Ir para conteúdo
João Gilberto

Clubes vetam árbitro de vídeo no Brasileirão-2018; veja como cada um votou

Recommended Posts

-Igor

O TETO salarial do Paraná é de 60k. 

Me digam, vamos tirar dinheiro da onde pra bancar 45k POR JOGO? 

A CBF que vá tomar no cu dela por uma proposta totalmente absurda dessas. 

Instituição mais filantrópica que a CBF não existe. (des)Organiza o campeonato todo ano, mesmo, segundo ela, só tendo prejuízo. Quase me comovi. 

  • Upvote 7

Compartilhar este post


Link para o post
Compartilhar em outros sites
Léo R.

Então tá, somos todos coitados, nossos times são pobres e não temos direito a ter o MÍNIMO de justiça em nosso PRINCIPAL campeonato, por conta de 10 milhões de reais (levando em consideração os 20 clubes da série A, visto que seria utilizado apenas no segundo turno).

Acho que então devemos acabar com o campeonato, pois me desculpem, isso é uma várzea.

O clube que não consegue juntar essa quantia de grana aí num campeonato, com cota de TV, patrocínio de camisa, ações que podem ser feitas com torcedores, premiações e bilheteria, NÃO PODE ESTAR NA SÉRIE A DO CAMPEONATO BRASILEIRO.

Se queixam pra pagar isso mas para contratar jogador aleatório pagando rios de dinheiro não falam nada. Ainda mais se for pra enfraquecer um rival.

  • Downvote 5

Compartilhar este post


Link para o post
Compartilhar em outros sites
-Igor

Coitadinha é a CBF que, em 2016, repassou 27M para as Federações mas dois anos depois, diz não ter 20M para bancar algo que só traria benefícios.

Eu só passo falar pela realidade do meu clube, que está longe de contratar jogadores aleatórios pagando rios de dinheiro, justamente por não ter dinheiro. 

Ano passado recebemos 5M de cota pela Série B, 400k pelo ruralzão, mais 3M pela Copa do Brasil. Desse total, mais da metade ficou penhorado para o pagamento de dívidas. 

Então não, não temos condições de, em uma renda de jogo, perder mais da metade da mesma pagando N taxas + VAR, sendo que, numa dessas, lá no final do campeonato podendo correr risco de atrasar salário de jogador. Coisa que clubes recebendo muito mais dinheiro fazem com frequência. 

 E se um clube está ou deixa de estar na Série A, o critério é seu mérito em campo e não o quanto ele pode gerar de renda. 

Aliás, se um clube não consegue juntar essa quantidade não merece estar na elite, o que dizer de um confederação que só representa a seleção mais vitoriosa do mundo e não possui 20M e seu presidente não pode sair do País?  

Abraços. 

 

  • Upvote 7

Compartilhar este post


Link para o post
Compartilhar em outros sites
davidreisc

O que aconteceu aí foi mais má vontade de ambos os lados do que qualquer outra coisa. 

1 - Não é possível que sequer tentou-se negociar com a CBF, tipo 50% clubes e 50% CBF. Parece até uma imposição do tipo "tá aí, se quiserem implantar que paguem 10kk no segundo turno"

2 - Nenhum patrocínio? Por favor né, por mais desorganizado que o Brasileirão seja, a visibilidade do campeonato é enorme. Com certeza dava para conseguir abater grande parte desse custo só com o patrocínio. Mas parece que isso nem foi colocado em pauta.

3 - Bizarro propor colocar uma tecnologia em 1 turno só né, pqp. E olha que ano passado depois do gol de mão do Jô, já falava-se em colocar o VAR em prática ainda durante o BR17.

4 - Claro que os clubes não tem dinheiro, até porque o planejamento é mínimo entre eles. O Vasco mesmo, que tem uma das 5 maiores torcidas do país e estádio próprio, falar que não consegue separar 45 mil de sua arrecadação em bilheteria para investir no VAR por jogo é absurdo. Se vender 1 jogo para Brasília/Manaus/etc já consegue arrecadar grande parte disso. Lembrando que se houvesse o VAR, provavelmente o Vasco estaria diretamente na fase de grupos da Libertadores. Isso é só para exemplificar o caso de um dos grandes times que justificaram ser contra por causa da arrecadação.

5 - Se votaram a favor da venda de mando para conseguir mais maneiras de aumentar arrecadação, porque não aplicar parte dessa receita no VAR?

6 - Se em Portugal custa 1 milhão de Euros, por que aqui custa mais de 5 vezes mais? E o pior, nenhum clube se quer contesta esse orçamento.

Resumindo: Está bem claro que não houve esforço NENHUM da maior parte dos clubes que votaram contra para viabilizar a implantação.

Editado por davidreisc
  • Upvote 1

Compartilhar este post


Link para o post
Compartilhar em outros sites
João Gilberto

Andrés Sanchez explica voto sobre VAR

---------------------

Esse disse NÃO porque simplesmente não quis mesmo, não teve nada a ver com custos.
Porque será, não é mesmo?!

Editado por João Gilberto
  • Upvote 2
  • Downvote 1

Compartilhar este post


Link para o post
Compartilhar em outros sites
GKFaNG
1 hora atrás, João Gilberto disse:

Andrés Sanchez explica voto sobre VAR

---------------------

Esse disse NÃO porque simplesmente não quis mesmo, não teve nada a ver com custos.
Porque será, não é mesmo?!

Sanchez é o aspecto da sujeira

Compartilhar este post


Link para o post
Compartilhar em outros sites
SilveiraGOD.

Se a gente tivesse clubes fortes e sérios, seria a desculpa perfeita pra mandar a CBF tomar no cu e criar uma liga nossa. Mas né... a gente já sabe como tudo funciona.

  • Upvote 1

Compartilhar este post


Link para o post
Compartilhar em outros sites
raskor
35 minutos atrás, SilveiraGOD. disse:

Se a gente tivesse clubes fortes e sérios, seria a desculpa perfeita pra mandar a CBF tomar no cu e criar uma liga nossa. Mas né... a gente já sabe como tudo funciona.

 

Funciona da seguinte maneira: Alguns clubes se unem, outros preferem continuar comendo na mão da CBF e tudo continua como está.

  • Upvote 1

Compartilhar este post


Link para o post
Compartilhar em outros sites
Léo R.

Acontece que assim, os clubes querem sempre levar vantagens uns sobre os outros. Principalmente Flamengo e Corinthians, se ambos quebrarem com CBF/Globo acaba tudo, porém esses comem na mão das mesmas, em troca de mais dinheiro e benefícios, simples assim. Não há consciência coletiva no futebol brasileiro, é cada um por si. Com o grêmio e inter acontece a mesma coisa, as pessoas não entendem que grêmio e inter juntos, por exemplo, tem um dos PRODUTOS (o clássico) mais valiosos do futebol brasileiro, NENHUM DOS CLÁSSICOS PAULISTAS OU CARIOCAS É MAIOR QUE O GRE-NAL. O mesmo vale para Galo e Cruzeiro que também é maior que os clássicos de SP/RJ, e isso é pelo simples fato das rivalidades serem divididas por existirem mais "grandes". Porém as diretorias dos times em questão, ficam de picuinha, zoerinha, querendo um prejudicar o outro e vira tudo NESTA PALHAÇADA que é o futebol brasileiro. O Grêmio hoje tem uma diretoria menos amadora, assim como o inter já teve uma diretoria menos amadora, porém, basta mudar a gestão que vira uma palhaçada.

  • Downvote 1

Compartilhar este post


Link para o post
Compartilhar em outros sites
Yan Perisse
Em 05/02/2018 at 20:38, F J disse:

eu até acho que 1 conto faz diferença pra times tipo o Paraná e o Ceará que provavelmente vão bater e voltar.

Podia tirar proporcionalmente das cotas, 2 de Fla e Corinthians 1,5 de Palmeiras, Vasco, Santos e SP, 1 de Inter, Gremio, Flu, Botafogo, Cruzeiro e Galo e 500mil do resto (se eu errei as conta nao me corrijam)

IMG_20180206_150301.jpg.a14db4c4107bde0d1642df896b16dd9e.jpg

Fizeram certinho no Twitter esse cálculo e seria super válido.

No caso do Paraná, que estavam discutindo, 10 mil por jogo é impossível? Se fizessem nesse esquema,  não haveriam mais desculpas. Aliás, porque rejeitaram e em nenhum momento colocam na mesa esse esquema? Falta um pouco de vontade dos clubes também.

Compartilhar este post


Link para o post
Compartilhar em outros sites
Henrique M.

Eu acho complicado colocar a culpa nos times, quando isso é uma responsabilidade da CBF e o pior, eles superfaturaram a parada, já que pela repercussão, e valores aplicados fora daqui, são totalmente distintos disso que a CBF queria.

Compartilhar este post


Link para o post
Compartilhar em outros sites
Léo R.
32 minutos atrás, Henrique M. disse:

Eu acho complicado colocar a culpa nos times, quando isso é uma responsabilidade da CBF e o pior, eles superfaturaram a parada, já que pela repercussão, e valores aplicados fora daqui, são totalmente distintos disso que a CBF queria.

A responsabilidade não é só da CBF, ainda mais que os clubes foram consultados. E quem são os interessados na tecnologia? Os clubes que não querem ser prejudicados por arbitragens ruins. A CBF infelizmente está cagando e andando para a lisura do campeonato.

Compartilhar este post


Link para o post
Compartilhar em outros sites
davidreisc
1 hora atrás, Léo R. disse:

A responsabilidade não é só da CBF, ainda mais que os clubes foram consultados. E quem são os interessados na tecnologia? Os clubes que não querem ser prejudicados por arbitragens ruins. A CBF infelizmente está cagando e andando para a lisura do campeonato.

A responsabilidade é da CBF sim, ainda mais que no Brasil tem o agravante dela ser a "organizadora" do Brasileirão. Em qualquer lugar do mundo quem custeia o VAR é o responsável pela arbitragem.

Eu critico as posturas dos clubes porque simplesmente não houve nenhum esforço para debater uma outra maneira ou mesmo negociar o que foi proposto, simplesmente foi colocado um valor na mesa e votaram em cima daquele valor. Além disso, a gente sabe muito bem que uma iniciativa como essa não vai partir da CBF simplesmente porque eles estão pouco se fudendo se o campeonato é ou não justo. Por mais que a responsabilidade seja da CBF, a gente sabe que se não houver um esforço dos clubes isso nunca será colocado em prática.

  • Upvote 2

Compartilhar este post


Link para o post
Compartilhar em outros sites
MICHEL O

Salário + Encargos de Marco Polo Del Nero = R$ 4,8 milhões anuais.

Ajuda de custo + Encargos para cada um dos 27 Presidentes de Federações Estaduais  = R$ 480 mil por ano x 27 = 13 milhões anuais.

Só aqui, já estaria pago o VAR.

 

Despesa com salários de profissionais da CBF = R$ 55 milhões anuais.

A CBF tem um jatinho e um helicóptero avaliados os dois em R$ 60 milhões.

Fora um monte de despesa que ninguém sabe o que é e pra onde vai.

 

 

  • Upvote 1

Compartilhar este post


Link para o post
Compartilhar em outros sites
Bruna'

Ainda bem que meu Gremiaço é honesto.

Compartilhar este post


Link para o post
Compartilhar em outros sites
Salvador.
Em 2/5/2018 at 19:11, @Vinny disse:

Eu ouvi 500 mil para cada clube...

A única coisa que acho que o clube errou foi em ser favorável a grama sintética.

Lamentável que tenham revertido isso.

  • Downvote 2

Compartilhar este post


Link para o post
Compartilhar em outros sites
@Vinny
51 minutos atrás, Salvador. disse:

A única coisa que acho que o clube errou foi em ser favorável a grama sintética.

Lamentável que tenham revertido isso.

Fizemos uma social com os nossos "rivais". Na real que o sintético deles eh bem aceitável e nosso retrospecto lá é MT bom.

Se fosse o do Zequinha que é um tapete de bosta e gasto.

Compartilhar este post


Link para o post
Compartilhar em outros sites
davidreisc
6 horas atrás, Salvador. disse:

A única coisa que acho que o clube errou foi em ser favorável a grama sintética.

Lamentável que tenham revertido isso.

Mano, uma grama sintética aprovada pela FIFA, ano passado já ficou provado que não dá vantagem nenhuma ao Atlético que tem um estádio onde o crescimento de grama é complicado devido as condições do solo de lá. Ou você prefere um gramado de várzea, como acontece em diversos momentos no campeonato até mesmo em estádios da Copa como o Maracanã, Brasília e vários outros? Se existe qualidade para desempenhar o jogo, não tem porque vetar a grama sintética.

  • Upvote 2

Compartilhar este post


Link para o post
Compartilhar em outros sites
ZaMBiA

Tchê, diante dessa votação, eu consigo ver três panoramas. E o pior deles é o que se desenha.

I - É aprovado o VAR custeado pelos clubes. A CBF, safada como sempre, se safa da responsabilidade. O futebol ganha, mas clubes de menor poderio financeiro são (ainda mais) prejudicados. A questão dificilmente seria rediscutida em um futuro próximo, eximindo a CBF de arcar com a SUA responsabilidade;

II - Os clubes votam contra o VAR, porém, pressionam a CBF para que ela assuma os encargos da tecnologia (é o que eu gostaria que acontecesse); e

III - Os clubes se dividem, alguns votam à favor, outros contra. Ganha o contra. Ninguém solta um pio em relação à CBF ter que assumir a responsabilidade do VAR. Perde o futebol, perdem os clubes e continua tudo na mesma merda. E a cúpula da CBF continua sendo a safada de sempre (é o que vai acontecer). Que bosta.

  • Upvote 1

Compartilhar este post


Link para o post
Compartilhar em outros sites

Crie uma conta ou entre para comentar

Você precisar ser um membro para fazer um comentário

Criar uma conta

Crie uma nova conta em nossa comunidade. É fácil!

Crie uma nova conta

Entrar

Já tem uma conta? Faça o login.

Entrar Agora


  • Conteúdo Similar

    • VitorSouza
      Por VitorSouza
      1ª rodada (14 e 15/abr):
      Ponte Preta vs. Paysandu
      Oeste vs. CRB
      Brasil de Pelotas vs. São Bento
      Figueirense vs. Juventude
      Fortaleza vs. Guarani
      Vila Nova vs. Avaí
      Atlético GO vs. Criciúma
      CSA vs. Goiás
      Londrina vs. Boa Esporte
      Sampaio Corrêa vs. Coritiba
       
      38ª rodada (24/nov):
      Guarani vs. Londrina
      São Bento vs. Vila Nova
      Juventude vs. CSA
      Avaí vs. Ponte Preta
      Criciúma vs. Sampaio Corrêa
      Coritiba vs. Fortaleza
      Goiás vs. Brasil de Pelotas
      Boa Esporte vs. Oeste
      CRB vs. Figueirense
      Paysandu vs. Atlético GO
       
      Tabela completa
       
      Confrontos estaduais:
      Atlético GO vs. Goiás - 8ª e 27ª rodadas
      Avaí vs. Figueirense - 5ª e 24ª rodadas
      Brasil de Pelotas vs. Juventude - 15ª e 34ª rodadas
      Criciúma vs. Avaí - 8ª e 27ª rodadas
      CSA vs. CRB - 10ª e 29ª rodadas
      Figueirense vs. Criciúma - 14ª e 33ª rodadas
      Guarani vs. Ponte Preta - 4ª e 23ª rodadas
      Guarani vs. São Bento - 11ª e 30ª rodadas
      Goiás vs. Vila Nova - 4ª e 23ª rodadas
      Londrina vs. Coritiba - 8ª e 27ª rodadas
      Oeste vs. Guarani - 14ª e 33ª rodadas
      Ponte Preta vs. Oeste - 8ª e 27ª rodadas
      São Bento vs. Oeste - 5ª e 24ª rodadas
      São Bento vs. Ponte Preta - 15ª e 34ª rodadas
      Vila Nova vs. Atlético GO - 11ª e 30ª rodadas
       
      Não irá parar durante a Copa do Mundo.
    • VitorSouza
      Por VitorSouza
      1ª rodada (14 e 15/abr):
      Náutico vs. Santa Cruz
      Globo vs. ABC
      Atlético AC vs. Remo
      Salgueiro vs. Botafogo PB
      Juazeirense vs. Confiança
      Botafogo SP vs. Bragantino
      Operário PR vs. Volta Redonda
      Tupi vs. Tombense
      Cuiabá vs. Luverdense
      Joinville vs. Ypiranga RS

      A fase de grupos acaba em 12 de agosto. A primeira rodada de cada turno é marcada por esses confrontos estaduais.
      Mata-mata entre 19 de agosto e 23 de setembro, sem o gol qualificado também.
      A Série C não vai parar durante a Copa do Mundo.
    • VitorSouza
      Por VitorSouza
      Ontem a CBF divulgou os grupos da Série D 2018.

      A competição começará em 21 de abril e terá seus 4 promovidos conhecidos no segundo final de semana de julho. O campeão sai em 5 de agosto.
      O gol fora de casa foi abolido no mata-mata.
    • Gourcuff
      Por Gourcuff
      Finalmente acordando pra vida, não dá mais pra jogar com aquele meio-campo que não faz absolutamente nada de útil com a bola, principalmente contra defesa fechada. Casemiro, Paulinho ou Renato Augusto, um dos três precisa sair pra seleção melhorar.
    • victorcfs
      Por victorcfs
      Vamos falar de Calendário?
        A Copa do Brasil, como está desenhada hoje, vende aos clubes do Noroeste (N/CO) e do Nordeste (NE) a falsa ilusão de que estariam competindo em pé de igualdade com os times do "Sul Maravilha" (RS, MG, SP, RJ, PR). Basta olharmos os números das últimas 20 edições, para vermos o quão raro é um time do Nordeste chegar às quartas de final, raridade essa que se acentua para times do Centro-Oeste, e chega próximo de zero para times do Norte. Além disso, a sobreposição de datas com os estaduais e o Brasileiro acaba por esvaziar o torneio, e fecha as portas para o fortalecimento dos campeonatos regionais.    O que propomos é que a fase inicial da Copa do Brasil seja constituída pelos próprios torneios regionais: Nordestão (com 32 clubes dos 9 estados do Nordeste), Copa Verde (com 32 clubes dos 7 estados do Norte mais os dois Matos Grossos), e um torneio do centro-sul mais industrializado (com os times do Sul, Sudeste, DF e GO). Assim, após um mata-mata de 10 rodadas, teríamos um campeão regional em cada módulo, e ao fim um quadrangular final entre os 4 times (o campeão do Nordeste, o campeão do Noroeste, e o campeão e vice do Centro-Sul).   Paralelo a isso, os estaduais não podem morrer. Berço das rivalidades locais, inclusivos para a difusão da paixão pelo futebol por todo o nosso território, celeiro de renovação de novos jogadores, e lastro que fortalece potências locais e mantém suas torcidas vivas, os estaduais vêm sofrendo duros golpes da mídia hegemônica, que quer transformar o futebol brasileiro numa disputa exclusiva entre Flamengo e Corinthians, como ocorre na Espanha. Não podemos deixar.   O que propomos são duas coisas simultâneas: um torneio de ano inteiro, em cada estado, disputado pelo times daquele estado que não estão nem na série A nem na série B; um torneio com todos os times daquele estado, incluindo os grandes que disputam as séries A e B, concentrado em 14 rodadas nos meses de junho e julho (quando geralmente a nossa Seleção está jogando torneios FIFA). Assim, todas as competições nacionais parariam entre junho e julho, exceto os estaduais, que teriam uma copa própria de curta duração, para confrontar times grandes e pequenos daquele estado, e ainda fazer a etapa classificatória dos regionais do ano seguinte.   Por fim, entendemos que o Brasileirão deveria ter menos jogos, e melhores. O que propomos é um torneio de ano inteiro (fevereiro a maio - 1ª fase; agosto a novembro - 2ª fase), com 2 grupos de 16 times cada, 30 rodadas de pontos corridos em cada grupo na 1ª fase, e depois uma final única entre os 2 campeões (o 1º lugar de cada grupo), num dos estádios da Copa de 2014 (a ser sorteado a cada ano). 31 jogos ao todo, para o campeão. A Série B poderia continuar com os 20 times em pontos corridos e 38 rodadas.   A ideia é termos um calendário em que: (i) torneios regionais sejam fortalecidos, fortalecendo assim o futebol do Norte (e Centro-Oeste) e Nordeste; (ii) estaduais sejam novamente valorizados, com um torneio de tiro curto no meio do ano; (iii) o Brasileirão seja difundido pelo ano inteiro, com menos jogos e a volta de uma Grande Final, no estilo do Super Bowl. É um apelo ao bom senso e ao resgate dos tempos áureos do nosso futebol.
×