Ir para conteúdo
(SPFC)Coach

4-3-3 dos "Anos 60"

Recommended Posts

rodynobrega

Fala galera,

A tática tá funcionando que uma beleza, tô em 1 no brasileirão com 8 pontos de vantagem. Estou utilizando meio que as duas táticas acima, variando de jogo pra jogo... mas usando com mais frequência a 4-3-3. O único problema é que meu time anda tomando MUITO cartão amarelo e vermelho. Em média de 7 cartões amarelos por jogo, sempre com 1 ou até 2 expulsos. Sempre com jogadores suspenso e tudo mais

O que posso fazer pra melhorar isso? 

Compartilhar este post


Link para o post
Compartilhar em outros sites
andersonasb
Em 23/11/2017 at 23:16, rodynobrega disse:

Fala galera,

A tática tá funcionando que uma beleza, tô em 1 no brasileirão com 8 pontos de vantagem. Estou utilizando meio que as duas táticas acima, variando de jogo pra jogo... mas usando com mais frequência a 4-3-3. O único problema é que meu time anda tomando MUITO cartão amarelo e vermelho. Em média de 7 cartões amarelos por jogo, sempre com 1 ou até 2 expulsos. Sempre com jogadores suspenso e tudo mais

O que posso fazer pra melhorar isso? 

no FM 18?

Compartilhar este post


Link para o post
Compartilhar em outros sites

Crie uma conta ou entre para comentar

Você precisar ser um membro para fazer um comentário

Criar uma conta

Crie uma nova conta em nossa comunidade. É fácil!

Crie uma nova conta

Entrar

Já tem uma conta? Faça o login.

Entrar Agora


  • Conteúdo Similar

    • Tsuru
      Por Tsuru



      Quando retornei à área no início deste ano, pretendia fazer um save no CM 01/02, que descobri que ainda recebe updates. Mas a instalação de tudo que não era o jogo original causou tantos problemas no computador que perdi quase duas semanas tentando arrumar. Além disso, nenhuma ideia de save se encaixava com o jogo. Então desisti e voltei para o FM, decisão da qual não me arrependo.

      Entre as muitas ideias e até possíveis usos de ligas alternativas - das quais desisti após um problema na passagem de tempo - decidi qual caminho iria seguir.
      O maior objetivo dessa aventura, contada no estilo JET (jogo e texto), será transformar um pequeno clube português em uma grande equipe nacional. Um daqueles times que forma grandes jogadores, que é uma pedra no sapato dos grandes campeões, invencível em casa e temido fora dela. E que não só conquista títulos, como cria condições para que eles se sustentem a longo prazo.
        Será um save de clube, portanto se eu for demitido o save acaba.
      Vou incluir também alguns postos relacionados à história do clube e de seus rivais, como gg e Danut fazem em alguns de seus saves. Não era minha ideia a princípio, mas a pesquisa revelou uma história muito rica e interessante que merece ser compartilhada.   Por fim, para tornar o save um pouco mais desafiador, haverá uma cota máxima de quatro jogadores brasileiros no elenco principal.   Curiosamente, essa ideia de save que estou começando funcionaria no CM 01/02.     Conquistar duas vezes o Campeonato Português (Liga NOS) em um período de três anos;
        Ao longo do save, conquistar o bicampeonato da Taça da Liga e da Taça de Portugal;
        Estabelecer um recorde de pelo menos cinco vitórias seguidas sobre cada um dos três maiores times portugueses (Porto, Benfica e Sporting) no Campeonato Português;
        Estabelecer um recorde de dez jogos sem perder para os maiores rivais, somando todas as competições oficiais disputadas;
        Estabelecer um recorde de dez jogos sem perder em casa em jogos oficiais, independente do adversário, sendo pelo menos seis vitórias;
        Ter pelo menos três jogadores formados na base convocados para a Seleção Portuguesa;
        Transformar pelo menos um jogador formado na base em lenda do clube;
        Ter instalações e categorias de base de primeiro mundo.   Outras sugestões de objetivos e de regras, ou mesmo alterações nos que estabeleci, são sempre muito bem-vindos.   Não coloquei objetivos específicos sobre competições europeias porque acredito que a distância dos portugueses para clubes de outros países é muito grande, e levaria muito tempo para chegar nesse patamar. Mas, dependendo do andamento do save, conquistas continentais podem sim fazer parte do projeto.   E que role a bola em terras lusitanas!  

      Temporada 1: 2016-2017
        A chegada ao Funchal Entre altos e baixos, o meio Não existe jogo fácil nas taças Brilha a estrela de Tiago Rodrigues A mosca na teia Podia ser melhor Um dia histórico A hora da verdade Temporada 2: 2017-2018
      A barca que vai, a barca que vem Uma pré-temporada bem movimentada O início da segunda temporada Goleada de um lado, Batistuta do outro Ajustando as engrenagens Altos, baixos, lesões e Bonilla Retrancas no caminho da Liga Europa A sorte virou? Sabor de derrota, sabor de vitória Em busca da vaga no continente Temporada 3: 2018-2019
      Mercado movimentado na Madeira Rola a bola na pré-temporada Um início surpreendente Nacional oscila, mas segue no G4 Aos trancos e barrancos A opção pelo 4-1-2-3 Invertendo o teorema de Billardo Trocando o pneu com o carro andando Mudando para melhor Cinco passos para a Europa Temporada 4: 2019-2020
      Mestres e Alunos O retorno à Liga Europa Pegando o elevador Dilemas de dezembro Um time que (quase) só empata O fim da empatite Quem não faz, leva Temporada 5: 2020-2021
      As três surpresas da pré-temporada Finanças, táticas e amistosos Posts históricos
      Viagem à Ilha da Madeira O nascimento do futebol português Uma ilha, três paixões Anos 20: O maior das ilhas As revoltas madeirenses Tempos sombrios: as primeiras taças As muitas glórias de Otto Um jovem chamado Eusébio O Benfica no topo da Europa A maldição do Feiticeiro Húngaro Rumo à Copa do Mundo Da euforia à decepção A maldição em ação O dia em que Eusébio quase foi parar no Vasco O futebol e a Revolução dos Cravos O fim de uma era O Dia da Madeira O Dragão se apresenta à Europa O estádio que virou a casa do maior rival O Esquadrão Imortal
    • Johann Duwe
      Por Johann Duwe

       
      Meus amigos voltei, eu tava ficando louco.
      Então, no FM passado eu fiz esse save, comecei com a Libertadores e terminei com a UEFA Champions League. Irei fazer o mesmo agora, mas com algumas diferenças:
      - Como estamos na temporada 2017/2018, irei simular o jogo até 25/06/2017.
      - Não irei carregar a liga inglesa, na verdade será somente como "ver apenas", ficou claro que é a mais fácil para se vencer a UCL, mesmo pegando uma equipe mediana.
      - Começarei na África ou na Ásia.
      - Não irei carregar todas as ligas que quero agora, mas sim ao menos uma de cada continente, assim que vencer uma competição continental, adiciono outros países dos outros continentes.
       
      Naturalmente será um treinador desempregado, opto novamente por uma liga não existente como sendo seu país de origem no jogo para dificultar ainda mais. Agora porque o FM 2017? Eu acredito que o FM passa a valer a pena somente após Março, quando é lançado o tradicional patch que na teoria, serve para corrigir os bugs e deixar ele lisinho. Até lá eu espero ter terminado o save e quem sabe já comprado o FM 2018.
       
      Ligas Carregadas para este começo:
      América do Sul: Brasil (Ver Apenas).
      América do Norte: México e USA.
      Europa: Inglaterra (Ver Apenas).
      África: África do Sul
      Ásia: Austrália, China, Coreia do Sul, Hong Kong, Índia, Indonésia, Malásia e Singapura.
       
      A ordem será essa: Ásia ou África, América do Norte, América do Sul e Europa.
    • Raone10
      Por Raone10
      Ola, primeira vez q posto no fórum, n sei se estou no lugar correto, caso esteja errado me avisem q tiro.
       
      contratei o Ramsey na minha 4 temporada da internazionale, eis q n consigo inscreve-lo por ser Jogador extracomunitário.
       
      O problema é q a regra fala q posso ter até 1 contratação de Jogador extracomunitário por temporada, e eu só contratei ele nesta regra. 
       
      print: http://prntscr.com/ihknhu
       
      alguém pode me ajudar nisso? vou ter q empresta-lo? é um bug ou oq?
    • Henrique M.
      Por Henrique M.

      Reflexões, ponderações e filosofias
      Antes de falar do save em si, queria aproveitar o espaço para fazer um desabafo. Parece que a cada novo FM que surge eu vou perdendo cada vez mais o contato que eu tinha com o jogo no passado, mas vejo alguns exemplos de pessoas na mesma faixa de idade, mesma faixa de afazeres ou até em faixa maiores, jogando e tendo a boa e velha conexão com o jogo. Não sei se posso culpar o jogo em si ou culpar o jogo com relação a mim. Poderia ser pessoal, mas recentemente venho me divertindo no Football Manager 2008 e poderia facilmente migrar para o Football Manager Touch, que foi minha grande empolgação com um save, tirando os playoffs de promoção com o Santarcangelo. Então acredito que o problema não é do jogo, nem da minha relação com o jogo. É do que eu quero ver acontecendo no jogo.
      Infelizmente eu escolhi um desafio que o jogo não estava disposto a aceitar nas minhas condições, era possível, mas eu precisava aceitar as condições que o jogo impunha e isso não era o suficiente, eu precisava de mais e não aguentava ver o resultado do que eu queria dentro de campo. Não ligo para derrotas, para os percalços, desde que eles ocorram com meu time atuando da maneira pela qual ele foi desenhado para atuar. Se eu me comprometo com a retranca, tenho que estar ciente do que ela causa, se eu me comprometo com o jogo ofensivo, tenho que estar ciente do que ele causa e assim por diante. A questão é que eu me comprometi com uma coisa diferente, que era o líbero, não era uma questão de tática, não era uma questão de estilo de jogo. Era uma questão de trazer uma função morta para o FM e fazê-la funcionar tanto defensivamente quanto ofensivamente, mas isso limitava meu estilo de jogo a ser puramente defensivo ou contra-ofensivo. E as equipes que tiveram grandes líberos ofensivos não jogavam exclusivamente assim e muitas poderiam ser descritas como equipes fluidas e ofensivas.
      Eu passei do estágio de querer ver um desafio impossível sendo feito por mim, passei do estágio de querer acumular títulos e fazer grandes saves em termos de troféus e vitórias. Tive um dos maiores prazeres no FM 2015 com uma equipe que ganhou 3 italianos em umas 15 temporadas, perdeu 2 vezes a Champions e até hoje sinto saudades desses momentos, pois ali eu não estava construindo a minha dinastia, ali eu estava construindo uma história em conjunto com um clube. Tinha aquele apego, tinha aquela paixão de transformar o mundo do futebol. E esse é um problema grande, não consigo fazer igual a maioria das pessoas e escolher um save simples, seguro e que seja factível de se encerrar. Eu quero o desafio de modificar a história, criar momentos que só o FM proporciona e isso acredito que vem dificultando o processo de jogar FM.
      Desafabo feito, hora de seguir adiante e tentar mais uma vez. Se falharmos, levantamos, sacudimos a poeira e tentamos de novo.
      Introdução
      No Football Manager 2014 eu tentei aquele desafio impossível, meu grande feito até hoje foi conquistar a Champions League com o Rangers da Escócia no FM 2012. Por isso, decidi apimentar as coisas e buscar o título da Champions League com outro clube britânico, só que dessa vez advindo da Irlanda. Foram lindas 12 temporadas com 10 títulos nacionais, 9 deles consecutivos e incontáveis títulos nas copas domésticas, transformando o Shamrock Rovers no maior vencedor de todas as competições irlandesas. Em nível continental, realizamos o feito que o Dundalk realizou nessa temporada, ao se tornar o primeiro clube irlandês a participar de uma fase de grupos de uma competição europeia e fomos além, chegamos até as oitavas-de-final da Champions em uma ocasião e participamos por 3 ou 4 vezes do mata-mata da Liga Europa. Porém, apesar de nunca sequer estar perto de alcançar o único objetivo do save, transformei o Shamrock Rovers, mas isso não foi o suficiente para alavancar o futebol irlandês e sem a alavancagem do futebol irlandês seria impossível chegar até o objetivo do save. Eu me frustrei com isso, encerrei o save, depois me arrependi, mas a decisão já estava feita. Contudo, nesse save desenvolvi jogadores, criei ícones e lendas do clube, inclusive consegui segurar uma gigante promessa irlandesa por mais de 10 temporadas na equipe, fazendo com que um jogador da base se tornasse um importante jogador da história da equipe. E eram essas pequenas coisas que seguravam o save, mas infelizmente, ele estaria fadado a nunca dar certo da maneira que eu gostaria.
      Por isso, no ano passado, o ggpofm traduziu e adaptou um texto sobre como tornar uma liga competitiva e eu decidi que era hora de tentar realizar o impossível novamente, porém eu incuti no erro de começar o jogo no FM 2014 e comparar as duas histórias e é óbvio que isso deu errado, pois eu me frustrava com o que ocorria e olhava e comparava com o que havia sido feito e me perguntava o que estava acontecendo e o que estava sendo feito de errado, até o ponto em que eu comecei a tentar emular as decisões do passado. Isso ruiu a tentativa.
      É hora de aprender com o passado e recomeçar um desafio diferente que é transformar uma liga com um desafio do passado, a busca do impossível. Sinceramente, espero que seja esse o combustível necessário, pois o fato de querer continuar participando ativamente da área me fez retornar rapidamente com uma história. Quando não estou contando um save, a atenção que dou a área é totalmente diferente e sinceramente, como é uma área que pulsa numa vibração interessante e revigorante, acho injusto comigo mesmo não estar aqui, mesmo que o preço seja mais uma história inacabada.
      Objetivo
      Conquistar a Champions League com o Shamrock Rovers Regras do save
      Se o jogador não serve mais para o Shamrock Rovers, a prioridade é repassá-lo para uma equipe irlandesa, mesmo que isso signifique aceitar uma oferta menor ou perder o jogador de graça. Não contratar destaques de outras equipes irlandesas. Buscar repatriar jogadores irlandeses de ligas estrangeiras. Buscar contratar jovens promessas de equipes irlandesas, com o propósito de acelerar a evolução do mesmo. Buscar antecipar a concorrência externa pelos principais jogadores da liga, evitando que jogadores de bom nível ou alto potencial saiam do país. (A única condição que permite contratar um jogador adversário que seja importante para o clube) Caso alguma nova necessidade vá surgindo, irei informar num post e adicionar aqui Histórico
      2017 - 1º lugar na Airtricity Premier League, eliminado na 1ª rodada qualificatória da Europa League
      2018 - 1º lugar na Airtricity Premier League, eliminado no Playoff dos campeões da Champions League, 4º lugar no Grupo K da Europa League
      2019 - 1º lugar na Airtricity Premier League, Campeão da Copa da Irlanda, Campeão da Leinster Cup, 4º colocado no Grupo C da Champions League
      2020 - 1º lugar na Airtricity Premier League, Campeão da Copa da Irlanda, eliminado na 3ª Qualificatória da Champions League e nos Playoffs da Europa League
      2021 - 1º lugar na Airtricity Premier League, Campeão da Copa da Irlanda, Campeão da EA Sports Cup e 4º colocado no Grupo C da Champions League
      2022 - 1º lugar na Airtricity Premier League, Campeão da Leinster Senior Cup e 4º colocado no Grupo H da Champions League
      2023 - 1º lugar na Airtricity Premier League, Campeão da Copa da Irlanda, Campeão da Leinster Senior Cup e 2º colocado no Grupo J da Europa League
      2024 - 1º lugar na Airtricity Premier League, Campeão da Copa da Irlanda, Campeão da EA Sports Cup, eliminado nos 32-avos-de-final da Europa League e 3º colocado no grupo G da Champions League
      2025 - 2º lugar na Airtricity Premier League, Campeão da Copa da Irlanda, eliminado nos 32-avos-de-final da Europa League e 4º colocado no grupo B da Champions League
      2026 - 1º lugar na Airtricity Premier League, Campeão da Copa da Irlanda, Campeão da Leinster Senior Cup e 4º colocado no Grupo L da Europa League
      2027 - 1º lugar na Airtricity Premier League, Campeão da EA Sports Cup, Campeão da Leinster Senior Cup e 3º colocado no Grupo H da Champions League
      2028 - 1º lugar na Airtricity Premier League, Campeão da Copa da Irlanda, Campeão da EA Sports Cup e eliminado nas oitavas-de-final da Europa League e 3º colocado no Grupo E da Champions League
      Histórico de posts
      Shamrock Rovers e Irlanda A primeira pré-temporada Algumas surpresas na tabela Liderança na Irlanda, decepção na Europa Vantagem é sempre importante A baciada fica para o meio do ano Uma temporada mais competitiva Irlanda x Escócia Celtic Park, Olympiyskyi, Vélodrome e King Power Stadium 3 contratações, 32 despedidas Enfim mediremos força com o Dundalk? Onde os outros perdem, nós vencemos Um empate que vale por duas temporadas e meia Em time que está ganhando não se mexe? Mais um voo solo? Dois patetas, as traves e um muro espanhol Em terra de irlandês, quem é Shamrock, é rei! As primeiras cifras em reforços Um começo de temporada inédito 166 convocações no elenco Os desafios financeiros da Irlanda Um estádio para chamar de nosso Alguém parará o Shamrock Rovers? Muita movimentação no Tallaght Uma Irlanda que dá trabalho O retorno do atacante solitário Falta embalar Uma chance inesperada Deem um pouco mais de crédito para a Liga Irlandesa Vendas milionárias Sentimos sua falta, O’Brien! Gribbinaldinho Fenômeno! A 5ª maior instituição da Irlanda Remodelagem tática A melhor campanha da história do primeiro turno Na perseguição do Cork City Verde é a cor da Irlanda Um vacilo milionário A melhor campanha da história do primeiro turno – Parte 2 Mais Irlanda na Europa Forde, por que faz isso comigo? Batemos a marca de 2 milhões Um carrossel verde e branco Simplesmente avassalador! Um péssimo ano para ser Bohemian Um mercado prolífico Um novo concorrente no horizonte? Eurocopa 2028 A solução que veio e que foi Chora, Allegri! Reaprendendo a jogar Tudo conforme o script
    • Yan Perisse
      Por Yan Perisse

      Considerações iniciais: Bom, faz tempo que desejo iniciar um save baseado no desenvolvimento de um clube e não na carreira de um treinador, mas sempre adiei essa ideia por achar que não conseguiria comandar o mesmo clube por muitos anos. No entanto, desta vez, apostei neste tipo de save e para isso, acredito que um save com um clube que eu tenha mais identificação, conheça a história e acompanhe as partidas deve render muito mais. Assim, esse foi o principal fator que me fez escolher a Associação Atlética Portuguesa neste save.
      O save não será ficcional, como é de praxe nas minhas histórias, pois demanda muito tempo de dedicação e poderia me perder facilmente dentro da história por não ser algo que manejo bem. Deste modo, o save será contado na visão do treinador com atualizações em torno de dez partidas e ainda abrirei um espaço para contar alguns marcos na história do clube ao final de cada temporada.
      Por fim, agradeço especialmente ao @Bigode. pela inspiração no save nas nossas conversas e ao @mfeitosa pela bela capa feita.
      Sobre o clube: A Associação Atlética Portuguesa, fundada em 17 de dezembro de 1924 (exatos 93 anos atrás¹), carrega o nome lusitano em simpatia com a antiga Portuguesa Santista, após os cariocas realizarem um amistoso em Santos com colegas de profissão e também torcedores da Portuguesa de Santos. O amistoso serviu de incentivo para os cariocas fundarem a Portuguesa, nascendo no mesmo ano na extinta Rua Visconde de Itaúna, no Centro do Rio.
      No auge de sua história, o clube era conhecido por algumas façanhas em território europeu. Nas excursões mais marcantes temos o empate em 1956 com o Dínamo de Moscou, liderado por Lev Yashin, e a vitória em 1969 sobre o poderoso Real Madrid, detentor do título espanhol na época, em pleno Santiago Bernabéu, considerada o maior feito da história do clube. Além desses, há outras partidas marcantes que serão contadas ao longo do save.
      No entanto, o histórico recente do clube lusitano está longe de tais façanhas, tendo disputado a Série C em 2003 e 2004, quando a competição possuía uma enorme quantidade de participantes. A partir disso, o clube disputou várias vezes a segunda divisão do Campeonato Carioca até a sua volta à uma competição nacional apenas em 2016 na Série D.
      Apesar da identificação com a Ilha do Governador e da relação com o bairro da Portuguesa, o clube apenas se apropriou do estádio Luso-Brasileiro em 1964, quando o comprou do Jockey Club da Guanabara. Sua estrutura foi mantida até hoje e com a reforma do Flamengo o estádio possui espaço para comportar quase 20 mil torcedores. Diferente de outros clubes, antes da compra de seu estádio, a Portuguesa vagava por pequenos estádios da cidade como os extintos Morais e Silva (Tijuca) e Andaraí (Andaraí) e, principalmente, o Serafim Sofia (Cosmos).

      INFRAESTRUTURAS DO CLUBE
      Dados do save: O save será realizado no Football Manager 2017 com uma base de dados personalizada na América do Sul, adicionando apenas a Série D em forma de liga alternativa. A escolha da liga alternativa se deu pela melhor representação da realidade na competição, haja visto que nos updates a quantidade de clubes estava diferente e as atividades de transferências e o regulamento da competição não simulavam a realidade.
      Quanto às ligas, ativei todas da América do Sul, isso inclui as da Argentina, Chile, Colômbia, Peru e Uruguai, possibilitando uma quantidade maior de jogadores dentro do âmbito de observação, além de movimentar mais o mercado de transferências sul-americano.
      Perfil do treinador: O treinador criado foi com o nome do ex-jogador da Portuguesa Digão, que atuou entre 2009 e 2012 no clube e virou um dos poucos ídolos que o clube possui. Além da Portuguesa, o meia atuou no Macaé e Duque de Caxias, ambos quando estavam na Série C, porém estava sem clube após a saída do clube praiano.
      Aos 32 anos, o estilo do treinador será focado no desenvolvimento de jovens jogadores para o futuro da Portuguesa, visto que planejo uma carreira longa no clube e precisará muitas vezes da força das categorias de base e da contratação de jovens jogadores. No entanto, essa filosofia funcionará melhor nas melhores divisões do futebol brasileiro, onde não terá muita mudança na qualidade do elenco. Já nas divisões inferiores, há uma mudança constante do elenco pelas promoções e rebaixamentos. Assim, jovens descobertos na Série D não serão úteis na Série B, por exemplo.
      Já a montagem do elenco, em uma ocasião de estarmos na elite do futebol brasileiro, respeitará a formação de um elenco em volta de quatro a cinco jogadores jovens (até 24 anos), com o resto do elenco sendo mais móvel. Tal filosofia de trabalho a longo prazo é melhor explica neste guia. Quanto aos jogadores contratados, em qualquer divisão deverão possuir no máximo 27 anos. A ideia é utilizá-los em dois níveis seguidos (Ex: Série D e Série C, Série B e Série A ou patamares dentro de uma mesma divisão), para isso precisarão de um certo tempo em seu mais alto nível.

       
      ¹A criação do tópico estava marcada para ontem, dia 17 de dezembro, mas por problemas no fórum, a criação foi remarcada para hoje, dia 18 de dezembro.
×