o era desde a formação da cidade, por exemplo.

Comum? Quantos políticos foram mortos no Rio nos últimos anos? Só me lembro de assassinatos na baixada, mas na capital nada.

10 minutos atrás, felipevalle disse:

Agora, será que fazer certo tipo de denúncia em rede social é uma boa ideia? Ademais, será que ela sabia da real dimensão ao fazer isso? Dando um exemplo, não faz sentido um juiz executar penas contra certas classes, ainda mais interligadas do jeito que estão e continuar tentando levar uma vida normal, sem a proteção adequada.

Mas já deu para perceber que ela não tinha, afinal o veículo que estava não possuia a blindagem necessária para suportar o peso de um ataque mediano, e pela notícia nem deixaram o carro em uma emboscada, mas sim foi um ataque surpresa. Agora, sei que pedir para um partidário de uma classe militante ter segurança devida e blindagem suficiente nos transportes que utilizar é inviável, mas então que ela realizasse certas denúncias de forma anônima ou propondo inquéritos em conjunto antes e fizesse um estudo antes para prever as consequências e, moderasse cada notícia antes de publicá-la. Também sei que fazendo isso o raio de alcance diminui em muito, pois as que geralmente são publicadas pela mídia em geral possuem pouco impacto e quase sempre são desmentidas de forma compulsória pelos réus, enquanto não é dada a sentença definitiva.

Os políticos do PSOL do Rio fazem essas denúncias toda hora e com razão, são poucos os políticos aqui no Rio que fazem isso, inclusive. O maior problema são as consequências mesmo. Lembro que o Marcelo Freixo chegou a passar alguns meses na Europa por sofrer inúmeras ameaças naquela época de CPI das Milícias, que foi reproduzida num Tropa de Elite.

Mas ela não sofreu UMA ameaça, foi algo sem aviso prévio, o que não tá no script. O "normal" é sempre mandarem inúmeras ameaças quando você joga a merda no ventilador, mas nem isso fizeram. Como ela ia se proteger? Assim, seguiu a vida normalmente, pegando Uber pra voltar dos lugares, como foi o exemplo de ontem, e saindo em eventos públicos.

Compartilhar este post


Link para o post
Compartilhar em outros sites
xBode

O pior é os comentários nas redes sociais, gente tentando justificar ou fazendo piadinha por ela ser de um partido que segundo eles "defende bandido".

Compartilhar este post


Link para o post
Compartilhar em outros sites
felipevalle
9 minutos atrás, Yan Perisse disse:

Comum? Quantos políticos foram mortos no Rio nos últimos anos? Só me lembro de assassinatos na baixada, mas na capital nada.

Referia-me que não é algo anormal de ocorrer. Ocorre retaliações com morte em todos os campos de atividade humana. 

Não especifiquei sobre políticos do Rio mortos via-denúncia.

Mas generalizando, a frequência é pequena porque poucos tem coragem de falar sobre isso de forma aberta. E também um estudo que apontasse quantos já morreram ao fazerem denúncias seria incompleto, pois teriam que levantar dados sobre a causa da morte, e muitos acabam sendo retaliados e falecem no anonimato. 

Agora, não sei se existe uma vinculação da causa mortis com um banco de dados especificando os gêneros de morte. Seria bom, pois já poderíamos ter um parâmetro melhor.

26 minutos atrás, Yan Perisse disse:

Mas ela não sofreu UMA ameaça, foi algo sem aviso prévio, o que não tá no script. O "normal" é sempre mandarem inúmeras ameaças quando você joga a merda no ventilador, mas nem isso fizeram. Como ela ia se proteger? Assim, seguiu a vida normalmente, pegando Uber pra voltar dos lugares, como foi o exemplo de ontem, e saindo em eventos públicos.

Como disse antes, se ela tivesse feito uma análise antes, saberia que ao denunciar algo sobre a polícia, a chance de ser retaliada seria considerável. E não é necessário fazerem ameaças abertamente, pois na forças armadas há o serviço de espionagem, que age de forma silenciosa. Se bem que se fizessem algo mais bem trabalhado demoraria mais até para saberem o que motivou o assassinato. Para exemplo, há um caso famoso que foi o do prefeito de Sto. André morto em emboscada, sendo que foram eliminando todos os envolvidos com a investigação do caso, inclusive o médico legista que cometeu o erro de dar entrevista em um programa de talk show.

No caso da vereadora, a impressão que fica é que foi algum delegado revoltado que não mediu esforço para acabar o quanto antes com as denúncias publicadas e pouco se importou com a reviravolta com que o caso poderia tomar.

Compartilhar este post


Link para o post
Compartilhar em outros sites
Perissé
8 minutos atrás, felipevalle disse:

No caso da vereadora, a impressão que fica é que foi algum delegado revoltado que não mediu esforço para acabar o quanto antes com as denúncias publicadas e pouco se importou com a reviravolta com que o caso poderia tomar.

Então, é disso que eu falo. Não é a escolha mais inteligente matar a quinta vereadora mais votada no Rio de Janeiro e uma das mais críticas, principalmente por ter uma origem vinda do meio. Assim, sempre ameaçam antes, porque só em último caso se deve executar uma pessoa tão pública assim.

Mas agora o resultado é esse: notícia no MUNDO inteiro, assunto mais falado no Brasil e homenagens no parlamento europeu. E pior: o que só quem a acompanhava sabia, agora virou assunto no Brasil inteiro e até no ambiente internacional. Só se fala na PM de Acari e na intervenção federal, as duas maiores hipóteses do assassinato.

Compartilhar este post


Link para o post
Compartilhar em outros sites
Matias_
1 hora atrás, Yan Perisse disse:

Mas ela não sofreu UMA ameaça, foi algo sem aviso prévio, o que não tá no script.

25 minutos atrás, Yan Perisse disse:

Não é a escolha mais inteligente matar a quinta vereadora mais votada no Rio de Janeiro e uma das mais críticas, principalmente por ter uma origem vinda do meio.

Muito estranho isso daí. Como dito num comentário da própria manchete, tá parecendo coisa de amador. Possivelmente um PM que ela já vinha marcando ou coisa assim.

Fato agora é que, daqui até a resolução do caso, muitos vão se aproveitar desse acontecimento lamentável pra cair matando em cima da intervenção no Rio ou se projetar politicamente -  o que pra mim seria tão repugnante quanto as tais piadas por ela ser de esquerda.

Compartilhar este post


Link para o post
Compartilhar em outros sites
Henrique M.
2 horas atrás, felipevalle disse:

Foi queima de arquivo.

Mas isso é bem mais comum do que imagina. Já o era desde a formação da cidade, por exemplo.

Agora, será que fazer certo tipo de denúncia em rede social é uma boa ideia? Ademais, será que ela sabia da real dimensão ao fazer isso? Dando um exemplo, não faz sentido um juiz executar penas contra certas classes, ainda mais interligadas do jeito que estão e continuar tentando levar uma vida normal, sem a proteção adequada.

Mas já deu para perceber que ela não tinha, afinal o veículo que estava não possuia a blindagem necessária para suportar o peso de um ataque mediano, e pela notícia nem deixaram o carro em uma emboscada, mas sim foi um ataque surpresa. Agora, sei que pedir para um partidário de uma classe militante ter segurança devida e blindagem suficiente nos transportes que utilizar é inviável, mas então que ela realizasse certas denúncias de forma anônima ou propondo inquéritos em conjunto antes e fizesse um estudo antes para prever as consequências e, moderasse cada notícia antes de publicá-la. Também sei que fazendo isso o raio de alcance diminui em muito, pois as que geralmente são publicadas pela mídia em geral possuem pouco impacto e quase sempre são desmentidas de forma compulsória pelos réus, enquanto não é dada a sentença definitiva.

Com certeza, cara. Realmente, era assim que ela faria a denúncia dela ter peso e efeito.

Não tem como justificar o que aconteceu, ela não está errada. Errado são os criminosos que executaram ela.

Compartilhar este post


Link para o post
Compartilhar em outros sites
Dan_Cunha

Milícia, certeza. Fizeram ou para queimar arquivo ou para servir de exemplo para outros. Só que acho que não esperavam que ia dar tanta repercussão. Talvez pensaram que por ser vereador não ia ter tanto destaque.

Triste. Vamos ver  o desenrolar com a repercussão que está acontecendo.

Compartilhar este post


Link para o post
Compartilhar em outros sites
ZaMBiA

Deputados da UE pedindo a suspensão das tratativas com o Mercosul depois desse caso.

Caras, dá um desânimo ENORME voltar ao Brasil vendo uma coisa dessas.

Supondo que tenha realmente sido uma execução, e supondo que seja a mando de quem nós achamos que foi: matar alguém por expor suas opiniões, ainda mais se tratando de uma representante popular democraticamente eleita é algo absolutamente impensável em um Estado de Direito.

Já vi gente falando que morre gente todo dia, já outros bostejando que ela foi morta por quem ela defende, ou que era para chamar direitos humanos agora e o caralho (aliás, se você não quer se deprimir com a raça humana, fique longe de comentários de notícias no Facebook de portais como o G1).

Essa morte tem um significado simbólico MUITO grande, assim como foi a da Dorothy Stang anos atrás.

Temo muito pelo que o RJ tá se tornando, e que isso sirva de (péssimo) exemplo para todo o resto do Brasil.

Compartilhar este post


Link para o post
Compartilhar em outros sites
ZaMBiA
7 horas atrás, felipevalle disse:

Foi queima de arquivo.

Mas isso é bem mais comum do que imagina. Já o era desde a formação da cidade, por exemplo.

Agora, será que fazer certo tipo de denúncia em rede social é uma boa ideia? Ademais, será que ela sabia da real dimensão ao fazer isso? Dando um exemplo, não faz sentido um juiz executar penas contra certas classes, ainda mais interligadas do jeito que estão e continuar tentando levar uma vida normal, sem a proteção adequada.

Mas já deu para perceber que ela não tinha, afinal o veículo que estava não possuia a blindagem necessária para suportar o peso de um ataque mediano, e pela notícia nem deixaram o carro em uma emboscada, mas sim foi um ataque surpresa. Agora, sei que pedir para um partidário de uma classe militante ter segurança devida e blindagem suficiente nos transportes que utilizar é inviável, mas então que ela realizasse certas denúncias de forma anônima ou propondo inquéritos em conjunto antes e fizesse um estudo antes para prever as consequências e, moderasse cada notícia antes de publicá-la. Também sei que fazendo isso o raio de alcance diminui em muito, pois as que geralmente são publicadas pela mídia em geral possuem pouco impacto e quase sempre são desmentidas de forma compulsória pelos réus, enquanto não é dada a sentença definitiva.

Cara, na condição de representante do povo que carrega as bandeiras das minorias e dos desfavorecidos, não só podia como devia ter levantado quantas vezes achasse necessário a atenção para os abusos de poder e truculência que aconteciam e acontecem reiteradamente na, literalmente, porta da sua casa.

Compartilhar este post


Link para o post
Compartilhar em outros sites
Léo R.

E há quem comemore/ache normal isso, cara a gente tá entrando numa onda de retrocesso imensa, eu nem sei mais o que pode ser feito. Eu mesmo quero ir embora do país, na boa.

Compartilhar este post


Link para o post
Compartilhar em outros sites
felipevalle
1 hora atrás, ZaMBiA disse:

Cara, na condição de representante do povo que carrega as bandeiras das minorias e dos desfavorecidos, não só podia como devia ter levantado quantas vezes achasse necessário a atenção para os abusos de poder e truculência que aconteciam e acontecem reiteradamente na, literalmente, porta da sua casa.

Sim. Mas planejando, senão se fica exposto demais. Só temos uma vida no final das contas, isso sem contar em colocar risco os familares nossos.

Eu, por exemplo, tenho um conhecido que fez curso comigo e ele cuida da associação comunitária de uma cidade vizinha daqui da capital.

Para se ter uma ideia ele fez curso de pvc para poder aplicar por lá, pois percebeu que a prefeitura pouco se importava com a comunidade. Geralmente a prefeitura de cidades pequenas só preocupa-se com o centro, pois ali é que os alugueis são maiores, enfim o centro comercial da cidade.

Além disso tinha que preocupar-se com outros tantos fatores, tais como repasse de leite para as crianças e tornar ativo o centro cultural e de lazer, tudo à partir do zero e tendo que se virar para angariar recursos e um local apropriado.

O que se deduz disso é que ele viu que se não se reunissem estariam a mercê da própria sorte. Daí pergunto, o que lhe aconteceria se ao invés de fazer isso fosse denunciar toda a quantidade de erros de uma administração pública lenta e corrupta? Talvez tivesse o mesmo fim da moça, pois está convivendo com o problema diariamente e nesse tipo de caso é difícil ficar calado e submisso a uma situação de descaso e maldade.

Só que como disse no post anterior, há certas denúncias que para serem feitas é preciso ter uma segurança especial, além de planejamento e colaboração para virarem pauta, e mesmo assim não é nada garantido.

Editado por felipevalle

Compartilhar este post


Link para o post
Compartilhar em outros sites
MitoMitológico

80% de certeza de que foi alguns Policiais Corruptos ou alguém a mando deles. Foi uma queima de arquivo. 

A morte dela foi muito triste. Não só a dela, mas a do cara morto em frente ao restaurante, o pai de família morto na frente do filho durante um assalto...

1 hora atrás, ZaMBiA disse:

Caras, dá um desânimo ENORME voltar ao Brasil vendo uma coisa dessas.

Supondo que tenha realmente sido uma execução, e supondo que seja a mando de quem nós achamos que foi: matar alguém por expor suas opiniões, ainda mais se tratando de uma representante popular democraticamente eleita é algo absolutamente impensável em um Estado de Direito.

Já vi gente falando que morre gente todo dia, já outros bostejando que ela foi morta por quem ela defende, ou que era para chamar direitos humanos agora e o caralho (aliás, se você não quer se deprimir com a raça humana, fique longe de comentários de notícias no Facebook de portais como o G1).

Verdade, você disse tudo, muito comentário merda por lá, no site do mesmo G1 tem muita gente bostejando também.

Compartilhar este post


Link para o post
Compartilhar em outros sites
RYUxd

Ela morreu por fazer o trabalho dela, o que torna a situação muito mais triste. E, além de toda essa situação, o cara ainda lê comentários apoiando a morte (nunca pensei que escreveria algo desse tipo, pqp...) por ela ser do PSOL, pela atuação dela nas comunidades do RJ.

É triste demais ver que o brasileiro acha que lutar por direitos humanos é lutar pelo crime, pela impunidade. A sociedade inverteu os valores completamente.

Compartilhar este post


Link para o post
Compartilhar em outros sites
Léo R.

Mas tem que ser muito cego, ou burro, pra não enxergar que foi uma queima de arquivo.

Compartilhar este post


Link para o post
Compartilhar em outros sites
ZaMBiA

Eu não classificaria como queima de arquivo, porque a gente não sabe se ela era propriamente um "arquivo" - ou seja, se ela tinha conhecimento de algum fato específico que pudesse vir a incriminar alguém.

Eu considero mais como um ato para silenciar alguém com penetração social e digital que estava incomodando e denunciando abusos de uma instituição, independente de identificar sujeitos.

Compartilhar este post


Link para o post
Compartilhar em outros sites
Dinheiro Tardelli
41 minutos atrás, ZaMBiA disse:

Eu não classificaria como queima de arquivo, porque a gente não sabe se ela era propriamente um "arquivo" - ou seja, se ela tinha conhecimento de algum fato específico que pudesse vir a incriminar alguém.

Eu considero mais como um ato para silenciar alguém com penetração social e digital que estava incomodando e denunciando abusos de uma instituição, independente de identificar sujeitos.

Também enxergo assim. E vou além: o nome disso nao é assassinato. É terrorismo.

-

Mais um triste capítulo da história do nosso país. E anotem: ainda estamos longe do fundo do poço. O Brasil, infelizmente, definitivamente nao vai melhorar. Nos vamos descer ladeira aos poucos, e em 10 anos virá o colapso.

O crime organizado já penetrou a política ha muito tempo, mas agora, de tao forte, está tentando tomar o Estado. Oq nos estamos assistindo é isso: a queda de braço entre a elite economia/social, que há 500 anos é dona do Brasil, e a elite do crime organizado (o crime DE VERDADE). 

A partir das proximas eleiçoes, com as regras de financiamento eleitoral que aprovaram ano passado, eu afirmo que a penetração da segunda elite vai ser ainda mais pesada. Eu realmente nao tenho ideia do que vai acontecer (guerra? ditadura? desastre econômico?), mas é GARANTIDO que iremos além de ser apenas “o país em q o 1% suga 99% da populaçao”.

Hoje, o maior conselho que um brasileiro pode receber é: aprenda a falar espanhol. O uruguay e o chile são logo ali.

Compartilhar este post


Link para o post
Compartilhar em outros sites
Léo R.
4 horas atrás, ZaMBiA disse:

Eu não classificaria como queima de arquivo, porque a gente não sabe se ela era propriamente um "arquivo" - ou seja, se ela tinha conhecimento de algum fato específico que pudesse vir a incriminar alguém.

Eu considero mais como um ato para silenciar alguém com penetração social e digital que estava incomodando e denunciando abusos de uma instituição, independente de identificar sujeitos.

Você tem razão, acho que a sua especificação está mais correta.

É mais do que simplesmente queima de arquivo, é um negócio tipo: "aí seus fdp, isso que vai rolar se vocês quiserem se meter com a gente".

Compartilhar este post


Link para o post
Compartilhar em outros sites
Perissé
7 horas atrás, ZaMBiA disse:

Eu considero mais como um ato para silenciar alguém com penetração social e digital que estava incomodando e denunciando abusos de uma instituição, independente de identificar sujeitos.

O que acaba sendo uma baita decisão burra. "Silenciar" alguém com penetração social e digital só vai trazer ainda mais mídia, nesse caso aumentou absurdamente a quantidade de notícias em cima do Batalhão de Acari como possível mandante do assassinato.

Compartilhar este post


Link para o post
Compartilhar em outros sites
Marco.Oliveira

O foda ta sendo ver o povo já sentenciando a POLÍCIA ou o EXÉRCITO como culpados pela execução. Tá na cara que isso foi coisa de MILÍCIA, e milícia é bandido também.

A ultima proposta dessa execução era silenciar, mas sim avisar pra quem quiser continuar nessa pegada que ela estava, que o final é esse.

Tá foda viver no Brasil, tá foda acreditar em qualquer coisa...

O problema é que parece que só descobriram o que é queima de arquivo agora, ou só perceberam o quanto a coisa é violenta agora. No mesmo dia e em questão de horas, um cara também foi executado no Rio a alguns km do local da execução da vereadora, e no máximo fizeram uma notinha. Dias antes, uma jovem foi morta com 2 tiros na cabeça em uma tentativa de assalto (também no Rio) e se não fosse a família publicar no face, também não seria nada.

Me constrange ver que o que você é define se vão se importar ou não com a sua vida. Meio mundo exigindo investigação independente, agilidade de investigação, isso e aquilo para o esclarecimento da execução da vereadora, mas e os outros casos, também não merecem empenho?

Como eu disse ontem conversando com uns amigos, violência é um recurso do ser humano, e ela não liga pra quem você é, de onde você vem, sua cor, gênero, fé, nada. Ela só depende que exista a oportunidade certa de ligar uma ou mais vítimas a um ou mais elementos violentos e pouco interessados em desenvolver qualquer nível de diálogo.

Não foi por que ela era mulher, negra, lgbt, de esquerda e da comunidade, foi por que ela estava incomodando alguém com poder e com meios de fazer ela se calar. Mesmo que ela fosse homem, branco, hétero, conservador e de classe média, ia morrer se estivesse na mesma pegada que ela.

Mas a denuncia tem que continuar a existir, a luta deve continuar, a COMUNIDADE tem que ser uma coisa só. Não pode depender de um mártir e é isso que as pessoas não compreendem. Ficam esperando um líder que vai ser a voz do povo. O POVO É A PRÓPRIA VOZ. Hoje qualquer celular filma, tira foto, manda mensagem, entra no twitter, no facebook. Hoje um monte de gente aprende rapidinho a usar VPN pra burlar o Netflix, o bloqueio do "zap zap", então aprende a usar também pra criar uma conta fake no twitter e publicar tudo que for possível sobre os horrores que se vive, mas todos, não só os que são convenientes. Bota a cara dos traficantes, dos foragidos que estão escondidos, dos milicianos, do abuso policial, do zé droguinha que vai na biqueira, tudo! Depois que cai na internet, não tem mais volta, não tem mais silêncio.

Pra mim, a Marielle morreu por ter que emprestar a si mesmo a um povo covarde que não fala por si próprio.

Compartilhar este post


Link para o post
Compartilhar em outros sites
Tehh
26 minutos atrás, Marco.Oliveira disse:

O foda ta sendo ver o povo já sentenciando a POLÍCIA ou o EXÉRCITO como culpados pela execução. Tá na cara que isso foi coisa de MILÍCIA, e milícia é bandido também.

Me constrange ver que o que você é define se vão se importar ou não com a sua vida. Meio mundo exigindo investigação independente, agilidade de investigação, isso e aquilo para o esclarecimento da execução da vereadora, mas e os outros casos, também não merecem empenho?

Não foi por que ela era mulher, negra, lgbt, de esquerda e da comunidade, foi por que ela estava incomodando alguém com poder e com meios de fazer ela se calar. Mesmo que ela fosse homem, branco, hétero, conservador e de classe média, ia morrer se estivesse na mesma pegada que ela.

É impressionante o poder das Fake News - obrigado, presidento Trump por esse termo tão foda. Mal aconteceu o crime e o que vi muitas páginas e pessoas propagarem era que a Marielle estava em uma comissão que acompanhava a intervenção militar no RJ - como se o cu tivesse a ver com as calças.

Acho que tá bem claro que foi um crime encomendado por uma milícia ou mesmo pelos PMs corruptos de Acari. Mas aproveitaram de "oportunidade" para falar de volta da ditadura militar. Como assim, porra?

E juro, todas as reportagens que assisti desse crime até então só citavam o Anderson Gomes como "motorista", QUANDO lembravam dele. Tudo bem a morte da vereadora ter muito mais mídia por todo o contexto, mas dá até nojo quando mal lembram do cara, que tinha acabado de ser pai e, diz sua mulher, estava pegando bico de Uber para sustentar a família.

Hoje em dia, parece que o importante é lacrar. Há de se dizer que ela era mulher, mãe, negra, lésbica, feminista e de esquerda, como se o crime fosse minimamente motivado por esses fatores. Tá morrendo gente de todo tipo todos os dias, ainda mais no RJ onde parece que os bandidos matam por qualquer coisa, mas o enfoque tá sendo político, quando a política é o que menos resolve o problema da segurança.

Compartilhar este post


Link para o post
Compartilhar em outros sites
Dan_Cunha

Acho que pensaram que não teria a repercussão que teve, talvez por ser vereadora.

Milícia, nestes casos, só atua por duas situações: ou você sabe demais ou fala demais. Acho que o caso da vereadora se enquadra melhor na segunda hipótese.

O fato é: vão arrumar uns laranjas para assumir o crime e deve ficar por isso mesmo, infelizmente.

Para a Milícia cair tem que cair muuuuito graúdo antes.

Compartilhar este post


Link para o post
Compartilhar em outros sites
ZaMBiA
14 horas atrás, Bernardo13 disse:

Também enxergo assim. E vou além: o nome disso nao é assassinato. É terrorismo.

-

Mais um triste capítulo da história do nosso país. E anotem: ainda estamos longe do fundo do poço. O Brasil, infelizmente, definitivamente nao vai melhorar. Nos vamos descer ladeira aos poucos, e em 10 anos virá o colapso.

O crime organizado já penetrou a política ha muito tempo, mas agora, de tao forte, está tentando tomar o Estado. Oq nos estamos assistindo é isso: a queda de braço entre a elite economia/social, que há 500 anos é dona do Brasil, e a elite do crime organizado (o crime DE VERDADE). 

A partir das proximas eleiçoes, com as regras de financiamento eleitoral que aprovaram ano passado, eu afirmo que a penetração da segunda elite vai ser ainda mais pesada. Eu realmente nao tenho ideia do que vai acontecer (guerra? ditadura? desastre econômico?), mas é GARANTIDO que iremos além de ser apenas “o país em q o 1% suga 99% da populaçao”.

Hoje, o maior conselho que um brasileiro pode receber é: aprenda a falar espanhol. O uruguay e o chile são logo ali.

Cara, juridicamente falando, na minha opinião, e caso tenha sido ato de milícia, isso se enquadra em um homicídio qualificado para assegurar a a ocultação/impunidade de outro crime, ou por motivo fútil (art. 121, §2º, II e V do Código Penal) em concurso com o crime de integrar organização criminosa (art. 2º da Lei 12.850/2013).

Não enquadraria como terrorismo primeiro porque o requisito básico desse crime é a reiteração de atos e a aleatoriedade da vítima. Nesse caso, foi um ato isolado (ao que se sabe), e com vítima determinada (muito bem determinada, diga-se de passagem).

Nem os meios usados foram "terroristas", já que é uma execução dirigida ao alvo concreto. Não é como se tivessem colocado uma bomba em um lugar público onde a vítima pudesse se encontrar.

1 hora atrás, Marco.Oliveira disse:

O foda ta sendo ver o povo já sentenciando a POLÍCIA ou o EXÉRCITO como culpados pela execução. Tá na cara que isso foi coisa de MILÍCIA, e milícia é bandido também.

Entendo o teu ponto, só que tens que lembrar que as milícias são grupos paramilitares compostos por agentes com poder de polícia. Ou seja, o cara é da milícia E TAMBÉM da PM/Exército, sendo que é justamente as particularidades da sua profissão, como a farda, o uso e acesso de armamentos e informações, que aumenta a influência e o poder da milícia. É o uso das ferramentas do ofício de proteção na finalidade de coação e extorsão.

Compartilhar este post


Link para o post
Compartilhar em outros sites

Crie uma conta ou entre para comentar

Você precisar ser um membro para fazer um comentário

Criar uma conta

Crie uma nova conta em nossa comunidade. É fácil!

Crie uma nova conta

Entrar

Já tem uma conta? Faça o login.

Entrar Agora

×