Jump to content
Ademare

The Blue Brazil, Cowdenbeath F. C.

Recommended Posts

Tsuru

Conseguiu se manter com relativa tranquilidade na nova divisão e ainda viu os rivais serem rebaixados. Foi uma temporada bastante boa para o Cowden.

E para a próxima temporada, quais são os planos? Acha que dá pra brigar pelo acesso ou pensa em um objetivo mais modesto?

Share this post


Link to post
Share on other sites
Ademare
Em 04/08/2017 at 11:42, vinny_dp disse:

Na primeira temporada na nova divisão já conseguiu o objetivo principal, que é não ser rebaixado. Agora já acostumado a disputar a competição pode pensar em subir um pouco mais, dependendo de como as coisas correrão com a diretoria.

Qual sua avaliação sobre a função de falso 9 no time? Vale a pena manter?

Boa sorte!

Oi Vinny. Conseguimos a manutenção que era o objetivo e agora é reforçar a equipe e ver o que podemos fazer. O Ryan Hardie chegou bem e acho que desempenhou um papel satisfatório como falso 9, gosto muito dessa função no FM mas não tinha ainda surgido a oportunidade de eu contratar um jogador que se identificasse com ela. O impacto inicial foi bom, vamos ver como seguirá.

Obrigado e obrigado pelo comentário.

Em 04/08/2017 at 14:40, Tsuru disse:

Conseguiu se manter com relativa tranquilidade na nova divisão e ainda viu os rivais serem rebaixados. Foi uma temporada bastante boa para o Cowden.

E para a próxima temporada, quais são os planos? Acha que dá pra brigar pelo acesso ou pensa em um objetivo mais modesto?

(estou respondendo aqui dentro pois o fórum não deixou, por algum motivo, eu responder mais abaixo da caixa)

Oi Tsuru. Pois é, nos mantemos sem sufoco (mas também não diria que foi tranquilo ahahaha). De uma certa forma fico triste de ver o Dunfermline cair pois gosto de jogar contra rivais. Se o time não vai muito bem, vencer eles da um "up" na moral mas faz parte. Para a próxima temporada espero ter algumas nova peças de reposição em todos os setores da equipe para buscarmos uma confortável posição de meio de tabela. Sendo otimista, quem sabe beliscar uma vaga no playoff, quem sabe? Mas não acredito muito não pois o Morton que subiu da League 1 é um time profissional e caíram dois tradicionalíssimos times da escócia o Hibs e Motherwell. A adição desses times na Championship devem complicar a nossa situação.

Obrigado pelo comentário.

Share this post


Link to post
Share on other sites
Bigode.

Que baita reforço foi o atacante ali, hein? Jogou muito e certamente foi nome essencial nessa reta final.

Como já foi falado, conseguiu alcançar o objetivo de se manter. Agora é tentar aumentar a qualidade para ir melhorando aos poucos e, paralelamente, conseguir mais dinheiro para elevar o patamar do clube a profissional e ter maiores chances de sucesso quando conseguir a promoção a outra divisão.

Share this post


Link to post
Share on other sites
Ademare
9 horas atrás, Bigode. disse:

Que baita reforço foi o atacante ali, hein? Jogou muito e certamente foi nome essencial nessa reta final.

Como já foi falado, conseguiu alcançar o objetivo de se manter. Agora é tentar aumentar a qualidade para ir melhorando aos poucos e, paralelamente, conseguir mais dinheiro para elevar o patamar do clube a profissional e ter maiores chances de sucesso quando conseguir a promoção a outra divisão.

Oi Bigode. O Hardie foi um achado mesmo. Espero manter na equipe por bastante tempo. Sobre o planejamento a ideia é essa mesmo, sem pressa, reforçar, profissionalizar e subir.

Obrigado pelo comentário.

Share this post


Link to post
Share on other sites
Ademare

XNzsQ7w.jpg

Temporada 2019/2020 – Empolgou

O Blue Brazil conseguiu sua manutenção na temporada passada na Ladbrokes Championship e na nova temporada o técnico Pedro Antunes sabia que teria que reforçar a equipe para galgar lugares mais acima. O técnico sabia também que o time precisava se tornar profissional se quisesse se desenvolver mas, para isso, dinheiro teria que entrar no clube e a única forma que Antunes conseguia pensar para isso acontecer seria avançar o máximo possível em todas as competições que o Cowdenbeath disputasse na temporada. Vamos ver nessa atualização a montagem da equipe e como se saíram os “Miners” em 2019.

Equipe técnica.

Algumas movimentações foram feitas para melhorar um pouco mais as condições fora das 4 linhas do clube.

LqK9kgU.png

wHsyIWX.png

Transferências

m4Z2603.png

Como podem observar grande parte das transferências do time foram realizadas em Junho.

Nas saídas, vários jogadores em fim de contrato que não iam fazer parte dos planos desta temporada. Destaco aqui Thomas Grant que foi durante essas 3 temporadas passadas um dos principais jogadores do time mas infelizmente não tinha nível suficiente para continuar a jogar na Championship. Aparentemente sair do clube foi muito desestimulante ao jogador que se aposentou aos 25 anos.

Nas vendas Lewis Milne foi um dos nossos principais armadores da temporada passada meio de campo. O pretendia manter na equipe mas quando o Hamilton chegou com a proposta ele pediu imediatamente reunião pedindo para sair. Não quis mantes o jogador insatisfeito. Callum Tapping também era importante meio defensivo em nosso esquema e quando a proposta chegou por ele, teve o mesmo comportamento do Lewis e tive a mesma atitude: o liberei pois quem não acredita em nosso projeto não é bem vindo.

Falemos então das entradas que não foram poucas.

No gol chegou Jordan Millar do Montrose, jogador jovem que chega para ser titular. Não acho ele essas maravilhas mas há uma escassez terrível na Escócia de jogadores ao menos razoáveis nessa posição. Para ser o reserva veio também Shaun Rowley.

Pelas laterais chegaram na direita Liam Smith, ex-Dundee Utd e que deve assumir a titularidade na posição. Pela esquerda veio por empréstimo do Hearts Lewis Strapp.

Na zaga trocamos praticamente todas as peças. Renovamos o empréstimo de Daniel Baur do Hearts e trouxemos Daryll Meggatt do Dumbarton, Kieran Kennedy do Hamilton, Ally Glichrist do Airdrie e o jovem Lewis Bell do Queen of South.

Pelo meio para contenção e marcação trouxemos Kyle Jacobs (jogador tem segunda nacionalidade escocesa) que veio no fim do contrato com o Queen of South, tem uma avaliação excelente dos olheiros e deve ser um dos nossos principais jogadores na temporada. Chegou também Tom Hateley vindo do Dundee. Por último trouxemos também o experiente Darian MacKinnon que estava sem clube por um tempo depois te ter rescindido seu contrato com o Hamilton.

Os responsáveis criativos pelo meio serão Martin Smith que veio do Kilmarnock e Tom Fry que veio do Queen’s Park. Buscando uma maior versatilidade em meu time, tentarei adotar um novo esquema, um 4-4-2 clássico buscando mais controle de bola. Com isso, para as extremidades chegaram Lionel Ainsworth do Motherwell e Danny Williams do Dundee.

No ataque desembarcaram o ponta de lança Jake Pickard vindo do Iverness CT e Kevin O’Hara, avançado defensivo emprestado do Rangers.

Kerr Mclnroy foi dispensado pelo Celtic mas meu olheiros veem potencial no rapaz. Contratamos e ele foi prontamente emprestado para o Clyde. Pelo potencial também contratamos Regan Hendry também dispensado do Celtic.

O plantel final poderá ser observado no tópico Extracampo Cowdenbeath.

Pré-temporada 19-20

IItZrm2.png

Foram realizados amistosos para entrosar a equipe, trazer melhor preparo físico e consistência tática pois alteramos praticamente toda a equipe titular. Foram bons jogos que, mesmo com a equipe visivelmente desentrosada, trouxe otimismo para a temporada que se aproxima.

Betfred Cup

ZFu9r70.png

A esperança era grande nessa temporada de irmos para a segunda fase mas logo de cara vi que as coisas não seriam fáceis. Estreamos muito mal contra o Berwick e perdemos nos pênaltis por 5x4 para o time da Ladbrokes League 2! Em seguida perdemos para nosso rivais Dunfermline em jogo que saímos atrás, viramos e sofremos uma revirada. 3x2 e fim do tabu de 5 jogos.

O time se acertou um pouco mais e fizemos boa partida contra o Motherwell. Mesmo jogando fora de casa dominamos e vencemos por 2x0. A essas alturas já suspeitava que não conseguiríamos a classificação para a próxima fase mas fiquei feliz de ver que mesmo assim o time entrou sério e confiante contra o Clyde que saiu derrotado por 3x0. poderia ter sido ainda mais se Ryan Hardie não tivesse desperdiçado um pênalti.

7JcUsZd.png

Taça Challenge da Liga Escocesa

mGzQBLT.png

Finalmente avançamos um pouco mais em um das taças mas infelizmente não foi ainda o quanto eu queria. Dessa vez não demos chance ao azar e dominamos o Berwick do início ao fim da partida vencendo por 3x0. Em seguida enfrentamos o TNS, time do País de Gales (?) e atual campeão da primeira divisão. Vencemos com facilidade por 3x1. Chegamos as quarta de finais contra o velho conhecido Ayr mas não fizemos bom jogo e acabamos por ser eliminados por 3x1.

Taça da Escócia

RSDS9Wv.png

Infelizmente mais um ano decepcionante! No primeiro sorteio, terceira eliminatória, caímos contra Queen of South que está na Ladbrokes League 1. Nosso adversário não quis saber de nos respeitar e passou fácil por nós vencendo por 2x0.

Ladbrokes Championship

I7yMwxR.png

Começamos o campeonato em agosto muito mal sofrendo pesada derrota para o Morton por 3x0. Acordamos e partimos para uma ótima recuperação. Vencemos o Kilmarnock em seus domínios por 1x0, empatamos em casa contra o Hiberninan em 1x1 e vencemos Airdrie e Raith por 3x2 e 3x1, ambos fora de casa.

OHodXsa.png

Em setembro apresentamos dificuldades em casa. Vencemos o Motherwell por 2x1 mas não passamos de um empate em 0x0 com Hamilton e perdemos a partida seguinte para o Livingston por 1x0.

Em outubro não conseguimos reagir de início perdendo para o Ayr por 1x0. No início do primeiro returno devolvemos a derrota para o Morton vencendo por 3x2 com direito a Hat Trick de Ryan Hardie. Mais uma vez tivemos dificuldades em casa e acabamos perdendo para o Kilmarnock por 1x0 em jogo que a expulsão de Tom Hateley fez a diferença.

y4DjQMV.png

Novembro chegou e foi um mês que passamos invictos. Vitória sobre o Hibernian por 1x0 e empate em 1x1 com Motherwell, ambos fora de casa. Em seguida vitória contra o Airdrie por 2x0 e empate sem gols frente ao Ayr fechando o mês.

Pare encerrar nossa bela campanha em 2019, um mês com gols, MUITOS GOLS. Nem parecia que seria assim pois começamos com (FINALMENTE!) vitória sobre o Hamilton por 1x0, na casa deles. Mais um jogo fora e fizemos a partida mais inesperada desse save até o momento. Empate em 6x6 (isso mesmo, 12 gols!) contra o Livingston com partida perfeita de Kevin O’Hara.

WdGAdGN.png

Depois desse saga empatamos com o Ayr e vencemos em seguida o Morton em casa, 1x1 e 1x0. Perdemos em seguida para o empolgante Kilmarnock por 1x0 e, quando parecia que tínhamos esgotado a sede de gols lá contra o Livingston, demos um belo presente ao Airdrie os derrotando por 4x0 em plena véspera de natal em seus domínios.

Extracampo Cowdenbeath

Classificação Ladbrokes Championship.

1hjBFKS.png

Seguem as estatísticas gerais e individuais da Ladbrokes Championship.

Segue o plantel do Cowdenbeath nesse segunda parte de 2019.

Tom Fry se lesionou no final de outubro (lesão no tendão de aquiles) e ficará fora por pelo menos por 5 meses. No fim de novembro foi a vez do nosso atacante Ryan Hardie fraturar a perna ficando na geladeira por 6 meses (praticamente todo o resto da temporada).

Foi solicitado durante o período, mudança do estatuto da equipe para profissional que foi negado pelo diretoria com a justificativa de falta de verbas.

Share this post


Link to post
Share on other sites
vinny_dp

Mudou muito a equipe mas parece que aos poucos tudo vai se acertando.

Já se colocou numa boa posição no campeonato, dentro da zona de playoffs e agora é seguir firme para quem sabe alcançar o acesso, convencendo a diretoria a tornar o clube profissional.

Boa sorte!

Share this post


Link to post
Share on other sites
ggpofm

Está fazendo uma temporada muito boa no Championship. Se não tivesse sofrido tantos gols naquele incrível jogo contra o Livingstone, teria um registro defensivo muito melhor do que tem. Vejo a equipe com possibilidades de conseguir a promoção, se não cometer deslizes, ainda mais com a eliminação nas taças.

Mesmo com as mudanças na Comissão Técnica ainda existem muitas áreas carentes, se bem que em todas elas o Cowndebeath está acima da média.

Me perdoe o comentário, mas acho que a contratação de um sul-africano (2ª nacionalidade escocesa) desrespeita a principal regra do save que você criou: "O time só poderá conter jogadores extra comunitários brasileiros com exceção de jogadores estrangeiros surgidos na base". ;)

Share this post


Link to post
Share on other sites
lakers20

Vem fazendo uma boa campanha ate agora e com direito a um maluco 6x6. Achei estranho o TNS de Gales em uma competição Escocesa, ou foi bug ou foram convidados mesmo.

Share this post


Link to post
Share on other sites
Ademare
46 minutos atrás, vinny_dp disse:

Mudou muito a equipe mas parece que aos poucos tudo vai se acertando.

Já se colocou numa boa posição no campeonato, dentro da zona de playoffs e agora é seguir firme para quem sabe alcançar o acesso, convencendo a diretoria a tornar o clube profissional.

Boa sorte!

Oi Vinny. Sim, fizemos varias alterações, reforçamos todas as posições e o time aos pouco vai ser acertando e se mostrando competitivo. Estou muito feliz e orgulhoso com nossa posição na Championship. Na temporada passada, tivemos um desempenho um pouco pior na segunda parte do campeonato, espero que, se aconteça, não nos tire do playoff. Por outro lado, quem sabe o Kilmarnock não dá um fraquejada e tentamos um assalto surpreendente ao título? 6 pontos não são uma distância muito grande concorda? Em relação a profissionalização, é continuar implorando durante o ano e ver o que acontece.

Obrigado e obrigado pelo comentário.

9 minutos atrás, ggpofm disse:

Está fazendo uma temporada muito boa no Championship. Se não tivesse sofrido tantos gols naquele incrível jogo contra o Livingstone, teria um registro defensivo muito melhor do que tem. Vejo a equipe com possibilidades de conseguir a promoção, se não cometer deslizes, ainda mais com a eliminação nas taças.

Mesmo com as mudanças na Comissão Técnica ainda existem muitas áreas carentes, se bem que em todas elas o Cowndebeath está acima da média.

Me perdoe o comentário, mas acho que a contratação de um sul-africano (2ª nacionalidade escocesa) desrespeita a principal regra do save que você criou: "O time só poderá conter jogadores extra comunitários brasileiros com exceção de jogadores estrangeiros surgidos na base". ;)

Oi gg. Concordo, estou muito feliz com o desempenho da equipe. Depois de 3 temporadas sofrendo com a defesa, parece que consegui ajeitar esse setor. Seria, por um lado, incrível consegui já a promoção, com certeza estamos no páreo, por outro lado, a situação de continuar ainda como semi-profissional ainda me incomoda bastante pois afeta no desenvolvimento dos jogadores e limita nossa comissão técnica como você bem observou.

Em relação ao desrespeito a regra, entendo sua leitura mas ela está equivocada. Como você trouxe do meu texto acima, Não iria utilizar jogador extra comunitário que não fosse brasileiro. A segunda nacionalidade de Jacobs o torna um jogador comunitário o deixando apto para uso dentro das regras que estabeleci. Se encaixa também no caso do jogador Ricardo Kessels por exemplo que tem nacionalidade holandesa e segunda brasileira. Com a saída da escócia do Brexit, se o fosse contratar oriundo de outra equipe de fora do Reino Unido ele entraria no clube como jogador extra comunitário porém, seria permitida sua utilização devido sua segunda nacionalidade brasileira. Bom, pelo menos assim estou encarando essas situações.

Obrigado pelo comentário

2 minutos atrás, lakers20 disse:

Vem fazendo uma boa campanha ate agora e com direito a um maluco 6x6. Achei estranho o TNS de Gales em uma competição Escocesa, ou foi bug ou foram convidados mesmo.

Oi Lakers. De fato tem sido uma boa e surpreendente campanha. Esse 6x6 foi um dos jogos mais bizarros que tive a oportunidade de vivenciar no FM17. Ainda não tive tempo para pesquisar se foi um bug ou se essa Taça Challenge de fato envolve convidados do Reino Unido para a competição. Ela é uma competição estranho pois alguns clubes da Premiership não participam com suas equipes principais e sim com suas equipes sub-20.

Obrigado pelo comentário.

Share this post


Link to post
Share on other sites
Tsuru

Que jogo foi esse hein? Não me lembro de ter visto um outro 6 x 6 no FM...

A campanha na Segunda Divisão é boa, e se mantiver a pegada dá até pra brigar pelo título. Vamos ver como o Cowden se mantém na sequência do campeonato.

Share this post


Link to post
Share on other sites
ggpofm
57 minutos atrás, Ademare disse:

Em relação ao desrespeito a regra, entendo sua leitura mas ela está equivocada. Como você trouxe do meu texto acima, Não iria utilizar jogador extra comunitário que não fosse brasileiro. A segunda nacionalidade de Jacobs o torna um jogador comunitário o deixando apto para uso dentro das regras que estabeleci. Se encaixa também no caso do jogador Ricardo Kessels por exemplo que tem nacionalidade holandesa e segunda brasileira. Com a saída da escócia do Brexit, se o fosse contratar oriundo de outra equipe de fora do Reino Unido ele entraria no clube como jogador extra comunitário porém, seria permitida sua utilização devido sua segunda nacionalidade brasileira. Bom, pelo menos assim estou encarando essas situações.

Entendo seu ponto de vista, mas faço uma reflexão no sentido da desnacionalização de sua equipe. Você não acha que a cada jogador de dupla nacionalidade contratado, mesmo que a nacionalidade seja escocesa, você na realidade diminui o caráter escocês de sua equipe, que já possui próximo de 50% de estrangeiros?

Penso que certas oportunidades deveriam ser aproveitadas para aprofundar a grande ideia de save que você tem em mãos, ou seja, um time formado por escoceses e brasileiros, o Blue Brazil. Contudo, entendo perfeitamente que o caminho que você queira seguir seja outro. Não fique chateado comigo. ;)

 

Share this post


Link to post
Share on other sites
rick_sg_rj

A temporada inicio melhor que a passada, e parece que os jogadores que chegaram adicionaram qualidade a essa equipe.. esse 6x6 é épico... Vamos ver se consegue manter essa pegada.. será que dá para vir um título??

 

Boa Continuação!!!

Share this post


Link to post
Share on other sites
Ademare
20 horas atrás, Tsuru disse:

Que jogo foi esse hein? Não me lembro de ter visto um outro 6 x 6 no FM...

A campanha na Segunda Divisão é boa, e se mantiver a pegada dá até pra brigar pelo título. Vamos ver como o Cowden se mantém na sequência do campeonato.

Oi Tsuru. Tirando que praticamente todo chute que o O'Hara deu pro gol entrou, não posso reclamar ahahaha. A campanha é muito boa mesmo, bem acima do que eu esperava. Vamos acompanhar, espero que a gente mantenha o ritmo.

Obrigado pelo comentário.

18 horas atrás, ggpofm disse:

Entendo seu ponto de vista, mas faço uma reflexão no sentido da desnacionalização de sua equipe. Você não acha que a cada jogador de dupla nacionalidade contratado, mesmo que a nacionalidade seja escocesa, você na realidade diminui o caráter escocês de sua equipe, que já possui próximo de 50% de estrangeiros?

Penso que certas oportunidades deveriam ser aproveitadas para aprofundar a grande ideia de save que você tem em mãos, ou seja, um time formado por escoceses e brasileiros, o Blue Brazil. Contudo, entendo perfeitamente que o caminho que você queira seguir seja outro. Não fique chateado comigo. ;)

Oi gg. Sobre o primeiro paragrafo, não concordo. Se o jogador é considerado escocês, é escocês e ponto na minha opinião. A minha equipe possui próximo dos 50% de jogadores de fora da escócia mas praticamente 100% de jogadores de dentro do reino unido e possui "um" jogador extra-comunitário, brasileiro, no plantel. Talvez minha introdução no save tenha dado a entender algo diferente do que você esperava.

Continuando em relação ao segundo parágrafo, entendo seu ponto de vista e acredito estar seguindo exatamente esta ideia, talvez, com um pouco menos (ou bem menos) escoceses do que você gostaria. A ideia de trazer os brasileiros ainda esta bem viva em minha cabeça e pretendo fazer isso, porém, preciso fazer com que o clube cresça e se desenvolva para conseguir chegar no raio de observação mundial e, finalmente, começar a prospectar algum jogador tupiniquim para a equipe. Junto a isso, pretendo também fornecer jogadores para a seleção escocesa (tanto quanto ou mais que Celtic e Rangers) mas, para isso, preciso que a equipe se torne profissional, que entre dinheiro, etc etc etc. Tudo me leva a desenvolver a equipe a um patamar melhor para que eu possa alcançar meus objetivos então, nesse planejamento que estou realizando, acredito que estou dentro da ideia que pensei em executar nessa história.

Quanto a estar chateado, longe disso! Fico feliz em poder esclarecer e conversar sobre o save, me demonstra interesse dos leitores (você em especial que sempre dispõe um tempo para comentar a cada atualização) e se em algum momento alguma colocação pareceu ríspida peço desculpas pois não foi a intenção.

Obrigado pelo comentário gg!

17 horas atrás, rick_sg_rj disse:

A temporada inicio melhor que a passada, e parece que os jogadores que chegaram adicionaram qualidade a essa equipe.. esse 6x6 é épico... Vamos ver se consegue manter essa pegada.. será que dá para vir um título??

 

Boa Continuação!!!

Oi rick. Sim, essa temporada está bem diferente que a anterior. No mesmo período o time ainda era muito irregular e terminamos em 6º. Os reforços contribuiram muito mesmo para elevar essa posição. Sobre o 6x6 só essa palavra define mesmo, épico! Sobre o título, corremos por fora e o Kilmarnock está indo muito bem! se começarem a escorregar há uma possibilidade mas também temos que continuar o bom ritmo que tivemos até agora.

Obrigado e obrigado pelo comentário.

Share this post


Link to post
Share on other sites
DiogoHernandes

Cara que período foi esse, realmente o time empolgou mas não venha falar de cheirinho pq pode zicar hein.

Achei curioso um time do País de Gales jogar uma Copa Escocesa.

Algumas coisas no Reino Unido são esquisitas.

Share this post


Link to post
Share on other sites
Henrique M.
Em 09/08/2017 at 18:12, DiogoHernandes disse:

Cara que período foi esse, realmente o time empolgou mas não venha falar de cheirinho pq pode zicar hein.

Achei curioso um time do País de Gales jogar uma Copa Escocesa.

Algumas coisas no Reino Unido são esquisitas.

Isso é normal no Reino Unido, tem time inglês jogando Liga Escocesa, time metade-galês, metade inglês jogando em Gales e por aí vai. Até as Irlandas tem times misturados.

Quanto a atualização, bom ver que a equipe continuou a evolução e está superando a campanha da temporada passada, agora é manter o nível e não deixar a peteca cair e o rendimento prejudicar qualquer aspiração da equipe.

E acho estranho até hoje o Cowdenbeath não ter virado profissional. Existem outros clubes nessa situação na Championship?

Share this post


Link to post
Share on other sites
Ademare
Em 09/08/2017 at 18:12, DiogoHernandes disse:

Cara que período foi esse, realmente o time empolgou mas não venha falar de cheirinho pq pode zicar hein.

Achei curioso um time do País de Gales jogar uma Copa Escocesa.

Algumas coisas no Reino Unido são esquisitas.

Oi Diogo. Eu quase negativei seu comentário só por ter escrito isso ai em cima, fica ligado! ahahhah. Eu também achei estranho mas como comentei mais acima a Taça Challenge é bem esquisitinha mesmo aliado ainda com o que o Henrique menciona abaixo.

Obrigado pelo comentário.

14 horas atrás, Henrique M. disse:

Isso é normal no Reino Unido, tem time inglês jogando Liga Escocesa, time metade-galês, metade inglês jogando em Gales e por aí vai. Até as Irlandas tem times misturados.

Quanto a atualização, bom ver que a equipe continuou a evolução e está superando a campanha da temporada passada, agora é manter o nível e não deixar a peteca cair e o rendimento prejudicar qualquer aspiração da equipe.

E acho estranho até hoje o Cowdenbeath não ter virado profissional. Existem outros clubes nessa situação na Championship?

Oi Henrique.Continuamos evoluindo sim, as transferência se mostraram acertadas e deram resultado imediato. Espero manter o bom ritmo da primeira perna para quem sabe até um assalto ao título. A questão da profissionalização é estranha mas compreensível. Nossas finanças são bem tímidas e nossas contas só fecham no azul temporada após temporada pois acredito que o time ser semi-profissional trás bem menos impacto nas contas. Na Championship apenas o Livingston divide o estatuto semi profissional conosco.

Obrigado pelo comentário.

 

Share this post


Link to post
Share on other sites
Ademare

XNzsQ7w.jpg

Temporada 2019/2020 – Não se escreve a história só com títulos.

O Blue Brazil mais uma vez foi eliminado precocemente de todas as taças que disputou nesta temporada porém, o time fazia ótima campanha em sua segunda temporada na Ladbrokes Championship, ocupando uma surpreendente segunda posição até o fim de 2019. Vamos ver nessa atualização o que aconteceu com o restante da temporada dos Miners.

FT8w8Bd.png

 Ladbrokes Championship

Começamos o ano com o pé direito vencendo o Hibernian em casa por 4x3 nos minutos finais de partida. Na sequência, mais uma vez em casa desperdiçamos a oportunidade de colar no líder por conta de uma derrota ao Motherwell por 3x2. Para não deixar cair o ritmo, vencemos o Hamilton por 2x1 fechando um mês com vitórias apertadas e com fase impressionante de Kevin O’hara. Nesse período o atacante foi responsável por 6 dos nossos 8 gols marcados.

55TSaUz.png

Em fevereiro, mês curto mas com mais jogos que janeiro, começamos vencendo fora de casa o Raith por 2x0. Em seguida uma das nossas melhores partidas até agora na temporada, uma vitória dominante por 4x1 no Ayr. Voltamos a jogar em casa contra o Livingston em mais um jogo curioso contra eles, vencemos por 2x1 com dois gols de Martin Smith que ainda desperdiçou dois pênaltis na partida! No final do mês, “jogo de 6 pontos” contra o líder Kilmarnock. O time adversário sentiu nosso bom momento e jogou fechado, truncado, conseguindo arrancar um empate por 1x1 abrindo a caixa de ferramenta.

NgVJMQd.png

Março é um mês preguiçoso e só atuamos por duas vezes. Voltamos a vencer o Hibernian por 1x0, dessa vez em seus domínios e passamos também pelo Airdrie por 2x0.

pHKC4l0.png

Em abril seria decido o campeonato. Vínhamos forte na luta mas o Kilmarnock também não tropeçava. Começamos vencendo o Motherwell por 2x1 fora mas o time sentiu e pressão e apenas empatamos com Raith por 0x0 e Hamilton 1x1. Se sentimos daqui, eles também sentiram de lá pois nosso adversário perdeu seus jogos nas últimas duas rodadas! Se tivéssemos vencido esses dois jogos, o título seria nosso mas infelizmente agora só restavam 2 partidas e a diferença era de 4 pontos. Fizemos nossa parte vencendo Ayr por 1x0 e o Livingston por 2x1 já no mês de maio. Infelizmente na penúltima rodada o Kilmarnock bateu o Hamilton e se sagrou campeão, empatando na última rodada nos deixando a 2 pontos do título.

8WDyFWE.png

Classificação Final Ladbrokes Championship

9dkNIeR.png

Playoff de Promoção Ladbrokes Championship

Como puderam ver acima, iriam disputar o playoff de promoção nós, Hamilton e Raith. Quem sobrevivesse iria então disputar o playoff de despromoção da Premiership contra o Dundee.

Hamilton e Raith disputaram a primeira fase eliminatória e o Hamilton continuou na briga ao derrotar adversário com o placar de 2x1 no agregado (1x1 e 1x0) se habilitando para nos enfrentar na próxima fase.

Chegou então a nossa hora! Por termos feitos melhor campanha iríamos decidir essa etapa em casa. No primeiro jogo fazíamos um bom primeiro tempo jogando fechado e saindo nos contra ataques mas no apagar das luzes da primeira etapa Kal Naismith colocou o adversário na frente. O time sentiu o impacto e logo aos 4 minutos da segunda etapa o artilheiro Lawrence Shankland ampliou! Quando tudo parecia que iria desmoronar, o xerife Kieran Kennedy subiu mais alto que toda a zaga do Hamilton e descontou para o Cowdenbeath 5 minutos depois. Muito nervosismo dos dois lados arrastou o jogo até o apito final sem alteração no placar. Desvantagem mínima mas um gol fora de casa trazia alento.

No jogo de volta o Blue Brazil entrou determinado mas muito nervoso. Aos 23’ Jake Pickard nos trouxe de volta a vantagem mas que não durou muito pois aos 31’ Kal Naismith nos tirou o pão da boca e o placar permaneceu inalterado até o fim da primeira etapa.

Foi no coração, no berro, na alma, sabe lá o que foi, mas o que Pedro Antunes falou nos vestiários mexeu com a cabeça dos jogadores. O time voltou precisamente letal para a segunda etapa. Logo aos 6’ Ryan Hardie devolveu a vantagem aos miners. Em um daqueles momentos tocantes do futebol, o lateral direito Dean Brett, que praticamente não jogou essa temporada, mas que tem sido extremamente importante na trajetória atual da equipe, entrou na partida e aos 19’, em cobrança de falta, ampliou. Por conseguinte, o capitão da temporada atual Kyle Jacobs acabou por anotar os dois tentos finais da partida aos 30’ e 45’ do segundo tempo! O sonho da promoção ainda era possível!

dVnIiFG.png

Playoff de Despromoção Ladbrokes Premiership

O sucesso inesperado ou o final melancólico da temporada dependiam de mais dois jogos. O adversário era o Dundee da Premiership. Dessa vez tudo seria decido na casa dos adversário e não haviam vantagens.

No primeiro jogo no Central Park uma partida equilibrada mas há de se admitir, feia e pobre tecnicamente. O adversário finalizou apenas uma vez no gol do Cowdenbeath, que por sua vez, só conseguiu duas finalizações. Mas,  em uma delas, Danny Williams aos 47 minutos do segundo tempo, decretou vantagem para os miners no jogo de volta! 1x0.

Mais de 10.000 torcedores para acompanhar o último jogo da temporada escocesa. Desses, apenas 581 sonhavam com o que poderia ser o primeiro acesso a primeira divisão escocesa da história do Cowdenbeath. Mas o time ainda tinha mais uma missão a cumprir.

E a missão se tornou espinhosa quando aos 28’ Crossan abriu o placar para o Dundee. O jogo em si foi bem melhor que o do Central Park. Os miners jogaram muito bem mas na "hora H" pecaram em suas finalizações deixando o serviço do goleiro Rohan Ferguson mais tranquilo, aumentado sua confiança. O tempo foi passando e a possibilidade de pênaltis foi se desenhando e, para o desespero de Pedro Antunes, seu goleiro Jordan Millar sentiu uma lesão no ombro, depois de já realizadas as 3 substituições do time, aos 44 do segundo tempo!

Apito final e a decisão foi para os pênaltis!

O Cowdenbeath começou as cobranças com Martin Smith cobrando rasteiro no canto direito, 1x0.

Pelo Dundee, Darren O’Dea também no canto direito empatou o placar, 1x1.

Dean Brett, o lateral direito reserva (antes "dono do time"), ampliou nossa vantagem com cobrança idêntica a primeira, 2x1.

Luke Leahy, trocou de canto, bateu a meia altura e foi bem sucedido, 2x2.

Nosso atacante Ryan Hardie bateu bola alta no canto direito, tão alta que passou por cima do travessão, 2x2.

Liam Polworth bateu o pênalti mais defensável até aqui, rasteiro, um pouco a direita, mas quase no centro. Jordan Millar pulou na direção e tempo certos mas a bola passou por debaixo do braço do arqueiro, virada para o Dundee, 3x2.

Nosso zagueiro Kieran Kennedy fechou os olhos e meteu uma bomba alta no meio do gol, 3x3.

Crossan, autor do gol da partida, bateu no canto esquerdo sem chance ao nosso goleiro, 4x3.

Se Jake Pickard perdesse seu pênalti era o fim. O atacante inglês bateu alto e na direita nos mantendo vivos, 4x4.

Era vez o atacante inglês do adversário, se Delfouneuso convertesse, salvava o Dundee do rebaixamento. Optou pela segurança, bateu a meia altura no meio do gol. Nosso goleiro Jordan Millar, talvez querendo poupar seu ombro lesionado, talvez já desistindo de lutar, ficou parado e viu a bola vir em sua direção espalmando a bola para longe como se tivesse pegando um susto. Pegou, e pegou o pênalti também, 4x4, ainda vivos e agora seriam cobranças alternadas.

O volante experiente Darian MacKinnon mandou torpedo a meia altura um pouco a esquerda do goleiro que nem viu a cor da bola, 5x4, retomávamos a vantagem!

Era a vez de Cameron Burgess, zagueiro australiano de 25 anos, um dos poucos que se salvavam na pífia campanha do Dundee, até esse momento... chutou um pouco a direita e a meia altura, Jordan Millar esperou e saltou no momento certo em direção a bola a espalmando para longe do gol. 5x4 placar final nos pênaltis! O Cowdenbeath chegava, pela primeira vez na sua história, a primeira divisão escocesa!

bsbfulF.png

PsBMciL.png

Extracampo Cowdenbeath

Pedro Antunes concluiu novo curso de treinador e possui licença A Continental.

Com o acesso, dias depois a diretoria anunciou e alteração de estatuto do clube para Profissional. Espero que não tenha sido tarde demais e que possamos atrair alguns bons jogadores para a próxima temporada.

Spoiler

Aqui gostaria de pedir minhas sinceras desculpas aos leitores. As estatísticas gerais, individuais e o plantel com suas estatísticas não terei como fornecer nessa atualização. Acabei criando dois arquivos, um que segui o jogo e outro que deixei parado no final da temporada para colocar aqui as informações que sempre trago mas acabei, acidentalmente, perdendo o arquivo com as estatísticas finais da temporada.

 

Share this post


Link to post
Share on other sites
Danut

Rapaz, fiquei um tempo sem passar por aqui, mas parece que me atualizei no momento certo.

Não vou comentar muito sobre os períodos anteriores. Primeiro, porque minha leitura das atualizações ficou um pouco prejudicada pela minha internet, que tá louca (metade das imagens não abriu - mas é problema aqui comigo mesmo, nada do teu tópico). Depois, porque qualquer coisa que falasse sobre o que aconteceu antes perderia importância diante desse último resultado. Meus parabéns pela conquista do acesso.

Já é meio clichê dizer que o acesso foi suado e sofrido. Todo acesso tem um quê de sofrimento. Mas esse aí foi sensacional. Chegar na última penalidade com tudo perdido, e daí de repente estar vivo de novo. Tem que comemorar demais isso aí.

Espero que agora a diretoria profissionalize o time. Acho que isso vai ser consequência natural do acesso. 

 

PS: Ah, eu disse que não ia comentar sobre antes, mas não podia deixar passar: QUE PORRA FOI AQUELE 6 A 6???

Share this post


Link to post
Share on other sites
André Honorato

caralho, conseguiu a promoçao como semi-profissional, parabens, agora chegaram os dias de lutas e dias de glorias, seria magnifico chegar numa euro logo de cara heim rs

Share this post


Link to post
Share on other sites
LC

Emocionante. Subiu com sofrência  e nas penalidades. Teu goleiro, mesmo machucado fez a diferença no final.Parabéns pela promoção e agora é planejar bem a próxima temporada para não virar um clube ioiô. Na torcida para que tudo dê certo.

Share this post


Link to post
Share on other sites
Henrique M.

Com sofrimento ou sem ele, o importante é que subiu. Imaginei que tinha subido pelo título, mas não esperava que seria dessa forma. Parabéns, agora é preparar o Cowdenbeath para se tornar uma nova equipe com essa promoção, já que vai ser necessário para sobreviver na elite.

Share this post


Link to post
Share on other sites
Tsuru

Nossa, foi "com emoção" hein? O acesso veio no último pênalti, na última cobrança, na última chance...parabéns!!!

Agora com o time profissional vai ficar um pouco mais fácil sua vida na Premier. Precisará reforçar a equipe e a temporada tende a ser difícil, tentando evitar o rebaixamento. Mas depois de tudo o que fez até aqui, acho que o Cowden consegue.

Boa sorte na continuação!

Share this post


Link to post
Share on other sites
ggpofm

A 2ª parte da temporada foi muito boa para o Cowdenbeath. Pena que não foi suficiente para o título. Cheguei a pensar que cairia para o Hamilton, mas a goleada de 5 a 1 foi para afastar qualquer dúvida. Contra o Dundee é que foi dureza. Poderia ter pemanecido mais uma temporada no Championship, mas conseguiu a promoção e de quebra a profissionalização, que talvez seja o mais importante para o save. Espero que consiga ajustar a equipe para pelo menos se salvar na próxima temporada.

Share this post


Link to post
Share on other sites
vinny_dp

Achei que o acesso viria de forma direta e por pouco não acertei. 

Nos playoffs mostrou que estava pronto para ser o representante da Ladbrokes no jogo final e nele a equipe mostrou que frieza para passar pela disputa de pênaltis contra o Dundee.

Agora com o acesso garantido vem o planejamento para a primeira divisão, algo que deve ser bem estudado para evitar que o clube volte a Ladbrokes. 

Boa sorte Ademar!

Share this post


Link to post
Share on other sites
DiogoHernandes

E eu achando que sofri para subir hahahaha que jogos foram esses dos playoffs? foi buscar uma derrota contra Hamilton e contra o Dundee mesmo com o ombro machucado o goleiro salvou o Blue Brazil! Parabéns pela subida e por transformar o Cowdenbeath no que é hoje. 

Share this post


Link to post
Share on other sites
Guest
This topic is now closed to further replies.

  • Similar Content

    • Tsuru
      By Tsuru
      Os celtas eram um conjunto de povos que ocupava grande parte do território da Europa por volta de 1.000 a.C., indo desde a atual Grã-Bretanha até o local onde hoje é a Turquia. Há muitas teorias sobre a origem e a expansão desses povos, mas é um período tão antigo que as raízes se perdem no tempo. É inclusive dessa época que surge a lenda do Rei Arthur, que teria liderado a resistência dos bretões celtas contra os romanos.
      Outro detalhe interessante é que, na cultura celta, "Brasil" era uma ilha mística situada em algum local do oceano, e a própria origem desse nome é céltica. Há quem acredite que os povos antigos já conheciam a origem do Brasil e que foram eles que introduziram, na cultura popular europeia, a informação de que existiam terras além mar cheias de riquezas e animais exóticos. Esse detalhe eu não sabia e quem compartilhou a informação foi o @Inner Logic.
      Entre outras coisas que se sabe concretamente, é notório que os celtas veneravam a natureza e que, entre seus pares, existiam os druidas, pessoas encarregadas das tarefas de aconselhamento, ensino, orientações filosóficas e jurídicas, e rituais religiosos. 
      Entre os druidas famosos, reais ou imaginários, estão o lendário Merlin e o Panoramix, que preparava a poção mágica do Asterix. E essa figura do druida sempre fascinou este que vos fala, o que levou a pesquisar mais sobre a cultura em questão e sobre sua história.
      Descobri, inclusive, que hoje existem seis nações apontadas como “célticas originais”, por manterem traços culturais ou de linguagem desse povo - País de Gales, Escócia, Irlanda, Bretanha (no norte da França), Cornualha (sul da Inglaterra) e Isle of Man (entre a Inglaterra e a Irlanda). Há ainda outras regiões onde a influência celta é considerada forte, como o Norte de Portugal, as regiões da Galícia e Astúrias na Espanha, e a antiga Gália (atuais França, Bélgica e norte da Itália). E há ainda territórios ocupados por antigas tribos celtas onde pouco se sabe sobre o legado deixado por eles, como o sul da Alemanha/Áustria e diversos países do Leste Europeu.
      No futebol, talvez a influência mais clara desses povos seja o Celtic FC da Escócia, batizado com objetivo de propagar o orgulho que os fundadores tinham dessa origem.
      Já havia lido sobre a liga de futebol do País de Gales e sentido bastante vontade de experimentá-la, talvez porque seja um país muito associado aos druidas. E a ideia se complementou com a descoberta das nações célticas.
      Assim, narrarei a carreira de Drew Johnson, um treinador galês fictício sem qualquer experiência, apelidado de “O Druida” por ser um adepto do Neodruidismo.
      A jornada se iniciará na terra natal de Johnson, uma vila de 7 mil habitantes chamada Cefn Mawr (se lê "Kevin Maur"), localizada no condado de Wrexham.

       


       


      Carreguei todas as nações celtas “originais”, algumas delas representadas pelo país onde se situam, e escolhi outras para representar os territórios com forte influência céltica. 
      Na database original do FM, a liga galesa só tem a Welsh Premier League, a elite do futebol local; para dar um pouco mais de emoção, ativei a segunda divisão através do update do Classen.
      Foi necessário deixar alguns países de fora - por exemplo, Itália, Alemanha e Áustria - até porque não sei se meu notebook aguentaria o tranco. Só para garantir, diminuí a qualidade gráfica e tirei as animações, aparentemente o jogo está rodando sem problemas.
      Acho que, no geral, ficou bem representativo e com boas opções de progressão de carreira.
       

       
      Conquistar pelo menos um título por cada país onde passar; Conquistar um título invicto; Conquistar, em uma temporada, todos os títulos em disputa; Vencer a Liga dos Campeões da Europa; Vencer a Copa do Mundo; Me divertir.
       
       
      Nunca pedir demissão no meio de uma temporada;
      Se estiver empregado, priorizar a assinatura de novos contratos para o início da temporada seguinte, a fim de não abandonar nenhum clube durante uma competição.
       
    • AlexVivas
      By AlexVivas
      APRESENTAÇÃO
      Em primeiro lugar, quero pedir perdão a todos os amigos que leram, acompanharam, comentaram e me incentivaram em minhas sagas anteriores, que infelizmente não consegui êxito. Isso se deu devido a alguns fatores como: depressão devido a estresse (Transtorno de Ansiedade Generalizada), que sem tratamento evolui para a Síndrome de Burnout, discussões com a esposa que quase resultaram em divórcio, mudança de endereço e enrolação da operadora de internet e telefone, isso tudo resultando em um enorme desânimo para fazer qualquer coisa - até trabalhar - quanto mais jogar e postar.
      Ontem, dia em que a internet finalmente voltou, verifiquei que os "Meninos de Milão" e os "Atletas de Cristo" não estão mais disponíveis. Respirei fundo e me animei para compartilhar com vocês minha nova odisséia, que será maior e não menos emocionante que as outras. Estou me divertindo à beça, e espero transmitir a vocês isso.
      Minha inspiração para essa empreitada são 2 sagas daqui do nosso fórum que em minha opinião estão entre as mais espetaculares:
      O Mochileiro , do usuário @Luchín; Desafio Europa, do usuário @CCSantos; E a verdadeira saga do Alfabeto que se encontra no nosso "irmão" lusitano, o fórum FM Portugal: Alfabeto FC
      Li as 3 sagas - e recomendo - e então abri o Football Manager e voltei com força total !!
       DADOS DO SAVE
      Football Manager - Edição 2017, versão 17.3.1
      Base de Dados  - Megapack de ligas do Classen
      REGRAS DO SAVE
      Começar desempregado, e no nível mais baixo de treinador (sem licença, passado como jogador amador). Não há ordem de país, somente da letra inicial do nome; mudar de letra após ser campeão de TODOS os países da mesma. Ao finalizar a letra, reiniciar o Football Manager (recriar o técnico, com última licença e atributos, e se possível, com conquistas adquiridas), retornando à primeira temporada do jogo - exemplo: 2016 no FM 2017, 2017 no FM 2018. Ser campeão da 1ª Divisão do país selecionado; após o fim do campeonato, demitir-se caso não disputar copas. Se escolhido por um clube das Divisões abaixo da elite, seguir nesse clube até o topo e ser campeão; demissão como acima. Se disputar copas - por exemplo: Taça da Itália, Champions - seguir até ser eliminado/campeão. Se a mesma ocorrer após ser campeão da divisão principal, demitir-se somente depois de disputar a copa. Ao mudar de clube, contratar no máximo 3 jogadores do clube anterior. Se possível, melhorar o elenco e estruturas do clube no decorrer do tempo que ficar. OBJETIVO - Ser campeão da primeira divisão de TODOS os países do mundo.  NAVEGUE POR AQUI
      1º Post = Introdução da Saga (chegada ao 1º país)
      Preparação = Config da Database, Treinador  
       Jennings Grenades United (Antígua e Barbuda)
      Temporada 2016/17
      ABFA Premier League       = 4º Lugar - qualificado para a ABFA Champions League ABFA Champions League = CAMPEÃO Temporada 2017/18
      ABFA Premier League       = vice-campeão - qualificado para a ABFA Champions League ABFA Champions League = BI-CAMPEÃO Temporada 2018/19
      ABFA Premier League       = CAMPEÃO - qualificado para a ABFA Champions League ABFA Champions League = TRI-CAMPEÃO Pós-Título:
      Coletiva de Imprensa do Fórum Manager
      Legado
      Férias I
      Atualização de Currículo + Roteiro de Viagem 
      Centro de Emprego
      U.E. Saint Julià (Andorra)
      Temporada 2019/20
      Primera Divisió   = 4º Lugar - qualificado para a UEFA Europa League Copa Constitució = Semi-Final Temporada 2020/21
      Primera Divisió            = 4º Lugar Copa Constitució          = 1ª Eliminatória UEFA Europa League  = 1ª Eliminatória Temporada 2021/22
      Primera Divisió = VICE-CAMPEÃO - qualificado para a UEFA Europa League Copa Contitució = Semi-Final Temporada 2022/23
      Primera Divisió            = CAMPEÃO - qualificado para a UEFA Champions League Copa Constitució         = Semi-Final UEFA Europa League = 1ª Eliminatória   Temporada 2023/24
      Primera Divisió                   = Não disputada Copa Constitució                = Não disputada UEFA Champions League = 2ª Fase de Qualificação Supertaça d'Andorra          = VICE-CAMPEÃO - derrotado pelo Lusitanos Coletiva do Fórum Manager = Parte 01  -  Parte 02
      Legado
       Férias II
      Roteiro de Viagem
      Atualização de Currículo + Centro de Emprego
      Desde já agradeço a todos que lerão, comentarão e principalmente se divertirão junto comigo !!
       Abraço !!
       
       
       
       
    • Henrique M.
      By Henrique M.
      Reflexões, ponderações e filosofias
      Antes de falar do save em si, queria aproveitar o espaço para fazer um desabafo. Parece que a cada novo FM que surge eu vou perdendo cada vez mais o contato que eu tinha com o jogo no passado, mas vejo alguns exemplos de pessoas na mesma faixa de idade, mesma faixa de afazeres ou até em faixa maiores, jogando e tendo a boa e velha conexão com o jogo. Não sei se posso culpar o jogo em si ou culpar o jogo com relação a mim. Poderia ser pessoal, mas recentemente venho me divertindo no Football Manager 2008 e poderia facilmente migrar para o Football Manager Touch, que foi minha grande empolgação com um save, tirando os playoffs de promoção com o Santarcangelo. Então acredito que o problema não é do jogo, nem da minha relação com o jogo. É do que eu quero ver acontecendo no jogo.
      Infelizmente eu escolhi um desafio que o jogo não estava disposto a aceitar nas minhas condições, era possível, mas eu precisava aceitar as condições que o jogo impunha e isso não era o suficiente, eu precisava de mais e não aguentava ver o resultado do que eu queria dentro de campo. Não ligo para derrotas, para os percalços, desde que eles ocorram com meu time atuando da maneira pela qual ele foi desenhado para atuar. Se eu me comprometo com a retranca, tenho que estar ciente do que ela causa, se eu me comprometo com o jogo ofensivo, tenho que estar ciente do que ele causa e assim por diante. A questão é que eu me comprometi com uma coisa diferente, que era o líbero, não era uma questão de tática, não era uma questão de estilo de jogo. Era uma questão de trazer uma função morta para o FM e fazê-la funcionar tanto defensivamente quanto ofensivamente, mas isso limitava meu estilo de jogo a ser puramente defensivo ou contra-ofensivo. E as equipes que tiveram grandes líberos ofensivos não jogavam exclusivamente assim e muitas poderiam ser descritas como equipes fluidas e ofensivas.
      Eu passei do estágio de querer ver um desafio impossível sendo feito por mim, passei do estágio de querer acumular títulos e fazer grandes saves em termos de troféus e vitórias. Tive um dos maiores prazeres no FM 2015 com uma equipe que ganhou 3 italianos em umas 15 temporadas, perdeu 2 vezes a Champions e até hoje sinto saudades desses momentos, pois ali eu não estava construindo a minha dinastia, ali eu estava construindo uma história em conjunto com um clube. Tinha aquele apego, tinha aquela paixão de transformar o mundo do futebol. E esse é um problema grande, não consigo fazer igual a maioria das pessoas e escolher um save simples, seguro e que seja factível de se encerrar. Eu quero o desafio de modificar a história, criar momentos que só o FM proporciona e isso acredito que vem dificultando o processo de jogar FM.
      Desafabo feito, hora de seguir adiante e tentar mais uma vez. Se falharmos, levantamos, sacudimos a poeira e tentamos de novo.
      Introdução
      No Football Manager 2014 eu tentei aquele desafio impossível, meu grande feito até hoje foi conquistar a Champions League com o Rangers da Escócia no FM 2012. Por isso, decidi apimentar as coisas e buscar o título da Champions League com outro clube britânico, só que dessa vez advindo da Irlanda. Foram lindas 12 temporadas com 10 títulos nacionais, 9 deles consecutivos e incontáveis títulos nas copas domésticas, transformando o Shamrock Rovers no maior vencedor de todas as competições irlandesas. Em nível continental, realizamos o feito que o Dundalk realizou nessa temporada, ao se tornar o primeiro clube irlandês a participar de uma fase de grupos de uma competição europeia e fomos além, chegamos até as oitavas-de-final da Champions em uma ocasião e participamos por 3 ou 4 vezes do mata-mata da Liga Europa. Porém, apesar de nunca sequer estar perto de alcançar o único objetivo do save, transformei o Shamrock Rovers, mas isso não foi o suficiente para alavancar o futebol irlandês e sem a alavancagem do futebol irlandês seria impossível chegar até o objetivo do save. Eu me frustrei com isso, encerrei o save, depois me arrependi, mas a decisão já estava feita. Contudo, nesse save desenvolvi jogadores, criei ícones e lendas do clube, inclusive consegui segurar uma gigante promessa irlandesa por mais de 10 temporadas na equipe, fazendo com que um jogador da base se tornasse um importante jogador da história da equipe. E eram essas pequenas coisas que seguravam o save, mas infelizmente, ele estaria fadado a nunca dar certo da maneira que eu gostaria.
      Por isso, no ano passado, o ggpofm traduziu e adaptou um texto sobre como tornar uma liga competitiva e eu decidi que era hora de tentar realizar o impossível novamente, porém eu incuti no erro de começar o jogo no FM 2014 e comparar as duas histórias e é óbvio que isso deu errado, pois eu me frustrava com o que ocorria e olhava e comparava com o que havia sido feito e me perguntava o que estava acontecendo e o que estava sendo feito de errado, até o ponto em que eu comecei a tentar emular as decisões do passado. Isso ruiu a tentativa.
      É hora de aprender com o passado e recomeçar um desafio diferente que é transformar uma liga com um desafio do passado, a busca do impossível. Sinceramente, espero que seja esse o combustível necessário, pois o fato de querer continuar participando ativamente da área me fez retornar rapidamente com uma história. Quando não estou contando um save, a atenção que dou a área é totalmente diferente e sinceramente, como é uma área que pulsa numa vibração interessante e revigorante, acho injusto comigo mesmo não estar aqui, mesmo que o preço seja mais uma história inacabada.
      Objetivo
      Conquistar a Champions League com o Shamrock Rovers Regras do save
      Se o jogador não serve mais para o Shamrock Rovers, a prioridade é repassá-lo para uma equipe irlandesa, mesmo que isso signifique aceitar uma oferta menor ou perder o jogador de graça. Não contratar destaques de outras equipes irlandesas. Buscar repatriar jogadores irlandeses de ligas estrangeiras. Buscar contratar jovens promessas de equipes irlandesas, com o propósito de acelerar a evolução do mesmo. Buscar antecipar a concorrência externa pelos principais jogadores da liga, evitando que jogadores de bom nível ou alto potencial saiam do país. (A única condição que permite contratar um jogador adversário que seja importante para o clube) Caso alguma nova necessidade vá surgindo, irei informar num post e adicionar aqui Histórico
      2017 - 1º lugar na Airtricity Premier League, eliminado na 1ª rodada qualificatória da Europa League
      2018 - 1º lugar na Airtricity Premier League, eliminado no Playoff dos campeões da Champions League, 4º lugar no Grupo K da Europa League
      2019 - 1º lugar na Airtricity Premier League, Campeão da Copa da Irlanda, Campeão da Leinster Cup, 4º colocado no Grupo C da Champions League
      2020 - 1º lugar na Airtricity Premier League, Campeão da Copa da Irlanda, eliminado na 3ª Qualificatória da Champions League e nos Playoffs da Europa League
      2021 - 1º lugar na Airtricity Premier League, Campeão da Copa da Irlanda, Campeão da EA Sports Cup e 4º colocado no Grupo C da Champions League
      2022 - 1º lugar na Airtricity Premier League, Campeão da Leinster Senior Cup e 4º colocado no Grupo H da Champions League
      2023 - 1º lugar na Airtricity Premier League, Campeão da Copa da Irlanda, Campeão da Leinster Senior Cup e 2º colocado no Grupo J da Europa League
      2024 - 1º lugar na Airtricity Premier League, Campeão da Copa da Irlanda, Campeão da EA Sports Cup, eliminado nos 32-avos-de-final da Europa League e 3º colocado no grupo G da Champions League
      2025 - 2º lugar na Airtricity Premier League, Campeão da Copa da Irlanda, eliminado nos 32-avos-de-final da Europa League e 4º colocado no grupo B da Champions League
      2026 - 1º lugar na Airtricity Premier League, Campeão da Copa da Irlanda, Campeão da Leinster Senior Cup e 4º colocado no Grupo L da Europa League
      2027 - 1º lugar na Airtricity Premier League, Campeão da EA Sports Cup, Campeão da Leinster Senior Cup e 3º colocado no Grupo H da Champions League
      2028 - 1º lugar na Airtricity Premier League, Campeão da Copa da Irlanda, Campeão da EA Sports Cup e eliminado nas oitavas-de-final da Europa League e 3º colocado no Grupo E da Champions League
      2029 - 1º lugar na Airtricity Premier League, eliminado nos 32-avos de final da Europa League, 4º lugar no Grupo A da Champions League
      2030 - 1º lugar na Airtricity Premier League, Campeão da Copa da Irlanda, Campeão da Leinster Senior Cup e 4º lugar no Grupo C da Champions League
      2031 - 1º lugar na Airtricity Premier League, Campeão da Copa da Irlanda, Campeão da EA Sports Cup, Campeão da Leinster Senior Cup e 2º lugar no Grupo H da Champions League
      2032 - 1º lugar na Airtricity Premier League, Campeão da EA Sports Cup, Campeão da Leinster Senior Cup, Eliminado nas oitavas-de-final da Champions League 2031/2032  e 2º lugar no Grupo F da Champions League 2032/2033
      2033 - 1º lugar na Airtricity Premier League, Campeão da Leinster Senior Cup, Eliminado nas oitavas-de-final da Champions League 2032/2033 e 3º lugar no Grupo G da Champions League 2033/2034
      2034 - 1º lugar na Airtricity Premier League, Campeão da EA Sports Cup, Campeão da Leinster Senior Cup, Eliminado nas quartas-de-final da Europa League 2033/2034 e 3º lugar no Grupo C da Champions League 2034/2035
      2035 - 1º lugar na Airtricity Premier League, Campeão da EA Sports Cup, Campeão da Leinster Senior Cup, Campeão da FAI Ford Cup, Campeão da Europa League 2034/2035, Campeão da Super Copa da UEFA 2035 e 1º lugar no Grupo H da Champions League 2035/2036
      2036 - 1º lugar na Airtricity Premier League, Campeão da FAI Ford Cup, Eliminado nas oitavas-de-final da Champions League 2035/2036 e 3º lugar no Grupo E da Champions League 2036/2037
      2037 - 1º lugar na Airtricity Premier League, Campeão da FAI Ford Cup, 4º lugar no grupo C da Champions League 2037/2038
      2038 - 1º lugar na Airtricity Premier League, Campeão da FAI Ford Cup, Campeão da EA Sports Cup, Campeão da Leinster Senior Cup, 3º lugar no Grupo F da Champions League 2038/2039
      Histórico de posts
      Shamrock Rovers e Irlanda A primeira pré-temporada Algumas surpresas na tabela Liderança na Irlanda, decepção na Europa Vantagem é sempre importante A baciada fica para o meio do ano Uma temporada mais competitiva Irlanda x Escócia Celtic Park, Olympiyskyi, Vélodrome e King Power Stadium 3 contratações, 32 despedidas Enfim mediremos força com o Dundalk? Onde os outros perdem, nós vencemos Um empate que vale por duas temporadas e meia Em time que está ganhando não se mexe? Mais um voo solo? Dois patetas, as traves e um muro espanhol Em terra de irlandês, quem é Shamrock, é rei! As primeiras cifras em reforços Um começo de temporada inédito 166 convocações no elenco Os desafios financeiros da Irlanda Um estádio para chamar de nosso Alguém parará o Shamrock Rovers? Muita movimentação no Tallaght Uma Irlanda que dá trabalho O retorno do atacante solitário Falta embalar Uma chance inesperada Deem um pouco mais de crédito para a Liga Irlandesa Vendas milionárias Sentimos sua falta, O’Brien! Gribbinaldinho Fenômeno! A 5ª maior instituição da Irlanda Remodelagem tática A melhor campanha da história do primeiro turno Na perseguição do Cork City Verde é a cor da Irlanda Um vacilo milionário A melhor campanha da história do primeiro turno – Parte 2 Mais Irlanda na Europa Forde, por que faz isso comigo? Batemos a marca de 2 milhões Um carrossel verde e branco Simplesmente avassalador! Um péssimo ano para ser Bohemian Um mercado prolífico Um novo concorrente no horizonte? Eurocopa 2028 A solução que veio e que foi Chora, Allegri! Reaprendendo a jogar Tudo conforme o script Dinamo Zagreb A única vez foi em 2017 O bom filho a casa torna Uma máquina chamada Conor Wilson Copa do Mundo 2030 Maldito sorteio da Champions League Uma abordagem renovada Poxa, UCD! Um dia ruim por turno O doce aroma da elite europeia De pontas para volante Uma noite irlandesa em Londres As dificuldades de ser maior que a liga irlandesa Meus jogadores são de um material superior Que venha o Lyon! Teremos um campeonato!? Segue o líder! A gente bem que tentou, mas o Cork não quis! Regulamento debaixo do braço Faltaram apenas 6 minutos Mais uma vaga na Champions League! Dosharaithe E estamos de volta A estrada até aqui... Real Madrid x Shamrock Rovers Super Copa da UEFA Green Stadium Uma homenagem à Conor Wilson Começo claudicante, mas final esperado O fim de duas eras Sob nova direção A Airtricity Premier League é uma das 10 maiores da Europa 20 anos de Danny Green Um campeonato que ainda está em aberto Vexatório! O plano quinquenal Zero gols, zero derrotas Uma nova era para o Hoops Tinha um italiano no meio do caminho Uma insípida janela de transferências Um paredão azul Winner Winner Chicken Dinner
    • Neynaocai
      By Neynaocai
      PRA QUEM CHEGOU AGORA, RECOMENDO DAR APENAS UMA OLHADA POR CIMA NA PRIMEIRA TEMPORADA E IR LOGO AO QUE INTERESSA, QUE A PARTIR DE HOJE (07/12/2018) SERÁ INDICADO ABAIXO:
       
       
      Uma nova jornada. Capítulo 1: La voix du peuple est la voix de Dieu.
      Uma nova jornada. Capítulo 2: Entre grandes expectativas e a realidade!
      Uma nova jornada. Capítulo 3: A segunda temporada.
      Uma nova jornada. Capítulo 4: X-saladas, caldo-de-canas, bolachas, refrigerantes e gols.
      Uma nova jornada. Capítulo 5: Tem que ter pojeto?
      Uma nova jornada. Capítulo 6: Tutorial de como ser campeão em menos de duas temporadas.
      Uma nova jornada. Capítulo 7: Em segundo, se virares a mesa.
      Uma nova jornada. Capítulo 8: O último a sair apague a luz.
      Uma nova jornada. Capítulo 9: Prioridades.
      Uma nova jornada. Capítulo 10: Um Chicago a sorrir.
      Uma nova jornada. Capítulo 11: Dias de luta, dias de glória. Off: RIP Flecha Loira.
      Uma nova jornada. Capítulo 12: Estava escrito num papel de pão.
      Uma nova jornada. Capítulo Final: Um até breve.
      ESPECIAIS
      You are fake news. Um desabafo contra a imprensa.
      Copa do Mundo Sub-20 2017.
      Copa do Mundo 2018
      Copa Ouro 2019 - Campeonato Mundial Sub-20 2019.
      Pré-olímpico 23: Sem chance.
       
       
       
    • PedroJr14
      By PedroJr14
      Real Racing Club Santander, S.A.D.
      O clube da cidade de Santander teve sucesso relativo na Espanha, mantendo-se na primeira divisão do país em 15 das 16 temporadas entre 1996/97 e 2011/2012, só não esteve presente em 2001/02. Em todas essas temporadas em La Liga, o Racing superou a décima posição apenas uma vez, quando terminou em sexto na temporada 2007/08, ganhando assim a vaga continental. Los Verdiblancos terminaram em quarto, num grupo que continha Twente, Manchester City, Schalke e PSG, perdendo apenas um jogo e vencendo o Manchester City, que terminou na liderança do grupo. Conseguiram se manter na liga principal até 2011/12, quando começou a cair sucessivamente até chegar à Terceira Divisão, 2 anos mais tarde. O clube ensaiou uma reação em 2014/15, quando conseguiu o acesso para a Segunda Divisão, mas logo caiu de volta e até o presente não mais saiu de lá.

      O Racing Santander manda seus jogos no folclórico estádio El Sardinero, que tem capacidade para pouco mais de 22 mil espectadores. Entre os nomes que desfilaram por esse aconchegante estádio vestindo a camisa do Racing, estão: Felipe Melo (Palmeiras), Henrique (Corinthians), Ezequiel Garay (Valencia), Yossi Benayoun (ex-Chelsea e Liverpool), Giovanni Dos Santos (LA Galaxy), Sérgio Canales (ex-Real Madrid), Marcos Alonso (ex-Barcelona e A. Madrid, pai de Marcos Alonso do Chelsea) e Christian Stuani.

      Sem nunca ter conquistado um título de expressão, o Racing Santander caiu ao fundo do poço por causa de uma crise financeira e nunca mais conseguiu se reerguer. A saída do treinador Pedro Muntis para o Ponferradina e a falta de recursos para buscar um técnico fora de Santander, obrigaram o clube a promover o Técnico Marco Botín, que terá um contrato curto, de apenas 1 ano. O jovem treinador de 26 anos terá que provar o seu valor e o seu amor pelo clube da cidade.
       
      Objetivos
      [Secundários]
      - Subir de volta à La Liga
      - Ter um jogador convocado por uma seleção top 10 mundial
      - Fortalecer as estruturas das divisões de base do clube ao máximo
      - Ampliar o Sardinero
      - Transformar ao menos 3 jogadores contratados por mim em lendas do clube

      [Primários]
      - Terminar acima do décimo lugar em La Liga
      - Chegar a uma competição continental
      - Construir um novo estádio
      - Vencer uma competição de nível nacional 
      - Vencer uma competição intercontinental
      - Ser Campeão Mundial de Clubes
      - Tornar-se uma lenda no clube
       
×