Ir para conteúdo
  • Cadastre-se
Jirimias

Os doze trabalhos de Hércules - Um save para o futuro.

Recommended Posts

Jirimias


J4Gd3Mf.png
 

Temporada 1
#Episódio 4: Dias de glória


O Hercules era a terceira equipe em indisciplina, e isso incomodava Nuñes, que vez ou outra precisava modificar o time para suprir as ausências. O maior índice de indisciplina estava no meio campo: Omgba liderava o número de cartões (16 no total), enquanto Gabriel Soares contabilizava o maior número de expulsões (duas), números que ilustravam a tendência do esquema de neutralizar o adversário antes de chegar à defesa. No setor defensivo, Edgar Ié tem o melhor índice de desarmes: 72%, que só não é superior ao de Arthuro, com 80% de aproveitamento nos desarmes. Por outro lado, o aproveitamento de Arthuro depois dos quatro gols marcados num jogo só não tem repetido: foi apenas um gol nas dez últimas partidas. Felizmente, Berrocal voltou a balançar as redes e segue mantendo a artilharia do time na temporada.

8BP5XYS.png


twV0xgb.png  Copa da Federação: Jogo de ida

Antes da partida que abriria a disputa pela Copa da Federação, Barcelona B e Hercules se enfrentariam num jogo que deveria ser a disputa entre o líder e vice-líder, mas aquela altura do campeonato, o Barcinha contentava-se em comemorar a manutenção matemática. Ainda assim, o Barcinha foi mais determinado e bateu por 1-0 o líder da B3. Era preciso superar a derrota o quanto antes, pois em alguns dias, o time de Alicante entraria em campo para a disputa da primeira partida da final da Copa da Federação.

Para este jogo, Nieto ficou no banco, ainda se recuperando da lesão, Flores foi colocado em seu lugar. Sem Nieto, o Hercules colecionava dias ruins.

Como era esperado de uma final, as duas equipes iniciaram o jogo estudando uma a outra. Chance clara mesmo somente aos 23 com uma bola na trave chutada por Minaño. Foi o máximo que as duas equipes fizeram na primeira etapa.

No segundo tempo, Nieto foi a campo e recebeu aplausos da torcida que entendia sua importância. Minutos depois, a torcida do Hercules ficaria calada com o gol de Figueroa. Sem produzir nada, Nuñes alinhou seu time no 4-3-3, colocando Arthuro ao lado de Berrocal e Mainz. O Hercules até chutou mais vezes, mas sem levar perigo.

CdVD7hc.png

Parecíamos um bando. Nieto corria como um louco de cabeça baixa, os atacantes estão ruim de pontaria, enfim, deu tudo errado. Era pensar no jogo de volta. - Fernando Nuñes, treinador do Hercules

Dois jogos sem vitória foram suficientes para ligar o alerta no Hercules, que contra o Mallorca B não conseguiu mais que um empate em 1-1, colocando fogo na disputa pela liderança da B3. Na partida seguinte contra o Cornella, o Hercules voltou a fazer uma boa atuação. Arthuro atuou na posição de jogador alvo e fazia o pivô para os pontas, a movimentação surtia efeito lá na frente. Na zaga, o time não demonstrava a mesma força que ajudou na arrancada até a liderança, e a partida virou uma festa de gols. Por fim, o Hercules acabou com a má fase marcando 3 e levando 2 gols.

twV0xgb.png  Copa da Federação: Final- Jogo de volta

A proposta de jogo contra o Cornella foi vista já no início do jogo de volta contra o Ponferradinha, pela final da Copa. Com Daulmal suspenso, Ié foi jogar na lateral direita. Isso prejudicava quem precisava de gols, não na prática. Foi dos pés de Ié que surgiu o chute na trave de Arthuro, que gerou o rebote bem aproveitado por Nieto. 1-0, Hercules. Aos 28, Omgba perdeu a bola no meio campo, e após um lançamento Figueroa chutou da entrada da área de forma indefensável: 1-1.Aos 36, Arthuro acertou a trave novamente, e este foi o último lance agudo do primeiro tempo.

Sem nenhuma modificação, o Hercules viu os donos da casa levando algum perigo já nos minutos iniciais. Aos 6 minutos, Pena recebeu na ponta, tocou para trás para Gabriel Saoares, que entrava dentro da área,  que de primeira rolou para a marca de pênalti encontrando Flores que não desperdiçou: 2-1.

Aos 17, Buigues fez uma importante defesa. Momento em que Minaño entrou no lugar de Flores, e Omgba foi recuado para atuar a frente de sua defesa.

“O Munitis colocou o time deles no 4-3-3. Quando eu faço isso, eu sou chamado de louco, mas o 4-3-3 dele é chamado de ousadia. Tratei logo de colocar mais um jogador de meio-campo, trocando o meia atacante por um meia-central e recuando o Omgba, e assim tentar aproveitar os espaços deixados pela ousadia do Munitis.” - Fernando Nuñes, treinador do Hercules

A estratégia de Nuñes funcionou em parte, porém, trazer o adversário para o seu campo deixava a defesa em maus bocados. Aos 45, Menuno acertou um belo chute no travessão, arrancando o grito do seu torcedor. Nos acréscimos, Nuñes fez duas substituições, deixando entender que queria que o tempo corresse. Quando o árbitro apitou o final do jogo, os jogadores foram comemorar diante dos 533 torcedores do Hercules que desde a conquista da segunda divisão espanhola, em 1996, não havia ganho mais nada.

ytBb2cc.png

“Pensando friamente agora, foi até melhor para nós ter passado o vexame de ser eliminado na primeira eliminatória da Copa do Rei. Não venceríamos mesmo aquela competição, então tá permitido comemorar sem vergonha nenhuma o título desta copa.” - Fernando Nuñes, treinador do Hercules

twV0xgb.png  O título simbólico

Terminada a Copa, o Hercules voltava sua atenção exclusivamente aos cinco jogos restantes da B3. Ao mesmo tempo em que almejava terminar na primeira colocação, havia a preocupação com a parte física dos jogadores fez com que o treinador iniciasse um rodízio de descanso, já pensando nos play-offs. Faltava combinar com os adversários para que nada desse errado. Contra o desesperado Prat, o time por pouco não voltou de mãos vazias.

Contra o Hospitalet, bastava apenas um ponto para garantir o Hercules na próxima fase da competição. Com boa atuação de Gaspar e Berrocal, o time de Alicante garantiu som sobras sua participação na fase final. Na partida seguinte contra o Ebro, um novo tropeço. Mesmo jogando melhor que os donos da casa, a falta de pontaria custou caro. Aquela altura a diferença para o segundo colocado Atlético Baleares caiu para dois pontos.

“Era impossível prever quando poderíamos perder, porque sempre que perdíamos era sempre para nós mesmos. Perdíamos quando chutávamos torto, perdíamos quando chutávamos certo, mas a bola não entrava, perdíamos jogando bem, ganhávamos jogando mal, enfim, era um imprevisibilidade incômoda.”- Fernando Nuñes, treinador do Hercules

O desabafo de Nuñes fez todo sentido quando sua equipe foi capaz de golear o Villareal por 4-0 e vencer a B3. Quando esperava-se um jogo difícil, o time deu espetáculo. O título do grupo foi comemorado, mas a promoção não. O Hércules despediu-se da fase de pontos corridos contra o Lleida Esportiu, em casa. Nuñes poupou titulares para o jogo final e viu seus comandados lutarem para empatar em 1-1.



CT5LkKQ.png
 

twV0xgb.png  Os play-offs

O conhecido play-off preliminar ou Play-off dos Campeões reunia os quatro campeões de cada grupo. Os dois vencedores deste confronto semi-final já garantiriam sua participação na segunda divisão, fazendo uma final para definir quem conquistaria o título.

Os perdedores, por sua vez, não jogavam a toalha, pois teriam uma nova chance. No play-off que inicia com os três melhores de cada grupo, os seis vencedores ganham a companhia dos dois eliminados do play-off dos campeões para decidirem os outros dois clubes que subiriam de divisão. 

Para chegar à Segunda Divisão, o Hercules precisava ser melhor que o Albacete Balompie que terminou o campeonato com 92 pontos, sete a mais que o segundo colocado e com apenas quatro derrotas. Um adversário de respeito. O primeiro jogo entre os dois semi-finalistas será em Albacete.

f7CEWeF.png

Compartilhar este post


Link para o post
Compartilhar em outros sites
bruno introvertido

Uma pergunta meio polêmica, o acesso passando pelo Albacete é mais difícil do que os Playoffs dos "perdedores"?

Compartilhar este post


Link para o post
Compartilhar em outros sites
Jirimias
2 horas atrás, bruno introvertido disse:

Uma pergunta meio polêmica, o acesso passando pelo Albacete é mais difícil do que os Playoffs dos "perdedores"?

Olha, o Albacete é o caminho mais curto e mais difícil para a promoção . O que complica num caso de eliminação e participação nos playoffs dos perdedores  é aumentar o número de jogos da equipe e aí tudo pode acontecer.inclusive permanecer na B3.

Compartilhar este post


Link para o post
Compartilhar em outros sites
Bega Gomes

A tensão está no ar. Pensei que nessa atualização viriam tb os playoffs, mas, ficou de bom tamanho saber que o Hércules venceu a partida "termômetro" contra o Poferrandina (a segunda no caso, hehe) conquistando um título meio que esnobado por algumas equipes da série B. A torcida deve ter vibrado demais, 20 anos sem uma taça sequer eh muito tempo. Parabéns por trazer essa alegria a eles, hehe.

Parece que Ié rendeu bem como lateral quebra galhos, assim como Arturo parece ter achado um espaço de pivô ao invés de matador.

Eh impressão minha ou vc pouco fala de Daimau. Olhando os números da equipe ele eh o jogador com mais partidas como titular, assim com maior assistente e uma das maiores médias. Talvez seja por conta do estilo de narração que vc optou por fazer.

Por falar em narração, continuas indo bem, sabendo mesclar as informações objetivas com o roteiro lúdico.

Tô no aguardo desde playoff que promete ser complicado, neh?! A atenção tem que ser redobrada contra o Albacete (li Abacate, kkk). As lesões irão tirar muitos jogadores importantes desse jogo?

Abs.

Compartilhar este post


Link para o post
Compartilhar em outros sites
Henrique M.

Eu acho esse sistema de promoção da Espanha muito injusto, não sei qual a necessidade de 80 clubes disputando o terceiro escalão, a Itália que é maior e teoricamente tem uns times mais tradicionais nessas divisões utiliza 60.

Compartilhar este post


Link para o post
Compartilhar em outros sites
Jirimias
1 hora atrás, Bega Gomes disse:

A tensão está no ar. Pensei que nessa atualização viriam tb os playoffs, mas, ficou de bom tamanho saber que o Hércules venceu a partida "termômetro" contra o Poferrandina (a segunda no caso, hehe) conquistando um título meio que esnobado por algumas equipes da série B. A torcida deve ter vibrado demais, 20 anos sem uma taça sequer eh muito tempo. Parabéns por trazer essa alegria a eles, hehe.

Parece que Ié rendeu bem como lateral quebra galhos, assim como Arturo parece ter achado um espaço de pivô ao invés de matador.

Eh impressão minha ou vc pouco fala de Daimau. Olhando os números da equipe ele eh o jogador com mais partidas como titular, assim com maior assistente e uma das maiores médias. Talvez seja por conta do estilo de narração que vc optou por fazer.

Por falar em narração, continuas indo bem, sabendo mesclar as informações objetivas com o roteiro lúdico.

Tô no aguardo desde playoff que promete ser complicado, neh?! A atenção tem que ser redobrada contra o Albacete (li Abacate, kkk). As lesões irão tirar muitos jogadores importantes desse jogo?

Abs.

Eu reservei o playoff para outro post pela importância. Tb não deu tempo de jogar mais rs. Foi um título importante por tirar as teias de aranha da sala de troféus.
Ié segurou bem as pontas quando precisei dele na lateral e o Arthuro teve ali um importante papel, apesar de sentir falta dos gols dele.

Vc citou bem: eu tenho a dificuldade de falar de alguns jogadores, é um pouco de receio de escrever demais e até pela forma de narração do save. Vou tentar fazer isso no final. 

Houve uma parada depois dos pontos corridos e recuperei alguns jogadores, mas perdi o goleiro titular. Do lado deles tem quatro jogadores, dois titulares. Tb estou ansioso rsrs. Essa fase do save, de jogar nas divisões inferiores, é a parte mais legal.

41 minutos atrás, Henrique M. disse:

Eu acho esse sistema de promoção da Espanha muito injusto, não sei qual a necessidade de 80 clubes disputando o terceiro escalão, a Itália que é maior e teoricamente tem uns times mais tradicionais nessas divisões utiliza 60.

Tb acho inchado demais, e sofrido também. 

Compartilhar este post


Link para o post
Compartilhar em outros sites
JCaio Lima

Fiquei um "tempinho" sem ler o save e perdi uma temporada inteira, o seu time começou mal, reagiu teve uns tropeços, porém conseguiu o título da copa e uma vaga nos playoffs dos campeões, um caminho mais curto porém mais difícil para o acesso. Boa sorte

Compartilhar este post


Link para o post
Compartilhar em outros sites
LC

Agora que vamos ver a diferença entre homens e garotos, pois até aqui foi mais para garantir um lugar nos playoffs. Qual a análise que você faz sobre o Albacete?

Compartilhar este post


Link para o post
Compartilhar em outros sites
Jirimias
41 minutos atrás, JCaio Lima disse:

Fiquei um "tempinho" sem ler o save e perdi uma temporada inteira, o seu time começou mal, reagiu teve uns tropeços, porém conseguiu o título da copa e uma vaga nos playoffs dos campeões, um caminho mais curto porém mais difícil para o acesso. Boa sorte

A vontade de jogar tá grande rs e os posts estão acompanhando. Espero conseguir o acesso já com o Albacete, e evitar surpresas, mas vai ser mesmo mais complicado.

37 minutos atrás, LC disse:

Agora que vamos ver a diferença entre homens e garotos, pois até aqui foi mais para garantir um lugar nos playoffs. Qual a análise que você faz sobre o Albacete?

Não é um time muito superior ao nosso, apesar da boa campanha. Ficou fragilizado com a perda de um dos zagueiros titulares. Joga com extremos, e um atacante.Um time complicado de ser batido na casa deles.

Compartilhar este post


Link para o post
Compartilhar em outros sites
-Lucas

Também achei esse sistema de promoção muito injusto, não só pelo inchaço de clubes, mas principalmente pela possibilidade de o campeão do grupo não conseguir o acesso. 

De qualquer forma, agora é o momento de o time mostrar sua qualidade, e de os artilheiros (que nem sempre merecem essa alcunha) Arthuro e Berrocal mostrarem sua capacidade. 

Boa sorte contra o Albacete, ou, na pior das hipóteses, na sequencia dos playoffs. 

Compartilhar este post


Link para o post
Compartilhar em outros sites
matheusp

Nossa cara, to por fora dessa divisão inferior da Espanha, confesso que comecei a ler agora sua saga e li o último post com atualização somente, como é que é o esquema? Você vence o grupo e pega campeões de outros grupos, se vencer subiu, se perder cai pra uma lower pra disputar com os 2-4 dos outros grupos? Loucura hein e muito injusto. Ainda mais pelo seu time estar bem inexplicável e oscilando muito. Pelo que li acima você disse sobre o Albacete ser forte em casa, então é conseguir um bom resultado fora e em casa explorar essa fragilidade que eles tem com a perda de um zagueiro. Pra cima deles, Hercules!

Compartilhar este post


Link para o post
Compartilhar em outros sites
DiogoHernandes

Está no caminho certo para a promoção, qual a sua avaliação se não conseguir subir? Será um desastre pelo time que tem ou acha que é normal?

Compartilhar este post


Link para o post
Compartilhar em outros sites
ggpofm

Conquistou o 1º lugar do grupo como era a previsão no início de temporada. Agora é a hora de mostrar força com o Albacete Balompie, que vem muito bem. Pode ser uma eliminatória difícil. O importante é não desanimar, caso perca.

Compartilhar este post


Link para o post
Compartilhar em outros sites
Jirimias
19 horas atrás, -Lucas disse:

Também achei esse sistema de promoção muito injusto, não só pelo inchaço de clubes, mas principalmente pela possibilidade de o campeão do grupo não conseguir o acesso. 

De qualquer forma, agora é o momento de o time mostrar sua qualidade, e de os artilheiros (que nem sempre merecem essa alcunha) Arthuro e Berrocal mostrarem sua capacidade. 

Boa sorte contra o Albacete, ou, na pior das hipóteses, na sequencia dos playoffs. 

Então, fiquei meio inconformado com isso, pelo menos tem uma espécie de repescagem para não jogar todo o trabalho pelo esgoto por conta de dois jogos. Espero que os atacantes estejam afiados, teremos poucas chances para errar nesta fase do campeonato.

18 horas atrás, matheusp disse:

Nossa cara, to por fora dessa divisão inferior da Espanha, confesso que comecei a ler agora sua saga e li o último post com atualização somente, como é que é o esquema? Você vence o grupo e pega campeões de outros grupos, se vencer subiu, se perder cai pra uma lower pra disputar com os 2-4 dos outros grupos? Loucura hein e muito injusto. Ainda mais pelo seu time estar bem inexplicável e oscilando muito. Pelo que li acima você disse sobre o Albacete ser forte em casa, então é conseguir um bom resultado fora e em casa explorar essa fragilidade que eles tem com a perda de um zagueiro. Pra cima deles, Hercules!

Isso aí,Matheus! Aì vc já começa a ver o drama do negócio, e é exatamente essa oscilação que me coloca medo, mas vamos lá pra cima deles. Aposto num empate lá e deixar para decidir em casa, vou jogar para isso.

13 horas atrás, Jio Freed disse:

Está no caminho certo para a promoção, qual a sua avaliação se não conseguir subir? Será um desastre pelo time que tem ou acha que é normal?

Um desastre, um grande desastre, mas se acontecer, vou encarar como um desafio a mais.

9 horas atrás, ggpofm disse:

Conquistou o 1º lugar do grupo como era a previsão no início de temporada. Agora é a hora de mostrar força com o Albacete Balompie, que vem muito bem. Pode ser uma eliminatória difícil. O importante é não desanimar, caso perca.

Isso aí, até pq temos uma outra possibilidade caso percamos, mas vamos tentar resolver isso de uma vez.

Compartilhar este post


Link para o post
Compartilhar em outros sites
Jirimias

DeFCHpy.png
 

Temporada 1
#Episódio 5: Que não nos roubem a ilusão!

 

Na temporada 2014/2015, o Hercules terminara a B3 na terceira colocação, que colocou a equipe nos "play-off dos perdedores". Na ocasião, a equipe ficou a um passo do acesso, caindo na semi-final, esbarrando no Cadiz, por duas derrotas por 1-0. Apesar da derrota em casa ter sido decisivo na eliminação do clube de Alicante, o pênalti marcado a favor do Cadiz no jogo da volta, foi muito lamentado, com o clube resumindo aquele momento com a frase: "Que não nos roubem a ilusão., fazendo menção ao erro da arbitragem naquela partida. Na temporada 15/16, o Cadiz novamente cruzou o caminho dos Gregos (um dos apelidos do Hercules), e o resultado se repetiu. Mais uma vez o acesso foi adiado.

Kr60fSh.jpg

Plantel atual (números finais da temporada 16/17).  Alguns jogadores deste time estiveram na eliminação de 2015

Dos jogadores que estavam naquela ocasião, permanecem no clube: o goleiro Chema, o zagueiro Rojas, o lateral Paco Peña, os meias Alvaro Salinas, Javi Flores, Minãno e Nieto, além do atacante David Mainz.

twV0xgb.png Um ano depois...

1KkoeSU.png

O Jose Rico estava silencioso enquanto Nuñes tentava explicar a vitória sobre o Albacete. Apesar do placar anunciar o triunfo do Hercules, os torcedores deixaram o Jose Rico inconformados. O 2-1 não foi suficiente para garantir o acesso do Hercules que havia perdido a primeira partida em Albacete por 1-0. Depois de um início arrasador com Javi Flores abrindo o placar com um belo chute e Berrocal aproveitando o rebote do goleiro para ampliar, o Hercules confirmara que o 2-0 é mesmo um resultado perigoso. Aos 9 minutos da segunda etapa, Collado acertou um chute que desviou em Roman e bateu Chema. O gol paralisou os donos da casa, que nada mais fizeram para mudar a partida.

Muitos apontaram uma falha de Chema neste gol sofrido, mas não restava outra alternativa no plantel para esta posição . O veterano goleiro só voltou ao time por conta da lesão que tiraria o jovem titular Buigues do restante da temporada.

BvtoQRx.jpg

twV0xgb.png Uma nova chance para o guerreiro

Eliminado, restava ao Hercules uma epopeia nos play-offs dos perdedores. No primeiro embate, o time de Alicante enfrentaria o U. Mellilla, quarto colocado na B4. Vencendo o Mellilla, o adversário na semi-final seria Levante B ou Granada B.

Três dias separavam o Hercules de seu próximo jogo. Havia uma preocupação com o desgaste dos jogadores, mas é bem verdade que todos ali estavam na mesma condição, inclusive passando por uma desgastante eliminatória dias atrás.

Quem esperava vida fácil para o Hercules viu seus prognósticos caírem por terra quando o Mellila abriu o placar logo no início da segunda etapa. A resposta não demorou a vir com Arthuro, após cabecear o cruzamento perfeito de Dalmau. O mesmo Dalmau bateu escanteio minutos depois do empate e achou Edgar Ié no segundo poste para virar a partida. Com o adversário dominado, o Hercules garantiu a vitória e uma vantagem considerável para o jogo de volta em casa: 2-1.

O favoritismo era confirmado no Jose Rico com Gaspar abrindo o placar aos 36 da primeira etapa. No segundo tempo, Gaspar foi derrubado dentro da área e ele mesmo bateu para ampliar a vantagem no placar. Aos 5 minutos, Vazquez diminuiu para os visitantes. Aos 30, o goleiro Chema levou falhou e Jilmar empatou a partida.

lJm2zVM.png

O receio de Nuñes era justificável, pois bastava mais um gol para o Mellila despachar o Hercules. Algumas alterações fizeram o Hercules segurar o ímpeto do adversário, já que ampliar a vantagem parecia difícil quando a equipe demonstrava ter sentido os dois gols sofridos. Arthuro, aos 41, teve uma chance cara a cara com o goleiro, mas chutou no travessão. Sem muita facilidade, o Hercules seguia para a semi-final e ficava a dois jogos do acesso ou do fracasso.

4Q6caEh.jpg


twV0xgb.png Uma explosão de emoções

Antes da primeira partida contra o Granada B, Nuñes acertou a renovação do seu contrato, aceitando receber 4 mil a menos. De contrato renovado, Nuñes agora se preocupava em disputar a segunda divisão no próximo ano.

O Granada B, assim como os últimos adversário do Hercules, apresentou uma postura defensiva, que segurou o time visitante na primeira etapa. Porém, no segundo tempo, os donos da casa foram sufocados. Berrocal jogou na trave uma chance clara. Minutos depois, foi Gaspar quem partia cara a cara com o goleiro, mas foi derrubado por Fran Alvarez, que foi expulso. Gaspar não vacilou e marcou o gol da vitória do Hercules: 1-0.

A partida de volta contra o Granada ocorria dois dias antes do final de contrato de empréstimo de quatro jogadores, entre eles Edgard Ié. A ampliação dos contratos não foi possível naquele momento, portanto, já havia no ar uma sensação de uma reformulação no plantel. Mas este era um pensamento para outro momento. Os jogadores estavam focados no objetivo principal da temporada: o acesso.

Nove mil torcedores lotaram o Jose Rico para verem o Hercules promovido. Não havia ninguém que pensasse o contrário, exceto a pequena torcida do Granada, que apoiavam o time B.

Depois de um começo de jogo nervoso, Arthuro escorou um cruzamento de Nieto e abriu o placar. Aos 15 minutos da segunda etapa, Román dá um carrinho violento por trás no meio campo e é expulso. Quando o zagueiro chegou no banco não teve uma boa recepção de seu treinador.

EyM0B8t.png

Flores deu lugar a Rojas. Omgba deu lugar a Minaño para dar alternativa para saída de bola. Aos 25 minutos, Santos lançou uma bola despretensiosa, e Matheus viu Chema adiantado e encobriu o goleiro do Hércules. Sorte do hercules que o bandeirinha marcou  corretamente o impedimento. Aos 31, Gabriel Suarez cruzou para trás, no ponto para Minaño bater de primeira, de fora da área e ampliar a vantagem do Hercules. Aos 35, foi a vez de Nieto achar Gabriel Suarez, e o brasileiro deu cara de goleada à partida que por pouco não teria virado um drama. Aos 38 foi a vez de Arthuro fazer o seu e aumentar o placar: 4-0. No final do jogo, Matheus escorou cruzamento e balançou as redes, mas novamente a arbitragem anulou o gol, desta vez incorretamente.

 


54x2345.jpg

Àquela altura, o apito final era só um detalhe, pois a festa do acesso já havia começado. Diante de sua torcida, o Hercules voltava a segunda divisão três anos depois do traumático rebaixamento. Alicante dormiu mais tarde, ou talvez, nem tenha dormido, o importante era acordar no dia seguinte com boas razões para abrir o jornal ou ver o programa esportivo.

 

 

OFF TOPIC: No próximo post, farei um breve resumo sobre a temporada e uma atualização sobre os Doze trabalhos. Valeu por comentarem e acompanharem!

 

 

Compartilhar este post


Link para o post
Compartilhar em outros sites
LC

Só jogos emocionantes, principalmente o jogo contra o UD Melilla, pois bastava um gol deles e iria tudo para o buraco.  Parabéns pela subida a Liga Adelante.

Compartilhar este post


Link para o post
Compartilhar em outros sites
bruno introvertido

Não é que o Playoff dos perdedores foi mais emocionante do que subir passando pelo Albacete, lógico que falando agora tudo é mais bonito kkk.

Compartilhar este post


Link para o post
Compartilhar em outros sites
Jirimias
56 minutos atrás, LC disse:

Só jogos emocionantes, principalmente o jogo contra o UD Melilla, pois bastava um gol deles e iria tudo para o buraco.  Parabéns pela subida a Liga Adelante.

Foram mesmo, LC! Agora é ver o quanto trabalho tenho pela frente. 

22 minutos atrás, bruno introvertido disse:

Não é que o Playoff dos perdedores foi mais emocionante do que subir passando pelo Albacete, lógico que falando agora tudo é mais bonito kkk.

Ah, com certeza kkk não foi vc quem quase morreu na frente do computador. Mas foi massa mesmo! Valeu a pena ter perdido...lógico, agora que consegui a promoção. Sò que nem tudo foram rosas, tem duas notícias ruins que virão no próximo post.

Compartilhar este post


Link para o post
Compartilhar em outros sites
ggpofm

Bem que eu pressenti uma difícil eliminatória contra o Albacete. Não deu outra, mas a classificação pelo paly-off dos perdedores acabou sendo bem merecida com uma goleada.

Esse tempo que você ficou longe da área, deixou sua "equipe de documentaristas" enferrujada. Na temporada 2015/16, o Cádiz eliminou o Hércules, mas não houve pênalti em nenhuma das duas partidas. No Ramón de Carranza, o Cádiz ganhou com um gol de falta e na volta em Alicante, foi o zagueirão do Hércules que ajudou o Cádiz.

Compartilhar este post


Link para o post
Compartilhar em outros sites
Jirimias
1 hora atrás, ggpofm disse:

Bem que eu pressenti uma difícil eliminatória contra o Albacete. Não deu outra, mas a classificação pelo paly-off dos perdedores acabou sendo bem merecida com uma goleada.

Esse tempo que você ficou longe da área, deixou sua "equipe de documentaristas" enferrujada. Na temporada 2015/16, o Cádiz eliminou o Hércules, mas não houve pênalti em nenhuma das duas partidas. No Ramón de Carranza, o Cádiz ganhou com um gol de falta e na volta em Alicante, foi o zagueirão do Hércules que ajudou o Cádiz.

Eu quis dizer 14/15 kkkk. Já corrigi. Não sabia que na 15/16 eles tb cruzaram os caminhos, eu escolhi a anterior por conta da frase do capítulo rs Até fiz a menção desta coincidência após edição do post. Valeu!
Contra o Albacete merecíamos mais, mas vacilamos, acabou por confirmarmos o acesso contra os perdedores. Mesmo assim,o Mellila deu trabalho.
 

 

Compartilhar este post


Link para o post
Compartilhar em outros sites
Henrique M.

Sofreu mas alcançou o objetivo, que era a promoção, pelo menos não foi uma nova injustiça, com um dos campeões não subindo, no fim, dos 4 subiram 3.

Compartilhar este post


Link para o post
Compartilhar em outros sites
Jirimias
3 horas atrás, Henrique M. disse:

Sofreu mas alcançou o objetivo, que era a promoção, pelo menos não foi uma nova injustiça, com um dos campeões não subindo, no fim, dos 4 subiram 3.

Foi bom, mas já percebo que vai ser difícil jogar a próxima divisão. Isso mesmo, só o Real Murcia ficou de fora.

Compartilhar este post


Link para o post
Compartilhar em outros sites
JCaio Lima

Parabéns pelo acesso!! O Hércules lutou mas, agora voltou para a Liga Adellante, imagino que era melhor ter vencido o Albacete mesmo no playoff dos vencedores😁😁. Boa sorte

Compartilhar este post


Link para o post
Compartilhar em outros sites
Jirimias
10 minutos atrás, JCaio Lima disse:

Parabéns pelo acesso!! O Hércules lutou mas, agora voltou para a Liga Adellante, imagino que era melhor ter vencido o Albacete mesmo no playoff dos vencedores😁😁. Boa sorte

Ah, sim,s eria mais simples, mas não trocaria a emoção destes jogos finais de jeito nenhum, foi massa. Descobri que o coração tá ótimo rs

Compartilhar este post


Link para o post
Compartilhar em outros sites
AndreCruzeirense

Parabéns pelo o acesso, e com emoção, jogador ser expulso na final sem um bom motivo é pra enfurecer qualquer um, entendo o Nunes haha, e que situação estranha essa do empréstimo do Edgar Ie acabar antes do final da temporada, deve ter sido frustrante para você, já que o time já tinha seus lesionados e o desgaste físico e ainda perder jogador com uma certa importância para o time, é tenso hehe.

Compartilhar este post


Link para o post
Compartilhar em outros sites
Visitante
Este tópico está impedido de receber novos posts.

  • Conteúdo Similar

    • math6667
      Por math6667
      Eae galera,queria saber se tem alguma atualização de elencos atual para o Football manager 2017 de 2018,pq meu pc só roda ele e tá ficando chato com os mesmos elencos???
    • Tsuru
      Por Tsuru
      APRESENTAÇÃO

      E cá estou eu de volta. As coisas se acalmaram aqui em Portugal, fiquei com mais tempo para jogar e decidi começar a retornar ao FM aos poucos; quando vi, já estava mais que viciado no jogo e empolgadíssimo com um novo desafio. Como jogar sem postar não tem a menor graça, inicio assim uma nova jornada aqui na área - o tempo longe do Projeto Nacional me fez perder o gás e, quando voltei a jogar FM, estava sem vontade nenhuma de continuá-lo.
      A ideia desse save surgiu há mais ou menos um ano, quando li o livro “Futbol Total” em que Arrigo Sacchi narra suas memórias. Desde então estava com vontade de fazer um tributo a ele. 
      Apesar de ser um tributo, farei um save de clube, que hoje é um formato que me agrada mais, podendo assumir uma seleção (ver objetivos abaixo). As atualizações serão semanais, e a ideia é que cada uma consiga cobrir um bimestre inteiro.
      Até pensei em iniciar no Pro Piacenza, que é uma equipe rossoneri como o Milan e fica na mesma região onde Sacchi nasceu (Emília-Romanha). Mas como no save não terei obrigação de seguir os mesmos passos do técnico, preferi ir para o Sul da Itália, onde há muitas equipes interessantes - e uma em especial com a qual tenho vontade de jogar há bastante tempo. 
      O nome do treinador será Alfredo Beletti, um personagem fictício que tem o mesmo nome de um dos mentores e melhores amigos de Arrigo Sacchi.
       
      REGRAS
      Se for demitido, o save acaba;
        Em homenagem ao grande Milan de Arrigo Sacchi, só poderei contratar jogadores italianos e holandeses;
        Poderei utilizar todos os jogadores surgidos na base do clube, independente da nacionalidade;
        A partir do primeiro ano na Série A, os contratos de jogadores que não forem italianos, holandeses ou criados na base do clube não poderão mais ser renovados, podendo o jogador ser vendido ou sair de graça. Esta regra não muda em caso de rebaixamentos para a Série B.
        OBJETIVOS
      Ser bicampeão da Série A e da Supercopa Italiana, superando Arrigo Sacchi;
        Ser bicampeão da Liga dos Campeões e do Mundial de Clubes, se igualando a Arrigo Sacchi;
        Depois de atingir todos os objetivos com o clube, deixar a equipe, assumir uma seleção e ganhar a Copa do Mundo, superando Arrigo Sacchi (pode ser com qualquer seleção e pode ser tentado mais de uma vez)
        O PROFETA
      Arrigo Sacchi nasceu em Fusignano, Itália, e é considerado por muitos um dos maiores treinadores italianos de todos os tempos. Ele ficou especialmente conhecido pelo Milan que comandou entre 1987 e 1991, que era inspirado na Holanda de Rinus Michels mas tinha uma identidade própria bastante forte.
      Contando com a força econômica de Silvio Berlusconi e a confiança do diretor de futebol Adriano Galliani, Sacchi montou uma verdadeira seleção, que incluía nomes como Carlo Ancelotti, Franco Baresi, Alessandro Costacurta, Paolo Maldini e os holandeses Ruud Gullit, Frank Rijkaard e Marco Van Basten. O treinador exigia uma intensidade enorme de seus jogadores, tanto na defesa quanto no ataque, e propunha um futebol ofensivo, vibrante e que fosse para divertir as pessoas. Para sorte dele, o grupo que foi montado à época compreendeu bem sua filosofia de jogo e conseguiu executá-la com perfeição.
      Unido dentro e fora de campo, o Milan venceu a Série A uma vez (desbancando o Napoli de Maradona e Careca) e foi bicampeão da Liga dos Campeões, da Supercopa Italiana, Supercopa da Europa e do Mundial de Clubes. O sucesso e o estilo arrojado levaram a equipe a ser eleita pela revista World Soccer como a quarta melhor da história do futebol, atrás apenas das seleções da Hungria (1954), Brasil (1970) e Holanda (1974).
      Depois do Milan, Arrigo Sacchi assumiu o comando da seleção da Itália que foi à Copa do Mundo de 1994, mas não teve o mesmo sucesso. Os jogadores da seleção não compreenderam bem seus conceitos e a Itália foi avançando na base da sorte, aos trancos e barrancos, conforme relata o próprio treinador. Ainda assim, a Azzurra chegou até a final com o Brasil de Bebeto e Romário e foi derrotada após o famoso pênalti perdido por Roberto Baggio, o Codino Divino.
      O modo revolucionário de Sacchi ver o futebol italiano - que até então era refém de esquemas com um líbero - deu origem ao apelido “Profeta de Fusignano”. Ironia do destino ou não, muitos dos conceitos utilizados por Sacchi nos anos 80 pareciam mesmo "futuristas" e se tornaram bastante comuns no futebol anos mais tarde, inspirando por exemplo Pep Guardiola e Jupp Heynckes. 

      HISTÓRICO
      Temporada 16/17 - Série C, Girone C - CAMPEÃO (promovido à Série B) Temporada 17/18 - Série B - 12º lugar Temporada 18/19 - Série B - 6º lugar / Classificado para os playoffs e eliminado pelo Verona (2 a 1) Temporada 19/20 - Série B - 5º lugar / Classificado para os playoffs e eliminado pelo Carpi na semifinal (5 a 2 no agregado) Temporada 20/21 - Série B - CAMPEÃO (promovido à Série A)
        SALA DE TROFÉUS
      🏆 Série C, Girone C - 16/17
      🏆 Série B - 20/21
    • Neynaocai
      Por Neynaocai
      PRA QUEM CHEGOU AGORA, RECOMENDO DAR APENAS UMA OLHADA POR CIMA NA PRIMEIRA TEMPORADA E IR LOGO AO QUE INTERESSA, QUE A PARTIR DE HOJE (07/12/2018) SERÁ INDICADO ABAIXO:
       
      CLUBE
      Uma nova jornada. Capítulo 1: La voix du peuple est la voix de Dieu.
      Uma nova jornada. Capítulo 2: Entre grandes expectativas e a realidade!
      Uma nova jornada. Capítulo 3: A segunda temporada.
      Uma nova jornada. Capítulo 4: X-saladas, caldo-de-canas, bolachas, refrigerantes e gols.
      Uma nova jornada. Capítulo 5: Tem que ter pojeto?
      Uma nova jornada. Capítulo 6: Tutorial de como ser campeão em menos de duas temporadas.
      Uma nova jornada. Capítulo 7: Em segundo, se virares a mesa.
       
      SELEÇÃO
      You are fake news. Um desabafo contra a imprensa.
      Copa do Mundo Sub-20 2017.
      Copa Ouro 2019 - Campeonato Mundial Sub-20 2019.
      Pré-olímpico 23:
       
      ESPECIAIS
      Copa do Mundo 2018
       
       
    • LucaSilva32
      Por LucaSilva32
      Bom, eu usava normalmente o FM 17 com as faces que eu tenho (85.000 faces ao total), funcionava perfeitamente. Hoje quando fui entrar no meu save, vi que quase todas as faces do jogo sumiram.
      Pensei que fosse o fato de eu tentar colocar a face do meu treinador, mas exclui a foto do meu treinador na facepack e tirei o id do meu treinador do config.xml localizado na facepack, ao recarregar a skin dentro do jogo continuou o mesmo problema.
      Desde já agradeço a quem tentar me ajudar.
    • Henrique M.
      Por Henrique M.
      Reflexões, ponderações e filosofias
      Antes de falar do save em si, queria aproveitar o espaço para fazer um desabafo. Parece que a cada novo FM que surge eu vou perdendo cada vez mais o contato que eu tinha com o jogo no passado, mas vejo alguns exemplos de pessoas na mesma faixa de idade, mesma faixa de afazeres ou até em faixa maiores, jogando e tendo a boa e velha conexão com o jogo. Não sei se posso culpar o jogo em si ou culpar o jogo com relação a mim. Poderia ser pessoal, mas recentemente venho me divertindo no Football Manager 2008 e poderia facilmente migrar para o Football Manager Touch, que foi minha grande empolgação com um save, tirando os playoffs de promoção com o Santarcangelo. Então acredito que o problema não é do jogo, nem da minha relação com o jogo. É do que eu quero ver acontecendo no jogo.
      Infelizmente eu escolhi um desafio que o jogo não estava disposto a aceitar nas minhas condições, era possível, mas eu precisava aceitar as condições que o jogo impunha e isso não era o suficiente, eu precisava de mais e não aguentava ver o resultado do que eu queria dentro de campo. Não ligo para derrotas, para os percalços, desde que eles ocorram com meu time atuando da maneira pela qual ele foi desenhado para atuar. Se eu me comprometo com a retranca, tenho que estar ciente do que ela causa, se eu me comprometo com o jogo ofensivo, tenho que estar ciente do que ele causa e assim por diante. A questão é que eu me comprometi com uma coisa diferente, que era o líbero, não era uma questão de tática, não era uma questão de estilo de jogo. Era uma questão de trazer uma função morta para o FM e fazê-la funcionar tanto defensivamente quanto ofensivamente, mas isso limitava meu estilo de jogo a ser puramente defensivo ou contra-ofensivo. E as equipes que tiveram grandes líberos ofensivos não jogavam exclusivamente assim e muitas poderiam ser descritas como equipes fluidas e ofensivas.
      Eu passei do estágio de querer ver um desafio impossível sendo feito por mim, passei do estágio de querer acumular títulos e fazer grandes saves em termos de troféus e vitórias. Tive um dos maiores prazeres no FM 2015 com uma equipe que ganhou 3 italianos em umas 15 temporadas, perdeu 2 vezes a Champions e até hoje sinto saudades desses momentos, pois ali eu não estava construindo a minha dinastia, ali eu estava construindo uma história em conjunto com um clube. Tinha aquele apego, tinha aquela paixão de transformar o mundo do futebol. E esse é um problema grande, não consigo fazer igual a maioria das pessoas e escolher um save simples, seguro e que seja factível de se encerrar. Eu quero o desafio de modificar a história, criar momentos que só o FM proporciona e isso acredito que vem dificultando o processo de jogar FM.
      Desafabo feito, hora de seguir adiante e tentar mais uma vez. Se falharmos, levantamos, sacudimos a poeira e tentamos de novo.
      Introdução
      No Football Manager 2014 eu tentei aquele desafio impossível, meu grande feito até hoje foi conquistar a Champions League com o Rangers da Escócia no FM 2012. Por isso, decidi apimentar as coisas e buscar o título da Champions League com outro clube britânico, só que dessa vez advindo da Irlanda. Foram lindas 12 temporadas com 10 títulos nacionais, 9 deles consecutivos e incontáveis títulos nas copas domésticas, transformando o Shamrock Rovers no maior vencedor de todas as competições irlandesas. Em nível continental, realizamos o feito que o Dundalk realizou nessa temporada, ao se tornar o primeiro clube irlandês a participar de uma fase de grupos de uma competição europeia e fomos além, chegamos até as oitavas-de-final da Champions em uma ocasião e participamos por 3 ou 4 vezes do mata-mata da Liga Europa. Porém, apesar de nunca sequer estar perto de alcançar o único objetivo do save, transformei o Shamrock Rovers, mas isso não foi o suficiente para alavancar o futebol irlandês e sem a alavancagem do futebol irlandês seria impossível chegar até o objetivo do save. Eu me frustrei com isso, encerrei o save, depois me arrependi, mas a decisão já estava feita. Contudo, nesse save desenvolvi jogadores, criei ícones e lendas do clube, inclusive consegui segurar uma gigante promessa irlandesa por mais de 10 temporadas na equipe, fazendo com que um jogador da base se tornasse um importante jogador da história da equipe. E eram essas pequenas coisas que seguravam o save, mas infelizmente, ele estaria fadado a nunca dar certo da maneira que eu gostaria.
      Por isso, no ano passado, o ggpofm traduziu e adaptou um texto sobre como tornar uma liga competitiva e eu decidi que era hora de tentar realizar o impossível novamente, porém eu incuti no erro de começar o jogo no FM 2014 e comparar as duas histórias e é óbvio que isso deu errado, pois eu me frustrava com o que ocorria e olhava e comparava com o que havia sido feito e me perguntava o que estava acontecendo e o que estava sendo feito de errado, até o ponto em que eu comecei a tentar emular as decisões do passado. Isso ruiu a tentativa.
      É hora de aprender com o passado e recomeçar um desafio diferente que é transformar uma liga com um desafio do passado, a busca do impossível. Sinceramente, espero que seja esse o combustível necessário, pois o fato de querer continuar participando ativamente da área me fez retornar rapidamente com uma história. Quando não estou contando um save, a atenção que dou a área é totalmente diferente e sinceramente, como é uma área que pulsa numa vibração interessante e revigorante, acho injusto comigo mesmo não estar aqui, mesmo que o preço seja mais uma história inacabada.
      Objetivo
      Conquistar a Champions League com o Shamrock Rovers Regras do save
      Se o jogador não serve mais para o Shamrock Rovers, a prioridade é repassá-lo para uma equipe irlandesa, mesmo que isso signifique aceitar uma oferta menor ou perder o jogador de graça. Não contratar destaques de outras equipes irlandesas. Buscar repatriar jogadores irlandeses de ligas estrangeiras. Buscar contratar jovens promessas de equipes irlandesas, com o propósito de acelerar a evolução do mesmo. Buscar antecipar a concorrência externa pelos principais jogadores da liga, evitando que jogadores de bom nível ou alto potencial saiam do país. (A única condição que permite contratar um jogador adversário que seja importante para o clube) Caso alguma nova necessidade vá surgindo, irei informar num post e adicionar aqui Histórico
      2017 - 1º lugar na Airtricity Premier League, eliminado na 1ª rodada qualificatória da Europa League
      2018 - 1º lugar na Airtricity Premier League, eliminado no Playoff dos campeões da Champions League, 4º lugar no Grupo K da Europa League
      2019 - 1º lugar na Airtricity Premier League, Campeão da Copa da Irlanda, Campeão da Leinster Cup, 4º colocado no Grupo C da Champions League
      2020 - 1º lugar na Airtricity Premier League, Campeão da Copa da Irlanda, eliminado na 3ª Qualificatória da Champions League e nos Playoffs da Europa League
      2021 - 1º lugar na Airtricity Premier League, Campeão da Copa da Irlanda, Campeão da EA Sports Cup e 4º colocado no Grupo C da Champions League
      2022 - 1º lugar na Airtricity Premier League, Campeão da Leinster Senior Cup e 4º colocado no Grupo H da Champions League
      2023 - 1º lugar na Airtricity Premier League, Campeão da Copa da Irlanda, Campeão da Leinster Senior Cup e 2º colocado no Grupo J da Europa League
      2024 - 1º lugar na Airtricity Premier League, Campeão da Copa da Irlanda, Campeão da EA Sports Cup, eliminado nos 32-avos-de-final da Europa League e 3º colocado no grupo G da Champions League
      2025 - 2º lugar na Airtricity Premier League, Campeão da Copa da Irlanda, eliminado nos 32-avos-de-final da Europa League e 4º colocado no grupo B da Champions League
      2026 - 1º lugar na Airtricity Premier League, Campeão da Copa da Irlanda, Campeão da Leinster Senior Cup e 4º colocado no Grupo L da Europa League
      2027 - 1º lugar na Airtricity Premier League, Campeão da EA Sports Cup, Campeão da Leinster Senior Cup e 3º colocado no Grupo H da Champions League
      2028 - 1º lugar na Airtricity Premier League, Campeão da Copa da Irlanda, Campeão da EA Sports Cup e eliminado nas oitavas-de-final da Europa League e 3º colocado no Grupo E da Champions League
      2029 - 1º lugar na Airtricity Premier League, eliminado nos 32-avos de final da Europa League, 4º lugar no Grupo A da Champions League
      2030 - 1º lugar na Airtricity Premier League, Campeão da Copa da Irlanda, Campeão da Leinster Senior Cup e 4º lugar no Grupo C da Champions League
      2031 - 1º lugar na Airtricity Premier League, Campeão da Copa da Irlanda, Campeão da EA Sports Cup, Campeão da Leinster Senior Cup e 2º lugar no Grupo H da Champions League
      2032 - 1º lugar na Airtricity Premier League, Campeão da EA Sports Cup, Campeão da Leinster Senior Cup, Eliminado nas oitavas-de-final da Champions League 2031/2032  e 2º lugar no Grupo F da Champions League 2032/2033
      2033 - 1º lugar na Airtricity Premier League, Campeão da Leinster Senior Cup, Eliminado nas oitavas-de-final da Champions League 2032/2033 e 3º lugar no Grupo G da Champions League 2033/2034
      2034 - 1º lugar na Airtricity Premier League, Campeão da EA Sports Cup, Campeão da Leinster Senior Cup, Eliminado nas quartas-de-final da Europa League 2033/2034 e 3º lugar no Grupo C da Champions League 2034/2035
      2035 - 1º lugar na Airtricity Premier League, Campeão da EA Sports Cup, Campeão da Leinster Senior Cup, Campeão da FAI Ford Cup, Campeão da Europa League 2034/2035, Campeão da Super Copa da UEFA 2035 e 1º lugar no Grupo H da Champions League 2035/2036
      2036 - 1º lugar na Airtricity Premier League, Campeão da FAI Ford Cup, Eliminado nas oitavas-de-final da Champions League 2035/2036 e 3º lugar no Grupo E da Champions League 2036/2037
      2037 - 1º lugar na Airtricity Premier League, Campeão da FAI Ford Cup, 4º lugar no grupo C da Champions League 2037/2038
      Histórico de posts
      Shamrock Rovers e Irlanda A primeira pré-temporada Algumas surpresas na tabela Liderança na Irlanda, decepção na Europa Vantagem é sempre importante A baciada fica para o meio do ano Uma temporada mais competitiva Irlanda x Escócia Celtic Park, Olympiyskyi, Vélodrome e King Power Stadium 3 contratações, 32 despedidas Enfim mediremos força com o Dundalk? Onde os outros perdem, nós vencemos Um empate que vale por duas temporadas e meia Em time que está ganhando não se mexe? Mais um voo solo? Dois patetas, as traves e um muro espanhol Em terra de irlandês, quem é Shamrock, é rei! As primeiras cifras em reforços Um começo de temporada inédito 166 convocações no elenco Os desafios financeiros da Irlanda Um estádio para chamar de nosso Alguém parará o Shamrock Rovers? Muita movimentação no Tallaght Uma Irlanda que dá trabalho O retorno do atacante solitário Falta embalar Uma chance inesperada Deem um pouco mais de crédito para a Liga Irlandesa Vendas milionárias Sentimos sua falta, O’Brien! Gribbinaldinho Fenômeno! A 5ª maior instituição da Irlanda Remodelagem tática A melhor campanha da história do primeiro turno Na perseguição do Cork City Verde é a cor da Irlanda Um vacilo milionário A melhor campanha da história do primeiro turno – Parte 2 Mais Irlanda na Europa Forde, por que faz isso comigo? Batemos a marca de 2 milhões Um carrossel verde e branco Simplesmente avassalador! Um péssimo ano para ser Bohemian Um mercado prolífico Um novo concorrente no horizonte? Eurocopa 2028 A solução que veio e que foi Chora, Allegri! Reaprendendo a jogar Tudo conforme o script Dinamo Zagreb A única vez foi em 2017 O bom filho a casa torna Uma máquina chamada Conor Wilson Copa do Mundo 2030 Maldito sorteio da Champions League Uma abordagem renovada Poxa, UCD! Um dia ruim por turno O doce aroma da elite europeia De pontas para volante Uma noite irlandesa em Londres As dificuldades de ser maior que a liga irlandesa Meus jogadores são de um material superior Que venha o Lyon! Teremos um campeonato!? Segue o líder! A gente bem que tentou, mas o Cork não quis! Regulamento debaixo do braço Faltaram apenas 6 minutos Mais uma vaga na Champions League! Dosharaithe E estamos de volta A estrada até aqui... Real Madrid x Shamrock Rovers Super Copa da UEFA Green Stadium Uma homenagem à Conor Wilson Começo claudicante, mas final esperado O fim de duas eras Sob nova direção A Airtricity Premier League é uma das 10 maiores da Europa 20 anos de Danny Green Um campeonato que ainda está em aberto Vexatório! O plano quinquenal
×