Jump to content
Vannces

Steve Park - da Escócia para a eternidade... - Aguardando avaliação

Recommended Posts

2sakakibara

Um clube de maior porte vem com maior pressão e visibilidade.
Steve Park vai poder agora por seu talento como estrategista à prova, devido a melhor qualidade do elenco.

Boa sorte no próximo desafio.

Share this post


Link to post
Share on other sites
LC

Tem como colocar a screen do seu perfil com Licença Nacional A e outra screen atualizada com seu perfil com Licença Continental C?

Share this post


Link to post
Share on other sites
Vannces
22 horas atrás, 2sakakibara disse:

Um clube de maior porte vem com maior pressão e visibilidade.
Steve Park vai poder agora por seu talento como estrategista à prova, devido a melhor qualidade do elenco.

Boa sorte no próximo desafio.

Sem dúvida que a qualidade do elenco melhora nessa divisão, embora os adversários também mostram mais potencial. O desafio está sempre presente. Obrigado por comentar.

Share this post


Link to post
Share on other sites
Vannces
5 horas atrás, LC disse:

Tem como colocar a screen do seu perfil com Licença Nacional A e outra screen atualizada com seu perfil com Licença Continental C?

Tem sim, LC. O perfil de início de temporada eu postei no primeiro capítulo. É exatamente esse aqui.

k9ux8EO.jpg

O perfil com Licença C Continental é esse abaixo.

Y4GbD01.jpg

Share this post


Link to post
Share on other sites
LC

Entre o perfil inicial teve uma pouca evolução e espero que consiga continuar evoluindo no Oldham.

Share this post


Link to post
Share on other sites
Vannces
11 minutos atrás, LC disse:

Entre o perfil inicial teve uma pouca evolução e espero que consiga continuar evoluindo no Oldham.

Realmente, LC. Em três anos mais ou menos, a evolução do treinador não chegou a ser um diferencial e a busca para evolução terá que ser contínua mesmo, pois o sonho de Steve ainda está longe de se concretizar. Obrigado por comentar.

Share this post


Link to post
Share on other sites
thyagocda

Mt show os jornais e as montagens com a foto do treinador kkkkkk #acompanhando

Share this post


Link to post
Share on other sites
Vannces
13 minutos atrás, thyagocda disse:

Mt show os jornais e as montagens com a foto do treinador kkkkkk #acompanhando

Obrigado por acompanhar, Thiago. As montagens suprem a falta de prints que eu deixava de fazer no início do save.

Share this post


Link to post
Share on other sites
Henrique M.
Em 15/03/2018 at 18:59, Vannces disse:

E, 

É, Henrique, se me pedir uma justificativa para esse convite do Oldham (da terceira divisão inglesa), eu não saberia dizer. O que imagino, e disse nas respostas acima, é que com uma ótima campanha com o Brackley (livrando o time do descenso na temporada anterior e com chances de buscar o título no primeiro semestre da temporada seguinte) mais o complemento do curso de Licença Continental C, o status do treinador parece ter ficado mais em evidência, pelo menos é o que pode servir como justificativa. De qualquer forma se esse é um pulo inédito para o conhecimento de todos, imagina para mim que não jogo há tanto tempo como a maioria.

A reputação do treinador no início do save era Licença Nacional A.

Isso aí não é reputação, é licença. Reputação é a outra opção que tem do lado: Amador, semi-profissional, etc.

As licenças servem mais para aumentar seus atributos do que para arrumar clubes, nesse caso, quem manda é a reputação.

Como você postou ali em cima na imagem, começando com reputação amadora, não faz muito sentido esse salto mesmo não.

Share this post


Link to post
Share on other sites
Vannces
8 horas atrás, Henrique M. disse:

Isso aí não é reputação, é licença. Reputação é a outra opção que tem do lado: Amador, semi-profissional, etc.

As licenças servem mais para aumentar seus atributos do que para arrumar clubes, nesse caso, quem manda é a reputação.

Como você postou ali em cima na imagem, começando com reputação amadora, não faz muito sentido esse salto mesmo não.

Isso tá gerando uma polêmica que me fez ficar curioso em tentar entender tanto quanto você. O Oldham é um time da terceira divisão inglesa, ele estaria (na "visão" do jogo) no nível dos times da terceira divisão brasileira? Esse treinador com o currículo e reputação que tem agora, receberia um convite de uma equipe da Série C brasileira? Se recebesse, será que poderia ser meio absurdo também?

Uma coisa que eu estava fazendo durante a passagem pelo Brackley (mas não contei na postagem, talvez seja um erro de postagem por falta de experiência), era negar alguns convites de clubes da mesma divisão e da 5º divisão.

No jogo quando muda de um dia para o outro, aparece aquelas frases de dicas para o jogador e em uma delas, eu lembro, fala que negar convites de outros clubes, costuma melhorar a reputação do treinador, pelo menos com a diretoria do clube que está treinado. Vou tentar ver se tem mais algum print ou informação que possa ajudar nessa subida do treinador. O problema é que salvei poucas coisas dos três primeiros clubes.

Tô com ideia de começar um novo save, em paralelo a esse, para ver se consigo pôr em prática uma carreira que possa cair numa mudança desse tipo ou pelo menos próxima a isso Obrigado por trazer e dividir conosco seus questionamentos! Me ajudar a entender melhor o jogo e as minhas postagens.

Share this post


Link to post
Share on other sites
Henrique M.
11 horas atrás, Vannces disse:

Isso tá gerando uma polêmica que me fez ficar curioso em tentar entender tanto quanto você. O Oldham é um time da terceira divisão inglesa, ele estaria (na "visão" do jogo) no nível dos times da terceira divisão brasileira? Esse treinador com o currículo e reputação que tem agora, receberia um convite de uma equipe da Série C brasileira? Se recebesse, será que poderia ser meio absurdo também?

Uma coisa que eu estava fazendo durante a passagem pelo Brackley (mas não contei na postagem, talvez seja um erro de postagem por falta de experiência), era negar alguns convites de clubes da mesma divisão e da 5º divisão.

No jogo quando muda de um dia para o outro, aparece aquelas frases de dicas para o jogador e em uma delas, eu lembro, fala que negar convites de outros clubes, costuma melhorar a reputação do treinador, pelo menos com a diretoria do clube que está treinado. Vou tentar ver se tem mais algum print ou informação que possa ajudar nessa subida do treinador. O problema é que salvei poucas coisas dos três primeiros clubes.

Tô com ideia de começar um novo save, em paralelo a esse, para ver se consigo pôr em prática uma carreira que possa cair numa mudança desse tipo ou pelo menos próxima a isso Obrigado por trazer e dividir conosco seus questionamentos! Me ajudar a entender melhor o jogo e as minhas postagens.

Não tem como comparar reputações de países diferentes no FM. A única coisa que dá para comparar é se o treinador tem reputação compatível com o clube. Se não me engano, a sua deve ser a pior ou a última pior, por mais que o Oldham tenha acabado de subir da 4ª para a 3º, existe uma grande diferença de reputação nisso.

Recusar propostas não aumenta sua reputação para outros clubes, aumenta o seu relacionamento com a sua diretoria e clube somente, não interfere em nada na carreira do treinador.

Share this post


Link to post
Share on other sites
Herr Jones

A reputação é dividida entre "home" e "world", também tendo a "current" (que se refere ao local onde se está jogando). No caso, normalmente a reputação local é sempre maior do que o reconhecimento mundial (ainda mais quando se começa como futebolista amador e com uma licença que permita a capacitação do treinador. A transição entre empregos é comum quando a reputação local do treinador seja maior ou igual à reputação corrente do clube que ele tem interesse de trabalhar; no caso, a reputação corrente do clube (e do próprio treinador) sofre modificações de acordo com os resultados alcançados e a própria sequência. Quando o clube é constantemente favorito para um confronto e segue em uma má fase, não alcançando os resultados esperados, a reputação pode decair ou permanecer intacta. O mesmo acontece com o treinador.

No caso, se avaliarmos a trajetória no Matlock (que era favorito ao descenso) e o treinador seguiu perdendo, mas sem muitas goleadas claras, a reputação permanece praticamente intacta - ou com poucos decréscimos; quando ele foi para o Brackley, que estava em má fase beirando o rebaixamento, e alcançou o 8º lugar na tabela - sendo constantemente o menos favorito nos confrontos - estabelece um aumento tanto na reputação do clube quanto do próprio treinador. Levando isso em consideração, existe a probabilidade do Oldham aceitar um treinador que venha muito de baixo por conta de: 1) o crescimento da reputação como treinador e 2) a má fase do clube, que impacta negativamente na reputação corrente. Essas duas variáveis, quando combinadas, podem parear a reputação do treinador com a reputação corrente do clube e, assim, facilitar o alcance da vaga no time.

Share this post


Link to post
Share on other sites
Vannces
32 minutos atrás, Herr Jones disse:

A reputação é dividida entre "home" e "world", também tendo a "current" (que se refere ao local onde se está jogando). No caso, normalmente a reputação local é sempre maior do que o reconhecimento mundial (ainda mais quando se começa como futebolista amador e com uma licença que permita a capacitação do treinador. A transição entre empregos é comum quando a reputação local do treinador seja maior ou igual à reputação corrente do clube que ele tem interesse de trabalhar; no caso, a reputação corrente do clube (e do próprio treinador) sofre modificações de acordo com os resultados alcançados e a própria sequência. Quando o clube é constantemente favorito para um confronto e segue em uma má fase, não alcançando os resultados esperados, a reputação pode decair ou permanecer intacta. O mesmo acontece com o treinador.

No caso, se avaliarmos a trajetória no Matlock (que era favorito ao descenso) e o treinador seguiu perdendo, mas sem muitas goleadas claras, a reputação permanece praticamente intacta - ou com poucos decréscimos; quando ele foi para o Brackley, que estava em má fase beirando o rebaixamento, e alcançou o 8º lugar na tabela - sendo constantemente o menos favorito nos confrontos - estabelece um aumento tanto na reputação do clube quanto do próprio treinador. Levando isso em consideração, existe a probabilidade do Oldham aceitar um treinador que venha muito de baixo por conta de: 1) o crescimento da reputação como treinador e 2) a má fase do clube, que impacta negativamente na reputação corrente. Essas duas variáveis, quando combinadas, podem parear a reputação do treinador com a reputação corrente do clube e, assim, facilitar o alcance da vaga no time.

Jones, sua análise parece trazer uma visão possível do ocorrido. Na última passagem pelo Brackley, quando o treinador saiu, o time estava em 3º na colocação da competição com 48 pontos, a apenas 2 pontos do vice líder Boston United como dito na postagem, em um time que estava, na temporada anterior, fadado ao descenso.

Difícil mesmo entender o ocorrido, mas como você disse também, o Oldham não estava com a moral que o credenciasse a convidar treinadores com alto gabarito. De qualquer forma, nunca imaginei que uma situação dessa fosse causar tamanha polêmica. Estou muito curioso em entender o que pode realmente ter levado a essa mudança. Obrigado por comentar.

43 minutos atrás, Henrique M. disse:

Não tem como comparar reputações de países diferentes no FM. A única coisa que dá para comparar é se o treinador tem reputação compatível com o clube. Se não me engano, a sua deve ser a pior ou a última pior, por mais que o Oldham tenha acabado de subir da 4ª para a 3º, existe uma grande diferença de reputação nisso.

Recusar propostas não aumenta sua reputação para outros clubes, aumenta o seu relacionamento com a sua diretoria e clube somente, não interfere em nada na carreira do treinador.

Henrique, posso usar suas dúvidas como pergunta do repórter à Steve Park?

Share this post


Link to post
Share on other sites
Henrique M.
4 minutos atrás, Vannces disse:

Jones, sua análise parece trazer uma visão possível do ocorrido. Na última passagem pelo Brackley, quando o treinador saiu, o time estava em 3º na colocação da competição com 48 pontos, a apenas 2 pontos do vice líder Boston United como dito na postagem, em um time que estava, na temporada anterior, fadado ao descenso.

Difícil mesmo entender o ocorrido, mas como você disse também, o Oldham não estava com a moral que o credenciasse a convidar treinadores com alto gabarito. De qualquer forma, nunca imaginei que uma situação dessa fosse causar tamanha polêmica. Estou muito curioso em entender o que pode realmente ter levado a essa mudança. Obrigado por comentar.

Henrique, posso usar suas dúvidas como pergunta do repórter à Steve Park?

Fique à vontade.

Share this post


Link to post
Share on other sites
Vannces

Ad0oA0T.png

EM UMA DATA NO FUTURO:

Nff2vsR.png

 

DOIS ANOS ANTES:

Jhonny Kodansk: Steve, quando anunciamos que faríamos uma revista especial com você, nosso site recebeu muitas perguntas de torcedores das quais lhe repassaremos algumas ao longo de nossa conversa.

O Henrique do Brasil queria saber como foi a sua transição de um clube da sexta divisão para outro da terceira. Você já tinha uma reputação para subir tanto assim na carreira?

Steve Park: Olha, não vejo dessa forma, Jhonny. Reputação boa ou não, o que posso dizer é que minha capacidade como treinador melhorava em relação ao início de carreira, pouco, eu sei, mas melhorava.

Sei também que os últimos seis meses no Brackley foram de sucesso, tanto no comando do elenco quanto na montagem do Staff, estávamos com grandes chances de subir um time que no momento de minha chegada, lutava dentro da zona de rebaixamento.  

O Oldham, embora fosse um time da terceira divisão, lutava desesperadamente para não cair naquele momento, ou seja, não sei se apostar nos meus serviços após uma avaliação dessa seria muito absurdo.

De qualquer forma, acho que para o nosso amigo brasileiro Henrique, essa pergunta, só os deuses do futebol poderão responder.

Mas não pense que essa aposta do Oldham foi fácil para mim, não foi.

 Jhonny Kodansk: Então nos conte sobre essa nova casa.

6BDE1Ww.png

MGUKKtY.png

Arena/Estádio: Boundary Park

Campeonato: Sky Bet League 1

Localização: Oldham, Grande Manchester - Inglaterra.

Fundação: 1885

Capacidade: 10.638

O Oldham tem uma torcida apaixonada e que cobra muito. Era uma equipe com mais estrutura, bom centro de treinamento, mas precisava melhorar o Staff e as acomodações das categorias de base.

ACLB6I6.jpg

O time estava a um passo da zona de rebaixamento, meu trabalho, naquele semestre seria evitar que caísse, nada mais.

 Jhonny Kodansk: Como era o time?

Steve Park: Mediano para bom, mas limitado em quantidade de peças para as posições. O time precisava melhorar em algumas posições quando se tratava de reservas.

Nas temporadas seguintes eu passei a guardar mais detalhes dos jogadores que eu treinei e contratei e por isso mostrarei no futuro.

 Jhonny Kodansk: Como foi o primeiro jogo?

ZJ723xZ.jpg

Steve Park: Olha, eu comecei no Oldham com uma derrota contra o Bury pela CheckatradeTrophy Norte - 3ª Eliminatória e aí, amigo, a pressão começou.

A mídia já lembrava sobre essa reputação que o Henrique citou na pergunta.

 No jogo seguinte pela Sky Bet League 1 o time se comportou bem com uma vitória importantíssima por 2 a 0 contra o Plymouth, mas a pressão dos torcedores já procurava mexer no meu passado doloroso pelo Truro.

vSfgiBj.jpg

Ou seja, eu já entrava no clube sob muita pressão. Das 8 derrotas anteriores, uma já era sob meu comando logo no primeiro jogo. O time lá em baixo não podia perder mais.

wQzBz5v.jpg

Jhonny Kodansk: E foi fácil?

Steve Park: Nenhum um pouco. Mas o diferencial é que eu estava consciente de tudo isso e animado a reverter a situação, ainda que levasse algum tempo.

 Jhonny Kodansk: E a campanha?

Steve Park: Depois da derrota no primeiro jogo, com esquema tático sugerido por um integrante do Staff num 4-2-3-1 sem pontas, eu resolvi mudar e usar um esquema 4-3-2-1, esses 3 juntos no meio, os 2 pelo extremo do campo, entendendo ser melhor para encaixar as peças existentes. Conseguimos 4 vitórias seguidas levando apenas um gol.

iYfJhFk.jpg

Aí vieram 2 contusões dos meias jovens Tristan Nydam e Willem Tomlinson no final do jogo contra Charlton.

5HoIAGh.jpg

Nos jogos seguintes os reservas imediatos M. Bostwick e J. Reeves não ajudavam muito dentro desse esquema tático. M. Bostwick era bom marcador, aguerrido, mas pela idade, era lento como tartaruga.

S78kUWl.jpg

O esquema tático e as instruções eram esses. É claro que eu mexia alguns detalhes durantes as partidas, dependendo do adversário eu saia da covardia do contra-ataque e partia para cima, mas infelizmente, o que funcionou no início, acabou em 6 derrotas que nos fizeram visitar a zona da degola.

Contra o Barnsley então foi uma sacola de gols, não por acaso aquele foi o time vencedor da competição.

lM3ursh.jpg

Após a volta desses importantes jogadores, um mês e pouco depois, a equipe não rendeu mais o que estava rendendo anteriormente. Os desempenhos ruins e medianos foram a tona do final da temporada, mas o que fizemos dentro de campo, acabou sendo suficiente para nos mantermos na Sky Bet League 1.

wT6oziS.jpg

Nessa seqüência, não jogamos mais nos contra-ataques, foram 2 vitórias, 2 derrotas e 6 empates que nos fizeram respirar aliviados ao ponto de podermos pensar com calma no planejamento para a próxima temporada.

2VeTjFN.jpg

Jhonny Kodansk: Isso te desanimou, Steve? Pensou em abandonar o barco?

Steve Park: De forma alguma. Quando cheguei, o time estava perto da zona de rebaixamento, ao terminar a temporada, estávamos exatamente na mesma posição, mas com o sentimento de dever cumprido.

Eu queria ir longe com esse clube, foi uma grande chance que caiu no meu colo, não podia desperdiçar.

EephyOC.jpg

zgb2Sf2.jpg

Jhonny Kodansk: Steve, há algo mais dessa temporada que precise comentar?

Steve Park: Bem, há alguns acontecimentos importantes que fizeram parte do Oldham na virada dessa temporada para outra, e algumas contratações que fiz e que serviram para qualificar o elenco que quero te mostrar.

 Jhonny Kodansk: Certo, mas deixemos essas novas histórias para amanhã.

Steve Park: É, podemos descansar um pouco.

Falamos do início difícil no Truro, passagem pelo Matlock, Brackley e agora,

Mx53MPz.jpg

com o oldham, há mais coisas a serem mostradas e com isso vamos poder dividir e detalhar mais essas histórias...

 

oESAP7O.png

Edited by Vannces
A imagem dos jogadores estavam com problemas no site Ingur

Share this post


Link to post
Share on other sites
thyagocda
14 horas atrás, Herr Jones disse:

A reputação é dividida entre "home" e "world", também tendo a "current" (que se refere ao local onde se está jogando). No caso, normalmente a reputação local é sempre maior do que o reconhecimento mundial (ainda mais quando se começa como futebolista amador e com uma licença que permita a capacitação do treinador. A transição entre empregos é comum quando a reputação local do treinador seja maior ou igual à reputação corrente do clube que ele tem interesse de trabalhar; no caso, a reputação corrente do clube (e do próprio treinador) sofre modificações de acordo com os resultados alcançados e a própria sequência. Quando o clube é constantemente favorito para um confronto e segue em uma má fase, não alcançando os resultados esperados, a reputação pode decair ou permanecer intacta. O mesmo acontece com o treinador.

No caso, se avaliarmos a trajetória no Matlock (que era favorito ao descenso) e o treinador seguiu perdendo, mas sem muitas goleadas claras, a reputação permanece praticamente intacta - ou com poucos decréscimos; quando ele foi para o Brackley, que estava em má fase beirando o rebaixamento, e alcançou o 8º lugar na tabela - sendo constantemente o menos favorito nos confrontos - estabelece um aumento tanto na reputação do clube quanto do próprio treinador. Levando isso em consideração, existe a probabilidade do Oldham aceitar um treinador que venha muito de baixo por conta de: 1) o crescimento da reputação como treinador e 2) a má fase do clube, que impacta negativamente na reputação corrente. Essas duas variáveis, quando combinadas, podem parear a reputação do treinador com a reputação corrente do clube e, assim, facilitar o alcance da vaga no time.

Concordo com essa análise.

Share this post


Link to post
Share on other sites
thyagocda

Depois daquela sequência de 6 derrotas foi um milagre ter escapado do rebaixamento... Parabéns

Share this post


Link to post
Share on other sites
Vannces
2 minutos atrás, thyagocda disse:

Concordo com essa análise.

Com a autorização de @Henrique M., e também com o texto inspirado nessa análise do @Herr Jones, eu comecei essa postagem.

Eu como iniciante, (praticamente dois anos e pouco apenas de FM), não imaginei que essas coisas parecessem estranhas, para não dizer absurdas, é claro que o FM procura ser o máximo fiel à realidade, então tornou-se uma incógnita até o momento.

Share this post


Link to post
Share on other sites
Vannces
1 minuto atrás, thyagocda disse:

Depois daquela sequência de 6 derrotas foi um milagre ter escapado do rebaixamento... Parabéns

É, eu estranhei uma boa sequência depois do primeiro jogo e logo em seguida um desastre com as 6 derrotas. No final, mudando o ditado: "Entre mortos e feridos, todos saímos aliviados." Obrigado por comentar.

Share this post


Link to post
Share on other sites
DanieLLVip

Cara que sorte ter escapado do rebaixamento, foi um milagre, agora é reforçar e fazer uma boa temporada!

Share this post


Link to post
Share on other sites
Vannces
10 minutos atrás, DanieLLVip disse:

Cara que sorte ter escapado do rebaixamento, foi um milagre, agora é reforçar e fazer uma boa temporada!

Sem dúvida, Daniel, o último jogo então foi tenso, a derrota significaria o rebaixamento. "Steve" estava uma pilha naquele momento. Alívio total no final de tudo. Obrigado por comentar.

Share this post


Link to post
Share on other sites
LC
Em 16/03/2018 at 23:40, Henrique M. disse:

Isso aí não é reputação, é licença. Reputação é a outra opção que tem do lado: Amador, semi-profissional, etc.

As licenças servem mais para aumentar seus atributos do que para arrumar clubes, nesse caso, quem manda é a reputação.

Como você postou ali em cima na imagem, começando com reputação amadora, não faz muito sentido esse salto mesmo não.

Henrique pela imagem do perfil do Steve Park a reputação dele é de apenas uma estrela, mesmo com a Licença nacional C Correto?

 

Yy66axl.jpg

 

Se entendi bem das postagens sua e do Herr Jones os títulos conquistados no decorrer da carreira aumentam essas estrelas, correto? Por exemplo no meu perfil eu estou com Licença Pro Continental e com 3,5 estrelas devido as licenças e os títulos conquistados com União da Madeira, Standard Liége e Roma, Certo?

 

Ogn72YA.png

 

Share this post


Link to post
Share on other sites
MitoMitológico

Realmente, esse final de temporada foi um alívio e por pouco você não caiu. Só não caiu porque os rebaixados conseguiram ir pior.. De um time que brigava pelo acesso, para um que brigava para não cair. Mas pela subida na carreira que você deu, tudo valeu a pena. Agora é se concentrar para a próxima temporada. Boa Sorte.

Share this post


Link to post
Share on other sites
Vannces
7 minutos atrás, LC disse:

Henrique pela imagem do perfil do Steve Park a reputação dele é de apenas uma estrela, mesmo com a Licença nacional C Correto?

 

Yy66axl.jpg

 

Se entendi bem das postagens sua e do Herr Jones os títulos conquistados no decorrer da carreira aumentam essas estrelas, correto? Por exemplo no meu perfil eu estou com Licença Pro Continental e com 3,5 estrelas devido as licenças e os títulos conquistados com União da Madeira, Standard Liége e Roma, Certo?

 

Ogn72YA.png

 

Bem lembrado, LC. O que nos faz avaliar, se é que pode ser possível dessa forma, é que o Oldham não se baseou na reputação para fazer a contratação do treinador, mas em resultados recentes dele e na campanha pífia do próprio Oldham, eu acho.

Fico contente com o envolvimento de todos (principalmente porque são experientes no jogo), uma vez que ajuda a me organizar e a postar mais detalhes (sem que fique exageradamente chato) para que não fique com informações incompletas. Tenho pouca experiência no jogo e menos ainda quanto a questão das postagens.

Obrigado por comentar e expor as opiniões de forma abalizada no sentido de ajudar a melhorar as postagens do save.

Share this post


Link to post
Share on other sites
Vannces
15 minutos atrás, MitoMitológico disse:

Realmente, esse final de temporada foi um alívio e por pouco você não caiu. Só não caiu porque os rebaixados conseguiram ir pior.. De um time que brigava pelo acesso, para um que brigava para não cair. Mas pela subida na carreira que você deu, tudo valeu a pena. Agora é se concentrar para a próxima temporada. Boa Sorte.

Olha, você lembrou de um fator importante que eu não tinha comentado na postagem. Os clubes que estavam abaixo, se esforçaram para cair e com suas campanhas piores do que a do Oldham, acabaram servindo para salvar o time de Steve que na reta final fez jogos bem ruins. Obrigado por comentar.

Share this post


Link to post
Share on other sites

Create an account or sign in to comment

You need to be a member in order to leave a comment

Create an account

Sign up for a new account in our community. It's easy!

Register a new account

Sign in

Already have an account? Sign in here.

Sign In Now

  • Similar Content

    • Danut
      By Danut
      Olá a todos. Sejam bem-vindos à segunda versão do save Brazylijska magia. Como a maioria já deve estar sabendo, esse foi um save que eu iniciei no final de dezembro do ano passado, mas que acabou tendo uma vida muito curta. Depois de um tempo pensando, decidi que queria mesmo jogar o save outra vez. Como a versão original mal passou da primeira temporada, acredito que haja espaço para jogar a mesma proposta sem que acabe sendo apenas uma repetição do que já passou.
      A proposta para essa segunda versão é a mesma da versão anterior: conquistar títulos com uma equipe que jogo futebol ofensivo com ênfase na qualidade individual e que consiga incorporar um bom número de brasileiros ao elenco.
      Fiz, contudo, duas mudanças importantes para essa nova versão. A primeira delas é que decidi jogar com orçamentos para transferência já na primeira temporada. Normalmente, não gosto de usar essa opção. Mas acho que nessa situação específica ela pode ser uma boa arma para aumentar as possibilidades de mudança de elenco logo de saída, trazendo uma dinâmica diferente para a primeira temporada do que aquela do save anterior.
      A segunda mudança é que resolvi jogar as duas primeiras temporadas do save (quase) por inteiro antes de trazer ele para cá. Isso tem a óbvia desvantagem de fazer as interações com os leitores ficarem um pouco prejudicadas nesse momento inicial, pois vou estar trazendo a vocês algo que já sei o desfecho. Mas considerando o que ocorreu no save anterior, eu queria ter certeza de que conseguiria me envolver emocionalmente com a história antes de trazer ela para os leitores. Sinto que falhei no compromisso com os leitores na história passada, quando fiz bastante gente começar a acompanhar apenas para encerrar logo em seguida. Por isso agora preferi esperar até garantir que o save está me dando vontade de jogar.
       
      Encerrado o prefácio à segunda edição, voltamos com a programação normal. Abaixo segue a introdução da proposta do save em si. Ela é igual à introdução da versão anterior, então quem já leu por lá pode pular o resto do post.
       
      Introdução
      Szczecin, Polônia. Rua Mieczysława Karłowicza, número 28. 23 de agosto de 2005.
      P: Boguslaw, os nossos resultados estão uma merda.
      B: Tenha paciência, Ptak. Os jogadores ainda não incorporaram a minha ideia de jogo.
      P: Ideia de jogo é o caralho. Ninguém ganha com ideia de jogo. O importante é ter habilidade. Olha o Brasil. Destruíram a Argentina na Copa das Confederações. Tu acha que os argentinos não tinham ideia de jogo? Vocês treinadores sempre cheios de ideias. O futebol é uma arte, não uma ciência.
      B: Bem, as contratações são responsabilidade do presidente. Se falta habilidade, então precisamos trazer mais alguns bons nomes. O Przemyslaw e o Rafal poderiam falar com outros jogadores da seleção, quem sabe um deles não quer vir para cá?
      P: Boguslaw, eu aqui falando de habilidade, e tu me vem com seleção polonesa? Tu é burro mesmo, hein?! Que se foda a seleção polonesa. Eu quero o quadrado mágico!
      B: Mas Ptak, esses caras jogam nos melhores times do mundo. Barcelona, Real Madrid, Inter, Milan. Não temos dinheiro pra trazer um jogador de lá nem se vendermos o estádio com o time todo dentro.
      P: E quem falou em trazer alguém desses clubes, imbecil? Nós vamos montar o nosso próprio quadrado mágico. Trazer os caras direto do Brasil. Naquele país é todo mundo pobre, vai chover jogador querendo vir pra cá.
      B: Mas Ptak, ninguém da equipe técnica conhece os jogadores do Brasil. Precisamos contratar olheiros, enviar eles para lá, esperar até que comecem a se achar no futebol local e...
      P: Caralho Boguslaw, eu não sei porque continuo falando contigo. Que porra de olheiro que nada. Os caras são brasileiros, o futebol tá no sangue deles. Todo mundo nasce sabendo jogar naquele país. É só ir lá e pegar qualquer um. Não tem como dar errado.
      B: Tem também os nossos jogadores atuais. Eles não vão ficar felizes em ser reservas, ainda mais de jogadores desconhecidos por aqui.
      P: Quem não tiver feliz pode ir embora. É todo mundo perna de pau aqui mesmo. Vou encher esse time de brasileiros, de gente com habilidade. Vamos fazer mágica.
      B: Mas Ptak, eu não falo português, e os caras não vão saber falar polonês. Como vou treinar jogadores que não são capazes de me entender?
      P: Já pensei nisso. A habilidade brasileira não pode ficar presa nesse estilo de futebol ruim que a gente joga. O Cláudio disse que lá no Brasil eles falam que é preciso ter gingado. Eu quero um treinador com esse tal de gingado. Pode ir pegando tuas coisas. Na saída já aproveita e mostra a sala do treinador pro Zé Carlos, que é quem vai cuidar do time a partir de hoje.
       
      O dialogo acima é, obviamente, fictício. Mas poderia muito bem ter ocorrido. Naqueles dias, o Pogon Szczecin passava por um mau momento. Os resultados não estavam de acordo com o que o presidente imaginava. Foi aí que ele teve uma ideia brilhante: ora, se o clube não está jogando bem, por que não trocar todo mundo por brasileiros? Afinal, o Brasil é a terra do futebol. País campeão mundial. País que encantava a todos com Ronaldo e Ronaldinho – para não falar de Kaká, Adriano e tantos outros craques.
      É claro que havia algumas falhas no plano do presidente. Afinal, mesmo o Brasil tendo grandes jogadores, nem todo brasileiro é um grande jogador. Para qualquer um de nós, isso é uma obviedade. Antoni Ptak, porém, parece jamais ter pensado nisso.
      Aproveitando-se que a liga polonesa não possuía qualquer restrição ao número de estrangeiros, o Pogon Szczecin trouxe, em uma única temporada, dezoito jogadores brasileiros. A maior parte deles de grandes clubes do futebol nacional, como Sorocaba, Atlético Guaçuano ou União Barbarense.
      Do outro lado, boa parte do elenco do Szczecin saiu quase de graça – afinal, era preciso abrir espaço para os craques brasileiros. A estratégia, é claro, não deu nada certo. Os resultados pioraram ainda mais, a torcida se desencantou com o time, e o Pogon afundou em dívidas, chegando até mesmo a fechar as portas. Mas os detalhes eu conto depois.
       
      Ligas carregadas: Polônia e Brasil (ambos 2ª divisão); Inglaterra, Espanha e Alemanha (todos 1ª divisão).
      Base de dados: pequena, mas com todos os jogadores brasileiros.
      Data de início: 29.05.2017
      Outras opções: mascarar atributos, não adicionar equipe técnica, impedir uso de editor do jogo, ativar orçamentos na primeira janela
    • Herr Jones
      By Herr Jones
      Luz, câmera e... Futebol: l'histoire de Damien Devereaux
      CONSIDÉRATIONS INITIALES – entendendo o propósito da história:
      PROFIL DU ENTRTEINEUR – contextualizando o protagonista:
      O personagem escolhido para protagonizar toda a história é um jovem chamado Damien Devereaux. Nascido na cidade de Cannes, em 31 de maio de 1992, mudou-se ainda moço, aos 16 anos, para Paris onde graduou-se em Ciências Sociais pela Sorbonne, buscando enfatizar o aspecto de gestão esportiva. Amante de futebol, simpatizava bastante com as equipes de futebol que eram capazes de revelar grandes nomes para o cenário futebolístico internacional. Cresceu assistindo, e ouvindo de seu pai, sobre uma prática fulminante do futebol francês: o Jeu à la Nantaise, protagonizado pela equipe de Nantes e inspirado no jeito irreverente de se jogar futebol que faz brilhar os olhos de qualquer brasileiro quando assistia à seleção canarinho protagonizar maravilhas com a bola nos pés. Através de seu pai, o jovem Devereaux criou um carinho especial pelo Nantes; porém, por si, passou a acompanhar o Cannes: time de sua cidade e que, na época, estava em franco crescimento chegando a revelar grandes nomes para o futebol, incluindo um dos mais geniais meio-campistas que o jovem teve a oportunidade de acompanhar: Zinédine Zidane.

      Ao longo de sua graduação, Devereaux participou de algumas competições amadoras de futebol atuando pelo Corbeil-Essonnes, das divisões de honra francesas. Ele atuava como meio-campista avançado, mas não considerava a hipótese de se tornar um jogador profissional; preferiu enfatizar sua formação e, assim, dedicou-se bastante aos estudos. Tão logo recebeu seu diploma de graduação, decidiu abandonar o futebol amador para buscar uma vaga no mercado de trabalho. Conseguiu, ainda em 2014, quando se formou, uma vaga como professor em um Liceu particular dando aulas de Sociologia e Filosofia. Sem desistir de seu sonho para atuar no futebol, Devereaux seguiu sua formação adentrando ao mestrado em gestão esportiva e buscou, junto à Fédération Française de Football, a obtenção de sua Licença Nacional C para poder atuar como treinador. Tanto sua licença quanto seu título de mestre só chegaram em 2017.
      Neste meio-tempo, enquanto aguardava sua licença, Devereaux se disponibilizava nas horas vagas para realizar consultorias aos clubes de futebol franceses, principalmente para os clubes semi-profissionais próximos a Paris, mas também prestou seus serviços a alguns clubes mais conhecidos que hoje se estagnaram como, por exemplo, o Racing Club de Lens e Association de Jeunesse Auxerroise.
    • Jirimias
      By Jirimias
      Fala aí, povo!   Depois de muito tempo, eis que decidi retornar ao ofício de jogar e contar saves. Apesar do tempo está ainda mais curto do que antes, a saudade era maior, e depois de ensaiar vários retornos, enfim tomei coragem. A versão do jogo escolhida é o FM 2018, pois comprei e não havia jogado. Como já estamos quase no meio do ano, achei conveniente esperar para comprar o 20, e não o 19. 
      Como vocês podem ver eu escolhi a Hungria tema deste save, e isso deve-se muito à admiração adquirida por ter conhecido um pouco do futebol mágico do país na década de 50. Soma-se a isso o imenso desafio que é jogar e desenvolver um trabalho num país que hoje vive uma realidade no futebol muito diferente daquela do passado. Estes dois fatores foram fundamentais para minha escolha.   Peço apenas a compreensão se não houver postagens regulares, mas farei o possível para tentar duas por semana, exceto por este início que há capítulos introdutórios que já estão prontos.   
      Conhecer o passado nos ajuda a compreender suas consequências no presente, seja ele este atual que estamos vivendo agora, ou aquele que virá a ser presente, a qual chamamos de futuro. Só que na maioria das vezes mexer no passado é abrir feridas , e é isso que veremos em  "O sonho proibido" . Se esta aventura de voltar ao passado sem máquina do tempo pode ser perigoso, por outro lado, também é somente através desta visita ao passado que tanto o personagem  como o próprio futebol húngaro encontrarão respostas que poderão mudar suas histórias.
      A trama passa pelo encontro entre dois personagens que viveram em épocas diferentes, mas que tem em comum um sonho: trazer de volta a glória do futebol húngaro. Átila é um jovem recém-formado em Educação Física que tem como sonho treinar um time de futebol profissional. A inspiração para sua carreira é um ex-treinador que não teve uma carreira brilhante, mas que tinha a mesma determinação em fazer de sua carreira um combate pelo resgate da grandeza do futebol da Hungria. Tal dedicação  pela Causa Húngara, como ele mesmo denominou sua busca, fez o velho treinador ser tido como lunático. Sem familiares e esquecido, o velho treinador interna-se voluntariamente num asilo onde inicia a carreira de escritor.  Quando estas duas gerações se encontrarem, nem a vida dos dois, e nem o futebol húngaro serão mais os mesmos.  
      O "Sonho proibido" tem como objetivo principal levar a Hungria ao centro das atenções do futebol mundial, e para isso, a pretensão não é fazer o save de uma única liga, mas  de uma nação. Desta forma, terei a liberdade de mudar de liga, treinar mais de um clube da Hungria, treinar seleções, trabalhar com a revelação de talentos húngaros, enfim, buscar em todos horizontes resgatar as glórias do passado do futebol do país. Em síntese, são estes os objetivos:
      Ser campeão treinando um time brasileiro, remontando a ligação do passado entre húngaros e brasileiros no futebol; Revelar um novo Puskás; Levar a Seleção Húngara à disputa de uma Copa do Mundo, que desde 1986 não acontece; Vencer uma competição europeia com um clube húngaro; Ser o melhor treinador húngaro no quadro de Honra; Colocar a Primeira Divisão Húngara entre as dez primeiras do mundo:

      (atualmente atrás das ligas de Catar, segunda divisão da Turquia, segunda divisão da Áustria, Moldávia, Egito, entre outras)        
       
    • Bigode.
      By Bigode.
      Olá, pessoal! É chegada a hora de voltar a contar histórias por aqui. Ou melhor: a frequentar a área. Já tenho ensaiado a volta nas últimas semanas (ainda timidamente), mas agora é o momento. Depois de uma saga de muito sucesso, acredito eu, com a Pro Vercelli e o fracasso na tentativa com o Nottm Forest, espero acertar mais uma vez.
      O clube escolhido, levando em conta os acontecimentos do último mês, não poderia ser outro: Sporting Clube Farense. Como alguns sabem, me mudei no ano passado para Portugal e estou residindo em Faro, cidade bem ao sul do país. De fato: hoje completo 5 meses aqui. A data, simbólica, é a ideal para se iniciar a nova trajetória.
      Minha vinda para cá teve como objetivos terminar a faculdade e iniciar minha carreira (ou continuar, sendo que já atuei na área no Brasil) e, pensando em uma ideia de save, o estalo veio: por que não iniciar no FM uma, digamos, "preparação" para o que pode ser minha vida/carreira real?
      Chega de papo, né? Deixo algumas informações iniciais sobre o save e é isso. No mais: um agradecimento gigante e mais do que especial ao @Tsuru, que providenciou esse excelente e maravilhoso banner pra saga.
      Quanto aos OBJETIVOS, decidi não estabelecer nada de início. A ideia é levar o clube da 3ª divisão até a elite portuguesa e elevar o clube a um patamar de altíssimo nível, como consegui fazer com a Pro Vercelli. As boas campanhas (e títulos) são consequência. Obviamente, é claro, quero conquistar tudo o que for possível e desbancar os três grandes. Mas veremos como as coisas correm quanto a isso futuramente. Outro ponto que pode ser considerado é sempre buscar se superiorizar em relação aos grandes rivais.
      | DADOS DO JOGO | 
      Base de Dados: original
      Versão 18.2.2
      - Países Selecionados:
      Europa: Portugal (Campeonato Nacional Prio e superiores), Alemanha (Bundesliga apenas), Espanha (La Liga Santander apenas), França (Ligue 1 apenas), Inglaterra (Sky Bet Championship e superiores) e Itália (Serie B Eurobet e superiores)
      América do Sul: Brasil (Campeonato Brasileiro Série A apenas) - ver apenas
      Tamanho da Base de Dados: Grande
      + Jogadores de clubes do escalão máximo (América do Sul)
      + Jogadores de clubes do escalão máximo (África)
      + Jogadores no país + Jogadores da nacionalidade (Portugal)
      [x] Não Adicionar Equipe Técnica Chave
      [x] Impedir uso do Editor de Jogo
      *** Como pretendo emular um pouco da vida real, decidi não marcar (ao contrário do que faço normalmente) e caixa "Desativar Disfarce de Atributos de Jogadores", deixando o jogo mais real. Isso não significa que contratarei, por exemplo, somente jogadores observados pelos olheiros ou algo do tipo. Terei total liberdade no mercado. Só um pouco mais de dificuldade. ***
      Data de Início do Jogo: Portugal - Fase Inicial de Pré-Época 2017/18 (3/7/2017)
      ---
      É isso aí. Sejam bem-vindos a minha nova saga.
    • Lohan
      By Lohan
      Pessoal, como o formato do template dos kits 3D mudou no FM18, vamos ficar atualizando aqui os Kits brasileiros que forem sendo lançados a partir de agora
       
      * Brasileirão Serie A (Por @HippieZen) https://www.4shared.com/rar/yBbHzZPlca/Brasileiro_3D_Srie_A_FM18.html? (atualizado 10/01) 
      * Brasileirão Serie B (por @tonybr)  https://www.4shared.com/rar/EyVl3veZca/Brasileiro_3D_Srie_B_FM18.html? (atualizado 10/01) 
      * Brasileirão Serie C  (por @tonybr)  https://www.4shared.com/rar/N86hzBtkca/Brasileiro_Srie_C_FM2018_3D_v2.html (atualizado 16/01) 
      * Brasileirão Serie D 
      * Copa do Mundo 2018   (por @tonybr)  https://www.4shared.com/rar/tHLfldr3ca/copa_2018.html
      * Libertadores 2018 (por @tonybr) https://www.4shared.com/rar/9H-3vkBXca/Libertadores3.html (atualizado 23/02)
      * Campeonato Paulista serie A1 e A2 (por @tonybr) https://www.4shared.com/rar/RNzWI_Ygei/So_Paulo__1_.html  (atualizado 12/02)
      * Campeonato Carioca (Por @tonybr) https://www.4shared.com/rar/a6lzQlimca/3D_online.html (atualizado 28/01)
      * Campeonato Gaucho (Por @Lohan) https://www.4shared.com/rar/qyBSuUC2ei/Rio_Grande_do_Sul__2018_.html?  (atualizado 30 /01) 
      * Campeonato Mineiro (Por @tonybr) https://www.4shared.com/rar/qVQtmLBHca/MG_online.html (atualizado 12/02)
      * Campeonato Catarinense (Por @tonybr)  https://www.4shared.com/rar/YIdYiHiwca/Santa_Catarina.html?
       
      Para quem quiser se juntar no projeto e contribuir na criação dos Kits 3D, esse é o novo formato do layout (clique na imagem para ampliar)

      Esse é um exemplo de Kit 3D do Palmeiras

      Como fica o Kit 3D do Pameiras ingame

       
      Para termos uma imersão maiors nas partidas 3D, adicionei detalhes nos kits genericos, isso vai fazer com que todos os times que não tenham kits criados pareçam ter escudo, patrocinios na camisa e etc
      DOWNLOAD : https://www.4shared.com/file/JpKaiFk_ca/Generics_Kits_3D_FM2018.html?
      A esquerda temos um exemplo de como vem no jogo e a direita com os detalhes 

      INGAME

×